Você está na página 1de 178

Exame OAB 1ª Fase

Ética – Estatuto da OAB

Rafael Novais
INTRODUÇÃO

• Importância da Disciplina

• Metodologia de Estudo

• Referências Bibliográficas

• Questões
O QUE DEVO ESTUDAR?

1. Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Advocacia e a Ordem dos


Advogados do Brasil );

2. Novo Código de Ética e Disciplina da Ordem dos


Advogados do Brasil ;

3. Regulamento Geral da OAB;

4. Questões.
EAOAB – LEI nº 8.906/94

• Da atividade da advocacia, dos direitos do advogado, da inscrição


(arts. 1º ao 14)
Atividades privativas de advogado
Art. 1º São atividades privativas de advocacia:
I - a postulação a qualquer órgão do Poder Judiciário e aos
juizados especiais;  ATIVIDADES JUDICIAIS
#yéyÉTICA: Exceções ao ius postulandi:

- Impetração de Habeas Corpus (art. 1º, §1º, EAOAB);


- Juizados Especiais (art. 9º, lei 9.099/95): até 20 SM;
- Juizados Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal (art. 10, lei
10.259/01): até 60 SM;
- Justiça do Trabalho (art. 791 da CLT e Súmula 425 do TST);
- Juiz de Paz;
- Ação de alimentos (art. 2º, da lei 5.478/68).
II - as atividades de consultoria, assessoria e direção jurídicas. 
ATIVIDADES EXTRAJUDICIAIS

CONSULTORIA ASSESSORIA DIREÇÃO

E O GERENTE
JURÍDICO?
QUEM EXERCE A ATIVIDADE DE ADVOCACIA? (ART. 3º, EAOAB)

• Advogados;
• Integrantes da Advocacia Geral da União (AGU);
• Integrantes da Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN);
• Integrantes da Defensoria Pública;
• Integrantes das Procuradorias e Consultorias Jurídicas dos Estados, do
Distrito Federal, dos Municípios e das respectivas entidades de
administração indireta e fundacional.

#yéyÉTICA: sujeitam-se ao estatuto da advocacia + respectivos regimes


próprios.
ATOS PRATICADOS POR PESSOAS NÃO INSCRITAS NA OAB:

NULOS ANULÁVEIS

ABSOLUTA RELATIVA

Art. 4º. São nulos os atos privativos de advogado praticados por pessoa não
inscrita na OAB, sem prejuízo das sanções civis, penais e administrativas.
Parágrafo único. São também nulos os atos praticados por advogado impedido -
no âmbito do impedimento - suspenso, licenciado ou que passar a exercer
atividade incompatível com a advocacia.
MANDATO E RENÚNCIA

Regra: postula, em juízo ou fora dele, fazendo prova do mandato; para todos os atos
(salvo poderes especiais)
Exceção: urgência, pode atuar sem procuração, obrigando-se a apresentá-la no prazo
de quinze dias, prorrogável por igual período.

Renúncia (observar formalidades):


1. notificar o cliente, PREFERENCIALMENTE com carta AR;
2. Comunicar ao juízo;
3. Permanecer respondendo ao processo por 10 dias após a notificação (salvo se
substituído antes).

#yéyÉTICA: E se o advogado abandonar o processo ou não respeitar as


formalidades?
DIREITOS DOS ADVOGADOS
(ARTS. 6º AO 7-A)
• Rol meramente exemplificativo;

• #yéyÉTICA NOS INCISOS:

- I: inscrição principal  inscrição suplementar;


- II: inviolabilidade relativa;
- III: inconstitucionalidade para incomunicabilidade;
- IV: motivo ligado a profissão  indispensável a presença de
representante da OAB
motivo diverso da profissão  comunicação da seccional;
- VI: violação poderá caracterizar crime de abuso de autoridade;
- VII e XII: dispositivos da Xuxa: “cabeça, ombro, joelho e pé”;
- X: pela ordem;
- XIII: direito à obtenção de copias, anotações e fotografia de
processos, mesmo sem procuração. E em segredo de justiça?;
- XIV: examinar e acompanhar investigações/ Súmula Vinculante 14;
- XV: vistas;
- XVII: desagravo (arts. 18 e 19 do RG);
- XIX: sigilo (arts. 35 a 38 NCED);
- XXI: presença do advogado no inquérito policial;
IMUNIDADE DO ADVOGADO

DESACATO INJÚRIA DIFAMAÇÃO

Apenas terá imunidade profissional quanto a injúria e difamação, desde que


no exercício de advocacia.

#yéyÉTICA: ADI 1.127-8 declarou à inconstitucionalidade da expressão


“desacato”
DIREITO DAS ADVOGADOS GESTANTE, LACTANTE,
ADOTANTE, DER A LUZ
(incluído pela lei nº 13.363/16)
Art. 7o-A. São direitos da advogada:

I - gestante:

a) entrada em tribunais sem ser submetida a detectores de metais e


aparelhos de raios X;
b) reserva de vaga em garagens dos fóruns dos tribunais;
II - lactante, adotante ou que der à luz, acesso a creche, onde houver, ou
a local adequado ao atendimento das necessidades do bebê;

III - gestante, lactante, adotante ou que der à luz, preferência na ordem


das sustentações orais e das audiências a serem realizadas a cada dia,
mediante comprovação de sua condição;

IV - adotante ou que der à luz, suspensão de prazos processuais quando


for a única patrona da causa, desde que haja notificação por escrito ao
cliente.
§ 1o Os direitos previstos à advogada gestante ou lactante aplicam-se
enquanto perdurar, respectivamente, o estado gravídico ou o período
de amamentação.

§ 2o Os direitos assegurados nos incisos II e III deste artigo à advogada


adotante ou que der à luz serão concedidos pelo prazo previsto no
art. 392 do Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 (Consolidação
das Leis do Trabalho).

#yéyÉTICA CLT, Art. 392. A empregada gestante tem direito à licença-


maternidade de 120 (cento e vinte) dias, sem prejuízo do emprego e do
salário.
§ 3o O direito assegurado no inciso IV deste artigo à advogada adotante ou
que der à luz será concedido pelo prazo previsto no § 6º do art. 313 da Lei
nº 13.105, de 16 de março de 2015 (Código de Processo Civil).

#yéyÉTICA

 O mencionado §6º do NCPC determina que o período de suspensão será


de 30 (trinta) dias, contado a partir da data do parto ou da concessão da
adoção, mediante apresentação de certidão de nascimento ou documento
similar que comprove a realização do parto, ou de termo judicial que tenha
concedido a adoção, desde que haja notificação ao cliente.
DA INSCRIÇÃO

Requisitos (art. 8º, EAOAB):


• Capacidade civil;
• diploma ou certidão de graduação em direito, obtido em instituição
de ensino oficialmente autorizada e credenciada;
• título de eleitor e quitação do serviço militar, se brasileiro;
• aprovação em Exame de Ordem;
• não exercer atividade incompatível com a advocacia;
• idoneidade moral;
• prestar compromisso perante o conselho.

#yéyÉTICA: e para o estagiário?


TIPOS DE INSCRIÇÕES

1. Principal (art. 10, EAOAB);

2. Suplementar (art. 10, § 2º, EAOAB);

3. Por transferência (art. 10, § 3º, EAOAB).

#yéyÉTICA: e a inscrição do estagiário?


CANCELAMENTO E LICENÇA DA INSCRIÇÃO
Cancelamento Licença
(art. 11, EAOAB) (art. 12, EAOAB)
• assim o requerer; • assim o requerer, por motivo
• sofrer penalidade de exclusão; justificado;
• falecer; • passar a exercer, em CARÁTER
• passar a exercer, em CARÁTER TEMPORÁRIO, atividade incompatível
DEFINITIVO, atividade incompatível com com o exercício da advocacia;
a advocacia; • sofrer doença mental considerada
• perder qualquer um dos requisitos curável.
necessários para inscrição.
QUESTÕES
Questão XVII exame. Os atos e contratos constitutivos de pessoas
jurídicas, para sua admissão em registro, em não se tratando de
empresas de pequeno porte e de microempresas, consoante o Estatuto
da Advocacia, devem

A) apresentar os dados do contador responsável.


B) permitir a participação de outros profissionais liberais.
C) conter o visto do advogado.
D) indicar o advogado que representará a sociedade.
Questão XXII exame. Viviane, Paula e Milena são advogadas.
Viviane acaba de dar à luz, Paula adotou uma criança e Milena
está em período de amamentação. Diante da situação narrada,
de acordo com o Estatuto da OAB, assinale a afirmativa
correta.

A) Viviane e Milena têm direito a reserva de vaga nas garagens dos fóruns dos
tribunais.
B) Viviane e Paula têm direito à suspensão de prazos processuais, em qualquer
hipótese, desde que haja notificação por escrito ao cliente.
C) Viviane, Paula e Milena têm direito de preferência na ordem das audiências a
serem realizadas a cada dia, mediante comprovação de sua condição.
D) Paula e Milena têm direito a entrar nos tribunais sem serem submetidas a
detectores de metais e aparelhos de raio-X.
Questão XVI exame João é advogado da sociedade empresária X Ltda., atuando em
diversas causas do interesse da companhia. Ocorre que o controle da sociedade foi
alienado para uma sociedade estrangeira, que resolveu contratar novos profissionais
em várias áreas, inclusive a jurídica. Por força dessa circunstância, rompeu-se a avença
entre o advogado e o seu cliente. Assim, João renunciou ao mandato em todos os
processos, comunicando formalmente o ato à cliente. Após a renúncia, houve novo
contrato com renomado escritório de advocacia, que, em todos os processos,
apresentou o instrumento de mandato antes do término do prazo legal à retirada do
advogado anterior.
Na renúncia focalizada no enunciado, consoante o Estatuto da Advocacia,
deve o advogado

A) afastar-se imediatamente após a substituição por outro advogado.


B) funcionar como parecerista no processo pela continuidade da
representação.
C) atuar em conjunto com o advogado sucessor por quinze dias.
D) aguardar dez dias para verificar a atuação dos seus sucessores.
Questão XX exame Salvador João das Neves, advogado, foi preso em flagrante delito,
sendo-lhe imputada a suposta prática do delito de lesão corporal grave, perpetrado
no contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher, em face de sua
companheira Ingrid. No que se refere à lavratura do Auto de Prisão em Flagrante,
assinale a afirmativa correta.

