Você está na página 1de 274

Manual de instruções

Novo CrossFox

Manual de instruções
Novo CrossFox

Manual de instruções:
Novo CrossFox
Data de fechamento: 06.01.2017 | BAN - OP: XXXXXX
Português Brasil: 04.2017
Número de artigo: 181.5B1.CRF.66
Significados dos símbolos
Identifica uma referência a um trecho do ATENÇÃO
 texto com informações importantes e ori-
Textos com este símbolo indicam situações peri-
entações de segurança  dentro de um ca-
pítulo. Essa referência deve ser sempre ob- gosas, que podem causar a morte ou ferimentos
servada. graves no caso de inobservância.
Esta seta indica que o trecho do texto con-
 tinua na página seguinte. CUIDADO
Esta seta indica o fim de um trecho do tex- Textos com este símbolo indicam situações peri-
 to. gosas, que podem causar ferimentos leves ou gra-
O símbolo identifica situações nas quais o ves no caso de inobservância.
 veículo deve ser parado o mais rápido pos-
sível. NOTA
® O símbolo identifica uma marca registrada. Textos com este símbolo indicam situações perigo-
A falta desse símbolo não garante que os sas, que podem causar danos ao veículo no caso de
termos possam ser usados livremente. inobservância.
→ Símbolos deste tipo fazem referência a
Textos com este símbolo contêm recomenda-
→ alertas dentro do mesmo trecho do texto
ções que visam a defesa do meio ambiente.
ou da página indicada, para indicar possí-

veis riscos de acidente e de ferimentos e, Textos com este símbolo contêm informações
como eles podem ser evitados. adicionais.
→ Referência cruzada a um possível dano ma-
terial dentro do mesmo trecho do texto ou
da página indicada.

PERIGO
Textos com este símbolo indicam situações extre-
mamente perigosas, que podem causar a morte ou
ferimentos graves no caso de inobservância.

A Volkswagen do Brasil trabalha constantemente no Não são permitidas a impressão, reprodução e tra-
desenvolvimento contínuo de todos os tipos e mo- dução, total ou parcial, sem autorização por escrito
delos de veículo. Por esse motivo, pedimos a sua da Volkswagen do Brasil.
compreensão para o fato de que alterações na for-
Todos os direitos deste material são expressamente
ma, equipamentos e tecnologia dos veículos são
reservados à Volkswagen do Brasil, conforme a le-
possíveis a qualquer tempo. As indicações sobre a
gislação de direitos autorais. Reservado o direito a
abrangência de fornecimento, a aparência, a potên-
modificações.
cia, as dimensões, os pesos, o consumo de combus-
tível, as normas e as funções dos veículos corres- Produzido no Brasil.
pondem às informações disponíveis no fechamento © 2017 Volkswagen do Brasil
da redação deste manual. É possível que alguns
equipamentos só estejam disponíveis em um mo- Manual impresso em papel produzido com ce-
mento posterior (a Concessionária Volkswagen local lulose embranquecida sem cloro e a partir de
pode fornecer as informações) ou sejam oferecidos fontes responsáveis.
somente em determinados mercados. Não são ad-
missíveis reivindicações derivadas das indicações,
ilustrações e descrições deste manual.
Muito obrigado por sua confiança
Com este Volkswagen, você está recebendo um veículo com a mais moderna tecnologia e diversos equipa-
mentos de conforto que, certamente você desejará usar em suas viagens diárias.
Antes da primeira utilização, leia e atente para as informações contidas neste Manual de instruções para
que você conheça de forma rápida e abrangente o veículo, bem como para poder reconhecer e evitar possí-
veis perigos para si e para terceiros.
Caso você tenha mais perguntas sobre o seu veículo ou acredite que a literatura de bordo não esteja comple-
ta, entre em contato com nossa Central de Relacionamento ou com a sua Concessionária Volkswagen. Suas
dúvidas, sugestões ou críticas são muito importantes para nós!

Central de Relacionamento com Clientes Volkswagen


Internet: www.vw.com.br (Fale Conosco)
Telefone: 0800 019 5775 (ligação gratuita)
Fax: 4347-5412
Carta: Via Anchieta, km 23,5
São Bernardo do Campo - SP
CEP 09823-901 / CPI 1048

Nós lhe desejamos muitas alegrias com o seu veículo e uma boa viagem sempre.

Volkswagen do Brasil 
181.5B1.CRF.66

Muito obrigado por sua confiança 1


Índice
Sobre este Manual de instruções 4 Visibilidade
Reparos nos componentes do – Limpadores e lavadores dos vidros 87
– Espelhos retrovisores 89
conceito de segurança do veículo 5
– Proteção solar 92
Aquecimento e ar-condicionado
Manual de instruções – Aquecer, ventilar, refrigerar 94

Segurança Conduzir
– Orientações gerais 6 – Orientações para condução 99
– Ajustar a posição do banco 8 – Ligar e desligar o motor 107
– Cintos de segurança 10 – Transmissão automatizada 113
– Sistema de airbag 19 – Direção 119
– Transporte de crianças no veículo 23
Sistema de assistência ao condutor
– Em caso de emergência 28
– Sistema de assistência ao arranque 121
Vista geral do veículo – Sistema regulador de velocidade (GRA) 122
– Vistas externas 31
Estacionar e manobrar
– Interior do veículo 34
– Estacionar 126
Informações ao condutor – Luzes de advertência e de controle 126
– Instrumento combinado 39 – Freio de estacionamento 128
– Comando do instrumento combinado 48 – Controle de distância de estacionamento
(Park Pilot) 128
Volante multifunções
– Câmera de marcha a ré (Rear View) 132
– Volante multifunções com comandos do – Sistemas de assistência à frenagem 137
rádio e do Sistema de informações Volks
wagen 51 Equipamentos práticos
– Porta-objetos 141
Abrir e fechar
– Porta-copos 144
– Jogo de chaves do veículo 55
– Cinzeiro e acendedor de cigarro 145
– Travamento central e sistema de
– Tomada 146
travamento 58
– Portas 64 Transportar
– Tampa traseira 65 – Orientações para condução 148
– Vidros 68 – Compartimento de bagagem 149
– Teto solar 72 – Bagageiro do teto 150
Volante – Condução com reboque 153
– Ajustar a posição do volante 74 Combustível
Bancos e apoios para cabeça – Orientações de segurança para o
manuseio de combustível 158
– Banco dianteiro 75
– Abastecer 159
– Banco traseiro 76
– Tipos de combustível 160
– Apoios para cabeça 78
– Unidade de controle do motor e sistema
Iluminação de purificação do gás de escape 162
– Comandos 80
– Funções das luzes 84
– Farol 86

2 Índice
– Utilização de um telefone móvel no
Conservação do veículo
veículo sem conexão com a antena
– Orientações para a conservação do externa 242
veículo 164
– Pontos de apoio para a suspensão do
– Lavagem do veículo 165 veículo 243
– Limpar e conservar a parte externa do
veículo 167 Informações ao consumidor
– Limpar e conservar o interior do veículo 169 – Etiquetas adesivas e plaquetas 244
– Prolongado desuso 173 – Recepção do rádio e antena 245
– Instalar o rádio 245
Autoajuda
– Volume do rádio ou do sistema de
– Ferramentas de bordo 175 navegação 245
– Acomodação e acesso às ferramentas de – Fone de ouvido 245
bordo 175
– Serviço de atendimento ao cliente 246
– Componentes 176
– Declaração de conformidade 246
– Palhetas dos limpadores dos vidros 177
– Licença de utilização da chave com
– Troca de lâmpadas incandescentes 178 comando remoto 246
– Troca de lanternas que utilizam LED 188 – Licença de utilização do imobilizador
– Fusíveis 189 eletrônico 247
– Auxílio à partida 193
– Puxar e rebocar 196 Dados Técnicos
– Dados do veículo 248
Verificação e reabastecimento
– No compartimento do motor 199
– Fluidos e recursos 203 Abreviaturas utilizadas 256
– Água dos lavadores dos vidros 204
– Óleo do motor 204
Índice remissivo 258
– Líquido de arrefecimento do motor 208
– Fluido de freio 211
– Sistema de partida aquecida (E-FLEX) 213
– Bateria do veículo 214
Rodas e pneus
– Sistema de controle dos pneus 218
– Informações importantes sobre rodas e
pneus 221
– Calotas 233
– Troca de roda 234
Acessórios, reposição de peças, reparos e
modificações
– Acessórios e peças de reposição 239
– Reparos e modificações técnicas 239
– Reparos e limitações do sistema de
airbag 240
– Instalação posterior de aparelhos de
transmissão 241
– Informações armazenadas nas unidades
de controle 241
181.5B1.CRF.66

Índice 3
Sobre este Manual de instruções
– Este Manual de instruções é válido apenas para Componentes adicionais da literatura de
todos os modelos e versões do Novo CrossFox bordo (opcionais):
– Você encontra um índice remissivo de termos em – Suplemento
ordem alfabética no final do manual.
– Manual de instruções do rádio
– Um índice de abreviaturas ao final do manual es-
clarece abreviaturas e denominações técnicas. – Outros anexos 
– Indicações de direção como esquerda, direita, di-
anteiro e traseiro têm como referência, via de re-
gra, a direção de condução do veículo, salvo indi-
cação em contrário.
– As Ilustrações servem como orientação e devem
ser entendidas como representações esquemáti-
cas.
– Definições breves que são destacadas por cor e
são colocadas antes de algumas seções neste ma-
nual, resumem as funções e a utilização de um
sistema ou equipamento. Mais informações sobre
os sistemas e equipamentos, além das suas carac-
terísticas, comandos e limites de sistemas estão
nas respectivas seções.
– Modificações técnicas no veículo surgidas após o
fechamento da redação deste manual encontram-
-se em um Suplemento anexo à literatura de bor-
do.
Todas as versões e modelos estão descritas sem que
sejam identificadas como equipamentos especiais
ou variações de modelo. Desta forma, podem estar
descritos equipamentos que o seu veículo não pos-
sua ou que estejam disponíveis apenas em alguns
mercados. Você obtém os equipamentos de seu veí-
culo na documentação de venda. Para mais informa-
ções, dirija-se a sua Concessionária Volkswagen.
Todas as indicações deste Manual de instruções são
relativas às informações disponíveis na data de fe-
chamento da redação. Devido ao desenvolvimento
contínuo do veículo, é possível que existam diver-
gências entre o veículo e as indicações deste manual
da instruções. Nenhuma exigência pode ser reivindi-
cada das indicações, ilustrações ou descrições dife-
rentes deste manual.
Ao vender ou emprestar o veículo, certifique-se de
que toda a literatura de bordo se encontre no veícu-
lo.

Componentes fixos da literatura de


bordo:
– Manual de instruções
– Manutenção e garantia
– Guia rápido
– Folheto Volkswagen service
– Manual básico de segurança no trânsito

4 Sobre este Manual de instruções


Reparos nos componentes do conceito de segurança do
veículo
A Volkswagen recomenda que reparos nos compo-
nentes do conceito de segurança do veículo sejam
realizados somente por uma Concessionária
Volkswagen.
As Concessionárias Volkswagen possuem ferramen-
tas, aparelhos de diagnóstico, informações de reparo
e pessoal qualificado necessários, bem como peças
originais Volkswagen, garantindo a qualidade do re-
paro executado e, consequentemente, a sua segu-
rança e a dos seus passageiros.
São considerados componentes do conceito de se-
gurança de um veículo:
– airbags;
– apoios para cabeça;
– bancos;
– cintos de segurança;
– coluna de direção;
– freios / freio de estacionamento;
– limitador de força dos cintos de segurança;
– luz de advertência dos cintos de segurança;
– luz de controle dos airbags;
– pré-tensionador dos cintos de segurança;
– regulagem de altura dos cintos de segurança;
– unidades de controle e sensores. 
181.5B1.CRF.66

Reparos nos componentes do conceito de segurança do veículo 5


Segurança  Acomodar bem o tapete na área para os pés
do lado do condutor de modo que ele não
obstrua a área dos pedais. Dependendo da
versão do veículo, o tapete dianteiro do lado
Orientações gerais do condutor pode ter fixação no pino do car-
pete → Fig. 1.
 Adotar uma posição correta no banco antes e
durante a condução. Isto também é válido
para todos os passageiros → Página 8.
 Ajustar o cinto de segurança corretamente
antes da condução e não alterar a regulagem
do cinto durante a condução. Isto também é
válido para todos os passageiros
→ Página 10.
 Não transportar uma quantidade de passa-
geiros maior que a quantidade de assentos e
de cintos de segurança disponíveis.
 Jamais conduzir com a capacidade de condu-
Fig. 1 Tapete dianteiro do lado do condutor com fi- ção alterada pela incidência de medicamen-
xação no pino do carpete. tos, álcool ou drogas, entre outras substân-
cias capazes de influenciar o nível de percep-
Preparativos de viagem e segurança da condução ção e reação.
Os seguintes pontos devem ser observados antes  Não se distrair no trânsito, por exemplo,
e durante a condução para garantir a segurança ajustando ou acessando menus no painel,
do próprio condutor, de todos os passageiros e com passageiros ou falando ao telefone.
de outros condutores → :  Adequar sempre a velocidade e a forma de
 Verificar o perfeito funcionamento do siste- condução às condições de visibilidade, climá-
ma de iluminação e dos indicadores de dire- ticas, da pista e do trânsito, respeitando os li-
ção. Informações sobre a troca de lâmpadas mites de velocidade definidos na via onde es-
incandescentes → Página 178. tá trafegando.
 Controlar a pressão dos pneus  Respeitar as regras de trânsito e as velocida-
(→ Página 225) e o nível de combustível des indicadas.
(→ Página 45).  Em viagens longas, fazer pausas regulares –
 Providenciar uma visibilidade perfeita através não ultrapassando o limite de 2 horas.
de todos os vidros.  Carregar animais no veículo com um sistema
 Fixar todos os volumes de bagagem com fir- que seja apropriado ao seu peso e tamanho. 
meza nos porta-objetos, no compartimento
de bagagem e, se for o caso, no teto
→ Página 148.
 O acionamento dos pedais deve estar desim-
pedido o tempo todo.
 Proteger as crianças no veículo com um sis-
tema de retenção apropriado a idade da cri-
ança → Página 23.
 Ajustar corretamente os bancos dianteiros,
os apoios para cabeça e os espelhos retrovi-
sores conforme a estatura → Página 8,
→ Página 89.
 Usar sapatos adequados que proporcionem
um bom apoio para o comando dos pedais.

6 Manual de instruções
Condução no exterior  Pressão dos pneus → Página 225
Alguns países adotam normas específicas e espe-  Iluminação do veículo, necessária para a se-
ciais de segurança, bem como prescrevem nor- gurança do trânsito:
mas relevantes para emissões de gases. A – Indicadores de direção
Volkswagen recomenda que antes de iniciar uma – Luz de posição, farol baixo e farol alto /
viagem internacional você se informe em uma longo alcance
Concessionária Volkswagen sobre as determina- – Lanterna traseira
ções legais e as seguintes questões do país de
– Lanterna de freio
destino:
– Lanterna de neblina → Página 80
 É necessário preparar o veículo para a via-
– Lanterna da placa de licença
gem no exterior, por exemplo, mascarar ou
converter o farol?
PERIGO
 As ferramentas, os equipamentos de diag-
nóstico e as peças de reposição necessárias Observar as indicações importantes de segu-
para serviços de manutenção e de reparos rança relativas ao airbag frontal do passageiro
estão disponíveis? dianteiro → Página 23, Informações gerais so-
bre o transporte de crianças no veículo.
 Existe uma Concessionária Volkswagen no
país de destino?
ATENÇÃO
 Existe gasolina sem chumbo ou outros aditi-
vos metálicos (por exemplo, manganês) com Conduzir sob influência de álcool, drogas, medi-
octanagem satisfatória? camentos e entorpecentes pode causar aciden-
tes graves e ferimentos fatais.
 O óleo do motor recomendado
(→ Página 204) e demais fluidos conforme as ● Álcool, drogas, medicamentos e entorpecen-
especificações da Volkswagen estão disponí- tes podem diminuir consideravelmente o
veis no país de destino? grau de percepção, os tempos de reação e a
segurança da condução, o que pode causar a
 São necessários pneus especiais para a roda- perda de controle do veículo.
gem no país de destino?
Controles ao abastecer ATENÇÃO
Nunca realizar trabalhos no motor ou no compar- Respeitar sempre as regras de trânsito atuais e
timento do motor sem o conhecimento das ações os limites de velocidade e conduzir preventiva-
necessárias e das precauções de segurança, bem mente. A avaliação correta da situação de con-
como sem os recursos, fluidos e ferramentas dução pode fazer a diferença entre chegar ao
adequadas à disposição → Página 199, Orienta- destino da viagem em segurança e sofrer um
ções de segurança para trabalhos no comparti- acidente com ferimentos graves.
mento do motor! Nesse caso, deixar que seja rea-
lizado por uma Concessionária Volkswagen ou NOTA
por uma empresa especializada. Atentar para a A Volkswagen não se responsabiliza por danos
verificação regular dos seguintes pontos, prefe- causados ao veículo em razão de combustível de
rencialmente ao abastecer: baixa qualidade, manutenção insuficiente/incor-
 Nível da água dos lavadores dos vidros reta e utilização de peças não originais.
→ Página 204
Serviços de manutenção regulares no veícu-
 Nível do óleo do motor → Página 204
lo servem não apenas para a conservação
 Nível do líquido de arrefecimento do motor do veículo, mas também contribuem para a segu-
→ Página 208 rança operacional e do trânsito. Por esse motivo,
 Nível do fluido de freio → Página 211 os serviços de manutenção devem ser realizados
sempre conforme as especificações do → cader-
no Manutenção e garantia. Em condições de se-
181.5B1.CRF.66

veridade, pode ser necessário executar alguns


serviços antes da data prevista para a próxima
manutenção. Condições de severidade são, por 

Segurança 7
exemplo, condução frequente em trânsito inten- Perigo de uma postura incorreta no
so, rodagem em áreas com alta incidência de po-
eira. Informações complementares sobre condi- banco
ções de severidade encontram-se detalhadas no
→ caderno Manutenção e garantia, sendo essen-
 Observe no início desse capítulo na pági-
cial sua leitura prévia. Mais informações podem na 8.
ser obtidas em uma Concessionária Volkswagen
ou em uma empresa especializada.  Se os cintos de segurança não forem usados ou
forem colocados de forma incorreta, o risco de
ferimentos graves ou fatais será aumentado. Os
cintos de segurança somente podem proporcio-
nar seu efeito protetor ideal com a correta posi-
Ajustar a posição do banco ção do cadarço do cinto. Uma postura incorreta
do banco prejudica consideravelmente a prote-
ção dos cintos de segurança. As consequências
 Introdução ao tema podem ser ferimentos graves ou até fatais. O ris-
co de ferimentos graves ou fatais aumenta prin-
cipalmente quando um airbag acionado atinge o
Número de assentos ocupante que adotou uma postura do banco in-
O veículo tem um número total de 5 assentos: 2 correta. O condutor é o responsável por todos os
assentos dianteiros e 3 assentos traseiros. Cada ocupantes e, principalmente, pelas crianças
assento está equipado com um cinto de seguran- transportadas no veículo.
ça.
A lista a seguir contém exemplos de quais posi-
ções no banco podem ser perigosas para todos os
ATENÇÃO
ocupantes.
Uma posição do banco incorreta no veículo po-
de aumentar o risco de ferimentos graves ou Sempre que o veículo estiver em movimento:
fatais em manobras de direção e de frenagem – Nunca ficar de pé no veículo.
súbitas, em uma colisão ou acidente e no acio-
– Nunca ficar de pé sobre os bancos.
namento dos airbags.
– Nunca se ajoelhar sobre os bancos.
● Antes do início da condução, todos os ocu-
pantes devem adotar uma postura correta – Nunca inclinar o encosto do banco muito para
nos bancos e conservá-la durante a condu- trás.
ção. Isto também é válido para o uso do cinto – Nunca se apoiar no painel de instrumentos.
de segurança. – Nunca deitar no banco traseiro.
● Nunca transportar mais pessoas do que a – Nunca sentar somente na borda dianteira do
quantidade de assentos com cinto de segu- banco.
rança disponíveis no veículo.
– Nunca sentar voltado para o lado.
● Proteger sempre as crianças no veículo com
um sistema de retenção homologado e apro- – Nunca se inclinar para fora do veículo.
priado a sua idade → Página 23, Transporte – Nunca manter os pés para fora do veículo.
de crianças no veículo, → Página 19, Siste- – Nunca colocar os pés sobre o painel de instru-
ma de airbag. mentos.
● Manter sempre os pés na área para os pés – Nunca colocar os pés sobre o estofamento do
durante a condução. Nunca colocar os pés, banco ou sobre o encosto do banco.
por exemplo, sobre o assento ou sobre o pai- – Nunca viajar na área para os pés.
nel de instrumentos e nunca mantê-los para
fora do veículo. Do contrário, o airbag e o – Nunca viajar no assento sem o cinto de segu-
cinto de segurança podem não proteger, au- rança.
mentando o risco de ferimentos em um aci- – Nunca permanecer no compartimento de ba-
dente.  gagem. 

8 Manual de instruções
ATENÇÃO Para o condutor vale:
– Colocar o encosto do banco em uma posição
Toda postura do banco incorreta no veículo au-
ereta, de modo que as costas se apoiem total-
menta o risco de ferimentos graves ou fatais
mente nele.
em caso de acidentes ou manobras de direção e
de frenagem súbitas. – Ajustar o banco de modo que a distância entre
o volante e o tórax tenha no mínimo 25 cm
● Todos os ocupantes devem manter sempre a
→ Fig. 2 A e que o condutor possa segurar o
posição do banco correta e estar com o cinto
volante pela borda externa com as duas mãos
de segurança bem colocado durante a con-
e os braços ligeiramente dobrados.
dução.
– O volante ajustado deve apontar sempre na di-
● Pela posição do banco incorreta, o não uso
reção do tórax e não na direção do rosto.
do cinto de segurança ou uma distância mui-
to pequena em relação ao airbag, os ocupan- – Ajustar o banco do condutor na direção longi-
tes se expõem a perigos de ferimentos fatais, tudinal de modo que os pedais possam ser
especialmente quando os airbags são aciona- acionados com as pernas ligeiramente arquea-
dos e atingem um ocupante que adotou uma das e a distância para o painel de instrumentos
posição do banco incorreta.  na área do joelho seja de, no mínimo, 10 cm
→ Fig. 2 B .
– Ajustar a altura do banco do condutor de modo
que o ponto superior do volante possa ser al-
Postura correta no banco cançado.
– Deixar sempre os dois pés na área para os pés
 Observe no início desse capítulo na pági-
para manter sempre o controle do veículo.
na 8.
– Colocar os cintos de segurança corretamente
→ Página 10.

Para o passageiro dianteiro vale:


– Colocar o encosto do banco em uma posição
ereta, de modo que as costas se apoiem total-
mente nele.
– Deslocar o banco do passageiro dianteiro para
trás tanto quanto possível, para que o airbag
alcance sua proteção total em caso de aciona-
mento.
Fig. 2 Distância correta do condutor em relação ao
– Manter ambos os pés na área para os pés du-
volante, posição correta do cadarço do cinto de se- rante a condução.
gurança e ajuste correto do apoio para cabeça. – Colocar os cintos de segurança corretamente
→ Página 10.
A seguir estão indicadas as posições do banco
corretas para o condutor e para os passageiros. Para os ocupantes do veículo da parte traseira
vale:
Pessoas que, em razão de suas particularidades
físicas, não conseguem adotar a posição do ban- – Para os assentos com apoio para cabeça: ajus-
co correta devem informar-se em uma empresa tar o apoio para cabeça de modo que a sua
especializada sobre possíveis instalações especi- borda superior se encontre preferencialmente
ais. Somente com a posição do banco correta se na mesma linha da parte superior da cabeça
atinge a proteção ideal do cinto de segurança e → Fig. 2 – porém não abaixo da altura dos
dos airbags. Para isso, a Volkswagen recomenda olhos. Posicionar a parte posterior da cabeça o
as Concessionárias Volkswagen. mais perto possível do apoio para cabeça.
Para a própria segurança e para reduzir ferimen- – Em caso de pessoas baixas, empurrar o apoio
181.5B1.CRF.66

tos em caso de uma manobra de frenagem súbita para cabeça para baixo até o batente, mesmo
ou acidente, a Volkswagen recomenda as seguin- se a cabeça se encontrar abaixo da borda su-
tes posturas no banco: perior do apoio para cabeça. 

Segurança 9
– Em caso de pessoas altas, empurrar o apoio cintos de segurança corretamente colocados
para cabeça para cima até o batente. → Página 23, Transporte de crianças no
– Manter ambos os pés na área para os pés du- veículo.
rante a condução. ● Conduza o veículo somente quando todos os
– Regular e colocar os cintos de segurança passageiros estiverem com o cinto de segu-
corretamente → Página 10.  rança colocado corretamente.
● Encaixar a lingueta do cinto de segurança so-
mente no fecho do cinto de segurança do as-
sento correspondente e fixar firmemente. O
Cintos de segurança uso de um fecho do cinto de segurança não
pertencente ao respectivo assento reduz a
proteção e pode causar ferimentos graves.
 Introdução ao tema ● Jamais deixar objetos estranhos ou líquidos
penetrarem nos engates dos fechos dos cin-
tos de segurança. Isto pode limitar a funcio-
Verificar regularmente a condição de todos os nalidade dos cintos de segurança e o trava-
cintos de segurança. Em caso de avarias no ca- mento dos fechos dos cintos de segurança.
darço do cinto de segurança, ligações do cinto de
● Nunca tirar o cinto de segurança durante a
segurança, enrolador automático do cinto de se-
condução do veículo.
gurança ou fecho do cinto de segurança, o res-
pectivo cinto deve ser substituído imediatamente ● Colocar sempre um único cinto de segurança
por uma Concessionária Volkswagen → . Em- por pessoa.
presas especializadas devem utilizar peças de re- ● Nunca transportar crianças ou bebês no colo.
posição corretas, compatíveis com o veículo, com ● Não conduzir com roupas soltas, por exem-
a versão e com o ano-modelo. Para isso, a plo, um casaco sobre um paletó, pois isto
Volkswagen recomenda as Concessionárias restringirá o assentamento correto e a fun-
Volkswagen. cionalidade do cinto de segurança.

ATENÇÃO ATENÇÃO
Cintos de segurança não colocados ou coloca- Cintos de segurança danificados representam
dos incorretamente proporcionam risco de feri- um grande perigo e podem causar ferimentos
mentos graves ou fatais. A proteção ideal dos graves ou fatais.
cintos de segurança é obtida apenas quando os
cintos de segurança são colocados e utilizados ● Nunca danificar o cinto de segurança pren-
corretamente. sando-o na porta ou no mecanismo do ban-
co.
● Cintos de segurança são o meio mais eficien-
te para reduzir o risco de ferimentos graves e ● Se o tecido do cinto de segurança ou outras
fatais em caso de acidente. Para a proteção peças do cinto de segurança estiverem dani-
do condutor e de todos os ocupantes do veí- ficados, os cintos de segurança podem se
culo, os cintos de segurança devem estar romper em um acidente ou em uma manobra
sempre bem colocados enquanto o veículo de frenagem brusca.
estiver em movimento. ● Substituir imediatamente os cintos de segu-
● Todos os ocupantes do veículo devem assu- rança danificados por cintos de segurança
mir sempre a posição correta no banco, colo- novos em uma Concessionária Volkswagen.
car corretamente o respectivo cinto de segu- Cintos de segurança que foram utilizados du-
rança antes da condução e mantê-lo coloca- rante um acidente e, por isso, sofreram alon-
do durante a condução. Isto é válido para to- gamento ou disparo do pré-tensionador, de-
dos os passageiros em qualquer condição de vem ser substituídos por uma Concessionária
tráfego do veículo. Volkswagen. A substituição poderá ser ne-
cessária mesmo quando não houver dano vi-
● Proteger as crianças no veículo durante a sível. Além disso, as ancoragens dos cintos
condução com um sistema de retenção de segurança devem ser verificadas. 
correspondente à idade da criança, com os

10 Manual de instruções
● Nunca tentar reparar, modificar ou desmon- ATENÇÃO
tar os cintos de segurança por conta própria.
Cinto de segurança não colocado ou colocado
Apenas uma Concessionária Volkswagen po-
incorretamente proporciona risco de ferimen-
de realizar reparos no cinto de segurança, no
tos graves ou fatais. A proteção ideal do cinto
enrolador automático e nas peças de fixação
de segurança é obtida apenas quando o cinto é
do cinto de segurança.  utilizado corretamente. 

Luz de advertência
Colisões frontais e as leis da física
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 10.
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 10.

Fig. 3 Luz de advertência do instrumento combina-


Fig. 4 Um veículo com os ocupantes do veículo sem
do.
cintos de segurança está em rota de colisão com um
Dependendo da versão do veículo, a luz de ad- muro.
vertência do cinto de segurança pode não estar
disponível.

Acesa ou
Causa possível / Solução
piscando
Cinto de segurança do condutor não
 colocado.
Colocar os cintos de segurança.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos. Fig. 5 Um veículo com os ocupantes do veículo sem
cintos de segurança colide com o muro.
Quando o cinto de segurança não estiver coloca-
do antes do início da condução e a uma velocida- O princípio físico de uma colisão frontal pode ser
de superior a aproximadamente 25 km/h ou explicado com facilidade. Assim que o veículo en-
quando o cinto for retirado durante a condução, tra em movimento → Fig. 4, uma energia de mo-
um alerta sonoro é emitido durante alguns se- vimento age tanto sobre o veículo quanto sobre
gundos. Adicionalmente, a luz de advertência pis- seus ocupantes. Essa energia é denominada
ca . “energia cinética”.
A luz de advertência  só se apaga quando, com Quanto maior a velocidade e o peso do veículo,
a ignição ligada, o condutor tiver colocado o res- mais energia deve ser amortecida em caso de
181.5B1.CRF.66

pectivo cinto. acidente. 

Segurança 11
A velocidade do veículo, entretanto, é o fator
mais significativo. Quando, por exemplo, a velo-
cidade dobra de 25 km/h para aproximadamente
50 km/h, a energia cinética é quadruplicada!
A intensidade da “energia cinética” depende em
grande parte da velocidade do veículo, do peso
do veículo e dos ocupantes do veículo. Com velo-
cidade e peso crescentes, mais energia precisa
ser dissipada em caso de um acidente.
Os ocupantes do veículo que não colocaram seus
cintos de segurança não estão, portanto, “pre-
sos” ao seu veículo. Consequentemente, essas
pessoas continuarão a se movimentar com a
mesma velocidade do veículo antes da colisão, Fig. 7 O passageiro sem cinto de segurança no ban-
até que parem! Uma vez que os ocupantes do co traseiro é lançado para frente sobre o condutor
veículo não estão usando o cinto de segurança com cinto de segurança.
em nosso exemplo, a energia cinética total dos
Muitas pessoas acreditam ser possível segurar o
ocupantes do veículo, em caso de colisão, só é
próprio corpo com as mãos em um acidente leve.
dissipada pelo impacto contra o muro → Fig. 5.
Isto não é possível!
A uma velocidade de aproximadamente 50 km/h
Mesmo em velocidades mínimas de impacto, o
em um acidente ocorrem forças atuantes no cor-
corpo sofre a ação de forças que não podem ser
po que podem exceder facilmente uma tonelada
amortecidas com os braços e as mãos. Em caso
(1.000 kg). As forças atuantes sobre o corpo au-
de uma colisão frontal, os ocupantes do veículo
mentam ainda mais em velocidades maiores.
sem cinto de segurança são lançados para frente
Este exemplo não se aplica somente a colisões e batem de forma descontrolada em partes do
frontais, mas sim a todos os tipos de acidentes e interior do veículo, como, por exemplo, volante,
colisões.  painel de instrumentos e para-brisa → Fig. 6.
O sistema de airbag não substitui o cinto de se-
gurança. O acionamento dos airbags proporciona
O que acontece com os ocupantes somente uma proteção complementar. Os air-
do veículo sem cinto de segurança? bags não são acionados em todos os tipos de aci-
dente. Mesmo quando o veículo estiver equipado
 Observe no início desse capítulo na pági- com um sistema de airbag, todos os ocupantes
na 10. do veículo devem estar com cinto de segurança
corretamente colocado durante toda a condução,
inclusive o condutor. Com isso, o perigo de feri-
mentos graves ou fatais em caso de acidentes é
reduzido - independentemente da existência ou
não de um airbag.
Um airbag é acionado somente uma vez. Para ob-
ter a melhor proteção possível, os cintos de se-
gurança devem estar sempre colocados correta-
mente para garantir a proteção mesmo sem o
acionamento dos airbags. Os ocupantes do veícu-
lo sem cinto de segurança podem ser lançados
para fora do veículo e, assim, sofrer ferimentos
ainda mais graves ou fatais.
Também é importante que os ocupantes do veí-
Fig. 6 O condutor sem cinto de segurança é lançado culo nos bancos traseiros coloquem os cintos de
para frente. segurança corretamente, uma vez que são lança-
dos de forma descontrolada no interior do 

12 Manual de instruções
veículo em caso de acidente. Um passageiro no Os exemplos ilustrados descrevem colisões fron-
banco traseiro sem cinto de segurança coloca em tais. Os cintos de segurança corretamente colo-
risco a própria segurança e a segurança do con- cados também reduzem bastante o risco de feri-
dutor e dos demais ocupantes do veículo mentos em todos os demais tipos de acidente.
→ Fig. 7.  Por esse motivo, os cintos de segurança devem
ser colocados antes de cada condução, mesmo
quando a intenção for só “dar uma volta no quar-
teirão”. Atentar se todos os passageiros estão
Os cintos de segurança protegem com os cintos de segurança colocados correta-
mente.
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 10. Estatísticas de acidentes comprovaram que o uso
correto dos cintos de segurança diminui conside-
ravelmente o risco de ferimentos e aumenta a
chance de sobrevivência em um acidente grave.
Além disso, os cintos de segurança corretamente
colocados asseguram o funcionamento ideal dos
airbags acionados em caso de acidente. Por esse
motivo, o uso do cinto de segurança é prescrito
em lei na maioria dos países.
Apesar de o veículo estar equipado com airbags,
os cintos de segurança devem ser colocados. Os
airbags frontais, por exemplo, são acionados so-
mente em alguns acidentes frontais. Os airbags
frontais não são acionados em colisões frontais
leves, colisões laterais, colisões traseiras leves,
capotamentos e em qualquer acidente no qual o
Fig. 8 Condutor protegido pelo cinto de segurança
valor de acionamento do airbag na unidade de
colocado corretamente em uma manobra de frena-
controle não alcançar o limite mínimo.
gem súbita.
Por esse motivo, colocar sempre os cintos de se-
Os cintos de segurança colocados corretamente gurança e observar se todos os passageiros estão
podem fazer uma grande diferença. Os cintos de com o cinto de segurança colocado corretamente
segurança colocados corretamente mantêm os antes do início da condução! 
ocupantes na posição correta no banco e redu-
zem bastante a ação da energia cinética em caso
de acidente. Os cintos de segurança também aju-
dam a impedir movimentos descontrolados que Manuseio dos cintos de segurança
podem resultar em ferimentos graves. Adicional-
mente, os cintos de segurança corretamente co-  Observe no início desse capítulo na pági-
locados reduzem o perigo de ser lançado para fo- na 10.
ra do veículo → Fig. 8.
Lista de controle
Ocupantes do veículo com cintos de segurança
colocados corretamente se beneficiam ampla- Manuseio do cinto de segurança → :
mente do fato de que a energia cinética é absor-  Verificar regularmente o estado de todos os
vida pelos cintos de segurança. A estrutura da cintos de segurança.
parte dianteira do veículo e outras características  Manter os cintos de segurança limpos.
de segurança passiva do veículo, como, por
exemplo, o sistema de airbag, também contri-
 Manter objetos estranhos e líquidos sempre
afastados do cadarço do cinto de segurança,
buem para uma redução da ação da energia ciné-
da lingueta do cinto e do engate do fecho do
tica. Assim, a energia resultante diminui, reduzin-
cinto.
do o risco de ferimentos.
181.5B1.CRF.66

 Não prensar nem danificar o cinto de segu-


rança e a lingueta do cinto de segurança (por
exemplo, ao fechar a porta). 

Segurança 13
Lista de controle (continuação)
Colocar ou tirar o cinto de
 Nunca desmontar, alterar ou reparar o cinto segurança
de segurança e os elementos de fixação do
cinto de segurança.  Observe no início desse capítulo na pági-
 Colocar sempre o cinto de segurança de for- na 10.
ma correta antes de qualquer condução e
mantenha-o colocado durante a condução.

Cinto de segurança torcido


Se um cinto de segurança não puder ser retirado
com facilidade, é possível que o cinto de segu-
rança esteja torcido no interior do revestimento
lateral em razão de um retorno muito rápido do
cinto de segurança. Neste caso:
– Puxar o cinto de segurança totalmente para
fora pela lingueta, lentamente e com cuidado.
– Eliminar a torção do cinto de segurança e con- Fig. 9 Introduzir a lingueta do cinto de segurança no
duzi-lo lentamente de volta, com a mão. fecho do cinto de segurança.

Mesmo que a torção do cinto de segurança não


possa ser eliminada, colocar o cinto de seguran-
ça. Nesse caso, a torção não deve se localizar em
uma área do cinto de segurança que esteja apoia-
da diretamente no corpo! Procurar o mais rápido
possível uma Concessionária Volkswagen para
eliminar a torção.

ATENÇÃO
O manuseio incorreto do cinto de segurança
aumenta o risco de ferimentos graves ou fatais.
Fig. 10 Soltar a lingueta do cinto de segurança do
● Verificar regularmente os cintos de seguran- fecho do cinto de segurança.
ça e as peças integrantes quanto à sua per-
feita condição. Cintos de segurança colocados corretamente
● Manter os cintos de segurança sempre lim- mantêm os ocupantes do veículo em uma condi-
pos. ção de máxima proteção em manobras de frena-
gem ou acidentes → .
● Não permitir que o cadarço do cinto de segu-
rança seja prensado, danificado ou que entre Colocar o cinto de segurança
em atrito com superfícies afiadas.
Colocar o cinto de segurança antes de qualquer
● Manter o fecho do cinto de segurança e o en- condução.
gate do fecho da lingueta do cinto de segu-
rança sempre livres de objetos estranhos e – Ajustar sempre os bancos dianteiros e o apoio
de líquidos. para cabeça de forma correta → Página 8.

– Travar o encosto do banco traseiro na posição
adequada → .
– Puxar o cadarço do cinto de segurança pela
sua lingueta do cinto de segurança suavemen-
te, passando sobre o tórax e sobre a região
pélvica. Ao mesmo tempo, não torcer o cadar-
ço do cinto de segurança → . 

14 Manual de instruções
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança fir- Posição do cadarço do cinto de
memente no fecho do cinto de segurança cor-
respondente ao assento → Fig. 9. segurança
– Realizar um teste de tração para verificar  Observe no início desse capítulo na pági-
quanto ao travamento seguro da lingueta do na 10.
cinto de segurança.

Tirar o cinto de segurança


Tirar o cinto de segurança apenas com o veículo
parado → .
– Pressionar o botão vermelho no fecho do cinto
de segurança → Fig. 10. A lingueta do cinto de
segurança salta para fora.
– Conduzir o cinto de segurança pela lingueta de
volta para que o cadarço do cinto de segurança
se enrole mais facilmente, o cinto de seguran-
ça não torça dentro do revestimento e o reves- Fig. 11 Posição correta do cadarço do cinto de se-
timento não seja danificado. Para o assento gurança e ajuste correto do apoio para cabeça.
traseiro central que possui cinto de segurança
subabdominal, introduzir a lingueta do cinto
de segurança no respectivo fecho.

ATENÇÃO
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de
segurança pode causar ferimentos graves ou
fatais em caso de acidente.
● A proteção ideal dos cintos de segurança só
é obtida quando o encosto do banco estiver
em uma posição adequada e o cinto de segu-
rança estiver colocado corretamente, confor-
me a estatura do ocupante.
● A retirada do cinto de segurança durante a
condução pode causar ferimentos graves ou Fig. 12 Posição correta do cadarço do cinto de se-
fatais em caso de acidentes ou manobras de gurança para mulheres grávidas.
frenagem! 
Os cintos de segurança somente oferecem prote-
ção ideal em um acidente e diminuem o risco de
ferimentos graves ou fatais com a posição corre-
ta do cadarço do cinto de segurança. Além disso,
a posição correta do cinto de segurança mantém
o ocupante do veículo em uma posição de máxi-
ma proteção em caso de acionamento do airbag.
Por esse motivo, colocar o cinto de segurança e
observar a posição correta do cadarço do cinto de
segurança.
Uma posição incorreta no banco pode causar fe-
rimentos graves ou fatais → Página 8, Ajustar a
posição do banco. 
181.5B1.CRF.66

Segurança 15
Posição correta do cadarço do cinto de ● A faixa inferior do cinto de segurança deve
segurança passar o mais baixo possível pela região pél-
– A parte sobre a região do ombro do cinto de vica de grávidas ao redor da barriga “arre-
segurança deve passar sempre sobre o centro dondada”.
do ombro e nunca sobre o pescoço, sobre o ● Não torcer o cadarço do cinto de segurança
braço, sob o braço ou por trás das costas. quando for colocá-lo.
– A faixa inferior do cinto de segurança deve ● Nunca manter o cinto de segurança afastado
passar sempre pela região pélvica e nunca so- do corpo com a mão.
bre o abdome.
● Não passar o cadarço do cinto de segurança
– Deixar o cinto de segurança sempre plano e sobre objetos sólidos ou frágeis, por exem-
sem o cadarço torcido sobre o corpo. Se ne- plo, óculos, canetas ou chaves.
cessário, esticar um pouco o cadarço do cinto
● Nunca alterar a posição do cadarço do cinto
de segurança.
de segurança por meio de grampos, olhais de
Nas mulheres grávidas, o cinto de segurança de- retenção ou similares.
ve passar sobre o tórax e o mais abaixo possível
da região pélvica, para que não haja pressão ab- Pessoas que não conseguem a posição ideal
dominal - e isso durante toda a gravidez do cadarço do cinto de segurança em razão
→ Fig. 12. de particularidades de seus corpos devem se in-
formar em uma Concessionária Volkswagen ou
Adequar a posição do cadarço do cinto de em uma empresa especializada sobre possíveis
segurança à estatura instalações especiais para conseguir a proteção
A posição do cadarço do cinto de segurança pode ideal dos cintos de segurança e dos airbags. 
ser adequada da seguinte forma:
– Regulagem de altura do cinto de segurança
para os bancos dianteiros → Página 17. Ajustar o cadarço do cinto de
– Banco dianteiro com regulagem de altura segurança subabdominal no
→ Página 75. assento central do banco traseiro
ATENÇÃO  Observe no início desse capítulo na pági-
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de na 10.
segurança pode causar ferimentos graves em
caso de acidente ou manobras de frenagem /
mudança de direção súbitas.
● A proteção ideal dos cintos de segurança só
é obtida quando o encosto do banco estiver
em uma posição adequada e o cinto de segu-
rança estiver colocado corretamente.
● A parte sobre a região do ombro do cinto de
segurança deve passar sobre o centro do
ombro e nunca sob o braço ou sobre o pes-
coço.
● O cinto de segurança deve estar plano e sem
o cadarço torcido sobre a parte superior do
corpo.
Fig. 13 Ajustar o cadarço do cinto de segurança su-
● A faixa inferior do cinto de segurança deve babdominal.
passar sempre pela região pélvica e nunca
sobre o abdome. O cinto de segurança deve Cintos de segurança colocados corretamente
estar plano e sem estar torcido sobre a regi- mantêm os ocupantes do veículo em uma condi-
ão pélvica. Se necessário, esticar um pouco o ção de máxima proteção em manobras de frena-
cadarço do cinto de segurança. gem ou acidentes → . 

16 Manual de instruções
Com o ajuste do cinto de segurança é possível re- Regulagem de altura do cinto de
gular o comprimento dos cintos de segurança na
região do abdome conforme o corpo para que o segurança
cinto de segurança possa ser colocado correta-
mente:  Observe no início desse capítulo na pági-
na 10.
– Ajustar sempre o apoio para cabeça de forma
correta → Página 78.
– Pressionar a lingueta na direção das setas
→ Fig. 13 1 e alongar totalmente o cinto de
segurança.
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança fir-
memente no fecho do cinto correspondente ao
assento central do banco traseiro, sem cruzar
os fechos.
– Apertar a lingueta contra o fecho do cinto de
segurança e puxar a extremidade → Fig. 13 2
no sentido da seta, até atingir uma folga máxi-
ma de 5 cm (3 dedos) na região pélvica.
– Posicionar o passador do cinto de segurança o
mais próximo possível da extremidade do cinto Fig. 14 Ao lado dos bancos dianteiros: regulagem de
de segurança. altura do cinto de segurança.
– Realizar um teste de tração no cinto de segu- Dependendo da versão do veículo, a regulagem
rança para verificar quanto ao travamento se- de altura do cinto de segurança pode não estar
guro da lingueta do cinto de segurança. disponível.

ATENÇÃO Com o auxílio da regulagem de altura do cinto de


segurança para os bancos dianteiros, é possível
Uma posição incorreta do cadarço do cinto de regular a posição do cadarço dos cintos de segu-
segurança pode causar ferimentos graves ou rança na área do ombro conforme a estatura para
fatais em caso de acidente. que o cinto de segurança possa ser colocado cor-
● A retirada do cinto de segurança durante a retamente:
condução pode causar ferimentos graves ou
fatais em caso de acidentes ou manobras de – Pressionar o dispositivo regulador no sentido
frenagem! da seta e mantê-lo pressionado → Fig. 14.
● A lingueta do cinto de segurança subabdomi- – Deslocar o dispositivo regulador para cima ou
nal traseiro deve sempre estar introduzida no para baixo até que o cinto de segurança esteja
respectivo fecho, estando o cinto de segu- regulado sobre o meio do ombro → Página 15,
rança em uso ou não, pois o cinto de segu- Posição do cadarço do cinto de segurança.
rança solto possibilita riscos de acidentes no – Soltar o dispositivo regulador.
acesso e saída do banco traseiro.  – Verificar se o dispositivo regulador foi encaixa-
do puxando o cinto de segurança algumas ve-
zes.
Para as versões que não possuem esta regulagem
manual, o veículo possuí duas posições na coluna
para regulagem da altura do cinto de segurança.
Originalmente, os cintos de segurança são mon-
tados na primeira posição e podem ser levanta-
dos para a posição superior. Para isto, a
Volkswagen recomenda as Concessionárias
181.5B1.CRF.66

Volkswagen. 

Segurança 17
ATENÇÃO Um pó fino poderá ser gerado no acionamento.
Isto é perfeitamente normal e não representa ris-
Nunca regular a altura do cinto de segurança co de incêndio no veículo.
durante a condução. 
Limitador de força do cinto de segurança
Os cintos de segurança dianteiros estão equipa-
dos com limitadores de força.
Enrolador automático do cinto de
segurança, pré-tensionador do Um limitador de força do cinto de segurança mi-
nimiza a força do cinto de segurança que atua
cinto de segurança e limitador de sobre o corpo em caso de acidente.
força do cinto de segurança
No sucateamento do veículo ou de peças
 Observe no início desse capítulo na pági- individuais do sistema, todas as prescrições
na 10. de segurança devem ser observadas. Estas pres-
crições são de conhecimento das Concessionárias
Os cintos de segurança do veículo são parte do Volkswagen. 
sistema de segurança do veículo → Página 21 e
são compostos pelas importantes funções a se-
guir:
Serviço de descarte do pré-
Enrolador automático do cinto de segurança -tensionador do cinto de segurança
Cada cinto de segurança, exceto o cadarço do
cinto de segurança subabdominal no assento  Observe no início desse capítulo na pági-
central do banco traseiro está equipado com um na 10.
enrolador automático do cinto de segurança que
mantém sempre o cinto ajustado ao corpo do Em trabalhos no pré-tensionador do cinto de se-
passageiro. Puxando-se lentamente o cinto de gurança, bem como na desinstalação e instalação
segurança ou em condução normal, é garantida a de outras peças do veículo durante reparos, o
total liberdade de movimentos na região do tron- cinto de segurança pode ser danificado imper-
co do passageiro. Porém, na retirada rápida do ceptivelmente. Como consequência, os pré-ten-
cinto de segurança, frenagens súbitas, viagem sionadores dos cintos de segurança podem não
por aclives ou declives, em curvas e na acelera- funcionar corretamente em caso de acidente ou
ção do veículo, o enrolador automático do cinto sequer funcionar.
bloqueia o cinto de segurança. Para que a eficácia dos pré-tensionadores dos
cintos de segurança não seja prejudicada e as pe-
Pré-tensionadores dos cintos de segurança ças desmontadas não causem ferimentos ou con-
Os cintos de segurança dos assentos dianteiros taminem o ambiente, as prescrições devem ser
estão equipados com pré-tensionadores e limita- observadas. As Concessionárias Volkswagen co-
dores de força. Os cintos de segurança traseiros nhecem essas prescrições.
não possuem estes dispositivos.
Os pré-tensionadores do cinto de segurança são ATENÇÃO
acionados por sensores e tensionam os cintos de O tratamento incorreto e até mesmo reparos
segurança na direção contrária de extração em realizados nos cintos de segurança, enroladores
colisões frontais e traseiras mais graves. As fol- do cinto de segurança automáticos e pré-ten-
gas do cinto de segurança são eliminadas quando sionadores dos cintos de segurança proporcio-
o pré-tensionador atua e, deste modo, pode re- nam risco de ferimentos graves ou fatais. Nesse
duzir o movimento para frente dos ocupantes do caso, o pré-tensionador do cinto de segurança
veículo ou o movimento dos ocupantes do veícu- poderia não ser acionado, quando fosse neces-
lo na direção do impacto. O pré-tensionador do sário, ou ser acionado sem necessidade.
cinto de segurança trabalha junto com o sistema ● Reparos e regulagens, bem como a desinsta-
de airbag. O pré-tensionador do cinto de segu- lação e instalação de peças nos pré-tensio-
rança não é acionado em colisões frontais leves, nadores dos cintos de segurança ou nos cin-
capotamento e outros acidentes em que não são tos de segurança só podem ser realizados 
produzidas forças consideráveis.

18 Manual de instruções
por uma Concessionária Volkswagen ● O sistema de airbag só proporciona proteção
→ Página 239, Acessórios, reposição de pe- com o cinto de segurança colocado
ças, reparos e modificações. corretamente, para minimizar lesões
● Os pré-tensionadores dos cintos de seguran- → Página 10, Cintos de segurança.
ça e os enroladores dos cintos de segurança ● Todos os ocupantes do veículo devem assu-
automáticos não podem ser reparados e de- mir sempre a posição correta no banco, colo-
vem, sim, ser substituídos. car corretamente o cinto de segurança cor-
● Os pré-tensionadores dos cintos de seguran- respondente ao banco antes do veículo en-
ça têm capacidade para apenas um aciona- trar em movimento e mantê-lo colocado cor-
mento. Uma vez acionados, os pré-tensiona- retamente durante todo o tempo.
dores do cinto de segurança devem ser subs-
tituídos. ATENÇÃO
Objetos entre os ocupantes do veículo e a área
Os módulos dos airbags e dos pré-tensiona-
de expansão dos airbags aumentam o risco de
dores dos cintos de segurança podem con-
ferimentos no acionamento do airbag. Assim, a
ter substâncias tóxicas. Por isto, é proibido o seu
área de expansão dos airbags seria alterada ou
descarte / disposição com o lixo doméstico. Para
os objetos seriam arremessados contra os cor-
sua maior segurança e conforto, a Volkswagen
pos dos ocupantes.
recomenda fazer a substituição dos módulos dos
airbags e dos pré-tensionadores dos cintos de se- ● Nunca segurar objetos nas mãos ou carregá-
gurança somente em uma Concessionária -los no colo durante a viagem.
Volkswagen.  ● Nunca transportar objetos no banco do pas-
sageiro dianteiro. Os objetos podem alcançar
a área de expansão dos airbags durante ma-
nobras súbitas de frenagem ou de direção e
ser arremessados de forma perigosa pelo in-
Sistema de airbag terior do veículo no acionamento do airbag.
● Ocupantes dos bancos dianteiros e traseiros,
 Introdução ao tema inclusive crianças, animais e objetos não de-
vem permanecer na área de expansão dos
airbags.
O veículo está equipado com um airbag frontal
para o condutor e outro para o passageiro dian- ATENÇÃO
teiro. Os airbags frontais podem oferecer prote- O sistema de airbag é apto para apenas um
ção adicional para o tórax e para cabeça do con- acionamento dos airbags. Se os airbags tiverem
dutor e do passageiro dianteiro, quando o banco, sido acionados, será necessário substituir o sis-
os cintos de segurança, os apoios para cabeça e, tema.
para o condutor, o volante estiverem ajustados e
utilizados corretamente. Os airbags foram desen- ● Os airbags acionados e as respectivas peças
volvidos para proteção suplementar. Os airbags do sistema devem ser substituídos por peças
não substituem os cintos de segurança, que de- novas que estejam liberadas para o veículo
vem ser utilizados sempre, inclusive quando o pela Volkswagen.
veículo for equipado com airbags frontais. ● Reparos e trocas de peças do sistema de air-
bag no veículo devem ser realizados somente
ATENÇÃO por uma Concessionária Volkswagen. As
Nunca utilizar somente o sistema de airbag pa- Concessionárias Volkswagen possuem as fer-
ra se proteger. ramentas necessárias, aparelhos de diagnós-
tico, informações de reparo e pessoal qualifi-
● Mesmo quando um airbag é acionado, ele cado para este fim.
tem somente uma função de proteção suple-
mentar. ● Nunca instalar no veículo peças de airbag
181.5B1.CRF.66

desmontadas de veículos antigos ou originá-


rias de reciclagem. 

Segurança 19
● Nunca alterar quaisquer componentes do sis- Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
tema de airbag. de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
ATENÇÃO gundos.
Um pó fino (não tóxico) poderá ser gerado no PERIGO
acionamento dos airbags. Isto é perfeitamente
normal e não representa risco de incêndio no Quando a luz de controle do sistema de airbag
veículo. permanecer acesa, há avarias no sistema de air-
bag, é possível que ele seja acionado de forma
● O pó fino pode irritar a pele e a mucosa dos
imperfeita, não seja acionado ou seja acionado
olhos, bem como ocasionar dificuldades res-
inesperadamente, o que pode causar ferimen-
piratórias, especialmente em pessoas que
tos graves ou fatais.
sofrem ou sofreram de asma ou outras limi-
tações na condição respiratória. Para reduzir ● O sistema de airbag deve ser verificado ime-
os problemas respiratórios, descer do veículo diatamente por uma Concessionária
ou abrir os vidros ou as portas para respirar Volkswagen.
ar fresco. ● Nunca montar uma cadeira de criança no
● No contato com o pó, lavar as mãos e o rosto banco do passageiro dianteiro quando o air-
com sabonete suave e água antes da próxima bag estiver ligado! O airbag frontal do passa-
refeição. geiro dianteiro pode ser acionado em um aci-
dente apesar das avarias.
● Não deixar o pó entrar em contato com os
olhos ou com ferimentos não cicatrizados.
NOTA
● Enxaguar os olhos com água se houver con-
tato com o pó. Observar sempre as luzes de controle acesas e
suas descrições e orientações para evitar danos
no veículo. 
ATENÇÃO
O uso de produtos de limpeza tornam a superfí-
cie dos módulos de airbags porosas ou quebra-
diças. Em caso de acionamento estas peças po- Descrição e função dos airbags
derão fragmentar-se, soltar-se e causar feri-
mentos graves.  Observe no início desse capítulo na pági-
● Nunca utilizar qualquer produto químico ou na 19.
de limpeza na superfície dos módulos de air-
bags. Para limpeza utilizar apenas de um pa- O airbag pode proteger os ocupantes do veículo
no umedecido com água. em um acidente, amortecendo o movimento dos

ocupantes em colisões frontais.
Todo airbag acionado é inflado por um gerador
de gás. Com isso, as respectivas coberturas do
Luz de controle airbag se rompem e os airbags se abrem com
grande velocidade, em milésimos de segundo,
 Observe no início desse capítulo na pági- em suas áreas de expansão. O airbag inflado, ao
na 19. amortecer os ocupantes do veículo, que devem
estar sempre utilizando o cinto de segurança, li-
Acesa Causa possível / Solução beram o gás contido para o amortecimento atra-
Sistema de airbag ou do pré-tensiona- vés de aberturas localizadas fora do contato com
dor do cinto de segurança avariado. os ocupantes. Com isso, é possível reduzir o risco
Procurar uma Concessionária de ferimentos graves e fatais. O risco de outros
 Volkswagen ou uma empresa especia- ferimentos como inchaços, contusões e esfola-
lizada para verificar o sistema imedia- mentos da pele pelo airbag acionado não pode
tamente. ser excluído. Na insuflação dos airbags também
pode ocorrer calor por atrito.
Os airbags não proporcionam proteção para os
braços e para as partes inferiores do corpo. 

20 Manual de instruções
Os fatores mais importantes para o acionamento – Limitador de força do cinto de segurança do
do airbag são o tipo do acidente, região de im- condutor e do passageiro dianteiro.
pacto no veículo, o ângulo, a intensidade do im- – Luz de advertência do cinto de segurança .
pacto, a estrutura do veículo e a característica do
– Airbags frontais do condutor e do passageiro
obstáculo com o qual o veículo colide. Portanto,
dianteiro.
os airbags não são acionados em todas as situa-
ções de colisão. – Luz de controle do airbag .
O acionamento do sistema de airbag depende da – Unidades de controle e sensores.
intensidade de impacto que é registrada por uma – Apoios para a cabeça otimizados contra impac-
unidade de controle eletrônica. Se as característi- tos traseiros.
cas do acidente não se enquadrarem nos parâ- – Coluna de direção ajustável.
metros programados na unidade de controle, os
airbags não serão acionados. O dano no veículo, Situações em que os airbags frontais não são
os custos de reparo não são necessariamente um acionados:
indicativo de que o acionamento do airbag tenha – Se a ignição estiver desligada em caso de coli-
sido necessário. Os fatores importantes para o são.
acionamento dos airbags são, entre outros, a
– Se em colisões na parte dianteira do veículo, a
constituição do objeto (rígido ou macio) com o
intensidade captada pelas unidades de contro-
qual o veículo se choca, o ângulo, a intensidade
le for muito pequena.
do impacto e a região de choque do veículo.
– Em colisões laterais leves.
Os airbags servem somente como suplemento
– Em colisões traseiras.
aos cintos de segurança em algumas situações de
acidente em que a intensidade seja suficiente- – Em um capotamento.
mente alta para acionar os airbags. Os airbags – Se a intensidade do impacto captada pela uni-
são acionados somente uma vez e sob determi- dade de controle não for suficiente para o
nadas condições. Os cintos de segurança estão acionamento.
sempre prontos para proporcionar proteção em
situações nas quais os airbags não sejam aciona- Em caso de acionamento dos airbags - Função
dos ou se já tiverem sido acionados. Por exemplo, detecção de colisão (crash detection)
se o veículo colidir com outro veículo ou se ele Quando os airbags são acionados em um aciden-
for atingido por outro veículo após a primeira co- te a função detecção de colisão é ativada e po-
lisão. dem ocorrer as seguintes ações:
O sistema de airbag é parte do conceito global de – Destravamento das postas do veículo (válido
segurança passiva do veículo. A proteção possível para veículos com travamento central elétrico)
do sistema de airbag só pode ser obtida pela → Página 58.
ação conjunta com os cintos de segurança corre-
– Interrupção da alimentação de combustível
tamente colocados e uma posição correta do
→ Página 160.
banco  → Página 8.
– Acionamento das lanternas internas do veículo
Componentes do conceito de segurança do → Página 84.
veículo – Acionamento das luzes de advertência
O conjunto dos seguintes equipamentos de segu- → Página 28.
rança forma o conceito de segurança do veículo
As luzes de advertência podem ser desligadas pe-
para reduzir o risco de ferimentos graves e fatais.
lo interruptor no painel de instrumentos. 
Dependendo da versão, é possível que alguns
equipamentos não estejam instalados no veículo
ou até que não estejam disponíveis em alguns
mercados.
– Cintos de segurança otimizados em todos os
181.5B1.CRF.66

assentos.
– Pré-tensionadores do cinto de segurança do
condutor e do passageiro dianteiro.

Segurança 21
Airbags frontais As áreas destacadas em vermelho → Fig. 15 e
→ Fig. 16 são cobertas pelos airbags frontais
 Observe no início desse capítulo na pági- acionados (área de expansão). Por esse motivo,
na 19. nunca podem ser colocados ou fixados objetos
nessas áreas → .
Na insuflação dos airbags frontais do condutor e
do passageiro dianteiro, as coberturas dos air-
bags são rebatidas para fora do volante → Fig. 15
e do painel de instrumentos → Fig. 16. Estas co-
berturas dos airbags permanecem ligadas ao vo-
lante e ao painel de instrumentos.

PERIGO
A inflação de um airbag acionado ocorre em
frações de segundo e com velocidade muito al-
ta.
● Deixar as áreas de expansão dos airbags
frontais sempre livres.
Fig. 15 Local de instalação e área de expansão do ● Nunca fixar objetos nas coberturas, bem co-
airbag frontal do condutor. mo na área de expansão dos módulos dos
airbags, como, por exemplo, porta-copos, su-
portes para telefones, GPS, etc.
● Pessoas, animais ou objetos não devem ser
colocados entre os ocupantes dos bancos di-
anteiros e a área de expansão do airbag.
● Não fixar objetos, como por exemplo, apare-
lhos móveis de navegação, no para-brisa aci-
ma do airbag frontal do passageiro dianteiro.
● Não colar, revestir, alterar ou colocar qual-
quer material sobre a superfície do centro do
volante (acionador de buzina) e da superfície
do módulo do airbag frontal do passageiro
dianteiro no painel de instrumentos.
Fig. 16 Local de instalação e área de expansão do
airbag frontal do passageiro dianteiro. ATENÇÃO
Os airbags frontais se inflam diante do volante
O sistema de airbag frontal proporciona, em → Fig. 15 e do painel de instrumentos
complemento aos cintos de segurança, uma pro- → Fig. 16.
teção adicional para a área da cabeça e do tórax ● Segurar o volante durante a condução sem-
do condutor e do passageiro dianteiro em coli- pre com as duas mãos lateralmente na borda
sões frontais em acidentes com maior gravidade. externa: posição das 9h e 3h.
É necessário manter sempre a maior distância
possível do airbag frontal, no mínimo 25 cm ● Ajustar o banco do condutor de modo que
→ Página 8. Assim, os airbags frontais podem se haja no mínimo 25 cm de espaço entre o tó-
inflar totalmente em caso de expansão e propor- rax e o centro do volante. Se esta exigência
cionar, deste modo, sua máxima proteção. não puder ser atendida em razão de particu-
laridades físicas, entrar em contato obrigato-
O airbag frontal do condutor → Fig. 15 se encon- riamente com uma Concessionária
tra no volante e o airbag frontal do passageiro di- Volkswagen ou com uma empresa especiali-
anteiro → Fig. 16 no painel de instrumentos. Os zada para eventualmente efetuar instalações
locais de instalação dos airbags estão identifica- especiais. 
dos pela inscrição “AIRBAG”.

