Você está na página 1de 5

DRE-C13-512/N

NOV 2013

INSTALAÇÕES AT E MT

Circuitos BT

Regras de execução

Elaboração: DPC, DTI Homologação: conforme despacho do CA de 2013-11-06

Edição: 2ª. Substitui a edição de FEV 2007

Emissão: EDP Distribuição – Energia, S.A.


DTI – Direção de Tecnologia e Inovação
R. Camilo Castelo Branco, 43 – 1º • 1050-044 Lisboa • Tel.: 210021500 • Fax: 210021444
E-mail: dti@edp.pt
DRE-C13-512/N
NOV 2013

ÍNDICE

0 INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................3
1 OBJETO .....................................................................................................................................................3
2 DOCUMENTOS NORMATIVOS ....................................................................................................................3
3 CIRCUITOS ELÉTRICOS DE BT ......................................................................................................................3
3.1 Características dos circuitos eléctricos de BT .................................................................................................. 3
3.2 Enumeração dos circuitos elétricos de BT ....................................................................................................... 3
4 SECÇÕES DOS CIRCUITOS ...........................................................................................................................4
5 ACESSÓRIOS PARA CABOS ISOLADOS DE BT ...............................................................................................4
6 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO DOS CABOS ISOLADOS DE BT .........................................................................5
6.1 Separação física de cablagens .......................................................................................................................... 5
6.2 Ligação aos armários de comando e reagrupamento no parque exterior de aparelhagem ........................... 5
6.3 Circuito de iluminação exterior ........................................................................................................................ 5
7 REFERENCIAÇÃO DOS CABOS ISOLADOS DE BT ...........................................................................................5

DTI – Direção de Tecnologia e Inovação Pág. 2/5


DRE-C13-512/N
NOV 2013

0 INTRODUÇÃO
O presente documento anula e substitui a 1ª edição de fevereiro de 2007.

As alterações agora introduzidas destinam-se fundamentalmente a tornar o documento de aplicação a todas as


instalações AT e MT, ficando os eventuais aspectos particulares de cada uma delas definidos na respetiva
memória descritiva.

1 OBJETO
O presente documento destina-se a definir as características a que os cabos isolados BT e respetivos acessórios de
ligação devem obedecer, bem como as suas condições de instalação.

2 DOCUMENTOS NORMATIVOS
Os documentos normativos referentes à utilização de cabos BT são:
— DMA-C33-201 - CONDUTORES ISOLADOS E SEUS ACESSÓRIOS PARA REDES. Cabos ignífugos de BT.
Características e ensaios.
— D00-C13-500 - INSTALAÇÕES AT E MT. Referenciação. Generalidades.
— HD 623 S1 - Specification for joints, stop ends and outdoor terminations for distribution cables of rated voltage
0,6/1,0 kV.

3 CIRCUITOS ELÉTRICOS DE BT

3.1 Características dos circuitos eléctricos de BT


Os circuitos elétricos de BT referidos neste documento devem ser realizados através da utilização de cabos
isolados, dos tipos XZ1(frs, frt, zh), XAZ1(frs, frt, zh) e XHZ1(frs, frt, zh), de acordo com o DMA-C33-201,
possuindo, ambos, tensão nominal de 0,6kV/1 kV, secção de acordo com as funções a desempenhar, com um
mínimo de 2,5 mm2, devendo o seu revestimento metálico, quando exista, ser ligado à terra nas duas
extremidades.

Estes cabos devem ser isentos de halogéneos, resistentes ao fogo e não propagadores da chama e do fogo.

A bainha exterior dos cabos do tipo XZ1(frs, frt, zh) deve ser de cor branca e nos restantes tipos, deve ser de cor
preta.

3.2 Enumeração dos circuitos elétricos de BT


Os circuitos elétricos de BT que devem ser implementados através da utilização de cabos isolados do tipo
XAZ1(frs, frt, zh), são os seguintes:
— circuitos de força motriz, comando e sinalização entre a aparelhagem de AT e os respetivos armários de
comando, diretamente ou com passagem por armários de reagrupamento BT (ARC BT);
— circuitos de força motriz, comando e sinalização entre a aparelhagem de MT, localizada no Parque Exterior de
Aparelhagem (PEA), e os respetivos ARC BT do quadro metálico de MT (QMMT);
— circuito de alimentação geral dos serviços auxiliares de corrente alternada entre o transformadores de
serviços auxiliares MT/BT e o respetivo armário de comando;
— circuitos de corrente alternada dos diferentes sistemas de iluminação, aquecimento e tomadas do PEA,
incluindo o destinado ao circuito de tomadas BT;
— circuitos de força motriz, comando, sinalização e corrente alternada entre os diferentes armários de
comando, ARC BT do QMMT, retificador de 110 V e alimentação da central de intrusão e deteção de incêndio
e do quadro de iluminação e tomadas.