A) A lavratura do Auto de Prisão em Flagrante observará as formalidades previstas nos artigos 304,
305 e 306 do Código de Processo Penal. Não são exigidas formalidades decorrentes da condição de
advogado de João das Neves, pois a prisão deu-se por fato não relacionado ao exercício da advocacia.
B) A lavratura do Auto de Prisão em Flagrante deverá, invariavelmente, ocorrer na presença de
representante da OAB, sob pena de nulidade do ato.
C) A prisão em flagrante de João das Neves deverá ser objeto de comunicação expressa à
seccional respectiva da OAB, não sendo exigida, neste caso, a presença de representante da OAB
para lavratura do Auto de Prisão em Flagrante.
D) A lavratura do Auto de Prisão em Flagrante deverá ocorrer na presença de representante da
OAB. Não obstante, a falta, segundo entendimento jurisprudencial consolidado do STF, não
constitui nulidade, mas mera irregularidade, que pode ser suprida, a posteriori, mediante
comunicação ao Conselho Federal da OAB.
Questão XIX exame O advogado Carlos dirigiu-se a uma Delegacia de Polícia
para tentar obter cópia de autos de inquérito no âmbito do qual seu cliente
havia sido intimado para prestar esclarecimentos. No entanto, a vista dos
autos foi negada pela autoridade policial, ao fundamento de que os autos
estavam sob segredo de Justiça. Mesmo após Carlos ter apresentado
procuração de seu cliente, afirmou o Delegado que, uma vez que o juiz havia
decretado sigilo nos autos, a vista somente seria permitida com autorização
judicial. Nos termos do Estatuto da Advocacia, é correto afirmar que
A) Carlos pode ter acesso aos autos de qualquer inquérito, mesmo sem
procuração.
B) Carlos pode ter acesso aos autos de inquéritos sob segredo de Justiça, desde
que esteja munido de procuração do investigado.
C) em caso de inquérito sob segredo de Justiça, apenas o magistrado que
decretou o sigilo poderá afastar parcialmente o sigilo, autorizando o acesso aos
autos pelo advogado Carlos.
D) o segredo de Justiça de inquéritos em andamento é oponível ao advogado
Carlos, mesmo munido de procuração.
Questão XXI exame. Adolfo, policial militar, consta como envolvido em fato
supostamente violador da integridade física de terceiros, apurado em
investigação preliminar perante a Polícia Militar. No curso desta
investigação, Adolfo foi notificado a prestar declarações e, desde logo,
contratou a advogada Simone para sua defesa. Ciente do ato, Simone dirige-
se à unidade respectiva, pretendendo solicitar vista quanto aos atos já
concluídos da investigação e buscando tirar cópias com seu aparelho celular.
Considerando o caso narrado, assinale a afirmativa correta.

A) É direito de Simone, e de seu cliente Adolfo, que a advogada examine os


autos da investigação, no que se refere aos atos já concluídos e documentados,
porém, a possibilidade de emprego do telefone celular para tomada de cópias
fica a critério da autoridade responsável pela investigação. Também é direito de
ambos que Simone esteja presente no depoimento de Adolfo, sob pena de
nulidade absoluta do ato e de todos os elementos investigatórios dele
decorrentes.
B) É direito de Simone, e de seu cliente Adolfo, que a advogada examine os autos, no que se
refere aos atos já concluídos e documentados, bem como empregue o telefone celular para
tomada de cópias digitais, o que não pode ser obstado pela autoridade responsável pela
investigação. Também é direito de ambos que Simone esteja presente no depoimento de Adolfo,
sob pena de nulidade absoluta do ato e de todos os elementos investigatórios dele decorrentes.

C) É direito de Simone, e de seu cliente Adolfo, que a advogada examine os autos, no que se
refere aos atos já concluídos e documentados, bem como empregue o telefone celular para
tomada de cópias digitais, o que não pode ser obstado pela autoridade responsável pela
investigação....
Também é direito de ambos que Simone esteja presente no depoimento de Adolfo, sob pena de
nulidade relativa apenas do ato em que embaraçava a sua presença.

D) Considerando cuidar-se de mera investigação preliminar, Simone não possui o direito de


examinar os atos já concluídos e documentados ou tomar cópias. Do mesmo modo, por não se
tratar de interrogatório formal, mas mera investigação preliminar, sujeita à disciplina da
legislação castrense, não configura nulidade se obstada a presença de Simone no depoimento de
Adolfo.
Questão XIX exame Victor nasceu no Estado do Rio de Janeiro e formou-se em Direito no
Estado de São Paulo. Posteriormente, passou a residir, e pretende atuar profissionalmente
como advogado, em Fortaleza, Ceará. Porém, em razão de seus contatos no Rio de
Janeiro, foi convidado a intervir também em feitos judiciais em favor de clientes nesse
Estado, cabendo-lhe patrocinar seis causas no ano de 2015. Diante do exposto, assinale a
opção correta.

A) A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional de São Paulo, já
que a inscrição principal do advogado é feita no Conselho Seccional em cujo território se
localize seu curso jurídico. Além da principal, Victor terá a faculdade de promover sua
inscrição suplementar nos Conselhos Seccionais do Ceará e do Rio de Janeiro, onde
pretende exercer a profissão.
B) A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional do Rio
de Janeiro, pois o Estatuto da OAB determina que esta seja promovida no
Conselho Seccional em cujo território o advogado exercer intervenção judicial
que exceda três causas por ano. Além da principal, Victor poderá promover
sua inscrição suplementar nos Conselhos Seccionais do Ceará e de São Paulo.
C) A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional do Ceará.
Isso porque a inscrição principal do advogado deve ser feita no Conselho
Seccional em cujo território pretende estabelecer o seu domicílio profissional. A
promoção de inscrição suplementar no Conselho Seccional do Rio de Janeiro será
facultativa, pois as intervenções judiciais pontuais, como as causas em que Victor
atuará, não configuram habitualidade no exercício da profissão.

D) A inscrição principal de Victor deve ser realizada no Conselho Seccional do Ceará.


Afinal, a inscrição principal do advogado deve ser feita no Conselho Seccional em
cujo território ele pretende estabelecer o seu domicílio profissional. Além da
principal, Victor deverá promover a inscrição suplementar no Conselho Seccional
do Rio de Janeiro, já que esta é exigida diante de intervenção judicial que exceda
cinco causas por ano.
Questão XII exame Ângelo, comandante das Forças Especiais do Estado “B”, é
curioso em relação às normas jurídicas, cuja aplicação acompanha na seara
castrense, já tendo atuado em órgãos julgadores na sua esfera de atuação.
Mantendo a sua atividade militar, obtém autorização especial para realizar
curso de Direito, no turno da noite, em universidade pública, à qual teve acesso
pelo processo seletivo regular de provas. Ângelo consegue obter avaliação
favorável em todas as disciplinas até alcançar o período em que o estágio é
permitido. Ele pleiteia sua inscrição no quadro de estagiários da OAB e que o
mesmo seja realizado na Justiça Militar.
Com base no caso narrado, nos termos do Estatuto da Advocacia, assinale a
afirmativa correta.

A) O estágio é permitido, desde que ocorra perante a Justiça Militar


especializada.
B) O estágio é permitido, mas, por tratar-se de função incompatível, é vedada a
inscrição na OAB.
C) O estágio poderá ocorrer, mediante autorização especial da Força Armada
respectiva.
D) O estágio possui uma categoria especial que limita a atuação em
determinados processos.
EAOAB – LEI nº 8.906/94

• Da sociedade de advogados, do advogado empregado, dos honorários


advocatícios, das incompatibilidades e impedimentos (arts. 15 ao 30)
DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS
(ARTS. 15 AO 17, EAOAB; ARTS. 37 AO 43, RG)

SOCIEDADE SIMPLES

SOCIEDADE UNIPESSOAL DE ADVOCACIA


(SUA)
DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS (ARTS. 15 AO 17, EAOAB; ARTS. 37
AO 43, RG)

• Registro aprovado de seus atos constitutivos no conselho seccional da OAB em


cuja base territorial tiver sede;

• NÃO é permitido fins empresariais, atividades ou pessoas estranhas à


advocacia, nome fantasia;

• Filiais do escritório  ato constitutivo deve ser averbado no registro da


sociedade a que faça parte, e arquivado no Conselho Seccional onde se instalar
 os sócios são obrigados à inscrição suplementar;
Razão social  obrigatório o Sociedade Unipessoal de
nome de pelo menos um Advocacia  deverá ser
advogado responsável pela formada obrigatoriamente
sociedade, podendo pelo nome do advogado,
permanecer do sócio completo ou parcial,
falecido se previsto no ato acompanhado
constitutivo (art.16, § 1º, posteriormente da
EAOAB; art. 38, RG). expressão “Sociedade
Individual de Advocacia”
(art. 16, § 4º, EAOAB).

Exemplo: “Rafael Novais Exemplo: “Rafael Novais


Sociedade de Advogados.” Sociedade Individual de
Advocacia”.
QUESTÕES
Questão XXI exame. (ANULADA) Marcela, Natália e Paula integram a
sociedade de advogados MNP e foram procuradas por Rafael para
ajuizar ação cível em face de Silvio. A procuração outorgada por Rafael
indica apenas o nome da sociedade de advogados MNP, e na inicial
elaborada por Marcela foi requerido que as futuras intimações fossem
feitas apenas em nome da sociedade. Sobre o caso em exame, segundo
o Estatuto da OAB, assinale a afirmativa correta.

A) A procuração pode ser outorgada por Rafael apenas em nome da sociedade e


faculta a qualquer de suas integrantes a elaboração da inicial, que poderá
requerer que as futuras intimações sejam feitas em seu nome, em nome da
sociedade ou em nome das demais integrantes.
B) A procuração pode ser outorgada por Rafael apenas em nome da sociedade e
faculta a qualquer de suas integrantes a elaboração da inicial, que poderá
requerer que as futuras intimações sejam feitas apenas em seu nome ou em
nome da sociedade, mas não em nome das demais integrantes.
C) A procuração deve ser outorgada por Rafael individualmente às advogadas e
indicar a sociedade de MNP, podendo Marcela requerer que as futuras intimações
sejam feitas em seu nome, em nome da sociedade ou em nome das demais
outorgadas.
D) A procuração deve ser outorgada por Rafael individualmente às advogadas e
indicar a sociedade de MNP, podendo Marcela requerer que as futuras intimações
sejam feitas em seu nome ou em nome das demais outorgadas, mas não em
nome da sociedade.

Gabarito Oficial: C; art. 15, § 3º, EAOAB + art. 272, § 1º, NCPC.
Questão XV exame Os advogados X de Souza, Y dos Santos e Z de Andrade
requereram o registro de sociedade de advogados denominada Souza, Santos e
Andrade Sociedade de Advogados. Tempos depois, X de Souza vem a falecer, mas
os demais sócios decidem manter na sociedade o nome do advogado falecido.
Sobre a hipótese, assinale a afirmativa correta.