22 Manual de instruções
● Ajustar o banco do passageiro dianteiro de ● Colocar sempre o cinto de segurança nas cri-
modo que exista a maior distância possível anças ou na cadeira de criança que estão
entre o passageiro dianteiro e o painel de sendo transportadas e fazê-las assumir uma
instrumentos. posição correta nos bancos.
● Atentar para a posição correta do cadarço do
As peças do sistema de airbag nunca devem
cinto de segurança para cada condição de
ser reutilizadas em caso de sucateamento
uso. Se for necessário passar o cinto de se-
do veículo ou de alguns dos seus componentes.
gurança pelo corpo da criança, atentar para
Além do cumprimento às normas de segurança
que o cinto passe pelo meio do ombro e nun-
em vigor, devem ser respeitadas as normas de
ca próximo ao pescoço da criança.
destinação ambientalmente adequadas. Estas
disposições são de conhecimento das Concessio- ● Nunca transportar crianças ou bebês no colo.
nárias Volkswagen.  ● Colocar sempre apenas uma única criança na
cadeira de criança.
● Ler e observar as instruções de uso do fabri-
cante da cadeira de criança, especialmente
Transporte de crianças no quanto à colocação correta do cinto de segu-
rança do veículo.
veículo
ATENÇÃO
 Introdução ao tema Em uma manobra de frenagem ou de direção
brusca, bem como em acidentes, uma cadeira
de criança solta e desocupada pode ser lançada
Antes de transportar bebês e crianças em uma pelo interior do veículo e causar ferimentos.
cadeira de criança no banco do passageiro dian- ● Fixar sempre uma cadeira de criança mesmo
teiro, é imprescindível ler todas as informações que esteja desocupada durante a condução
sobre o sistema de airbag e as possíveis lesões do veículo ou acomodá-la de forma segura
que o acionamento do airbag pode causar sobre no compartimento de bagagem.
crianças do grupo 0 e 0+.
Após um acidente, substituir a cadeira de
Essas informações são muito importantes para a
criança utilizada, uma vez que podem ter
segurança do condutor e de todos os passagei-
ocorrido danos imperceptíveis. 
ros, especialmente de bebês e crianças pequenas.
A Volkswagen recomenda utilizar cadeiras de cri-
ança do Programa de Acessórios Originais da
Volkswagen. Essas cadeiras de criança foram Informações gerais sobre o
projetadas e avaliadas para o uso em veículos transporte de crianças no veículo
Volkswagen.
 Observe no início desse capítulo na pági-
ATENÇÃO na 23.
Crianças desprotegidas ou não protegidas cor-
retamente podem sofrer ferimentos graves ou Prescrições e determinações legais têm priorida-
fatais durante a condução do veículo. de sobre as descrições deste Manual de instru-
ções. Existem normas e prescrições para o uso de
● Nunca deixar uma cadeira de criança voltada
cadeiras de criança e suas possibilidades de fixa-
para trás no banco do passageiro dianteiro,
ção (→ Tab. na página 24). Assim, em alguns
por causa de possíveis lesões devido ao acio-
países, por exemplo, é proibido o uso de cadeiras
namento do airbag.
de criança em determinados bancos.
● Crianças de até 12 anos de idade ou com me-
nos de 1,50 m de altura devem ser transpor- As leis da física, que têm efeitos sobre o veículo
tadas sempre no banco traseiro. em uma colisão ou outro tipo de acidente, tam-
181.5B1.CRF.66

bém valem para crianças → Página 10. Ao contrá-


● Proteger as crianças no veículo sempre com rio de adultos e adolescentes, os músculos e os
um sistema de retenção homologado e ade- ossos das crianças ainda não estão totalmente 
quado conforme sua idade.

Segurança 23
desenvolvidos. Para as crianças, existe um risco Subdivisão de grupos das cadeiras de criança
maior de ferimentos graves em acidentes que de acordo com a Resolução 277 do CONTRAN
para os adultos. Tipo de sis-
Forma de
Uma vez que o corpo das crianças ainda não está tema de re- Idade
instalação
totalmente desenvolvido, é necessário utilizar tenção
sistemas de retenção para crianças que sejam voltada para
adaptados especialmente ao seu tamanho, peso Berço portá-
trás,
e estrutura física. til ou bebê até 1 ano
conforme
conforto
Lista de controle → Fig. 17 A
voltada para
Ao transportar crianças no veículo → : superior a 1 ano
frente,
 Observar as determinações legais específicas Cadeirinha e inferior ou
conforme
de cada país. igual a 4 anos
→ Fig. 17 B
 A Volkswagen recomenda transportar crian- voltada para superior a 4
ças com menos de 12 anos ou com menos de Assento de frente, anos e inferior
1,50 m de altura sempre no banco traseiro. elevação conforme ou igual a 7,5
 Transportar uma criança no banco do passa- → Fig. 17 C anos
geiro dianteiro somente em casos excepcio- superior a 7,5
nais → Página 25. Cinto de se-
anos e inferior
 Proteger sempre a criança no veículo com
gurança do
veículo
 ou igual a 10
um sistema de retenção adequado para a sua anos
idade. O sistema de retenção deve ser ade-
quado para a idade, o peso e a constituição Além da idade, devem ser consideradas para efei-
física da criança. to de adequação da cadeira de criança outros as-
pectos, tais como o peso, a altura e a constitui-
 Transportar apenas uma criança por cadeira ção física em geral da criança, pois pode ser que
de criança. o biotipo da criança não corresponda ao da maior
 Observar o manual de instruções do fabri- parte da população de sua faixa etária. Em caso
cante da cadeira de criança e levá-lo sempre de dúvida, procurar uma Concessionária
no veículo. Volkswagen.
 Na fixação da cadeira de criança com o cinto
de segurança, colocar o cinto conforme as in- ATENÇÃO
dicações do fabricante da cadeira de criança. A observância da lista de controle é essencial
 Observar a posição correta do cadarço do para a segurança do condutor, passageiros e
cinto de segurança sobre o corpo da criança demais condutores, evitando possíveis aciden-
e a posição correta de seu assentamento tes e ferimentos.
conforme o manual de instruções do fabri- ● Seguir sempre as ações da lista de controle e
cante da cadeira de criança. observar as precauções de segurança nela
descritas.
Normas específicas de cada país para
transporte de crianças em veículos ATENÇÃO
As cadeiras de criança devem possuir o selo do Em um acidente, o banco traseiro é o local mais
INMETRO1), o que significa que atendem as exi- seguro para crianças com a cadeira de criança
gências da norma ABNT NBR 14400 (CONTRAN corretamente colocada. 
277/2008, alterada pela Deliberação 100/2010)2)
na sua íntegra. Mais informações podem ser obti-
das em uma Concessionária Volkswagen.

1) INMETRO: Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.


2) Norma ABNT NBR 14400 (CONTRAN): ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas / NBR - Norma Brasileira / CONTRAN - Conse-
lho Nacional de Trânsito.

24 Manual de instruções
● Uma cadeira de criança adequada, que esteja Utilização da cadeira de criança no
instalada corretamente e que seja usada em
banco do passageiro dianteiro
um dos lugares do banco traseiro, proporcio-
na a proteção máxima para crianças de até
 Observe no início desse capítulo na pági-
12 anos na maioria das situações de aciden- na 23.
te. 
O transporte de crianças no banco do passageiro
dianteiro não é permitido em todos os países. No
Diferentes sistemas de fixação Brasil, a autorização para utilizar o sistema de re-
tenção para criança no banco do passageiro dian-
 Observe no início desse capítulo na pági- teiro para casos excepcionais veio por meio da
na 23. Deliberação 100 de 02.09.2010, em complemen-
to à Resolução 277 do CONTRAN.
O airbag frontal do passageiro dianteiro ligado
representa um grande perigo para uma criança
quando esta for transportada em uma cadeira de
criança voltada para o sentido contrário ao da di-
reção de condução.
Se uma criança está em uma cadeira de criança
voltada para trás no banco do passageiro diantei-
ro, pode ser atingida pelo airbag frontal do pas-
sageiro dianteiro com tal intensidade que podem
ocorrer ferimentos com risco de morte → . Por
esse motivo, nunca deve ser usada uma cadeira
de criança voltada para o sentido contrário ao da
direção de condução do veículo.
Fig. 17 As ilustrações A , B e C mostram a fixa- Exceções previstas para o transporte de crianças
ção do sistema de retenção para crianças apenas no banco dianteiro → .
com o cinto de segurança do veículo.
– Quando o veículo for dotado exclusivamente
As cadeiras de criança devem ser fixadas sempre de banco dianteiro.
de forma correta e segura no veículo conforme as – Quando a quantidade de crianças com idade
instruções de instalação do fabricante da cadeira inferior a 10 anos exceder a capacidade de lo-
de criança. tação do banco traseiro. Neste caso, será ad-
A cadeira de criança instalada deve estar devida- mitido o transporte daquela de maior estatura
mente fixada pelos cintos de segurança do veícu- no banco dianteiro, utilizando o cinto de segu-
lo e não deve permitir o movimento longitudinal rança do veículo ou o sistema de retenção
ou transversal. adequado à idade da criança.

Sistemas de fixação específicos de cada país Em caso de uma criança estar usando o banco
do passageiro dianteiro, observar
Tipos de cadeiras de criança → Fig. 17: obrigatoriamente:
A Berço portátil ou bebê conforto. – O encosto do banco do passageiro dianteiro
B Cadeirinha. deve estar na posição vertical.
C Assento de elevação. – O banco do passageiro dianteiro deve estar
deslocado totalmente para trás.
Os sistemas demonstram a fixação do sistema
– A criança deverá estar usando a cadeira de cri-
de retenção para crianças no banco traseiro com
ança adequada para a sua idade, peso e altura.
um cinto de segurança do veículo. 
– Se houver regulagem de altura do cinto de se-
181.5B1.CRF.66

gurança, essa deve estar na posição mais ade-


quada para a altura da criança ou a cadeira de
criança. 

Segurança 25
PERIGO Assentos assento
Categoria Banco do
laterais do central do
Nunca deixar uma criança em uma cadeira de de passageiro
banco banco
criança voltada para trás no banco do passagei- peso dianteiro
traseiro traseiro
ro dianteiro quando o airbag frontal do passa-
geiro dianteiro estiver ligado. A criança pode u
ser morta no acionamento do airbag frontal, montado
Grupo 0
pois a cadeira de criança é atingida com força e x no sentido x
até 10 kg
lançada contra o encosto do banco. contrário à
direção
PERIGO u
montado
● Se for necessário que uma criança utilize o Grupo 0+
x no sentido x
banco do passageiro dianteiro, deslocar o até 13 kg
contrário à
banco totalmente para trás no sentido longi-
direção
tudinal para proporcionar a maior distância
possível do airbag frontal. u u
Grupo 1
montado montado
● Manter o encosto do banco na posição verti- de 9 a x
no sentido no sentido
cal. 18 kg
da direção da direção
● Proteger as crianças no veículo sempre com
u u
um sistema de retenção liberado e adequado Grupo 2
montado montado
conforme sua idade.  de 15 a x
no sentido no sentido
25 kg
da direção da direção
u u
Grupo 3
Utilização da cadeira de criança no de 22 a
montado montado
x
banco traseiro no sentido no sentido
36 kg
da direção da direção
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 23. Fixar a cadeira de criança com o cinto de
segurança do veículo
Primeiramente, é necessário distinguir o princípio – Ler e observar as instruções do fabricante da
de fixação do sistema de retenção para crianças, cadeira de criança.
conforme → Página 25. – Em caso de montagem da cadeira de criança
Antes de efetuar a montagem da cadeira de cri- no banco do passageiro dianteiro, empurrar o
ança, ajustar ou remover o apoio para cabeça e banco do passageiro dianteiro totalmente para
ajustar o ângulo de encosto dos assentos diantei- trás e deixar o encosto do banco em uma posi-
ros, caso tenham algum tipo de interferência ção vertical → Página 8.
com a cadeira de criança → Página 78.  – Colocar a cadeira de criança sobre o banco e
passar o cinto de segurança conforme as ins-
truções do fabricante da cadeira de criança.
– Ajustar ou remover, se necessário, o apoio para
Fixação da cadeira de criança com o cabeça para evitar a interferência com a cadei-
cinto de segurança do veículo ra de criança → Página 78.
– Atentar para que o cinto de segurança não es-
 Observe no início desse capítulo na pági-
teja torcido em toda a sua trajetória.
na 23.
– Introduzir a lingueta do cinto de segurança no
Cadeiras de criança com a denominação univer- respectivo fecho do cinto até que a lingueta se
sal podem ser fixadas com o cinto de segurança engate de forma audível (click). 
nos bancos identificados na tabela com um u.
Quando não for possível, a indicação é um x.

26 Manual de instruções
– O cadarço do cinto de segurança deve estar Trava de segurança para crianças
apoiado firmemente e adequadamente na ca-
deira de criança ou sobre a criança.  Observe no início desse capítulo na pági-
– Realizar um teste de tração no cinto de segu- na 23.
rança – nesta condição não deve mais ser pos-
sível retirar o cadarço do cinto de segurança na
sua faixa inferior.

Desinstalar a cadeira de criança


Soltar o cinto de segurança somente com o veí-
culo parado → .
– Pressionar o botão vermelho do fecho do cinto
de segurança. A lingueta do cinto de segurança
deverá saltar para fora.
– Conduzir o cinto de segurança manualmente
de volta para que o cadarço se enrole com fa-
cilidade, o cinto de segurança não torça e o re-
vestimento não seja danificado.
– Retirar a cadeira de criança do veículo confor-
me as instruções do fabricante.

ATENÇÃO
A liberação do cinto de segurança durante a Fig. 18 Nas portas traseiras: trava de segurança para
condução pode causar ferimentos graves ou fa- crianças A desacionada, B acionada.
tais em caso de acidentes ou manobras súbitas
de frenagem e de direção!
● Tirar o cinto de segurança somente com o
veículo parado. 

Fig. 19 Na porta traseira (lado direito): localização


da trava de segurança para crianças.

A trava de segurança para crianças impede a


abertura das portas traseiras por dentro, para que
crianças não abram a porta durante a condução.
Com a trava de segurança para crianças acionada,
a porta somente pode ser aberta pelo lado de fo-
ra. 
181.5B1.CRF.66

Segurança 27
Acionar ou desacionar a trava de segurança Em caso de emergência
para crianças
– Destravar o veículo e abrir a respectiva porta
traseira. Proteger a si mesmo e ao veículo
– Rebater a haste da chave com comando remo-
to → Página 55 para fora ou com a chave
mecânica.
– Introduzir a haste da chave na ranhura da trava
de segurança para crianças para acionar ou de-
sacionar → Fig. 18.

Posição da ranhura → Fig. 18:


A Trava de segurança para crianças desaciona-
da.
B Trava de segurança para crianças acionada.
Fig. 20 Na parte superior do console central: inter-
ruptor para ligar e desligar as luzes de advertência.
ATENÇÃO
Com a trava de segurança para crianças aciona- Observar as determinações legais para a prote-
da, a respectiva porta não pode ser aberta por ção de um veículo parado. Em muitos países exis-
dentro. tem prescrições para, por exemplo, o acionamen-
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- to das luzes de advertência → Página 30.
cessidades especiais sozinhas no veículo Lista de controle
quando as portas forem travadas. Isto poderá
fazer com que estas pessoas fiquem tranca- Os seguintes pontos devem ser observados na
das dentro do veículo em caso de emergên- sequência indicada, para garantir a própria segu-
cia. Pessoas trancadas podem ficar expostas rança e a segurança dos passageiros → :
a temperaturas muito altas ou muito baixas, 1. Estacionar o veículo a uma distância segura
ou ainda com falta de ar. do fluxo de trânsito sobre uma superfície
● Conforme a estação do ano, podem ocorrer adequada → .
temperaturas muito altas ou muito baixas no 2. Ligar as luzes de advertência com o interrup-
interior de um veículo fechado, que podem tor  → Fig. 20.
causar ferimentos graves e enfermidades, 3. Puxar o freio de estacionamento
principalmente em crianças pequenas, levan- → Página 128.
do-as à morte.  4. Colocar a alavanca de troca de marcha na po-
sição neutra → Página 111 ou a alavanca se-
letora na posição N → Página 113.
5. Desligar o motor e retirar a chave do veículo
do cilindro da ignição → Página 107.
6. Desembarcar todos os ocupantes do veículo
e levá-los em segurança para longe do fluxo
de trânsito, por exemplo, para trás do guar-
drail.
7. Levar todas as chaves do veículo ao deixar o
veículo.
8. Posicionar o triângulo de segurança para fa-
zer com que outros condutores percebam o
veículo.
9. Deixar o motor esfriar suficientemente e, se
necessário, procurar auxílio técnico especiali-
zado. 

28 Manual de instruções
Com as luzes de advertência ligadas, todos os in- ATENÇÃO
dicadores de direção do veículo piscam ao mes-
mo tempo. As luzes indicadoras dos indicadores A observância da lista de controle é essencial
de direção   e uma luz indicadora no interrup- para a segurança do condutor, passageiros e
tor  piscam ao mesmo tempo. As luzes de ad- demais condutores, evitando possíveis aciden-
vertência também funcionam com a ignição des- tes.
ligada. ● Seguir sempre as ações da lista de controle e
observar as precauções de segurança nela
Se as luzes de advertência estiverem acesas, po-
descritas.
de ser indicada, por exemplo, uma mudança de
direção ou mudança de faixa durante a reboca-
gem com o acionamento da alavanca dos indica- ATENÇÃO
dores de direção. As luzes de advertência são As peças do sistema de escape esquentam mui-
momentaneamente interrompidas. to. Por isso podem ocorrer incêndios e ferimen-
tos graves.
Exemplos em que as luzes de advertência ● Nunca estacionar o veículo de forma que pe-
devem ser ligadas: ças do sistema de escape entrem em contato
– Se o trânsito à frente desacelerar repentina- com materiais facilmente inflamáveis embai-
mente ou se alcançar o fim de um congestio- xo do veículo, como, por exemplo, grama se-
namento, para alertar os condutores quem ca ou combustível.
vêm atrás.
– Se houver uma emergência. A bateria do veículo se descarrega quando
as luzes de advertência ficam ligadas por
– Se o veículo quebrar.
um longo período de tempo - mesmo com a igni-
– Ao ser rebocado. ção desligada.
Observar sempre as determinações regionais so- Quando os airbags são acionados em um
bre o uso das luzes de advertência. acidente, as luzes de advertência podem ser
Se as luzes de advertência não funcionarem, os acionadas automaticamente → Página 21. 
outros condutores deverão ser alertados de outra
forma (em conformidade com as determinações
legais) a respeito do veículo parado.
Luzes de frenagem de emergência -
ATENÇÃO ESS (Emergency Stop Signal)
Um veículo parado sem a devida sinalização re- Para veículos com a função ESS e com sistema
presenta um grande risco de acidente para si antibloqueio do freio (ABS), durante uma frena-
mesmo e para terceiros no trânsito. gem brusca e contínua e em velocidades superio-
● Parar o veículo assim que possível em um lo- res a 80 km/h, a lanterna da luz de freio poderá
cal seguro. Estacionar o veículo a uma dis- piscar para alertar os condutores que trafegam
tância segura do fluxo de trânsito para travar atrás.
seguramente todas as portas em caso de
Se a frenagem for prolongada por mais tempo,
emergência. Ligar as luzes de advertência e
mantendo-se a mesma desaceleração, as luzes
utilizar o triângulo de segurança para alertar
de advertência são automaticamente ligadas e
outros condutores.
piscarão quando o veículo atingir uma velocidade
● Nunca deixar crianças, deficientes ou pes- inferior a aproximadamente 10 km/h. Ao reiniciar
soas com necessidades especiais sozinhas no o movimento do veículo, as luzes de advertência
veículo quando as portas forem travadas. Is- desligam-se por conta própria.
to poderá fazer com que elas sejam tranca-
das dentro do veículo em caso de emergên- As luzes de advertência também podem ser desli-
cia. Pessoas trancadas podem ficar expostas gadas ao pressionar o interruptor  no painel de
a temperaturas muito altas ou muito baixas. instrumentos → Fig. 20. 
181.5B1.CRF.66

Segurança 29
Triângulo de segurança Conforme resolução nº 556, de 17.09.2015, na lei
nº 9.503 de 23.09.1997, torna-se facultativo o
uso do extintor de incêndio nos automóveis e ca-
minhonetes.
O proprietário que optar pela utilização do extin-
tor de incêndio, deverá utilizar o extintor de in-
cêndio com carga de pó tipo ABC.
Se instalado de forma inadequada o extintor po-
de causar ferimentos em caso de acidente. Por
este motivo, a Volkswagen recomenda que o ex-
tintor de incêndio e o respectivo suporte corres-
pondente para cada modelo de veículo, sejam
adquiridos e instalados em uma Concessionária
Volkswagen.
Para sua segurança e em cumprimento a resolu-
Fig. 21 No compartimento de bagagem: triângulo ção do CONTRAN 556/2015, a Volkswagen dispo-
de segurança. nibiliza local adequado com preparação para a
instalação do extintor de incêndio. Local onde
O triângulo de segurança está fixado no compar-
deve ser instalado o suporte e o extintor de in-
timento de bagagem, abaixo da cobertura central
cêndio → Fig. 22. 
→ Fig. 21.

ATENÇÃO
Objetos soltos podem ser lançados pelo interior
do veículo em razão de manobras de direção ou
de frenagem súbitas, bem como em um aciden-
te, e causar ferimentos graves.
● Fixar o triângulo de segurança nos devidos
suportes sempre de maneira segura.

O triângulo de segurança deve atender às


especificações legais vigentes de cada país. 

Extintor de incêndio

Fig. 22 Na parte frontal do banco do passageiro di-


anteiro.

30 Manual de instruções
Vista geral do veículo
Vistas externas

Vista frontal

Fig. 23 Vista geral da parte frontal do veículo.

Legenda para → Fig. 23:


1 Para-brisa
2 Limpadores do para-brisa ................................................................................................................................... 87
3 Tampa do compartimento do motor ............................................................................................................. 199
4 Alavanca de destravamento da tampa do compartimento do motor ............................................. 202
5 Farol dianteiro.......................................................................................................................................................... 80, 178
6 Sensores do controle de distância de estacionamento dianteiro ...................................................... 128
7 Farol de neblina ....................................................................................................................................................... 80, 178
8 Alojamento da argola de reboque dianteira atrás de uma cobertura .............................................. 196
9 Área da placa de licença dianteira 
181.5B1.CRF.66

Vista geral do veículo 31


Vista lateral

Fig. 24 Vista geral da lateral do veículo.

Legenda para → Fig. 24:


1 Antena do teto ......................................................................................................................................................... 244
2 Portinhola do tanque de combustível ........................................................................................................... 159
3 Maçanetas externas das portas ........................................................................................................................ 64
4 Longarinas longitudinais para o bagageiro do teto ................................................................................. 150
5 Espelhos retrovisores externos ........................................................................................................................ 89
6 Pontos de apoio do macaco ............................................................................................................................... 234 

32 Manual de instruções
Vista traseira

Fig. 25 Vista geral da parte traseira do veículo.

Legenda para → Fig. 25:


1 Antena do teto ......................................................................................................................................................... 244
2 Lanterna de freio elevada
3 Aerofólio
4 Vidro traseiro
– Desembaçador do vidro traseiro................................................................................................................. 94
5 Limpador do vidro traseiro ................................................................................................................................. 87
6 Lanterna traseira..................................................................................................................................................... 80, 178
7 Roda de emergência e, puxador para abertura da tampa traseira .................................................... 228, 66
8 Iluminação da placa de licença traseira ........................................................................................................ 178
9 Sensores do controle de distância de estacionamento traseiro ........................................................ 128
10 Lanterna de neblina (somente do lado esquerdo) e refletor de iluminação no lado direito
e lado esquerdo (dependendo da versão) .................................................................................................... 81, 178
11 Área do dispositivo de reboque ........................................................................................................................ 153
12 Área da placa de licença traseira 
181.5B1.CRF.66

Vista geral do veículo 33


Interior do veículo

Vista geral do lado do condutor

Fig. 26 Vista geral do lado do condutor.

Legenda para → Fig. 26:


1 Interruptor das luzes  ....................................................................................................................................... 80
– Luzes desligadas --
– Comando das luzes automático 
– Luz de posição e farol baixo , 
– Farol de neblina e lanterna de neblina , 
2 Difusor de ar móvel ............................................................................................................................................... 94
3 Difusor de ar para desembaçamento do vidro da porta do condutor.............................................. 94
4 Alavanca para ........................................................................................................................................................... 80
– Farol alto / longo alcance 
– Sinal de luz 
– Indicadores de direção 
– Sistema regulador de velocidade (GRA)
5 Buzina (funciona apenas com a ignição ligada).
6 Instrumento combinado:
– Instrumentos ....................................................................................................................................................... 39
– Display .................................................................................................................................................................... 39
– Luzes de advertência e de controle ........................................................................................................... 49 

34 Manual de instruções
7 Alavanca dos limpadores dos vidros e dos lavadores do vidros ......................................................... 87
– Limpadores do para-brisa  – 
– Temporizador dos limpadores do para-brisa 
– Movimento único dos limpadores do para-brisa x
– Limpadores do para-brisa 
– Sistema de limpeza e de lavagem automático do para-brisa 
– Limpador do vidro traseiro 
– Sistema de limpeza e de lavagem automático do vidro traseiro 
– Alavanca com botões de comando do sistema de informações Volkswagen - , /
 .......................................................................................................................................................................... 48
8 Comandos do volante multifunções .............................................................................................................. 51
– Regulagem do volume do rádio, das mensagens de navegação ou de chamadas telefô-
nicas  – 
– Função mudo do rádio ou ativação do controle de voz 
– Acessar o menu principal do telefone ou atender chamadas telefônicas 
– Áudio, navegação  – 
– Botões de comando do sistema de informações Volkswagen  –  – ,  – 
9 Cilindro da ignição.................................................................................................................................................. 107
10 Airbag frontal do condutor ................................................................................................................................. 19
11 Cobertura da caixa de fusíveis .......................................................................................................................... 190
12 Pedais .......................................................................................................................................................................... 99
13 Alça de destravamento da tampa do compartimento do motor ....................................................... 199
14 Alavanca da coluna de direção ajustável. ..................................................................................................... 74
15 Porta-objetos do lado do condutor. ............................................................................................................... 142 

Parte superior do console central Legenda para → Fig. 27:


1 Difusor de ar móvel ................................ 94
2 Interruptor para liberar o destrava-
mento do suporte da roda de
emergência................................................. 66
3 Interruptor para ligar e desligar as
luzes de advertência  ......................... 28
4 Comandos do:
– Sistema de ventilação e aqueci-
mento ...................................................... 94
– Ar-condicionado ................................. 94
5 Rádio (instalado de fábrica)→ ca-
derno Rádio
6 Botão do desembaçador do vidro
traseiro  ................................................... 94 
181.5B1.CRF.66

Fig. 27 Vista geral da parte superior do console cen-


tral.

Vista geral do veículo 35


Parte inferior do console central Vista geral do lado do passageiro
dianteiro

Fig. 29 Vista geral do lado do passageiro dianteiro.

Legenda para → Fig. 29:


Fig. 28 Vista geral da parte inferior do console cen- 1 Local do airbag frontal do passa-
tral. geiro dianteiro no painel de instru-
mentos ......................................................... 19
Legenda para → Fig. 28: 2 Difusor de ar para desembaçamen-
1 Porta-objetos no console central ..... 143 to do vidro da porta do passageiro .. 94
2 Tomada 12V ou acendedor de ci- 3 Difusor de ar móvel ................................ 94
garro .............................................................. 146, 145 4 Alavanca de abertura do porta-lu-
3 Cinzeiro ou porta-objetos no con- vas .................................................................. 141 
sole central ................................................. 145
4 Alavanca do freio de estaciona-
mento ........................................................... 128
5 Alavanca para:
– Transmissão manual ......................... 111
– Transmissão automatizada ............ 113 

36 Manual de instruções
Vista geral da porta do condutor

Fig. 30 Vista geral dos comandos na porta do condutor.

Legenda para → Fig. 30:


1 Botões de comando dos vidros elétricos ..................................................................................................... 68
– Vidros elétricos 
– Botão de segurança dos vidros elétricos traseiros 
2 Maçaneta interna da porta ................................................................................................................................. 64
3 Botão do travamento central para travamento e destravamento do veículo    ................. 58
4 Botão rotativo de ajuste dos espelhos retrovisores externos elétricos .......................................... 89
– Ajuste dos espelhos retrovisores externos     
5 Porta-copos .............................................................................................................................................................. 144
6 Porta-objetos ........................................................................................................................................................... 141
7 Revestimento para o pino-trava da porta do condutor (somente para veículos com trava-
mento mecânico) .................................................................................................................................................... 58

Outros comandos possíveis


Conforme a versão do veículo, podem estar dis-
poníveis vidros mecânicos ou ajustes mecânicos
dos espelhos retrovisores externos
→ Página 89. 
181.5B1.CRF.66

Vista geral do veículo 37


Vista geral do compartimento de bagagem

Fig. 31 Vista geral do compartimento de bagagem.

Embaixo do assoalho do compartimento de ba-


Legenda para Fig. 31:
gagem, encontra-se os seguintes equipamentos:
1 Cobertura do compartimento de bagagem
→ Página 150. – Roda de Emergência → Página 228.
2 Rede para guardar objetos pequenos e leves – Ferramentas de bordo → Página 175. 
→ Página 144.
3 Tomada de 12 V → Página 146.
4 Lanterna do compartimento de bagagem
→ Página 84.

Símbolos no revestimento do teto

Símbolo Significado

 Lanternas internas e de leitura → Página 84

 Comandos do teto solar → Página 72


38 Manual de instruções
Informações ao condutor
Instrumento combinado

Vista geral dos instrumentos

Fig. 32 Instrumento combinado no painel de instrumentos.

– Pressionar o botão  por aproximada-


Significado dos instrumentos → Fig. 32:
mente 5 segundos para iniciar ajuste do
1 Tacômetro (conta-giros) (rotações x 1000 relógio.
por minuto do motor em funcionamento).
– Com a ignição ligada, para ajustar o reló-
O início da área vermelha do tacômetro (con- gio, se necessário, alterar para o indicador
ta-giros) indica a rotação máxima possível do do relógio, pressionar a chave para cima
motor rodado e aquecido pelo funcionamen- ou para baixo ou pressionar o botão de
to para cada uma das marchas. Antes que a ajuste.
indicação atinja a faixa vermelha, mudar para – Manter o botão  pressionado até a in-
a próxima marcha mais alta, posicionar a ala- dicação de horas começar a piscar.
vanca seletora D ou tirar o pé do pedal do
– Para acertar as horas, pressionar o botão
acelerador → .
 brevemente. Os números serão alte-
2 Indicadores do display → Página 40. rados em ordem crescente.
3 Velocímetro (medidor de velocidade). – Pressionar brevemente mais uma vez o
4 Indicador do nível de combustível botão  para a indicação de minutos
5 Indicador de temperatura do líquido de arre- começar a piscar.
fecimento do motor  – Para acertar os minutos, pressionar o bo-
tão  brevemente. Os números serão
6 Botão para regulagem da iluminação do pai-
alterados em ordem crescente.
nel de instrumentos  .
– Para encerrar o ajuste do relógio, pressio-
7 Botão de ajuste do relógio ou para trocar en- nar o botão  novamente.
tre o indicador da temperatura externa e o
relógio  . 7 Botão para reinicializar o indicador do inter-
valo de serviço → Página 47
– Pressionar o botão  brevemente para
mudar entre o hodômetro parcial e total.
– Pressionar o botão  por aproximada-
NOTA
mente 2 segundos para zerar o hodômetro ● Com o motor frio, evitar rotação do motor
muito elevada, aceleração total e forte deman-
181.5B1.CRF.66

parcial e, se necessário, outros indicadores


do indicador multifunções. da ao motor. 

Informações ao condutor 39
● Para evitar danos ao motor, o ponteiro do ta- O engate antecipado de uma marcha supe-
cômetro (conta-giros) pode permanecer ape- rior ajuda a economizar combustível e a re-
nas por um curto período na área vermelha da duzir os ruídos de funcionamento. 
escala.

Indicadores do display Posições da alavanca seletora (transmissão


automatizada)
Conforme a versão do veículo, é possível que se- A posição selecionada da alavanca seletora é exi-
jam exibidas diferentes informações no display bida na alavanca seletora por meio de letras ace-
do instrumento combinado: sas em amarelo. No display do instrumento com-
binado são exibidos na posição D a marcha enga-
– Indicações de advertência e de informação tada assim como a posição de marcha atual. Na
– Indicadores de quilometragem posição  (Tiptronic) somente é mostrada a mar-
– Horário cha escolhida → Página 113.
– Temperatura externa Recomendação de marcha (transmissão
– Posições da alavanca seletora (transmissão au- manual)
tomatizada) → Página 113. Dependendo da versão do veículo, durante a con-
– Recomendação de marcha (transmissão manu- dução pode ser exibida no display do instrumento
al) → Página 111 combinado uma recomendação para seleção de
– Indicador multifunções (MFA) uma marcha que economize mais combustível
→ Página 101.
– Indicador do intervalo de serviço
→ Página 47
ATENÇÃO
– Indicador do nível de combustível
→ Página 45 Mesmo com temperaturas externas acima da
temperatura de congelamento, pode haver uma
Indicadores de quilometragem camada de gelo sobre ruas e pontes.
O hodômetro total registra o percurso total reali- ● É possível que haja uma camada de gelo na
zado pelo veículo. pista mesmo se a temperatura externa esti-
ver acima de +4 °C e o “símbolo de floco de
O hodômetro parcial (trip) indica os quilômetros
neve” não aparecer no display.
percorridos após a última reinicialização do ho-
dômetro. O último dígito indica 100 metros. ● Nunca confiar apenas no indicador da tem-
peratura externa! 
Indicador da temperatura externa
Quando a temperatura externa está abaixo de
+4 °C, um “símbolo de floco de neve”  aparece
Menus no instrumento combinado
no indicador da temperatura externa (alerta de
gelo na pista). Este símbolo começa a piscar e se A abrangência dos menus e dos indicadores de
acende em seguida até que a temperatura exter- informação depende dos componentes eletrôni-
na ultrapasse +6 °C → . cos do veículo e da abrangência da versão do veí-
Se o veículo estiver parado ou em uma velocida- culo.
de de condução muito baixa, a temperatura indi- Uma empresa especializada pode programar ou
cada pode ser um pouco mais alta que a tempe- alterar outras funções conforme os equipamen-
ratura externa real devido ao calor irradiado pelo tos do veículo. Para isto, a Volkswagen recomen-
motor. da as Concessionárias Volkswagen.
A área de medição vai de -40 °C a +50 °C. Alguns itens de menu só podem ser acessados
com o veículo desligado. 

40 Manual de instruções
Comp. Bordo → Página 42 – Manual
■ Consumo momentâneo de combustível – Desligado
■ Consumo médio de combustível ■ Manutenção
■ Autonomia – Troca de óleo
■ Tempo de viagem – Filtro de ar
■ Distância percorrida – Filtro de óleo
■ Velocidade média – Revisão
■ Velocidade digital ■ Ajuste fábrica
■ Alerta de velocidade Os menus apresentados no display do ins-
Áudio → Página 41 trumento combinado dependem do sistema
Estado veículo → Página 41 eletrônico do veículo e dos equipamentos mon-
Configurações → Página 43 tados.

■ Idioma/Lang. As informações no display poderão ser


■ Comp. Bordo mostradas de forma abreviada ou com pe-
quenas diferenças em relação aos textos aqui
– Tempo Viag.
descritos. 
– Cons. Mom.
– Cons. Medio
– Dist. Percor. Menu principal
– Veloc. Média
– Veloc. Digital Menu Função
– Alerta Veloc. Computador Apresenta diversos dados sobre
■ Sensor Estac. de a condução e o consumo de
bordo combustível.
– Volume fte.
→ Página 42
– Volume atr. Áudio Visualização de informações do
■ ECO Comfort rádio, como, por exemplo, emis-
– Resistência do ar sora na operação do rádio, faixa
– Ar-condicionado do CD, volume etc. Válido para
veículos com rádio instalado de
– Indicação de marcha fábrica.
– Frenagem → caderno Rádio
– Partida do motor Estado do veículo Exibição dos textos de advertên-
– Pedal do acelerador cia e de informação atuais.
O item do menu aparecerá so-
– Selecione D
mente, quando houver textos de
– Veículo parado advertência ou informação.
– Todas opções A quantidade de mensagens dis-
■ Pressão dos Pneus ponível é exibida no display.
Exemplo: 1/1 ou 2/2.
■ Conforto
→ Página 39
– Sinal Sonoro
Configurações Diferentes possibilidades de
– Sinal Luminoso configuração, como por exem-
– Fech. Autom. plo, o volume do alerta sonoro
■ Ilum. e Visib. do sensor de estacionamento,
idioma, entre outros.
– Coming Home
181.5B1.CRF.66

→ Página 43 
– Leaving Home
– Automático

Informações ao condutor 41
Menu Comp. Bordo Memória de viagem individual e de viagem
total
Alternar entre os indicadores O computador de bordo está equipado com duas
– Veículos sem volante multifunções: pressionar memórias de trabalho automáticas: 1 – Memória
a chave da alavanca dos limpadores do para- de viagem individual e 2 – Memória de viagem
-brisa. total. No canto superior direito do display é exi-
bido o número da memória indicada.
– Veículos com volante multifunções: pressionar
a tecla  ou  . Com a ignição ligada e a memória indicada 1 ou
2, pressionar a tecla OK para alternar entre as
Exibições possíveis duas memórias.
Menu Comp. Função A memória grava os valores de
Bordo viagem e de consumo desde o
Consumo A exibição do consumo momentâ- momento em que a ignição é li-
momentâneo neo de combustível ocorre duran- gada até o momento em que é
de combustível te a condução em km/l com mo- desligada.
tor em funcionamento. O valor Memória de Se a viagem for interrompida
atual exibido é calculado em in- 1 viagem por mais de duas horas, a me-
tervalos de 30 metros e é atuali- individual. mória é apagada automatica-
zado a cada 1 segundo aproxima- mente. Se a viagem continuar
damente. dentro de um período de duas
Consumo O consumo médio de combustível horas após a ignição ser desli-
médio de em km/l é exibido somente após gada, os novos valores são so-
combustível 300 metros rodados, após se ligar mados.
a ignição. Até este ponto são exi- A memória grava os valores de
bidos traços. O valor atual exibido viagem de uma quantidade in-
é atualizado a cada 5 segundos. determinada de viagens, em um
Autonomia Percurso aproximado em km que máximo de 99 horas e 59 minu-
ainda pode ser percorrido com a Memória da tos de condução, 9.999 km de
quantidade de combustível no 2 viagem distância percorrida ou 999 li-
tanque, seguindo a mesma forma total. tros de combustível consumido.
de condução. Entre outros, o con- Se uma destas marcas máximas
sumo de combustível momentâ- for excedida, a memória é apa-
neo serve para o cálculo. gada automaticamente e come-
ça de novo em zero.
Tempo Tempo de viagem em horas (h) e
de viagem minutos (min) decorrido após ligar Apagar a memória 1 ou 2 manualmente
a ignição.
– Selecionar a memória que deve ser apagada.
Distância Percurso percorrido em km após
– Manter a tecla OK pressionada por aproxima-
percorrida se ligar a ignição.
damente dois segundos.
Velocidade A velocidade média é exibida so-
média mente após 300 metros rodados, Armazenar a velocidade para o alerta de
após se ligar a ignição. Até este velocidade
ponto são exibidos traços. O valor – Selecionar o indicador Alerta de veloc..
atual exibido é atualizado a cada 5
– Pressionar a tecla OK para armazenar a veloci-
segundos.
dade atual ou ativar o alerta. 
Velocidade Velocidade de condução atual co-
digital mo indicador digital.
Alerta Quando a velocidade gravada for
velocidade excedida (no intervalo entre
30 km/h e 150 km/h) é emitido
um alerta visual e sonoro.

42 Manual de instruções
– Se necessário, configurar a velocidade deseja- NOTA
da com o item de menu +5 km/h ou -5 km/h e
pressionar a tecla OK para aumentar ou dimi- A função Manutenção é uma orientação adicional
nuir a velocidade. Pressionar OK novamente. A em relação às manutenções já definidas para o
velocidade é armazenada e o alerta ativado. seu veículo. Lembre-se de que qualquer quilome-
tragem a ser definida não deve ser superior à
– Para desativar, selecionar o indicador Alerta de
prescrita no → caderno Manutenção e garantia. 
veloc. novamente e pressionar a tecla OK . O
alerta de velocidade é desligado.

Seleção pessoal dos indicadores Submenu Sensor de Estacionamento


No menu Configurações, submenu Comp. Bordo é pos-
sível selecionar quais dos indicadores do compu- Menu Sensor
tador de bordo devem ser exibidos no display do Função
Estac.
instrumento combinado → Página 40. 
Volume frente Aumentar ou diminuir o sinal so-
noro para o sensor de estaciona-
mento dianteiro.
Menu Configurações Volume atrás Aumentar ou diminuir o sinal so-
noro para o sensor de estaciona-
Menu Confi- mento traseiro.
Função
gurações Voltar O indicador retrocede para o me-
Idioma / Selecionar o idioma para os textos nu Configurações. 
Lang. do display.
Comp. Bordo Configurações de quais dados do
computador de bordo devem ser
exibidos no display do instrumento
Submenu ECO Comfort
combinado → Página 42.
Sensor estac. Pode ser definido o volume do
alerta sonoro do controle da dis-
tância de estacionamento.
ECO Comfort Configurações de quais dados do
ECO Comfort devem ser exibidos
no display do instrumento combi-
nado → Página 43.
Pressão Pneus Memorização dos novos valores de
pressão dos pneus após a calibra-
ção dos mesmos e reínício do mo-
nitoramento da pressão
→ Página 44.
Conforto Configurações para funções de Fig. 33 No instrumento combinado: texto de adver-
conforto do veículo → Página 44. tência do ECO Comfort.
Ilum. e Visib. Configurações para a iluminação do
veículo → Página 44. A função ECO Comfort tem como objetivo indicar
no display do instrumento combinado alertas de
Manutenção Definir a partir de qual quilometra-
ajuda para melhorar o consumo de combustível
gem deve ser emitido um alerta vi-
do veículo.
sual e sonoro para que o veículo
seja submetido à manutenção → . Dentro do submenu ECO Comfort podem ser defini-
Ajuste fábrica Algumas funções do menu Configu- dos quais dados serão apresentados no display.
rações são restauradas para as con- Os dados podem ser definidos separadamente,
181.5B1.CRF.66

figurações de fábrica. como conjuntos (todas as opções) ou ainda desa-


tivar as opções, assim nenhum alerta aparecerá
Voltar O indicador retrocede para o menu
no display. 
principal.

Informações ao condutor 43
Só são apresentados no display do instrumento Submenu Conforto
combinado os dados disponíveis para o veículo,
que depende do sistema eletrônico do veículo e
Menu
dos equipamentos montados. Função
Conforto
Além do texto de advertência apresentado no Sinal Ligar ou desligar a função de sinal so-
display → Fig. 33, poderão aparecer alertas com Sonoro noro ao travar ou destravar o veículo.
outras informações adicionais. Se o sinal sonoro estiver ligado, será
emitido um sinal sonoro (buzina) cada
Textos de alerta
vez que o veículo for travado ou dois
– ECO COMFORT Resistência do ar: Fechar janelas. sinais sonoros cada vez que o veículo
– ECO COMFORT Ar-condicionado ligado: Fechar janelas. for destravado.
– ECO COMFORT Observar indicador de mudança de mar- Sinal Ligar ou desligar a função de sinal lu-
chas. Luminoso minoso ao travar ou destravar o veí-
– ECO COMFORT Na frenagem, desengatar apenas abaixo culo.
de 1300 rpm. Se o sinal luminoso estiver ligado, os
indicadores de direção piscarão, uma
– ECO COMFORT Não acionar o pedal do acelerador no ar-
vez quando o veículo for travado ou
ranque do motor.
duas vezes quando o veículo for des-
– ECO COMFORT Não acionar o pedal do acelerador com travado.
veículo parado.
Fech. Configuração para os vidros elétricos:
– ECO COMFORT Colocar a alavanca seletora na posição D. Autom. ao travar e destravar, todos os vidros
(Válido somente para veículos com transmis- podem ser fechados ou abertos
são automatizada ASG). → Página 68.
– ECO COMFORT Evitar ter o motor em funcionamento com Voltar O indicador retrocede para o menu
veículo parado. Configurações. 
Os textos de alerta podem variar, depen-
dendo da versão do veículo. 
Submenu Ilum. e Visib.

Submenu Pressão Pneus Menu Ilum.


Função
e Visib.
Menu Coming Home Definir quanto tempo a iluminação
Função
Pressão Pneus Leaving Home deve permanecer acesa após o tra-
Salvar Salva a pressão e avança para a vamento ou destravamento do veí-
tela de confirmação final. culo .
Confirmar Confirma a pressão e reinicia o Automático Ativar a função automática do
monitoramento. “ComingHome” e “Leaving Home”.
Voltar O indicador retrocede para o me- Manual Ativar a função manual do “Coming
nu Configurações. Home” e “Leaving Home”.
Voltar O indicador retrocede para o me- Desligado Desligar a função “Coming Home”
nu Configurações. e “Leaving Home”.
Voltar O indicador retrocede para o menu
NOTA Configurações. 
Após a memorização bem sucedida das novas
pressões, o sistema gera um aviso Pressão dos pneus
foi memorizada, retornando automaticamente ao
menu Configurações. Em caso de falha, é gerado o
aviso Não é possível salvar as pressões dos pneus, e em
seguida o sistema volta ao submenu Pressão Pneus. 

44 Manual de instruções
Indicações de advertência e de Indicador do nível de combustível
informação
Ao ligar a ignição ou durante a condução, algu-
mas funções do veículo são verificadas e alguns
componentes do veículo têm seu estado contro-
lado. As falhas de funcionamento do veículo são
indicadas no display do instrumento combinado
por símbolos de advertência (→ Página 49) e,
em algumas versões, também por meio de aler-
tas sonoros. Conforme a versão do instrumento
combinado, a representação dos símbolos pode
variar.

ATENÇÃO
A observância das luzes de advertência acesas é Fig. 34 No instrumento combinado: indicador do ní-
essencial para a segurança do condutor e dos vel de combustível.
passageiros, evitando possíveis paradas do veí-
culo, bem como eventuais acidentes. Luz de
controle Posição do
● Nunca ignorar luzes de advertência acesas. Causa possível / Solu-
ponteiro
● Parar o veículo assim que possível em um lo- A ace- ção→
→ Fig. 34
cal seguro a todos os passageiros do veículo sa
e aos demais condutores. Tanque de combustí-
● Um veículo parado sem a devida sinalização vel quase vazio.
representa um grande risco de acidente para É consumido o com-
Marca verme-
si mesmo e para terceiros. Sempre acionar as
luzes de advertência e utilizar o triângulo de
 lha (seta).
bustível reserva
→ Página 254.
segurança para alertar os outros veículos. Abastecer assim que
● Estacionar o veículo a uma distância segura possível →
da pista de rodagem de forma que nenhuma Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
das peças do sistema de escape entre em de controle se acendem rapidamente para verifi-
contato com materiais inflamáveis, como, cação da função. Elas se apagam após alguns se-
por exemplo, grama seca, combustível, óleo gundos.
etc.
Para os veículos com Sistema de informação
Volkswagen, a luz de controle  se acende no
NOTA
display do instrumento combinado.
Observar sempre as luzes de controle acesas para
evitar danos no veículo. ATENÇÃO
Devido à existência de diversas versões de Conduzir com um nível de combustível muito
instrumentos combinados, as indicações do baixo pode causar paradas do veículo no trânsi-
display podem variar. to, acidentes e ferimentos graves.
● Um nível de combustível muito baixo pode
Quando existir várias mensagens de adver-
causar uma alimentação de combustível do
tência, os símbolos aparecerão em sequên-
motor irregular, especialmente em trechos
cia por alguns segundos. Esses símbolos serão
de subida ou descida.
exibidos até que a causa seja eliminada. 
● A direção e todos os sistemas de assistência
ao condutor e de frenagem não funcionarão
quando o motor para de funcionar por falta
181.5B1.CRF.66

ou abastecimento irregular de combustível. 

Informações ao condutor 45
● Abastecer sempre que o indicador do nível Posição do
de combustível estiver próximo a 1/4, evitan- Acesa ponteiro Causa possível / Solução
do assim uma parada por falta de combustí- → Fig. 35
vel. Temperatura do líquido
de arrefecimento do mo-
NOTA tor muito alta.
● Observar sempre as luzes de controle acesas e  Não prosseguir!
suas descrições e orientações para evitar da- Parar o veículo assim que
nos no veículo. C possível em um local se-
● Nunca conduzir até esvaziar completamente o Área de guro. Desligar o motor e
tanque de combustível. O abastecimento de alerta deixar o motor esfriar até
combustível irregular pode causar falhas de ig- que o ponteiro esteja no-
nição e acúmulo de combustível não queimado vamente na área normal.
no sistema de escape. Isso pode danificar o ca- Verificar o nível do líqui-
talisador! do de arrefecimento do
motor → Página 210.
A pequena seta ao lado do símbolo da bom- Nível do líquido de arre-
ba de combustível no mostrador → Fig. 34  fecimento do motor mui-
indica de que lado do veículo está a portinhola do to baixo.
tanque de combustível.  Verificar o nível do líqui-
do de arrefecimento do
motor com o motor frio e
reabastecer se o nível es-
Indicador de temperatura do B
tiver baixo, reabastecer
líquido de arrefecimento do motor Área normal com líquido de arrefeci-
mento do motor
→ Página 210.
Se o nível do líquido de
arrefecimento do motor
estiver em ordem, existe
uma avaria.
Evitar sobrecarga e alta
A rotação do motor en-

Área fria quanto o motor ainda
não estiver aquecido.

Pisca Causa possível / Solução


Sistema de arrefecimento do
 motor avariado.
Fig. 35 Indicador de temperatura do líquido de arre- Buscar auxílio técnico especiali-
fecimento do motor no instrumento combinado: A zado!
área fria; B área normal; C área de alerta.
ATENÇÃO
Em formas normais de condução o ponteiro en-
A observância das luzes de advertência acesas e
contra-se na área intermediária da escala. Em
das mensagens de texto é essencial para a se-
condições de grande demanda do motor – sobre-
gurança do condutor e dos passageiros, evitan-
tudo de elevada temperatura ambiente – o pon-
do possíveis paradas do veículo, bem como
teiro também pode deslocar-se bastante para a
eventuais acidentes.
direita → Fig. 35.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
e as mensagens de texto. 
de controle se acendem rapidamente para a veri-
ficação da função. Elas se apagam após alguns
segundos.

46 Manual de instruções
● Parar o veículo assim que possível em um lo- aparece no display do instrumento combinado ao
cal seguro a todos os passageiros do veículo ligar a ignição e, durante 20 segundos, após o
e aos demais condutores. motor ser ligado.

Reinicializar o indicador do intervalo de


NOTA
serviço
Observar sempre as luzes de controle acesas e as
Se o serviço não tiver sido realizado em uma Con-
mensagens de texto para evitar danos no veículo. 
cessionária Volkswagen, o indicador no instru-
mento combinado poderá ser reinicializado da
seguinte forma:
Indicador do intervalo de serviço Desligar a ignição.
Pressionar e manter o botão  pressionado.
Ligar a ignição.
Soltar o botão  e pressioná-lo novamente
dentro de aproximadamente 10 segundos.
Não reinicializar o indicador do intervalo de servi-
ço entre os intervalos de serviço. Isso pode gerar
indicações incorretas.
A mensagem de serviço se apaga após al-
guns segundos com o motor em funciona-
mento ou após pressionar o botão  da alavanca
dos limpadores dos vidros. 

Fig. 36 Display do instrumento combinado: indica-


dor do intervalo de serviço. Indicador de consumo de
O indicador do intervalo de serviço aparece no combustível
display do instrumento combinado → Fig. 32 2 .
Os prazos de serviço na Volkswagen variam de
acordo com serviço de troca de óleo e/ou manu-
tenção preventiva. O indicador do intervalo de
serviço informa quando é atingido o prazo para
realização do serviço. Todos os prazos para servi-
ços podem ser encontrados no → caderno Manu-
tenção e garantia.
As informações contidas no display são comple-
mentares àquelas contidas no → caderno Manu-
tenção e garantia, sendo essencial a averiguação
desse caderno para a correta manutenção e ga-
rantia do veículo.
Em veículos com serviço condicionado ao tempo Fig. 37 No instrumento combinado: indicador de
ou à quilometragem os intervalos de serviços são consumo de combustível.
fixos.
O indicador de consumo de combustível
Evento de serviço → Fig. 37 mostra o consumo momentâneo de
Quando um serviço estiver para vencer, a indica- combustível em km/l, ou seja, indica quantos qui-
ção INSP ou Revisão imediata! (para veículos com Sis- lômetros o veículo percorre com um litro de
181.5B1.CRF.66

tema de informações Volkswagen (I-System) combustível. Quanto maior a indicação em km/l,


menor é o consumo de combustível. 

Informações ao condutor 47
Por meio da escala do indicador de consumo é Enquanto uma mensagem de advertência de
possível verificar como o estilo de condução in- prioridade 1 estiver sendo exibida, não é possível
fluencia o consumo de combustível. acessar nenhum menu. Todas as mensagens de
advertência desaparecem automaticamente após
O indicador de consumo de combustível au- alguns segundos. Além disso, algumas mensa-
xilia o condutor a adotar um estilo de con- gens de advertência podem ser confirmadas e
dução que possibilite um menor consumo de ocultadas com a tecla OK .
combustível. 
Acessar o menu principal
– Ligar a ignição1).
– Se uma mensagem ou o pictograma do veículo
Comando do instrumento forem exibidos, pressionar a tecla OK
combinado (→ Fig. 38 1 ).
– Comando com a alavanca dos limpadores do
para-brisa: manter a chave pressionada
 Introdução ao tema → Fig. 38 2 , ou pressionar por pelo menos
dois segundos para cima ou para baixo. O me-
nu principal é listado → Página 41.
Com a ignição ligada é possível acessar as diver-
sas funções do display por meio dos menus. Acessar o submenu
– Comando com a alavanca dos limpadores do
ATENÇÃO para-brisa: pressionar a chave 2 para cima ou
A distração do condutor enquanto dirige o veí- para baixo, até que o item de menu desejado
culo pode provocar acidentes e ferimentos. esteja selecionado.
● Nunca acessar os menus do instrumento – O item do menu selecionado se encontra entre
combinado durante a condução.  as duas linhas perpendiculares.
– Para acessar um item do submenu, pressionar
a tecla OK .
Comando por meio da alavanca dos Adotar configurações do menu
limpadores dos vidros – Utilizando a chave da alavanca dos limpadores
do para-brisa adotar as modificações deseja-
 Observe no início desse capítulo na pági- das. Caso necessário, manter a tecla pressiona-
na 48. da para aumentar ou diminuir os valores mais
rapidamente.
– Selecionar ou confirmar a opção com a te-
cla OK .

Voltar ao menu principal


– Por meio do menu: selecionar o item de menu
Voltar no submenu para sair do submenu.
– Comando com a alavanca dos limpadores do
para-brisa: manter a chave pressionada. 

Fig. 38 Veículos sem volante multifunções: tecla 1


na alavanca dos limpadores do para-brisa para con-
firmação dos itens de menu e chave 2 para alternar
entre os menus.

1) Nos veículos com transmissão automatizada manter o pedal do freio pressionado após ligar a ignição.

48 Manual de instruções
Comando pelo volante Adotar configurações do menu
– Utilizando as teclas em forma de seta do vo-
multifunções
lante multifunções, adotar as modificações de-
 Observe no início desse capítulo na pági- sejadas. Caso necessário, manter a tecla pres-
na 48. sionada para aumentar ou diminuir os valores
mais rapidamente.
– Selecionar ou confirmar a opção com a te-
cla OK .

Voltar ao menu principal


– Por meio do menu: selecionar o item de menu
Voltar no submenu para sair do submenu.

Voltar ao item anterior


Pressionar a tecla  . 

Fig. 39 Lado direito do volante multifunções: teclas


de comando dos menus do instrumento combinado. Luzes de advertência e de controle
Em alguns veículos com volante multifunções, as  Observe no início desse capítulo na pági-
teclas da alavanca dos limpadores do para-brisa na 48.
não existem. Assim, o indicador multifunções é
operado exclusivamente pelas teclas do volante As luzes de advertência e de controle indicam
multifunções. alertas → , avarias → ou funções específicas.
Algumas luzes de advertência e de controle se
Acessar o menu principal acendem quando a ignição é ligada, e devem se
– Ligar a ignição1). apagar quando o motor estiver em funcionamen-
– Se uma mensagem ou o pictograma do veículo to ou durante a condução.
forem exibidos, pressionar a tecla OK Quando algumas luzes de advertência e de con-
(→ Fig. 39 1 ou → Fig. 39). trole se acendem, também soam sinais sonoros.
– O menu principal → Página 41 não é listado.
Para navegar entre os itens de menu, pressio- Símbolo Significado →
nar a tecla  ou  repetidamente.  Não prosseguir!
Freio de estacionamento puxado, ní-
Acessar o submenu
– Pressionar a tecla  ou  , até que o item do
 vel do fluido de freio muito baixo ou
sistema de freio avariado.
menu desejado esteja selecionado. → Página 126
– O item do menu selecionado se encontra entre Piscando:  Não prosseguir!
as duas linhas perpendiculares. Temperatura do líquido de arrefeci-
– Para acessar um item do submenu, pressionar mento do motor muito alta ou siste-
a tecla OK .  ma do líquido de arrefecimento do
motor avariado.
→ Página 208
Piscando:  Não prosseguir!
Pressão do óleo do motor muito bai-
 xa.
→ Página 204 
181.5B1.CRF.66

1) Nos veículos com transmissão automatizada manter o pedal do freio pressionado após ligar a ignição.

Informações ao condutor 49
Símbolo Significado → Símbolo Significado →
 Não prosseguir! Aquecimento do sistema de partida


Tampa traseira aberta ou fechada in-
corretamente.
 aquecida em funcionamento.
→ Página 213
→ Página 65 Indicadores de direção esquerdos ou
Cinto de segurança não colocado pelo direitos.
→ Página 80
 condutor.
→ Página 10
 Luzes de advertência ligadas.
 Não prosseguir! → Página 28
Direção eletromecânica avariada ou Sistema regulador de velocidade
 fora de funcionamento.
 “GRA” ligado.
→ Página 119 → Página 122
Alternador avariado. Farol alto / longo alcance ligado ou si-
 → Página 214
 nal de luz acionado (lampejamento).
Piscando: alarme ativado. → Página 80
 → Página 62 Imobilizador eletrônico ativado.
Aceso: ESC avariado ou não funciona.  → Página 111
→ Página 137 Indicador do intervalo de serviço.
 Piscando: ESC em funcionamento.  → Página 47
→ Página 137
Aceso: ESC desativado. ATENÇÃO
 → Página 137 A observância das luzes de advertência acesas é
Aceso: M-ABS desligado. essencial para segurança do condutor e dos
→ Página 137 passageiros, evitando possíveis paradas do veí-
 Piscando: M-ABS ativado e atuando.
culo, bem como eventuais acidentes.
→ Página 137 ● Nunca ignorar as luzes de advertência ace-
sas.
ABS avariado ou não funciona.
 → Página 138 ● Parar o veículo assim que possível em um lo-
cal seguro a todos os passageiros do veículo
Lanterna de neblina ligada.
 → Página 80
e aos demais condutores.
Aceso: deficiência de emissões do sis- ● Estacionar o veículo a uma distância segura
tema de escape (OBD). da pista de rodagem de forma que nenhuma
→ Página 162
das peças do sistema de escape entre em
 Piscando: catalisador avariado.
contato com materiais inflamáveis, como,
por exemplo, grama seca, combustível, óleo
→ Página 162 etc.
Deficiência no controle eletrônico de ● Um veículo parado sem a devida sinalização
 potência do motor.
→ Página 162
representa um grande risco de acidente para
si mesmo e para terceiros. Sempre acionar as
Direção eletromecânica reduzida. luzes de advertência e utilizar o triângulo de
 → Página 119 segurança para alertar outros veículos.
Tanque de combustível quase vazio ● Antes de abrir a tampa do compartimento do
 → Página 45 motor, desligar o motor e aguardar até que
Sistema de airbag ou dos pré-tensio- sua temperatura tenha baixado suficiente-
nadores dos cintos de segurança dian- mente.
 teiros avariado. ● O compartimento do motor de todo veículo é
→ Página 19 uma área perigosa e pode causar ferimentos
Pressão dos pneus muito baixa ou sis- graves → Página 199, Orientações de segu-
rança para trabalhos no compartimento do
 tema de controle dos pneus avariado.
→ Página 218 motor. 

50 Manual de instruções
NOTA Volante multifunções
Observar sempre as luzes de controle acesas para
evitar danos no veículo.  Volante multifunções com
comandos do rádio e do
Sistema de informações
Volkswagen

 Introdução ao tema

Dependendo da versão do veículo, alguns


comandos do volante multifunções não es-
tarão disponíveis.
Para mais informações sobre a utilização do
seu rádio, consultar o respectivo manual de
instruções (→ caderno Rádio). 

Comandos do volante multifunções

Fig. 40 Lado esquerdo do volante multifunções: te- Fig. 41 Lado direito do volante multifunções: teclas
clas de comando. de comando.

Dependendo da versão do rádio, alguns coman- Por meio das teclas deste volante, é possível rea-
dos das teclas do volante multifunções podem lizar várias funções sem retirar as mãos do volan-
ser diferentes. te. 
181.5B1.CRF.66

Volante multifunções 51
Teclas Utilização Função
Pressionando a tecla brevemente:
- Seleciona em ordem decrescente as estações de rádio e as faixas
do CD / MP3 ou;
- Seleciona em ordem decrescente as estações de rádio FM ou so-
mente nas estações salvas ou;
 Áudio - Seleciona em ordem decrescente uma lista das estações de rádio
de acordo com a intensidade do sinal das estações FM.
Pressionando por alguns segundos:
- Seleciona manualmente as estações de rádio em ordem decrescen-
te ou retrocede a execução da música no modo CD / MP3 ou;
- Sem função.
Pressionando a tecla brevemente: aumenta por passos o volume do
Áudio, rádio ou de uma chamada telefônica.

