Você está na página 1de 9

ISSN 2359-4799

Volume 5 / Número 1 / Ano 2019 – p. 161-169

INTRODUÇÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS DO GÊNERO


MONOGRAFIA: UMA ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DE
REFERÊNCIAÇÃO E PROCESSOS DE RETOMADA À LUZ DA
LINGUÍSTICA TEXTUAL

INTRODUCTIONS AND FINAL CONSIDERATIONS OF THE GENDER


MONOGRAPHY: AN ANALYSIS OF REFERENCE STRATEGIES AND
PROCESSES FOR THE RETURN TO LIGHT OF TEXTUAL LINGUISTICS
Gilvan Santos GONÇALVES1
Nayara da Silva QUEIROZ2
1
Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). E-mail: gilvansantosg@outlook.com.br.
2
Universidade do Vale do Taquari- UNIVATES. E-mail: nayaraqueiroz01@hotmail.com.

Artigo submetido em 05/03/2019, aceito em 15/06/2019 e publicado em 15/09/2019.

RESUMO: Este artigo faz uma abordagem a respeito das principais estratégias de
referenciação, progressão e cadeias referenciais utilizadas em introduções e considerações
finais do gênero monografia. O objetivo é mostrar a organização e os processos de retomada
textual desses componentes à luz da Linguística Textual, para isso utilizou-se uma abordagem
teórico-metodológica da análise de gênero, baseada na nova retórica de Miller (1984, 2012),
Bazerman (2005), Koch (2006, 2009). No processo de dados, o corpus a ser investigado
constituir-se-á de monografias produzidas nos anos letivos de 2012 e 2013, no curso de Letras
Licenciatura da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). A caracterização dessas
estratégias de referenciação evidenciou as escolhas linguísticas e mostrou as dificuldades
encontradas pelos alunos na construção argumentativa de suas introduções e considerações
finais, mostrando o desconhecimento de estratégias de retomadas nesses subgêneros textuais,
tanto no que se refere à temática ou problemática levantada na introdução, que deveria ser
explorada nas considerações finais, quanto ao uso de termos que poderiam evitar a repetição
do termo utilizado para o objeto-do-discurso.
Palavras-chave: Introduções; Considerações Finais; Referenciação.

ABSTRACT: This article makes an approach regarding the main reference strategies,
referential progression and referential chains used in introductions and final considerations of
the monograph genre. The objective is to show the organization and the processes of textual
retrieval of these components in the light of Textual Linguistics, for which a theoretical-
methodological approach of the gender analysis was used, based on Miller's new rhetoric
(1984, 2012), Bazerman ), Koch (2006, 2009). In the data process, the corpus to be
investigated will consist of monographs produced in the academic years of 2012 and 2013, in
the course of Letters graduation of the State University of Maranhão (UEMA). The
characterization of these reference strategies will show the linguistic choices and will show
162 v.5 n.1 2019

the difficulties encountered by the students in the argumentative construction of their


introductions and final considerations, showing the lack of knowledge of strategies of retakes
in these textual subgeneric, both with regard to the thematic or problematic raised in the
introduction , which should be explored in the final considerations, regarding the use of terms
that could avoid the repetition of the term used for the speech object.
Keywords: Introductions; Final considerations; Reference.

