Você está na página 1de 44

Disciplina:

QUI003/QUI029 – Química
Geral
Docente:
Rodrigo Gibaut
Depto. de Química Geral e Inorgânica do IQ
Rodrigo_gibaut@hotmail.com
Bibliografia
ATKINS, Peter; JONES, Loretta. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio
ambiente. Tradução Ignez Caracelli et al. Porto Alegre: Bookman, 2001. 1042p. Tradução de
Chemical principles: the quest for insight.

BRADY, J. E.; RUSSELL, J. W.; HOLUM, J. R. Química: a matéria e suas transformações. 3. ed.
Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1986.

BROWN, Theodore L. Química, a ciência central. Tradução Robson Matos. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2005. 972p. Tradução de: Chemistry-The Central Science 9thEd.

LEE, John David. Química inorgânica: um novo texto conciso. Tradução Juergen Maar. São
Paulo: Edgard Blücher, 1980. 507p. Tradução de: A new concise inorganic chemistry.

MAHAN, Bruce M.; MYERS, Rollie J. Química: um curso universitário. Tradução Henrique Toma
et al. São Paulo: Edgard Blücher Ltda, 1993. 582p. Tradução de: University Chemistry.

MASTERTON, William L. et al. Princípios de química. Tradução Jossyl Peixoto. 6. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara, 1990. 681p. Tradução de: Chemical Principles.

RUIZ, Andoni G.; GUERRERO, J. A. Chamizo. Química. Tradução Giovanni Crisi. São Paulo:
Pearson Education do Brasil, 2002. 625p. Tradução de: Tú y la Química.

RUSSEL, John B. Química geral. Tradução Márcia Guekezian et al. 2.ed. São Paulo: Makron
Books, 1994. 2v. Tradução de: General Chemistry. 2
O que é a QUÍMICA ?
Química é a ciência que estuda a natureza da matéria,
suas propriedades, composição e suas transformações,
bem como as energias nelas envolvidas

Entendendo o que é ciência....


Segundo o dicionário Aurélio:
A ciência pode ser definida como o conjunto de
conhecimentos sistematicamente organizados, com um
objeto de estudo determinado.

3
Química: uma ciência em três níveis
Nível macroscópico – Mudanças que
podemos observar diretamente. Objetos
grandes e visíveis a olho nu.

Nível microscópico – O que não se pode


ver a olho nu. Na química: rearranjo de
átomos.

Nível simbólico – descrição dos


fenômenos químicos por meio de 𝐶𝐻4(𝑔) + 2𝑂2(𝑔) → 𝐶𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) ∆𝐻 = −890 𝑘𝐽
símbolos químicos e equações
matemáticas
Entendendo o que é MATÉRIA...

Conforme o conceito clássico - matéria é tudo aquilo que tem


massa e ocupa lugar no espaço.

Massa é medida da quantidade de matéria presente em um


corpo.

Massa vs Peso

Ocupa lugar no espaço


Tudo aquilo que tem volume

5
Definições importantes
Átomo - Unidade básica de matéria que consiste num núcleo de carga positiva e
uma “nuvem” de elétrons de carga negativa.
A menor partícula possível que caracteriza um dado elemento.

Elemento Químico - Denominação dos átomos que possuem o mesmo número de


prótons em seu núcleo , ou seja o mesmo número atômico (Z)

Substância – É a forma pura da matéria que tem uma composição definida


(constante) e propriedades características, formada
por átomos de elementos específicos em proporções específicas.
Simples – Au, O2, H2, Kr
Composta – H2O, NH3, C6H12O6, NaCl

Mistura - Combinação de duas ou mais substâncias. Pode ser classificada como


homogênea ou heterogênea.
Átomos x Moléculas

.Fórmulas moleculares: representação de compostos ou agregados de átomos na qual se


utilizam símbolos e subindices para indicar o numero de cada tipo de átomo em cada
molécula.
Ex.: H2O (água), C6H12O6 (glicose)

.Fórmulas empíricas: Utiliza o número relativo de átomos de diferentes elementos em


um composto, sendo que tais números são expressos como uma razão mais simples
possível. Ex.: H2O (água), CH2O (glicose).

.Fórmula estrutural: Além do número de átomos, também mostra como os átomos estão
ligados entre si (Água) (Glicose)
Propriedades da Matéria...

Propriedades Físicas: pode ser medida e observada sem que haja alteração
na composição de uma substância
- massa
- temperatura

Propriedades Químicas: para a observação é necessário realizar uma


transformação química.
- Acidez
- Poder oxidante

9
Unidades de Medida
Entendendo as TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA...
Transformações FÍSICAS....
São assim chamadas porque a matéria não sofreu alteração na
sua natureza íntima
Água nos seus diferentes estados físicos

sólido líquido gasoso


As transformações físicas mais comuns são chamadas de mudança de estado físico

Mudança dos estados físicos e o nome das transformações 12


Estados físicos da matéria
Entendendo as TRANSFORMAÇÕES DA MATERIA...

Transformações ou reações QUÍMICAS....