Telefonea) Pressionando por alguns segundos: aumenta de maneira contínua o
volume do rádio ou de uma chamada telefônica.
Pressionando a tecla brevemente:
- É mostrado no display do rádio as últimas chamadas ou;
- Rejeitab) uma chamada, se houver uma chamada recebida ou;
- Mostra o menu Telefone no display do instrumento combinado.
Pressionando a tecla duas vezes brevemente:
- O número mais recente da lista de chamadas será chamado. Como
uma função redial ou;
- Dependendo da versão do rádio do veículo, caso não tenha ne-
nhum celular pareado com o rádio e esta tecla for acionada por duas
 Telefonea) vezes brevemente, o menu “Pairing” é mostrado no display do rádio,
e o restante da operação de pareamento deve ser executada no pró-
prio rádio, → caderno Rádio ou;
- Sem função.
Pressionando por alguns segundos:
- Rejeitab) uma chamada, se houver uma chamada recebida ou;
- Aceitab) uma chamada, se houver uma chamada recebida ou;
- Durante uma chamada telefônica, o rádio muda para o modo priva-
do, pressionar novamente por alguns segundos a tecla, o rádio re-
torna para o modo “mãos livres”.
Pressionando a tecla brevemente:
- Seleciona em ordem crescente as estações de rádio e as faixas do
CD / MP3 ou;
- Seleciona em ordem crescente as estações de rádio FM ou somen-
te nas estações salvas ou;
 Áudio
- Seleciona em ordem crescente uma lista das estações de rádio de
acordo com a intensidade do sinal das estações FM.
Pressionando por alguns segundos:
- Seleciona manualmente as estações de rádio em ordem crescente
ou avança a execução da música no modo CD / MP3 ou;
- Sem função. 

52 Manual de instruções
Teclas Utilização Função
Pressionando a tecla  brevemente: ativa o canal de comunicação
do rádio para fazer uma chamada no modo de discagem por voz, é
necessário seguir as instruções do celular. Sem a função discagem
por voz habilitada no celular ou sem emparelhamento bluetooth, ne-
 nhuma ação será feita.
Telefonea) Pressionando a tecla  brevemente: diminui o volume do rádio a 0.
 Pressionando novamente: retorna ao volume previamente utilizado.
Dependendo da versão do rádio e do modelo de aparelho celular, as
teclas  ou  poderão acionar a função “Volume 0” ou discagem
por voz. Caso duas destas teclas estiverem no mesmo volante, am-
bas teclas podem ficar habilitadas com a mesma função.
Pressionando a tecla brevemente: reduz por passos o volume do rá-
Áudio, dio ou de uma chamada telefônica.

Telefonea) Pressionando por alguns segundos: reduz de forma contínua o volu-
me do rádio ou de uma chamada telefônica.
Pressionando a tecla brevemente: navega entre os menus do Siste-
Sistema de
ma de informações Volkswagen em ordem decrescente.
 informações
Pressionando a tecla brevemente: retorna ao item anterior.
Volkswagen
Pressionando por alguns segundos: sem função.
Pressionando a tecla brevemente: passagem do indicador multifun-
Computador de bordo ções do computador de bordo em ordem crescente.
Pressionando por alguns segundos: sem função.
Pressionando a tecla brevemente:
- A barra seletora é deslocada para cima.
Sistema de - Alteração do valor um passo para cima.
informações - Troca de mensagem sobre o estado do veículo em ordem crescen-
Volkswagen te, caso haja mais de uma mensagem.
Pressionando por alguns segundos: a barra seletora é deslocada pa-

ra cima enquanto a tecla estiver acionada, ou até o início da lista.
Pressionando a tecla brevemente:
- Seleciona em ordem crescente as estações de rádio e as faixas do
Menu Áudiob) - Menu CD / MP3 ou;
dentro do Sistema de - Seleciona em ordem crescente as estações de rádio AM / FM no
informações display do instrumento combinado ou;
Volkswagen - Sem função.
Pressionando por alguns segundos: sem função específica, avança a
sintonia até a próxima estação somente.
Pressionando a tecla brevemente:
- Comutação entre as memórias 1 e 2 do computador de bordo.
Computador de bordo - Função de repetição em caso de alteração de valor.
Pressionando por alguns segundos: reset dos dados no nível atual
do indicador multifunções do computador de bordo.
Pressionando a tecla brevemente:

- Seleção da entrada atual do menu.
Sistema de
- Alteração do valor em um passo.
informações
Pressionando por alguns segundos:
Volkswagen
- Alteração do valor em passos múltiplos ou;
- Sem função.
181.5B1.CRF.66

Confirmação Confirmação e validação, por exemplo, de avisos e informações. 

Volante multifunções 53
Teclas Utilização Função
Pressionando a tecla brevemente: navega entre os menus do Siste-
Sistema de
ma de informações Volkswagen em ordem crescente.
 informações
Pressionado a tecla brevemente: avança ao próximo item.
Volkswagen
Pressionando por alguns segundos: sem função.
Pressionando a tecla brevemente: passagem do indicador multifun-
Computador de bordo ções do computador de bordo em ordem decrescente.
Pressionando por alguns segundos: sem função.
Pressionando a tecla brevemente:
- A barra seletora é deslocada para baixo.
Sistema de - Alteração do valor um passo para baixo.
informações - Troca de mensagem sobre o estado do veículo em ordem decres-
Volkswagen cente, caso haja mais de uma mensagem.
Pressionando por alguns segundos: a barra seletora é deslocada pa-

ra baixo enquanto a tecla estiver acionada, ou até o final da lista.
Pressionando a tecla brevemente:
- Seleciona em ordem decrescente as estações de rádio e as faixas
Menu Áudiob) - Menu do CD / MP3 ou;
dentro do Sistema de - Seleciona em ordem decrescente as estações de rádio AM / FM no
informações display do instrumento combinado ou;
Volkswagen - Sem função.
Pressionando por alguns segundos: sem função específica, retroce-
de a sintonia até a próxima estação somente.
a) Equipamento (aparelho de telefone móvel) não ofertado pela Volkswagen.
b) Para veículos com rádio instalado de fábrica, a função depende da versão do rádio e do instrumento combinado.

Os comandos no volante multifunções só operação, por exemplo, do indicador multifun-


funcionam com a ignição ligada. ções do computador de bordo, será realizada ex-
clusivamente por meio das teclas do volante.
Dependendo da versão do veículo, alguns
comandos do volante multifunções não es- Para mais informações sobre a utilização do
tarão disponíveis. seu rádio, consulte o respectivo manual de
instruções (→ caderno Rádio). 
Em alguns veículos com volante multifun-
ções são suprimidas as teclas na alavanca
dos limpadores do para-brisa / vidro traseiro. A

54 Manual de instruções
Abrir e fechar Chave do veículo com comando
remoto
Jogo de chaves do veículo
 Observe e no início desse capítulo na
página 55.
 Introdução ao tema

PERIGO
Quando baterias com diâmetro de 20 mm ou
outras baterias de lítio são engolidas, a conse-
quência pode ser lesões graves ou até fatais em
um curto espaço de tempo.
● Conservar sempre a chave do veículo, bem
como chaveiros com baterias, baterias de re-
posição, células tipo botão e outras baterias,
fora do alcance de crianças. Fig. 42 Chave do veículo com comando remoto.
● Procurar auxílio médico imediatamente
quando houver a suspeita de que uma bate- Chave do veículo com comando remoto
ria foi engolida. O veículo pode ser destravado e travado à distân-
cia com a chave do veículo com comando remoto
ATENÇÃO → Página 58.
Uma utilização desatenta ou descontrolada das O emissor com a bateria está alojado na chave do
chaves do veículo pode causar acidentes e feri- veículo com comando remoto. O receptor está
mentos graves. localizado no interior do veículo. A área de alcan-
● Levar sempre todas as chaves do veículo ce da chave com comando remoto com a bateria
consigo ao deixar o veículo. Crianças ou pes- carregada é de alguns metros ao redor do veícu-
soas não autorizadas podem travar as portas lo.
e a tampa traseira, dar partida no motor ou Caso não seja possível abrir ou fechar o veículo
ligar a ignição e, com isso, acionar equipa- com a chave com comando remoto, ela deverá
mentos elétricos, como, por exemplo, os vi- ser sincronizada novamente → Página 58 ou ter
dros elétricos. a bateria substituída → Página 57.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- Podem ser utilizadas no máximo duas chaves
cessidade especiais sozinhas no veículo. Em com comando remoto.
caso de emergência, elas não estariam em
condições de deixar o veículo sozinhas ou de A chave com comando remoto possui uma eti-
ajudarem a si mesmas. Em um veículo fecha- queta de homologação da ANATEL, verificar na
do, de acordo com a estação do ano, podem → Página 246.
ocorrer temperaturas muito altas ou muito
Rebater a haste da chave para fora ou para
baixas, que podem causar ferimentos graves
dentro
e enfermidades, principalmente em crianças
pequenas, ou levar à morte. Pressionando o botão → Fig. 42 1 a haste da
chave é destravada e rebatida para fora.
● Nunca retirar a chave da ignição enquanto o
veículo estiver em movimento.  Para rebater para dentro, pressionar ao mesmo
tempo o botão 1 e a haste da chave de volta até
que a haste se encaixe.

Chave de reposição
Para a aquisição de uma chave de reposição ou
181.5B1.CRF.66

de outras chaves com comando remoto, é neces-


sário informar o número do chassi do veículo e da 

Abrir e fechar 55
etiqueta plástica, que contém informações espe- Chave do veículo mecânica
cíficas. A etiqueta plástica é fornecida juntamen-
te com as chaves do veículo e deve ser guardada  Observe e no início desse capítulo na
para eventuais necessidades de substituição das página 55.
chaves.
Cada chave do veículo nova contém um micro-
chip que deve ser codificado com os dados do
imobilizador eletrônico do veículo. Uma chave do
veículo não funciona sem um microchip ou com
um microchip não codificado. Isto também se
aplica a chaves que estiverem adequadamente
fresadas.
Chaves do veículo novas ou de reposição podem
ser obtidas em uma Concessionária Volkswagen.
Chaves com comando remoto novas ou de repo-
sição devem ser sincronizadas antes do uso
→ Página 58.

NOTA
Toda chave do veículo contém componentes ele-
trônicos. Proteger as chaves contra avarias, umi-
dade e vibrações intensas.
Fig. 43  Chave mecânica.  Chave mecânica do-
Somente pressionar os botões da chave do brável.
veículo com comando remoto quando a res-
pectiva função for realmente necessária. Um No jogo de chaves do veículo pode haver uma
acionamento desnecessário do botão pode pro- chave do veículo mecânica → Fig. 43  ou uma
vocar um destravamento involuntário ou o dispa- chave do veículo mecânica → Fig. 43  e uma
ro do alarme do veículo. Isso também se aplica chave mecânica dobrável → Fig. 43 ..
quando se acredita estar fora da área de alcance
do comando remoto. Desdobrar e dobrar a haste da chave mecânica
dobrável
O funcionamento da chave do veículo com Pressionando o botão→ Fig. 43  (seta), a haste
comando remoto pode ser temporariamen- da chave é destravada e se abre.
te afetado pela sobreposição de transmissores
que se encontram nas proximidades do veículo e Para dobrar para dentro, pressione o botão (seta)
trabalham na mesma faixa de frequências, por e, ao mesmo tempo, pressionar a haste da chave
exemplo, um aparelho de transmissão ou telefo- para trás até engatar.
ne móvel.
Chave de reposição
Obstáculos entre a chave com comando re- Para a aquisição de uma chave de reposição ou
moto e o veículo, condições meteorológicas de outras chaves do veículo, é necessário infor-
ruins, bem como uma bateria fraca, reduzem o mar o número do chassi do veículo e da etiqueta
alcance da transmissão. plástica, que contém informações específicas. A
Se os botões da chave do veículo com co- etiqueta plástica é fornecida juntamente com as
mando remoto → Fig. 42 ou um dos botões chaves do veículo e deve ser guardada para even-
do travamento central (→ Página 58) forem tuais necessidades de substituição das chaves.
acionados repetidas vezes em um curto intervalo Cada chave do veículo nova contém um micro-
de tempo, ocorre um desligamento temporário chip que deve ser codificado com os dados do
do travamento central para proteção contra so- imobilizador eletrônico do veículo. Uma chave do
brecarga. Nesse caso, o veículo fica destravado. veículo não funciona sem um microchip ou com 
Travar o veículo se necessário. 

56 Manual de instruções
um microchip não codificado. Isto também se Substituir a bateria
aplica a chaves que estiverem adequadamente
fresadas.  Observe e no início desse capítulo na
Chaves do veículo novas ou de reposição podem página 55.
ser obtidas em uma Concessionária Volkswagen. 

Luz de controle da chave do veículo


com comando remoto
 Observe e no início desse capítulo na
página 55.

Fig. 45 Chave do veículo com comando remoto: 1


Abrir a tampa do alojamento da bateria. 2 Remover
a bateria.

A Volkswagen recomenda que a troca da bateria


seja feita por uma Concessionária Volkswagen ou
por uma empresa especializada.
A bateria encontra-se no lado posterior da chave
do veículo com comando remoto, sob uma co-
Fig. 44 Luz de controle da chave do veículo com co- bertura → Fig. 45.
mando remoto.
Substituir a bateria
Se um botão da chave do veículo com comando – Rebater a haste da chave do veículo para fora
remoto for pressionado brevemente, a luz de → Página 55.
controle → Fig. 44 (seta) piscará brevemente uma
vez. Com o acionamento mais longo de um bo- – Retirar a cobertura no lado posterior da chave
tão, ela piscará várias vezes, por exemplo, no → Fig. 45 1 no sentido da seta → .
destravamento da tampa traseira. – Remover a bateria do alojamento da bateria
com uma ferramenta adequada 2 .
Quando a luz de controle da chave do veículo
com comando remoto não se acender ao pressio- – Posicionar a nova bateria conforme indicado
nar o botão, a bateria da chave deve ser substi- 2 e pressionar no sentido contrário ao da seta
tuída → Página 57.  para dentro do alojamento da bateria → .
– Posicionar a cobertura conforme indicado 1 e
pressionar no sentido contrário ao da seta so-
bre a carcaça da chave do veículo até encaixar.

NOTA
● Uma troca de bateria realizada de forma inade-
quada pode danificar a chave do veículo.
● Baterias inadequadas podem danificar a chave
do veículo. Substituir baterias descarregadas
somente por baterias novas com a mesma ten-
são, tamanho e especificação.
● Na instalação da bateria, observar a polaridade
181.5B1.CRF.66

correta. 

Abrir e fechar 57
As baterias contém substâncias tóxicas. Por ATENÇÃO
isto, é proibido o seu descarte / disposição
com o lixo doméstico. A legislação determina Uma utilização incorreta do travamento central
procedimentos específicos para o descarte / dis- pode causar ferimentos graves.
posição de baterias usadas. Para sua maior segu- ● O travamento central trava todas as portas.
rança e conforto, a Volkswagen recomenda fazer Um veículo travado por dentro pode impedir
a substituição da bateria somente em uma Con- uma abertura involuntária das portas e a in-
cessionária Volkswagen ou em uma empresa es- vasão de pessoas não autorizadas. Em caso
pecializada.  de emergência ou acidente, entretanto, por-
tas travadas dificultam o acesso de
socorristas ao interior do veículo para aten-
der as pessoas.
Sincronizar a chave do veículo com
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
comando remoto cessidades especiais sozinhas no veículo. O
acionamento do botão do travamento cen-
 Observe e no início desse capítulo na tral poderá travar as portas do veículo por
página 55. dentro, dificultando ou impedindo a saída.
Pessoas trancadas podem ficar expostas a
Quando o botão  é pressionado com frequência temperaturas muito altas ou muito baixas.
fora da área de alcance, possivelmente o veículo
● Conforme a estação do ano, podem ocorrer
não poderá mais ser destravado e travado com o
temperaturas muito altas ou muito baixas no
comando remoto. Nesse caso, a chave do veículo
interior de um veículo fechado, que podem
com comando remoto deverá ser sincronizada
causar ferimentos graves e enfermidades,
novamente.
principalmente em crianças pequenas, ou le-
A Volkswagen recomenda que a sincronização da var à morte.
chave do veículo com comando remoto seja feita ● Nunca deixar pessoas dentro de um veículo
em uma Concessionária Volkswagen. travado. Em caso de emergência, elas pode-
Podem ser utilizadas no máximo duas cha- riam não ter condições de deixar o veículo
ves com comando remoto. sozinhas ou de ajudarem a si mesmas. 

O sincronismo somente é possível se a cha-


ve com comando remoto estiver previa-
mente programada para o veículo.  Travamento mecânico
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 58.
Travamento central e sistema O travamento mecânico é válido para veículos
de travamento sem travamento elétrico. 

 Introdução ao tema

O travamento central somente funciona devida-


mente quando todas as portas e a tampa traseira
estiverem totalmente fechadas. Com a porta do
condutor aberta, o veículo não poderá ser trava-
do com a chave do veículo com comando remoto
ou pelo botão do travamento central.
Um veículo destravado e parado por um longo
período (por exemplo, na própria garagem) pode
causar o descarregamento da bateria do veículo,
impossibilitando a partida do motor.

58 Manual de instruções
Função Ação com a chave mecânica Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
→ Fig. 46 na fechadura de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
Destravar - Inserir a chave do veículo na fe-
gundos.
as portas. chadura da porta do condutor ou
na fechadura da porta do passagei-
ro dianteiro.
ATENÇÃO
- Girar a chave para a posição de A observância das luzes de advertência acesas e
destravamento. O pino-trava da das mensagens de texto é essencial para a se-
porta desloca-se para cima. gurança do condutor e dos passageiros, evitan-
Travar as - Inserir a chave do veículo na fe- do possíveis paradas do veículo, bem como
portas. chadura da porta do condutor ou eventuais acidentes.
na fechadura da porta do passagei- ● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
ro dianteiro. e as mensagens de texto.
- Girar a chave para a posição de ● Parar o veículo assim que possível em um lo-
travamento. O pino-trava da porta cal seguro a todos os passageiros do veículo
desloca-se para baixo. e aos demais condutores.
As portas também podem ser destravadas pelo ● Quando o veículo para ou precisa ser estacio-
interior do veículo. A porta será destravada e nado para reparos, estacionar sempre o veí-
aberta ao puxar uma vez a maçaneta. culo a uma distância segura da rua, ligar as
luzes de advertência, desligar o motor e ado-
É possível travar as portas pelo lado de fora, sem tar outras medidas de segurança, para alertar
a chave. Para isso, pressionar o pino-trava e fe- o trânsito.
char a porta. Esta forma de travamento não é vá-
lida para a porta do condutor, evitando que o veí-
NOTA
culo seja trancado com a chave no seu interior.
Observar sempre as luzes de controle acesas e as
Pelo lado de dentro, pode-se trancar as portas mensagens de texto para evitar danos no veículo. 
por meio do pino-trava, porém para veículos com
alarme, o alarme não será ativado.
Se a porta do condutor estiver aberta ou não es-
tiver completamente fechada (trinco no primeiro Descrição do travamento central
estágio), não será possível trancar o veículo.
 Observe no início desse capítulo na pági-
ATENÇÃO na 58.
Com as portas travadas, evita-se o acesso inde-
O travamento central (não disponível para algu-
sejado pelo lado de fora, por exemplo, na para-
mas versões) possibilita um destravamento e tra-
da em semáforo. Poderão dificultar, contudo, a
vamento centralizado de todas as portas e da
ação de socorro no caso de emergência.  tampa traseira:

– De fora com a chave mecânica na porta do


condutor, para veículos sem comando remoto
Luz de controle → Página 60.
– Emergencialmente com a chave com comando
 Observe no início desse capítulo na pági-
remoto na porta do condutor, quando o co-
na 58.
mando remoto não estiver funcionando
→ Página 62.
Piscando Causa possível
– Comando remoto → Página 60.
 O veículo está travado (por fora). – Por dentro com o botão do travamento central
→ Página 61. 
Disponível apenas em algumas versões que pos-
181.5B1.CRF.66

suem sistema de travamento central.

Abrir e fechar 59
A porta do passageiro dianteiro e as portas tra- Destravar ou travar o veículo por
seiras podem ser travadas manualmente no caso
de falha da chave do veículo com comando re- fora
moto ou do travamento central → Página 64,
Portas.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 58.
A porta do condutor e a tampa traseira podem
ser destravadas manualmente por meio do se-
gredo mecânico da chave, no caso de falha da
chave do veículo com comando remoto ou do
travamento central.

Travamento automático (Auto Lock)


O veículo é travado automaticamente a partir de
uma velocidade de aproximadamente 20 km/h,
caso o mesmo encontre-se previamente destra-
vado.

Travar o veículo após o acionamento do airbag


Em veículos com travamento central elétrico,
após o acionamento dos airbags em um acidente,
as portas podem ser destravadas → Página 21.

Dependendo da intensidade do dano, o veículo


pode ser travado após o acidente, conforme se-
gue:
Fig. 46 (A) Chave mecânica. (B) Chave mecânica do-
Função Ação brável.
Travar o veícu- – Desligar a ignição.
lo com o botão – Abrir uma porta do veículo.
do travamento – Pressionar o botão do trava-
central: mento central  na porta do
condutor.
Travar o veícu- – Desligar a ignição.
lo com a chave OU: retirar a chave do veículo
com comando do cilindro da ignição.
remoto: – Abrir uma porta do veículo.
– Travar o veículo com a chave
do veículo.
Fig. 47 Teclas na chave do veículo com comando re-
Se os botões da chave do veículo com co- moto. 
mando remoto (→ Página 55) ou um dos bo-
tões do travamento central → Fig. 48 forem acio-
nados repetidas vezes em um curto intervalo de
tempo, ocorre um desligamento temporário do
travamento central para proteção contra sobre-
carga. Nesse caso, o veículo permanecerá destra-
vado por aproximadamente 30 segundos. Se du-
rante esse tempo nenhuma porta do veículo ou a
tampa traseira for aberta, o veículo será travado
automaticamente.
Dependendo da versão do veículo, quando
se travar o veículo por fora a luz de controle
no painel de instrumentos  piscará para sinali-
zar que o veículo está travado. 

60 Manual de instruções
Função Ação com as Ação com a haste da Fechamento de emergência
teclas da chave com comando A porta do passageiro dianteiro e as portas tra-
chave com remoto na fechadura seiras podem ser travadas manualmente, no caso
comando re- → Fig. 47 ou com a de problemas no funcionamento do travamento
moto chave mecânica elétrico ou falha na chave do veículo com coman-
→ Fig. 47 → Fig. 46 do remoto. Para maiores informações, veja
Destravar Pressionar a Inserir a chave do → Página 65, Travar a porta do passageiro di-
o veículo. tecla  . veículo na fechadura anteiro e as portas traseiras manualmente.
Manter pres- da porta do condutor A porta do condutor pode ser acionada por meio
sionada para e girar no sentido an- do cilindro da fechadura da porta → Página 58.
abertura de ti-horário.
conforto. Abertura e fechamento de conforto
Travar o Pressionar a Inserir a chave do – Ver vidros elétricos – Funções → Página 68.
veículo. tecla  . veículo na fechadura
da porta do condutor Ao abrir a porta do condutor com a haste da
e girar no sentido ho- chave do veículo, verificar se a chave foi co-
rário. Manter girada locada corretamente até o final do cilindro. Caso
para fechamento de contrário, a chave pode girar livre, não destra-
conforto. vando a porta. 
Habilitar o Pressionar a Inserir a chave do
destrava- tecla  por veículo na fechadura
mento um segundo. da porta do condutor Destravar e travar o veículo por
manual da É habilitado o e girar no sentido an- dentro
tampa destrava- ti-horário. Para abrir
traseira. mento ma- a tampa traseira, veja  Observe no início desse capítulo na pági-
nual da tam- → Página 65. na 58.
pa traseira.
A chave com comando remoto somente destrava
ou trava o veículo se a bateria tiver energia sufi-
ciente e se a chave com comando remoto se en-
contrar a poucos metros ao redor do veículo.
– Ao travar o veículo, todos os indicadores de di-
reção piscam uma vez para confirmação. E é
emitido um sinal sonoro (buzina) para confir-
mação da ativação do alarme.
– Ao destravar o veículo, todos os indicadores de
direção piscam duas vezes para confirmação. E
são emitidos dois sinais sonoros (buzina) para Fig. 48 Na porta do condutor: botão do travamento
central.
confirmação da desativação do alarme.
Se os indicadores de direção não piscarem para Veículo com travamento central
confirmação do travamento, no mínimo uma das Pressionar o botão → Fig. 48:
portas ou a tampa traseira não está travada.
 Destravar o veículo A .
Com a porta do condutor aberta, não é possível  Travar o veículo B .
travar o veículo com a chave do veículo. Quando
o veículo é destravado pela chave com comando O botão do travamento central funciona tanto
remoto e nenhuma porta ou a tampa traseira é com a ignição ligada quanto desligada, somente
aberta, o veículo é travado automaticamente se todas as portas estiverem fechadas.
após aproximadamente 30 segundos. Esta fun- Se o veículo for travado externamente com a
181.5B1.CRF.66

ção impede um destravamento involuntário do chave com comando remoto, o botão do trava-
veículo por um longo período. mento central ficará desativado. 

Abrir e fechar 61
Quando o veículo é travado com o botão do tra- Quando o alarme é disparado?
vamento central, é válido o seguinte: O sistema de alarme antifurto emite sinais sono-
– O sistema de alarme antifurto não é ativado. ros por cerca de 30 segundos e sinais visuais de
advertência por até 5 minutos, caso sejam execu-
– A abertura das portas e da tampa traseira por
tadas as seguintes ações não autorizadas no veí-
fora não é possível, por exemplo, ao parar em
culo com alarme ativado:
um semáforo.
– As portas podem ser destravadas e abertas por – Destravamento mecânico do veículo com a
dentro, acionando a maçaneta da porta. Even- chave de emergência e abertura da porta des-
tualmente, pode ser necessário repetir o acio- travada.
namento da maçaneta da porta. – Abertura de uma porta.
– Se alguma porta do veículo estiver aberta, o – Abertura da tampa do compartimento do mo-
travamento central não é ativado. tor.
Se o veículo estiver sido travado pelo travamento – Abertura da tampa traseira.
automático → Página 60, quando o veículo para e – Ligação da ignição com uma chave de veículo
a chave é retirada da ignição, o veículo se destra- inválida.
va. – Abertura, quebra ou remoção de um dos vi-
dros.
Veículo sem travamento central
– Movimento no veículo (em veículos com moni-
Em veículos sem o travamento central, as portas
toramento do interior do veículo
são travadas ao pressionar o pino-trava
→ Página 63).
→ Página 58 .
Para destravar uma porta, puxar a maçaneta da Desligar alarme
respectiva porta ou levantar o pino-trava. Destravar o veículo pelo botão de destravamento
Quando o veículo é travado, é válido o seguinte: da chave com comando remoto ou ligar a ignição
com uma chave de veículo válida.
– A abertura das portas por fora não é possível,
por exemplo, ao parar em um semáforo. Destrancar mecanicamente todas as portas do
– As portas podem ser destravadas e abertas por veículo (abertura de emergência)
dentro, acionando a maçaneta da porta. Even- Se houver um problema no comando remoto e se
tualmente, pode ser necessário repetir o acio- for necessário destrancar o veículo com a chave,
namento da maçaneta da porta. proceda da seguinte maneira:
– Se alguma porta do veículo estiver aberta, o – Girar a chave no cilindro da porta do condutor
travamento central não é ativado.  para a posição de abrir. Todas as portas ficam
destravadas. (Válido para veículos com siste-
ma de travamento central e sem alarme).
Sistema de alarme antifurto – Abrir a porta do condutor e ligar a ignição em
até 15 segundos, pois nesta condição o alarme
 Observe no início desse capítulo na pági- é disparado. Ao se ligar a ignição, o imobiliza-
na 58. dor reconhece uma chave válida e o alarme é
desativado. Assim todas as portas, a tampa do
Com ajuda do sistema de alarme antifurto, são compartimento do motor e a tampa traseira
dificultadas as tentativas de arrombamento e o podem ser abertas.
furto do veículo. O alarme é disparado novamente se após o
O sistema de alarme antifurto é ativado automa- disparo do alarme ocorrer uma nova invasão
ticamente no travamento do veículo com a chave na mesma ou em outra área protegida. Por
com comando remoto ou com a chave mecânica. exemplo, se após a abertura de uma porta, a
tampa traseira também for aberta.
O sistema de alarme antifurto não é ativado
com o travamento por dentro com o botão
do travamento central  . 

62 Manual de instruções
Quando a porta do condutor é destravada Dependendo da versão do veículo, poderá ser
mecanicamente com a chave, apenas a por- equipado com a tecla de monitoramento do inte-
ta do condutor é destravada e não o veículo in- rior do veículo no console do teto ou ao lado do
teiro. Somente ao ligar a ignição que todas as banco do condutor, na coluna do veículo.
portas são liberadas – mas não destravadas – e o O monitoramento do interior do veículo dispara o
botão do travamento central é ativado (Válido alarme com o veículo travado, se reconhecer mo-
para veículos com sistema de travamento central vimentos no interior do veículo. O sensor e o re-
e com alarme). ceptor estão localizados no conjunto da lanterna
Com a bateria do veículo fraca ou descarre- de leitura → Fig. 49 (setas).
gada, o sistema de alarme antifurto não
funciona de maneira correta.  Ligar o monitoramento do interior do veículo
Travar o veículo com a chave com comando re-
moto ou com a chave mecânica. Com o sistema
de alarme antifurto ligado, também é ativado o
Monitoramento do interior do monitoramento do interior do veículo.
veículo
Desligar o monitoramento do interior do
 Observe no início desse capítulo na pági- veículo
na 58. – Retirar a chave do veículo da ignição.
– Abrir a porta do condutor.
– Pressionar a tecla → Fig. 49 A ou → Fig. 50 
por 2 segundos. No painel de instrumentos a
luz de controle  se acende.
– Fechar todas as portas e a tampa traseira.
– A luz de controle  permanecerá acesa por
cerca de 30 segundos, ou até que o alarme se-
ja ativado. Se o alarme for ativado dentro do
período de 30 segundos, a luz de controle pas-
sará a piscar imediatamente.
Por exemplo, desligar o monitoramento do inte-
rior do veículo quando forem mantidos animais
soltos no interior do veículo por um breve perío-
Fig. 49 No console do teto: sensores de monitora- do  → Página 58.
mento do interior do veículo e tecla A para desligar O monitoramento deve ser desativado novamen-
o monitoramento do interior do veículo. te a cada destravamento do veículo, pois, caso
contrário ele será ativado da próxima vez que o
veículo for travado.

Riscos de falha do alarme


Um funcionamento perfeito do monitoramento
do interior do veículo somente é assegurado com
o veículo totalmente fechado. Observar as deter-
minações legais. Uma falha do alarme pode ocor-
rer nos seguintes casos:
– Quando um ou mais vidros estiverem abertos,
total ou parcialmente, pois nesta condição o
alarme poderá disparar.
– Quando o teto solar estiver aberto, total ou
181.5B1.CRF.66

Fig. 50 Ao lado do banco do condutor: botão para parcialmente. 


desligar o monitoramento do interior do veículo.

Abrir e fechar 63
– Quando objetos como, por exemplo, folhas ATENÇÃO
soltas de papel ou enfeites de espelho (odori-
zadores) permanecerem no veículo. Um fechamento ou uma abertura de emergên-
cia sem a devida atenção pode causar ferimen-
– Por objetos metálicos nos porta-objetos do
tos graves.
console central, como, por exemplo, chaves ou
moedas. ● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidade especiais sozinhas no veículo. Em
– Por meio do alarme de vibração de um telefo-
caso de emergência, elas não estariam em
ne móvel que se encontra no veículo.  condições de deixar o veículo sozinhas ou de
cuidarem de si mesmas.
● Em um veículo fechado, conforme a estação
do ano, podem ocorrer temperaturas muito
Portas altas ou muito baixas que podem ocasionar
ferimentos graves e enfermidades, principal-
mente em crianças pequenas, ou ocasionar a
 Introdução ao tema morte.

As portas, a tampa traseira e o teto solar podem,


NOTA
por exemplo, ser travadas manualmente ou des- Ao executar um fechamento ou abertura de
travadas parcialmente em caso de uma falha da emergência, as peças devem ser removidas cui-
chave do veículo com comando remoto ou do dadosamente e reinstaladas corretamente para
travamento central. evitar danos ao veículo. 

ATENÇÃO
Uma porta fechada incorretamente pode se Destravar ou travar a porta do
abrir subitamente durante a condução e causar
ferimentos graves. condutor manualmente
● Parar imediatamente e fechar a porta.  Observe e no início desse capítulo na
● Ao fechar a porta, atentar para que ela se en- página 64.
caixe de forma segura e completa.
● Abrir ou fechar as portas somente quando
não houver nada ou ninguém em seu raio de
abertura.

ATENÇÃO
Uma porta mantida aberta pelo dispositivo de
retenção da porta pode se fechar em condições
de vento forte e em aclives, causando ferimen-
tos.
● Segurar as portas sempre pela maçaneta ao
abrir e fechar. Fig. 51 Maçaneta da porta do condutor com cilindro
da fechadura.

ATENÇÃO No travamento manual, geralmente todas as por-


A área de funcionamento das portas, da tampa tas são travadas. No destravamento manual, ape-
traseira e do teto solar é perigosa e pode causa nas a porta do condutor é destravada.
ferimentos.
– Se for o caso, rebater a haste da chave do veí-
● Abrir ou fechar as portas, a tampa traseira e culo para fora → Página 55.
o teto solar somente quando não houver nin-
– Introduzir a haste da chave no cilindro da fe-
guém em sua área funcional.
chadura e destravar ou travar o veículo
→ Fig. 51. 

64 Manual de instruções
Travar a porta do passageiro – Inserir a haste da chave na fenda → Fig. 52 e
girar no sentido horário (para fora do veículo)
dianteiro e as portas traseiras até o batente.
manualmente – Fixar novamente a vedação de borracha e fe-
char a porta completamente.
 Observe e no início desse capítulo na
página 64. – Verificar se a porta está travada.
– Se necessário, realizar o processo nas outras
portas.
– O veículo deve ser verificado imediatamente
por uma Concessionária Volkswagen ou por
uma empresa especializada.
As portas do veículo podem ser destravadas
e abertas por dentro, acionando a maçaneta
da porta. Eventualmente, pode ser necessário
puxar a maçaneta de abertura da porta duas ve-
zes → Página 62. 

Fig. 52 Na porta traseira: travamento de emergên-


Tampa traseira
cia, coberto por uma vedação de borracha.

 Introdução ao tema

ATENÇÃO
Um destravamento, abertura ou fechamento
incorreto e sem a devida atenção da tampa tra-
seira pode causar acidentes e ferimentos gra-
ves.
● Abrir ou fechar a tampa traseira somente se
não houver nada ou ninguém em seu raio de
abertura.
● Em hipótese alguma deve-se fechar a tampa
traseira com a mão no vidro traseiro. O vidro
Fig. 53 Travamento de emergência do veículo com a traseiro pode se estilhaçar e causar ferimen-
chave do veículo. tos.
● Após o fechamento da tampa traseira, verifi-
Para veículos com travamento elétrico, a porta
car se ela está fechada e travada de maneira
do passageiro dianteiro e as portas traseiras po-
correta, para que não possa se abrir durante
dem ser travadas manualmente. Com isso, o sis-
a condução. A tampa traseira fechada deve
tema de alarme antifurto não é ativado.
estar alinhada com as peças da carroceria.
– Abrir a porta. ● Manter sempre fechada a tampa traseira du-
– Remover a vedação de borracha na lateral da rante a condução, para que gases tóxicos não
porta. A vedação está identificada por um ca- possam penetrar no interior do veículo.
deado  → Fig. 52. ● Nunca abrir a tampa traseira quando houver
– Se for o caso, rebater a haste da chave para fo- carga, por exemplo, em um bagageiro. Da
181.5B1.CRF.66

ra → Página 55. mesma forma, a tampa traseira não poderá


ser aberta se houver carga afixada nela, por
exemplo, bicicletas. Uma tampa traseira 

Abrir e fechar 65
aberta pode se abaixar devido ao peso adici- ATENÇÃO
onal. Se necessário, apoiar a tampa traseira
A tampa traseira fechada incorretamente pode
ou remover previamente a carga.
se abrir subitamente durante a condução e cau-
● Fechar e travar a tampa traseira e todas as sar ferimentos graves.
portas quando o veículo não estiver em uso.
● Parar imediatamente em um local seguro e
Certificar-se que ninguém permaneceu den-
fechar a tampa traseira.
tro do veículo.
● Após o fechamento da tampa traseira, verifi-
● Nunca deixar crianças brincar sem supervisão
car se a trava engatou corretamente no fe-
dentro ou próximas do veículo, sobretudo
cho. 
quando a tampa traseira estiver aberta. Cri-
anças podem entrar no compartimento de
bagagem, fechar a tampa traseira e ficar pre-
sas. Conforme a estação do ano, podem Abrir a tampa traseira
ocorrer temperaturas muito altas ou muito
baixas no interior de um veículo fechado, que  Observe e no início desse capítulo na
podem causar ferimentos graves e enfermi- página 65.
dades, principalmente em crianças pequenas,
ou levar à morte.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidades especiais sozinhas no veículo. O
acionamento do botão do travamento cen-
tral poderá travar as portas do veículo por
dentro, dificultando ou impedindo a saída.
Pessoas trancadas podem ficar expostas a
temperaturas muito altas ou muito baixas.

NOTA
Antes de abrir a tampa traseira, verificar se existe Fig. 54 Na parte superior do console central: inter-
espaço suficiente para abrir e fechar a tampa, por ruptor de destravamento do suporte da roda de
exemplo, em garagens.  emergência para abertura da tampa traseira.

Luz de advertência
 Observe e no início desse capítulo na
página 65.

Acende Causa possível / Solução


Tampa traseira está aberta ou fechada
incorretamente.
  Não prosseguir!
Abrir a tampa traseira e fechar nova-
mente.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e Fig. 55 Abrir a tampa traseira por fora.
de controle se acendem rapidamente para a veri-
ficação da função. Elas se apagam após alguns Antes de abrir a tampa traseira, sempre retirar os
segundos. acessórios e/ou equipamentos fixados na tampa
traseira → . Observar a área de abertura e fe-
Se a tampa traseira está aberta ou fechada incor- chamento da tampa traseira para que esteja livre. 
retamente, a luz de advertência  se acende no
display do instrumento combinado.

66 Manual de instruções
Destravar a tampa traseira - veículos com ● Evite que o suporte da roda de emergência
travamento central seja mantido aberto, pois a vizualização da
– Se caso o veículo encontrar-se travado, apertar lanterna traseira fica prejudicada, dificultan-
o botão  na chave do veículo com comando do o reconhecimento do veículo pelos outros
remoto por aproximadamente um segundo pa- usuários da via pública. Utilize sempre o
ra habilitar o destravamento do suporte da ro- triângulo de emergência.
da de emergência.
● Com o suporte da roda de emergência
– Se caso o veículo encontrar-se destravado, não
destravado, acende-se uma luz indicadora
é necessário apertar o botão  na chave do
de alerta no painel central, mesmo com a igni-
veículo com comando remoto. O suporte da
ção desligada. A luz indicadora permanecerá
roda de emergência já estará habilitado para o
intermitente enquanto o suporte estiver des-
destravamento.
travado.
– Pressionar a região B e deslocar o suporte da
● Se a ignição for ligada com o suporte destrava-
roda de emergência até a posição lateral, na
do (luz indicadora de alerta intermitente), será
abertura máxima, sempre segurando pela regi-
emitido um aviso sonoro durante aproximada-
ão A .
mente 15 segundos.
– A tampa traseira será destravada e deslocada
● O aviso sonoro e luz indicadora de alerta tam-
para fora.
bém serão acionados se o suporte for destra-
– Puxar a tampa traseira na região inferior cen- vado com o veículo em movimento.
tral para abrí-la.
● Para evitar a descarga prematura da bateria,
Destravar a tampa traseira - interruptor no mantenha o suporte da roda de emergência e a
painel tampa traseira aberta somente enquanto for
necessário acessar o compartimento de baga-
– Pressionar o interruptor no painel de instru- gem ou a roda de emergência. Caso contrário,
mentos para habilitar o destravamento do su- a luz indicadora no interruptor e a iluminação
porte da roda de emergência. do compartimento de bagagem permanecerão
– Pressionar a região B e deslocar o suporte da acesas por um longo período e a bateria pode-
roda de emergência até a posição lateral, na rá ser descarregada. 
abertura máxima, sempre segurando pela regi-
ão A .
– A tampa traseira será destravada e deslocada
para fora.
Fechar a tampa traseira
– Puxar a tampa traseira na região inferior cen-  Observe e no início desse capítulo na
tral para abrí-la. página 65.
Com o alarme ativado, o interruptor no painel
permanece desativado para evitar uma abertura
indesejada do suporte da roda de emergência.

ATENÇÃO
O destravamento ou abertura incorreta ou sem
a devida atenção da tampa traseira pode causar
ferimentos graves.
● Com um bagageiro montado sobre a tampa
traseira mais a carga, uma tampa traseira
destravada nem sempre será reconhecida.
Uma tampa traseira destravada pode se abrir Fig. 56 Tampa traseira aberta: rebaixo para puxar. 
repentinamente durante a condução.
● Certifique-se de que o suporte esteja devida-
181.5B1.CRF.66

mente posicionado na posição lateral, duran-


te o tempo que a tampa estiver aberta.

Abrir e fechar 67
Fechar a tampa traseira Destravar a tampa traseira
– Segurar no rebaixo do revestimento interno da
emergencialmente
tampa traseira → Fig. 56 (seta).
– Puxar a tampa traseira para baixo, até encaixar  Observe e no início desse capítulo na
na fechadura. Atentar para que a mão seja dis- página 65.
tanciada do raio de abertura da tampa traseira
→ .
– Verificar se a tampa traseira se fechou correta-
mente.

Rebater o suporte da roda de emergência para


posição de condução
Empurrar o suporte da roda de emergência em
direção à tampa traseira sempre segurando-o pe-
la região → Fig. 55 A .

ATENÇÃO
O fechamento incorreto ou sem a devida aten-
ção da tampa traseira podem causar ferimentos
graves. Fig. 57 Do lado de dentro do compartimento de ba-
● Nunca deixar o veículo sem supervisão ou gagem: destravamento de emergência da tampa tra-
crianças brincarem dentro ou próximas do seira.
veículo, sobretudo quando a tampa traseira
estiver aberta. Crianças podem entrar no – Rebater o encosto do banco traseiro para fren-
compartimento de bagagem, fechar a tampa te.
traseira e ficarem presas. Um veículo fecha- – Remover os volumes de bagagem para alcan-
do pode aquecer ou resfriar extremamente çar a tampa traseira por dentro.
conforme a estação do ano e causar ferimen- – Rebater a haste da chave do veículo para fora
tos graves, enfermidades ou até levar à mor- → Página 55.
te.
– Inserir a haste da chave na abertura da tampa
● Ao fechar a tampa traseira, atentar para que traseira → Fig. 57 e pressionar a alavanca de
a mão seja distanciada a tempo do raio de destravamento no sentido da seta, para des-
abertura da tampa traseira. travar a tampa traseira. 
● Após fechar o suporte da roda de emergên-
cia, certifique-se que o travamento foi com-
pletamente realizado. Para isto segurar e pu-
xar o suporte pela região A . Caso o suporte
se deslocar para a posição lateral de abertu-
Vidros
ra, o travamento não foi realizado completa-
mente. Repetir o rebatimento do suporte da
roda de emergência para a posição de con-
 Introdução ao tema
dução. Nunca trafegar com o suporte aberto
ou destravado.
ATENÇÃO
Antes de fechar a tampa traseira, verificar Uma utilização sem a devida atenção dos vidros
se a chave do veículo não se encontra no elétricos pode causar ferimentos graves.
compartimento de bagagem.  ● Abrir ou fechar os vidros por acionamento
elétrico somente quando não houver nada ou
ninguém em sua área de funcionamento. 

68 Manual de instruções
● Ninguém deve permanecer no interior do Teclas na porta do condutor e no console
veículo quando as portas forem travadas, es- central
pecialmente crianças e pessoas com necessi-
Legenda para → Fig. 58:
dades especiais.
1 Tecla de segurança.
● Levar sempre todas as chaves do veículo
consigo ao deixar o veículo. Após se desligar 2 Tecla para o vidro da porta dianteira esquer-
a ignição, os vidros ainda podem ser abertos da.
ou fechados pelas teclas das portas por um 3 Tecla para o vidro da porta dianteira direita.
breve período, enquanto a porta do condutor 4 Tecla para o vidro da porta traseira esquerda.
ou do passageiro dianteiro não for aberta.
5 Tecla para o vidro da porta traseira direita.
● Ao transportar crianças no banco traseiro,
desativar sempre os vidros elétricos traseiros Tecla na porta do passageiro dianteiro e nas
com a tecla de segurança, para que não pos- portas traseiras
sam ser abertos ou fechados.
A tecla na porta do passageiro dianteiro e nas
portas traseira, é igual e tem o mesmo funciona-
NOTA mento que a tecla na porta do condutor, sendo
Com os vidros abertos, a chuva pode molhar o apenas uma tecla no revestimento de cada porta.
acabamento interno do veículo e ocasionar danos
no veículo.  Abrir ou fechar os vidros
Ação com as teclas na porta do
Função condutor e nas demais portas
do veículo
Abrir ou fechar os vidros
Abrir: Pressionar a tecla  .
manualmente
Fechar: Puxar tecla  .
 Observe e no início desse capítulo na Parar o curso Pressionar ou puxar novamente
página 68. automático: a tecla do respectivo vidro (váli-
do somente para os vidros dian-
Em veículos sem acionamento elétrico dos vi- teiros).
dros, para abrir ou fechar os vidros acionar a ma- A tecla de segurança → Fig. 58
nivela localizada no revestimento interno das 1 desativa as teclas dos vidros
portas.   elétricos nas portas traseiras.
Com isso, a luz de controle
amarela na tecla se acende.
Abrir ou fechar os vidros Após se desligar a ignição, os vidros ainda podem
eletricamente ser abertos ou fechados pelas teclas nas portas
por um breve período, enquanto a porta do con-
 Observe e no início desse capítulo na dutor ou do passageiro dianteiro não for aberta. 
página 68.

Vidros elétricos – Funções


 Observe e no início desse capítulo na
página 68.

Função de fechamento e abertura automática


A função de fechamento e abertura automática
permite uma abertura e fechamento completos
181.5B1.CRF.66

dos vidros. Com isso, não é necessário segurar a


tecla correspondente do vidro elétrico. 
Fig. 58 Na porta do condutor: teclas dos vidros elé-
tricos dianteiros.

Abrir e fechar 69
Para a função de fechamento automático: puxar Função Ação com as te- Ação com a
a tecla do respectivo vidro até o segundo estágio clas da chave do haste da chave
para cima. veículo com co- com comando
Para a função de abertura automática: pressio- mando remoto remoto na fe-
nar a tecla do respectivo vidro brevemente até o chadura ou
segundo estágio para baixo. com a chave
do veículo me-
Parar o curso automático: pressionar ou puxar cânica
novamente a tecla do respectivo vidro.
Abertura de Manter pressio- Inserir a chave
Restabelecer a função de fechamento e conforto nada a tecla de do veículo na
abertura automática destravamento fechadura da
 da chave com porta do con-
Se a bateria do veículo tiver sido desconectada
comando remo- dutor e man-
ou descarregada com o vidro não fechado por
to. Todos os vi- ter girada no
completo ou, ainda, após alguns acionamentos
dros elétricos sentido anti-
da função limitador de força, a função de fecha-
são abertos. -horário. To-
mento e abertura automática torna-se desativa-
dos os vidros
da e deve ser restabelecida:
elétricos são
– Fechar todos os vidros e o teto solar. abertos.
– Puxar a tecla do respectivo vidro para cima e Fechamento Pressionada a Inserir a chave
manter nessa posição por pelo menos um se- de conforto tecla de trava- do veículo na
gundo. mento  da fechadura da
– Soltar a tecla e puxar novamente para cima e chave com co- porta do con-
segurar. A função de fechamento e abertura mando remoto. dutor e man-
automática está funcionando novamente. Todos os vidros ter girada no
elétricos e o te- sentido horá-
Para as outras teclas com essa função desativa- to solar são fe- rio. Todos os
da, repetir essa operação. chados automa- vidros elétri-
ticamente. cos e o teto
solar são fe-
Abertura e fechamento de conforto chados.
Dependendo da versão do veículo, os vidros po- Parar abertura Soltar a tecla Soltar a chave
dem ser abertos e fechados por fora com a chave de conforto para interrom- para interrom-
do veículo: per a função. per a função.
Parar fecha- Soltar a tecla Soltar a chave
mento de para interrom- para interrom-
conforto per a função. per a função.

Fechamento automático
Os vidros podem ser fechados automaticamente
por fora com a chave do veículo:

Função Ação com as te- Ação com a


clas da chave do haste da chave
veículo com co- com comando
mando remoto remoto na fe-
chadura ou
com a chave
do veículo me-
cânica.
Fechamento Pressionar a te- Inserir a chave
automático cla de trava- do veículo na
mento  da fechadura da 

70 Manual de instruções
Função Ação com as te- Ação com a ou fechados pelas teclas nas portas por um
clas da chave do haste da chave breve período, enquanto a porta do condutor
veículo com co- com comando ou do passageiro dianteiro não for aberta.
mando remoto remoto na fe- ● Ao transportar crianças no banco traseiro,
chadura ou desativar sempre os vidros elétricos traseiros
com a chave com a tecla de segurança, para que não pos-
do veículo me- sam ser abertos ou fechados.
cânica.
chave com co- porta do con- Em uma falha de funcionamento dos vidros
mando remoto. dutor e girar elétricos, a função de fechamento e abertu-
Todos os vidros no sentido ho- ra automática, bem como o limitador de força,
elétricos são fe- rário. Todos os não funcionam corretamente. Dirigir-se a uma
chados automa- vidros elétri- Concessionária Volkswagen ou a uma empresa
ticamente. cos são fecha- especializada. 
dos automati-
camente.
Parar o fecha- Pressionar a te- Girar a chave Limitador de força dos
mento auto- cla de destrava- no sentido an-
mático mento  da ti-horário para
levantadores dos vidros
chave com co- interromper a
mando remoto, função.
 Observe e no início desse capítulo na
página 68.
para interrom-
per a função.
O limitador de força dos vidros elétricos pode re-
Restabelecer a função de fechamento duzir o perigo de ferimentos por esmagamento
automático por fora no fechamento dos vidros → . Se a função de
fechamento automático (processo de fechamen-
Se a bateria do veículo tiver sido desconectada
to) de um vidro for afetada por dificuldade de
ou descarregada com o vidro não fechado por
movimentação ou por um obstáculo, o vidro será
completo ou, ainda, após alguns acionamentos
aberto imediatamente.
da função limitador de força, a função de fecha-
mento automático com a chave do veículo ou – Verificar por que o vidro não fechou.
com comando remoto por fora do veículo, torna- – Tentar fechar o vidro novamente.
-se desativada e deve ser restabelecida:
– Após alguns acionamentos seguidos do limita-
– Fechar todos os vidros. dor de força, a função de fechamento automá-
– Puxar a tecla de cada vidro para cima e manter tico dos vidros poderá ficar fora de funciona-
nessa posição por pelo menos um segundo. mento.
– Para reestabelecer a função de fechamento
ATENÇÃO automático dos vidros, siga o procedimento
Uma utilização desatenta ou sem supervisão → Página 71, Restabelecer a função de fecha-
dos vidros elétricos pode causar ferimentos mento automático por fora.
graves. – Se continuar não sendo possível fechar o vidro,
● Abrir ou fechar os vidros elétricos somente procurar uma Concessionária Volkswagen ou
quando não houver ninguém em sua área de uma empresa especializada.
funcionamento.
ATENÇÃO
● Ninguém deve permanecer no interior do
veículo quando as portas forem travadas, es- O fechamento dos vidros elétricos sem limita-
pecialmente crianças e pessoas com necessi- dor de força pode causar ferimentos graves.
dades especiais. ● Fechar sempre os vidros elétricos com aten-
● Levar sempre todas as chaves do veículo ção. 
181.5B1.CRF.66

consigo ao deixar o veículo. Após se desligar


a ignição, os vidros ainda podem ser abertos

Abrir e fechar 71
● Ninguém deve permanecer na área de fun- Em caso de falha de funcionamento do teto
cionamento dos vidros elétricos, principal- solar o limitador de força não funciona cor-
mente se o fechamento for realizado sem li- retamente. Procurar uma Concessionária
mitador de força. Volkswagen ou uma empresa especializada. 
● O limitador de força não evita que os dedos e
outras partes do corpo sejam pressionados
contra o quadro do vidro e, assim, sofram fe- Abrir ou fechar o teto solar
rimentos.
 Observe e no início desse capítulo na
O limitador de força também ocorre no fe-
página 72.
chamento de conforto dos vidros com a
chave do veículo com comando remoto ou com a
chave mecânica → Página 70, Abertura e fecha-
mento de conforto. 

Teto solar

 Introdução ao tema

ATENÇÃO
Uma utilização desatenta ou sem supervisão do Fig. 59 No revestimento do teto: interruptor rotati-
teto solar pode causar ferimentos graves. vo do teto solar.
● Abrir ou fechar o teto solar somente se não
houver ninguém na sua área de funciona- Girar o interruptor rotativo → Fig. 59 para a posi-
mento. ção desejada para regular as seguintes posições
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao do teto solar:
deixar o veículo. A Fechado.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- B Na posição de conforto.
cessidades especiais no veículo, principal-
C Totalmente aberto.
mente se elas tiverem acesso à chave do veí-
culo. O uso sem supervisão da chave do veí- D Levantado.
culo pode travar o veículo, ligar o motor, li-
O teto solar funciona somente com ignição liga-
gar a ignição e acionar o teto solar.
da. Após o desligamento da ignição, o teto solar
● Após o desligamento da ignição, o teto solar ainda pode ser aberto ou fechado durante algum
ainda pode ser aberto ou fechado durante al- tempo, enquanto a porta do condutor ou do pas-
guns minutos, enquanto a porta do condutor sageiro dianteiro não for aberta.
ou do passageiro não for aberta.
Revestimento corrediço
NOTA O revestimento corrediço abre-se com o teto so-
● Fechar sempre o teto solar antes de deixar o lar e, com o teto fechado, pode ser deslocada
veículo, bem como em caso de chuva. Se o te- manualmente. 
to solar estiver aberto, a chuva entrará no inte-
rior e poderá danificar o sistema elétrico. Po-
dem ocorrer outros danos no veículo.

Folhas e outros objetos soltos deverão ser


retirados do trilho do teto solar manual-
mente ou com um aspirador.

72 Manual de instruções
Teto solar – Função Fechar o teto solar sem limitador de força
– Girar o interruptor rotativo para a posição
 Observe e no início desse capítulo na → Fig. 59 A e puxar para baixo na área poste-
página 72. rior, até que o teto solar esteja completamente
fechado.
Fechamento de conforto – Agora o teto solar se fecha sem limitador de
O teto solar pode ser fechado por fora com a força!
chave do veículo: – Se continuar não sendo possível fechar o teto
– Manter o botão de travamento da chave do solar, procurar uma Concessionária
veículo pressionado. O teto solar é fechado. Volkswagen ou uma empresa especializada.
– Soltar o botão de travamento para interromper ATENÇÃO
a função.
O fechamento do teto solar sem limitador de
Com o fechamento de conforto são fechados os força pode causar ferimentos graves.
vidros e o teto solar.
● Fechar o teto solar sempre com atenção.
Por meio do menu Configurações - Conforto - Com. vi- ● Ninguém deve permanecer na área de fun-
dros podem ser efetuadas diversas configurações cionamento do teto solar, principalmente se
para comando dos vidros e do teto solar. o fechamento for realizado sem o limitador
Com o fechamento de conforto por fora, o de força.
interruptor rotativo do teto solar permane- ● O limitador de força não evita que os dedos e
ce na posição selecionada por último e precisa outras partes do corpo sejam pressionados
ser reposicionado novamente antes do início da contra o quadro do teto e, assim, sofram fe-
viagem.  rimentos.

O limitador de força também funciona no


fechamento de conforto dos vidros e do te-
Limitador de força do teto solar to solar com a chave do veículo. 

 Observe e no início desse capítulo na


página 72.
Fechar o teto solar
O limitador de força pode minimizar o perigo de emergencialmente
ferimentos por esmagamento ao fechar o teto
solar → . Se o teto solar sofrer interferências no  Observe e no início desse capítulo na
fechamento por dificuldade de movimentação ou página 72.
por um obstáculo, o teto solar será aberto ime-
diatamente.
– Verificar por que o teto solar não se fechou.
– Tentar fechar o teto solar novamente.
– Se o teto solar continuar não sendo fechado
por dificuldade de movimentação ou por um
obstáculo, o teto solar parará no local corres-
pondente. Então, fechar o teto solar sem limi-
tador de força.
181.5B1.CRF.66

Fig. 60 No revestimento do teto: remover a cober-


tura. 

Abrir e fechar 73
Volante

Ajustar a posição do volante

Fig. 61 Parafuso sextavado para fechamento do te-


to solar.

– Remover a cobertura no sentido da seta


→ Fig. 60.
– Encaixar uma chave sextavada comum1) de ta-
Fig. 62 Ajustar a posição do volante mecanicamen-
manho de 4 mm no parafuso sextavado te.
→ Fig. 61.
– Girar a chave sextavada interna no sentido an-
ti-horário, para fechar o teto solar.
– Montar a cobertura novamente.
– O teto solar deve ser verificado por uma Con-
cessionária Volkswagen ou uma empresa es-
pecializada pois, com o fechamento de emer-
gência, tanto a função como o limitador de
força do teto solar podem estar avariados.
A chave sextavada não está inclusa nas fer-
ramentas de bordo do veículo. 

Fig. 63 No volante: posição 9 e 3 horas

Ajustar o volante somente antes da condução e


com o veículo parado.
– Empurrar a alavanca → Fig. 62 1 para baixo e
colocar o volante na posição desejada.
– Ajustar o volante de modo que o condutor
possa segurá-lo pela borda externa com as du-
as mãos e os braços ligeiramente dobrados
(posição das 9h e 3h).
– Pressionar a alavanca firmemente para cima
até que ela esteja alinhada com a coluna de di-
reção → . 

1) Não incluído na abrangência de fornecimento da ferramenta de bordo.

74 Manual de instruções
Ajustar a distância correta entre o condutor e o
volante → Página 9 com ajuda do comando do
Bancos e apoios para
banco do condutor → Página 76. cabeça
ATENÇÃO Banco dianteiro
O uso incorreto do ajuste da posição do volante
e um ajuste incorreto do volante podem causar
ferimentos graves ou fatais.  Introdução ao tema
● Pressionar a alavanca 1 sempre com firme-
za para cima após o ajuste, para que o volan-
te não mude sua posição durante a condu- ATENÇÃO
ção. Antes de qualquer condução, ajustar sempre
● Nunca ajustar o volante durante a condução. corretamente o banco, o cinto de segurança e
Se for constatado que um ajuste é necessário os apoios para cabeça, certificando-se de que
durante a condução, parar de forma segura e todos os passageiros estejam com os cintos co-
ajustar o volante corretamente. locados corretamente.
● O volante ajustado deve apontar sempre na ● Empurrar o banco do passageiro dianteiro
direção do tórax e não na direção do rosto, para trás tanto quanto possível.
para não restringir a proteção do airbag fron- ● Ajustar o banco do condutor de modo que
tal do condutor em caso de um acidente. haja no mínimo 25 cm de espaço entre o tó-
● Segurar sempre o volante com ambas as rax e o centro do volante. Ajustar o banco do
mãos lateralmente na borda externa (posição condutor longitudinalmente de modo que os
das 9h e 3h) durante a condução, para redu- pedais possam ser acionados totalmente
zir ferimentos causados por um acionamento com as pernas levemente dobradas e a dis-
do airbag frontal do condutor. tância da área do joelho para o painel de ins-
trumentos seja de pelo menos 10 cm. Quan-
● Nunca segurar o volante na posição das 12h
do esta exigência não puder ser atendida em
ou de outra maneira, por exemplo, no centro
razão de particularidades físicas, entrar em
do volante. No acionamento do airbag fron-
contato obrigatoriamente com uma Conces-
tal do condutor podem ocorrer ferimentos
sionária Volkswagen para, se for o caso, efe-
graves nos braços, nas mãos e na cabeça.  tuar instalações especiais.
● Nunca conduzir com o encosto do banco
muito inclinado para trás. Quanto mais o en-
costo do banco estiver inclinado para trás,
maior será o risco de ferimentos por uma
disposição incorreta do cadarço do cinto de
segurança e uma posição incorreta.
● Nunca conduzir com o encosto do banco in-
clinado para frente. Um airbag frontal acio-
nado pode lançar o encosto do banco para
trás e ferir os passageiros dos bancos trasei-
ros.
● Adotar e manter a maior distância possível
do volante e do painel de instrumentos.
● Sentar sempre de forma ereta com as costas
contra o encosto do banco nos bancos dian-
teiros corretamente ajustados. Não posicio-
nar nenhuma parte do corpo diretamente ou
muito próxima do local de instalação do air-
181.5B1.CRF.66

bag. 

Bancos e apoios para cabeça 75


● Para os passageiros nos bancos traseiros, au- → Fig. 64 Função / Ação
menta-se o risco de ferimentos graves quan- Porta-objetos.
do eles não estiverem sentados de forma Puxar a gaveta pelo puxador e des-
ereta, pois os cintos de segurança não esta- 1
loca-la para frente para ter acesso
riam posicionados corretamente. ao porta objetos.
Deslocar o banco dianteiro para
ATENÇÃO frente ou para trás.
Um ajuste incorreto dos bancos pode causar 2 Puxar a alavanca e deslocar o banco
acidentes e ferimentos graves. dianteiro. O banco dianteiro deve
● Ajustar os bancos somente com o veículo pa- travar após se soltar a alavanca!
rado, pois, do contrário, eles podem se des- Ajustar o encosto do banco.
3
locar inesperadamente durante a condução, Girar o manípulo.
podendo provocar a perda de controle do Ajustar a altura do banco (somente o
veículo. Além disso, é adotada uma postura banco do condutor).
incorreta durante o ajuste. Se necessário, mover a alavanca pa-
4
● Ajustar a altura, a inclinação e a direção lon- ra cima e mover o corpo para frente
gitudinal dos bancos dianteiros somente (para levantar o encosto) ou para
quando não houver ninguém na área de ajus- trás (para baixar o encosto). 
te dos bancos.
● A área de ajuste dos bancos dianteiros não
deve ser restringida por objetos. 
Banco traseiro
Comandos do banco dianteiro
Rebater o encosto do banco
 Observe no início desse capítulo na pági- traseiro para frente ou para trás
na 75.

Fig. 64 Comandos do banco dianteiro esquerdo.

Os comandos estão dispostos em posição inverti-


da no banco dianteiro direito (exceto o ajuste de Fig. 65 Banco traseiro: pinos de destravamento 1 ;
altura e o porta-objetos). posicionador para os cadarços dos cintos A ; alça
para destravamento do conjunto do assoalho B . 

