Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA


POLO BELÉM
MATEMÁTICA LICENCIATURA

DISCIPLINAS NORTEADORAS DA 7ª SÉRIE: CÁLCULO C,


ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE, EDUCAÇÃO DE JOVENS E
ADULTOS, ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE, EQUACÕES
DIFERENCIAIS E APLICAÇÕES, PRÁTICA PEDAGÓGICA E
MODELAGEM MATEMÁTICA.

ALUNO: MILTON FARIAS RIBEIRO


RA:23526893

DESAFIO PROFSSIONAL REFERENTE A 7ª SÉRIE DO


CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA.

TUTOR EAD: DAIANY CRISTINY RAMOS

BELÉM/PA-2020.
MILTON FARIAS RIBEIRO – RA 23526893

CÁLCULO C, ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE, EDUCAÇÃO DE


JOVENS E ADULTOS, ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE,
EQUACÕES DIFERENCIAIS E APLICAÇÕES, PRÁTICA
PEDAGÓGICA E MODELAGEM MATEMÁTICA.

BELÉM/PA-2020
SUMARIO

1Introdução..........................................................................................................4
2CAPITULO 1: FUNÇÃO DA TEMPERATURA DO CAFÉ EM RELAÇÃO AO
TEMPO................................................................................................................5
3CAPITULO 2: REGRESSÃO LINEAR................................................................9
4CAPITULO 3: USO DE METODOLOGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E
ADULTOS...........................................................................................................11
5Conclusão.........................................................................................................13
5Referencias Bibliográficas.................................................................................14
1. INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como propósito apresentar e relatar as Disciplinas


Norteadoras do curso de Matemática 7ª série da Faculdade Anhanguera Uniderp,
dando ênfase às seguintes disciplinas: Cálculo C, Estatística e probabilidade,
Equações diferenciais e aplicações, Práticas pedagógicas: Modelagem matemática
e Educação de jovens e adultos.
Será realizado obedecendo os seguintes passos:
1 – A fim de estudar o resfriamento do café em relação ao tempo, onde, será
colocado o café quente em uma garrafa térmica, com um termômetro será medido
as diferenças de temperaturas e em vários instantes t, conforme tabela 1, onde,
através da diferença de temperatura em um determinado tempo será calculado a
função temperatura em relação ao tempo.
2 – No passo 2, a partir dos dados da tabela 1, devemos encontrar a reta que
ajusta os dados, calculando uma Regressão Linear utilizando os dados da tabela 1 e
posterior a isto, faremos uma comparação do passo 1 com o passo 2 destacando
qual o cálculo mais viável para representar a modelagem matemática, usando os
dados apresentados na tabela 1.
3 – passo 3 – Faremos uma análise sobre o uso das metodologias na
Educação de jovens e adultos, dando ênfase às situações do dia-a-dia
reverenciando os assuntos abordados nos passos 1 e 2.
Assim, serão abordados os temas com os alunos e estes serão capazes de
diagnosticar e mensurar qual a forma mais viável para calcular a diferença de
temperatura de um líquido armazenado quente e em um determinado tempo irá
perdendo calor.
1 – PASSO 1: FUNÇÃO DA TEMPERATURA DO CAFÉ EM RELAÇÃO AO
TEMPO

A lei do resfriamento de Newton que utilizaremos para estudar


matematicamente o comportamento em que a taxa de variação da temperatura do
café é proporcional à diferença entre sua temperatura e a temperatura do meio
ambiente, é expressa pela equação:

dT
=k . ( T −T M ) (1)
dt

Em que:
dT
corresponde a taxa de variação da temperatura em relação ao tempo;
dt
T =T (t) é a temperatura do café no instante t;
T M é a temperatura do meio ambiente;
k é uma constante de proporcionalidade,
É uma equação diferencial ordinária linear de 1ª ordem.
Para a obtenção da função que relaciona a temperatura do café, no
experimento em questão, em um instante de tempo t, utilizo aqui o método da
separação de variáveis.

Fazendo

dT
=k . dt
( T −T M ) (2)

E integrando os dois membros,


❑ ❑
dT
∫ T −T =∫ k . dt (3)
❑ ( M) ❑

Obtemos:
ln ( T −T M ) =k . t+C
(4)

A seguir, transformando em equação exponencial de base e


Temos:

ln (T −T M )
e =e k. t +C (5)

O que resulta:

T −T M =e k. t +C (6)

De onde:

T ( t )=T M + ek . t .e C (7)

Mas sabemos que a temperatura do meio ambiente é T M =21° C , e que,


na primeira leitura, correspondente a t=0, a temperatura foi de 70°C. Assim:

T ( 0 )=21+e k .0 . eC (8)

De onde temos que:

70=21+ eC (9)

E encontramos que:

e C =70−21=49 (10)
Desta forma:

T ( t )=21+ 49. ek .t (11)

Cumpre-nos determinar o valor de k. Para tanto, vou utilizar a última leitura do


experimento, onde T ( 80 )=52° C .