1 INTRODUÇÃO Nesse sentido, Miller (1984)


argumenta que, para uma teoria de
Esta pesquisa tem como objetivo
gêneros, o mais importante seria o fato de
mostrar a organização e os processos de
as situações retóricas serem recorrentes,
retomada textual principais estratégias de
porque, assim, podemos tipificá-las por
referenciação, progressão e cadeias
meio das similaridades e semelhanças
referenciais utilizadas em introduções e
importantes tanto em sua forma quanto em
considerações finais do gênero monografia
sua substância. Ou seja, as diversas formas
à luz da Linguística Textual. O intuito é
de descrições linguísticas, dentro da vasta
analisar como os setores sociais que
existência de variedade escrita e falada da
interagem nesse espaço institucional fazem
linguagem, sempre foram estabelecidas e
uso das estratégias de referenciação para
contextualizadas em padrões de uso
criar novas realidades de significação,
linguístico que hoje ganharam o nome de
relações sociais e organizar o sistema de
texto ou gênero escrito. Embora todas as
atividades desse grupo social. Para
formas de gênero escrito abordem
alcançarmos o nosso objetivo, utilizamos
compreensões das variações linguísticas, a
como referencial teórico-metodológico
escrita em forma de gênero evidencia, de
abordagens que recobrem, principalmente,
certa maneira, o saber pedagógico, a
à nova retórica Miller (1984), Bazerman
intertextualidade e o ensino de seu
(2005) e Koch (2006, 2009).
produtor, como leitor assíduo de outros
De acordo com Bazerman
textos com retóricas e gêneros
(2005.p.22), como evento discursivo, os
diferenciados.
gêneros são práticas mediadoras que
Koch (2006, p. 101) observa que
constituem na dimensão textual as relações
no processo de leitura e construção
sociais estabelecidas para a realização de dos textos, levamos em conta que a
textos nos sistemas de gêneros e nos escrita e a fala baseiam-se em formas
sistemas de atividades pode ajudar a padrão e relativamente estáveis de
entender como interromper ou mudar os estruturação e é por essa razão que,
sistemas pela exclusão, adição, ou cotidianamente, em nossas atividades
comunicativas, são às vezes em que
modificação de um tipo de documento. O somente lemos textos diversos, como
processo de progressão referencial ocorre também produzimos ou ouvimos
por meio de estratégias variadas. Os enunciados.
objetos de discurso são construídos e
reconstruídos ao longo da atividade Nesse contexto, para nosso estudo,
discursiva. As formas como são o corpus deste artigo é composto de
construídos ou reconstruídos estão diferentes introduções e considerações
intrinsecamente relacionadas a propósitos finais do gênero monografia apresentadas
comunicativos do produtor do texto, como no curso de Letras da Universidade
afirma Koch (2009, p. 133-134). São Estadual do Maranhão, escolhidas
escolhas orientadas pelo princípio de aleatoriamente, inseridas no sistema de
subjetividade. gêneros utilizados nas interações
acadêmicas e do sistema de atividades
163 v.5 n.1 2019

estruturadas dentro de uma comunidade individual. Por sua vez, Bazerman (2005,
discursiva e acadêmica. p.31) afirma que os gêneros tipificam
muitas coisas além da forma textual. A
2 O CONCEITO DE PROGRESSÃO primeira análise de um determinado gênero
REFERENCIAL textual nos ajuda de início a começar
entender o propósito comunicativo de um
Os processos de referenciação e enunciado, e se esse propósito é parte ou
progressão referencial são importantes não de uma atividade linguística que pode
estratégias de introdução por meio das ser entendida obedecendo aos diversos
quais são evidenciadas novas entidades que padrões organizacionais que identificam e
servem de base a novos referentes a serem o constituem, sobretudo dos gêneros
abordados dentro de um texto. Essas encontrados em textos (narrativos,
estratégias são atividades discursivas que expositivos, dissertativos e injuntivos).
constroem anafórica e cataforicamente a
De acordo com Antunes
repetição ou progressão de novos
(2006.p.51), em síntese, com a análise de
elementos linguísticos que, por sua vez,
textos, pretendemos desenvolver nossa
sempre remetem a cadeias referenciais
capacidade de perceber as propriedades, as
descritas, narradas ou expostas,
estratégias, os meios, os recursos, os
dependendo da organização e do projeto de
efeitos, enfim, as regularidades implicadas
sentido que se quer rotular no tema ou
no funcionamento da língua em processos
título de um determinado enunciado.
comunicativos de sociedades concretas, o
O processo linguístico e discursivo que envolve a produção e a circulação de
de um texto, como atividade discursiva que todos os tipos de textos-em-função; ou
venha a ser abordada em uma profunda e seja, a referenciação como atividade
possível análise, deve sempre ter uma discursiva diz respeito às formas de
justificativa em relação ao seu esquema de introdução das novas entidades e referentes
composição, organização e orientação a serem alocados no texto, e esses
temática, propósito e partes constituintes referentes podem ser retomados mais
que lhe darão efeitos de sentidos adiante ou servirem de base para a
decorrentes da escolha de seus elementos introdução de novos referentes.
lexicais e sintáticos.
Ao lermos um texto, seja qual for o
3 A REFERENCIAÇÃO: UMA
gênero e tipologia, devemos procurar
ESCOLHA LINGUÍSTICO-
identificar o campo social discursivo em
DISCURSIVA
que o enunciado (objeto de discurso) se
insere, seja ele no contexto científico, A referenciaçao é um tipo de
didático, político ou literário. atividade discursiva por meio do qual se
Primeiramente, é obrigatório identificar e constroem os diferentes objetos de discurso
conhecer o tema, bem como a sua que podem ser mantidos ou desfocalizados
competência discursiva, sua progressão na plurinealidade do texto. No processo de
(continuidade), sua retomada e referenciação, é importante apresentar
segmentação em relação ao seu tema todos os significados linguísticos do
central e introdutório. referente do discurso. As principais
A respeito dessa orientação, Koch estratégias de progressão referencial a
(2006, p.113) afirma que todo e qualquer serem alocadas em um texto devem ser
gênero textual possui estilo; em alguns dadas através de dois processos: ativação e
deles, há a condições mais favoráveis reativação.
(gêneros literários), em outros, menos Os gêneros textuais são formados
favoráveis (documentos oficiais, notas por sequências diferenciadas denominadas
fiscais), para a manifestação do estilo tipos textuais. Os tipos textuais constituem
164 v.5 n.1 2019

