Você está na página 1de 67

LÍNGUA PORTUGUESA za (Amanhecer, anoitecer, chover, nevar, gear, garoar,


ventar, trovejar e outros), e fica sempre no singular.
GRAMÁTICA
Repare que, na alternativa “A”, temos um período
PROF. ROMEU AGOSTINHO SANTOMAURO com duas orações:
“Anoitecia e tinham acabado de jantar”. A primei-
1. Nas frases abaixo as palavras grifadas são
ra, por trazer verbo impessoal (anoitecia), não apre-
conjunções:
senta sujeito. Perceba que nas demais alternativas não
“Penso, logo existo.” ocorrem verbos impessoais.
“O exame era difícil, pois nem sequer havía- Alternativa “A”
mos estudado.”
4. “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas,
a) adversativa e conclusiva.
de um povo heroico o brado retumbante...”
b) conclusiva e explicativa.
O sujeito desta afirmação com que se inicia o
c) aditiva e explicativa.
Hino Nacional é:
d) conclusiva e adversativa.
a) indeterminado.
Resolução: b) “um povo heroico”.
c) “as margens plácidas do Ipiranga”.
Chama-se conjunção a palavra que liga palavras d) “o brado retumbante”.
ou orações.
No caso, temos as conjunções: logo (conclusiva) e Resolução:
pois (explicativa). Aqui, o candidato não pode, desde logo, afirmar
Alternativa “B” que o sujeito é indeterminado, baseando-se simples-
mente no fato de o verbo encontrar-se na terceira pes-
2. No texto: “Um se encarregava de comprar ca- soa do plural. Não! Deve lembrar-se de que o sujeito
marões.” não tem lugar fixo na oração.
A oração destacada é subordinada substan- Não se coloca, pois, necessariamente no início do
tiva: pensamento oracional.
a) completiva nominal.
b) objetiva direta. Assim, perguntando-se ao verbo: “quem é que ou-
c) subjetiva. viu o brado retumbante?” tem-se a resposta: “as mar-
d) objetiva indireta. gens plácidas do Ipiranga ouviram”
Tudo fica mais claro se, agora, colocarmos o texto
Resolução: em ordem direta (Suj. + Verbo + complementos e ad-
Oração subordinada substantiva é aquela que juntos)
pode ser substituída pelas palavras isto, isso, aquilo, Compare: As margens plácidas do Ipiranga ouvi-
aquele, aquela. ram o brado retumbante de um povo heroico.
É exatamente o que ocorre com a oração desta- Alternativa “C”
cada:
5. Quanto aos artigos grifados da oração abaixo:
Um se encarregava DISTO (de + ISTO).
Certa vez, passando por uma praça, encon-
Preste atenção! Quando o “isto” vem com preposi-
trei um menino chorando.
ção e após verbo, temos oração subordinada substan-
tiva objetiva indireta. A praça estava deserta e o menino, sozinho,
as mãos e os cabelos sujos de terra.
Alternativa “D”
a) ambos são indefinidos.
3. Assinale a oração sem sujeito: b) o primeiro é indefinido e o segundo é defi-
a) Anoitecia e tinham acabado de jantar. nido.
b) Ficamos um bocado sem falar. c) ambos são definidos.
c) Pôs-se a calcular os homicídios. d) o primeiro é definido e o segundo inde-
d) Reputavam-no o maior delator do quartel. finido.

Resolução: Resolução:
Oração sem sujeito é aquela que traz verbo im- Denominam-se artigos as palavras o, a, os, as, um,
pessoal, isto é, Verbo que indica fenômeno da nature- uma, uns, umas, quando acompanham substantivo. O

1

primeiro grupo determina o substantivo; denominam- fácil; a conjunção desde que representa conjunção su-
se, por isso, definidos. O segundo grupo indetermina o bordinativa condicional, explicita a noção de condição.
substantivo. São, pois, os indefinidos.
Observação: As conjunções nem sempre têm valor
Aqui, temos: “uma praça”, “os cabelos” Assim, o fixo. Aqui a conjunção “desde que” classificou-se como
artigo uma não define, não determina claramente a condicional. Contudo, em: “Não vou ao Rio, desde que
que praça o autor se refere. Perceba que a possibilidade me formei!”; a mesma conjunção tem valor temporal.
de se colocar, após a expressão “uma praça, a palavra
Nota: Lembre-se de que a conjunção se diz subor-
“qualquer”, reforçando ainda mais o caráter de indeter-
dinativa. Subordinada é a oração encabeçada por con-
minação”.
junção subordinativa.
Compare:
Alternativa: “A”
“uma praça”(qualquer). Já, no caso, da expressão
“os cabelos” não há tal possibilidade. 8. Assinale a alternativa cuja frase tenha prepo-
sição:
Para lembrar: “o, a, os, as”, quando acompanham
a) A casa desabou, mas a criança escapou.
substantivo, classificam-se SEMPRE como artigos defi-
b) Fora intimado a comparecer perante o juiz.
nidos.
c) Muitos remédios agem beneficamente.
Alternativa “B” d) O médico estuda medicina.

6. Assinale a alternativa que corresponde ao Resolução:


número 974:
A palavra “A” pode ser classificada como artigo,
a) nongentésimo, septingentésimo quarto.
preposição.
b) nonagésimo setingentésimo quarto.
c) nongentésimo, septagésimo quarto. É artigo quando acompanha substantivo, para
d) nongentésimo, septuagésimo quarto. determiná-lo, identificá-lo: “a criança”. Como preposi-
ção a palavra “A” não se presta a isso.
Resolução:
Lembrete: Sempre que você puder substituir “A”
Alguns numerais, quando usados como ordinais, por “UMA”, esse “A” será artigo. Ex.: Comprei a casa /
têm mais de uma forma de leitura. Comprei uma casa. Caso contrário, será preposição. Se
É o caso de 600: seiscentésimo ou sexcentésimo substituível por “isto” ou “aquela”, será pronome pes-
soal ou demonstrativo, respectivamente.
900: nongentésimo ou noningentésimo
Compare: Amamos a Deus./ Amamos “uma” Deus.
Assim, 974 lê-se: nongentésimo septuagésimo
quarto. Compare: Encontrei-a no jardim./ Encontrei isto
no jardim.
Para lembrar: o numeral 80, quando usado como
ordinal, Compare: A do meio é minha./ Aquela do meio é
minha.
Lê-se octogésimo e não “octagésimo”, como se
costuma ouvir. Alternativa: “D”

Aproveitando: diga ele foi levado ao trigésimo sé- 9. Assinale a alternativa em que a preposição
timo DP. Não diga: exprime uma relação de companhia:
Ele foi levado ao trinta e sete DP. a) Falou sobre política.
b) Viajarei durante as férias.
Alternativa: “D” c) Feriu com a espada.
d) Jantei com ele.
7. Assinale a alternativa que tenha uma conjun-
ção subordinativa condicional: Resolução:
a) Passarei no exame, desde que a prova esteja
fácil. As preposições podem expressar várias relações.
b) As coisas não são como dizem. Destacando-se as relações de:
c) O tambor soa porque é oco.
Lugar: Venho de Paris.
d) Não podem ver um cachorro na rua sem
que o persigam. Assunto: Falou sobre Política.
Tempo: Viajarei durante as férias.
Resolução:
Instrumento: Feriu-se com a espada.
Em: Passarei no exame, desde que a prova seja

2

Companhia: Jantei com ele. c) A vizinhança corriam assustada.


d) Um bando de beatas gritavam desesperada.
Alternativa: “D”
Resolução:
10. Assinale a alternativa em que todas as pala-
vras estão acentuadas corretamente: O verbo deve concordar com o sujeito. Se o sujeito
a) urubú, você, rubríca, açaí. é Simples (um só núcleo) – verbo no singular. Tratando-
b) xérox, voce, rubrica, café. se de sujeito Composto (mais de um núcleo) – verbo no
c) baú, voce, também, rubrica. plural
d) açaí, você, também, rubrica.
Assim, O homicida e os cúmplices FUGIRAM.
Resolução: Quando o núcleo do sujeito é representado por um
coletivo acompanhado de especificador (no plural), o
“Açaí”: deve-se acentuar o “i” tônico (forte), ante-
verbo pode ficar no singular, concordando com o cole-
cedido do vogal, que forme sílaba sozinho, com ou sem
tivo ou ir para o plural, concordando com o especifica-
“S” ( a-ça-í). No mesmo caso, temos: saí (sa-í), saída (sa-
dor. Assim, um bando de beatas gritava (ou gritavam).
-í-da), egoísta (e-go-ís-ta)
Alternativa: “A”
“você”: deve-se acentuar graficamente a oxítona
terminada em “E”. No mesmo caso, temos: café, jacaré, NOTA: Na questão em foco, tomou-se a alter-
Pererê. nativa “D” como incorreta, uma vez que o predi-
cativo do sujeito deve ser desesperado ou deses-
Também: acentua-se graficamente também a
peradas, nunca “desesperada” como consta. Isso
oxítona terminada em “EM” “ENS”. Igualmente para al-
impossibilita considerar a alternativa “D” como
guém, parabéns, neném.
correta. Parece que se procurou alterar o predicati-
“rubrica” (pronuncia-se ruBRIca): trata-se paroxí- vo, para salvar a questão, já que a concordância do
tona não acentuada graficamente. Não se acentuam verbo no plural também é correta. Mais coerente
paroxítonas terminadas em: a, e, o; em ou ens (cama- seria que fosse simplesmente pedida a alternativa
da, parede, copo, nuvem, nuvens). gramaticalmente correta.
Alternativa: “D”
13. Assinale a frase incorreta, quanto à concor-
11. Assinale a frase em que o emprego da crase dância nominal:
está correto: a) Ele mesmo foi registrar a ocorrência.
a) Estávamos cara à cara com o marginal. b) Tinha desengonçadas a perna e o braço.
b) Perseguimo-los à pé. c) Era dotado de força e agilidade extraor-
c) Estou pronto à atirar. dinárias.
d) À medida que chegaram, foram presos. d) Tinha desengonçadas as pernas e os braços.

Resolução: Resolução:

De maneira geral, o fenômeno da fusão da prepo- Denomina-se Concordância Nominal aquela que
sição A + o artigo A (Crase) só pode ocorrer diante de se estabelece entre o adjetivo (nome das características
palavras femininas que admitem o artigo A. do ser) e o substantivo (nome do ser), com base no se-
guinte princípio: o adjetivo deve concordar com subs-
Desse modo, não ocorre crase diante de palavras tantivo em gênero e número. Assim temos: livro novo;
masculinas, de verbos, de palavras repetidas. Portanto, canetas novas.
sem acento de crase: cara a cara, a pé, a atirar. As ex-
pressões: à medida que, à proporção que (conjunções) Alternativa: “B”
sempre devem trazer o acento de crase.
14. Assinale a alternativa incorreta quanto à divi-
Lembrete: Crase é o nome do fenômeno de fusão são silábica:
de A + A, que é indicado na escrita pelo acento grave a) cá-rie, mis-té-rio, ex-ce-ção.
(`) colocado sobre o A. Não é, pois, o nome do acento b) cá-rie, mis-té-ri-o, ex-ce-ção.
gráfico que pode ser chamado de acento de crase, mas c) téc-ni-ca, núp-cias, sub-me-ter.
não simplesmente de CRASE. d) pneu-má-ti-co, psi-co-lo-gi-a, pers-pi-caz.
Alternativa: “D”
Resolução:
12. Assinale a frase correta quanto à concordân- Quanto aos encontros: ea, eo, ia, ie, io, oa, ua, eu,
cia verbal: uo (quando finais), devemos observar o seguinte: se a
a) O homicida e os cúmplices fugiram palavra contiver acento gráfico, consideram-se diton-
b) O homicida e os cúmplices fugiu.

3

gos crescentes; portanto, inseparáveis: mis-té-rio, cá- Não se acentuam paroxítonas terminadas em:
-rie, núp-cias. a(as), e(es), o(os), em(ens).
Se a palavra não trouxer acento gráfico, tais en- Assim, vírus, fórceps (ambas com acento gráfico,
contros correspondem a hiatos; portanto, separáveis: pois trazem as terminações acima).
psi-co-lo-gi-a.
Já, hifens sem acento gráfico, uma vez que traz a
Regra: a consoante inicial não seguida de vogal, terminação ens que impede seja acentuado grafica-
vai para a sílaba seguinte: pneu-má-ti-co, psi-co-lo- mente.
gi-a.
Alternativa: “C”
REGRA: No interior da palavra, a consoante não
Nota: A questão é tecnicamente imprecisa, pois
seguida de vogal, fica na sílaba anterior, ainda que
considera o trema como acento gráfico. Isso não é cor-
essa sílaba termine por consoante. Assim: ex-ce-ção;
reto uma vez que o trema não é acento, mas notação
téc-ni-ca; núp-cias; sub-me-ter; pers-pi-caz.
léxica autônoma, que não se confunde com as finalida-
Alternativa: “B” des a que se destinam os acentos gráficos.

15. Assinale a alternativa em que todas as pala- 18. Quanto ao emprego da crase, assinale a alter-
vras são proparoxítonas: nativa incorreta:
a) repórter, médico, tecnológico. a) O paciente estava à beira da morte.
b) pêssego, tecnólogo, urubu. b) O fumo é prejudicial à saúde.
c) repórter, alguém, também. c) O PM, que trabalha, à noite, tem mais des-
d) análogo, médico, pêssego. gaste físico.
d) Os marinheiros foram à terra para descansar.
Resolução:
Resolução:
Denomina-se proparoxítona a palavra que tem
como sílaba tônica (forte) exatamente a antepenúl- Artifício: Substitui-se a palavra feminina por outra
tima. Regra: todas as proparoxítonas devem trazer masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com o acen-
acento gráfico. to de crase.
Obs. Para se determinar a sílaba tônica (forte), “à beira da morte”, trocando-se “beira” por “lado”,
pronuncie a palavra em voz alta e pausadamente, tem-se ao lado da...
marcando bem a sílabas. Assim: a-ná-lo-go; mé-di-co;
“o fumo é prejudicial à saúde”, trocando-se “saú-
pês-se-go.
de” por “organismo”, tem-se ao organismo”.
Alternativa: “D”
“à noite”, trocando-se “noite” por “meio-dia”, tem-
se ao meio-dia.
16. Escrevem-se com X os vocábulos seguintes,
exceto: Já, a palavra “terra”, não admite acento de crase,
a) fi...a (cartão para anotações). quando usada no sentido de chão firme em oposição
b) co...o (manco). a bordo. Portanto, aqui não é aplicável o artifício an-
c) me...er. terior.
d) ca...umba.
Alternativa: “D”
Resolução:
19. Assinale a alternativa em que o uso da vírgu-
Com x: coxo, mexer, caxumba. Com ch: ficha la está correto:
a) Cheguei, vi, observei, e não gostei.
Alternativa: “A”
b) Minha casa tem quatro dormitórios, dois
17. Assinale a alternativa em que todas as pala- banheiros, três salas e bom quintal.
vras estão corretas quanto à acentuação grá- c) Brasília capital, da República, foi fundada
fica: (adaptada ao Novo Acordo Ortográfico) em 1960.
a) tranquilo, virus, forceps, hífen. d) O político, era muito respeitado, ou, antes,
b) tranqüilo, vírus, forceps, hífen. muito temido.
c) tranquilo, vírus, fórceps, hifens.
Resolução:
d) tranqüilo, virus, fórceps, hifens.
Facultativamente, emprega-se vírgula antes da
Resolução: conjunção “e” quando o sujeito da sua oração é dife-
Segundo o Novo Acordo Ortográfico, o trema foi rente do sujeito da oração anterior: “A noite veio, e a
extinto. Assim, “tranquilo” não deve trazer mais o trema. baronesa vestiu-se.” Obrigatoriamente, é empregada

4

quando a conjunção vem repetida, constituindo figu- nal: Toda expressão preposicionada que se liga a adje-
ra denominada polissíndeto: “E corre, e grita, e cai, e tivo ou a advérbio é sempre complemento nominal (“...
morre!”. decidiu favoravelmente ao indiciado.”). Observe que
(a expressão “ao indiciado” está ligada ao advérbio “fa-
Apenas nesses casos use vírgula antes da conjun-
voravelmente”);
ção “e”. Muito cuidado, pois!
Denomina-se objeto o termo que completa ver-
Não se separa por vírgula o adjunto adnominal do
bo transitivo, mediante preposição exigida pelo verbo
substantivo a que se refere:
(objeto indireto: “Todos precisam de amor.”) ou sem ela
“Brasília, capital da República,” (e não capital, da (objeto direto: “ela comprou cadernos”)
República)
Adjunto Adnominal é o termo de valor adjetivo
Não se deve separar o sujeito do verbo. “O políti- que caracteriza o núcleo substantivo de uma função
co era muito respeitado...” (e não “O político, era muito sintática, sem completá-lo: ”Era uma noite de estrelas”
respeitado”). (= estrelada). Repare que a expressão ”de estrelas” ape-
Expressões explicativas ou retificadoras (por exem- nas acrescenta uma informação sobre “noite”.
plo, isto é, ou melhor, ou ainda) devem vir isoladas por Alternativa: “B”
vírgula. “... muito respeitado, ou ainda, muito respei-
tado.” 22. Assinale alternativa em que a oração esteja
no período composto:
Emprega-se a vírgula para separar termos coorde-
a) Só a gente sobrou.
nados que estejam exercendo a mesma função sintá-
b) Além da bolsa semanal, as crianças têm ali-
tica. “..tem quatro dormitórios, dois banheiros, três sa-
mentação.
las...’” (Repare que todos os termos grifados exercem a
c) A caça fugiu ou morreu queimada.
mesma função: objeto direto, pois completam o verbo
d) Na língua africana iorubá, axé significa força
Ter).
mágica.
Alternativa: “B”
Resolução:
20. Estão corretamente flexionados os substanti-
Período composto é aquele que reúne duas ou
vos abaixo, menos:
mais orações cujos verbos podem estar expressos ou
a) cidadões.
subentendidos. Com verbos expressos: “A caça fugiu ou
b) sacristães.
morreu queimada”. Com um dos verbos subentendido:
c) anãos.
“Nordônio anda como tartaruga”. (... como “tartaruga
d) vilãos.
anda”)
Resolução: Alternativa: “C”
Existem substantivos terminados em ão que admi-
23. Qual das alternativas não apresenta homô-
tem mais de uma forma válida de plural. Assim: vilão
nimo:
(vilões, vilãos), anão (anões, anãos), sacristão (sacris-
a) livro.
tães, sacristãos).
b) hábil.
Já, o substantivo cidadão admite apenas a forma c) maia.
cidadãos. d) canto.
Alternativa: “A”
Resolução:
21. Em “O encarregado do IPM decidiu favoravel- Palavras homônimas são aquela que escrevemos
mente ao indiciado”, o termo grifado funcio- ou pronunciamos do mesmo modo. Podem ser:
na como:
Perfeitas: mesma grafia e mesma escrita; “livro”
a) objeto indireto.
(verbo, substantivo: “Sempre me livro dos perigos.”
b) complemento nominal.
/ “comprei um livro”); “maia” (nome de um povo e
c) objeto direto.
designativo do indivíduo pertencente a esse povo: “O
d) adjunto adnominal.
povo maia detinha grande sabedoria.” / “Era apenas
Resolução: mais um maia.”); “canto” (verbo, substantivo: “Can-
to também modinhas antigas.” / Fiquei num canto da
Denomina-se complemento nominal a expressão sala...”
preposicionada que completa o sentido de um nome
(substantivo, adjetivo) ou advérbio. Alternativa: “B”

Artifício para se reconhecer o complemento nomi-

5

24. Assinale a alternativa correta quanto à acen- c) elétrons, atrás, para (verbo), trocá-lo.
tuação gráfica. (Adaptada ao Novo Acordo d) íris, alguém, sanguíneo, vendê-lo.
Ortográfico)
a) móvel, ceu, reporter, órgão. Resolução:
b) parabéns, egoísta, magoo, alguém. Não se acentuam paroxítonas terminadas em
c) biceps, vício, táxi, virus. “ens” (hifens).
d) ideia, ímã, urubú, sutíl.
Alternativa: “B”
Resolução:
27. Assinale a única alternativa que completa
Acentuam-se as paroxítonas não terminadas em: corretamente a frase:
a(as), e(es), o(os), em,(ens).
“Pedira a ________ dos advogados, pois que-
Portanto, devem ser acentuadas graficamente: ria estar bem ________ no negócio.”
móvel, repórter, órgão, bíceps, vício, táxi, vírus, ímã.
a) intercessão – assessorada.
Não se acentuam graficamente oxítonas termina- b) intercessão – acessorado.
das em “u”: urubu. c) intersecção – accessorado.
“Acentuam-se “os ditongos abertos: “éi, éu, ói”, d) intersseção – acessorado.
quando finais seguidos ou não de ‘s”: véu; quando no
interior da palavra, não são acentuados;” “ideia” (em- Resolução:
bora a pronúncia aberta permaneça). Verbos que possuem “Ed” no radical originam
Acentuam-se as oxítonas terminadas em “em(ens): substantivos que são grafados com “SS”: interceder =
alguém, parabéns e também as terminadas em: “a(as), intercessão. Grafa-se assessor, portanto assessorado.
e(es), o(os)” Alternativa: “A”
“Sutil” é oxítona cuja sílaba tônica é til.
28. Assinale a única alternativa que preenche as
Acentua-se o “i” tônico em hiato com a vogal ante- lacunas corretamente:
rior, formando sílaba sozinho ou com “S”: egoísta.
“O ...... aluno foi ...... na prova de inglês, ......
Alternativa: “B” não sabe. Se você o ......, é bom avisá-lo.”
a) mal – mau – mas – ver.
25. Assinale a alternativa que preencha correta- b) mal – mal – mais – ver.
mente as lacunas do texto: c) mau – mau – mais – vir.
“Chegar cedo ...... repartição. Lá ...... de estar d) mau – mal – mas – vir.
outra vez o Horácio, conversando ...... uma
das portas com Clementino”! Resolução:
a) à – há – a. Cabe “mau” onde couber “bom”; cabe “mal” onde
b) à – há – à. não couber “bom”
c) a – há – a.
“Mas” (conjunção coordenativa) pode ser subs-
d) à – a – a.
tituída por “porém”: “mas não sabe...” (porém não
Resolução: sabe...)

Substituindo-se a palavra repartição por depar- Para se obter o futuro do subjuntivo de quaisquer
tamento, temos: “Chegar cedo ao departamento. A verbos, toma-se a terceira pessoa do plural (eles) do
ocorrência de ao determina o acento de crase. A locu- pretérito perfeito do indicativo do verbo que se quer
ção “há de + infinitivo” tem o verbo haver como auxi- conjugar, retira-se a terminação “AM”, obtendo-se as-
liar, denotando certeza subjetiva da realização do fato. sim a primeira e a terceira pessoas do futuro do sub-
juntivo. Preste atenção: verbo Ver (eles viram), retiran-
Não se usa acento de crase diante da palavra do-se a terminação “am”, obtém-se VIR: “Se você o vir...”
“uma”, a menos que indique hora,
Vejamos, agora o verbo Vir = eles vieram (- am) =
Alternativa: “A” vier. Portanto, se você vier amanhã, iremos ao teatro.
26. Assinale a alternativa em que nem todas as Alternativa: “D”
palavras estão corretas quanto à acentuação
gráfica: (adaptada ao Novo Acordo Ortográ- 29. Assinale a única alternativa que preenche as
fico) lacunas corretamente:
a) arcaísmo, mês, frequência, incluí-lo. “Quando o ........, diga-lhe que ........ que ........ a
b) hífens, túneis, órgão, sentí-lo.

6

aparecer.” ou sete minutos...


a) ver – convém – continui. c) Quando Deus ou o diabo me livrar da sua
b) vir – convém –continue. presença!
c) vir – convém – continui. d) Ouvem-se gemidos e gritos lancinantes.
d) ver – convém – continue.
Resolução:
Resolução:
Como já se mencionou no comentário anterior,
Quanto ao verbo Ver, observe o comentário na o verbo haver, quando usado para indicar existência,
questão anterior (Ver = eles viram (- am) = vir). “Quan- deve permanecer no singular: “... havia 30 presos.”
do o vir...”
Também o verbo fazer se comporta como impes-
O verbo convir é derivado do verbo vir e por ele soal (sem sujeito) quando usado para indicar decurso
deve ser conjugado. Lembrando-se sempre de que a de tempo; devendo, por isso, permanecer na terceira
terceira pessoa do singular grafa-se com acento agu- pessoa do singular; transmitindo, também nesse caso,
do; a terceira do plural, com acento circunflexo. a impessoalidade para o eventual verbo auxiliar que o
acompanhe.
Tal atitude não convém a ela. Tais atitudes não
convêm a ela. Assim, observe: “Faz sete anos, poderia fazer sete
séculos, sete minutos...”
Os verbos terminados em “uar” trazem “e” no pre-
sente do subjuntivo: “que continue a aparecer”. Na voz passiva sintética, aquela formada com au-
xílio do pronome apassivador SE, o verbo deve concor-
Alternativa: “B”
dar com o sujeito paciente, que normalmente está pos-
30. Assinale a alternativa correta quanto à con- posto ao pronome apassivador: “Ouvem-se gemidos
cordância verbal: e gritos...”
a) Mariângela e Maria Isabel levou dois meses Para verificar a validade dessa regra, reverter a
para produzir o livro. oração para a correspondente passiva analítica, aque-
b) Mais de um deputado se manifestou a favor la formada pela locução (ser + particípio): “Gemidos
do projeto. e gritos são ouvidos...” Observe que, na reversão, o
c) Os Estados Unidos já está estudando a con- verbo ser vai para o plural, concordando com o sujeito
cessão de uma ajuda de urgência ao Haiti. gemidos e gritos. No mesmo caso: Vendem-se casas.
d) Haviam jardins, haviam manhãs naquele (Casas são vendidas).
tempo...
No caso de o sujeito composto trazer os núcleos
Resolução: unidos por “OU”, podendo a ideia por ele expressa se
referir ou puder referir-se a todos os núcleos do sujeito,
O sujeito composto leva o verbo para o plural: o verbo irá para o plural: “Quando Deus ou o diabo me
“Mariângela e Maria Isabel levaram dois meses...” livrarem da sua presença!”
sujeito composto.
Alternativa: “D”
Sujeito representado por nome próprio plural
acompanhado de artigo leva o verbo para o plural: ”Os 32. Assinale a alternativa correta quanto à con-
Estados Unidos já estão estudando...” cordância nominal:
O verbo haver, quando empregado no sentido a) Tinha desengonçados o braço e as pernas.
existencial, comporta-se como verbo impessoal; sem b) Tinha desengonçado o braço e a perna.
sujeito, pois. Por isso, nesse caso, deve ficar na terceira c) Tinha desengonçadas a perna e os braços.
pessoa do singular: “Havia jardins, havia manhãs na- d) Tinha desengonçadas os braços e as pernas.
quele tempo...”
Resolução:
Sujeito representado pela expressão “mais de
um”: o verbo permanece no singular: “Mais de um de- O adjetivo (na função de adjunto adnominal),
putado se manifestou a favor do projeto.” quando anteposto aos substantivos deve concordar
com o mais próximo: “tinha desengonçado o braço e
Alternativa: “B” as pernas”.
31. Assinale a alternativa correta quanto à con- Alternativa: “B”
cordância verbal:
a) Nas galerias subterrâneas do presídio, ha- 33. Assinale a única alternativa em que o uso da
viam 30 presos. crase está incorreto:
b) Faz sete anos, poderiam fazer sete séculos a) Você acha que isso vale a pena.
b) Ele leva repetidamente a mão a cabeça.

7

c) Dirigiu-se grosseiramente à pobre viúva. d) Diria-se que os amigos tinham prazer em


d) Nunca deverias ter ido a Lisboa. lhe abrir a bolsa.

Resolução: Resolução:
Para que ocorra crase necessária se faz a fusão da Nunca se deve iniciar período com pronome oblí-
preposição “A” (exigida pelo termo antecedente) com quo átono: Aconteceu-me e não: ...me aconteceu...
o artigo feminino “A” (admitido pela palavra feminina
As palavras: NÃO e TUDO, quando antes do verbo,
seguinte), resultando a pronúncia de um único “A” que,
atraem o pronome oblíquo átono (próclise obrigató-
em razão disso, deve ser grafado com acento grave
ria): “Não nos iludamos.“ “Tudo me dava impaciência”.
(“à”).
Não se coloca pronome oblíquo depois de forma verbal
Para se verificar a existência ou não da menciona- (ênclise)l no futuro do presente ou no futuro do pretéri-
da fusão (a + a), pode-se empregar este artifício didá- to. Nesse caso, coloca-se o pronome no interior da for-
tico: “substitui-se a palavra feminina por outra corres- ma verbal (mesóclise): “Dir-se-ia que os amigos..”
pondente masculina, ocorrendo “AO”, teremos “à”.
Alternativa: “A”
Assim, aplicando-se o artifício na alternativa “b”
Leva repetidamente a mão ao (peito), percebemos que 35. Assinale a alternativa correta quanto à colo-
ocorre “ao”. Portanto, “... as mãos à cabeça.” cação pronominal:
a) Se levantou de um pulo.
Obs.: Quando se trata de nome geográfico femi-
b) Repetir-se-á, assim, o que neste ano já acon-
nino, deve-se substituir o verbo por outro que admita
teceu com tantos outros feriados.
preposição diferente de “A”, combinando-se a preposi-
c) Me dê esse canivete, meu irmão.
ção com o artigo, teremos “à”. Caso contrário, não se
d) O Senhor Brito, na sua ternura, teria-me
assinalará “à”.
abraçado se não fossem os embrulhos.
Assim, por exemplo, “Fui à Bahia” = (Gosto da
Bahia). “Fui a Lisboa” = (Gosto de Lisboa.). Resolução:
Alternativa: ”B” Nunca se deve iniciar período com pronome oblí-
quo átono: Levantou-se de um pulo e não: Se levantou
34. Assinale a alternativa correta quanto à con- de um pulo. Dê-me esse canivete. E não: Me dê...
cordância nominal:
Não se coloca pronome oblíquo depois de forma
a) Juliana parece meia esquisita.
verbal (ênclise)l no futuro do presente ou no futuro
b) Havia bastantes questões.
do pretérito (teria-me). Nesse caso, coloca-se o prono-
c) Já andamos por longe terras.
me no interior da forma verbal (mesóclise): “Ter-se-ia”,
d) Estou quites com o Serviço Militar.
“Repetir-se-á, assim...” ,
Resolução: Alternativa: “B”
A palavra “meio” não se flexiona quando significa
36. Assinale a alternativa em que há erro de con-
um pouco, um tanto, mais ou menos. Nesse caso, fun-
cordância verbal:
ciona como advérbio, modificando adjetivo. Daí; Julia-
a) “Faz sete anos, poderia fazer sete séculos ou
na parece meio cansada. A palavra “bastante”, quan-
sete minutos”.
do substituível por muito(as), é variável. Assim, “Havia
b) Naquelas paragens só existem arbustos
muitas questões. Portanto, “Havia bastantes questões”.
minguados.
A palavra “longe” admite plural, quando acompanha
c) Choveram telegramas de congratulações.
substantivo. Nesse caso, significa distante. Assim, te-
d) Nas galerias do presídio deviam haver trinta
mos: “Já andamos por longes (distantes) terras”. A pala-
presos.
vra “quite” deve concordar com o nome a que se refere.
Assim, temos: Eu estou quite com o Serviço Militar. Nós Resolução:
estamos quites com o Serviço Militar.
A Concordância Verbal tem como princípio funda-
Alternativa: “B” mental: “O VERBO DEVE CONCORDAR COM O SUJEITO
DA ORAÇÂO!”.
34. Assinale a alternativa correta quanto à colo-
cação pronominal: Contudo, há casos em que a oração não apresen-
a) Aconteceu-me uma coisa realmente extra- ta sujeito. Trata-se de oração sem sujeito, que ocor-
ordinária. re quando o verbo dessa oração é impessoal. Isto é,
b) Não iludamo-nos, o jogo está feito. quando o fato emanado desse verbo não pode ser atri-
c) Tudo dava-me impaciência. buído a nenhum sujeito.

