Você está na página 1de 1

3.

1 Dimensionamento do Sistema de Emergência para salas de máquinas que utilizam


amônia em seus sistemas. Parte 1

Para o dimensionamento do sistema de emergência, deverá levar-se em consideração, o


limite inferior de inflamabilidade (LII) para a mistura amônia/ar no ambiente, que é
aproximadamente 16% em volume, que de acordo com o “standard” NFPA 30, define como
“ventilação adequada” aquela que é requerida para manter concentrações abaixo de 25% do LII,
ou seja, 4% em volume de amônia anidra, ou seja, manter os níveis de concentração de amônia
abaixo destes 4% em caso de vazamentos. Sendo assim, o cálculo será realizado com base na
carga de amônia do maior sistema da sala de máquinas, que de acordo com o ANSI/IIAR 2-2008
utiliza como verificação o cálculo baseado no número de trocas por hora do ar da sala, ou seja, 12
trocas por hora como está apresentado na Tabela 2, utilizando-se o maior valor calculado.
Utilizando-se das orientações das normas de referência, e com base nos dados da Tabela 2,
calcularam-se as vazões para o sistema de ventilação de emergência. A Equação1 aplica as
orientações da ASHRAE 15-2007, a Equação 2 segue as orientações da EN378-2008, a Equação
3 atende os requisitos da ISO 5149-1993 e a Equação 4 baseia-se na ANSI/IIAR 2-2008.
,
= 70 (01)

= 14 (02)

= 13,88 (03)
.
= ,
(04)

onde,
Q = vazão (l/s)
G = massa de fluido refrigerante no sistema (kg)
. = volume total da sala (m³)
Utilizando-se dos dados da Tabela 1 e das Equações citadas acima, temos para cada sala os
seguintes valores:
Sala de máquina 1
Segundo a ASHRAE 15-2007, utilizando a Equação 1, tem-se:
,
= 70 1000 = 2213,59 !/# = 7968,92 % /ℎ
Segundo a EN378-2008, utilizando a Equação 2, tem-se: