Você está na página 1de 15

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DO 2º JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA

CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF.

Prevenção ao Termo Circunstanciado


n.º 0723544-58.2020.8.07.0016

IBANEIS ROCHA BARROS JÚNIOR, brasileiro, casado, advogado


inscrito na OAB/DF sob o nº 11.555, atualmente Governador do Distrito
1
Federal, inscrito no CPF sob o nº 539.425.901-15, com endereço situado
nesta capital, na Praça do Buriti, Zona Cívico-Administrativa, Palácio do
Buriti, Gab. do Governador, vem, respeitosamente, à ínclita presença de
Vossa Excelência, por intermédio dos advogados signatários, com fulcro no
art. 145 do Código Penal e no art. 41 do Código de Processo Penal, oferecer

QUEIXA-CRIME

em desfavor de RENAN DA SILVA SENA, brasileiro, natural de Ipameri/GO,


nascido em 09/04/1963, RG nº 1145496 SSP/GO, CPF nº 309.368.101-49,
casado, engenheiro, residente e domiciliado no Setor Habitacional
Arniqueira, Chácara 15, Conjunto 04, Casa 07, Brasília/DF, telefone celular
nº (61) 92000-1571 e (61) 99937-9785, o que faz em razão dos fatos e
fundamentos adiante articulados.
I. DA COMPETÊNCIA

Inicialmente cabe assinalar que, embora a presente queixa-crime


verse sobre crime cuja difusão ocorreu na rede mundial de computadores,
o Egrégio Superior Tribunal de Justiça firmou o entendimento de que
compete à Justiça Comum processar e julgar os fatos em debate, 1 pois o
caso vertente trata de ofensas de caráter pessoal.

Nesse diapasão, assentada a premissa de que cabe a um dos


Juizados Especiais da Circunscrição Judiciária de Brasília/DF o
processamento da presente demanda, vale salientar que o Termo
Circunstanciado que deu origem à presente ação penal, foi distribuído a
esse douto 2º Juizado Especial Criminal da Circunscrição Judiciária de
Brasília/DF. 2

Sendo assim, nos termos do art. 69, Inciso VI, do Código de


2
Processo Penal 3, é evidente a competência desse Digníssimo Órgão
Judicante para o processamento do feito.

II. DOS FATOS

O Querelante, atual Governador do Distrito Federal, possui uma


notável carreira política neste ente federativo, pois foi Presidente da

1
RHC 120.330/MG, Rel. Ministro REYNALDO SOARES DA FONSECA, QUINTA TURMA, julgado em
06/02/2020, DJe 14/02/2020; AgRg nos EDcl no CC 120.559/DF, Rel. Ministro JORGE MUSSI,
TERCEIRA SEÇÃO, julgado em 11/12/2013, DJe 19/12/2013 e CC 121.431/SE, Rel. Ministro MARCO
AURÉLIO BELLIZZE, TERCEIRA SEÇÃO, julgado em 11/04/2012, DJe 07/05/2012.
2
Processo nº 0723544-58.2020.8.07.0016.
3
Art. 69, CPP: “Determinará a competência jurisdicional:
I - o lugar da infração:
II - o domicílio ou residência do réu;
III - a natureza da infração;
IV - a distribuição;
V - a conexão ou continência;
VI - a prevenção;
VII - a prerrogativa de função.” (Grifou-se.)
Seccional da Ordem dos Advogados do Distrito Federal e obteve êxito em
sua primeira candidatura ao cargo público que hoje ocupa. 4

Imagem clicável

Recentemente, o Querelante tem se destacado no cenário


nacional pelas providências que adotou para coibir a propagação do COVID-

19 no Distrito Federal, sendo que no dia 13 de junho de 2020 decretou o


3
fechamento da Esplanada dos Ministérios a fim evitar aglomeração de

pessoas em manifesto descompasso com as medidas sanitárias adotadas


pelo Poder Público local. 5

Imagem clicável

4
Disponível em
https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/10/28/interna_cidadesdf,715
838/perfil-do-novo-governador-do-df-o-advogado-ibaneis-rocha-dem.shtml. Acesso em 22 jun
2020.
5
Disponível em https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2020/06/13/ibaneis-decreta-
fechamento-da-esplanada-devido-a-ameaca-de-manifestacoes-e-aglomeracoes-neste-
domingo.ghtml. Acesso em 22 jun 2020.
Todavia, essa providência não foi aceita por pessoas que se
intitulam como supostos apoiadores do atual Presidente da República
Federativa do Brasil, sobretudo por aqueles indivíduos mais radicais, 6 o que
ensejou uma onda de reclamações, ofensas e até mesmo ameaças contra
diversas autoridades públicas. 7

A Polícia Militar
informa que
alguns
manifestantes
apresentaram
resistência para
deixar o local e
se amarraram à
estrutura de
ferro
permanecendo
resistentes por
4
horas. Não
houve
violência, mas
sim o uso do
Imagem clicável spray de
pimenta a fim
de convencer os
manifestantes a
liberarem o
espaço,
evitando assim
o confronto
físico.
Imagem clicável Disse a nota.