8

(Nas orações sem sujeito, o verbo deve ficar sem- c) Esse foi um ponto que todos se esqueceram.
pre na terceira pessoa do singular, indicando de clima, d) Estes são os livros que precisamos.
decurso de tempo); Os principais verbos que funcio-
nam em orações sem sujeito são: Fazer (na indicação Resolução:
de tempo). Exemplos: “Faz sete anos, poderia fazer sete O pronome relativo (“que”, nesta questão) sempre
séculos...” Haver (existencial ou temporal). Exemplo: se submete à regência do verbo ou do nome presente
Havia trinta palmeiras lá. na oração por ele introduzida.
Observe que o verbo impessoal transmite a impes- Assim, temos:
soalidade ao outro verbo que o acompanha (poderia
fazer sete séculos). O mesmo ocorre com o verbo haver a) A peça a que assistimos foi muito boa. (o verbo
no sentido existencial: “... devia haver trinta presos.”. assistir pede preposição ‘a’)

Observação: É muito comum confundir-se o verbo b) Guimarães Rosa é o escritor que mais aprecio. (o
haver (existencial) com o verbo existir, quando se quer verbo apreciar não pede preposição)
indicar existência. Contudo, basta lembrar que o verbo c) Esse foi um ponto de que todos se esqueceram
existir é sempre pessoal, isto é, sempre apresenta sujei- (o verbo esquecer-se pede preposição “de”)
to e, por isso, concorda com esse sujeito. Exemplo: Na-
d) Estes são os livros de que precisamos. (o verbo
quelas paisagens só existem arbustos minguados.
precisar pede preposição “de”)
(sujeito)
Alternativa: “B”
Com mais razão ainda, consideram-se impesso-
ais aqueles verbos que indicam fenômenos da nature-
39. Assinale a única alternativa em que a oração
za: chover, garoar, nevar, ventar, trovejar, relampejar,
foi estruturada com um período composto:
relampaguear. Tais verbos devem ser empregados na
a) É agradável a vida nos campos.
terceira pessoa do singular. Contudo, se empregamos
b) Ela e ele encontram-se depois do almoço.
esses verbos em sentido figurado, passam eles a admi-
c) Ficou provado que tudo era mentira.
tir sujeito; passando, então a concordar com esse sujei-
d) Essa fortuna a tive eu.
to: “Choveram telegramas de congratulações”.
(sujeito) Resolução:
Alternativa: “C” Período Composto é aquele de que participa mais
de uma oração.
37. Assinale a alternativa que completa correta-
mente as lacunas: De modo geral, pode-se dizer que o número de
orações, corresponde ao número de verbos: “Tantos
No último ........... da orquestra sinfônica, hou-
verbos tantas orações”.
ve .......... entre os convidados, apesar de ser
uma festa .......... . “Ficou provado que tudo era mentira.” Temos, nes-
se período, duas orações, cada qual com o seu verbo
a) conserto – flagrantes descriminações – be-
correspondente: Ficou provado / que tudo era mentira.
neficente.
b) concerto – fragrantes discriminações – be- Alternativa: “C”
neficiente.
c) conserto – flagrantes descriminações – be- 40. No período: “É necessário que tenhamos con-
neficiente. fiança no Policial Comunitário.”, a oração gri-
d) concerto – flagrantes discriminações – be- fada é:
neficente. a) subordinada substantiva objetiva direta.
b) subordinada substantiva subjetiva.
Resolução: c) subordinada substantiva predicativa.
d) subordinada adjetiva restritiva.
Compare concerto (reunião musical) / conserto
(reparo); flagrante (no ato) / fragrante (perfumado); Resolução:
discriminação (separação) / descriminação (excluir o
caráter de crime) Diga e escreva sempre: beneficente. A oração subordinada substantiva subjetiva é
aquela que funciona como sujeito da oração princi-
Alternativa: ”D” pal. Oração subordinada substantiva é a que pode ser
substituída por isto, funcionando com sujeito sempre
38. Assinale a frase correta quanto à regência
que vem após oração principal com a seguinte estru-
verbal:
tura: verbo de ligação nome (substantivo ou adjetivo)
a) A peça que assistimos foi muito boa.
b) Guimarães Rosa é o escritor que mais aprecio. Observe: “É necessário (OP) = VL (É) + NOME (Ne-

9

cessário) que tenhamos = ISTO. Portanto, substantiva. Observação: Não ocorrerá crase, se a indica-
ção de hora vier antecedida de preposição diferen-
Alternativa: “B”
te de a. EX.: Estou aqui desde as 7h de ontem.
41. Assinale a alternativa que completa correta- Alternativa: “D”
mente as lacunas:
43. Assinale a alternativa onde a pontuação está
Era para ........ falar ........ ontem, mas não ........
incorreta:
localizei em parte alguma.
a) Meu amigo lança fora, alegremente, o jornal
a) mim – consigo – o. que está lendo.
b) mim – contigo – te. b) O rapaz, órfão de pai e mãe, saiu pelo mundo.
c) eu – com ele – lhe. c) Nós alunos do Colegial, solicitamos ao di-
d) eu – com ele – o. retor permissão para utilizarmos a quadra
neste final de semana.
Resolução: d) Após a partida de futebol, fomos à bibliote-
Pronome oblíquo tônico não pode funcionar como ca da escola.
sujeito de um verbo no infinitivo. Compare-se: É preci-
so mim falar a verdade./ É preciso eu falar a verdade. Resolução:
Portanto, “era para eu falar...” Emprega-se vírgula para isolar o aposto: “Nós, alu-
O pronome contigo é usado quando se fala com nos do CFAP, solicitamos...”
a pessoa. Alternativa: “C”
Ex.: Zé, o chefe quer falar contigo. (Estou falando
44. Assinale a alternativa que completa correta-
com a pessoa.)
mente o período abaixo:
Já, o pronome “consigo” só pode ser usado re-
“A inscrição já estava ...... apagada, mas mes-
flexivamente e em relação a sujeito de terceira pessoa
mo assim, lia-se, perfeitamente, a seguinte
(consigo = com ele).
frase: Cerveja é ...... para a saúde.”
Ex.: O vento trouxe consigo as tempestades.
a) meio – boa.
Portanto, “era para eu falar com ele...” b) meio – bom.
O verbo encontrar é VTD. Exige, pois, o emprego do c) meia – boa.
pronome oblíquo O, que sempre funciona como objeto d) meia – bom.
direto
Resolução:
“Era para eu falar com ele, mas não o encontrei
A palavra “meio” é invariável, quando significa
em parte alguma”.
“um pouco”, “um tanto”, “mais ou menos”: “A inscrição
Alternativa: “D” já estava meio apagada...”

42. Em qual das alternativas o uso do acento in- A expressão “é bom” deve permanecer invariável,
dicativo da crase está correto: quando o substantivo a que se refere não vem acom-
a) Apresentei-me à VSa no ano passado. panhado de determinante: “Cerveja é bom para a saú-
b) Estou apto à fazer o Teste de Aptidão Física. de.” Compare: A cerveja é boa. (Repare a presença do
c) O Cb. PM Eliseu assumiu a viatura M-17171 artigo “a” determinando o substantivo cerveja).
e disse que a mesma estava cheirando à Alternativa: “B”
molho de tomate.
d) O Sd. PM Chagas chegou às 7h15min. 45. Aponte a alternativa que preenche o período
corretamente:
Resolução:
“Os livros ........ 100 páginas, mas elas não ........
Por não ocorrer crase (fusão de a + a), não se deve sempre com os mesmos números.”
grafar à diante de: pronome de tratamento: “Apre-
a) contém – vêm.
sentei-me a Vossa Senhoria no ano passado”;
b) contêm – vêm.
verbo: “Estou apto a fazer o teste... ”; palavra c) contém – vêem.
masculina: “...cheirando a molho de tomate.”. d) contêm – vem.
Na indicação de horas, sempre ocorre crase;
portanto sempre se deve grafar à (às): “... chegou às Resolução:
7h15min...” O verbo conter (derivado do verbo ter), na forma

10

da terceira pessoa do plural, deve sempre trazer acento Emprega-se o verbo haver, na forma “há”, para
circunflexo: “Os livros contêm 100 páginas...” indicar tempo decorrido (passado): “... há dois meses
cumprem este mesmo horário.”
Já, na terceira pessoa do singular, traz sempre
acento agudo: “O livro contém...” Em contraponto, emprega-se a preposição “a”
para indicar futuro: “... entrarão em forma daqui a cin-
O verbo “vir”, na terceira pessoa do plural, deve
co minutos.”
sempre trazer acento circunflexo: “mas elas não vêm
sempre...” Alternativa: “A”
Alternativa: ”B”
48. Observe os termos destacados:
46. Considere as seguintes frases: “Alugam-se vagas”. “Precisa-se de sargentos”.
“O soldado corajoso machucou-se.”
1. João informou-o de que chegaram os li-
vros. Eles exercem, respectivamente, a função sin-
2. João informou-lhe que chegaram os li- tática de:
vros. a) Objeto direto – objeto direto – objeto direto.
b) Sujeito – sujeito – sujeito.
3. João informou-o que chegaram os livros.
c) Sujeito – objeto indireto – objeto direto.
4. João informou-lhe de que chegaram os li- d) Sujeito – objeto indireto – sujeito.
vros.
Podemos dizer, a respeito da regência do ver- Resolução:
bo informar, que as frases: Em “Alugam-se vagas.”, o termo “vagas” exerce a
a) 2 e 4 estão corretas. função de sujeito (Vagas são alugadas.). O termo “de
b) 2 e 3 estão corretas. sargentos”, em “Precisa-se de sargentos”, completa o
c) 1 e 3 estão corretas. verbo precisar, funcionando, pois, como objeto indi-
d) 1 e 2 estão corretas. reto. O pronome reflexivo “se”, em “O soldado corajoso
machucou-se,” completa o verbo machucar (VTD), fun-
Resolução: cionando como objeto direto.
O verbo informar constrói-se como VTDI. Com OD Alternativa: “C”
(pessoa ou coisa) e com OI (pessoa ou coisa). Assim,
pode-se falar ou escrever: 49. Assinale a alternativa correta:
“João informou-o de que chegaram os livros.” (OD: “A equipe do Tático Móvel conseguiu um ........
o – pessoa); (OI: de que chegaram os livros – coisa). raro: ......... uma valiosa coleção de peles ..........
“João informou-lhe que chegaram os livros.” (OD: em um tanque”.
lhe – pessoa); (OD: que chegaram os livros – coisa). a) fragrante – aprendeu – emersas.
Deve-se observar sempre que o verbo infor- b) fragrante – apreendeu – imersas.
mar não se constrói com dois objetos do mesmo c) flagrante – apreendeu – imersas.
tipo. Portanto é incorreto dizer ou escrever assim: d) flagrante – aprendeu – emersas.
“João informou-o que chegaram os livros.” Resolução:
(dois objetos diretos)
Observem-se as distinções:
“João informou-lhe de que chegaram os li-
vros.” (dois objetos indiretos) Flagrante (no ato); fragrante (perfumado);

Alternativa: “D” Apreendeu (tomou para si); aprendeu (tomou co-


nhecimento);
47. Complete o enunciado com a opção correta: Imersas (mergulhadas); emersas (que estão à
“Os Alunos Sargentos entrarão em forma da- tona).
qui”___ cinco minutos ___ dois meses cum- Assim, de acordo com o proposto pela questão,
prem este mesmo horário. temos:
a) a – há. “A equipe do Tático Móvel conseguiu um flagran-
b) há – há. te raro: apreendeu uma valiosa coleção de peles imer-
c) a – a. sas em um tanque.”
d) há – a.
Alternativa: “C”
Resolução:

11

50. Assinale a alternativa que completa correta- dido: Ninguém atendeu ao pedido (ocorrendo ao,
mente as frases: (Conforme o Novo Acordo ocorre à).
Ortográfico)
Alternativa: “D”
I. Cada qual faz como melhor lhe ________.
II. O que ________ estes frascos? 52. (CFS III - 1998) Indique a alternativa mais cor-
reta quanto à pontuação:
III. Neste momento os teóricos ________ os
a) Os populares, enfurecidos, exigiam provi-
conceitos.
dências, os policiais porém, acalmaram os
IV. Eles ________ a casa do necessário. ânimos.
a) convém – contêm – reveem – proveem. b) Os populares, enfurecidos, exigiam provi-
b) convém – contém – revêem – provém. dências; os policiais, porém, acalmaram os
c) convêm – contém – revêem – provêem. ânimos.
d) convêm – contêm – revêem – provêem. c) Os populares enfurecidos exigiam provi-
dências: os policiais porém, acalmaram os
Resolução: ânimos.
d) Os populares, enfurecidos, exigiam provi-
O verbo convir é derivado do verbo vir; por isso
dências, os policiais, porém, acalmaram os
deve trazer acento agudo na terceira pessoa do singu-
ânimos.
lar do presente do indicativo, em obediência à regra de
acentuação das oxítonas cuja terminação é “em”/ ”ens”. Resolução:
“Cada qual faz como melhor lhe convém.”
É comum fazer-se a intercalação de termos em
O verbo conter é derivado do verbo ter; por isso orações. Quando isso ocorre, emprega-se vírgula: “Os
deve trazer acento circunflexo na terceira pessoa do populares, enfurecidos, exigiam...” (intercalou-se o pre-
plural do presente do indicativo: “O que contêm estes dicativo entre o sujeito e o predicado).
frascos?” (Observe-se que o termo “estes frascos” exer-
ce a função de sujeito, o que se percebe respondendo: É igualmente comum pospor-se a conjunção po-
“estes frascos contêm doces!” Daí, a concordância do rém ao verbo da oração por ela introduzida: “os poli-
verbo no plural). ciais, porém, acalmaram os ânimos.”
O verbo rever é derivado do verbo ver (re + ver): Emprega-se ponto-e-vírgula para separar orações
“... os teóricos reveem...” que possuem termos intercalados ou conjunções pos-
postas: “Os populares, enfurecidos, exigiam pro-
Observe-se que a terceira pessoa do plural do pre- vidências; os policiais, porém, acalmaram os âni-
sente do indicativo deve ser grafada reveem (sem acen- mos”.
to circunflexo, conforme o Novo Acordo Ortográfico).
Alternativa: “B”
O verbo prover caracteriza-se por seguir o verbo
ver no presente do indicativo e nas formas dele deriva- 53. (CFS III - 1998) (adaptada): Nas frases que se-
das. Assim, temos: Eles veem / “Eles proveem...” guem, complete o espaço em branco com A
Alternativa: “A” ou O, conforme o gênero do substantivo apli-
cado:
51. Indique a alternativa incorreta quanto ao em- I. desta vez ____ eclipse da Lua será apenas
prego da crase: parcial.
a) O carro estacionou à distância de dez me-
II. Uma gorjeta! E o empregado lhe conseguiu
tros da esquina.
____ champanha.
b) O que foi que Maria cochichou à sua patroa?
c) Quem estaria batendo à porta a estas horas? III. ____ sentinela sofria nas mãos do Capitão.
d) Ninguém atendeu a campainha. IV. Apesar da ameaça, não explodiram ____
dinamite.
Resolução:
a) o – o – A – a.
O verbo atender, no sentido de “prestar atenção”, b) a – a – O – o.
”tomar em consideração”, constrói-se com a preposi- c) o – o – O – o.
ção “a”. Constrói-se, pois, com objeto indireto o qual, d) a – a – A – a.
tendo como núcleo uma palavra feminina que admita
artigo “a”, ocorrerá necessariamente a fusão de a + a, Resolução:
sendo obrigatório o uso do acento de crase: “Ninguém
Observe gênero correto das palavras:
atendeu à campainha.”
Masculinos: eclipse, champanha (vinho produzido
Lembrete: Substituindo-se campainha por pe-

12

na região de Champagne, na França). Femininos: sen- (masculino) não com a palavra “senhoria” (feminina),
tinela; dinamite. mas com o sexo da pessoa com quem se fala, indican-
do tratar-se de um homem. Absolutamente correto,
Alternativa: “A”
portanto.
54. Assinale a alternativa correta quanto à regên- Alternativa: “C”
cia verbal:
a) Informei-o que a temperatura aumentaria 56. Há um erro de colocação pronominal em:
durante o dia. (Obedeceu-se, aqui, à acentuação gráfica do
b) Não me simpatizo com pessoas desonestas. Novo Acordo Ortográfico)
c) Alguns, insistentemente, desobedecem as a) Recusei a ideia que apresentaram-me.
leis de trânsito. b) Quando a cumprimentaram, ela desmaiou.
d) Prefiro isto àquilo. c) Sempre a quis como namorada.
d) Todos me disseram o mesmo.
Resolução:
Resolução:
O verbo informar constrói-se como transitivo dire-
to e indireto; exigindo, pois, dois objetos: um direto e Denomina-se próclise a colocação do pronome
um indireto: “informei-o de que a temperatura”... oblíquo átono antes do verbo.
OD OI
Ocorre, obrigatoriamente, próclise (por atração)
O verbo simpatizar não se constrói com pronome sempre que antes do verbo houver: pronome relati-
pessoal oblíquo. vo: Recusei a ideia que me apresentaram; a palavra
quando (advérbio ou conjunção): Quando a cumpri-
O verbo desobedecer emprega-se como VTI com a
mentaram desmaiou; advérbio: Sempre a quis como
preposição “a” (o mesmo ocorre com o verbo obedecer)
namorada; pronome indefinido: Todos me disseram o
Assim, “... desobedecem às leis de trânsito”. mesmo.
O verbo preferir constrói-se como VTDI: Prefiro isto Alternativa: “A”
àquilo.
57. Na frase: “A sua técnica consiste essencial-
Alternativa: “D”
mente em sugerir as coisas mais tremendas
55. Quanto à concordância nominal, assinale a de maneira mais cândida”, qual a alternativa
alternativa errada: que corresponde ao sinônimo correto da pa-
a) A secretária estava meio distraída. lavra destacada”?
b) É preciso mais um pouco de energia. a) leal.
c) Quanto menas gente, menos barulho. b) ingênua.
d) Vossa Senhoria tem sido atencioso e gentil. c) arrevesada.
d) esquisita.
Resolução:
Resolução:
A “palavra “meio”, quando significa “um pouco”,
“um tanto,” “mais ou menos” nunca pode variar”. Nes- “Cândida” tem por sinônimo “ingênuo”.
ses casos, funciona como advérbio, referindo-se a adje- Alternativa: “B”
tivo ou advérbio: A secretária esta meio distraída.
58. Assinale a alternativa em que o termo som-
Expressões do tipo: É preciso (= é necessário), é
bra tem o mesmo sentido presente no trecho
bom, é proibido, é permitido, é obrigatório, ficam no
abaixo:
masculino (invariáveis), quando não há determinante
(artigo, numeral, pronome femininos): É preciso mais “Que a sombra do escritor me perdoe”:
um pouco de energia.
a) A sombra da alegria não lhe ocultava a pre-
Não existe a forma “menas”. Deve-se dizer e escre- ocupação.
ver sempre “MENOS”. b) Sentiu invadi-lo a sombra do passado.
c) Recebeu-me de boa sombra, fazendo as
Quanto MENOS gente, menos barulho.
honras da casa.
Denomina-se concordância irregular (silepse) d) Das profundezas desse Reino, sobe a som-
aquela que se estabelece não com a palavra que está bra ao meu encalço.
escrita, mas com o que se tem em mente. Ocorre si-
lepse, por exemplo, quando se usa pronome de trata- Resolução:
mento: Vossa Senhoria tem sido atencioso e gentil.
(trata-se de interpretação de texto)
No caso houve a concordância do adjetivo atencioso

13

Alternativa: “B” b) aposto.


c) sujeito.
59. Assinale a alternativa cujas palavras estão d) predicativo do sujeito.
grafadas corretamente:
Resolução:
“A ............ de aumento da inflação provoca
uma grande ........ nas pessoas e as deixa ........ O vocativo presta-se para fazer um chamamento
quanto ao rumo.” (Fala-se com). Já o aposto presta-se a explicações. O
vocativo, por não pertencer à estrutura lógica da ora-
a) espectativa, tenção, exitantes.
ção, pode surgir em qualquer ponto dela, pois serve
b) expectativa, tensão, hesitantes.
apenas para fazer um chamamento. Pressupõe o uso
c) expectativa, tenção, hezitantes.
da interjeição Ó!: “[ó!] Policiais, peço...”
d) espectativa, tenção, exitantes.
Observe a possibilidade de deslocação do vocati-
Resolução: vo, sem que haja prejuízo do entendimento da oração:
Observem-se os significados: Eu lhe peço, Policiais, um minuto de atenção.

Expectativa: “esperança fundada em promessa, di- Alternativa: “A”


reito ou probabilidade.”
62. Marque a opção que todas as palavras estão
Tensão: “excitação, enervamento. acentuadas corretamente.
Tenção: intento, propósito, desígnio. a) hífens – rainha – raizes – juíz.
b) hífen – juiz – memorândum – raízes.
Hesitantes: indecisos. (Nota: Não existe a pala- c) reféns – torax – sêu – contácto.
vra “espectativa”) d) papéis – memorandum – albuns – graudo.
Alternativa: “B”
Resolução:
60. Assinale a alternativa que completa correta- Acentuam-se graficamente as paroxítonas que
mente o período: “........ anos que não ........ não terminam em:
vejo e só daqui ........ mês poderei .................”
A (AS), E (ES), O (OS), EM (ENS). Assim, acentuam-se
a) Fazem – a – há – abraçá-la. graficamente as paroxítonas: hífen, memorândum.
b) Fazem – lhe – a – te abraçar.
c) Faz – a – a – abraçá-la. Acentua-se graficamente o “I” tônico, depois de
d) Faz – lhe – há – abraçá-la. vogal, que esteja formando sílaba, sozinho, ou com “s”.
Assim, acentua-se o “i” de Raízes (Ra-í-zes).
Resolução: Já, em juiz, o “ I” forma sílaba com z (ju-iz); não po-
O verbo Fazer, (indicando decurso de tempo) é im- dendo, pois, receber acento gráfico.
pessoal; devendo, pois, ficar na terceira pessoa do sin- Alternativa: “B”
gular. Exemplos: “Faz anos que...”
O verbo Ver é transitivo direto; por isso pede como 63. Assinale a alternativa errada quanto à con-
seu complemento (objeto) o pronome oblíquo átono cordância verbal:
“a”: “... não a vejo...” a) Eu, tu e ele ficaremos no gabinete.
b) Precisa-se de reforços.
Emprega-se a preposição “a” para indicar futuro: c) Poderá fazer invernos menos rigorosos.
“e só daqui a mês...” d) Fazem dez anos que ingressei na corporação.
O verbo Abraçar, significando ter nos braços, é
transitivo direto, por isso pede o pronome oblíquo “a” Resolução:
como objeto direto: “poderei abraçá-la” O sujeito composto, cujos núcleos são representa-
Obs.: O pronome “a” assume a forma “la”, quan- dos por pessoas gramaticais diferentes, determina que
do ligado a forma verbal terminada em r, s ou z. No o verbo concorde, no plural, com a pessoa que tem a
caso, “poderei abraçar + a” / poderei abraçá-la. preferência, obedecendo ao seguinte: a primeira pre-
valece sobre as demais; a segunda, sobre a terceira.
Alternativa: “C” Assim, temos: “Eu, tu e ele ficaremos no quartel.” (= Nós)
61. “Policiais, eu lhes peço um minuto de aten- Junto a verbos transitivos indiretos, A palavra “se”
ção.” Assinale a alternativa que corresponde funciona como índice de indeterminação do sujeito.
ao termo da oração grifado: Nesse caso, o verbo fica sempre na terceira pessoa do
a) vocativo. singular, e o sujeito da oração é classificado como inde-
terminado. Assim, por exemplo, “Precisa-se de reforços”.

14

O verbo fazer se comporta como impessoal (sem 66. (CFS MUS I - 1998) Analise e assinale a alter-
sujeito) quando usado para indicar decurso de tempo nativa correta quanto ao termo destacado na
ou condições climáticas; devendo, por isso, permane- frase abaixo:
cer na terceira pessoa do singular; transmitindo, tam-
“A terra era povoada de selvagens”.
bém nesse caso, a impessoalidade para o eventual ver-
bo auxiliar que o acompanhe. a) Objeto Indireto.
b) Complemento Nominal.
Assim, observe:
c) Adjunto Adverbial.
“Poderá fazer invernos menos rigorosos.” d) Agente da Passiva
“Faz dez anos que ingressei na corporação.”
Resolução:
Alternativa: “D”
O agente da passiva (termo que representa o ser
responsável por praticar a ação na voz passiva) vem
64. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa onde
sempre introduzido por preposição.
as palavras estão escritas corretamente:
a) expontâneo – reinvidicar – mezanino – es- A proposição mais usada é a proposição por; ou-
plendor. tras preposições, contudo, podem ser usadas. É o caso
b) companhia – espectador – abscesso – enxo- da oração: “A terra era povoada de selvagens.”
val.
Verifica-se que a preposição de pode ser substitu-
c) reividicar – adolessente – enchoval – espon-
ída pela preposição por, sem prejuízo para o entendi-
tâneo.
mento: A terra era povoada por selvagens.
d) espectativa – jequitibá – giló – azeite.
Lembremos sempre que o agente da passiva cor-
Resolução: responde ao sujeito da oração ativa. Confirma-se isso,
transformando-se a oração passiva em ativa:
Grafam-se corretamente: companhia, espectador
(aquele que vê); abscesso, enxoval (depois de “en” usa- “Selvagens povoavam a terra.”
se “x”), espontâneo (com “s”), reivindicar, expectativa Sujeito
(esperança), jiló (com “j”).
Alternativa: “D”
Alternativa: “B”
67. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa cor-
65. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa em reta:
que a regência verbal está incorreta:
“Minha _________ musical está _______ por
a) Eles aspiravam o ar puro da montanha.
culpa não sei de _____”
b) Prefiro ficar aqui do que sair com você.
c) Chamou-o de capaz e corajoso. a) pesquisa, atrasada, quê.
d) Chamavam-na louca e mentirosa. b) pesquiza, atrasada, quê.
c) pesquiza, atrazada, que.
Resolução: d) pesquisa, atrasada, que.
Quando empregado no sentido de respirar, ins-
Resolução:
pirar, verbo aspirar constrói-se com transitivo direto:
“Eles aspiraram o ar puro da montanha.” Grafam-se corretamente: pesquisa (com “s”); atra-
sada (de atrás); quê (sempre acentuado graficamente,
O verbo preferir constrói-se com objeto direto e
quando em final de linha).
indireto, sendo este sempre regido pela preposição
“a”; não admitindo nunca qualquer termo que denote Alternativa: “A”
comparação; “Prefiro ficar aqui a sair com você.”
68. (CFS MUS I - 1998) Em “Anoitece mais cedo no
O verbo chamar (no sentido de apelidar, denomi- inverno”, o sujeito da oração é:
nar) constrói-se com objeto direto ou com objeto indi- a) Simples.
reto, indiferentemente: “Chamou-o de capaz e corajo- b) Oculto.
so.” (objeto direto representado pelo pronome oblíquo c) Indeterminado.
o); “Chamavam-na louca e mentirosa.” (objeto direto d) Inexistente.
representado pelo pronome oblíquo “a”, sob a forma
na = n + a). O Predicativo do objeto, nesses casos pode Resolução:
vir acompanhado de preposição (realce), como no caso
Verbos que indicam fenômeno da natureza (ama-
da alternativa “c”: Chamou- o de capaz...”
nhecer, entardecer, anoitecer), são impessoais, não
Alternativa: “B” possuem sujeito: “Anoitece mais cedo no inverno.” As-

15

sim, orações que trazem tais verbos: não apresentam a) Se houvessem tarefas a executar, deveriam
sujeito. Diz-se, então, que se trata de uma oração sem existir mais elementos na equipe de trabalho.
sujeito, ou caso de sujeito inexistente. b) Se houvesse tarefas a executar, deveria exis-
tir mais elementos na equipe de trabalho.
Alternativa: “D”
c) Se houvesse tarefas a executar, deveriam
69. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa cor- existir mais elementos na equipe de trabalho.
reta em que a frase corresponde com o senti- d) Se houvessem tarefas a executar, deveriam
do indicado: (questão adaptada) existirem mais elementos na equipe de tra-
a) Ele está com a cara machucada. – conotação. balho.
b) “Deus me fez um cara desdentado e feio”. –
Resolução:
denotação.
c) A cidade do Natal volta a ficar movimenta- Um dos principais verbos que funcionam em ora-
da como um formigueiro. – denotação. ções sem sujeito é o verbo Haver (no sentido existen-
d) No caminho de casa pisei no formigueiro, cial ou temporal). Exemplo: Havia trinta palmeiras lá.
causando-me alguns ferimentos nos pés. –
É muito comum confundir-se o verbo haver (exis-
conotação.
tencial) com o verbo existir, quando se quer indicar
existência. Contudo, basta lembrar que o verbo existir
Resolução:
é sempre pessoal, isto é, sempre apresenta sujeito e, por
Entende-se por conotação a interpretação subjeti- isso, concorda com esse sujeito, obrigando, inclusive, o
va do real significado de uma palavra. Diz respeito ao eventual auxiliar a concordar com esse sujeito.
sentido metafórico que se dá a palavra: “A cidade de
Já, o verbo haver (usado no sentido existencial)
Natal volta a ficar movimentada como um formigueiro.”
não possui sujeito.
Por denotação entende-se a exata representação
É impessoal, pois. Deve, por isso, ser usado apenas
mental evocada por uma palavra. É, por assim dizer, a
na terceira pessoa do singular. E, como todo verbo im-
palavra tomada em seu sentido natural, sem influência
pessoal, transmite a impessoalidade para o eventual
de interpretação subjetiva alguma.
auxiliar que, em razão disso, deve permanecer na ter-
Alternativa: “B” ceira pessoa do singular: Deve haver palmeiras lá.

70. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa in- Observe os respectivos empregos, conforme o
correta quanto à pontuação: enunciado da questão:
a) Nós músicos, amamos a natureza. “Se houvesse tarefas a executar, deveriam existir
b) Escapamos, isto é, fugimos. mais elementos...”.
c) Os estudos, porém, foram encerrados. Sujeito
d) Ao músico, deu-lhe Deus a sensibilidade
Alternativa: “C”
para amar o bem.
72. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa que
Resolução:
completa corretamente as lacunas da frase
É comum fazer-se a intercalação de expressões ex- abaixo:
plicativas, retificadoras e mesmo de termos numa ora-
“É tal a simplicidade ______ se reveste a reda-
ção. Quando isso ocorre, emprega-se vírgula:
ção desse documento, que ele não comporta
“Escapamos, Isto é, fugimos.” (intercalou-se a ex- as formalidades inerentes ______ demais.”
pressão “isto é”).
a) que – os.
É igualmente comum intercalar-se a conjunção b) de que – aos.
“porém” entre os termos da oração por ela introduzida: c) com que – para os.
“Os estudos, porém, foram encerados. ”(Porém os d) em que – dos.
estudos foram encerrados).
Resolução:
O aposto explicativo deve vir isolado por vírgula:
O pronome relativo submete-se à regência do ver-
“Nós, músicos, amamos a natureza.” bo de sua oração. O mesmo ocorre com o complemen-
Aposto to de um adjetivo.
Alternativa: “A” “É tal a simplicidade de que se reveste a redação
desse documento.”. Observe-se que o verbo revestir-se
71. (CFS MUS I - 1998) Indique a alternativa cor- exige a preposição “de” (aquilo que se reveste, reveste-
reta. se de alguma coisa”). Trata-se aqui de regência verbal.