A) É possível manter o nome do sócio falecido, desde que prevista tal possibilidade
no ato constitutivo da sociedade.
B) É possível manter o nome do sócio falecido, independentemente de previsão no
ato constitutivo da sociedade.
C) É absolutamente vedada a manutenção do nome do sócio falecido na razão
social da sociedade.
D) É possível manter, pelo prazo máximo de seis meses, o nome do sócio falecido.
DO ADVOGADO EMPREGADO
(ARTS. 18 AO 21, EAOAB; ARTS. 11 AO 14, RG)

• Mantém vínculo empregatício, • Jornada de trabalho  4 (quatro)


prestando seus serviços de horas continuas diárias, não
advogado a uma sociedade ou excedendo a de 20 (vinte) horas
empresa; semanais, salvo se estipulado em
acordo ou convenção coletiva de
• NÃO perde sua isenção técnica; trabalho ou em regime de
dedicação exclusiva;
• As horas excedentes à jornada de
• NÃO permite a redução de sua trabalho (horas extras) serão
independência profissional; remuneradas por um adicional
não inferior a 100% sobre o valor
• NÃO está obrigado à prestação de da hora normal;
serviços profissionais de interesse • horário noturno compreende o
pessoal dos empregadores, fora período entre às 20 (vinte) horas
da relação de emprego; de um dia até as 5 (cinco) horas
do dia seguinte, sendo
remuneradas com acréscimo do
adicional de 25%.
#yéyÉTICA: honorários de sucumbência

Art. 21, EAOAB. Nas causas em que for parte o empregador, ou pessoa por este
representada, os honorários de sucumbência são devidos aos advogados
empregados.

Honorários
sucumbenciais
EMPRESA pertencem ao advogado
(art. 21, caput, EAOAB)
• Parágrafo único. Os honorários de sucumbência, percebidos por advogado
empregado de sociedade de advogados são partilhados entre ele e a
empregadora, na forma estabelecida em acordo.

Honorários
sucumbenciais serão
SOCIEDADE DE partilhados entre
ADVOGADOS ambos (art. 21, §
único, EAOAB)
QUESTÕES
segunda – fase
Questão 2010 – CESPE Assinale a opção correta acerca da situação do
advogado como empregado, de acordo com as disposições do Estatuto
da Advocacia e da OAB.

A) O advogado empregado não está obrigado à prestação de serviços profissionais de


interesse pessoal, fora da relação de emprego.
B) Nas causas em que for parte empregador de direito privado, os honorários de
sucumbência serão devidos a ele, empregador, e não, aos advogados empregados.
C) Considera-se jornada de trabalho o período em que o advogado esteja à disposição do
empregador, aguardando ou executando ordens no âmbito do escritório, não sendo
consideradas as horas trabalhadas em atividades externas.
D) A relação de emprego, no que se refere ao advogado, não retira a isenção técnica
inerente à advocacia, mas reduz a independência profissional, visto que o advogado
deve atuar de acordo com as orientações de seus superiores hierárquicos.
DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS
(ARTS. 22 AO 26, EAOAB; ARTS. 48 AO 54, NCED)
MODALIDADES DE HONORÁRIOS
(art. 22, EAOAB)

• Convencionados;

• Por arbitramento;

• De sucumbência.
PAGAMENTO DOS HONORÁRIOS

O pagamento dos honorários DEVERÁ seguir os preceitos estabelecidos


contratualmente entre as partes. Ocorrendo omissão quanto ao momento deste
pagamento, o estatuto adota regra que determina (art. 22, §3º, EAOAB):

• - 1/3: No início do serviço;

• - 1/3: Até decisão de 1ª instância;

• - Restante: AO FINAL.
QUESTÕES
Questão XX exame A advogada Laila representou judicialmente Rita, em processo no qual
esta postulava a condenação do Município de Manaus ao cumprimento de obrigação de
pagar quantia certa. Fora acordado entre Laila e Rita o pagamento de valor determinado à
advogada, a título de honorários, por meio de negócio jurídico escrito e válido. Após o
transcurso do processo, a Fazenda Pública foi condenada, nos termos do pedido autoral.
Antes da expedição do precatório, Laila juntou aos autos o contrato de honorários, no
intuito de obter os valores pactuados. Considerando a situação narrada, é correto afirmar
que

A) Laila deverá executar os honorários em face de Rita em processo autônomo, sendo vedado o
pagamento nos mesmos autos, por se tratar de honorários contratuais e não sucumbenciais.
B) o juiz deverá determinar que os valores acordados a título de honorários sejam pagos diretamente a
Laila, por dedução da quantia a ser recebida por Rita, independentemente de concordância desta nos
autos, salvo se Rita provar que já os pagou.

C) Laila deverá executar os honorários em face do município de Manaus, em processo autônomo de


execução, sendo vedado o pagamento nos mesmos autos, por se tratar de honorários contratuais e não
sucumbenciais.

D) o juiz poderá determinar que os valores acordados a título de honorários sejam pagos diretamente a
Laila, por dedução da quantia a ser recebida por Rita, caso Rita apresente sua concordância nos autos.
Questão XXII exame. A advogada Maria foi procurada por certo cliente para o
patrocínio de uma demanda judicial. Ela, então, apresentou ao cliente contrato
de prestação de seus serviços profissionais. A cláusula dez do documento
estabelecia que Maria obrigava-se apenas a atuar na causa no primeiro grau de
jurisdição. Além disso, a cláusula treze dispunha sobre a obrigatoriedade de
pagamento de honorários, em caso de ser obtido acordo antes do oferecimento
da petição inicial. Irresignado, o cliente encaminhou cópia do contrato à OAB,
solicitando providências disciplinares. Sobre os termos do contrato, assinale a
afirmativa correta.

A) A cláusula dez do contrato viola o disposto no Código de Ética e Disciplina da OAB, uma vez que é
vedada a limitação do patrocínio a apenas um grau de jurisdição. Quanto à cláusula treze, não se
vislumbram irregularidades.
B) Não se vislumbram irregularidades quanto às claúsulas dez e treze do contrato, ambas
consonantes com o disposto no Estatuto da OAB e no Código de Ética e Disciplina da OAB.
C) A cláusula treze do contrato viola o disposto no Código de Ética e Disciplina da OAB, uma vez
que o advogado não faz jus ao recebimento de honorários contratuais em caso de acordo
feito entre o cliente e a parte contrária, anteriormente ao oferecimento da demanda. Quanto
à cláusula dez, não se vislumbram irregularidades.

D) A cláusula dez do contrato viola o disposto no Código de Ética e Disciplina da OAB, uma vez
que é vedada a limitação do patrocínio a apenas um grau de jurisdição. A cláusula treze do
contrato também viola o disposto no Código de Ética e Disciplina da OAB, uma vez que o
advogado não faz jus ao recebimento de honorários contratuais em caso de acordo feito
entre o cliente e a parte contrária, anteriormente ao oferecimento da demanda.
Questão XVII exame Laura formou-se em prestigiada Faculdade de Direito, mas sua prática
advocatícia foi limitada, o que a impediu de ter experiência maior no trato com os clientes.
Realizou seus primeiros processos para amigos e parentes, cobrando módicas quantias
referentes a honorários advocatícios. Ao receber a cliente Telma, próspera empresária, e aceitar
defender os seus interesses judicialmente, fica em dúvida quanto aos termos de cobrança inicial
dos honorários pactuados. Em razão disso, consulta o advogado Luciano, que lhe informa,
segundo os termos do Estatuto da Advocacia, que salvo estipulação em contrário,
A) metade dos honorários é devida no início do serviço.

B) um quinto dos honorários é devido ao início do processo judicial.

C) a integralidade dos honorários é devida até a decisão de primeira instância.

D) um terço dos honorários é devido no início do serviço.


Questão XIII exame Sobre o prazo para ajuizamento de ação de cobrança de
honorários de advogado, assinale a opção correta.

A) Prescreve em dois anos a ação de cobrança de honorários de advogado,


contando-se o prazo do vencimento do contrato, se houver.
B) Prescreve em cinco anos a ação de cobrança de honorários de advogado,
contando-se o prazo do trânsito em julgado da decisão que os fixar.
C) Prescreve em dois anos a ação de cobrança de honorários de advogado,
contando-se o prazo da ultimação do serviço extrajudicial.
D) Prescreve em cinco anos a ação de cobrança de honorários de advogado,
contando-se o prazo da decisão que os fixar, independentemente do seu
trânsito em julgado.
DAS INCOMPATIBILIDADES & IMPEDIMENTOS
(ARTS. 27 AO 30, EAOAB)

• limitações ao pleno exercício da atividade advocatícia;

• Elementos pessoais;

• Incompatibilidade caracteriza-se pela proibição total ao


exercício da advocacia, mesmo em causa própria;

• Impedimento caracteriza-se pela apenas proibição parcial ao


exercício da advocacia, ou seja, poderá advogar, mas com
específicas restrições.
#yéyÉTICA NOS INCISOS:

Art. 28. incompatível...

I – apenas integrante da MESA;

II - função judicante; extinção da figura do juiz classista após EC nº 24/99;


Permissão aos juízes eleitorais advogados;

III – poder de direção na administração pública; exceções: administração


acadêmica (magistério jurídico) e ocupantes de cargos ou funções de direção
SEM poder de decisão;
IV - servidores e serventuários do judiciário nacional;

V – atividade policial;

VI - militares de qualquer natureza, na ativa;

VII - agentes responsáveis por abastecer os cofres públicos;

VIII –instituições financeiras, ainda que o ocupante do cargo ou função


deixe de exercê-lo temporariamente (continuará incompatível).
#yéyÉTICA NOS INCISOS:

Art. 30. impedidos...

I - complemento ao inciso III do art. 28 do estatuto: os servidores que não


ocupantes de cargos ou funções com poder de direção poderão advogar, desde
que não seja contra a fazenda que lhe remunera; exceção: docentes de cursos
jurídicos (art. 30, § único, EAOAB);

II - complemento ao inciso I do art. 28: membros do Poder Legislativo poderão


advogar, desde que não integrantes da respectiva MESA.
QUESTÕES
Questão XXII exame. Carolina, Júlia, Bianca e Maria são advogadas. Carolina
é servidora estadual não enquadrada em hipótese de incompatibilidade;
Júlia está cumprindo suspensão por infração disciplinar; Bianca está
licenciada por requerimento próprio justificado; e Maria é servidora federal
não enquadrada em hipótese de incompatibilidade. As quatro peticionam,
como advogadas, isoladamente e em atos distintos, em ação judicial
proposta em face da União. Diante da situação narrada, de acordo com o
Estatuto da OAB, são válidos os atos praticados

A) por Carolina, apenas.


