Você está na página 1de 3

8/3/2010

UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE


DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA

HISTÓRIA DA HOMEOPATIA
HOMEOPATIA

PROFA. FRANÇOISE CARMIGNAN

HISTÓRIA DA MEDICINA HIPÓCRATES (468 a. C. – 377 a. C.)


Atividade médica apoiada no conhecimento experimental, desvinculada
da religião, da magia e da superstição

Escreveu o Corppus Hipocraticcum – três maneiras de curar:

1- Vis Medicatrix Naturae : a cura pelos meios da natureza e do


organismo – alimentação correta e exercícios físicos

2- Simillia Simillibus Curantur: a cura pelos semelhantes


“a doença é produzida pelo semelhante e,
pelo semelhante o doente retorna à saúde”

MITOLOGIA GREGA – Deus da medicina Apolo HÉLEBRO BRANCO Evacuação violenta e Cólera
(Veratum álbum) desidratação grave
MEDICINA PRÉ-HIPOCRÁTICA – influência divina e mística
3- Contraria Contrariis Curantur : a cura pelos contrários

CLAUDIO GALENO (129-199 d.C.)


A partir da descoberta do microscópio – século XVII- série de
- Médico romano no século II – precursor da medicina moderna personalidades que influenciaram a filosofia médica e a
- Defendeu o Princípio dos Contrários tecnologia – Newton, Descartes e Stahl
- Método galênico baseava-se na polifarmácia:
A doença é um estado anormal oposto ao estado de saúde
Entre os séculos 17 e 18
A saúde só pode ser restabelecida pelo seu contrário
Sangrias, purgativos, eméticos, vesiculação, calomelano
O raciocínio é mais importante que a observação
“No dia 14 de dezembro de 1779, George Washington é acamado por
severa dor de garganta que lhe dificultava a respiração e logo de
manhã sofre uma sangria de meio litro, sem resultado. Outro
PARACELSUS (1493-1541) médico é logo chamado e aplica a vesiculação no pescoço e retira
mais meio litro. Às 15 horas mais dois médicos são convocados e
resolvem fazer outra sangria, agora de 1 litro. Às 22 horas George
O que acontece no macrocosmos acontece também no microcosmos
(dentro dos tecidos) Washington morre.”
Nosso organismo fica doente devido ao envenenamento dos
pensamentos e alimentos Revolução Francesa (1789)
Necessidade de formação de médicos e o controle do exercício
- Contrariou Galeno – usava substância ácida para curar gastrite profissional
- Reconhecimento após sua morte (300 anos depois)

1
8/3/2010

SAMUEL HAHNEMANN - Hahnemann traduziu mais de 20 importantes obras médicas e científicas. Além
disso, publicou um grande Dicionário Farmacêutico.
• Nasceu em Meissen, Alemanha em 1755.
- Traduzindo a Matéria Médica de Willian Cullen, discorda do autor, que
• Filho de um casal de artesãos de porcelana relaciona a ação da quina peruana nas febres intermitentes, às suas “qualidades
aromáticas,amargas”
• Aos 20 anos inicia seus estudos médicos em Leipzig.
- Observa, após experimentação em si mesmo, que as modificações que se
seguiram após a ingestão eram semelhantes aos sintomas da malária
• Doutora-se em 1779, aos 24 anos pela Universidade de
Erlanger. - Escreve uma nota de rodapé, contestando a explicação de Cullen

• Casa-se em 1782 com Leopoldine Henriette em Dessau. - Acaba assim descobrindo a idéia de que a mesma substância que produz os
sintomas numa pessoa normal pode curá-los numa pessoa doente

• Muda-se para Leipzig em 1789. Atividade essencialmente - Passou os 6 anos seguintes fazendo ativas experiências
profissional de Hahnemann foi a tradução.
- Publica em 1796 Ensaio sobre um novo princípio para descobrir as virtudes
• Em 1792 publica um texto sobre modos e comportamentos curativas das substâncias medicinais, seguida de alguns comentários a respeito
higiênicos. dos princípios aceitos na época atual. Período marcado como o nascimento da
Homeopatia
• Abandona a clínica profundamente insatisfeito com a
- Em 1801 defende a redução de doses como forma de tratamento e a
ausência de princípios da terapêutica médica de sua época necessidade de se administrar um medicamento de cada vez
(sangrias, catárticos, ventosas, etc...).