76 Manual de instruções
Rebater o banco traseiro para trás
– Soltar o gancho da cinta elástica vermelha da
haste do apoio para cabeça → Fig. 66 e, encai-
xar debaixo do banco traseiro.
– Segurar o banco traseiro pela alça → Fig. 65 B
e, soltar de uma altura de 15 cm.
– Certificar se o assento está devidamente tra-
vado no assoalho, puxando-o por uma das du-
as extremidades.
– Rebater o encosto do banco traseiro para trás
à posição original e pressionar com firmeza a
trava até que ela se encaixe de maneira segura
→ .
Fig. 66 Cinta elástica vermelha para fixação na has-
te do apoio para cabeça.
– Retirar os cadarços do cinto de segurança do
posicionadores → Fig. 65 A . Para veículos
O encosto do banco traseiro pode ser rebatido com cintos de três pontos fixos, recolocar as
para frente para aumentar o volume do compar- linguetas nos respectivos fechos.
timento de bagagem. – O encosto do banco traseiro deve estar trava-
do de maneira segura.
Rebater o banco traseiro para frente
– Se for o caso, instalar novamente e ajustar o
– Se for o caso, remover a cobertura do compar- apoio para cabeça → Página 78.
timento de bagagem → Página 150.
– Se for o caso, recolocar a cobertura do com-
– Deslocar os bancos dianteiros totalmente para partimento de bagagem.
frente, para permitir espaço para o rebatimen-
to. ATENÇÃO
– Empurrar o apoio para cabeça completamente Rebater o encosto do banco traseiro para fren-
para baixo, se necessário, remover te ou para trás de maneira descontrolada ou
→ Página 78 e guardar com segurança. desatenta pode causar ferimentos graves.
– Soltar as linguetas dos cintos de segurança, ● Ao rebater o encosto do banco traseiro para
pressionando a tecla vermelha no fecho frente, sempre atentar para que não haja
→ Página 10. pessoas ou animais na área do encosto do
– Posicionar os cadarços dos cintos de segurança banco traseiro.
nos seus respectivos posicionadores → Fig. 65 ● Nunca rebater o encosto do banco traseiro
A. para frente ou para trás durante a condução.
– Levantar o pino → Fig. 65 1 de destravamen- ● Atentar para que o cinto de segurança não
to em ambos os lados para cima e, ao mesmo seja preso ou danificado ao rebater o encosto
tempo, rebater o encosto do banco traseiro do banco traseiro para trás.
para frente.
● Manter as mãos, os dedos, os pés e as de-
– Puxar a alça → Fig. 65 B para destravar o con- mais partes do corpo sempre distantes ao re-
junto do assoalho e, ao mesmo tempo, levan- bater o encosto do banco traseiro para frente
te-o cuidadosamente na direção dos bancos e para trás.
dianteiros.
● O encosto do banco traseiro deve estar en-
– Localizar a cinta elástica vermelha alojada na caixado de maneira segura na posição verti-
parte inferior do assento do banco e, encaixar cal para garantir a proteção dos cintos de se-
o gancho dessa cinta na haste do apoio para gurança no banco traseiro. Isto se aplica so-
cabeça do banco do passageiro → Fig. 66, imo- bretudo ao lugar central do banco traseiro.
bilizando o conjunto. Quando um assento estiver ocupado e o res-
– Se o banco traseiro estiver rebatido para fren- pectivo encosto do banco não estiver encai-
181.5B1.CRF.66

te, pessoas ou crianças não poderão ser trans- xado com segurança, o ocupante será em-
portadas nesses assentos. purrado para frente com o encosto do banco 

Bancos e apoios para cabeça 77


traseiro em caso de manobras de direção e ço em caso de acidente. Ao mesmo tempo, a
de frenagem súbitas, bem como em aciden- borda superior do apoio para cabeça deve se
tes. encontrar preferencialmente na mesma linha
● Destrave e rebata o encosto do banco sem- da parte superior da cabeça – porém não
pre antes de destravar o assento. abaixo da altura dos olhos. Posicionar a parte
posterior da cabeça o mais perto possível do
● Antes de colocar objetos no compartimento
apoio para cabeça.
de bagagem ou de colocar o veículo em mo-
vimento, certificar sempre de que o conjunto ● Nunca ajustar o apoio para cabeça durante a
rebatido esteja bem fixado (sem folga) ao condução.
banco dianteiro pela cinta elástica vermelha.
Se for o caso, deslocar o banco dianteiro para NOTA
obter esta condição. Na remoção e instalação dos apoios para cabeça,
● Nunca utilize as alças para fixar objetos. O atentar para que eles não batam no revestimento
conjunto do banco poderá ser destravado in- do teto ou no encosto do banco dianteiro. Caso
devidamente. contrário, o revestimento do teto e outras peças
● O retorno do conjunto do banco deve ser fei- do veículo podem ser danificados. 
to exclusivamente pelo interior do veículo.
● Se o encosto do banco traseiro estiver reba-
tido para frente ou não estiver encaixado de Ajustar o apoio para cabeça
maneira segura, pessoas ou crianças não de-
verão ser transportadas nesses assentos.  Observe e no início desse capítulo na
página 78.
NOTA
Antes de rebater o encosto do banco traseiro pa-
ra frente, ajustar os bancos dianteiros de modo
que o apoio para cabeça ou o estofamento do
encosto do banco traseiro não encoste nos ban-
cos dianteiros. Se necessário, remover o apoio
para cabeça → Página 78, Apoios para cabeça e
guardar com segurança. 

Apoios para cabeça

 Introdução ao tema Fig. 67 Ajustar o apoio para cabeça dianteiro.

ATENÇÃO
A condução com os apoios para cabeça removi-
dos ou ajustados incorretamente aumenta o
risco de ferimentos graves ou fatais em caso de
acidentes e manobras de direção e de frena-
gem súbitas.
● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
corretamente instalados e ajustados, se hou-
ver uma pessoa no assento.
● Cada ocupante deve ajustar o apoio para ca-
beça corretamente conforme sua estatura,
para reduzir o risco de ferimentos no pesco- Fig. 68 Ajustar o apoio para cabeça traseiro. 

78 Manual de instruções
Todos os assentos são equipados com apoio para Desinstalar e instalar o apoio para
cabeça, não disponível em algumas versões o
apoio para cabeça traseiro central. O apoio para cabeça
cabeça traseiro central destina-se somente ao
assento central do banco traseiro. Por isso, não  Observe e no início desse capítulo na
instalar o apoio para cabeça em outras posições. página 78.

Ajustar a altura do apoio para cabeça


dianteiro
– Empurrar o apoio para cabeça para cima ou
para baixo na direção da seta → Fig. 67 A
→ em Introdução ao tema na página 78.
– O apoio para cabeça deve travar-se com segu-
rança em uma posição.

Ajustar a altura do apoio para cabeça traseiro


– Empurrar o apoio para cabeça para cima na di-
reção da seta → Fig. 68 A ou com a tecla
→ Fig. 68 B pressionada, empurrar para baixo
→ em Introdução ao tema na página 78.
– O apoio para cabeça deve travar-se com segu- Fig. 69 Desinstalar o apoio para cabeça dianteiro.
rança em uma posição.

Ajuste correto do apoio para cabeça


Ajustar o apoio para cabeça de modo que a sua
borda superior se encontre preferencialmente na
mesma linha da parte superior da cabeça – po-
rém não abaixo da altura dos olhos.

Ajuste do apoio para cabeça para pessoas


baixas
Empurrar o apoio para cabeça para baixo até o
batente, mesmo se a cabeça se encontrar abaixo
da borda superior do apoio para cabeça. Nas po-
sições mais baixas pode haver uma pequena la-
cuna entre o apoio para cabeça e o encosto do Fig. 70 Desinstalar o apoio para cabeça traseiro.
banco.
Todos os assentos são equipados com apoio para
Ajuste do apoio para a cabeça para pessoas cabeça, não disponível em algumas versões o
altas apoio para cabeça traseiro central. O apoio para
Empurrar o apoio para cabeça para cima até o cabeça traseiro central destina-se somente ao
batente.  assento central do banco traseiro. Por isso, não
instalar o apoio para cabeça em outras posições.

Remover o apoio para cabeça dianteiro


– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → .
– Pressionar a tecla → Fig. 69 B no sentido da
seta. Retirar o apoio para cabeça com a tecla
pressionada. 
181.5B1.CRF.66

Bancos e apoios para cabeça 79


Instalar o apoio para cabeça dianteiro
– Posicionar o apoio para cabeça corretamente
Iluminação
por meio de suas guias e encaixar nas guias do Comandos
respectivo encosto do banco.
– Empurrar o apoio para a cabeça totalmente
para baixo com o botão → Fig. 69 B pressio-  Introdução ao tema
nado.
– Ajustar os apoios para cabeça de acordo com a
Observar as determinações legais específicas de
postura correta no banco → Página 78.
cada país para a utilização da iluminação do veí-
Remover o apoio para cabeça traseiro culo.
– Destravar o encosto do banco traseiro e dobrar O condutor é sempre o responsável pela correta
para frente → Página 76. regulagem do farol e da luz de condução.
– Empurrar o apoio para cabeça totalmente para
cima → . ATENÇÃO
– Pressionar a tecla → Fig. 70 B no sentido da Podem ocorrer acidentes e ferimentos graves
seta. Retirar o apoio para cabeça com a tecla se a rua não estiver suficientemente iluminada
pressionada. e o veículo for visto somente com dificuldade
ou não for visto por outros condutores.
– Rebater cuidadosamente o encosto do banco
traseiro para trás e encaixá-lo com segurança. ● Ligar o farol baixo sempre na escuridão, ne-
blina ou com má visibilidade.
Instalar o apoio para cabeça traseiro
– Destravar o encosto do banco traseiro e dobrar ATENÇÃO
para frente → Página 76. Um farol com regulagem muito alta e a utiliza-
– Posicionar o apoio para cabeça corretamente ção inadequada do farol alto / longo alcance
por meio de suas guias e encaixar nas guias do podem distrair e impedir a visão de outros con-
respectivo encosto do banco. dutores. Isto pode causar acidentes e ferimen-
tos graves.
– Empurrar o apoio para cabeça para baixo com
a tecla → Fig. 70 B pressionada. ● Atentar para que o farol esteja regulado cor-
retamente.
– Rebater cuidadosamente o encosto do banco
traseiro para trás e encaixá-lo com segurança. ● Nunca utilizar o farol alto / longo alcance ou
o sinal de luz quando a visão de outros con-
– Ajustar os apoios para cabeça de acordo com a
dutores puder ser ofuscada.
postura correta no banco → Página 78.
Em caso de condições atmosféricas frias ou
ATENÇÃO úmidas, o farol, bem como a lanterna tra-
A condução com os apoios para cabeça removi- seira e os indicadores de direção, podem emba-
dos ou ajustados incorretamente aumenta o çar-se temporariamente por dentro. Essa ocor-
risco de ferimentos graves ou fatais em caso de rência é normal e não tem influência sobre a vida
acidentes e manobras de direção e de frena- útil do sistema de iluminação do veículo. 
gem súbitas.
● Conduzir sempre com os apoios para cabeça
corretamente instalados e ajustados se hou-
ver uma pessoa no assento.
● Instalar os apoios para cabeça removidos de
imediato, para que os passageiros estejam
adequadamente protegidos. 

80 Manual de instruções
Luzes de controle NOTA
Observar sempre as luzes de controle acesas e as
 Observe no início desse capítulo na pági- mensagens de texto para evitar danos no veículo. 
na 80.

Acesa Causa possível / Solução


Lanterna de neblina ligada. Ligar e desligar as luzes
 → Página 82.
 Observe no início desse capítulo na pági-
Farol de neblina ligado (localizado no na 80.
 interruptor rotativo).
→ Página 82.
Indicadores de direção esquerdos ou
direitos.
A luz de controle pisca com frequência
 aproximadamente duas vezes maior
que o normal quando um indicador de
direção no veículo estiver defeituoso.
Verificar a iluminação do veículo.
Farol alto / longo alcance ligado ou si-
 nal de luz acionado.
→ Página 82.
Fig. 71 No painel: interruptor das luzes.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos.

ATENÇÃO
A observância das luzes de advertência acesas e
das mensagens de texto é essencial para a se-
gurança do condutor e dos passageiros, evitan-
do possíveis paradas do veículo, bem como
eventuais acidentes.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
e as mensagens de texto.
● Parar o veículo assim que possível em um lo-
cal seguro a todos os passageiros do veículo Fig. 72 Alavanca dos indicadores de direção e do fa-
e aos demais condutores. rol alto na posição básica.
● Estacionar o veículo a uma distância segura Observar as determinações legais específicas de
da pista de rodagem de forma que nenhuma cada país para a utilização da iluminação do veí-
das peças do sistema de escape entre em culo.
contato com materiais inflamáveis, como,
por exemplo, grama seca, combustível, óleo, Dependendo da versão do veículo, o farol de ne-
etc. blina e a lanterna de neblina podem não estar
disponível.
● Um veículo parado sem a devida sinalização
representa um grande risco de acidente para Dependendo da versão do veículo, a função 
si mesmo e para terceiros. Sempre acionar as pode não estar disponível. 
luzes de advertência e utilizar o triângulo de
segurança para alertar os outros veículos.
181.5B1.CRF.66

Iluminação 81
Posições do interruptor das luzes com a Auxílio de mudança de faixa de rodagem
ignição desligada Deslocar brevemente a alavanca dos indicadores
Farol e lanterna de neblina, farol de direção, para cima ou para baixo, somente até
o ponto de pressão e soltá-la. Os indicadores de
 baixo, luz de posição e painel de
instrumentos desligados. direção irão piscar automaticamente por três ve-
Lanterna e farol baixo poderá ser zes.
ligado quando a iluminação de
Farol de neblina:
 orientação for ativada pelo co-
– Ligar o farol de neblina : o interruptor rotati-
mando remoto .
vo das luzes → Fig. 71 deve estar na posição 
 Luz de posição ligada. ou . Puxar o interruptor até o primeiro enga-
te.
Farol baixo desligado e luz de po-
 sição ligada.
– A luz de controle  se acende no interruptor
rotativo das luzes e indica o farol de neblina li-
Posições do interruptor das luzes com a gado.
ignição ligada – Para desligar, pressionar o interruptor das lu-
zes ou girar para a posição .
 Luzes desligadas.
Lanterna de neblina:
 Comando das luzes automático. – Ligar a lanterna de neblina : o interruptor ro-
tativo das luzes → Fig. 71 deve estar na posi-
 Luz de posição ligada. ção  ou . Puxar o interruptor até o segun-
do engate.
 Farol baixo ligado. – A luz de controle  se acende no instrumento
combinado.
Deslocar a alavanca dos indicadores de – Para desligar pressionar o interruptor das luzes
direção e do farol alto para a posição ou girar para a posição .
desejada:
Alertas sonoros para luzes não desligadas
1 Ligar os indicadores de direção à direita → .
Com a chave do veículo fora do cilindro da igni-
2 Ligar os indicadores de direção à esquerda ção e a porta do condutor aberta, soa o alerta so-
→ . noro com o interruptor das luzes na posição 
3 Ligar o farol alto / longo alcance → . Com o ou . Isso é um lembrete para, se necessário,
farol alto / longo alcance ligado, a luz de desligar as luzes.
controle  permanece acesa no instrumento
combinado. ATENÇÃO
4 Acionar o sinal de luz ou farol alto. O sinal de A luz de posição não é intensa o suficiente para
luz permanece aceso enquanto a alavanca for iluminar a rua suficientemente e ser vista por
puxada. A luz de controle  indica o sinal de outros condutores.
luz no instrumento combinado. ● Ligar o farol baixo sempre na escuridão, ne-
blina ou com má visibilidade.
Para desligar a respectiva função, colocar a ala-
vanca na posição básica. ● Devido ao forte efeito ofuscante, a lanterna
de neblina só deve ser ligada quando o al-
Quando o volante retornar para a sua posição cance visual for muito reduzido.
normal, após uma curva, os indicadores de dire-
ção serão desligados automaticamente e a ala-
ATENÇÃO
vanca retornará à posição central.
A utilização inadequada ou a não utilização dos
indicadores de direção, bem como esquecer de
desligá-los, pode confundir os demais conduto-
res. Isto pode causar acidentes e ferimentos
graves. 

82 Manual de instruções
● Mudança de faixa de rodagem, manobras de Iluminação dos instrumentos e dos
ultrapassagem e conversão sempre devem
interruptores
ser indicadas em tempo hábil por meio dos
indicadores de direção.
 Observe no início desse capítulo na pági-
● Desligar os indicadores de direção após a na 80.
conclusão da mudança de faixa de rodagem,
da manobra de ultrapassagem ou da conver-
são.

ATENÇÃO
Uma utilização incorreta do farol alto / longo
alcance pode causar acidentes e ferimentos
graves, uma vez que o farol alto / longo alcance
pode distrair e ofuscar os demais condutores.
Fig. 73 No instrumento combinado: botão de regu-
Dependendo do modelo ou da versão, a lan- lagem da iluminação dos instrumentos e dos inter-
terna de neblina é ofertada separadamente ruptores.
do farol de neblina.
Com a ignição ligada, a luminosidade dos instru-
A lanterna de neblina está localizada na par- mentos e dos interruptores pode ser regulada,
te inferior esquerda do para-choque trasei- em três diferentes níveis, pressionando-se a tecla
ro do veículo. → Fig. 73.

Ao utilizar os dispositivos de iluminação A comutação é feita sempre em ordem crescente,


descritos, respeitar as disposições legais. voltando ao primeiro nível após a iluminação ter
atingido a sua maior intensidade.
Os indicadores de direção funcionam so-
mente com a ignição ligada. As luzes de ad- Sensor de iluminação do painel de
vertência funcionam mesmo com a ignição desli- instrumentos
gada → Página 28, Em caso de emergência. Dependendo da versão do veículo o sensor de
iluminação do painel de instrumentos pode não
Quando um indicador de direção falhar no
estar disponível.
veículo, a luz de controle piscará aproxima-
damente duas vezes mais rápido. O sensor de iluminação do painel de instrumen-
tos encontra-se no painel de instrumentos e é
O farol alto / longo alcance somente pode acionado automaticamente.
ser ligado com o farol baixo ligado e funcio-
na em conjunto com o farol alto e o farol de ne- A iluminação do painel de instrumentos liga-se
blina.  automaticamente quando a intensidade de luz
externa aumenta, por exemplo, em dias ensolara-
dos. Para evitar reflexo da luz externa no painel
de instrumentos.
A iluminação do painel de instrumentos desliga-
-se quando a intensidade da luz externa diminui e
a lanterna e/ou farol baixo estão desligados, por
exemplo, na passagem de túneis. Isso deverá
lembrar o condutor de ligar manualmente os fa-
róis baixos. 
181.5B1.CRF.66

Iluminação 83
Lanternas internas e de leitura Funções das luzes
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 80. Funções das luzes

Botão ou Dependendo da versão do veículo o controle au-


Função tomático da luz de condução () pode não es-
posição
tar disponível.
 Desligar a lanterna interna.
Controle automático da luz de condução 
O controle automático da luz de condução é sim-
 Ligar a lanterna interna.
plesmente um auxílio e não pode reconhecer su-
Ligar o interruptor de contato da ficientemente todas as situações de condução.
porta (posição central).
A lanterna interna é ligada auto- Com o comando automático da luz de circulação
maticamente ao destravar o veí- em funcionamento, os faróis baixos e as lanter-
culo, ao abrir uma porta ou retirar nas são automaticamente ligados em virtude do
sensor crepuscular detectar que o ambiente ex-
 a chave do veículo do cilindro da
ignição. terno ao veículo tem baixa luminosidade, como
A luz se apaga alguns segundos quando se atravessa, por exemplo, um túnel de
após o fechamento de todas as dia ou quando escurece. Quando o veículo circu-
portas, ao travar o veículo ou ao li- lar em um ambiente com iluminação solar inten-
gar a ignição. sa, com o interruptor das luzes na posição ,
os faróis baixos e as lanternas serão automatica-
Ligar ou desligar a respectiva lan-
/ terna de leitura.
mente desligados pela central elétrica.
Se o interruptor giratório das luzes estiver na po-
Lanterna do compartimento de bagagem sição , a lanterna. iluminação dos instrumen-
Ao abrir e fechar a tampa traseira, uma luz é liga- tos, e da placa de licença, será ligada e desligada
da ou desligada automaticamente. automaticamente nas seguintes situações → :
O sensor crepuscular está localizado junto ao
Se todas as portas do veículo não estiverem
sensor de chuva → Página 88.
fechadas e o interruptor estiver na posição
, a lanterna interna dianteira ou traseira se Desligar automati-
apaga ao fim de alguns minutos. Assim, evita que Ligação automática da camente ou comutar
a bateria do veículo se descarregue. iluminação do veículo: para luz de condu-
A lanterna interna e de leitura se apaga ao ção diurna:
travar o veículo ou alguns minutos depois O sensor crepuscular re-
que a chave do veículo for retirada do cilindro da conhece a escuridão, por
ignição. Isto impede que a bateria do veículo se exemplo, na condução em
Ao identificar lumi-
descarregue. túneis. A iluminação do
nosidade suficiente.
veículo é ligada com a ilu-
Quando os airbags são acionados em um minação dos instrumen-
acidente, a lanterna interna pode ser acio- tos e dos interruptores.
nada automaticamente → Página 21, Em caso de
O sensor de crepuscular e
acionamento dos airbags - Função detecção de
de chuva identifica a chu-
colisão (crash detection). 
va e dependendo da con-
Se os limpadores dos
dição os limpadores dos
vidros não limparem
vidros são ligados. A ilu-
por alguns minutos
minação do veículo é li-
→ Página 88. 
gada sem a iluminação
dos instrumentos e dos
interruptores.

84 Manual de instruções
Se com o controle automático da luz de condu- ● O controle automático da luz de condução
ção ligado os faróis ou as lanternas de neblina () liga o farol baixo somente com altera-
são ligados, o farol baixo também será ligado in- ções da luminosidade e não com neblina, por
dependentemente da claridade ambiente. exemplo.
Comportamento de acionamento alterado do Em caso de condições atmosféricas frias ou
sensor crepuscular úmidas, o farol, bem como a lanterna tra-
As possíveis causas de avarias e interpretações seira e os indicadores de direção, podem emba-
errôneas na área da superfície sensível → Fig. 76 çar-se temporariamente por dentro. Essa ocor-
(seta) do sensor crepuscular são, entre outras: rência é normal e não tem influência sobre a vida
útil do sistema de iluminação do veículo. 
– Palhetas dos limpadores do para-brisa danifi-
cadas: uma película de água ou listras de lim-
peza devido a palhetas do limpador danifica-
das podem interferir no reconhecimento da Função “Coming Home” e
iluminação externa. “Leaving Home” (iluminação de
– Insetos: a presença de insetos pode interferir orientação)
no reconhecimento da iluminação externa.
– Estrias de sal: no inverno, estrias de sal no vi- Com a iluminação de orientação, a região próxi-
dro podem interferir no reconhecimento da ma ao veículo é iluminada quando se sai (“Co-
iluminação externa. ming Home”) e quando se chega no veículo
– Sujeira: poeira seca, cera, revestimentos do vi- (“Leaving Home”). Para veículos com sensor de
dro (efeito lótus), resíduos de detergentes (la- luz e chuva, a função “Leaving Home”, por sua
va-rápido) podem tornar o sensor crepuscular vez, é controlada automaticamente.
menos sensível, ou até mesmo sem reação. Com a função “Coming Home” ou “Leaving Ho-
– Adesivos e etiquetas: a região do sensor não me” ativada, se acende o farol baixo e a luz de
pode ser coberta externamente e internamen- posição como iluminação de orientação.
te, pois, do contrário, irá comprometer o cor- Para veículos sem Sistema de informações
reto funcionamento das funções do sensor Volkswagen (I-System) e com a função “Co-
crepuscular. ming Home” e “Leaving Home”, a função é acio-
nada pelo modo manual.
Farol de conversão (cornering light)
Dependendo da versão do veículo o farol de con- Veículos sem sensor crepuscular e de chuva
versão pode não estar disponível.
Modo manual
Em conversões lentas ou em curvas muito fecha-
das, o farol de conversão se acende automatica- “Coming
Ação
mente. O farol de conversão está integrado no Home ”
farol de neblina e se acende somente ao conduzir – Desligar a ignição.
com velocidade abaixo de aproximadamente 40 – Acionar o lampejo do farol alto /
km/h. longo alcance por aproximadamente
Ligar:
Ao engatar a marcha a ré, o farol de conversão um segundo → Página 81.
pode se acender nos dois lados do veículo duran- A iluminação de orientação se acende
te a manobra. ao abrir a porta do condutor.
– Automaticamente após o tempo
ATENÇÃO programado da iluminação de orien-
Desligar:
tação.
Poderão ocorrer acidentes se a rua não estiver
– Ligar a ignição.
suficientemente iluminada e o veículo for visto
somente com dificuldade ou não for visto pelos No modo manual, a função “Leaving Home” só
demais usuários da via. acontece se anteriormente a função “Co-
181.5B1.CRF.66

ming Home” foi acionada. 

Iluminação 85
“Leaving
Ação Farol
Home ”
– Destravar o veículo por meio da
Ligar: Mascarar ou mudar a posição do
chave com comando remoto.
– Automaticamente após o tempo farol
programado da iluminação de orien-
Desligar: Em conduções em países com sentido de roda-
tação.
– Ligar a ignição. gem contrário ao do país de origem, o farol baixo
assimétrico pode ofuscar os veículos que rodam
Veículos com sensor crepuscular e de chuva em sentido contrário. Por esse motivo, mascarar
ou mudar a posição do farol em viagens interna-
“Coming cionais.
Ação
Home”
Se for o caso, mascarar determinadas regiões do
– Desligar a ignição.
farol com películas ou mudar a posição do farol
– Acionar o lampejo do farol alto /
em uma empresa especializada. Mais informa-
longo alcance por aproximadamente
Ligar: ções podem ser obtidas em uma empresa espe-
um segundo → Página 81.
cializada. Para isso, a Volkswagen recomenda
A iluminação de orientação se acen-
uma Concessionária Volkswagen.
de ao abrir a porta do condutor.
– Automaticamente após o tempo O uso de películas sobre o farol somente é
programado da iluminação de orien- admissível por curtos períodos de tempo.
tação. Dirigir-se a uma empresa especializada para uma
Desligar: conversão permanente. Para isso, a Volkswagen
– Ao girar o interruptor das luzes pa-
ra a posição . recomenda as Concessionárias Volkswagen. 
– Ligar a ignição.

“Leaving
Ação
Home”
– Destravar o veículo por meio da
chave com comando remoto, se o
Ligar: interruptor das luzes estiver na posi-
ção  e o sensor crepuscular reco-
nhecer a escuridão.
– Automaticamente após o tempo
programado da iluminação de orien-
tação.
Desligar: – Ao girar o interruptor das luzes pa-
ra a posição .
– Ligar a ignição com o interruptor
das luzes para a posição .

Em veículos com Sistema de informações


Volkswagen (I-System), no menu Configura-
ções, é possível configurar a duração do tempo da
iluminação de orientação e ligar ou desligar a
função → Página 43, Menu Configurações.
O tempo da iluminação de orientação pode
ser programado em uma Concessionária
Volkswagen ou por meio do menu Configurações
em veículos com Sistema de informações
Volkswagen. 

86 Manual de instruções
Visibilidade Alavanca dos limpadores dos vidros
Limpadores e lavadores dos  Observe e no início desse capítulo na
página 87.
vidros

 Introdução ao tema

ATENÇÃO
Em baixas temperaturas, a água dos lavadores
dos vidros sem anticongelante suficiente pode
congelar sobre o para-brisa e limitar a visibili-
dade frontal.
● Utilizar os lavadores dos vidros somente com
anticongelante suficiente em temperaturas
de inverno.
● Nunca utilizar os lavadores dos vidros em Fig. 74 Comandar os limpadores / lavadores do pa-
temperaturas de inverno enquanto o para- ra-brisa e o limpador / lavador do vidro traseiro.
-brisa não tiver sido aquecido com o sistema
de ventilação. Caso contrário, o aditivo anti- Mover a alavanca para a posição desejada → :
congelante pode congelar sobre o para-brisa Limpadores do para-brisa / vidro
e reduzir a visibilidade. 0  traseiro desligados.
Temporizador dos limpadores do
ATENÇÃO 1  para-brisa.
Palhetas dos limpadores dos vidros gastas ou
sujas reduzem a visibilidade e aumentam o ris- 2  Limpeza lenta.
co de acidentes e de ferimentos graves.
● Sempre que estiverem danificadas ou gastas, 3  Limpeza rápida.
as palhetas dos limpadores dos vidros devem Movimento único dos limpadores
ser substituídas. 4  do para-brisa – limpeza breve.
Sistema do lavador do para-brisa
NOTA
Em caso de geada ou neve, verificar antes de li-
5  acionado enquanto a alavanca es-
tiver puxada.
gar os limpadores dos vidros se as palhetas dos
limpadores dos vidros não estão congeladas! Se o
veículo for estacionado com tempo frio, a posi-
6  Sistema dos lavadores desligados.

Sistema do limpador do vidro tra-


ção de serviço dos limpadores do para-brisa po-
seiro ligado. O limpador do vidro
derá ser útil → Página 177, Posição de serviço
dos limpadores do para-brisa. 
7  traseiro efetua um movimento a
cada 6 segundos, aproximada-
mente.
Sistema do lavador do vidro tra-
8  seiro acionado enquanto a alavan-
ca estiver pressionada.

NOTA
Se a ignição for desligada com os limpadores dos
181.5B1.CRF.66

vidros ligados, os limpadores dos vidros conti-


nuarão a limpar a partir do mesmo estágio de
limpeza quando a ignição for ligada novamente, 

Visibilidade 87
porém, nesta condição (ignição desligada com os
limpadores dos vidros ligados) os limpadores dos
vidros retornam para posição de origem. Geada,
neve e outros obstáculos sobre o vidro podem
ocasionar danos aos limpadores dos vidros e ao
motor dos limpadores dos vidros.
● Antes do início da condução, se necessário, re-
mover a neve e o gelo dos limpadores dos vi-
dros.
● Soltar as palhetas dos limpadores dos vidros
congelados cuidadosamente do para-brisa. Pa- Fig. 76 No para-brisa: superfície sensitiva do sensor
ra isso, a Volkswagen recomenda um spray an- de chuva.
ticongelante.
Dependendo da versão do veículo o sensor de
NOTA chuva pode não estar disponível.
Não ligar os limpadores dos vidros com o vidro O sensor de chuva ativado controla automatica-
seco. A limpeza do vidro seco pelas palhetas dos mente os intervalos dos limpadores dos vidros de
limpadores dos vidros pode danificar o vidro. acordo com a intensidade da chuva → . A sensi-
bilidade do sensor de chuva pode ser regulada
Os limpadores dos vidros funcionam so- manualmente. Limpeza manual → Página 87.
mente com a ignição ligada.
Pressionar a alavanca na posição desejada :
O temporizador dos limpadores do para-bri-
sa funciona de acordo com a velocidade de 1 Sensor de chuva desativado.
condução. Quanto mais rápido o veículo, mais 2 Sensor de chuva ativo – limpeza automática,
frequente é a limpeza dos limpadores dos vidros. se necessária.
A Regular a sensibilidade do sensor de chuva:
O limpador do vidro traseiro se liga automa-
ticamente se os limpadores do para-brisa – Regular o interruptor para a direita – alta
estiverem ligados e a marcha a ré for engatada.  sensibilidade.
– Regular o interruptor para a esquerda –
baixa sensibilidade.

Sensor de chuva Após desligar e ligar a ignição, o sensor de chuva


volta a funcionar se a alavanca dos limpadores
 Observe e no início desse capítulo na dos vidros estiver na posição 2 .
página 87.
Comportamento de acionamento alterado do
sensor de chuva
As possíveis causas de avarias e interpretações
errôneas na área da superfície sensível → Fig. 76
(seta) do sensor de chuva são, entre outras:
– Palhetas dos limpadores do para-brisa danifi-
cadas: uma película de água ou listras de lim-
peza devido a palhetas do limpador danifica-
das podem prolongar a duração da ligação, re-
duzir os intervalos de limpeza ou atuar sobre a
limpeza contínua rápida.
– Insetos: a presença de insetos pode ocasionar
o acionamento da limpeza.
– Estrias de sal: no inverno, estrias de sal no vi-
Fig. 75 Ao lado do volante: alavanca dos limpadores dro podem provocar uma relimpeza extrema-
dos vidros: regular a sensibilidade do sensor de chu- mente longa até o vidro estar quase seco. 
va A .

88 Manual de instruções
– Sujeira: poeira seco, cera, revestimentos do vi- veículo somente olhando para os espelhos retro-
dro (efeito lótus), resíduos de detergentes (la- visores externos e para o espelho retrovisor in-
va-rápido) podem tornar o sensor de chuva terno. Estas áreas não visíveis são denominadas
menos sensível ou, posteriormente, mais lento pontos cegos. No ponto cego podem haver ou-
ou até mesmo sem reação. tros veículos, pedestres e objetos.
– Fissura no para-brisa: um impacto de uma pe-
dra aciona um ciclo de limpeza com o sensor ATENÇÃO
de chuva ligado. Depois disso, o sensor de chu-
Ajustar os espelhos retrovisores externos e o
va reconhece a diminuição da superfície sensí-
espelho retrovisor interno durante a condução
vel e adequa-se a ela. De acordo com a dimen-
pode distrair o condutor. Isto pode causar aci-
são do impacto da pedra, o comportamento do
dentes e ferimentos graves.
acionamento do sensor de chuva pode se alte-
rar. ● Ajustar os espelhos retrovisores externos e o
espelho retrovisor interno somente com o
– Adesivos e etiquetas: a região do sensor não
veículo parado.
pode ser coberta externamente e internamen-
te, pois, do contrário, irá comprometer o cor- ● Ao estacionar, ao mudar de faixa e em mano-
reto funcionamento das funções de iluminação bras de ultrapassagem e de conversão, ob-
automática e do sensor de chuva. servar sempre a área ao redor do veículo, já
que demais usuários da via e objetos tam-
ATENÇÃO bém podem se encontrar no ponto cego.
O sensor de chuva pode não reconhecer sufi- ● Atentar sempre para que os espelhos retrovi-
cientemente qualquer chuva e não ativar os sores estejam ajustados corretamente e que
limpadores dos vidros. a visibilidade traseira não seja limitada pelo
embaçamento ou por outros objetos. 
● Se necessário, ligar manualmente os limpa-
dores dos vidros quando a água interferir na
visibilidade dos vidros.
Espelho retrovisor interno
Limpar regularmente a superfície sensível
do sensor de chuva → Fig. 76 (seta) e verifi-
 Observe no início desse capítulo na pági-
car danos nas palhetas dos limpadores do para-
na 89.
-brisa.
Para a remoção de ceras e de resíduos de
polimento, recomenda-se o uso de um pro-
duto de limpeza de vidro com álcool. 

Espelhos retrovisores

 Introdução ao tema
Fig. 77 No para-brisa: espelho retrovisor interno
com antiofuscante manual. 
Para a segurança de condução é importante que
o condutor ajuste corretamente os espelhos re-
trovisores externos e o espelho retrovisor interno
antes de iniciar a condução → .
O condutor consegue observar o trânsito atrás de
si pelos espelhos retrovisores externos e pelo es-
181.5B1.CRF.66

pelho retrovisor interno e consegue adequar o


seu comportamento de direção para o trânsito.
Não dá para ver tudo que está ao lado e atrás do

Visibilidade 89
Com a ignição ligada, o espelho retrovisor interno
ofusca automaticamente, dependendo do cre-
púsculo com uma incidência de luz por trás.
Quando a incidência de luz sobre os sensores é
comprometida ou interrompida, o espelho retro-
visor interno com antiofuscante automático não
funciona ou poderá apresentar falhas.
O antiofuscamento automático é desativado
quando a marcha à ré está engatada ou a lanter-
na interna ou de leitura está acesa.
Fig. 78 No para-brisa: espelho retrovisor interno
Não colocar aparelhos de navegação externos no
com antiofuscante automático.
para-brisa ou próximo ao espelho retrovisor in-
O condutor deve sempre ajustar o espelho retro- terno com antiofuscante automático → .
visor interno para assegurar uma visibilidade tra-
seira suficiente através do vidro traseiro. ATENÇÃO
● O espelho retrovisor interno deve ser ajusta-
Espelho retrovisor interno com antiofuscante do antes de colocar o veículo em movimento,
manual para não desviar a atenção do condutor no
– Posição dia: a alavanca na borda inferior do es- trânsito.
pelho retrovisor aponta para o para-brisa. ● Na utilização do espelho retrovisor na posi-
– Posição noite: puxar a alavanca → Fig. 77 (seta ção antiofuscante, a visão para trás fica limi-
cinza), para evitar o ofuscamento dos faróis tada.
dos veículos que trafegam atrás. ● O display iluminado do aparelho de navega-
ção pode comprometer o funcionamento do
Espelho retrovisor interno com antiofuscante espelho retrovisor interno com antiofuscante
automático automático, causando acidentes e ferimen-
Dependendo da versão do veículo o retrovisor in- tos graves.
terno com antiofuscante automático pode não
estar disponível. Na utilização do retrovisor interno na posi-
ção noite, a visão fica limitada. 
Legenda para → Fig. 78:
1 Luz de controle.
2 Interruptor.
3 Sensor para reconhecer a incidência de luz
por trás.

O antiofuscamento automático pode ser ligado e


desligado com o interruptor no espelho retrovi-
sor interno → Fig. 78 2 . Com o antiofuscamento
automático ligado, a luz de controle → Fig. 78 1
se acende.
Na carcaça do espelho retrovisor interno se en-
contram 2 sensores:
– Um sensor no lado que indica para o interior
do veículo, que mede a incidência de luz por
trás → Fig. 78 3 .
– Um sensor no lado que indica para o para-bri-
sa, que mede a incidência de luz pela frente.

90 Manual de instruções
Espelhos retrovisores externos Girar o botão rotativo → Fig. 80 para a posição
desejada:
 Observe no início desse capítulo na pági- Ajustar o espelho retrovisor externo es-
na 89.
 querdo movendo o botão rotativo na di-
reção desejada.
Posição zero. Espelho retrovisor exter-
nos desligados (em posição de uso), não
 é possível ajustar os espelhos retroviso-
res externos.
Ajustar o espelho retrovisor externo di-
 reito movendo o botão rotativo na posi-
ção desejada.
Os espelhos retrovisores externos podem ser re-
batidos (rotacionados) mecanicamente para den-
tro e para fora. A posição de uso é definida por
um travamento bastante perceptível em ambos
os lados (esquerdo ou direito).
Fig. 79 Nas portas dianteiras: botão de ajuste dos Armazenar os ajustes do espelho retrovisor
espelhos retrovisores externos mecânicos. externo direito para a marcha à ré (tilt down)
– Ligar a ignição.
– Girar o interruptor rotativo para a posição R.
– Engatar a marcha à ré.
– Ajustar o espelho retrovisor externo direito de
modo que a borda do meio-fio possa ser bem
visualizada.
– A posição do espelho retrovisor ajustada é ar-
mazenada automaticamente.

Acessar os ajustes do espelho retrovisor


externo direito
– Girar o interruptor rotativo do espelho retrovi-
sor externo para a posição R ou L.
Fig. 80 Na porta do condutor: botão rotativo de – Com a ignição ligada, engatar a marcha à ré.
ajuste dos espelhos retrovisores externos elétricos.
– A posição armazenada do espelho retrovisor
Para ajustar os espelhos retrovisores externos, externo direito para a marcha à ré é desconsi-
movimentar o botão de ajuste → Fig. 79 ou o bo- derada quando se conduz para a frente ou
tão rotativo → Fig. 80 no revestimento das por- quando o interruptor rotativo for colocado na
tas. posição 0.

ATENÇÃO
Os espelhos retrovisores externos devem ser
ajustados antes de colocar o veículo em movi-
mento, para não desviar a atenção do condutor
no trânsito.

ATENÇÃO
181.5B1.CRF.66

O rebatimento desatento para dentro ou para


fora dos espelhos retrovisores externos pode
causar ferimentos. 

Visibilidade 91
● Rebater os espelhos retrovisores externos Proteção solar
para dentro ou para fora somente quando
não houver ninguém em sua área de funcio-
namento.  Introdução ao tema
● Atentar sempre para que nenhum dedo seja
preso entre o espelho retrovisor externo e a
base do espelho quando o espelho retrovisor ATENÇÃO
externo se mover. Os para-sóis rebatidos para baixo podem redu-
zir o campo de visão e diminuir a segurança na
ATENÇÃO condução.
A avaliação imprecisa da distância dos veículos ● Reconduzir sempre os para-sóis de volta aos
vindos de trás pode causar acidentes e ferimen- suportes quando eles não forem mais neces-
tos graves. sários. 
● As superfícies abauladas das lentes dos espe-
lhos retrovisores externos (convexas ou asfé-
ricas) aumentam o campo de visão e fazem
os objetos parecerem menores e mais dis- Para-sóis
tantes.
 Observe no início desse capítulo na pági-
● O uso dos espelhos retrovisores externos es-
na 92.
querdo e direito para a avaliação das distân-
cias de veículos vindos de trás na mudança
de faixa de rodagem é impreciso e pode cau-
sar acidentes e ferimentos graves.
● Sempre que possível, usar o espelho retrovi-
sor interno para determinar a distância dos
veículos vindos de trás ou a distância de ou-
tros objetos.
● Garantir que o campo de visão traseiro esteja
sempre desobstruído.

NOTA
Fig. 81 Para-sol.
Em um sistema de lavagem automático, rebater
sempre os espelhos retrovisores externos para Dependendo da versão do veículo o para-sol po-
dentro. de conter diferentes combinações, contendo ou
não: iluminação, cobertura do espelho e espelho
Em caso de avaria, os espelhos retrovisores de cortesia.
externos elétricos podem ser ajustados ma-
nualmente por meio de pressão na borda da su- Possibilidades de ajuste dos para-sóis para o
perfície da lente do espelho.  condutor e para o passageiro dianteiro:
– Rebater na direção do para-brisa.
– Retirar do suporte e girar na direção das portas
→ Fig. 81 1 .
– Mover o para-sol voltado para a porta na dire-
ção longitudinal para trás.

Espelho de cortesia iluminado


No para-sol rebatido para baixo há um espelho
de cortesia atrás de uma cobertura. Ao abrir a co-
bertura → Fig. 81 2 uma lanterna se acende. 

92 Manual de instruções
A lanterna se apaga quando a cobertura do espe- NOTA
lho de cortesia for fechada ou o para-sol for re-
batido para cima. Manuseie os para-sóis e a cobertura dos espelhos
de cortesia com cuidado para não danificá-los. 

Para-brisa de vidro degradê


 Observe no início desse capítulo na página 92.

Fig. 82 Para-brisa com infravermelho e revestimento metálico com janela de comunicação (superfície azul).

Os para-brisas de vidro degradê possuem um re- A área não revestida não pode ser coberta exter-
vestimento reflexivo de infravermelho. Para na ou internamente ou receber etiquetas adesi-
cumprimento das funções de componentes ele- vas, pois, do contrário, podem comprometer o
trônicos do mercado de acessórios, há uma faixa correto funcionamento de equipamentos eletrô-
sem revestimento (janela de comunicação) acima nicos no interior do veículo. 
do espelho retrovisor interno → Fig. 82.
181.5B1.CRF.66

Visibilidade 93
Aquecimento e ar- ● Desligar sempre o modo de recirculação de
ar se ele não for necessário.
-condicionado
ATENÇÃO
Aquecer, ventilar, refrigerar O ar utilizado por longos períodos pode levar ao
cansaço e à falta de concentração do condutor,
o que pode causar colisões, acidentes e feri-
 Introdução ao tema mentos graves.
● Nunca deixar o ventilador desligado por mui-
Filtro de poeira e pólen to tempo e nunca deixar o modo de recircu-
O filtro de poeira e pólen reduz a penetração de lação de ar ligado por muito tempo, uma vez
partículas do ar externo no interior do veículo. que o ar fresco não atinge o interior do veí-
culo.
O filtro de poeira e pólen precisa ser trocado de
acordo com os intervalos informados no → cader-
NOTA
no Manutenção e garantia para não prejudicar a
eficiência do ar-condicionado. ● Se houver dúvidas de que o ar-condicionado
possa ter sido danificado, desligar o ar-condi-
Se o filtro perder seu efeito prematuramente pe- cionado. Assim, danos secundários podem ser
lo uso do veículo em um ambiente externo extre- evitados. O ar-condicionado deve ser verifica-
mamente poluído, o filtro de poeira e pólen pre- do por uma Concessionária Volkswagen ou por
cisará ser substituído, se necessário, entre os uma empresa especializada.
eventos de manutenção relacionados.
● Reparos no ar-condicionado exigem conheci-
ATENÇÃO mentos especializados e ferramentas especi-
ais. Para isso, a Volkswagen recomenda as
Más condições de visibilidade em todos os vi- Concessionárias Volkswagen.
dros aumentam o risco de colisões e acidentes
que podem causar ferimentos graves. Se o sistema de refrigeração estiver desliga-
● Assegurar sempre que todos os vidros estão do, o ar externo succionado não perde a
sem gelo, neve e embaçamento para garantir umidade. Para evitar o embaçamento dos vidros,
boas condições de visibilidade. a Volkswagen recomenda deixar o sistema de re-
frigeração (compressor) ligado. Para isso, pres-
● A maior potência de aquecimento e o mais
sionar o botão  . A luz de controle deve se
rápido desembaçamento dos vidros só po-
acender no botão.
dem ser atingidos se o motor já tiver atingi-
do sua temperatura de serviço. Partir somen- A maior potência de aquecimento e o de-
te se houver boas condições de visibilidade. sembaçamento mais rápido dos vidros só
● Assegurar sempre que o sistema de aqueci- podem ser atingidos se o motor tiver atingido
mento e ar fresco ou o ar-condicionado e o sua temperatura de serviço.
desembaçador do vidro traseiro sejam utili-
Para não limitar a potência de aquecimento
zados corretamente para ter boas condições
ou de refrigeração e para impedir o emba-
de visibilidade para fora.
çamento dos vidros, a entrada de ar na frente do
● Nunca utilizar o modo de recirculação de ar para-brisa precisa estar sem gelo, neve ou folhas. 
por muito tempo. Quando o sistema de refri-
geração estiver desligado, os vidros podem
embaçar-se muito rapidamente no modo de
recirculação de ar e limitar muito as condi-
ções de visibilidade.

94 Manual de instruções
Comandos
 Observe e no início desse capítulo na página 94.

Fig. 83 No console central: comandos do sistema de ventilação e aquecimento.

Fig. 84 No console central: comandos do ar-condicionado.

Informações complementares do sistema de ventilação e aquecimento


Botão, regulador
→ Fig. 83 e ar-condicionado → Fig. 84.
Temperatura 1
Girar o regulador para regular a respectiva temperatura.
 ... 
Ventilador 2
Nível 0: ventilador e ar-condicionado desligados.
Nível 4: nível mais alto de ventilação.

Girar o regulador sem graduação para regular a corrente de ar na direção de-
Distribuição de ar 3
sejada.
4
Ar-condicionado: pressionar o botão para ligar ou desligar o sistema de refri-
geração.

5
181.5B1.CRF.66

Ar-condicionado: pressionar o botão para ligar o modo de recirculação de ar


→ Página 98.
 

Aquecimento e ar-condicionado 95
Informações complementares do sistema de ventilação e aquecimento
Botão, regulador
→ Fig. 83 e ar-condicionado → Fig. 84.
Sistema de ventilação e aquecimento: função de desembaçamento. Distribui-
ção de ar no para-brisa e vidros laterais na área dos espelhos retrovisores ex-
ternos.
 Ar-condicionado: função de desembaçamento. Distribuição de ar no para-bri-
sa e vidros laterais na área dos espelhos retrovisores externos. Pressionar o
botão  , aumentar a força do ventilador para desembaçar o para-brisa o
mais rápido possível.

 Distribuição de ar para a área do tronco.

 Distribuição de ar para a área dos pés.

 Distribuição de ar para o para-brisa e para a área dos pés.

ATENÇÃO ● Nunca deixar o ventilador desligado por mui-


to tempo e nunca deixar o modo de recircu-
O ar utilizado por longos períodos pode levar ao
lação de ar ligado por muito tempo, uma vez
cansaço e à falta de concentração do condutor,
que o ar fresco não atinge o interior do veí-
o que pode causar colisões, acidentes e feri-
culo. 
mentos graves.

Orientações de funcionamento do Manter o para-brisa e os vidros laterais


desembaçados
sistema de ventilação e de
– Abrir e ajustar os difusores de ar laterais no
aquecimento painel de instrumentos → Página 98 para os
vidros laterais.
 Observe e no início desse capítulo na
página 94. – Em veículos com sistema de aquecimento, co-
locar o regulador da temperatura 1 para a
posição de aquecimento adequada, para man-
Temperatura
ter o desembaçamento.
Para veículos com sistema de ventilação e aque-
cimento, a temperatura desejada no interior do – Colocar o regulador da distribuição do ar 3
veículo não pode ser menor do que o ar externo para a posição .
existente, pois o sistema de ventilação e aqueci- – Colocar o ventilador 2 para um dos 4 níveis.
mento não consegue resfriar e desumidificar o ar.
Nos veículos sem aquecimento, o interrup-
Regulagem para obter condições de tor do ventilador está localizado no lado es-
visibilidade ideais querdo. 
– Em veículos com sistema de aquecimento, co-
locar o regulador da temperatura → Fig. 83 1
totalmente para a direita, para a posição máxi- Orientações de funcionamento do
ma de aquecimento. ar-condicionado
– Colocar o regulador de distribuição de ar 3 na
posição .  Observe e no início desse capítulo na
– Colocar o ventilador 2 no nível 3 ou 4. página 94.
– Abrir e ajustar todos os difusores de ar no pai-
nel de instrumentos → Página 98. O sistema de refrigeração do interior do veículo
funciona somente com o motor em funciona-
mento e com o ventilador ligado. 

96 Manual de instruções
O ar-condicionado trabalha com o máximo de Resfriamento rápido do interior do veículo
eficiência se os vidros e o teto solar estiverem fe- Para obter um resfriamento rápido no interior do
chados. Se o interior do veículo estiver muito veículo, proceder da seguinte maneira:
aquecido porque o veículo ficou parado exposto
ao sol, abrir brevemente os vidros e o teto solar – Colocar o regulador da temperatura 1 total-
pode acelerar o processo de resfriamento. mente para a esquerda.
– Colocar o regulador da distribuição de ar 3
Regulagem para obter condições de para a posição .
visibilidade ideais – Colocar o ventilador 2 para o nível máximo 4.
O sistema de refrigeração ligado não somente
– Apertar o botão  para ligar o sistema de re-
abaixa a temperatura no interior do veículo, mas
frigeração.
também a umidade do ar. Assim, a baixa umidade
do ar aumenta o bem-estar dos ocupantes do – Se possível, abrir parcialmente ou totalmente
veículo e impede o embaçamento dos vidros: os vidros das portas dianteiras por um breve
período (1 a 3 minutos), para que ocorra uma
– Abrir e ajustar todos os difusores de ar no pai- circulação intensa de ar no interior do veículo.
nel de instrumentos → Fig. 84→ Página 98.
– Fechar os vidros e apertar o botão 5 para li-
– Colocar o regulador da distribuição de ar gar o modo de recirculação de ar .
→ Fig. 84 3 para a posição , nesta posição o
modo de recirculação de ar não pode ser acio- O compressor do ar-condicionado consome
nado. potência do motor durante a refrigeração,
contribuindo desta forma, para aumentar o con-
– Colocar o ventilador 2 no nível 3 ou 4.
sumo de combustível. Para reduzir ao mínimo o
– Pressionar o botão  para ligar o sistema de tempo de funcionamento da refrigeração, obser-
refrigeração. A luz de controle se acende no var o seguinte:
botão.
● Se o veículo, parado ao sol, estiver muito
– Colocar o regulador da temperatura 1 na po- aquecido, abrir as portas e janelas por alguns
sição desejada. instantes para que o ar quente possa sair.
O sistema de refrigeração não pode ser ligado ● Atentar para que o ar quente externo não en-
tre no veículo, por exemplo, por uma janela
Se o sistema de refrigeração não puder ser liga-
aberta, quando o ar-condicionado estiver liga-
do, isto pode ter as seguintes causas:
do.
– O motor não está em funcionamento. ● Se for possível atingir a temperatura pretendi-
– O ventilador está desligado. da sem ligar o ar-condicionado, utilizar apenas
– O fusível do ar-condicionado está queimado. a ventilação.
– A temperatura ambiente está abaixo de apro- O para-brisa pode embaçar depois da parti-
ximadamente +2 ℃. da do motor por conta da umidade residual
– O compressor do ar-condicionado foi desliga- no ar-condicionado. Ligar a função de desemba-
do temporariamente devido à temperatura çamento para desembaçar o para-brisa o mais
muito elevada do líquido de arrefecimento do rápido possível.
motor.
Em algumas motorizações, para maior se-
– Há algum outro problema no veículo. O ar- gurança em uma ultrapassagem, o sistema
-condicionado deve ser verificado por uma de ar-condicionado se desliga por alguns segun-
Concessionária Volkswagen ou por uma em- dos quando se aciona o pedal do acelerador até o
presa especializada. fundo. Esse recurso permite que o motor atinja
seu máximo desempenho durante esse período. 
Particularidades
Se a umidade do ar externo e a temperatura am-
biente estiverem altas, água condensada pode vir
a pingar do evaporador do sistema de refrigera-
181.5B1.CRF.66

ção e formar uma poça d'água sob o veículo. Isto


é normal e não um sinal de vazamento!

Aquecimento e ar-condicionado 97
Modo de recirculação de ar Desligar: pressionar a tecla  até que nenhuma
luz de controle na tecla esteja acesa.
 Observe e no início desse capítulo na
página 94. ATENÇÃO
Ar viciado pode levar ao cansaço rápido e à fal-
Informações básicas ta de concentração do condutor, o que pode
No modo de recirculação de ar, o ar externo é im- causar colisões, acidentes e ferimentos graves.
pedido de atingir o interior do veículo. ● Nunca deixar o modo de recirculação de ar li-
gado por muito tempo, uma vez que o ar
Se a temperatura externa estiver muito quente
fresco não atinge o interior do veículo.
ou fria, escolher o modo de recirculação de ar por
algum tempo para esfriar ou aquecer o interior ● Quando o sistema de refrigeração estiver
do veículo mais rapidamente. desligado, os vidros podem embaçar muito
rapidamente e limitar muito as condições de
O modo de recirculação de ar deve ser ativado se
visibilidade.
o ar-condicionado estiver ligado. Se o ar-condi-
cionado estiver desligado, os vidros podem se ● Desligar sempre o modo de recirculação de
embaçar rapidamente. ar se ele não for necessário.

– Se o regulador da distribuição de ar for coloca- NOTA


do na posição , é desligado o modo de recir-
culação de ar → . Em veículos com ar-condicionado, não fumar
com o modo de recirculação de ar ligado. A fu-
Ligar e desligar o modo de recirculação de ar maça succionada pode se depositar no evapora-
 dor do sistema de refrigeração e no filtro de po-
eira e pólen, ocasionando odores incômodos e
Ligar: pressionar a tecla  até a luz de controle
duradouros. 
na tecla se acender.

Difusores de ar
 Observe e no início desse capítulo na página 94.

Fig. 85 No painel de instrumentos: difusores de ar.

Difusores de ar – Para abrir os difusores de ar 1 , pressionar na


Para que uma potência de aquecimento, uma re- parte superior do difusor de ar.
frigeração e uma entrada de ar suficientes sejam – Ajustar a direção da saída da corrente de ar gi-
atingidas no interior do veículo, nunca fechar os rando as aletas.
difusores de ar completamente → Fig. 85 1 . – Para fechar os difusores de ar, pressionar na
parte inferior do difusor de ar. 

98 Manual de instruções
Há outros difusores de ar, não reguláveis. Encon- pode danificar ou tornar inutilizáveis alimentos,
tram-se no meio do painel de instrumentos medicamentos e objetos sensíveis ao calor ou ao
→ Fig. 85 2 , nas áreas para os pés e na parte frio.
traseira do interior do veículo.
O ar que sai dos difusores de ar e passa por
NOTA todo o interior do veículo escapa para fora
Não colocar nenhum alimento, medicamento ou do veículo pelas fendas de ar sob o vidro traseiro.
outros objetos sensíveis ao calor diante dos difu- As fendas de ar não podem ser cobertas com pe-
sores de ar. O ar que sai de dentro dos difusores ças de roupa ou outros objetos. 

Desembaçador do vidro traseiro Conduzir


 Observe e no início desse capítulo na Orientações para condução
página 94.

 Introdução ao tema

ATENÇÃO
Uma aceleração rápida pode levar à perda de
tração e derrapagens, especialmente em ruas
escorregadias. Isto pode causar a perda de con-
trole do veículo, acidentes e ferimentos graves.
● Usar o kick-down ou a aceleração rápida so-
mente quando as condições de visibilidade,
Fig. 86 No console central: botão do desembaçador climáticas, da pista e do trânsito permitirem.
do vidro traseiro.
ATENÇÃO
No console central está o botão do desembaça-
dor do vidro traseiro  . Nunca deixar os freios “deslizarem” com fre-
quência e por muito tempo ou acionar o pedal
O desembaçador do vidro traseiro funciona so- do freio com frequência e por muito tempo.
mente com o motor em funcionamento e se des- Frenagens constantes causam superaqueci-
liga automaticamente após, aproximadamente mento dos freios. Isto pode diminuir bastante o
10 minutos. desempenho de frenagem, aumentar a distân-
– Pressionar o botão → Fig. 86 para ligar o de- cia de frenagem e, sob certas circunstâncias,
sembaçador do vidro traseiro. causar a falha total do sistema de freio.
– A luz de controle se acende no botão enquanto
o desembaçador estiver ligado. NOTA
– Para desligar o desembaçador do vidro traseiro ● Nunca deixar os freios “deslizarem” com uma
antecipadamente, pressionar o botão nova- pressão leve no pedal quando não for realmen-
mente. te necessário frear. Isto aumenta o desgaste.
● Antes de percorrer um trecho mais longo com
Após o vidro recuperar sua nitidez o desem- declives acentuados, diminuir a velocidade,
baçador deverá ser desligado. O consumo mudar para uma marcha mais baixa ou selecio-
mais baixo de corrente repercute favoravelmente nar uma posição de marcha inferior. Assim, é
no consumo de combustível.  possível aproveitada o efeito de frenagem do
motor por completo e o freio é aliviado. Caso 
181.5B1.CRF.66

Conduzir 99
contrário, o freio pode se superaquecer e, pos- Legenda para → Fig. 88
sivelmente, falhar. Utilizar os freios somente
1 Pedal do acelerador
quando necessário para diminuir a velocidade
ou parar.  2 Pedal do freio
O acionamento e a liberdade de movimento de
todos os pedais nunca devem ser limitados por
Pedais objetos ou tapetes para os pés.
Utilizar somente tapetes que deixem a região dos
 Observe e no início desse capítulo na pedais livre e que estejam fixados com segurança
página 99. e que não escorreguem na área para os pés.
Em caso de falha de um circuito do freio, é ne-
cessário pisar no pedal do freio mais profunda-
mente que o normal para parar o veículo.

ATENÇÃO
Objetos na área para os pés do condutor podem
impedir o livre acionamento dos pedais. Isto
pode causar a perda de controle do veículo e
aumentar o risco de ferimentos graves.
● Atentar para que todos os pedais possam ser
acionados sem impedimentos.
● Acomodar os tapetes sempre com segurança
na área para os pés.
Fig. 87 Pedais em veículos com transmissão manu- ● Nunca colocar tapetes para os pés ou outros
al: 1 pedal do acelerador, 2 pedal do freio, 3 pe- revestimentos de assoalho sobre o tapete
dal da embreagem. para os pés instalado.
● Atentar para que nenhum objeto possa al-
cançar a área para os pés do condutor duran-
te a condução.

NOTA
O acionamento dos pedais deve estar desimpedi-
do o tempo todo. Desta forma, em caso de falha
de um circuito do freio, por exemplo, é necessá-
ria uma distância de frenagem maior para parar o
veículo. Nesse caso, pisar no pedal do freio mais
fundo e forte que o usual. 

Fig. 88 Pedais em veículos com transmissão auto-


matizada: 1 pedal do acelerador, 2 pedal do freio.

Legenda para → Fig. 87


1 Pedal do acelerador
2 Pedal do freio
3 Pedal da embreagem

100 Manual de instruções


Indicador de troca de marcha Indicação
no Significado
 Observe e no início desse capítulo na display
página 99. A marcha selecionada é maior que a
marcha recomendada. No display,
2 uma seta para baixo é apresentada
ao lado da indicação da marcha sele-
cionada.
A marcha selecionada corresponde à
marcha recomendada. No display,
2
um ponto é apresentado ao lado da
indicação da marcha selecionada.
A marcha selecionada é menor que a
marcha recomendada. No display,
2 uma seta para cima é apresentada ao
lado da indicação da marcha selecio-
nada.
A numeração da indicação de troca de marcha
Fig. 89 No instrumento combinado: indicador de
pode variar de acordo com a marcha selecionada.
troca de marcha (variante 1).
ATENÇÃO
A recomendação de marcha é apenas um meio
auxiliar e não deve interferir na atenção do
condutor com o trânsito à sua volta.
● O indicador de troca de marcha visa tão so-
mente auxiliar o condutor a obter uma maior
economia de combustível. É de exclusiva res-
ponsabilidade do condutor avaliar, durante a
condução se as condições do veículo, da pis-
ta e do trânsito permitem que seja seguido o
indicador de troca de marcha, como, por
Fig. 90 No instrumento combinado: indicador de
exemplo, em ultrapassagens ou na condução
troca de marcha (variante 2).
do veículo totalmente carregado.
O indicador de troca de marcha possibilita um
A seleção de marcha otimizada permite um
menor consumo de combustível ao seguir as re-
menor consumo de combustível.
comendações de marcha mostradas no display.
A recomendação de marcha pode funcionar de Os textos de advertência podem variar, de-
acordo com os exemplos na tabela a seguir: pendendo da versão do instrumento combi-
nado.
O indicador de marcha se apaga ao acionar
o pedal da embreagem com a ignição ligada
ou quando o veículo estiver desengatado. 
181.5B1.CRF.66

Conduzir 101
Particularidades com a marcha a ré – Estilo de condução pessoal.
engatada – Condições de utilização (condições atmosféri-
cas, característica da pista de rodagem).
 Observe e no início desse capítulo na – Condições técnicas.
página 99.
O consumo de combustível pode ser facilmente
reduzido de 10 a 15% por meio de uma forma de
Com a marcha à ré engatada e a ignição ligada, condução preventiva e econômica.
ocorre o seguinte:
– A lanterna de marcha à ré se acende. Um veículo consome mais combustível na acele-
ração. Na condução preventiva, são necessárias
– Em veículos com controle de distância de esta-
menos frenagens e, consequentemente, menos
cionamento, o sensor é ativado.
acelerações. Deixar o veículo rodar livremente
– Em veículos com câmera de marcha a ré é exi- quando se perceber, por exemplo, que o semáfo-
bida a vista traseira para auxiliar o condutor ao ro seguinte está vermelho.
estacionar ou guiar com a marcha a ré. 
Com alguns meios simples e dependendo do esti-
lo de condução, é possível economizar até 25%
de combustível.
Estilo de condução econômico
Trocar a marcha mais rapidamente
 Observe e no início desse capítulo na Basicamente vale: a marcha mais alta é sempre a
página 99. mais econômica. Como regra básica, é válido na
maioria dos veículos: a uma velocidade de 30 km/
h, conduzir na 3ª marcha, a 40 km/h na 4ª mar-
cha e a 50 km/h já na 5ª marcha.
Além disso, o “salto” de marchas economiza
combustível no aumento da marcha quando as
condições do trânsito e da condução permitirem.
Não esgotar as marchas. Utilizar a 1ª marcha so-
mente para arrancar e trocar em seguida para a
2ª marcha. Em veículos com transmissão auto-
matizada, evitar um kick-down.
Os veículos com indicador de marcha apoiam
uma condução econômica de combustível pela
indicação do momento ideal para a mudança de
Fig. 91 Consumo de combustível em l/100 km em 2 marcha.
temperaturas ambiente diferentes.
Deixar rodar
Quando o pé é retirado do pedal do acelerador, a
Com a forma de condução correta é pos- alimentação de combustível do motor é inter-
sível reduzir o consumo de combustível, rompida e o consumo é baixado.
os danos ao meio ambiente e o desgaste Por esse motivo, por exemplo na aproximação a
do motor, dos freios e dos pneus. A seguir um semáforo vermelho, deixar o veículo rodar
encontram-se algumas dicas para poupar sem acelerar. Somente quando o veículo reduzir
o meio ambiente e economizar. demais ou o trecho de rodagem for maior, pisar
no pedal da embreagem para desengatar. O mo-
tor funciona, então, em rotação de marcha lenta.
O consumo de combustível, o nível de emissões
de poluentes no meio ambiente e o desgaste do Em situações nas quais se deve esperar um tem-
motor, dos freios e dos pneus dependem basica- po maior de parada, desligar o motor, por exem-
mente de 3 fatores: plo, em uma passagem de nível. 