B) por Carolina e Bianca, apenas.
C) por Carolina, Bianca e Maria, apenas.
D) por Carolina, Julia, Bianca e Maria.
Questão XII exame Joel é Conselheiro do Tribunal de Contas do
Município J, sendo proprietário de diversos imóveis. Em um deles,
por força de contrato de locação residencial, verifica a falta de
pagamentos dos alugueres devidos. O Conselheiro é Bacharel em
Direito, tendo exercido a advocacia por vários anos na área
imobiliária. Nesse caso, nos termos do Estatuto da Advocacia, o
Conselheiro

A) poderia atuar como advogado em causa própria.


B) deverá contratar advogado para a causa diante da situação de
incompatibilidade.
C) poderia advogar; recomenda-se, contudo, a contratação de
advogado.
D) está com a sua inscrição como advogado suspensa.
Questão XIX exame Formaram-se em uma Faculdade de Direito, na mesma turma,
Luana, Leonardo e Bruno. Luana, 35 anos, já exercia função de gerência em um banco
quando se graduou. Leonardo, 30 anos, é prefeito do município de Pontal. Bruno, 28
anos, é policial militar no mesmo município. Os três pretendem praticar atividades
privativas de advocacia. Considerando as incompatibilidades e impedimentos ao
exercício da advocacia, assinale a opção correta.

A) Luana não está proibida de exercer a advocacia, pois é empregada de instituição


privada, inexistindo impedimentos ou incompatibilidades.
B) Bruno, como os servidores públicos, apenas é impedido de exercer a
advocacia contra a Fazenda Pública que o remunera.

C) Os três graduados, Luana, Leonardo e Bruno, exercem funções


incompatíveis com a advocacia, sendo determinada a proibição total de
exercício das atividades privativas de advogado.

D) Leonardo é impedido de exercer a advocacia apenas contra ou em favor


de pessoas jurídicas de direito público, empresas públicas, sociedades de
economia mista, fundações públicas, entidades paraestatais ou empresas
concessionárias ou permissionárias de serviço público.
Questão XVII exame Deise é uma próspera advogada e passou a buscar
novos desafios, sendo eleita Deputada Estadual. Por força de suas raras
habilidades políticas, foi eleita integrante da Mesa Diretora da Assembleia
Legislativa do Estado Z. Ao ocupar esse honroso cargo procurou conciliar
sua atividade parlamentar com o exercício da advocacia, sendo seu
escritório agora administrado pela filha. Nos termos do Estatuto da
Advocacia, assinale a afirmativa correta.
A) A atividade parlamentar de Deise é incompatível com o exercício da
advocacia.

B) A participação de Deise na Mesa Diretora a torna incompatível com o


exercício da advocacia.

C) A função de Deise como integrante da Mesa Diretora do Parlamento


Estadual é conciliável com o exercício da advocacia.

D) A atividade parlamentar de Deise na Mesa Diretora pode ser


conciliada com o exercício da advocacia em prol dos necessitados.
EAOB – LEI nº 8.906/94

• Da ética do advogado, das infrações e sanções disciplinares


(arts. 31 ao 43)
DA ÉTICA DO ADVOGADO
(ARTS. 31 AO 33, EAOAB)

• Elementos éticos;

• Obriga-se a cumprir rigorosamente os deveres consignados no Código de Ética e


Disciplina.

• Resolução nº 02/2015 – NCED


QUESTÕES
Questão XXI exame. José, bacharel em Direito, constitui Cesar, advogado, como
seu procurador para atuar em demanda a ser proposta em face de Natália.
Ajuizada a demanda, após o pedido de tutela provisória ter sido indeferido,
José orienta César a opor Embargos de Declaração, embora não vislumbre
omissão, contradição ou obscuridade na decisão, tampouco erro material a
corrigir. César, porém, acredita que a medida mais adequada é a interposição
de Agravo de Instrumento, pois entende que a decisão poderá ser revista pelo
tribunal, facultando-se, ainda, ao juízo de primeira instância reformar sua
decisão. Diante da divergência, assinale a opção que indica o posicionamento
correto.

A) César deverá, em qualquer hipótese, seguir a orientação de José, que é parte


na demanda e possui formação jurídica.
B) César deverá esclarecer José quanto à sua estratégia, mas subordinar-se, ao final, à orientação
deste, pois no exercício do mandato atua como patrono da parte.

C) César deverá imprimir a orientação que lhe pareça mais adequada à causa, sem se subordinar à
orientação de José, mas procurando esclarecê-lo quanto à sua estratégia.

D) César deverá imprimir a orientação que lhe pareça mais adequada à causa, sem se subordinar à
orientação de José, e sem procurar esclarecê-lo quanto à sua estratégia, pois, no seu ministério
privado, presta serviço público.
Questão XIX exame Alexandre, advogado que exerce a profissão há muitos anos,
é conhecido por suas atitudes corajosas, sendo respeitado pelos seus clientes
e pelas autoridades com quem se relaciona por questões profissionais.
Comentando sua atuação profissional, ele foi inquirido, por um dos seus
filhos, se não deveria recusar a defesa de um indivíduo considerado
impopular, bem como se não deveria ser mais obediente às autoridades,
diante da possibilidade de retaliação. Sobre o caso apresentado, observadas
as regras do Estatuto da OAB, assinale a opção correta indicada ao filho do
advogado citado.
A) O advogado Alexandre deve recusar a defesa de cliente cuja atividade seja
impopular.

B) O temor à autoridade pode levar à negativa de prestação do serviço


advocatício por Alexandre.

C) As causas impopulares aceitas por Alexandre devem vir sempre


acompanhadas de apoio da Seccional da OAB.

D) Nenhum receio de desagradar uma autoridade deterá o advogado


Alexandre.
DAS INFRAÇÕES E SANÇÕES DISCIPLINARES (ARTS. 34 AO 43,
EAOAB)
• rol taxativo;
• NÃO admite interpretação extensiva ou análoga;
• apenas podem ser cometidos por aqueles que são inscritos nos quadros da OAB
(advogado ou estagiários);
• LER com atenção TODOS os incisos do art. 34, EAOAB (#yéyÉTICA NOS INCISOS)
Art. 34. Constitui infração disciplinar:
I - exercer a profissão, quando impedido de fazê-lo, ou facilitar,
por qualquer meio, o seu exercício aos não inscritos, proibidos
ou impedidos;
II - manter sociedade profissional fora das normas e preceitos
estabelecidos nesta lei;
III - valer-se de agenciador de causas, mediante participação nos
honorários a receber;
IV - angariar ou captar causas, com ou sem a intervenção de
terceiros;
V - assinar qualquer escrito destinado a processo judicial ou para
fim extrajudicial que não tenha feito, ou em que não
tenha colaborado;
VI - advogar contra literal disposição de lei, presumindo-se a boa-fé quando
fundamentado na inconstitucionalidade, na injustiça da lei ou em
pronunciamento judicial anterior;
VII - violar, sem justa causa, sigilo profissional;
VIII - estabelecer entendimento com a parte adversa sem autorização do
cliente ou ciência do advogado contrário;
IX - prejudicar, por culpa grave, interesse confiado ao seu patrocínio;
X - acarretar, conscientemente, por ato próprio, a anulação ou a nulidade do
processo em que funcione;
XI - abandonar a causa sem justo motivo ou antes de decorridos dez dias da
comunicação da renúncia;
XII - recusar-se a prestar, sem justo motivo, assistência jurídica, quando
nomeado em virtude de impossibilidade da Defensoria Pública;
XIII - fazer publicar na imprensa, desnecessária e habitualmente, alegações
forenses ou relativas a causas pendentes;
XIV - deturpar o teor de dispositivo de lei, de citação doutrinária ou de
julgado, bem como de depoimentos, documentos e alegações da parte
contrária, para confundir o adversário ou iludir o juiz da causa;
XV - fazer, em nome do constituinte, sem autorização escrita deste,
imputação a terceiro de fato definido como crime;
XVI - deixar de cumprir, no prazo estabelecido, determinação emanada do
órgão ou de autoridade da Ordem, em matéria da competência desta,
depois de regularmente notificado;
XVII - prestar concurso a clientes ou a terceiros para realização de ato
contrário à lei ou destinado a fraudá-la;
XVIII - solicitar ou receber de constituinte qualquer importância para
aplicação ilícita ou desonesta;
XIX - receber valores, da parte contrária ou de terceiro, relacionados com o
objeto do mandato, sem expressa autorização do constituinte;
XX - locupletar-se, por qualquer forma, à custa do cliente ou da parte
adversa, por si ou interposta pessoa;
XXI - recusar-se, injustificadamente, a prestar contas ao cliente de quantias recebidas
dele ou de terceiros por conta dele;
XXII - reter, abusivamente, ou extraviar autos recebidos com vista ou em confiança;
XXIII - deixar de pagar as contribuições, multas e preços de serviços devidos à OAB,
depois de regularmente notificado a fazê-lo;
XXIV - incidir em erros reiterados que evidenciem inépcia profissional;
XXV - manter conduta incompatível com a advocacia;
XXVI - fazer falsa prova de qualquer dos requisitos para inscrição na OAB;
XXVII - tornar-se moralmente inidôneo para o exercício da advocacia;
XXVIII - praticar crime infamante;
XXIX - praticar, o estagiário, ato excedente de sua habilitação.
Censura
(art. 36, EAOAB)

Suspensão
(art. 37, EAOAB)
SANÇÕES
DISCIPLINARES
(art. 35, Exclusão
EAOAB) (art. 38, EAOAB)

Multa (art. 39,


EAOAB)
Hipóteses de Hipóteses de Hipóteses de
exclusão Suspensão censura

$ Envolva valores;
Falsa prova;
Fraude;
Inidoneidade
Retenção de autos;
moral;
Todas as demais
Inépcia profissional;
Crime infamante;
Conduta incompatível.

