Você está na página 1de 26

Psicologia

Organizacional e do
Trabalho
Saúde, satisfação e transtornos mentais
no trabalho
Unidade 3
Me. Elessandra N. S. Bassoli
Você já se perguntou o quanto as
condições de trabalho podem estar
afetando o bem-estar das pessoas?
Unidade 3 – Saúde, satisfação e transtornos mentais no trabalho

Trabalho, Saúde e Qualidade de Vida

Muitas empresas têm se preocupado em criar ambientes


agradáveis, buscando o comprometimento de seus funcionários
para a melhoria do desempenho e a manutenção de sucesso
organizacional.

Ao mesmo tempo, ainda prevalecem cenários em que as


doenças decorrentes do trabalho se proliferam.
As pressões cada vez mais fortes por
capacitação, desenvolvimento de competências,
atualização e risco de desemprego em tempos
de crise trazem um nível de insegurança aos
trabalhadores que coloca em risco a sua saúde
física e mental. Assim como afirma Zanelli (2010,
p. 26),

Psicologia Organizacional
Jackson e Polanyi (2002 apud ZANELLI, 2010) destacam alguns
aspectos, na perspectiva dos determinantes sociais da saúde,
associados aos locais e às condições de trabalho que têm efeitos
negativos sobre a saúde do trabalhador:
• altos níveis de estresse;
• insegurança;
• ritmo de trabalho;
• controle;
• turno, participação e relações;
• Desequilíbrio entre vida pessoal e trabalho.

Psicologia Organizacional
• Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho
A Organização Mundial de Saúde define qualidade de vida como:

“[...] o desenvolvimento de hábitos saudáveis, enfrentamento de


tensões cotidianas, consciência dos impactos dos fatores do
ambiente, desenvolvimento permanente do equilíbrio interior,
na relação com os outros”. (ZANELLI, 2010, p. 28).

Psicologia Organizacional
• Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho

Segundo Chiavenato (2008, p. 487), a QVT envolve fatores


diversos, psicossociais e ambientais, dentre eles:
• satisfação com o trabalho executado.
• As possibilidades de futuro na organização.
• O reconhecimento pelos resultados alcançados.
• O salário percebido.
• Os benefícios auferidos.
• O relacionamento humano dentro da equipe e da
organização.

Psicologia Organizacional
• Fatores de Qualidade de Vida no Trabalho

• O ambiente psicológico e físico de trabalho.


• A liberdade de atuar e responsabilidade de tomar decisões.
• As possibilidades de estar engajado e de participar
ativamente.

É possível afirmar que, se esses fatores forem atendidos


satisfatoriamente, serão importantes para a prevenção de
doenças de vários tipos.

Psicologia Organizacional
As Enfermidades Profissionais

As enfermidades profissionais ou doenças laborais são aquelas


contraídas pela exposição do trabalhador a fatores de risco em
seu local de trabalho.
As Enfermidades Profissionais

Pneumoconiose – doença do pulmão em trabalhadores expostos a


partículas de pó de sílica (matéria-prima do vidro e do cimento).

b) Doenças musculoesqueléticas – doenças ligadas à perda de


movimentos devido a problemas nos nervos, tendões, músculos e
estruturas de suporte do corpo, como a coluna (as denominadas LER –
Lesão por Esforço Repetitivo, também chamadas DORT – Distúrbio
Osteomuscular Relacionado ao Trabalho).

c) Transtornos mentais ou comportamentais – depressão, ansiedade e


transtorno do pânico, dentre outras.
Transtornos Mentais no Trabalho

Surgem em decorrência do estresse, da depressão, transtornos de


ansiedade, transtornos do estresse pós-traumático, transtornos não
orgânicos do sono, alcoolismo e transtornos de personalidade.