6
Disponível em https://www.metropoles.com/distrito-federal/bolsonaristas-que-se-recusaram-a-
deixar-acampamento-no-df-reclamam-de-gas-de-pimenta. Acesso em 22 jun 2020.
7
Disponível em https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-
estado/2020/06/14/manifestantes-bolsonaristas-protestam-em-frente-ao-quartel-general-do-
exercito.htm, https://www.metropoles.com/distrito-federal/bolsonaristas-que-se-recusaram-a-
deixar-acampamento-no-df-reclamam-de-gas-de-pimenta,
https://www.metropoles.com/brasil/politica-brasil/manifestantes-pro-bolsonaro-em-frente-ao-
buriti-ibaneis-comunista, https://diariodopoder.com.br/brasil-e-regioes/ibaneis-sofre-ameaca-
após -a-policia-acabar-aglomeracao-ilegal-de-bolsonaristas. Acesso em 22 jun 2020.
A presente queixa-crime versa sobre o episódio envolvendo
RENAN DA SILVA SENA, em sua retirada da Praça dos Três Poderes em 14
de junho de 2020. 8

Imagem clicável
5

Conforme atesta a documentação anexa, na data


supramencionada, na Praça dos Três Poderes, em Brasília/DF, em horário
que não se pode precisar, o Querelado, livre e consciente de seus atos,
gravou um vídeo divulgado no aplicativo WhatsApp, cuja duração é de
02min22seg, chamando o Querelante de “bandido”, além de injuriar e
difamar outros membros de instituições da República, chamando-os de
“bandidos” e “vagabundos”.

8
Disponível em https://www.metropoles.com/distrito-federal/apos-ameacar-ibaneis-
bolsonarista-renan-sena-e-liberado-pela-policia. Acesso em 22 jun 2020.
Excelencia, observando-se os
arts. 188 e 369 do CPC, buscando
melhor expor os fatos, segue QR
Code com link para o vídeo
divulgado no aplicativo watsApp.

No mesmo sentido, também é


possível acessar esse conteúdo,
clicando no QR Code abaixo. 9

https://youtu.be/cTA2LsNuAyQ
6

Na mesma data, o Querelado foi ouvido pela autoridade policial,


momento em que aduziu seguinte, verbis:

“[...] confessa que gravou um vídeo de seu celular em


que informa que ‘estaria numa ditadura comunista’; Que o
vídeo possui aproximadamente 02 minutos; Que compartilhou
esse vídeo para o grupo intitulado ‘Família Patriota’; Que
acredita que esse vídeo tenha viralizado e sido
reencaminhado para milhares de pessoas;

9
Para assisti-lo basta aproximar a câmera do seu celular e clicar no link que aparecerá na tela ou
baixar um aplicativo leitor de QR Code e escanear o símbolo ou clicar no QR Code que abrirá.
Além disso, também é possível acessar esse conteúdo com um simples clique no QR Code, pois
automaticamente será aberto o arquivo de vídeo em seu computador.
Que confirma que relatou no vídeo que há
cobertura dos ‘bandidos do STF’ e ‘vagabundos do
Congresso Nacional’ no que intitula de ditadura
comunista;

Que aduz estaria (sic) sendo humilhado e envergonhado


pelo ‘Governador Bandido’, com seus ‘secretários bandidos’;
Que confirma que essa mensagem foi com intuito direto de
injuriar e difamar o governador do Distrito Federal, Ibaneis
Rocha; Que aduz que foi ameaçado por eles; Que menciona que
o atual governador Ibaneis, teria conluio com ‘partido comunista
chinês’; [...]; Que sempre se preparou para as consequências de
suas ações; Que considera todos os Ministros do STF bandidos:
Que exceto o poder executivo, relata que os 2 (dois) poderes
estão envolvidos em crimes; Que juntamente com outros
7 seguidores buscam a derrubada dos atuais deputados do
Congresso (Poder Legislativo), bem como de todos os ministros
do Supremo Tribunal Federal (Poder Judiciário); Que acredita
que o Governo do Distrito Federal, com o atual governador,
Ibaneis Rocha, e deputados distritais, são todos corruptos
[...]”. (Grifo nosso)

Nesse contexto, por restar incontroverso que o Querelado


injuriou e difamou funcionário público em razão de suas funções (coibir
aglomeração de pessoas num período de pandemia), ao chamá-lo de
bandido e corrupto, resta configurada a prática das condutas previstas nos

arts. 139 e 140 do Código Penal, com a incidência da causa de aumento de

pena prevista no art. 141, incisos II e III, do mesmo diploma legal.

