Você está na página 1de 14

1.

Introdução
Moro na Região Serrana do Rio de Janeiro, na cidade que foi a mais
castigada pela catástrofe das enchentes e deslizamentos de encostas no
começo do ano.

Logo após a tragédia, comecei a trabalhar como voluntário junto ao Corpo


de Bombeiros, trabalhei com eles por cerca de uma semana, depois tive que
voltar ao meu próprio trabalho. Rodei por quase todo o município, ví muita
coisa, conversei com muita gente.

Parece um cenário de Guerra, não?

As autoridades dizem que o total de mortos foi de cerca de 800, em toda


Região Serrana.

Mentira deslavada. Só na minha cidade morreram mais de 1000 pessoas,


sem sombra de dúvida! (Mas isso é outra estória…).

Posso dizer que tenho alguma experiência prática em situações de crise.


Gostaria de compartilhar com vocês um pouco do que eu aprendi, sobre
como passar por situações de crise / catástrofes.

É muito importante estar preparado, pois quando o evento acontece, tudo


muda e você pode não ter tempo ou possibilidade de adquirir os recursos
básicos necessários.
2. No Momento da Crise
Avalie bem o local onde você mora.

Quais riscos eu correira aqui se algo acontecesse? O local é propenso a


inundação? Suportaria um vento muito forte? Pode ser soterrado ou
atingido por escombros em caso de deslizamentos? Em caso de incêndio,
tenho meios para combatê-lo? Qual o lugar mais seguro da residência para
me abrigar?

Se você identificar algum risco, tente encontrar alguma solução e a


implemente o quanto antes, ou trace um plano de ação. É muito importante
ter pelo menos uma idéia do que fazer em uma emergência.

Durante o evento, fique muito atento aos sinais.

Estalos e barulhos incomuns na estrutura da casa / prédio pode indicar um


desabamento iminente. Aparecimento de rachaduras nas paredes também.
As rachaduras mais perigosas são as que correm em ângulo aproximado de
45º.

Em caso de inundações, monitore constantemente o nível da água.

Se sua moradia oferece risco, ou se as condições estão se deteriorando,


saia enquanto é tempo.

Pegue seu kit de emergência (falaremos disto mais adiante) e busque um


local seguro.

Muito cuidado com correntes de água. Meio metro de água / lama correndo
pode facilmente te derrubar e te arrastar.

As ocorrências possíveis são inúmeras, mas para todas elas existe uma
regra básica: Não entre em pânico. Mantenha a calma e seja racional.
Avalie muito bem a situação e tome a decisão que lhe ofereça maiores
chances de sobrevivência.

3. Comida
Tenha em casa, sempre, uma quantidade de comida estocada suficiente
para alimentar a você e os seus por, no mínimo, 1 mês em condições
normais (podem durar até 3 meses se racionados).

Dê preferência a alimentos que não necessitam de cozimento para o


consumo, e que não necessitem de refrigeração para sua conservação.
Enlatados, defumados, chocolates e doces, desidratados e similares.

Se seu abastecimento de gás é por encanamento, você vai ficar sem gás
nos primeiros momentos do evento. Se você utilizar gás de botijão, tenha
sempre dois em casa, um em uso e outro cheio, de reserva.
Fornecimento de eletricidade é a primeira coisa que falha em uma situação
de crise. Sua geladeira provavelmente vai estar abastecida, então, assim
que a energia falhar, tente consumir ou cozinhar todos os alimentos que
estragarão rapidamente (como carnes, queijos, leite, e etc…). Alimentos
cozidos duram alguns dias sem refrigeração. Consuma estes primeiro, antes
que estraguem (é preferível se empanturrar com eles do que deixar
estragar, vai ser energia acumulada, que você pode precisar depois).
Depois deste “banquete” inicial, que deve durar uns dois dias, racione a
comida.