16

O adjetivo “inerentes” exige complemento regido Ele precisa de dinheiro.


pela preposição “a”: “...formalidades inerentes aos de-
Precisar (= indicar com precisão, com certeza) –
mais.” (aquilo que é inerente, é inerente a algo). Trata-
VTD – pede objeto direto:
se aqui de regência nominal.
“Precisei bem a hora e o minuto do crime.”
Alternativa: “B”
OD
73. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa in- Alternativa: “A”
correta quanto ao gênero das palavras:
a) A ordenança teve seu salário diminuído. 75. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa que
b) O lança-perfume foi proibido no carnaval. preenche corretamente as lacunas das frases
c) Apesar da ameaça, não explodiram o dina- abaixo:
mite. I. Enviei dois ofícios ____ Vossa Senhoria.
d) O eclipse da Lua era esperado com muito
II. Dirigiam-se ____ casa das máquinas.
interesse.
III. A entrada é vedada ____ toda pessoa es-
Resolução: tranha,
Alguns substantivos costumam oferecer dificulda- I. V. A carreira ____ qual aspiro é almejada por
de quanto à determinação do gênero a que pertencem. muitos.
Assim, é sempre conveniente lembrar: a) à – à – a – a.
O lança-perfume, o eclipse: a dinamite, a orde- b) a – à – à – a.
nança. c) a – à – a – à.
d) à – a – a – à.
Alternativa: “C”
Resolução:
74. (CFS MUS I - 1998) Assinale a alternativa em
que a frase está correta: Não se emprega acento de crase diante de:
a) Precisei bem a hora e o minuto do crime. Pronome de tratamento: “Enviei dois ofícios a Vos-
b) Ele visava atingir o posto de comando. sa Senhoria”
c) Ele se informou caso ontem à noite.
Pronome indefinido: “A entrada é vedada a toda
d) Obedeça os sinais de trânsito: todos se be-
pessoa estranha.”
neficiarão com isso.
Emprega-se o acento de crase diante da palavra
Resolução: casa, quando acompanhada de modificador: “Dirigi-
O foco da questão é regência Verbal. Assim, temos: ram-se à casa das máquinas.”
(modificador)
O verbo visar (no sentido de almejar) é transitivo
indireto, pede OI regido pela preposição “a”, mesmo Diante do pronome relativo a qual, emprega-se o
quando esse objeto indireto está sob forma oracional: acento de crase, sempre que, ao substituir-se antece-
dente feminino por uma palavra masculina, obtiver-se
“Ele visava a atingir o posto de comando.” “ao”: A carreira à qual aspiro é almejada por muitos”.
O verbo informar constrói-se com objeto direto (o cargo ao qual aspiro).
(pessoa ou coisa) e objeto indireto (pessoa ou coisa); Alternativa: “C”
lembrando-se sempre de que esse verbo não admite
dois objetos da mesma natureza. Deve-se sempre em- 76. (CFS MUS I - 1998) Em que alternativa o verbo
pregá-lo com dois objetos diferentes: “informar” não está corretamente empregado:
“Ele se informou do caso ontem à noite.” a) Vimos por esta informar-lhe de que já envia-
OD OI mos as mercadorias solicitadas.
b) Vimos por esta informá-lo de que já envia-
O verbo obedecer é transitivo indireto, pede objeto mos as mercadorias solicitadas.
indireto regido pela preposição “a”, obrigatoriamente: c) Vimos por esta informar-lhe que já envia-
“Obedeça aos sinais de transito...” mos as mercadorias solicitadas.
OI d) Vimos por esta informá-lo sobre o envio das
mercadorias solicitadas.
O verbo precisar pode ser usado em duas acep-
ções: Resolução:
Precisar (= necessitar) – VTI – pede objeto indireto O verbo informar constrói-se com objeto direto
regido pela preposição “de”: (pessoa ou coisa) e objeto indireto (pessoa ou coisa);

17

lembrando-se sempre de que esse verbo não admite c) Chamou-o de capaz e corajoso.
dois objetos da mesma natureza, isto é, dois objetos d) Chamavam-na louca e mentirosa.
direitos ou dois objetos indiretos:
Resolução:
Vimos por esta informar-lhe de que já...
OI OI Quando empregado no sentido de respirar, ins-
pirar, verbo aspirar constrói-se com transitivo direto:
Observe o emprego correto:
“Eles aspiraram o ar puro da montanha.”
Vimos por esta informar-lhe que já enviamos...
O verbo preferir constrói-se com objeto direto e
Vimos por esta informá-lo de que já enviamos... indireto, sendo este sempre regido pela preposição
“a”; não admitindo nunca qualquer termo que denote
Alternativa: “A”
comparação; “Prefiro ficar aqui a sair com você.”
77. Assinale a alternativa em que o numeral te- O verbo chamar (no sentido de apelidar, denomi-
nha sido empregado incorretamente: nar) constrói-se com objeto direto ou com objeto indi-
a) O artigo vinte e cinco deste código foi revo- reto, indiferentemente: “Chamou-o de capaz e corajo-
gado. so.” (objeto direto representado pelo pronome oblíquo
b) Este terremoto ocorreu no século dez antes o); “Chamavam-na louca e mentirosa.” (objeto direto
de Cristo. representado pelo pronome oblíquo a, sob a forma na
c) Ainda não li o capítulo sétimo desta obra. = n + a). O Predicativo do objeto, nesses casos pode vir
d) Seu depoimento foi transcrito na página acompanhado de preposição (realce), como no caso
duzentos e vinte e dois. da alternativa c: Chamou- o de capaz...

Resolução: Alternativa: “B”

Na designação de reis, imperadores, papas, sécu- 80. Assinale a alternativa correta:


los e capítulos, empregam-se os numerais da seguinte
“Minha ______ musical está ______ por culpa
forma: empregam-se os ordinais até décimo; de onze
não sei de ______.” (questão igual a 67)
em diante, empregam-se os cardinais. Assim: “Este ter-
a) pesquisa, atrasada, quê.
remoto ocorreu no século décimo antes de Cristo.”
b) pesquiza, atrasada, quê.
Na designação de artigos de lei, empregam-se os c) pesquiza, atrazada, que.
ordinais até nono. De dez em diante, empregam-se os d) pesquisa, atrasada, que.
cardinais. Assim: “O artigo vinte e cinco deste código
foi revogado.” Resolução:
Na enumeração de páginas, folhas, casas, empre- Grafam-se corretamente: pesquisa (com “s”); atra-
gam-se os cardinais, concordando sempre com a pa- sada (de atrás); quê (sempre acentuado graficamente,
lavra “número” que fica subentendida: “... transcrito na quando em final de linha).
página duzentos e vinte e um.”
Alternativa: “A”
Observação: Caso o numeral anteceda o substan-
tivo, será empregado a ordinal: o sexto século, o trigé- 81. Das alternativas abaixo assinale a que está
simo capítulo. totalmente correta:
a) insensatez, magresa, belesa, grandeza.
Alternativa: “C”
b) insensatez, magreza, belesa, grandesa.
c) insensates, magresa, beleza, grandeza.
78. Em relação à sinonímia, assinale a alternativa
d) insensatez, magreza, beleza, grandeza.
correta:
a) Fenecer / morrer.
Resolução:
b) Bom / mau.
c) Viver / morrer. Substantivos derivados de adjetivos devem ser
d) Mal / bem. grafados com “Z”.
Assim, temos: insensatez (de insensato); magreza
Resolução:
(de magro);
Alternativa: “A”
Beleza (de belo); grandeza (de grande). Observe-se
que, nesse caso, os substantivos são sempre abstratos.
79. Assinale a alternativa em que a regência ver-
bal está incorreta: (questão igual a 65) Alternativa: “D”
a) Eles aspiravam ao ar puro da montanha.
b) Prefiro ficar aqui do que sair com você. 82. Complete corretamente a frase abaixo:

18

“Em virtude do ______ de visitantes, não ha- Segundo o Novo Acordo Ortográfico, não mais se
via local para o ______ dos ______”. acentua graficamente o grupo “oo” final. Daí, “magoo”
(sem acento gráfico).
a) excesso, descanço, excursionistas.
b) escesso, descanço, escurcionistas. Alternativa: “B”
c) excesso, descanso, excursionistas.
d) escesso, descanso, excursionistas. 85. Assinale a alternativa correta quanto à con-
cordância nominal: (questão igual a 34)
Resolução: a) Juliana parece meia esquisita.
b) Estou quites com Serviço Militar.
Regra prática: grafam-se com “SS” substantivos
c) Já andamos por longe terras.
que “lembram” verbos em cujo radical encontramos
d) Havia bastantes questões.
“ed”. Assim: excesso (de exceder).
Devem manter o “s” os substantivos derivados Resolução:
cujos primitivos já contêm essa letra. Daí, excursionista
A palavra “meio” é invariável, quando significa
(de excursão).
“um pouco”, “mais ou menos”, “um tanto”. Assim: “Julia-
Também mantêm o “s” os substantivos derivados na parece meio esquisita”. Neste caso “meio” é advér-
(regressivos) de verbos que já tragam essa letra. Assim; bio, pois modifica o adjetivo “esquisita”.
descanso (de descansar)
“Quite” (= quitado) deve concordar com o prono-
Alternativa: “C” me ou substantivo a que se refere. Assim: (eu) “estou
quite com o Serviço Militar.”
83. (CPC-1999) “Se você não arrumar o fogão da
“Bastante” deve flexionar-se, quando significa:
cantina da companhia, além de não poder
“muitos / muitas”:
cozinhar as batatas, há o perigo próximo de
uma explosão.” As palavras sublinhadas po- “Havia bastantes questões.” (bastantes = muitas).
dem ser substituídas por: (são essas palavras
A palavra “longe” flexiona-se, quando usada na
sublinhadas?)
acepção de “distante”, “longínqua”. Daí, “Já andamos
a) consertar, coser, eminente.
por longes terras”.
b) concertar, coser, eminente.
c) consertar, cozer, iminente. Alternativa: “D”
d) consertar, cozer, eminente.
86. Assinale a alternativa correta quanto à colo-
Resolução: cação pronominal: (questão igual a 35)
a) Se levantou de um pulo.
Denominam-se homônimas as palavras que pos-
b) Repetir-se-á, assim, o que neste ano já acon-
suem grafia ou pronúncia igual.
teceu com tantos outros feriados.
Assim: consertar (reparar) / concertar (fazer acor- c) Me dê esse canivete, meu irmão.
do); cozer (cozinhar) / coser (costurar). Denominam-se d) O senhor Brito, na sua ternura, teria-me
parônimas palavras que têm pronúncia e grafia pareci- abraçado se não fossem os embrulhos.
das. Daí, eminente (ilustre) / iminente (prestes a acon-
tecer). Resolução:
Alternativa: “C” Nunca se deve iniciar período com pronome oblí-
quo átono: Levantou-se de um pulo e não: Se levantou
84. Assinale a alternativa correta quanto à acen- de um pulo. Dê-me esse canivete. E não: Me dê...
tuação gráfica: (Questão já adaptada ao Novo
Não se coloca pronome oblíquo depois de forma
Acordo Ortográfico) (questão igual a 24)
verbal (ênclise)l no futuro do presente ou no futuro
a) móvel, ceu, reporter, órgão.
do pretérito (teria-me). Nesse caso, coloca-se o prono-
b) parabéns, egoísta, magoo, alguém.
me no interior da forma verbal (mesóclise): “Ter-se-ia”,
c) biceps, vício, táxi, virus.
“Repetir-se-á, assim...”.
d) ideia, sutil, urubú, crânio.
Alternativa: “B”
Resolução:
87. Assinale a alternativa correta quanto ao uso
Acentuam-se graficamente as oxítonas termina-
da crase:
das em: “em/ens”: alguém, parabéns. Acentua-se gra-
a) Não me refiro à moça da direita, mas à da
ficamente o “I” tônico, depois de vogal, que esteja for-
esquerda.
mando sílaba, sozinho, ou com “s”.
b) Tome o remédio gota à gota.
Assim, acentua-se o “I” de egoísta (e-go-ís-ta). c) Ele geralmente vai à festas.

19

d) Começou a chover bem cedo hoje. la, isolando tais expressões, caso venham no interior
dessa oração. Assim: “O amor, por exemplo, é um sa-
Resolução: cerdócio”.
Não se deve empregar o acento de crase diante de: Alternativa: “C”
Verbo: “Começou a chover.”
90. Assinale a frase gramaticalmente correta:
Palavras repetidas: “Tome o remédio gota a gota.” a) Há menos pessoas hoje.
“A” seguido de palavra no plural: “Ele geralmente b) Cristina viajou a três semanas.
vai a festas.” c) Os Atletas apresentavam se afim de inicia-
rem a corrida.
“O verbo referir-se constrói-se com a preposição d) Falta muitas viaturas no Batalhão.
“a”. Constrói-se, pois, com objeto indireto o qual, tendo
como núcleo uma palavra feminina que admita artigo Resolução:
“a”, ocorrerá necessariamente a fusão de a + a, sendo
Não existe a palavra “menas”. Use sempre “me-
obrigatório o uso do acento de crase: “Não me refiro à
nos”: “Há menos pessoas...”
moça da direita.”
Emprega-se o verbo haver, na forma “há”, para
Explicação prática: Substituindo-se moça por ra-
indicar tempo decorrido (passado): “Cristina viajou há
paz: Não me refiro ao rapaz. (ocorre ao, logo ocorre à).
três semanas.”
Continuando, emprega-se acento de crase sobre
Emprega-se a preposição “a” para indicar futuro:
o “A” (= aquela) em função sintática regida de prepo-
Viajarei daqui a três semanas.
sição: “Não me refiro à moça da direita, mas à da es-
querda. Grafa-se corretamente: a fim de: “Os atletas se
apresentaram a fim de...”
Explicando: Mas [me refiro] àquela da esquerda.
Objeto Indireto É regra fundamental a concordância do verbo
com o sujeito da oração, mesmo que o verbo venha an-
Alternativa: “A”
teposto: “Faltam muitas viaturas no batalhão”.
88. Assinale a alternativa correta quanto à grafia: Sujeito
a) Ele quiz analizar o trabalho que eu realisei. Observe-se que o verbo Faltar é intransitivo e
b) Ele quiz analisar o trabalho que eu realizei. não transitivo direto.
c) Ele quis analisar o trabalho que eu realizei.
Alternativa: “A”
d) Ele quis analizar o trabalho que eu realisei.
91. Assinale a alternativa incorreta quanto ao gê-
Resolução:
nero das palavras: (questão igual a 73)
O verbo Querer não apresenta a letra “z” em ne- a) A ordenança teve seu salário diminuído.
nhuma de suas formas. b) O lança-perfume foi proibido.
Logo, “Ele quis.” c) Apesar da ameaça, não explodiram o dina-
mite.
Grafa-se corretamente “analisar” (de análise): “Ele d) O eclipse da Lua era esperado com muito
quis analisar...” interesse.
Emprega-se “izar”, quando a palavra da qual se
origina o verbo não traz a letra “s”. Assim: realizar (de Resolução:
real). Logo, “... que eu realizei.” Alguns substantivos costumam oferecer dificulda-
Alternativa: “C” de quanto à determinação do gênero a que pertencem.
Assim, é sempre conveniente lembrar:
89. Assinale a alternativa em que as vírgulas es- O lança-perfume, o eclipse: a dinamite, a orde-
tão colocadas corretamente: nança.
a) O amor, por exemplo é, um sacerdócio.
b) O amor, por exemplo é um sacerdócio. Alternativa: “C”
c) O amor, por exemplo, é um sacerdócio.
92. Assinale a alternativa que apresenta oração
d) O amor por exemplo, é um, sacerdócio.
subordinada adverbial comparativa:
Resolução: a) O Sd PM Zeca escreve tão bem quanto lê.
b) A reunião não foi votada porque não havia
Numa oração, é comum fazer-se a intercalação de quorum no pelotão.
expressões explicativas. Para tanto, emprega-se vírgu- c) Embora estivesse com dores, participou do

20

campeonato no Batalhão. Observe o significado: ir de encontro a (= chocar-


d) À proporção que o tempo passa, nós me- se contra, abalroar); ir ao encontro de (seguir em dire-
lhoramos nosso trabalho comunitário. ção a, caminhar até).
O verbo Querer não traz a letra “z” em nenhuma
Resolução:
de suas formas.
A correlação “tão... quanto” em “O Sd PM Zeca
Deve-se grafar porquê (ligadamente e com acen-
escreve tão bem quanto lê”, já torna perceptível noção
to circunflexo), sempre que acompanhado de artigo. (o
de comparação.
porquê = o motivo). Trata-se aqui de substantivo.
Alternativa: “A”
“Atraso” (derivado regressivo de atrasar)
93. Assinale a alternativa que apresenta o nume- Compare: atraso < atrasar < atrás.
ral classificado como ordinal:
Assim: O médico foi ao encontro do enfermeiro e
a) Um terço dos Policiais Militares do Batalhão
quis saber o porquê de seu atraso.
são atletas.
b) Trabalhamos o dobro para conseguir bons Alternativa: “A”
resultados.
c) A viatura do Soldado PM Zezé foi a primeira 96. Assinale a alternativa que apresente palavras
a chegar na ocorrência. na seguinte ordem: oxítona, paroxítona, pro-
d) Um policial é pouco, dois é suficiente, mas paroxítona e formando hiato:
três é demais para atender àquela situação. a) rapé, órgão, célebre, baú.
b) urubu, admissão, imitável, pau.
Resolução: c) ônibus, fortuito, mínimo, látex.
d) pneu, ótimo, rápido, item.
Observe: “um terço” (numeral fracionário); “do-
bro” (numeral multiplicativo); “um”, “dois”, “três”
Resolução:
(numerais cardinais); “primeira” (numeral ordinal).
Observe: Rapé (oxítona); órgão (paroxítona); céle-
Alternativa: “C”
bre (proparoxítona). Baú (hiato).
94. Na frase: “Há sempre uma maneira mais con- Alternativa: “A”
fortável de dar um pulinho ao Banespa”. A pa-
lavra grifada em um sentido: (está correta a 97. Na frase: “Ficaram chocados com a notícia”.
palavra grifada?) Classificamos o sujeito como:
a) denotação. a) simples.
b) conotação. b) oculto.
c) parônimo. c) composto.
d) sinônimo. d) indeterminado.
Resolução: Resolução:
Conotação refere-se ao sentido figurado que po- Uma das formas de se indeterminar o sujeito é co-
dem adquirir as palavras por força de uma interpreta- locar-se o verbo na terceira pessoa do plural, sem refe-
ção com forte carga subjetiva. Assim: “Há sempre uma rência a qualquer palavra que possa ser interpretada
maneira mais confortável de dar um pulinho ao Ba- como sujeito. Assim: “Ficaram chocados com a notícia.”
nespa”.
Alternativa: “D”
Alternativa: “B”
98. Foi obrigado ___ embarcar no trem que saía
95. Assinale a frase da grafia correta (adaptada): ___ onze horas, mas mostrou seu desconten-
a) O médico foi ao encontro do enfermeiro e tamento ___ todos.
quis saber o porquê de seu atraso. a) a, as, à.
b) O médico foi ao encontro do enfermeiro e b) à, as, à.
quis saber o porque de seu atrazo. c) a, às, a.
c) O médico foi de encontro ao enfermeiro e d) a, às, à.
quis saber o porquê de seu atrazo.
d) O médico foi de encontro ao enfermeiro e Resolução:
quis saber o porque de seu atraso.
Não se emprega o acento de crase diante de
Resolução: verbo:

21

“... obrigado a embarcar...”; um dos maiores gênios da humanidade, revolucio-


nou...” (Aposto Explicativo).
Igualmente diante de pronome indefinido toda(s)
/ todo(s): Alternativa: “B”
“... mostrou a todos...”
101. Assinale com um X a alternativa em que todas
Na indicação de horas, sempre ocorre crase; por- as palavras estão acentuadas corretamente:
tanto sempre se deve grafar à(às): “...que saía às onze a) alguém, também, rúbrica, ítem.
horas.” (Lembrete:... saía ao meio-dia.”) b) parabéns, armazém, café, enfase.
c) você, talvêz, através, até.
Observação: Não ocorrerá crase, se a indicação de
d) rubrica, também, café, caju.
hora vier antecedida de preposição diferente de A: Es-
tou aqui desde as 7h de ontem.
Resolução:
Alternativa: “C”
Rubrica (não trazem acento gráfico as paroxítonas
terminadas em “A”)
99. Assinale a única alternativa que preenche as
lacunas corretamente: (questão igual a 28) Também (acentuam-se graficamente as oxítonas
terminadas em “EM”)
“O ....... aluno foi ....... na prova de inglês, .......
não sabe; se você o ........ é bom avisá-lo”. Café (acentuam-se graficamente as oxítonas ter-
minadas em “E”)
a) mal, mau, mas, ver.
b) mal, mal, mais, ver. Caju (oxítonas terminadas em “U” não devem ser
c) mau, mau, mais, vir. acentuadas)
d) mau, mal, mas, vir.
Alternativa: “D”
Resolução:
102. Quanto à concordância do artigo com o Subs-
Cabe “mau” onde couber “bom”; cabe “mal” onde tantivo, assinale a alternativa correta:
não couber “bom”. a) A grama está seca.
b) A champanha é doce.
“Mas” (conjunção coordenativa) pode ser subs-
c) A grama do ouro sobe o preço diariamente.
tituída por “porém”: “mas não sabe...” (porém não
d) O cal é virgem.
sabe...)
Para obter- se o futuro do subjuntivo de quaisquer Resolução:
verbos, toma-se a terceira pessoa do plural (eles) do
“Grama” (planta): substantivo feminino
pretérito perfeito do indicativo do verbo que se quer
conjugar, retira-se a terminação “AM”, obtendo-se as- “Grama” (unidade de peso): substantivo masculino
sim a primeira e a terceira pessoas do futuro do subjun- “Champanha” (vinho da região de “Champagne”
tivo. Preste atenção: verbo Ver (eles viram), retirando-se na França): Substantivo masculino.
a terminação “am”, obtém-se VIR: “Se você o vir...”
“Cal” (tinta): substantivo feminino.
Vejamos, agora o verbo Vir = eles vieram (- am) =
vier. Portanto, se você vier amanhã, iremos ao teatro. Alternativa: “A”

Alternativa: “D” 103. Em “A Deus agradeci minha aprovação”, os


termos grifados são respectivamente:
100. “Albert Einstein, um dos maiores gênios da a) sujeito e objeto direto.
humanidade, revolucionou o campo científi- b) objeto indireto e objeto direto.
co com sua teoria da relatividade.” O trecho c) vocativo e sujeito.
sublinhado da frase acima é: d) aposto e predicativo do sujeito.
a) vocativo.
b) aposto. Resolução:
c) adjunto adnominal.
O verbo agradecer é transitivo direto e indireto;
d) oração coordenada assindética.
pede, pois, objeto direto (sem preposição: “minha apro-
vação”) e (objeto indireto com preposição “a Deus”).
Resolução:
Alternativa: “B”
Aposto é o termo (acessório) que, na oração, fun-
ciona para explicar, resumir, enumerar, especificar. O
104. Assinale a alternativa que apresenta erro de
mais comum é o aposto explicativo que deve vir sem-
pontuação:
pre isolado por pausa (geralmente, vírgula): ”Einstein,
a) Pare, olhe, siga.

22

b) Ele, que é ser racional, não poderia ter to- mental: “O VERBO DEVE CONCORDAR COM O SUJEITO
mado esta atitude. DA ORAÇÂO!”
c) Os livros, os cadernos, os lápis, e as borra-
Contudo, há casos em que a oração não apresen-
chas estão sobre a mesa.
ta sujeito. Trata-se de oração sem sujeito, que ocor-
d) Antes das oito horas, todas as viaturas esta-
re quando o verbo dessa oração é impessoal. Isto é,
vam operando.
quando o fato emanado desse verbo não pode ser atri-
buído a nenhum sujeito.
Resolução:
(Nas orações sem sujeito, o verbo deve ficar sem-
Não se admite vírgula antes da conjunção “E”. Por-
pre na terceira pessoa do singular).
tanto, “Os livros, os cadernos, os lápis E as borrachas
estão sobre a mesa”. Os principais verbos que funcionam em orações
sem sujeito são: Fazer (na indicação de clima, tempe-
Nota: A vírgula antes da conjunção E só e admitida
ratura). Exemplo: “Na Amazônia, Faz invernos chuvo-
em duas hipóteses:
sos”.
I. quando vem repetida (polissíndeto): “E chora, e
Haver (existencial ou temporal). Exemplo: Havia
geme, e grita e morre!”.
muitos estrangeiros na universidade.
II. quando vem ligando duas orações, cujos sujei-
Observe que o verbo impessoal transmite a impes-
tos são diferentes: “A noite veio, e a baronesa vestiu-se.”
soalidade ao outro verbo que o acompanha (pode ha-
Na primeira hipótese, a vírgula é obrigatória; na ver problemas na execução do projeto). O mesmo ocor-
segunda, facultativa. re com o verbo haver no sentido existencial: “... devia
Observe que, nas alternativas “a”, “b”, “d”, empre- haver trinta presos.”
gou-se a vírgula respectivamente, para separar ora- Observação: É muito comum confundir-se o ver-
ções coordenadas assindéticas; para isolar a oração bo haver (existencial) com o verbo existir, quando se
subordinada adjetiva explicativa; para marcar a ante- quer indicar existência. Contudo, basta lembrar que o
cipação do adjunto adverbial (de tempo) verbo existir é sempre pessoal, isto é, sempre apresenta
Alternativa: “C” sujeito e, por isso, concorda com esse sujeito. Exemplo:
Naquelas paisagens só existem arbustos minguados.
105. Assinale a alternativa em que o sujeito é com- (sujeito)
posto: Quando o sujeito da oração envolve expressões
a) A moça alegre entrou no avião. como: “grande parte”; “maioria”; “bando” e asseme-
b) O comandante e a tripulação estavam em- lhadas seguidas de palavra no plural, o verbo pode
barcando. permanecer no singular (concordando com o núcleo
c) Os passageiros estavam felizes. da expressão ou ir para o plural (concordando, então,
d) Estávamos todos muito assustados. com a palavra que se segue à expressão)). Exemplo: A
maioria dos condôminos preferiu (ou preferiram) divi-
Resolução:
dir as despesas.
Sujeito composto é aquele que possui mais de um
Alternativa: “C”
núcleo.
Exemplo: “O comandante e a tripulação estavam 107. Assinale a alternativa correta:
embarcando.” a) cadeado, dilapidar, privilégio, continue.
b) Aborigene, irriquieto, crânio, pátio.
Núcleos: comandante, tripulação.
c) Penico, marcineiro, transe, fictício.
Alternativa: “B” d) Ascender, incipiente, cerrar, praseroso.

106. Com relação à concordância verbal, assinale Resolução:


a alternativa incorreta:
Alternativa: “A”
a) Havia muitos estrangeiros na universidade.
b) Na Amazônia faz invernos chuvosos. 108. Quanto à grafia das palavras abaixo, assina-
c) Pode haverem problemas na execução do le a alternativa correta: a....ender (elevar-
projeto. se); d....scriminar (isentar de crime); e....piar
d) A maioria dos condôminos preferiu dividir (olhar); se....ão (reunião)
as despesas. a) sc, e, s, ss.
b) c, i, x, ss.
Resolução:
c) sc, i, x, ss.
A Concordância Verbal tem como princípio funda- d) c, i, s, ç.

23

Resolução: c) Abençoo, afável, álbuns.


d) Juri, vírus, úteis.
Observe: ascender (elevar--se) > acender (pôr
fogo); descriminar (isentar de crime) > discriminar (dis-
Resolução:
tinguir, separar, segregar); espiar (olhar, espreitar) >
expiar (tirar a culpa) sessão (reunião) > seção (depar- Abençoo (Não mais se acentua o grupo “oo” final).
tamento) > cessão (ato de ceder, entregar). Acentuam-se graficamente todas as paroxítonas
Alternativa: “A” não terminadas em “a”, “e”. “o”, “em”(“ens”): Afável; Ál-
buns.
109. Assinale a alternativa correta:
Alternativa: “C”
______ perguntas a razão de meus ciúmes, se
sabes que as paixões não têm um ______? 112. Assinale a alternativa em que há erro de con-
cordância verbal:
a) Porque – porque.
a) O pessoal ainda não chegou.
b) Por que – porque.
b) Os Estados Unidos são um grande país.
c) Por que – porquê.
c) Campos foram a primeira cidade da Améri-
d) Porquê – por que.
ca do Sul a ter luz elétrica.
d) Trinta por cento da produção serão expor-
Resolução:
tados.
No início de interrogações, usa-se “por que”; an-
tecedido de determinante (artigo, numeral, pronome, Resolução:
adjetivo), emprega-se “porquê” com valor de substan-
Quanto à concordância verbal, observemos o se-
tivo (= motivo, causa).
guinte:
Assim, temos: “Por que perguntas a razão de meus
Sujeito representado por substantivo coletivo traz
ciúmes”.
o verbo no singular:
“Sabes que as paixões não têm um porquê”.
“O pessoal ainda não chegou.”
Alternativa: “C”
Sujeito representado por substantivo próprio no
plural: se acompanhado de artigo no plural, o verbo
110. As palavras abaixo poderão ser completadas
deve ir para o plural – “Os Estados Unidos são um gran-
respectivamente com:
de país. Caso esse substantivo venha sem artigo ou se
anali...ar, atravé....., quero...ene este vier no singular, o verbo fica no singular: Campos
a) s, s, z. foi a primeira cidade a ter luz elétrica.
b) z, s, z. Sujeito envolvendo número percentual determina
c) s, s, s. que o verbo concorde com esse número: “Trinta por
d) s, z, s. cento da produção será exportado.”

Resolução: Alternativa: “C”

Grafa-se corretamente “analisar” (de análise). 113. Assinale a alternativa em que a concordância
Observe que o substantivo (análise), do qual deri- está correta:
va o verbo analisar, já contém “s” que deve permanecer a) Direis vós se foi eu que menti.
no derivado. b) Fui eu que falei a verdade.
c) Mais de dois jornais fez alusão ao Brasil.
NOTA: Emprega-se “izar”, quando a palavra da d) Minas Gerais industrializaram-se a passos
qual se origina o verbo não traz a letra “s”. Assim: re- largos.
alizar (de real).
Grafam-se corretamente com “s”: através; quero- Resolução:
sene. Na estrutura: “verbo ser + pronome reto + que”, o
Alternativa: “C” verbo concorda com o pronome reto. O verbo ser vai
para o mesmo tempo do verbo que se pospõe à palavra
111. Assinale a alternativa correta quanto à acen- “que”. Exemplos: Fui EU que FALEI. Direis vós se fui eu
tuação gráfica: (adaptada ao Novo Acordo que menti.
Ortográfico) Quando o sujeito é formado com a expressão
a) Faísca, Jacareí, juíz. “mais de + numeral”, verbo concorda com o numeral.
b) Mausoléu, troféu, hífens. Exemplo: Mais de dois jornais fizeram alusão ao Brasil.

24

Sujeito representado por nome próprio no plural não mente) e ditongo fechado.
acompanhado de artigo faz com que o verbo perma- c) Proparoxítona, proparoxítona e ditongo fe-
neça no singular. Exemplo: Minas Gerais industriali- chado.
zou-se a passos largos. d) Não há acentos nas palavras.
Observação: Havendo artigo no plural, o verbo
Resolução:
acompanha o número gramatical do artigo. Exemplo:
As Minas Gerais industrializaram-se a passos largos. São proparoxítonas: álcool, ínterim, plêiade. Em
todas elas a sílaba tônica corresponde à penúltima sí-
Alternativa: “B”
laba.
114. Assinale a alternativa incorreta quanto à con- Alternativa: “A”
cordância:
a) Eu mesma costurei a roupa. 118. Assinale a alternativa correta quanto ao em-
b) Você ainda não está quites com o serviço prego da crase:
militar. a) Eu irei a Roma, tu à Viena; quem irá à Grécia
c) Anexas, seguem as fotografias que você me e à Síria?
deu. b) Eu irei a Roma, tu a Viena; quem irá à Grécia
d) O motorista olhou para um e outro guarda e e à Síria?
sentiu-se perdido. c) Eu irei a Roma, tu a Viena, quem irá a Grécia
e a Síria?
Resolução: d) Eu irei à Roma, tu à Viena, quem irá à Grécia
e a Síria?
A palavra “QUITE” (= quitado) deve concordar com
o substantivo ou pronome a que se refere. Exemplo:
Resolução:
“Você ainda não está quite o serviço militar”.
Para que ocorra crase necessária se faz a fusão da
Alternativa: “B”
preposição “A” (exigida pelo termo antecedente) com
o artigo feminino “A” (admitido pela palavra feminina
115. Assinale a alternativa correta quanto à regên-
seguinte), resultando a pronúncia de um único “A” que,
cia dos verbos:
em razão disso, deve ser grafado com acento grave
a) Aspiramos ao ar puro da montanha.
(“à”).
b) Aspirava o cargo de presidente do clube.
c) Destampei o fraco, aspirei a uma estranha Quando se trata de nome geográfico feminino, de-
fumaça. ve-se substituir o verbo por outro que admita preposi-
d) Era a maior dignidade a que podia aspirar. ção diferente de “A”, combinando-se a preposição com
o artigo, teremos “à”. Caso contrário, não se assinalará
Resolução: “à”.
Quando empregado no sentido de respirar, inspi- Assim, por exemplo, “Eu Irei a Roma = (Gosto de
rar, verbo aspirar constrói-se como transitivo direto: “... Roma). “Tu a Viena = (Gosto de Viena); quem irá à Gré-
aspirei uma estranha fumaça.” cia e à Síria”? (Gosto da Grécia e da Síria)
Alternativa: “C” Alternativa: ”B”

116. Assinale a alternativa em que todas as pala- 119. Assinale a alternativa incorreta quanto ao pa-
vras encontram-se grafadas corretamente: rônimo:
a) agasalho, despesa, mês. a) O orçamento previa investimentos vultosos.
b) aliás, empresa, obzéquio. b) Por falta de estrutura o prédio arriou.
c) avizo, gás, pêsames. c) Não há bem que sempre dure, nem mal que
d) atráz, groza, surpresa. nunca acabe.
d) Uma flagrante rosa despontou.
Resolução:
Grafam-se corretamente: aviso, obséquio, atrás, Resolução:
grosa. Observe: vultoso (= de grande vulto) > vultuoso
Alternativa: “A” (= inchado); arriou (desceu) > arrear (pôr arreios); mal
(oposto de bem) > mau (oposto de bom); flagrante (no
117. Assinale a alternativa que justifica a acentua- ato) > fragrante (perfumado): “Uma fragrante rosa
ção das palavras: álcool, ínterim, plêiade. despontou.”
a) Todas são proparoxítonas. Alternativa: “D”
b) Paroxítona terminada em l, m (respectiva-

25

120. Na frase a seguir, identifique a figura de lin- Exemplo: uniformes verde-oliva.


guagem: “Correrão rios de sangue pelas ave-
Castanho-Escuro (adjetivo + adjetivo) > apenas o
nidas.”
último elemento varia.
a) Ironia.
b) Antítese. Exemplo: Cabelos castanho-escuros.
c) Eufemismo. Azul-Marinho > é invariável.
d) Hipérbole.
Ex.: Bandeirolas azul-marinho.
Resolução: Alternativa: “D”
Denomina-se hipérbole a figura de linguagem que
consiste em exagerar-se a intensidade daquilo que se 123.
diz. Exemplo: “Rios de sangue correrão pelas avenidas.” 1) O cônjuge se aproximou
2) O servente veio atender-nos
Alternativa: “D”
3) O gerente chegou cedo.
121. Num dos provérbios abaixo não se observa a Não está claro se é homem ou mulher:
concordância prescrita pela gramática. Indi- a) No primeiro período.
que-o: b) No primeiro e no segundo períodos.
a) Não se apanham moscas com vinagre. c) No segundo período.
b) Casamento e mortalha no céu se talha. d) No terceiro período.
c) Quem ama o feio, bonito lhe parece.
d) De boas ceias, as sepulturas estão cheias. Resolução:
Denomina-se substantivo sobrecomum aque-
Resolução:
le que, além de apresentar uma única forma (uma só
É regra fundamental a concordância do verbo palavra), apresenta um único gênero, para designar
como sujeito da oração. pessoas de ambos os sexos. Assim: o cônjuge; a teste-
Na voz passiva sintética, aquela formada com munha; o carrasco. Exemplo: O cônjuge se aproximou.
auxílio do pronome apassivador SE, o verbo deve con- (pode-se referir tanto ao homem quanto à mulher). Já,
cordar com o sujeito paciente, que normalmente está substantivos como servente, gerente; embora também
posposto ao pronome apassivador: “Casamento e apresentem uma única forma, possuem os dois gêne-
mortalha no céu se talham.” Para verificar a validade ros, indicando-os pelo acréscimo de um determinante
dessa regra, reverter a oração para a correspondente (geralmente, artigo). Assim: o servente, a servente; o
passiva analítica, aquela formada com verbo ser + par- gerente, a gerente.
ticípio: Casamento e mortalha, no céu, são talhados.” Alternativa: “A”
Observe que, na reversão, o verbo ser vai para o plural,
concordando com o sujeito casamento e mortalha. 124. Aponte a alternativa em que a divisão silábi-
No mesmo caso: “Não se apanham moscas com vina- ca das palavras está correta.
gre.” a) fre-ar, or-de-nar, des-li-gar, i-gua-is.
b) in-ters-tí-cio, pro-rro-gar, bis-ne-to, ve-í-
Alternativa: “B”
cu-lo.
122. Assinale a alternativa que indica a única fra- c) subs-cre-ver, de-scer, res-sur-gir, e-xér-ci-to.
se na qual a flexão de número está correta: d) au-ro-ra, trans-por-tar, gló-ria, ins-cri-ção.
(adaptada ao Novo Acordo Ortográfico)
Resolução:
a) Todos eram obrigados a usar uniformes ver-
des-oliva. Observe: au-ro-ra (não se separam os elementos
b) São graves os problemas sócioeconômico do ditongo);
do país. Gló-ria (“ia” em final de palavra que traz acento
c) As meninas tinham os cabelos castanhos- gráfico, é ditongo; portanto, inseparável). No interior
-escuros. da palavra, a consoante não seguida de vogal prende-
d) Bandeirolas azul-marinho eram agitadas se à sílaba anterior (trans-por-tar; ins-cri-ção),
pelo vento.
Alternativa:”D”
Resolução:
125. Foram intimados a comparecer”, “Não a fize-
Observe: Conforme comentários anteriores: ram.” “Regularizou a sua situação”. As classes
Verde-Oliva (“adjetivo + substantivo”) > é invariá- de palavras do “A” são, respectivamente:
vel. a) preposição, pronome, artigo.

26

b) artigo, pronome, artigo. Observe-se que o caráter nasal da forma do ver-


c) preposição, pronome, preposição. bo é determinante para o emprego das formas “no, na,
d) artigo, artigo, preposição. nos, nas; ainda que as formas verbais terminem por
”s”(alternativas “c”, “d”)
Resolução:
Alternativa: “C”
A palavra “A” pode ser classificada como artigo,
preposição. 128. Em todas as alternativas há dois advérbios,
exceto em:
É artigo, quando acompanha substantivo (para
a) Ele permaneceu muito calado.
identificá-lo, determiná-lo: “Vimos a criança ali”. ou
b) Amanhã, não iremos ao cinema.
pronome possessivo para reforçar a ideia de posse:
c) O menino, ontem, cantou desafinadamente.
“Quero a minha.”). Como preposição, a palavra “A” não
d) Ela falou calma e sabiamente.
se presta a isso.
Lembrete: De modo geral, se você puder substituir Resolução:
“A” por “UMA”, esse “A” será artigo. Ex: Comprei a casa /
Observe: Na alternativa “A”, temos um só advérbio
Comprei uma casa. Caso contrário, será preposição. Se
(“muito”) que modifica o adjetivo “calado”.
substituível por “isto” ou “aquela”, será pronome pes-
soal ou demonstrativo, respectivamente. Nota: Quando se seguem advérbios terminados
por “mente”, apenas o último recebe o sufixo “mente”,
Compare: Amamos a Deus./ Amamos uma Deus.
todos os anteriores assumem forma adjetiva feminina.
Compare: Encontrei-a no jardim./ Encontrei isto É exatamente o que ocorre na alternativa “D”: “Ela fa-
no jardim. lou calma e sabiamente”. Isto é, calmamente e sabia-
mente.
Compare: A do meio é minha./ Aquela do meio é
minha. Alternativa: “A”
Alternativa: “A”
129. Nas frases abaixo, o verbo haver é, respecti-
vamente: ... e ...
126. Em qual dos casos o artigo denota familiari-
dade: “antes nunca houvesse aberto o bico”,
a) O Amazonas é um rio imenso.
“assim da tua vanglória há muitos que se ufa-
b) Dom Manuel, o Venturoso, era bastante es-
nam.”
perto.
c) O Antônio comunicou-se com o João. a) auxiliar e auxiliar.
d) O professor João Ribeiro está doente. b) auxiliar e impessoal.
c) impessoal e impessoal.
Resolução: d) principal e auxiliar.
Diante de nome de pessoa o artigo denota intimi-
Resolução:
dade.
Denomina-se verbo auxiliar aquele que se presta
“O Antônio comunicou-se com o João.”
a formar locução verbal (dois ou mais verbos que fun-
Alternativa: “C” cionam como se fossem um só). Numa locução verbal,
o verbo auxiliar assume todas as flexões verbais, en-
127. Assinale a alternativa em que há erro na for- quanto o verbo principal (aquele que carrega o sentido
ma verbal ou no pronome enclítico: da locução) permanece no infinitivo, gerúndio ou par-
a) tem + o = tem-no. ticípio. Os principais verbos auxiliares são: ser, estar, ter
b) faz + o = fá-lo. e haver. Exemplo:
c) tens + o = ten-lo.
“Antes nunca houvesse aberto a boca...”
d) pões + o = põe-no.
Embora o verbo haver possa funcionar como ver-
Resolução: bo impessoal (verbo que não possui sujeito), quando
Os pronomes oblíquos “o, a, os, as”, quando liga- empregado para indicar existência ou tempo – no
dos a formas verbais terminadas em: r, s ou z, assumem caso, “há muitos que se ufanam”); devemos lembrar
as formas: LO, LA, LOS, LAS. Exemplo: faz + o = fá-lo. que, funcionando como auxiliar de um verbo pessoal
Quando ligados a formas verbais nasalizadas, assu- (verbo que possui sujeito – no caso, o verbo abrir) o ver-
mem as formas NO, NA, NOS, NAS. Exemplos: tem + o = bo haver é classificado como verbo pessoal.
tem-no; pões + o = põe-no; Alternativa: “B”
Tens + o = tem-no.

27

130. Assinale a alternativa que completa correta- sembleia aplaudiu com vigor as palavras do
mente as lacunas da frase abaixo: candidato”, obtém-se a forma verbal:
a) foi aplaudido.
“Por favor, passe ______ caneta, que está aí
b) aplaudiu-se.
perto de você; ______ aqui não serve para
c) foram aplaudidas.
______ desenhar.”
d) tinha aplaudido.
a) aquela, esta, mim.
b) esta, esta, mim.
Resolução:
c) essa, esta, eu.
d) aquela, essa, eu. A questão focaliza o uso da voz passiva. No caso,
passiva analítica, aquela formada com verbo ser +
Resolução: particípio. Observe-se que, nessa forma, o verbo au-
xiliar “Ser” deve concordar com o sujeito. O particípio,
Uma dos mais importantes empregos do pronome
por sua vez, concorda em gênero e número com esse
demonstrativo é o de possibilitar a localização do ser
mesmo sujeito.
referido, relativamente às pessoas gramaticais.
Assim, temos: “As palavras do candidato foram
Assim, temos:
aplaudidas...”
Este / Isto (aqui) – para o que está próximo da pri-
Alternativa: “C”
meira pessoa.
Esse / Isso (aí) – para o que está próximo da segun- 133. Assinale a alternativa que completa a frase
da pessoa. abaixo:
Aquele / Aquilo (lá ou ali) – para o que está longe “______ em ti, mas nem sempre ______ dos
tanto da primeira como da segunda pessoa. outros”.
Os pronomes oblíquos tônicos não podem funcio- a) creias, duvides.
nar como sujeito de um verbo no infinitivo. Portanto, b) creias, duvide.
não se deve dizer ou escrever: c) crê, duvidas.
d) crê, duvides.
“não serve para mim desenhar .” Diga-se e escreva-
se: “Não serve para EU desenhar”. Compare: “Não serve
Resolução:
para EU desenhar. (= Não serve para que EU desenhe) e
não: Não serve para que mim desenhe. A questão enfoca o emprego do Imperativo.
Observe-se que a preposição rege o verbo e não o Observe: Tu crês > Crê tu; Que tu duvides > Não
pronome, que funciona como sujeito desse verbo. duvides tu.
Compare ainda: Não serve para EU desenhar (= É Alternativa: “D”
preciso Eu desenhar.)
134. Assinale a alternativa incorreta quanto à co-
Alternativa: “C” locação pronominal:
a) Tenho deitado-me cedo diariamente.
131. Assinale a alternativa que completa correta-
b) Far-lhe-emos uma proposta irrecusável.
mente as lacunas da frase abaixo:
c) Em se pondo o sol, vão-se os pássaros.
“A carta vinha endereçada para _____ e para d) Ninguém me deu a informação correta.
_____; _____ é que abri.”
Resolução:
a) mim, tu, por isso.
b) mim, ti, por isso. Numa locução verbal, cujo verbo principal esteja
c) eu, ti, por isso. no particípio, não se admite ênclise a esse particípio.
d) mim, ti, porisso. Deve-se usar ênclise ao auxiliar. Assim, devemos falar e
escrever: “Tenho-me deitado cedo diariamente.”
Resolução:
Alternativa: “A”
Os pronomes oblíquos tônicos (no caso, mim e ti)
devem ser usados com preposição. Grafa-se “Por isso” 135. Assinale a alternativa em que o uso da vírgu-
(sempre separadamente). Assim, temos: “A carta vinha la está incorreto:
endereçada para mim e para ti; por isso é que abri.” a) “São Paulo, 02 de julho de 2000”.
b) Senhor Comandante, receba nossos cum-
Alternativa: “B”
primentos.
c) Em frente, um grande parque.
132. Transpondo para a voz passiva a frase: “A as-
d) Ele, que é racional não poderia ter tomado

28

tal atitude. começou guerra?”


Alternativa: “B”
Resolução:
Como já se salientou em comentário anterior, em- 138. Assinale a alternativa que apresenta erro gra-
prega-se a vírgula para isolar a oração subordinada matical:
adjetiva explicativa, quando esta vem intercalada en- a) Este funcionário é um dos que foi promo-
tre os termos da oração principal. “Ele, que é racional, vido.
não poderia ter tomado tal atitude.” Observe-se: “Não b) Um quarto da população são migrantes.
poderia ele, que é racional, tomar tal atitude”. c) Sua Excelência, Governador, assinou o de-
creto.
(Sublinhou-se a oração principal, para eviden-
d) Suspeitou-se dos funcionários.
ciar a intercalação)
Alternativa: “D” Resolução:
Quando o sujeito da oração é representado por
136. O sujeito da afirmação com que se inicia o
numeral fracionário, o verbo concorda com o numera-
Hino Nacional: “Ouviram do Ipiranga as mar-
dor da fração. “Um quarto da população é migrante.”
gens plácidas De um povo heroico o “brado
retumbante ...” é: (questão parecida com a 4) A expressão “um dos que” pode levar o verbo tanto
a) um povo heroico. para o singular quanto para o plural. “Este funcionário
b) as margens plácidas. é um dos que foi promovido.” (ou Este funcionário é
c) do Ipiranga. um dos que foram promovidos). O pronome de tra-
d) o brado retumbante. tamento, na função de sujeito, leva o verbo para a ter-
ceira pessoa. “Sua Excelência, Governador, assinou o
Resolução: decreto.”
Aqui, o candidato não pode, desde logo, afirmar A palavra “SE” funciona como índice de indetermi-
que o sujeito é indeterminado, baseando-se simples- nação do sujeito, quando ligada a verbos Transitivos
mente no fato de o verbo encontrar-se na terceira pes- Indiretos. Nesse caso, o verbo deve ficar sempre na ter-
soa do plural. Não! Deve lembrar-se de que o sujeito ceira pessoa do singular. “Suspeitou-se dos funcioná-
não tem lugar fixo na oração. rios.”
Não se coloca, pois, necessariamente no início do Alternativa: “B”
pensamento oracional.
139. “O importante é que você seja feliz”. A oração
Assim, perguntando-se ao verbo: “quem é que ou-
grifada é:
viu o brado retumbante?” tem-se a resposta: “as mar-
a) subordinada substantiva predicativa.
gens plácidas do Ipiranga ouviram”
b) subordinada adverbial condicional.
Tudo fica mais claro se, agora, colocarmos o texto c) subordinada substantiva objetiva direta.
em ordem direta (Suj. + Verbo + complementos e ad- d) subordinada substantiva completiva nominal.
juntos)
Resolução:
Observe-se a ordem direta:
Denomina-se oração subordinada substantiva
(Sujeito)
predicativa aquela que pode ser substituída pelos pro-
As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado
nomes “isto, isso, esse, essa”, vem sempre após verbo de
retumbante de um povo heroico.
ligação (geralmente, o verbo ser), funcionando como
Alternativa: “C” Predicativo do Sujeito da oração principal.

137. Assinale a alternativa que apresenta erro gra- É exatamente o que ocorre em: “O importante é
matical. que você seja feliz.”
a) O teatro onde encontrei Paulo é grande. Como se pode ver, a oração destacada pode ser
b) Porque começou a guerra? substituída por ISTO e vem após verbo de ligação.
c) A cidade encontra-se ao nível do mar.
Observe: O importante é isto.
d) Não concordei com o projeto; tampouco
aceitei as novas sugestões. Alternativa: ”A”

Resolução: 140. Nas frases “entrar para dentro”, “sair para fora”
e “subir para cima”, há um vício de linguagem
No início de interrogações, deve-se grafar “por
denominado:
que” (separadamente e sem acento gráfico). “Por que
a) pleonasmo.

29

b) solecismo. quos tônicos, não podem ser usados com preposição.


c) barbarismo. Dessa forma, não se deve dizer, por exemplo, “sem eu”.
d) preciosismo. Conforme já se salientou em comentários anteriores,
os pronomes oblíquos tônicos só devem ser usados
Resolução: com preposição. Assim deve-se dizer e escrever: “Não
Repetir ideia já implícita numa expressão constitui foi difícil ir sem mim, foi?”
vício de linguagem denominado ‘Pleonasmo Vicioso. Também devemos lembrar que esses mesmos pro-
Exemplos: “Entrar para dentro”, “sair para fora”, “subir nomes não podem funcionar como sujeito de um ver-
para cima”. bo no infinitivo. Portanto, não se deve dizer ou escrever:
Contudo, devemos lembrar que existe o pleonas- “... deu o livro para mim guardar.” Diga-se e escre-
mo literário que constitui figura de linguagem. Portan- va-se: “deu o livro para EU guardar.” Compare: “Deu o
to, absolutamente correto! É o caso, por exemplo, da livro para EU guardar. (= Deu o livro para que EU guar-
repetição do objeto direto: Os sinos, Pompônio toca- dasse) e não: Deu o livro para que mim guardasse).
va-os com carinho fraternal. (os > objeto direto ple-
Observe-se que a preposição rege o verbo e não o
onástico)
pronome, que funciona como sujeito desse verbo.
Alternativa: “A”
Compare ainda: Deu o livro para EU guardar (= É
141. Assinale a alternativa em que ocorrem dígra- preciso Eu guardar o livro.)
fos. Alternativa: “C”
a) chapéu, barro, agudo, exclamar.
b) guerra, piscina, exceção, aquilo. 144. Século V, Pio X, Luís XV e Pio XII, lê-se, respec-
c) tampa, banho, escada, aquático. tivamente:
d) linda, santa, frequente, mágoa. a) século cinco, Pio dez, Luís quinze e Pio doze.
b) século quinto, Pio décimo, Luís quinze e Pio
Resolução: doze.
Denomina-se dígrafo o conjunto de duas letras c) século quinto, Pio décimo, Luís quinze e Pio
que representam um único Fonema. São dígrafos: ch, décimo segundo.
lh, nh, rr, sc, sç, ss, xc. Os grupos “gu” e “qu” são conside- d) século quinto, Pio dez, Luís quinze e Pio
rados dígrafos, quando a letra “U” não é pronunciada doze.
(guerra, quilo).
Resolução: (Resolução igual a 77)
Assim, temos dígrafo em: chapéu, barro, piscina,
Na designação de reis, imperadores, papas, sécu-
exceção, aquilo.
los e capítulos, empregam-se os numerais da seguinte
Alternativa: “B” forma: empregam-se os ordinais até décimo; de onze
em diante, empregam-se os cardinais. Assim: “Este ter-
142. Assinalar o conjunto de palavras paroxítonas: remoto ocorreu no século décimo antes de Cristo.”
a) condor, mister, pudico, recorde.
Já, na designação de artigos de lei, empregam-se
b) caracteres, ureter, filantropo, libido.
os ordinais até nono. De dez em diante, empregam-se
c) austero, avaro, ciclope, celtiberos.
os cardinais. Assim: “O artigo vinte e cinco deste códi-
d) obus, mister, novel, obstante.
go foi revogado.”
Resolução: Na enumeração de páginas, folhas, casas, empre-
Atenção: pronunciam-se como Oxítonas: condor, gam-se os cardinais, concordando sempre com a pa-
mister, ureter, obus, novel. lavra “número” que fica subentendida: “... transcrito na
página duzentos e vinte e um.”
As demais são paroxítonas.
Observação: Caso o numeral anteceda o substan-
Alternativa: “B” tivo, será empregado a ordinal: o sexto século, o trigé-
simo capítulo.
143. Assinale a alternativa incorreta:
a) Deram o livro para mim, e eu gostei. Alternativa: “B”
b) Não sei quem deu o livro para eu guardar.
c) Não foi difícil ir sem eu, foi? 145. Assinale a alternativa em que todas as pala-
d) Fizeram tudo para eu ir lá. vras estão corretamente grafadas:
a) assessores, exceção, incansável.
Resolução: b) pretencioso, aspectos, sossego.
c) excessivo, expontâneo, obseção.
Os pronomes pessoais retos, ao contrário dos oblí-

30

d) quiseram, essência, impecílio. quadrilha; carneiros > rebanho; bois > manada
Alternativa: “A”
Resolução:
Grafam-se corretamente: pretensioso > (preten- 150. Nas séries de palavras a seguir, há uma em
são) > “oso” (sufixo); espontâneo; obsessão, empecilho. que todos os substantivos, apesar de termi-
nados em a, são masculinos:
Alternativa: “A”
a) banana, cura, poeta, profeta.
146. Assinale a alternativa em que nenhuma pala- b) profeta, omoplata, cometa, nauta.
vra é acentuada graficamente: c) profeta, nauta, agiota, pirata.
a) lapis, canela, canoa, abacaxi, jovens. d) pampa, cura, profeta, pirata.
b) ruim, sozinho, aquele, traiu.
Resolução:
c) saudade, onix, grau, orquidea.
d) voo, legua, assim, tenis. Observe: o profeta, o nauta, o agiota, o pirata.
Todos são masculinos, embora sejam terminados por
Resolução: “A”. Devemos lembrar que são masculinos todos os
Alternativa: “B” substantivos que aceitam a anteposição do artigo “O”,
independentemente da terminação. São femininos to-
147. Assinale a alternativa em que todas as pala- dos os que admitem a anteposição do artigo “A”.
vras estão corretamente acentuadas: (Adap- Assim, são femininos: a omoplata, a banana. São
tada ao Novo Acordo Ortográfico) masculinos (além dos já citados): o cometa, o pampa,
a) vírus, tórax, voo, rainha. o poeta.
b) virus, torax, voo, rainha.
c) vírus, torax, vôo, rainha. Alternativa: “C”
d) vírus, torax, vôo, rainha. Nota: Embora não haja prejuízo para a resposta,
a questão apresenta falha técnica, ao trazer, entre as
Resolução: alternativas, palavra que tem um significado no mas-
Observe: vírus, tórax (acentuam-se graficamente culino e outro no feminino; admitindo, pois, tanto o
as paroxítonas não terminadas em: a, e, o, em, ens). artigo “O” quanto o artigo “A”. É precisamente o caso
Conforme o Novo Acordo Ortográfico, não se acentua da palavra “CURA” que apresenta sentidos diferentes,
mais o grupo “oo”: vôo. conforme o gênero em que é usada. Assim, o cura (ad-
ministrador); a cura (ato de sanar a doença).
Alternativa: “A”
151. Assinale a alternativa que completa correta-
148. Assinale a alternativa em que só ocorrem
mente a frase: “Os acidentados foram enca-
substantivos femininos:
minhados a diferentes clínicas __________.
a) alface, cal.
a) médicas-cirúrgicas.
b) telefonema, apendicite.
b) médica-cirúrgicas.
c) aneurisma, faringe.
c) médico-cirúrgicas.
d) plasma, dinamite.
d) médicos-cirúrgicas.
Resolução:
Resolução:
Observe: São femininos: a alface; a cal; a faringe; a
A variação em gênero e número nos adjetivos
apendicite; a dinamite.
compostos formados apenas de adjetivos segue uma
São masculinos: o telefonema, o aneurisma; o só e mesma regra: “Apenas o último elemento se flexio-
plasma. na”. Assim, médico-cirúrgico = médico-cirúrgicas.
Alternativa: “A” Alternativa: “C”

149. Respectivamente, matilha, alcateia, manada 152. O ordinal quadringentésimo septuagésimo


são coletivos de: corresponde ao cardinal:
a) cães, lobos, cavalos. a) quarenta e sete.
b) cabras, lobos, cavalos. b) quarenta mil e sete.
c) carneiros, lobos, bois. c) quatrocentos e setenta.
d) cães, ladrões, bois. d) quatro mil e setenta.

Resolução: Resolução:
Observe: cabras > fato; ladrões > bando, malta, Alternativa: “C”

31

153. Assinale a alternativa em que a colocação do Observe que a expressão “de vinhos bons” comple-
pronome oblíquo está correta: ta o verbo gostar. Trata- se, portanto, de objeto indire-
a) Sei que criticaram-nos. to. (proposição “de” – obrigatória)
b) Aquilo aborreceu-me.
Alternativa: “A”
c) Dir-lhe-ei tudo o que sei.
d) Em pondo-se o sol, vão-se os pássaros. 156. Assinale a alternativa que apresenta verbo
intransitivo:
Resolução:
a) Derrubaram a casa.
Tratando-se de colocação pronominal, observe- b) Francisco chegou agora de Marília.
mos o seguinte: c) Não concordo com isso.
d) Ouvi o trovão.
– Ocorre próclise sempre que, antes do verbo, há
pronome demonstrativo.
Resolução:
– A palavra “que” (antes do verbo) também deter-
Verbo Intransitivo é aquele que, por possuir senti-
mina a próclise.
do completo, não necessita de complemento (objeto).
– O gerúndio, quando antecedido da preposição “Francisco chegou agora de Marília.”
“em”, obriga a próclise.
Regrinha Prática: Quem chega, chega! Vê-se que
– Com forma verbal no futuro do presente ou do não há necessidade de se completar a ideia de chegar.
pretérito, ocorre mesóclise; desde que essa forma ver-
Alternativa: “B”
bal não venha antecedida de palavra que justifique a
próclise. 157. Assinale a frase que apresenta pontuação
Alternativa: “C” correta:
a) Imagine, João quem é que morreu?
154. Assinale a alternativa em que ocorra sujeito b) Imagine, João, quem é que morreu?
composto: c) Imagine João, quem é que morreu?
a) Tristonha, escondia o rosto com as mãos. d) Imagine João quem é que, morreu?
b) Durante todo o dia, caminhamos sob um
sol ardente. Resolução:
c) Contaram-se coisas muito estranhas. A vírgula é empregada para isolar o vocativo. É
d) Foram João e José, hoje. exatamente o que se apresenta na oração: “Imagine,
João, quem é que morreu”?
Resolução:
Lembrete: O vocativo presta-se para fazer um cha-
Sujeito Composto é aquele que contém mais de
mamento (Fala-se com). Já o aposto presta-se a expli-
um núcleo.
cações. O vocativo, por não pertencer à estrutura lógi-
Exemplo: Foram João e José, hoje. (núcleos: João, ca da oração, pode surgir em qualquer ponto dela, pois
José) serve apenas para fazer um chamamento. Pressupõe o
uso da interjeição Ó!: “Imagine, [ó!] João, quem é que
Alternativa: “D”
morreu?”
155. Em “Ele gostava de vinhos bons”, o termo Alternativa: “B”
destacado é:
a) objeto indireto. 158. No período “Bentinho seria metido no semi-
b) sujeito. nário, para não mais se encontrar com Capi-
c) objeto direto. tu”, a oração destacada é subordinada adver-
d) predicativo do sujeito. bial:
a) final.
Resolução: b) consecutiva.
Denomina-se objeto indireto o termo que comple- c) proporcional.
ta a significação de um verbo transitivo indireto, a ele d) concessiva.
se unindo mediante preposição obrigatória (exigida
Resolução:
pelo verbo).
Trata-se de oração adverbial final reduzida de infi-
Artifício: Quem gosta, gosta de alguma coisa ou
nitivo que, na forma desenvolvida, assim se apresenta:
de alguém.
para que não mais se encontrasse com Capitu. Ob-
Ele gostava de alguma coisa? Sim, de vinhos serve que, na forma desenvolvida, reaparece a conjun-
bons! ção subordinativa final “para que” e o verbo volta para

32

forma modal (no caso, pretérito imperfeito do modo siva reduzida de gerúndio
subjuntivo).
Desenvolvendo-a, temos: Embora soubesse que
Alternativa: “A” seria preso... Percebe-se, dessa forma, a ideia de con-
cessão estabelecida pela conjunção “Embora”.
159. Assinale a alternativa correta:
Alternativa: “D”
a) Preferia brincar do que trabalhar.
b) Preferia mais brincar a trabalhar.
163. Na frase: “Sem estudar, você não será aprova-
c) Preferia brincar a trabalhar.
do”, a oração grifada indica a noção de:
d) Preferia brincar à trabalhar.
a) condição.
b) causa.
Resolução:
c) concessão.
O verbo preferir constrói-se com objeto direto e d) modo.
indireto, sendo este sempre regido pela preposição
“a”; não admitindo nunca qualquer termo que denote Resolução:
comparação; “Preferia brincar a trabalhar.”
Trata-se de oração subordinada adverbial condi-
Lembrete: Não se usa acento de crase diante de cional reduzida de infinitivo.
verbo.
Desenvolvendo-a, temos: Caso não estude... Des-
Alternativa: “C” sa forma, fica clara a noção de condição, estabelecida
pela conjunção Caso.
160. Indique o substantivo que tem apenas um
Alternativa: “A”
gênero:
a) estudante.
164. Aponte alternativa que completa correta-
b) indígena.
mente a frase: “Eles ____ em tudo quanto___”.
c) testemunha.
a) creem – leem.
d) jornalista.
b) crem- lem.
c) crêm – lêm.
Resolução:
d) crêem - lêem.
“Testemunha” é substantivo sobrecomum, apre-
senta-se sob uma única forma e possui um só gênero. Resolução:
Alternativa: “C” Adaptando-se a resposta ao Novo Acordo Orto-
gráfico, temos: creem, leem (ambos sem acento).
161. Assinale a alternativa que apresenta o adje-
Alternativa: “A”
tivo incorretamente relacionado ao substan-
tivo:
165. Aponte a alternativa que completa correta-
a) leite – lácteo.
mente a frase “Até ______ momento, ______
b) coração – hepático.
se lembrava de que o antiquário tinha o ____
c) ilha – insular.
que procurávamos”.
d) dedo – digital.
a) aquêle – ninguém – baú.
b) aquêle – ninguém – bau.
Resolução:
c) aquele – ninguém – baú.
Hepático refere-se ao fígado e não ao coração. d) aquele – ninguem – baú.
Relativo ao coração: cardíaco ou cordial (ex.: amigo de
coração). Resolução:
Alternativa: “B” Aquele (não se acentua paroxítona terminada em
“a, e, o, em, ens)
162. Na frase grifada, temos: “Sabendo que seria
Ninguém (acentua-se oxítona terminada em “em”)
preso, ainda assim saiu à rua”.
a) conformidade. Baú (acentua-se o “u” tônico antecedido de vogal,
b) condição. formando sílaba, sozinho ou com “s”)
c) tempo.
Alternativa: “C”
d) concessão.
166. Aponte a alternativa que completa correta-
Resolução:
mente a frase “O ________ do deputado foi
Trata-se de oração subordinada adverbial conces- ________”.

33

a) mandado – caçado. Resolução:


b) mandado – cassado.
Oração sem sujeito é aquela que traz verbo impes-
c) mandato – cassado.
soal, isto é, verbo que expressa fato que, por sua natu-
d) mandato – caçado.
reza, não pode ser atribuído a nenhum sujeito. Entre os
principais verbos que funcionam em orações sem sujei-
Resolução:
to, encontra-se o verbo Haver, quando empregado em
Compare: mandado (ordem judicial) / mandato sentido existencial. Ex: Haverá um campeonato. / Vai
(contrato pelo qual uma pessoa nomeia outra para haver um campeonato.
agir em seu lugar); caçado (aquilo que serve de caça)
Observe que o verbo impessoal transmite a impes-
/ cassado (aquele que teve seus direitos políticos sus-
soalidade ao outro verbo que o acompanha, que, por
pensos)
essa razão, deve ficar sempre na terceira pessoa do sin-
Alternativa: “C” gular.

