Você está na página 1de 24

Estruturas de Aço

Peças Fletidas
Prof. Esp. Igor Leite
Peças Fletidas

No projeto no estado limite último de vigas sujeitas à flexão


simples calculam-se, para as seções críticas, o momento e o
esforço cortante resistentes de projeto para compará-los aos
respectivos esforços solicitantes de projeto. Além disso,
devem-se verificar os deslocamentos no estado limite de
utilização.

A resistência à flexão das vigas pode ser afetada pela


flambagem local e pela flambagem lateral. A flambagem
local é a perda de estabilidade das chapas comprimidas
componentes do perfil, a qual reduz o momento resistente da
seção.
Peças Fletidas

Na flambagem lateral a viga perde seu equilíbrio no plano


principal de flexão (em geral vertical) e passa a apresentar
deslocamentos laterais e rotações de torção. Para evitar a
flambagem de uma viga I, cuja rigidez à torção é muito
pequena, é preciso prover contenção lateral à viga.
Tipos Construtivos Usuais
Dimensionamento a Flexão

Momento de início de Plastificação (My) e Momento de


Plastificação Total (Mp)

Seja uma viga biapoiada sujeita a um carregamento


distribuído uniformemente, o comportamento é linear
enquanto a máxima tensão é menor que a tensão de
escoamento do aço.
Dimensionamento a Flexão

O momento My não representa a capacidade resistente da


viga, já que é possível continuar aumentando carga após
atingi-lo. Entretanto, a partir de My o comportamento passa a
ser não-linear, pois as fibras da seção vão se plastificando
progressivamente até a plastificação total da seção.
Dimensionamento a Flexão
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral

As vigas com contenção lateral contínua não estão sujeitas aos


fenômenos de flambagem lateral. A resistência à flexão das
vigas pode ser reduzida por efeito de flambagem local das
chapas que constituem o perfil.

Classificação das seções quanto à ocorrência de flambagem


local:

Seção Compacta – é aquela que atinge o momento de


plastificação total (Mp).
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral

Classificação das seções quanto à ocorrência de flambagem


local:

Seção Semicompacta – é aquela que a flambagem local ocorre


após ter se desenvolvido plastificação parcial. (Mres > My)

Seção Esbelta – seção na qual a ocorrência da flambagem


local impede que seja atingido o momento de início de
plastificação. (Mres < My).
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral

Tem-se então as seguintes relações:

λb ≤ λp – Seção compacta
λp < λb ≤ λr – Seção semicompacta
λr ≤ λb – Seção esbelta

Para perfis I fletidos no plano da alma, os limites λp e λr se


encontram na tabela a seguir.
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral
Resistência à flexão de vigas com
contenção lateral

Tem-se então as seguintes relações:

λb ≤ λp – Seção compacta
λp < λb ≤ λr – Seção semicompacta
λr ≤ λb – Seção esbelta

Para perfis I fletidos no plano da alma, os limites λp e λr se


encontram na tabela a seguir.
Exemplos:

Verificar a classe dos perfis soldados a seguir:

CS 250 x 52;
CS 650 x 305;
VS 400 x 49;
VS 1400 x 260

Aço MR250.
Momento resistente de projeto

O momento resistente de projeto é dado por:


𝑀
𝑀𝑑𝑑𝑑𝑑 = 𝑛�1,1
Sendo Mn o momento resistente nominal, dado na tabela
abaixo:
Seções compactas Mn = Mp = Z.fy
Seções semicompactas λ𝑏 − λ𝑝
𝑀𝑛 = 𝑀𝑝 − (𝑀 − 𝑀𝑟 )
λ𝑟 − λ𝑝 𝑝

Seções esbeltas Mcr = W.fcr


Fcr – tensão resistente à flexão determinada pela flambagem local elástica da mesa ou da alma do perfil
(tensão crítica no caso de flambagem local da mesa). Ver elementos comprimidos.
Mr – momento resistente nominal para a situação limite entre as classes de seções semicompacta e
esbelta, isto é, λb = λr
Momento resistente de projeto

Flambagem local da mesa:


Mr = Wc (fy – σr) < Wt.fy
σr = tensão residual de compressão nas mesas tomadas igual a
0,3.fy
Wc, Wt = módulos elásticos da seção referidos às fibras mais
comprimida e mais tracionada, respectivamente.

Flambagem local da alma:


Mr = W.fy
W = menor módulo resistente elástico da seção
Z = menor módulo resistente plástico da seção
Momento resistente de projeto
Exercícios

Comparar os momentos resistentes de projeto de uma viga de


perfil laminado W530X85, com uma viga soldada VS500X86,
de mesmo peso próprio aproximadamente, supondo as vigas
contidas lateralmente. Aço MR250.

a) Viga laminada W530 X 85


𝑏𝑓 166
= = 5,0
2𝑡𝑓 2 𝑥 16,5
ℎ𝑤 478
= = 46,4
𝑡0 10,3
Exercícios

a) Viga laminada W530 X 85


A seção é compacta quanto a mesa e alma
Mdres = Zfy/1,1 = 2100 x 25/1,1 = 47.727 kNcm = 477,3 kNm

b) Viga soldada VS 500 X 86


𝑏𝑓 250
= = 7,8
2𝑡𝑓 2 𝑥 16
ℎ𝑤 468
= = 74
𝑡0 6,3
A seção é compacta quanto a mesa e alma
Mdres = Zfy/1,1 = 2281 x 25/1,1 = 51.840 kNcm = 518,4 kNm
Exercícios

Dada uma viga biapoiada com contenção lateral e momento


máximo de 670 kN.m, verifique se a mesma resiste a este
momento.
Perfil: HP310 X 79 e Aço MR250.

𝑏𝑓 306
= = 13,9
2𝑡𝑓 2 𝑥 11
ℎ𝑤 277
= =25,18
𝑡0 11
A seção é semicompacta quanto a mesa e compacta quanto a
alma.
Exercícios

FLA:
Mdres = Zfy/1,1 = 1210,1 x 25/1,1 = 27500 kNcm = 275 kNm

FLM:
Utilizando as expressões vistas anteriormente para seção
semicompacta, tem-se que:
Mdres = 25948 kNcm = 259,5 kNm

Utiliza-se a menor: Rd = 259,5 kNm


Como a solicitação é 650 kN.m, logo a viga não atende.
Referências Bibliográficas:

PFEIL, W. PFEIL, M. Estruturas de Aço – Dimensionamento


prático. LTC: Rio de Janeiro, 2010.