sequências linguísticas ou sequências de necessário estabelecer um equilíbrio entre


enunciados, não são textos linguísticos duas exigências fundamentais, e elas
nem textos empíricos. A presença de vários devem estar relacionadas à retroação e à
tipos textuais em um gênero é denominada repetição textual, de forma que sua
de heterogeneidade tipológica. O gênero continuidade não seja desfocalizada, a
textual é formado por tipos textuais partir da introdução de novas formas de
diferentes como: descritivo, argumentativo valor pronominal.
e injuntivo.
Nesse sentido, Koch (2006, p.113) 4 OS PROCESSOS DE RETOMADA E
afirma que os gêneros não são A FUNÇÃO DAS EXPRESSÕES
instrumentos rígidos e estanques, o que NOMINAIS
quer dizer que “a plasticidade e a
A retomada é a operação
dinamicidade não são características
responsável pela manutenção em foco, no
intrínsecas ou inatas dos gêneros, mas
modelo de discurso, de objetos
decorrem da dinâmica da vida social e
previamente introduzidos, dando origem às
cultural”.
cadeias referenciais ou coesivas, que são
Na construção de textos e
responsáveis pela progressão referencial do
enunciados, é importante estabelecer as
texto. A referenciação realizada por meio e
formas de progressão referencial, bem como
evidenciar sua continuidade (retroação) e intermédio das formas pronominais foi
progressão. As retomadas ou remissões sempre descrita na literatura linguística
podem ser realizadas de diversas maneiras, como pronominalização, que pode ser por
sempre fazendo referências e abordagens meio de recursos anafóricos e catafóricos,
intertextuais, pois assim podemos nos apoiar sempre enfatizando os elementos co-
em análises já feitas em outros textos e tomá- textuais.
las com referência. Elas podem ser Essas formas ou expressões
caracterizadas da seguinte forma: nominais, ao efetuarem a progressão
textual, podem desempenhar uma série de
a. Formas de valor pronominal - como os funções importantes para a construção dos
pronomes propriamente ditos (pessoais de sentidos do texto. Além disso,
terceira pessoa, pronomes possessivos, desempenham uma série de funções
pronomes demonstrativos, pronomes importantes para a construção dos sentidos
demonstrativos, pronomes indefinidos, do texto. No nível microestrutural e
interrogativos e relativos). macroestrutural, a organização textual
b. Numerais (cardinais, ordinais, também estabelece a coesão textual e, em
multiplicativos e fracionários) - grande parte, são responsáveis pela
contribuem para a progressão referencial. introdução de novos referentes, novas
c. Certos advérbios locativos - conhecidos sequências e delimitação de novos
como dêiticos espaciais (aqui, lá, ali etc.). parágrafos. A seleção das formas ou
Os advérbios locativos e algumas expressões nominais deve merecer um
expressões adverbiais também têm a especial cuidado na construção de todo e
função de fazer progredir referencialmente qualquer texto, sempre levando em conta
no texto. que essas formas desempenham um papel
d. Elipses e algumas formas nominais de maior relevância na progressão textual e
reiteradas - desempenham a função de na construção de sentido.
progressão referencial. Dentre os conhecimentos
e. Formas nominais sinônimas, pressupostos como partilhados pelos
heteronímicas e até nomes genéricas. interlocutores, que possuem características
ou traços do referente ou locutor de
Todos esses elementos servem para
intenções textuais, destacamos as
enfatizar a progressividade de um texto. É
165 v.5 n.1 2019

