Você está na página 1de 52

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO

SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS
Caro(a) Professor(a) do Programa Mais Alfabetização,

Este material foi desenvolvido com o objetivo de subsidiá-lo(a) no processo de alfabetização e letramento
dos estudantes do primeiro ano do ensino fundamental.

Para tanto, são apresentadas propostas pedagógicas por meio de sequências didáticas para o ensino
e aprendizagem da Língua Portuguesa, no contexto da alfabetização e letramento. Entendendo, de
acordo com a professora Magda Soares (1988), que alfabetizar e letrar são ações diferentes, mas não
são contrárias: são complementares e inter-relacionadas, assim, propõem-se que o ato de ensinar a ler
e a escrever deveria se concretizar no contexto das práticas sociais da leitura e da escrita, para que o
sujeito se tornasse ao mesmo tempo, alfabetizado e letrado.

Este material está organizando em sequências didáticas, que são procedimentos de organização do
trabalho pedagógico, encadeados ou interligados, para tornar o processo de ensino e aprendizagem
mais eficiente. Assim, são apresentadas 10 (dez) sequências didáticas sobre o Reconhecimento de
convenções do sistema alfabético e 10 (dez) sequências didáticas sobre a Apropriação do sistema
alfabético. Para se apropriar do sistema de escrita alfabética o estudante precisa compreender como
ele funciona e aprender as suas convenções.

Para orientar o trabalho docente sobre o ensino e a aprendizagem do sistema de escrita alfabética, este
material baseia-se na teoria da Psicogênese da Língua Escrita, de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky, que
apresenta as etapas ou níveis pelas quais os estudantes, em processo de alfabetização, passam para
compreenderem o que a escrita nota (representa) e como ele cria tais notações (representações).

Outra linha teórica adotada por este material para orientar o trabalho docente sobre o sistema de escrita
alfabética foi o estudo do desenvolvimento da consciência fonológica, com o objetivo de possibilitar
ao estudante refletir sobre as partes sonoras das palavras, por exemplo, som inicial, final e medial das
palavras e suas relações.

As duas teorias centrais que fundamentam este material estão tratadas de forma imbricadas por meio
das atividades, ou seja, elas não estão apresentadas separadamente, mas, articuladas.

Os conteúdos tratados no material são apresentados por meio de textos, como: músicas, poemas,
curiosidades, verbetes, fábula, parlenda, conto e outros. Destacando a importância do trabalho com o
texto – como uma unidade de sentido e de comunicação a serviço de fins sociais – para o ensino da
Língua Portuguesa. Pois, como o texto é formado por uma sequência verbal completa e constituído por
relações que são estabelecidas por meio dos elementos de coesão e coerência, possibilita que a aula,
por meio do texto, torne-se contextualizada com a realidade do estudante e, consequentemente, seja
mais favorável ao processo de ensino e aprendizagem.

As atividades propostas, quase sempre, procuram desenvolver as habilidades de trabalho em grupo,


na perspectiva de que se aprende nas relações sociais. A interação com o outro possibilita avanços
significativos para a promoção da aprendizagem e, cabe à escola proporcionar uma variedade de
oportunidade de relações interpessoais para que contribuam com o processo de apropriação do
conhecimento por parte dos estudantes.

Todo o conteúdo está de acordo com os conhecimentos, competências e habilidades estabelecidos pela
Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino da Língua Portuguesa, no primeiro ano do ensino
fundamental.

“A BNCC é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de


aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades
da Educação Básica”. (http://basenacionalcomum.mec.gov.br/)

A BNCC prevê o estabelecimento de um eixo comum em relação ao currículo da Educação Básica com
a finalidade de corrigir as desigualdades de conteúdos de ensino praticados nas escolas brasileiras.
Assim, este material, que está em consonância com a BNCC, visa contribuir para corrigir tal desigualdade
em relação às classes de alfabetização.

Professor(a), eleja e desenvolva/realize as atividades propostas de acordo com processo de alfabetização


e letramento dos estudantes de sua turma e com os objetivos da organização de seu trabalho pedagógico.

Faça bom uso do material!