S 3 suspensões. Reincidência
QUESTÕES
Questão XX exame Salvador O advogado Aureliano foi contratado por alguns
herdeiros de José Arcádio para representá-los em inventário judicial. Após dez anos,
dá-se o trânsito em julgado da sentença que julgou a partilha, ocasião em que os
clientes solicitam a Aureliano que apresente as contas dos valores que deles
recebeu durante o período, referentes a custas e outras despesas processuais.
Todavia, por não desejar perder tempo com a elaboração do documento, Aureliano,
que até então possuía conduta profissional irretocável, deixa de oferecer as contas
requeridas. Assim, Aureliano cometeu infração disciplinar, sujeitando-se à sanção

A) de censura.
B) de suspensão.
C) de advertência.
D) de exclusão.
Questão XX exame A advogada Dolores cometeu infração disciplinar sujeita à sanção
de suspensão em 12/07/2004. Em 13/07/2008 o fato foi oficialmente constatado,
tendo sido encaminhada notícia a certo Conselho Seccional da OAB. Em 14/07/2010 foi
instaurado processo disciplinar. Em 15/07/2012 foi aplicada definitivamente a sanção
disciplinar de suspensão.
Sobre o tema, assinale a afirmativa correta.

A) A pretensão à punibilidade das infrações disciplinares prescreve em oito anos. No


caso narrado, não se operou o fenômeno prescritivo.
B) A pretensão à punibilidade das infrações disciplinares prescreve em cinco
anos. No caso narrado, operou-se o fenômeno prescritivo, pois decorridos
mais de cinco anos entre a data do fato e a instauração do processo disciplinar.
C) A pretensão à punibilidade das infrações disciplinares prescreve em oito
anos. No caso narrado, operou-se o fenômeno prescritivo, pois decorridos
mais de oito anos entre a data do fato e a aplicação definitiva da sanção
disciplinar.
D) A pretensão à punibilidade das infrações disciplinares prescreve em cinco
anos. No caso narrado, não se operou o fenômeno prescritivo.
Questão XX exame Guilherme é advogado de José em ação promovida por
este em face de Bruno, cujo advogado é Gabriel. Na audiência de conciliação,
ao deparar-se com Bruno, Guilherme o reconhece como antigo amigo da
época de colégio, com o qual havia perdido contato. Dias após a realização da
audiência, na qual foi frustrada a tentativa de conciliação, Guilherme se
reaproxima de Bruno, e com vistas a solucionar o litígio, estabelece
entendimento sobre a causa diretamente com ele, sem autorização de José e
sem ciência de Gabriel. Na situação narrada,

A) Guilherme cometeu infração disciplinar ao estabelecer entendimento com


Bruno, tanto pelo fato de não haver ciência de Gabriel, como por não haver
autorização de José.
B) Guilherme cometeu infração disciplinar ao estabelecer entendimento com
Bruno, pelo fato de não haver ciência de Gabriel, mas não por não haver
autorização de José.

C) Guilherme cometeu infração disciplinar ao estabelecer entendimento com


Bruno, pelo fato de não haver autorização de José, mas não por não haver
ciência de Gabriel.

D) Guilherme não cometeu infração disciplinar ao estabelecer entendimento


com Bruno, sem ciência de Gabriel ou autorização de José.
Questão XIV exame Ao requerer sua inscrição nos quadros da OAB, Maria assinou e
apresentou declaração em que afirmava não exercer cargo incompatível com a
advocacia. No entanto, exercia ela ainda o cargo de Oficial de Justiça no Tribunal
de Justiça do seu Estado. Pouco tempo depois, já bem sucedida como advogada,
pediu exoneração do referido cargo. No entanto, um desafeto seu, tendo
descoberto que Maria, ao ingressar nos quadros da OAB, ainda exercia o cargo de
Oficial de Justiça, comunicou o fato à entidade, que abriu processo disciplinar
para apuração da conduta de Maria, tendo ela sido punida por ter feito falsa
prova de um dos requisitos para a inscrição na OAB. De acordo com o EAOAB,
assinale a opção que indica a penalidade que deve ser aplicada a Maria.
A) Maria não deve ser punida porque, ao tempo em que os fatos foram levados
ao conhecimento da OAB, ela já não mais exercia cargo incompatível com a
advocacia.

B) Maria não deve ser punida porque o cargo de Oficial de Justiça não é
incompatível com o exercício da advocacia, não tendo Maria, portanto, feito
prova falsa de requisito para inscrição na OAB.

C) Maria deve ser punida com a pena de suspensão, pelo prazo de trinta dias.

D) Maria deve ser punida com a pena de exclusão dos quadros da OAB.
EAOAB – LEI nº 8.906/94

• Dos fins e da organização, do Conselho Federal, do Conselho Seccional, da


Subseção, da Caixa de Assistência dos advogados, das eleições e dos mandatos
(arts. 44 ao 67)
DOS FINS E DA ORGANIZAÇÃO
(ARTS. 44 AO 50, EAOAB; ARTS. 44 AO 54, RG)

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB):

• Serviço público;
• Personalidade jurídica;
• Forma federativa;
• Independente de órgãos da administração pública;
• Sem vínculo ou submissão hierárquica;
• Finalidades institucional e corporativa.
ÓRGÃOS DA OAB
CONSELHO
FEDERAL

CONSELHO
SECCIONAL
OAB

SUBSEÇÃO

CAIXA DE ASSISTÊNCIA
DOS ADVOGADOS
OAB gozará de IMUNIDADE TRIBUTÁRIA TOTAL
DO CONSELHO FEDERAL
(ARTS. 51 AO 55, EAOAB; ARTS. 62 AO 104, RG)
• Personalidade jurídica própria;

• Compõem-se de Conselheiros Federais integrantes das delegações de


cada unidade federativa + dos seus ex-presidentes, na qualidade de
membros honorários vitalícios;

• Rol de competências meramente exemplificativo (art. 54, EAOAB);

• Diretoria do composta de Presidente, Vice-Presidente, Secretário-Geral,


Secretário-Geral Adjunto e Tesoureiro;
DO CONSELHO FEDERAL
(ARTS. 51 AO 55, EAOAB; ARTS. 62 AO 104, RG)

• O Presidente exerce a representação nacional e internacional


da OAB; e

• Sua substituição (faltas, licenças e impedimentos), nos moldes


do Regulamento Geral, seguirá a seguinte ordem:

1. Vice-Presidente,
2. Secretário-Geral,
3. Secretário-Geral Adjunto e
4. Tesoureiro
Cada delegação será composta por 3 Conselheiros Federais,
ou seja, um total de 81 Conselheiros Federais
distribuídos pelas 27 delegações (26 Estados + DF).

Direito apenas à 1 (um) voto, de modo


que a maioria entre os 3 (três)
conselheiros irá definir a posição
daquele estado

#yéyÉTICA: quando se tratar de votação de matérias que


unidade federada detenha interesse, o direito a voto não será
concedido aos respectivos conselheiros.
DO CONSELHO SECCIONAL
(ARTS. 56 AO 59, EAOAB; ARTS. 105 AO 114, RG)
• Personalidade jurídica própria;

• Compõe-se de conselheiros em número proporcional ao de seus


inscritos, incluindo os membros da Diretoria, segundo critérios
estabelecidos no regulamento geral:

I – abaixo de 3.000 (três mil) inscritos, até 30 (trinta) membros;


II – a partir de 3.000 (três mil) inscritos, mais um membro por grupo
completo de 3.000 (três mil) inscritos, até o total de 80 (oitenta)
membros.
• Serão membros (honorários vitalícios), seus ex-presidentes com direito a VOZ;

• Presidente do Instituto dos Advogados do Brasil – IAB, detém condição de


membro honorário, somente com direito a VOZ nas seções;

• rol de competências (arts. 57 e 58, EAOAB);

• A diretoria tem composição idêntica e atribuições equivalentes às do Conselho


Federal: um Presidente, de um Vice-Presidente, de um Secretário-Geral, de
um Secretário-Geral Adjunto e de um Tesoureiro.
DA SUBSEÇÃO
(ARTS. 60 E 61, EAOAB; ARTS. 115 AO 120, RG)

• NÃO possui personalidade jurídica própria;

• O Conselho Seccional, deterá competência para autorizar ou


lhe extinguir;

• Sua área territorial pode abranger um ou mais municípios, ou


parte de município, inclusive da capital do Estado, contando
com um MÍNIMO DE 15 ADVOGADOS, nela profissionalmente
domiciliados;

• Rol de competências (art. 61, EAOAB).


• A resolução do Conselho Seccional que CRIA a Subseção deve
(art. 118, RG):
I – fixar sua base territorial;
II – definir os limites de suas competências e autonomia;
III – fixar a data da eleição da diretoria e do conselho, quando for o
caso, e o início do mandato com encerramento coincidente com
o do Conselho Seccional;
IV – definir a composição do conselho da Subseção e suas
atribuições, quando for o caso.

• O Conselho Seccional poderá intervir nas Subseções, mediante


voto de 2/3 de seus membros, quando constatar grave violação
do estatuto ou regimento interno (art. 60, §6º, EAOAB).
Os conflitos de competência entre subseções e entre estas e o
Conselho Seccional são por este decididos, com recurso
voluntário ao Conselho Federal (art. 119, RG).
CONSELHO
FEDERAL

SUBSEÇÃO A SUBSEÇÃO X

CONSELHO
SUBSEÇÃO B
SECCIONAL
DA CAIXA DE ASSISTENCIA DOS ADVOGADOS
(ART. 62, EAOAB; ARTS. 121 AO 127, RG)
• Personalidade jurídica própria;

• Criadas pelos Conselhos Seccionais (aprovação e registro de seus estatutos)


quando contarem com mais de 1.500 (mil e quinhentos) inscritos;

• Condições para assistência (art. 123, RG):

A) Regularidade do pagamento, pelo inscrito, da anuidade à OAB; (dispensa em


casos especiais)
B)Carência de um ano, após o deferimento da inscrição (dispensa em casos
especiais); e
C) Disponibilidade de recursos da Caixa.
• Poderá instituir regime previdenciário de seguridade complementar e
contribuições obrigatórias;

• A composição do órgão será tomada pelos seguintes cargos de diretoria:


Presidente, Vice-Presidente, Secretário, Secretário Adjunto e Tesoureiro;

• O Conselho Seccional poderá intervir na CAA, mediante voto de 2/3 de


seus membros, no caso de descumprimento de suas finalidades,
designando diretoria provisória, enquanto durar a intervenção (art. 62,
§7º, EAOAB).
DAS ELEIÇÕES E DOS MANDATOS
(ARTS. 63 AO 67, EAOAB; ARTS. 128 AO 137-C, RG)

• A eleição dos membros de todos os órgãos da OAB deverá ocorrer,


OBRIGADORIAMENTE, na segunda quinzena do mês de novembro, do
último ano do mandato;
• Cédula única e votação direta dos advogados regularmente inscritos;
• Trienalmente;
• O Conselho Seccional em até 45 dias antes da votação, no último ano do
mandato, convocará os advogados inscritos para a votação obrigatória,
mediante edital resumido, publicado na imprensa oficial;
Requisitos para o advogado candidatar-se:

• Situação regular junto à OAB;

• Exerça efetivamente a profissão há mais de cinco anos

• Esteja em dia com as anuidades;


• NÃO ocupe cargo exonerável ad nutum;

• NÃO tenha sido condenado em definitivo por infração disciplinar, salvo


reabilitação;

• NÃO ocupe cargos ou funções incompatíveis com a advocacia, em caráter


permanente ou temporário (art. 28 do EAOAB);

• NÃO integre listas, com processo em tramitação, para provimento de


cargos nos tribunais judiciais ou administrativos (art. 63, § 2º, EAOAB e
art. 131, § 5º, RG).
• comparecimento OBRIGATÓRIO para todos os advogados inscritos na OAB,
sob pena de multa equivalente a 20% (vinte por cento) do valor da
anuidade (exceto na ausência justificada por escrito, a ser apreciada pela
Diretoria do Conselho Seccional);
• Consideram-se eleitos os candidatos integrantes da chapa que obtiver a
maioria dos votos válidos, ou seja, a maioria simples (50% + 1 dos votos
válidos);
• O mandato tem duração de 3 anos em qualquer órgão da OAB, iniciando-
se em 01 de janeiro do ano posterior à eleição, à exceção do Conselho
Federal, que inicia seu mandato em 01 de fevereiro do ano posterior à
eleição.
A chapa para o Conselho Seccional:

ELEIÇÃO CONJUNTA:

• Diretoria (Presidente, Vice-Presidente, Secretário, Secretário Geral,


Secretário Geral Adjunto e Tesoureiro);
• Conselheiros Seccionais
• Delegação ao Conselho Federal;
• Diretoria da CAA.

Obs.1: A delegação junto ao Conselho Federal, indicará os três titulares


e os suplentes.
Obs.2: chapa para a Subseção deve ser composta com os candidatos à
diretoria, e de seu conselho quando houver.
Ocorre a EXTINÇÃO DO MANDATO, de forma automática e antes do
seu término, quando:

1. Ocorrer qualquer hipótese de cancelamento de inscrição ou de


licenciamento do profissional (arts. 11 e 12, EAOAB);

2. O titular sofrer condenação disciplinar;

3. Titular faltar três reuniões ordinárias (sem motivo justificado)


consecutivas de cada órgão deliberativo do conselho ou da
diretoria da Subseção ou da Caixa de Assistência dos Advogados,
não podendo ser reconduzido no mesmo período de mandato.
EAOAB – LEI nº 8.906/94

• Disposições gerais, do Processo Disciplinar, dos Recursos, das


Disposições Gerais e Transitórias (arts. 68 ao 87)
DO PROCESSO NA OAB
(ARTS. 68 E 69, EAOAB)

• Aplicação das normas, sem prejuízo da utilização subsidiária da legislação penal aos
processos disciplinares, bem como o uso das regras do procedimento
administrativo comum e da legislação processual civil aos demais processos (art.
68, EAOAB);
• Padronização de todos os prazos em 15 (quinze) dias, necessários para
manifestação de advogados, estagiários e terceiros, nos processos em geral da
OAB, incluindo-se a interposição de recursos (art. 69, EAOAB);

• Comunicação por oficio ou notificação pessoal o prazo será contado a partir do


dia útil imediato ao da notificação do recebimento, e nos casos de publicação
na imprensa oficial do ato ou da decisão, o prazo inicia-se no primeiro dia útil
seguinte (art. 69, §§ 1º e 2º, EAOAB).
DO PROCESSO DISCIPLINAR
(ARTS. 70 AO 74, EAOAB; ARTS. 55 AO 69, NCED)

• REGRA: a competência para o processamento e julgamento caberá ao


Conselho Seccional em cuja base territorial tenha OCORRIDO a infração,
que pode ou não ser aquela em que o advogado tenha sua inscrição
principal (art. 70, EAOAB).
• Entretanto, se a infração for cometida perante o Conselho Federal,
caberá a ele o poder de punir.
• Ocorrendo decisão condenatória irrecorrível, o Conselho Seccional
processante comunicará o respectivo Conselho Seccional em que o
advogado tenha inscrição principal, para registro em seus
assentamentos (art. 70, §2º, EAOAB).
Instauração do processo, poderá ocorrer (art. 72, EAOAB):

• De ofício: Quando o conselho obter informações sobre o fato


através de fonte idônea ou em virtude de comunicação da
autoridade competente (art. 55, NCED);

• Representação: Qualquer interessado poderá formular


representação perante o Presidente do Conselho Seccional ou
Subseção, por escrito ou verbal, identificando-se e narrando os
acontecimentos que ensejariam a infração disciplinar em conjunto
com provas existentes (arts. 56 e 57, NCED).

#yéyÉTICA: ANONIMATO (art. 55, §2º, NCED)???


(DE OFÍCIO)

(REPRESENTAÇÃO)
(PROCESSO)
• Compete ao Tribunal de Ética e Disciplina – TED, da respectiva seccional,
julgar os processos disciplinares instituídos pelas Subseções ou por relatores
do próprio conselho (art. 70, §1º, EAOAB), com suas competências definidas
no Código de Ética e Disciplina da OAB (art. 71, NCED).

• O TED, do conselho em que detenha inscrição principal o advogado, poderá


suspendê-lo preventivamente, quando o caso tomar repercussão prejudicial
à dignidade da advocacia, depois de ouvi-lo em sessão especial. Neste caso, o
processo disciplinar deve ser concluído no prazo máximo de noventa dias
(art. 70, §3º, EAOAB + art. 63, NCED).
• Instaurado o processo, seu tramite ocorrerá sob SIGILO até seu término,
apenas tendo acesso às suas informações as partes, seus defensores e a
autoridade judiciária competente (art. 72, §2º, EAOAB).

• Recebida a representação, o Presidente deve designar relator, a quem


compete a instrução do processo e o oferecimento de parecer preliminar a
ser submetido ao Tribunal de Ética e Disciplina. Ao representado, será
assegurado AMPLO DIREITO DE DEFESA, podendo acompanhar o processo
em todos os termos, pessoalmente ou por intermédio de procurador,
oferecendo defesa prévia após ser notificado.
• Ofertando defesa prévia, o relator poderá se manifestar pelo
indeferimento liminar da representação, decidindo o Presidente do
Conselho Seccional quanto arquivamento ou não (art. 73, EAOAB).

• Admitida a representação, o Presidente do Tribunal de Ética e Disciplina,


após o recebimento do processo, devidamente instruído, designa, por
sorteio, novo relator para proferir voto (art. 60, NCED).
• Do julgamento do processo disciplinar lavrar-se-á acórdão, do qual constarão,
quando procedente a representação, o enquadramento legal da infração, a
sanção aplicada, o quórum de instalação e o de deliberação, a indicação de
haver sido esta adotada com base no voto do relator ou em voto divergente,
bem como as circunstâncias agravantes ou atenuantes consideradas e as
razões determinantes de eventual conversão da censura aplicada em
advertência sem registro nos assentamentos do inscrito (art. 61, NCED).
• É também permitida a revisão do processo disciplinar, nos seguintes
casos:

1. Erro de julgamento
2. Condenação baseada em falsa prova.

• Tem legitimidade para requerer a revisão o advogado punido com a


sanção disciplinar e a competência para julgamento será do mesmo
órgão que emanou a decisão final (art. 68, NCED).

• Ressalte-se que a jurisdição administrativa disciplinar da OAB não


exclui a comum, quando os fatos constituírem crime ou
contravenção, comunicando-se as autoridades competentes (art. 71,
EAOAB).
DE OFÍCIO
Ao Presidente do RECEBIDA
REPRESENTAÇÃO CS ou Subseção

Notificação: esclarecimentos
ou defesa prévia (15 dias)
Juntada ficha Presidente
cadastral, designa
certidão Relator
RELATOR 1
negativa ou (SORTEIO)
positiva...

Instauração Despacho
PARECER do
Presidente Delegar
Arquivamento
ao TED
DOS RECURSOS
(ARTS. 75 A 77, EAOAB; ARTS. 137-D AO 144-A, RG)

Competência recursal (arts. 75 e 76, EAOAB):


Conselho Federal:
Conselho Seccional:
Decisões definitivas proferidas pelo Conselho
Seccional, quando não tenham sido unânimes Decisões proferidas por seu
ou, sendo unânimes, contrarie o EAOAB, Presidente, pelo Tribunal de
decisão do Conselho Federal ou de outro Ética e Disciplina, ou pela
Conselho Seccional e, ainda, o regulamento diretoria da Subseção ou da
geral, o Código de Ética e Disciplina e os Caixa de Assistência dos
Provimentos. Além dos interessados, o Advogados.
Presidente do Conselho Seccional também será
legitimado a interpor este recurso.
• O estatuto determina a atribuição de efeito suspensivo para todos
os recursos, exceto (art. 77, EAOAB):

1. Quando tratarem de eleições,


2. Suspensão preventiva decidida pelo Tribunal de Ética e Disciplina,
3. Cancelamento da inscrição obtida com falsa prova.

• O regulamento geral disciplina o cabimento de recursos específicos,


no âmbito de cada órgão julgador.
QUESTÕES
Questão XXI exame. Lúcia, advogada, foi processada disciplinarmente e, após
a interposição de recurso, o Conselho Seccional do Estado de Pernambuco
confirmou, por unanimidade, a sanção de suspensão pelo prazo de trinta dias,
nos termos do Art. 37, § 1º, do Estatuto da OAB. Lúcia verificou, contudo,
existir decisão em sentido contrário, em caso idêntico ao seu, no Conselho
Seccional do Estado de Minas Gerais. De acordo com o Estatuto da OAB, contra
a decisão definitiva unânime proferida pelo Conselho Seccional do Estado de
Pernambuco,

A) não cabe recurso ao Conselho Federal, em qualquer hipótese.


B) cabe recurso ao Conselho Federal, por contrariar decisão do Conselho Seccional
de Minas Gerais.

C) cabe recurso ao Conselho Federal, se a decisão contrariar também decisão do


Conselho Federal, e não apenas decisão do Conselho Seccional de Minas
Gerais.

D) cabe recurso ao Conselho Federal, em qualquer hipótese, ainda que não


existisse decisão em sentido contrário do Conselho Seccional de Minas Gerais.
Questão XXII exame. O Conselho Seccional X da OAB criou dez subseções e
uma Caixa de Assistência dos Advogados. Dentre as subseções, inclui-se a
Subseção Y, cuja área territorial abrange um município. Considerando a
hipótese narrada, analise as afirmativas a seguir e assinale a única correta.

