Você está na página 1de 13

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.

com
Como Treinar crianças mais velhas

Eu observei que na minha família, as pessoas mais


experientes concordam que não só é possível treinar
crianças até os 2 anos, mas também é mais fácil do que
treinar uma criança mais velha. No entanto, pais mais
jovens acabam, por falta de experiência, adiando o
desfraldamento após esse período ideal.

Pais mais jovens tendem a achar que, quanto mais velha


a criança, mais rapidamente ela vai conseguir aprender.
Esse pensamento parece ser um senso comum, mas a
experiência de longo prazo mostrou que o oposto é
verdadeiro:

 Tente não passar dos 30 meses. Essa idade é


especialmente marcada pela criança que gosta
de desafiar e resistir; se você acha que é difícil
agora, imagina nesse período!

 As crianças com idade superior a cerca de 2 anos


e meio são um pouco mais difíceis de treinar. Eles
se tornam mais resistentes à mudança e
começam a querer seguir seus próprios caminhos.

 Desfraldamento é, sem dúvidas, diferente em


bebês de 22 meses comparado a crianças de 4
anos!

Como ajustar o treinamento de 4 dias para obter sucesso


ao desfraldar uma criança mais velha e resistente?

Siga os princípios básicos do método de treinamento de


4 dias

Alimentação, equipamentos (verifique o bônus


“checklist”), vestuário, lembre-se de manter a criança
somente em calcinha/cuequinha, incentivos, preparo
emocional e físico, reconhecimento dos sinais do corpo.

Comece o treinamento quando você tiver pelo menos


uma semana para se dedicar a ensinar seu filho esta
tarefa.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
Com crianças mais velhas, seja extremamente
padronizada e consistente com seus atos, qualquer
desvio poderá levar a um retrocesso. A consistência é
ainda mais importante para uma criança mais velha do
que é para uma criança mais nova.

Não planeje longas viagens de carro ou grandes


períodos de férias durante este tempo.

Mantenha uma rotina

A rotina é um componente crítico para desfraldar uma


criança mais velha. Lembre a criança apenas
ocasionalmente, e somente quando você notar que ela
está profundamente ocupada no que está fazendo.

Incentive a criança a imitar o comportamento dos mais


velhos

Converse com seu filho, mostre para ele que se ele usar
o penico ou vaso sanitário, ele vai se tornar um menino
grande como o seu pai.

Como crianças adoram copiar outras crianças,


especialmente as mais velhas, coloque seu filho na
companhia de outras crianças que já estão
desfraldadas, isso incentivará sua curiosidade e
motivação.

Em vez de vocalmente vangloriar as habilidades das


outras crianças, tente deixar a curiosidade de seu filho
naturalmente despertar.

Sua criança também pode copiar seu irmão mais velho.


Recebi o depoimento de uma mãe que treinou suas
duas meninas, levando a mais velha para o banheiro
com menor desde ela tinha 1 ano e meio, aos 2 anos de
idade ela já estava de calcinha quase não tinha
acidentes. A mais jovem assistia a sua irmã e decidiu que
queria se tornar uma menina grande, assim, se livrou das
fraldas super cedo.

Em outro depoimento de uma mãe: "Meus quatro filhos


treinaram a si mesmos, seguindo seu irmão, primo ou
amigo mais velhos no banheiro."

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
Também auxilia tentar mostrar como se comporta o
priminho favorito do seu filho, que tenha a mesma idade
e que já esteja desfraldado.

Essa técnica funciona até mesmo para aqueles que,


após passarem por períodos estressantes, acabam
regredindo.

Transfira toda a responsabilidade para a criança

Seu filho não é mais um bebê, então você pode passar


a responsabilidade para ele, dizendo que ele é dono de
seu próprio corpo, assim como tudo que está ligado a
ele, como o xixi e cocô. Diga que, por ser uma criança
grande, não precisa mais de ninguém para ajudá-lo, e
que a partir de agora, só depende dele. No entanto,
quando fizer isso, tenha certeza que está deixando o
penico disponível para utilização.

Deixe seu filho saber que esta é a uma escolha que


depende exclusivamente dele e que você não vai mais
incomodá-lo com isso. Uma criança pode se tornar
realmente ansiosa só de pensar em ter que ir até o
penico. Depois de dizer que ela não tem mais que ir, a
ansiedade se dissipa e ela provavelmente vai por conta
própria.