expressões nominais, que podem ser metafóricas ou não. Essa orientação é uma
retomadas da seguinte maneira: manobra bastante utilizada em textos com
gêneros opinativos.
a. Ativação ou reativação na memória -
formas de remissão a elementos h. Categorização metaenunciativa de um
anteriormente apresentados no texto ou ato de enunciação - realiza a categorização
sugeridos pelo co-texto precedente. Elas ou avaliação da própria enunciação
possibilitam a reativação da memória do realizada, assim essas avaliações
interlocutor. classificam, nomeiam e constituem uma
reflexão do produtor do texto.
b. Encapsulamento (sumarização) e
rotulação - ocorrem da seguinte forma: as Todo gênero textual é marcado por
nominalizações sumarizam as informações sua esfera de atuação, que promove modos
contidas em seguimentos precedentes do específicos de combinar,
texto (informações-suporte), encapsulando- indissoluvelmente, o conteúdo temático, o
as sob a forma de uma nova expressão propósito comunicativo, o estilo e a
nominal, isto é, transformando-as em composição de toda a sua estrutura textual.
objetos-de-discurso. Trata-se de entidades escolhidas, tendo em
vista suas esferas temáticas, o conjunto de
c. Organização macroestrutural - as
participantes e a vontade enunciativa ou a
formas remissivas sinalizam, muitas vezes,
intenção de seu produtor, que é o sujeito
que o autor do texto está passando a um
responsável por seus enunciados, unidades
estágio seguinte de sua argumentação, por
reais e ou concretas de sua comunicação
meio do fechamento do anterior, pelo seu
verbal.
encapsulamento numa forma nominal.
Na categorização metaenunciativa,
d. Atualização de conhecimentos por meio existem rótulos que enunciam os conteúdos
de retomadas realizadas pelo uso de um de um determinado segmento textual,
hiperônimo - ocorrem com o uso de um caracterizando o seu fato, seu
hiperônimo com função de retomar um acontecimento, sua situação, sua cena, seu
termo pouco usual, atualizando, assim, os ato, seu evento etc. Os atos de enunciação
conhecimentos do interlocutor. sempre constituem a reflexão do produtor
e. Especificação por meio da sequência do texto sobre seu próprio dizer ou sobre o
hiperônimo/hipônimo - trata-se do que dizer do outro, caso em que,
chamamos de anáfora especificadora, que frequentemente, ocorre o uso de aspas para
ocorre quando se faz necessário um maior designar o tipo de distanciamento,
refinamento da categorização. Os diferença ou ironia.
hiperônimos e hipônimos são termos de
um mesmo campo de sentido, em que um 5 PROCESSOS METODOLÓGICOS:
deles designa o gênero e o outro a espécie. MATERIAIS E MÉTODOS
f. Construção de paráfrases anáforas Uma perspectiva pragmática e
deficionais e didáticas - ocorre quando funcional contribui para um melhor
certa paráfrase realizada por expressões aproveitamento da produtividade da
nominais tem a função de elaborar linguagem e para a criação de um contexto
definições. Nessas anáforas deficionais o conveniente. O texto é construído e
termo técnico a ser definido é o elemento articulado com coerência, de acordo com
previamente definido e introduzido, sendo os seus aspectos formais, funcionais,
que essa definição é aportada pela forma retóricos e a sua intenção comunicativa.
anafórica. Cada aspecto textual relacionado ao
seu processo retórico determina uma
g. Orientação argumentativa - realiza-se adaptação de palavras e de frases que, por
pelo uso de termos ou expressões sua vez, possuem finalidade pretendida.
166 v.5 n.1 2019

