Você está na página 1de 25

-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 11 / 2015

CONTEC
Comissão de Normalização Sinalização de Dutos, Faixa e Área de
Técnica
Domínio de Duto e Instalação Terrestre de
Produção
SC-13
Oleodutos e Gasodutos
1a Emenda

Esta é a 1a Emenda da PETROBRAS N-2200 REV. F e se destina a modificar o seu texto na(s)
parte(s) indicada(s) a seguir:

NOTA 1 A(s) nova(s) página(s) com a(s) alteração(ões) efetuada(s) está(ão) colocada(s) na(s)
posição(ões) correspondente(s).
NOTA 2 A(s) página(s) emendada(s), com a indicação da data da emenda, está(ão) colocada(s) no
final da norma, em ordem cronológica, e não devem ser utilizada(s).

CONTEÚDO DA 1ª EMENDA - 11/2015

- Subseção 5.2.1.5:

Alteração do texto.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 1 página


-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

Sinalização de Dutos, Faixa e Área de


Domínio de Duto e Instalação Terrestre de
Produção

Procedimento

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.


Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do
texto desta Norma. A Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma é a
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não-conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pela
Técnica Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pela Unidade da
PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não-impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 13 CONTEC - Subcomissão Autora.

Oleodutos e Gasodutos As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S.A. - PETROBRAS, de uso interno na PETROBRAS, e qualquer
reprodução para utilização ou divulgação externa, sem a prévia e expressa
autorização da titular, importa em ato ilícito nos termos da legislação
pertinente, através da qual serão imputadas as responsabilidades
cabíveis. A circulação externa será regulada mediante cláusula própria de
Sigilo e Confidencialidade, nos termos do direito intelectual e propriedade
industrial.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GT (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e de suas Subsidiárias), são
comentadas pelas Unidades da Companhia e por suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SC (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando as
Unidades da Companhia e as Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado pelos
representantes das Unidades da Companhia e das Subsidiárias). Uma Norma Técnica PETROBRAS
está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser reanalisada a
cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas PETROBRAS são
elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para informações completas
sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 20 páginas, Índice de Revisões e GT


-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

1 Escopo

1.1 Esta Norma padroniza os diversos tipos de sinalização de dutos, faixas e áreas de domínio de
duto e de instalações terrestres de produção, visando facilitar a identificação, prevenir ocorrências
indesejáveis e alertar sobre os riscos associados.

1.2 Esta Norma também padroniza a sinalização dos dutos sem faixa.

1.3 Esta Norma se aplica a sinalização visual (acima do solo). Para sinalização subterrânea deve ser
consultada a ABNT NBR 15280-2.

1.4 Esta Norma atende ao Regulamento Técnico ANP nº 2/2011.

1.5 Esta Norma se aplica a projetos a partir da data de sua edição e também a instalações já
existentes, quando, durante a manutenção da sinalização for identificada a necessidade de sua
recuperação ou substituição.

1.6 Esta Norma contém Requisitos Técnicos e Práticas Recomendadas.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para


referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas,
aplicam-se as edições mais recentes dos referidos documentos.

Regulamento Técnico ANP nº 2/2011- Regulamento Técnico de Dutos Terrestres para


Movimentação de Petróleo, Derivados e Gás Natural - RTDT;

PETROBRAS N-1219 - Cores;

PETROBRAS N-1550 - Pintura de Estrutura Metálica;

PETROBRAS N-2677 - Tinta de Poliuretano Acrílico;

PETROBRAS N-2726 – Terminologia de Dutos;

PETROBRAS - Caderno de Assinaturas;

Manual de Sinalização da PETROBRAS - Unidades Industriais;

ABNT NBR 7276 - Sinalização de Advertência em Linhas Aéreas de Transmissão de


Energia Elétrica;

ABNT NBR 15280-2 - Dutos Terrestres Parte 2: Construção e Montagem.

3 Termos e Definições

Para os efeitos deste documento aplicam-se os termos e definições da PETROBRAS N-2726 e os


seguintes.