Frise-se que a causa de aumento de pena é aplicável ao caso, pois


uma das graves ofensas foi divulgada pelo Querelado por meio que
facilitou a sua disseminação, qual seja, o aplicativo de mensagens
Whatsapp, já que o próprio Querelado afirmou que “acredita que o vídeo
tenha viralizado e sido reencaminhado para milhares de pessoas”.

Demais disso, há que se considerar que o Querelado não esboçou


qualquer sinal de arrependimento em suas declarações prestadas para a
autoridade policial.

Muito pelo contrário! A segunda ofensa criminosa foi praticada


durante o interrogatório e diante de vários policiais, o que além de
também configurar o aumento previsto no inciso III, do art. 141, do Código
Penal, demonstra claramente o dolo do Querelado em cometer infrações
contra a honra de IBANEIS ROCHA, além de ofender outras autoridades
públicas dizendo que “considera todos os Ministros do STF bandidos” e que
os Poderes Legislativo e Judiciário estão envolvidos em crimes.

Além disso, na data de 21 de junho de 2020, o Querelado

8 novamente gravou e divulgou um vídeo chamando de “bandidos” as


autoridades públicas responsáveis por coibir e investigar pretensos atos
ilícitos que ele eventualmente esteja envolvido, 10 o que realça ainda mais
a ausência de arrependimento, bem como permite inferir que o Querelado
novamente poderá proferir novas ofensas contra o Querelante.

10
Disponível em https://www.metropoles.com/distrito-federal/pcdf-faz-operacao-contra-300-do-
brasil-e-investiga-crime-de-milicia. Acesso em 21 jun 2020.
Imagens clicáveis

Tanto que a situação que desagradou o Querelado e culminou na


atuação criminosa decorreu justamente de uma medida destinada a
resguardar a saúde pública no Distrito Federal.

Ocorre que a irresignação política de um indivíduo não justifica a


9 propagação de ofensas de qualquer sorte, especialmente quando se está
em jogo um bem maior, como é a incolumidade pública.

Conforme bem ponderou o Eminente Ministro Dias Toffoli, ao


votar pela improcedência da Arguição de Descumprimento de Preceito
Fundamental (ADPF) nº 572, que discutia a constitucionalidade da
instauração do Inquérito nº 4781, para apurar notícias fraudulentas e
ameaças ao STF, “a liberdade de expressão não respalda a alimentação
do ódio, da intolerância e da desinformação”, 11 o que justifica a
responsabilização penal do Querelado.

11
Disponível em
http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=445871&ori=1. Acesso em 22
jun 2020.
10

Imagens clicáveis

Por oportuno, cabe destacar que o Querelado tem tendência a


repetir o comportamento objeto da presente demanda, uma vez que já se
envolveu em outra situação semelhante no mesmo local, quando agrediu
duas profissionais da saúde. 12

Ad argumentandum tantum, cabe salientar que Renan Sena, em


tese, também esteve presente no episódio envolvendo o disparo de fogos
de artifício ao prédio do Supremo Tribunal Federal, momento em que

12
Disponível em https://www.huffpostbrasil.com/entry/ministerio-demite-agressao-
enfermeiras_br_5eb1ac21c5b6a15b6f472721. Acesso em 22 jun 2020.
https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2020/05/05/homem-que-agrediu-enfermeiras-
no-df-e-funcionario-do-ministerio-dos-direitos-humanos.ghtml. Acesso em 22 jun 2020.
https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,agressor-de-enfermeira-no-df-e-um-dos-lideres-
de-ato-antidemocratico-de-domingo-e-ja-protestou-contr,70003292782 . Acesso em 22 jun 2020.
também teria ofendido autoridades públicas em outro arquivo audiovisual,
chamando-as de “bandidos”, o que demonstra contumácia. 13

Nesse contexto, levando em conta que o Querelado integra grupo


que apoia manifestações antidemocráticas e contra autoridades públicas –
11 Família Patriota -, que não esboça qualquer sinal de arrependimento pela
prática dos atos ilícitos, bem como que os delitos foram praticados num
contexto de insubordinação contra determinação do Governo do Distrito
Federal e por meio que facilitou a divulgação das ofensas, é evidente que
a sanção penal deve ser rigorosa.

Noutro giro, a reforçar a gravidade do ocorrido, importa assinalar


que as ofensas irrogadas visavam estimular pessoas a desobedecerem a
determinações do Governo do Distrito Federal, o que demanda pronta
atuação do Poder Judiciário.

