Você está na página 1de 5

Traqueostomia – Parte 1

Cuidados de Enfermagem com Traqueostomia

A traqueostomia é um procedimento que exige muito do enfermeiro, por


isso preparamos este guia rápido, com dicas valiosas sobre cuidados de
enfermagem com traqueostomia especialmente para você.

Veja o que você vai aprender:

 O que é traqueostomia, qual seu objetivo, quando é indicada e os


principais materiais utilizados;
 Cuidados de enfermagem com traqueostomia (etapas de
implementação: cuidados com a cânula interna, métodos de fixação,
curativo, limpeza, aspiração);
 Principais Problemas do Paciente com Traqueostomia e o que fazer;
 Principais complicações Relacionadas a Traqueostomia;
 Anotações de enfermagem Traqueostomia.

Preparado? Então vamos lá!

O que é traqueostomia?
A traqueostomia é procedimento cirúrgico, realizado pelo médico, que
consiste na abertura da traqueia para o meio externo, com inserção de um
tubo (cânula), para permitir a passagem do ar.

Qual é o objetivo da traquesostomia?


O principal objetivo é facilitar a respiração e a remoção das secreções
traqueobrônquicas em excesso.

A depender do problema a traqueostomia pode ser provisória, (utilizada por


algum tempo) ou definitiva (utilizada para o resto da vida).

Quando a traqueostomia é indicada?


Em resumo a traqueostomia é indicado em alguns tipos de cirurgias de
cabeça e pescoço; em alguns pacientes com dificuldades para respirar
(situação de emergência) e em pacientes que necessitam respirar com ajuda
de aparelhos por um tempo.

Especificamente as princiais indicações de traqueostomia são:

 congênitas – estenoses glóticas, subglóticas ou de traqueia superior,


cistos laríngeos e de valécula e hemangioma de laringe;
 infecções – epiglote aguda e laringotraqueobronquite recorrente (em
casos de dificuldade de intubação traqueal ou ausência do
broncoscópio);- tumores avançados de laringe, tonsilas, faringe ou
traqueia superior com consequente estridor e colapsos mecânicos;
 disfunções laríngeas – paralisia abdutora das cordas vocais;
 traumas – lesões maxilofaciais graves, fraturas ou transecções da
laringe ou da traqueia, lesões cervicais que tornam difícil ou inviável a
intubação oro ou nasotraqueal para manipulação e abordagem das vias
aéreas (necessidade de cricoidostomia ou TQT de urgência), aspiração
de conteúdos químicos ou lacerações traqueais;
 intubação translaríngea em crianças menores de 12 anos;
 complicações pós-operatórias de tireoidectomia, esôfago ou cordas
vocais, como alterações anatômicas no trajeto do fluxo respiratório;
 queimaduras, corrosivos e reações anafiláticas – edema subglótico
significativo;
 corpos estranhos – a TQT pode ser realizada após tentativas frustradas
de retiradas dos corpos estranhos por manobras mecânicas ou
endoscópicas;
 apneia do sono – a TQT proporciona segurança e permite a passagem
livre do ar na ocorrência de colapso dos músculos faríngeos durante o
sono, mas deve-se tentar a utilização de ventilação nãoinvasiva como
primeiro tratamento;
 tempo prévio ou complementar a outras cirurgias
bucofaringolaringológicas;
 proteção das vias aéreas – estados de coma, cirurgias de vias aéreas,
pescoço e cavidade oral;
 edema glótico e estenoses subglóticas;
 distúrbio de deglutição grave;
 higiene de vias aéreas (dificuldade de manipulação das secreções) –
idade avançada, doenças neuromusculares, lesão cervical alta;
 suporte ventilatório – ventilação mecânica (VM) prolongada,
traqueomalácia, desmame da VM.

Continue acompanhando o artigo.

Confira agora os principais materiais utilizados na traqueostomia e 19


cuidados de Enfermagem indispensáveis com traqueostomia.
Materiais Utilizados na Traqueostomia

Confira os principais materiais:

 Mesa de cabeceira;
 Toalha;
 Suprimentos para aspiração de traqueostomia;
 Kit estéril para cuidados com traqueostomia se disponivel (certifique-se
de reunir os suprimentos relacionados que não estão no kit) ou duas
almofadas de gaze estéreis com 10cmx10com de medida;
 Aplicadores estéreis com ponta de algodão;
 Curativo estéril para traqueostomia (curativo cirúrgico pré-cortado e
costurado);
 Cuba estéril;

 Escova pequena estéril (limpador de tubo) (ou cânula interna


descartável);
 Rolo de esparadrapo com trama especial, fixadores ou cadarço para
traqueostomia;
 Oxímetro de pulso;
 Tesoura;
 Luvas de procedimentos (dois pares);
 Máscara, escudo ou óculos de proteção facial.

Você sabe que o paciente traqueostomizado requer cuidados especiais de


enfermagem.

Os cuidados incluem limpeza da clânula, fixação da traqueostomia e muito


mais.

Vamos aprender mais Traqueostomia - Parte 2, Principais Cuidados de


Enfermagem com Traqueostomia