A) O Conselho Seccional X é dotado de personalidade jurídica própria; já a


Caixa de Assistência dos Advogados e a Subseção Y não possuem
personalidade jurídica própria, caracterizando-se como partes autônomas do
Conselho Seccional X.
B) O Conselho Seccional X e a Caixa de Assistência dos Advogados são
dotados de personalidade jurídica própria; já a Subseção Y não possui
personalidade jurídica própria, caracterizando-se como parte
autônoma do Conselho Seccional X.

C) O Conselho Seccional X, a Caixa de Assistência dos Advogados e a


Subseção Y não possuem personalidade jurídica própria. Trata-se de
órgãos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a qual é dotada de
personalidade jurídica.

D) O Conselho Seccional X, a Caixa de Assistência dos Advogados e a


Subseção Y possuem, cada qual, personalidade jurídica própria.
Questão XXI exame. O advogado Roni foi presidente do Conselho Federal da OAB
em mandato exercido por certo triênio, na década entre 2000 e 2010. Sobre a
participação de Roni, na condição de expresidente do Conselho Federal, nas
sessões do referido Conselho, assinale a afirmativa correta.

A) Não integra a atual composição do Conselho Federal da OAB. Logo, apenas pode
participar das sessões na condição de ouvinte, não lhe sendo facultado direito a
voto ou direito a voz.
B) Integra a atual composição do Conselho Federal da OAB, na qualidade de membro
honorário vitalício, sendo-lhe conferido direito a voto e direito a voz nas sessões.

C) Não integra a atual composição do Conselho Federal da OAB. Logo, apenas pode
participar das sessões na condição de convidado honorário, não lhe sendo facultado
direito a voto, mas, sim, direito a voz.

D) Integra a atual composição do Conselho Federal da OAB, na qualidade de membro


honorário vitalício, sendo-lhe conferido apenas direito a voz nas sessões e não
direito a voto.
Questão XIII exame A respeito da competência do Conselho Federal da OAB,
assinale a opção incorreta.

A) Compete ao Conselho Federal da OAB representar, em juízo ou fora dele,


os interesses coletivos ou individuais dos advogados.
B) Compete ao Conselho Federal da OAB editar seu regimento interno e o
regimento interno das Seccionais da OAB.
C) Compete ao Conselho Federal da OAB julgar, em grau de recurso, as
questões decididas pelos Conselhos Seccionais, nos casos previstos no
EAOAB e no regulamento geral.
D) Compete ao Conselho Federal da OAB velar pela dignidade,
independência, prerrogativas e valorização da advocacia.
Questão XXII exame. Em determinada subseção da OAB, constatou-se grave
violação à disciplina prevista na Lei nº 8.906/94, no que diz respeito ao
exercício de suas atribuições de representar a OAB perante os poderes
constituídos e de fazer valer as prerrogativas do advogado. Considerando a
situação hipotética narrada, assinale a afirmativa correta.

A) Compete ao Conselho Federal da OAB intervir na aludida subseção mediante


voto de dois terços de seus membros.

B) Compete ao Conselho Federal da OAB intervir na aludida subseção mediante


decisão por maioria do Órgão Especial do Conselho Pleno.
C) Compete ao Conselho Seccional respectivo da OAB intervir na aludida subseção
mediante decisão unânime de sua diretoria.

D) Compete ao Conselho Seccional respectivo da OAB intervir na aludida subseção


mediante voto de dois terços de seus membros.
Questão XIX exame Os jovens Rodrigo, 30 anos, e Bibiana, 35 anos, devidamente
inscritos em certa seccional da OAB, desejam candidatar-se, pela primeira vez,
a cargos de diretoria do Conselho Seccional respectivo. Rodrigo está
regularmente inscrito na referida seccional da OAB há seis anos, sendo dois
anos como estagiário. Bibiana, por sua vez, exerceu regularmente a profissão
por três anos, após a conclusão do curso de Direito. Contudo, afastou-se por
dois anos e retornou à advocacia há um ano. Ambos não exercem funções
incompatíveis com a advocacia, ou cargos exoneráveis ad nutum. Tampouco
integram listas para provimento de cargos em tribunais ou ostentam
condenação por infração disciplinar. Bibiana e Rodrigo estão em dia com suas
anuidades. Considerando a situação narrada, assinale a afirmativa correta.
A) Apenas Bibiana preenche as condições de elegibilidade para os cargos.

B) Apenas Rodrigo preenche as condições de elegibilidade para os


cargos.

C) Bibiana e Rodrigo preenchem as condições de elegibilidade para os


cargos.

D) Nenhum dos dois advogados preenche as condições de elegibilidade


para os cargos.
Questão XX exame Fabiano é conselheiro eleito de certo Conselho Seccional da
OAB. No curso do mandato, Fabiano pratica infração disciplinar e sofre condenação,
em definitivo, à pena de censura. Considerando a situação descrita e o disposto no
Estatuto da OAB, o mandato de Fabiano no Conselho Seccional

A) será extinto, apenas se a sanção disciplinar aplicada for de exclusão.


B) será extinto, apenas se a sanção por infração disciplinar aplicada for de exclusão
ou de suspensão.
C) será extinto, independentemente da natureza da sanção disciplinar aplicada.
D) será extinto, apenas se a sanção aplicada for de suspensão ou se for reincidente
em infração disciplinar.
Questão XX exame Charles é presidente de certo Conselho Seccional da OAB.
Não obstante, no curso do mandato, Charles vê-se envolvido em dificuldades no
seu casamento com Emma, e decide renunciar ao mandato, para dedicar-se às
suas questões pessoais. Sobre o caso, assinale a afirmativa correta.

A) O sucessor de Charles deverá ser eleito pelo Conselho Federal da OAB, dentre
os membros do Conselho Seccional respectivo.
B) O sucessor de Charles deverá ser eleito pelo Conselho Seccional respectivo,
dentre seus membros.
C) O sucessor de Charles deverá ser eleito pela Subseção respectiva, dentre seus
membros.
D) O sucessor de Charles deverá ser eleito por votação direta dos advogados
regularmente inscritos perante o Conselho Seccional respectivo.
Questão XV exame O advogado João, inscrito na Seccional do estado X,
cometeu grave infração ética ao atuar em determinada causa no estado Y.
Assinale a opção que indica o Conselho Seccional com poder de punir
disciplinarmente o advogado infrator.

A) Apenas o Conselho Seccional do estado X terá poder para punir João


disciplinarmente.
B) Apenas o Conselho Seccional do estado Y terá poder para punir João
disciplinarmente.
C) Apenas o Conselho Federal terá poder para punir João disciplinarmente.
D) Os Conselhos Seccionais dos estados X e Y terão poderes concorrentes para
punir João disciplinarmente
Questão XXII exame. Cláudio, advogado inscrito na Seccional da OAB do Estado do
Rio de Janeiro, praticou infração disciplinar em território abrangido pela Seccional
da OAB do Estado da São Paulo. Após representação do interessado, o Conselho
de Ética e Disciplina da Seccional da OAB do Estado do Rio de Janeiro instaurou
processo disciplinar para apuração da infração. Sobre o caso, de acordo com o
Estatuto da OAB, o Conselho de Ética e Disciplina da Seccional da OAB do Estado
do Rio de Janeiro
A) não tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é
exclusivamente do Conselho Seccional em cuja base territorial tenha ocorrido a
infração, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.
B) tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é
exclusivamente do Conselho Seccional em que o advogado se encontra
inscrito, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.
C) tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é
concorrente entre o Conselho Seccional em que o advogado se encontra
inscrito e o Conselho Seccional em cuja base territorial tenha ocorrido a
infração, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.
D) não tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a
competência é exclusivamente do Conselho Federal, ainda que a falta não
tenha sido cometida perante este, quando o advogado for inscrito em uma
Seccional e a infração tiver ocorrido na base territorial de outra.
Questão XXI exame. Lúcia, advogada, foi processada disciplinarmente e, após a
interposição de recurso, o Conselho Seccional do Estado de Pernambuco confirmou,
por unanimidade, a sanção de suspensão pelo prazo de trinta dias, nos termos do
Art. 37, § 1º, do Estatuto da OAB. Lúcia verificou, contudo, existir decisão em
sentido contrário, em caso idêntico ao seu, no Conselho Seccional do Estado de
Minas Gerais. De acordo com o Estatuto da OAB, contra a decisão definitiva
unânime proferida pelo Conselho Seccional do Estado de Pernambuco,
A) não cabe recurso ao Conselho Federal, em qualquer hipótese.

B) cabe recurso ao Conselho Federal, por contrariar decisão do


Conselho Seccional de Minas Gerais.

C) cabe recurso ao Conselho Federal, se a decisão contrariar também


decisão do Conselho Federal, e não apenas decisão do Conselho
Seccional de Minas Gerais.

D) cabe recurso ao Conselho Federal, em qualquer hipótese, ainda que


não existisse decisão em sentido contrário do Conselho Seccional
de Minas Gerais.
NOVO CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA OAB - NCED

• Dos princípios fundamentais e da advocacia pública (arts. 1º ao


8º)

• Das relações com os clientes, colegas, agentes políticos,


autoridades, servidores públicos e terceiros (arts. 9º ao 29)
QUESTÕES
Questão XI exame José é advogado de João em processo judicial que este promove
contra Matheus. Encantado com as sucessivas campanhas de conciliação, busca obter o
apoio do réu para um acordo, sem consultar previamente o patrono da parte contrária,
Valter. Nos termos do Código de Ética, deve o advogado

A) buscar a conciliação a qualquer preço por ser um objetivo da moderna Jurisdição.


B) abster-se de entender-se diretamente com a parte adversa que tenha patrono
constituído, sem o assentimento deste.
C) entender-se com as partes na presença de autoridade sem necessidade de
comunicação ao ex adverso.
D) participar de campanhas de conciliação e, caso infrutíferas, tentar o acordo
extrajudicial diretamente com a parte contrária.
Questão XV exame Fred, jovem advogado, é contratado para prestar serviços na
empresa BBO Ltda., que possui uma assessoria jurídica composta por cinco
profissionais do Direito, orientados por uma gerência jurídica. Após cinco meses
de intensa atividade, é concitado a formular parecer sobre determinado tema
jurídico de interesse da empresa, tarefa que realiza, sendo seu entendimento
subscrito pela gerência. Após dez meses do referido evento, o tema é
reapresentado por um dos diretores da empresa, que, em viagem realizada para
outro estado, havia consultado um outro advogado. Diante dos novos
argumentos, o gerente determina que Fred, o advogado parecerista, mesmo
sem ter mudado de opinião, apresente petição inicial em confronto com o
entendimento anteriormente preconizado.
No caso, nos termos do Código de Ética da Advocacia, o advogado

A) deve submeter-se à determinação da gerência jurídica.