2
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

3.1
ramal (de faixa)
considera-se ramal de faixa, todo trecho de faixa que entronca na faixa principal

3.2
trechos da faixa
segmento da faixa compreendido entre dois pontos notáveis, tais como: entroncamento, ramais,
cruzamentos, bifurcação, variantes, estações intermediárias, pontos de entrega ou outro fato
relevante

3.3
variante
considera-se variante de uma faixa, todo trecho da faixa que tem início e fim na faixa principal

4 Condições Gerais

4.1 As faixas e áreas de domínio devem ser identificadas e sinalizadas com marcos e placas,
conforme Figuras padronizadas do Anexo A.

4.2 As cores a serem utilizadas nos marcos e placas devem obedecer aos padrões da PETROBRAS
N-1219 citados abaixo:

a) preto - 0010;
b) amarelo - 2386;
c) branco - 0095;
d) verde - 3355;
e) vermelho - 1547.

4.3 Os marcos devem receber pintura em tinta acrílica conforme PETROBRAS N-2677, nas cores
indicadas nas Figuras A.1.1, A.1.2; A.2, A.3.1; A.3.2 e A.4.

4.4 Todas as placas, suportes e demais partes metálicas devem receber preparação de superfície e
pintura conforme a PETROBRAS N-1550, nas cores indicadas nas Figuras A.5 e A.6.

4.5 Para o emprego da marca PETROBRAS ou de suas subsidiárias, consultar o Manual de


Sinalização da PETROBRAS e o Caderno de Assinaturas PETROBRAS. Utilizar a versão colorida.

4.6 Para a sinalização das instalações das subsidiárias do sistema PETROBRAS, a marca
"PETROBRAS" pode ser substituída pela marca da subsidiária. [Prática Recomendada]

4.7 Para faixas em áreas alagadas (por exemplo: áreas pantanosas, Amazônia e outras), em áreas
de culturas altas (canavial, banana e outras) ou em áreas urbanas deve ser elaborado projeto de
sinalização específico, observando, onde aplicável, os requisitos desta norma.

4.8 Esta norma não restringe o uso de materiais alternativos ao aço-carbono para fabricação das
placas de sinalização e ao concreto para fabricação de marcos, desde que todos os demais requisitos
sejam mantidos. Materiais alternativos devem ser comprovadamente adequados à aplicação
considerada e seu uso é de responsabilidade do órgão usuário desta norma. A fabricação de placas
ou marcos com material alternativo deve ter projeto específico.

3
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

4.9 Os marcos e placas devem obedecer, quando for o caso, as restrições previstas pelo órgão
regulador do uso do espaço público.

4.10 Nos cruzamentos aéreos de linhas de transmissão de energia elétrica com a faixa de dutos, a
sinalização deve ser conforme ABNT NBR 7276.

4.11 Para o marco delimitador (Figura A.1) e sinalizador de dutos (Figura A.3) são apresentadas
duas alternativas construtivas, seção maçica (Figura A.1.1 e A.3.1) e seção vazada (Figura A.1.2 e
A.3.2).

4.12 Recomenda-se a construção de uma laje de concreto de 750 mm x 750 mm e espessura de 50


mm em torno da base dos marcos, para melhor visualização aérea [Prática Recomendada].

5 Condições Específicas

5.1 Marcos

5.1.1 Marcos Delimitadores

5.1.1.1 Para a demarcação dos limites da faixa de dutos, devem ser instalados pares de marcos nas
suas laterais, de acordo com a Figura A.1, atendendo aos seguintes critérios:

a) em qualquer ponto sobre a lateral da faixa deve ser visualizado o primeiro marco
posterior e o primeiro anterior, estando a projeção da visada sobre essa lateral ou
contida no interior da faixa;
b) em todos os pontos de inflexão horizontal (vértice) da faixa;
c) os limites máximos de espaçamentos devem ser de 200 m para áreas rurais e 50 m para
áreas urbanas;
d) nos cruzamentos e travessias deve ser instalado um par de marcos de cada lado;
e) seções da faixa de entrada e saída limítrofes de áreas industriais.

5.1.1.2 Para demarcação dos limites da área de domínio dos leitos de anodos, devem ser adotados
os mesmos critérios do 5.1.1.1. Devem ser instalados marcos nas extremidades dos cabos e pontos
de inflexão do leito de anodos.

5.1.2 Marcos Quilométricos

Devem ser instalados marcos indicadores de distância a cada quilômetro desenvolvido da faixa,
conforme Figura A.2

5.1.3 Marcos Sinalizadores de Dutos

Devem ser instalados marcos sinalizadores sobre a diretriz dos dutos e dos cabos de comunicação
conforme Figura A.3, atendendo aos seguintes critérios:

a) junto às margens dos cruzamentos (rodovias, ferrovias, estradas municipais, estradas de


acesso e carreadores);
b) nos cruzamentos com outros dutos, cabos elétricos ou de comunicação;
c) junto às margens das travessias (rios, lagos, açudes, canais e córregos sujeitos a
dragagem);
d) seções da faixa de entrada e saída limítrofes de áreas industriais.

4
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

5.2 Placas

Devem ser instaladas placas de sinalização Tipo I, Tipo II ou Tipo III conforme Figuras padronizadas
no Anexo A.

A placa do Tipo I deve ser usada nas mesmas situações previstas para o Tipo II quando for
necessário destacar ou aumentar o texto da mensagem.

5.2.1 Placas de Sinalização

5.2.1.1 Cruzamento com estradas, ruas e ferrovias (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ATENÇÃO
DUTO(S) ENTERRADO(S)
NÃO ESCAVAR

5.2.1.2 Cruzamento com estradas e ruas com possibilidade de acesso de veículos motorizados à
faixa (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ATENÇÃO
DUTO(S) ENTERRADO(S)
NÃO ESCAVAR
NÃO TRANSITAR COM VEÍCULO
SOBRE A FAIXA

5.2.1.3 Cruzamento com outros dutos ou cabos (Tipo I ou II), como por exemplo:

EXEMPLO

ATENÇÃO
CRUZAMENTO
OLEODUTO 8”/ CABO 10 kV

NOTA Em áreas urbanizadas, como alternativa, a placa pode ser fixada em estrutura existente,
respeitando os padrões dos Órgãos Públicos locais. [Prática Recomendada]

5.2.1.4 Travessias de rios, canais e lagos não-navegáveis, em ambas as margens (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ATENÇÃO
DUTO(S) SUBMERSO(S)
NÃO DRAGAR

5
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

5.2.1.5 Travessias de rios, canais e lagos navegáveis (Tipo III): devem ser instaladas placas
conforme as Figuras A.6.1 e A.6.2 em ambas as margens, contendo em ambos os lados a seguinte
mensagem.

EXEMPLO

ATENÇÃO
DUTO(S) SUBMERSO(S)
NÃO DRAGAR
NÃO FUNDEAR

5.2.1.6 Acessos a: áreas de válvulas, lançador / recebedor, faixas de dutos, estações retificadoras
e/ou de drenagens elétricas, estações intermediárias de bombeamento e/ou de compressão, caixas
de provadores de corrosão, etc. (Tipo I ou II).

EXEMPLO

Nº DA VÁLVULA
NOME DO DUTO

(distância)

5.2.1.7 Leitos de Anodos (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ATENÇÃO
LEITO DE ANODOS
NÃO ESCAVAR

5.2.2 Placas de Identificação

5.2.2.1 Área de válvulas ao longo do duto, (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ÁREA DE VÁLVULAS
Válv. Nº .....
(NOME DO DUTO)

5.2.2.2 Área de lançadores e recebedores de “pig” (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ÁREA DE LANÇADOR/
RECEBEDOR DE “PIGS”
(NOME DO DUTO)

NOTA Opcionalmente, a fixação da placa pode ser feita diretamente na cerca de proteção da área.
[Prática Recomendada]

6
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

5.2.2.3 Faixa de Dutos

No início da faixa e onde houver mudança de trecho da faixa, com as informações devidamente
alteradas (Tipo I ou II).

EXEMPLO

FAIXA DE DUTO - AAAA


km XX
DUTOS CONTIDOS NA FAIXA:
- DUTO XXXX
- DUTO YYYY
- CABO DE FIBRA ÓTICA

5.2.2.4 Ramal/Variante da Faixa de Dutos

Em seu ponto de interseção com a faixa (Tipo I ou II).