167. Assinale a alternativa em que o texto está Alternativa: “D”


corretamente pontuado:
170. Aponte a alternativa que completa correta-
a) Não, o homem que achei não é nada disso.
mente a frase “Ele _______ e ______ a seca e a
b) Não, o homem, que achei, não é nada, disso.
casa de mantimentos”.
c) Não o homem, que achei, não é nada disso.
a) preveu – proveu.
d) Não, o homem que, achei, não é, nada disso.
b) previu – proveu.
Resolução: c) preveu – provera.
d) previra – proviera.
A oração “que achei” é subordinada adjetiva expli-
cativa, uma vez que, se for retirada, não haverá prejuí- Resolução:
zo para o entendimento.
O verbo prever é derivado do verbo ver (pré + ver)
A pausa após o advérbio (“Não”) reforça a entona- e por ele se conjuga.
ção.
Assim: Ele previu > Ele viu.
Alternativa: “B”
O verbo prover conjuga-se (no pretérito perfeito)
168. Assinalar a frase errada quanto à ocorrência pelo verbo abastecer.
de crase: Assim: Ele proveu > Ele abasteceu.
a) Eu não aspirava à primeira colocação.
Alternativa: “B”
b) Finalmente, estávamos frente à frente.
c) O projeto visava à reformulação do trabalho
171. Os pronomes pessoais estão colocados corre-
médico.
tamente:
d) Ele fez uma descrição à Guimarães Rosa.
a) Tenho contido-me em meus limites.
b) Nada podê-la-ia enganar.
Resolução:
c) Vocês podem dizer-me o que isto significa?
Não se emprega acento de crase em expressões d) Aqui estou; me diga agora o que disse ontem.
formadas por palavras repetidas. “Finalmente, estáva-
mos frente a frente.” Resolução:
Observe que, aplicando-se a regra prática, não Na locução verbal (verbo principal + particípio),
ocorre “ao”: não se admite ênclise ao particípio. Portanto, deve-se
dizer e escrever: “Tenho-me contido em...”
(... ficamos lado a lado.)
Não se dá a mesóclise, quando ocorre palavra
No caso da alternativa “d”, o acento de crase refe-
atrativa que justifique a próclise.
re-se à expressão “à moda de”: ... “descrição à (moda
de) Guimarães Rosa”. Portanto, deve-se dizer e escrever: “Nada a podia
enganar.”
Alternativa: “B”
Não se inicia oração com pronome oblíquo átono.
169. Assinale a alternativa em que a oração não Deve-se, pois, escrever:
tem sujeito:
“Aqui estou, diga-me agora...” Locução verbal, cujo
a) Falaram mal de você.
verbo principal esteja no infinitivo, admite a colocação
b) Ninguém se apresentou.
do pronome em ênclise em relação ao infinitivo, mes-
c) Precisa-se de professores.
mo ocorrendo palavra que justifique a próclise ao auxi-
d) Vai haver um campeonato.

34

liar: Vocês podem dizer-me. d) em todas as palavras.


Lembrete: Sempre que o verbo principal estiver no
Resolução:
infinitivo, sempre será possível a ênclise a esse infini-
tivo. Observe: desatento (de-sa-ten-to); subestimar (su-
-bes-ti-mar); transtorno (trans-tor-no).
Alternativa: “C”
Alternativa: “C”
172. Em “Queria que me ajudasses”, o trecho subli-
nhado pode ser substituído por: 176. Em “A operação policial-militar foi realizada,
a) a tua ajuda. conforme havíamos planejado”, a oração gri-
b) a vossa ajuda. fada é:
c) a ajuda de você. a) subordinada adverbial concessiva.
d) a sua ajuda. b) subordinada adverbial conformativa.
c) subordinada substantiva completiva nominal.
Resolução: d) coordenada sindética conclusiva.
A forma verbal “ajudasses” (que tu me ajudasses),
Resolução:
remete à forma “a tua ajuda”. Trata-se aqui de harmo-
nia de tratamento. A conjunção subordinativa “conforme” introduz
oração subordinada adverbial conformativa.
Alternativa: “A”
Alternativa: “B”
173. Assinale a função morfológica de caro em
“Ele vendeu caro as mercadorias”. 177. Em “Ele me viu no clube” e “Ela me telefonou.”
a) substantivo. As funções sintáticas dos termos grifados,
b) advérbio. respectivamente, são:
c) adjetivo. a) objeto direto e objeto indireto.
d) preposição. b) objeto indireto e objeto direto.
c) pronomes pessoais do caso reto.
Resolução: d) pronomes pessoais do caso oblíquo.
A palavra “caro” funciona como advérbio. Mais Resolução:
precisamente, trata-se da adverbalização do adjetivo
“caro”. O pronome oblíquo ME pode funcionar como ob-
jeto direto, quando completa Verbo Transitivo Direto:
Alternativa: ”C” “Ele me viu no clube.” Funciona como objeto indireto,
174. Aponte a alternativa que apresenta todas as quando completa Verbo Transitivo Indireto: “Ela me te-
palavras paroxítonas: lefonou.” (me = a mim).
a) química, lâmpada, japonês. Alternativa: “A”
b) lápis, novel, sutil.
c) decano, ômega, rubrica. 178. Ocorre aposto em:
d) caderno, tesoura, avaro. a) Que horas são, professor?
b) Amigos, não tenho palavras para agradecer.
Resolução: c) Volte cedo para casa, Miranda.
Denomina-se paroxítona a palavra cuja sílaba tô- d) D. Pedro II, Imperador do Brasil, morreu no
nica corresponde à penúltima sílaba. É o caso de lápis, exílio.
decano, rubrica, caderno, tesoura, avaro.
Resolução:
Alternativa: “D”
Aposto é o termo (acessório) que, na oração, fun-
175. Dadas as palavras: ciona para explicar, resumir, enumerar, especificar. O
mais comum é o aposto explicativo que deve vir sem-
I. des-a-ten-to pre isolado por pausa (geralmente, vírgula): “D. Pedro
II. sub-es-ti-mar II, Imperador do Brasil, morreu no exílio”.
III. trans-tor-no O vocativo presta-se para fazer um chamamento
Constamos que a separação silábica está cor- (Fala-se com). Por não pertencer à estrutura lógica da
reta: oração, o vocativo pode surgir em qualquer ponto dela,
a) apenas na número I. pois serve apenas para fazer um chamamento. Pressu-
b) apenas na número II. põe o uso da interjeição Ó!: “ [ó!] ”Amigos, não tenho
c) apenas na número III. palavras para agradecer. Volte cedo para casa, [ó!] Mi-

35

randa. Que horas são, [ó!] professor? gação. Não! O fato de estar na lista significa apenas
que tal verbo pode funcionar como Verbo de Ligação.
Alternativa: “D”
Qualquer dos verbos da lista só será considerado
179. Em “Nesta cidade, faz um calor intenso”, o su- Verbo de Ligação; se, no predicado, houver Predicativo
jeito é: do Sujeito.
a) simples.
Compare:
b) oculto.
c) indeterminado. Joana ficou triste. (Triste = PS) > ficou = VL.
d) uma oração sem sujeito.
Joana ficou na sala. (na sala = adjunto adverbial;
portanto, não se trata de PS.) > ficou não é verbo de
Resolução:
ligação.
Entre os verbos que funcionam em orações sem
Alternativa: “A”
sujeito está o verbo Fazer (na indicação de clima, tem-
peratura). Exemplo:
182. O plural de animalzinho, cãozinho e reco-re-
“Nesta cidade, faz um calor intenso.” co, respectivamente, é:
a) animalzinhos, cãozinhos e recos-recos.
Alternativa: “D”
b) animaizinhos, cãezinhos e reco-recos.
180. Em “O mensageiro entregou a carta do capi- c) animalzinhos, cãezinhos e recos-reco.
tão”, o verbo é: d) animaizinhos, cãozinhos e reco-recos.
a) intransitivo.
Resolução:
b) transitivo direto
c) transitivo direto e indireto. Observe:
d) transitivo indireto.
Animal > animais (retira-se o “S” e acrescenta-se
“Zinhos”) > animaizinhos.
Resolução:
O mesmo para cão: cães (-s) + zinhos > cãezinhos.
O verbo entregar é VTD (Quem entrega, entrega
alguma coisa). Reco-reco = reco-recos (Substantivos compostos
por palavras repetidas fazem o plural variando apenas
Regra Prática: O mensageiro entregou alguma
o último elemento)
coisa?
Alternativa: “B”
– Sim, uma a carta do capitão!
Fazendo-se a pergunta e obtendo-se “Sim” como 183. O grau normal dos substantivos muralha,
resposta, comprova-se a transitividade direta do verbo. igrejola, fornalha e bocarra, respectivamen-
te, são:
Alternativa: “B”
a) muro, igreja, forno e boca.
181. Ocorre verbo de ligação em: b) murão, igrejona, fornão e bocão.
a) Rosana parece triste. c) muro, igreja, forma e boca.
b) Marcelo chegou contente. d) morro, igreja, forma e boca.
c) A notícia deixou-me preocupado.
d) O professor corrigiu as provas. Resolução:
Alternativa: “A”
Resolução:
Verbo de ligação é aquele que, sem denotar ação, 184. Assinale a alternativa incorreta quanto à pon-
liga um atributo (estado, condição ou característica) tuação:
ao sujeito da oração. Tal atributo se denomina Predi- a) A vítima, inquieta, esperava o socorro médico.
cativo do Sujeito. b) Inquieta, a vítima esperava o socorro médico.
c) A vítima, esperava inquieta o socorro médico.
Os principais verbos de ligação: ser, estar, parecer, d) A vítima esperava inquieta o socorro médico.
ficar, permanecer, continuar, jazer, tornar-se; acabar
(= ficar), andar (= parecer), cair ( = ficar), Resolução:
virar (= tornar-se), viver (= ser, estar). Nota: Esta questão foi adaptada para possibilitar
Exemplo: “Rosana parece triste.” resposta que condissesse com o enunciado.
Lembrete: Não basta que o verbo esteja incluído Não se separa o sujeito do predicado: “A vítima
na lista acima para que seja considerado Verbo de Li- esperava inquieta...” (e não: A vítima, esperava inquie-

36

ta...). a) hífem, cárie, céu.


b) enchente, enxofre, chumbo.
Observação: Não se deve confundir a separação
c) anjo, caçula, anjélico.
do sujeito do predicado com os casos de intercalação
d) açúcar, lage, pesquisa.
de um termo oracional entre o sujeito e o predicado; ou
caso de antecipação de um termo da oração.
Resolução:
É o que ocorre, respectivamente, nas alternativas
Observe: Grafam-se corretamente hífen, cárie, céu,
“a”, e “b”.
enchente (de cheio), enxofre (após en, emprega-se x),
Alternativa: “C” chumbo, anjo, caçula, anjo, angélico, açúcar, laje, pes-
quisa.
185. Assinale a alternativa em que todas as pala-
Alternativa: “B”
vras são acentuadas:
a) juizo, tecnico, gaucho, companhia, titulo.
189. Assinale a alternativa em que a crase indica-
b) coquetel, último, terraqueo, ziper, movei.
da está incorreta:
c) limpido, remedio, microbio, funebre, gratis.
a) Desobedeci, justificadamente, à ordem do
d) raiz, rainha, labio, lagoa, patio.
sargento.
b) Paguei os honorários à advogada.
Resolução:
c) Não respondi à carta de Maria.
Observe: límpido, fúnebre (acentuam-se grafica- d) Não pisem à grama.
mente todas as proparoxítonas); remédio, micróbio
(acentuam-se graficamente paroxítona terminada em Resolução:
ditongo); grátis (acentuam-se graficamente as paroxí-
Para que ocorra crase necessária se faz a fusão da
tonas não terminadas em: a, e, o, em, ens)
preposição “A” (exigida pelo termo antecedente) com
Alternativa: “C” o artigo feminino “A” (admitido pela palavra femini-
na seguinte), resultando a pronúncia de um único “A”
186. Assinale a alternativa em que todas as pala- que, em razão disso, deve ser grafado com acento gra-
vras devem ser completadas com “s”: ve (“à”).
a) amoro_o, simpati_ar, pi_o.
Regra Prática: substitui-se a palavra feminina por
b) parali_ia, sacerdoti_a, montanhê_.
outra masculina. Ocorrendo ao, marca-se o “a” com
c) bati_ar, desli_ar, fri_ar.
acento de crase.
d) Ande_, magre_a, cortê_.
Exemplos:
Resolução:
Desobedeci à ordem. (Desobedeci ao pedido.)
Grafam-se com “z”: simpatizar, batizar, deslizar,
Paguei à advogada. (Paguei ao advogado.)
magreza.
Não respondi à carta. (Não respondi ao pedido.)
Assim, todas as demais palavras grafam-se com “S”.
Não Pisem a grama, (Sem acento de crase, pois
Alternativa: “B”
não se diz: “Não pisem ao tapete”.)
187. Assinale a alternativa em que ambas as pa- Nota: Observe a regência dos verbos apresenta-
lavras devem ser completadas com “g”: (con- dos na questão:
forme o Novo Acordo Ortográfico)
Desobedecer – VTI > constrói-se com a preposi-
a) aborda_em, can_ica.
ção A
b) aterra_em, _iboia.
c) baga_em, pa_em. Pagar – VTDI > pede OD de coisa e OI de pessoa.
d) gara_em, mar_em. (prep. A)
Responder coisa: VTI com prep. A
Resolução:
Alternativa: “D”
Observe: Com “G” > garagem, margem, aborda-
gem, aterragem, bagagem
190. Assinale a alternativa em que não há erro de
Com “J” > jiboia, pajem, canjica concordância nominal:
a) Homens e mulher honesta.
Alternativa: “D”
b) Blusas violetas.
188. Assinale a alternativa em que todas as pala- c) Deliciosos frango e costela assada.
vras estão corretamente grafadas: d) Incluso envio o pedido e o dinheiro.

37

Resolução: Sujeito representado por substantivo próprio no


plural: se acompanhado de artigo no plural, o verbo
Quando se trata de concordância nominal, deve-
deve ir para o plural – “Os Estados Unidos são um gran-
mos observar o seguinte:
de país. Caso esse substantivo venha sem artigo ou se
Havendo choque de gênero, o adjetivo posposto este vier no singular, o verbo fica no singular: Campos
pode ir ao plural masculino ou concordar com o subs- foi a primeira cidade a ter luz elétrica.
tantivo mais próximo. Assim: “Homens e mulher ho-
Sujeito envolvendo número percentual determina
nesta”.
que o verbo concorde com esse número: “Trinta por
Anteposto, “o adjetivo deve concordar com o subs- cento da produção será exportado.”
tantivo mais próximo”. Assim, “delicioso frango e cos-
Alternativa: “C”
tela”.
A expressão “Incluso” deve concordar com o(s) 193. (CPC/2002) Assinale a alternativa em que a
substantivo(s) a que se referem: “Inclusos envio o pedi- colocação do pronome oblíquo está correta:
do e o dinheiro”. (igual a questão 153)
a) Sei que criticaram-nos.
O substantivo, quando usado para indicar cor,
b) Aquilo aborreceu-me.
deve permanecer invariável. É o caso de Blusas violeta
c) Dir-lhe-ei tudo o que sei.
(Blusas [cor de] violeta).
d) Em pondo-se o sol, vão-se os pássaros.
Alternativa: “A”
Resolução:
191. (CPC/2002) Assinale a alternativa em que não
Tratando-se de colocação pronominal, observe-
há erro de concordância nominal:
mos o seguinte:
a) Homens honesto.
b) Blusas limão. – Ocorre próclise sempre que, antes do verbo, há
c) Delicioso frango e costela assadas. pronome demonstrativo.
d) Inclusos envio o pedido.
– A palavra “que” (antes do verbo) também deter-
mina a próclise.
Resolução:
– O gerúndio, quando antecedido da preposição
Quando se trata de concordância nominal, deve-
“em”, obriga a próclise.
mos observar o seguinte:
– Com forma verbal no futuro do presente ou do
O adjetivo deve concordar em gênero e número
pretérito, ocorre mesóclise; desde que essa forma ver-
com o substantivo a que se refere. Assim: “Homens ho-
bal não venha antecedida de palavra que justifique a
nestos”, “delicioso frango e costela assada”, “incluso en-
próclise.
vio o pedido”. O substantivo, quando usado para indi-
car cor, deve permanecer invariável. É o caso de Blusas Alternativa: “C”
limão. (Blusas [cor de] limão).
194. (CFS I/2002) A palavra “alvará” é acentuada
Alternativa: “B”
pelo mesmo motivo que:
a) nós, balé, óxido.
192. (CPC/2002) Assinale a alternativa em que há
b) mágoa, ídolo, pêra.
erro de concordância verbal: (igual a questão
c) dendê, cipó, após.
112)
d) Canadá, afável, Paraná.
a) O pessoal ainda não chegou.
b) Os Estados Unidos são um grande país.
Resolução:
c) Campos foram a primeira cidade da Améri-
ca do Sul a ter luz elétrica. Toda palavra oxítona terminada em: “a, e, o, em”,
d) Trinta por cento da produção serão expor- seguida ou não de “S”, deve trazer acento gráfico: alva-
tados. rá, dendê, cipó, após.
Alternativa: “C”
Resolução:
Quanto à concordância verbal, observemos o se- 195. (CPC/2008) Não apresentam erro na flexão de
guinte: plural, salvo:
a) o tórax – os tórax.
Sujeito representado por substantivo coletivo traz
b) o pires – os pires.
o verbo no singular:
c) a gravidez – as gravidez.
“O pessoal ainda não chegou.” d) o ônus – os ônus.

38

Resolução: zia uma batucada infernal. Um turbilhão de sentimen-


tos nos acodem.
Os substantivos: tórax, pires, ônus são invariáveis
no plural. Isto é, indicam o plural por meio do determi- Sujeito envolvendo a palavra que (para alguns,
nante (geralmente, artigo). pronome relativo) leva o verbo a concordar com o pro-
nome anteposto ao que: Fui eu que falei a verdade.
Já, o mesmo não ocorre com o substantivo gravi-
dez, cujo plural é efetuado no próprio corpo do subs- Alternativa: ”D”
tantivo: gravidezes.
199. (CFSI/2002) Não ocorre crase em:
Alternativa: “C”
a) Às vezes, ele vem à minha casa.
b) Vamos àquela biblioteca.
196. (CFS I/2002) As palavras: “eminente e iminen-
c) Chegarei às nove horas.
te”; “estripar e extirpar”;“vós e voz” são, res-
d) Ele começou à trabalhar ontem.
pectivamente:
a) parônimas, parônimas e homônimas.
Resolução:
b) parônimas, homônimas e antônimas.
c) homônimas, parônimas e sinônimas. Não se emprega o acento indicador de crase dian-
d) sinônimas, sinônimas e homônimas. te de verbos.
“Ele começou a trabalhar.”
Resolução:
Alternativa: ”D”
Eminente / iminente (parônimas), estripar / extir-
par (parônimas), vós / voz (homônimas). Assim, temos 200. (CFSI/2002) Assinale a frase em que não há
que são homônimas as palavras que são idênticas na erro de regência:
pronúncia ou na grafia. Parônimas são aquelas que a) A mãe beijou e abraçou ao filho.
apresentam semelhanças. Não apresentam, portanto, b) Aceito e concordo com essas ideias.
qualquer ponto de identidade, quer na grafia quer na c) Gosto desse assunto e discuto-o frequente-
pronúncia. mente.
Alternativa: “A” d) Não é correto que ele saia daqui a todo mo-
mento.
197. (CFS I/2003). Assinale a alternativa em que o
uso da crase está incorreto: Resolução:
a) Estava à disposição. Verbos de regências diferentes não podem ter por
b) Aspiro àquela vaga. complemento a mesma expressão. Assim, não pode-
c) A cidade à qual iremos possui praias. mos dizer: “Aceito e concordo com essas ideias.”
d) Este é o autor à cuja obra me refiro.
Observe que o verbo “aceitar” é transitivo direto.
Resolução: Pede, pois, objeto direto. Já, o verbo “concordar” é tran-
sitivo indireto. Exige preposição (“com”) para ligar-se
Não se usa acento de crase em relação ao prono-
ao seu complemento que, no caso, é objeto indireto.
me relativo cujo, pois esse pronome não admite artigo:
Esse é o autor a cuja obra me refiro. Portanto, devemos dizer e escrever: “Aceito essas
ideias e concordo com elas.”
Alternativa: “D”
Alternativa: “D” ?
198. (CFS II/2002) Aponte a alternativa que apre-
senta erro gramatical, referente à concordân- 201. (CFSI/2002) Assinalar a frase correta:
cia verbal: a) A bebida deixou-os meios tontos.
a) Um bando de estudantes fazia uma batuca- b) Ela mesmo pintou a porta.
da infernal. c) Encontrou doente a filha e a sobrinha.
b) Um turbilhão de sentimentos nos acodem. d) Água potável é bom às refeições.
c) O povo aplaudia o orador.
d) Fui eu que falou a verdade. Resolução:
Expressões do tipo: É proibido, é bom, é necessário,
Resolução: é obrigatório, é facultativo etc. oferecem duas possibili-
Sujeito representado por substantivo coletivo, re- dades de concordância:
gra geral, leva o verbo, para o singular. Contudo, se o “Água potável é bom...”
coletivo vem acompanhado de expressão no plural, o
verbo pode ficar tanto no singular como no plural: O “A água potável é boa.”
povo aplaudia o orador. Um bando de estudantes fa-

39

A palavra “meio” empregada com valor de: “um Os pronomes de tratamento exigem verbo na ter-
pouco”, “um tanto”, “mais ou menos”. Exemplo: “A be- ceira pessoa: “Solicito que Vossa Senhoria jogue...”
bida deixou-os meio tontos”. A palavra “mesmo” deve
Alternativa: “B”
concordar com o substantivo ou pronome a que se re-
fere. Exemplo: ”Ela mesma pintou a porta.” 205. (CFSI/2002) Assinale a alternativa que apre-
O adjetivo que funciona como predicativo do obje- senta o uso incorreto do pronome pessoal:
to deve concordar no plural com os núcleos do objeto. a) Mandei-o entrar.
“Encontrou doentes a filha e a sobrinha.” b) A mim ensinou-me tudo.
c) Concordo plenamente consigo.
Alternativa: “D”
d) Isso não é trabalho para eu fazer.
202. (CFSI/2002) Assinalar a frase errada:
Resolução:
a) Erva-cidreira é bom para os nervos.
b) Conhecia as teorias francesas e americanas. O pronome “consigo” é reflexivo de terceira pes-
c) Foram direto para o banho. soa. Portanto só pode ser usado quando se refere ao
d) Comprou cinco meias garrafas. próprio sujeito. Exemplo: “O vento trouxe consigo a
saudade.” (consigo = com ele).
Resolução:
Alternativa: “C”
Expressões do tipo; É proibido, é bom, é necessário,
é obrigatório, é facultativo etc. oferecem duas possibili- 206. (CFSI/2002) Assinale a alternativa que apre-
dades de concordância: “Erva-cidreira é bom...” senta a pontuação correta:
a) Cada qual tem o ar que Deus lhe deu.
“A erva-cidreira é boa...” Dois adjetivos, referindo-
b) Cada qual, tem o ar que Deus lhe deu.
se a um só substantivo, oferecem as seguintes possibili-
c) Cada qual, tem o ar, que Deus lhe deu.
dades de concordância: Conhecia a teoria francesa e a
d) Cada qual tem, o ar que Deus lhe deu.
americana. “Conhecia as teorias francesa e americana.
O adjetivo pode ser usado com valor de advérbio Resolução:
(neste caso, fica invariável): É princípio geral de pontuação: não separar o su-
“Foram direto para o banho.” (direto = diretamen- jeito do verbo nem este de seus complementos.
te). A palavra meio, significando metade, concorda Alternativa: ”A”
com o substantivo a que se refere: “... meias garrafas...”
Alternativa: “B” 207. (CFSI/2002) Assinale a alternativa que apre-
senta o gênero feminino correspondente a
203. (CFSI/2002) Assinale a alternativa que apre- “freguês”, “galo” e “sultão”, respectivamente:
senta o uso incorreto dos numerais: a) freguesia, pintinha, sultã.
a) Papa Paulo VI (sexto), casa 9 (nove). b) freguêsa, galinha, sultani.
b) Ato III (terceiro), artigo 10 (dez). c) freguesa, gala, marani.
c) Capitulo XI (onze), página 11 (onze). d) freguesa, galinha, sultana.
d) Século XXI (vinte e um), artigo 11 (décimo
primeiro). Resolução:
Alternativa: “D”
Resolução:
Na enumeração dos artigos de lei, empregam-se 208. (CFSI/2002) Na frase “O policial prendeu o au-
os ordinais até nono. De dez em diante, usam-se os daz meliante”, os termos grifados são, respec-
cardinais: “... artigo nono, artigo dez, artigo onze...” tivamente:
a) substantivo, adjetivo e pronome.
Alternativa: “D” b) adjetivo, artigo e advérbio.
c) artigo, pronome e adjetivo.
204. (CFSI/2002) Assinale a alternativa que apresen-
d) artigo, artigo e substantivo.
ta o uso correto do pronome de tratamento:
a) Solicito que V. Sa retireis o livro na estante. Resolução:
b) Solicito que V. Sa jogue a bola ao gol.
c) Solicito a V. Exa envies o recurso necessário. A palavra “o”, quando ligada a substantivo, é arti-
d) Solicito que V. Exa deferíeis meu recurso ad- go. Este, por sua vez, pode tornar substantivo qualquer
ministrativo. palavra que dele se aproxime. Exemplo: Não o vejo.
(não = advérbio). O não é palavra triste (não = subs-
Resolução: tantivo).

40

Observe-se que na oração proposta a palavra “o” Alternativa: “A”


acompanha “policial”, bem como se refere ao substan-
tivo meliante. 212. (CFS I/2003) No período Quando eram dez
horas, choveu, a oração destacada é:
Alternativa: ”D”
a) subordinada adverbial temporal.
b) subordinada substantiva subjetiva.
209. (CFS II/ 2002) Aponte a alternativa que apre-
c) coordenada sindética explicativa.
senta erro gramatical, referente à concordân-
d) principal.
cia nominal:
a) Muito obrigada — disse-me ela.
Resolução:
b) Desgarraram-se e agora permanecem sós.
c) João ficava a sós. Denomina-se oração principal aquela que tem um
d) Os jovens não estão quite com o serviço mi- de seus termos sob forma de oração. Observe que, no
litar. texto proposto, a oração “quando eram dez horas“ fun-
ciona como adjunto adverbial de tempo relativamente
Resolução: à oração “chove” a qual, por isso, denomina-se oração
principal.
Observe: “obrigado” concorda com a palavra a
que se refere; “só”, quando significa sozinho, deve con- Alternativa: “D”
cordar com a palavra a que se refere. Já a expressão “a
sós” é sempre invariável. A palavra “quite” (quitado) 213. (CFS I/2002) Na oração “A cidade dormia
deve sempre concordar com o substantivo ou pronome quieta”, o termo grifado é sintaticamente:
a que se refere: “Os jovens não estão quites...” a) sujeito.
b) adjunto adverbial.
Alternativa: “D”
c) aposto.
d) predicativo do sujeito.
210. (CFS I/2003) Assinale a alternativa que com-
pleta corretamente as lacunas do período
Resolução:
“Ela ________ não sabia se as declarações de-
viam ou não __________ ao processo. Denomina-se Predicativo do Sujeito o termo re-
presentado morfologicamente por um nome (adjetivo,
a) mesma, ir anexas.
substantivo, pronome ou numeral) que, estando den-
b) mesma, ir anexo.
tro do predicado, funciona como um caracterizador do
c) mesma, Irem anexas.
sujeito.
d) mesmo, ir anexos.
Observe que, na oração proposta, “quieta” serve
Resolução: como caracterizador do sujeito (“a cidade”).
Observe a concordância: “Ela mesma não sabia se Alternativa: “D”
as declarações deviam ou não ir anexas ao processo.
Na locução verbal, o sujeito comum aos dois verbos 214. (CFS I/2003) Na oração “Serginho, não provo-
exige infinitivo não flexionado (as declarações de- que o juiz’, o termo grifado é:
viam ir). a) sujeito.
b) objeto direto.
Alternativa: “A”
c) aposto.
d) vocativo.
211. (CFS I/2003) Assinale a alternativa que com-
pleta corretamente as lacunas do período
Resolução:
“Ela estava______ irritada e, à _______ voz,
porém com ______ razões, dizia _______ de- Lembremo-nos de que o vocativo não pertence à
saforos.” estrutura lógica da oração. Serve apenas para repre-
sentar um chamamento. Admite a interjeição “Ó!” Por
a) meio, meia, bastantes, bastantes.
isso, pode vir em qualquer ponto da oração: ”Serginho,
b) meia, meia, bastante, bastante.
não provoque o juiz.” (Ó! Serginho...).
c) meia, meia, bastantes, bastantes.
d) meio, meio, bastante, bastante. Já o aposto serve, geralmente, para explicar: “Pom-
pônio, nosso melhor amigo, acidentou-se ontem.
Resolução:
Observe que a expressão “nosso melhor amigo”
A palavra “bastante”, significando muitos, muitas, esclarece quem é Pompônio.
suficientes (quando posposta ao substantivo), concor-
Regra prática: No vocativo, fala-se com...
da com o substantivo a que se refere; podendo, pois, ir
para o plural: “... dizia bastantes desaforos.” Já, no aposto, fala-se de...

41

Alternativa: “D” fiar.” Vê-se que aqui o pronome cujo está submetido à
regência do verbo “confiar”. (Quem confia, confia em...).
215. (CFS I/2003) O sujeito da oração “Precisa-se
Alternativa: ”A”
de datilógrafos” é:
a) Oculto.
218. (CFS I/2003) Assinale a construção gramatical
b) inexistente.
incorreta:
c) indeterminado.
a) Sem mim, ninguém fechará o negócio.
d) datilógrafos.
b) Isto é para mim?
c) Por mim, podem revelar a verdade.
Resolução:
d) Entre eu e ele não há mais nada a dizer.
A palavra “se” junto a verbos transitivos indiretos,
torna o sujeito indeterminado, exigindo que o verbo Resolução:
permaneça no singular. Nesse caso a palavra “se” fun-
Os pronomes eu e tu (retos) não podem ser usa-
ciona como índice de indeterminação do sujeito. A pa-
dos com preposições (entre as quais se inclui a prepo-
lavra ou expressão, que se segue à palavra SE, é objeto
sição entre). Devemos, pois, substituí-los pelos res-
indireto.
pectivos oblíquos mim e ti. Trata-se, portanto, de erro
Alternativa: “C” grosseiro falar ou escrever: Entre eu e ele. O correto é
Entre mim e ele.
216. (CFS I/2003) Na oração “Oferecemos uma me-
Alternativa: “D”
dalha ao primeiro colocado”, há:
a) objeto direto e objeto indireto.
219. (CFS II/2003) A oração grifada, no período
b) objeto direto e aposto.
“Dona Luisa fora para lá porque estava só”,
c) objeto indireto e agente da Passiva.
exprime a ideia de:
d) objeto Indireto e complemento nominal.
a) condição.
b) causa.
Resolução:
c) explicação.
Na oração proposta, o verbo oferecer está fun- d) finalidade.
cionando como transitivo direto e indireto. Apresenta,
pois, dois objetos: um direto (sem preposição): uma Resolução:
medalha; outro indireto (com preposição): ao primeiro
A ideia de causa torna-se mais clara, se invertemos
colocado.
as orações: Porque estava só, Dona Luísa fora para lá.
Alternativa: “A”
Observação: Essa inversão não dará resultado,
caso a conjunção porque tenha valor explicativo: Não
217. (CFS I/2003) Assinale a alternativa em que o
corra, porque você pode cair.
pronome relativo está empregado correta-
mente: Alternativa: “B”
a) É um cidadão em cuja honestidade se pode
confiar. 220. (CFS II/2003) Na oração “Falava-se baixo, num
b) Feliz o pai cujo os filhos são ajuizados. burburinho, num zunzum”, o sujeito é:
c) Comprou uma casa maravilhosa cuja casa a) oculto.
lhe custou uma fortuna. b) indeterminado.
d) Preciso de um pincel delicado, sem o cujo c) composto.
não poderei terminar o meu quadro. d) inexistente.

Resolução: Resolução:
Prestemos atenção! O pronome relativo cujo não Uma das maneiras de se indeterminar o sujeito é
admite artigo quer anteposto quer posposto. Assim, servindo-se da palavra SE junto a verbos intransitivos
consideram-se erro grosseiro construções como: (ou tomados como tal): Falava-se baixo...
“cujo os filhos..” “sem o cujo”. Esse pronome tam- Alternativa: “B”
bém não pode ser usado entre palavras repetidas:
“uma casa cuja casa...” 221. (CFS II/2003) Assinale a alternativa em que
o adjetivo está no grau superlativo absoluto
Devemos lembrar também que, como todo prono- sintético:
me relativo, o pronome cujo se submete à regência do a) João é inteligentíssimo.
verbo ou nome aos quais se prende pelo sentido: b) Luis é muito inteligente.
“É um cidadão em cuja honestidade se pode con- c) Paulo é o mais estudioso da turma.

