Você está na página 1de 176

WBA0172_v1.

3
Gestão Democrática
e Interfaces com os Espaços Educativos
Gestão Democrática e Interfaces com os Espaços Educativos
Autora: Rosa Maria de Freitas Rogerio
Como citar este documento: ROGERIO, Rosa Maria de Freitas. Gestão Democrática e Interfaces com
os Espaços Educativos. Valinhos: 2016.

Sumário
Apresentação da Disciplina 03
Unidade 1: A Gestão democrática da escola 04
Unidade 2: Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea 26
Unidade 3: A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na 49
gestão democrática da escola
Unidade 4: As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar 70
Unidade 5: Organização da escola, gestão escolar e suas características 91
Unidade 6: O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos
112
interpessoais e a cultura organizacional da escola
Unidade 7: Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar 135
Unidade 8: A gestão dos processos comunicativos na escola 156
2/176
2/305
Apresentação da Disciplina

Nesta disciplina temos como principal objetivo compreender a gestão democrática na


comunicação e no relacionamento interpessoal nos espaços educativos. Partindo desse
objetivo, você vai estudar o conceito de gestão democrática no contexto da gestão escolar,
frente às demandas econômicas, políticas e culturais da sociedade contemporânea. Além
disso, você vai compreender melhor quem são as pessoas que podem e devem participar da
gestão da escola, entendendo-a como espaço de participação da comunidade, no contexto
do diálogo, da humanização e da ética na gestão democrática dessa instituição educativa.
Você vai ver, também, as concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
e a organização e gestão da escola, com destaque para os elementos da gestão participativa,
da gestão democrática, da autonomia da escola e da descentralização administrativa. Outro
tema dessa disciplina será o estudo do relacionamento interpessoal e das relações de poder
no cotidiano da escola e suas implicações para o trabalho pedagógico. Ao longo da disciplina,
você conhecerá, também, a estrutura organizacional interna da escola, com destaque para
o papel do conselho escolar, da equipe de direção, do setor técnico administrativo, do setor
pedagógico, dos docentes, dos estudantes, dos pais e da comunidade escolar e as implicações
dessa estrutura para as relações entre os sujeitos que a compõem. Ao final da disciplina, você
poderá compreender como ocorre o processo comunicativo no contexto da gestão escolar.

3/176
Unidade 1
A Gestão democrática da escola

Objetivos

» Compreender o que é gestão democrática da escola.


» Identificar quais elementos contribuem para a gestão
democrática da escola.
» Conhecer uma experiência de escola democrática para além da
gestão.

4/176
Introdução

educacionais e demais funcionários


Quando o assunto é “gestão democrática
técnico-administrativos, que constituem a
da escola” qual é a primeira coisa que vem
gestão escolar, têm como principal objetivo
à sua mente? Geralmente as pessoas re-
fornecer meios e criar condições para que
lacionam a gestão democrática da escola
a aprendizagem e o desenvolvimento de
à possibilidade de participação dos vários
crianças, adolescentes, jovens e adultos
sujeitos que vivenciam o cotidiano esco-
possam acontecer na perspectiva da
lar – estudantes, professores, familiares
emancipação humana. Nesse contexto,
dos estudantes e demais profissionais de
gestão escolar é o conjunto de atividades
educação – nas tomadas de decisões e no
desenvolvidas por diversos profissionais no
compartilhamento de ações sobre o dia a
interior da escola, que contribuem para que
dia da escola. E essas pessoas estão certas,
os/as estudantes se apropriem do saber
pois a ideia de democracia está diretamen-
sistematizado produzido pela humanidade,
te relacionada à ideia de participação.
para poderem viver melhor.
É preciso lembrar que as atividades Queremos destacar que a gestão escolar,
desenvolvidas na escola por diretores, ancorada na Lei de Diretrizes e Bases da
vice-diretores, assistentes de direção, Educação Nacional (LDB 9394/96), não
coordenadores pedagógicos, orientadores pode ser qualquer tipo de gestão, mas sim
5/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
uma gestão democrática, que tem como eles contribuem para a solução dos
pressuposto a participação de todos os problemas e das dificuldades. Quando o
sujeitos envolvidos no cotidiano da escola. coletivo identifica que o encaminhamento
proposto não surtiu o efeito desejado,
esse mesmo coletivo planeja outra ação,
Para saber mais até conseguir responder ao problema ou à
Para saber mais sobre a Lei de Diretrizes e Bases da dificuldade. Essa forma coletiva de gestão
Educação Nacional, acesse. Disponível em: <http:// encontra-se fundamentada no diálogo,
www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/LEIS/L9394. no reconhecimento e na valorização das
htm> diversidades sócio-histórico-culturais das
pessoas envolvidas no cotidiano escolar e
Nessa perspectiva, entendemos a nos seus respectivos interesses, no respeito
gestão democrática como uma forma às decisões construídas coletivamente e na
coletiva de cuidar da escola, na qual os corresponsabilização de todos pelo bom
sujeitos envolvidos no seu cotidiano desenvolvimento e pelas aprendizagens
reconhecem as situações pelas quais a dos/das estudantes.
escola passa, refletem sobre elas, planejam
encaminhamentos, acompanham o
desenvolvimento deles e avaliam se
6/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
c. A escola e todos que dela fazem
Para saber mais parte, devem estar abertos às
Para saber mais sobre gestão democrática, acesse. questões e às demandas da
Disponível em: <http://tvcultura.com.br/ sociedade.
videos/34429_d-3-ldb-gestao-democratica-e- d. Valorização da diversidade cultural.
autonomia-pedagogica.html> e. Envolvimento e a participação dos
estudantes, dos pais/familiares e
da comunidade como um todo no
A seguir, destaque para alguns princípios
cotidiano da escola, não somente nas
da gestão democrática da escola:
instâncias deliberativas.
a. Promoção de processos de f. Envolvimento das famílias nas
organização e gestão, alicerçados atividades da escola de maneira
no estímulo ao trabalho coletivo e qualificada para além das festas,
participativo dos profissionais da datas comemorativas e reuniões de
escola. pais.
b. Relações democráticas devem g. Participação de todos os segmentos
acontecer em todos os espaços da – profissionais, estudantes, famílias –
escola.
7/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
na (re)elaboração, na execução e no tranquilamente para todos; na realização
acompanhamento do Projeto Político das aulas, onde o professor planeja a
Pedagógico. atividade de ensino e organiza sua aula
É nesse momento que enfatiza,ps a de modo democrático e respeitoso,
importância do Projeto Político Pedagógico considerando a participação dos alunos,
(PPP) como elemento que dá materialidade etc.
à gestão democrática da escola, porque ele Você verá, também, que a participação
é a objetivação das deliberações coletivas das pessoas no cotidiano escolar demanda
sobre o processo educativo. Você poderá o trabalho coletivo, colaborativo,
compreender melhor o que é o PPP daqui a compartilhado e corresponsável e
pouco. conhecerá a experiência de uma escola
Não é somente nos colegiados escolares pública democrática da Rede Municipal de
que a gestão democrática está presente, Ensino de São Paulo.
mas também em outros âmbitos de
relações na escola, por exemplo, na
entrada e na saída dos estudantes, quando
é necessário uma organização e um
cuidado especial para que tudo transcorra
8/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
1. O Projeto Político considerados pelos demais profissionais da
Pedagógico: Elemento da escola, pelos estudantes e pelas famílias
Gestão Democrática dos estudantes.

Você deve estar se perguntando:


mas afinal o que é o Projeto Político
Para saber mais
O Projeto Político-Pedagógico assume
Pedagógico (PPP) da escola? O PPP é
nomenclaturas diversas no território nacional.
a identidade pedagógica da escola, que
Ele também é conhecido como Projeto
costura e articula as ações isoladas dos
Educativo, Projeto Pedagógico, Projeto
professores das diversas áreas do saber Pedagógico-Curricular, Projeto Curricular, Plano
e que contém os princípios que orientam de Escola, Projeto Escolar, entre outros nomes.
todas as ações da escola. Ou seja, o PPP
apresenta os pressupostos teórico-
Por que o Projeto Político Pedagógico
filosóficos educacionais, as condições de
(PPP) está sendo compreendido como um
trabalho e os objetivos pedagógicos da
elemento da gestão democrática? Porque
escola, que precisam ser considerados
ele é um projeto que deve ser construído
pelos professores no momento de planejar
coletivamente, com a participação de
suas aulas, mas que também precisam ser
todos os sujeitos envolvidos no cotidiano
9/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
escolar e que deve sustentar todas as atividades desenvolvidas e realizadas neste espaço
educativo. Concordo com Libâneo (2013, p. 133) quando diz que:

O projeto [...] é o meio pelo qual os agentes diretos da escola tornam-


se sujeitos históricos, isto é, capazes de intervir conscientemente e
coletivamente nos objetivos e nas práticas de sua escola, na produção
social do futuro da escola, da comunidade, da sociedade.

Desse modo, compreendemos o PPP como elemento da gestão democrática, pois ele pressupõe
a intervenção e a participação das pessoas nos objetivos e nas práticas escolares. Pinto (2011,
p. 139) também ajuda a compreender o PPP nessa perspectiva ao dizer que “[...] o PPP é o
instrumento pelo qual a escola garante o exercício de sua autonomia”, pois o exercício da
autonomia pressupõe a participação das pessoas.
O PPP pode ser entendido como uma bússola que orienta o norte a ser seguido e as ações
necessárias a serem tomadas para que os objetivos educativos sejam alcançados e para que a
aprendizagem seja garantida a todos os estudantes.
Destacamos que o Projeto Político Pedagógico não pode pertencer somente aos coordenadores
10/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
pedagógicos e orientadores educacionais e que professores, funcionários, equipe diretiva, pais
e estudantes precisam participar da (re)elaboração, da atualização e do acompanhamento do
PPP. Sobre isso, o MEC (BRASIL, 2004, p.24) esclarece que:

O Projeto político-pedagógico ocupa um papel central na construção


de processos de participação e, portanto, na implementação de uma
gestão democrática. Envolver os segmentos na elaboração e no
acompanhamento do projeto pedagógico constitui um grande desafio
para a construção da gestão democrática e participativa.

Por isso defendemos que o PPP é um elemento da gestão democrática.

2. Escola Democrática: Democracia para Além da Gestão

Você já ouviu falar em “escola democrática”? E em “escola democrática” na rede pública de


ensino de São Paulo? Pois é, existem experiências de escolas públicas que se organizam numa
perspectiva radicalmente democrática. Apresentaremos a você uma escola democrática
paulistana em que a democracia existe para além das questões da gestão escolar.
11/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola
que organiza seus tempos e espaços de
Para saber mais aprendizagem de forma interdisciplinar e
A edição 315, de fevereiro de 2013, Revista por projetos de trabalho.
Superinteressante, traz uma matéria sobre escolas
democráticas. Disponível em: <http://super.abril.
com.br/comportamento/as-escolas-do-
Para saber mais
A EMEF Amorim Lima inspirou-se na experiência
futuro>
da Escola da Ponte, de Portugal, para construir
Essa escola é a Escola Municipal de Ensino seu projeto democrático de escola.
Fundamental Desembargador Amorim
Lima, na região do bairro do Butantã, A proposta democrática do Amorim
em São Paulo. O Amorim Lima, como é Lima pressupõe a participação do
conhecida, é uma escola pública, que estudante desde o primeiro ano do
vem organizando-se numa perspectiva Ensino Fundamental para definir, planejar,
democrática há mais de uma década, executar e avaliar projetos de seu interesse.
quando os professores, os gestores, demais Além disso, há uma assembleia em que
profissionais, estudantes e pais uniram- todos participam para conversarem sobre
se para construir outro modelo de escola, os assuntos do dia-a-dia, inclusive os

12/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola


estudantes. O professor é um mediador que Os estudantes têm a liberdade de escolher
orienta os estudantes e fica a disposição as atividades que desejam fazer, e essas
para ajuda-los quando for necessário. atividades estão baseadas em projetos de
Os estudantes são protagonistas nos trabalho. Inspirada pela Escola da Ponte,
seus processos de aprendizagem e nos o Amorim Lima derrubou as paredes entre
processos relacionais no interior da escola, as salas de aula para que professores
inclusive tomando decisões para mediar e estudantes pudessem conviver e
conflitos entre outros estudantes. compartilhar experiências.

Link Para saber mais


Para saber mais sobre o Projeto Político
Link. Disponível em: <https://www.youtube. Pedagógico do Amorim Lima, acesse.
com/watch?v=Z5veeZ8qYfw>. Disponível em: <http://amorimlima.org.br/
Acesso em: 30 abr. 2016. institucional/projeto-politico-pedagogico/>

Mas o que o Amorim Lima tem de


diferente em relação às outras escolas?

13/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola


Link
Link. Disponível em: <http://educacaointegral.
org.br/experiencias-internacionais/escola-
da-ponte-radicaliza-ideia-de-autonomia-
dos-estudantes/>

Você pode perceber, a partir do exemplo do


Amorim Lima, que os princípios da gestão
democrática fundamentam as relações
democráticas nos diferentes espaços e nas
diferentes atividades da escola.

14/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola


Glossário
Corresponsabilização: compartilhamento da responsabilidade por algo.
Princípios: elementos que fundamentam as ações a serem realizadas pelas pessoas.
Projetos de trabalho: projetos de pesquisa e de estudo elaborados pelos estudantes, com
a mediação dos professores, para resolver alguma situação problema da vida real.

15/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola


?
Questão
para
reflexão

Como você viu, a gestão democrática da escola


pressupõe alguns princípios. Reflita sobre esses
princípios e apresente um exemplo de escola que você
conheça e que também se orienta pelos princípios
da gestão democrática. Caso você não conheça uma
escola assim, você pode analisar quais elementos estão
faltando na escola que você conhece para que a gestão
democrática seja uma realidade.

16/176
Considerações Finais

» Gestão democrática é uma forma de administração e organização da escola


que pressupõe a participação de todos os segmentos: docentes, discentes,
demais profissionais, pais/familiares.
» Os princípios da gestão democrática buscam garantir que as relações
democráticas estejam em todos os espaços e em todas as atividades da
escola.
» O Projeto Político Pedagógico é um elemento da gestão democrática,
construído com a participação de todos, devendo sustentar as atividades
desenvolvidas e realizadas na escola.
» A escola democrática pressupõe a igual participação de estudantes,
professores, demais profissionais e família dos estudantes. Todas as pessoas
que fazem parte do cotidiano escolar são responsáveis por tudo que
acontece na escola. Além disso, os estudantes têm a possibilidade de gerir
seu tempo na escola e de ser o protagonista de sua aprendizagem.
17/176
Referências

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Conselho Escolar, gestão


democrática da educação e escolha do diretor. Brasília: Ministério da Educação; Secretaria de
Educação Básica, 2004. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Consescol/
ce_cad5.pdf>. Acessado em 01/05/2016.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 6ª ed.


São Paulo: Heccus Editora, 2013.
PINTO, Umberto de Andrade. Pedagogia escolar: coordenação pedagógica e gestão escolar.
São Paulo: Cortez, 2011.

18/176 Unidade 1 • A Gestão democrática da escola


Questão 1
1 - Qual o principal objetivo da gestão escolar?

a) Garantir que os professores possam ter boas condições de trabalho.


b) Zelar pelo bom funcionamento da escola.
c) Fornecer meios e criar condições para que a aprendizagem e o desenvolvimento de
crianças, adolescentes, jovens e adultos possam acontecer.
d) Garantir que cada um faça apenas o seu trabalho, sem se preocupar com o trabalho dos
outros.
e) Criar condições para que os estudantes possam aprender melhor e alcançar bom resultado
nas avalições externas

19/176
Questão 2
2 - A gestão democrática da escola está fundamentada:

a) Na tomada de decisões coletivamente, mas que garante um destaque para a figura do


diretor de escola.
b) No diálogo e na valorização da cultura dominante que sempre conseguir garantir
educação de qualidade para seus estudantes até a década de 1970.
c) Na valorização das ações individuais de cada profissional, pois cada um precisa saber bem
o que fazer.
d) No respeito às decisões construídas coletivamente e na corresponsabilização de todos
pelo bom desenvolvimento e pelas aprendizagens dos/das estudantes.
e) No envolvimento dos adultos – professores, funcionários, familiares – nas decisões
coletivas da escola.

20/176
Questão 3
3. O que é o Projeto Político Pedagógico da escola?

a) É um projeto que indica quais são os objetivos da escola e que não precisa ser atualizado,
pois os objetivos continuam os mesmos.
b) É o registro das intenções educativas da escola com vistas a cumprir as diretrizes
curriculares do MEC.
c) É o plano de trabalho dos profissionais da escola, que é elaborado apenas pelos
profissionais.
d) É o projeto de trabalho da escola, que representa as intenções educativas dos professores
e dos gestores, pois eles são profissionais experientes.
e) É a bússola que orienta o norte a ser seguido e as ações necessárias a serem tomadas para
que os objetivos educativos sejam alcançados.