DTI – Direção de Tecnologia e Inovação Pág. 3/5


DRE-C13-512/N
NOV 2013

Os circuitos elétricos de BT que devem ser implementados nas subestações através da utilização de cabos isolados
do tipo XHZ1(frs, frt, zh), são os seguintes:
— circuitos de correntes e tensões entre os transformadores de medida AT e os respetivos armários de
comando, com passagem pelos respetivos ARC BT;
— circuitos de correntes e tensões entre armários de comando;
— circuitos de correntes e tensões entre os transformadores de medida MT, localizados no PEA, e os respetivos
ARC BT do QMMT;
— circuitos de correntes e tensões entre os transformadores de medida MT, instalados no QMMT, e os
respetivos compartimentos de BT (CBT);
— circuitos de correntes e tensões entre CBT e entre estes e os respetivos ARC BT do QMMT.

Os circuitos elétricos de BT que devem ser implementados nas subestações através da utilização de cabos isolados
do tipo XZ1 (frs, frt, zh) são os seguintes:
— circuitos de iluminação;
— circuitos de tomadas.

4 SECÇÕES DOS CIRCUITOS

Circuito Secção mínima


2
Alimentação dos Serviços Auxiliares Corrente Alternada 35 mm
2
Alimentação Tomada Filtro Óleo 35 mm
2
Alimentação dos Serviços Auxiliares de Corrente Contínua 25 mm
2
Alimentação das Baterias 110 V 25 mm
2
Quadro Iluminação e Tomadas 16 mm
2
Força Motriz 2,5 mm
2
Comandos e Sinalizações 2,5 mm
2
Correntes – Medidas e protecções 2,5 mm
2
Tensões – Medidas e protecções 2,5 mm
2
Sinalizações para os SACC 1,5 mm
2
Alimentação AC dos armários de controlo 4 mm
2
Alimentação CC dos armários de controlo 4 mm

Infra-estruturas elétricas de BT do edifício de comando Secção mínima


2
Iluminação 2,5 mm
2
Tomadas 4 mm

Os cabos XZ1 (frs, frt, zh) indicados devem ter condutor verde/amarelo de terra, com uma secção igual à dos
restantes condutores.

5 ACESSÓRIOS PARA CABOS ISOLADOS DE BT


Na montagem dos cabos de BT devem ser utilizados acessórios adequados à correta implementação dos
diferentes circuitos.

DTI – Direção de Tecnologia e Inovação Pág. 4/5


DRE-C13-512/N
NOV 2013

No caso da interligação entre equipamentos (circuitos de potência) devem ser empregues terminações
termorretráteis que estejam conformes com o HD 623 S1, adequadas aos cabos referidos na secção 3.1 deste
documento. Todos os acessórios devem ser submetidos aos ensaios descritos naquele HD.

Para o caso das instalações elétricas de iluminação e tomadas do edifício, devem ser utilizados acessórios que
estejam conformes com as normas IEC 60670-22 e IEC 60998-2-1.

6 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO DOS CABOS ISOLADOS DE BT

6.1 Separação física de cablagens


Os cabos isolados de BT que asseguram os circuitos de corrente contínua a 110 V e os circuitos de corrente
alternada a 400/230 V devem ter cablagens separadas fisicamente por forma a proporcionar um melhor
isolamento eletromagnético mútuo.

A implementação desta separação de cablagens deve ser realizada de forma a criar andares de encaminhamento
de cabos diferentes para os circuitos atrás referidos, sendo esta separação assegurada no PEA e nos troços
subterrâneos no interior do edifício de comando pela utilização de poleias e tubos distintos.

6.2 Ligação aos armários de comando e reagrupamento no parque exterior de aparelhagem


Na subida dos cabos BT para ligação aos armários de comando e reagrupamento situados no PEA, os cabos devem
ser protegidos por tubos de PVC de secção apropriada e com uma altura de 175 mm.

No restante percurso de ligação dos cabos BT até aos armários de comando e reagrupamento, os cabos de BT
devem ser fixos por braçadeiras em material metálico anticorrosivo ou por calhas de ferro galvanizado com
tampas do mesmo material.

Os cabos BT a instalar entre os armários de reagrupamento e os transformadores de medida devem ser fixos por
braçadeiras em material metálico anticorrosivo ou por calhas de ferro galvanizado com tampas do mesmo
material.

A ligação entre os armários de comando dos ventiladores e do comutador em carga dos transformadores de
potência e o respetivo ARC BT deve ser executada por condutores flexíveis protegidos por uma bicha flexível.

6.3 Circuito de iluminação exterior


Os cabos isolados de BT correspondentes aos sistemas de iluminação principal devem ser instalados nas condutas
de BT existentes no PEA (canais e tubos), até às estruturas suporte de projetores.

Nas subidas dos cabos BT para ligação às armaduras da iluminação de emergência situadas no PEA, os cabos
devem ser protegidos por tubos de PVC de secção apropriada e com uma altura de 175 mm.

No restante percurso de ligação dos cabos BT até às armaduras da iluminação de emergência, os cabos de BT
devem ser fixos por intermédio de abraçadeiras em material metálico anticorrosivo ou por calhas de ferro
galvanizado com tampas do mesmo material.

7 REFERENCIAÇÃO DOS CABOS ISOLADOS DE BT


A identificação e referenciação dos cabos isolados de BT adotados para a realização dos circuitos elétricos
enumerados no ponto anterior devem ser executadas em cada uma das extremidades daqueles cabos de acordo
com o disposto no documento D00-C13-500, enunciado na secção 2 do presente documento.

DTI – Direção de Tecnologia e Inovação Pág. 5/5