42

d) Juvenal é o menos habilidoso da equipe. nome tua; isso significa que o falante trata seu interlo-
cutor por tu. Assim, esse tratamento deve ser mantido
Resolução: em todo texto.
A forma “íssimo” já caracteriza o superlativo ab- Lembremos também que não se deve empregar o
soluto sintético. pronome mim não pode funcionar como sujeito; prin-
Alternativa: “A” cipalmente de verbo no infinitivo.
Considerando-se tais aspectos, temos que a for-
222. (CFSI I/2003) Assinale a alternativa em que ma correta é “Tua secretária disse para eu esperar, en-
todas as palavras há dígrafo: quanto tu resolvias outros problemas.”
a) ficha, guerra, florescer.
b) velho, calar, romper. Alternativa: “D”
c) seguir, pareça, cobre.
225. (CFSIII/2003) O Brasil jovem está “curtindo” o
d) exceder, simetria, preceder.
vestibular.
Resolução: Os termos sublinhados, no período acima,
Denomina-se dígrafo o conjunto de duas letras são respectivamente:
que corresponde a um único fonema. São dígrafos: CH, a) adjunto adnominal e objeto direto.
LH, NH, RR, SC, SÇ, SS, XC, GU e QU (quando o “U” não b) adjunto adverbial e objeto direto.
for pronunciado. c) adjunto adnominal e objeto indireto.
d) adjunto adverbial e predicativo do sujeito.
Alternativa: “A”
Resolução:
223. CFSI I/2003) Na oração “As almas são incomu-
nicáveis” o predicado é: O adjetivo que, na oração, acompanha substanti-
a) verbal. vo, modificando-o, funciona como adjunto adnominal.
b) nominal. Denomina-se objeto direto o termo que completa ver-
c) verbo-nominal. bo transitivo direto sem auxílio de preposição. Isso fica
d) anômalo. mais claro, se raciocinarmos assim: “quem “curte”, cur-
te algo. O Brasil jovem curte algo? Sim, o vestibular!
Resolução: Temos, pois, que a expressão “o vestibular” completa o
verbo curtir; funcionando, assim, como complemento
Denomina-se predicado nominal aquele cujo nú-
desse verbo, portanto Objeto Direto.
cleo é um nome (substantivo, adjetivo, pronome ou
numeral), que se denomina Predicativo do Sujeito, o Alternativa: “A”
qual concentra tudo o que se diz do sujeito. ”As almas
são incomunicáveis.” 226. (CFSIII/2003) Na oração “Aspira-se a postos
elevados”:
Assim, no predicado nominal, o verbo é vazio de a) a postos elevados é sujeito da oração.
sentido, serve apenas como liame entre o sujeito e o b) a postos elevados é objeto indireto.
predicativo. Daí, por que se denomina verbo de ligação. c) aspira-se é verbo transitivo direto.
Alternativa: “B” d) a postos elevados é objeto direto preposi-
cionado.
224. (CFSIII/2003) Assinale a alternativa que com-
pleta corretamente as lacunas “Tua secretária Resolução:
disse para _____ esperar, enquanto _____ re- Observe que a expressão a postos elevados fun-
solvias outros problemas”. ciona como complemento do verbo aspirar que é tran-
a) mim, você. sitivo indireto (quem aspira, aspira a alguma coisa),
b) eu, ti. mediante a preposição a. Trata-se, pois, de objeto in-
c) mim, tu. direto.
d) eu, tu.
Alternativa: “B”
Resolução:
227. (CPC/2004) Na frase “Andando ___ pé, em
O foco da questão envolve dois aspectos do uso companhia da esposa, o réu dirigia-se ___ ela
dos pronomes: uniformidade de tratamento e o proble- como uma pessoa estranha.”
mático uso do pronome pessoal oblíquo (mim) junto a
Assinale a alternativa que completa correta-
verbo no infinitivo.
mente a lacuna:
Observe que o texto proposto se inicia com o pro- a) à, à.

43

b) a, a. 231. (CPC/2004) “Não só estudou, mas também


c) à, a. trabalhou.”. O termo grifado é uma oração co-
d) a, à. ordenada sindética:
a) aditiva.
Resolução: b) adversativa.
Lembremos que não ocorre o fenômeno da crase c) explicativa.
diante de palavra masculina nem diante de pronome d) alternativa.
pessoal reto, mesmo quando flexionado no feminino:
Resolução:
“Andando a pé... o réu dirigia-se a ela...
A locução conjuntiva não só __, mas também__
Alternativa: “B”
é de natureza aditiva.
228. (CPC/2004) Assinale a alternativa em que Assim, a oração grifada classifica-se como coorde-
ocorre erro, quanto ao emprego da vírgula: nada sindética aditiva.
a) Meu tio, um velho professor de desenho,
Observe que não se deve analisar a oração pedida,
gostava de museus.
tendo em vista apenas a palavra mas, tomando-a por
b) Pessoal, o lanche chegou.
adversativa. Não! Deve-se levar em conta que se trata
c) Estudou mas não aprendeu nada.
de locução conjuntiva que traz uma parte na primeira
d) Eu leio livros, você, jornais.
oração; outra, na oração seguinte.
Resolução: Alternativa: “A”
A oração coordenada sindética adversativa deve
232. (CPC/2004) Assinale a alternativa em que há
ser separada da anterior por vírgula: “Estudou, mas
o emprego do adjunto adverbial de dúvida:
não passou.”
a) Não tente enganarmos.
Alternativa: “C” b) Ele saiu às pressas.
c) Hoje ele virá cedo.
229. (CPC//2004) Assinale a alternativa em que to- d) Talvez eles voltem.
dos os substantivos são de gênero masculino:
a) cônjuge, guaraná, alvará. Resolução:
b) champanha, alface, sentinela.
A palavra talvez é advérbio. Por essa razão, sin-
c) cal, dó, eclipse.
taticamente, na oração, funciona como adjunto ad-
d) agravante, personagem, dinamite.
verbial. Lembremos que, sintaticamente, o advérbio só
Resolução: pode funcionar como adjunto adverbial.

São masculinos: alvará, champanha, cônjuge, dó Alternativa: “D”


(sentimento), eclipse, guaraná.
233. (CPC/2004) Ocorre vocativo em:
Alternativa: “A” a) Serginho, o melhor aluno da sala, tirou nota
dez.
230. (CPC/2004) Na frase: “Come-se bem naquele b) A casa, o pasto, tudo foi destruído.
restaurante”, assinale a alternativa correta: c) Na verdade, seus amigos nada fizeram para
a) o sujeito é simples. ajudá-lo.
b) o sujeito é composto. d) Meu amigo! Não se preocupe com tais coisas.
c) o sujeito é indeterminado.
d) a oração é sem sujeito. Resolução:

Resolução: Entende-se por vocativo a expressão que serve


para se fazer um chamamento. No caso, pressupõe a
A palavra SE funciona com índice de indetermina- interjeição (vocativa) “ó!”: [ó!] Meu amigo! Não se pre-
ção do sujeito junto a verbos intransitivos (ou tomados ocupe...
como tal), tornando indeterminado o sujeito da ora-
ção. Alternativa: ”D”

Observe que o verbo comer, no caso, é tomado 234. (CFSI/2004) “Vou-me embora pra Pasárgada”.
como verbo intransitivo, uma vez que não se lhe foi
Embora (em + boa + hora) = processo de for-
atribuído nenhum objeto.
mação de palavras a que chamamos:
Alternativa: “C” a) derivação prefixal.
b) derivação sufixal.

44

c) composição por justaposição. (polissíndeto) e (facultativamente) quando os su-


d) composição por aglutinação. jeitos das orações forem diferentes.
“E cai, e chora, e geme, e adormece!” O vaquei-
Resolução:
ro saíra rapidamente, e a pobre noiva ficara ali,
Chamamos de Composição por Aglutinação o olhos esbugalhados!
processo pelo qual formamos uma palavra nova pela
Alternativa: “A”
junção de mais de uma palavra num único bloco, ha-
vendo, para isso, o descarte de partes de cada uma das
237. (Crase) Assinale a alternativa que preenche
palavras que entram nessa composição, o que provoca
corretamente as lacunas:
a aglutinação do que restou de cada uma delas.
“___ noite, todos os operários voltaram ___
É o que ocorre com a palavra embora, na qual
fábrica e só deixaram o serviço ___ uma hora
houve a junção das palavras em + boa + hora, as
da manhã”.
quais, após o descarte mencionado, aglutinam-se, for-
mando o vocábulo “EMBORA”. a) Há, à, à.
b) A, a, a.
Alternativa: “D”
c) À, à, à.
d) À, a, há.
235. (CFSI/2004) “Talvez seja bom que o proprietá-
rio do imóvel possa desconfiar de que ele não
Resolução:
é tão imóvel assim”.
Observe a correspondência: à noite (ao anoite-
A palavra destacada é respectivamente:
cer); voltaram à fabrica (ao depósito), à uma hora (ao
a) substantivo e substantivo.
meio-dia).
b) substantivo e adjetivo.
c) adjetivo e verbo. Alternativa: “C”
d) adjetivo e advérbio.
238. (Morfossintaxe) “Lembre-se de que todos se-
Resolução: rão aprovados”. A oração sublinhada é:
a) objetiva indireta.
O artigo substantiva qualquer palavra com a qual
b) apositiva.
venha a ligar-se.
c) adjetiva explicativa.
Assim, temos: “Ele não é tão imóvel assim.” Aqui d) objetiva direta.
imóvel é adjetivo. Em “proprietário do imóvel...”, por
vir acompanhada do artigo “o”, passa a classificar-se Resolução:
como substantivo. Num período composto, a oração que, após um
Alternativa: “B” verbo, vem introduzida por preposição + conjunção
integrante “que” classifica-se como Objetiva Indireta.
236. (CFSI/2004) Assinale a alternativa que apre-
“Lembre-se de que todos serão aprovados.”
senta correta pontuação:
a) Somos alma, somos cérebro, somos coração. Alternativa: “A”
b) São Paulo, 31 de janeiro, de 1967.
c) Lembra-te, de que somos mortais. 239. (Ortografia) Assinale a alternativa que NÃO
d) Chegou, e comprou a arma. apresenta erro de grafia:
a) Estava paralizado de medo.
Resolução: b) Relacione todas as excessões.
c) Não admito previlégio.
Não se deve usar vírgula: entre o verbo e seus obje-
d) Vamos organizar a festa.
tos; antes da conjunção “e”, antes da expressão do ano
nas datas. Assim devemos redigir: Resolução:
Lembra-te de que... Observe a grafia correta: paralisado, exceções, pri-
Chegou e comprou a arma. vilégio, organizar.
São Paulo, 31 de janeiro de 1967. Alternativa: “D”
Separam-se por vírgula as orações coordenadas 240. (Ortografia) Assinale a alternativa correta
assindéticas: luto, luto sempre! quanto à grafia:
Observação: Somente se admite a vírgula an- a) Era um mal aluno.
tes do da conjunção “E” quando esta vem repetida b) Ele se comportou mal.
c) O mau não tem remédio.

45

d) Mau chegou, já saiu. por palavra feminina, devem trazer acento de crase: Es-
tamos à espera de vagas. Outras locuções prepositivas:
Resolução: à procura de, à margem de, à volta de, à custa de.
O emprego de mal/mau, pode resumir-se nesta Alternativa: “A”
regra prática: ”Onde cabe bom cabe MAU. Onde não
cabe bom, cabe MAL. 244. (Pontuação) Assinale a alternativa incorreta
quanto à pontuação:
Alternativa: “B”
a) São Paulo, 15 de julho de 2005.
241. (Concordância) Complete o enunciado com a b) São Paulo, 15 de julho, de 2005.
opção correta: c) Pedro vestiu a blusa.
d) O menino saiu.
“Os cientistas encontraram ______ meios e
fórmulas para realizar a experiência”. Resolução:
a) novo.
Na indicação de datas, não emprega vírgula antes
b) nova.
da menção do ano:
c) novos.
d) novas. São Paulo, 15 de julho de 2005.
Alternativa: “B”
Resolução:
O adjetivo anteposto aos substantivos deve con- 245. (Concordância) Assinale a alternativa correta
cordar com o mais próximo. quanto à concordância verbal:
a) Hoje são dia 15 de julho.
“... novos meios e fórmulas.” (novas fórmulas e
b) Haviam muitos torcedores no jogo.
meios).
c) Joana são as alegrias do pai.
Alternativa: ”C” d) Vendem-se apartamentos.

242. (Ortografia) Complete corretamente as lacu- Resolução:


nas:
Na indicação dos dias do mês, vindo expressa a
“Meu ______ não deve ______ nas ______ de palavra dia, o verbo ser deve ficar no singular. Hoje é
controle”. dia 15 de julho. O verbo haver (usado no sentido exis-
a) auxiliar, mecher, fichas. tencial) fica no singular: Havia muitos torcedores no
c) auxiliar, mecher, fixas jogo.
b) auxilhar, mexer, fixas.
O verbo ser fica no singular, quando o sujeito é
d) auxiliar, mexer, fichas.
nome de pessoa, ainda que o predicativo venha no plu-
Resolução: ral: Joana é as alegrias do pai.

Observe a grafia correta: auxiliar, mexer, fichas. Nas construções com voz passiva sintética ou pro-
nominal, o verbo deve concordar com a expressão que
Alternativa: “D” funciona como sujeito (geralmente, colocada à frente
do pronome apassivador se): Vendem-se aparta-
243. (Crase) Assinale a alternativa correta quanto
mentos.
à ocorrência da crase:
a) Estamos à espera de vagas. Alternativa: “D”
b) Refiro-me à alunas ausentes.
c) Transmita o recado à Vossa Excelência. 246. (Morfologia) Assinale a frase em que “meio”
d) Comprou roupas caras e pagou à ela. funciona como advérbio:
a) Só quero meio quilo.
Resolução: c) Parou no meio da rua.
b) Comprou um metro e meio.
Observe que não se deve usar o acento de crase
d) Achei-o meio triste.
quando “a” (no singular) vier seguido de palavra no
plural: Refiro-me a alunas ausentes. Resolução:
Igualmente, não se deve usar acento de crase A palavra meio é classifica como advérbio, quan-
diante de pronome pessoal (inclusive de tratamento): do se refere a adjetivo: Achei-o meio triste. Observe-se
Transmita o recado a Vossa Excelência. E pagou a ela. que, nesse caso, a palavra meio traz o sentido de um
As locuções prepositivas, que sempre terminam pouco, um tanto, mais ou menos.
por preposição, quando possuem núcleo representado Alternativa: ”D”

46

247. (Regência Verbal) Quanto à regência, assina- Resolução:


le a alternativa correta:
A expressão dia sete funciona como aposto, uma
a) Assistiu o programa.
vez que esclarece, explica o termo anterior “hoje”.
b) A classe obedeceu o professor.
c) Chegou ao Brasil. Alternativa: “D”
d) Preferi almoçar do que jantar.
251. (Concordância Nominal) Aponte a alternativa
Resolução: em que a concordância é inaceitável:
a) Seguem anexos os documentos.
O verbo assistir (no sentido de ver) exige preposi-
b) Os soldados sempre estão alertas.
ção “A”: Assistiu ao programa.
c) Na porta de entrada, lia-se: “Proibida a en-
O verbo obedecer constrói-se com a preposição trada de pessoas sem camisa”.
“A”: Obedeceu ao professor. d) Divulgaram-se os resultados.
O verbo preferir constrói-se como Verbo Transitivo
Resolução:
Direito e Indireto (regido pela preposição “A”): Preferi
almoçar a jantar. Em se tratando do verbo chegar, de- A palavra alerta é invariável: Os soldados estão
vemos lembrar que a construção correta é Chegou ao sempre alerta.
Brasil (nunca: Chegou no Brasil.) Alternativa: ”B”
Alternativa: “C”
252. (Crase) Assinale a alternativa correta quanto
248. (Pronome) Indique a alternativa que foge ao à ocorrência de crase:
padrão formal, por se ter empregado “mim” a) Os alunos estavam lado à lado.
em lugar de “eu”: b) Ele ficou à ver navios.
a) Todos vieram até mim. c) Solicitei o documento a Vossa Senhoria.
b) Este livro é para mim ler. d) Ela nunca vai à festas.
c) Perante mim ninguém falou.
d) Entre mim e você não há problema. Resolução:
Observe que não se deve usar o acento de crase
Resolução: quando “a” (no singular) vier seguido de palavra no
O pronome mim não pode funcionar como sujeito plural: Ela nunca vai a festas.
de um verbo no infinitivo. Igualmente, não se deve usar acento de crase tan-
Assim, deve-se dizer e escrever: Este livro é para to diante de pronome pessoal (inclusive de tratamento)
eu ler. quanto diante de verbo. Igualmente o acento de crase
não deve ser usado entre palavras repetidas (mesmo
Alternativa: “B”
que sejam femininas): Os alunos estavam lado a lado
(frente a frente).
249. (Regência Verbal) Quanto à regência, indique
a alternativa correta: (questão muito pareci- Alternativa: ”C”
da com a 247)
a) Assistiu o programa. 253. (Concordância Verbal) Assinale a alternati-
b) Preferia almoçar a jantar. va que preenche corretamente as lacunas,
c) Chegou no Brasil. “______ anos que ela partiu, _______ uns dez
d) A classe obedeceu o professor. anos que não nos encontramos”.
a) Faz, deve fazer.
Resolução: b) Fazem, devem fazer.
c) Faz, devem fazer.
O verbo preferir constrói-se como Verbo Transitivo
d) Fazem, deve fazer.
Direito e Indireto (regido pela preposição “A”): Preferi
almoçar a jantar.
Resolução:
Alternativa: “B”
O verbo fazer se comporta como impessoal (sem
sujeito) quando usado para indicar decurso de tempo;
250. (Morfossintaxe) Em “Hoje, dia 7, é aniversário
devendo, por isso, permanecer na terceira pessoa do
dela”, expressão grifada funciona como:
singular; transmitindo, também nesse caso, a impesso-
a) vocativo.
alidade para o eventual verbo auxiliar que o acompa-
b) advérbio.
nhe.
c) agente da passiva.
d) aposto. Assim, observe: “Faz anos que ela partiu, deve fa-

47

zer uns dez anos que não nos encontramos.” dios.


Alternativa: “A” Alternativa: “D”

254. (Morfologia) Assinale o plural correto: 257. (Pontuação) Quanto à pontuação, assinale
a) alemãozinhos. a alternativa que NÃO está de acordo com a
b) alemãezinhos. norma culta e formal da Língua Portuguesa:
c) alemãoszinhos. a) Os candidatos, em fila, aguardavam ansio-
d) alemãeszinhos. sos o resultado do concurso.
b) Os candidatos, aguardavam ansiosos, em
Resolução: fila, o resultado do concurso.
Observe o seguinte quanto ao plural dos diminu- c) Em fila, os candidatos aguardavam ansio-
tivos: sos, o resultado do concurso.
d) Ansiosos, os candidatos aguardavam, em
Coloca-se o substantivo (grau normal) no plural, fila, o resultado do concurso.
coloca-se o sufixo também no plural, juntando-se am-
bos e retirando-se o “S” eventual: Resolução:
Alemãozinho: alemãe(s) + zinhos = alemãezinhos. Não se deve separar, por vírgula, o sujeito do ver-
Alternativa: “B” bo: Os candidatos aguardavam...
Alternativa: “B”
255. (Ortografia) Assinale a alternativa que com-
pleta adequadamente a frase: “Ela nos con- 258. (Ortografia) Preencha os espaços com as pa-
tou o _____ da viagem, _____ não quis partir lavras grafadas corretamente.
sem esclarecer a situação”.
“A ________ de uma guerra nuclear provoca
a) por quê – porque.
uma grande ________ na humanidade.”
b) porquê – por que.
c) porquê – porque. a) expectativa, tensão.
d) por que – por que. b) espectativa, tensão.
c) espectativa, tenção.
Resolução: d) expectativa, tenção.
Observe: o porquê (substantivo = o motivo),
Resolução:
porque (= pois).
Observe: expectativa = probabilidade, tensão =
Alternativa: “C”
excitação, tenção = intenção.
256. (Concordância) “Antigamente ______ povos Alternativa: “A”
que eram dizimados por doenças para as
quais não _____ remédios”. 259. (Ortografia) Complete corretamente as lacu-
nas:
Se você tivesse de completar as lacunas des-
“Minha _______ está ________ por culpa não
se período, respectivamente, com os verbos
sei de_____. (questão igual a 67)
HAVER e EXISTIR no imperfeito do indicativo,
a) pesquisa, atrasada, quê.
o único item, que indicaria simultaneamente
b) pesquisa, atrazada, quê.
as duas formas corretas seria:
c) pesquiza, atrasada, quê.
a) haviam – existiam.
d) pesquiza, atrasada, que.
b) havia – existia.
c) haviam – existia.
Resolução:
d) havia – existiam.
Observe a grafia correta: pesquisa, atrasada
Resolução: (atrás), quê (sempre acentuado em final de linha).
Como já se mencionou em comentários anterio- Alternativa: “A”
res, o verbo haver, quando usado para indicar existên-
cia, deve permanecer no singular: “... havia povos.” 260. (Morfossintaxe) “A Justiça limita o reajuste
dos planos de saúde.” O termo sublinhado é:
É muito comum confundir-se o verbo haver (exis-
a) Complemento nominal.
tencial) com o verbo existir, quando se quer indicar
b) Objeto direto.
existência. Contudo, basta lembrar que o verbo existir
c) Objeto indireto.
é sempre pessoal, isto é, sempre apresenta sujeito e, por
d) Adjunto adverbial.
isso, concorda com esse sujeito: ...não existiam remé-

48

Resolução: O gerúndio antecedido da preposição “EM” exige


próclise: “Em se tratando de...”
O termo sublinhado funciona como complemen-
to do verbo limitar (VTD); funciona, pois, como objeto Alternativa: “B”
direto desse verbo que a ele se une sem necessidade de
preposição. 264. (Semântica) Assinale a alternativa que com-
pleta corretamente as lacunas na frase “Era
Alternativa: ”B”
________ a chegada do ________ cidadão”.
261. (Pontuação) Assinale a alternativa correta a) eminente – eminente.
quanto à pontuação. b) eminente – iminente.
a) Apesar de, toda a atenção, o fato, passou c) iminente – iminente.
despercebido a todos. d) iminente – eminente.
b) Apesar de toda a atenção, o fato passou
despercebido a todos. Resolução:
c) Apesar de, toda a atenção o fato passou Observe a grafia e o significado:
despercebido a todos.
d) Apesar de toda a atenção o fato passou des- Iminente = prestes a acontecer.
percebido a todos. Eminente = ilustre.

Resolução: Alternativa: ”D”

O adjunto adverbial (“apesar de toda a atenção”), 265. (Morfologia) Assinale a alternativa correta
por vir no início do texto, deve estar seguido de pausa, quanto ao emprego do numeral:
isto é, separado por vírgula. a) D. João VI: D. João seis.
Já se mencionou anteriormente que não se deve b) Capítulo IX: capítulo nove.
usar vírgula entre o sujeito e o verbo: “... o fato não c) Parágrafo XXIII: parágrafo vinte e três.
passou despercebido a todos.” d) Capitulo XII: capitulo décimo segundo.

Alternativa: “B” Resolução:

262. (Ortografia) Assinale a alternativa onde hou- Na enumeração de reis, príncipes papas, capítulos
ver a acentuação correta dos verbos: e séculos, empregam-se os ordinais até décimo. De
a) Os diretores vêm para assembleia geral. onze em diante, emprega-se o cardinal: Dom João VI
b) O professor vêm à reunião. (sexto), capítulo IX (nono), capítulo XII (doze). Já, na
c) A venda do carro não convêm. enumeração dos artigos de lei e respectivos parágra-
d) Eles não vêm à escola hoje. fos, emprega-se o ordinal até nono; de dez em diante,
emprega-se o cardinal: parágrafo XXIII (vinte e três).
Resolução: Alternativa: “C”
A terceira pessoa do plural do verbo vir deve ser
grafada com acento circunflexo: 266. (Morfologia)

Os diretores vêm para a assembleia geral. Quan- Eu não tinha este rosto de hoje,
to aos derivados do verbo vir, devemos observar que: a Assim calmo, assim triste, assim magro,
terceira pessoa do singular traz acento agudo (A venda Nem estes olhos tão vazios,
do carro não convém). Já a terceira pessoa do plural Nem o lábio amargo.
grafa-se com acento circunflexo (Tais atitudes não
(Cecília Meireles)
convêm.).
Alternativa: “A” As palavras sublinhadas são:
a) Adjetivos.
263. (Colocação Pronominal) Assinale a frase com b) Substantivos.
erro de colocação pronominal: c) Pronomes.
a) Nunca lhe tinha pedido ajuda. d) Advérbios.
b) Em falando-se de futebol, ele é um enten-
dido. Resolução:
c) Amanhã te direi as palavras. Todas as palavras grifadas no texto representam
d) Levante-se, menino! adjetivos, uma vez que todos indicam características.
São, pois, modificadores, respectivamente, dos subs-
Resolução: tantivos: rosto, olhos e lábio.

49

Alternativa: “A” Resolução:


O verbo assistir (no sentido de ver, presenciar)
267. (Morfologia) Os pronomes: meu, nosso, seu,
constrói-se como verbo transitivo indireto, regendo a
são classificados como:
preposição “A”:
a) Interrogativo.
b) Possessivo. “Assistimos a um belo espetáculo...”
c) Pessoal.
Alternativa: “D”
d) Indefinido.
271. (Crase) Indique a alternativa que completa a
Resolução:
frase:
Alternativa: “B”
“Após ____ reunião, todos foram ____sala,
para assistir ____ chegada dos hóspedes.”
268. (Concordância Nominal) Assinale a alternati-
a) a, à, a.
va em que há erro de concordâncial:
b) à, à, à.
a) Nunca tolerou as meias verdades.
c) a, a, a.
b) Esses argumentos valem por si sós.
d) a, à, à.
c) As janelas daquela casa abriram-se por si
mesmo.
Resolução:
d) Estava meio adoentada.
Aqui, podemos aplicar o artifício da substituição
Resolução: da palavra feminina por outra masculina. Ocorrendo
ao, significa que houve a fusão de a + a, devendo-se
A palavra mesmo deve concordar com o substan-
empregar ao acento de crase.
tivo ou pronome a que se refere;
Aplicando o artifício, temos:
As janelas daquela casa abriram-se por si mes-
mas. Após o almoço, todos foram ao salão, para assistir
ao regresso dos hóspedes. (Após a reunião, todos fo-
Alternativa: “C”
ram à sala, para assistir à chegada dos hóspedes.)
269. (Concordância Verbal). “Suponho que ______ Alternativa: ”D”
meios para que se _______ os cálculos de
modo mais simples.” Assinale a alternativa 272. (Miscelânea) Na frase: “Antigamente, apesar
que completa corretamente as lacunas da das poucas escolas, as crianças eram mais in-
frase apresentada: teressadas, fato que não me admira.”, temos:
a) devem haver, realize. a) uma vírgula mal colocada.
b) deve haver, realizem. b) nenhum erro de acentuação.
c) devem haver, realizem. c) duas vírgulas mal colocadas.
d) deve haverem, realizem. d) ausência de duas vírgulas.

Resolução: Resolução:
Como já se mencionou em comentários anterio- Alternativa: “B”
res, o verbo haver, quando usado para indicar existên-
cia, deve permanecer no singular, o mesmo ocorrendo 273. (Morfossintaxe) Na oração: “O lar, instituição
com seu eventual auxiliar. O verbo apassivado pela pa- sublime, deve ser preservado.” O termo desta-
lavra “se” sempre deve concordar com o sujeito que se cado é:
lhe segue: Suponho que deve haver meios para que se a) adjunto adverbial.
realizem os cálculos. b) vocativo.
c) aposto.
Alternativa: “B”
d) sujeito.
270. (Regência Verbal) Assinale a frase onde a re-
Resolução:
gência do verbo assistir está errada:
a) Não assisti à missa. O termo da oração que tem por função explicar,
b) Os médicos assistiram os doentes durante a esclarecer o termo anterior, denomina-se aposto. É
epidemia. comum confundir-se aposto com vocativo. Contudo
c) O técnico assistiu os jogadores. basta lembrar que o aposto explica (fala de...), enquan-
d) Assistimos um belo espetáculo de dança a to que o vocativo tem por finalidade fazer um chama-
semana passada. mento (fala-se com...).

50

Alternativa: “C” car aqui.

274. (Ortografia) Só está correta, quanto à grafia, a Resolução:


seguinte alternativa:
O verbo preferir constrói-se como Verbo Transitivo
a) Minha colega escreve mau.
Direito e Indireto regido pela preposição “A”: Preferi al-
b) Não fale mau de ninguém.
moçar a jantar.
c) Você não é mal.
d) Mal cheguei, fui para o quarto. O verbo aspirar (no sentido de pretender) constrói
com a preposição a.
Resolução:
“Prefiro aspirar a uma posição honesta a ficar
“MAU” (adjetivo) só pode referir-se a substantivo. aqui.”
È, pois, antônimo de “BOM.
Alternativa: “A”
Assim, aqui podemos usar o seguinte artifício:
onde cabe bom, cabe mau. 277. (Ortografia) Indique a alternativa que com-
pleta a frase corretamente:
Onde não cabe bom, cabe mal.
“________ do herói sem causa, era ______ de
Alternativa: “D”
arriscar a vida por um ______ nada.”
275. (Concordância Verbal) Assinale a alternativa a) Protótipo, capás, quase.
que completa corretamente as lacunas: b) Prototipo, capaz, quaze.
c) Prototipo, capáz, quasi.
“______ meses que ______ os resultados do
d) Protótipo, capaz, quase.
concurso sobre poesia. ______ muitos ganha-
dores e prêmios.”
Resolução:
a) Fazem – saíram – Houveram.
Observem-se as grafias: protótipo (proparoxíto-
b) Fazem – saiu – Houveram.
na), capaz (sempre com “z”), quase (sempre com “e”).
c) Faz – saiu – Houve.
d) Faz – saíram – Houve. Alternativa: “D”

Resolução: 278. (Concordância Verbal) Assinale a alternativa


que completa as lacunas:
O verbo fazer se comporta como impessoal (sem
sujeito) quando usado para indicar decurso de tempo; “________ anos que não se colhem boas uvas;
devendo, por isso, permanecer na terceira pessoa do __________ pragas a assolarem as parreiras”.
singular; transmitindo, também nesse caso, a impes- a) Fazem, devem haver.
soalidade para o eventual verbo auxiliar que o acom- b) Fazem, deve haver.
panhe. c) Faz, deve haver.
Assim, observe: “Faz meses...” “Deve fazer meses...” d) Faz, devem haverem.
O sujeito, ainda que posposto, obriga o verbo a Resolução:
concordar com ele:
Recordando: O verbo fazer se comporta como
Saíram os resultados. impessoal (sem sujeito) quando usado para indicar de-
Como já se mencionou em comentários anterio- curso de tempo; devendo, por isso, permanecer na ter-
res, o verbo haver, quando usado para indicar exis- ceira pessoa do singular; transmitindo, também nesse
tência, deve permanecer no singular: “... houve muitos caso, a impessoalidade para o eventual verbo auxiliar
ganhadores.” que o acompanhe.
Alternativa: “D” Assim, observe: “Faz anos...” “Deve fazer anos...”
O verbo haver, quando usado para indicar exis-
276. (Regência Verbal) Assinale a alternativa cor-
tência, deve permanecer no singular, o mesmo ocor-
reta:
rendo com seu eventual auxiliar. Deve haver pragas...
a) Prefiro aspirar a uma posição honesta a ficar
aqui. Alternativa: “C”
b) Prefiro antes aspirar a uma posição honesta
que ficar aqui. 279. (Morfossintaxe) Na oração: “Juliana dança
c) Prefiro aspirar a uma posição honesta que contente.”, o termo destacado é:
ficar aqui. a) predicado verbal.
d) Prefiro aspirar uma posição honesta que fi- b) predicado verbo-nominal.