21/176
Questão 4
4. Por que o Projeto Político Pedagógico (PPP) está sendo compreendido
como um elemento da gestão democrática?
a) Porque ele precisa ser lido por todos, no início do ano letivo, para que as pessoas
conheçam as intenções educativas da escola.
b) Porque ele deve ser construído coletivamente, com a participação de todos os envolvidos
no cotidiano escolar e que deve sustentar as atividades desenvolvidas e realizadas neste
espaço educativo.
c) Porque ele deve ser construído coletivamente, para projetar quais são os objetivos a serem
alcançados apenas pelo conjunto dos professores.
d) Porque ele é um instrumento importante, que garante o exercício da democracia na
escola, já que os profissionais da educação participam de sua elaboração.
e) Porque ele é o registro das decisões coletivas tomadas no âmbito das reuniões
pedagógicas e que conta com a participação dos professores e dos gestores apenas.

22/176
Questão 5
5. Quais são as características de uma escola democrática?

a) Os estudantes são protagonistas nos seus processos de aprendizagem e nos processos


relacionais no interior da escola, inclusive tomando decisões para mediar conflitos entre
outros estudantes.
b) Os profissionais da escola democrática abrem mão de seu papel decisório e delegam
todas as decisões para os alunos.
c) Os familiares participam do cotidiano da escola e suas opiniões têm mais peso que as
opiniões dos estudantes e dos profissionais.
d) Os gestores escolares dessa escola radicalizam a experiência democrática ao permitir que
os estudantes tenham mais participação do que os profissionais.
e) Os estudantes participam das instâncias deliberativas da escola apenas quando
apresentam bom rendimento escolar.

23/176
Gabarito

1. Resposta: C. 3. Resposta: E.

A função social da escola é promover O PPP é a identidade pedagógica da escola,


o acesso dos estudantes ao saber que costura e articula as ações isoladas
sistematizado. Por isso, o principal objetivo dos professores das diversas áreas do saber
da gestão escolar é fornecer meios e e que contém os princípios que orientam
criar condições para que a aprendizagem todas as ações da escola.
e o desenvolvimento de crianças,
adolescentes, jovens e adultos possam 4. Resposta: B.
acontecer.
O PPP pressupõe a intervenção e a
2. Resposta: D. participação das pessoas nos objetivos
e nas práticas escolares, por isso ele
A gestão democrática da escola está deve ser construído coletivamente,
diretamente relacionada à participação e à com a participação de todos os sujeitos
corresponsabilização de todos os sujeitos envolvidos no cotidiano escolar.
que fazem parte do cotidiano da escola.

24/176
Gabarito

5. Resposta: A.

A escola democrática pressupõe a igual


participação de estudantes, professores,
demais profissionais e família dos
estudantes e incentiva o protagonismo das
crianças e dos adolescentes.

25/176
Unidade 2
Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea

Objetivos

» Conhecer a relação entre a gestão escolar e as


demandas da sociedade contemporânea.
» Compreender o currículo como síntese das relações da
escola com as demandas da sociedade.
» Entender as relações entre gestão escolar e currículo.

26/176
Introdução

Você já parou para pensar se as escolas


têm levado em consideração as demandas Para saber mais
da sociedade contemporânea? Antes Demandas da sociedade contemporânea
de tentar responder essa pergunta, é referem-se às exigências que a vida em
importante lembrar que a escola é a sociedade coloca para todos os indivíduos. Por
instituição que promove a humanização exemplo: exigência de estar conectado à rede
do sujeito por meio do acesso à cultura. mundial de computadores para ter acesso a
Isso quer dizer que as ações e as atividades informações.
que acontecem na escola são planejadas,
coordenadas e acompanhadas por Você deve estar se perguntando:
profissionais e por demais sujeitos quais são as demandas da sociedade
implicados nelas para que o estudante contemporânea? A seguir, elencamos
desenvolva suas máximas potencialidades, algumas delas:
construa e exercite sua autonomia,
a. Enfrentamento das desigualdades
aprimore sua criticidade, sua leitura de
sociais.
mundo, em ambientes bem organizados,
agradáveis, atrativos e desafiadores. b. Flexibilização das relações do mundo
do trabalho.

27/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


c. Formação dos sujeitos para a âmbito do currículo, pois quando as
emancipação humana e para o formas tradicionais de se apropriar do
mundo do trabalho. conhecimento, da cultura e de produzi-
d. Compreensão da complexidade da los entram em crise e são questionadas,
realidade. devido às demandas da sociedade
contemporânea, o currículo é diretamente
e. Valorização da diversidade cultural.
atingido e, consequentemente, a forma de
f. Respeito à identidade de gênero e à organizar e de administrar a escola.
diversidade sexual.
Entendemos currículo como prática social
g. Ampliação do acesso à informação
em constante movimento, síntese de
pela rede mundial de computadores
múltiplas determinações e de múltiplos
e pelos dispositivos eletrônicos, tais
interesses, que se objetiva num conjunto
como, smartphones.
de princípios que fundamentam ações
Quais relações você consegue estabelecer e práticas pedagógicas, que têm
entre a gestão escolar e as demandas como objetivo principal relacionar as
econômicas, políticas e culturais experiências e os saberes dos estudantes,
presentes em nossa sociedade? Podemos com os conhecimentos produzidos e
dizer que a principal relação está no sistematizados pela humanidade, de modo
28/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea
a promover o desenvolvimento integral e a emancipação humana de crianças, adolescentes,
jovens e adultos.
A partir do entendimento sobre o conceito de currículo, encontramos nas Diretrizes
Curriculares Nacionais da Educação Básica (BRASIL, p. 27) a relação entre o currículo e a gestão
escolar:

Quanto à concepção e à organização do espaço curricular e físico,


se imbricam e se alargam, por incluir no desenvolvimento curricular
ambientes físicos, didático-pedagógicos e equipamentos que não se
reduzem às salas de aula, incluindo outros espaços da escola e de
outras instituições escolares, bem como os socioculturais e esportivo-
recreativos do entorno, da cidade e mesmo da região. Essa ampliação e
diversificação dos tempos e espaços curriculares pressupõe profissionais
da educação dispostos a reinventar e construir essa escola, numa
responsabilidade compartilhada [...].

29/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


contemporânea, consubstanciadas no
currículo, você verá a seguir duas reflexões,
uma sobre o currículo como síntese das
Link relações da escola com as demandas da
<http://portal.mec.gov.br/secretaria-de- sociedade e outra sobre as relações entre a
educacao-basica/apresentacao> gestão escolar e o currículo.

1. Currículo Como Síntese


das Relações da Escola com
as Demandas da Sociedade
O texto do MEC mostra que a relação entre Contemporânea
gestão escolar e currículo configura-se na
necessidade do trabalho compartilhado Para entender o currículo como síntese
dos profissionais da educação para das relações da escola com as demandas
ampliar e diversificar os tempos e espaços da sociedade é precisamos ter em mente
curriculares. a relação escola-sociedade como ponto
de partida e de chegada, pois o currículo
Para entender melhor essa relação entre a
refere-se aos objetivos explícitos que a
gestão escolar e as demandas da sociedade
escola pretende alcançar.
30/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea
Para saber mais
Para você compreender melhor as relações entre currículo e sociedade você pode ler a entrevista
do professor Antônio Flávio Barbosa ao Programa Salto para o Futuro. Disponível em: <http://
portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012193.pdf>

Lembrando que a função social da escola é a promoção do acesso de estudantes ao


conhecimento sistematizado, para que aprendam e se desenvolvam na perspectiva da
emancipação humana, a escola existe em função de uma demanda da própria sociedade: a
exigência de educar os seres humanos para a vida em um mundo cada vez mais complexo,
plural, tecnológico, com injustiças sociais, com diversidades culturais, etc.
A reflexão sobre as demandas que a sociedade contemporânea imputa à escola e ao currículo
também podem ser compreendidas a partir da seguinte explicação de Sacristán (2013, p. 266).

31/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


[...] a sociedade do conhecimento ou da informação propõe novos
sentidos ao conhecimento ‘ensinável’, regulamentações muito distintas
desses conteúdos, formas de colocar os aprendizes em contato com os
conteúdos, novas fórmulas de controle, assim como uma ruptura das
coordenadas espaço temporais tradicionais com as quais se regulava um
artefato cultural construído, como é o currículo.

Link
<http://eaulas.usp.br/portal/video.action?idItem=6362>

As formas de colocar os aprendizes em contato com os conteúdos e a ruptura das coordenadas


espaço temporais tradicionais se relacionam diretamente às atribuições da gestão escolar,
uma vez que os profissionais de educação da escola são os responsáveis por planejar, organizar,
realizar e acompanhar as atividades e as práticas pedagógicas que serão oferecidas aos
estudantes.
32/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea
Você sabe que existe um documento
produzido pelo Ministério da Educação
que norteia as questões relativas aos Link
currículos das escolas brasileiras? <http://portal.mec.gov.br/
Esse documento chama-se “Diretrizes index.php?option=com_
Curriculares Nacionais para a Educação docman&view=download&alias=15548-
Básica” e propõe, como o próprio nome d-c-n-educacao-basica-nova-
indica, diretrizes que “estabelecem a pdf&Itemid=30192>
base nacional comum, responsável por
orientar a organização, a articulação,
o desenvolvimento e a avaliação das Você pode observar que quando o
propostas pedagógicas de todas as redes documento diz “organização, articulação
de ensino brasileiras” (BRASIL, 2013. p.4). e avaliação das propostas pedagógicas”
ele está se referido ao âmbito da gestão
escolar. Por isso é muito estreita a relação
entre currículo e gestão escolar. Podemos
dizer que a gestão escolar, por meio do
Projeto Político Pedagógico, é quem ‘coloca
o currículo em ação’ no cotidiano da escola.
33/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea
2. As Relações entre Gestão Escolar e Currículo

O modo como a escola se organiza é fundamental para o desenvolvimento e a objetivação do


currículo escolar. Em outras palavras, a gestão escolar como organização de processos pela
mobilização de pessoas para busca de fins educativos é responsável por pensar os ambientes,
as relações e as experiências que podem ajudar cada um dos estudantes a aprender e se
desenvolver, na perspectiva da emancipação humana.

34/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


É preciso lembrar que a gestão escolar também se ocupa da gestão e da organização do
currículo:

Na organização e gestão do currículo, as abordagens disciplinar,


pluridisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar requerem a atenção
criteriosa da instituição escolar, porque revelam a visão de mundo que
orienta as práticas pedagógicas dos educadores e organizam o trabalho
do estudante. Perpassam todos os aspectos da organização escolar,
desde o planejamento do trabalho pedagógico, a gestão administrativo-
acadêmica, até a organização do tempo e do espaço físico e a seleção,
disposição e utilização dos equipamentos e mobiliário da instituição, ou
seja, todo o conjunto das atividades que se realizam no espaço escolar,
em seus diferentes âmbitos (BRASIL, 2013, pp.27- 28).

Link
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=5WCLa9RpgVY>

35/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


O conjunto de atividades que se realiza biblioteca, dos laboratórios (se
no espaço escolar orienta-se a partir houver) e de outros espaços
de um currículo, expresso no Projeto educativos, por exemplo, quadra,
Político Pedagógico, e a gestão da escola, pátio, jardins, sala de vídeo, há uma
através das funções de cada profissional relação direta entre gestão escolar
de educação, é responsável por planejar, e currículo, pois para que este se
organizar, realizar e acompanhar essas objetive é preciso a ação da gestão.
atividades. Por isso que destaco a relação 2. Algumas escolas no Brasil
entre gestão escolar e currículo. Vou dar reinventaram-se e reorganizaram-
alguns exemplos dessa relação: se por meio do trabalho coletivo dos
1. Quando a comunidade escolar se diversos sujeitos (profissionais de
reúne, via Conselho de Escola, para educação, estudantes e comunidade)
deliberar sobre o uso de recursos liderados pela gestão escolar,
financeiros para a compra de para se constituírem como Escolas
materiais que contribuirão para a Democráticas, que organizam
promoção do trabalho pedagógico seus currículos e seus tempos e
da escola – realização das aulas, espaços de aprendizagem de modo
organização e manutenção da interdisciplinar, relacional, dialógico e
36/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea
emancipatório.
3. A distribuição das aulas em um
cronograma semanal, a organização
do horário de entrada e saída dos
estudantes, dos horários de merenda
escolar e de recreio e a elaboração de
regras de convivência são algumas
ações que a gestão escolar, com a
participação de toda comunidade
escolar, precisa planejar, desenvolver
e acompanhar, pois elas também
fazem parte do currículo.
Você acabou de ver que as relações entre
gestão escolar e currículo estão presentes
em todas as ações do cotidiano escolar
porque essa gestão é quem assegura a
promoção do currículo.

37/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


Glossário
Demanda da sociedade: manifestação de uma exigência e/ou solicitação que a sociedade
coloca para a vida das pessoas.
Humanização do sujeito: processo sócio-histórico-cultural de tornar-se ser humano.
Flexibilização das relações do mundo do trabalho: mudanças nas relações de trabalho
que fragilizam a situação do trabalhador e precarizam as condições de trabalho.

38/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


?
Questão
para
reflexão

Assista ao vídeo “D-28-Gestão Curricular – Entrevista


de Abertura”. Disponível em: <https://www.youtube.
com/watch?v=2HC2-WHVYP4>.

Produza uma resenha sobre ele. Lembre-se de que uma


resenha é um texto que apresenta uma síntese do que
foi assistido, acrescido da sua reflexão sobre esse tema.

39/176
Considerações Finais

» Demandas da sociedade contemporânea se referem-se às exigências que a vida


em sociedade coloca para todos os indivíduos, tais como, o enfrentamento das
desigualdades sociais e a flexibilização das relações do mundo do trabalho.
» A relação entre a gestão escolar e as demandas da sociedade contemporânea se
dá no âmbito do currículo.
» O modo como a escola se organiza é fundamental para o desenvolvimento e a
objetivação do currículo escolar.
» As relações entre gestão escolar e currículo estão presentes em todas as ações do
cotidiano escolar porque essa gestão é quem assegura a promoção do currículo.

40/176
Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica.


Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.
SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo na sociedade da informação e do conhecimento. In:
SACRISTÁN, José Gimeno (org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso,
2013, pp. 261-272.

41/176 Unidade 2 • Gestão escolar frente às demandas da sociedade contemporânea


Questão 1
1 - A escola é a instituição que promove a humanização do sujeito por
meio do acesso à cultura. Isso quer dizer que:

a) Se não for a escola, não há outra instituição que contribua para a formação do sujeito
como ser humano, nos princípios democráticos.
b) A escola surge no Brasil para que a população mais carente tenha acesso ao saber
sistematizado e tenha direito à mesma educação oferecida para a elite do país.
c) Os gestores escolares são os únicos responsáveis pelo processo de humanização do
sujeito, já que dirigem as escolas e os currículos.
d) As ações e as atividades que acontecem na escola são planejadas, coordenadas e
acompanhadas por profissionais e por demais sujeitos implicados nelas para que o
estudante desenvolva suas máximas potencialidades.
e) Os professores precisam incluir em seu planejamento temas ligados à humanização do
sujeito.

42/176
Questão 2
2 – Identifique a seguir quais são as demandas da sociedade
contemporânea:
a) Formação dos sujeitos para a emancipação humana e para o mundo do trabalho e
preservação da elite cultural.
b) Formação dos sujeitos para a emancipação humana e para o mundo do trabalho e
manutenção das desigualdades sociais.
c) Formação dos sujeitos para a emancipação humana e para o mundo do trabalho e
flexibilização das relações do mundo do trabalho.
d) Formação dos sujeitos para a emancipação humana e para o mundo do trabalho e
simplificação da complexidade da realidade.
e) Formação dos sujeitos para a emancipação humana e para o mundo do trabalho e
redução do acesso à informação pela rede mundial de computadores.

43/176
Questão 3
3 - Quais relações você consegue estabelecer entre a gestão escolar e as
demandas econômicas, políticas e culturais presentes em nossa sociedade?

a) A principal relação está no âmbito do currículo, pois o currículo é diretamente atingido


e influenciado pelas demandas da sociedade contemporânea e essa influência gera
consequências para a forma de se organizar e de se administrar a escola.
b) As relações entre gestão escolar e demandas da sociedade se dão no âmbito das relações
interpessoais no interior da escola, pois os sujeitos têm visões de mundo diferentes.
c) As relações se dão no âmbito do currículo, pois este precisa responder às demandas e
preparar os estudantes para a competitividade do mundo do trabalho.
d) Essas relações acontecem por meio da formação dos gestores escolares, pois eles são
responsáveis por entender a complexidade da sociedade e transpor isso para o currículo.
e) É possível estabelecer relações apenas entre o conteúdo das disciplinas e os temas da
sociedade contemporânea.