Dessa forma, resta evidente o cabimento da presente ação penal


privada para apuração de crimes contra a honra do Querelante.

13
Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=TVg_cG0Txx0,
http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/bolsonaristas-soltam-fogos-em-direcao-ao-stf-e-
ameacam-entenderam-o-recado/ Acesso em 22 jun 2020.
Por derradeiro, cumpre destacar que o Querelante está exercendo
o seu direito de ação dentro do prazo de seis meses, contados da data da
ciência da autoria do fato, em observância ao que dispõe o artigo 38 do
Manual de Ritos.

III. DOS FUNDAMENTOS DA QUEIXA

Os fatos acima narrados indicam, de maneira cristalina, o


cometimento do crime previsto no art. 139 do Estatuto Repressivo.

No caso em comento, dúvida não há quanto ao propósito de


difamar. O Querelado, de maneira livre e consciente, categoricamente
chamou o Querelante de corrupto diante da autoridade policial. Assim,
restou configurado o propósito de atingir a sua reputação ilibada,
12 imputando-lhe a prática de fato determinado considerado extremamente
desonroso, altamente ofensivo à sua ilibada reputação.

Neste vértice, pede-se vênia para ressaltar que o Egrégio


Supremo Tribunal Federal possui o entendimento de que “O delito de
difamação considera-se perpetrado por quem, afirmando fato certo
e definido, ofende a honra de outrem, ainda que se repisem fatos
sobre aquilo que os outros reputam a respeito do cidadão, no
tocante a seus atributos físicos, intelectuais e morais” 14 (Grifo
nosso).

Logo, ainda que se parta da premissa de que adversários políticos


aleguem que o Querelante seria corrupto (algo corriqueiro no meio político
brasileiro), nada justifica a grave afirmação feita pelo Querelado, o que

14
Inq: 2915 PA, Relator: Min. LUIZ FUX, Data de Julgamento: 09/05/2013, Tribunal Pleno, Data de
Publicação: ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-102 DIVULG 29-05-2013 PUBLIC 31-05-2013.
demonstra que sua conduta se amolda ao tipo penal do art. 139 do Código
Penal.

Outrossim, impende ressaltar que também houve a prática do


crime de injúria, uma vez que o Querelado chamou o Querelante de
“bandido” por inúmeras vezes no vídeo transmitido via Whatsapp, bem
como durante o interrogatório perante a Polícia Civil, palavras que
notoriamente ofendem o decoro e a dignidade da vítima, que, como
apontado alhures, é autoridade pública com conduta absolutamente
ilibada.

Assim, tendo em vista que as condutas apontadas na presente


queixa-crime se enquadram nos tipos penais previstos no arts. 139 e 140,
caput c/c art. 141, incisos II e III, todos do Código Penal, é evidente a
ofensa à reputação do Querelante, à sua boa fama e que não há necessidade
de maiores delongas sobre a temática.

13

IV – DOS PEDIDOS

Ante o exposto, forte nos argumentos trazidos à baila,


tendo o Querelado infringido o disposto nos arts. 139 e 140, caput,
c/c art. 141, incisos II e III, todos do Código Penal, requer o
recebimento da presente Queixa-Crime e a citação do Querelado
para que venha perante esse respeitável Juízo responder aos termos
da presente ação penal, requerendo, desde já, a sua condenação.

Requer, outrossim, a oitiva das testemunhas ao final


arroladas, as quais deverão ser intimadas para depor em dia e hora
designados por esse Juízo, bem assim a juntada dos documentos
anexos.
Por derradeiro, pleiteia-se, nos termos do art. 387, inciso
IV, do Código de Processo Penal, o arbitramento de valor mínimo de
indenização por danos morais.

Brasília/DF, 22 de junho de 2020

Cleber Lopes
OAB/DF nº 15.068

Marcel Versiani
OAB/DF nº 17.067
14

Rainer S. R. Barboza
OAB/DF nº 41.317

Raphael Castro Hosken


OAB/DF nº 35.614
Rol de testemunhas:

1. LUIZ PEREIRA DE LYRA NETO – Agente da Polícia Civil do Distrito


Federal, Chefe da SRCAT/DRCC;
2. GIANCARLOS ZULIANI – Delegado da Polícia Civil do Distrito Federal,
Delegado-Chefe da DRCC/DPE;
3. RAPHAEL DO NASCIMENTO PINTO – Agente da Polícia Civil do Distrito
Federal, Matrícula 231.480-0;

Rol de documentos:

1. Procuração com poderes especiais;

15 2. Mídia contendo arquivo audiovisual;

3. Cópia do Termo Circunstanciado 0723544-58.2020.8.07.0016;

4. Notícias relevantes envolvendo o caso.

Você também pode gostar