A partir de (11), e aplicando para T ( 80 )=52° C:

52=21+ 49. ek .80 (12)

Temos que:

52−21 31
e k .80= =
49 49 (13)

Aplicando ln aos dois membros:

ln e k .80=ln ( 3149 ) (14)

Temos que:

k .80=ln ( 3149 ) (15)

O que nos dá:

1 31
k=
80
ln ( )
49 (16)

Finalmente, a equação procurada é:

1 31
80 ( )
ln
49
.t
T ( t )=21+ 49. e (17)
Como foram utilizados os parâmetros T(0) e T(80) para a determinação da
equação, sendo as medições feitas por instrumentos reais e sujeitas à ação de
eventuais fatores físico-químicos ou outros não levados em consideração,
possivelmente os valores calculados por meio da função T(t) sejam ligeiramente
diferentes dos valores medidos nas demais leituras.
Vejamos para T(0):
1
ln ( 3149 ).0
T ( 0 )=21+49. e 80
T ( 0 )=21+49. e 0
T ( 0 )=21+49
T ( 0 )=70 ° C, resultado que confere com a 1ª leitura.
E agora para T(80):
1 31
80
ln ( )
49
.80
T ( 80 )=21+49. e
T ( 80 )=21+49. e−0.45783
T ( 80 )=21+49.0,63265
T ( 80 )=21+31
T ( 80 )=52° C, resultado que confere com a última leitura.
Assim, a tabela 1 a seguir mostra todos os resultados destes cálculos, onde
se pode visualizar que vários deles não são idênticos aos medidos mas se
aproximam dos mesmos.

Tempo
0 10 20 30 40 50 60 70 80
(minutos)

Temperatur
a
70 68 65 64 62 61 55 54 52
medida
(°C)

Temperatur
a
70 67,3 64,7 62,3 60 57,8 55,8 53,8 52
calculada
(°C)
Tabela 1 – comparação entre os valores medidos e os valores calculados pela função T(t)
2 – PASSO 2: REGRESSÃO LINEAR

Embora os pontos determinados pelas coordenadas (T,t) pareçam alinhados,


é visível que não estão. No entanto, pode-se verificar se é possível encontrar uma
reta que passe ao longo desses pontos, de forma a minimizar as distâncias entre os
mesmos e esta reta. Se for possível, teremos uma equação y=mx+b que também se
presta para calcular os valores da temperatura em função do tempo, procedimento
conhecido como regressão linear.
De posse da Tabela 1, contendo os valores medidos e utilizando a notação:
t=x
T(t)=y
e desde já preenchendo a tabela de correlação para a regressão linear temos:

n x y x2 y2 xy

0 0 70 0 4900 0

1 10 68 100 4624 680

2 20 65 400 4225 1300

3 30 64 900 4096 1920

4 40 62 1600 3844 2480

5 50 61 2500 3721 3050

6 60 55 3600 3025 3300

7 70 54 4900 2916 3780

8 80 52 6400 2704 4160

Σ 360 551 20400 34055 20670


Tabela 2 – dados para o cálculo da correlação linear

Inicialmente, precisamos verificar se existe uma reta que minimize as diferenças


entre os pontos das coordenadas obtidas na medição. Para tanto, utilizaremos o
chamado coeficiente de correlação r, tal que:
n . ∑ x . y−( ∑ x ) . ( ∑ y ) 2
r= πr

PASSO 3: MODELAGEM MATEMÁTICA PARA O ENSINO DE JOVENS E
ADULTOS.

Neste passo traremos a Modelagem Matemática no ensino de jovens e


adultos como alternativa metodológica, enfocando o exemplo da tab. 1, como segue:

Tempo 0 10 20 30 40 50 60 70 80
(minutos)

Temperatur
a
70 68 65 64 62 61 55 54 52
medida
(°C)

Temperatur
a
70 67,3 64,7 62,3 60 57,8 55,8 53,8 52
calculada
(°C)
Tabela 1 – comparação entre os valores medidos e os valores calculados pela função T(t)

