Você está na página 1de 4

CRITÉRIOS DE PROJETO PARA SELEÇÃO DE

MATERIAIS
INTRODUÇÃO

Os projetistas, ao longo do desenvolvimento do projeto, assumem decisões

embasadas em critérios.

Ao selecionar os materiais, deve-se levar em consideração um alto desempenho

(durabilidade, vida útil, manutenibilidade, conforto...) de acordo com o orçamento

estimado, as normas técnicas, aspectos estéticos e sustentabilidade.

Na fase de planejamento, concepção e desenvolvimento do projeto, há uma maior

possibilidade de interferência nos custos, na qualidade e no desempenho dos

materiais. A partir do início da construção, a possibilidade de interferência

torna-se limitada.

A qualidade do material é interferida:

 Na especificação;

 Comprado e entregue nas condições estabelecidas;

 Recepção por meio de procedimentos de inspeção;

 Transporte e armazenamento adequado;

 Aplicação em conformidade com o projeto, orientações do fabricante e

com as NT;

 Após a aplicação, proteção até a entrega do produto final ao cliente;

 Utilizado e mantido adequadamente durante a V.U.

Critérios

Os critérios que são levados em consideração na escolha do material dizem

respeito a:

 Normas técnicas e legislação oficial;

Os fabricantes, revendedores, construtores devem ser obrigados a

cumprir as normas técnicas pelo código de defesa do consumidor


(set/1990) (ABNT e toda legislação municipal, estadual e nacional a que o

produto está submetido)

Quando há ausência de normas nacionais, então deve-se submeter as

normas internacionais reconhecidas.

 Meio ambiente e sustentabilidade ambiental;

Empregar melhor os recursos naturais (por exemplo, emprego de concreto

com maior resistência (menor volume e maior durabilidade), substituição

de pontaletes de madeira por escoramentos metálicos, substituição da

areia natural por areia de britagem nos traços de concreto), diminuir a

geração de resíduos (resolução CONAMA n° 307/2002; ISO 14000) e

especificar os materiais mais adequados (que reduzam o consumo dos

recursos naturais durante a utilização do edifício ou utilizem recursos

mais adequados; emprego de materiais cujo processo de fabricação gere

poucos resíduos ou necessitem de pouca energia ou emitam poucos

poluentes; emprego de materiais que não emitam gases tóxicos durante a

utilização ou liberem baixo teor de produtos orgânicos voláteis).

 Custo e produtividade;

Quando há redução do custo, há aumento dos lucros. A meta orçamentária

deve ser atendida sem prejuízo da qualidade e desempenho dos materiais.

Custo global: custo de construção + custo de utilização (operação) + custo

de manutenção (reposição).

Os materiais de acabamento correspondem de 15 a 20% do orçamento do

custo final do edifício. A mão-de-obra corresponde a 40% do custo total

da obra

 Aspectos estéticos;

Importante a aplicação correta, conforme projeto, normas técnicas,

orientações do fabricante, por profissionais habilitados segundo as boas

práticas!
 Desempenho;

Deve ser aplicado desde à concepção do projeto até a retroalimentação de

avaliações pós-ocupação.

 Disponibilidade dos materiais e da mão-de-obra;

Verificar:

o A existência ou possibilidade de obtenção dos materiais, inclusive

de reposição, bem como dos materiais acessórios ou

complementares à aplicação;

o A comprovação de que os acessos à obra permitem o transporte do

material e dos equipamentos necessários à execução;

o A existência de mão de obra qualificada para a aplicação dos

materiais e componentes, inclusive para posterior manutenção.

 Aspectos construtivos.

Os projetistas e construtores devem considerar: método construtivo (tipo

de estrutura, vedação...) e equipamentos disponíveis (gruas, elevadores,

guinchos, pórticos)

Como fazer a especificação?

Os projetistas de cada especialidade são responsáveis tecnicamente e

juridicamente pela especificação.

Projetista da estrutura: ele especifica as características/propriedades do

concreto endurecido

Engenheiro residente (obra): complementa a especificação com propriedades do

concreto fresco.

Projetista de instalações: no memorial descritivo ele especifica as várias

marcas/modelos para um mesmo tipo de componente.

Engenheiro residente: além de requisitar as marcas constante, verifica outras

características, como quadro de disjuntores.


Para estabelecer os requisitos de desempenho, usar a NBR 15575