Sumário

1. SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS SOBRE RECONHECIMENTO DE CONVENÇÕES DO


SISTEMA ALFABÉTICO (ATIVIDADE 1)................................................................................06

1.1. PRIMEIRA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – NOME DA GENTE – PARTE 1...................................................... 06

1.2. SEGUNDA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – NOME DA GENTE – PARTE 2..................................................... 10

1.3. TERCEIRA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – PARLENDA – PARTE 1.....................................................................13

1.4. QUARTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – PARLENDA – PARTE 2......................................................................17

1.5. QUINTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – IDENTIDADE ....................................................................................... 25

1.6. SEXTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – CONVITE DE ANIVERSÁRIO – PARTE 1........................................ 30

1.7. SÉTIMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – CONVITE DE ANIVERSÁRIO – PARTE 2......................................33

1.8. OITAVA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 1................................................37

1.9. NONA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 2................................................ 42

1.10. DÉCIMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 3............................................. 46

REFERÊNCIAS.................................................................................................................................50
1. SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS SOBRE
RECONHECIMENTO DE CONVENÇÕES DO SISTEMA
ALFABÉTICO (ATIVIDADE 1)

1.1. PRIMEIRA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – NOME DA GENTE – PARTE 1

HABILIDADE RELACIONADA À BNCC

Identificar fonemas e sua representação por letras.

Professor(a), escreva em um cartaz o poema ABECEDÁRIO DE NOMES DE PESSOAS, com letra de


imprensa maiúscula ou caixa alta, e leia em voz alta e pausadamente para os estudantes. Após cante
com eles na melodia da canção Terezinha de Jesus ou outra.

Em seguida, leia o poema com os estudantes, apontando onde está lendo para que eles possam
acompanhar a leitura, mesmo que ainda não consigam ler convencionalmente.

06  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


ABECEDÁRIO DE NOMES DE PESSOAS
(Maria Alice Fernandes de Sousa)

A DE ANA, ALICE, ADA.


B DE BETO, BENÍCIO, BIBI.
C DE CAMILA, CAIO, CALEBE.
D DE DIOGO, DANILO, DAVI.
E DE ÉRICA, ELOÁ, EVA.
F DE FÁTIMA, FÁBIO, FELIPE.
G DE GUTO, GIOVANA, GIULIA.
H DE HEITOR, HELENA, HENRIQUE.
I DE ÍTALO, IZABELA, IZADORA.
J DE JUCA, JÚLIA, JULIANA.
K DE KAIO, KELY, KÁTIA.
L DE LAURA, LUÍZA, LUANA.
M DE MARA, MILENA, MARIANA.
N DE NICOLE, NAYARA, NINA.
O DE OTÁVIO, OLAVO, OLÍVIA.
P DE PAULO, PALOMA, MARINA.
Q DE QUEILA, QUITÉRIA, QUIRINO.
R DE RUTE, RAFAELA, ROZANA.
T DE TÂNIA, TATIANA, TALITA.
U DE UIRA, UALACE, ULIANA.
V DE VIVIANE, VERA, VALENTINA.
W DE WENDEL, WALTER, WALINE.
X DE XAYANE, XENA, XIMENA.
Y DE YALE, YOLANDA, YASMINE.
Z DE ZAQUEU, ZARA, ZULINE.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   07


Professor(a),

Peça que cada estudante fale o seu nome e mostre no cartaz, em que está escrito o poema ABECEDÁRIO
DE NOMES DE PESSOAS, a letra com que ele começa. Caso ele precise, ajude-o.

Questione se os estudantes conhecem alguém que tem o nome citado no poema. Peça que falem esses
nomes e com a sua ajuda, professor(a), localizem tais nomes no cartaz.

Entregue para cada estudante uma tirinha de cartolina com o seu nome escrito em letras de imprensa
maiúscula ou caixa alta e com a primeira letra destacada em outra cor.

T A L I T A
Professor(a), mostre para cada estudante, no cartaz, a primeira letra do seu nome, e leia com TODA a
turma os nomes que estão escritos para esta letra.

Por exemplo: Para o estudante FABIANO, mostre a letra F e leia, com TODA a turma, os nomes que estão
escritos no poema para essa letra: FÁTIMA, FÁBIO e FILIPE.

Professor(a), dê uma folha de papel em branco para cada estudante e peça que escrevam os seus
nomes e os nomes das pessoas do cartaz que estão escritos para a primeira letra de seu nome.

Em seguida, peça que circulem a primeira letra de seu nome e a primeira letra dos nomes que foram
escritos do cartaz.

