Você está na página 1de 16

OS GIGANTES

DA ALMA

ANSIEDADE, DEPRESSÃO E MEDO


ANSIEDADE
 Estado emocional A ansiedade torna-se
desagradável que vai do
vago desconforto ao medo um sintoma quando
intenso. começa a inibir o
pensamento e a
 A pessoa ansiosa costuma perturbar as
ter uma sensação de atividades normais
desastre iminente, mesmo
não havendo nenhuma do dia-a-dia
ameaça real, e certos
sintomas físicos e
psicológicos.
ANSIEDADE
SINAIS E SINTOMAS
Os sintomas físicos mais comuns estão relacionados ao peito.
Incluem palpitações (percepção de batimentos cardíacos mais
fortes ou mais acelerados), dores pulsantes ou lancinantes,
sensação de aperto e de incapacidade de inalar ar suficiente e
uma tendência a suspirar ou respirar demais.

A tensão muscular causa dores de cabeça, espasmos no


pescoço, dores nas costas, punhos apertados e incapacidade
de relaxar.
Pessoas com ansiedade costumam ter uma sensação
constante de que alguma coisa ruim vai acontecer.

Podem temer estar com uma doença crônica ou


perigosa (medo que é reforçado por seus sintomas
físicos) ou preocupar-se com a saúde e a segurança de
seus familiares e amigos. O medo de perder o controle
também é comum.
Distúrbio de ansiedade generalizada(a tradicional
"neurose de ansiedade”) é diagnosticado quando o
paciente teve pelo menos um período definido de
ansiedade acompanhado de pelo menos um sintoma
físico ou psicológico que atrapalhasse a atividade normal.

As síndromes de pânico são caracterizadas por súbitos e


intensos acessos de pânico (medo e ansiedade extremos e
exorbitantes).
DEPRESSÃO

 Tristeza – ato de introspecção

 Melancolia – raízes profundas que pode demorar


alguns dias. Todos que passam por uma perda,
fica melancólico até 4 semanas, é considerado
normal. Uma tristeza profunda e demorada.

 Depressão – Um aumento considerável da


melancolia que pode ter inclusive causas físicas.
Fatores endógenos:
pessoas que descendem de outras que sofrem depressão são
consideradas que tem pelo menos 30% de chances de ser assim
também.

Fatores exógenos:
perdas, dores da alma, dificuldades, transtornos psicológicos,
obsessão, lei de causa e efeito, colhendo o que plantou, em formas
de síndromes obsessivas.

OBSESSÕES: VINGANÇA DO PASSADO, SENTIMENTO DE CULPA


ACENTUADO, CONSCIENTE OU NÃO.
SINTOMAS DA DEPRESSÃO
Extrema tristeza e desânimo, provocada por algum
tipo de perda ou infortúnio, afetando os
relacionamentos e as atividades, da pessoa.

Sintomas: abatimento; alteração do sono;


alterações do apetite; falta de interesse pelas
atividades quotidianas; diminuição da capacidade
de sentir prazer; dificuldade de concentração;
fadiga manifesta; desinteresse sexual; perda da
autoconfiança; sentimento de culpa.
SINTOMAS DA DEPRESSÃO
Falta de esperança; crises de choro; angústia;
problemas de comunicação; impaciência;
irritabilidade; vontade de sumir; sensação de
isolamento; enxaqueca ou perturbações
digestivas; e os mais graves de todos: vontade de
morrer e idéias de suicídio.
MEDO

O medo é um sentimento comum a todas as


pessoas, frente a um perigo real e iminente, tais
como: catástrofes, incêndios, panes, etc.

Já o medo patogênico não tem uma causa real e


provoca uma aflição desmedida, caracterizada por
fobias e crises de pânico.
FOBIAS
Dentre as fobias, podemos destacar aquelas que se
caracterizam por medo de espaços abertos, de multidões,
de sair de casa, de viajar sozinho,
de se sentir mal e não obter socorro (Agorafobia);
o medo de falar em público, de frequentar reuniões e
festas, de comer em restaurantes e de crítica, por baixa
auto-estima (Fobias sociais); e medos isolados e
específicos, como o de animais (Zoofobia); de altura
(Acrofobia); de trovões e relâmpagos (Astrofobia); de voar
e de espaços fechados (Claustrofobia); e de doenças
(Nosofobia).
MEDO

Quando o medo se torna intenso e incontrolável, a pessoa


sofre o que se chama crise de pânico, que dura algum
tempo, apresentando sensação de desmaio, tontura, falta
de ar, tremores, dores no peito e um pavor descontrolado
de que algo de ruim possa acontecer.

Em se tornando repetitiva, essa crise, caracteriza-se a


Síndrome do Pânico, ou Transtorno do Pânico (TP).
PÂNICO

O Transtorno do Pânico (TP) é motivado por


ameaças endógenas (dentro da pessoa) e irreais,
provocando palidez, boca seca, palpitações,
sudorese, falta de ar e batimentos cardíacos
acelerados. Em muitos casos, soma-se à depressão.
TRATAMENTO

Magnetismo; tratamento com


bioenergia, acompanhamento
emocional.
Isto não exclui o acompanhamento
médico de preferência medicina
ortomolecular
TRATAMENTO

Tratamento magnético: visando o chacra esplênico,


plexo solar e frontal

Será excelente se houver acompanhamento com florais


específicos como: floral de emergência da Austrália, crab
apple, sempervivum, chaparral.

Uso de camomila em chás e banhos...


TRATAMENTO SUGERIDO

Aplicação de técnicas de neurolinguística

Os passes magnéticos intensos e com pessoa que


tem conhecimento

Abordagem de desobsessão

Você também pode gostar