São assim denominadas porque as propriedades específicas da
matéria foram alteradas

Exemplo de uma transformação química comum: queima de uma vela

14
Entendendo o que é ENERGIA...
Energia é qualquer quantidade
capaz de realizar trabalho...
ou de forma mais ampla...
Energia é qualquer quantidade capaz
de fazer um sistema mudar de um
estado inicial para um estado final.

E = mgh Energia Potencial

E = ½ mv2 Energia Cinética

15
Estrutura Atômica
✓ Por que os átomos combinam-se para formar substâncias ou
compostos ?

✓ Por que eles se combinam apenas em razões numéricas


simples ?

✓ Por que elementos diferentes possuem propriedades


diferentes ?

✓ Por que algumas substâncias elementares são gasosas e


outras líquidas ou sólidas ?

✓ Por que alguns grupos de elementos químicos tem


propriedades semelhantes ?
16
Teoria Atômica da Matéria
John Dalton

➢ Os átomos são os constituintes elementares da matéria.


Átomo de Hidrogênio Átomo de oxigênio Molécula de água

➢ Cada elemento é composto de partículas extremamente


pequenas chamadas átomos.

➢ Todos os átomos de um determinado elemento são identicos


uns aos outros em massa e em outras propriedades, mas são
diferentes dos átomos de outros elementos.

17
John Dalton
➢ Os átomos de um elemento químico não são transformados
em átomos de elementos diferentes por reações químicas;
similarmente os átomos não são criados ou destruídos em
reações químicas.

➢ Os compostos são formados quando átomos de mais de um


elemento se combinam; um dado composto sempre possui o
mesmo número relativo e tipo de átomo.
Átomo de Hidrogênio Átomo de oxigênio Molécula de água
18
Descoberta da Estrutura Atômica
Elétrons

• Feixes de partículas negativamente carregadas emanavam de tubos


catódicos
• A quantidade de desvio dos raios catódicos depende dos campos
magnético e elétrico aplicados.
• Por sua vez, a quantidade do desvio também depende da proporção
carga-massa do elétron.
• Em 1897, Thomson determinou que a proporção carga-massa de um
elétron é 1,76 x 108 C/g. 19
O modelo atômico de Thomson

Elétrons
(cargas negativas) • Pela separação da radiação,
conclui-se que o átomo é uma
entidade neutra consistente de
espécies carregadas negativa e
positivamente.

• Thomson supôs que todas


essas espécies carregadas
eram encontradas em uma
esfera.
Carga positiva espalhada
sobre uma esfera

20
Descoberta da Estrutura Atômica
O Núcleo

21
Descoberta da Estrutura Atômica
O modelo atômico de Rutherford
Rutherford modificou o modelo de
Thomson:
✓ O átomo consiste de entidades neutras,
positivas e negativas (prótons, elétrons e
nêutrons).
✓ Os prótons e nêutrons estão localizados no
núcleo do átomo, que é pequeno. A maior parte
da massa do átomo se deve ao núcleo.

✓ Pode haver um número variável de nêutrons


para o mesmo número de prótons. Os isótopos
têm o mesmo número de prótons, mas
números diferentes de nêutrons.
✓ Os elétrons estão localizados fora do núcleo.
Grande parte do volume do átomo se deve a
região onde se localizam os elétrons. 22
Radiação Eletromagnética

• Toda a radiação
eletromagnetica viaja a
mesma velocidade: a
velocidade da luz (c),
3.00  108 m/s.
• Portanto,
c = 

23
Modelo Atômico de Bohr
Espectros de Linhas

1. Os elétrons em um átomo poderiam ocupar apenas certas órbitas


(correspondentes a certas energias).
2. Os elétrons em órbitas permitidas possuem energias “permitidas”
específicas.
3. A energia é absorvida ou emitida de forma a mover um elétron de um
estado de energia “permitido” para outro; a energia é definida por E = h

No entanto o tratamento dos elétrons como partículas pequenas não


oferecia a estes um descrição adequada 24
Modelo Atômico de Bohr
Modelo Atômico de Bohr

26
Mecânica Quântica
• “Problemas” da mecânica • Princípios da mecânica
clássica: quântica:
• Radiação do corpo negro • Energia quantizada
• Catástrofe do ultra-violeta • Dualidade partícula onda
• Efeito fotoelétrico • Princípio da incertaza
• Órbitas eletronicas

• Erwin Schrödinger desenvolveu um tratamento matemático


(Equação de Schöredinger) no qual ambas as propriedades de
onda e partícula da matéria poderiam ser incorporadas.

• A função de onda é designada pela letra grega psi ().


• O quadrado da função de onda, 2, mostra a densidade de
probabilidade onde um elétron pode ser encontrado em um
dado instante de tempo.
27
Número Quântico Principal (n)
• O número quântico principal, n, descreve o nível de
energia no qual se localiza o orbital.

• Os valores de n são números inteiros ≥ 1.

• À medida que n aumenta, o orbital torna-se maior. No


modelo de Bohr, a distância do elétron ao núcleo
aumenta com o aumento de n.