Estresse
França e Rodrigues (2011) citam Hans Selye, que, em 1965, propôs
que quando um organismo é submetido a estímulos que ameacem o
seu equilíbrio orgânico (homeostase), é desencadeada uma síndrome
nesse organismo, que ele denominou stress, ou síndrome geral de
adaptação.
Estresse
As situações que desencadeiam o estresse são os
estímulos estressores ou estressor, e o modo de
responder do indivíduo é a resposta ou processo de
estresse.
Quando o fenômeno é negativo, com um processo
adaptativo (resposta do organismo) inadequado e que
pode causar, inclusive, doenças, é denominado como
distress.
Se a pessoa tiver uma boa resposta, com equilíbrio e
de forma positiva, denomina-se de eustress.
Estresse

Se o estímulo agressor for muito intenso, constante e


prolongado, os esforços de adaptação serão
desgastantes ao indivíduo, havendo como
consequência a predisposição ao desenvolvimento de
diferentes males físicos e psicológicos.
A Síndrome de Burnout ou Estafa Profissional

Expressão criada por Freudenberger, nos anos de 1970, em seus


trabalhos com profissionais de saúde. O termo vem do inglês: burn
out – apagar-se, esgotar-se, ou seja, foi empregado com o sentido
de algo que parou de funcionar por falta de energia (TRIGO; TENG;
HALLAK, 2007).

Vamos entender um pouco mais sobre este assunto vendo o vídeo


abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=YtotEjj4C54 - Síndrome de
Burnout e Estresse no Trabalho – tempo 2:47
A Síndrome de Burnout ou Estafa Profissional

A concepção sociopsicológica é a mais utilizada nos


estudos atuais e defende que as características
psicológicas de cada indivíduo associadas a
características do ambiente de trabalho propiciam o
aparecimento dos aspectos básicos da síndrome:
• exaustão emocional;
• despersonalização (ou distanciamento afetivo) e;
• baixa realização profissional e pessoal.
Formas de Enfrentamento da Síndrome de Burnout

É importante, também, perceber que não há uma


solução fácil para o problema, sendo indicadas pelos
estudiosos algumas estratégias principais:
a) intervenções com o indivíduo;
b) b) intervenções no contexto organizacional e;
c) intervenções combinadas entre o indivíduo e o
contexto organizacional.
Principais Sintomas da Depressão

A depressão compromete a atividade profissional e,


por vezes, a pessoa nem consegue trabalhar.
Estão relacionados à depressão, principalmente, três
tipos de sintomas:
Principais Sintomas da Depressão

Psíquicos: sentimentos de tristeza;


autodesvalorização;

Fisiológicos: alterações do sono (demorar a dormir,


acordar durante a noite ou muito cedo e não
conseguir conciliar o sono ou sonolência excessiva
durante o dia);

Comportamentais: retraimento social, crises de


choro; comportamentos suicidas, retardo psicomotor
e lentificação generalizada ou agitação motora.
O Alcoolismo e suas Implicações

O alcoolismo é considerado doença pela Organização


Mundial de Saúde, sendo um dos maiores problemas
de saúde pública em todo o mundo.
Há inúmeros fatores psicossociais de risco para o
abuso de álcool, como fatores genéticos e
experiências ao longo da vida do indivíduo.
Prejuízos do Uso Abusivo de Álcool para o Indivíduo
e para as Organizações

Os prejuízos do uso abusivo de álcool não atingem


apenas o indivíduo, mas trazem consequências
negativas diretas para as organizações:
• Absenteísmo.
• Acidentes de trabalho.
• Acidentes de trajeto.
Prejuízos do Uso Abusivo de Álcool para o Indivíduo
e para as Organizações

Queixas diversas com relação à saúde.


• Aumento de falhas na execução das tarefas.
• Redução da produtividade.
•Conflitos com colegas, superiores e clientes (FIORELLI,
2006, p. 299).
Satisfação no Trabalho e Saúde Mental do Trabalhador

Afinal o que faz as pessoas gostarem ou não de seu


trabalho?

Locke (1976 apud MARTINEZ; PARAGUAY, 2003)


apresentam dois componentes distintos:
a) O emocional: refere-se a quão bem a pessoa se
sente em relação ao seu trabalho.
b) O cognitivo: referente à opinião e ao pensamento
da pessoa sobre o seu trabalho.
Papel dos Gestores na Promoção da Saúde Mental do
Trabalhador

É necessário, a sensibilização das pessoas responsáveis


pela empresa para prevenir as situações do contexto
que se apresentam como fatores de risco à saúde
mental das pessoas e;
procurar conscientizar-se do seu pessoal para a
diminuição do preconceito com pessoas que sofrem de
transtornos mentais.
Revisão da Aula
Hoje vimos ....

Saúde mental;

Transtornos mentais;

Qualidade de vida.

Você também pode gostar