• Em 1810 publica o Organon da Ciência Médica Racional, sua obra mais


importante Homeopatia no Brasil
Em 1829 Hahnemann publica Doenças Crônicas • O desenvolvimento da medicina no Brasil começou a partir da constituição do
estado brasileiro, após a vinda de D. João VI e depois da Independência, na
Entre 1820-1829 a Homeopatia cresce em Leipzig. E depois em toda a década de 30
Alemanha
• Aporta no Rio de Janeiro, em novembro de 1840, o francês Benoit Julet Mure,
• Em 1833 iniciam-se as atividades do Hospital Homeopático de Leipzig, Bento Mure
fundado pela Associação Local dos Homeopatas, que se encerra em 1842
• Benoit Mure e alguns médicos adeptos da Homeopatia se fixam no Brasil,
tratados como estrangeiros, figuras indesejáveis de hábitos e moral duvidosas
• Viúvo desde 1830, Hahnemann conhece em Köetten sua segunda esposa,
a francesa Melanie d’Hervilly. Casa-se 3 meses após conhecê-la, em 1835. • Benoit Mure possuía intensa participação política ligada ao socialismo de Fourier:
Neste mesmo ano mudam-se para Paris fundação dos falanstério, na província de Sahy (SC)

• Membros da Academia de Medicina de Paris solicitam a interdição das • Volta ao Rio de Janeiro e apresenta uma tese na Faculdade de Medicina,
atividades médicas de Hahnemann. O pedido é indeferido. habilitando-se para o exercício da Medicina no Brasil

• Em Paris, dedica-se a atender a clientela, contrariando a expectativa dos • Em dezembro de 1843, Benoit Mure e Vicente José Lisboa criam o Instituto
Homeopatas locais Homeopático do Brasil (I.H.B.)

• Em 1845 iniciam-se as aulas na Academia de Medicina Homeopática e Cirurgia.


• Retira-se de forma gradativa das atividades clínicas e procede à revisão A doutrina se expande e cresce sua aceitação
de suas obras maiores, resultando na 6ª edição do Organon
• Benoit Mure volta à França em 1848. Em 1851, a Escola Homeopática do Brasil
• Em julho de 1843, aos 88 anos Hahnemann falece e é sepultado em Paris. aprova a separação da prática médica da prática farmacêutica.

• Com a ausência de Mure e a morte de Vicente Martins ocorre o declínio do IHB e


• Legislações de amparo:
de sua Escola.  Lei 1552 de 08 julho de 1952, torna obrigatório o ensino de noções de Farmacotécnica
Homeopática nas Faculdades de Farmácia do País
• Em 1880, os Homeopatas se reorganizam e modificam os estatutos do já instalado  Decreto n° 57477 de 20 de dezembro de 1965, regulamenta a manipulação, receituário e venda
Instituto Hahnemanniano Fluminense, que passa a ser o atual Instituto de produtos utilizados em Homeopatia
Hahnemanniano do Brasil
 Decreto n° 78841 de 25 de novembro de 1978 aprova a Parte Geral da Farmacopéia Homeopática
Brasileira
Período Áureo da Homeopatia no Brasil: em 1912 o Instituto aprova os estatutos da
Faculdade Hahnemanniana  Em 1980, o Conselho Federal de Medicina pela Resolução 1000, inclui a Homeopatia entre as
especialidades médicas reconhecidas

• Em 1918 a Faculdade diploma sua primeira turma • Em 1991 é formada a Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas (ABFH)

• A 1ª edição do Manual de Normas Técnicas para Farmácias Homeopáticas é publicada em 1992,


• A Faculdade passa a se chamar Escola de Medicina e Cirurgia do Instituto no Congresso Brasileiro de Homeopatia em Gramado (RS)
Hahnemanniano em 1924 • Em 1994 é fundada a Associação Catarinense de Farmacêuticos Homeopatas

• Em 1925 ocorre o 1º Congresso Brasileiro de Homeopatia, somente 25 anos depois • Em 19 de agosto de 1997 – Portaria 1180- Aprovada a parte I da 2 edição da Farmacopéia
Homeopática Brasileira
acontece o 2º
• Resolução 440 22 de setembro de 2005 – CFF
• Em 1968 a Liga Homeopática Internacional apontava a existência de 150 médicos • Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares de 2006 – Ministério da Saúde
homeopatas a ela ligados no Brasil (110 RJ, 30 SP e 10 em outros estados)
• RDC 67/07
• As sociedades homeopatas se ampliam: Associação Paulista de Homeopatas
(1936), Liga Homeopata do Rio Grande do Sul (1941) e em 1943 é fundada a
Federação Brasileira de Homeopatia

2
8/3/2010

Medicina Complementar,
Alternativa e Integrativa
• A Portaria MS nº 971, de 3 de maio de 2006, aprova a Política
Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS e
considera a necessidade de formação de profissionais farmacêuticos
qualificados para atender as demandas sociais no setor de fitoterapia
e homeopatia;
• Medicina Complementar e alternativa são um grupo de sistemas médicos e de
cuidados a saúde, práticas e produtos que são considerados partes da
medicina convencional. Há muitas evidências clínicas, porém há questões
chaves a serem respondidas por estudos clínicos

• Complementar: prática utilizada com a medicina convencional

• Alternativa: prática utilizada no lugar da medicina convencional

• Integrativa: prática que combina a terapia médica convencional com métodos


complementares e /ou alternativos, no qual há evidências de alta efetividade e
segurança
National Center e Complementary and
Alternative Medicine (2002),
órgão participante da National Institutes of Health dos EUA