EXEMPLO

RAMAL/VARIANTE - BBBB
EXTENSÃO - XX km
Km XX DA FAIXA AAAA
DUTOS CONTIDOS NO
RAMAL/VARIANTE:
- DUTO ZZZZ

5.2.2.5 Estações de produção, bombeamento, compressão, entre outras, colocada ao lado da


entrada principal da unidade, próximo à cerca (Tipo III).

EXEMPLO

ESTAÇÃO DE COMPRESSORES
CAMPO DE MIRANGA

5.2.2.6 Área de domínio (Tipo I e II).

EXEMPLO

ÁREA DE PROPRIEDADE
DA PETROBRAS

5.2.3 Placas de Advertência

5.2.3.1 Áreas de válvulas (ao longo do duto), lançadores e recebedores de “pigs” e outras
instalações (Tipo I ou II).

7
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

EXEMPLO

PERIGO
NÃO FUME
PRODUTO INFLAMÁVEL/
ALTA PRESSÃO

5.2.3.2 Áreas de queimadores, instalada próxima do acesso ao queimador (Tipo I ou II).

EXEMPLO

PERIGO
QUEIMADOR
NÃO ULTRAPASSE

5.2.4 Placas Especiais

Recomenda-se que como atitude preventiva e complementar, pode ser realizada a instalação de
placas (Tipo I ou II), onde julgado aplicável, contendo, por exemplo, as seguintes mensagens ou
pictogramas: [Prática Recomendada]

EXEMPLO 1

ATENÇÃO
FAIXA DE DUTOS
PROIBIDO CONSTRUIR
OS INFRATORES ESTÃO SUJEITOS AS
PENALIDADES DA LEI

EXEMPLO 2

ATENÇÃO
FAIXA DE DUTOS
NÃO JOGAR LIXO OU ENTULHOS

EXEMPLO 3

ATENÇÃO
FAIXA DE DUTOS
NÃO ACENDER FOGUEIRA

EXEMPLO 4

8
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

EXEMPLO 5

5.3 Sinalização de Trechos Aéreos de Dutos e seus Complementos

5.3.1 Nos trechos aéreos de dutos devem ser pintadas setas indicando o sentido do fluxo, nome e
diâmetro do duto.

5.3.2 Recomenda-se identificar os complementos através de pintura dos respectivos números, com
letras de dimensões compatíveis com o espaço disponível, possibilitando a visualização em
inspeções aéreas. [Prática Recomendada]

9
N-2200 REV. F 08 / 2015

Anexo A - Figuras

90

30
Fundo em branco

150

90
30
150
Amarelo
(ver Nota 2)
1 000

150
300

Solo
500

Vista Frontal
150

100

100
150

NOTA 2 A pintura deve ser aplicada nas quatro faces do marco.

Figura A.1 - Marco Delimitador

10
N-2200 REV. F 08 / 2015

150

90 80

30
Fundo em branco

100
150

90
30
150
Amarelo
(ver Nota 2)

A
1 000

150
300
500

Solo

100
150

Vista Frontal

Detalhe do marco

80 100
(ver Nota 5)
150

130
150

100

150
80

150 150 130

Corte A-A Vista inferior

NOTA 2 A pintura deve ser aplicada nas quatro faces do marco.

Considerar fator A/C = 1.

Figura A.1 - Marco Delimitador

11
N-2200 REV. F 08 / 2015

20
605
Cor preta
(ver Notas 3 e 5) (ver Notas 3 e 5)

30
0
B

5
60
Cor amarela

100
20
5
17
227,5

30

20
5
17
20
5
17

B
100

30

20
Fonte DS-Digital

Fundo branco 90
30

150
90
30

Amarelo
(ver Nota 2)

A
150
300
500

Solo
0
30

20
0
150

100

340
100 424
150

NOTA 2 A pintura deve ser aplicada nas quatro faces do marco.

da PETROBRAS.