Mantenha seu estoque em condições de consumo. Ninguém sabe quando


uma emergência (natural ou provocada) vai acontecer, pode ser amanhã ou
daqui a 5 anos. Monitore a validade dos alimentos estocados. Vá
consumindo os que estão próximos de vencer no seu dia a dia, e repondo o
material no estoque, a fim de garantir um estoque em boas condições e não
gastar dinheiro repondo o estoque todo de uma só vez.

Se você mora em uma casa com quintal, plante alguns alimentos assim que
possível (claro que não dá para esperar uma emergência para começar a
plantar).

Dê preferência para tubérculos e raízes como mandioca, cenoura, nabo,


beterraba, batata, batata doce, inhame e outros das mesmas famílias. Não
colha para tentar armazenar em casa, este tipo de vegetal , depois de
“maduro” permanece por longos períodos no solo, sem estragar. Além de
fornecerem bastante energia e “encherem a barriga”. Mantê-los no solo é a
melhor maneira de conservá-los. Além disso, se você não colher, a cada
colheita mantida no solo, eles se multiplicarão (mais os tubérculos, como
inhame, mandioca e batatas).

Deixe-os como sua reserva de emergência. Só os consuma em último caso.

4. Água
Água é o item crítico.

Pode-se viver indefinidamente sem energia elétrica, pode-se passar um


bom tempo com muito pouca comida e vários dias sem nenhuma comida.

Mas sem água, você não dura nem 5 dias.

Não é apenas água potável que faz falta. Se você não tiver água disponível
para usar na descarga do sanitário, para higiene pessoal e para lavar pratos
e panelas, em pouco tempo sua casa ou apartamento ficará inabitável e as
chances de contaminação por bactérias aumentarão muito.

Se você mora em apartamento:

Mantenha sempre alguns galões de água potável em casa, suficientes para


durarem por um ou dois meses (faça o cálculo de 1/2 litro de água por dia
por pessoa, isso racionando).

Assim que a emergência acontecer, encha com água da torneira quantos


recipientes você tiver disponíveis em casa, pois a água da caixa coletiva do
edifício acabará rapidamente.

Reaproveite a água, por exemplo usando a água que você lavou os pratos
ou tomou banho para a descarga do sanitário. Um sanitário de caixa
acoplada (6 litros) facilita muito nessa hora, avalie a possibilidade de
instalar este tipo de sanitário na sua casa. É meio nojento, mas tente usar
esta água na descarga o mínimo possível, apenas uma ou duas vezes por
dia.

Se a situação estiver realmente crítica, avalie se livrar dos seus dejetos de


outra maneira, sem usar água.

Enquanto tiver água no chuveiro, tome banho o mais rápido possível. Abra
o chuveiro e se molhe (dá para fazer isso em menos de 10 segundos),
depois se ensaboe com o chuveiro desligado, abra novamente o chuveiro e
se enxague (dá para fazer isso em menos de 30 segundos).

Tampe o ralo e colete a água usada no banho para usar na descarga.


Quando a água da caixa acabar, tome banho “de canequinha”, sempre
coletando a água usada.

Tente instalar nas janelas um coletor de água da chuva.

Uma placa de madeira coberta de plástico fixada na janela em ângulo de


cerca de 30º com certeza coletará alguma água de chuva.

Use a água coletada nos primeiros 30 minutos de chuva apenas para


higiene, não beba esta água, nem mesmo após esterelizá-la. Alguns
componentes químicos podem ser muito difíceis de serem eliminados, mas
depois de 30 minutos de chuva, a água coletada já será muito mais limpa.

Depois de esterelizada (veja mais adiante como fazer isso) essa água pode
ser bebida, mas só faça isso em caso de necessidade, use-a a princípio para
higiene pessoal e limpeza (lavar roupas, pratos, sanitário, etc..).