102 Manual de instruções


Conduzir preventivamente e “acompanhar” o Evitar trechos curtos
trânsito O motor frio consome nitidamente mais combus-
Frenagens e acelerações frequentes aumentam o tível imediatamente após a partida. Somente
consumo de combustível. Uma condução preven- após alguns quilômetros o motor está devida-
tiva com uma distância suficiente do veículo à mente aquecido e o consumo de combustível é
frente pode ser compensada somente pela desa- normalizado.
celeração das variações de velocidade. Uma fre-
Para reduzir o consumo de combustível e a emis-
nagem ativa e uma aceleração não são, então,
são de poluentes de forma eficaz, o motor e o ca-
obrigatoriamente necessárias.
talisador devem ter atingido sua temperatura de
Conduzir com tranquilidade e com serviço ideal. Nesse aspecto, a temperatura am-
regularidade biente também é decisiva.
Mais importante do que a velocidade é a cons- A → Fig. 91 mostra a variação de consumo de
tância. Quanto mais regularmente se conduz, combustível para o mesmo percurso, a +20 °C e a
menor é o consumo de combustível. -10 °C.
Em condução na estrada, uma velocidade cons- Por esse motivo, evitar trechos curtos supérfluos
tante e moderada é mais eficiente do que acele- e agrupar caminhos.
rações e frenagens permanentes. Via de regra, O veículo consome mais combustível no inverno
chega-se ao destino tão rápido quanto com uma do que no verão nas mesmas condições.
forma de condução constante.
Além de proibido em alguns países, “deixar aque-
Aplicar consumidores adicionais de forma cer” o motor também é tecnicamente supérfluo e
moderada um desperdício de combustível.
O conforto do veículo é bom e importante, po-
Adequar a pressão dos pneus
rém deve ser usado com consciência ecológica.
Com a pressão correta dos pneus, reduz-se a re-
Assim, alguns equipamento ligados aumentam o sistência à rodagem e, assim, também o consu-
consumo de combustível (exemplos): mo de combustível.
– Sistema de refrigeração do ar-condicionado: Na compra de pneus novos, atentar para que os
quando o ar-condicionado precisar gerar uma pneus sejam otimizados com relação à resistên-
diferença muito grande de temperatura, ele cia à rodagem.
precisará de muita energia que é gerada pelo
motor. Por esse motivo, a diferença de tempe- Utilizar óleo do motor de baixo atrito
ratura no veículo não deve ser demasiadamen- Óleos de motor totalmente sintéticos com baixa
te grande com relação à temperatura externa. viscosidade, os assim denominados óleos de mo-
Pode ser útil ventilar o veículo antes do início tor de baixo atrito, reduzem o consumo de com-
da condução e depois conduzir com os vidros bustível. Óleos de motor de baixo atrito dimi-
abertos por um trecho curto. Somente então nuem a resistência de atrito no motor e se espa-
ligar o ar-condicionado com os vidros fecha- lham melhor e mais rapidamente, especialmente
dos. na partida a frio do motor. O efeito ocorre princi-
– Manter os vidros fechados em altas velocida- palmente em veículos que rodam trechos curtos
des. Vidros abertos aumentam o consumo de com frequência.
combustível. Observar sempre o nível correto do óleo do mo-
– Desligar o desembaçador do vidro traseiro tor e manter os intervalos de manutenção (inter-
quando o vidro estiver desembaçado. valos de troca de óleo do motor).

Outros fatores que aumentam o consumo de Na compra de óleo do motor, observar sempre a
combustível (exemplos): norma do óleo do motor e a liberação da
Volkswagen. 
– Unidade de controle do motor avariado.
– Condução em região montanhosa.
181.5B1.CRF.66

– Condução com um reboque.

Conduzir 103
Evitar carga desnecessária no Manutenção e garantia por uma Concessio-
Quanto mais leve for um veículo, mais econômi- nária Volkswagen ou por uma empresa especiali-
co e ecologicamente correto ele será. Um peso zada.
adicional de 100 kg aumenta, por exemplo, o Na condução com freios molhados, como, por
consumo de combustível em até 0,3 l/100 km. exemplo, após travessias de trechos alagados ou
Remover todos os objetos não utilizados e a car- após chuva intensa ou após uma lavagem do veí-
ga desnecessária do veículo. culo, o efeito de frenagem pode ocorrer com re-
tardo em razão dos discos de freio úmidos ou
Remover instalações e peças agregadas não congelados no inverno. Os freios devem ser “se-
necessárias cos por frenagem” o mais rápido possível por
Quanto mais aerodinâmico for um veículo, menor meio de frenagens cuidadosas em caso de uma
será seu consumo de combustível. Instalações e velocidade mais alta. Atentar para que, nesse ca-
peças agregadas, como bagageiros do teto ou su- so, veículos vindos por trás e outros condutores
portes para bicicletas, diminuem a vantagem ae- não sejam colocados em perigo → .
rodinâmica. Uma camada de sal sobre os discos de freio e so-
Por isso, remover instalações desnecessárias e bre as pastilhas de freio retarda o efeito de fre-
sistemas não utilizados, principalmente quando nagem e aumenta a distância de frenagem.
precisar conduzir em altas velocidades. Quando não tiverem ocorrido frenagens em ruas
com camadas de sal por um período prolongado,
ATENÇÃO será necessário raspar a camada de sal por meio
de frenagens cautelosas → .
Adequar a velocidade e a distância de seguran-
ça em relação aos veículos à frente sempre de Corrosão nos discos de freio e sujeira nas pasti-
acordo com as condições de visibilidade, climá- lhas de freio são favorecidas por períodos longos
ticas, da pista e do trânsito.  de parada, pouco desempenho de rodagem e bai-
xa demanda. Em caso de pouca demanda das
pastilhas do freio, bem como na existência de
corrosão, a Volkswagen recomenda limpar os dis-
Informações sobre os freios cos de freio e as pastilhas do freio por meio de
diversas freadas a partir de velocidades mais al-
 Observe e no início desse capítulo na tas, sempre respeitando o limite de velocidade
página 99. imposto pelo local e a condição de dirigibilidade
do momento (por exemplo, pista molhada ou se-
Pastilhas de freio novas ainda não possuem o ca, condução noturna ou diurna). Atentar para
efeito de frenagem total durante os primeiros que, nesse caso, veículos vindos por trás e outros
300 km e precisam ser “amaciadas” → . A força condutores não sejam colocados em perigo → .
de frenagem um pouco reduzida, entretanto, po-
de ser compensada com uma forte pressão no Avaria do sistema de freio
pedal do freio. No período do amaciamento, a Quando o veículo não frear mais como usual-
distância de frenagem é maior em freadas totais mente (aumento súbito da distância de frena-
ou frenagens de emergência que com pastilhas gem), é possível que um circuito do freio esteja
de freio amaciadas. Durante o amaciamento de- falhando. Isso será indicado pela luz de advertên-
vem ser evitadas freadas totais e situações que cia  e eventualmente por uma mensagem de
resultem em altas solicitações dos freios. Por texto. Procurar imediatamente uma Concessio-
exemplo, quando se conduz muito próximo dos nária Volkswagen ou uma empresa especializada
demais veículos. para eliminar o dano. Durante o trajeto, conduzir
O desgaste das pastilhas de freio depende muito em baixa velocidade e se preparar para distâncias
das condições de utilização e da forma de condu- maiores de frenagem e para uma pressão maior
ção. Em caso de tráfego urbano e trechos curtos no pedal.
frequentes, bem como de forma esportiva de
Servofreio
condução, a Volkswagen recomenda que a espes-
sura das pastilhas de freio seja verificada com O servofreio funciona somente com o motor em
mais frequência do que a indicada no → cader- funcionamento e amplifica a pressão do pedal
que o condutor exerce sobre o pedal do freio. 

104 Manual de instruções


Quando o servofreio não funcionar ou o veículo ● Secar sempre os freios por meio de algumas
for rebocado, o pedal do freio deverá ser pisado frenagens cautelosas e mantê-los livres de
com mais força, pois a distância de frenagem au- gelo e de sal quando as condições de visibili-
mentará em razão da falta da assistência à força dade, climáticas, da pista e do trânsito per-
de frenagem → . mitirem.

ATENÇÃO ATENÇÃO
Pastilhas de freio novas não têm inicialmente o A condução sem servofreio pode aumentar bas-
efeito de frenagem ideal. tante a distância de frenagem e, assim, causar
● Pastilhas de freio novas ainda não possuem o acidentes e ferimentos graves.
efeito de frenagem total nos primeiros 300 ● Nunca deixar o veículo rodar com o motor
km de utilização e precisam ser “amaciadas”. desligado.
Nesse caso, um efeito de frenagem reduzido
● Quando o servofreio não funcionar ou o veí-
pode ser aumentado aplicando-se mais pres-
culo for rebocado, o pedal do freio deverá ser
são sobre o pedal do freio.
pisado com mais força, pois a distância de
● Para reduzir o risco de acidentes, ferimentos frenagem aumentará em razão da falta da
graves e a perda do controle do veículo, de- assistência à força de frenagem.
ve-se conduzir de forma especialmente cui-
dadosa com pastilhas de freio novas. NOTA
● Durante o período de amaciamento das pas-
● Nunca deixar os freios “deslizarem” com uma
tilhas de freio novas, nunca se aproximar de-
pressão leve no pedal quando não for realmen-
mais de outros veículos ou gerar situações de
te necessário frear. Pressão constante sobre o
condução que resultem em uma solicitação
pedal do freio causa um superaquecimento
elevada do freio.
dos freios. Isto pode diminuir bastante o de-
sempenho de frenagem, aumentar a distância
ATENÇÃO de frenagem e, sob certas circunstâncias, cau-
Freios superaquecidos reduzem o efeito de fre- sar a falha total do sistema de freio.
nagem e aumentam muito a distância de frena- ● Antes de percorrer um trecho mais longo com
gem. declives acentuados, diminuir a velocidade,
● Na condução em declives, os freios são soli- mudar para uma marcha mais baixa ou selecio-
citados de forma considerável e se aquecem nar uma posição de marcha mais baixa. Assim,
rapidamente. é possível aproveitar o efeito de frenagem do
● Antes de percorrer um trecho mais longo motor por completo e o freio é aliviado. Caso
com declives acentuados, diminuir a veloci- contrário, o freio pode se superaquecer e, pos-
dade, mudar para uma marcha mais baixa ou sivelmente, falhar. Utilizar os freios somente
selecionar uma posição de marcha mais bai- quando necessário para diminuir a velocidade
xa. Assim, é possível aproveitar o efeito de ou parar.
frenagem do motor por completo e o freio é
Quando as pastilhas do freio dianteiras fo-
aliviado.
rem verificadas, as pastilhas do freio trasei-
● Spoilers dianteiros que não sejam de série ou ras também devem ser verificadas simultanea-
que estejam avariados podem restringir a ali- mente. A espessura de todas as pastilhas do freio
mentação de ar dos freios e causar o supera- deve ser verificada visual e regularmente, inspe-
quecimento dos freios. cionando-se as pastilhas do freio pelas aberturas
das rodas ou a partir da parte inferior do veículo.
ATENÇÃO Quando necessário, desmontar as rodas para po-
Freios molhados ou congelados ou freios com der realizar uma verificação completa. Para isso,
sal freiam mais tarde e aumentam a distância a Volkswagen recomenda as Concessionárias
de frenagem. Volkswagen. 
181.5B1.CRF.66

● Experimentar os freios com testes cautelo-


sos.

Conduzir 105
Conduzir com o veículo carregado Travessia de trechos alagados
 Observe e no início desse capítulo na  Observe e no início desse capítulo na
página 99. página 99.

Para garantir boas características de condução de Primeiramente, deve-se evitar a travessia por
um veículo carregado, observar o seguinte: trechos alagados. A condução do veículo em tal
condição dificulta o modo de dirigibilidade, po-
– Acomodar todos os volumes de bagagem de
dendo causar sérios danos no veículo e colocan-
forma segura → Página 148.
do em risco a segurança do condutor e dos de-
– Acelerar de forma especialmente cautelosa e mais passageiros. Caso a travessia seja necessá-
cuidadosa. ria, para evitar danos no veículo, ao condutor,
– Evitar manobras de direção e de frenagem sú- passageiros e demais condutores, observar o se-
bitas. guinte:
– Frear antes do usual. – Verificar a profundidade da água antes da tra-
– Se necessário, observar as informações sobre o vessia de trechos alagados. A água pode alcan-
bagageiro do teto → Página 150. çar, no máximo, a borda inferior da carroceria
(abaixo das portas) → .
ATENÇÃO – Não conduzir a uma velocidade superior à ve-
Se a carga deslizar, a estabilidade e a segurança locidade de um passo.
da condução do veículo poderão ser bastante – Nunca parar, dar marcha a ré ou desligar o mo-
reduzidas, causando acidentes e ferimentos tor na água.
graves. – Veículos no contrafluxo provocam ondas que
● Fixar a carga corretamente para que ela não podem elevar o nível da água para seu veículo,
deslize. inviabilizando a travessia do trecho alagado de
● Em caso de objetos pesados, utilizar fitas de forma segura.
amarração ou cintas tensoras adequadas.
● Travar o encosto do banco traseiro na posi- ATENÇÃO
ção vertical.  Após conduções por água, lama, lodo, etc., po-
de ocorrer um retardamento na atuação do
freio em razão de umidade ou congelamento
dos discos e pastilhas de freio, exigindo o au-
Conduzir com a tampa traseira mento da distância de frenagem.
aberta ● “Secar os freios e eliminar o gelo” por meio
de ações cuidadosas de frenagem. Proceder
 Observe e no início desse capítulo na sem colocar os demais condutores em risco
página 99. ou desrespeitar as determinações legais.
● Evitar manobras bruscas e repentinas de fre-
ATENÇÃO nagem logo após a travessia de trechos ala-
Em nenhuma hipótese utilizar o veículo com a gados.
tampa traseira e/ou com o suporte da roda de
emergência abertos, podem ocorrer acidentes e NOTA
danos irreparáveis à carroceria.  ● Na travessia de trechos alagados, algumas pe-
ças do veículo, como, por exemplo, motor,
transmissão, chassi ou sistema elétrico, podem
ser seriamente danificados.
● Jamais conduzir por água salgada, o sal pode
provocar corrosão. Lavar imediatamente com
água doce todas as partes do veículo que te-
nham entrado em contato com a água salgada. 

106 Manual de instruções


Amaciar o motor Se o veículo for vendido em outro país ou se for
utilizado em outro país por um período prolonga-
 Observe e no início desse capítulo na do, as respectivas determinações legais válidas
página 99. no país de destino deverão ser observadas.
Se for o caso, será necessário montar ou des-
Observar as respectivas determinações para montar determinados equipamentos e desativar
amaciamento de peças novas. funções. Da mesma forma, os escopos dos servi-
ços e os tipos de serviço podem ser afetados. Isto
Amaciar o motor é valido especialmente se o veículo for utilizado
Um motor novo deve ser amaciado durante os durante um período prolongado em uma região
primeiros 1.500 quilômetros. O atrito interno das de clima diferente.
primeiras horas de uso do motor é maior que o Em razão de diferentes faixas de frequência ao
atrito posterior, quando todas as peças móveis já redor do mundo, o rádio ou o sistema de navega-
estiverem ajustadas umas às outras. ção poderã não funcionar em outros países.
A forma de condução dos primeiros 1.500 quilô-
metros também influencia a qualidade do motor. NOTA
Mesmo depois que o motor estiver amaciado, so- ● A Volkswagen não se responsabiliza por danos
bretudo quando o motor estiver frio, conduzir causados ao veículo em razão de combustível
com rotação moderada para redução do desgaste de baixa qualidade, serviços indevidos fora da
do motor e aumento de sua vida útil. Não condu- Rede Autorizada ou utilização de peças não
zir com rotação muito baixa. Reduzir a marcha originais.
sempre que o motor não estiver operando “de
● A Volkswagen não é responsável caso o veículo
maneira regular”. Até os 1.000 quilômetros vale:
não corresponda ou corresponda apenas par-
– Não acelerar ao máximo. cialmente aos respectivos requisitos legais de
– Não submeter o motor a uma rotação maior outros países e continentes. 
que 2/3 da rotação máxima.
Entre 1.000 e 1.500 quilômetros, pode-se elevar
gradualmente a velocidade e a rotação do motor,
limitados à velocidade do respectivo local de ro- Ligar e desligar o motor
dagem.

Amaciamento das pastilhas de freio e de  Introdução ao tema


pneus novos
– Pneus novos e troca de pneus → Página 218
Indicador do imobilizador
– Informações sobre os freios → Página 104
Em caso de chave do veículo inválida ou avaria do
Uma rodagem cuidadosa do motor novo au- sistema, poderá aparecer  no display do ins-
menta a sua vida útil, com um baixo consu- trumento combinado. O motor não pode ser liga-
mo de óleo e combustível.  do → Página 111.

Empurrar ou puxar
Por razões técnicas, o veículo não deve ser em-
Utilização do veículo em outros purrado ou puxado. Em vez disso, utilizar o auxí-
países e continentes lio à partida.

 Observe e no início desse capítulo na ATENÇÃO


página 99. Um desligamento do motor durante a condu-
ção torna a parada do veículo mais difícil. Como
O veículo foi produzido para um determinado pa- consequência, podem ocorrer tanto a perda de
181.5B1.CRF.66

ís e corresponde às determinações de homologa- controle do veículo, como acidentes e ferimen-


ção vigentes no país no momento da fabricação tos graves. 
do veículo.

Conduzir 107
● Os sistemas de assistência à frenagem e à Cilindro da ignição
condução, o sistema de airbag, os pré-ten-
sionadores dos cintos de segurança, bem co-  Observe no início desse capítulo na pági-
mo outros equipamentos de segurança do na 107.
veículo são ativados somente com o motor
em funcionamento.
● Desligar o motor somente com o veículo pa-
rado.

ATENÇÃO
O risco de ferimentos graves pode ser reduzido
com o motor em funcionamento ou durante a
partida do motor.
● Nunca ligar o motor ou deixá-lo funcionando
em locais fechados ou sem ventilação. O sis-
tema de escape do motor contêm, entre ou-
tros, monóxido de carbono, um gás tóxico
inodoro e incolor. O monóxido de carbono
pode causar desmaios e morte.
● Nunca deixar o veículo com o motor em fun-
cionamento sem a devida atenção. O veículo
poderia se deslocar subitamente ou um
evento incomum poderia ocorrer, causando Fig. 92 Ao lado do volante, à direita: posições da
danos e ferimentos graves. chave do veículo no cilindro da ignição.
● Nunca utilizar um acelerador de partida. Um
acelerador de partida pode explodir ou cau- Posições da chave do veículo → Fig. 92
sar um súbito aumento da rotação do motor. 0 Ignição desligada. A chave do veículo pode
ser retirada.
ATENÇÃO 1 Ignição ligada.
As peças do sistema de escape esquentam mui- 2 Ligar o motor. Quando o motor começar a
to. Por isso podem ocorrer incêndios e ferimen- funcionar, soltar a chave da ignição. Ao sol-
tos graves. tar, a chave do veículo retorna à posição 1 .
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe-
ças do sistema de escape entrem em contato Sempre que for necessário repetir a partida, re-
com materiais inflamáveis embaixo do veícu- tornar a chave até a posição 0 . O bloqueador de
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira, repetição de partida, no cilindro da ignição, im-
folhas, grama seca, combustível derramado pede que o motor de partida atue com o motor
etc. em funcionamento, evitando que se danifique.
● Nunca utilizar proteção adicional para a parte
inferior do veículo ou produtos ATENÇÃO
anticorrosivos no tubo do escapamento, ca- Uma utilização desatenta da chave do veículo
talisadores ou chapas de blindagem térmica.  pode causar ferimentos graves.
● Levar sempre todas as chaves do veículo ao
deixar o veículo. O motor pode ser ligado e
equipamentos elétricos, como os vidros elé-
tricos, podem ser comandados, o que pode
causar ferimentos graves.
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidade especiais sozinhas no veículo. Em
caso de emergência, elas não estariam em
condições de deixar o veículo sozinhas ou de 

108 Manual de instruções


cuidarem de si mesmas. Em um veículo fe- Executar as ações sempre na sequência indica-
chado, conforme a estação do ano, podem da.
ocorrer temperaturas muito altas ou muito Passo Transmissão Transmissão
baixas que podem causar ferimentos graves manual automatizada
e enfermidades, principalmente em crianças luz de controle do sistema de partida
pequenas, ou levar à morte. aquecida  irá se acender no instru-
● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro mento combinado.
da ignição enquanto o veículo estiver em 5. Aguardar que a luz de controle  se
movimento. apague indicando o término do aque-
cimento do combustível (esta ação
NOTA poderá ser necessária em condições
O motor de partida só pode ser acionado com o de partida com o motor frio).
motor parado. Se o motor de partida voltar a ser 6. Girar a chave do veículo no cilindro da
acionado imediatamente após se desligar o mo- ignição para a posição → Fig. 92 2
tor, tanto ele quanto o motor do veículo podem para dar partida no motor – não acele-
ser danificados. rar. Caso a etapa 5 não seja respeita-
da, a luz de controle  irá piscar indi-
Quando a chave do veículo permanece no cando a necessidade de interromper o
cilindro da ignição por um longo período procedimento de partida e repeti-lo
com o motor desligado, a bateria do veículo se após retornar a chave para a posição
descarrega.  → Fig. 92 0 e aguardar aproximada-
mente 10 segundos.
7. Quando o motor
Dar a partida no motor começar a funcio-
Após o aciona-
nar, soltar imedia-
mento do motor
 Observe no início desse capítulo na pági- tamente a chave do
de partida não é
na 107. veículo no cilindro
necessário segu-
da ignição – o mo-
rar a chave.
Executar as ações sempre na sequência indica- tor de partida não
da. deve ser arrastado.
Passo Transmissão Transmissão 7 a. Se o motor não começar a funcionar,
manual automatizada interromper o procedimento de parti-
da e repeti-lo após aproximadamente
1. Pisar no pedal do freio firmemente e
um minuto.
mantê-lo pressionado até que o passo
7 tenha sido efetuado. 8. Soltar o freio de estacionamento
quando estiver pronto para partir
2. Pisar totalmente no
→ Página 128.
pedal da embrea-
gem e segurar até Sistema de motor de partida assistida -
que tenha sido dada veículos com transmissão automatizada
a partida no motor. -
Desta forma o mo- O sistema de motor de partida assistida evita que
tor de partida atua o motor de partida seja “arrastado”, quando se
apenas sobre o mo- dá a partida no veículo.
tor. A partida assistida está programada para acionar
3. Colocar a alavanca o motor de partida durante aproximadamente 10
Colocar a alavan- segundos. Caso não ocorra a partida do motor, o
de troca de marcha
ca seletora na sistema irá interromper a operação. Será neces-
na posição neutra
posição N. sário repetir a partida do motor.
(ponto morto).
4. Girar a chave do veículo no cilindro da Se o motor não entrar em funcionamento, a par-
181.5B1.CRF.66

ignição para a posição → Fig. 92 1 tida poderá ser repetida aproximadamente 6 ve-
para ligar a ignição. Nesse instante a zes seguidas. Neste caso, na próxima tentativa 

Conduzir 109
será necessário segurar a chave na posição 2 e Desligar o motor
soltá-la assim que o motor entrar em funciona-
mento.  Observe no início desse capítulo na pági-
na 107.
ATENÇÃO
Nunca sair do veículo com o motor em funcio- Executar as ações sempre na sequência indica-
namento. O veículo pode deslocar-se subita- da.
mente e, especialmente com a marcha ou a
Passo Transmissão Transmissão
respectiva posição de marcha engatada, causar
manual automatizada
acidentes e ferimentos graves.
1. Parar o veículo completamente → .
ATENÇÃO 2. Pisar no pedal da
embreagem e man-
Um acelerador de partida pode explodir ou cau-
tê-lo pressionado
sar um súbito aumento da rotação do motor. Pisar no pedal do
até que o passo 3
● Nunca utilizar um acelerador de partida. freio e mantê-lo
tenha sido efetuado
pressionado até
e, pisar no pedal do
NOTA que o passo 4 te-
freio e mantê-lo
nha sido efetuado.
● O motor de partida ou o motor podem ser da- pressionado até que
nificados ao tentar ligar o motor durante a o passo 4 tenha sido
condução ou quando o motor for acionado no- efetuado.
vamente imediatamente após ser desligado. 3. Colocar a alavanca
Engatar a 1ª marcha
● Com o motor frio, evitar rotações do motor seletora na posi-
ou a marcha a ré.
elevadas, aceleração total e forte demanda do ção D ou R.
motor. 4. Puxar firmemente o freio de estaciona-
● Não empurrar ou puxar o veículo para dar par- mento → Página 128.
tida no motor. O combustível não queimado 5. Girar a chave do veículo no cilindro da
pode danificar o catalisador. ignição para a posição → Fig. 92 0 .

Não deixar o motor aquecer com o veículo ATENÇÃO


parado. Colocar o veículo em movimento
imediatamente quando houver boa visibilidade Nunca desligar o motor enquanto o veículo es-
através dos vidros, com cuidado para não forçar o tiver em movimento. Isto pode causar a perda
motor enquanto estiver frio. Desta forma, o mo- de controle do veículo e provocar acidentes e
tor atinge sua temperatura de trabalho mais rapi- ferimentos graves.
damente e gera menos emissões. ● Os airbags e os pré-tensionadores dos cintos
de segurança não funcionam com a ignição
Não será possível dar partida “no tranco” desligada.
nos veículos equipados com transmissão
automatizada. ● O servofreio não funciona com o motor des-
ligado. Com o motor desligado, é necessário
Ao ligar o motor, os consumidores elétricos aplicar uma pressão maior sobre o pedal do
maiores são desligados temporariamente. freio para parar.
Após ligar um motor frio, podem ocorrer ru- ● A direção assistida não funciona com o mo-
ídos mais fortes de funcionamento por um tor desligado e é necessário aplicar mais for-
curto período. Isto é normal e não deve causar ça para conduzir o veículo.
preocupação. 
NOTA
Se o veículo for conduzido com alta demanda do
motor, ele poderá se superaquecer após a para-
da. Para evitar danos ao motor, deixá-lo funcio-
nando na posição neutra por aproximadamente 2
minutos antes de desligá-lo. 

110 Manual de instruções


Após desligar o motor, o ventilador do ra- Transmissão manual: engatar a
diador no compartimento do motor pode
continuar funcionando durante alguns minutos marcha
com a ignição desligada ou com a chave do veí-
culo fora da ignição. O ventilador do radiador se  Observe no início desse capítulo na pági-
desliga automaticamente. na 107.

Imobilizador eletrônico
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 107.

Fig. 94 Esquema de troca de marchas da transmis-


são manual de 6 marchas.

As posições de cada marcha estão representadas


na alavanca de troca de marcha → Fig. 94 e
→ Fig. 94.

– Pisar totalmente no pedal da embreagem e


Fig. 93 No instrumento combinado: display com in- mantê-lo pressionado.
dicação do imobilizador ativado - veículos com Sis-
tema de Informações Volkswagen. – Colocar a alavanca de troca de marcha na posi-
ção desejada → .
O imobilizador ajuda a impedir que o motor seja – Soltar suavemente o pedal da embreagem para
ligado com uma chave do veículo não habilitada e iniciar o movimento.
que, desta forma, o veículo possa se movimentar.
Engatar a marcha a ré
A chave do veículo possui um chip. Com a ajuda
deste chip, o imobilizador é desativado automati- – Engatar a marcha a ré somente com o veículo
camente ao introduzir a chave do veículo no cilin- parado.
dro da ignição. – Pisar totalmente no pedal da embreagem e
mantê-lo pressionado → .
O imobilizador eletrônico é ativado automatica-
mente assim que a chave do veículo é retirada do – Colocar a alavanca de troca de marcha na posi-
cilindro da ignição. ção neutra e pressioná-la para baixo.
Chaves do veículo codificadas podem ser adquiri- – Empurrar a alavanca de troca de marcha total-
das em uma Concessionária Volkswagen mente para a esquerda e depois para frente
→ Página 55. até a posição da marcha a ré → Fig. 94 e
→ Fig. 94 R .
Caso uma chave do veículo não habilitada tenha
– Soltar suavemente o pedal da embreagem para
sido utilizada, a indicação SAFE ou Chave não encon-
iniciar o movimento.
trada → Fig. 93 aparece no display do instrumento
combinado. Nesse caso, o veículo não pode ser li- Reduzir a marcha
gado. 
A redução de marcha durante a condução sempre
181.5B1.CRF.66

deve ser efetuada para a próxima marcha inferior


e com as rotações do motor não muito altas 

Conduzir 111
→ . Se a velocidade ou a rotação do motor fo- manobrar o veículo em marcha à ré, atente
rem muito altas, pular uma ou mais marchas na para não encostar a parte traseira do veículo
redução de marcha pode ocasionar danos à em- em paredes, principalmente em garagens,
breagem e à transmissão, mesmo com o pé na postes ou qualquer outro tipo de obstáculo.
embreagem, e ao motor→ .
NOTA
ATENÇÃO
Se em velocidades ou rotações do motor altas a
O veículo com o motor em funcionamento se alavanca de troca de marcha for colocada em
movimenta imediatamente assim que uma uma marcha muito baixa, podem ocorrer danos
marcha é engatada e o pedal da embreagem é significativos à embreagem e à transmissão. Isto
liberado. também é válido se o pedal da embreagem per-
● Nunca desligar o motor enquanto o veículo manecer acionado e não houver engate.
estiver em movimento.
● Nunca engatar a marcha a ré enquanto o veí- NOTA
culo estiver em movimento. Para evitar danos e um desgaste prematuro, ob-
servar o seguinte:
ATENÇÃO ● Durante a condução, não deixar a mão repou-
Uma redução de marcha incorreta para mar- sar sobre a alavanca de troca de marcha. A
chas muito baixas pode causar a perda de con- pressão da mão é transferida para os garfos de
trole do veículo e provocar acidentes e feri- engate da transmissão.
mentos graves. ● Atentar para que o veículo esteja totalmente
parado antes de engatar a marcha a ré.
ATENÇÃO ● Durante a mudança de marcha, pisar sempre
Considerando que a roda de emergência fica no pedal da embreagem até o fundo.
bastante saliente, é necessário tomar alguns ● Em aclives, não segurar o veículo com a em-
cuidados adicionais ao executar manobras em breagem “patinando” com o motor em funcio-
marcha à ré. namento. 
● Para evitar possíveis danos no mecanismo de
abertura e fechamento ou ainda deforma-
ção / amassamento na tampa traseira, ao

112 Manual de instruções


Transmissão automatizada

Transmissão automatizada ASG: engatar a marcha

Fig. 96 Alavanca seletora da transmissão automati-


zada ASG.

Fig. 95 (A) Posições da alavanca seletora no display:


indicação da alavanca no modo de condução auto-
matizada (Modo normal), com a 1ª marcha engatada.
(B) Posições da alavanca seletora no display: modo
de condução manual, com a 1ª marcha selecionada.

Os veículos com transmissão automatizada não da posição “D/M” para a posição N ou R, primei-
possuem pedal de embreagem. O acionamento ramente pise no pedal do freio e manter pressio-
da embreagem e as mudanças de marchas são nado, desloque a alavanca seletora para a posi-
realizadas por um dispositivo eletrohidráulico ção N no sentido da direita ou para a posição R
com controle eletrônico. para baixo no sentido da seta → Fig. 96, com o
veículo totalmente parado.
Com o veículo em movimento, não é necessário
pisar no pedal do freio para alterar o programa Com a ignição ligada, a posição atual da alavanca
de condução. Apenas desloque a alavanca seleto- seletora ou marcha atual são indicadas no display
ra para a posição “D/M” no sentido da seta es- do instrumento combinado → Fig. 95. 
querda → Fig. 96. Para mudar a alavanca seletora
181.5B1.CRF.66

Conduzir 113
Posição da alavanca
Denominação Significado →
seletora
Todas as marchas à frente são engatadas e desenga-
tadas automaticamente. O momento da troca de
marcha depende da carga do motor, do estilo de con-
Condução automatizada dução individual e da velocidade da condução.
 (Modo normal) Para selecionar o modo de condução normal a partir
da posição N, será necessário pisar no pedal do freio
se o veículo estiver parado ou a uma velocidade infe-
rior a 5 km/h.
O modo de condução manual permite que o condutor
troque as marchas manualmente, dentro dos limites
máximo e mínimo de rotação do motor.
Condução manual (Modo As trocas de marcha devem ser realizadas manual-
 sequencial) mente pela alavanca seletora ou pelos seletores bas-
culantes no volante.
No display do instrumento combinado é mostrada a
marcha selecionada → Fig. 95.
A transmissão está na posição neutra. Não há trans-
 Neutro (ponto morto) missão de força para as rodas e o efeito de frenagem
do motor não está disponível.
A marcha a ré está engatada.
Engatar somente com veículo parado.
Para engatar a marcha à ré, é necessário pisar no pe-
 Marcha a ré dal do freio, com a ignição ligada e com o veículo to-
talmente parado. Mantenha o pedal do freio aciona-
do, posicionar a alavanca seletora para a direita e, em
seguida, para trás, na posição R.
Com a alavanca seletora na posição central, com o
modo de condução D selecionado e acionando-se a
tecla S no console, todas as marchas à frente são
engatadas com rotações do motor mais altas e de-
Condução esportiva (Mo-
 do esportivo)
sengatadas mais cedo do que na posição D da ala-
vanca seletora para utilização completa das reservas
de potência do motor. O momento da troca de mar-
cha depende da carga do motor, do estilo de condu-
ção individual e da velocidade da condução.

ATENÇÃO ATENÇÃO
O engate incorreto da alavanca seletora pode ● Como condutor, nunca deixar o banco do
ocasionar a perda de controle do veículo, aci- condutor com o motor funcionamento e uma
dentes e ferimentos graves. posição de marcha engatada. Se for preciso
● Nunca acelerar ao engatar uma posição de sair do veículo com o motor em funciona-
marcha. mento, puxar o freio de estacionamento e
colocar a alavanca seletora na posição N.
● Com motor em funcionamento e a posição
de marcha engatada, o veículo se movimenta ● Com o motor em funcionamento e a posição
assim que o pedal do acelerador for aciona- de marcha D (posição central), M (posição
do. central) ou R engatada, é necessário manter
o veículo parado com o pedal do freio. Mes-
● Nunca acionar a marcha à ré durante a con-
mo em marcha lenta, a transmissão de força
dução.
não é totalmente interrompida, e o veículo
“desliza vagarosamente”. 

114 Manual de instruções


● Nunca mudar para a posição de marcha R ou para não encostar a parte traseira do veículo
N se o veículo estiver em movimento. em paredes, principalmente em garagens,
● Nunca deixar o veículo na posição de marcha postes ou qualquer outro tipo de obstáculo.
N. O veículo descerá um declive, indepen-
Em uma condução com o modo normal se-
dente de o motor estar em funcionamento
lecionado, o consumo de combustível é
ou não.
mais moderado do que no modo esportivo.
ATENÇÃO A instalação de Kit-Gás em veículos com
Considerando que a roda de emergência fica transmissão automatizada não é recomen-
bastante saliente, é necessário tomar alguns dada, pois pode prejudicar a eficiência das mu-
cuidados adicionais ao executar manobras em danças de marchas.
marcha à ré. Nos veículos equipados com transmissão
● Para evitar possíveis danos no mecanismo de automatizada ASG, o menu principal do
abertura e fechamento ou ainda deforma- computador de bordo ou do Sistema de informa-
ção / amassamento na tampa traseira, ao ções Volkswagen (I-System) → Página 48, so-
manobrar o veículo em marcha à ré, atente mente poderá ser acessado quando o veículo es-
tiver parado com o motor desligado, com a igni-
ção ligada e com o pedal do freio acionado. 

Trocar de marcha com o Tiptronic

Fig. 98 Volante com dois seletores para troca de


marcha no modo manual.
Fig. 97 Alavanca seletora na posição para condução
Com a transmissão automatizada ASG pode-se
de marcha no modo manual.
engatar as marchas superiores e reduzi-las ma-
nualmente no modo manual. Ao mudar para mo-
do manual a marcha atual em uso é mantida. Isto
vale até que o sistema não execute uma troca de
marcha automaticamente devido à situação de
condução atual.
Utilizar sempre o modo manual de condução
quando necessária ativação do modo off-road
→ Página 121. 
181.5B1.CRF.66

Conduzir 115
Operar o modo manual com a alavanca Conduzir com transmissão
seletora
automatizada ASG
– Mover a alavanca seletora para a esquerda até
a posição “D/M”. A indicação M próxima a ala- As marchas à frente são engatadas para as posi-
vanca ficará acesa, bem como a indicação da ções acima e abaixo automaticamente.
marcha em curso, no display do instrumento
combinado. Conduzir
– Mover a alavanca seletora para frente + ou – Pisar no pedal do freio firmemente e mantê-lo
para trás – para engatar as marchas altas ou nesta posição.
baixas → Fig. 97.
– Mover a alavanca seletora para a posição cen-
Operar o modo manual com os seletores tral ou em R. Poderá ser ainda selecionado o
basculantes modo de condução esportiva, pressionando a
tecla S , com o modo de condução normal pre-
– No programa de condução D, S ou M (modo viamente selecionado. Se acende uma luz na
manual), acionar os seletores basculantes no respectiva tecla e uma indicação no display do
volante → Fig. 98. instrumento combinado.
– Puxar o seletor basculante direito + OFF na di- – Soltar o freio de estacionamento.
reção do volante para engatar as marchas su-
periores. – Aguardar alguns segundos, até que se engate a
marcha.
– Puxar o seletor basculante esquerdo - na dire-
ção do volante para redução das marchas. – Soltar o pedal do freio e acelerar cuidadosa-
mente → .
– Para sair do modo manual, puxar o seletor bas-
culante direito + OFF na direção do volante por Parada temporária
alguns segundos.
– Utilizar o pedal do freio para evitar que o veí-
O modo manual é desativado automaticamente culo se desloque, por exemplo, quando se para
se os seletores basculantes não forem acionados no semáforo.
durante algum tempo e a transmissão volta a – Não é necessário colocar a alavanca seletora
operar no modo de condução D. na posição N.

Função Auto-Down Estacionamento


Na desaceleração do veículo, a transmissão auto- – Pisar no pedal do freio firmemente e mantê-lo
matizada assume automaticamente a marcha nesta posição, até o veículo parar completa-
compatível com a velocidade registrada no mo- mente → .
mento.
– Colocar a alavanca seletora na posição central
ou em R. Por questões de segurança, nunca
NOTA estacionar o veículo com a alavanca na posição
● Ao acelerar, um pouco antes de atingir a rota- N.
ção máxima admissível do motor, a transmis- – Puxar firmemente o freio de estacionamento.
são automatizada muda automaticamente pa-
ra a marcha imediatamente superior. – Desligar o motor.
● Na redução de marcha manual, a transmissão Conduzir em declives
muda a marcha somente quando uma alta ro- Quanto maior o declive, mais baixa deve ser a
tação do motor não for mais possível. marcha selecionada. Marchas mais baixas elevam
● Se for solicitada uma mudança brusca de mar- o efeito de frenagem do motor. Nunca descer
cha, tanto na aceleração como na desacelera- montanhas ou colinas com o veículo na posição
ção, o sistema não permitirá essa mudança, se neutra N.
a velocidade não for compatível.
– Reduzir a velocidade.
Se desejar sair do modo manual, mover a – Selecionar o modo de condução manual, para
alavanca seletora até a posição “D/M” para se obter a melhor condição do “freio motor”. 
selecionar o modo de condução normal. 

116 Manual de instruções


– Reduzir a marcha com um breve toque para Com o Kick-Down, o aumento de marcha ocorre
trás na alavanca seletora. somente ao atingir a rotação máxima prescrita
– OU: engatar com os seletores no volante do motor.
→ Fig. 98.
Modo off-road
Conduzir ao rebocar um veículo/reboque Para melhor eficiência da função off-road, utili-
– Selecionar o modo de condução manual, mo- zar sempre o modo manual para troca de mar-
ver a alavanca seletora até a posição “D/M”. chas → Página 115.
Manter esta condição enquanto for necessário Para ligar e/ou desligar o modo off-road, pressio-
puxar outro veículo/reboque. ne brevemente o botão  → Fig. 101 no console
central.
Conduzir ao ser rebocado
Com o modo off-road ativado, a luz de controle
– Mover a alavanca seletora para a posição N. do botão se acende. O modo off-road deve ser li-
Manter esta condição enquanto o veículo esti- gado novamente após cada partida do motor.
ver sendo rebocado.
ATENÇÃO
Parar em uma subida
Uma aceleração rápida pode levar à perda de
Quanto maior o aclive, menor deve ser a marcha tração e derrapagens, especialmente em ruas
selecionada. escorregadias. Isto pode causar a perda de con-
trole do veículo, acidentes e ferimentos graves.
– Pare o veículo sempre acionando o pedal do
freio e em seguida o freio de estacionamento, ● Adequar sempre a forma de condução ao flu-
para evitar que o veículo recue → . xo do trânsito.
– Nunca tentar evitar que o veículo recue, acele- ● Utilizar o Kick-Down ou a aceleração rápida
rando e aumentando o regime de rotação do somente quando as condições de visibilida-
motor, com uma posição de marcha seleciona- de, climáticas, da pista e do trânsito permiti-
da, pode ocorrer um desgaste excessivo da rem e os outros usuários do trânsito não cor-
embreagem. rerem risco devido à aceleração do veículo e
a forma de condução.
Arrancar em uma subida ● Observar que as rodas de tração podem girar
– Acionar o freio de estacionamento. em falso e o veículo pode escorregar, espe-
cialmente se a rua estiver escorregadia.
– Com uma posição de marcha selecionada, sol-
tar o freio de estacionamento e acelerar cuida-
dosamente. NOTA
● Ao parar em aclives com uma posição de mar-
Somente ao arrancar, soltar o pedal do freio ou o cha engatada, não impedir a movimentação do
freio de estacionamento → . veículo por meio do pedal do acelerador. Isto
pode superaquecer a transmissão automatiza-
Função Kick-Down da e danificá-la.
A função Kick-Down permite uma aceleração
máxima com a alavanca seletora na posição D, S Não é possível dar partida “no tranco” nos
ou M. veículos equipados com transmissão auto-
matizada. 
Ao pisar totalmente no pedal do acelerador, a
transmissão automatizada engata de uma até
três marchas inferiores (se possível), desde que a
velocidade e a rotação do motor permitam a tro-
ca da marcha. Deste modo, aproveita-se a acele-
ração total do veículo → .
181.5B1.CRF.66

Conduzir 117
Textos de advertência ou outras informações no display

Fig. 99 Display do instrumento combinado: textos de advertência.

Fig. 100 Display do instrumento combinado: textos de advertência.

Com a ignição ligada ou com o veículo em movi- – Pise no freio e repita a manobra.
mento, determinadas funções e alguns compo- – Câmbio sobreaquecido: PARE! Manual de ins-
nentes do veículo são automaticamente contro- truções!
lados. Eventuais problemas de funcionamento
são indicados por textos de advertência no dis- Câmbio sobreaquecido
play e, em alguns caso, por um sinal sonoro. O texto de advertência Câmbio sobreaquecido:
Além dos textos de advertência apresentados no PARE! Manual de instruções! → Fig. 99 é exibido
display, poderão aparecer mensagens com outras no display do instrumento combinado quando a
informações adicionais. temperatura da embreagem ultrapassar o seu li-
mite ideal de funcionamento → .
Textos de advertência
Para evitar o sobreaquecimento:
– Pise no freio e selecione N para a partida do
motor. Nunca utilizar o pedal do acelerador para manter
o veículo parado em subidas. Nesta situação, uti-
– Atenção! Garanta o freio de mão acionado. lizar o pedal do freio ou o freio de estacionamen-
– Ao sair, desligue o motor ou selecione N e to.
acione o freio de mão. Nunca utilizar o pedal do freio ou o freio de esta-
– Falha no sistema. Entre em contato com servi- cionamento juntamente com o pedal do acelera-
ço VW. dor. 

118 Manual de instruções


O texto de advertência Câmbio sobreaquecido: luzes de advertência, desligar o motor e ado-
PARE! Manual de instruções! desaparece após o tar outras medidas de segurança, para alertar
resfriamento da embreagem. Caso a mensagem o trânsito.
não desapareça, procure uma Concessionária
Volkswagen ou um serviço de assistência técnica CUIDADO
especializada.
O sobreaquecimento da embreagem reduz a vi-
ATENÇÃO da útil dos componentes da transmissão e, con-
sequentemente, pode ocasionar uma pane no
A observância das luzes de advertência acesas e veículo.
das mensagens de texto é essencial para a se-
gurança do condutor e dos passageiros, evitan- NOTA
do possíveis paradas do veículo, bem como
eventuais acidentes. Observar sempre as luzes de controle acesas e as
mensagens de texto para evitar danos ao veículo.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
e as mensagens de texto. Os textos de advertência podem variar, de-
● Parar o veículo assim que possível em um lo- pendendo da versão do instrumento combi-
cal seguro a todos os passageiros do veículo nado. 
e aos demais condutores.
● Quando o veículo para ou precisa ser estacio-
nado para reparos, estacionar sempre o veí-
culo a uma distância segura da rua, ligar as

Direção ATENÇÃO
Se a assistência da direção não estiver funcio-
nando, o volante só poderá ser girado com difi-
 Introdução ao tema culdade e a manobra do veículo será dificulta-
da.
Conforme a versão, o veículo pode possuir assis- ● A assistência da direção funciona somente
tência da direção. com o motor em funcionamento, exceto em
caso de pane do motor com o veículo em
A assistência da direção não é hidráulica, mas sim movimento que, por segurança, o veículo
eletromecânica. A vantagem desta direção é que não perderá assistência na direção.
não são necessárias mangueiras hidráulicas, flui-
do hidráulico, uma bomba, filtros ou outras pe- ● Nunca deixar o veículo rodar com o motor
ças. O sistema eletromecânico economiza com- desligado.
bustível. Enquanto um sistema hidráulico precisa ● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro
de uma pressão de óleo constante, a alimentação da ignição enquanto o veículo estiver em
de energia da direção eletromecânica é necessá- movimento. 
ria somente ao manobrar.
A assistência da direção eletromecânica é ade-
quada automaticamente de acordo com a veloci-
dade de condução, com o torque da direção e
com o ângulo de direção das rodas. A direção ele-
tromecânica funciona somente com o motor em
funcionamento.
181.5B1.CRF.66

Conduzir 119
Luzes de advertência e de controle NOTA
Observar sempre as luzes de controle acesas para
 Observe no início desse capítulo na pági- evitar danos no veículo. 
na 119.

Acesa Causa possível / Solução


Direção eletromecânica avariada Informações sobre a direção
ou não funciona.
A direção deve ser verificada ime-  Observe no início desse capítulo na pági-
diatamente por uma Concessio- na 119.
nária Volkswagen ou por uma em-
presa especializada. Direção eletromecânica
A assistência da direção eletromecânica é ade-
 Se a luz de advertência vermelha
não se acender novamente após quada automaticamente de acordo com a veloci-
uma nova partida do motor e uma dade de condução, com o torque da direção e
condução breve, não será preciso com o ângulo de direção das rodas. A direção ele-
procurar uma Concessionária tromecânica funciona somente com o motor em
Volkswagen ou uma empresa es- funcionamento.
pecializada. Quando a assistência da direção estiver reduzida
Direção eletromecânica limitada. ou não estiver funcionando, será necessário apli-
A direção deve ser verificada ime- car muito mais força que o usual para manobrar. 
diatamente por uma Concessio-
nária Volkswagen ou por uma em-
presa especializada.
Se a luz de advertência amarela
não se acender novamente após
uma nova partida do motor e uma
condução breve, não será preciso
 procurar uma Concessionária
Volkswagen ou uma empresa es-
pecializada.
A bateria do veículo estava desco-
nectada e foi conectada nova-
mente.
Conduzir por um trecho curto a 15
– 20 km/h.
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-
cação da função. Elas se apagam pouco tempo
depois.

ATENÇÃO
A observância das luzes de advertência acesas é
essencial para a segurança do condutor e dos
passageiros, evitando possíveis paradas do veí-
culo, bem como eventuais acidentes.
● Nunca ignorar luzes de advertência acesas.
● Parar o veículo assim que possível em um lo-
cal seguro a todos os passageiros do veículo
e aos demais condutores.

120 Manual de instruções


Sistema de assistência ao Dependendo da versão do veículo o modo off-
-road pode não estar disponível.
condutor Cor da luz de controle Função
Sistema de assistência ao Modo off-road desliga-
 Vermelho
do.
arranque
 Amarelo Modo off-road ligado.

 Introdução ao tema O modo off-road reúne as funções convenientes


para a condução em solo irregular e adequação
do pedal do acelerador.
ATENÇÃO Com o botão off-road  é acionada também a
A técnica inteligente do sistema de assistência função:
para arranque não é capaz de superar os limites
– ABS off-road → Página 137.
físicos especificados. O conforto maior ofereci-
do pelos sistemas de assistência para arranque Ligar e desligar a função off-road -
não deve incentivar a assumir um risco de se- transmissão manual
gurança.
Para ligar e/ou desligar o modo off-road, pressio-
● Movimentos involuntários do veículo podem ne brevemente o botão  → Fig. 101 no console
causar ferimentos graves. central .
● Os sistemas de assistência ao arranque não Com o modo off-road ativado, a luz de controle
podem substituir a atenção do condutor. do botão se acende. O modo off-road deve ser li-
● Adequar sempre a velocidade e a forma de gado novamente após cada partida do motor.
condução às condições de visibilidade, climá-
ticas, da pista e do trânsito. Ligar e desligar a função off-road -
● Um sistema de assistência para arranque não transmissão automatizada ASG
consegue segurar um veículo no aclive ou Para melhor eficiência da função off-road, utili-
frear suficientemente em trechos em declive zar sempre o modo manual para troca de mar-
(por exemplo, em pisos escorregadios ou chas → Página 115.
congelados) em todas as condições.  Para ligar e/ou desligar o modo off-road, pressio-
ne brevemente o botão  → Fig. 101 no console
central.
Modo off-road Com o modo off-road ativado, a luz de controle
do botão se acende. O modo off-road deve ser li-
 Observe no início desse capítulo na pági- gado novamente após cada partida do motor.
na 121.
Adequação do pedal do acelerador
Para possibilitar uma dosagem mais apurada em
velocidades reduzidas, é ativado o adequação do
pedal do acelerador.
Ao acelerar, o torque do motor é controlado de
tal forma que é facilitado o arranque e a condu-
ção sobre piso escorregadio ou solto.

ATENÇÃO
Utilizar o modo off-road somente em estradas
não pavimentadas e/ou que não ofereçam boas
181.5B1.CRF.66

Fig. 101 No console central: botão para ligar e desli- condições ao solo. 
gar o modo off-road manualmente.

Sistema de assistência ao condutor 121


● No caso, de acionamento indevido as rodas Sistema regulador de
poderão deslizar e resultar em acidentes e
danos ao veículo. velocidade (GRA)
Para assegurar o funcionamento do modo
off-road, devem estar instalados os mes-  Introdução ao tema
mos pneus em todas as 4 rodas. Perímetros de
rodagem diferentes entre os pneus podem causar
uma redução indesejada da potência do motor. Dependendo da versão do veículo o sistema re-
gulador de velocidade (GRA) pode não estar dis-
Em viagens com reboque, as funções off- ponível.
-road não são suportadas e não podem ser
O sistema regulador de velocidade (GRA) auxilia a
ativadas. 
manter constante uma velocidade individual ar-
mazenada em uma condução para frente a partir
de aproximadamente 20 km/h.
Sistema de assistência em subidas O GRA retarda somente por desaceleração, não
por intervenção ativa do freio → .
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 121. ATENÇÃO
Quando não for possível conduzir com seguran-
O sistema de assistência em subidas apoia o ar-
ça com uma distância suficiente e velocidade
ranque em subidas em veículos com ESC ao se-
constante, a utilização do sistema regulador de
gurar o veículo ativamente.
velocidade pode causar acidentes e ferimentos
O sistema de assistência em subidas é ativado graves.
automaticamente sob estas premissas ● Nunca utilizar o sistema regulador de veloci-
Os pontos 1 a 3 devem ser atendidos simulta- dade (GRA) em trânsito intenso, em distânci-
neamente: as muito pequenas, em trechos íngremes
com muitas curvas ou com piso escorregadio
1. Manter o veículo parado com o freio de e como, por exemplo, neve, gelo, umidade ou
pedal em uma subida de aproximadamente cascalho e também não em ruas alagadas.
5%.
● Nunca utilizar o GRA em terreno livre ou em
2. O motor funciona “redondo”. ruas não pavimentadas.
3. Todas as portas devem estar fechadas. ● Ajustar a velocidade e a distância de segu-
Ao soltar o freio, o veículo é mantido por rança com os veículos à frente, as condições
aproximadamente 2 segundos. O freio é li- do clima, da pista e do trânsito.
berado lentamente no arranque. Caso o
● Para evitar uma regulagem de velocidade in-
arranque não ocorra em dois segundos, o
desejada, sempre desligar o GRA após a utili-
freio solta e o veículo roda para trás.
zação.
O sistema de assistência em subidas é ● É perigoso retomar a velocidade armazenada
desativado imediatamente: se a velocidade para as condições atuais da
rua, do trânsito ou atmosféricas for muito al-
1. Assim que uma das condições menciona-
ta.
das acima não for mais atendida
→ Página 122. ● Em viagens por descidas, a GRA não pode
manter a velocidade do veículo constante. O
2. Com o motor desligado ou afogado.  peso próprio do veículo aumenta a velocida-
de. Reduzir marcha ou frear o veículo com o
freio de pedal . 

122 Manual de instruções


Indicadores do display e luz de C GRA ligado. A memória da velocidade está
vazia.
controle
D O GRA está ativo. Velocidade salva em núme-
 Observe no início desse capítulo na pági- ros grandes.
na 122.
ATENÇÃO
A não-observância das luzes de advertência
acesas e das mensagens de texto pode causar
paradas no trânsito urbano, acidentes e feri-
mentos graves.
● Nunca deixar de observar luzes de advertên-
cia e mensagens de texto.

NOTA
A inobservância de luzes de controle que se
acendem e de mensagens de texto pode causar
danos ao veículo.

Se ao desligar a ignição o GRA estiver liga-


Fig. 102 No display do instrumento combinado: in- do, o GRA será ligado automaticamente na
dicadores de status do GRA. próxima vez que a ignição for ligada. Não é, en-
tretanto, memorizada nenhuma velocidade. A úl-
Acesa Causa possível tima velocidade regulada do limitador de veloci-
O sistema regulador de velocidade dade continua armazenada.
 em funcionamento. Existem diversas versões de instrumentos
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e combinados, por isso as indicações do dis-
de controle se acendem rapidamente para verifi- play podem variar. 
cação da função. Elas se apagam após alguns se-
gundos.

Indicadores do display do GRA


Status → Fig. 102:
A GRA temporariamente desligado. Velocidade
salva em números pequenos.
B Falha de sistema. Procurar uma empresa es-
pecializada.
181.5B1.CRF.66

Sistema de assistência ao condutor 123


Comandar o sistema regulador de velocidade
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 122.

Fig. 103 À esquerda na coluna da direção: alavanca


de operação do GRA.

Posição dos interruptores,


Função operação dos interruptores Ação
→ Fig. 103
O sistema regulador de velocidade é ligado.
Colocar interruptor 2 na po-
Ligar o GRA. Após ligar, nenhuma velocidade está memori-
sição .
zada e não é feita a regulagem.
Pressionar o botão 1 para a
Ativar o GRA. A velocidade atual é armazenada e regulada.
posição .
Pressionar o interruptor 2
Desativar a regulagem
na posição  A regulagem é desligada temporariamente. A
do GRA temporaria-
OU: pisar no pedal do freio velocidade permanece armazenada.
mente.
ou da embreagem.
Retomar a regulagem Pressionar o botão 1 para a A velocidade armazenada é retomada e regu-
do GRA. posição . lada.
Pressionar o botão 1 para a
posição  brevemente pa-
ra aumentar a velocidade ar-
mazenada em incrementos
pequenos de 1 km/h e arma-
Aumentar a velocidade zenar.
O veículo acelera de forma ativa até atingir a
armazenada (durante a
Manter pressionado o bo- nova velocidade armazenada.
regulagem do GRA).
tão 1 para a posição 
por um tempo para aumentar
continuadamente a velocida-
de até soltar o botão e arma-
zenar.
Pressionar o botão 1 para a
posição  brevemente pa-
Reduzir a velocidade ar- A velocidade é reduzida sem intervenção do
ra reduzir a velocidade arma-
mazenada (durante a freio pela retirada da aceleração até atingir a
zenada em incrementos pe-
regulagem do GRA). nova velocidade armazenada. 
quenos de 1 km/h e armaze-
nar.

124 Manual de instruções


Posição dos interruptores,
Função operação dos interruptores Ação
→ Fig. 103
Manter pressionado o bo-
tão 1 para a posição 
por um tempo para reduzir
continuamente a velocidade
até soltar o botão e armaze-
nar.
O sistema é desligado. A velocidade memori-
Desligar o GRA. Interruptor 2 na posição .
zada é apagada.

Se a velocidade aumentar pisando no pedal do – Quando o sistema constata uma falha que po-
acelerador, enquanto o GRA estiver em funciona- de restringir a função do GRA.
mento, quando a aceleração for interrompida o – Ao conduzir por um período prolongado mais
sistema retoma automaticamente para a veloci- rapidamente do que a velocidade armazenada
dade anteriormente armazenada. por meio de acelerações.
Se a velocidade programada for ultrapassada em – Quando o pedal do freio ou da embreagem é
mais de 10 km/h durante um período superior a 5 acionado.
minutos, a velocidade deverá ser reprogramada. – Se a marcha for trocada com transmissão ma-
nual.
Conduzir em descidas com o GRA
Quando o GRA não é capaz de manter a velocida- – Quando o airbag é ativado. 
de do veículo na descida, frear o veículo com o
freio de pedal e, se necessário, reduzir a marcha.

Desligamento automático
A regulagem do GRA é desligada automatica-
mente ou interrompida temporariamente:
181.5B1.CRF.66

Sistema de assistência ao condutor 125


Estacionar e manobrar NOTA
● Para evitar movimentações indesejadas do veí-
culo ao parar o veículo, somente tirar o pé do
Estacionar pedal do freio depois de puxar o freio de esta-
cionamento.
Observar as determinações legais para parar e
● Conduzir com cuidado em estacionamentos
estacionar um veículo.
com meio-fio saliente ou balizas fixas. Objetos
Estacionar o veículo mais altos que o chão podem danificar o para-
-choque e outras peças do veículo ao estacio-
Executar as ações sempre na sequência indicada.
nar ou sair da vaga de estacionamento. Para
– Estacionar o veículo sobre um piso plano e fir- evitar danos, parar antes que as rodas toquem
me → . nas balizas ou nos meios-fios.
– Pisar no pedal do freio e manter até o motor ● Conduzir cautelosamente sobre depressões e
estar desligado. entradas de terrenos, rampas, meios-fios e ou-
– Puxar a alavanca do freio de estacionamento tros objetos. Peças do veículo mais baixas, co-
→ Página 128. mo para-choque, spoiler e peças do chassi, do
motor ou do sistema de escape podem ser
– Veículos com transmissão automatizada, colo- avariadas na passagem. 
car a alavanca seletora na posição D ou R.
– Desligar o motor e tirar o pé do pedal do freio.
– Retirar a chave do veículo da ignição.
– Veículos com transmissão manual, em terreno
Luzes de advertência e de
plano ou subida, engatar a 1ª marcha ou, em controle
declives, a marcha a ré e soltar o pedal da em-
breagem. Acesa Possíveis causas → / Solução
– Atentar para que todos os ocupantes desem- Freio de estacionamento puxado.
barquem, especialmente crianças. Soltar o freio de estacionamento
– Levar todas as chaves do veículo ao deixar o → Página 128.
veículo. Sistema de freio avariado.
– Travar o veículo.  Não prosseguir!
Procurar auxílio técnico especializa-
Adicionalmente em subidas e declives do imediatamente → Página 104.
Antes de desligar o motor, girar o volante de mo- Nível do fluido do freio muito baixo.
do que o veículo estacionado se desloque com as
rodas dianteiras contra a guia caso entre em mo-
  Não prosseguir!
Verificar o nível do fluido do freio
vimento. → Página 212.
– Em declives, esterçar as rodas dianteiras de Juntamente com a luz de controle
modo que apontem na direção da guia. do ABS : ABS e EBV não funcio-
– Em aclives, esterçar as rodas dianteiras de mo- nam.
do que apontem para o centro da rua.  Não prosseguir!
Procurar auxílio técnico especializa-
ATENÇÃO do imediatamente → Página 104.
As peças do sistema de escape esquentam mui- ESC desligado pelo sistema.
to. Por isso podem causar incêndios e ferimen- Desligar e ligar a ignição.
tos graves. ASR/ESC avariado.
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe-
  Não prosseguir!
ças do sistema de escape entrem em contato Procurar auxílio técnico especializa-
com materiais inflamáveis embaixo do veícu- do imediatamente → Página 104. 
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira,
folhas, grama seca, combustível derramado,
etc.