51

c) predicado nominal. (geralmente, “QUE”), completa um nome (substantivo,


d) adjunto adverbial. adjetivo) da oração principal.
Na prática, costuma-se usar o seguinte artifício:
Resolução:
a oração substantiva, encabeçada pelo conjunto pre-
Classifica-se como predicado verbo-nominal posição + conjunção depois de nome, é Completiva
aquele apresenta dois núcleos: verbo de ação (transiti- Nominal.
vo ou Intransitivo) + nome (substantivo, adjetivo, pro-
Tinha medo de que o prejudicassem.
nome ou numeral) que funciona como predicativo do
sujeito ou do objeto. Alternativa: “D”
Juliana dança contente.
283. (Ortografia) Assinale a alternativa em que
VI PS
todas as palavras estejam grafadas correta-
Alternativa: “B” mente:
a) prazeroso, buzina, catequizar, exonerar.
280. (Pontuação) Está errada a pontuação em: b) através, louza, náusea, análise.
a) Recolheu as provas, saindo a seguir. c) gengiva, tangerina, erege, algema.
b) Paula prima, de Lourdes, está aí. d) geito, laje, xampu, mexerica.
c) Se permitirem, voltarei.
d) Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2008. Resolução:
Observem-se as grafias corretas prazeroso, buzi-
Resolução:
na, catequizar, exonerar.
Não se deve separar por vírgula o adjunto adno-
Alternativa: “A”
minal do nome ao qual se refere.
Prima de Lourdes (e não: Prima, de Lourdes) 284. (Crase) Assinale a alternativa cuja sequência
preencha corretamente as lacunas:
Alternativa: “B”
“Chamam ____ isto de aventura? Tão logo
281. (Morfossintaxe) Na oração: “O cão, melhor desceram ____ terra, os aviadores foram cal-
amigo do homem, é sempre fiel”, o termo mamente assistir ____ sessão, depois volta-
destacado exerce a função sintática de: ram _____ pressas, deixando os repórteres
a) Aposto. _____ meio quarteirão de distância.”
b) Vocativo.
a) a, à, a, as, a.
c) Predicativo do objeto.
b) a, a, a, às, à.
d) Complemento nominal.
c) a, a, à, às, a.
Resolução: d) à, à, a, as, à.

O termo da oração que tem por função explicar, Resolução:


esclarecer o termo anterior, denomina-se aposto. É
Observe: Não se deve usar acento de crase diante
comum confundir-se aposto com vocativo. Contudo
de palavra masculina (... a isto). Diante da palavra ter-
basta lembrar que o aposto explica (fala de...), enquan-
ra (no sentido de chão firme) não se admite acento de
to que o vocativo tem por finalidade fazer um chama-
crase (... desceram a terra). ...assistir à sessão (assistir
mento (fala-se com...).
ao espetáculo). Recebem acento de crase as locuções
Alternativa: “A” adverbiais cujo núcleo é representado por palavra fe-
minina (... voltaram às pressas). (Artifício: Voltaram
282. (Morfossintaxe) Em qual alternativa há uma aos empurrões). Como já se disse, não se emprega
Oração Subordinada Substantiva Completiva acento de crase diante de palavra masculina (a meio)
Nominal?
a) É necessário que sejam honestos. Alternativa: “C”
b) A verdade é que ele se esforçou demais.
285. (Crase) Assinale a alternativa que preencha
c) Preciso de que me ajudem.
corretamente a frase: ___ beira do leito, assis-
d) Tinha medo de que o prejudicassem.
tiu __ amiga. Hora __ hora, minuto __ minuto,
Resolução: sempre ___ espera de um milagre”.

Denomina-se oração subordinada substantiva a) A – à – à – a – à.


completiva nominal aquela que, tendo valor de subs- b) À – a – à – à – à.
tantivo (= isto) e introduzida por conjunção integrante c) A – a – a – a – a.
d) À – a – a – a – à.

52

Resolução: chefe...
As locuções prepositivas, que sempre terminam Alternativa: “A”
por preposição, quando possuem núcleo representado
por palavra feminina, devem trazer acento de crase: “À 288. (Concordância Nominal) Assinale a alternati-
beira do leito...” “... À espera de um milagre...” Outras va que completa corretamente as lacunas da
locuções prepositivas: à procura de, à margem de, à seguinte frase: “______ mais de três semanas
volta de, à custa de. que eles _______ doentes”.
a) Faziam – parecia estarem.
Igualmente o acento de crase não deve ser usado
b) Fazia – pareciam estar.
entre palavras repetidas (mesmo que sejam femini-
c) Faziam – parecia estar.
nas): hora a hora , minuto a minuto.
d) Fazia – pareciam estarem.
O verbo assistir (no sentido de ajudar, cuidar)
constrói-se sem preposição. Resolução:
Alternativa: ”D” O verbo fazer se comporta como impessoal (sem
sujeito) quando usado para indicar decurso de tempo;
286. (Morfossintaxe) Assinale a alternativa correta devendo, por isso, permanecer na terceira pessoa do
em relação à classificação dos predicados das singular; transmitindo, também nesse caso, a impes-
orações abaixo: soalidade para o eventual verbo auxiliar que o acom-
panhe.
I. Pedra está adoentada.
II. Pedra está no hospital. Assim, observe: “Fazia mais de três semanas...”
“Devia fazer mais de três semanas...”
a) O predicado é nominal em I e II.
b) O predicado é verbal em I e II. O verbo parecer seguido de infinitivo oferece duas
c) O predicado é nominal em I e verbal em II. possibilidades de concordância:
d) O predicado é verbal em I e nominal em II. Eles parecia estarem doentes. Eles pareciam es-
tar doentes.
Resolução:
Devemos lembrar que não se devemos deixar am-
O predicado nominal se caracteriza por apresen- bos os verbos no plural, nem ambos no singular.
tar com núcleo um nome, geralmente adjetivo, que
funciona como predicativo do sujeito, o qual, por sua Alternativa: “B”
vez, liga-se ao sujeito mediante um verbo de ligação:
Pedra está adoentada. 289. (Verbo) Assinale a alternativa que preencha
(P.S.) corretamente as lacunas da frase abaixo:

Devemos lembrar que o predicado nominal se “Se você se _________ calmo quando ela
compõe de VL + PS. Assim, se não tivermos PS, o pre- __________, poderá atendê-Ia com mais efi-
dicado não será Nominal, mas verbal. Pedra está no ciência”.
hospital. a) manter – vim.
b) mantiver – vim.
Alternativa: “C” c) manter – vier.
d) mantiver – vier.
287. (Pontuação) Assinale a alternativa que justifi-
ca o emprego da vírgula no seguinte período: Resolução:
“Fique descansado, chefe, que não o decep-
cionarei”. Didaticamente, para se obter o futuro do subjunti-
a) A vírgula está isolando vocativo. vo, basta tomar a terceira pessoa do plural do pretérito
b) A vírgula está marcando elipse do verbo. perfeito do indicativo, retirar “am”.
c) A vírgula está isolando aposto. Mantiveram (-am) = mantiver; Vieram (-am) =
d) A vírgula está marcando inversão do objeto vier.
pleonástico anteposto ao verbo.
Alternativa: “D”
Resolução:
290. (Concordância Nominal) Assinale a frase em
O vocativo (chamamento) deve vir sempre isolado que há erro no emprego do Vocábulo “ANEXO”:
(geralmente, por vírgula), independentemente de sua a) As faturas anexas já foram resgatadas.
posição na oração: “Fique descansado, chefe, não o b) Anexos, seguem os preços estipulados para
decepcionarei”. o corrente ano.
Chefe, fique descansado... Não o decepcionarei, c) Os documentos anexo devem ser guarda-

53

dos no arquivo. c) enxurrada – enxaqueca – xampu.


d) Anexas ao processo, estavam as cópias das d) exceção – lagartixa – mexerica.
certidões.
Resolução:
Resolução:
Grafam-se com CH os vocábulos: mochila e fle-
Como já se salientou em comentários anteriores, o cha.
vocábulo anexo deve concordar com o substantivo a
Alternativa: “B”
que se refere: “Os documentos anexos...”
Alternativa: “C” 294. (Morfossintaxe) Como se classifica a oração
subordinada destacada em: “Preciso de que
291. (Regência Verbal) Indique a alternativa em me ajudem.”
que ocorre erro de regência verbal: a) Subordinada substantiva subjetiva.
a) Aspirei um ar muito poluído. b) Subordinada substantiva objetiva direta.
b) Sempre aspirei um futuro melhor. c) Subordinada substantiva objetiva indireta.
c) Assisto a todos os jogos da seleção. d) Subordinada substantiva completiva nominal.
d) Chegamos ao encontro atrasados.
Resolução:
Resolução:
Denomina-se oração subordinada substantiva
Como já se mencionou nos comentários anterio- objetiva indireta aquela que, tendo valor de substan-
res, o verbo aspirar (usado no sentido de pretender) tivo (= isto) e introduzida por conjunção integrante
constrói-se com a preposição a. Sempre aspirei a um (geralmente, “QUE”), completa o verbo (transitivo indi-
futuro melhor. O verbo assistir (empregado no sentido reto) da oração principal.
de ver, presenciar) também se constrói com a preposi-
Na prática, costuma-se usar o seguinte artifício: a
ção a: Assisto a todos os jogos da seleção. O verbo che-
oração substantiva, encabeçada pelo conjunto pre-
gar constrói-se sempre com a preposição a: Chegamos
posição + conjunção depois de verbo, é objetiva in-
ao encontro atrasados.
direta.
Alternativa: “B”
Preciso de que me ajudem.
292. (Colocação Pronominal) Dadas as frases: Alternativa: “C”
I. Sempre me disseram que ele estava bem.
295. (Morfossintaxe) Na oração: “Eu o considero
II. Quem nos trouxe a solução do problema? inteligente.”, o termo destacado exerce a fun-
III. Eles nunca me convidariam para aquela ção de:
festa. a) Predicativo do sujeito.
a) Apenas a frase I está correta. b) Predicativo do objeto.
b) Apenas a frase III está correta. c) Sujeito.
c) Apenas a frase I e a III estão corretas. d) Objeto indireto.
d) Todas as frases estão corretas.
Resolução:
Resolução: Denomina-se predicativo do objeto o termo que,
O foco da questão ora proposta é colocação de completando o sentido de um verbo (geralmente, tran-
pronomes com ênfase na próclise (pronome antes do sitivo direto), acrescenta um atributo ao objeto.
verbo) determinada pela atração que algumas pala- O predicativo do objeto converte-se em predicati-
vras (chamadas atrativas: palavras de sentido nega- vo do sujeito, quando a oração é transposta para a voz
tivo, pronomes indefinidos, interrogativos, advérbios passiva. Podemos, então, dizer que o predicativo do
não seguidos de pausa) exercem sobre pronomes oblí- sujeito da voz passiva corresponde ao predicativo do
quos átonos quando aquelas se encontram antes do objeto na oração ativa.
verbo.
Ele é considerado inteligente por mim. (oração
Alternativa: “D” P.S. passiva)

293. (Ortografia) Das alternativas seguintes, há X


uma que apresenta erro de grafia. Assinale a Eu o considero inteligente. (oração ativa)
alternativa em que isto ocorre: P.O.
a) enxofre – caxumba – expectativa.
Alternativa: “B”
b) moxila – rouxinol – flecha.

54

296. (Ortografia) Indique a alternativa que com- nitivo.


pleta a frase corretamente:
Alternativa: “C”
“Ele faltou ao concurso ________ não sabia a
data de sua realização.” 299. (Morfossintaxe) Em “Queria que me ajudas-
a) porquê. ses”, o trecho sublinhado pode ser substituí-
b) por que. do por: (igual a questão 172)
c) por quê. a) a tua ajuda.
d) porque. b) a vossa ajuda.
c) a ajuda de você.
Resolução: d) a sua ajuda.
Emprega-se o vocábulo porque, sempre que pu-
Resolução:
dermos empregar, em seu lugar, a conjunção visto
que: Ele faltou ao concurso visto que não sabia a data A forma verbal “ajudasses” (que tu me ajudasses),
de sua realização. remete à forma “a tua ajuda”. Trata-se aqui de harmo-
nia de tratamento.
Alternativa: “D”
Alternativa: “A”
297. (Pontuação) Assinale o erro de pontuação:
a) Íamos, muitas vezes, ao circo. 300. (Morfossintaxe) Assinale a função morfológi-
b) Os garotos, admirados, riam muito. ca de caro em “Ele vendeu caro as mercado-
c) Eu, realmente preciso chegar lá. rias”. (igual a questão 173)
d) Você quer colaborar com nossa campanha? a) substantivo.
b) advérbio.
Resolução: c) adjetivo.
d) preposição.
Quando, entre dois termos, intercalamos o adjun-
to adverbial; essa intercalação isola o adjunto que, em
Resolução:
razão disso, fica entre vírgulas: Eu, realmente, preciso
chegar lá. A palavra “caro” funciona como advérbio. Mais
precisamente, trata-se da adverbalização do adjetivo
Alternativa: “C”
“caro”.
298. (Colocação Pronominal) Os pronomes pesso- Alternativa: ”B”
ais estão colocados corretamente:
a) Tenho contido-me em meus limites. 301. (Ortografia) Aponte a alternativa que apre-
b) Nada podê-la-ia enganar. senta todas as palavras paroxítonas: (ques-
c) Vocês podem dizer-me o que isto significa? tão igual a 174)
d) Aqui estou; me diga agora o que disse ontem. a) química, lâmpada, japonês.
b) lápis, novel, sutil.
Resolução: c) decano, ômega, rubrica.
d) caderno, tesoura, avaro.
Na locução verbal (verbo principal + particípio),
não se admite ênclise ao particípio. Portanto, deve-se
Resolução:
dizer e escrever: “Tenho-me contido em...”
Denomina-se paroxítona a palavra cuja sílaba tô-
Não se dá a mesóclise, quando ocorre palavra
nica corresponde à penúltima sílaba. É o caso de lápis,
atrativa que justifique a próclise.
decano, rubrica, caderno, tesoura, avaro.
Portanto, deve-se dizer e escrever: “Nada a podia
Alternativa: “D”
enganar.”
Não se inicia oração com pronome oblíquo átono. 302. (Divisão Silábica) Dadas as palavras: (igual a
Deve-se, pois, escrever: questão 175)
“Aqui estou, diga-me agora...” Locução verbal, cujo I. des-a-ten-to
verbo principal esteja no infinitivo, admite a colocação II. sub-es-ti-mar
do pronome em ênclise em relação ao infinitivo, mes- III. trans-tor-no
mo ocorrendo palavra que justifique a próclise ao auxi-
Constamos que a separação silábica está cor-
liar: Vocês podem dizer-me.
reta:
Lembrete: Sempre que o verbo principal estiver a) apenas na número I.
no infinitivo, sempre será possível a ênclise a esse infi- b) apenas na número II.

55

c) apenas na número III. O vocativo presta-se para fazer um chamamento


d) em todas as palavras. (Fala-se com). Por não pertencer à estrutura lógica da
oração, o vocativo pode surgir em qualquer ponto dela,
Resolução: pois serve apenas para fazer um chamamento. Pressu-
Observe: põe o uso da interjeição Ó!: “[ó!] ”Amigos, não tenho
palavras para agradecer. Volte cedo para casa, [ó!] Mi-
desatento (de-sa-ten-to); randa. Que horas são, [ó!] professor?
subestimar (su-bes-ti-mar); Alternativa: “D”
transtorno (trans-tor-no).
306. (Morfossintaxe) Em “Nesta cidade, faz um ca-
Alternativa: “C” lor intenso”, o sujeito é: (igual a questão 179)
a) simples.
303. (Morfossintaxe) Em “A operação policial-mili-
b) oculto
tar foi realizada, conforme havíamos planeja-
c) indeterminado
do”, a oração grifada é: (igual a questão 176)
d) uma oração sem sujeito.
a) subordinada adverbial concessiva.
b) subordinada adverbial conformativa. Resolução:
c) subordinada substantiva completiva nominal.
d) coordenada sindética conclusiva. Entre os verbos que funcionam em orações sem
sujeito está o verbo Fazer (na indicação de clima, tem-
Resolução: peratura). Exemplo:
A conjunção subordinativa “conforme” introduz “Nesta cidade, faz um calor intenso.”
oração subordinada adverbial conformativa. Alternativa: “D”
Alternativa: “B”
307. (Morfossintaxe) Em “O mensageiro entregou
304. (Morfossintaxe) Em “Ele me viu no clube” e a carta do capitão”, o verbo é: (igual a questão
“Ela me telefonou.” As funções sintáticas dos 180)
termos grifados, respectivamente, são: (igual a) intransitivo.
a questão 177) b) transitivo direto.
a) objeto-direto e objeto indireto. c) transitivo direto e indireto.
b) objeto indireto e objeto direto. d) transitivo indireto.
c) pronomes pessoais do caso reto.
d) pronomes pessoais do caso oblíquo. Resolução:
O verbo entregar é VTD (Quem entrega, entrega
Resolução: alguma coisa).
O pronome oblíquo ME pode funcionar como ob- Regra Prática: O mensageiro entregou alguma coi-
jeto direto (quando completa Verbo Transitivo Direto sa? – Sim, uma a carta do capitão!
“Ele me viu no clube”). Funciona como objeto indireto,
quando completa Verbo Transitivo Indireto: “Ela me te- Fazendo-se a pergunta e obtendo-se “Sim” como
lefonou.” (me = a mim). resposta, comprova-se a transitividade direta do verbo.

Alternativa: “A” Alternativa: “B”

305. (Morfossintaxe) Ocorre aposto em: (igual a 308. (Morfossintaxe) Ocorre verbo de ligação em:
questão 178) (igual a questão 181)
a) Que horas são, professor? a) Rosana parece triste.
b) Amigos, não tenho palavras para agradecer. b) Marcelo chegou contente.
c) Volte cedo para casa, Miranda. c) A notícia deixou-me preocupado.
d) D. Pedro II, Imperador do Brasil, morreu no d) O professor corrigiu as provas.
exílio.
Resolução:
Resolução: Verbo de ligação é aquele que, sem denotar ação,
Aposto é o termo (acessório) que, na oração, fun- liga um atributo (estado, condição ou característica)
ciona para explicar, resumir, enumerar, especificar. O ao sujeito da oração. Tal atributo se denomina Predi-
mais comum é o aposto explicativo que deve vir sem- cativo do Sujeito.
pre isolado por pausa (geralmente, vírgula): “D. Pedro Os principais verbos de ligação: ser, estar, parecer,
II, Imperador do Brasil, morreu no exílio”. ficar, permanecer , continuar, jazer, tornar-se; acabar

56

(= ficar), andar (= parecer), cair (= ficar), virar (= tornar- Não se separa o sujeito do predicado: “A vítima
se), viver (= ser, estar). esperava inquieta...” (e não: A vítima, esperava inquie-
ta...).
Exemplo: “Rosana parece triste.”
Observação: Não se deve confundir a separação
Lembrete: Não basta que o verbo esteja incluído
do sujeito do predicado com os casos de intercalação
na lista acima para que seja considerado Verbo de Li-
de um termo oracional entre o sujeito e o predicado; ou
gação. Não! O fato de estar na lista significa apenas
caso de antecipação de um termo da oração.
que tal verbo pode funcionar como Verbo de Ligação.
É o que ocorre, respectivamente, nas alternativas
Qualquer dos verbos da lista só será considerado
“a”, e “b”.
Verbo de Ligação; se, no predicado, houver Predicativo
do Sujeito. Alternativa: “C“
Compare:
312. (Ortografia) Assinale a alternativa em que to-
Joana ficou triste. (Triste = PS) > ficou = VL. das as palavras são acentuadas: (igual a ques-
tão 185)
Joana ficou na sala. (na sala = adjunto adverbial;
a) juizo, tecnico, gaucho, companhia, titulo.
portanto, não se trata de PS.) > ficou não é verbo de
b) coquetel, último, terraqueo, ziper, movei.
ligação.
c) limpido, remedio, microbio, funebre, gratis.
Alternativa: “A” d) raiz, rainha, labio, lagoa, patio.

309. (Morfologia) O plural de animalzinho, cãozi- Resolução:


nho e reco-reco, respectivamente, é: (igual a
Observe: límpido, fúnebre (acentuam-se grafica-
questão 182)
mente todas as proparoxítonas); remédio, micróbio
a) animalzinhos, cãozinhos e recos-recos.
(acentuam-se graficamente paroxítona terminada em
b) animaizinhos, cãezinhos e reco-recos.
ditongo); grátis (acentuam-se graficamente as paroxí-
c) animalzinhos, cãezinhos e recos-reco.
tonas não terminadas em: a, e, o, em, ens)
d) animaizinhos, cãozinhos e reco-recos.
Alternativa: “C”
Resolução:
313. (Ortografia) Assinale a alternativa em que to-
Observe: animal > animais (retira-se o “S” e acres-
das as palavras devem ser completadas com
centa-se “zinhos” > animaizinhos.)
“s”: (igual a questão 186)
O mesmo para cão: cães (-s) + zinhos > cãezinhos. a) amoro_o, simpati_ar, pi_o.
Reco-reco = reco-recos (Substantivos compostos b) parali_ia, sacerdoti_a, montanhê_.
por palavras repetidas fazem o plural variando apenas c) bati_ar, desli_ar, fri_ar.
o último elemento) d) Ande_, poeti _a, finali_ ar.

Alternativa: “B” Resolução:

310. (Morfologia) O grau normal dos substantivos Grafam-se com “z”: simpatizar, batizar, deslizar,
muralha, igrejola, fornalha e bocarra, respec- finalizar.
tivamente, são: (igual a questão 183) Assim, todas as demais palavras grafam-se com
a) muro, igreja, forno e boca. “S”.
b) murão, igrejona, fornão e bocão.
Alternativa: “B”
c) muro, igreja, forma e boca.
d) morro, igreja, forma e boca.
314. (Ortografia) Assinale a alternativa em que
ambas as palavras devem ser completadas
Resolução:
com “g”: (conforme o Novo Acordo Ortográ-
Alternativa: “A” fico) (igual a questão 187)
a) aborda_em, can_ica.
311. (Pontuação) Assinale a alternativa incorreta b) aterra_em, _iboia.
quanto à pontuação: (igual a questão 184) c) baga_em, pa_em.
a) A vítima, inquieta, esperava o socorro médico. d) gara_em, mar_em.
b) Inquieta, a vítima esperava o socorro médico.
c) A vítima, esperava inquieta o socorro médico. Resolução:
d) A vítima esperava inquieta o socorro médico.
Observe: Com “G” > garagem, margem, aborda-
Resolução: gem, aterragem, bagagem. Com “J” > jiboia, pajem,

57

canjica. 317. (Morfologia) Assinale a alternativa em que to-


dos os substantivos são de gênero feminino:
Alternativa: “D”
a) acne, alface, libido.
315. (Ortografia) Assinale a alternativa em que to- b) diagrama, dinamite, cal.
das as palavras estão corretamente grafadas: c) derme, tíbia, magma.
(igual a questão 188) d) tapa, sentinela, omoplata.
a) hífem, cárie, céu.
Resolução:
b) enchente, enxofre, chumbo.
c) anjo, caçula, anjélico. São Masculinos: o diagrama, o magma; femini-
d) açúcar, lage, pesquisa. nos: a alface, a libido, a dinamite, a cal, a derme, a tíbia,
a omoplata, a sentinela.
Resolução:
Nota: O substantivo “tapa” pode ser usado tanto
Observe: Grafam-se corretamente hífen, cárie, céu, no masculino como no feminino, quando empregado
enchente (de cheio), enxofre (após en, emprega-se x), no sentido de pancada com a mão.
chumbo, anjo, caçula, anjo, angélico, açúcar, laje, pes-
Alternativa: “A”
quisa.
Alternativa: “B” 6. (CPC-2012) Em relação à concordância nomi-
nal, assinale a alternativa correta.
316. (Regência Verbal) Assinale a alternativa em a) Todos os policiais, após a fuga de alguns
que a crase indicada está incorreta: (igual a presos, ficaram alerta.
questão 189) b) “Muito obrigado pelas informações”, disse a
a) Desobedeci, justificadamente, à ordem do Sargento Manuela para a moradora do bairro.
sargento. c) Ao meio-dia e meio, as viaturas saíram do
b) Paguei os honorários à advogada. local da tragédia.
c) Não respondi à carta de Maria. d) É proibida entrada de pessoas estranhas no
d) Não pisem à grama. prédio da administração da polícia.

Resolução: Resolução:
Para que ocorra crase necessária se faz a fusão da Observe:
preposição “A” (exigida pelo termo antecedente) com
A palavra “alerta” não se flexiona no plural
o artigo feminino “A” (admitido pela palavra feminina
seguinte), resultando a pronúncia de um único “A” que, “obrigado” deve concordar com a palavra a que
em razão disso, deve ser grafado com acento grave se refere (no, caso, Manuela).
(“à”).
Assim, temos: “Muito obrigada pelas informa-
Regra Prática: substitui-se a palavra feminina por ções”, disse a Sargento Manuela.
outra masculina.
Ao meio-dia e meia (hora)
Ocorrendo ao, marca-se o “a” com acento de crase.
É proibido entrada (não havendo artigo “a” “é
Exemplos: proibido” não se flexiona).
Desobedeci à ordem, (Desobedeci ao pedido). Alternativa: “A”
Paguei à advogada. (Paguei ao advogado.).
8. (CPC-2012) De acordo com a norma-padrão
Não respondi à carta. (Não respondi ao pedido.). da Língua Portuguesa e em relação às con-
cordâncias verbal e nominal, assinale a al-
Não pisem a grama. Sem acento de crase, porque
ternativa correta.
não se diz: Não pisem ao tapete.
a) Jorge é um dos que pensa assim.
Nota: Observe a regência dos verbos apresenta- b) A dedicação dos policiais servem de exem-
dos na questão: plo para muita gente.
Desobedecer – VTI > constrói-se com a preposição A c) Ela mesmo realizou todo o serviço.
d) Vendem-se móveis para escritório.
Pagar – VTDI, pede OD de coisa e OI de pessoa.
(prep. A) Resolução:
Responder coisa: VTI com prep. A Observação:
Alternativa: “D” O verbo deve concordar com o sujeito:

58

Vendem-se móveis para escritório (= Móveis Resolução:


para escritório são vendidos.).
A conjunção “porém” (adversativa) deve vir prece-
Observe: dida de vírgula.
A dedicação dos policiais serve de exemplo para Quanto às demais alternativas, observe:
muita gente.
b) “um dos que” é expressa uma; não admite vír-
Mesmo > deve concordar com o substantivo ou gula, pois.
pronome a que se refere
c) Meu desejo é somente este: que todos partici-
Ela mesma realizou todo o serviço. pem das decisões. (trata-se de oração apositiva que,
como tal, é precedida de dois pontos.).
Nota: Embora o gabarito oficial tenha prevaleci-
do, é importante ressaltar que a expressão um dos que d) A oração: “que estavam na aula de Educação
admite verbo tanto singular como no plural. Física” é adjetiva restritiva; não admite vírgula, pois.
Portanto, rigorosamente, as alternativas “A” e “D” Alternativa: “A”
são corretas.
12. (CPC-2012) Assinale a alternativa correta em
Alternativa: “A” (gabarito oficial)
relação à acentuação.
a) Cupuaçú é o fruto de uma árvore originária
9. (CPC-2012) De acordo com a norma-padrão
da Amazônia brasileira.
da Língua Portuguesa e em relação à regên-
b) A redação foi anulada pois continha uma
cia verbal, assinale a alternativa correta.
rúbrica.
a) Devemos obedecer as leis de trânsito e a
c) Mudou-se para a cidade de São Paulo e
Constituição Federal.
criou raízes.
b) Márcia não simpatizava com os novos fun-
d) O coordenador pediu ao professor que ave-
cionários.
rígue os acontecimentos na sala de aula.
c) É agradável respirar ao ar fresco do interior.
d) O candidato esqueceu da caneta no dia da
Resolução:
prova.
Raízes: acentua-se o “i” tônico antecedido de
Resolução: vogal
Observe: Observe as grafias corretas:
O verbo simpatizar constrói-se sem pronome. (não Cupuaçu > não se acentua a oxítona terminada
se diz: Márcia não se simpatiza com..) em “u”
O verbo obedecer pede preposição a (VTI) – Deve- Rubrica > trata-se de paroxítona > sílaba “bri”
mos obedecer às leis (aos regulamentos) (penúltima) é tônica
O verbo respirar não pede preposição (VTD) – É Averigue > Sem acento e sem trema (Novo Acor-
agradável respirar o ar fresco do interior. do Ortográfico)
O verbo esquecer exige pronome oblíquo, quando Alternativa: “C”
usado com preposição. (O candidato esqueceu-se da
caneta...) 13. (CPC-2012) De acordo com a norma-padrão
da Língua Portuguesa, assinale a alternativa
Alternativa: “B”
correta em relação à ocorrência da crase.
a) O funcionário estava disposto à refazer a
11. (CPC-2012) Assinale a alternativa correta em
atividade.
relação à pontuação.
b) Contou o ocorrido à suas superiores, mas
a) Muitos daqueles antigos livros de poesias
pediu sigilo.
populares eram interessantes; porém a
c) Algumas profissões têm o dia à dia bastante
maioria do povo daquela cidade do interior
agitado.
desconhecia a existência deles.
d) À tarde, iremos ao cinema.
b) Otto Lara Resende, em artigo da Folha de
S. Paulo, afirmou: Bandeira foi um, dos mais
Resolução:
senão o mais musical de nossos poetas.
c) Meu desejo é somente este que, todos par- A expressão À tarde é locução adverbial com nú-
ticipem das decisões. cleo feminino, funcionando como Adjunto Adverbial;
d) Muitos dos alunos que estavam na aula de nessas condições admite o acento de crase.
Educação Física, faltaram à aula de Química. Artifício: “À noite” (Ao anoitecer)

59

Quanto às demais alternativas, observe: solvição)


a) “disposto à refazer” (não se admite acento de Alternativa: “B”
crase diante de verbo)
19. (CPC-2012) Assinale a alternativa correta em
b) “à suas superiores” (não se admite acento de
relação à ortografia.
crase com “a” seguido de palavra no plural).
a) Os pessimistas encontram sempre impeci-
c) dia à dia (não se admite acento de crase entre lhos.
palavras repetidas ). Note-se que a expressão é forma- b) Era um previlégio conhecer um policial tão
da de palavras masculinas, mais uma das razões para renomado.
não se usar o acento de crase. c) Após longa caminhada, seus pés incharam.
d) O policial auxiliava Dona Maria, que perdeu
Alternativa: “D”
muitos pertences na enchurrada.
Língua Portuguesa 03. Observe a frase do primeiro quadrinho:
14. (CPC-2012) Leia a oração abaixo.
Resolução:
Para escapar do estresse do trabalho nada como um
Entregou a infratora para a polícia. bomObserve
feriadão!!!
as grafias corretas:
Assinalepara
quadrinhos
Leia os a alternativa cujo
responder às vocábulo
questões destaca-
de números Nas alternativas, cujos enunciados foram extraídos e
Empecilhos,
01 a 04. do equivale morfologicamente a “a” na ora- adaptados do artigo Cafeína ajuda a consolidar a memória,
ção acima. Privilégio,
em http://revistagalileu.globo.com, aquela em que a oração
a) Entregou os papéis a Juliana. destacada expressa o mesmo sentido que o termo Para é:
Enxurrada.
b) Encontrou um amigo que não via há muito
tempo. (A) Alternativa:
A cafeína já é conhecida
“C” por mudar nosso metabolismo
c) Não a vejo desde sexta-feira. e aumentar nosso foco.
d) Proferiu apenas uma palavra antes de mor- 20. (CPC-2012) Leia as orações abaixo e, em se-
(B) Pesquisadores de universidades
guida, assinale a alternativaamericanas admitem
que preenche
rer: vingança. que os efeitos provocados pela as
cafeína são difíceis de
correta e respectivamente lacunas.
entender.
Resolução: 1. O Grande ABC fica apenas ___ 20 quilôme-
Em: “Entregou a infratora para a polícia”, “a” clas- (C) Tais tros
estudos não são completamente precisos, já que
daqui.
sifica-se como artigo. as experiências são realizadas logo após a ingestão de
2. Estava
cafeína, a fimatrasado
de que separa o certeza
tenha _____________
de que ela de
está
O mesmo ocorre em: Encontrou um amigo que ópera.
causando algum impacto.
não via há muito tempo. (Substitui-se um por o) 3. De tempos em tempos é realizado o
(D) A experiência mostra que a cafeína também pode au-
Nas demais alternativas temos: ____________ da população.
mentar a consolidação de informações. Embora as
a) Entregou os papéis a Juliana. (a > preposição = lembranças
a) 1. a / 2. sejam formadas
concerto durante a exposição à
/ 3. censo
para) imagem, o cérebro leva algum
b) 1. há / 2. conserto / 3. sensotempo para absorvê-las
(Folha de S.Paulo, 03.01.2014) (ou, claro, descartá-las).
c) 1. à / 2. concerto / 3. censo
c) Não a vejo desde sexta-feira (a > pronome oblí-
quo = ela) d) 1. a / 2. conserto / 3. senso