44/176
Questão 4
4 – As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica são
diretrizes que:

a) Instituem a base do currículo para que todas as escolas se organizem da mesma forma.
b) Estabelecem a base nacional comum do currículo de todas as redes de ensino brasileiras.
c) Determinam o currículo a ser seguido por todas as redes de ensino brasileiras.
d) Introduzem princípios do currículo tradicional a ser seguido por todas as redes de ensino
brasileiras.
e) Prescrevem os conteúdos de ensino, objetivados no currículo, para que todas as redes de
ensino garantam sua aplicabilidade.

45/176
Questão 5
5 - Explique a relação entre gestão escolar e currículo:
a) A relação entre gestão escolar e currículo refere-se ao papel dos professores, orientados
pelos gestores, no momento do planejamento das aulas.
b) Gestão escolar e currículo estão ligados ao princípio do Projeto Político Pedagógico, que
diz que os gestores é quem decidem sobre o currículo.
c) A relação entre gestão escolar e currículo está presente apenas nas atividades
pedagógicas das salas de aulas, porque essas atividades asseguram a promoção do
currículo.
d) A relação entre gestão escolar e currículo diz respeito ao que os gestores realizam no
cotidiano escolar.
e) A relação entre gestão escolar e currículo está presente em todas as ações do cotidiano
escolar porque essa gestão é quem assegura a promoção do currículo.

46/176
Gabarito
1. Resposta: D. legam à escola a necessidade de considera-
las no momento de sua organização e do
A humanização do sujeito por meio do estabelecimento de princípios e objetivos
acesso à cultura é o que lhe possibilita da educação, dessa forma é através do
o desenvolvimento de suas máximas currículo que as demandas da sociedade
potencialidades. aparecem no Projeto Político Pedagógico
da escola.
2. Resposta: C.
4. Resposta: B.
A sociedade impõe aos sujeitos a exigência
de sua formação na perspectiva da Essas diretrizes estabelecem a base
emancipação humana e no preparo para nacional comum para o currículo. Isso quer
o mundo do trabalho, pois as relações do dizer que há a necessidade de se considerar
mundo do trabalho têm se modificado a esse documento no momento de se
cada dia. elaborar os currículos de toda e qualquer
rede de ensino brasileira.
3. Resposta: A.

As demandas da sociedade contemporânea


47/176
5. Resposta: E.

Considerando que currículo é um conjunto


de ações e atividades pedagógicas,
fundamentadas em princípios, que
tem como objetivo a aprendizagem e o
desenvolvimento dos estudantes, a relação
entre gestão escolar e currículo se refere-
se a todas as ações do cotidiano escolar,
porque essa gestão é quem assegura a
promoção do currículo.

48/176
Unidade 3
A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
democrática da escola

Objetivos

» Compreender a escola como espaço de participação da


comunidade escolar.
» Entender a relação entre humanização e gestão democrática da
escola.
» Reconhecer a ética como princípio da gestão democrática da
escola.

49/176
Introdução

A comunidade escolar precisa buscar


e fortalecer seu espaço de participação Para saber mais
no cotidiano da escola. Pergunto a Disponível em: <http://www.revistas.uneb.br/
você: quem são as pessoas que fazem index.php/faeeba/article/view/527>
parte da comunidade escolar? Em
geral, as pessoas que fazem parte dessa
As escolas que você conhece têm ou
comunidade estão envolvidas nas ações
tinham abertura para o diálogo com
e nas atividades do cotidiano da escola,
a comunidade escolar? De que forma
por exemplo: professores, estudantes,
acontece ou acontecia esse diálogo?
profissionais da limpeza, da cozinha, da
Perguntamos, pois entendemos que o
manutenção predial; profissionais técnico-
diálogo implica consideração da voz e da
administrativos (secretaria, inspetoria de
ideia do outro e porque acredito que o
alunos), gestores (diretor, coordenador
diálogo é o primeiro elemento que permite
pedagógico, orientador educacional,
a participação dos sujeitos da comunidade
supervisor escolar/de ensino), pais ou
escolar no espaço da escola. Concordo com
responsáveis pelos estudantes.
Paulo Freire (2001a, p. 52) quando defende
que “ensinar exige disponibilidade para o
diálogo” e acrescento que a participação
Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
50/176
democrática da escola
da comunidade escolar exige da escola, zeladoria da escola. Entendi que essa má
e em especial dos gestores escolares, recepção estava relacionada a fatores
disponibilidade para o diálogo. como: despreparo dos profissionais da
Você já parou para pensar como tem secretaria para atendimento respeitoso ao
acontecido a participação da comunidade público; ausência de participação desses
escolar no cotidiano da escola? Em nossas profissionais nas reuniões de conselho
experiências escolares, tanto no âmbito de escola e nas reuniões pedagógicas,
da pesquisa acadêmica, quanto no âmbito dificultando o acesso desses profissionais
da atuação profissional, percebemos que, a informações importantes do cotidiano da
muitas vezes, os pais ou responsáveis vão escola e falta de formação continuada em
à escola apenas quando são convidados serviço para que eles possam desenvolver-
para festas e para as reuniões de pais se profissionalmente.
e mestres ou nos momentos que são
convocados para resolverem alguma
situação-problema de seus filhos. Muitas Link
vezes, presenciei os pais e/ou familiares Disponível em: <http://eaulas.usp.br/portal/
dos estudantes sendo mal recebidos video.action?idItem=506>
pelos funcionários da secretaria ou da
Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
51/176
democrática da escola
A situação descrita anteriormente nos ainda não há gestão democrática? O
leva a pensar que a não participação dos movimento para o estabelecimento
funcionários da secretaria no conselho de de uma gestão democrática da escola
escola tem dificultado a participação dos e o movimento para a promoção da
pais dos estudantes nesse órgão colegiado. participação da comunidade escolar
Por isso que a participação de todos os precisam acontecer ao mesmo tempo,
sujeitos pertencentes à comunidade pois só se consolida a gestão democrática
escolar precisa ser valorizada, defendida e quando há participação das pessoas.
estimulada no interior da escola. Acredito A comunidade escolar não precisa
que a chave para a valorização, a defesa esperar que primeiro a gestão torne-se
e o estímulo a essa participação esteja democrática para poder, a partir daí, haver
relacionada diretamente com a gestão a participação, a própria comunidade deve
democrática da escola, pois não há como construir essa democracia ocupando seu
promover a participação das pessoas num espaço de participação.
ambiente não democrático. Você vai ver a seguir a reflexão sobre a
Algumas pessoas questionam-se: como escola como espaço de participação da
é possível estimular a participação das comunidade a partir de dois âmbitos: da
pessoas no cotidiano da escola quando humanização e da ética.
Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
52/176
democrática da escola
1. A Relação entre Humanização ele vai aprendendo a ‘ser gente’, ele vai se
e Gestão Democrática da Escola tornando ‘humano’.
O processo de humanização não apresenta
A primeira questão que deve estar um final, pois as transformações pelas
rondando em seus pensamentos agora quais a sociedade passa exige também a
é: o que é humanização? Entendemos transformação do ser humano para que
humanização como o processo em que ele possa lidar com as mudanças sociais,
o homem, ser biológico, transforma-se políticas, econômicas e culturais. Leontiev
em ser humano, ser social. Um exemplo: (1978) ajuda a entender esse processo de
o bebê, quando nasce, vai aprendendo a humanização quando explica que o homem
ser um ser humano na relação com outros como ‘ser social’ humaniza-se a partir de
seres humanos, pois o que a natureza, suas relações com a vida em sociedade.
em termos biológicos, lhe deu, não lhe
garante a continuidade da vida e não lhe é Entendo que o processo contínuo de
suficiente para viver em sociedade. Quando humanização relaciona-se com o espaço
o bebê recebe o alimento, é cuidado em de participação da comunidade escolar
suas necessidades de higiene, recebe afeto na escola porque esse espaço demanda
e srelaciona-se com as outras pessoas, disponibilidade ao diálogo, ao respeito
aos diferentes pontos de vista e visões
Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
53/176
democrática da escola
de mundo e à consideração da opinião do outro. Acredito que é a partir da participação que
as pessoas vão continuamente aprendendo a ser gente na relação com outras pessoas, e com
isso, vão criando um mundo mais humano, mais justo, mais democrático e melhor de ser vivido.
Concordo com Ferreira (2004, p. 1243) quando diz que:

Fraternidade, solidariedade, justiça social, respeito, bondade e


emancipação humana, mais do que nunca, precisam ser assimilados e
incorporados como consciência e compromisso da gestão democrática
da educação – princípios que necessitam nortear as decisões a serem
tomadas no sentido da humanização e da formação de todas as pessoas
que vivem neste planeta.

Link
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v25n89/22619.pdf>

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


54/176
democrática da escola
A escola não é apenas espaço para a escolaridade das pessoas, mas principalmente para
a formação humana de sujeitos, por isso que a possibilidade de participação gera o
desenvolvimento humano. Explicamos esse raciocínio com dois exemplos:
a. Quando a merendeira, o vigilante e a faxineira da escola participam da reunião de
conselho de escola sobre a destinação da utilização dos recursos financeiros para
melhorar as condições de aprendizagem das crianças e dos adolescentes e podem tirar
dúvidas e pedir explicações sobre qual a melhor maneira de utilizar esse recurso, eles
também aprendem a corresponsabilizar-se pelo uso desse dinheiro, podendo emitir suas
opiniões sobre isso.
b. Uma mãe, ao ser questionada sobre a importância de se participar do conselho de escola,
responde que ele é importante e é:

[...] bom porque em parte a comunidade pode saber como a escola é por
dentro. O que é feito com nossos filhos, a utilização do dinheiro. Antes,
a comunidade ficava do portão para fora. Só entrávamos na escola para
saber das notas e reclamações dos filhos. [...] (FREIRE, 2001, p. 76)

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


55/176
democrática da escola
• o exercício da cidadania (com direitos
Para saber mais e deveres);
Para saber mais acesse o vídeo. • o envolvimento em todas as decisões
Disponível em: <https://www.youtube.com/ fundamentais da escola.
watch?v=SCXaE0eX3cU>
2. Ética: Princípio da Gestão De-
Os dois exemplos mostram quem o mocrática
exercício da participação promove
aprendizados democráticos, que O que vem à sua mente quando você pensa
contribuem para a emancipação da pessoa, sobre ética? Quando penso sobre ética,
tais como: as primeiras ideias que me veem à cabeça
são: escolha, opção, decisão, conduta,
• a criação de um ambiente respeitoso; liberdade. A ética diz respeito à condição
• a promoção da humanização (o que o sujeito tem de fazer escolhas, de
desenvolvimento humano) de todas optar, de decidir, de conduzir e isso se
as pessoas que frequentam a escola; relaciona diretamente com a liberdade,
• a melhoria dos relacionamentos, pois somente no plano da liberdade é
enfrentando preconceitos; possível fazer escolhas. Entendo que ao
Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão
56/176
democrática da escola
fazer escolhas, o sujeito ético, se compromete com aquilo que escolheu, responsabiliza-se por
suas escolhas. Nessa perspectiva relaciono a ética ao âmbito da participação. A eticidade se dá
na possibilidade da participação porque a ética “lida com aquilo que pode ser diferente do que
é” (GIANNETTI DA FONSECA, 1993, p. 19). Aquilo que pode ser diferente do que é no cotidiano
da escola depende da escolha e da participação das pessoas da comunidade escolar.

Link
Disponível em: <http://eaulas.usp.br/portal/video.action;jsessionid=2FE-
2FB4219155AD64DEB4BFE78E9FB55?idItem=547>

Paulo Freire (2001b, p. 36) lembra bem que “mulheres e homens, seres histórico-sociais, nos
tornamos capazes de comparar, de valorar, de intervir, de escolher, de decidir, de romper, por
tudo isso, nos fizemos seres éticos”.

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


57/176
democrática da escola
responsável” (MORIN, 1998, p. 71).
Para saber mais Relaciono essa reflexão de Edgar Morin
com o seguinte pensamento de Paulo
A ética não se impõe, mas se revela através das
Freire (2001b, p, 37): “[...] se mudar é uma
escolhas que as pessoas fazem em diversos
possibilidade e um direito, cabe a quem
âmbitos da vida.
muda – exige o pensar certo – que assuma
a mudança operada. Do ponto de vista do
No terreno educacional, a ética relaciona- pensar certo não é possível mudar e fazer
se com a participação da comunidade de conta que não mudou”.
escolar no cotidiano da escola, por isso
Sendo a ética um princípio da gestão
entendemos a ética como princípio
democrática, cabe aos sujeitos da
da gestão democrática. Quando os
comunidade escolar consolidar e fortalecer
membros da comunidade escolar
seu espaço de participação no cotidiano da
fazem escolhas e tomam decisões, eles
escola.
se corresponsabilizam por elas, pois
“uma ética política que se pretenda
verdadeiramente humana supõe
primordialmente a restauração do sujeito

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


58/176
democrática da escola
Glossário
Emancipação humana: tem como finalidade a humanização dos sujeitos para que estes
possam gozar de liberdade e viver uma vida plena.
Eticidade: qualidade daquilo que é ético.
Pensar certo: pensar de modo reflexivo, crítico, ético e democrático.

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


59/176
democrática da escola
?
Questão
para
reflexão

Faça a leitura do artigo “Ética e Educação – Caminhos


Buberianos”. Disponível em: <http://www.scielo.br/
pdf/edur/v29n2/aop_195.pdf> e em seguida responda
à pergunta. Considerando a reflexão proposta pelo
artigo, como você analisa a relação entre ética e
educação?

60/176
Considerações Finais

» O diálogo é o primeiro elemento que permite a participação dos sujeitos


da comunidade escolar no espaço da escola.
» A não participação dos funcionários da secretaria no conselho de escola
dificulta a participação dos pais dos estudantes nesse órgão colegiado.
» A escola é espaço para a formação humana de sujeitos, por isso que
a possibilidade de participação gera o desenvolvimento humano, a
humanização.
» A ética, no terreno educacional, diz respeito à condição que o sujeito
tem de fazer escolhas, de optar, de decidir, de conduzir e isso se
relaciona com a possibilidade da participação da comunidade escolar
no cotidiano da escola.

61/176
Referências

FERREIRA, Naura Syria Carapeto. Repensando e ressignificando a gestão democrática


da educação na “cultura globalizada”. Educ. Soc.,  Campinas ,  v. 25, n. 89, p. 1227-1249, 
dez.  2004 .   Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-
73302004000400008&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  09  maio  2016.

FREIRE, Paulo. Política e educação. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2001a.


_____. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 20ª ed. São Paulo:
Paz e Terra, 2001b.
GIANNETTI DA FONSECA, E. Vícios privados, benefícios públicos. São Paulo: Companhia das
Letras, 1993.
LEONTIEV, Alexis. O homem e a cultura. In: LEONTIEV, Alexis. O Desenvolvimento do Psiquismo.
Lisboa: Livros Horizonte, 1978, p.273-280.
MORIN, Edgar. A ética do sujeito responsável. In: CARVALHO, Edgard de Assis; ALMEIDA,
Maria da Conceição; FIEDLER-FERRARA, Nelson; COELHO, Nelly Novaes; MORIN, Edgar. Ética,
solidariedade e complexidade. São Paulo: Palas Athenas, 1998, pp. 65-77.

Unidade 3 • A escola como espaço de participação da comunidade: humanização e ética na gestão


62/176
democrática da escola
Questão 1
1 - Quem são as pessoas que fazem parte da comunidade escolar?

a) Estudantes e seus pais, professores, gestores, funcionários técnico-administrativos e


funcionários da manutenção e da cozinha.
b) Os profissionais de educação, com destaque para os gestores.
c) Os professores e os estudantes, pois eles são os principais sujeitos do processo ensino-
aprendizagem.
d) Os familiares, os estudantes e os funcionários técnico-administrativos, pois eles estão
submetidos à gestão escolar.
e) Todos os funcionários da escola, pois eles são os responsáveis por administrar a
comunidade escolar.

63/176
Questão 2
2 - Por que a participação de todas as pessoas que fazem parte da
comunidade escolar precisa ser valorizada, defendida e estimulada no
interior da escola?
a) Porque os pais precisam saber das ações que acontecem no interior da escola.
b) Porque a não participação dos funcionários da secretaria no conselho de escola tem
dificultado a participação dos pais dos estudantes nesse órgão colegiado.
c) Porque os estudantes, os maiores interessados no sucesso da escola, precisam estar
informados sobre o que acontece na escola.
d) Porque os gestores escolares não conseguem sozinhos conduzir a escola.
e) Porque os professores e os funcionários da secretaria precisam dialogar para poder
oferecer um serviço melhor ao cidadão.

64/176
Questão 3
3 – A comunidade escolar precisa esperar que primeiro a gestão torne-se
democrática para poder, a partir daí, participar do cotidiano da escola?

a) Sim, pois não há como participar de um ambiente não democrático.


b) Sim, porque a hierarquia precisa ser respeitada e são os gestores que promovem a gestão
democrática.
c) Não, porque a própria comunidade deve construir essa democracia ocupando seu espaço
de participação.
d) Não, porque todas as escolas já se organizam de modo democrático.
e) Não, porque a comunidade precisa esperar que o Secretário de Educação publique um
decreto transformando a gestão da escola em gestão democrática.