CONFECÇÃO DE CRACHÁ FONOLÓGICO

Professor(a), entregue para cada estudante, um pedaço de cartolina, medindo mais ou menos 30X20
centímetros, para a confecção de seus crachás. Peça-lhes que escrevam os seus nomes com letras de
imprensa maiúscula ou caixa alta, e para cada letra do nome, desenhem algo cujo nome comece com
aquela letra, como no modelo:

P A U L O

Professor(a), você também deverá confeccionar um crachá, com o seu nome, igual ao dos estudantes.
Na sequência, professor(a) e estudantes deverão, em uma roda de conversa, fazer a apresentação dos
seus crachás, falando os nomes das coisas que desenharam para cada letra.

08  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Professor(a), fique atento para ver se os nomes dos desenhos dos crachás dos estudantes começam
com as referidas letras. Caso não, faça a devida mediação. Essa atividade deverá ser retomada sempre,
até que perceba que os estudantes conseguiram compreender a relação entre letra e som (grafema e
fonema), desenvolvendo assim, a consciência fonológica.

Quando achar oportuno, professor(a), confeccionem novos crachás com outros desenhos para as letras.
Repita a atividade anterior que foi realizada na roda de conversa.

Esse crachá deverá ser preso a um pedaço de barbante nas extremidades superiores para que o
estudante o use diariamente. Você também deverá fazer uso do seu crachá diariamente, professor(a).

PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

Nessa atividade, você estará desenvolvendo nos estudantes a consciência fonológica. Que é a
capacidade de perceber a semelhança fonológica entre as palavras por meio de sua segmentação
em sílabas e em fonemas.

Para saber mais sobre este assunto, assista ao vídeo: CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA - https://www.
youtube.com/watch?v=_Y446YQsClM

Professor(a), organize a turma em duplas ou grupos de, no máximo, quatro estudantes e entregue o
alfabeto móvel para eles. Peça que montem o alfabeto na ordem das letras.

Podem pesquisar essa ordem no cartaz em que está escrito o poema ABECEDÁRIO DE NOMES DE
PESSOAS.

Fonte: http://atividadespedagogicas.net/2017/02/atividades-com-alfabeto-movel.html

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   09


1.2. SEGUNDA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – NOME DA GENTE – PARTE 2

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Professor(a), continue com a atividade de desenvolvimento da Consciência fonológica, comparando as


semelhanças e diferenças entre o nome de cada estudante e os nomes da pessoas do cartaz do poema,
ABECEDÁRIO DE NOMES DE PESSOAS, que estão escritos para a letra que inicia os seus nomes, por
exemplo: letras que se repetem, letras que são diferentes, tamanho dos nomes, letra final de cada nome
o outros.

Em uma roda de conversa, professor(a), espalhe os crachás dos estudantes no centro da rodinha para
que cada um identifique o seu.

Depois peça que cada estudante visualize bem o crachá do nome do colega que está ao seu lado
direito. Em seguida, todos devolvem os seus crachás para o centro da rodinha e cada estudante vai
tentar localizar o crachá do colega que estava à sua direita e entregar para ele. Os estudantes podem
ajudar-se.

A seguir, peça aos estudantes para separarem os crachás cujos nomes terminem com a mesma letra.
Caso seja necessário, ajude-os.

Peça aos estudantes que montem os seus nomes usando o alfabeto móvel. Ao concluírem a atividade,
peça que cada um copie o seu nome em seu caderno.

BINGO COM OS CRACHÁS FONOLÓGICOS

Professor(a), realize um bingo de letras usando os crachás fonológicos como cartela. Ao retirar a letra
da sacola, para realizar o bingo, faça relações fonológicas, por exemplo: A letra que tirei é a primeira
letra da palavra GATO. Quem sabe qual é o nome dessa letra? O estudante que for preenchendo a sua
cartela-crachá, poderá ajudar os colegas. O bingo segue até que todos preencham as suas cartelas.
Neste bingo não tem ganhador, nem perdedor. Neste bingo todos ganham aprendizagens.

10  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


ATIVIDADE COM A PREGUICINHA

Professor(a), realize a leitura dos nomes dos estudantes, um a um, com o uso da “preguicinha”. Vá puxando
de dentro do invólucro lentamente a ficha com os nomes dos estudantes. Promova a mediação, por
exemplo: Ao puxar a ficha com o nome do PAULO, mostre apenas a primeira letra e pergunte. De quem
será esse nome que vamos ler agora? Começa com a letra P. Será o nome do PAULO ou do PEDRO? Vou
mostrar a segunda letra, que é a letra A. Agora temos a sílaba PA. Será o nome do PAULO ou PEDRO? PA
é a primeira sílaba de qual dos dois nomes? Fale os dois nomes com os estudantes: PAULO e PEDRO. Vá
criando situações similares a essa para instigar o pensamento dos estudantes.