Além disso, peça auxilio ao seu filho para ajudá-la a


limpar e lavar seus próprios acidentes, assim como trocar
a roupa. Utilize esse artificio especialmente se ele ainda
está resistindo a aceitar o treinamento. Esta atitude pode
ser suficiente para convencer seu filho que urinar e
evacuar no penico dão menos trabalho que limpar
cuecas, tapetes ou pisos sujos.

Se acontecerem regressões, limpe os acidentes


rapidamente, trate-os sem grandes preocupações:
"Vamos nos limpar? Logo logo você estará chegando ao
banheiro de novo, assim como você fazia!".

Tente ir diminuindo os lembretes de uso do penico

Crianças com mais de 3 anos raramente precisam de


lembretes para ir ao banheiro. Faça com que a criança
pense que usar o penico é a ideia dela. As crianças mais

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
velhas entendem raciocínio lógico um pouco melhor,
então você pode ser mais clara sobre suas intenções.

Crianças tagarelas na época do jardim de infância


podem preferir o caminho das desculpas, da
argumentação, da negociação, ou até simplesmente
resistir. Ela pode tentar explicar acidentes constantes
com a famosa frase "eu esqueci", recusando ir ao
banheiro, ou tentar negociar recompensas maiores e
melhores quando for bem-sucedida. Mais uma vez, o
primeiro passo para superar este tipo de resistência é
parar de “dar corda”.

Crianças tagarelas amam uma discussão e se você se


recusar a participar, ela logo vai perder o interesse nesse
joguinho.

Nesses casos, pais que costumam continuar lembrando


constantemente os filhos para ir ao banheiro, acabam
seguindo pelo caminho da “luta pelo poder”, o que se
torna extremamente improdutivo nesses casos. Lembre-
se, pare da “dar corda”!

Incentivos e Recompensas

Uma vez que a luta pelo poder for desmantelada, os


pais precisam pensar no melhor incentivo para alcançar
a vitória. Muitos pais acabam tendo uma atitude
derrotista sobre incentivos por achar que esgotaram suas
opções. É normal dizerem frases como: "Ela tem tantos
brinquedos que não se esforça para nada" ou "Ela não
se importa se tirarmos seus brinquedos".

O incentivo deve ser algo que a criança deseja


fortemente. Nessa idade, você já pode pedir ajuda dela:
"Me fale o que te ajudaria a se acostumar com o
peniquinho?" Um dos aspectos positivos de treinar uma
criança mais velha é que ele pode ser capaz de
participar na escolha da recompensa. No entanto, cada
criança tem desejo diferente, então, descubra o que é
(que não seja muito caro) e use isso.

Pode ser que você precise experimentar diferentes


recompensas, enquanto estiver nesse período, veja o
que se mostra mais emocionante para o seu filho.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
Lembre-se que a recompensa é dada imediatamente
após a criança ir ao penico.

Para manter o valor dos incentivos sem ter que se


preocupar com o valor financeiro, mantenha o controle
de tempo de utilização dos principais brinquedos. O
acesso a uma bicicleta, videogame, carro de controle
remoto, tablet, ou qualquer outra coisa, deve se dar por
tempo limitado. Em essência, a criança ganha um
privilégio, não a posse de outro bem. Essa é uma ótima
maneira de manter o valor do incentivo.

Lembre-se que mesmo que você utilize recompensas,


torcer e incentivar com palavras é sempre mais
importante. Seja paciente e elogie todo o progresso da
criança.

Converse com seu filho sobre o treinamento, mantenha


uma atitude positiva

Ao falar com o seu filho, ele pode entender como ele


pode melhorar. Tranquilize-o de que você estará sempre
com ele, e que o objetivo é: "fazer xixi no peniquinho" ou
"correr para o banheiro, se o cocô começa a sair”.

Eu ouvi de uma mãe um relato que, ao dizer a filha que


estava bem cansada de trocar fraldas, então ela
respondeu: "Ok, mamãe" e não usou mais nenhuma.
Desde então, teve mais 2 ou 3 acidentes e nunca mais.

Evite, a todo custo, envergonhar seu filho para usar o


penico. Em vez disso, elogie-o pelos sucessos e trate
acidentes com indiferença.

