Você está na página 1de 48

6 – LINHA DE

INFLUÊNCIA
Cálculo de esforços em
vigas devido à cargas
móveis

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358 1
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA

Tópicos da aula:
6.1 - Introdução;
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.1 - Definição;
6.2.2 - Traçado das linhas de influência;
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo;
6.2.4 - Envoltória de esforços.
6.2 - Linha de influência de vigas Gerber;
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
2
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.1 - Introdução

Tipos de carregamentos em estruturas

1) Permanentes: atuam sempre sobre a estrutura.


Ex.: peso próprio, revestimentos, equipamentos,...

2) Acidentais: eventualmente atuam sobre a estrutura.


Ex.: vento, terremoto, neve, materiais, água, móveis, pessoas em edificações
usuais...

As cargas acidentais podem ainda ser classificadas em fixas e móveis:


a) Fixas: posição de valor determinado, podem ser consideradas como cargas
estáticas.
b) Móveis: valor conhecido, mas com posição variável, sendo necessária considerar
as diferentes posições da carga na estrutura, além de seus efeitos dinâmicos.
Ex.: veículos, trens, cargas em ponte rolante,...

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
3
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.1 - Introdução

Exemplo: Seja, por exemplo, a viga abaixo, submetida a uma carga permanente
uniformemente distribuída que:

O diagrama de momentos fletores para carga permanente é:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
4
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.1 - Introdução
Agora pede-se determinar os valores dos momentos fletores máximos e mínimos de
uma carga móvel de 1tf, que pode atuar e qualquer ponto da estrutura P(z), e que
devem ser somados ao produzidos pela carga permanente.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
5
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.1 - Introdução

(DMF)g

Mg+ Qual a seção de posição da carga P


que irá produzir os valores de
momentos fletores máximos e
mínimos?

Qual as seções onde esses valores


máximos e mínimos ocorrem?
Mq-

Mq+

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
6
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.1 - Definição
Uma linha de influência registra a variação de um determinado esforço, deslocamento ou
reação em função da posição de uma força unitária que percorre a estrutura.

Se colocarmos uma célula de carga para medir a reação vertical do apoio A à medida que
uma carga unitária percorre a viga, o gráfico resultante será a linha de influencia de reações
do apoio A:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
7
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.1 - Definição

• Gráfico que representa o efeito elástico E em uma dada seção produzido por uma
carga concentrada unitária (de cima para baixo) que percorre a estrutura.

• Esse efeito elástico pode ser um esforço (axial, cortante, momento fletor ou torçor),
reação de apoio ou deformação.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
8
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.1 - Definição

• Seja por exemplo a linha de influência do momento fletor em S para a viga a seguir:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
9
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.2 - Traçado das linhas de influência

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
10
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.2 - Traçado das linhas de influência

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
11
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.2 - Traçado das linhas de influência

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
12
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.2 - Traçado das linhas de influência

Exercício:
Obter:
• Linha de influência das reações nos apoios;
• Calcular cortante e momentos, máximos e mínimos nas seções A e B.

50kN

móvel
A B

600 400 300

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
13
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

• Os trens-tipo na realidade não são constituídos apenas de uma


carga concentrada

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
14
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

• Seja um trem-tipo com n cargas concentradas que percorre uma estrutura


cuja L.I. na seção S é:

• O valor do efeito produzido em S pela carga Pi é:

• Por superposição de efeitos:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
15
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

• Se um trem-tipo possuir, além de cargas concentradas, cargas distribuídas,


contínuas ou não, considera-se a área da linha de influência abaixo da
cargas distribuída:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
16
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

• Caso geral:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
17
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

• Teorema geral:
“Haverá uma efeito máximo quando uma das sucessiva cargas
concentradas estiver sobre um dos pontos angulosos da linha de
influência” (mesmo que uma das cargas do trem-tipo caia fora da
estrutura).

• Para trens-tipo com cargas desiguais deve-se analisar deslocamento


nos dois sentidos;

• Sempre deve-se procurar a maior valor para a soma:

• A carga distribuída de multidão só é considerada em sua posição


desfavorável.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
18
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

Sentidos
diferentes

Seção 1: Seção 2:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
19
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.3 - Esforços máximos a partir de um trem-tipo

Exercício:
Calcular cortante e momentos, máximos e mínimos na seção C.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
20
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
21
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
22
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
23
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
24
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
25
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
26
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
27
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
28
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.