65/176
Questão 4
4 - É possível relacionar a humanização com a participação da comunidade
escolar?

a) Não, porque o ser humano está condicionado pela sociedade em que vive e, dessa forma,
sua participação é limitada.
b) Não, porque a humanização não tem a ver com a participação da comunidade escolar.
c) Sim, porque a participação da comunidade escolar, numa gestão democrática, permite
que as pessoas sejam mais solidárias e amigas.
d) Sim, pois as transformações pelas quais a sociedade passa exige também a transformação
do ser humano para que este possa lidar com as mudanças sociais, políticas, econômicas e
culturais.
e) Sim, porque é por meio da participação que as pessoas vão continuamente aprendendo
a ser gente na relação com outras pessoas, e com isso, vão criando um mundo mais
humano, mais justo, mais democrático e melhor de ser vivido.

66/176
Questão 5
5 - Por que a ética é considerada como princípio da gestão democrática?

a) Porque ela refere-se às lutas políticas pela democracia no ambiente escolar.


b) Porque ela relaciona-se com os princípios da moral institucional.
c) Porque na escola quem não é ético é antiético.
d) Porque a ética relaciona-se com a participação da comunidade escolar no cotidiano da
escola.
e) Porque a ética relaciona-se com a participação de pessoas cuja moral é bem elevada.

67/176
Gabarito
1. Resposta: A. participação da comunidade escolar
precisam acontecer ao mesmo tempo,
As pessoas que fazem parte dessa pois só se consolida a gestão democrática
comunidade estão envolvidas nas ações e quando há participação das pessoas.
nas atividades do cotidiano da escola.
4. Resposta: E.
2. Resposta: B.
A escola não é apenas espaço para
A defesa e o estímulo a essa participação a escolaridade das pessoas, mas
estão relacionados diretamente com a principalmente para a formação humana
gestão democrática da escola, pois não há de sujeitos, por isso que a possibilidade
como promover a participação das pessoas de participação gera o desenvolvimento
num ambiente não democrático. humano.

3. Resposta: C.

O movimento para o estabelecimento


de uma gestão democrática da escola
e o movimento para a promoção da
68/176
Gabarito
5. Resposta: D.

Sendo a ética um princípio da gestão


democrática, cabe aos sujeitos da
comunidade escolar consolidar e fortalecer
seu espaço de participação no cotidiano da
escola.

69/176
Unidade 4
As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar

Objetivos

» Entender a relação entre as teorias da


administração de empresas e as teorias da
administração escolar.
» Conhecer as principais teorias da administração
escolar no Brasil.
» Compreender as críticas às teorias da
administração escolar no Brasil.

70/176
Introdução

As concepções que fundamentam as trabalhador, para acumular mais capital. Já


teorias da administração escolar se o principal objetivo das escolas é promover
originam nas teorias da administração o acesso de crianças, adolescentes, jovens
de empresas. Muitas vezes, as teorias e adultos ao conhecimento sistematizado
administrativas são chamadas de pela humanidade, na perspectiva da
teorias das organizações ou teorias emancipação humana. Nesse contexto,
organizacionais. É preciso lembrar que não podemos fazer uma transposição
as teorias da administração de empresas direta das teorias da administração de
estão diretamente ligadas à organização empresas para o cotidiano da escola.
do trabalho nas empresas ao passo Você vai ver brevemente quais são as
que o campo da administração escolar características das duas principais teorias
elabora proposições teóricas sobre a da administração de empresas.
organização do trabalho na escola. Você a. Teoria da administração científica:
pode perceber que são dois campos muito elaborada no início do século XX;
distintos e com objetivos muito diferentes: tem como principal representante o
empresa e escola. O principal objetivo das norte-americano Frederick Winslow
empresas capitalistas é reduzir os custos Taylor (1856-1915). Essa teoria
de produção, a partir da exploração do buscava reduzir o desperdício de
71/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
tempo e de materiais e elevar o índice divisão do trabalho, ou seja, separou-
de produtividade, de modo que se o processo de planejamento do
tornasse mais eficiente a realização processo de execução: enquanto
de tarefas repetitivas para padronizar uns pensam a atividade, outros a
o processo produtivo. Na perspectiva executam.
taylorista, o homem é como se fosse b. Teoria clássica das organizações ou
uma máquina ou parte de uma teoria clássica da administração:
máquina. Na época em que essa elaborada no início do século XX;
teoria foi elaborada, as condições tem como principal representante
de trabalhos eram desumanas, os o francês Jules Henri Fayol (1841-
salários eram muito baixos e as 1925). Essa teoria foi elaborada a
jornadas de trabalho eram muito partir de estudos de Fayol sobre a
extensas. Ou seja, não havia a menor atividade de administração geral
preocupação com a situação do de empresa, sobre o processo
trabalhador, apenas com a situação administrativo, ou seja, partiu
do patrão em otimizar a produção da observação do trabalho dos
e aumentar seus lucros. Outra administradores e do modo como
característica do taylorismo foi a estes conseguiam organizar as
72/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
empresas. Fayol também se baseou na racionalização e no controle das atividades
humanas e defendia que o gerenciamento podia ser ensinado por meio de uma teoria da
administração. Dessa forma, Fayol também opera sua teoria na perspectiva da divisão do
trabalho, pois separa os trabalhadores que planejam e gerenciam o processo de produção
da empresa dos trabalhadores que executam e realizam a produção.

Para saber mais


Para saber mais sobre as contribuições de Taylor para os estudos das teorias da administração,
acesse o livro digital “A evolução histórica da ergonomia no mundo e seus pioneiros”. Disponível
em: <http://static.scielo.org/scielobooks/b5b72/pdf/silva-9788579831201.pdf>
Para saber mais sobre as contribuições de Fayol para os estudos das teorias da administração,
acesse o artigo “Publicações póstumas de Henri Fayol: revisitando sua teoria administrativa”.
Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-
69712011000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>
Para saber mais sobre as contribuições de Mayo para os estudos das teorias da administração,
acesse. Disponível em <http://www.portal-administracao.com/2015/03/teoria-das-
relacoes-humanas-conceito.html>

73/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


As teorias de Taylor e Fayol influenciaram teorias da administração escolar.
e continuando influenciando o ramo da a. Teoria de Antonio de Arruda
administração de empresas e também Carneiro Leão (1887-1966): sua
da administração escolar. A seguir você teoria é elaborada no início do século
verá como os primeiros teóricos da XX quando há a complexificação do
administração escolar no Brasil basearam- processo administrativo da educação
se nas da administração de empresas. com a expansão da oferta de vagas
nas escolas. Essa teoria localiza a
1. Das Teorias da Administração administração escolar no âmbito da
de Empresa para as Teorias da administração, em especial, na teoria
Administração da Escola clássica de Henri Fayol, com destaque
para a organização e a hierarquia de
Apesar dos objetivos e do cotidiano funções.
da escola serem muito diferentes dos
b. Teoria de José Querino Ribeiro
objetivos e do cotidiano das empresas, as
(1907-1990): sua teoria – que tem
teorias da administração escolar tiveram
como principal obra “Ensaio de uma
suas origens nas teorias da administração.
teoria da administração Escolar” –
Você vai ver a seguir quais são as principais
apresenta influência do movimento
74/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
da Escola Nova e das teorias de Frederick W. Taylor e Henri Fayol.

[...] A administração escolar vai funcionar como um instrumento


executivo, unificador e de integração do processo de escolarização, cuja
extensão, variação e complexidade ameaçam a perda do sentido da
unidade que deve caracterizá-lo e garantir-lhe o bom êxito [...]. (RIBEIRO,
1986, p. 30).

c. Teoria de Manuel Bergström Lourenço Filho (1897-1970): em sua teoria sobre


administração e organização da escola, Lourenço Filho entende essa administração como
uma atividade complexa que necessita distribuir as tarefas, nesse contexto, ele parte da
ideia de divisão do trabalho, assim como Frederick W. Taylor e Henri Fayol. Além de situar
a administração escolar nas teorias clássicas da administração, Lourenço Filho também
a situa no campo da psicologia, com destaque para a valorização das relações humanas
no espaço da escola e inaugura uma linha teórica compreendida como “comportamento
administrativo”. Lourenço Filho defende que organizar ou administrar a escola diz
respeito a
75/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
“[...]bem organizar elementos (coisas e pessoas) dentro de condições
operativas (modos de fazer), que conduzam a fins determinados. [...] É
regular tudo isso, demarcando esferas de responsabilidade e níveis de
autoridade nas pessoas congregadas, a fim de que não se perca a coesão
do trabalho e sua eficiência geral [...]” (LOURENÇO FILHO, 2007, pp. 46 e
47).

Para saber mais


Para saber mais sobre Antonio de Arruda Carneiro Leão e sua teoria, acesse. Disponível em:
<http://www.serie-estudos.ucdb.br/index.php/serie-estudos/article/viewFile/495/391>
Para saber mais sobre José Querino Ribeiro, leia o artigo “Formação de gestores escolares:
a atualidade de José Querino Ribeiro”. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/
v30n107/08.pdf>

76/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


Link
Disponível em: <http://univesptv.cmais.com.br/escola-nova>

Disponível em: <http://tvescola.mec.gov.br/tve/video/educadores-lourenco-filho>

d. Teoria de Anísio Spínola Teixeira (1900-1971): sua teoria está baseada em sua
experiência como administrador em órgãos da educação (Secretário de Educação no
Distrito Federal e Inspetor Geral de Ensino em Salvador). Anísio Teixeira contesta a ideia
que as teorias da administração de empresas podem ser empregadas no cotidiano da
escola.

77/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


[...]Em educação, o alvo supremo é o educando a que tudo mais está
subordinado; na empresa, o alvo supremo é o produto material, a
que tudo mais está subordinado. Nesta, a humanização do trabalho
é a correção do processo de trabalho, na educação o processo é
absolutamente humano e a correção um certo esforço relativo pela
aceitação de condições organizatórias e coletivas aceitáveis. São, assim,
as duas administrações polarmente opostas [...](TEIXEIRA, 1964, p. 15).

Como você acabou de ver, as teorias


da administração de Taylor e Fayol
Para saber mais
Para saber mais sobre Anísio Teixeira, acesse.
influenciaram decisivamente as teorias
Disponível em: <http://tvescola.mec.gov.br/
da administração escolar de Antonio de
tve/video/educadores-anisio-teixeira>
Arruda Carneiro Leão, José Querino Ribeiro
e Manuel Bergström Lourenço Filho. Anísio
Teixeira, ainda na primeira metade do
século XX, tece uma crítica à transposição

78/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


das teorias da administração de empresas é um fenômeno social muito particular
para a administração escolar. que necessita de outras teorias sobre sua
organização e sua administração.
2. Crítica as Teorias da Admi- Miguel Arroyo (1979, p. 39), em sua
nistração Escolar crítica às teorias da administração
de empresas aplicadas ao contexto
Como você viu ao longo dessa aula,
escolar, afirma que “[...] a insistência em
as teorias da administração escolar
apresentar a racionalidade administrativa
sofreram influência direta das teorias da
como necessidade ‘natural’ ao bom
administração de empresas. Anísio Teixeira,
funcionamento das instituições oculta
ainda na primeira metade do século XX
a dimensão política de todo processo
tece críticas a essa influência. Você vai
administrativo [...]”. Essa dimensão política
conhecer dois estudiosos da educação que
refere-se, como o próprio autor defende,
também teceram críticas à relação entre
a um “[...] fazer pensado, crítico, atento
administração escolar e administração
ao modelo de um homem a ser educado
de empresas, especialmente a partir da
e às relações entre a escola e a sociedade
década de 1980. Essas críticas referem-se
[...]” (ARROYO, 1979, p.46). Não dá para
ao reconhecimento que a educação escolar
padronizar as atividades da administração
79/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
escolar porque cada escola localiza- oposição à administração de empresa, cujo
se em um contexto sócio-histórico- objetivo é acumular capital com base na
cultural específico e apresenta demandas exploração do trabalhador, pois o objetivo
específicas. da escola, por meio da administração
Vitor Paro em seu livro intitulado escolar transformadora, é promover e
“Administração Escolar: introdução crítica” garantir o acesso de crianças, jovens,
(PARO, 1988) estuda as condições de adolescentes e adultos ao conhecimento
uma administração escolar voltada para sistematizado, na perspectiva da
a transformação social, na perspectiva emancipação humana.
do materialismo histórico dialético. Paro Arroyo e Paro trazem elementos sócio-
entende que a “[...] administração é a histórico-culturais para o âmbito da
utilização racional de recursos para a reflexão sobre a administração escolar,
realização de fins determinados. Assim pois essa não pode se pautar pelo exemplo
pensada, ela se configura como uma das teorias da administração de empresas
atividade exclusivamente humana [...]” porque a escola é o lugar da emancipação
(PARO, 1988, p.18). O autor defende que humana e não da desumanização com a
a administração escolar transformadora exploração do trabalhador.
(PARO, 1988, p. 151) concretiza-se na
80/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar
Glossário
Escola Nova: foi um movimento de estudiosos da educação, liderados por John Dewey,
no EUA, no início do século XX, que defendia o aprendizado pela experiência. Na década
de 1930, no Brasil, essas ideias serviram de base ao Manifesto dos Pioneiros da Educação
Nova.
Materialismo histórico dialético: “é um referencial teórico que possibilita a compreensão
das relações e dos fenômenos sociais como fruto das múltiplas determinações culturais e
históricas” (ROGERIO, 2015, p. 27).
Emancipação humana: uma forma de sociabilidade na qual os homens possam ser livres
e possam desenvolver amplamente suas potencialidades, na perspectiva da solidariedade
e não na perspectiva de oposição e de concorrência.

81/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


?
Questão
para
reflexão

A partir da realidade escolar que você conhece, seja como


estudante ou como profissional, elabore um texto dissertativo
relacionando as questões da administração escolar da
realidade que você conhece com as teorias estudadas.

82/176
Considerações Finais

» As teorias da administração de empresas propostas por Frederick W. Taylor e Henri Fayol,


no início do século XX, influenciaram as teorias da administração escolar no Brasil.
» As principais teorias da administração escolar brasileira, influenciadas por Taylor e Fayol,
foram elaboradas por Antônio de Arruda Carneiro Leão, José Querino Ribeiro e Manuel
Bergström Lourenço Filho.
» Anísio Teixeira, ainda na primeira metade do século XX, tece uma crítica à transposição
das teorias da administração de empresas para a administração escolar.
» Miguel Arroyo e Vitor Paro fazem críticas à influência das teorias da administração de
empresas para a administração escolar porque reconhecem que a educação escolar é um
fenômeno social muito particular, que necessita de outras teorias para sua organização e
sua administração.

83/176
Referências

ARROYO, Miguel G. Administração da educação, poder e participação. Educação e Sociedade.


Ano I, n. 2, jan./1979. Campinas: CEDES.
LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. Organização e Administração Escolar: curso básico. 8ª
edição. Brasília: INEP/MEC, 2007
PARO, Vitor. Administração Escolar: introdução crítica. 3ª. Edição. São Paulo: Cortez, 1988.
RIBEIRO, José Querino. Ensaio de uma teoria da Administração Escolar. São Paulo: Saraiva,
1986.
ROGERIO, Rosa Maria de Freitas. Possibilidades e limites para uma coordenação
compartilhada do trabalho pedagógico no CEU. Tese de Doutorado. 204p. São Paulo:
Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2015.
TEIXEIRA, Anísio Spínola. Natureza e função da Administração Escolar. Cadernos de
Administração Escolar, n.º 1. Salvador: ANPAE, 1964.

84/176 Unidade 4 • As concepções que fundamentam as teorias da administração escolar


Questão 1
1 – O principal objetivo das empresas capitalistas é:

a) Oferecer trabalho para que as pessoas possam viver.


b) Permitir que, com o trabalho, as pessoas possam conquistar uma vida melhor.
c) Promover o desenvolvimento profissional do trabalhador.
d) Garantir um salário que custeie todas as necessidades do trabalhador.
e) Reduzir os custos de produção, a partir da exploração do trabalhador, para acumular mais
capital.

85/176
Questão 2
2 - O que é a divisão do trabalho?

a) É uma forma de melhorar a produtividade e garantir boas condições de trabalho para o


operário.
b) É uma forma de garantir que cada pessoa cuide de uma parte do processo produtivo, para
que todos possam se desenvolver profissionalmente.
c) É a separação dos trabalhadores menos qualificados e dos trabalhadores mais
qualificados.
d) É a separação do processo de planejamento do processo de execução: enquanto uns
pensam a atividade, outros a executam.
e) É a separação das diversas atividades dentro da empresa, para que todos possam
conhecer todo o processo produtivo.