Evite argumentação e negociação, mantenha as regras


simples (sem historinha para dormir se não houver uma
ida ao penico antes; uma estrelinha dourada e um
abraço para cada sucesso no penico) nunca abra
exceções. Você pode usar o interesse recém
desenvolvido do seu filho por conversar para explicar a
ele sobre o funcionamento do corpo, fale sobre o seu
progresso, aproveite também para explicar o quanto
livre e independente ele vai se sentir quando largar as
fraldas.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
Durante os anos pré-escolares, quando pressão dos
coleguinhas e as ambições de se tornar uma criança
grande desempenham um papel importante, o
desfraldamento se torna menos uma questão de dirigir
seu filho e mais uma questão de ficar fora do caminho o
suficiente para deixá-lo dirigir-se. Ao diminuir as brigas
por causa de acidentes, você vai descobrir que elas vão
desaparecer em breve e seu filho estará no caminho
para conseguir!

De a criança uma tabela de recompensas para gravar


seu progresso

Estrelas ou adesivos especiais devem ser colocados na


tabela de recompensas para cada ida ao penico.
Recompensas diferentes para fazer xixi e cocô tendem a
funcionar melhor. Uma vez que a criança se torne
parcialmente treinada, use os adesivos a partir do
momento em que a criança fique seca durante o dia
inteiro.

Leve a sério e sempre reveja a tabela de recompensas

Se a criança tiver melhorado, elogie-a, aplauda,


abrace, faça uma festinha! Diga "Sempre se mantenha
assim!" Se a melhora for pequena, diga a criança "Ouça
melhor o seu corpo". Deixe que ela saiba que você está
do lado dela, dizendo coisas como "Eu sinto muito que
você sujou suas calças, eu sei que você quer melhorar!"
Se ela não estiver conseguindo, faça perguntas como
“O que podemos tentar agora?" Tente sempre enfatizar
o lado positivo.

Os problemas mais comuns

- É comum para uma criança que já está treinada ter


alguma dificuldade em usar o penico durante períodos
de estresse. Por exemplo, uma criança com 2 ou 3 anos
de idade que acabou de ganhar um irmãozinho, pode
regredir. Podem haver outras razões emocionais para a
regressão, como começar na nova escolinha, ou se
mudar para uma casa nova, ou até mesmo sofrer
bullying.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
- Pode acontecer do seu filho fazer xixi ou cocô logo
após sair do penico.

Isso acontece com frequência no início do processo de


treinamento. Pode levar algum tempo para que ele
aprenda a relaxar os músculos que controlam o intestino
e a bexiga.

- Se o seu filho foi previamente treinado e está tendo


problemas, é importante falar com seu pediatra, para
afastar problemas tais como infecções.

- Se o seu filho for maior de 3 anos e ainda não foi


desfraldado, mesmo que você tenha tentado, fale com
o seu pediatra, ele pode ajudar a determinar o
problema e oferecer conselhos para tornar esse
processo mais fácil.

- Crianças mais velhas ainda podem ter acidentes, já


que essa idade coincide o aumento de tarefas na
escola.

Crianças nessa idade, normalmente, ficam tão


concentradas no que estão fazendo, que acabam se
esquecendo de ir ao penico. Relembre ela
ocasionalmente que qualquer coisa que estiver fazendo
pode ser interrompida por três minutos para ir ao
banheiro.

- Crianças mais velhas passam por conflitos entre querer


permanecer um bebê ou se tornar uma criança grande,
isso pode, por fim, causar ataques de raiva ou manha
com coisas pequenas ou que não fazem sentido. A
criança pode tentar jogar a cuequinha/calcinha fora e
exigir uma fralda. Se acalme e lembre-se que a manha é
passageira. Mantenha-se positiva!

- Há também crianças mais velhas que podem ter sido


treinadas aos dois anos, mas não tiveram
acompanhamento consistente dos pais. O resultado é
que elas só dominam certas partes do processo, tal
como vestir a cuequinha/calcinha e fazer xixi uma ou
duas vezes no penico por dia, mas não fazendo isso de
forma consistente. Neste caso, os pais devem começar

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
novamente a Formula Bebê Sequinho, deixando
completamente a formação esporádica anterior.

- A desvantagem de ser treinado “peladinho” mostra seu


defeito quando a criança fica mais velha.
Algumas crianças que foram treinadas por um período
grande associando o treinamento com o “estar nu”,
passam a ter problemas em ir ao penico ou vaso
sanitário (se na escola), enquanto estão vestidas. É por
isso que a Formula Bebê Sequinho recomenda que a
criança fique vestida normalmente, com roupas leves e
folgadas sobre a cuequinha/calcinha.