12
N-2200 REV. F 08 / 2015

90 Branco

30
(ver Nota 2)

150

90
30
150

DUTO ENTERRADO
(ver Nota 5)
Fonte swiss 721 BT, negrito
tamanho 100 pts, cor preta
1 000

Amarelo
(ver Nota 2)

150
300

Solo
500

Vista Frontal
150

100

100
150

NOTA 2 A pintura deve ser aplicada nas quatro faces do marco.

o da PETROBRAS.
", fonte swiss 721 BT, negrito tamanho 100 pts,
cor preta.

Figura A.3 - Marco Sinalizador de Dutos

13
N-2200 REV. F 08 / 2015

150
90 80
Branco

30
(ver Nota 2)

100
150

90
30
150

DUTO ENTERRADO
(ver Nota 5)
Fonte swiss 721 BT, negrito A
tamanho 100 pts, cor preta
1 000

Amarelo
(ver Nota 2)

150
300

Solo
500

100
150

Vista Frontal Detalhe do marco

80 100
(ver Nota 4)
150

130
150

100

150
80

150 150 130

Corte A-A Vista inferior

NOTA 2 A pintura deve ser aplicada nas quatro faces do marco.

) seja

Considerar fator A/C = 1.


", fonte swiss 721 BT, negrito tamanho 100 pts,
cor preta.

Figura A.3 - Marco Sinalizador de Dutos

14
N-2200 REV. F 08 / 2015

Faixa na cor branca Preto


285 pts
25
105

30
25

Amarelo

Dutos Enterrados
Preto
215 pts
700

418

Preto
(ver Nota 2)

Verde - 130 pts


Telefone
127

(ver Nota 3)

100 700 100 R = 65

texto centralizado na vertical e horizontal, entrelinhas 120 %)

900
(Usar fonte Swiss 721 BT, negrito, tamanho e cor indicados)

Faixa na cor branca

15
N-2200 REV. F 08 / 2015

900

155
carbono com 3/16"

700

418
127

Tubo A.C. DN 2"


SCH 40 cor preta
1 700

1 000
50
600

600
500

Laje

1 000

NOTA 2 Pode ser utilizada uma ou ambas as faces da placa. Quando for utilizada somente uma das faces, a outra deve ser
totalmente pintada na cor preta.

16
N-2200 REV. F 08 / 2015

Faixa na cor branca Preto


170 pts
20

22
60

20
20

Amarelo
400

Dutos Enterrados Preto


113 pts
250

Preto
(ver Nota 2)

Verde - 65 pts
Telefone
50

(ver Nota 3)

60 430 60 R = 40

texto centralizado na vertical e horizontal, entrelinhas 120 %)

550
(Usar fonte Swiss 721 BT, negrito, tamanho e cor indicados)

Faixa na cor branca

17
N-2200 REV. F 08 / 2015

55

100
400

250
50

150

Ver detalhe A
Tubo A.C. DN 2"
SCH 40 cor preta
1700

A Detalhe A

500
50

carbono com 3/16"

Fechamento tubo
chapa # 1/8"
600

Vista lateral do detalhe A

500
500

NOTA 2 Pode ser utilizada uma ou ambas as faces da placa. Quando for utilizada somente uma das faces, a outra deve ser totalmente
pintada na cor preta.

18
N-2200 REV. F 08 / 2015

Faixa em branco
Preto Amarelo
350 pts
50
50 140

55
1 000

625

Campo de Miranga
135

Telefone

150 1 700 150

texto centralizado na vertical e horizontal, entrelinhas 120 %)

2 000
(Usar fonte Swiss 721 BT, negrito, tamanho e cor indicados)

Verde - 185pts
Faixa na cor branca (ver Nota 3)

19
N-2200 REV. F 08 / 2015

Ver detalhe A

Tubo A.C. DN 2"


SCH 40
1700

1 400

Cor preta
600

Fechamento do tubo
chapa # 1/8"

Detalhe A

NOTA 2 Pode ser utilizada uma ou ambas as faces da placa. Quando for somente uma das faces, a outra deve ser totalmente pintada
na cor preta.

20
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A e B
Não existe índice de revisões.