Exercício:
Obter a envoltória de esforços para a viga abaixo:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
29
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas isostáticas:
6.2.4 - Envoltória de esforços.
Exercício:

DFCg (kN)

DMFg (kNm)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
30
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas Gerber

O traçado das linhas de influência de vigas Gerber é obtido a partir das


linhas de influência das vigas simples, levando em consideração a
transmissão de carga da viga que está apoiada para aquela que serve de
apoio. Deve-se lembrar que quando a carga móvel está sobre um apoio
ela é integralmente transmitida para ele.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
31
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas Gerber

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
32
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.2 - Linha de influência de vigas Gerber

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
33
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas

Para o traçado da linhas de influência de vigas hiperestáticas utiliza-se o


Método de Müller-Breslau ou Processo cinemático.

Segundo esse método, a linha de influência para uma dada seção da


estrutura é obtida rompendo-se o vínculo do esforço e introduzindo um
deslocamento unitário negativo equivalente esse esforço.

Esse deslocamento imposto gera cria a deformada elástica da viga.

As ordenadas dessa deformada elástica da viga será a própria linha de


influência desejada.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
34
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
Para o caso de estruturas isostáticas esse ruptura gera uma deformada elástica
composta por trechos rígidos girados:

LI - Força Cortante

LI - Momento fletor
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
35
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas

Para o caso de estruturas hiperestáticas esse ruptura gera uma


deformada elástica curva:

LI - Força cortante

LI - Momento fletor

Então, como obter essa deformada elástica nas vigas hiperestáticas?

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
36
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas

Para vigas hiperestáticas o Processo Cinemático utiliza o Teorema da


Reciprocidade de Betti e do PTV:

LI - Reação VA

Dado um sistema Real (1) e um sistema fictício (2), no qual aplica-se o


deslocamento unitário, pode-se escrever:

LI é a deformada
Logo: elástica do sistema (2)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
37
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
A deformada elástica pode ser obtida pelo Método das Forças, em que a ruptura dos
vínculos será aplicada nos sistemas fictícios onde se romperam os hiperestáticos:

Matriz de Vetor de
flexibilidade deslocamentos em
cada um dos
hiperestáticos devido
ao carregamento
Vetor de
externo
hiperestáticos

Esforços finais:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
38
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

Resolvendo o
sistema, tem-se:

Aplicando o Teorema de Betti para os hiperestáticos, pode-se concluir que:

i0 será então o valor


da ordenada da linha
Ou seja: elástica na seção
considerada

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
39
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

Para o cálculo de i0: Como os tramos das vigas serão constituídos de


trechos biapoados, a equação da linha elástica pode ser dada diretamente
por:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
40
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:
A LI final é obtida pela soma das ordenadas em cada seção dos sistemas
hiperestáticos :

Ou seja, a LI final é dada por:

LI para a seção do
Sistema Principal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
41
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

Exemplo: Determinar a linha de influência de momento fletor na seção D entre o


vão AB. Dado E = 2,1.107N/m².
4m
D

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
42
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

No Sistema Principal, rompe-se o vínculo do momento e traça-se a linha de


influência, obtendo a LI de E0 que é a LI de MD0

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
43
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:
Resolvendo o hiperestático, tem-se:

11  X 1  10 
1
Logo : LI de X 1    ( LI de 10 )
11

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
44
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:
Exemplo:
11 obtém-se pelas tabelas de integrais:

1 1   1 1 
11     1  M 1  M 1      2  M2  M2 
 EI1 3   EI 2 3 
 1 1   1 1 
11     8  1  1  
  2,1  10  0,006 3  6  1  1  2,857  10 -5

 2,1  10  0,01 3
7 7
  

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
45
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

LI de 10 obtém-se calculado a deformada dos tramos biapoiados:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
46
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

Para a seção D:
1 Colocar sinal trocado, pois em
LI de X 1    ( LI de 10 ) LI o que fica acima é negativo
11
1
LI de X 1D ( 4m)   5
 ( 1,905  105 )  0,666
2,857  10

-0,5

LI de M D ( 4m)  LI de M D0  LI de X 1D ( 4m)  M D1
LI de M D ( 4m)  2  (0,666)  ( 0,5)  1,666

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
47
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES
6 – LINHA DE INFLUÊNCIA
6.3 - Linha de influência de vigas hiperestáticas
LI pelo Método das Forças:

Seção LI de MD0 LI de X1D MD1 LI de MD


0 0 0,0000 -0,50 0,000
2 1 0,4167 -0,50 0,792
4 2 0,6667 -0,50 1,667
6 1 0,5834 -0,50 0,708
8 0 0,0000 -0,50 0,000
9,5 0 0,5469 -0,50 -0,273
11 0 0,6250 -0,50 -0,313
12,5 0 0,3906 -0,50 -0,195
14 0 0,0000 -0,50 0,000

LI de Momento Fletor para a seção D:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CIV 358
48
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PONTES

Você também pode gostar