Ao fazer estudo da tabela usando a modelagem matemática vemos que os


dados apresentados, teremos o seguinte resultado:
Onde vemos que a perda de temperatura é inversamente proporcional ao
tempo, sendo que um aumenta e o outro diminui.
A temperatura a 0 C corresponde a 70 C, e em 10 minutos corresponde a 68
C, e assim por diante, no entanto, conclui-se que com o aumento do tempo de
permanência do café no interior da garrafa térmica o café vai resfriando lentamente
em uma escala gradativa, neste exemplo, usamos uma escala inteira, no entanto, da
mesma forma, poderemos fazer com exemplos utilizando casas decimais, usando as
as aproximações, conforme os dados acima citados.
Tomando os dados da tabela, poderemos citar vários exemplos e usos
através da modelagem matemática: a perda de calor de um recipiente ao retirar do
interior da geladeira até este chegar a temperatura ambiente, o furo em uma chapa
aquecida e após tantos instantes este furo tem seu diâmetro aumentado, também
em uma escala gradativa, dependendo do grau de temperatura utilizado.
Podemos usar também, como exemplo um atleta praticando esporte, ao se
exercitar a temperatura de seu corpo pode chegar em torno de 47 C perder caloria e
líquido através do calor desprendido e assim, podemos usar vários exemplos e fazer
uso da modelagem matemática, utilizando os dados teóricos e práticos ou seja, o
tempo e a perca ou ganho de temperatura, nestes casos.
Utilizaremos a teoria e a prática na resolução dos problemas a teoria são os
dados apresentados e a prática são os efeitos que causam os resultados, ou seja,
com o aquecimento o aumento gradativo e com o resfriamento e diminuição de
tamanho do corpo, conforme foi constatado nos exemplos citados.
Com o uso deste conhecimento conclui-se que com a taxa de variação de
temperatura do objeto sendo menor que a temperatura do ambiente esta
temperatura irá aumentar ou seja, o corpo irá ganhar calor e sua temperatura irá
aumentar e se sua temperatura for maior que a temperatura ambiente, ao retirar a
fonte de calor, este corpo, irá perder calor até chegar a uma temperatura constante.
Na Modelagem matemática problematiza-se uma situação e através dos
dados investiga-se um resultado buscando o entendimento aliado a teoria e a
prática.

6 – CONCLUSÃO:
Na organização deste trabalho abordamos vários conteúdos da matemática
utilizados no dia-a-dia dos estudantes tanto do ensino regular, como do ensino
superior.
No passo 1 - Utilizamos a equação de resfriamento de Newton onde, a
variação de temperatura e a diferença entre a temperatura do corpo e a temperatura
constante do meio ambiente em relação a derivada do tempo em relação a derivada
da temperatura, ou seja, sua variação. A equação nos revela os valores que o
estudo da perda gradativa de temperatura em uma escala de redução até chegar a
uma temperatura constante.
No passo 2 - O estudo da regressão linear foi estabelecido relações entre
duas ou mais variáveis buscando valores entre a equação da reta, buscando valores
da temperatura em função do tempo. A equação dos coeficientes de correlação r
para se verificar a diferença entre os pontos das coordenadas.
No passo 3 – Modelagem matemática ao ensino de jovens e adultos – Como
vimos no exemplo citado a modelagem está relacionada a realidade onde a teoria e
prática estão aliadas a aprendizagem. Ao ensino de jovens e adultos busca-se o
interesse do aluno em criar soluções através das atividades usando o conhecimento
e a vivência do aluno.
Nestes assuntos abordados sobre o cálculo e uso da segunda lei de Newton
na relação de perda de temperatura, uso da equação da reta, uso da equação de
correlação r, diferença entre o pontos das coordenadas e a modelagem matemática
ao ensino de jovens e adultos.
Os objetivos foram alcançados nos cálculos apresentados e no ensino da
modelagem matemática para jovens e adultos, havendo participação maciça dos
alunos em sala.
A equação nos revela os valores que o estudo da perda gradativa de
temperatura em uma escala de redução até chegar a uma temperatura constante.

7 - BIBLIOGRAFIA
1.1 -Livro da PLT: Comunicação e Comportamento Organizacional – Geraldo
R. Caravantes, Claúdia B. Caravantes e Mônica C. Kloeckner.

www.supertexto.com/texto/trabalho_em_equipe_uma_vantagem_competitiva.

http://sare.unianhanguera.edu.br/index.php/anudo/article/view/1594/754

1.2 - CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração. 4ª


Edição, Ed. Makron Books.
1.3 - REZENDE, Denis Alcies: ABREU, Aline França de. Tecnologia da
informação Aplicada aSistemas de Informação Empresariais. 3ª Edição,
Editora Atlas.
1.4 - DANTE, L. R. Didática da Resolução de problemas de matemática. 12. Ed.
São Paulo, Ática 1977.
1.5 - MALHEIROS, Ana Paula dos Santos. Educação Matemática online: a
elaboração de projetos de Modelagem. 2008. Tese. (Doutorado elaborado
junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática) Instituto de
Geociências e Ciências Exatas. Universidade Estadual Paulista – UNESP,
Rio Claro – SP, 2008.
1.6 - https://www.youtube.com.
1.7 – BIEMBENGUT M S e Hein, 2003, Ponte et al, 2005.- Modelagem
Matemática e Implicações no Ensino.