86/176
Questão 3
3 – Qual objetivo da Teoria da Administração Científica de Frederick W.
Taylor?
a) Melhorar o desempenho dos administradores de empresa, de modo que estes pudessem
promover o desenvolvimento profissional dos trabalhadores.
b) Promover a administração de empresas de modo econômico e solidário, considerando as
necessidades de trabalho dos operários.
c) Reduzir o desperdício de tempo e de materiais e elevar o índice de produtividade, de modo
que tornasse mais eficiente a realização de tarefas repetitivas para padronizar o processo
produtivo.
d) Ampliar a participação dos operários nas decisões da administração das empresas, pois
estes são os trabalhadores que melhor conhecem o processo produtivo.
e) Garantir o acesso de todos os trabalhadores da empresa ao processo de administração da
mesma.

87/176
Questão 4
4 - Quais são os principais teóricos da administração escolar no Brasil
que sofreram influências das teorias de Taylor e Fayol?
a) Antônio de Arruda Carneiro Leão, Manuel Bergström Lourenço Filho e Miguel Arroyo.
b) Antônio de Arruda Carneiro Leão, José Querino Ribeiro e Manuel Bergström Lourenço
Filho.
c) Antônio de Arruda Carneiro Leão, José Querino Ribeiro e Miguel Arroyo.
d) Antônio de Arruda Carneiro Leão, José Querino Ribeiro e Vitor Paro.
e) Antônio de Arruda Carneiro Leão, Manuel Bergström Lourenço Filho e Vitor Paro.

88/176
Questão 5
5 - Porque Miguel Arroyo e Vitor Paro fazem críticas à influência das
teorias da administração de empresas para a administração escolar?
a) Porque reconhecem que a educação escolar é um fenômeno social muito particular, que
necessita de outras teorias para sua organização e sua administração.
b) Porque eles não concordavam com a ideia da divisão do trabalho, proposto por Taylor e
Fayol.
c) Porque eles acreditam que a administração de empresas não é tão complexa quanto a
administração de escolas.
d) Porque eles não reconhecem as teorias da administração como teorias científicas.
e) Porque eles entendem que o cotidiano da escola é muito mais simples que o cotidiano das
empresas.

89/176
Gabarito
1. Resposta: E. 4. Resposta: B.

A empresa capitalista precisa produzir Miguel Arroyo e Vitor Paro tecem severas
lucro. O lucro ou mais-valia só é produzido críticas às influências das teorias de Taylor
quando há redução dos custos da produção e Fayol para a administração escolar.
e exploração do trabalho do trabalhador.
5. Resposta: A.
2. Resposta: D.
A escola não pode pautar-se pelo exemplo
A divisão do trabalho refere-se ao modo das teorias da administração de empresas
como as tarefas de cada pessoa são porque a escola é o lugar da emancipação
divididas, separadas e organizadas. humana e não da desumanização através
da exploração do trabalhador.
3. Resposta: C.

Na perspectiva taylorista, o homem é como


se fosse uma máquina ou parte de uma
máquina.

90/176
Unidade 5
Organização da escola, gestão escolar e suas características.

Objetivos

» Reconhecer as especificidades dos conceitos


de organização e gestão escolar.
» Refletir sobre as características da gestão
escolar democrática: descentralização,
participação e autonomia.
» Entender a importância do Projeto Político
Pedagógico para a organização e a gestão da
escola

91/176
Introdução

Quando você pensa na escola, você a pensa legislação educacional e propostos no


como uma organização? Eu entendo a Projeto Político Pedagógico, contando com
escola como uma “organização”, na mesma o trabalho de diversos profissionais e com
perspectiva apontada por Libâneo (2013, a participação dos estudantes e de seus
p.87), ou seja, como uma “[...] unidade responsáveis, que se relacionam por meio
social que reúne pessoas que interagem de processos organizativos, que tem como
entre si e que opera por meio de estruturas principal característica a interação entre
e processos organizativos próprios, a fim as pessoas, com objetivo da promoção
de alcançar os objetivos da instituição. da formação humana. Por isso, nessa
[...]”. A ideia de organização apresenta uma disciplina, você estuda a gestão escolar na
“visão de conjunto”, em que as partes que perspectiva democrática, no escopo das
o constitui são interdependentes entre comunicações e das relações interpessoais.
si. Então a relação entre essas partes é
fundamental para que o conjunto, ou, no
contexto da escola, o trabalho coletivo,
funcione.
Link
Disponível em: <https://www.youtube.com/
A escola é uma organização que se orienta
watch?v=olzu3iPsCo4>
pelos objetivos educativos previstos na
92/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características
Para que uma organização alcance seus objetivos, é necessária a gestão dela, que encontra-
se diretamente relacionada às escolhas que se faz para seu melhor funcionamento. Nessa
perspectiva, compreendemos gestão escolar como:

[...] uma das áreas de atuação profissional na educação destinada a


realizar o planejamento, a organização, a liderança, a orientação, a
mediação, a coordenação, o monitoramento e a avaliação dos processos
necessários à efetividade das ações educacionais orientadas para a
promoção da aprendizagem e formação dos alunos [...].
(LÜCK, 2009, p. 23).

Você viu na aula anterior as primeiras teorias da administração escolar no Brasil e suas
características, que se relacionavam à ideia da administração como um procedimento racional,
sequencial, hierarquizado e baseado na divisão do trabalho. A tarefa de administrar referia-
se a emitir ordens e controlar o cumprimento dessas ordens, sem considerar a opinião do
trabalhador. Partindo dessas teorias e dos conceitos de organização e de gestão escolar
consideramos que esses dois conceitos são mais complexos do que o conceito de administração

93/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


escolar, porque eles referem-se às funções que essas nomenclaturas sejam diferentes
e responsabilidades dos profissionais de em algumas redes de ensino no Brasil,
educação da escola para a promoção das mas a ideia do gestor como profissional
condições, com os recursos necessários, do responsável por planejar, coordenar,
melhor funcionamento dessa instituição. garantir meios e recursos, acompanhar
Por esses motivos destacamos que a e avaliar o trabalho coletivo da escola,
gestão escolar é responsável por articular, com vistas à melhoria da aprendizagem
coordenar e acompanhar o trabalho dos dos estudantes faz parte da essência
profissionais da escola na perspectiva de da função do profissional da gestão,
garantir condições para a melhoria da independentemente do nome que ele
aprendizagem dos estudantes. recebe.
Quais são os profissionais que são Como você viu na primeira aula dessa
reconhecidos como gestor escolar? A disciplina, o princípio da gestão
gestão escolar é composta pelo trabalho democrática perpassa o conceito de
interdependente dos gestores escolares, organização e de gestão da escola, pois a
a saber: diretor de escola, coordenador realização do processo de gestão precisa
pedagógico, orientador educacional, contar com a participação de toda a
supervisor escolar ou educacional. Pode ser comunidade escolar: profissionais da
94/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características
educação, estudantes e seus responsáveis. participação da comunidade escolar e
Nessa perspectiva, você estudará a seguir autonomia da escola.
as características imprescindíveis da
gestão democrática.
Para saber mais
1. Características da Gestão Es- Para saber mais leia o texto “O projeto
colar Democrática: Descentra- pedagógico em escolas municipais: análise da
lização, Participação e Autono- relação entre a autonomia e manutenção e/ou
mia. modificação de práticas escolares”. Disponível
em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v28n2/
O conceito de gestão escolar proposto a04v28n2.pdf>
nesta aula está associado à ideia de
democratização da organização da escola
O que você entende por descentralização
e está fundamentado no princípio da
das instâncias de tomadas de decisões
gestão democrática. Você vai estudar agora
no ambiente da escola? Entendemos
as seguintes características da gestão
descentralização, no contexto da
escolar democrática: descentralização
pergunta, como possibilidade de
das instâncias de tomadas de decisões,
95/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características
autonomia para a tomada de decisões o gestor escolar tem como papel orientar,
e como compartilhamento do poder coordenar, mediar e acompanhar essa ação
decisório e da corresponsabilidade pelas coletiva.
decisões tomadas. A característica da A descentralização das instâncias de
descentralização parte da centralidade tomadas de decisões no ambiente da
da autoridade na figura do diretor de escola implica na participação de todos os
escola para o compartilhamento dessa envolvidos nessa organização porque se
autoridade, em todos os envolvidos na não houver a participação de professores,
gestão democrática também participam de funcionários técnico-administrativos,
do exercício da autoridade. Em outras de funcionários da limpeza, da cozinha
palavras, não é apenas o diretor que pode e da manutenção predial, de estudantes
opinar sobre os melhores caminhos a ser e de seus responsáveis, as decisões vão
seguidos pela escola, mas todos que fazem continuar centralizadas na figura do gestor
parte da comunidade escolar também escolar. A participação da comunidade
têm ideias e sugestões sobre as questões escolar na partilha de decisões e de
do cotidiano e sobre como melhorá-las. responsabilização pela implementação
A descentralização permite o movimento delas pode garantir um melhor
da ação individual para a ação coletiva, e funcionamento da organização da escola,
96/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características
pois confere diferente olhares, percepções, ideias, sugestões e avaliações sobre as situações
que acontecem no interior da escola. Além de promover um compromisso coletivo para a
implementação do que foi decidido de modo compartilhado. A participação sustenta a gestão
democrática da escola. Nesse sentido, concordamos com Libâneo (2013, p. 89) quando diz que:

[...] O conceito de participação se fundamenta no de autonomia, que


significa a capacidade das pessoas e dos grupos de livre determinação
de si próprios, isto é, de conduzirem sua própria vida. [...] um modelo
de gestão democrático-participativa tem na autonomia um dos seus
mais importantes princípios, implicando a livre escolha de objetivos e
processos de trabalho e a construção conjunta do ambiente de trabalho
[...].

Uma escola organizada de modo autônomo pode encontrar e implementar soluções próprias
e singulares para suas questões e seus dilemas cotidianos. Você encontra na própria LDB
9394/96 elementos que asseguram a autonomia das escolas quando essa possibilita o
pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas (artigo 3º) e a incumbência das escolas em

97/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


Para saber mais 2. O Projeto Político
Para saber mais acesse: Disponível em: Pedagógico e sua Importância
<https://www.youtube.com/watch?v=2jO9LMgS86E> no Processo de Organização e
<https://www.youtube.com/watch?v=jcyv7Uz8qdU>. Gestão da Escola

Entendemos que é por meio do Projeto


elaborar e executar suas propostas pedagógicas e em Político Pedagógico (PPP) que a escola
administrar seu pessoal e seus recursos materiais e pode promover sua organização de
financeiros (artigo 12º). modo descentralizado, autônomo e
Você verá a seguir qual a importância do Projeto que assegure a participação de todos
Político Pedagógico para o processo de organização os envolvidos no seu cotidiano e o
e gestão da escola, levando-se em consideração as compartilhamento das tomadas de
características da descentralização das instâncias decisões e do acompanhamento para
de tomada de decisões e da participação da que essas decisões sejam efetivadas. Aí
comunidade escolar para garantir a autonomia da reside sua importância para o processo
escola e sua gestão democrática. de organização e de gestão da escola.

98/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


Link
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Pxoyx6ciqYA>

Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v24n83/a14v2483.pdf>

O Projeto Político Pedagógico é o “RG da escola”, o “documento de identidade” dessa instituição,


porque ele é uma referência norteadora para a organização da escola e para todas as suas ações.
Esse norte desenha-se a partir de algumas questões que esse documento busca responder,
alguns destaques:
• Qual a função da escola?
• Quais princípios fundamentam a formação oferecida aos estudantes pela escola?
• Que sujeitos a escola quer formar?
• Quais são os conhecimentos e os saberes que embasarão o planejamento pedagógico?
• Como a escola promoverá o acesso dos estudantes ao conhecimento e ao saber
sistematizado?

99/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


• Quais são os espaços de participação da comunidade escolar?
• Como a escola estimulará e promoverá a participação do coletivo da escola?

Para saber mais


Para saber mais, acesse.

Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=fntnXK-LroY>

<https://www.youtube.com/watch?v=0LvDIHbOy-g>

A existência do PPP é a materialização da descentralização administrativa e pedagógica


da escola, pois sua elaboração requer a participação de todos os envolvidos no cotidiano
dessa instituição, para que ele possa ser, de fato, um documento que registra a vontade e
as intenções do coletivo da escola. Cabe à gestão escolar organizar, articular e coordenar os

100/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


espaços para a elaboração ou revisão do PPP.

Para saber mais


Para saber mais, acesse.
Disponível em: <http://escoladegestores.mec.gov.br/site/2-sala_projeto_
vivencial/pdf/dimensoesconceituais.pdf>.

A importância do Projeto Político Pedagógico no processo de organização e gestão da escola


é fundamental quando a gestão escolar opera a partir dos princípios da gestão democrática,
participativa, descentralizada e autônoma.

101/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


Glossário
Conceito: compreensão de uma ideia, de uma palavra.
Princípio: aquilo que serve de base para alguma ideia ou para alguma coisa.
Referência norteadora: parâmetro que oferece um caminho a ser seguido.

102/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


?
Questão
para
reflexão

Escolha uma realidade escolar que você conheça e


analise, a partir das contribuições dessa aula, qual
a importância do Projeto Político Pedagógico na
organização e na gestão dessa escola.

103/176
Considerações Finais

» A escola é uma organização que se orienta pelos objetivos educativos previstos na


legislação educacional e propostos no Projeto Político Pedagógico.
» O princípio da gestão democrática perpassa o conceito de organização e de gestão
da escola porque o processo de gestão precisa contar com a participação de toda a
comunidade escolar: profissionais da educação, estudantes e seus responsáveis.
» A descentralização permite o movimento da ação individual para a ação coletiva, e o
gestor escolar tem como papel orientar, coordenar, mediar e acompanhar essa ação
coletiva.
» A importância do Projeto Político Pedagógico no processo de organização e gestão da
escola é fundamental quando a gestão escolar opera a partir dos princípios da gestão
democrática, participativa, descentralizada e autônoma.

104/176
Referências

LÜCK, Heloísa. Dimensões de gestão e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, 2009.
LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: Teoria e Prática. 6ª ed. São Paulo:
Heccus Editora, 2013.

105/176 Unidade 5 • Organização da escola, gestão escolar e suas características


Questão 1
1 - Por que os conceitos de organização e gestão da escola são mais
complexos que o conceito de administração escolar?

a) Porque o conceito de administração escolar não é mais utilizado, pois não consegue
expressar o cotidiano da escola.
b) Porque eles se referem às funções e responsabilidades dos profissionais de educação da
escola para a promoção das condições, com os recursos necessários, do melhor
funcionamento dessa instituição.
c) Porque os conceitos de organização e gestão referem-se ao âmbito do trabalho dos
gestores, sem contar com a opinião dos demais profissionais da escola.
d) Porque eles dizem respeito ao contexto amplo da escola, ao passo que a administração
referia-se apenas às tarefas burocráticas.
e) Porque eles permitem uma análise da estrutura da escola de modo hierarquizado e
sequencial.

106/176
Questão 2
2 – Quais são os profissionais que são reconhecidos como gestor
escolar?

a) Diretor de escola, coordenador pedagógico, orientador educacional, supervisor escolar ou


educacional.
b) Diretor de escola, coordenador pedagógico, professores, supervisor escolar ou
educacional.
c) Diretor de escola, funcionários técnico-administrativos, orientador educacional,
supervisor escolar ou educacional.
d) Diretor de escola, coordenador pedagógico, orientador educacional, professores.
e) Diretor de escola, coordenador pedagógico, orientador educacional, funcionários técnico-
administrativos.

107/176
Questão 3
3 - O que você entende por descentralização das instâncias de tomadas
de decisões no ambiente da escola?
a) É a ampliação do centro de decisões, em que os participantes são apenas os profissionais
de educação.
b) É a ação de partilhar a autoridade do gestor escolar, de modo que este tenha pouco poder
de persuasão nas tarefas administrativas.
c) É uma possibilidade de permitir a participação dos pais dos estudantes nas decisões da
escola, de modo que a opinião destes se sobressaia.
d) É uma possibilidade de autonomia exercida pelos profissionais da educação.
e) É uma possibilidade de autonomia para a tomada de decisões e de compartilhamento do
poder decisório e da corresponsabilidade pelas decisões tomadas.

108/176
Questão 4
4 - Por que a autonomia da escola é importante?

a) Porque há a necessidade de desburocratizar a administração escolar.


b) Porque sem ela, a gestão democrática dá lugar a uma gestão participativa.
c) Porque ela é a base para uma gestão escolar baseada na hierarquia.
d) Porque uma escola organizada de modo autônomo pode encontrar e implementar
soluções próprias e singulares para suas questões e seus dilemas cotidianos.
e) Porque uma escola organizada na perspectiva da autonomia consegue sucesso na
aprendizagem dos estudantes mais obedientes.