PREGUICINHA

VERBETE

Preguicinha é um material didático que permite ao aluno uma visualização direta da grafia da palavra
inteira associada com a leitura lenta ao mesmo tempo.

Para saber mais sobre o uso da preguicinha:

http://pensandoemalfabetizao.blogspot.com/2010/04/preguicinha.html

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   11


Professor(a), proponha aos estudantes que completem o alfabeto com as letras que estão faltando. Eles
poderão consultar no alfabeto que está exposto na sala de aula ou em outro lugar que seja possível
realizar essa pesquisa.

A C E G I
K O R T
U W Z
Professor(a), entregue tiras de cartolina e pincel para os estudantes e peçam que escrevam os seus
nomes, destacando a primeira letra de outra cor. Em seguida, monte com eles o mural de seus nomes na
sala de aula observando a ordem alfabética, como na imagem.

Fonte: http://andreiaribcost.blogspot.com.br/2016/07/identidade_17.html

Professor(a), peça que os estudantes escrevam os seus nomes nos seus cadernos, usando como apoio
as fichas do mural ou os seus crachás.

12  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Peça que conte quantas letras têm o seu nome e escreva ao lado do nome o numeral correspondente a
quantidade de letras.

Peça que compare o tamanho do seu nome com o nome de seu colega mais próximo.

Quais são as letras que têm nos dois nomes?

Quais as letras que são diferentes?

Peça que cada estudante pinte as letras de seu nome:

1.3. TERCEIRA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – PARLENDA – PARTE 1

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas, com entonação adequadas e observando


as rimas.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   13


Professor(a), escreva o texto da parlenda em um cartaz, usando a letra de imprensa maiúscula ou caixa
alta, e leia para os estudantes.

A seguir, leia a parlenda com eles, pausadamente, quantas vezes forem necessárias para que eles
identifiquem as palavras no texto. Mas, à medida em que você for lendo, professor(a), vá apontando as
palavras para facilitar o seu reconhecimento por parte dos estudantes.

Depois cante a parlenda com os estudantes com a melodia de canção popular Terezinha de Jesus.

Fonte: https://www.slideshare.net/dricareis522/quadrinhas

VERBETE

O texto em questão é uma parlenda. As parlendas são textos que são recitados com ritmo, o que
torna a compreensão e a memorização mais fácil para o leitor, tornando-as mais criativas e atrativas.
As parlendas fazem parte do folclore brasileira e são transmitidas de geração a geração. As principais
características das parlendas são: presença de rima, presença de humor e textos curtos.

Fonte: https://escolakids.uol.com.br/parlendas-um-genero-textual.htm

PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

Professor(a), as parlendas são consideradas textos de tradição oral que se sabe de cor. Ao ler um texto
que se sabe de cor, como as parlendas ou canções de tradição oral, o estudante apoia a sua leitura
na memória. Assim, ele lê mesmo se ainda não sabe ler convencionalmente, porque ele já tem esse
repertório em sua memória. Isso faz com ele se sinta mais interessado na leitura e, consequentemente,
em aprender a escrever.

Para saber mais sobre esse assunto, assista ao vídeo: Plataforma do Letramento - Leitura de
cantigas (vídeo 2) https://www.youtube.com/watch?v=2xsgtiWxKH8

14  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


A seguir, escreva em uma tira de cartolina, as palavras: menininha, batatinha, coração, chão e mão.
Leia cada uma das palavras com os estudantes.

MENININHA
BATATINHA
CORAÇÃO
CHÃO
MÃO

Na sequência, trabalhe com cada palavras:

Leia a palavra MENININHA, para os estudantes. Depois, leia com os estudantes contando nos dedos
(ME-NI-NI-NHA), quantas vezes abriram a boca para falar cada sílaba.

Pergunte para os estudantes: que som foi pronunciado quando abriram a boca pela primeira vez? E na
segunda vez? Na terceira vez? Na quarta vez?