28
Número Quântico Momento Angular ou azimutal (l)
• Este número quântico define a forma do orbital.
• Os valores de permitidos para l são inteiros que variam de 0 a
(n − 1).
• Nós usamos letras para designar os diferentes valores de l e,
portanto, os tipos de orbitais.

Valor de l 0 1 2 3
Tipo do orbital s p d f

29
Número Quântico Magnético (ml)
• O número quântico magnético descreve a
orientação tri-dimensional do orbital.

• Os valores permitidos para ml são números


inteiros que variam de –l a l:
−l ≤ ml ≤ l.

• O valor de ml, depende, portanto, do valor de l

30
• Os orbitais com o mesmo valor de n formam uma camada (ou
nível).
• Diferentes tipos de orbitais em uma camada são chamados de
subcamadas (ou subníveis)

31
Orbitais s

• O valor de l para o orbital


s é 0.
• Os orbitais s tem forma
esférica.
• O raio da esfera aumenta
com o valor de n.

32
Orbitais p
• O valor de l para o orbital p é 1.
• Os orbitais p possuem dois lobos .

33
Orbitais d
• O valor de l para o
orbital d é 2.
• Quatro dos cinco
orbitais d tem quatro
lobos; o quinto
orbital se assemelha
a um orbital p com
um lobo anelar ao
redor do centro.

34
Energia dos Orbitais

• Com o aumento do número


de elétrons, ocorre um
aumento da repulsão entre
eles.
• Dessa forma ocorre uma
diferença de energia entre os
orbitais.

35
Número Quântico Spin, ms
• Nos anos de 1920s, descobriu-se
que dois elétrons no mesmo
orbital não possuem exatemente
a mesma energia.
• O “spin” de um elétron descreve
seu campo magnético, o qual
sua afeta a energia.

• O experimento de Stern-Gerlack resultou em um


quarto número quântico, o número quântico spin,
ms.
• O número quântico spin possui apenas 2 valores
permitidos: +1/2 e −1/2. 36
A tabela a seguir mostra a relação entre os números quânticos e os orbitais.
Número de
n l Orbital ml ms
Combinações
1 0 1s 0 -1/2, +1/2 2
2 0 2s 0 -1/2, +1/2 2
2 1 2p -1, 0, +1 -1/2, +1/2 6
3 0 3s 0 -1/2, +1/2 2
3 1 3p -1, 0, +1 -1/2, +1/2 6
3 2 3d -2, -1, 0, +1, +2 -1/2, +1/2 10
4 0 4s 0 -1/2, +1/2 2
4 1 4p -1, 0, +1 -1/2, +1/2 6
4 2 4d -2, -1, 0, +1, +2 -1/2, +1/2 10
-3, -2, -1, 0, +1,
4 3 4f -1/2, +1/2 14
+2, +3
Configurações Eletrônica
As configurações eletrônicas nos dizem em quais orbitais os
elétrons de um elemento estão localizados.

✓Representa a ordem de energia dos orbitais: 1s


< 2s < 2p < 3s < 3p < 4s < 3d < 4p < 5s < 4d < 5p <
6s < 4f  5d < 6p < 7s < 5f  6d < 7p<8s

38
Quarto Período: K a Kr
Elemento (Z) Configuração Eletrônica Observação
K (19) [Ar]4s1
Ca (20) [Ar]4s2
Sc (21) [Ar]4s23d1
Ti (22) [Ar]4s23d2
V (23) [Ar]4s23d3
Cr (24) [Ar]4s13d5 exceção* (?)
Mn (25) [Ar]4s23d5
Fe (26) [Ar]4s23d6
Co (27) [Ar]4s23d7
Ni (28) [Ar]4s23d8
Cu (29) [Ar]4s13d10 exceção* (?)
Zn (30) [Ar]4s23d10 39
Princípio de Exclusão de Pauling
• Dois elétrons no mesmo átomo
não podem ter exatamente a
mesma energia.

• Portanto, dois elétrons no


mesmo átomo NÃO podem ter o
mesmo conjunto de números
quânticos.

• Quando o par de elétrons


estiver no mesmo orbital, estes
devem ter spins opostos.

40
Regra de Hund
“Para orbitais
degenerados, a menor
energia é obtida quando
o número de elétrons
com o mesmo spin é
máximo.”

41
Exemplos:

Carbono: Z = 6

1s2 2s2 2p2 mesmo spin


(desemparelhados)

Nitrogênio: Z = 7
mesmo spin
1s2 2s2 2p3
(desemparelhados)

Oxigênio: Z = 8 spin diferentes


1s2 2s2 2p4 (emparelhados)
mesmo spin
2px2 2py1 2pz1
(desemparelhados) 42
✓ Configurações eletrônicas: 4º período da Tabela Periódica

43
Exercícios
1. Escreva o conjunto completo de números quânticos para
os seguintes orbitais:

a) 4d3
b) 2s1

2. De a distribuição eletrônica para o átomo de nitrogênio (z


= 7), represente o digrama de orbitais para os elétrons da
camada de valência e de conjunto de números quânticos
para estes elétrons.

44

Você também pode gostar