REV. C
Partes Atingidas Descrição da Alteração

1.2 a 1.4 Incluídos

2 Revisado

3 Revisado

5.1.1.1 Revisado

5.1.1.3 Incluído

5.1.2.1 e 5.1.2.2 Incluídos

5.1.3 e 5.1.4 Incluídos

5.2.1 a 5.2.4 Revisados

5.2.6 Revisado

5.4.1.1 e 5.4.1.2 Revisados

5.4.2 Incluído

5.4.3 Revisado

FIGURA A-1 e A-2 Revisadas

FIGURA A-3 e A-4 Incluídas

FIGURA A-5 Revisada

FIGURA A-6 Incluída

FIGURA A-7 Renumerada

FIGURA A-8 Incluída

REV. D
Partes Atingidas Descrição da Alteração

1.2 Revisado

2e3 Revisados

4.6, 4.7, 4.8, 4.9 e 4.10 Novos

5.2 e 5.3 Revisados

5.3.1 Revisado e Renumerado

5.3.2 Incluído

Figuras A.1 a A.7 Revisadas

IR 1/2
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

REV. E
Partes Atingidas Descrição da Alteração

1.5 e 1.6 Incluídos

2 Revisado

4.4 Revisado

5.1.1.1 Inclusão da enumeração e)

5.1.3 Revisado e inclusão da enumeração d)

5.2 e 5.2.2.1 Revisados

5.2.3.3 Removido

5.2.4 Revisado e inclusão do Exemplo 5

Figura A.1 Revisada (correção cota 15 para 150)


Revisada (incluído símbolo BR), inclusão da Nota 3 e
Figura A.3
renumeração da Nota 4
Figura A.6 Revisada

Figura A.7 Removida

REV. F
Partes Atingidas Descrição da Alteração

4.3; 4.8; 4.10; 5.2.1.2 Revisados

4.11 e 4.12 Incluídos

Figura A.1 Revisada, alterada para A.1.2

Figura A.1.1 Incluída

Figura A.2 Revisada

Figura A.3 Revisada, alterada para A.3.2

Figura A.3.1 Incluída

IR 2/2
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

GRUPO DE TRABALHO - GT-13-34

Membros

Nome Lotação Telefone Chave


Antonio Geraldo de Sousa
TRANSPETRO/DSERV/ENG/SUP/PROJ/PC 711-9211 TG10
(Coordenador)
Luis Fernando do Couto Alves UO-BA/ENGP/EMI 821-3956 KS00
Marisa das Graças Teixeira TRANSPETRO/DDT/TTOL/OP1/NNESE/MN
813-6948 TB3K
Oliveira FD
Homero Osório da Silva Júnior UO-ES/ENGP/EES 705-1088 UPRY
Secretário Técnico
Pedro Salum Benjamin ETM-CORP/ST/NORTEC 706-2128 E11C
-PÚBLICO-

N-2200 REV. F 08 / 2015

5.2.1.5 Travessias de rios, canais e lagos navegáveis (Tipo III): devem ser instaladas placas
conforme as Figuras A.7.1 e A.7.2 em ambas as margens, contendo em ambos os lados a seguinte
mensagem.

EXEMPLO

ATENÇÃO
DUTO(S) SUBMERSO(S)
NÃO DRAGAR
NÃO FUNDEAR

5.2.1.6 Acessos a: áreas de válvulas, lançador / recebedor, faixas de dutos, estações retificadoras
e/ou de drenagens elétricas, estações intermediárias de bombeamento e/ou de compressão, caixas
de provadores de corrosão, etc. (Tipo I ou II).

EXEMPLO

Nº DA VÁLVULA
NOME DO DUTO

(distância)

5.2.1.7 Leitos de Anodos (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ATENÇÃO
LEITO DE ANODOS
NÃO ESCAVAR

5.2.2 Placas de Identificação

5.2.2.1 Área de válvulas ao longo do duto, (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ÁREA DE VÁLVULAS
Válv. Nº .....
(NOME DO DUTO)

5.2.2.2 Área de lançadores e recebedores de “pig” (Tipo I ou II).

EXEMPLO

ÁREA DE LANÇADOR/
RECEBEDOR DE “PIGS”
(NOME DO DUTO)

NOTA Opcionalmente, a fixação da placa pode ser feita diretamente na cerca de proteção da área.
[Prática Recomendada]