Se você mora em casa:

Se você tiver quintal, pense seriamente na possibilidade de furar um poço


no seu quintal. É necessário ter um sistema manual para puxar a água do
poço .
Pense seriamente também na possibilidade de construir uma cisterna de
grande capacidade ou pelo menos instalar mais caixas d’água . Se construir
ou já possuir uma cisterna, instale também o sistema de bombeio manual.

Prepare um sistema de coleta de água da chuva (pode ser feito adaptando-


se uma derivação na calha do telhado).
Tenha dois tambores de 200 litros para coletar a água. Use um tambor
apenas para coletar água dos primeiros 30 minutos da chuva e nunca
misture esta água coletada chuva com a da cisterna, caso tenha uma.

Use esta água da chuva apenas para a descarga do sanitário.

Depois de 30 minutos de chuva, você vai passar a coletar água mais limpa,
mude a saída do seu coletor para o segundo tambor.

Depois de filtrada e esterelizada, essa água pode ser bebida, mas só faça
isso em caso de necessidade, use-a a princípio para higiene pessoal e
limpeza (lavar roupas, pratos, sanitário, etc..)

Filtrando e Descontaminado a água:

Você pode filtrar e descontaminar a água, com materiais fáceis de encontrar


e de baixo custo.
Descontaminador de água de baixo custo

Vocên também pode construir um destilador de água solar.


Informações sobre descontaminação aqui:
http://revista.fapemig.br/materia.php?id=646 e aqui:
http://www.bvsde.paho.org/bvsaidis/tratagua/ii-006.pdf

Instruções detalhadas para construção dos sistemas de coleta e filtragem


de água da chuva aqui: http://www.sempresustentavel.com.br/hidrica.htm

5. Eletricidade
Como eu já disse, eletricidade é a primeira coisa a falhar. Não causa muitos
transtornos se você estiver preparado.

O pior da falta de eletricidade é ficar sem receber nenhuma notícia (sem TV,
sem internet, sem radio).

Tenha em casa algumas lanternas, dois rádios pequenos a pilha, velas e um


lampião a gás, com um botijão daqueles bem pequenos.

Tenha em estoque pilhas alcalinas e também algumas pilhas recarregáveis.


Tenha dois carregadores solares de pilhas e baterias.

Além das pilhas para as lanternas e radios, você também poderá recarregar
máquinas fotográficas, GPS e o que mais de eletrônicos você precisar.
Se você tiver disponibilidade de água para tomar banho, um banho quente
também faz uma falta danada.

Pode parecer bobagem, mas um banho quente, mesmo super curto, levanta
o moral e dá um certo conforto psicológico e isso são coisas importantes em
situações de crise.

Se você mora em uma casa, pense na possibilidade de instalar um


aquecedor solar, para ter água quente independente do fornecimento de
eletricidade.

Como construir e instalar um aquecedor solar de baixo custo:


http://www.sociedadedosol.org.br/asbc/asbc_online.htm

Rádios portáteis VHF e UHF também seriam de grande utilidade.


6. Proteção Individual

Cedo ou tarde você vai ter que sair do seu abrigo e enfrentar as ruas.

É possível que você tenha que passar por escombros e / ou áreas


contaminadas. Eu recomendo as seguintes medidas de proteção:

Pés – use um calçado resistente e de cano longo (o mais longo que você
encontrar, tipo um coturno).

Calçe uma meia, depois coloque um saco plástico por cima, depois outra
meia e por cima de tudo outro saco plástico. Prenda com fita adesiva ou
amarre com um cordão no tornozelo (não muito apertado, para não afetar a
circulação sanguínea).

Calçe a bota / botina / coturno por cima.

Deixe os sacos plásticos meio folgados, se você colocá-los muito justos seu
pé vai deslizar e rasgar o saco, que perderá o efeito. Por essa razão é que
se coloca um saco entre as duas meias, este não irá deslizar e não rasgará,
mantendo seus pés protegidos de contato com substâncias contaminadas,
mesmo se o saco exterior rasgar. Amarre bem forte os cadarços.