Assim, as intenções dos falantes e os  Considerações Finais


efeitos dos enunciados nos interlocutores Durante esta investigação,
devem ser considerados no momento da discorremos que a leitura é um ato que,
produção do discurso, que será adequado também, depende de estímulo e
(coerente) a essas intenções e efeitos. motivação. A prática de leitura é uma
Segundo Miller (2012, p.13), “o tarefa essencial para a construção do
gênero fornece uma maneira de trazer a conhecimento e um deflagrador da
pratica social para o contexto instrucional e opinião crítica do indivíduo.
encoraja uma atenção cuidadosa às normas Ao propor atividades de leitura aos
e convenções”. Em relação aos aspectos alunos de Ensino Médio, terceiro ano,
retóricos e funcionais de um texto, o objeto nós levamos em conta o gosto que os
de discurso caracteriza-se pelo fato de mesmos possuem pela arte de ler.
construir progressivamente uma Sabemos que esta faixa de idade não se
configuração e identidade que, por meio de sente muito motivada pelo ato de ler por
seus referentes, enriquece novos aspectos e vários fatores: literaturas impostas pelos
propriedades, suprimindo aspectos professores ou ainda porque precisam ler
anteriores ou ignorando outros possíveis, livros impostos pelos mesmos e não
que se pode associar com novos aspectos, sentem atração por esse tipo de leitura.
integrando-os de forma discursiva e
articulada. Análise:
A seguir, apresentamos os 04 Na primeira monografia
exemplares das introduções e selecionada, observa-se que, na parte da
considerações finais das monografias que introdução e da conclusão, o aluno utiliza
foram escolhidas aleatoriamente e serviram repetição de palavras. Essa escolha
de base para as respectivas leituras e linguística mostra uma incapacidade
análises quanto ao emprego dos aspectos quanto ao uso de homônimos ou outros
formais, funcionais e retóricos inerentes a recursos que possibilitassem a retomada
sua superestrutura. do referente leitura. Isso está relacionado
ao uso excessivo das expressões leitura e
MONOGRAFIA 01 ler. Assim, não se utiliza o processo de
 Introdução progressão referencial como a
O que é saber ler? O conceito de pronominalização e o uso dos
leitura está geralmente ligado à encapsulamentos. Esse recurso linguístico
decodificação das letras e palavras, mas é uma forma de coesão textual, que pode
no atual mundo em que vivemos, o ocorrer como uma anáfora ou como uma
conceito de leitura pode ser muito mais catáfora.
amplo do que geralmente é divulgado.
Todas as conquistas que o homem MONOGRAFIA 02
alcançou no curso de sua história estão de  Introdução
alguma forma relacionadas à linguagem, A fábula é um gênero narrativo que,
seja ela escrita ou falada. A questão da ao longo dos anos, vem atraindo a atenção
leitura é tema de inúmeros livros e das crianças pelo seu lúdico e fantástico e
discursos de diversos autores, dentre eles por possuir a figura de animais como as
destaca-se Paulo Freire (1989, p.9) que personagens das histórias. Na antiguidade
afirma: “a leitura do mundo precede era utilizada pelos adultos para transmitir
sempre a leitura da palavra e a leitura lições de moral. Em decorrência da
desta implica a continuidade da leitura moralidade presente nas fábulas, esse
daquele”. gênero adentra nas escolas com finalidade
educativa como objeto de reflexão e
julgamento de comportamento. Assim, ele
167 v.5 n.1 2019