- Às vezes você tem que pensar em ideias para ajudar a


criança mais velha que insiste que ela só pode fazer xixi
ou cocô na fralda. Algumas crianças conseguem
segurar o cocô por 3 dias seguidos, recusando ir no
penico, mesmo que não tenham nenhum problema em
fazer xixi. Ouvi o relato de uma mãe que se recusou a
voltar para fraldas, mas deixou seu filho se sentar em seu
penico com a fralda apenas colocada por cima do
penico, e assegurou para ele que a fralda ainda iria
funcionaria, mesmo que ele não estivesse usando-a.
Após uma semana, a mãe foi capaz de remover a fralda
sobre o penico e seu filho aprendeu normalmente.

- Algumas crianças mais velhas aprendem a fazer xixi no


penico, mas resistem em fazer cocô em qualquer outro
lugar além da fralda. Elas seguram o cocô e tornam-se
severamente constipadas. Uma das mães da minha
classe resistiu ao impulso de colocar o filho de volta em
fraldas, mesmo que ele pedisse. O que ela fez foi levá-lo
diretamente para o banheiro, no momento em que ele
não conseguia mais prender. Logo que ele conseguir ir
pela primeira vez no vaso sanitário, nunca mais pediu
uma fralda.

Medos comuns nessa idade

Medo de liberar os resíduos do corpo

Há definitivamente medo em algumas crianças mais


velhas da liberação de fluidos corporais e sólidos, nesses
casos, há de se ter bastante perseverança para ajudá-
los a superar isso. É frustrante, mas tente esconder sua

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
frustração. Seja solidária e encorajador. Faça uma
grande festinha a cada pequeno sucesso, com muitos
elogios até mesmo se a criança somente se sentar no
penico e, quando você menos esperar, eles vão
conseguir!

As crianças mais velhas normalmente já estão


fisicamente prontas para serem treinadas, mas tem
medo das sensações de querer fazer xixi ou cocô.
Algumas não gostam da maneira que se sentem
quando a urina sai do seu corpo. Então elas seguram.
Isso geralmente acontece quando elas se acostumaram
a usar a fralda ou uma pull-up por um longo período.

Existem casos de crianças que ficam chateadas quando


veem seu cocô indo embora.
Algumas crianças acreditam que seu resíduo é parte de
seu corpo, o que torna a descarga assustadora e difícil
para que elas entendam. Nesses casos, tente explicar a
finalidade dos resíduos do corpo e a necessidade do
corpo de eliminá-los.

Se o seu filho resiste em ir ao banheiro ou parece com


medo ou ansioso durante o uso do penico ou vaso
sanitário, fique ao lado dele enquanto ele está no
penico. enquanto está no banheiro, você pode ajudá-lo
a apertar a descarga do vaso sanitário.
Outras maneiras de combater o medo do vaso sanitário,
são:

- Deixe a criança jogar pedaços de papel higiênico e


apertar a descarga, explicando para onde esse papel
vai.

- Leve ele ao banheiro para acompanhar outros


membros da família, ao mesmo tempo que conversa
com ele e tranquiliza-o de que não há nada a temer .

O medo do banheiro

Algumas crianças têm medo de serem sugadas para


dentro do vaso sanitário enquanto estão sentadas sobre
ele. Para dar ao seu filho uma sensação de controle,
deixe-o jogar pedaços de papel higiênico e apertar a
descarga. Isto irá diminuir o medo do som do vaso

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
sanitário e a visão de que as coisas desaparecem sem
explicação.

Riscos ou problemas associados com o treinamento


tardio

Luta pelo poder entre pais e filhos

A maioria das crianças que são resistentes ao


treinamento são motivadas pela luta de poder com seus
pais. Isso é porque elas estão na idade em que resistem
a constantes lembretes.

Há também casos em que elas podem ter passado por


experiências anteriores em que eram colocadas no
penico ou vaso sanitário contra a sua vontade. a
resposta da criança nesses casos é, geralmente,
bastante temperamental.

As lutas pelo poder durante o treinamento são mais


comuns com crianças que estão passando pelo período
dos "terríveis dois anos", e, dependendo de como você
tratar esse caso, pode acabar definindo um cenário
para todas as “lutas” posteriores a essa. Lembre-se,
nesses casos, tudo o que a criança quer é ouvir são
contra argumentações! Não dê importância para esse
comportamento e continue demonstrando uma atitude
positiva, focada nos pequenos sucessos da criança.