109/176
Questão 5
5 - Por que o Projeto Político Pedagógico é importante para a
organização e gestão da escola?

a) Porque ele é um documento elaborado pelos gestores escolares, que sabem o que fazem.
b) Porque ele é uma referência para a administração escolar na perspectiva da
hierarquização das funções dos profissionais.
c) Porque ele é uma referência norteadora para a organização da escola e para todas as suas
ações.
d) Porque ele é um documento que garante a autonomia da escola, sem necessariamente
precisar da participação da comunidade escolar.
e) Porque ele é um documento que destaca a importância do gestor escolar frente às
decisões da escola.

110/176
Gabarito
1. Resposta: B. 4. Resposta: D.

A ideia de administração escolar, ancorada Porque ela assegura a possibilidade de


nas teorias da administração de empresas, participação das pessoas na perspectiva da
refere-se à intenção de emitir ordens e elaboração de ideias e ações.
controlar o cumprimento dessas ordens.
5. Resposta: C.
2. Resposta: A.
Porque por meio dele a escola pode
Os gestores escolares são os profissionais promover sua organização de modo
não docentes que lideram a organização e descentralizado, autônomo e que assegure
a gestão da escola. a participação de todos os envolvidos no
seu cotidiano.
3. Resposta: E.

A descentralização das instâncias de


tomadas de decisões no ambiente da
escola implica na participação de todos os
envolvidos nessa organização.
111/176
Unidade 6
O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos
interpessoais e a cultura organizacional da escola

Objetivos

» Apresentar o papel do gestor escolar como


gestor de pessoas.
» Conhecer a cultura organizacional da escola.
» Analisar a vinculação entre os
relacionamentos interpessoais e a cultura
organizacional da escola.

112/176
Introdução

Você deve conhecer um número variado


de escolas e deve ter percebido que elas, Para saber mais
mesmo quando são de uma mesma rede
Para saber mais sobre cultura organizacional da
de ensino, apresentam certas diferenças,
escola, acesse. Disponível em: <http://www.
muitas vezes relacionadas ao “ambiente
scielo.br/pdf/ensaio/v13n49/29240.pdf>
da escola” porque cada escola tem o seu
“modo” de fazer as coisas. Esse “modo”
refere-se à cultura organizacional, Essas experiências humanas que se
que tem relação direta com as relações encontram na escola são oriundas
interpessoais. Antes de você conhecer das múltiplas relações sociais, na qual
melhor quais são os aspectos da cultura a instituição educativa está inserida
organizacional da escola, é preciso e sofre influência direta do contexto
destacar que essa instituição constitui- social, econômico, histórico e político
se como um espaço de relações entre da sociedade. Por esse motivo é sempre
pessoas com diferentes histórias de vida, complexo analisar as relações interpessoais
com variados pontos de vista, com diversas de sujeitos que convivem em um
formações e que convivem no interior da determinado espaço, no nosso caso, a
escola. escola.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


113/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
Apesar de todas as pessoas que trabalham
ou frequentam a escola relacionarem- Para saber mais
se entre si, são os gestores escolares
Para saber mais sobre as diferenças entre gestão
que assumem a responsabilidade pela
de pessoas e gestão de recursos humanos, leia a
gestão de pessoas no ambiente educativo.
matéria no seguinte enderenço. Disponível em:
Você deve estar pensando sobre qual
<http://hbrbr.com.br/gestao-de-pessoas-
a diferença entre gestão de pessoas e
nao-e-com-o-rh/>
gestão de recursos humanos. Preferimos
a ideia gestão de pessoas, porque a ideia
gestão de recursos humanos parece A gestão de pessoas precisa considerar
estar mais ligada às questões técnicas e que cada sujeito tem o direito de ser
administrativas da vida profissional das amplamente respeitado em todas as
pessoas do que à dimensão humana e situações e tem o direito de ser acolhido
subjetiva. Portanto, quando falamos em em suas necessidades. Dessa forma, o
gestão de pessoas na escola, o foco é a respeito e o acolhimento contribuem
dimensão humana e subjetiva das relações positivamente para a convivência entre os
entre as pessoas nessa organização. sujeitos que compartilham o cotidiano da
escola e esses dois aspectos influenciam as

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


114/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
atitudes das pessoas e a cultura organizacional da escola.
Quando a escola se organiza-se pelos princípios da gestão democrática, o relacionamento
entre as pessoas tende a ser mais respeitoso e cordial e as relações de poder são mais
horizontalizadas, porque esse poder é compartilhado entre vários membros da comunidade
escolar.
Você pode perceber que as formas de relacionamento não somente na escola, mas em qualquer
organização ou instituição, educam e ensinam, pois quando a pessoa é bem tratada, acolhida e
respeitada, ela apresenta a tendência de querer tratar bem, acolher e respeitar o outro. Diante
disso, concordamos que:

[...] começa a ser um ponto assente que as organizações serão mais


resilientes e flexíveis quanto mais e melhor se aproximarem da
dinâmica relacional intra e interpsíquica própria das pessoas, no sentido
mais autêntico, de seres abertos, reflexivos, responsáveis, tolerantes,
autônomos e colaborativos [...]” (TAVARES, 2001, p. 44).

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


115/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
No ambiente da escola, que se ocupa No contexto das relações interpessoais
essencialmente com a formação das no âmbito organizacional da instituição
pessoas – estudantes, familiares dos educativa, entendo que os estudantes e os
estudantes e profissionais da educação profissionais da escola também aprendem
e de outras áreas (limpeza, cozinha, “[...] com os contextos socioculturais, com
manutenção predial) – o relacionamento as interações sociais, com as formas de
interpessoal é peça fundamental para o organização e de gestão, de modo que a
sucesso dessa instituição. Basta lembrar escola pode ser vista como um lugar de
que sendo a função social da escola, a permanente aprendizagem. [...]” (LIBÂNEO,
promoção do acesso dos estudantes 2013, p. 222). Partindo desse contexto,
ao conhecimento sistematizado você estudará agora sobre a cultura
pela humanidade, na perspectiva da organizacional da escola e suas influências
emancipação humana, o principal meio de para o trabalho educativo.
se garantir esse acesso é a partir da relação
professor-aluno. Não há um só profissional 1. A Cultura Organizacional Da
da escola que não precise relacionar-se Escola
direta e diariamente com outros sujeitos
desse lugar, sejam profissionais ou não. O significado do conceito de cultura é
Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos
116/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
muito amplo, resumidamente entendemos cultura como tudo aquilo que foi e é produzido pelo
ser humano, ou seja, cultura é um conjunto de elementos materiais e imateriais que foram
produzidos pelo ser humano para responder a alguma necessidade ou vontade de sua vida.
Nesse contexto, entendemos cultura organizacional como “[...] um conjunto de fatores sociais,
culturais, psicológicos que influenciam os modos de agir da organização como um todo e do
comportamento das pessoas em particular [...]” (Libâneo (2013, p. 92).

Link
Disponível em: <http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/1521/925>

Acreditamos que a cultura organizacional influencia todos os membros da organização,


principalmente no que diz respeito ao relacionamento interpessoal entre eles e apresenta
uma importância cada vez mais especial no tocante ao bom desenvolvimento e ao sucesso da
organização.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


117/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
quais comportamentos são permitidos e
quais incorrem em atos de indisciplina, são
Para saber mais detalhadas quais são as funções de cada
profissional, são apresentados os horários
Para saber mais acesse. de funcionamento da escola e os horários
Disponível em: <http://www.editorarealize. de aula, etc. Os ‘modos de ser’ da escola e
com.br/revistas/ceduce/trabalhos/ sua dinâmica estão impressos no Projeto
TRABALHO_EV047_MD1_SA9_ Político Pedagógico e revelam sua cultura
ID931_30052015220722.pdf> organizacional. Sobre isso, Pinto (2011, pp.
140-141) explica que:
Há um documento na escola que
apresenta sua cultura organizacional:
o Projeto Político Pedagógico. Nesse
documento estão explícitos quais são os
princípios e os valores da educação que
embasam todas as ações educativas,
também são apresentadas as práticas
pedagógicas da escola, são elencados

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


118/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
[...] se não há um projeto efetivamente implantado, a cultura da escola
é difusa e mutante. Quando o PPP está consolidado, instaura-se uma
cultura escolar intencionalizada. Isso não quer dizer que é congelada,
pois ela se altera à medida que os agentes escolares vão mudando,
ou seja, uma vez que os educadores e os alunos da escola são outros,
a cultura escolar vai se alterando, principalmente com a troca de
educadores. [...]

Quando a escola opera na lógica democrática, sua cultura organizacional se objetiva com
participação das pessoas, do diálogo entre elas, da promoção e da valorização do trabalho
coletivo e colaborativo e do compartilhamento de tomada de decisões e da tomada de
responsabilidades. Por esses motivos, a cultura organizacional tem implicações diretas para o
trabalho educativo da escola. Concordo com Libâneo (2013, p. 94) quando explica que:

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


119/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
[...] a partir da interação entre diretores, coordenadores pedagógicos,
professores, funcionários e alunos, a escola vai adquirindo, na vivência
do dia a dia, traços culturais próprios, vai formando crenças, valores,
significados, modos de agir, práticas. É o que estamos denominando
de cultura da escola ou cultura organizacional. Essa cultura própria
vai sendo internalizada pelas pessoas e gerando um estilo coletivo de
perceber as coisas, de pensar os problemas, de encontrar soluções. É
claro que isso não se dá sem conflitos. Mas há em cada escola uma
forma dominante de ação e interação entre as pessoas, que poderia ser
resumida na expressão: “temos nossa maneira de fazer as coisas por aqui.

Por tudo que foi visto até aqui, você pode entender melhor o vínculo existente entre a cultura
organizacional da escola e as relações interpessoais que acontecem em seu cotidiano, a
partir da perspectiva que essa cultura é (re)produzida pelas pessoas em relação umas com as
outras e que ela pode se modificar de acordo com a qualidade dessas relações. A seguir você
estudará o papel do gestor escolar como gestor de pessoas e suas implicações para a cultura
organizacional da escola.
Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos
120/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
seja, desempenhe sua função no cotidiano
escolar, de modo a garantir condições
Link para que os estudantes aprendam e se
Disponível em: <http://periodicos.uem.br/
desenvolvam. Portanto, o gestor escolar
ojs/index.php/ActaSciHumanSocSci/article/
é um gestor de pessoas, cuja essência
viewFile/5065/5065>
profissional implica no trabalho coletivo,
pois não há como o gestor trabalhar
Disponível em: <https://www.youtube.com/ sozinho ou garantir o bom funcionamento
watch?v=_tEi3gIJn98> da escola sozinho.

2. O Papel do Gestor Escolar


como Gestor de Pessoas
Para saber mais
Para saber mais sobre a gestão de pessoas,
A essência do trabalho do gestor escolar assista ao vídeo “Desafio à gestão de pessoas:
é coordenar e mobilizar as pessoas, como por que é tão difícil mudar?”. Disponível
se fosse um maestro de uma grande em: <https://www.youtube.com/
orquestra, para que cada um toque seu watch?v=v7EOhAT1ouY>
instrumento da melhor forma possível, ou
Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos
121/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
O papel do gestor escolar é organizar recebidas e com o cardápio
ações administrativas, pedagógicas e estabelecido.
logísticas no cotidiano da escola a partir da • Acompanhar o trabalho de
mobilização de pessoas e, na perspectiva manutenção predial, solicitando
da gestão democrática, exercer uma informações e averiguando o que
liderança compartilhada com todos os está sendo feito.
sujeitos envolvidos nessas ações. Você vai
ver a seguir alguns exemplos das funções • Planejar as reuniões pedagógicas
do gestor escolar como gestor de pessoas: com o coordenador pedagógico.
• Realizar as reuniões pedagógicas com
• Estudar e analisar como os
o coordenador pedagógico e com os
profissionais técnico-administrativos
demais profissionais da escola.
estão atendendo o público e
fornecendo as informações que lhe • Estimular a participação de todos os
são solicitadas. sujeitos da comunidade escolar nas
reuniões de conselho de escola.
• Verificar se as funcionárias da
cozinha estão preparando a merenda • Zelar pela frequência dos estudantes
escolar de acordo com as orientações à escola, entrando em contato com

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


122/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
a família quando o estudante estiver faltando e informando ao Conselho Tutelar os casos
omissos.
No contexto apresentado acima, o trabalho do gestor escolar consiste em basicamente
relacionar-se com os outros profissionais, com os estudantes e seus familiares, oferecendo-
lhes atenção, apoio e orientações, para que os objetivos da escola sejam alcançados.
Voltando à metáfora do gestor escolar como maestro de uma grande orquestra, entendo que
seu principal desafio, como gestor de pessoas, é exercer uma liderança que estimule e mobilize
as pessoas a participarem da escola de modo a contribuir para que ela se transforme em uma
organização reflexiva, flexível e resiliente.

[...] é uma organização inteligente, na qual todas as pessoas são livres,


responsáveis e funcionam em uma relação de confiança, de empatia,
de solidariedade, de entre-ajuda, em qualquer nível do sistema ou da
realidade, como algo que lhe é próprio, em que o sucesso nos processos
e nos resultados não é alheio a ninguém, e sim partilhado por todos. [...]”
TAVARES, 48.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


123/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
O papel do gestor escolar como gestor de pessoas tem influência direta para a cultura
organizacional da escola, porque este profissional é responsável por mediar as relações entre
as pessoas, inclusive quando algum conflito aparece. Quando o gestor escolar exerce uma
liderança democrática e compartilha o “poder” com as demais pessoas da comunidade escolar,
as relações interpessoais e a cultura organizacional da escola tendem a ser mais democráticas,
respeitosas, flexíveis, resilientes, empáticas, solidárias e harmoniosas.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


124/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
Glossário
Imaterial: qualidade do que não é material, que não existe materialmente, por exemplo:
valores, crenças, hábitos, virtudes, etc.
Resiliente: qualidade da pessoa que é flexível, que resiste às pressões de situações
adversas e que supera problemas.
Liderança compartilhada: ocorre na gestão democrática quando não é somente o líder
quem tem o poder, e sim todos têm o poder e as responsabilidades pelas escolhas.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


125/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
?
Questão
para
reflexão
Leia o texto “Liderança nas organizações educativas: a
direção por valores”.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ensaio/
v16n61/v16n61a05.pdf>.

Faça uma resenha sobre ele apresentando uma síntese


das principais ideias do texto, sua opinião sobre elas e
uma relação com o conceito de cultural organizacional
e com o papel do gestor escolar como gestor de
pessoas.

126/176
Considerações Finais

» A cultura organizacional da escola é um conjunto de fatores sociais, culturais,


psicológicos que influenciam os modos de agir da organização como um todo e
do comportamento das pessoas em particular (LIBÂNEO, 2013, p.92).
» O papel do gestor escolar é organizar ações administrativas, pedagógicas e
logísticas através da mobilização de pessoas.
» Os gestores escolares assumem a responsabilidade pela gestão de pessoas no
ambiente educativo.
» A gestão de pessoas na escola enfoca a dimensão humana e subjetiva das
relações entre as pessoas nessa organização.

127/176
Referências

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: Teoria e Prática. 6ª ed. São Paulo:
Heccus Editora, 2013.
PINTO, Umberto de Andrade. Pedagogia Escolar: coordenação pedagógica e gestão
educacional. São Paulo: Cortez, 2011.
TAVARES, José. Relações interpessoais em uma Escola Reflexiva. In: ALARCÃO, Isabel (org.).
Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001, pp. 31-64.

Unidade 6 •O gestor escolar como gestor de pessoas: considerações sobre os relacionamentos


128/176
interpessoais e a cultura organizacional da escola
Questão 1
1 – A que se refere o “modo” de fazer as coisas de uma escola?

a) Refere-se ao clima institucional da escola, que tem relação direta com as relações de
poder.
b) Refere-se à maneira como os gestores estabelecem as diretrizes para o trabalho
pedagógico na escola.
c) Refere-se à cultura organizacional, que tem relação direta com as relações interpessoais.
d) Refere-se ao método adotado na escola para embasar as práticas pedagógicas da escola.
e) Refere-se aos acordos internos promovidos pela gestão da escola.

129/176
Questão 2
2 – Quem assume a responsabilidade pela gestão de pessoas na escola?

a) Os gestores escolares e os profissionais técnico-administrativos.


b) Os gestores escolares.
c) Os profissionais técnico-administrativos.
d) Os professores e os gestores.
e) Os professores os profissionais técnico-administrativos.

130/176
Questão 3
3 - Por que é melhor falar em gestão de pessoas do que em gestão de re-
cursos humanos?
a) Porque a gestão de pessoas enfoca a dimensão humana e subjetiva das relações entre as
pessoas na organização.
b) Porque a gestão de pessoas dá conta do complexo aparelho administrativo da escola.
c) Porque a gestão de recursos humanos não pertence ao campo educacional.
d) Porque a gestão de recursos humanos trata apenas da dimensão subjetiva dos
profissionais da escola.
e) Porque a gestão de pessoas enfoca a dimensão administrativa e técnica dos profissionais
da escola.