acaba sendo explorado com intuito de estudo acerca da identidade fazendo uma
repassar valores e comportamento reflexão baseada nas concepções de alguns
socialmente adequados. Partindo da teóricos, reconhecer a importância dos
importância de se discutir essa temática, o gêneros discursivos com enfoque em
projeto tem como objetivos investigar a enunciados de caminhão ou frases de para-
aplicabilidade da narração de história choque de caminhão e verificar a formação
através do gênero fábula, identificar os identitária a partir dos enunciados
benefícios trazidos pela narrativa literária selecionados.
às crianças ouvintes e averiguar como os
professores utilizam esse gênero para  Considerações Finais
desenvolver a linguagem oral das crianças. A linguagem representa para o
homem a materialização de suas ideias,
 Considerações Finais bem como de sua existência. As frases de
Ensinar uma língua vai muito além para-choque de caminhão, denominadas
de se dispor a elencar palavras para que os aqui como enunciados de caminhão,
alunos as absorvam. Ensinar uma segunda apresenta uma linguagem sociointerativa
língua exige que o professor tenha em com características específicas de
mente que o aluno precisa, além de enunciação.
dominar um léxico, atuar dentro da cultura Os enunciados de caminhão estão
da língua aprendida. diretamente ligados a formação discursiva
e ideológica e à identidade do
Análise: caminhoneiro. Em uma relação do
Na introdução da monografia 02, o enunciado pelo caminhoneiro, as frases são
aluno faz uso dos processos de uma espécie de porta voz dos medos,
referenciação para retomar adequadamente crenças e opiniões desses sujeitos.
o referente a fábula ao utilizar os Outrossim, os enunciados também
sinônimos gênero e narrativa literária. constituem uma interação social e a
Entretanto, nas considerações finais, repete linguagem não verbal é comumente
o referente ensinar, não fazendo uso de utilizada para corroborar o sentido.
outros termos linguísticos que pudessem Os enunciados com temática
fazer a retomada do seu objeto de discurso religiosa propagam a ideologia cristã,
sem, entretanto, realizar uma repetição tão predominante no Brasil, o que ratifica o
próxima. Cabe ressaltar que os sinônimos fato dos enunciados de caminhão [...].
são muito importantes em um texto, já que Análise:
repetições desnecessárias de termos Nessa monografia, na introdução,
empobrecem o texto, causam confusão e vê-se o uso de uma estratégia de
tornam a leitura monótona. referenciação, a nominalização, quando
utiliza-se o termo frase para retomar a
MONOGRAFIA 03 palavra enunciado. Entretanto, nas
considerações finais, a repetição mais uma
 Introdução
vez revela a falta do uso de estratégias de
Dividido em quatro capítulos, o
progressão referencial, tais como a
presente trabalho tem como objetivo fazer
pronominalização ou a nominalização, que
um estudo acerca dos enunciados de
permitiriam a retomada adequada do objeto
caminhão, com temática religiosa-mística,
do discurso sem a reprodução insistente do
como mecanismo discursivo relacionado
termo enunciado. A pronominalização ou
ao processo identitário do caminhoneiro.
nominalização são importantes recursos de
Objetiva-se também, analisar as
coesão textual e estão diretamente
teorias e um breve histórico da análise do
relacionados ao encadeamento das ideias
discurso de linha francesa, assim como
do texto e às referências que fazemos. Por
seus principais conceitos, proceder a um
168 v.5 n.1 2019