Problemas de saúde

Jovens que não compreendem completamente os sinais


do corpo podem desenvolver pequenos vícios ou
problemas ligados as suas funções corporais.

Há crianças que utilizaram fraldas por um período


prolongado que não aprendem a esvaziar
completamente a bexiga, isso pode acabar causando
repetidas infecções causadas pela urina retida.

Outros desenvolvem problemas de constipação graves,


que normalmente são vistos apenas em adultos mais
velhos. Constipação crônica pode levar a uma série de
problemas graves, incluindo o câncer de intestino.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
O desfraldamento após o período dos 18-32 meses pode
aumentar o risco de uma criança de ter infecções do
trato urinário (ITU), enurese e acidentes durante o dia
que podem durar um longo período.

O aumento do risco de que aconteçam os problemas


acima podem estar intimamente ligadas às técnicas
utilizadas para desfraldamento em crianças mais velhas,
tais como insistir em “empurrar mais” quando estiver
sentado no vaso sem sentir a devida necessidade, ou no
próprio atraso no desenvolvimento dos músculos
relacionados com ao controle de eliminação, ao se
utilizar fraldas por um longo período.

Há também evidências crescentes que crianças usando


fraldas espalham, indiretamente, infecções em creches
e escolas. Estudo relatam infecções por hepatite, surtos
de diarreia e infecções estomacais como resultado de
fraldas sujas.

Deterioração do incentivo ao treinamento em casa e na


escola

Atualmente, novas mães recebem pouca ou nenhuma


informação sobre como desfraldar seu filho.

Creches e pré-escolas, por sua vez, já não estão mais


cientes que crianças podem ser desfraldadas antes dos
3 anos de idade, assim, não ajudam os pais a treinar seus
filhos e, inadvertidamente, ajudam a promover uma
cultura onde é cada vez mais normal crianças de três ou
quatro anos usando fraldas.

Então, mães que treinam seus filhos na idade ideal,


acabam tendo seus esforços minados e seus filhos
chateados quando chegam em casa a partir de um
jardim de infância onde o professor não se preocupa em
acompanhá-los para o penico, por assumir que a
criança está usando fralda.

Desde que o desfraldamento não é mais uma prioridade


para a maioria dos pais, os resultados são cada vez mais
crianças mais velhas e incontinentes, com professores do
ensino primário lidando com um número crescente de
crianças em fraldas. Já vi casos de famílias que têm três

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com
crianças sem treinamento, com o mais velho tendo sete
anos de idade!

Escolas hoje em dia estão sobrecarregadas, muitas vezes


com faltas de professores. Se um professor tiver que
deixar a classe para lidar com uma criança que precisa
trocar fraldas, isso se tornará um problema a mais para
todos.

Crianças mais velhas que foram adotadas

Quando você adota uma criança no nascimento, e


nenhum trauma pós adoção ou abuso está presente,
não há problemas em aplicar o método de treinamento
do bebê sequinho, quando você detectar sinais de
prontidão na criança (dentro da janela dos 18 a 24
meses de idade).

Pela minha experiência, muitos pais de crianças


adotadas acabam encontrando resistência, explosões
emocionais, e birras se adiarem o treinamento,
especialmente após os 3 anos de idade, mesmo que os
urologistas não detectem qualquer problema de saúde
na criança.

Se você adotar uma criança em uma idade mais


avançada que não tenha sido desfraldada, sempre
considere os fatores e condições pelas quais a criança
passou e que possam influenciar o nível de dificuldade
em treiná-la a usar o penico pela primeira vez.

Crianças geralmente querem aprender, mas têm


vergonha de não saberem. Mesmo que inicialmente elas
pareçam resistir a ao treinamento, ou chorem e fiquem
chateadas depois de um acidente, ou até mesmo
façam birra no estilo: "Eu queria fazer cocô nas calças",
basta manter as palavras de encorajamento, mantendo
a rotina para crianças mais velhas, assim, o próprio dia a
dia mostrará avanços que irão auxiliar a criança a se
tornar mais confiante.

Licenciado para ANA THAISE DE SIQUEIRA COSTA MENDES - 00262725550 - Protegido por Eduzz.com