126 Manual de instruções


Acesa Possíveis causas → / Solução ● Se a luz de advertência do sistema de freio
Juntamente com a luz de controle  não se apagar ou se acender durante a
do ABS : o ABS não funciona. condução, o nível do fluido do freio no reser-
vatório está muito baixo ou o sistema de
 Não prosseguir!
freio está avariado. Parar imediatamente e
Procurar auxílio técnico especializa-
procurar auxílio técnico especializado
do imediatamente → Página 104
→ Página 211, Fluido de freio.
A bateria do veículo foi reconectada.
● Se a luz de advertência do sistema de freio
→ Página 214
 se acender juntamente com a luz de con-
ASR desligado por pressão do botão trole do ABS , a função de regulagem do
  OFF .
Ligar ASR (quando desejado).
ABS pode estar falhando. Com isso, é possí-
vel que as rodas travem de forma relativa-
TC (traction control) desligado. mente rápida em uma frenagem. Rodas tra-
 Ligar TC (quando desejado). vadas podem levar à perda de controle do
Juntamente com a luz de advertên- veículo! Quando for possível, reduzir a veloci-
cia : ABS e EBV não funcionam. dade e conduzir cuidadosamente em veloci-
Juntamente com a luz de controle dade mínima até a Concessionária
Volkswagen mais próxima para verificar o
 do ESC : ' avariado.
 Não prosseguir! sistema de freio. Durante o trajeto, evitar
Procurar auxílio técnico especializa- manobras de direção e de frenagem súbitas.
do imediatamente → Página 104. ● Se a luz de controle do ABS  não se apagar
ou se acender durante a condução, o ABS
Piscando Causa possível → /Solução não está funcionando corretamente. O veícu-
ESC ou ASR em funcionamento. lo somente pode ser parado com os freios
normais (sem ABS). A proteção que é propor-
 Adequar a forma de condução às
condições da pista. cionada pelo ABS não está disponível nesse
caso. Procurar uma Concessionária
TC (traction control) ativado e
Volkswagen o mais rápido possível.
atuando.
 Adequar a forma de condução às ● Se a luz de controle do ESC  e/ou M-ABS
condições da pista.  não se apagar, o ESC e/ou M-ABS não está
funcionando corretamente. A proteção que é
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e proporcionada pelo ESC e/ou M-ABS não está
de controle se acendem rapidamente para verifi- disponível. Nesse caso, procurar uma Con-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- cessionária Volkswagen o mais rápido possí-
gundos. vel.

ATENÇÃO NOTA
A observância das luzes de advertência acesas e Observar sempre as luzes de controle acesas e as
das mensagens de texto é essencial para a se- mensagens de texto para evitar danos no veículo. 
gurança do condutor e dos passageiros, evitan-
do possíveis paradas do veículo, bem como
eventuais acidentes.
● Nunca ignorar as luzes de advertência acesas
e as mensagens de texto.
● Parar o veículo assim que possível em um lo-
cal seguro a todos os passageiros do veículo
e aos demais condutores.

ATENÇÃO
181.5B1.CRF.66

A condução com freios ruins pode causar aci-


dentes e ferimentos graves.

Estacionar e manobrar 127


Freio de estacionamento ● Nunca acelerar com posição de marcha ou
marcha engatada a partir do compartimento
do motor com o motor em funcionamento. O
veículo pode entrar em movimento mesmo
com o freio de estacionamento puxado.

NOTA
Para evitar movimentações indesejadas do veícu-
lo ao parar o veículo, somente tirar o pé do pedal
do freio depois de puxar o freio de estaciona-
mento. 

Fig. 104 Entre os bancos dianteiros: alavanca do


freio de estacionamento.
Controle de distância de
Puxar sempre a alavanca do freio de estaciona-
mento ao deixar ou estacionar o veículo. estacionamento (Park Pilot)
Puxar o freio de estacionamento
– Puxar a alavanca do freio de estacionamento  Introdução ao tema
para cima com o botão bloqueador pressiona-
do → Fig. 104 (seta).
Dependendo da versão do veículo o controle de
– O freio de estacionamento está puxado quan- distância de estacionamento (Park Pilot) diantei-
do, com a ignição ligada, a luz de controle  ro e traseiro pode não estar disponível.
no instrumento combinado está acesa
→ Página 126. O controle de distância de estacionamento (Park
Pilot) apoia o condutor a manobrar e a entrar na
Soltar o freio de estacionamento vaga de estacionamento. Se a parte traseira do
– Puxar a alavanca do freio de estacionamento veículo se aproximar de um obstáculo, um alerta
um pouco para cima e pressionar o botão blo- intermitente soa. Quanto menor for a distância,
queador → Fig. 104 (seta). mais curtos são os intervalos entre os alertas.
Quando o obstáculo está muito próximo, um
– Conduzir para baixo até o batente a alavanca
alerta contínuo soa, para evitar colisões é reco-
do freio de estacionamento com o botão blo-
mendado parar o veículo.
queador pressionado.
Os sensores no para-choque dianteiro e traseiro,
ATENÇÃO dependendo da versão do veículo, transmitem e
recebem ondas de ultrassom. Durante o percurso
A utilização incorreta do freio de estaciona-
das ondas de ultrassom (transmissão, reflexão de
mento pode causar acidentes e ferimentos gra-
obstáculos e recepção), o sistema calcula conti-
ves.
nuamente a distância entre o para-choque e o
● Nunca utilizar o freio de estacionamento pa- obstáculo.
ra frear o veículo, exceto em caso de emer-
gência. A distância de frenagem é considera- Quando o veículo continuar a se aproximar do
velmente maior, pois somente as rodas tra- obstáculo com o alerta contínuo, o sistema não
seiras são freadas. Utilizar sempre o pedal do pode mais calcular a distância.
freio.
ATENÇÃO
● Nunca conduzir com a alavanca do freio de
estacionamento um pouco puxado. Isso pode O controle de distância de estacionamento
superaquecer o freio e influenciar negativa- (Park Pilot) não pode substituir a atenção do
mente o sistema de freio. Além disso, causa condutor.
um desgaste prematuro das pastilhas de ● Movimentos do veículo sem a devida atenção
freio traseiras. podem causar ferimentos graves. 

128 Manual de instruções


● Adequar sempre a velocidade e a forma de ● Na limpeza dos sensores de ultrassom com um
condução de acordo com as condições de vi- lavador de alta pressão ou com um jato de va-
sibilidade, climáticas, da pista e do trânsito. por, jatear os sensores de ultrassom direta-
● Os sensores de ultrassom podem possuir mente apenas por um curto período e manter
pontos cegos nos quais pessoas e objetos sempre uma distância maior que 10 cm.
não serão detectados. ● Fontes de ruído podem gerar mensagens de
● Observar sempre a área ao redor do veículo, erro do controle de distância de estaciona-
já que crianças pequenas, animais e objetos mento, por exemplo, asfalto áspero, paralele-
não são identificados pelos sensores de ul- pípedos, bobinas de indução, máquinas de
trassom em todas as situações. construção e ruído de outros veículos.
● Certas superfícies de objetos e roupas po- ● Peças agregadas montadas no veículo poste-
dem não refletir os sinais dos sensores de ul- riormente, como, por exemplo, suporte de bi-
trassom. Esses objetos e pessoas com tais cicletas, podem limitar o funcionamento do
roupas podem não ser reconhecidos pelo sis- controle de distância de estacionamento.
tema ou ser reconhecidos erroneamente.
Em caso de falha do sistema, dirigir-se a
● Fontes de som externas podem influenciar uma empresa especializada. Para isso, a
os sinais dos sensores de ultrassom. Assim, Volkswagen recomenda as Concessionárias
sob determinadas circunstâncias, pessoas ou Volkswagen.
objetos podem não ser reconhecidos.
● Certas superfícies de solo podem causar lei- A Volkswagen recomenda praticar o manu-
turas não homogêneas como por exemplo, seio do controle de distância de estaciona-
asfalto áspero e paralelepípedos. mento em um local ou em estacionamento sem
trânsito para familiarizar-se com o sistema. 
NOTA
● Objetos como, por exemplo, barras de rebo-
que, hastes finas, cercas, postes, árvores e Ligar e desligar o controle de
tampas traseiras abertas ou se abrindo even- distância de estacionamento (Park
tualmente não são reconhecidos pelos senso- Pilot)
res de ultrassom e podem causar danos no veí-
culo.  Observe e no início desse capítulo na
● Quando o controle de distância de estaciona- página 128.
mento já tiver reconhecido e notificado um
obstáculo por meio de alertas, obstáculos mui-
to baixos ou muito altos poderão desaparecer
da área de medição dos sensores de ultrassom
durante a aproximação do veículo e não serem
mais reconhecidos. Assim, esses objetos tam-
bém não são mais notificados.
● Se o alerta do controle de distância de estacio-
namento for ignorado, poderão ocorrer danos
consideráveis ao veículo.
● Os sensores de ultrassom no para-choque po-
dem ser desregulados ou danificados por im- Fig. 105 Na parte superior do console central: botão
pactos ou colisões. para ligar e desligar o controle de distância de esta-
● Para o correto funcionamento do sistema, cionamento (Park Pilot).
manter os sensores de ultrassom dos para-
-choques limpos, sem neve e sem gelo e não Dependendo da versão do veículo, o controle de
cobri-los com etiqueta adesiva ou outros obje- distância de estacionamento pode não estar dis-
ponível.
181.5B1.CRF.66

tos. 

Estacionar e manobrar 129


– Para ligar: pressionar o botão → Fig. 105 na Função Ação com a ignição ligada
parte superior do console central.
Ligar o controle
– Para desligar: pressionar novamente o botão de distância de Engatar a marcha à ré ou co-
→ Fig. 105 na parte superior do console cen- estacionamento mutar para a posição da ala-
tral. automaticamen- vanca seletora R.
te:
A luz de controle do botão  permanece
acesa (amarela) enquanto a função do con- Desligar o con-
Acelerar o veículo para frente
trole de distância de estacionamento estiver ati- trole de distância
com velocidade superior a
vada.  de estaciona-
aproximadamente
mento automati-
10 – 15 km/h.
camente:

Comandar o controle de distância A luz de controle do botão  permanece acesa


(amarela) enquanto a função estiver ativada.
de estacionamento (Park Pilot)
Particularidades do controle de distância de
 Observe e no início desse capítulo na estacionamento (Park Pilot)
página 128.
– O controle de distância de estacionamento só
funciona até uma velocidade de aproximada-
Com ajuda dos sensores de ultrassom, o controle
mente 15 km/h.
de distância de estacionamento detecta a distân-
cia do para-choque dianteiro e traseiro até um – Em alguns casos, o controle de distância de es-
obstáculo. Existem 4 sensores de ultrassom no tacionamento registra água nos sensores de
para-choque dianteiro e traseiro, ver → Página 31 ultrassom como obstáculo.
e → Página 33. – Se a distância permanecer igual, o volume do
alerta acústico diminui após alguns segundos.
Ligar e desligar o controle de distância de Se o alerta contínuo soar, o volume permane-
estacionamento (Park Pilot) cerá igual.
Função Ação com a ignição ligada – Assim que o veículo se afasta do obstáculo, o
Ligar o controle alerta intermitente se desliga automaticamen-
de distância de Pressionar o botão  te. Em caso de uma nova aproximação, o alerta
estacionamento → Fig. 105 uma vez. intermitente é ligado automaticamente.
manualmente: – O volume do alerta sonoro pode ser definido
Desligar o con- no menu Configurações em veículos com Sistema
trole de distância de informações Volkswagen (I-System)
Pressionar a o botão  no- → Página 48. Ou uma Concessionária
de estaciona-
vamente. Volkswagen pode regular o volume do alerta
mento manual-
mente: sonoro.
Desligar manual- Pressionar um botão seletor – Uma Concessionária Volkswagen pode regular
mente a exibição de área no rádio ou sistema o volume dos sinais sonoros. Para mais infor-
do controle de de navegação instalado de mações, ver → Página 43
distância de es- fábrica.
Em algumas versões, quando o controle de
tacionamento
distância de estacionamento for ativado, o
(não disponível OU: tocar a superfície de fun- volume do rádio poderá ser reduzido parcial ou
para algumas ção  . totalmente, para facilitar a percepção do alerta
versões):
intermitente. Para mais informações, ver → ca-
derno Rádio. 

130 Manual de instruções


Sinais sonoros e visuais do controle Legenda para as representação esquemática:
de distância de estacionamento → Fig. 106
ou Significado
(Park Pilot) → Fig. 107
 Observe e no início desse capítulo na A Área examinada atrás do veículo.
página 128. Área examinada à frente do veícu-
B
lo.
Segmento amarelo para um obstá-
 culo.
Segmento vermelho para um ob-
 stáculo próximo.
Segmento branco para um obstá-
culo (display monocromático).
As áreas à frente e atrás do veículo detectadas
pelos sensores ultrassom são representadas no
display do rádio ou sistema de navegação instala-
Fig. 106 Exibição do display do controle de distância do de fábrica. Possíveis obstáculos são exibidos
de estacionamento dianteiro e traseiro no rádio (não tomando o veículo como ponto de referência
disponível para algumas versões). → .

Sinal sonoro e exibição do display


Quando o veículo se aproximar de um obstáculo
na área dos sensores de ultrassom, haverá um si-
nal sonoro. Em caso de distância suficiente para
um obstáculo, soará um alerta intermitente.
Quanto menor a distância, mais curtos são os in-
tervalos entre os alertas. Quando o obstáculo es-
tiver muito próximo, um alerta contínuo soará.
Quando o veículo continuar a se aproximar do
obstáculo com o alerta contínuo, o sistema não
poderá mais calcular a distância.
Dependendo da versão, serão mostradas as áreas
examinadas em vários segmentos em um gráfico
Fig. 107 Exibição do display do controle de distância → Fig. 107. Quanto mais o veículo se aproximar
de estacionamento dianteiro e traseiro no aparelho de um obstáculo, mais o segmento se aproximará
de navegação (não disponível para algumas versões).
do veículo representado. A área de colisão é al-
Dependendo da versão do veículo, será exibido cançada assim que o penúltimo segmento for
no display do rádio (não disponível para algumas exibido. Não prosseguir! 
versões) → Fig. 106 a área examinada pelos sen-
sores de ultrassom na parte dianteira B e trasei-
ra A do veículo. Possíveis obstáculos são exibi-
dos tomando o veículo como ponto de referência
→ .
Dependendo da versão do veículo, será exibido
no display do aparelho de navegação (não dispo-
nível para algumas versões) → Fig. 107 a área
examinada pelos sensores de ultrassom na parte
181.5B1.CRF.66

dianteira e traseira do veículo. Possíveis


obstáculos são exibidos tomando o veículo como
ponto de referência → .

Estacionar e manobrar 131


Veículos com controle de distância de estacio- Câmera de marcha a ré (Rear
namento (Park Pilot) na região dianteira e tra-
seira View)
Cor do
segmento
Distância do obstá-
 Introdução ao tema
Área próxima
do veículo Sinal culo reco-
ao veículo
para um sonoro nhecido
→ Fig. 106
obstáculo (somente A câmera de marcha a ré (Rear View)
no display mostra a vista traseira para auxiliar o con-
colorido) dutor ao estacionar ou guiar com a mar-
Aproxima- cha a ré.
Atrás,
damente
no cen-
31 – 160
tro Uma câmera no parachoque traseiro apoia o con-
cm
A dutor ao entrar na vaga de estacionamento em
Aproxima-
marcha à ré ou em manobras. A imagem da câ-
Atrás, damente
mera é exibida junto com os guias de orientação
por fora 31 – 60 Alerta projetadas pelo sistema no display do rádio ou do
cm inter-
amarelo sistema de navegação instalados de fábrica.
aproxima- miten-
na fren- te
damente ATENÇÃO
te, no
31 – 120
centro O uso da câmera de marcha a ré para avaliar a
cm
B distância de obstáculos (pessoas, veículos, etc.)
aproxima- é impreciso e pode causar acidentes e ferimen-
na fren-
damente tos graves.
te, por
31 – 60
fora ● A lente da câmera amplia e deforma o campo
cm
de visão e faz com que objetos no display
obstá- Aproxima- Alerta apareçam alterados ou imprecisos.
A ou
culo damente 0 contí- vermelho
B ● Determinados objetos podem, devido à reso-
próximo – 30 cm nuo
lução do display e em condições insuficientes
de luz, não serem exibidos ou serem exibidos
ATENÇÃO
de forma insuficiente, por exemplo, postes
Não se deixar distrair dos acontecimentos do finos ou grades. Deste modo é necessário
trânsito pelas imagens exibidas no display. cautela extra do condutor com a utilização
da câmera para evitar acidentes.
Em algumas versões, quando o controle de
distância de estacionamento for ativado, o ● A câmera de marcha a ré possui ângulos ce-
volume do rádio poderá ser reduzido parcial ou gos onde pessoas e objetos não podem ser
totalmente, para facilitar a percepção do alerta reconhecidos.
intermitente. Para mais informações, ver → ca- ● Manter a lente da câmera limpa, sem neve e
derno Rádio. sem gelo e descoberta.
Pode demorar alguns segundos até que os
ATENÇÃO
sinais sonoros e, se for o caso, visuais vol-
tem a ser reproduzidos.  A tecnologia inteligente da câmera de marcha a
ré não pode ir além dos limites impostos pela
física e funciona somente dentro dos limites do
sistema. A utilização desatenta ou sem supervi-
são do assistente de condução em marcha a ré
pode causar acidentes e ferimentos graves. O
sistema não pode substituir a atenção do con-
dutor. 

132 Manual de instruções


● Adequar sempre a velocidade e a forma de de instalação da câmera de marcha a ré for
condução às condições de visibilidade, do cli- alterada, por exemplo, depois de um impacto
ma, da pista e do trânsito. traseiro.
● Ter em vista sempre o sentido de estaciona- A Volkswagen recomenda praticar entrar em va-
mento e as áreas relevantes ao redor do veí- gas de estacionamento e manobrar com a câme-
culo. ra de marcha a ré em boas condições de clima e
● Não se deixar distrair dos acontecimentos do de visibilidade, em um local sem trânsito ou em
trânsito pelas imagens exibidas no display. um estacionamento para se familiarizar com o
● Observar sempre a área ao redor do veículo, sistema, com as guias de orientação e suas fun-
pois crianças pequenas, animais e objetos ções.
não são reconhecidos em todos os casos pela
Configurações da câmera de marcha a ré
câmera de marcha a ré.
Algumas configurações, como claridade, contras-
● É possível que a câmera de marcha a ré não
te e cor podem ser realizadas tocando nas res-
possa representar todas as áreas com nitidez.
pectivas superfícies de funções - ou + , ou desli-
● Utilizar a câmera de marcha a ré somente zando o respectivo regulador corrediço.
com a tampa traseira completamente fecha-
da. – Parar o veículo em um local seguro e proteger
contra rolamento.
NOTA – Ligar a ignição e o rádio ou o sistema de nave-
● A câmera de marcha a ré exibe somente ima- gação.
gens bidimensionais no display. Devido à au- – Tocar na superfície de função  .
sência de profundidade, os objetos salientes – Realizar as configurações desejadas no menu. 
ou reentrâncias na pista podem ser identifica-
dos com dificuldade ou não ser identificados.
● Objetos como, por exemplo, barras finas, cer-
cas, postes e árvores não são reconhecidos pe-
Câmera
la câmera de marcha a ré em determinadas
 Observe e no início desse capítulo na
condições e podem ocasionar danos ao veícu-
página 132.
lo. 

Orientações de funcionamento
 Observe e no início desse capítulo na
página 132.

Premissas para entrar na vaga de


estacionamento e manobrar com a câmera de
marcha a ré
Lista de controle
 A tampa traseira precisa estar fechada.
 Uma imagem confiável e clara, por exemplo,
condições de visibilidade boas e uma lente Fig. 108 No parachoque traseiro: local de instalação
do assistente de condução em marcha a ré.
limpa → Fig. 108.
 O espaço atrás do veículo precisa ser reco- A câmera de marcha a ré → Fig. 108 (lupa) so-
nhecido de forma clara e completa. mente fornece imagens bidimensionais. As reen-
 O veículo não pode ter carga na traseira. trâncias, bem como os objetos salientes no solo 
181.5B1.CRF.66

 O veículo não pode estar danificado. O siste-


ma precisa ser verificado por uma Concessio-
nária Volkswagen se a posição ou o ângulo

Estacionar e manobrar 133


ou as peças salientes de outros veículos, são difí- Comandar a câmera de marcha a ré
ceis de serem reconhecidas ou não podem serem
reconhecidas devido à ausência de profundidade  Observe e no início desse capítulo na
no display. página 132.
Objetos ou um outro veículo podem parecer mais
perto ou mais longe no display do que realmente
estão:

Ilusões de ótica pela câmera de marcha a ré


(exemplos):
– Ao conduzir de uma superfície plana para uma
subida ou um declive.
– Ao conduzir de uma subida ou de um declive
para uma superfície plana.
– Se o veículo estiver carregado com carga na
traseira. Fig. 109 Exibição do display do rádio ou do sistema
– Ao se aproximar de objetos salientes. Estes de navegação: câmera de marcha a ré ligada (repre-
objetos podem desaparecer do ângulo de visão sentação esquemática).
da câmera de marcha a ré ao conduzir em mar-
cha a ré. Legenda para exibição do display → Fig. 109:
Símbolo Significado
Limpar a lente da câmera
Manter a lente da câmera → Fig. 108 limpa, sem  Sair da representação atual.
neve e sem gelo:
Regular a exibição: brilho, contras-
– Parar o veículo em um local seguro e proteger  te, cor.
contra rolamento. Dependendo da versão: desligar ou
– Umedecer a lente da câmera com um produto  ligar o som do Park Pilot.
de limpeza de vidro comum à base de álcool e Dependendo da versão: exibir o in-
limpar com um pano seco → .  dicador do Park Pilot.
– Remover a neve com uma vassourinha. Dependendo da versão: ocultar o
– Remover o gelo com um spray anticongelante  indicador do Park Pilot.
→ . Conforme a versão: exibir o Park
 Pilot.
NOTA
● Nunca utilizar produtos de conservação com Ligar e desligar a câmera de marcha a ré
efeito abrasivo para limpeza da lente da câme- A câmera de marcha a ré se liga e desliga auto-
ra. maticamente ao se engatar a marcha a ré.
● Nunca retirar neve ou gelo da lente da câmera Manejo com a ignição ligada
com água morna ou quente. Do contrário a Função
Veículos com Park Pilot
lente da câmera ficará danificada.
Engatar a marcha a ré ou co-
A câmera de marcha a ré não funionará se a mutar para a posição da ala-
tampa traseira estiver aberta.  vanca seletora R.
O indicador da câmera de mar-
Ligar a exibição cha a ré é exibido no display
automatica- do sistema Infotainment.
mente: Adicionalmente, pode ser exi-
bida a vista em miniatura do
Park Pilot na margem esquer-
da do rádio ou do sistema de
navegação. 

134 Manual de instruções


Manejo com a ignição ligada Manejo com a ignição ligada
Função Função
Veículos com Park Pilot Veículos com Park Pilot
Desligar a ignição. É exibido o modo de tela intei-
Desligar indica- OU: assim que retirar da mar- ra do Park Pilot.
dor automati- cha a ré ou da posição da ala- Retirar a marcha a ré ou ligar
camente: vanca seletora R . em outra posição da alavanca
Exibir nova- seletora e engatar a marcha a
mente a ima- ré novamente ou ligar na posi-
Pressionar um dos botões do gem da câmera ção da alavanca seletora R.
dispositivo no rádio ou no sis- de marcha a ré:
Ocultar a ima- tema de navegação ou tocar OU: tocar a superfície de fun-
gem da câmera na superfície de funções  no ção  . 
de marcha a ré: display.
OU: tocar a superfície de fun-
ção  .

Entrar na vaga de estacionamento


 Observe e no início desse capítulo na
página 132.

Fig. 110 Exibição do display do rádio ou do sistema


de navegação: entrar na vaga de estacionamento
com a câmera de marcha a ré (representação esque-
mática).

Legenda para exibição do display → Fig. 110:


Significado

 Procurar uma vaga de estacionamento.


181.5B1.CRF.66

 Estacionar na vaga de estacionamento selecionada. 

Estacionar e manobrar 135


Legenda para exibição do display → Fig. 110:
Significado

 Manobrar.

Guias verdes laterais: prolongamento do veículo para trás. A área verde representada ter-

mina a aproximadamente 2 metros atrás do veículo na pista.
Guia vermelha horizontal: serve como distância de segurança. A guia vermelha horizontal

termina a aproximadamente 0,4 metro atrás do veículo na pista.
1 Pista.
2 Vaga de estacionamento selecionada.
3 Linhas de limitação lateral da vaga de estacionamento selecionada.
4 Limitação traseira da vaga de estacionamento, por exemplo, meio-fio.

Todas as indicações de comprimento das guias


de orientação se referem a um veículo em uma
superfície plana.

Entrar na vaga de estacionamento com a câmera de marcha a ré


Etapa Efetuar as seguintes ações:
As premissas para entrar na vaga de estacionamento com a câmera de marcha a
1.
ré precisam ser cumpridas → Página 133.
2. Posicionar o veículo na frente da vaga de estacionamento → Fig. 110  2 .
3. Engatar a marcha a ré ou comutar para a posição da alavanca seletora R.
Conduzir para trás devagar e manobrar de modo que as guias verdes laterais con-
duzam entre as linhas de delimitação da vaga de estacionamento selecionada
4. → Fig. 110  2 .
Observar a seguinte mensagem: Controlar a trajetória do veículo! → em Introdução
ao tema na página 132!
Alinhar o veículo na vaga de estacionamento selecionada de modo que as as guias
5.
verdes laterais fiquem em cima das linhas de limitação lateral → Fig. 110  3 .
Parar o veículo o mais tardar ao atingir a guia vermelha horizontal de limitação
6.
traseira, por exemplo, meio-fio → Fig. 110  4 .

ATENÇÃO para não encostar a parte traseira do veículo


em paredes, principalmente em garagens,
Considerando que a roda de emergência fica
postes ou qualquer outro tipo de obstáculo.
bastante saliente, é necessário tomar alguns
cuidados adicionais ao executar manobras em
marcha à ré. NOTA
● Para evitar possíveis danos no mecanismo de Objetos pequenos não são reconhecido pela câ-
abertura e fechamento ou ainda deforma- mera até aproximadamente 40 cm atrás do veí-
ção / amassamento na tampa traseira, ao culo e pode ocasionar danos no veículo.
manobrar o veículo em marcha à ré, atente
NOTA
Imagens de simulação da câmera de ré mera-
mente ilustrativa. 

136 Manual de instruções


Sistemas de assistência à ● Levar sempre as chaves do veículo ao deixar
o veículo. O motor pode ser ligado e equipa-
frenagem mentos elétricos, como os vidros elétricos,
podem ser comandados, o que pode causar
ferimentos graves.
 Introdução ao tema ● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne-
cessidade especiais sozinhas no veículo. Em
Dependendo da versão do veículo, algumas fun- caso de emergência, elas não estariam em
ções podem não estar disponíveis. condições de deixar o veículo sozinhas ou de
cuidarem de si mesmas. Em um veículo fe-
Os sistemas de assistência à frenagem são o dis- chado, conforme a estação do ano, podem
tribuidor eletrônico da força de frenagem (EBV), ocorrer temperaturas muito altas ou muito
antibloqueio do freio (ABS), o assistente de fre- baixas que podem causar ferimentos graves
nagem (BAS), o bloqueio eletrônico do diferencial e enfermidades, principalmente em crianças
(EDS), o controle de tração (ASR ou TC) e o pro- pequenas, ou levar à morte.
grama de estabilidade eletrônico (ESC).
NOTA
ATENÇÃO
● Para evitar movimentações indesejadas do veí-
A condução com pastilhas de freio gastas ou
culo ao parar o veículo, somente tirar o pé do
um sistema de freio avariado pode causar aci-
pedal do freio depois de puxar o freio de esta-
dentes e ferimentos graves.
cionamento.
● Se houver a suspeita de que as pastilhas de
● Conduzir com cuidado em estacionamentos
freio estão gastas ou que o sistema de freio
com meio-fio saliente ou balizas fixas. Objetos
possui uma avaria, procurar uma Concessio-
mais altos que o chão podem danificar o para-
nária Volkswagen imediatamente e mandar
-choque e outras peças do veículo ao estacio-
verificar o sistema de freio e trocar as pasti-
nar ou sair da vaga de estacionamento. Para
lhas de freio gastas.
evitar danos, parar antes que as rodas toquem
nas balizas ou nos meios-fios.
ATENÇÃO
● Conduzir cautelosamente sobre depressões e
Estacionar o veículo de forma incorreta pode entradas de terrenos, rampas, meios-fios e ou-
causar ferimentos graves. tros objetos. Peças do veículo mais baixas, co-
● Nunca retirar a chave do veículo do cilindro mo para-choque, spoiler e peças do chassi, do
da ignição enquanto o veículo estiver em motor ou do sistema de escape podem ser
movimento. avariadas na passagem. 
● Nunca estacionar o veículo de forma que pe-
ças do sistema de escape entrem em contato
com materiais inflamáveis embaixo do veícu-
lo, como, por exemplo, vegetação rasteira, Sistemas de assistência à frenagem
folhas, grama seca, combustível derramado
etc.
 Observe e no início desse capítulo na
página 137.
● Puxar sempre o freio de estacionamento com
firmeza quando o veículo for parado ou esta- Dependendo da versão do veículo alguns siste-
cionado. mas de assistência à frenagem podem não estar
● Nunca deixar crianças ou pessoas com ne- disponíveis.
cessidades especiais sozinhas no veículo.
São utilizados 3 sistemas diferentes de assistên-
Elas poderiam soltar o freio de estaciona-
cia à frenagem: 
mento, acionar a alavanca seletora ou a ala-
vanca de troca de marcha e, assim, colocar o
veículo em movimento. Isto poderia causar
181.5B1.CRF.66

acidentes e ferimentos graves.

Estacionar e manobrar 137


– Sistema ABS de base: o ABS e EBV funcionam eficientemente com situações de condução difí-
somente com o motor em funcionamento e ceis, como em uma velocidade menor. Na opera-
contribuem significativamente para a seguran- ção de reboque, o ESC não está em condições de
ça de uma condução ativa. apoiar o condutor a recuperar o controle sobre
– Sistema M-ABS: o TC, ABS e EBV funcionam seu veículo, ao contrário de quando nenhum re-
somente com o motor em funcionamento e boque for puxado.
contribuem significativamente para a seguran- Ajustar sempre a velocidade e a forma de condu-
ça de uma condução ativa. ção às condições de visão, do tempo, da pista e
– Sistema ESC: o ESC, EDS, ASR, BAS, ABS off- do trânsito. O ESC não pode contrariar as leis da
-road, ABS e EBV funcionam somente com o física, melhorar a transmissão de força disponível
motor em funcionamento e contribuem signi- ou manter o veículo na pista, quando o despren-
ficativamente para a segurança de uma condu- dimento da rua tiver ocorrido por falta de aten-
ção ativa. ção do condutor. Ao invés disso, o ESC melhora a
possibilidade de recuperar o controle sobre o veí-
Controle de tração (ASR ou TC) culo e o apoia em situações de condução extre-
O ASR ou TC diminui a força de acionamento do mas de rodagem na rua pelo aproveitamento da
motor no caso de patinação de rodas e ajusta a movimentação da direção pelo condutor, de for-
força à condição do acionamento e às condições ma que o veículo prossiga na direção desejada.
da pista de rodagem. Com o ASR ou TC, o arran- Ao conduzir a uma velocidade que tire o veículo
que, a aceleração e a subida são facilitadas, mes- da pista antes que o ESC possa fornecer alguma
mo sob condições adversas da pista de rodagem. assistência, o ESC não poderá fornecer assistên-
cia alguma.
Para ligar e/ou desligar o ASR ou TC manualmen-
te, pressionar brevemente o botão  ou  no No ESC, os sistemas ABS, BAS, ASR, EDS e os sis-
console central → Página 140. temas de assistência em subidas estão integra-
dos. O ESC permanece sempre acionado. Se em
Programa eletrônico de estabilidade (ESC) algumas situações de condução não for mais
O ESC auxilia a reduzir o risco de uma derrapa- atingida a propulsão suficiente, o ASR pode ser
gem e a melhorar a estabilidade de rodagem pela desativado através do botão ASR  . Em seguida,
frenagem de rodas individuais em determinadas ligar o ASR novamente → Página 140.
situações de condução. Situações limites da dinâ-
mica de rodagem como, por exemplo, sobrester- Sistema antibloqueio do freio (ABS)
ço e subesterço do veículo ou derrapagem das O ABS pode impedir um travamento das rodas
rodas são reconhecidas pelo ESC. Intervenções em frenagens até pouco antes da parada do veí-
de frenagem dirigidas ou uma redução do torque culo e apoia o condutor a conduzir e a manter o
do motor apoiam o sistema a estabilizar o veícu- controle do veículo. Isto significa que o veículo
lo. tem pouca tendência a derrapar mesmo em uma
frenagem total:
O ESC tem limites. É importante saber que o ESC
não pode contrariar as leis da física. O ESC não – Pisar fortemente no pedal do freio e mantê-lo
poderá auxiliar em todas as situações com as pressionado. Não retirar o pé do pedal do freio
quais o condutor é confrontado. Por exemplo, o ou diminuir a força sobre o pedal do freio!
ESC não poderá apoiar sempre se ocorrer uma – Não “bombear” com o pedal do freio ou dimi-
mudança súbita de constituição da estrada. Se nuir a pressão sobre o pedal do freio!
um trecho de uma rua seca estiver coberto por
– Conduzir o veículo enquanto o pedal do freio é
água, lama ou neve, o ESC não poderá auxiliar da
pisado fortemente.
mesma forma e maneira como em um trecho se-
co. Se o veículo “aquaplanar” (rodar sobre uma – Ao soltar o pedal do freio ou ao reduzir a força
película de água em vez de sobre o asfalto), o sobre o pedal do freio, o ABS desliga-se.
ESC não terá condições de auxiliar o condutor na O funcionamento do ABS pode ser percebido por
condução do veículo, pois o contato com o asfal- um movimento pulsante do pedal do freio, bem
to estará interrompido e o veículo não poderá como por ruídos. Não se pode esperar que o ABS 
mais ser freado e conduzido. Em uma condução
em curva rápida, especialmente em trechos com
muitas curvas, o ESC não pode lidar sempre tão

138 Manual de instruções


reduza a distância de frenagem em todas as con- Não diminuir a pressão sobre o pedal do freio! Ao
dições. A distância de frenagem pode até aumen- soltar o pedal do freio ou ao reduzir a força sobre
tar sobre cascalho ou neve recente e sobre uma o pedal do freio, o assistente de frenagem desli-
superfície congelada ou escorregadia. ga automaticamente a amplificação da força de
frenagem.
Sistema antibloqueio do freio para operação
off-road (ABS off-road) Bloqueio eletrônico do diferencial (EDS)
O ABS off-road melhora o retardamento do freio O EDS freia uma roda que está patinando e trans-
do veículo em solos soltos. O ABS off-road faz mite a força de tração para a outra roda de tra-
parte da função off-road → Página 121. ção. Para que o disco de freio da roda freada não
superaqueça, o EDS funciona em conjunto com o
Ligar o ABS off-road
ASR e se desliga automaticamente se houver
– Pressionar brevemente o botão  → Fig. 101 uma demanda elevada incomum. Assim que o
no console central. freio estiver frio, o EDS se religa automaticamen-
te.
Desligar o ABS off-road manualmente
– Pressionar brevemente o botão  → Fig. 101 ATENÇÃO
no console central. Uma condução rápida sobre ruas congeladas,
Desligar o ABS off-road automaticamente escorregadias ou molhadas pode ocasionar a
perda de controle do veículo e ferimentos gra-
– O ABS off-road é desligado automaticamente ves no condutor e nos passageiros.
sempre que o veículo é ligado.
● Adequar a velocidade e a forma de condução
O sistema off-road sempre estará acionado, após de acordo com as condições de visibilidade,
pressionar o botão  , a menos que o motorista climáticas, da pista e do trânsito. A maior se-
desligue a função off-road pressionando-o nova- gurança oferecida pelos sistemas de apoio à
mente ou desligue e ligue novamente o veículo. frenagem não deve incentivar a colocar a se-
gurança em risco.
Distribuidor eletrônico da força de frenagem
● O sistema de assistência à frenagem não po-
(EBV)
de ir além dos limites impostos pela física.
Em todos os veículos, ao acionar o freio, o centro Ruas escorregadias e molhadas continuam
de gravidade do veículo se desloca para frente. muito perigosas.
Com isso existe o risco de bloqueio das rodas tra-
● Uma condução muito rápida por pistas mo-
seiras por causa da tração baixa. O distribuidor
lhadas pode provocar a perda do contato das
eletrônico da força de frenagem distribui a força
rodas com a pista e a “aquaplanagem”. Um
de frenagem para as rodas traseiras e garante
veículo não pode ser freado, conduzido e
uma divisão ótima da força de frenagem entre o
controlado se tiver perdido o contato com a
eixo dianteiro e traseiro. O funcionamento do
pista.
distribuidor eletrônico da força de frenagem faz
parte das funções do ABS. ● O sistema de assistência à frenagem não po-
de impedir um acidente quando, por exem-
Assistente de frenagem (BAS) plo, estiver conduzindo muito próximo ou
O assistente do freio pode auxiliar a reduzir o tra- muito rápido para a respectiva situação de
jeto até parada. O assistente de frenagem ampli- condução.
ficará a força de frenagem se o condutor pisar no ● Apesar de o sistema de assistência à frena-
pedal do freio rapidamente em situações de fre- gem ser muito eficiente e auxiliar a controlar
nagens de emergência. Como consequência, a o veículo em situações difíceis, lembrar sem-
pressão total de freio é formada rapidamente, a pre que a estabilidade da condução depende
força de frenagem é amplificada e a distância de da aderência dos pneus.
frenagem, reduzida. Com isso, o ABS é ativado de ● Ao acelerar sobre uma pista escorregadia,
forma mais rápida e eficiente. por exemplo, sobre gelo ou neve, acelerar
181.5B1.CRF.66

cautelosamente. As rodas também podem 

Estacionar e manobrar 139


patinar com sistema de assistência à frena- Sistema ESC (Controle eletrônico de
gem, o que pode causar a perda de controle
estabilidade)
do veículo.
 Observe e no início desse capítulo na
ATENÇÃO página 137.
A eficiência dos sistemas de assistência de fre-
nagem, pode ser bastante reduzida quando ou-
tros componentes e sistemas que envolvem a
dinâmica do veículo não tiverem manutenção
correta ou não estiverem funcionando. Isto se
refere também a freios, pneus e outros siste-
mas mencionados anteriormente, mas não so-
mente a eles.
● Lembrar sempre que conversões e modifica-
ções no veículo podem influenciar o funcio-
namento dos sistemas de assistência de fre-
nagem.
Fig. 111 No console central: botão para desligar e li-
● Modificações no sistema de amortecimento gar ASR manualmente.
do veículo ou a utilização de combinações de
rodas e pneus não liberados, podem influen- Dependendo da versão do veículo o sistema ESC
ciar no funcionamento do ABS, BAS, EDS, pode não estar disponível.
ASR, ESC e reduzir sua eficiência.
O programa eletrônico de estabilidade (ESC) só
● A eficiência dos sistemas de assistência de funciona com o motor em funcionamento e inclui
frenagem, também é definida por um pneu o ABS, BAS, EBV, EDS e o ASR.
adequado → Página 218.
Somente o ASR pode ser desligado pressionando
O ESC e o ASR podem funcionar sem avaria o botão  → Fig. 111 com o motor em funciona-
somente se as 4 rodas tiverem pneus iguais. mento. Desligar o ASR somente em situações
Diferentes diâmetros de rolamento entre os sem propulsão suficiente (entre outras):
pneus podem causar uma redução inesperada da – Na condução em neve profunda ou sobre piso
potência do motor. solto.
Em caso de uma avaria do ABS, o ESC, o – No “giro livre” das rodas do veículo atolado.
ASR e o EDS também não funcionam. – Quando não for atingido avanço suficiente.
Em procedimentos de regulagem dos siste- Em seguida, ligar o ASR pressionando o botão  .
mas descritos podem ocorrer ruídos de fun-
Com ASR desligado, a estabilização do conjunto e
cionamento. 
as intervenções estabilizadoras dos freios perma-
necem ativas. 

140 Manual de instruções


Sistema M-ABS (Sistema Equipamentos práticos
antibloqueio com controle de
tração) Porta-objetos
 Observe e no início desse capítulo na
página 137.  Introdução ao tema

Os porta-objetos devem ser utilizados somente


para guardar objetos leves ou pequenos.

ATENÇÃO
Objetos soltos podem ser arremessados pelo
interior do veículo em manobras de direção ou
de frenagem súbitas. Isto pode causar ferimen-
tos graves e também a perda de controle do
veículo.
● Não colocar animais e objetos rígidos, pesa-
Fig. 112 No console central: botão para desligar e li- dos ou de superfície cortante em comparti-
gar TC (controle de tração) manualmente. mentos abertos do veículo, sobre o painel de
instrumentos, na superfície atrás do banco
Dependendo da versão do veículo o sistema M- traseiro, em peças de vestuário ou bolsas no
-ABS pode não estar disponível. interior do veículo.
O sistema M-ABS só funciona com o motor em ● Manter os porta-objetos sempre fechados
funcionamento e inclui o ABS, o EBV e o TC. durante a condução.
Somente o TC pode ser desligado pressionando o
botão  → Fig. 112 com o motor em funciona- ATENÇÃO
mento. Desligar o TC somente em situações sem Objetos na área para os pés do condutor podem
propulsão suficiente (entre outras): impedir o livre acionamento dos pedais. Isto
– Na condução em neve profunda ou sobre piso pode causar a perda de controle do veículo e
solto. aumentar o risco de ferimentos graves.
– No “giro livre” das rodas do veículo atolado. ● Atentar para que todos os pedais possam ser
acionados sem impedimentos.
– Quando não for atingido avanço suficiente.
● Acomodar sempre o tapete para os pés com
Em seguida, ligar o TC pressionando o botão  .  segurança.
● Nunca colocar tapetes para os pés ou outros
revestimentos de assoalho sobre o tapete
para os pés instalado.
● Atentar para que nenhum objeto alcance a
área para os pés do condutor durante a con-
dução.

NOTA
● Os filamentos do desembaçador do vidro tra-
seiro podem ser danificados devido ao atrito
com objetos sobre a superfície atrás do banco
traseiro.
● Não guardar objetos sensíveis à temperatura,
181.5B1.CRF.66

alimentos ou medicamentos no interior do veí-


culo. O calor e o frio podem danificá-los ou
torná-los impróprios para uso ou consumo. 

Equipamentos práticos 141


● Objetos de materiais transparentes deixados Porta-objetos no banco do
no veículo, como, por exemplo, óculos, lentes
condutor
ou ventosas transparentes nos vidros, podem
focalizar os raios do sol e, assim, causar danos
 Observe e no início desse capítulo na
no veículo. página 141.
Para que o ar no interior do veículo possa
ser renovado, não obstruir as aberturas de
ventilação entre o vidro traseiro e a cobertura do
compartimento de bagagem. 

Porta-objetos do lado do condutor


 Observe e no início desse capítulo na
página 141.

Fig. 114 Gaveta sob o banco do condutor: porta-ob-


jetos.

Porta-objetos na gaveta sob o banco do


condutor
Levantar a gaveta pelo puxador e deslocar para
frente para ter acesso ao porta-objetos
→ Fig. 114.
A literatura de bordo pode ser guardada na bolsa
(na parte traseira do banco) ou na gaveta do ban-
co do condutor.
Fig. 113 No lado esquerdo, na parte inferior do con-
sole: porta-objetos. Bolso com zíper
Pode ser utilizado para guardar objetos pequenos Localizado na lateral do encosto dos bancos di-
→ Fig. 113.  anteiros. Pode ser utilizado para guardar objetos
pequenos, leves e não cortantes. 

142 Manual de instruções


Porta-objetos no console central Porta-objetos do lado do
dianteiro passageiro dianteiro
 Observe e no início desse capítulo na  Observe e no início desse capítulo na
página 141. página 141.

Fig. 115 No console central dianteiro: porta-obje-


tos.
Fig. 117 Na lateral do banco do passageiro diantei-
ro: porta-objetos.

Fig. 118 No lado do passageiro dianteiro: porta-lu-


vas.

Fig. 116 No console central dianteiro: interface USB Porta-objetos na lateral do banco dianteiro
e entrada AUX-IN Na lateral do banco do passageiro dianteiro pode
haver um porta-objetos aberto → Fig. 117.
No console central dianteiro, existe um porta-ob-
jetos aberto. Abrir e fechar o porta-luvas
Dependendo da versão do veículo, no porta-obje- Para abrir, puxar a alavanca de abertura
tos→ Fig. 116 pode haver a interface USB e a en- → Fig. 118.
trada AUX-IN instalada de fábrica → caderno Rá- Para fechar, pressionar tampa completamente
dio. para cima → Fig. 118.
No porta-objetos pode haver uma tomada
12 V → Página 147 ou um acendedor de ci- ATENÇÃO
garro → Página 145.  Um porta-luvas aberto pode aumentar o risco
de ferimentos graves em caso de um acidente
ou manobra de direção ou de frenagem súbitas.
● Manter o porta-luvas sempre fechado duran-
te a condução. 
181.5B1.CRF.66

Equipamentos práticos 143


Porta-objetos traseiros – Redes nas laterais do compartimento de baga-
gem, para guardar objetos pequenos e leves
 Observe e no início desse capítulo na que não ultrapassem 1,5 kg (não disponível
página 141. para algumas versões).
– Nas laterais da caixa de ferramentas, para
guardar objetos leves e pequenos (não dispo-
nível para algumas versões).

ATENÇÃO
Objetos soltos ou fixados incorretamente sobre
a cobertura do compartimento de bagagem po-
dem causar ferimentos graves em caso de ma-
nobras de direção e de frenagem súbitas ou em
caso de acidentes.
● Não acomodar objetos rígidos, pesados ou de
superfície cortante nos bolsos do vestuário,
em bolsas ou soltos sobre a cobertura do
compartimento de bagagem.
● Nunca transportar animais sobre a cobertura
do compartimento de bagagem.

ATENÇÃO
Fig. 119 No encosto dos bancos dianteiros: bolsa Roupas penduradas podem reduzir a visibilida-
porta-objetos. de do condutor e, assim, causar acidentes e fe-
rimentos graves.
Bolsa porta-objetos
● Pendurar as roupas no gancho para roupas
Na parte traseira do encosto do banco do passa- sempre de forma a não reduzir a visibilidade
geiro dianteiro existe uma bolsa porta-objetos do condutor.
→ Fig. 119, para guardar a literatura de bordo.
● Utilizar o gancho para roupas no veículo so-
Em algumas versões pode haver uma bolsa por-
mente para pendurar roupas leves. Nunca
ta-objetos na parte traseira do encosto do banco
deixar objetos pesados, rígidos ou de superfí-
do condutor. 
cie cortante nos bolsos. 

Outros porta-objetos
 Observe e no início desse capítulo na
Porta-copos
página 141.

Outros compartimentos possíveis:


 Introdução ao tema
– No revestimento das portas dianteiras
→ Página 37. Porta-garrafas
– No revestimento do console central inferior, Porta-garrafas de no máximo 1,5 l encontram-se
próximo a alavanca de troca de marchas do no porta-objetos aberto das portas do condutor e
veículo. do passageiro dianteiro.
– Em cima da cobertura do compartimento de
bagagem para peças de roupa leves. ATENÇÃO
– Na lateral dos bancos dianteiros. A utilização incorreta dos porta-copos pode
causar ferimentos. 

144 Manual de instruções


● Nunca colocar bebidas quentes em um por- Cinzeiro e acendedor de
ta-copos. Durante a condução, em uma ma-
nobra de frenagem súbita ou em um aciden- cigarro
te, bebidas quentes em um porta-copos po-
dem ser derramadas e causar queimaduras.
● Certificar-se de que garrafas de bebida ou
 Introdução ao tema
outros objetos não alcancem a área para os
pés do condutor durante a condução, atrapa-
lhando o acionamento dos pedais.
ATENÇÃO
● Nunca colocar copos pesados, mantimentos A utilização incorreta do cinzeiro e do acende-
ou outros objetos pesados nos porta-copos. dor de cigarro pode causar incêndios, queima-
Esses objetos pesados podem voar pelo inte- duras e outros ferimentos graves.
rior do veículo em um acidente e causar feri- ● Nunca colocar no cinzeiro papel ou qualquer
mentos graves. outro tipo de objeto, sob o risco de causar
um incêndio.
ATENÇÃO ● O cinzeiro tem como única finalidade arma-
Garrafas de bebida fechadas no interior do veí- zenar os cigarros que foram utilizados, assim
culo podem explodir por ação do calor e estou- como as substâncias produzidas pelos mes-
rar por ação do frio. mos, como cinzas, por exemplo. 
● Nunca deixar garrafas de bebida fechadas no
interior de um veículo intensamente aqueci-
do ou intensamente refrigerado. Cinzeiro
NOTA  Observe no início desse capítulo na pági-
Não manter bebidas abertas no porta-copos du- na 145.
rante a condução. Bebidas derramadas, por
exemplo, durante frenagens, podem causar da-
nos no veículo e ao sistema elétrico. 

Porta-copos no console central


 Observe e no início desse capítulo na
página 144.

Fig. 121 No console central dianteiro: abrir o cinzei-


ro.

Abrir ou fechar o cinzeiro


Para abrir, levantar a tampa do cinzeiro
→ Fig. 121 no sentido da seta.
Para fechar, pressionar a tampa do cinzeiro total-
mente para baixo.

Esvaziar o cinzeiro
Fig. 120 No console central dianteiro: porta-copos.
– Puxar o cinzeiro para cima, para retirá-lo do
181.5B1.CRF.66

No console central dianteiro existem dois porta- porta-copos.


-copos → Fig. 120.  – Após esvaziar o cinzeiro, introduzir no porta-
-copos e pressionar para baixo. 

Equipamentos práticos 145


Acendedor de cigarro Tomada
 Observe no início desse capítulo na pági-
na 145.  Introdução ao tema

Acessórios elétricos podem ser ligados na toma-


da do veículo.
Os aparelhos conectados devem estar em perfei-
tas condições e não podem apresentar defeitos.

ATENÇÃO
A utilização incorreta da tomada e de acessó-
rios elétricos pode causar incêndios e outros fe-
rimentos graves.
● Nunca deixar crianças sem supervisão dentro
do veículo. Com a ignição ligada, tomada e
Fig. 122 No console central dianteiro: acendedor de
aparelhos conectados a ela podem ser utili-
cigarro.
zados.
Dependendo da versão do veículo, o acendedor ● Se o aparelho elétrico conectado esquentar
de cigarro pode não estar disponível sendo possí- demais, desligar o aparelho imediatamente e
vel ser adquirido na Concessionária Volkswagen. tirar o plugue da tomada.
– Com a ignição ligada, pressionar o acendedor
de cigarro → Fig. 122. NOTA
– Após alguns instantes, o acendedor de cigarro ● Para evitar danos ao sistema elétrico, nunca
retorna automaticamente. conectar na tomada 12 V acessórios que for-
neçam corrente para carregar a bateria do veí-
– Retirar o acendedor e acender o cigarro na es- culo, como, por exemplo, painéis solares ou
piral incandescente → . carregadores de bateria.
– Encaixar o acendedor de cigarro novamente ● Utilizar somente acessórios que tenham sido
em seu alojamento. verificados conforme as diretrizes vigentes
com relação à compatibilidade eletromagnéti-
ATENÇÃO ca.
A utilização incorreta do acendedor de cigarro ● Para evitar danos por variações de corrente,
pode causar incêndios, queimaduras e outros antes de ligar e desligar a ignição, bem como
ferimentos graves. antes de ligar o motor, os consumidores co-
● Utilizar o acendedor de cigarro adequada- nectados à tomada 12 V devem ser desligados.
mente e somente para acender cigarros. ● Nunca conectar consumidores elétricos que
● Nunca deixar crianças sem supervisão dentro consumam mais do que a potência indicada a
do veículo. O acendedor de cigarro funciona uma tomada 12 V. Ao exceder a potência má-
somente com a ignição ligada. xima, o sistema elétrico do veículo pode ser
danificado.
A abertura do acendedor de cigarro tam-
bém pode ser utilizada como tomada 12 V Não deixar o motor em funcionamento com
→ Página 146.  o veículo parado.
Com o motor parado, a ignição ligada e
acessórios ligados, a bateria do veículo se
descarrega.
Aparelhos não blindados podem causar ava-
rias no rádio e nos componentes eletrônicos
do veículo. 

146 Manual de instruções


Podem ocorrer falhas de recepção da banda Tomada 12 V
AM do rádio quando aparelhos elétricos fo- As tomadas 12 V estão localizadas no console
rem operados nas proximidades da antena.  central dianteiro → Fig. 123, no compartimento
de bagagem → Fig. 124 e funcionam somente
com a ignição ligada.
Tomada no veículo Com o motor desligado, a ignição ligada e um
equipamento elétrico ligado, a bateria do veículo
 Observe e no início desse capítulo na se descarrega. Por esse motivo, utilizar um con-
página 146. sumidores elétricos na tomada somente com o
motor em funcionamento.
Antes de ligar ou desligar a ignição, bem como
antes de ligar o motor, desligar os aparelhos co-
nectados para evitar danos por variações de ten-
são.

NOTA
● Observar os manuais de instruções dos apare-
lhos conectados!
● Nunca exceder a potência máxima, já que des-
ta forma todo o sistema elétrico do veículo po-
derá ser danificado.
Fig. 123 No console central dianteiro: tomada 12 V. ● Tomada 12 V:
– Utilizar somente acessórios que tenham sido
verificados conforme as diretrizes vigentes
com relação à compatibilidade eletromag-
nética.
– Nunca aplicar corrente na tomada. 

Fig. 124 No compartimento de bagagem: tomada


12 V.

Potência máxima
Tomada Potência máxima
12 V 120 W
A potência máxima da tomada não deve ser ex-
cedida. A potência máxima dos aparelhos pode
ser encontrada em suas etiquetas de identifica-
ção.
181.5B1.CRF.66

Equipamentos práticos 147


Transportar ATENÇÃO
O comportamento de direção, bem como o
Orientações para condução efeito de frenagem, alteram-se bastante duran-
te o transporte de objetos grandes e pesados.
● Adequar a velocidade e a forma de condução
 Introdução ao tema de acordo com as condições de visibilidade,
climáticas, da pista e do trânsito.
Acomodar carga pesada sempre de maneira se- ● Acelerar de forma especialmente cautelosa e
gura no compartimento de bagagem e certificar- cuidadosa.
-se de que os encostos do banco traseiro estão ● Evitar manobras de direção e de frenagem
encaixados corretamente na posição vertical. Uti- súbitas.
lizar fitas de amarração adequadas para fixar ob-
● Frear antes do usual. 
jetos pesados. Nunca sobrecarregar o veículo.
Tanto o carregamento quanto a distribuição da
carga no veículo têm influência sobre o compor-
tamento de direção e sobre o efeito de frenagem Acomodar volumes de bagagem
→ .
 Observe no início desse capítulo na pági-
ATENÇÃO na 148.
Objetos soltos ou fixados incorretamente po-
dem causar ferimentos graves em caso de ma- Acomodar todos os volumes de bagagem com
nobras de direção e de frenagem súbitas ou em segurança no veículo
caso de acidentes. Isto vale especialmente nos – Distribuir as cargas no veículo e no teto da ma-
casos em que objetos são atingidos pelo airbag neira mais uniforme possível.
acionado, sendo arremessados pelo interior do
– No compartimento de bagagem, objetos pesa-
veículo. Para diminuir o risco de ferimentos,
dos devem ser colocados o mais próximo pos-
observar o seguinte:
sível do encosto do banco traseiro, e esse deve
● Acomodar todos os objetos no veículo de estar travado de forma segura na posição ver-
maneira segura. Acomodar bagagens e obje- tical.
tos pesados sempre no compartimento de
– Fixar volumes de bagagem no compartimento
bagagem.
de bagagem utilizando cintas tensoras ade-
● Fixar sempre objetos com fitas de amarração quadas.
ou com cintas tensoras adequadas para que
– Adequar a pressão dos pneus conforme a car-
os objetos não possam alcançar a área de ex-
ga. Observar a etiqueta adesiva com a pressão
pansão dos airbags frontais durante uma
dos pneus → Página 225.
manobra brusca de direção e de frenagem.
– Em veículos com indicador de controle dos
● Acomodar objetos no interior do veículo de
pneus, se necessário, configurar as novas con-
maneira que eles nunca cheguem à área de
dições de carga → Página 220.
expansão dos airbags durante a condução.
● Manter os porta-objetos sempre fechados NOTA
durante a condução.
Os filamentos do desembaçador do vidro traseiro
● Objetos acomodados nunca devem levar os podem ser danificados devido ao atrito com ob-
ocupantes a assumir uma posição incorreta jetos acomodados sobre a superfície atrás do
no banco. banco traseiro.
● Se objetos acomodados bloquearem um as-
sento do banco, ele nunca deverá ser ocupa- Observar as informações sobre o carrega-
do e utilizado por uma pessoa. mento em um bagageiro do teto
→ Página 150, Bagageiro do teto.

Observar as informações para o carrega-


mento de um reboque → Página 153, Con-
dução com reboque 

148 Manual de instruções


Compartimento de bagagem ● Manter os porta-objetos sempre fechados
durante a condução.
● Não acomodar objetos rígidos, pesados ou de
 Introdução ao tema superfície cortante em porta-objetos abertos
no interior do veículo, sobre a cobertura do
compartimento de bagagem ou sobre o pai-
Acomodar a carga pesada sempre de maneira se- nel de instrumentos sem que estejam corre-
gura no compartimento de bagagem e certificar- tamente fixados.
-se de que os encostos do banco traseiro estão
● Retirar objetos rígidos, pesados ou de super-
encaixados corretamente na posição vertical. Uti-
fície cortante de peças de roupa e bolsas no
lizar sempre fitas de amarração adequadas. Nun-
interior do veículo e acomodá-los de maneira
ca sobrecarregar o veículo. Tanto o carregamento
segura.
quanto a distribuição da carga no veículo têm in-
fluência sobre o comportamento de direção e so-
bre o efeito de frenagem → . ATENÇÃO
Ao transportar objetos pesados, as característi-
ATENÇÃO cas de condução do veículo são alteradas e a
Quando o veículo não estiver em uso, travar distância de frenagem aumenta. Cargas pesa-
sempre as portas e a tampa traseira para redu- das não acomodadas e não fixadas de maneira
zir o risco de ferimentos graves ou fatais. correta podem fazer com que o condutor perca
o controle do veículo, causando ferimentos
● Nunca deixar crianças sem supervisão, princi-
graves.
palmente com a tampa traseira aberta. Cri-
anças podem entrar no compartimento de ● Ao transportar objetos pesados, as caracte-
bagagem e fechar a tampa traseira. Em si- rísticas de condução do veículo são alteradas
tuações como essas, uma criança não conse- devido ao deslocamento do centro de gravi-
guiria sair do compartimento de bagagem dade.
sozinha. Isto pode causar ferimentos graves ● Distribuir a carga sempre de maneira unifor-
ou fatais. me e o mais fundo possível no veículo.
● Nunca permitir que crianças brinquem no ● Acomodar objetos pesados de maneira segu-
veículo ou junto a ele. ra o mais fundo possível no compartimento
● Nunca transportar pessoas no compartimen- de bagagem.
to de bagagem.
NOTA
ATENÇÃO Os filamentos do desembaçador do vidro traseiro
Objetos soltos ou fixados incorretamente po- podem ser danificados devido ao atrito com ob-
dem causar ferimentos graves em caso de ma- jetos sobre a cobertura do compartimento de ba-
nobras de direção e de frenagem súbitas ou em gagem.
caso de acidentes. Isto vale especialmente nos
Para que o ar no interior do veículo possa
casos em que objetos são atingidos pelo airbag
ser renovado, não obstruir as aberturas de
acionado, sendo arremessados pelo interior do
ventilação entre o vidro traseiro e a cobertura do
veículo. Para diminuir o risco de ferimentos,
compartimento de bagagem. 
observar o seguinte:
● Acomodar todos os objetos no veículo de
maneira segura. Acomodar bagagens e obje-
tos pesados sempre no compartimento de
bagagem.
● Fixar objetos sempre com fitas de amarração
ou com cintas tensoras para que os objetos
não sejam arremessados pelo interior do veí-
181.5B1.CRF.66

culo e não possam alcançar a área de expan-


são dos airbags frontais durante uma mano-
bra de direção e de frenagem súbita.

Transportar 149
Cobertura do compartimento de ATENÇÃO
bagagem Objetos soltos ou fixados incorretamente, bem
como animais sobre a cobertura do comparti-
 Observe e no início desse capítulo na mento de bagagem podem causar ferimentos
página 149. graves em caso de manobras de direção e de
frenagem súbitas ou em caso de acidentes.
● Não acomodar objetos rígidos, pesados ou de
superfície cortante nos bolsos do vestuário,
em bolsas ou soltos sobre a cobertura do
compartimento de bagagem.
● Nunca transportar animais sobre a cobertura
do compartimento de bagagem.
● Nunca conduzir com a cobertura do compar-
timento de bagagem levantada. Rebatê-la
para baixo ou removê-la antes de iniciar a
condução.

NOTA
Para evitar danos na cobertura do compartimen-
Fig. 125 No compartimento de bagagem: remover e
instalar a cobertura do compartimento de bagagem. to de bagagem:
● Atentar sempre para que a cobertura do com-
Quando se abre e fecha a tampa traseira, a co- partimento de bagagem esteja firmemente
bertura é levantada ou baixada automaticamen- presa nos suportes laterais.
te, se os cordões de retenção estiverem presos. ● Somente carregar o compartimento de baga-
A cobertura do compartimento de bagagem pode gem para cima de modo que a cobertura do
ser utilizada para colocar peças de vestuário le- compartimento de bagagem não fique pressio-
ves. Assegurar que a visibilidade para trás não se- nada contra a carga quando a tampa traseira
ja prejudicada. estiver fechada. 