01. Tomadod) em
Proferiu
comparação umaopalavra
apenas com antes
primeiro de morrer:
quadrinho, o 04. Resolução:
No segundo quadrinho, o advérbio ainda expressa circuns-
vingança. (“uma” antecedido
segundo representa uma de “apenas” é sempre tância de
numeral) Observe a diferenças:
(A) forma prazerosa de se livrar do estresse. (A) Há
tempo.
(verbo indica existência ou tempo decorrido) >
Alternativa: “B”
(B) condição desejada pela personagem. A(B)
( preposição;
afirmação.
no caso, indica distância)
15. (CPC-2012) Assinale a alternativa que apre- Concerto (reunião musical) > Conserto (reparo)
(C) motivação
senta para
errotrabalhar e se divertir.
ortográfico de acordo com o con- (C) lugar.
texto. Senso (juízo) > Censo (recenseamento)
(D) contradição em relação ao esperado. (D) modo.
a) O policial infligiu multa aos infratores. Alternativa: “A”
b) A juíza absolveu o réu. Este, logo após sua
discriminação, pôde voltar para casa. 5. (CPC-2014) Observe a manchete do UOL, de
02. No primeiro
c) Oquadrinho,
criminosoo emprego
foi pegodoem
substantivo “feriadão” 05. Observe
flagrante. a manchete do UOL, de 17.01.2014.
17.01.2014.
agrega aod)
enunciado conotação
Encontrou uma quantia vultosa em dinhei-
ro, mas devolveu aos policiais. Começo da
Começo da carreira
carreira
(A) irônica.
Paula Fernandeslembra
Paula Fernandes lembra
Resolução:
(B) positiva. cachê de
cachê deR$
R$4040que
queincluia
incluia
Observe as diferenças: volta
volta à
à cavalo
cavalo
(C) pejorativa.
Discriminação (Distinção) > descriminação (Ab- No texto,
No texto, há que
há um erro um seerro quecom
corrige se acorrige comdea
substituição
(D) humorística.
(A) lembra por se lembra.
60
(B) que por no qual.

substituição de 12. (CPC-2014) Assinale a alternativa em que o


a) lembra por se lembra. pronome em destaque está corretamente
b) que por no qual. empregado.
c) volta por voltar. a) Aconteceu em um café, um café que estava
d) à cavalo por a cavalo. uma porção de sujeitos.
b) Como sou um alemão forte, gritei que não
Resolução: via homem pra eu ali dentro.
De maneira geral, o fenômeno da fusão da prepo- c) Eu se queimei com o alemão e parti para
sição A + o artigo A (Crase) só pode ocorrer diante de cima dele e não tive sorte.
palavras femininas que admitem o artigo A. d) O alemão deu-me uma porrada na cabeça
que quase me desmontou.
Desse modo, não ocorre crase diante de palavras
masculinas repetidas. Portanto, sem acento de crase: a Resolução:
cavalo.
Na alternativa “D”, o pronome em destaque está
Lembrete: Crase é o nome do fenômeno de fusão usado uniformemente (Eu > Me); na alternativa “C”, Eu
de A + A, que é indicado na escrita pelo acento grave se queimei (não há uniformização Eu > Se) .
(`) colocado sobre o A. Não é, pois, o nome do acento
Lembremos que o pronome “eu” não pode ser regi-
gráfico que pode ser chamado de acento de crase, mas
do por preposição (alternativa “B”)
não simplesmente de CRASE.
O pronome relativo (no caso, que) submete-se à
Lembrete: O verbo Lembrar constrói-se: com
regência do verbo de sua oração.
preposição + pronome oblíquo átono > lembrar-se
de; sem preposição e sem pronome > lembrar. Assim, em: Aconteceu em um café, um café que
estava uma porção de sujeitos Observe-se que o verbo
Portanto, segundo a estrutura mostrada aci-
estar exige, no caso, a preposição “em” (“um café em
ma, a substituição correta seria: “se lembra de “ e
que estava uma porção de sujeitos.”).
não simplesmente: “se lembra” (falta da preposi-
ção) Observação: Em um texto mais apurado, me-
lhor seria usar o pronome relativo onde.
Alternativa: “D”
Alternativa: “D”
11. (CPC-2014) O emprego da vírgula na frase
– Pois a história termina aí, madame. – se dá 13. (CPC-2014) Assinale a alternativa em que a
pelo mesmo motivo em: passagem – Tinha uma porção de sujeitos,
a) Antenor, sujeito de muito bons hábitos, está sentados nesse café, tomando umas e outras.
cursando Odontologia. Brasileiros, portugueses, franceses, argelinos,
b) Não acredito que ele, o Antenor, esteja fa- alemães, o diabo. – está corretamente rees-
lando mal de você por aí. crita quanto à concordância, de acordo com
c) Veja que este sofá, Antenor, tem o preço a norma-padrão da língua portuguesa.
muito melhor do que aquele. a) Tinha vários sujeitos, sentados nesse café,
d) Quando viaja para o exterior, Antenor, meu tomando umas e outras. Tinha brasileiros,
filho, me traz vinhos. portugueses, franceses, argelinos, alemães,
o diabo.
Resolução: b) Havia vários sujeitos, sentados nesse café,
A vírgula, aqui, está empregada para isolar o vo- tomando umas e outras. Eram brasileiros,
cativo “madame”. O mesmo ocorre com o termo Ante- portugueses, franceses, argelinos, alemães,
nor (vocativo). Lembremos que o vocativo presta-se o diabo.
para fazer um chamamento (Fala-se com) e, por não c) Era vários sujeitos, sentados nesse café, to-
pertencer à estrutura lógica da oração, pode surgir em mando umas e outras. Tinham brasileiros,
qualquer ponto dela, pois serve apenas para fazer um portugueses, franceses, argelinos, alemães,
chamamento. Pressupõe o uso da interjeição Ó! : “[ó!] o diabo.
Antenor...” d) Existia vários sujeitos, sentados nesse café,
tomando umas e outras. Haviam brasileiros,
Observe-se a possibilidade de deslocação do vo- portugueses, franceses, argelinos, alemães,
cativo, sem que haja prejuízo do entendimento da ora- o diabo.
ção: Veja que este sofá tem o preço muito melhor do
que aquele, Antenor. Resolução:
Alternativa: “C” O verbo haver, quando empregado no sentido
existencial, comporta-se como verbo impessoal; sem

61


13. Assinale a alternativa em que a passagem – Tinha uma 16. Leia os quadrinhos.
porção de sujeitos, sentados nesse café, tomando umas
sujeito, pois. Brasileiros, portugueses, franceses, argelinos,
e outras.
alemães,
Por isso, onesse
diabo.caso,
– está corretamente
deve reescritapessoa
ficar na terceira quanto à
concordância, de acordo com a norma-padrão da língua
do singular: “Havia sujeitos...”
portuguesa.
Quanto às demais alternativas:
(A) Tinha vários sujeitos, sentados nesse café, tomando
a) O umas
verboeter
outras.
não Tinha brasileiros,
pode ser usado no portugueses, fran-
sentido exis-
ceses, argelinos, alemães, o diabo.
tencial nem no sentido temporal.
c)(B)O Havia
verbovários sujeitos, sentados nesse café, tomando
ser deve concordar com a expressão
umas e outras. Eram brasileiros, portugueses, franceses,
“vários sujeitos” (sujeito)
argelinos, alemães, o diabo.
d)
(C)O Era
verbo Existir
vários (aosentados
sujeitos, contrário docafé,
nesse verbo haver)umas
tomando é
pessoal, possui sujeito (normalmente, posposto); deve,
e outras. Tinham brasileiros, portugueses, franceses,
portanto,argelinos,
concordar com esse
alemães, sujeito: “Existiam vários
o diabo.
sujeitos”.
(D) Existia vários sujeitos, sentados nesse café, tomando
Alternativa: “B” Haviam brasileiros, portugueses, fran-
umas e outras.
ceses, argelinos, alemães, o diabo.
15. (CPC-2014) Assinale a alternativa correta (Folha(Folha
de S.Paulo, 02.01.2014)
de S.Paulo, 02.01.2014)
quanto à concordância nominal.
14. No
a) Todos Aí então
período –no café oficaram
turco avançou
alerta,para o alemão e
esperando NosNos quadrinhos,
quadrinhos, há um há
erroum
que erro quecom
se corrige se corrige
a substi-
levouquem
uma traulitada tão segura
enfrentaria que caiu no chão.
as provocações do– (5.º
ale-§), comdea substituição de
tuição
a oração em destaque, em relação à anterior, expressa (A)a) estes
estes
porpor
essesesses (2 quadrinho).
o
mão. (2.º quadrinho).
sentido de b) estiver por tiver (3o quadrinho).
b) O turco ofendeu-se e foi pra cima do ale- (B) estiver por tiver (3.º quadrinho).
(A) causa.
mão, achando que este tinha menas força c) passando eles por passando-os (3o quadri-
(C) passando
nho). eles por passando-os (3.º quadrinho).
que ele.
(B) oposição. (D)d) apertaria
apertaria teriateria
por por apertado (3.º quadrinho).
apertado (3o quadrinho).
c) O português e o turco eram grande, mas
(C) conclusão.
não conseguiram vencer o forte alemão.
Resolução:
d) A madame ficou meia inconformada com a
(D) consequência. Leia o texto para responder às questões de números 17 a 19.
narrativa, pois não concordou com seu final. Os pronomes pessoais retos (no caso, eles) não
podemA ultrapassada
funcionar legislação trabalhista brasileira
com complemento forma di-
verbal (objeto um
Resolução: intrincado cipoal, cheio de regras e normas obsoletas que,
reto, no caso); devem, pois, ser substituídos pelos pro-
sob o pretexto de proteger o trabalhador, contribuem apenas
15. Assinale a alternativa correta quanto à concordância nominal.
A palavra “alerta” não se flexiona no plural nomes oblíquos
para encarecer correspondentes
o custo de mão de obra,(no caso, os).
dificultar a geração de
(A) Todos no café ficaram alerta, esperando quem enfrentaria empregos e reduzir nossa competitividade no cenário global. Ela
Não as
existe menas.
provocações do Daí, “achando que este tinha
alemão.
Assim: “E se eu estiver passando-os com um gato”
onera a produção e drena recursos necessários a investimentos
menos força que ele”. Alternativa:
em setores “C”
de alto impacto econômico e social, como obras
(B) O turco ofendeu-se e foi pra cima do alemão, achando
de infraestrutura, transporte urbano, ferrovias e rodovias. É
que este“meio”
A palavra tinha menas
nãoforça que ele. quando signi-
se flexiona consenso
19. entre os economistas
(CPC-2014) Assinale e empresários que o Brasil
a alternativa precisa
correta
fica um
(C) pouco, um tanto,
O português mais
e o turco eramou menos.
grande, masNesse caso,
não consegui- implementar uma ampla reforma trabalhista, para aumentar nossa
quanto à regência e ao uso do acento indica-
funcionaramcomo advérbio, modificando
vencer o forte alemão. adjetivo. Daí; A competitividade e reduzir o “custo Brasil”. Trata-se, contudo, de
tivo da
um objetivo crase.
difícil de atingir, tamanha a quantidade de interesses
madame ficou meio inconformada.
(D) A madame ficou meia inconformada com a narrativa, a) e Oa custo
afetados da mão
resistência de obra
daqueles encarece
que vivem devidoem
encastelados à
O predicativo do sujeito
pois não concordou comdeve concordar com o su-
seu final. privilégiosultrapassada
de longos anos. legislação trabalhista.
jeito. Assim: O português e o turco eram grandes. b) A competitividade se reduz quando faltam
(Época, 22.06.2013)

Alternativa: “A” recursos à obras de infraestrutura.


17. Noc)
queNo
dizBrasil,
respeitoé àmuito difícil proceder
atual legislação trabalhistaàbrasileira,
uma am-o
16. (CPC-2014) Leia os quadrinhos. pla reforma trabalhista.
texto deixa claro que ela é
d) Não há dúvidas que os interesses e a resis-
(A) necessária e protege o trabalhador, em um cenário em
tência
que impedem
é difícil a geração àdereforma
empregos.trabalhista.
(B) retrógrada e absorve recursos que seriam essenciais em
Resolução:
setores de alto impacto econômico e social.
O uso
(C) do acento
arrojada de crase
e põe o país em: “devido
em condições à ultrapas-
satisfatórias no bas-
sada legislação trabalhista” tem por base
tante competitivo cenário econômico global.a regência
nominal da palavra devido (devido a)
(D) antiquada e prejudica a geração de empregos no país
por causa
Artifício: do baixo custo
Substitui-se da mão de
a palavra obra aquipor
feminina praticada.
outra
masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com o acen-
5 to de crase. (legislação > código) =PMSG1302/001-CaboPolíciaMilitar
(devido ao ultra-
passado código trabalhista).
Alternativa: “A”

62

20. (CPC-2014) tamente reescrita e sem alteração de sentido.


a) Não a empurre. Entretanto pelo movimento
Durante a maior parte de nossa história evo-
de seu corpo, ela saberá o que fazer.
lutiva, sempre valeu a pena massacrar a tribo
b) Não a empurre embora. Pelo movimento de
vizinha, desde que __________ em relativa
seu corpo, ela saberá o que fazer.
segurança. A existência de outros clãs não
c) Não a empurre porém, pelo movimento de
apenas não ___________ nada como ainda
seu corpo, ela saberá o que fazer.
representava um risco, já que poderiam con-
d) Não a empurre porque, pelo movimento de
siderar que constituíamos uma ameaça para
seu corpo, ela saberá o que fazer.
eles e tentar nos destruir.
(Hélio Schwartsman, Comércio e solidariedade. Resolução:
Folha de S.Paulo, 07.01.2014. Adaptado)
Observe-se que a primeira oração – “Não a empur-
As lacunas do texto devem ser preenchidas, re:” traz verbo no imperativo e dois pontos.
correta e respectivamente, com Essas condições fazem com que a oração “pelo
a) fizéssemos-lhe … acrescentava-nos movimento de seu corpo, ela saberá o que fazer” – seja
b) fizéssemo-lo … acrescentava-nos entendida como explicativa, admitindo o uso da con-
c) lhe fizéssemos … nos acrescentava junção “pois” a qual, por sua vez, pode ser substituída
d) o fizéssemos … nos acrescentava pela conjunção “porque”.
Resolução: Saliente-se, ainda; que, uma das formas de se
reconhecer a oração coordenada explicativa, é justa-
Tratando-se de colocação pronominal, observe-
mente a de substituir-se a conjunção explicativa por
mos o seguinte:
dois pontos.
Ocorre próclise (pronome oblíquo átono antes do
Alternativa: “D”
verbo) sempre que, antes do verbo, houver, entre ou-
tras: 7. (CFS-2010) Assinale a alternativa correta
Conjunção subordinativa (no caso, a conjunção quanto à concordância.
desde que); a) Os cegos devem ser tratado com todo o res-
peito.
Palavra de sentido negativo (no caso, nada). b) Se virem um cego atravessar a rua, ofere-
Assim, a conjunção subordinativa “desde que” e çam ajuda.
“nada” (ambas antes do verbo) determinam, pois, a c) Vocês nunca pode deixar um cego falando
próclise. sozinho.
d) Hoje existe vários recursos para facilitar a
Observação: Ressalte-se que o verbo fazer é
vida do cego.
VTD, exigindo o pronome oblíquo “o” com Objeto
Direto. Resolução:
Alternativa: “D” Corrigindo-se as alternativas erradas:

3. (CFS-2010) Assinale a alternativa em que a a) Os cegos devem ser tratados com todo o res-
forma verbal destacada indica tempo futuro. peito - (O Predicativo deve concordar com o sujeito:
a) ... eles apresentam as mesmas característi- “cegos”)
cas de qualquer ser humano... c) Vocês nunca podem deixar um cego falando
b) ... eles podem conviver socialmente, estu- sozinho. – (O verbo deve concordar com o sujeito ”Vo-
dando, trabalhando... cês”)
c) ... pelo movimento de seu corpo, ela saberá
o que fazer. d) Hoje existem vários recursos para facilitar a
d) ... coloque a mão da pessoa cega sobre o vida do cego. – (O verbo deve concordar com o sujeito:
braço ou encosto da cadeira... “vários recursos”)
Alternativa: “B”
Resolução:
3. (CFS-2012) Assinale a alternativa correta em
A desinência “rá” (tônica) identifica o tempo futuro
relação à ortografia.
Alternativa: “C” a) Era um previlégio tê-lo na equipe.
b) Era um exímio profissional.
6. (CFS-2010) Assinale a alternativa em que a c) Ele não mereçe sua preocupação.
frase – Não a empurre: pelo movimento de d) Compareceu, satisfeito, ao evento benefi-
seu corpo, ela saberá o que fazer. – está corre- ciente.

63

Resolução: c) Adorava os salgadinhos feitos pela tia.


d) Gostava de comer frutas da estação.
Observe a grafia correta: Privilégio – Merece – Be-
neficente
Resolução:
Alternativa: “B”
O verbo “adorar” é transitivo direto; pede, pois, ob-
jeto direto( no caso, os salgadinhos) e a ele se liga sem
4. (CFS-2012) Assinale a alternativa incorreta
auxílio de preposição.
em relação à acentuação verbal.
a) Antes que ficasse tarde para publicar o ma- Observe que as demais alternativas apresen-
nual, começou a redigí-lo. tam verbos que, nas frases apresentadas, funcio-
b) Voltou para que esclarecêssemos o mal-en- nam como transitivos indiretos: Assistir, Aspirar,
tendido. Gostar.
c) Ganhávamos muitos brinquedos no Dia das
Alternativa: “C”
Crianças.
d) Faltavam argumentos sólidos e a conclu- 7. (CFS-2012) De acordo com a norma-padrão
são destes no trabalho. Resolveu entregá-lo da Língua Portuguesa, assinale a alternativa
sem finalização. correta em relação à regência verbal.
a) O ministro não respondeu os repórteres.
Resolução:
b) Havia esquecido de trancar a porta ao sair
As formas verbais também se enquadram nas re- de casa.
gras de acentuação gráfica. c) As provas consistem em fatos.
d) Foi preso e autuado em flagrante por deso-
Assim, não se acentuam graficamente oxítonas
bedecer a lei.
terminadas em “I”: redigi-lo.
Alternativa: “A” Resolução:
O verbo “consistir” é transitivo indireto; pede, pois,
5. (CFS-2012) De acordo com a norma-padrão
objeto indireto ( no caso, em fatos) e a ele se liga re-
da Língua Portuguesa, assinale a alternativa
gendo a preposição em.
correta em relação à ocorrência ou não de
crase. Corrigindo-se as alternativas incorretas:
a) À partir da semana que vem, algumas re-
a) O ministro não respondeu aos repórteres.
gras serão alteradas.
b) Compareceu à reunião com alguns minutos b) Havia-se esquecido de trancar a porta ao sair
de atraso. de casa.
c) Foi a loja para comprar uma saia azul. d) Foi preso e autuado em flagrante por desobede-
d) Desejamos à você muitas felicidades e su- cer à lei. (= ao regulamento)
cesso.
Observe-se que o verbo esquecer, quando usa-
Resolução: do com preposição, exige pronome oblíquo.
De maneira geral, o fenômeno da fusão da prepo- Alternativa: “C”
sição A + o artigo A (Crase) só pode ocorrer diante de
palavras femininas que admitem o artigo A. 8. (CFS-2012) De acordo com a norma-padrão
da Língua Portuguesa, assinale a alternativa
Artifício: Substitui-se a palavra feminina por ou- correta em relação à colocação pronominal.
tra masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com o a) Agradeceu-me sorrindo pela gentileza.
acento de crase. (reunião > congresso) = (Compare- b) Me entregou os papéis fora do envelope.
ceu ao congresso). c) Encontraria-me mais disposto se não esti-
Alternativa: “B” vesse doente.
d) Não trata-me com desrespeito.
6. (CFS-2012) Leia a oração abaixo.
Resolução:
Nenhum de nós rejeitou a proposta.
Nunca se deve iniciar período com pronome oblí-
Assinale a alternativa cujo termo destacado
quo átono: Entregou-me e não: Me entregou
equivale sintaticamente ao termo “a propos-
ta” que, na oração acima, corresponde a ob- Não se coloca pronome oblíquo depois de forma
jeto direto. verbal (ênclise)l no futuro do presente ou no futuro do
a) Assisti à peça teatral. pretérito (Encontraria-me). Nesse caso, coloca-se o pro-
b) Aspiro a uma vida tranquila. nome no interior da forma verbal (mesóclise): “Encon-

64

trar-me-ia”. a) A multa foi infringida aos infratores.


b) Procurava os produtos na sessão errada do
Ocorre próclise (pronome oblíquo átono antes do
supermercado.
verbo) sempre que, antes desse verbo, houver, entre ou-
c) Possuía um mandado de busca e apre-
tras, palavra de sentido negativo (no caso, não). > Não
ensão.
me trate com desrespeito.
d) O juiz descriminou o réu.
Alternativa: “A”
Resolução:
11. (CFS-2012) De acordo com a norma-padrão
A forma correta é infligida.
da Língua Portuguesa e em relação à concor-
dância do verbo “haver”, assinale a alternati- Observe: infligir > impor castigo; infringir >
va correta. violar, não respeitar, transgredir.
a) Assim, houveram por bem dar um fim no
Alternativa: “A”
relacionamento.
b) Haviam muitas pessoas na reunião. 19. (CFS-2012) Leia as orações abaixo e, em se-
c) Não ia a este lugar haviam muitos anos. guida, assinale a alternativa que preenche
d) Houveram muitos enganos até que as coi- correta e respectivamente as lacunas.
sas fossem resolvidas.
1. Não conseguia entender o __________ de
Resolução: tanto mau humor.
O verbo haver, quando empregado no sentido 2. Gostaria de entender __________ você fez
existencial ou temporal, comporta-se como verbo im- isso.
pessoal; sem sujeito, pois. Por isso, nesse caso, deve fi- 3. Voltou mais cedo __________ terminou o
car na terceira pessoa do singular: Ex.: Havia árvores trabalho antes.
lá. / Havia dez anos que ela se fora
4. Você não vai mais, __________?
Observe-se que a alternativa correta traz o verbo
haver no sentido de “haver por bem”; como verbo pes- a) 1. porque/ 2. porque/ 3. por que/ 4. por que
soal, com sujeito, pois. ( no caso, sujeito indeterminado) b) 1. por quê/ 2. porquê/ 3. porque/ 4. por quê
c) 1. porquê/ 2. porque/ 3. porque/ 4. por quê
Nas demais alternativas, o verbo haver está usa- d) 1. porquê/ 2. por que/ 3. porque/ 4. por quê
do com o impessoal; não devendo, pois, ser usado no
plural. Resolução:
Alternativa: “A” Observe: respectivamente, temos:

17. (CFS-2012) De acordo com a norma-padrão “Porquê” > sempre antecedido de determinante
da Língua Portuguesa e em relação à concor- (por exemplo, artigo)
dância verbal, assinale a alternativa incor- “Por que” > substituível por “a razão pela qual”
reta.
“Porque” > substituível por “pois”
a) Aluga-se carros.
b) Faltam cinco dias para a festa. “Por quê” > sempre seguido de pausa (no caso,
c) Faz dez anos que não viajo. ponto de interrogação)
d) Metade dos alunos saiu antes do horário.
Alternativa: “D”
Resolução:
20. (CFS-2012) Leia as orações abaixo e, em se-
Em “Aluga-se carros”, temos voz passiva sintética guida, assinale a alternativa que preenche
(pronominal), correta e respectivamente as lacunas.
Nesse caso, o verbo deve concordar com o sujeito 1. Recebeu uma advertência por __________
carros. > Alugam-se carros. comportamento.
Isso pode ser confirmado, transpondo-se a oração 2. ___________ você fica nas férias?
para a voz passiva analítica:
3. Não vejo Sandra ___________ seis anos.
Carros são alugados.
4. Ele saiu cedo __________ chegar a tempo.
Alternativa: “A”
a) 1. mal / 2. Aonde / 3. a / 4. afim de
b) 1. mal / 2. Onde / 3. há / 4. a fim de
18. (CFS-2012) Assinale a alternativa que apre-
c) 1. mau / 2. Onde / 3. há / 4. a fim de
senta erro ortográfico em relação ao contexto.
d) 1. mau / 2. Aonde / 3. a / 4. afim de

65

Resolução: b) O amigo, sem que nada vesse, se remordia


no seu canto.
Observem-se os empregos corretos:
c) Remordia-se, no seu canto, o amigo, sem
Caberá “mau” quando couber “bom”; “mal” onde que nada visse.
não couber “bom”. d) Se remordia no seu canto o amigo, sem que
Onde traz noção de permanência. Deve, pois, ser nada vesse.
usado com verbos que não denotem movimento. /
Resolução:
Aonde traz a noção de movimento
Justifica-se:
Afim significa semelhante / A fim de indica fina-
lidade (= para) A alternativa “C”, tanto a colocação do pronome
”se” como o emprego da forma verbal do verbo ver es-
Na indicação de tempo: há (tempo decorrido) =
tão corretos.
faz / a (futuro).
Explica-se: Não se inicia oração com pronome
Assim, aplicando-se as observações acima, temos:
oblíquo. Não existe a forma verbal “vesse”.
1. Recebeu uma advertência por mau comporta-
Alternativa: “C”
mento. (Coube bom)
2. Onde você fica nas férias? (O verbo ficar não in- 07.
7. Leia a charge. Leia a charge.
(CFS-2014) 09. As info
juízo à
dica movimento)
NEM ESQUENTA! (A) util
3. Não vejo Sandra há seis anos. (há = faz) OS BANCOS
NÃO TAMBÉM ESTÃO con
SEI O QUE
4. Ele saiu cedo a fim de chegar a tempo (a fim de FAZER!
EM GREVE!
(B) ace
= para) aum
Alternativa: “C” (C) com
par
5. (CFS-2014) Na frase – Agora é um enterro de
luxo. –, a expressão de luxo assume o mesmo (D) env
valor gramatical que a destacada em: sito
a) Na história Os Três Porquinhos, o mais es- (Folha de(Folha
S.Paulo, 24.09.2013.
de S.Paulo, Adaptado)
24.09.2013. Adaptado)
perto fez sua casa de tijolos.
b) O tempo estava bastante chuvoso, mesmo EmEm conformidade
conformidade com a norma-padrão
com a norma-padrão da
da língua portuguesa, 10. De aco
assim ela viajou de avião. a fala da primeira
língua personagem
portuguesa, a deve
fala ser
dapreenchida
primeiracom perso- nova ve
(A)nagem deve ser preenchida com tais, pu
c) Eles precisavam de dinheiro para garantir a Ainda não chegou as minhas contas, devido greve dos
Correios. pois con
viagem de férias. a) Ainda não chegou as minhas contas, devido
d) Sempre tive medo de lobisomem, achava greve
(B) Ainda nãodos Correios.
chegaram as minhas contas, devido à greve (A) pre
esse tipo de história detestável. dos
b) Correios.
Ainda não chegaram as minhas contas, de- as a
vidonão
(C) Ainda à greve
chegoudos
as Correios.
minhas contas, devido aos Cor- com
Resolução: c) reios em greve.
Ainda não chegou as minhas contas, devido (B) se
Justifica-se: aos Correios
(D) Ainda em as
não chegaram greve.
minhas contas, devido os Cor- ins
d) reios em greve.
Ainda não chegaram as minhas contas, de- pro
Em: Agora é um enterro de luxo, a expressão “de vido os Correios em greve. (C) def
luxo” liga-se ao substantivo “enterro”, funciona como Leia o texto para responder às questões de números 08 a 13. exi
“qualificador“ de enterro, exercendo a função de adjun- Resolução:
to adnominal. Como todas as dependências descritas pela psiquiatria, a (D) exi
digitalJustifica-se:
não é facilmente reconhecida. Mas, da mesma forma que dep
Observe-se que, na alternativa “A”, a expressão de as outras, pode ser diagnosticada a partir de um critério claro. Ela
A Concordância Verbal tem como princípio funda-
tijolos também está ligada a um substantivo (no caso, está instalada quando o indivíduo começa a sofrer prejuízos na
mental: “O VERBO DEVE CONCORDAR COM O SUJEITO
“casa”), funcionando como “qualificador” desse subs- sua vida pessoal, social ou profissional, por causa do uso exces-
DA ORAÇÂO!”.
sivo Por essa
do meio digital. razão,
Na vida real,éisso
importante reconhecer
significa, por exemplo, 11. No trec
tantivo Tratando -se, também de adjunto adnominal.
brigar com o parceiro/a porque quer ficar on-line mesmo(pala-
o sujeito da oração, determinando o seu núcleo com a se conc
Alternativa: “A” vra mais importante
insatisfação dentroouexpressão
do companheiro/a que forma
cair de produção o su-
no trabalho em dest
porque nãoosesujeito
jeito). Se concentra na tarefano
é Simples que lhe foi(um
plural delegada.
só núcleo no (A) alte
6. (CFS-2014) A frase – Sem nada ver, o amigo re- A gravidade
plural) – verbo donoproblema
plural. está levando a uma mobilização
mordia-se no seu canto. – está corretamente mundial em busca de soluções. Uma das frentes – a do reco- (B) con
reescrita quanto à flexão verbal, à pontuação Assim,médico
nhecimento observe-se a oração:
do transtorno Ainda
– está em não
francachegaram
discussão.
Recentemente,
as minhas contas,a dependência
devido foi um dos
à greve dostemas que envolveram
Correios.. (C) adi
e à colocação pronominal em: a publicação da nova versão do Manual Diagnóstico de Transtor-
a) Se remordia, o amigo, no seu canto, sem nos Mentais, sujeito: asdaminhas
Nela, opublicação Associaçãocontas – é simples,
Americana cujo
de Psiquiatria (D) alte
que nada visse. núcleo como
adotada é representado
guia para o pela palavra
diagnóstico das“contas” razão por
doenças mentais. Na
edição final, o vício, não citado em edições anteriores, foi men-
cionado como um transtorno em ascensão que exige a realiza-
66 ção de mais estudos. Muitos especialistas criticaram o manual 12. Na oraç
porque acreditam já ser o distúrbio uma doença com critérios ascensã

que o verbo deve concordar com esse núcleo na tercei- E _________ muitos candidatos para isso.
ra pessoa do plural; no caso “chegarão”. (Folha de S.Paulo, 11.10.2013. Adaptado)
Observe que, na ordem direta, temos: Minhas
De acordo com a norma-padrão da língua
contas não chegaram ainda.
portuguesa, as lacunas do texto devem ser
O uso do acento de crase em: “devido à greve dos preenchidas, correta e respectivamente, com:
Correios” tem por base a regência nominal da palavra a) ouviram … onde a … à … haviam
devido (devido a) b) ouviu … que a … a … haviam
Artifício: Substitui-se a palavra feminina por ou- c) ouviram … cuja … à … havia
tra masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com o d) ouviu … da qual a … a … havia
acento de crase. (greve > movimento) = (devido ao
Resolução:
movimento).
Justifica-se
Alternativa: “B”
O verbo “ouvir” (voz passiva sintética) deve con-
13. (CFS-2014) De acordo com a norma-padrão cordar com o sujeito “tantas vaias” (Tantas vaias foram
da língua portuguesa, assinale a alternativa ouvidas).
correta.
O pronome CUJO traduz noção de posse (a pre-
a) As pessoas estão alertas em relação à gravi-
miação do Festival)
dade do problema, o que está levando-lhes
a uma mobilização mundial em busca de O uso do acento de crase no tópico: “à noite” jus-
soluções urgente. tifica-se por tratar-se de locução adverbial de núcleo
b) As pessoas estão alerta em relação à gravi- feminino. Artifício: Substitui-se a palavra feminina por
dade do problema, o que as está levando a outra masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com
uma mobilização mundial em busca de so- o acento de crase. (a noite > o anoitecer) = (ao anoi-
luções urgentes. tecer).
c) As pessoas estão alerta em relação a gravi- O verbo haver, no sentido existencial, não possui
dade do problema, o que lhes está levando sujeito; deve, pois, permanecer no singular.
a uma mobilização mundial em busca de
soluções urgente. Alternativa: “C”
d) As pessoas estão alertas em relação a gravi-
dade do problema, o que está levando-as a
uma mobilização mundial em busca de so-
luções urgentes.

Resolução:
Justifica-se:
A palavra “alerta” não se flexiona no plural.
O uso do acento de crase no tópico: “em relação à
gravidade do problema” tem por base a regência no-
minal da expressão: “em relação” (em relação a)
Artifício: Substitui-se a palavra feminina por ou-
tra masculina, ocorrendo “ao”, marca-se o “a” com o
acento de crase. (gravidade > perigo) = (devido ao
perigo).
O verbo levar é transitivo direto; daí o emprego
do pronome oblíquo átono “as” retomando o termo
“pessoas”.
Alternativa: “B”

16. (CFS-2014)
Nunca se ________ tantas vaias em uma edi-
ção do Festival do Rio como na atual, _______
premiação aconteceu ontem _______ noite.
Os alvos, no entanto, não foram filmes ruins.

67