Mãos – Coloque uma luva de borracha fina (luva cirúrgica, se possível) e


por cima uma luva de couro. Tem umas luvas de trabalho de couro que são
bem baratas (entre R$10 e R$15), são as “luvas de vaqueta”:

Tenha várias luvas cirúrgicas e algumas luvas de vaqueta de reserva.

Corpo – Use sempre calças compridas de tecido resistente (jeans), bem


como jaqueta ou outra vestimenta de mangas compridas e tecido
resistente.

Se você for passar por áreas de distúrbio, com possíveis enfentamentos


com forças públicas, alguns outros cuidados são necessários.

Olhos – o idela é usar óculos completamente fechados, para evitar


contaminar os olhos com gás lacrimogêneo, de pimenta e similares. Pode
ser até um óculos de natação ou de motociclismo.

Rosto – Tenha sempre um lenço em volta do pescoço, para cobrir boca e


nariz se necessário. Tenha sempre no bolso um frasco com vinagre. Em
caso de ataque com gás, ensope o lenço com vinagre e cubra o rosto (nariz
e boca) com ele. O vinagre minimiza os efeitos dos gases, respire através
do lenço.

Cabeça – talvez seja uma boa idéia usar um capacete de motociclista.


Corpo(2) – se você achar que o enfrentamento será inevitável, pense na
possibilidade de usar uma roupa grossa de neoprene (de surfistas ou
mergulhadores) por baixo de tudo. O neoprene amortece o impacto de
balas de borracha e torna ineficazes armas de choque (taser / bastão de
choque).

Obviamente, se a situação for de Guerra, com munição real e letal (chumbo


grosso), nada disso terá efeito.

7. Transporte
Tente manter o tanque do seu carro sempre cheio.

Encha o tanque uma vez, e quando estiver chegando na metade, complete.


Talvez você não possa usar seu carro, mas se puder e tiver que deixar sua
cidade, você não vai quere perder horas na fila do posto, isso se houverem
postos funcionando.

Se você tiver recursos, considere a opção de trocar seu carro por um 4x4.

Isso faz toda a diferença se você tiver que passar sobre escombros, lama,
canteiros centrais de avenidas e rodovias ou tomar caminhos alternativos
pela calçada, por dentro de praças ou pelo meio do pasto.

Tenha um meio de transporte alternativo, como uma moto ou bicicleta.

8. Diversos
Tenha em casa algumas ferramentas, como alicates,chaves de boca, chaves
de fenda, serrote, serra para metal, machado, martelo, pá, picareta e
cordas (uns 20 ou 30 metros).

Gaste um pouco mais e compre ferramentas de boa qualidade. Na hora do


sufoco você pode ficar em maus lençois se o seu alicate “made in China”
quebrar.

Tenha em mente que você pode ter que abandonar sua casa ou sua cidade.
Se você mora em uma cidade grande, a situação rapidamente se degradará
em guerra civil, cada um por sí lutando por comida e água.

Não espere a coisa chegar neste ponto, abandone a cidade antes.

Defina locais para os quais poderia ir e quais rotas seguir, com bastante
antecedência.

Tenha uma mochila preparada com uma muda de roupa, alguma comida,
água, lanterna, isqueiro, rádios, mapas e tudo o mais que você julgar
necessário. Avalie a qunatidade de ítens x peso e chege em um meio termo,
lembres-se que você talvez tenha que carregar esta mochila por vários
quilômetros, a pé.

Em uma situação abrupta, ou no caso de ter que abandonar sua casa


rapidamente, o conteúdo desta mochila deve mantê-lo por alguns dias.

Sei que é muito difícil ter ou fazer tudo o que listei, mas o quanto mais
disso você tiver ou fizer, melhor você vai passar por uma situação crítica.

Espero que este post seja útil.

Você também pode gostar