Remover a cobertura do compartimento de


bagagem
– Desprender os cordões de retenção do suporte
da tampa traseira → Fig. 125 (setas superio-
Bagageiro do teto
res).
– Retirar a cobertura do compartimento de ba-  Introdução ao tema
gagem por trás, para fora dos suportes laterais
→ Fig. 125 (setas inferiores).
O veículo é fornecido com as duas longarinas
Instalar a cobertura do compartimento de longitudinais e as travessas podem ser adquiridas
bagagem como acessório em uma Concessionária
– Empurrar a cobertura do compartimento de Volkswagen.
bagagem para a frente, introduzindo-a nos su- O teto do veículo foi desenvolvido para otimizar a
portes laterais → Fig. 125 (setas inferiores). aerodinâmica.
– Encaixar os cordões de retenção na tampa tra-
Somente podem ser utilizados suportes adicio-
seira → Fig. 125 (setas superiores).
nais do bagageiro do teto liberados pela
Volkswagen. 

150 Manual de instruções


Quando as travessas do bagageiro do teto Utilizar o bagageiro do teto
devem ser desinstaladas:
– Quando elas não forem mais necessárias, as-  Observe e no início desse capítulo na
sim, economiza-se combustível, reduz-se o ru- página 151.
ído de vento e evita-se o roubo do bagageiro.
– Quando o veículo passar por um sistema auto-
mático de lavagem.
– Quando a altura do veículo exceder a altura
necessária para passagem, por exemplo, em
uma garagem.

ATENÇÃO
Ao transportar objetos pesados ou grandes no
bagageiro do teto, as características de condu-
ção do veículo se alteram em razão do desloca-
mento do centro de gravidade e do aumento da
superfície de resistência ao vento.
● Fixar sempre a carga de maneira correta com
fitas de amarração ou cintas tensoras ade- Fig. 126 Suportes longitudinais do bagageiro do te-
quadas e em boas condições de uso. to (ambos os lados).
● Cargas grandes, pesadas, longas ou planas Os suportes longitudinais constituem apenas a
atuam de forma negativa sobre a aerodinâ- base para um sistema de transporte de carga
mica do veículo, sobre o centro de gravidade completo e é fornecido com o veículo. Por razões
e sobre o comportamento de direção. de segurança, são necessárias travessas adicio-
● Evitar manobras de direção e de frenagem nais transversais para transportar bagagem. Para
bruscas e súbitas. o transporte de bicicletas, pranchas de surf, es-
● Adequar a velocidade e a forma de condução quis e barcos são necessários os respectivos su-
às condições de visibilidade, climáticas, da portes adicionais próprios. Acessórios adequados
pista e do trânsito. podem ser obtidos em uma Concessionária
Volkswagen.
NOTA Não devem ser instalados bagageiros convencio-
● Desmontar as travessas do bagageiro do teto nais nos suportes longitudinais. Recomendamos
antes de submeter o veículo a um sistema au- que utilize apenas travessas do bagageiro do teto
tomático de lavagem. homologados pela Volkswagen.
● A altura do veículo se altera com a instalação
ATENÇÃO
de um bagageiro do teto e pela carga fixada
nele. Comparar a altura do veículo com as altu- A fixação incorreta das travessas do bagageiro
ras de passagem disponíveis, por exemplo, de do teto, bem como sua utilização incorreta, po-
viadutos e portões de garagem. dem fazer com que todo o sistema se solte do
teto, causando acidentes e ferimentos.
● A antena do teto, a área de alcance do teto so-
lar e da tampa traseira não podem ser prejudi- ● Se não forem utilizadas as travessas adicio-
cados pelo sistema de bagageiro do teto e pela nais homologadas pela Volkswagen ou se es-
carga fixada. tas não forem corretamente instaladas, a
carga transportada ou o próprio bagageiro
● Atentar para que a tampa traseira, ao ser aber-
podem cair do teto.
ta, não colida com a bagagem do teto.
● Observar sempre a instrução de instalação do
Remover as travessas do bagageiro do teto fabricante.
quando não estiverem sendo utilizadas, evi- ● Utilizar o bagageiro do teto somente quando
181.5B1.CRF.66

tando o consumo desnecessário de combustível as travessas estiverem fixadas de maneira


em função da maior resistência aerodinâmica.  correta e o bagageiro do teto estiver em bo-
as condições de uso. 

Transportar 151
● Montar as travessas do bagageiro do teto de Carga máxima admissível sobre o teto
maneira correta. A carga máxima admissível sobre o teto é de 45
● Verificar as fixações antes do início da con- kg. A carga sobre o teto é composta pelo peso do
dução e, se necessário, reapertá-las após bagageiro do teto e da carga a ser transportada
uma condução curta. Em caso de conduções sobre o teto → .
mais longas, verificar as fixações a cada pa- Informar-se sempre sobre o peso do bagageiro
rada. do teto e da carga a ser transportada e, se neces-
● Montar sempre corretamente os suportes do sário, pesá-los. Nunca exceder a carga máxima
bagageiro do teto especiais para bicicletas, admissível sobre o teto.
esquis, pranchas de surfe etc. Na utilização de bagageiro do teto com menor
● Não realizar modificações ou reparos nos su- capacidade de carga, não é possível utilizar a car-
portes de base e no bagageiro do teto. ga máxima admissível sobre o teto. Nesse caso, o
bagageiro do teto somente pode ser carregado
NOTA até o limite de peso que está indicado nas instru-
Observar sempre as instruções de instalação do ções de instalação.
fabricante das travessas do bagageiro do teto.
Distribuir a carga
● Guardar as instruções de instalação e utilização
Distribuir a carga uniformemente entre as traves-
do fabricante das travessas do bagageiro do
sas e por todo o seu comprimento → .
teto junto com a literatura de bordo no veícu-
lo. Controlar as fixações
Depois que as travessas do bagageiro do teto ti-
NOTA verem sido fixadas, verificar após uma condução
Os danos provocados pela fixação deficiente das curta e, subsequentemente, com intervalos regu-
travessas do bagageiro do teto estão excluídos lares.
da garantia.
● A altura do veículo se altera com a utilização ATENÇÃO
das travessas do bagageiro do teto e pela car- Se a carga máxima admissível sobre o teto indi-
ga fixada nela. Comparar a altura do veículo cada for excedida, poderão ocorrer acidentes
com as alturas de passagem disponíveis, por graves e danos significativos ao veículo.
exemplo, de viadutos e portões de garagem. ● Nunca exceder a carga máxima admissível
Ler e observar as instruções de instalação sobre o teto, as cargas máximas admissíveis
fornecidas junto com as travessas do baga- sobre os eixos e o peso total admissível do
geiro do teto, e mantê-las sempre no veículo. veículo em nenhuma circunstância.
● Não exceder a capacidade de carga do baga-
É importante conhecer a legislação que re- geiro do teto utilizado, mesmo se a carga
gulamenta as dimensões dos volumes máxima sobre o teto não tiver sido alcança-
transportados sobre o teto do veículo.  da. Neste caso, carregar as travessas do ba-
gageiro do teto somente até o limite do peso
indicado nas instruções do fabricante.
Carregar o bagageiro do teto ● Fixar objetos pesados o mais à frente possí-
vel e distribuir toda a carga uniformemente.
 Observe e no início desse capítulo na
página 151. ATENÇÃO
Carga solta ou fixada de maneira incorreta pode
A carga somente pode ser fixada com segurança cair do bagageiro do teto e causar acidentes e
quando for utilizado um sistema do bagageiro do ferimentos.
teto homologado pela Volkswagen e estiver
● Utilizar sempre fitas de amarração ou cintas
montado de maneira correta → .
tensoras adequadas e em boas condições de
uso. 

152 Manual de instruções


● Fixar a carga de maneira correta, evitando ATENÇÃO
que escorreguem ou caiam.
A utilização inadequada do dispositivo de rebo-
● No transporte de objetos muito volumosos que pode causar ferimentos e acidentes.
no teto, devido ao deslocamento do centro
● Utilizar o dispositivo de reboque apenas
de gravidade e a maior superfície de resis-
quando estiver corretamente fixado e sem
tência ao ar, o comportamento do veículo se
danos.
modifica. Deve-se adequar a condução e a
velocidade a esta nova ciscunstância e evitar ● Não realizar nenhuma modificação ou reparo
freadas bruscas e manobras súbitas. no dispositivo de reboque.

Por vezes, as travessas do bagageiro do teto ATENÇÃO


permanecem instaladas quando já não são
A condução com um reboque e o transporte de
mais necessárias. Devido à maior resistência ae-
objetos pesados ou com superfícies grandes
rodinâmica, o seu veículo consome desnecessa-
pode alterar as características de condução e
riamente mais combustível. Por isto, remover as
causar acidentes.
travessas do bagageiro do teto quando elas dei-
xarem de ser utilizadas. ● Assim, o atendimento às orientações abaixo
é fundamental à garantia de segurança do
A carga transportada no teto tem que ser condutor, passageiros e demais condutores.
bem fixada. O transporte de carga no teto – Fixar sempre a carga corretamente com fi-
altera o comportamento do veículo.  tas de amarração ou cintas tensoras
adequadas e em boas condições de uso.
– Adequar a velocidade e a forma de condu-
ção de acordo com as condições de visibi-
Condução com reboque lidade, climáticas, da pista e do trânsito.
– Reboques com centro de gravidade mais
alto podem tombar mais facilmente do
 Introdução ao tema que reboques com centro de gravidade
mais baixo.
– Evitar manobras de direção e de frenagem
Observar as prescrições específicas do países pa-
abruptas e súbitas.
ra a condução com um reboque e para a utiliza-
ção de um dispositivo de reboque. – Atenção especial durante as ultrapassa-
gens.
Via de regra, o veículo foi desenvolvido para o – Reduzir imediatamente a velocidade ao
transporte de pessoas e pode ser utilizado para perceber o mais leve movimento pendular
puxar um reboque quando com o equipamento do reboque.
técnico adequado. Esta carga de reboque adicio-
– Com reboque, não conduzir com velocida-
nal influencia a resistência, o consumo de com-
de superior a 80 km/h. Isto também é váli-
bustível e o desempenho do veículo e pode, sob
do para países em que a velocidade máxi-
determinadas condições, diminuir os intervalos
ma permitida é mais elevada. Observar ve-
de manutenção.
locidades máximas específicas de países
A condução com um reboque representa não que, para veículos com reboques, podem
apenas uma carga maior para o veículo, mas estar abaixo daquelas para veículos sem
também exige uma concentração maior do con- reboques.
dutor. – Nunca tentar “estabilizar” por meio de
acelerações um conjunto que estiver osci-
ATENÇÃO lando.
O transporte de passageiros em um reboque
coloca vidas em risco e pode ser ilegal. Nos primeiros 1.000 km de um motor novo,
não conduzir com um reboque . 
181.5B1.CRF.66

Transportar 153
Condições técnicas Espelhos retrovisores externos
Se a área de tráfego atrás do reboque não puder
 Observe no início desse capítulo na pági- ser vista com os espelhos retrovisores externos
na 153. de série do veículo de tração, serão necessários
espelhos retrovisores externos complementares
Utilizar somente um dispositivo de reboque libe- conforme as determinações específicas de cada
rado para o peso bruto admissível do reboque país. Os espelhos retrovisores externos devem
que será puxado. O dispositivo de reboque deve ser ajustados antes da condução e proporcionar
ser adequado para o veículo e para o reboque, e uma visibilidade traseira suficiente.
deve estar fixado com segurança no chassi do
veículo. Verificar e observar sempre as indicações ATENÇÃO
do fabricante do dispositivo de reboque. Um dispositivo de reboque inadequado ou
montado incorretamente pode fazer com que o
Dispositivo de reboque montado no para- reboque se solte do veículo e provoque feri-
-choque mentos graves.
Nunca montar um dispositivo de reboque no pa-
ra-choque ou em sua fixação. Um dispositivo de NOTA
reboque não deve reduzir o efeito do para-cho-
● Se as lanternas traseiras do reboque não forem
que. Não realizar nenhuma modificação no siste-
conectadas corretamente, os componentes
ma de escape e no sistema de freio. Verificar pe-
eletrônicos do veículo podem ser danificados.
riodicamente se o dispositivo de reboque está as-
sentado firmemente. ● Se o reboque consumir corrente em excesso,
os componentes eletrônicos do veículo podem
Sistema de arrefecimento do motor ser danificados.
A condução com um reboque exige mais do mo- ● Nunca conectar o sistema elétrico do reboque
tor e do sistema de arrefecimento. O sistema de diretamente com as conexões elétricas das
arrefecimento deve conter líquido de arrefeci- lanternas traseiras ou com outra fonte de cor-
mento suficiente e estar projetado para a carga rente. Utilizar somente conexões adequadas
adicional da condução com reboque. para a alimentação de corrente ao reboque.

Freio do reboque Em veículos com sensor do controle de dis-


Se o reboque possui um sistema de freio próprio, tância de estacionamento, o funcionamento
as determinações válidas devem ser observadas. do sensor deve ser alterado, quando se instalar o
O sistema de freio do reboque nunca deve ser co- dispositivo de reboque no veículo. Para maiores
nectado ao sistema de freio do veículo. informações, contate uma Concessionária
Volkswagen.
Cabo de ruptura
Em razão da maior demanda do veículo com
Utilizar sempre um cabo de ruptura entre o veí- condução com reboque frequente, a
culo e o reboque → Página 155. Volkswagen recomenda que as manutenções se-
jam efetuadas também entre os intervalos de re-
Lanternas traseiras do reboque
visão. 
As lanternas traseiras do reboque devem corres-
ponder às prescrições legais → Página 155.
Nunca conectar as lanternas traseiras do reboque
diretamente ao sistema elétrico do veículo. Em
caso de dúvida sobre se o reboque está conecta-
do corretamente ao sistema elétrico, consultar
uma empresa especializada. Para isso, a
Volkswagen recomenda uma Concessionária
Volkswagen.

154 Manual de instruções


Engatar e conectar o reboque Carregar o reboque
 Observe no início desse capítulo na pági-  Observe no início desse capítulo na pági-
na 153. na 153.

Cabo de ruptura Carga de reboque e carga de apoio


Fixar sempre o cabo de ruptura do reboque cor- A carga de reboque é a carga que o veículo é ca-
retamente no veículo de tração. Nesse caso, dei- paz de puxar → . A carga de apoio é a carga que
xar o cabo de ruptura um pouco frouxo para pos- exerce pressão verticalmente sobre a rótula de
sibilitar a condução em curvas. No entanto, o ca- engate do dispositivo de reboque .
bo de ruptura não deve se arrastar pelo solo du- As indicações da carga de reboque e da carga de
rante a condução. apoio na etiqueta de identificação do dispositivo
de reboque são valores de referência do disposi-
Lanternas traseiras do reboque
tivo. Os valores relativos ao veículo, que frequen-
Atentar para que as lanternas traseiras do rebo- temente estão abaixo desses valores, estão rela-
que funcionem corretamente e que correspon- cionados nos documentos do veículo. As indica-
dam às prescrições legais. ções dos documentos de licenciamento do veícu-
lo sempre têm prioridade.
ATENÇÃO
Para garantir a segurança da condução, a
Condutores elétricos inadequados ou
Volkswagen recomenda sempre aproveitar a car-
incorretamente conectados podem energizar o
ga de apoio máxima admissível. Uma carga de
reboque, causar falhas de funcionamento nos
apoio muito baixa limita o comportamento de di-
componentes eletrônicos do veículo e causar
reção do conjunto.
ferimentos graves.
● Todos os trabalhos no sistema elétrico so- A carga de apoio existente aumenta o peso sobre
mente podem ser realizados por uma Con- o eixo traseiro e reduz o carregamento do veículo
cessionária Volkswagen ou por uma empresa admissível.
especializada.
Capacidade máxima de tração
● Nunca conectar o sistema elétrico do rebo- A capacidade máxima de tração é composta pe-
que diretamente com as conexões elétricas los pesos reais do veículo de tração carregado e
das lanternas traseiras ou com outra fonte de do reboque carregado.
corrente.
Carregar o reboque
NOTA O conjunto deve estar balanceado. Para isto,
Um reboque estacionado sobre a roda de apoio aproveitar a carga de apoio máxima admissível e
ou sobre os suportes do reboque não deve per- não carregar o reboque com a carga na frente ou
manecer acoplado ao veículo. Por exemplo, o veí- atrás:
culo se ergue e se abaixa devido a alterações da
– Distribuir a carga no reboque de modo que os
carga ou avaria de pneus. Nesse caso, forças de
objetos pesados se encontrem o mais próxi-
grande intensidade atuam sobre o dispositivo de
mos possível do eixo ou sobre ele.
reboque e sobre o reboque e podem causar da-
nos no veículo e no reboque. – Fixar a carga corretamente no reboque.

Quando há uma conexão elétrica pela to- Pressão dos pneus


mada do reboque com o motor desligado e A pressão dos pneus para as rodas do reboque é
acessórios ligados no reboque, a bateria do veí- orientada pela recomendação do fabricante do
culo se descarrega.  reboque.
Encher as rodas do veículo de tração com a pres-
são máxima dos pneus na condução com rebo-
181.5B1.CRF.66

que . 

Transportar 155
ATENÇÃO – O centro de gravidade do veículo e as caracte-
rísticas de condução se alteraram pela carga
Exceder a carga máxima admissível sobre o ei- de reboque e pelo aumento do peso bruto do
xo e a carga de apoio, bem como a capacidade conjunto.
máxima ou total de tração do veículo e do re-
– Com o veículo de tração não carregado e o re-
boque pode resultar em acidentes e ferimentos
boque carregado, a distribuição de peso é bas-
graves.
tante desfavorável. Com essa combinação,
● Nunca exceder os valores indicados. conduzir de forma lenta e especialmente cui-
● Nunca exceder a carga máxima admissível dadosa.
sobre o eixo com o peso atual no eixo dian-
teiro e traseiro. Nunca exceder o peso bruto Arranque com um reboque em aclives
máximo admissível com o peso dianteiro ou Dependendo da inclinação e do peso bruto do
traseiro do veículo. conjunto, um conjunto estacionado pode rodar
levemente para trás no arranque.
ATENÇÃO Em aclives, arrancar com um reboque da seguin-
Se a carga deslizar, a estabilidade e a segurança te forma:
de condução do conjunto podem ser bastante
– Acionar o freio de estacionamento.
reduzidas, causando acidentes e ferimentos
graves. – Pisar no pedal do freio e mantê-lo pressiona-
do.
● Carregar sempre o reboque corretamente.
– Com transmissão manual: pisar totalmente no
● Fixar sempre a carga com fitas de amarração
pedal da embreagem.
ou cintas tensoras adequadas e em boas
condições de uso.  – Engatar a 1a marcha ou a posição de marcha D
(transmissão automatizada) .
– Soltar o pedal de freio.
– Arrancar lentamente. Com transmissão manu-
Conduzir com um reboque
al, soltar o pedal de embreagem lentamente.
 Observe no início desse capítulo na pági- – Liberar o freio de estacionamento, somente
na 153. quando o motor tiver força de tração suficien-
te para o arranque.
Regulagem do farol
Com o reboque acoplado, a parte dianteira do ATENÇÃO
veículo pode se erguer e o farol baixo aceso pode Puxar um reboque incorretamente pode causar
ofuscar outros condutores. O farol deve ser regu- a perda de controle do veículo e ferimentos
lado em uma Concessionária Volkswagen ou em graves.
uma empresa especializada. ● A condução com um reboque e o transporte
de objetos pesados ou com superfícies gran-
Particularidades na condução com um des pode alterar as características de condu-
reboque ção e aumentar a distância de frenagem.
– Em um reboque com freio complementar, fre-
● Conduzir sempre de maneira cautelosa e de-
ar suavemente no início, depois continuamen-
fensiva. Frear antes do usual.
te. Assim, são evitados solavancos de frena-
gens pelo bloqueio das rodas do reboque. ● Adequar a velocidade e a forma de condução
de acordo com as condições de visibilidade,
– A distância de frenagem aumenta devido à ca-
climáticas, da pista e do trânsito. Reduzir a
pacidade máxima de tração.
velocidade, especialmente em declives.
– Antes de trechos de declive, selecionar uma
● Acelerar de forma especialmente cautelosa e
posição de marcha ou marcha inferior para uti-
cuidadosa. Evitar manobras de direção e de
lizar o motor adicionalmente como freio. Caso
frenagem abruptas e súbitas. 
contrário, o sistema de freio pode se supera-
quecer e, eventualmente, falhar.

156 Manual de instruções


● Atenção especial durante as ultrapassagens. A figura → Fig. 127 ilustra, como exemplo, o pon-
Reduzir imediatamente a velocidade ao per- to de fixação para instalar um dispositivo de re-
ceber o mais leve movimento pendular do boque do modelo Novo CrossFox.
reboque. A montagem posterior de um dispositivo de re-
● Nunca tentar “estabilizar” por meio de acele- boque deverá ser efetuada de acordo com as ins-
rações um conjunto que estiver oscilando. truções do respectivo fabricante do engate, sem-
● Para veículos com reboque, observar que as pre respeitando os pontos de fixação indicados
velocidades máximas podem estar abaixo na → Fig. 127 A .
daquelas para veículos sem reboque.  Os pontos já existentes para a fixação do engate
de reboque são visíveis pela parte inferior do veí-
culo. O dispositivo de reboque deve ser obrigato-
riamente fixado nesses pontos.
Instalar o dispositivo de reboque
posteriormente Instalar o dispositivo de reboque
– Atente para as disposições legais em vigor no
 Observe no início desse capítulo na pági- país em que o veículo trafega.
na 153.
– Pode ser necessário desmontar e montar o pa-
ra-choque traseiro. Além disso, é necessário
apertar também os parafusos do dispositivo de
reboque com um torquímetro e ligar uma to-
mada ao sistema elétrico do veículo. Para isso,
são necessários conhecimentos e ferramentas
especiais.
– Os dados na figura indicam os pontos de fixa-
ção que devem ser sempre respeitados na ins-
talação posterior do dispositivo de reboque.

ATENÇÃO
Condutores elétricos inadequados ou ligados
incorretamente podem causar falhas de funcio-
namento de todos os componentes eletrônicos
do veículo e provocar acidentes e ferimentos
graves.
● Nunca conectar o sistema elétrico do rebo-
que diretamente com as conexões elétricas
das lanternas traseiras ou com outra fonte
inadequada de corrente. Utilizar somente co-
nectores adequados para a conexão do rebo-
que.
● A instalação posterior de um dispositivo de
reboque deve ser realizada por uma empresa
especializada.

ATENÇÃO
Um dispositivo de reboque inadequado ou in-
corretamente instalado pode fazer com que o
reboque se solte do veículo de tração. Isto pode
causar acidentes graves e ferimentos fatais. 
181.5B1.CRF.66

Fig. 127 Pontos de fixação para instalar um disposi-


tivo de reboque posteriormente.

Transportar 157
NOTA Combustível
A condução com reboque representa um maior
esforço para o veículo. Antes de decidir por uma
instalação posterior, contate uma Concessionária Orientações de segurança para
Volkswagen, para saber se é necessário efetuar o manuseio de combustível
previamente alguma alteração no sistema de ar-
refecimento ou se devem ser instaladas chapas
de blindagem térmica. ATENÇÃO

Um abastecimento incorreto e o uso inadequa-
do do combustível podem causar explosões, in-
cêndios, queimaduras graves e outros ferimen-
tos.
● Garantir sempre o fechamento correto da
tampa do tanque de combustível para evitar
a evaporação e o vazamento de combustível.
● O combustível é altamente explosivo e facil-
mente inflamável e pode causar queimaduras
graves e outros ferimentos.
● Abastecer com o motor em funcionamento
ou com o bico da bomba desencaixado do
bocal de abastecimento do tanque de com-
bustível pode fazer com que o combustível
espirre ou transborde. Isso pode causar in-
cêndios, explosões, queimaduras graves e
outros ferimentos.
● Por motivos de segurança, desligar o motor e
a ignição ao abastecer.
● Ao abastecer, desligar sempre o telefone
móvel, rádios portáteis e outros equipamen-
tos de rádio. Radiações eletromagnéticas po-
dem gerar faíscas e, assim, causar um incên-
dio.
● Nunca entrar no veículo ao abastecer. Se for
necessário entrar no veículo, fechar a porta e
tocar uma superfície metálica antes de segu-
rar novamente a pistola de abastecimento.
Isto impede a geração de descargas eletro-
státicas causadoras de faíscas. Ao abastecer,
faíscas podem iniciar um incêndio.
● Nunca abastecer ou encher um recipiente
para reserva perto de chamas expostas, faís-
cas ou objetos em brasa, por exemplo,
cigarros.
● Evitar descargas eletrostáticas e radiações
eletromagnéticas ao abastecer.
● Observar as indicações de segurança do pos-
to de combustível.
● Nunca derramar combustível no veículo ou
no compartimento de bagagem. 

158 Manual de instruções


ATENÇÃO Abastecer
Por motivos de segurança, a Volkswagen reco-
menda não carregar um recipiente para reserva
de combustível no veículo. Sobretudo em caso  Introdução ao tema
de acidente, o recipiente cheio ou vazio pode
derramar combustível e se inflamar. Isso pode
A portinhola do tanque de combustível está loca-
causar explosões, incêndios e ferimentos.
lizada no lado direito da traseira do veículo. 
● Em casos excepcionais, quando for necessá-
rio transportar combustível em um recipiente
para reserva, atentar para o seguinte:
– Ao encher o recipiente para reserva, nunca Abastecer com gasolina ou etanol
colocar o recipiente dentro ou sobre o veí-
culo, por exemplo, no compartimento de
bagagem. Pode ocorrer uma descarga ele-
trostática durante o enchimento e infla-
mar os vapores do combustível.
– Colocar o recipiente para reserva sempre
sobre o chão.
– Introduzir o bico da bomba o máximo pos-
sível no gargalo do recipiente para reserva.
– Em caso de recipientes para reserva de
metal, sempre manter o bico da bomba
em contato com o recipiente para evitar
uma carga estática.
– Observar as determinações legais ao utili-
zar, acomodar e transportar um recipiente Fig. 128 Portinhola do tanque de combustível aber-
para reserva. ta com a tampa do tanque de combustível pendura-
da.
NOTA Antes de abastecer, desligar sempre o motor, a
● Remover imediatamente o combustível ignição e o telefone móvel e, mantê-los desliga-
derramado de todas as peças do veículo para dos durante o abastecimento.
evitar danos à caixa da roda, pneus e pintura. Os veículos com motor TOTALFLEX foram desen-
● Nunca conduzir até esvaziar o tanque de com- volvidos para utilizar tanto gasolina como etanol
bustível. O abastecimento de combustível irre- em qualquer proporção.
gular pode causar falhas de ignição e acúmulo
Veja a capacidade do tanque de combustível na
de combustível não queimado no sistema de
→ Página 254.
escape. Isso pode danificar o filtro do catalisa-
dor. Abrir a tampa do tanque de combustível
● Assim que a pistola de abastecimento de – A portinhola do tanque de combustível encon-
combustível desligar automaticamente pela tra-se no lado direito traseiro do veículo.
primeira vez, o tanque está no limite de sua – Abrir a portinhola do tanque de combustível
capacidade. Não se deve forçar o abastecimen- puxando-a para fora pelo ressalto na região
to, porque o combustível pode transbordar. traseira.
● Durante o abastecimento, combustíveis po- – Se necessário, rebater a haste da chave do veí-
dem ser derramados no solo e poluir o meio culo para fora → Página 55. 
ambiente. Para que isso não ocorra é necessá-
rio realizar o abastecimento em postos autori-
zados, que possuem um correto sistema de co-
181.5B1.CRF.66

leta e descarte de fluidos. 

Combustível 159
– Inserir a chave do veículo no cilindro da fecha- ● O veículo deverá percorrer aproximadamente 5
dura da tampa do tanque de combustível e gi- quilômetros para reconhecer o novo combustí-
rar no sentido anti-horário. vel, para que não ocorra uma das situações
– Girar a tampa do tanque no sentido anti-horá- acima.
rio e pendurá-la em cima da portinhola do tan-
que de combustível → Fig. 128. NOTA
Remover imediatamente o combustível derrama-
Abastecer
do de todas as peças do veículo para evitar danos
O tipo de combustível correto para o veículo está à caixa da roda, pneus e pintura.
indicado em uma etiqueta adesiva na parte inter-
na da portinhola do tanque de combustível ● Assim que a pistola de abastecimento de
→ Página 160. combustível desligar automaticamente pela
primeira vez, o tanque está no limite de sua
– O tanque de combustível estará cheio assim
capacidade. Não se deve forçar o abastecimen-
que a bomba de abastecimento desligar-se pe-
to, porque o combustível pode transbordar.
la primeira vez → .
● Durante o abastecimento, combustíveis po-
– Não abastecer após o desligamento! Ocupar o
dem ser derramados no solo e poluir o meio
espaço de dilatação do tanque de combustível
ambiente. Para que isso não ocorra é necessá-
pode fazer o combustível transbordar, inclusi-
rio realizar o abastecimento em postos autori-
ve por aquecimento.
zados, que possuem um correto sistema de co-
Fechar a tampa do tanque de combustível leta e descarte de fluidos. 
– Rosquear a tampa do tanque de combustível
no bocal de abastecimento no sentido horário
até ouvir o travamento.
– Girar a chave do veículo no cilindro da fecha- Tipos de combustível
dura da tampa do tanque no sentido horário e
retirá-la.
– Fechar a portinhola do tanque de combustível.
 Introdução ao tema
A portinhola do tanque de combustível deve
estar alinhada com a carroceria Na parte interna da portinhola do tanque de
combustível há uma etiqueta adesiva de fábrica
ATENÇÃO com a indicação do tipo de combustível apropria-
Parar de abastecer quando a bomba de abaste- do para o veículo.
cimento desligar pela primeira vez. O tanque de Se, durante a condução, o motor funcionar de
combustível não pode ser abastecido em exces- forma irregular ou ocorrerem solavancos, isto po-
so. Com isso, o combustível pode vazar ou res- derá ser atribuído a um combustível de qualidade
pingar. Isso pode causar incêndios, explosões e ruim ou insuficiente, por exemplo, água no com-
ferimentos graves. bustível. Ao surgirem esses sinais, reduzir imedia-
tamente a velocidade e procurar a Concessionária
NOTA Volkswagen ou empresa especializada mais pró-
● Se o veículo TOTALFLEX ficar imobilizado por xima conduzindo somente com rotação média e
“falta de combustível”, será necessário abas- com baixa demanda do motor. Se estes sinais
tecer o veículo com o mesmo tipo do último surgirem imediatamente após o abastecimento,
combustível utilizado - gasolina ou etanol. o motor deve ser desligado imediatamente –
● Se for necessário abastecer o tanque com também para evitar danos secundários – e deve-
combustível diferente do que estava sendo -se procurar uma Concessionária Volkswagen ou
utilizado, poderá ocorrer: auxílio técnico especializado.
– Dificuldade na partida com o motor frio.
ATENÇÃO
– Perceptíveis quedas no rendimento do mo-
tor. O uso inadequado do combustível pode causar
explosões, incêndios, queimaduras graves e ou-
tros ferimentos. 

160 Manual de instruções


● O combustível é altamente explosivo e facil- ● Durante o abastecimento, combustíveis po-
mente inflamável. dem ser derramados no solo e poluir o meio
ambiente. Para que isso não ocorra é necessá-
● Por motivos de segurança, a Volkswagen re-
rio realizar o abastecimento em postos autori-
comenda não carregar um recipiente para re-
zados, que possuem um correto sistema de co-
serva no veículo. Sobretudo em caso de aci-
leta e descarte de fluidos.
dente, o recipiente cheio ou vazio pode der-
ramar combustível e se inflamar. Isso pode Quando os airbags são acionados em um
causar explosões, incêndios e ferimentos acidente, a alimentação de combustível é
graves. interrompida → Página 21, Em caso de aciona-
● Em casos excepcionais, quando for necessá- mento dos airbags - Função detecção de colisão
rio transportar combustível em recipientes (crash detection). 
para reserva, tornar-se obrigatório seguir as
orientações mencionadas a partir da
→ Página 159, Abastecer.
Qualidade dos combustíveis
● Manter qualquer tipo de chama (como aque-
las produzidas por isqueiros), peças quentes  Observe e no início desse capítulo na
e faíscas longe do combustível. página 160.
● Ao manusear o combustível, desligar telefo-
nes móveis e aparelhos de rádio. Radiações Considerando-se que é praticamente impossível
eletromagnéticas podem gerar faíscas e, as- a fiscalização de todos os postos de combustível,
sim, causar um incêndio. a Volkswagen recomenda que o veículo seja
● Evitar descargas eletrostáticas e radiações abastecido em postos das Redes de Distribuido-
eletromagnéticas próximas a combustíveis. res, que tenham programas transparentes, para a
certificação da qualidade do produto ofertado.
● Nunca derramar combustível no veículo ou
no compartimento de bagagem. As Concessionárias Volkswagen estão informadas
● Observar as indicações de segurança e as sobre o que se deve fazer no caso de já se terem
prescrições locais válidas para o uso de com- formado sedimentos no motor.
bustíveis.
Sistema de injeção de combustível
NOTA O veículo está equipado com um sistema de inje-
ção de combustível que, em condições normais,
● Se o veículo TOTALFLEX ficar imobilizado por dispensa qualquer tipo de limpeza periódica, seja
“falta de combustível”, será necessário abas- com aditivos adicionados ao combustível ou com
tecer o veículo com o mesmo tipo do último a desmontagem das válvulas injetoras para lim-
combustível utilizado - gasolina ou etanol. peza em sistemas de ultrassom.
● Se for necessário abastecer o tanque com
A limpeza deve ser realizada só quando forem
combustível diferente do que estava sendo
detectadas avarias ou mau funcionamento do
utilizado, poderá ocorrer:
motor, em função da utilização de combustível
– Dificuldade na partida com o motor frio. de má qualidade. Nesse caso, a Volkswagen reco-
– Perceptíveis quedas no rendimento do mo- menda, que se dirija a uma Concessionária
tor. Volkswagen, que possui os aditivos e equipamen-
● O veículo deverá percorrer aproximadamente 5 tos adequados.
quilômetros para reconhecer o novo combustí-
vel, para que não ocorra uma das situações NOTA
acima. Os danos provocados no motor pela utilização de
combustível de qualidade ruim ou insuficiente
● Assim que a pistola de abastecimento de
estão excluídos da garantia. 
combustível desligar automaticamente pela
primeira vez, o tanque está no limite de sua
181.5B1.CRF.66

capacidade. Não se deve forçar o abastecimen-


to, porque o combustível pode transbordar.

Combustível 161
Gasolina Unidade de controle do motor
 Observe e no início desse capítulo na
e sistema de purificação do
página 160. gás de escape
Tipos de gasolina
O veículo deve ser abastecido somente com ga-  Introdução ao tema
solina do tipo C, sem chumbo ou outros aditivos
metálicos (por exemplo, manganês), com por-
centagem de etanol anidro definida pela legisla- ATENÇÃO
ção vigente no país. As peças do sistema de escape esquentam mui-
to. Isso pode causar incêndios.
Aditivos para gasolina
● Desligar o veículo de forma que nenhuma
A qualidade da gasolina influencia o comporta-
peça do sistema de escape entre em contato
mento de rodagem, a potência e a vida útil do
com materiais facilmente inflamáveis por
motor. Por isso, abastecer com gasolina de quali-
baixo do veículo, como, por exemplo, grama
dade e, quando necessário, utilizar os aditivos
seca.
adequados.
● Nunca utilizar proteção adicional para a parte
A utilização de aditivos para gasolina inferior do veículo ou produtos
inadequados pode causar sérios danos ao motor anticorrosivos nos tubo do escapamento, ca-
e danificar o catalisador. Aditivos para gasolina talisadores ou chapas de blindagem térmica. 
com metal não devem ser usados em nenhuma
hipótese.

NOTA Luzes de controle


● A utilização de aditivos para gasolina
inadequados pode causar sérios danos ao mo-  Observe no início desse capítulo na pági-
tor e danificar o catalisador. na 162.
● Se, em caso de emergência, o veículo precisar
ser abastecido com gasolina com maior ou Acesa Causa possível Solução
menor proporção de etanol anidro, o motor O motor deve ser
deve ser conduzido com rotação média e com Unidade de con- verificado imediata-
menor demanda. Evitar as altas rotações e de- trole do motor mente por uma
mandas intensas do motor. Caso contrário, po-
dem ocorrer danos ao motor! Assim que possí-
 avariado
(Electronic Power
Concessionária
Volkswagen ou uma
vel, reabastecer com a gasolina recomendada. Control). empresa especiali-
zada.
Um único abastecimento com gasolina com
Diminuir a velocida-
chumbo ou outros aditivos metálicos (por
de. Conduzir com
exemplo, manganês) é suficiente para reduzir a
cuidado até uma
eficácia do catalisador e para danificá-lo.  Deficiência de
Concessionária
emissões do siste-
 ma de escape
Volkswagen ou uma
empresa especiali-
(OBD).
Etanol zada mais próxima.
O motor deve ser
 Observe e no início desse capítulo na verificado.
página 160.
Causa
Piscando Solução
possível
O veículo deve ser abastecido somente com eta-
nol hidratado combustível (EHC), com porcenta- Diminuir a velocidade.
gem de gasolina definida pela legislação vigente Catalisador Conduzir com cuidado
no país.   avariado. até uma Concessio-
nária Volkswagen ou 

162 Manual de instruções


Causa Com o controle sobre os componentes do motor,
Piscando Solução o melhor desempenho possível é calculado, aten-
possível
uma empresa especia- dendo à solicitação do condutor. 
lizada mais próxima. O
motor deve ser verifi-
cado. Catalisador
Ao ligar a ignição, algumas luzes de advertência e
de controle se acendem rapidamente para verifi-  Observe no início desse capítulo na pági-
cação da função. Elas se apagam após alguns se- na 162.
gundos.
O catalisador serve para o tratamento posterior
ATENÇÃO dos gases de escape e, assim, ajuda a reduzir as
emissões de poluentes no escape. Para que o sis-
A observância das luzes de advertência acesas é
tema de escape e o catalisador do motor funcio-
essencial para a segurança do condutor e pas-
nem por mais tempo:
sageiros, evitando possíveis paradas do veículo,
bem como eventuais acidentes. – Abastecer apenas com gasolina sem chumbo
● Nunca ignorar as luzes de advertência ace- ou outros aditivos metálicos (por exemplo,
sas. manganês).
● Parar o veículo assim que possível em um lo- – Jamais deixar o tanque de combustível esvazi-
cal seguro a todos os passageiros do veículo ar completamente.
e aos demais condutores. – Jamais completar com óleo do motor em ex-
cesso → Página 204.
NOTA – Não puxar o veículo, mas sim utilizar o auxílio à
Observar sempre as luzes de controle acesas e partida → Página 193.
suas descrições e orientações para evitar danos Se ocorrerem falhas de ignição, queda de potên-
no veículo. cia ou um mau funcionamento do motor durante
a condução, reduzir imediatamente a velocidade
Enquanto as luzes de controle  ou  es-
e mandar verificar o veículo em uma Concessio-
tiverem acesas, será necessário contar com
nária Volkswagen ou em uma empresa especiali-
avarias do motor, com um maior consumo de
zada. Do contrário, o combustível não queimado
combustível e com uma redução da potência do
pode chegar ao sistema de escape e, consequen-
motor. 
temente, à atmosfera. Além disso, o catalisador
também pode ser danificado por superaqueci-
mento!
Regulagem eletrônica da potência
do motor (EPC) NOTA
Um único abastecimento com gasolina com
 Observe no início desse capítulo na pági- chumbo ou outros aditivos metálicos (por exem-
na 162. plo, manganês) é suficiente para reduzir a eficá-
cia do catalisador e para danificá-lo.
A regulagem eletrônica da potência do motor
(EPC) ou acelerador eletrônico (e-gas) compreen- Mesmo com o sistema de escape em perfei-
de um sistema de aceleração controlado eletroni- tas condições de funcionamento, pode
camente. O principal objetivo deste sistema não ocorrer um cheiro sulfuroso nas emissões do es-
é simplesmente a posição do corpo da borboleta, capamento, em certas condições de funciona-
mas sim o torque solicitado pelo usuário. mento do motor. Isso depende do teor de enxo-
fre do combustível. Muitas vezes, basta optar por
Quando o condutor acionar o acelerador, o siste- uma marca de combustível diferente. 
ma interpretará a ordem, transformando-a em
181.5B1.CRF.66

necessidade de força e velocidade.

Combustível 163
Filtro de carvão ativado - sistema Conservação do veículo
de alimentação
 Observe no início desse capítulo na pági- Orientações para a
na 162.
conservação do veículo
O sistema de alimentação possui um filtro de A conservação frequente e especializada contri-
carvão ativado que acumula os hidrocarbonetos bui para a manutenção do valor do veículo. A
(vapores) gerados no tanque de combustivel, en- conservação adequada pode ser uma das condi-
quanto o motor estiver desligado. Desta forma, ções para o reconhecimento dos direitos de co-
não se permite a liberação destes hidrocarbone- bertura em garantia contra danos de corrosão e
tos a atmosfera. Durante o funcionamento do problemas de pintura na carroceria.
motor, os hidrocarbonetos são admitidos pelo
motor e queimados pelo sistema de exaustão. Produtos próprios de conservação adequados po-
dem ser obtidos em uma Concessionária
O filtro de carvão ativado não permite que Volkswagen.
os hidrocarbonetos dos gases do tanque de
combustível sejam liberados para a atmosfera.  ATENÇÃO
Produtos de conservação podem ser tóxicos e
perigosos. Produtos de conservação inadequa-
dos e a sua utilização inadequada podem causar
acidentes, bem como ferimentos, queimaduras
e envenenamentos graves.
● Manter os produtos de conservação somente
em recipientes originais fechados.
● Observar as informações da embalagem.
● Jamais utilizar latas de alimento vazias, gar-
rafas ou outros recipientes para o armazena-
mento de produtos de conservação, já que
seu conteúdo nem sempre pode ser reconhe-
cido pelas pessoas como produto de conser-
vação.
● Manter todos os produtos de conservação
fora do alcance de crianças.
● Durante a utilização podem ser liberados va-
pores nocivos. Por isso, utilizar produtos de
conservação somente ao ar livre ou em re-
cintos bem ventilados.
● Jamais utilizar combustível, terebentina, óleo
do motor, removedor de esmalte ou outros
líquidos muito voláteis para conservação, la-
vagem ou limpeza do veículo. Eles são tóxi-
cos e bastante inflamáveis.

ATENÇÃO
A conservação e a limpeza inadequadas de pe-
ças do veículo podem limitar os equipamentos
de segurança do veículo e, com isso, causar fe-
rimentos graves. 

164 Manual de instruções


● Conservar e limpar as peças do veículo so- to, o desgaste real da pintura depende muito da
mente de acordo com as instruções do fabri- estrutura do sistema de lavagem automático. A
cante. Volkswagen recomenda a lavagem em sistemas
de lavagem automáticos sem escovas.
● Utilizar os produtos de limpeza liberados ou
recomendados. Para remover eventuais resíduos de cera dos vi-
dros e, assim, evitar atrito excessivo dos limpa-
NOTA dores dos vidros, observar as seguintes orienta-
ções → Página 167, Limpar os vidros e os espe-
Produtos de limpeza com solventes agridem os
lhos retrovisores externos.
materiais e podem danificá-los.
Lavador de alta pressão
NOTA Ao lavar o veículo com um lavador de alta pres-
Nunca tentar remover sujeiras, lama ou pó com a são, seguir obrigatoriamente as orientações de
superfície do veículo seca. Não utilizar também utilização do lavador de alta pressão. Isso é válido
com essa finalidade um pano ou esponja secos, principalmente para a pressão e a distância do
para não riscar a pintura nem os vidros do veícu- jato → .
lo. Sujeiras, lama e pó devem ser amolecidos com
A lavagem do veículo com água a alta pressão
água, antes de serem removidos.
pode fazer com que a água entre no veículo. Evi-
Ao adquirir produtos de conservação, dê tar utilizar um lavador de alta pressão a uma dis-
preferência a produtos ecologicamente cor- tância inferior a 30 cm da superfície do veículo. A
retos. utilização de um lavador de alta pressão superior
a 8.000 kPa (80 bar) pode levar a danos ou remo-
Restos de produtos de conservação não de- ção da pintura e adesivos.
vem ser descartados no lixo doméstico. Ob-
servar as informações da embalagem. Manter grande distância de materiais muito ma-

leáveis como tubos de borracha e materiais iso-
lantes, bem como dos sensores do controle de
distância de estacionamento. Os sensores do
Lavagem do veículo controle de distância de estacionamento estão
localizados no para-choque dianteiro e traseiro
Quanto mais tempo resíduos de insetos, excre- → .
mentos de pássaros, resina de árvores, poeira ur- Em nenhuma hipótese utilizar bicos de jato circu-
bana ou industrial, piche, fuligem e outros sedi- lar ou tubeiras → .
mentos agressivos permanecerem na superfície
do veículo, mais duradouro é o seu efeito destru- Lavagem manual
tivo. Altas temperaturas e a forte incidência de
Ao lavar o veículo manualmente, amolecer pri-
radiação solar fortalecem o seu efeito corrosivo.
meiramente a sujeira com água em abundância e
Lavar cuidadosamente e em intervalos regulares
enxaguar tanto quanto possível.
também a parte inferior do veículo.
Em seguida, limpar o veículo com uma esponja
Sistema de lavagem automático macia, com uma luva de lavagem ou com uma
Observar as orientações disponibilizadas no sis- escova, fazendo pouca pressão. Começar pelo te-
tema de lavagem automático. Antes de uma la- to e continuar de cima para baixo. Utilizar um
vagem automática, tomar as precauções usuais, xampu de limpeza somente em sujeiras persis-
como, por exemplo, fechar todos os vidros e re- tentes.
bater os espelhos retrovisores externos para den- Enxaguar cuidadosamente a esponja ou a luva de
tro, para evitar danos. Se o veículo possuir peças lavagem em intervalos curtos.
agregadas, como, por exemplo, spoiler, bagagei-
ro do teto ou antena, informar obrigatoriamente Por último, limpar as rodas, as soleiras e partes
o operador do sistema de lavagem automático similares. Para isso, utilizar uma segunda espon-
→ . ja. 
181.5B1.CRF.66

A pintura do veículo é tão resistente que o veícu-


lo geralmente pode ser lavado sem problemas
em sistemas de lavagem automáticos. No entan-

Conservação do veículo 165


Conservar a pintura do veículo ● Jamais limpar os pneus com bicos de jato cir-
Uma boa conservação protege a pintura do veí- cular (“tubeiras”). Mesmo com uma distância
culo. Assim que a água deixar de formar gotas vi- relativamente grande e um curto tempo de
síveis sobre a superfície limpa da pintura do veí- exposição, isso pode resultar em danos visí-
culo, esta deve voltar a ser protegida com uma veis ou não visíveis nos pneus.
boa cera conservante.
Mesmo quando uma cera conservante for utiliza- NOTA
da regularmente no sistema de lavagem automá- ● A temperatura da água não deve ser superior a
tico, a Volkswagen recomenda que a pintura do +60 °C.
veículo seja protegida ao menos duas vezes por ● Para evitar danos à pintura, não lavar o veículo
ano com a aplicação de cera. sob luz solar direta.
Os produtos para conservação da pintura são ● Para que o controle de distância de estaciona-
mencionados no site www.vw.com.br. mento funcione corretamente, os sensores no
para-choque devem estar limpos e sem gelo.
Polir a pintura do veículo Durante a limpeza com lavadores de alta pres-
Um polimento será necessário somente se a pin- são ou jato de vapor, somente borrifar os sen-
tura do veículo perder o bom aspecto e quando sores rapidamente, mantendo sempre uma
não se obtiver mais brilho com o uso de produtos distância superior a 30 cm.
de conservação. ● Não utilizar esponjas duras, esponjas ásperas
Se a pasta para polir utilizada não tiver compo- de cozinha ou similares, pois a superfície pode
nentes de conservação, a pintura do veículo pre- ser danificada.
cisará ser conservada em seguida. ● Não limpar os vidros congelados ou cobertos
de gelo com lavadores de alta pressão.
ATENÇÃO ● Limpar o farol com pano ou esponja úmidos,
Peças pontiagudas do veículo podem ocasionar nunca secos. Usar preferencialmente água
ferimentos. com sabão.
● Proteger as mãos e os braços de partes pon- ● Lavagem do veículo em clima frio: ao jogar
tiagudas ao limpar, por exemplo, a parte in- água no veículo com uma mangueira, não diri-
ferior do veículo ou a parte interna das caixas gir o jato de água diretamente sobre as fecha-
de roda. duras ou juntas da porta ou da tampa. As fe-
chaduras e as vedações podem congelar!
ATENÇÃO
Após a lavagem do veículo, o efeito de frena- NOTA
gem pode sofrer atraso, aumentando a distân- Antes de utilizar um sistema de lavagem auto-
cia de frenagem devido à umidade nos discos mático, observar obrigatoriamente os seguintes
de freio e nas pastilhas de freio ou ao seu con- pontos para evitar danos no veículo:
gelamento durante o inverno. ● Comparar a bitola do veículo com a distância
● “Secar os freios e eliminar o gelo” por meio dos trilhos do sistema de lavagem automático
de manobras cuidadosas de frenagem. Pro- para não danificar as rodas e os pneus!
ceder sem colocar os demais condutores em ● Comparar a altura e a largura do veículo com a
risco ou desrespeitar as determinações le- altura e a largura de passagem do sistema de
gais. lavagem automático!
● Rebater os espelhos retrovisores externos para
ATENÇÃO
dentro.
O uso inadequado de lavadores de alta pressão
● Para evitar danos à pintura da tampa do com-
pode causar danos permanentes nos pneus e
partimento do motor, rebater as palhetas dos
outros materiais, visíveis ou não. Isso pode cau-
limpadores do para-brisa sobre o para-brisa
sar acidentes e ferimentos graves.
quando estiverem secas. Não deixá-las cair! 
● Manter distância suficientemente entre o bi-
co do jato e os pneus.

166 Manual de instruções


● Travar a tampa traseira para evitar uma aber- O atrito excessivo pode ser evitado ao adicionar
tura involuntária no sistema de lavagem auto- um produto de limpeza de vidro com proprieda-
mático. des removedoras de cera no reservatório de água
dos lavadores dos vidros. Ao adicionar o produto
NOTA de limpeza, respeitar as proporções de mistura
recomendadas. Produtos de limpeza removedo-
● Para evitar danos, não aplicar produtos de po- res de gordura não conseguem remover tais resí-
limento ou cera conservante sobre o farol, so- duos de cera → .
bre as lanternas e sobre as peças de plástico
ou pintadas com acabamento fosco. Produtos de limpeza especiais e panos de limpe-
za de vidro podem ser adquiridos em uma Con-
● Não polir a pintura do veículo em ambientes
cessionária Volkswagen.
com areia ou poeira ou se houver sujeira.

Lavar o veículo somente em locais especial- Remover a neve


mente previstos para isso, para que a água Remover a neve de todos os vidros e espelhos re-
com eventuais resíduos de óleo, gordura ou com- trovisores externos com uma pequena escova.
bustível não entre na rede de esgoto. Em algu-
mas regiões, é proibido lavar os veículos fora dos Remover o gelo
locais especialmente reservados para esta finali- Para remover o gelo, utilizar preferencialmente
dade.  um spray anticongelante. Ao utilizar um raspador
de gelo, movimentá-lo somente em uma direção,
sem movê-lo para frente e para trás. Ao fazer o
movimento de volta a sujeira pode riscar o vidro.
Limpar e conservar a parte
Limpar as peças cromadas e de alumínio
externa do veículo
– Umedecer um pano limpo, macio e que não
Limpar os vidros e os espelhos retrovisores solte fiapos e utilizá-lo para limpar as superfí-
externos cies.
Umedecer os vidros e os espelhos retrovisores – Em caso de sujeira pesada, utilizar um produto
externos com um produto de limpeza de vidro de conservação especial sem solvente.
convencional à base de álcool. – Em seguida polir as peças cromadas e de alu-
Secar a superfície dos vidros com uma flanela mínio com um pano macio e seco.
limpa ou com um pano que não solte fiapos. Um
Limpar as rodas de aço
pano que foi usado para limpar as superfícies
pintadas do veículo contém resíduos gordurosos Os resíduos de freio que aderem às rodas podem
de conservantes e, por isso, pode sujar as super- ser removidos com um produto de limpeza in-
fícies dos vidros. dustrial. Por esse motivo, limpar as rodas de aço
regularmente com uma esponja exclusiva para is-
Resíduos de borracha, óleo, gordura ou silicone so.
podem ser removidos com produto de limpeza de
vidro ou removedor de silicone → . Danos na pintura das rodas de aço devem ser tra-
tados antes que enferrujem.
Remover resíduos de cera
Conservar e limpar as rodas de liga leve
Sistemas de lavagem automáticos de veículos ou
produtos de conservação podem deixar resíduos Limpar os resíduos de freio nas rodas de liga leve
de cera sobre as superfícies dos vidros. Esses re- a cada 2 semanas. Em seguida, limpar as rodas
síduos de cera podem ser removidos somente com um produto de conservação sem ácidos. A
com um produto de limpeza especial ou com pa- Volkswagen recomenda aplicar cuidadosamente
nos de limpeza. Resíduos de cera provocam per- cera nas rodas a cada 3 meses.
da de desempenho do sistema limpador dos vi- Se os resíduos do freio não forem limpos regular-
dros, bem como movimentos irregulares e ruídos mente, a liga leve sofrerá danos. 
181.5B1.CRF.66

excessivos. A Volkswagen recomenda remover os


resíduos de cera dos vidros e espelhos retroviso-
res externos com um pano de limpeza após cada
lavagem do veículo.

Conservação do veículo 167


Para a limpeza, utilizar um produto de limpeza nentes elétricos do veículo. Além disso, a água
sem ácidos próprio para rodas de liga leve. Não pode chegar ao interior do veículo por meio da
utilizar pasta de polir ou outros produtos abrasi- caixa coletora de água → .
vos na conservação das rodas. Caso o compartimento do motor fique muito su-
Caso a camada de tinta protetora das rodas seja jo, procurar sempre uma empresa especializada
danificada (como, por exemplo, por pancadas de para a limpeza do compartimento do motor. Para
pedras), a avaria deve ser consertada imediata- isso, a Volkswagen recomenda as Concessionári-
mente. as Volkswagen.
Caixa coletora de água
Conservar as vedações de borracha
As vedações de borracha das portas, vidros etc. – A caixa coletora de água está localizada no
se mantêm mais flexíveis, vedam melhor e duram compartimento do motor, entre o para-brisa e
mais se tratadas regularmente com um produto o motor e sob uma cobertura perfurada. O ar
de conservação para borracha. ambiente é sugado da caixa coletora de água
para o interior do veículo por meio do sistema
Antes da aplicação, remover a poeira e a sujeira de aquecimento ou do ar-condicionado.
das vedações de borracha com o auxílio de um
– Remover regularmente folhagens e outros ob-
pano macio.
jetos soltos da cobertura da caixa coletora de
Descongelar o cilindro da fechadura das água, com as mãos ou com o auxílio de um as-
portas pirador.
A Volkswagen recomenda utilizar o spray original
ATENÇÃO
Volkswagen com efeito hidratante e anticorrosi-
vo para descongelamento do cilindro da fechadu- Vidros sujos e embaçados reduzem a visibilida-
ra das portas. de e aumentam o risco de acidentes e de feri-
mentos graves.
Proteção da parte inferior do veículo ● Conduzir apenas quando for possível enxer-
A parte inferior do veículo é protegida contra in- gar nitidamente através de todos os vidros
fluências químicas e mecânicas. Durante a con- do veículo.
dução, a camada protetora da parte inferior pode ● Remover o gelo, a neve e desembaçar a su-
sofrer avarias. Por isso, a Volkswagen recomenda perfície de todos os vidros, tanto por dentro
que a camada protetora da parte inferior do veí- quanto por fora.
culo e do chassi seja verificada regularmente e
restaurada se necessário. ATENÇÃO
Cavidades ocas Todos os trabalhos no motor ou no comparti-
Todas as cavidades expostas à corrosão são sub- mento do motor podem resultar em ferimen-
metidas, de fábrica, a uma proteção de longa du- tos, queimaduras e riscos de acidente e de in-
ração. cêndio!
● Antes dos trabalhos, tomar conhecimento
Esta conservação não precisa ser verificada nem
das ações necessárias e das precauções de
retocada. Se, com temperaturas externas eleva-
segurança geralmente válidas → Página 199,
das, escorrer um pouco de cera das cavidades, ela
Orientações de segurança para trabalhos no
poderá ser removida com uma espátula de plásti-
compartimento do motor.
co e benzina.
● A Volkswagen recomenda que os trabalhos
Limpar o compartimento do motor sejam realizados por uma Concessionária
O compartimento do motor é uma área do veícu- Volkswagen.
lo perigosa → Página 199.
CUIDADO
A limpeza do compartimento do motor deve ser
realizada por uma Concessionária Volkswagen ou A proteção da parte inferior do veículo e produ-
por uma empresa especializada. Uma limpeza tos anticorrosivos poderão se incendiar se en-
inadequada pode causar, entre outros, a remoção trarem em contato com o sistema de escape
da proteção anticorrosiva e danos aos compo- aquecido ou com outras partes quentes do mo-
tor. 

168 Manual de instruções


● Não utilizar produtos anticorrosivos e de pro- so, usar um produto de conservação de pintura
teção da parte inferior do veículo no tubo do convencional e um produto de polimento de pin-
escapamento, nos catalisadores, nas placas tura comuns.
de blindagem térmica ou em outras peças
quentes do veículo. NOTA
A utilização de produtos para descongelamento
NOTA com substâncias desengordurantes pode enfer-
● A perfeita limpeza dos vidros colabora para o rujar o cilindro da fechadura das portas.
bom desempenho do sistema do limpador dos
vidros, bem como à sua conservação. NOTA
● Em nenhuma hipótese misturar os produtos de A água introduzida manualmente na caixa coleto-
limpeza recomendados com outros produtos ra de água (ao usar um lavador de alta pressão,
no reservatório de água dos lavadores dos vi- por exemplo) pode causar danos graves ao veícu-
dros. Isso pode causar a coagulação dos com- lo.
ponentes e, com isso, provocar a obstrução
dos bicos dos lavadores dos vidros. Antes de remover a cera escorrida com ben-
● Não retirar a neve ou o gelo dos vidros e dos zina é necessário verificar as prescrições de
espelhos retrovisores externos com água mor- segurança e de defesa do meio ambiente refe-
na ou quente. Caso contrário, o vidro pode se rentes a este produto.
partir! Considerando que em uma lavagem do mo-
● Os filamentos do desembaçador do vidro tra- tor são arrastados pela água restos de com-
seiro localizam-se na parte interna do vidro bustível, lubrificantes e óleos, a água contamina-
traseiro. Não colar etiquetas adesivas sobre os da precisa ser purificada por meio de um separa-
filamentos do desembaçador e jamais limpar a dor de óleo. Por isso, o motor somente deve ser
parte interna do vidro traseiro com produtos lavado em casos extremos e em locais apropria-
de limpeza corrosivos ou ácidos ou outros dos. 
componentes químicos.

NOTA
Limpar e conservar o interior
Para que as peças cromadas e de alumínio não
sejam danificadas: do veículo
● Não limpar ou polir sob luz solar direta.
Tecidos de peças de roupa modernos, como jeans
● Não limpar ou polir em ambientes com areia escuro, por exemplo, muitas vezes não possuem
ou poeira. fixação suficiente em seu tingimento. Principal-
● Não utilizar produtos de conservação com in- mente em caso de revestimentos de bancos cla-
tensa ação abrasiva, por exemplo, creme de ros (em tecido ou couro), e mesmo seguindo as
limpeza. determinações de uso, podem ocorrer manchas
● Não utilizar esponjas duras, esponjas ásperas nitidamente visíveis causadas pelo desbotamento
de cozinha ou similares. destes tecidos de peças de roupa. Nestes casos,
não se trata de uma falha no revestimento, mas
● Não polir superfícies sujas. sim de falta de fixação da cor nos tecidos da peça
● Não utilizar produtos de limpeza com solven- de roupa.
tes.
Quanto mais tempo manchas, sujeiras e outros
● Não utilizar ceras. sedimentos permanecerem sobre a superfície das
peças do veículo e estofamentos, mais difícil po-
NOTA derá ser a limpeza e conservação. Sobretudo, lon-
Calotas centrais das rodas cromadas ou calotas gos tempos de exposição podem fazer com que
integrais podem ser pintadas adicionalmente e manchas, sujeiras e sedimentos não possam mais
181.5B1.CRF.66

não podem ser tratadas com conservantes à base ser removidas. 


de cromo ou polidores de alumínio. Ao invés dis-

Conservação do veículo 169


Revestimento dos bancos Tratamento de manchas dos estofamentos,
revestimentos em tecido e NT - Não tecido de
Para o manuseio e a conservação do revestimen-
microfibra
to dos bancos, observar:
No tratamento de manchas, pode ser necessário
– Antes de entrar no veículo, fechar todos os fe-
limpar não somente a mancha pontualmente,
chos de velcro que possam entrar em contato
mas toda a superfície. Principalmente se ela esti-
com o estofamento ou revestimentos em teci-
ver suja por marcas de uso em geral. Caso con-
do. Fechos de velcro abertos podem causar
trário, a superfície tratada pode se tornar mais
danos aos estofamentos e aos revestimentos
clara que o restante da superfície. Em caso de
em tecido.
dúvida, procurar uma empresa especializada em
– Para prevenir danos, evitar o contato direto de limpeza.
objeto pontiagudos e apliques nos estofamen-
tos e revestimentos em tecido. Apliques são, Tipo de Limpeza recomendada da super-
por exemplo, zíperes, colchetes e pedras deco- mancha fície dos bancos e dos estofamen-
rativas em peças de roupas ou em cintos. tos
– Remover regularmente o pó e partículas de su- – Primeiramente, limpar a man-
jeira dos poros, dobras e costuras para evitar cha o mais rápido possível com
danos à superfície dos bancos por atrito cons- Manchas de um pano seco e absorvente, para
tante. base aquo- que o líquido não penetre no es-
– Verificar se a cor das roupas tem boa fixação sa, como, tofamento.
para evitar manchas no revestimento dos ban- por exem- – Para manchas mais difíceis,
cos. Isto é válido principalmente para os reves- plo, café ou umedecer a esponja com um pul-
timentos dos bancos claros. suco de fru- verizador e limpar a mancha com
ta. movimento em círculo.
Limpar estofamentos, revestimentos em – Limpar com um pano seco e ab-
tecido e NT - Não tecido de microfibra sorvente.
– Ler e observar o manuseio, orientações e aler- Manchas
tas da embalagem antes da utilização de pro- persistentes,
dutos de limpeza. como, por
– Higienizar regularmente estofamentos, reves- exemplo, – Utilizar somente produtos de
timentos em tecido, revestimento dos bancos chocolate ou limpeza liberados pela
em NT - não tecido de microfibra e o carpete maquiagem. Volkswagen.
do assoalho com um aspirador de pó (ponteira Manchas de – Se necessário, contratar uma
de escova). base gordu- empresa especializada em limpe-
– Não utilizar lavadores de alta pressão, jatos de rosa, como, za para limpar o estofamento.
vapor ou spray gelado. por exem-
plo, óleo ou
– Para a limpeza geral, utilizar uma esponja sua-
batom.
ve ou um tecido de microfibra sem fiapos → .
– Limpar superfícies em NT - não tecido de mi- Conservar e tratar revestimentos em couro
crofibra com um pano de lã ou de algodão le- natural
vemente umedecido ou com um tecido de mi- Em caso de dúvidas a respeito da limpeza e con-
crofibra sem fiapos → . servação do acabamento em couro do veículo, di-
A limpeza de sujeiras superficiais em geral, do es- rigir-se a uma Concessionária Volkswagen ou a
tofamento ou dos revestimentos em tecido pode uma empresa especializada.
ser realizada com uma espuma de limpeza con- O couro natural é um material sensível. 
vencional.
Em caso de muita sujeira em geral no estofamen-
to e nos revestimentos em tecido, deve-se infor-
mar sobre as possibilidades de limpeza adequa-
das em uma Concessionária Volkswagen antes da
limpeza. Se necessário, contratar uma empresa
de limpeza especializada em limpeza.