131/176
Questão 4
4 – O que é a cultura organizacional da escola?

a) É um conjunto de crenças, hábitos e práticas elaborados e dirigidos pelo gestor escolar.


b) É um conjunto de elementos imateriais (valores, crenças, hábitos, práticas,
comportamentos, atitudes) produzidos pelos gestores escolares.
c) É um conjunto administrativo de elementos organizativos da escola.
d) É um conjunto de fatores sociais, culturais, psicológicos que influenciam os modos de agir
da organização como um todo e do comportamento das pessoas em particular.
e) É um conjunto de elementos materiais que organização a gestão da escola.

132/176
Questão 5
5 – Por que o gestor escolar é também um gestor de pessoas?

a) Porque ele é responsável por todas as pessoas no cotidiano da escola.


b) Porque ele se ocupa de estimular e motivar os profissionais da escola a desempenharem
com eficiência suas funções no cotidiano da escola.
c) Porque ele é o líder que comanda as pessoas no cotidiano da escola.
d) Porque ele coordena e mobiliza as pessoas, apenas quando se faz necessário.
e) Porque ele coordena e mobiliza as pessoas, como se fosse um maestro de uma grande
orquestra.

133/176
Gabarito
1. Resposta: C. e administrativas da vida profissional das
pessoas do que à dimensão humana e sub-
Cada escola, pela natureza de sua cultura jetiva.
organizacional, cria “seus modos” de
fazer as coisas e diferenciam-se umas das
outras.
4. Resposta: D.

Essa cultura é (re)produzida pelas pessoas


2. Resposta: B. na escola em relação umas com as outras
e ela pode se modificar de acordo com a
Porque o papel do gestor escolar
qualidade dessas relações.
é organizar ações administrativas,
pedagógicas e logísticas a partir da
mobilização de pessoas.
5. Resposta: E.

Porque o papel do gestor escolar


3. Resposta: A. é organizar ações administrativas,
pedagógicas e logísticas através da
Porque a ideia “gestão de recursos huma- mobilização de pessoas.
nos” está mais ligada às questões técnicas
134/176
Unidade 7
Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar

Objetivos

» Conhecer os âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e


participativo da gestão escolar.
» Entender o conselho de escola como elemento da gestão
democrática.
» Compreender o caráter pedagógico da gestão escolar.

135/176
Introdução

Você conhece alguma escola de educação porque essa palavra exprime várias ideias
básica que não tem o diretor e/ou a equipe boas ao mesmo tempo: prestar atenção
de direção? Ou que ainda não criou o na escola, tomar conta dela, velar por ela,
conselho de escola? Existe escola que não vigiá-la, zelar por ela, responsabilizar-se e
dispõe de um setor pedagógico? Há escolas interessar-se por ela.
sem professores? Essas perguntas o levam
a refletir sobre elementos da estrutura
organizacional interna da escola. É preciso
destacar que os gestores escolares (diretor,
Link
coordenador pedagógico, orientador Disponível em: <https://www.google.com.
educacional) são os profissionais que br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=we-
lidam com toda a estrutura organizacional b&cd=2&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKE-
interna da escola, por isso mesmo eles wiyu4jr-9_MAhWME5AKHTKgDT0QFg-
cuidam da gestão pedagógica, da gestão giMAE&url=http%3A%2F%2Fperiodicos.
administrativa, da gestão financeira, ufpb.br%2Findex.php%2Fpgc%2Farticle%2F-
da gestão de pessoas e da gestão do download%2F12540%2F8033&usg=AFQjCN-
conhecimento. Gosto muito da palavra GKibxkYIuAHk2UAFo-kwR12UZwig&bvm=b-
cuidar para entender a gestão escolar, v.122129774,d.Y2I>

136/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


Para que você possa entender melhor de pessoas. As questões administrativas
a multiplicidade de funções e referem-se à produção e organização
incumbências que o gestor escolar possui da documentação da vida escolar dos
na estrutura organizacional interna da estudantes e da vida profissional dos
escola, vamos classificar essas funções e professores, dos gestores e dos demais
incumbências em três âmbitos: o âmbito funcionários da escola; à produção e
organizativo-administrativo, o âmbito organização dos documentos oficiais da
pedagógico e o âmbito participativo. escola tais como ofícios, memorandos,
atestados, certificados, entre outros;
ao atendimento ao público em geral na
Para saber mais Secretaria da Escola, etc. As questões
Para saber mais, leia o livro “Dimensões da financeiras reportam-se a gestão
Gestão Escolar e suas Competências”, da Heloísa dos recursos financeiros que a escola
Lück, publicado pela Editora Positivo, em 2009. recebe, via verbas públicas do MEC e das
Secretarias de Educação, quando a escola
é pública ou via receitas diversas quando
No âmbito organizativo-administrativo da
a escola é privada. Muitas escolas públicas
gestão escolar estão inclusas as questões
contratam o serviço de um profissional da
administrativas, financeiras e de gestão
137/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar
contabilidade para gerenciar e documentar de pessoas. Compreendemos trabalho
a utilização das verbas que a escola recebe pedagógico como “conjunto de práticas
e que, com as deliberações do conselho educativas organizadas intencionalmente
de escola, utiliza. No âmbito organizativo- para atender expectativas e objetivos
administrativo da gestão escolar também educacionais de determinada sociedade,
encontram-se questões relativas à gestão em determinado contexto histórico”
de pessoas. Isso quer dizer que os gestores (ROGERIO, 2015, p.89). Desse modo, as
escolares orientam, acompanham e questões sobre o trabalho pedagógico
coordenam o trabalho de profissionais , da escola referem-se diretamente às
por exemplo, do secretário de escola, dos atribuições de diretores, coordenadores
auxiliares de secretaria, dos inspetores de pedagógicos, orientadores educacionais
alunos, dos vigilantes, do zelador/caseiro/ e professores. A gestão do conhecimento
porteiro, das cozinheiras, das faxineiras, diz respeito às atividades de formação
dentre outros. continuada em serviço de professores
No âmbito pedagógico da gestão escolar e demais funcionários que visa ao
estão contempladas questões relativas ao desenvolvimento profissional deles.
trabalho pedagógico da escola, à gestão A gestão do conhecimento refere-
do conhecimento e também à gestão se à mobilização de recursos para o

138/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


investimento no desenvolvimento Para além dos âmbitos organizativo-
profissional das pessoas que trabalham na administrativo e pedagógico da gestão
escola. No âmbito pedagógico da gestão escolar, destacamos, também, o âmbito
escolar também está assentada a gestão participativo que versa sobre a tarefa do
de pessoas porque os gestores escolares gestor escolar em estimular, promover e
orientam, acompanham e coordenam o garantir a participação da comunidade
trabalho dos professores e as atividades escolar no cotidiano da escola. Você verá
dos estudantes. Mais adiante nessa aula a seguir como se constitui o conselho
você estudará sobre o caráter pedagógico de escola e qual sua importância para a
da gestão escolar. gestão democrática da escola.

1. O Conselho de Escola como


Para saber mais Elemento da Gestão Democráti-
Para saber mais sobre gestão do conhecimento, ca
acesse: Disponível em: <http://www.
portaleducacao.com.br/administracao/ Você já deve ter ouvido falar sobre o
artigos/44183/conceito-de-gestao-do- conselho de escola. Esse conselho é
conhecimento>. um colegiado escolar que conta com

139/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


a participação de pessoas dos diversos segmentos da comunidade escolar – profissionais,
estudantes e familiares dos estudantes – na perspectiva da gestão democrática da educação.

O colegiado pode, então, ser caracterizado como um órgão coletivo de


decisões, capaz de superar a prática do individualismo e do grupismo,
instalando-se como uma instituição eminentemente política, na medida
em que agrega de cada um dos setores (escola e comunidade) os seus
interesses específicos, que devem ser unificados em prol do projeto da
escola (ABRANCHES, 2003, p. 56).

Link
Link. Disponível em: <http://www.ebc.com.br/infantil/para-educadores/
galeria/videos/2012/07/salto-para-o-futuro-debate-a-importancia-
dos>

140/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


Você encontra na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional em seu artigo 12, inciso
VI, a orientação para que os estabelecimentos de ensino articulem-se “com as famílias e a
comunidade, criando processos de integração da sociedade com a escola”. Isso quer dizer que
cada escola precisa buscar meios e espaço de articulação e de integração com as famílias e a
comunidade. Em grande parte das escolas brasileiras, esses meios e espaço se consubstanciam
no conselho de escola.

Link
Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>

Disponível em: <https://www.youtube.com/


watch?v=k4RX69bj8ak&feature=youtu.be>

Existem regulações distintas nas redes públicas estaduais e municipais de ensino do Brasil
sobre a constituição do conselho de escola e sobre suas atribuições. Em geral, o conselho de
escola é um colegiado representativo dos segmentos da escola: professores, profissionais
técnico-administrativos, gestores, estudantes, familiares dos estudantes. Isso quer dizer que há
141/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar
uma quantidade específica de membros de • Compartilhar decisões e
cada segmento que podem fazer parte das responsabilidades sobre o cotidiano
instâncias deliberativas desse colegiado da escola.
e, geralmente, eles são eleitos pelos seus • Promover e garantir o diálogo e a
pares para representa-los no conselho participação das pessoas.
de escola. Vale destacar que todos os
profissionais, todos os estudantes e seus • Promover e garantir a participação de
familiares podem participar das reuniões todos na elaboração ou na revisão do
do conselho, para esclarecerem dúvidas e Projeto Político Pedagógico.
fazer proposições. Mas, no momento das • Aprovar o calendário escolar,
deliberações, quem ‘vota’ para tomar as garantindo o mínimo de dias letivos
decisões são os representantes eleitos de previstos em lei.
cada segmento. A seguir você conhecerá
• Acompanhar as aprendizagens dos
algumas atribuições do conselho de
estudantes e elaborar sugestões para
escola para a gestão escolar:
melhorar essas aprendizagens.
• Acompanhar as demandas e deliberar • Aprovar a prestação de contas da
sobre a utilização dos recursos utilização dos recursos financeiros.
financeiros.
142/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar
• Conhecer os casos de indisciplina e 2. O Caráter Pedagógico da
propor sugestões para saná-los. Gestão Escolar
• Mediar conflitos entre as pessoas.
Muitas vezes o gestor escolar é visto
como o profissional que cuida apenas
das questões técnico-administrativas
Link da escola. Se você lembrar que a função
Disponível em: <https://www.youtube.com/ social da escola é promover o acesso
watch?v=gkvifGNsq5Q&index=10&list=PLxI dos estudantes ao saber sistematizado
8Can9yAHeirI1yhJwkreTjMU-ED91I> e produzido pela humanidade, vai
perceber que a função social da escola é
eminentemente pedagógica, por isso, o
O conselho de escola é um elemento da
trabalho do gestor também é pedagógico
gestão democrática porque ele configura-
em sua essência.
se como espaço de participação da
comunidade escolar nos assuntos sobre Quando o gestor escolar consegue garantir
o cotidiano da escola, estimulando condições adequadas para que a atividade
o trabalho coletivo, colaborativo e de ensino dos professores aconteça e os
corresponsável. estudantes aprendam, destaca-se aí o
143/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar
caráter pedagógico de sua ação na relação escolar porque, na relação entre sujeitos,
entre o ensino e as práticas escolares. Além o processo de formação humana se
disso, o caráter pedagógico da gestão desenvolve.
escolar reside no fato que essa gestão Na Grécia antiga o papel do Pedagogo era
é responsável por coordenar o trabalho conduzir a criança para sua aprendizagem
pedagógico na escola. Entendemos e seu desenvolvimento. Na gestão
coordenação do trabalho pedagógico democrática, o gestor escolar conduz,
como “atividade de coordenar, organizar numa liderança compartilhada com os
e articular o trabalho pedagógico com os professores, os estudantes – por meio da
sujeitos envolvidos nas práticas educativas, promoção das condições adequadas para
sendo, ao mesmo tempo, responsável pelo a realização da atividade de ensino – a
seu andamento” (ROGERIO, 2015, p. 90). aprenderem e se desenvolverem. Assim
O caráter pedagógico da gestão escolar se explica o caráter pedagógico da gestão
também pode ser compreendido a partir escolar.
do entendimento que a atividade do gestor
é sempre uma atividade de mediação
entre sujeitos. Dessa forma, o pedagógico
refere-se ao atributo educativo da gestão
144/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar
Glossário
Deliberar: resolver, decidir, tomar decisão; refletir sobre um problema e eleger uma
solução.
Regular: orientar, nortear, conduzir.
Mediar: agir na qualidade de mediador, intervir, colocar-se em relação com alguém.

145/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


?
Questão
para
reflexão

A partir do que você estudou tem estudado nessa


disciplina, que ações e atividades a gestão escolar pode
promover para estimular a participação dos familiares
dos estudantes no cotidiano da escola?

146/176
Considerações Finais

» Os gestores escolares lidam com a gestão pedagógica, administrativa, financeira, de


pessoas e do conhecimento.
» As funções dos gestores escolares encontram-se no âmbito organizativo-administrativo,
pedagógico e participativo.
» O conselho de escola é um elemento da gestão democrática porque ele configura-se
como o espaço principal de participação da comunidade escolar.
» O caráter pedagógico da gestão escolar refere-se à essência do trabalho do gestor.

147/176
Referências

ABRANCHES, Mônica. Colegiado escolar: espaço de participação da comunidade. São Paulo:


Cortez, 2003.
ROGÉRIO, Rosa Maria de Freitas. Possibilidades e limites para uma coordenação
compartilhada do trabalho pedagógico no CEU. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade
de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: <http://teses.usp.br/
teses/disponíveis/48/48134/tde-27102015-093535/>.

148/176 Unidade 7 • Âmbitos organizativo-administrativo, pedagógico e participativo da gestão escolar


Questão 1
1 – A multiplicidade de funções e incumbências que o gestor lidar pode ser
compreendida a partir de três âmbitos. Quais são eles?
a) O âmbito organizativo-administrativo, o âmbito burocrático e o âmbito participativo.
b) O âmbito técnico-administrativo, o âmbito pedagógico e o âmbito participativo.
c) O âmbito burocrático-administrativo, o âmbito pedagógico e o âmbito participativo.
d) O âmbito organizativo-administrativo, o âmbito pedagógico e o âmbito burocrático.
e) O âmbito organizativo-administrativo, o âmbito pedagógico e o âmbito participativo.

149/176
Questão 2
2 – Quais questões estão inclusas no âmbito organizativo-
administrativo?

a) Questões técnicas, financeiras e de gestão de pessoas.


b) Questões administrativas, técnicas e de gestão de pessoas.
c) Questões administrativas, financeiras e técnicas.
d) Questões administrativas, financeiras e de gestão de pessoas.
e) Questões administrativas, financeiras e de gestão do conhecimento.

150/176
Questão 3
3 - À que se refere a gestão do conhecimento?

a) Às atividades de formação em local de livre escolha de professores e demais


funcionários, visando ao desenvolvimento profissional deles.
b) Ás atividades de estudo por parte dos professores, visnado ao desenvolvimento
profissional deles.
c) Ás atividades de formação continuada em serviço de professores e demais
funcionários visando ao desenvolvimento profissional deles.
d) Ás atividades de formação continuada dos gestores escolares, visando ao
desenvolvimento profissional deles.
e) Ás atividades de formação continuada dos funcionários técnico-administrativos,
visando ao desenvolvimento profissional deles.

151/176
Questão 4
4 - O que é o conselho de escola?

a) É uma instância deliberativa que conta com a participação de todos os profissionais da


escola.
b) É um colegiado escolar que conta com a participação de pessoas dos diversos segmentos
da comunidade escolar – profissionais, estudantes e familiares dos estudantes.
c) É um órgão colegiado, com funções consultiva e deliberativa, que conta com a
participação dos gestores escolares.
d) É uma instância que regula todas as atividades da escola, por meio de reuniões semanais
entre os profissionais da escola.
e) É um colegiado escolar que busca estimular apenas a participação dos profissionais nas
instâncias decisórias e deliberativas da escola.

152/176
Questão 5
5 - Como se explica o caráter pedagógico da gestão escolar? Por meio:

a) do trabalho do gestor escolar em conseguir garantir condições adequadas para


que a atividade de ensino dos professores aconteça e os estudantes aprendam.
b) do trabalho do gestor escolar em construir o Projeto Político Pedagógico da escola.
c) do trabalho do gestor escolar, na figura do coordenador pedagógico.
d) do trabalho do gestor escolar, na figura do orientador educacional.
e) do trabalho do gestor escolar, na figura do diretor de escola.

153/176
Gabarito
1. Resposta: E. faxineiras, etc.).

Os gestores escolares lidam com a gestão 3. Resposta: C.


pedagógica, administrativa, financeira, de
pessoas e do conhecimento, nos âmbitos A gestão do conhecimento refere-
organizativo-administrativo, pedagógico e se à mobilização de recursos para o
participativo. investimento no desenvolvimento
profissional das pessoas que trabalham na
2. Resposta: D. escola.