isso, é ideal que se siga um fluxo, contraria alguns princípios de textualidade


facilitando a leitura, pois quando há a que garantem o fluxo de informação nos
sensação de fluidez, o texto não fica textos. Em outras palavras, a repetição
cansativo; assim, afirmamos que ele é exaustiva e desnecessária de termos pode
coeso. interromper e/ou afastar o próprio contato
do leitor com o texto, rompendo assim sua
MONOGRAFIA 04 maior finalidade. Para evitar isso, valemo-
 Introdução nos do recurso da referenciação ou
Entre Gregos e Romanos, o ato de retomada, ou seja, em vez de simplesmente
ler e saber ler era muito valorizado, repetir uma palavra já utilizada, fazemos
indicando base para uma educação referências que remetam a ela, no curso do
adequada para a vida. Hoje não é diferente; texto.
a prática da leitura tornou-se objeto de
muitos pesquisadores da área, como 6 CONCLUSÕES
também a busca de estratégias para O objetivo central neste artigo foi
desenvolvê-la. Nesse sentido, procuram-se demonstrar que as estratégias de
os meios para auxiliar os professores a referenciação, utilizadas em textos escritos,
promover, no ambiente escolar, a leitura facilitam entendimento e a compreensão
mais criativa e revigorada. das diferentes escolhas linguísticas
A leitura é sem dúvida o caminho utilizadas na construção de um enunciado
para uma formação completa do aluno, ou texto. Esse processo argumentativo é a
entretanto, como auxiliá-los a atingirem melhor maneira de conhecer as diferentes
esta formação, diante de inúmeros fatores formas de organização dos aspectos
que dificultam esta aprendizagem como linguístico-textuais de um gênero.
falta de investimentos no aprimoramento Os processos de retomada ou
dos professores. Estes professores chegam progressão referencial são muito
a afirmar que há uma “crise da leitura” que importantes na construção, na
seria o distanciamento do indivíduo do argumentação e na finalização de um texto.
livro. Os primeiros levantamentos realizados,
durante a fase de pesquisa e leitura acerca
 Considerações Finais de algumas monografias e TCCs
Como vemos, a leitura é uma apresentados no curso de Letras da
prática que foi se escolarizando, fato este Universidade Estadual do Maranhão,
que agregou mais responsabilidade ainda à mostrou-nos que alguns alunos apresentam
escola, que algum tempo sente a dificuldades na retomada de uma temática
necessidade de renovar-se para atender sua proposta ou de um objeto do discurso.
clientela em condições de constituir neles a Percebe-se, dessa maneira, que a
rotina da leitura. Para tanto, faz-se grande dificuldade dos alunos está atrelada
necessário encontrar mecanismos que à falta de um repertório vocabular ou até
realizem a aproximação do aluno com a mesmo de conhecimentos linguístico-
leitura nos seus mais variados suportes. textuais acerca do uso de estratégias que
Análise: garantam uma progressão referencial
Na monografia 04, a repetição mais adequada. Verifica-se uma pobreza
uma vez revela o desconhecimento de vocabular, fruto, quem sabe, de um
estratégias de referenciação que possam histórico de falta de leitura que possam
retomar o objeto-do-discurso sem ampliar esse repertório.
necessariamente lançar mão de uma Esta pesquisa identificou as
reprodução repetitiva. Percebe-se que na dificuldades encontradas pelos alunos na
introdução e consideração final não se leva construção de suas introduções e
em conta esse princípio e, ao fazê-lo, conclusões de suas monografias,
169 v.5 n.1 2019

mostrando, principalmente, o
desconhecimento de estratégias de
retomadas nesses subgêneros textuais,
tanto a temática ou problemática levantada
na introdução que deveria ser explorada na
conclusão quanto ao uso de termos que
poderiam evitar a repetição do termo
utilizado para o objeto do discurso. Com
este estudo, será possível compreender e
conhecer as diferentes estratégias de
referenciação adotadas nas monografias
selecionadas.

REFERÊNCIAS

ANTUNES, Irandé. Questões envolvidas


na análise de textos. In: Análise de textos:
Fundamentos e Práticas. São Paulo:
Parábola Editorial, 2010.

BAZERMAN, Charles. Gêneros textuais,


tipificação e interação. In: DIONISIO,
Ângela Paiva e HOFFNAGEL, Judith
Chambliss (Org.). São Paulo: Cortez, 2005.

MILLER, Carolyn R. Gênero Textual:


Agência e Tecnologia. In: DIONISIO,
Ângela Paiva e HOFFNAGEL, Judith
(Org.). São Paulo: Parábola, 2012.

KOCH, Ingedore Villaça. Escrita e


progressão referencial. In: ELIAS, Vanda
Maria (org.). Ler e Escrever: Estratégias
de produção textual. São Paulo: Contexto,
2009.

KOCH, Ingedore Villaça. Gêneros


Textuais. In: ELIAS, Vanda Maria (org.).
Ler e Compreender: os sentidos do texto.
São Paulo: Contexto, 2006.