170 Manual de instruções


– Utilizar regularmente, após cada limpeza, um Tipo de Limpeza
creme de conservação com fator de proteção mancha
solar e efeito impregnante. Este creme nutre e
– Remover as manchas enquanto
hidrata o couro, tornando-o macio e estimu- Manchas de
ainda úmidas com um pano ab-
lando sua respiração. Ao mesmo tempo, ele base gordu-
sorvente.
produz uma película protetora. rosa, como,
– Utilizar um produto de limpeza
– Limpar o couro a cada dois a três meses, re- por exem-
apropriado para manchas que ain-
movendo as sujeiras recentes. plo, óleo,
da não penetraram na superfície
batom etc.
– Tratar o couro a cada seis meses com um pro- → .
duto de conservação de couro adequado → . Manchas es-
– Limpar com produtos de limpeza e de conser- peciais, co-
vação em pouca quantidade, com um pano se- mo, por
co, de lã ou de algodão que não solte fiapos. exemplo, de
– Enxugar com um pano seco e
Não colocar produtos de limpeza e de conser- caneta esfe-
absorvente.
vação diretamente sobre o couro. rográfica,
– Limpar com um removedor de
– Remover manchas recentes de caneta esfero- esmalte de
manchas especial apropriado para
gráfica, tinta, batom e graxa de sapato o mais unha, mar-
couro.
rápido possível. cador, spray
de tinta,
– Conservar a cor do couro. Retocar as regiões graxa de sa-
descoloridas com um creme para couro especi- pato etc.
al, conforme necessidade.
a) Solução de sabão suave: duas colheres de sopa de sabão neu-
– Retirar o excesso com um pano macio. tro em um litro de água.

Limpar revestimentos em couro natural Limpar revestimentos em vinil


A Volkswagen recomenda utilizar, para a limpeza Antes da limpeza do revestimento em vinil, ob-
em geral, um pano de lã ou de algodão levemen- servar as seguintes orientações → Página 170,
te umedecido com água. Limpar estofamentos, revestimentos em tecido e
Atentar para que o couro não seja encharcado em NT - Não tecido de microfibra.
nenhum ponto e que a água não penetre pelas Utilizar somente água e detergente neutro para a
costuras. limpeza dos revestimentos em vinil.
Antes da limpeza do revestimento em couro, ob-
servar as seguintes orientações → Página 170, Limpar os porta-objetos e os porta-copos
Limpar estofamentos, revestimentos em tecido e – Umedecer um pano limpo e sem fiapos com
NT - Não tecido de microfibra. água e limpar as peças.
– Se isto não for suficiente, utilizar um produto
Tipo de Limpeza
de limpeza e de conservação de plástico espe-
mancha
cial sem solventes.
– Espalhar uma solução de sabão
Sujeiras
suavea) com um pano torcido. Limpar o cinzeiro
mais pesa-
– Absorver pressionado levemen- – Remover e esvaziar o cinzeiro.
das
te com um pano seco.
– Limpar com uma toalha de limpeza.
Manchas de
– Remover as manchas enquanto Para a limpeza do apagador de cigarro e remoção
base aquo-
ainda úmidas com um pano ab- dos restos de cinza, utilizar, por exemplo, um pa-
sa, como,
sorvente. lito de dente ou objeto similar. 
por exem-
– Utilizar um produto de limpeza
plo, café,
apropriado para manchas já secas
chá, sucos,
→ .
sangue etc.
181.5B1.CRF.66

Conservação do veículo 171


Conservar e limpar as peças de plástico, os ● Nunca limpar o painel de instrumentos e a
elementos decorativos de madeira e o painel superfície dos módulos do airbag com produ-
de instrumentos tos de limpeza com solvente.
– Umedecer um pano limpo e sem fiapos com
água e limpar as peças. ATENÇÃO
– Tratar peças de plástico (dentro e fora do veí- Verificar regularmente o estado de todos os
culo) e o painel de instrumentos com um pro- cintos de segurança. Se o tecido do cinto ou
duto de limpeza e conservação de plástico sem outros componentes do cinto de segurança es-
solventes liberado pela Volkswagen → . tiverem danificados, eles devem ser desinstala-
– Tratar os elementos decorativos em madeira dos e substituídos por uma Concessionária
com uma solução de sabão suave1). Volkswagen. Cintos de segurança danificados
representam um grande perigo e podem causar
Limpar os cintos de segurança ferimentos graves ou fatais.
Sujeira grossa no cadarço do cinto de segurança ● Os cintos de segurança e seus componentes
prejudica o enrolamento automático do cinto e, jamais devem ser higienizados quimicamente
com isso, o funcionamento do cinto de seguran- ou entrar em contato com líquidos corrosi-
ça. vos, solventes ou objetos cortantes. Isto pre-
Os cintos de segurança jamais devem ser des- judica profundamente a resistência do tecido
montados para limpeza. do cinto.
● Um cinto de segurança limpo deve estar to-
– Remover a sujeira grossa com uma escova de
talmente seco antes de ser recolhido, pois a
cerdas macia → .
umidade pode danificar o enrolador automá-
– Puxar o cinto de segurança sujo totalmente tico do cinto de segurança e prejudicar sua
para fora e deixar o cadarço do cinto desenro- função.
lado.
● Jamais deixar objetos estranhos ou líquidos
– Limpar o cinto de segurança com solução de penetrarem nos engates dos fechos dos cin-
sabão suave1). tos de segurança. Isto pode limitar a funcio-
– Deixar secar por completo o tecido do cinto nalidade dos fechos dos cintos de segurança
tratado. e dos cintos.
– Recolher o cinto de segurança apenas se ele ● Nunca tentar reparar, modificar ou desmon-
estiver totalmente seco. tar os cintos de segurança por conta própria.
● Substituir imediatamente os cintos de segu-
ATENÇÃO rança danificados por cintos de segurança
A conservação e a limpeza inadequadas de pe- novos liberados para o veículo pela
ças do veículo podem prejudicar os seus equi- Volkswagen. Cintos de segurança que foram
pamentos de segurança e, como consequência, utilizados durante um acidente e, por isso,
causar ferimentos graves. sofreram alongamento, devem ser substituí-
● Conservar e limpar as peças do veículo so- dos por uma Concessionária Volkswagen. A
mente de acordo com as instruções do fabri- substituição poderá ser necessária mesmo se
cante. não houver um dano visível. Além disso, as
ancoragens dos cintos de segurança devem
● Utilizar os produtos de limpeza liberados ou ser verificadas.
recomendados.
NOTA
ATENÇÃO
● Produtos de limpeza com solventes agridem os
O uso de produtos de limpeza com solventes materiais e podem danificá-los de forma irre-
torna a superfície dos módulos de airbag poro- parável. 
sa. Em caso de um acidente com acionamento
do airbag, as peças de material sintético que se
soltam podem causar ferimentos graves.

1) Solução de sabão suave: duas colheres de sopa de sabão neutro em um litro de água.

172 Manual de instruções


● Manchas, sujeiras e outros sedimentos com ● Absorver imediatamente os líquidos derrama-
componentes agressivos e com solventes agri- dos com um pano absorvente, pois a superfície
dem o material e podem danificá-lo de forma do couro e as costuras não resistem por muito
irreparável, mesmo após um curto tempo de tempo à penetração de líquidos.
exposição. ● Proteger o couro de exposição ao sol excessiva
● Remover as manchas, sujeiras e outros sedi- para evitar um desbotamento.
mentos o mais rápido possível e não permitir
que elas sequem. NOTA
● Para evitar danos, contratar uma empresa es- O vinil não pode ser tratado com solventes, cera,
pecializada em limpeza para efetuar a remoção graxa de sapato, removedor de manchas ou simi-
de manchas persistentes. lares em nenhuma hipótese. Estes ocasionam o
ressecamento e o rompimento prematuro do ma-
NOTA terial.
● Não utilizar higienizador a vapor, uma vez que
ele faz com que a sujeira penetre mais profun- NOTA
damente, fixando-se nos tecidos. Alguns odorizadores de veículo apresentam subs-
● Lavadores de alta pressão e sprays gelados po- tâncias em sua composição química que podem
dem danificar o estofamento. causar danos à estrutura, à superfície e à pintura
de revestimentos internos do veículo.
NOTA
Produtos próprios de conservação são co-
● Limpar com uma escova de cerdas macias so- mercializados em Concessionária
mente o carpete do assoalho e os tapetes! Ou- Volkswagen.
tras superfícies de tecido podem ser danifica-
das pela escova. A Volkswagen recomenda contratar uma
● Se pastas ou soluções para lavagem forem uti- empresa especializada em limpeza para a
lizadas com um pano úmido ou uma esponja, remoção de possíveis manchas no revestimento
após a secagem podem aparecer marcas no dos bancos.
estofamento. Via de regra, estas marcas são de Leves alterações de cor causadas pelo uso
difícil remoção ou não podem mais ser removi- são normais. 
das.

NOTA
● O NT - não tecido de microfibra não pode ser Prolongado desuso
encharcado em nenhuma hipótese.
● O NT - não tecido de microfibra não pode ser
tratado com produtos para tratamento de cou-  Introdução ao tema
ro, solventes, cera, graxa de sapato, removedor
de manchas ou similares.
Um veículo que necessita permanecer imobiliza-
● Não utilizar escovas para a limpeza com água,
do por um período aproximado de 6 meses pode-
pois isso pode danificar a superfície do materi-
rá não ter mais o mesmo comportamento anteri-
al.
or. A vida útil do veículo poderá estar sensivel-
mente comprometida.
NOTA
As razões são várias:
● O couro não pode ser tratado com solventes,
cera, graxa de sapato, removedor de manchas – As borrachas ressecam.
ou similares em nenhuma hipótese. – Os lubrificantes perdem suas características.
● Se uma mancha penetrar na superfície do cou- – O combustível oxida etc. 
181.5B1.CRF.66

ro após um longo tempo de exposição, a man-


cha não poderá mais ser removida.

Conservação do veículo 173


Até 30 dias de imobilização do veículo, ainda é – Encerar com uma cera de conservação
possível reverter as consequências negativas de- → Página 166 e guardar em local seco e bem
correntes deste fato. Daí para frente, quanto ventilado com os vidros abertos.
mais tempo o veículo permanecer inativo, mais – Não colocar capa que impeça a ventilação do
difícil será de garantir sua performance posterior. veículo. 
O ideal é que o veículo nunca fique muito tempo
sem ser utilizado. Sendo necessário mantê-lo
inativo por tempo prolongado, é conveniente
que, previamente, sejam tomados alguns cuida-
Motor / transmissão
dos específicos para cada parte do veículo. 
Antes do desuso:
– Substituir o óleo do motor.
– Substituir o líquido de arrefecimento do motor.
Chassi
– Abastecer o tanque de combustível com gaso-
lina aditivada e deixar o motor funcionar du-
O chassi engloba suspensões, freios, rodas e
rante alguns minutos.
pneus.
– Colocar a alavanca da transmissão na posição
A alavanca do freio de estacionamento deve ser
neutra (“ponto morto”).
deixada desacionada, para isso guardar o veículo
em um piso plano e firme. Após o desuso:
– Substituir o óleo do motor.
NOTA
– Consumir o combustível do tanque.
● Os pneus devem permanecer suspensos (sem
contato com o solo), para evitar que se defor- – Colocar gasolina aditivada no primeiro abaste-
mem permanentemente. cimento.
● A oxidação dos discos ou tambores tornam o Um veículo inativo por um longo período com
freio excessivamente agressivo. Para minimi- combustível no tanque pode causar problemas
zar seus efeitos negativos, o veículo, isento de de funcionamento no motor, devido a formação
umidade, deve ser guardado em lugar seco. de depósitos em componentes, como, por exem-
● O poder lubrificante da graxa do rolamento plo, nos injetores de combustível.
das rodas e semieixo tem suas propriedades A Volkswagen recomenda que durante o
alteradas após um longo tempo de inatividade. período de desuso, colocar o veículo em
O recomendado é substituir os componentes, movimento, rodando por alguns quilômetros, pe-
após o desuso prolongado (mais de 6 meses), lo menos a cada 30 dias. 
isto caso não seja possível acioná-los esporadi-
camente, mesmo que seja somente por alguns
metros. 
Elétrica
Antes do desuso:
Carroceria – Desligar o cabo massa da bateria.
A carroceria sofre oxidação nas articulações, de- – Manter os braços dos limpadores do para-bri-
terioração das peças de borracha e dos lubrifi- sa / vidro traseiro levantados.
cantes das máquinas dos vidros e das fechaduras
Após o desuso:
das portas e tampa.
– Ligar o cabo massa da bateria.
Dois dias antes do desuso:
– Ao ligar o cabo massa atentar para os seguin-
– Lavar o veículo com produto neutro de limpeza tes ajustes: ajustar o relógio, ajustar as memó-
e água, longe do local onde será guardado rias das estações do rádio (para veículos com
→ Página 167. rádio, → caderno Rádio). 
– Secar o veículo muito bem, deixar as portas e
tampa traseira abertas, exposto ao sol.

174 Manual de instruções


– Limpar o para-brisa, o vidro traseiro e as pa-
lhetas com um pano macio e umedecido com
Autoajuda
água e sabão neutro.
Ferramentas de bordo
– Enxaguar o para-brisa e o vidro traseiro com
água corrente, removendo toda a impureza so-
bre os vidros, antes de acionar os limpadores.  Introdução ao tema
ATENÇÃO Ao sinalizar o veículo quebrado, observar as de-
Nunca permaneça em ambiente fechado en- terminações legais do respectivo país.
quanto o motor estiver funcionando. Os gases
tóxicos do sistema de escape podem levar à in- ATENÇÃO
consciência, intoxicação por monóxido de car- Uma ferramenta de bordo e uma roda de emer-
bono, acidentes e ferimentos graves. gência soltos podem ser arremessados pelo in-
terior do veículo durante manobras de direção
A Volkswagen recomenda que durante o ou de frenagem súbitas, bem como em um aci-
período de desuso, colocar o motor em fun- dente, e causar ferimentos graves.
cionamento a cada 15 dias, pelo menos 15 minu-
tos, desligando, em seguida, o cabo negativo da ● Garantir sempre que as ferramentas de bor-
bateria → .  do ou a roda de emergência estão fixados
com segurança no compartimento de baga-
gem.

ATENÇÃO
Uma ferramenta de bordo inadequada ou dani-
ficada pode ocasionar acidentes e ferimentos.
● Nunca trabalhar com uma ferramenta de
bordo inadequada ou danificada. 

Acomodação e acesso às
ferramentas de bordo

Fig. 129 No compartimento de bagagem embaixo


do revestimento do assoalho: ferramentas de bordo. 
181.5B1.CRF.66

Autoajuda 175
Componentes das ferramentas de bordo
→ Fig. 131
1 Macaco. Antes da recolocação do macaco na
caixa de ferramentas, fechar totalmente o
macaco com a chave de roda até o batente
para evitar ruídos durante a condução.
2 Chave de roda. É usada também como mani-
vela do macaco para o levantamento do veí-
culo → Página 234.
3 Gancho extrator para remoção das calotas
centrais, das calotas integrais ou das cober-
turas dos parafusos de roda.
Fig. 130 No compartimento de bagagem: caixa de 4 Argola de reboque rosqueável.
ferramentas de bordo. 5 Adaptador para remoção ou fixação do para-
fuso antifurto da roda de emergência.
Antes de utilizar a roda de emergência, leia as re-
comendações na → Página 65 e → Página 228. O número do código do parafuso antifurto está
gravado na face frontal do adaptador. A partir
As ferramentas de bordo estão localizadas no
deste número, é possível adquirir um novo adap-
compartimento de bagagem embaixo do revesti-
tador em caso de extravio. Este número de códi-
mento do assoalho → Fig. 129.
go deve ser anotado e guardado em lugar seguro,
– Levantar o revestimento do compartimento de fora do veículo.
bagagem → Fig. 129.
Manter sempre o adaptador para remoção
– Retirar o revestimento por completo para reti- ou fixação do parafuso antifurto 5 junto ao
rar e acessar as ferramentas de bordo veículo.
→ Fig. 130. 
Girar o macaco para sua posição original
após o uso para que ele possa ser guardado
com segurança. 
Componentes

Fig. 131 Representação esquemática: componentes


das ferramentas de bordo.

A abrangência das ferramentas de bordo depen-


de da versão do veículo. A seguir está descrito o
escopo máximo.

176 Manual de instruções


Palhetas dos limpadores dos NOTA
vidros ● Para evitar danos à tampa do compartimento
do motor e aos braços dos limpadores dos vi-
dros, erguer os braços dos limpadores do para-
Posição de serviço dos limpadores -brisa somente na posição de serviço.
do para-brisa ● Antes do início da condução, sempre colocar
os braços dos limpadores do para-brisa sobre o
para-brisa. 

Limpar e substituir as palhetas dos


limpadores dos vidros

Fig. 132 Limpadores dos vidros na posição de servi-


ço.

Na posição de serviço, os braços dos limpadores


do para-brisa podem ser erguidos do para-brisa Fig. 133 Substituir as palhetas dos limpadores do
→ Fig. 132. Para colocar os limpadores dos vidros para-brisa.
na posição de serviço, proceder conforme a se-
guir:
– A tampa do compartimento do motor precisa
estar fechada → Página 199.
– Ligar e desligar a ignição.
– Pressionar a alavanca dos limpadores dos vi-
dros brevemente para baixo → Fig. 74 4 .
– Para retornar a posição inicial das palhetas re-
petir o procedimento.

Erguer as palhetas dos limpadores do para-


-brisa
– Antes de erguer os braços dos limpadores dos
vidros, colocá-los na posição de serviço → . Fig. 134 Substituir a palheta do limpador do vidro
– Para erguer um braço dos limpadores dos vi- traseiro.
dros, segurá-lo somente pela área de fixação
da palheta dos limpadores dos vidros. O veículo é equipado de fábrica com palhetas dos
limpadores dos vidros revestidas com uma cama-
– Após a manutenção efetuada, dobrar os braços
da de grafite. A camada de grafite faz com que as
dos limpadores dos vidros novamente sobre o
palhetas dos limpadores dos vidros deslizem si-
para-brisa.
lenciosamente sobre o vidro e tenham um de-
sempenho de limpeza satisfatórios.→ 
181.5B1.CRF.66

Autoajuda 177
Verificar regularmente a condição das palhetas – Pressionar a trava da palheta do limpador do
dos limpadores dos vidros. Substituir as palhetas vidro traseiro → Fig. 134, no sentido da seta
dos limpadores dos vidros quando estas apresen- A.
tarem perda de desempenho ou, limpá-las se es- – Puxar a palheta do limpador do vidro traseiro
tiverem sujas→ . → Fig. 134, no sentido da seta B .
Palhetas dos limpadores dos vidros danificadas – Introduzir a nova palheta do limpador do vidro
devem ser substituídas imediatamente. As palhe- traseiro de mesmo tamanho e modelo no bra-
tas dos limpadores dos vidros podem ser adquiri- ço do limpador do vidro traseiro no sentido
das em uma Concessionária Volkswagen ou em contrário da seta → Fig. 134 B até que ela se
uma empresa especializada. trave.
– Colocar o braço do limpador do vidro traseiro
Limpar as palhetas dos limpadores dos vidros
de volta no vidro traseiro.
Observar nos limpadores do para-brisa: colocar
os braços dos limpadores dos vidros na posição ATENÇÃO
de serviço antes de rebater para for a
→ Página 87. Palhetas dos limpadores dos vidros gastas ou
sujas reduzem a visibilidade e aumentam o ris-
– Erguer um braço dos limpadores dos vidros, co de acidentes e de ferimentos graves.
segurá-lo somente pela área de fixação da pa- ● Substituir as palhetas dos limpadores dos vi-
lheta dos limpadores dos vidros. dros sempre que estiverem danificadas ou
– Com um pano macio, remover cuidadosamen- gastas e não limparem mais os vidros de for-
te a poeira e a sujeira das palhetas dos limpa- ma suficiente.
dores dos vidros → .
– Baixar os braços dos limpadores dos vidros de NOTA
volta no vidro. ● Não tente recuperar a camada de grafite das
palhetas dos vidros, ou reaplicá-la. Se estiver
Substituir as palhetas dos limpadores do
danificada, substituir as palhetas dos vidros.
para-brisa
– Antes de erguer os braços dos limpadores do NOTA
para-brisa, colocá-los na posição de serviço
→ Página 87. ● Palhetas dos limpadores dos vidros danificadas
ou sujas podem riscar os vidros.
– Erguer um braço do limpador do para-brisa,
segurá-lo somente pela área de fixação da pa- ● Produtos de limpeza com solventes, esponjas
lheta do limpador do para-brisa. duras e outros objetos pontiagudos danificam
o revestimento de grafite das palhetas dos
– Manter o botão de destravamento → Fig. 133
limpadores dos vidros durante a limpeza.
1 pressionado e, ao mesmo tempo, retirar a
palheta do limpador do para-brisa no sentido ● Não limpar os vidros com combustível, remo-
da seta. vedor de esmaltes, solventes de tinta ou líqui-
dos semelhantes. 
– Introduzir a nova palheta do limpador do para-
-brisa de mesmo tamanho e modelo no braço
do limpador do para-brisa até encaixar.
– Baixar os braços dos limpadores do para-brisa
de volta no para-brisa. Troca de lâmpadas
Substituir a palheta do limpador do vidro
incandescentes
traseiro
– Erguer o braço do limpador do vidro traseiro,  Introdução ao tema
segurá-lo somente pela área de fixação da pa-
lheta do limpador do vidro traseiro.
– Manter o botão de destravamento → Fig. 134 A troca de uma lâmpada incandescente requer
1 pressionado. aptidão profissional. Por isso, em caso de dúvi-
das, a Volkswagen recomenda que uma troca de
lâmpada incandescente seja feita por uma 

178 Manual de instruções


Concessionária Volkswagen ou procurar auxílio verão ser realizados por uma Concessionária
técnico especializado. Em princípio, é necessário Volkswagen ou por uma empresa especiali-
um técnico quando, além das respectivas lâmpa- zada.
das, outras peças do veículo tiverem que ser re-
● Não segurar o bulbo de vidro da lâmpada in-
movidas ou se tiverem que ser substituídas.
candescente com os dedos descobertos. Im-
É recomendável levar uma caixinha sempre a pressões digitais remanescentes sobre a
bordo do veículo, com as lâmpadas de reposição lâmpada incandescente evaporam com o ca-
necessárias para a segurança do trânsito. Lâmpa- lor quando ela é ligada e deixam o refletor
das incandescentes de reposição podem ser obti- “opaco”.
das nas Concessionárias Volkswagen. ● Na carcaça do farol no compartimento do
motor e na carcaça das lanternas traseiras
Especificações adicionais de lâmpadas
existem peças com arestas afiadas. Proteger
incandescentes
as mãos na troca de lâmpadas incandescen-
Algumas lâmpadas incandescentes do farol ou tes.
das lanternas traseiras podem apresentar deter-
minadas especificações de fábrica que divergem NOTA
das lâmpadas incandescentes convencionais. A
respectiva designação consta no soquete da lâm- Se após uma troca de lâmpada incandescente a
pada ou no bulbo de vidro. cobertura de borracha da carcaça do farol não for
montada corretamente, poderão ocorrer danos
ATENÇÃO no sistema elétrico – principalmente pela pene-
tração de água.
A condução com lâmpadas incandescentes
queimadas, além de irregular, gera um potenci-
NOTA
al risco de acidentes. Eventuais lâmpadas in-
candescentes queimadas devem ser substituí- A Volkswagen recomenda cuidado especial com
das o mais breve possível. algumas peças plásticas que possuem presilhas,
que podem quebrar-se durante a remoção ou
● A iluminação insuficiente das vias públicas,
instalação das lâmpadas. 
como, por exemplo, ruas, avenidas e praças,
acarreta a baixa visibilidade e também po-
tencializa o risco de acidentes, uma vez que
outros condutores teriam dificuldades em vi- Informações sobre a troca de
sualizar um veículo que estivesse trafegando
com as lâmpadas incandescentes queimadas. lâmpadas incandescentes
 Observe e no início desse capítulo na
ATENÇÃO página 179.
Uma troca de lâmpada incandescente executa-
da de forma incorreta pode causar acidentes e Lista de controle
ferimentos graves.
Executar as seguintes ações para a troca de uma
● Antes de qualquer trabalho no compartimen- lâmpada incandescente, sempre na sequência in-
to do motor, ler e observar sempre os alertas dicada → :
→ Página 199, No compartimento do motor.
1. Estacionar o veículo, na medida do possível,
O compartimento do motor de todos os veí-
a uma distância segura do fluxo de trânsito,
culos é uma área perigosa e pode causar feri-
em um piso plano e firme.
mentos graves .
2. Puxar o freio de estacionamento
● Substituir a lâmpada incandescente em
→ Página 128.
questão somente se ela estiver totalmente
fria. 3. Girar o interruptor das luzes para a posição 0
→ Página 81.
● Nunca realizar uma troca de lâmpada incan-
descente se não estiver familiarizado com as 4. Colocar a alavanca dos indicadores de dire-
181.5B1.CRF.66

ações necessárias. Se houver insegurança so- ção na posição neutra → Página 80.
bre o que fazer, os trabalhos necessários de- 5. Transmissão automatizada: colocar a alavan-
ca seletora na posição D ou R → Página 113. 

Autoajuda 179
Lista de controle (continuação) mada novamente, bem como o conector de
6. Desligar o motor e retirar a chave do veículo alimentação pode não estar corretamente
do cilindro da ignição → Página 107. encaixado.
7. Transmissão manual: engatar a marcha 13. Após cada troca de lâmpada incandescente
→ Página 111.
na parte dianteira do veículo, a regulagem do
farol deve ser realizada por uma Concessio-
8. Deixar a lâmpada incandescente envolvida nária Volkswagen ou por uma empresa espe-
esfriar. cializada.
9. Verificar se um fusível está visivelmente
queimado → Página 189. ATENÇÃO
10. Trocar a lâmpada incandescente envolvida A observância da lista de controle é essencial
conforme instrução → , caso necessário, ter para a segurança do condutor, passageiros e
uma lanterna em mãos. Uma lâmpada incan- demais condutores, evitando possíveis aciden-
descente pode ser trocada somente por uma tes.
nova do mesmo modelo. A respectiva desig-
nação consta no soquete da lâmpada ou no ● Seguir sempre as ações da lista de controle e
bulbo de vidro. observar as precauções de segurança nela
descritas.
11. Não segurar o bulbo de vidro da lâmpada in-
candescente com os dedos descobertos. A
NOTA
impressão digital remanescente evaporaria
com o calor da lâmpada incandescente acesa Remover e instalar as lâmpadas sempre com cui-
e se depositaria sobre o refletor, prejudican- dado, evitando danos na pintura do veículo ou
do a capacidade de iluminação da lâmpada. em outras peças do veículo.
12. Verificar o funcionamento da lâmpada incan- As lâmpadas incandescentes queimadas não
descente após uma troca. Caso a lâmpada in- devem ser descartadas em lixo comum, por
candescente não funcione, ela pode não ter se tratar de um resíduo potencialmente prejudi-
sido instalada corretamente ou estar quei- cial ao meio ambiente.
Em prol do meio ambiente, a Volkswagen
recomenda que as lâmpadas incandescen-
tes queimadas sejam devolvidas em uma Conces-
sionária Volkswagen ou em uma empresa espe-
cializada, a fim de que seja dada destinação am-
bientalmente adequada a tais resíduos seguindo
as determinações legais específicas quanto ao
manuseio, armazenamento e descarte. 

180 Manual de instruções


Substituir as lâmpadas incandescentes do farol dianteiro
 Observe e no início desse capítulo na
página 179.

Fig. 136 No compartimento do motor: vista traseira


do farol dianteiro direito sem cobertura de borracha:
3 indicadores de direção e 4 farol baixo.

Fig. 135 No compartimento do motor: vista traseira


do farol dianteiro direito com cobertura de borracha
(esquerda): A farol alto e luz de posição, B indica-
dores de direção e C farol baixo. Vista traseira do
farol dianteiro direito sem cobertura de borracha (di-
reita): 1 farol alto, 2 luz de posição.

No compartimento do motor, o farol está parcial- Não é necessário desmontar o farol dianteiro pa-
mente encoberto por outras peças do veículo. A ra a troca da lâmpada.
Volkswagen recomenda que, em caso de dúvida,
solicite a troca de lâmpadas em uma Concessio-
nária Volkswagen.

Executar as ações somente na sequência indicada:


→ Fig. 135 A B C
e Indicadores de dire-
→ Fig. 136
Farol alto 1 Luz de posição 2 Farol baixo 4
ção dianteiros 3
1. Observar a lista de controle e executar as ações → Página 179.
2. Abrir a tampa do compartimento do motor → Página 199.
Girar o soquete da Remover a cobertura
Remover a cobertura de borracha A na lâmpada até o baten- de borracha C na
3.
parte traseira do farol. te no sentido anti- parte traseira do fa-
-horário rol.
Desencaixar o co- Desencaixar o conec-
Puxar o soquete Retirar para trás com
nector de alimenta- tor de alimentação
4. → Fig. 135 2 no a lâmpada incandes-
ção da lâmpada in- da lâmpada incan-
sentido da seta. cente.
candescente. descente. 
181.5B1.CRF.66

Autoajuda 181
Executar as ações somente na sequência indicada:
→ Fig. 135 A B C
e Indicadores de dire-
→ Fig. 136
Farol alto 1 Luz de posição 2 Farol baixo 4
ção dianteiros 3
Comprimir ambos os Comprimir ambos os
lados da mola de lados da mola de tra-
travamento Retirar para trás com vamento separada-
separadamente 1 a lâmpada incandes- mente 4 contra a
contra a lâmpada, cente. lâmpada, deslocar a
deslocar a mola para mola para destravar
destravar a lâmpada. a lâmpada.
Remover a lâmpada incandescente do suporte de lâmpadas. Se for o caso, pressionar o
5.
travamento no suporte da lâmpada e girar no sentido anti-horário.
Substituir a lâmpada incandescente queimada por uma lâmpada incandescente nova do
6.
mesmo modelo.
Colocar a lâmpada Colocar a lâmpada
nova no alojamento, nova no alojamento,
Encaixar o soquete
pressionar ambos os Encaixar o soquete pressionar ambos os
da lâmpada no farol
lados da mola de da lâmpada, pressio- lados da mola de tra-
7. e girar no sentido
travamento separa- nando-o contra o fa- vamento separada-
horário até o baten-
damente e os encai- rol. mente e os encaixar
te.
xar no suporte para no suporte para fixar
fixar a lâmpada. a lâmpada.
Encaixar o conector Encaixar o conector
de alimentação da de alimentação da
lâmpada, pressio- - lâmpada, pressio-
nando-o até o ba- nando-o até o baten-
8. tente. te.
Recolocar a cobertu-
Recolocar a cobertura de borracha, aten- ra de borracha, aten-
-
tando para seu perfeito encaixe. tando para seu per-
feito encaixe.
9. Fechar a tampa do compartimento do motor → Página 199.
Após a montagem
Após a montagem da
da lâmpada nova, re- Certificar-se de que o soquete está correta-
10. lâmpada nova, regu-
gular o facho do fa- mente fixado no farol.
lar o facho do farol.
rol.

As ilustrações mostram o farol direito por


trás. O farol esquerdo é montado em posi-
ção invertida. 

182 Manual de instruções


Substituir a lâmpada incandescente do para-choque dianteiro
 Observe e no início desse capítulo na página 179.

Fig. 137 No para-choque dianteiro: A desinstalar a moldura do farol de neblina e B retirar os parafusos do
farol de neblina.

Fig. 138 No para-choque dianteiro: C retirar os parafusos da cobertura da lâmpada e D lâmpada do farol de
neblina.

A Volkswagen recomenda que, em caso de dúvi- Executar as ações somente na sequência indica-
da, solicite a troca da lâmpada do farol de neblina da:
em uma Concessionária Volkswagen.
Retirar os parafusos indicados pelas setas
4.
Executar as ações somente na sequência indica- → Fig. 137 .
da: Puxar cuidadosamente o farol de neblina
Observar a lista de controle e executar as para fora, para desencaixá-lo do para-cho-
1. 5.
ações → Página 179. que e, retirar o conector de alimentação
→ .
Desencaixar a moldura, cuidadosamente
→ , primeiramente pelo local indicado pe- Retirar os parafusos indicados pelas setas
2. la seta → Fig. 137 . Remover completa- 6. → Fig. 138 , para acessar a lâmpada do fa-
mente para acessar os parafusos do farol rol de neblina.
de neblina. Remover a cobertura da lâmpada do farol
7.
de neblina.
181.5B1.CRF.66

Remover o conector de alimentação do


3. sensor de estacionamento dianteiro fixado Comprimir a mola de travamento no senti-
na moldura do farol de neblina. 8. do da seta e deslocâ-la para destravar a
lâmpada → Fig. 138 . 

Autoajuda 183
Executar as ações somente na sequência indica- ATENÇÃO
da:
Nunca elevar o veículo com o macaco para a
Substituir a lâmpada incandescente quei- troca da lâmpada do farol de neblina.
9. mada por uma lâmpada incandescente no-
va do mesmo modelo. NOTA
Posicionar a lâmpada nova no alojamento,
● Remover e instalar a lâmpada incandescente
10. observando as abas do soquete para um
do para-choque dianteiro sempre com cuida-
correto posicionamento.
do, evitando danos na pintura do veículo ou
Pressionar a mola de travamento e encaixar em outras peças do veículo.
11. no suporte para fixar a lâmpada incandes-
● A Volkswagen recomenda cuidado especial
cente.
com algumas peças plásticas que possuem
Recolocar os parafusos indicados pelas se- presilhas, que podem quebrar-se durante a re-
12. tas , para travar a cobertura da lâmpada moção ou instalação das lâmpadas.
do farol de neblina.
Recolocar o conector de alimentação e in- A ilustração mostra o farol de neblina es-
13. serir cuidadosamente o farol de neblina no querdo. O farol de neblina direito é monta-
alojamento do para-choque → . do em posição invertida. 
Recolocar os parafusos indicados pelas se-
14. tas → Fig. 137  para fixar o farol de nebli-
na.
Recolocar a moldura da esquerda para a di-
15.
reita → Fig. 137 .

Substituir as lâmpadas incandescentes da lanterna traseira na carroceria


 Observe e no início desse capítulo na página 179.

Fig. 139 Lateralmente no compartimento de bagagem: A desinstalar a cobertura, B retirar os dois parafu-
sos e C retirar o parafuso borboleta (lupa). 

184 Manual de instruções


Fig. 140 Lanterna traseira: D desinstalar o suporte das lâmpadas e 1 e 2 desinstalar as lâmpadas incan-
descentes.

Executar as ações sempre na sequência indicada. Para inserir as novas lâmpadas no suporte
das lâmpadas, introduza a nova lâmpada no
Remover a lanterna traseira 12.
respectivo alojamento. Pressionar a lâmpa-
Observar a lista de controle e executar as da e girar no sentido horário até o batente.
1.
ações → Página 179. Certificar-se de que as lâmpadas estão cor-
2. Abrir a tampa traseira → Página 65. 13. retamente fixadas no suporte das lâmpa-
Remover com cuidado a cobertura A pela das.
3.
parte superior. Instalar o suporte das lâmpadas na lanterna
4. Retirar os dois parafusos de fixação B 14. traseira. As linguetas de travamento D de-
vem encaixar de forma audível.
Retirar o parafuso borboleta C , segurando,
5.
ao mesmo tempo, a lanterna traseira.
Instalar a lanterna traseira
Puxar cuidadosamente a lanterna traseira
Colocar o conector no respectivo alojamen-
para fora, para desencaixá-la da carroceria
15. to do suporte das lâmpadas e pressionar o
6. e, retirar o conector de alimentação puxan-
travamento em direção ao mesmo.
do-o pela parte vermelha no sentido oposto
do suporte → . Encaixar a lanterna traseira cuidadosamen-
16.
te na abertura da carroceria.
Retirar a lanterna traseira e colocá-la sobre
7. Segurar a lanterna traseira na posição de
uma superfície limpa e lisa.
17. montagem com uma das mãos e, aparafu-
Para destravar o suporte das lâmpadas, pu-
sar com a outra o parafuso borboleta C .
8. xar cada lingueta de travamento D no sen-
tido oposto ao suporte. Aparafusar os dois parafusos B com auxí-
18.
lio de uma chave de fenda.
Remover o suporte das lâmpadas cuidado-
9. Colocar a cobertura A . A cobertura deve
samente. 19.
encaixar e estar firme.
Trocar a lâmpada incandescente 20. Fechar a tampa traseira → Página 65.
Para remover as lâmpadas incandescentes
A localização e a identificação das lâmpadas in-
queimadas 1 e 2 , pressionar a lâmpada
10. candescentes estão relacionadas a seguir:
contra o alojamento da lâmpada e girar no
sentido anti-horário. Lâmpada com duplo filamento da luz de
1
posição e lanterna de freio.
Substituir a lâmpada incandescente quei-
11. mada por uma nova lâmpada incandescente 2 Lâmpada do indicador de direção. 
do mesmo modelo.
181.5B1.CRF.66

Autoajuda 185
NOTA ● A Volkswagen recomenda cuidado especial
com algumas peças plásticas que possuem
● Remover e instalar a lanterna traseira na carro-
presilhas, que podem quebrar-se durante a re-
ceria sempre com cuidado, evitando danos na
moção ou instalação das lâmpadas.
pintura do veículo ou em outras peças do veí-
culo. A lanterna de neblina traseira está localiza-
da na parte inferior do parachoque traseiro
somente no lado esquerdo. 

Substituir as lâmpadas incandescentes da lanterna traseira na tampa


traseira
 Observe e no início desse capítulo na página 179.

Fig. 141 Lanterna traseira: A desinstalar a cobertura e 1 e 2 desinstalar as lâmpadas.

Executar as ações sempre na sequência Para inserir as lâmpadas novas no soquete,


indicada. 8. pressioná-la contra o alojamento no soque-
Observar a lista de controle e executar as te.
1.
ações → Página 179. Certificar-se de que as lâmpadas estão cor-
9.
2. Abrir a tampa traseira → Página 65. retamente fixadas no soquete.
Para remover a cobertura A cuidadosa- Colocar os soquetes girando-os no sentido
3. 10.
mente, puxar no sentido da seta. horário.
Retirar os conectores de alimentação 1 e Colocar os conectores de alimentação.
11.
2 . Para o conector superior, puxar cuida- Pressionar o conector contra o soquete.
dosamente a haste lateral e retirar o conec- Colocar a cobertura A . A cobertura deve
4. 12.
tor. Para o conector inferior, pressionar am- encaixar e estar firme.
bos os lados e puxar cuidadosamente na di- 13. Fechar a tampa traseira → Página 65.
reção oposta ao soquete.
Para remover as lâmpadas incandescentes A localização e a identificação das lâmpadas in-
5. queimadas, retirar o soquete da lâmpada candescentes estão relacionadas a seguir:
girando-o no sentido anti-horário. 1 Lâmpada da marcha a ré.
Para remover a lâmpada, puxá-la, com cui- 2 Lâmpada da luz de posição. 
6.
dado.
Substituir a lâmpada incandescente quei-
7. mada por uma lâmpada incandescente nova
do mesmo modelo.

186 Manual de instruções


NOTA ● A Volkswagen recomenda cuidado especial
com algumas peças plásticas que possuem
● Remover e instalar a lanterna traseira na tam-
presilhas, que podem quebrar-se durante a re-
pa traseira sempre com cuidado, evitando da-
moção ou instalação das lâmpadas.
nos na pintura do veículo ou em outras peças
do veículo. A lanterna de neblina traseira está localiza-
da na parte inferior do parachoque traseiro
somente no lado esquerdo. 

Substituir a lâmpada da lanterna de Executar as ações somente na sequência indica-


da:
neblina do para-choque traseiro
Substituir a lâmpada incandescente quei-
 Observe e no início desse capítulo na 5. mada por uma lâmpada incandescente no-
página 179. va do mesmo modelo.
Posicionar o novo conjunto lâmpada e so-
6.
quete no alojamento.
Pressionar o soquete até o batente e girar
7.
no sentido horário.
Certificar-se de que o soquete está correta-
8.
mente fixado no conjunto.
Encaixar o conector de alimentação da
9.
lâmpada.

ATENÇÃO
Nunca elevar o veículo com o macaco para a
troca da lâmpada da lanterna de neblina.

A ilustração mostra a lanterna de neblina


Fig. 142 Atrás do para-choque traseiro: acesso à esquerdo. 
lâmpada incandescente da lanterna de neblina (so-
mente lado esquerdo).

Para acessar e trocar a lâmpada da lanterna de


neblina é necessário elevar o veículo → . Veja
também → Página 236.
A Volkswagen recomenda que, em caso de dúvi-
da, solicite a troca da lâmpada da lanterna de ne-
blina em uma Concessionária Volkswagen.

Executar as ações somente na sequência indica-


da:
Observar a lista de controle e executar as
1.
ações → Página 179.
Desencaixar o conector de alimentação da
2.
lâmpada.
Girar o soquete da lâmpada → Fig. 142, no
3. sentido anti-horário da seta, e desencaixá-
-lo do alojamento.
181.5B1.CRF.66

Remover a lâmpada incandescente do su-


4.
porte de lâmpadas.

Autoajuda 187
Substituir a lâmpada incandescente Executar as ações somente na sequência indica-
da:
da lanterna da placa de licença
Puxar a lâmpada queimada do soquete para
4.
 Observe e no início desse capítulo na removê-la.
página 179. Substituir a lâmpada incandescente quei-
5. mada por uma lâmpada incandescente no-
va do mesmo modelo.
Inserir a nova lâmpada no soquete cuidado-
6.
samente.
Posicionar o soquete no alojamento e girar
7.
no sentido contrário ao da seta → Fig. 144.
Certificar-se de que o soquete está correta-
8.
mente fixado no conjunto.
Posicionar o conjunto da lâmpada no aloja-
9. mento do para-choque, encaixar primeiro o
lado direito e, em seguida o lado esquerdo.
Pressionar a lanterna da placa de licença no
10. para-choque até que encaixe de forma au-
dível.
Fig. 143 No para-choque traseiro: remover a lanter-
na da placa de licença. Certificar-se de que o conjunto da lanterna
11. da placa de licença está corretamente fixa-
da no alojamento.

NOTA
Remover e instalar a lanterna da placa de licença
do para-choque traseiro sempre com cuidado,
evitando danos na pintura do veículo ou em ou-
tras peças do veículo. 

Troca de lanternas que


utilizam LED
Fig. 144 Lanterna da placa de licença: remover o so-
quete da lâmpada.
 Introdução ao tema
Para remover a lanterna da placa de licença, para
auxiliar pode ser utilizada uma chave de fenda
→ . As lanternas que utilizam LED (Light Emitting Di-
ode) possuem vida útil longa e não necessitam de
Executar as ações somente na sequência indica- trocas frequentes. 
da:
Observar a lista de controle e executar as
1.
ações → Página 179.
Informações importantes
Com o auxílio de uma chave de fenda, pres-
2. sionar a trava → Fig. 143 para remover o A Volkswagen recomenda que a troca das lanter-
conjunto. nas que utilizem LED seja feita em uma Concessi-
Girar o soquete da lâmpada no sentido da onária Volkswagen.
3. seta → Fig. 144, e desencaixá-lo do aloja- As lanternas do veículo que utilizam LED estão
mento. relacionadas a seguir: 

188 Manual de instruções


– Lanterna do indicador de direção lateral: loca- ATENÇÃO
lizadas nos espelhos retrovisores externos.
O uso de fusíveis inadequados, o reparo de fusí-
– Lanterna de freio elevada (brake light): locali-
veis e a conexão em ponte de um circuito elé-
zada na tampa traseira, acima do vidro trasei-
trico sem fusíveis podem causar um incêndio e
ro, no lado externo do veículo.  ferimentos graves.
● Nunca instalar fusíveis que tenham uma in-
tensidade de corrente maior. Substituir os
fusíveis somente por fusíveis com a mesma
Fusíveis capacidade (mesma cor e inscrição) e o mes-
mo tamanho.
● Nunca reparar fusíveis.
 Introdução ao tema
● Nunca substituir fusíveis por uma tira de me-
tal, um clipe de escritório ou similares.
Basicamente, vários consumidores podem estar
protegidos em conjunto por um fusível. Por outro NOTA
lado, também é possível que vários fusíveis per- ● Para evitar danos ao sistema elétrico do veícu-
tençam a um consumidor. lo, antes da troca de um fusível é necessário
Substituir os fusíveis somente depois que a causa que a ignição, a luz e todos os consumidores
da falha tiver sido eliminada. Se um fusível novo elétricos estejam desligados e a chave do veí-
queimar novamente após um curto período, o culo esteja fora do cilindro da ignição.
sistema elétrico deve ser verificado por uma Con- ● Se um fusível for substituído por um de maior
cessionária Volkswagen ou por uma empresa es- capacidade, poderão surgir danos também em
pecializada. outras partes do sistema elétrico.
Identificação da cor dos fusíveis embaixo do ● Caixas de fusíveis abertas devem ser protegi-
painel de instrumentos das contra a penetração de impurezas e umi-
dade. Impurezas e umidade nas caixas de fusí-
Cor Intensidade da corrente em veis podem causar danos ao sistema elétrico.
Ampere
Lilás 3 Vários fusíveis podem pertencer a um con-
sumidor.
Marrom claro 5
Marrom 7,5 Vários consumidores podem estar protegi-
Vermelho 10 dos em conjunto por um fusível. 
Azul 15
Amarelo 20
Branco ou
25
incolor
Verde 30
Laranja 40

ATENÇÃO
A alta tensão do sistema elétrico pode causar
choques elétricos, graves queimaduras e a mor-
te!
● Nunca encostar nos condutores elétricos do
sistema de ignição.
● Evitar curtos-circuitos no sistema elétrico.
181.5B1.CRF.66

Autoajuda 189
Fusíveis do veículo Abrir e fechar a caixa de fusíveis embaixo do
painel de instrumentos
 Observe e no início desse capítulo na – Abrir: pressionar a alavanca de travamento
página 189. → Fig. 145 1 até que a cobertura se abra.
– Rebater a cobertura para baixo.
– Fechar: rebater a cobertura no sentido contrá-
rio à seta até que ela se trave audivelmente na
alavanca de travamento 1 .

Abrir a caixa de fusíveis no compartimento do


motor
– Abrir a tampa do compartimento do motor 
→ Página 199.
– Pressionar as travas no sentido da seta 1 para
destravar a cobertura da caixa de fusíveis
→ Fig. 146.
– Remover a cobertura por cima 2 .
– Para a instalação, colocar a cobertura sobre a
Fig. 145 No lado do condutor embaixo do painel de
caixa de fusíveis. Pressionar a cobertura para
instrumentos: abrir a cobertura da caixa de fusíveis.
baixo, no sentido contrário ao da seta 2 , até
que trave de forma audível.

NOTA
● Remover cuidadosamente as coberturas das
caixas de fusíveis e reinstalar corretamente
para evitar danos no veículo.
● Caixas de fusíveis abertas devem ser protegi-
das contra a penetração de impurezas e umi-
dade. Impurezas e umidade nas caixas de fusí-
veis podem causar danos ao sistema elétrico.

No veículo há outros fusíveis além dos indi-


cados neste capítulo. Estes devem ser tro-
cados somente por uma Concessionária
Fig. 146 No compartimento do motor: retirar cober- Volkswagen ou por uma empresa especializada. 
tura da caixa de fusíveis.

Substituir os fusíveis somente por fusíveis com a


mesma intensidade de corrente (mesma cor e
inscrição) e o mesmo tamanho.

190 Manual de instruções


Caixa de fusíveis no painel de instrumentos
 Observe e no início desse capítulo na página 189.

Fig. 147 Caixa de fusíveis.

A Volkswagen recomenda manter sempre no veí- 18 Limpador do vidro traseiro


culo alguns fusíveis de reserva (como, por exem- 19 Alavanca da transmissão automatizada ASG
plo, fusíveis de 5 A, 10 A, 15 A, 20 A, 25 A e 30 A
para veículos sem ar-condicionado ou 40 A para Tomada 12V no compartimento de baga-
20
veículos com ar-condicionado). gem
Sistema de informações Volkswagen (vo-
Alguns fusíveis indicados podem ser específicos 21
lante multifunções)
de determinadas versões.
Acionador elétrico dos vidros / Acionamen-
Abaixo são representadas as localizações com su- to elétrico do suporte da roda de emergên-
as respectivas funções para os equipamentos que 22
cia / Rebaixamento do espelho retrovisor
podem estar disponíveis para o seu veículo: externo direito (Tilt down)
Farol / Lanterna de neblina (BFM) / Farol de 23 Transformador / bobina de ignição
1
neblina (BCM) 24 Módulo ABS / ESC
2 Rádio 25 Indicadores de direção / Luz de freio
3 Farol de longo alcance Interruptor do limpador do para-brisa / La-
26
4 Buzina do alarme vador do para-brisa
5 Rádio / Câmera de ré 27 Tomada de diagnóstico
6 Desembaçador do vidro traseiro Instrumento combinado / Ventilação inter-
28
7 Módulo do airbag na / ECU / Relé do sistema de injeção
8 Teto solar elétrico 29 Limpador do para-brisa
9 Transmissão automatizada ASG 30 Unidade de controle do motor
10 Módulo da direção elétrica (CEPS) 31 Luzes de posição do lado direito (BFM)
11 Interruptor rotativo de luzes (BCM) Luzes da placa de licença / Painel de instru-
32
mentos (BFM)
12 Livre
33 Bomba de combustível
13 Alavanca da transmissão automatizada ASG
34 Partida aquecida - Sistema E-Flex
14 Espelho retrovisor elétrico
Farol alto / Luz indicadora no painel de ins-
Embreagem eletromagnética do ar-condi- 35
15 trumentos
181.5B1.CRF.66

cionado
Farol baixo lado esquerdo (BFM) / Farol al-
16 Travamento central 36 to / Farol baixo do lado esquerdo / Lanterna
17 Interruptor rotativo de luzes (BCM) de neblina (BCM) 

Autoajuda 191
37 Luzes de marcha à ré 41 Buzina
Instrumento combinado / Relé da bomba 42 Ventilação interna
de combustível / Pressostato do ar-condi- 43 Luzes de posição do lado esquerdo (BFM)
cionado / Iluminação do porta-luvas / Con-
Bicos injetores de combustível / Sensor de
38 trole de distância de estacionamento / An-
44 embreagem (versão com transmissão ma-
tiofuscante automático do espelho retrovi-
nual) / Sensor de freio
sor interno / Relé de corte do ar-condicio-
nado / ECU / BCM / BFM - Eletrônica Sonda lambda / Cânister (válvula AKF) / Vál-
45 vula do ajuste do comando de válvula
Iluminação do compartimento de baga-
(NWV)
gem / Iluminação interna / Iluminação in-
terna traseira / Iluminação do espelho dos 46 Livre
39
para-sóis / Sensor do monitoramento do Farol baixo lado direito (BFM) / Farol alto /
47
compartimento interno (ultrassom) / Sensor Farol baixo do lado direito (BCM)
de chuva 48 Acendedor de cigarros / Tomada 12 V 
40 Eletrônica BCM / BFM

Caixa de fusíveis no compartimento Partida aquecida - Sistema E-


1 110 A
-Flex
do motor
2 ABS / ESC 40 A
 Observe e no início desse capítulo na 3 Direção elétrica (CEPS) 50 A
página 189. Ventilador do radiador - 2a velo-
4 40 A
cidade
Alimentação do compartimento
5 110 A
interno
6 Alternador 175 A
7 ABS / ESC 25 A
Ventilador do radiador - 1a velo-
8 30 A
cidade
9 Livre -
Alimentação de referência da
10 5A
unidade de controle BFM / BCM
11 Transmissão automatizada ASG 10 A
Motor elétrico da bomba hidráu-
12 lica - transmissão automatizada 30 A
Fig. 148 Caixa de fusíveis.
ASG
Os fusíveis estão localizados no compartimento
do motor, acima da bateria do veículo → . ATENÇÃO
Antes de qualquer trabalho no compartimento
Os fusíveis no compartimento do motor só deve-
do motor sempre ler e observar as notas de avi-
rão ser substituídos por uma empresa especiali-
sos → Página 199, Orientações de segurança
zada. Para isto, a Volkswagen recomenda as Con-
para trabalhos no compartimento do motor. O
cessionárias Volkswagen.
compartimento do motor de todos os veículos
Abaixo são representadas as localizações com su- é uma área perigosa e pode causar ferimentos
as respectivas funções e intensidade de corrente graves. 
em Amperes para os equipamentos que podem
estar disponíveis para o seu veículo:

192 Manual de instruções


Substituir os fusíveis queimados Substituir o fusível
– Se necessário, retirar a pinça de plástico
 Observe e no início desse capítulo na → Fig. 150 1 do suporte. O suporte se encon-
página 189. tra na parte traseira da caixa de fusíveis perto
da tomada de conexão para diagnóstico.
– Em caso de fusíveis pequenos, encaixar a garra
1 por cima → Fig. 150 A.
– Em caso de fusíveis maiores, empurrar a garra
1 lateralmente sobre o fusível → Fig. 150 B.
– Retirar o fusível queimado.
– Caso o fusível esteja queimado, substituir o fu-
sível por um novo da mesma intensidade de
corrente (mesma cor e inscrição) e do mesmo
tamanho → .
– Recolocar a cobertura ou fechar a tampa da
caixa de fusíveis.
– Se for o caso, colocar a pinça de plástico de
Fig. 149 Representação de um fusível queimado. volta no suporte atrás da caixa de fusíveis.

NOTA
Se um fusível for substituído por outro de maior
capacidade, poderão surgir danos em outras par-
tes do sistema elétrico. 

Auxílio à partida

 Introdução ao tema

Fig. 150 Remover ou instalar um fusível com a garra Se o motor não pegar porque a bateria está des-
da pinça de plástico 1 . carregada, é possível utilizar a bateria de outro
veículo para a partida. Antes do auxílio à partida,
Preparações eventualmente verificar o visor da bateria do veí-
– Desligar a ignição, a luz e todos os consumido- culo → Página 214.
res elétricos. Não pode haver contato entre os dois veículos,
– Abrir a respectiva caixa de fusíveis caso contrário, poderá haver fluxo de corrente
→ Página 190. assim que os polos positivos forem ligados.

Reconhecer fusíveis queimados A bateria descarregada deve ser corretamente li-


gada ao sistema elétrico do veículo.
Um fusível queimado pode ser reconhecido pela
tira metálica rompida → Fig. 149. Os cabos auxiliares de partida devem ser apropri-
ados e com o comprimento suficiente para man-
Iluminar o fusível com um lanterna. Dessa manei- ter os veículos afastados.
ra, um fusível queimado pode ser reconhecido
mais facilmente. ATENÇÃO
181.5B1.CRF.66

A utilização inadequada dos cabos auxiliares de


partida e um auxílio à partida realizado de for-
ma incorreta podem causar uma explosão da 

Autoajuda 193
bateria do veículo e ferimentos graves. Para re- Executar o auxílio à partida
duzir o risco de explosão da bateria do veículo,
observar o seguinte:  Observe e no início desse capítulo na
● Todos os trabalhos na bateria do veículo e no página 193.
sistema elétrico podem causar queimaduras
graves, incêndios e choques elétricos. Antes
de qualquer trabalho na bateria do veículo,
ler e observar sempre os seguintes alertas e
precauções de segurança → Página 214, Ba-
teria do veículo.
● A bateria do veículo fornecedora de corrente
deve ter a mesma tensão (12 V) e aproxima-
damente a mesma capacidade (ver gravação
na bateria do veículo) que a bateria do veícu-
lo descarregada.
● Nunca carregar uma bateria do veículo con-
gelada ou que tenha sido descongelada. Uma
bateria do veículo descarregada pode conge-
lar em temperaturas em torno de 0 ºC. Fig. 151 Compartimento do motor: acesso ao termi-
● Uma bateria do veículo congelada ou que te- nal positivo da bateria.
nha sido descongelada deve ser substituída.
● Durante o auxílio à partida, uma mistura de
gás detonante altamente explosiva é forma-
da na bateria do veículo. Manter fogo, faís-
cas, chamas expostas e cigarros em brasa
sempre distantes da bateria do veículo. Nun-
ca utilizar um telefone móvel enquanto os
cabos auxiliares de partida são conectados e
desconectados.
● Carregar a bateria do veículo somente em lo-
cais bem ventilados, pois no auxílio à partida
é formada uma mistura de gás detonante al-
tamente explosiva.
● Os cabos auxiliares de partida nunca devem
Fig. 152 Esquema para a conexão dos cabos auxilia-
entrar em contato com peças giratórias no
res de partida: bateria do veículo descarregada A e
compartimento do motor.
bateria do veículo fornecedora de corrente B .
● Nunca confundir o polo positivo com o polo
negativo ou conectar os cabos auxiliares de
Legenda para → Fig. 152:
partida incorretamente.
A Veículo com bateria do veículo descarregada
● Observar o manual de instruções do fabri-
que recebe auxílio à partida.
cante do cabo auxiliar de partida.
B Veículo com a bateria fornecedora de corren-
NOTA te que dá auxílio à partida.
X Ponto de aterramento adequado: uma peça
Para evitar danos consideráveis ao sistema elétri-
de metal maciça parafusada firmemente ao
co do veículo, observar o seguinte:
bloco do motor.
● Cabos auxiliares de partida conectados incor-
retamente podem provocar um curto-circuito. A bateria do veículo descarregada deve estar co-
● Não deve haver contato entre os veículos, do nectada de maneira correta à rede elétrica do
contrário, poderá haver fluxo de corrente ao veículo. 
conectar os polos positivos. 

194 Manual de instruções


Os veículos não devem encostar um no outro. Remover o cabo auxiliar de partida
Caso contrário, uma corrente pode circular ao se – Antes de desconectar o cabo auxiliar de parti-
conectar o polo positivo. da, desligar o farol baixo, se estiver ligado.
Atentar para o contato metálico satisfatório das – Ligar o ventilador do aquecimento e o desem-
garras conectadas aos polos. baçador do vidro traseiro do veículo com a ba-
Caso o motor não comece a funcionar, interrom- teria do veículo descarregada para reduzir pi-
per o processo de partida após 10 segundos e re- cos de tensão no momento da desconexão dos
petir após cerca de um minuto. cabos.
– Remover o cabo auxiliar de partida com o mo-
Executar as ações sempre na sequência indicada.
tor em funcionamento exatamente na sequên-
Conectar o cabo auxiliar de partida cia inversa à descrita acima.
– Desligar a ignição nos dois veículos – Fechar a cobertura do polo positivo da bateria.
→ Página 107.
ATENÇÃO
– Abrir a cobertura do polo positivo. Para abrir
pressionar a trava no sentido da seta Um auxílio à partida executado de forma incor-
→ Fig. 151 1 , rebater a cobertura para o lado reta pode provocar uma explosão da bateria do
no sentido da seta 2 . veículo e ferimentos graves. Para reduzir o risco
de explosão da bateria do veículo, observar o
– Conectar uma extremidade do cabo auxiliar de
seguinte:
partida vermelho ao polo positivo → Fig. 152
+ do veículo com a bateria do veículo descar- ● Todos os trabalhos na bateria do veículo e no
regada A → . sistema elétrico podem causar queimaduras
graves, incêndios e choques elétricos. Antes
– Conectar a outra extremidade do cabo auxiliar
de qualquer trabalho na bateria do veículo,
de partida vermelho ao polo positivo + da ba-
ler e observar sempre os seguintes alertas e
teria do veículo fornecedora de corrente B .
precauções de segurança → Página 214, Ba-
– Conectar uma extremidade do cabo de auxílio teria do veículo.
na partida preto ao polo negativo - da bate-
● Assegurar que não haja pessoas no interior
ria do veículo fornecedora de corrente B .
do veículo durante a conexão dos cabos auxi-
– Conectar a outra extremidade do cabo auxiliar liares de partida na bateria. Em caso de pane
de partida preto X no veículo com a bateria elétrica, os airbags podem ser acionados aci-
do veículo descarregada em uma peça maciça dentalmente e provocar lesões graves ou até
de metal aparafusada firmemente ao bloco do fatais nos ocupantes do veículo.
motor ou no próprio bloco do motor - porém
● Usar sempre uma proteção adequada para os
não nas proximidades da bateria A → .
olhos e nunca se debruçar sobre a bateria do
– Dispor os condutores do cabo auxiliar de parti- veículo.
da de modo que não entrem em contato com
● Conectar os cabos na sequência correta –
peças giratórias do compartimento do motor.
primeiro o cabo positivo, depois o cabo ne-
Ligar o motor gativo.
– Ligar o motor do veículo fornecedor de corren- ● Nunca fixar o cabo negativo em peças do sis-
te e deixar funcionando em marcha lenta. tema de combustível ou nas tubulações do
freio.
– Ligar o motor do veículo com a bateria do veí-
culo descarregada e esperar dois a três minu- ● As partes não isoladas das garras dos polos
tos até que o motor “funcione uniformemen- não devem se tocar. Além disso, o cabo fixa-
te”. do no polo positivo da bateria do veículo não
deve entrar em contato com peças do veícu-
lo condutoras de corrente.
● Verificar o visor da bateria do veículo e, se
necessário, utilizar uma lanterna. Caso esteja
181.5B1.CRF.66

amarelo-claro ou incolor, não executar o au-


xílio à partida e procurar auxílio técnico es-
pecializado. 

Autoajuda 195
● Evitar descargas eletrostáticas nas imedia- ATENÇÃO
ções da bateria do veículo. O gás detonante
Ao rebocar um veículo, o comportamento de
que escapa da bateria do veículo pode se in-
direção e o efeito de frenagem se alteram bas-
flamar pela formação de faíscas.
tante. Para reduzir o risco de acidentes ou de
● Nunca executar o auxílio à partida se a bate- ferimentos graves, observar o seguinte:
ria do veículo estiver danificada, congelada