O âmbito organizativo-administrativo 4. Resposta:B


engloba questões administrativas
(documentos de estudantes, da carreira O conselho de escola é um elemento da
dos profissionais, da própria escola, gestão democrática, pois articula e garante
etc.), financeiras (utilização do recurso a participação das pessoas da comunidade
financeiro) e de gestão de pessoas (o escolar.
trabalho dos funcionários da secretaria
da escola, da inspetoria de alunos, das

154/176
Gabarito
5. Resposta: A.

O caráter pedagógico da gestão escolar


refere-se á essência do trabalho do gestor.

155/176
Unidade 8
A gestão dos processos comunicativos na escola

Objetivos

» Compreender em que consiste a gestão dos processos comunicativos na escola.


» Refletir sobre competência comunicativa e barreiras à comunicação.
» Conhecer os desafios para a gestão dos processos comunicativos na escola.

156/176
Introdução

Você sabia que a gestão dos processos então, que a escola é uma organização
comunicativos – ou gestão da comunicação comunicativa porque ela “põe em comum
– no cotidiano da escola é também uma e partilha” informações, orientações,
função do gestor escolar? Para entender diretrizes curriculares, Projeto Político
em que consiste a gestão da comunicação, Pedagógico, práticas pedagógicas, entre
iniciamos essa aula com a explicação outros.
etimológica da palavra comunicação
encontrada no Dicionário Houaiss da
Língua Portuguesa. Comunicação significa
“tonar algo comum, por em comum,
Link
Disponível em: <https://www.youtube.com/
partilhar algo” (HOUAISS, 2009, pp. 508-
watch?v=HCzLwkutr3M>
509). Esse significado está relacionado
com as interações entre as pessoas e, no
contexto organizacional da escola, todas A escola é uma organização comunicativa
as ações organizativo-administrativas e também porque ela, quando orientada
todas as práticas educativas perpassam pelos princípios da gestão democrática,
por essas interações. A comunicação é o promove a participação de todos via
que conecta as pessoas. Podemos dizer, diálogo nas reuniões de conselho
157/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
de escola e em outros momentos do estudante que a escola é lugar do convívio
cotidiano da escola. O diálogo é base respeitoso entre as pessoas ou quando
para a comunicação e implica em saber é necessário dizer a um profissional que
escutar as diferentes vozes dos sujeitos ele precisa melhorar sua conduta e suas
da comunidade escolar. Sobre isso Paulo atitudes no desempenho de sua função na
Freire (2001, pp.127-128) defende que escola.
“[...] Somente quem escuta paciente e Na perspectiva da gestão democrática, o
criticamente o outro, fala com ele, mesmo gestor escolar precisa entender que onde
que em certas condições, precise de falar há possibilidade de pôr em comum a
a ele. [...]”. O falar com exige a escuta construção de ações e de sentidos entre os
respeitosa e atenta do outro, por isso é membros da comunidade escolar, maior vai
base para o diálogo e para a comunicação ser a possibilidade que essas ações e esses
(tornar algo comum) na escola. O falar a sentidos sejam resultados de decisões
ele refere-se à necessidade de orientar e compartilhadas por esses membros. A
até mesmo de reprimir comportamentos comunicação é o elemento que pode
e atitudes que não são respeitosos e articular pontos de vista diferentes em prol
solidários, por exemplo, em situações de de objetivos coletivos. E a articulação de
indisciplina quando é preciso dizer ao diversos pontos de vista é tarefa do gestor
158/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
escolar em prol dos objetivos educativos e pedagógicos da escola. Por esses motivos, a gestão
dos processos comunicativos na escola contribui para o êxito da própria gestão escolar.

Para saber mais


Para saber mais sobre a comunicação nos vários segmentos da escola, acesse. Disponível
em: <https://www.youtube.com/watch?v=1YDuZ1aVmpg>

Para entender melhor a gestão dos processos comunicativos na escola nos orientamos
pelas proposições do filósofo alemão Jürgen Habermas (2012), criador da teoria da ação
comunicativa, que defende que o agir comunicativo está baseado no diálogo entre as pessoas
para o entendimento comum de fatos/situações/ideias e para conciliar seus interesses,
buscando um consenso para o bem comum. Sobre isso, Pinto (1995, p. 80) explica que:

159/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola


[...]a ação comunicativa surge como uma interação de, no mínimo dois
sujeitos, capazes de falar e agir, que estabelecem relações interpessoais
com o objetivo de alcançar uma compreensão sobre a situação em que
ocorre a interação e sobre os respectivos planos de ação com vistas a
coordenar suas ações pela via do entendimento[...].

Link
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Z3jOoNPu_P4>

Para saber mais


Para saber mais sobre a teoria da ação comunicativa, leia o artigo “Habermas e a
educação: racionalidade comunicativa, diagnóstico crítico e emancipação”, de Heldon Henrique
Mühl. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v32n117/v32n117a08.pdf>.

160/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola


Nessa perspectiva, entendemos que a nos processos comunicativos na escola e
função do gestor escolar, na gestão da verá também quais são os desafios para a
comunicação na escola, é garantir o espaço gestão desses processos.
para o diálogo coletivo entre os membros
da comunidade escolar, para que esses 1. A Comunicação na Escola:
membros, ao conversarem e expressarem Competência Comunicativa e
suas opiniões, consigam eleger objetivos Barreiras à Comunicação
educativos, ações e práticas pedagógicas
a serem buscados de forma coletiva e Para você entender melhor os processos
corresponsável. Ao garantir o espaço comunicativos na escola, você precisa
para a comunicação e a participação compreender o que é competência
das pessoas, o gestor escolar fortalece comunicativa e quais são as barreiras à
a gestão democrática e participativa, comunicação. Entendemos competência
pois a gestão da escola torna-se menos comunicativa como a “capacidade
diretiva e centralizadora e mais coletiva e do usuário da língua de produzir e
comunicativa. compreender textos adequados à
Você estudará a seguir quais competências produção de efeitos de sentido desejados
linguísticas e quais barreiras influenciam em situações específicas e concretas de

161/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola


interação comunicativa” (TRAVAGLIA, s/d). questionado.
A partir dessa definição, consideramos que • Expressar-se clara e objetivamente.
competência é um conjunto de qualidades
e que habilidade é apenas uma qualidade. • Considerar a opinião do outro
Desse modo, para que uma pessoa com respeito, mesmo quando há
desenvolva sua competência comunicativa, discordância de opiniões.
ela precisa dispor de um conjunto de • Escolher e combinar recursos
habilidades comunicativas. A seguir, linguísticos para se expressar.
algumas dessas habilidades:
• Escutar o outro.
• Conhecer a norma padrão da Língua • Fazer críticas objetivas.
Portuguesa.
• Colocar-se no ponto de vista do
• Receber, interpretar e produzir outro.
informação.
• Fazer perguntas quando se quer
• Estar aberto e atento ao ponto de conhecer algo.
vista do outro.
• Deliberar, ou seja, expor e defender
• Elaborar respostas, a partir de argumentos na base da negociação.
conhecimentos prévios, quando for
162/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
A competência comunicativa contribui • Barreiras pessoais: ocasionadas
decisivamente para a gestão democrática por dificuldades pessoais e/
da escola porque ajuda a reduzir os ruídos ou emocionais na hora de ouvir,
de comunicação e porque ela permite entender e produzir a mensagem/
às pessoas participarem dos processos informação.
comunicativos de forma respeitosa e • Barreiras físicas: ocasionadas por
tomar decisões a partir da negociação interferências físicas no ambiente
de opiniões com vistas à elaboração de onde ocorre a comunicação ou no
um consenso. Agora que você conhece o aparelho eletrônico que medeia a
significado de competência comunicativa, comunicação, por exemplo, ruídos e
você compreenderá o que são barreiras à barulhos.
comunicação.
• Barreiras semânticas: quando há
Quando a comunicação é mal realizada ou dificuldade de captar o sentido da
mal entendida e não alcança seu objetivo, comunicação e o significado da
provavelmente existe uma barreira no mensagem.
processo comunicativo. Partindo dos
Acrescentamos mais uma barreira às
estudos de Chiavenato (2009), as barreiras
elencadas por Chiavenato:
mais comuns à comunicação são:
163/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
• Barreira organizacional: quando que organiza e coordena tudo na escola.
a organização não estimula e não Quando a comunicação acontece, sem
promove o diálogo e a comunicação. falhas ou rupturas, o caminho para a
O gestor escolar ao gerir os processos prevenção e a resolução de conflitos é
comunicativos na escola precisa estar fortalecido, pois a falta de comunicação
atento às barreiras à comunicação para ou suas falhas podem gerar mal-
que ele possa enfrenta-las e melhorar a entendidos, desconforto, insegurança e
comunicação na instituição educativa. A desmotivação no ambiente escolar. Diante
seguir você estudará quais são os principais disso, apresento alguns desafios para o
desafios para a gestão dos processos gestor escolar na gestão dos processos
comunicativos na escola. comunicativos na escola:
• Melhorar a comunicação: otimizando
2. Desafios para a Gestão Dos os espaços de divulgação de
Processos Comunicativos na informação, tais como, murais e
Escola quadro de avisos; promovendo
reuniões periódicas com as equipes
Ao longo dessa aula, você aprendeu que a de trabalho (docentes, funcionários
comunicação é o que integra as pessoas e técnico-administrativos, cozinheiras,
164/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
faxineiras, vigilantes/zeladores/ as pessoas para que elas possam
porteiros, e demais gestores) sobre compartilhar as informações, as
o cotidiano da escola; otimizando sugestões e as tomadas de decisões.
as pautas da reunião de conselho
de escola; planejando suas ações e
intervenções e comunicando-as com Link
antecedência a todos; informando as Disponível em: <https://www.youtube.com/
alterações na rotina da escola, etc. watch?v=4CAJ9ZgByWY>
• Reduzir os ruídos de comunicação:
promovendo o diálogo de forma
clara, objetiva e respeitosa e
evitando a disseminação de boatos Para saber mais
e especulações sobre assuntos Ruídos de comunicação são elementos que
diversos. interferem no processo de comunicação
• Promover a participação de todos de uma mensagem de um emissor para um
no cotidiano escolar, especialmente receptor.
nas reuniões de conselho de escola:
promovendo a comunicação entre
165/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola
Os desafios para a gestão dos processos comunicativos na escola são possíveis e viáveis e
dependem basicamente das interações entre as pessoas. Mais uma vez ganha destaque o papel
do gestor como mediador das relações interpessoais no ambiente da escola.

Glossário
Etimológica: relativa à origem e à evolução da palavra.
Diretrizes curriculares: normas que orientam o planejamento curricular das escolas.
Recursos linguísticos: são formas de expressão baseadas em figuras de linguagem, tais
como, comparação, metáfora, antítese, ironia, hipérbole, eufemismo, etc.

166/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola


?
Questão
para
reflexão

Quais problemas de comunicação existem na escola


que você conhece? Identifique os pontos positivo e
negativos nos processos de comunicação nessa escola
e elabore uma ação para melhorar ou eliminar os
pontos negativos.

167/176
Considerações Finais

» A escola é uma organização comunicativa porque ela põe em comum


e partilha informações, orientações, diretrizes curriculares, Projeto
Político Pedagógico, práticas pedagógicas, entre outros.
» A comunicação é o elemento que pode articular pontos de vista
diferentes em prol de objetivos coletivos.
» A competência comunicativa contribui para a gestão democrática
da escola porque ajuda a reduzir os ruídos de comunicação e porque
permite às pessoas participarem dos processos comunicativos.
» Desafios para a gestão dos processos comunicativos: melhorar
a comunicação, reduzir os ruídos de comunicação e promover a
participação de todos no cotidiano escolar.

168/176
Referências

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: O capital humano das organizações. São Paulo:
Editora Campus, 2009.
HABERMAS, Jürgen. Teoria do agir comunicativo. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.
HOUAISS, Antônio e VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de
Janeiro: Objetiva, 2009.
PINTO, José Marcelino de Rezende. A teoria da ação comunicativa de Jürgen Habermas:
conceitos básicos e possibilidades de aplicação à administração escolar.Paidéia (Ribeirão
Preto),  Ribeirão Preto ,  n. 8-9, p. 77-96,  Aug.  1995 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/
pdf/paideia/n8-9/07.pdf>. Acesso em 18/05/2016. 

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Competência comunicativa. In: Termos de Alfabetização, Leitura e


Escrita para educadores. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/
verbetes/competencia-comunicativa>. Acesso em 18/05/2016.

169/176 Unidade 8 • A gestão dos processos comunicativos na escola


Questão 1
1 - Por que a escola é uma organização comunicativa?

a) Porque ela, quando orientada pelos princípios da gestão democrática, promove a


participação de todos via diálogo nas reuniões de conselho de escola e em outros
momentos do cotidiano da escola.
b) Porque ela é uma organização de relacionamentos interpessoais entre os diversos sujeitos
da comunidade escolar.
c) Porque ela se orienta pela Teoria da Ação Comunicativa, do filósofo alemão Jürgen
Habermas.
d) Porque ela promove a comunicação entre os gestores e os professores, com ênfase nas
relações hierárquicas de poder.
e) Porque ela entende que a comunicação estrutura as relações interpessoais,
principalmente a relação professor-aluno.

170/176
Questão 2
2 - O que defende a Teoria da Ação Comunicativa de Habermas?

a) Defende que a ação comunicativa precisa ser estimulada pelos gestores escolares, com
destaque para as relações interpessoais.
b) Defende que o agir comunicativo está baseado no diálogo entre as pessoas para o
entendimento comum de fatos/situações/ideias e para conciliar seus interesses, buscando
um consenso para o bem comum.
c) Defende que a ação comunicativa, baseada no diálogo, ainda não conseguiu propor um
encaminhamento democrático para as relações interpessoais.
d) Defende que o agir comunicativo está baseado no diálogo, mas ainda opera na ótica
individual e não coletiva das ações pedagógicas da escola.
e) Defende que a ação comunicativa é fundamental para a boa elaboração do Projeto
Político Pedagógico da escola.

171/176
Questão 3
3 - Ao garantir o espaço para a comunicação e a participação das
pessoas, o gestor escolar fortalece:
a) A relação hierárquica existente na escola, centralizando o poder decisório nas mãos dos
gestores e dos professores.
b) A relação horizontal, baseada no diálogo, mas que ainda não considera as opiniões dos
estudantes nas decisões da escola.
c) A gestão democrática e participativa, pois a gestão da escola torna-se menos diretiva e
centralizadora e mais coletiva e comunicativa.
d) A gestão democrática, na perspectiva da emancipação humana, por meio de projetos de
trabalho.
e) A gestão democrática e participativa, com destaque para o papel dos professores nas
instâncias decisórias da escola.

172/176
Questão 4
4 – Para que uma pessoa desenvolva sua competência comunicativa,
ela precisa dispor de um conjunto de habilidades comunicativas, por
exemplo:

a) Conhecer a norma padrão da Língua Portuguesa; recusar a informação; estar aberto e


atento ao ponto de vista do outro.
b) Conhecer a norma padrão da Língua Portuguesa; receber, interpretar e produzir
informação; estar convicto de sua opinião perante o grupo.
c) Conhecer a norma padrão da Língua Portuguesa; receber, interpretar e produzir
informação; recusar o ponto de vista do outro.
d) Conhecer a norma padrão da Língua Portuguesa; receber, interpretar e produzir
informação; estar aberto e atento ao ponto de vista do outro.
e) Conhecer a norma padrão da Língua Portuguesa; receber, interpretar e produzir
informação; desconsiderar o ponto de vista do outro

173/176
Questão 5
5 – O que significa reduzir os ruídos de comunicação?
a) Significa promover o diálogo de forma diretiva e persuasiva evitando a disseminação de
boatos e especulações sobre assuntos diversos
b) Significa promover o diálogo de forma diretiva e persuasiva recusando a disseminação de
boatos e especulações sobre assuntos diversos.
c) Significa promover o diálogo de forma clara, objetiva e respeitosa estimulando a
disseminação de boatos e especulações sobre assuntos diversos.
d) Significa promover o diálogo de forma clara, diretiva e persuasiva reforçando a
disseminação de boatos e especulações sobre assuntos diversos.
e) Significa promover o diálogo de forma clara, objetiva e respeitosa evitando a
disseminação de boatos e especulações sobre assuntos diversos.

174/176
Gabarito
1. Resposta: A. participativa.

A escola é uma organização comunicativa 4. Resposta: D.


porque ela põe em comum e partilha
informações, orientações, diretrizes Essas habilidades contribuem para a
curriculares, Projeto Político Pedagógico, capacidade do usuário da língua de
práticas pedagógicas, entre outros. produzir e compreender textos adequados
situações específicas e concretas de
2. Resposta: B. interação comunicativa.

A Teoria da Ação Comunicativa defende o 5. Resposta: E.


diálogo como base para o entendimento.
Ruídos de comunicação são elementos que
3. Resposta: C. interferem no processo de comunicação
de uma mensagem de um emissor para um
Comunicação e participação são elementos receptor.
que consolidam a gestão democrática e

175/176

Você também pode gostar