B) deve apresentar seu parecer ao conjunto de advogados para decisão.

C) pode recusar-se a propor a ação diante do parecer anterior.

D) pode opor-se e postular assessoria da OAB.


Questão XX exame Salvador Maria Clara contratou o advogado Benjamim para
sua defesa em um processo criminal, no qual figura como ré. Após reuniões
destinadas a estruturar a defesa técnica de Maria Clara, Benjamim percebe que a
cliente não demonstra plena confiança no patrono, deixando de revelar fatos
importantes para a sua atuação em juízo. Diante dessas circunstâncias, é
recomendável que Benjamim

A) mantenha-se no patrocínio da causa, pois constitui dever do advogado


assumir a defesa criminal, sem considerar sua própria opinião sobre a culpa do
acusado e independentemente de saber a verdade real sobre os fatos ocorridos.
B) externe à cliente sua impressão, solicitando que ela lhe revele os fatos necessários à
sua defesa. Caso não seja estabelecida a confiança, Benjamim poderá renunciar ao
mandato, sendo vedado que este o substabeleça a outrem, uma vez que a quebra da
confiança com o substabelecente contamina a relação com o substabelecido.
C) renuncie desde logo ao mandato, pois as relações entre advogado e cliente baseiam-
se na confiança recíproca e o profissional não deve perquirir junto ao acusado a
verdade real sobre os fatos que lhe são imputados.
D) externe à cliente sua impressão, solicitando que ela lhe revele os fatos necessários à
sua defesa. Caso não seja estabelecida a confiança, Benjamim poderá renunciar ao
mandato ou promover o substabelecimento a outrem.
Questão XIV exame Mara é advogada atuante, tendo especialização na área cível.
Procurada por um cliente da área empresarial, ela aceita o mandato. Ocorre que
seu cliente possui, em sua empresa, um departamento jurídico com numerosos
advogados e um gerente. Por indicação deles, o cliente determina que Mara inclua,
no mandato que lhe foi conferido, os advogados da empresa, para atuação
conjunta. Com base no caso apresentado, observadas as regras do Estatuto da OAB
e do Código de Ética e Disciplina da OAB, assinale a opção correta.
A) A advogada deve aceitar a imposição do cliente por ser inerente ao
mandato.

B) A advogada deve aceitar a indicação de um advogado para atuar


conjuntamente no processo.

C) A advogada deve acolher o comando, por ser natural na vida forense a


colaboração.

D) A advogada não é obrigada a aceitar a imposição de seu cliente no caso.


Questão XIII exame O advogado Carlos pretende substabelecer os poderes que
lhe foram conferidos pelo seu cliente Eduardo, sem reserva de poderes, pois
pretende realizar uma longa viagem, sem saber a data do retorno, não
pretendendo manter compromissos profissionais. Nos termos das normas do
Código de Ética, tal ato deve

A) prescindir do conhecimento do cliente por ser ato privativo.


B) ser comunicado ao cliente de modo inequívoco.
C) ser realizado por tempo determinado.
D) implicar na devolução dos honorários pagos antecipadamente pelo cliente.
NOVO CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA OAB - NCED

• Da advocacia pro bono (art. 30)

• Do exercício de cargos e funções na OAB e na representação da


classe (arts. 31 ao 34)

• Do Sigilo e da publicidade profissional (arts. 35 ao 47)


QUESTÕES
Questão XIV exame Andrea e Luciano trocam missivas intermitentes, cujo conteúdo
diz respeito a processo judicial em que a primeira é autora, e o segundo, seu
advogado. A parte contrária, ciente da troca de informações entre eles, requer ao
Juízo que esses documentos sejam anexados aos autos do processo em que litigam.
Sob a perspectiva do Código de Ética e Disciplina da Advocacia, as comunicações
epistolares trocadas entre advogado e cliente

A) constituem documentos públicos a servirem como prova em Juízo.


B) são presumidas confidenciais, não podendo ser reveladas a terceiros.
C) podem ser publicizadas, de acordo com a prudência do advogado.
D) devem ser mantidas em sigilo até o perecimento do advogado.
Questão XIII exame Valdir representa os interesses de André em ação de divórcio em
que estão em discussão diversas questões relevantes, inclusive de cunho financeiro,
como, por exemplo, o pensionamento e a partilha de bens. Irritado com as exigências
de sua ex-esposa, André revela a Valdir que pretende contratar alguém para
assassiná-la. Deve Valdir comunicar o segredo revelado por seu cliente às
autoridades competentes?

A) Valdir não pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André, pois o advogado
deve sempre guardar sigilo sobre o que saiba em razão do seu ofício.
B) Valdir poderia revelar o segredo que lhe foi confiado por André, mas
apenas no caso de ser intimado como testemunha em ação penal
eventualmente deflagrada para a apuração do homicídio que viesse a ser
efetivamente praticado.

C) Valdir pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André, em razão de
estar a vida da ex-esposa deste último em risco.

D) Valdir não pode revelar o segredo que lhe foi confiado por André, mas
tem obrigação legal de impedir que o homicídio seja praticado, sob pena de
se tornar partícipe do crime.
Questão XVII exame O advogado Nelson, após estabelecer seu escritório em local
estratégico nas proximidades dos prédios que abrigam os órgãos judiciários
representantes de todas as esferas da Justiça, resolve publicar anúncio em que, além
dos seus títulos acadêmicos, expõe a sua vasta experiência profissional, indicando os
vários cargos governamentais ocupados, inclusive o de Ministro de prestigiada área
social. Nos termos do Código de Ética da Advocacia, assinale a afirmativa correta.

A) O anúncio está adequado aos termos do Código, pois indica os títulos acadêmicos e
a experiência profissional.
B) O anúncio está adequado aos termos do Código, por não conter
adjetivações ou referências elogiosas ao profissional.

C) O anúncio colide com as normas do Código, pois a referência a títulos


acadêmicos é vedada por indicar a possibilidade de captação de clientela.

D) O anúncio colide com as normas do Código, que proíbem a referência a


cargos públicos capazes de gerar captação de clientela.
Questão XIII exame A advogada Maria Vivian procura apresentar os seus serviços
profissionais como de excelente qualidade, utilizando a estratégia aprendida em tempos
em que atuava no teatro, quando finalizava a peça pedindo indicação aos amigos, se
tivesse aprovado o espetáculo e, caso negativo, indicasse aos inimigos. A par disso,
organiza um sistema sofisticado de divulgação de material de propaganda, informando o
número de vitórias obtido em várias causas com temas próprios das causas de massa.
Nos termos do Código de Ética da Advocacia, o advogado não pode

A) realizar propaganda, mesmo moderada, da sua atividade.


B) ofertar serviços profissionais que impliquem exposição de clientela.
C) apresentar o seu currículo profissional em público.
D) distribuir cartões de visita com seu endereço profissional.
Questão XIV exame O advogado Armando alterou o endereço de seu escritório e, para
comunicar tal alteração, enviou correspondência a grande número de pessoas,
notadamente, seus clientes e outros advogados. Observadas as regras do Estatuto da
OAB e do Código de Ética e Disciplina da OAB, Armando realizou publicidade irregular?

A) Sim. Considera-se imoderado qualquer anúncio profissional mediante remessa de


correspondência a uma coletividade.
B) Sim. Ao advogado é vedado o envio de correspondência a clientes, salvo
para tratar de temas que sejam de interesse desses últimos.

C) Não. Armando poderia ter enviado a correspondência em questão, pois


estava apenas comunicando a alteração de seu endereço.

D) Não. A publicidade por meio de correspondência é permitida em


qualquer caso e para comunicar qualquer tipo de informação.
NOVO CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA OAB - NCED

• Dos honorários profissionais (arts. 48 ao 54)

• Do processo disciplinar e disposições finais (arts. 55 ao 80)


QUESTÕES
Questão XI exame O advogado Mário celebrou contrato de honorários com seu
cliente, para atuar em reclamação trabalhista. No contrato restou estabelecido
que, em caso de êxito, ele receberia, a título de honorários contratuais, o valor de
60% do que fosse recebido pelo cliente, que havia sido dispensado pelo
empregador e encontra-se em situação econômica desfavorável. A respeito do
caso apresentado, assinale a afirmativa correta.

A) Mário não cometeu infração disciplinar, uma vez que tendo celebrado contrato
de honorários, ele pode cobrar de seu cliente o valor que entender compatível
com o trabalho desenvolvido.
B) Mário não cometeu infração disciplinar, pois causas trabalhistas são
muito complexas, justificando-se, assim, a cobrança de honorários
elevados.

C) Mário violou dispositivo do Código de Ética e Disciplina da OAB,


segundo o qual os honorários profissionais devem ser fixados com
moderação.

D) Mário violou dispositivo do Código de Ética e Disciplina da OAB, que


veda a cobrança de honorários profissionais com base em percentual do
valor a ser recebido pela parte.
Questão XVIII exame O Presidente de determinada Seccional da OAB recebeu
representação contra advogado que nela era inscrito por meio de missiva
anônima, que narrava grave infração disciplinar. Considerando a via eleita para a
apresentação da representação, foi determinado o arquivamento do expediente,
sem instauração de processo disciplinar. Pouco tempo depois, foi publicada
matéria jornalística sobre investigação realizada pela Polícia Federal que tinha
como objeto a mesma infração disciplinar que havia sido narrada na missiva
anônima e indicando o nome do investigado naquele procedimento inquisitorial.
Com base na reportagem, foi determinada, pelo Presidente da Seccional, a
instauração de processo disciplinar. Sobre o procedimento adotado pelo
Presidente da Seccional em questão, assinale a afirmativa correta.
A) Deveria ter instaurado processo disciplinar quando recebeu a missiva
anônima.

B) Não poderia ter instaurado processo disciplinar em nenhuma das


oportunidades.

C) Deveria ter instaurado processo disciplinar em qualquer uma das


oportunidades.

D) Poderia ter instaurado processo disciplinar a partir da publicação da matéria


jornalística.
Aos Estudos...

“Chamamos de ética o conjunto de coisas que as pessoas


fazem quando todos estão olhando. O conjunto de coisas que
as pessoas fazem quando ninguém está olhando chamamos
de caráter”

Oscar Wilde

Facebook: www.facebook.com/professornovais
Instagram: @ProfessorNovais
Periscope: Prof. Rafael Novais
E-mail: prof.rafaelnovais@hotmail.com
V