Algum som foi igual? Qual? Esse som que foi igual lembra o nome de algum colega da sala? Qual é o
nome do colega? Se não tem nenhum colega da sala em que o nome tem esse som, pode buscar entre
nomes de outras pessoas.

Pode realizar a atividade de identificar os sons pronunciados nos nomes de todos os colegas da sala,
usando como material de apoio o mural dos nomes dos estudantes, que deve estar disposto na sala.

Realize a atividade de leitura da palavra MENININHA com a preguicinha, falando com os estudantes,
silaba a sílaba, até concluir a leitura da palavra.

Na sequência, realize a atividade com a palavra BATATINHA.

Leia a palavra com os estudantes. Depois, leia outra vez a palavra, com os estudantes agora contando
nos dedos, cada vez que abrirem a boca para falar uma sílaba.

Pergunte para os estudantes: que som foi pronunciado quando abriram a boca pela primeira vez? E na
segunda vez? Na terceira vez? Na quarta vez?

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   15


O primeiro som que foi pronunciado lembra o nome de algum colega da sala? Qual é o nome do colega?
Caso não tenha nenhum colega que o nome comece ou termine com esse som, busque essa relação
com o segundo ou terceiro som pronunciado na palavra “batatinha”. Se não tem nenhum colega da sala
em que o nome tem esse som no início ou no final, pode buscar entre nomes de outras pessoas.

Use sempre o mural dos nomes dos estudantes da sala como material de apoio para que eles pesquisem
sobre os seus nomes e os nomes dos colegas.

Realize a atividade de leitura da palavra BATATINHA com a preguicinha, falando com os estudantes,
silaba a sílaba, até concluir a leitura da palavra.

Apresente a ficha com a palavra: CORAÇÃO. Leia-a com os estudantes, e peça que observem o som
pronunciado no final da palavra. Mostre as fichas com as palavras: MÃO e CHÃO. Leias as palavras com
os estudantes. Pergunte se ao pronunciarem as palavras MÃO e CHÃO, conseguem perceber o som da
última sílaba da palavra coração. Mostre para eles as letras que fazem esse som.

Na sequência, com os estudantes em grupo, distribua o alfabeto móvel e peça que montem as palavras:
MENININHA, BATATINHA, CORAÇÃO, MÃO e CHÃO. A seguir, peça que copiem essas palavras em
seus cadernos.

Fonte: http://www.abcbrinquedos.com.br/produto.php?p=121

16  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


1.4. QUARTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – PARLENDA – PARTE 2

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Professor(a), inicie a sua aula convidando os estudantes para cantarem a parlenda Batatinha com a
melodia da canção popular Terezinha de Jesus.

Depois entregue uma folha de papel em branco para cada estudante, peça que escreva o seu nome e o
que você vai ditar. Você vai ditar o texto da parlenda Batatinha, mas vai ser um ditado cantado. Você vai
cantar as palavras da parlenda, pausadamente, para que eles escrevam.

Deixe os estudantes escreverem livremente (espontaneamente), o texto da parlenda que você vai ditar
cantando. Faça a apreciação da escrita dos estudantes de acordo com o referencial teórico que está
proposto como material de apoio no texto e nos vídeos, nesta Sequência Didática.

PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

Na escrita espontânea o estudante tem a possibilidade de expor como está pensando e elaborando
o seu conhecimento sobre o sistema de escrita.

Para saber mais sobre a escrita espontânea, consulte: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/


glossarioceale/verbetes/escrita-espontanea

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   17


DITADO CANTADO

BATATINHA QUANDO NASCE

ESPALHA A RAMA PELO CHÃO.

MENINNHA QUANDO DORME

PÔE A MÃO NO CORAÇÃO.

NOME DO ESTUDANTE:

Os textos escritos espontaneamente pelos estudantes, lhe servirão, professor(a), como material
de pesquisa, para que elabore as intervenções didáticas de alfabetização de acordo com nível de
conhecimento de escrita que cada um apresenta, segundo a Psicogênese da Língua Escrita de Emilia
Ferreiro e Ana Teberosky.

18  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

OBSERVE COMO OS ESTUDANTES ESCREVERAM. POR EXEMPLO, SE APARECEU UMA ESCRITA


ASSIM OU SIMILAR:

B8OMA (MENININHA) – S5ABNPT (MÃO) - Está mostrando uma escrita compatível com o nível pré-
silábico. Neste nível, o estudante ainda não compreende que a escrita representa os sons das palavras
que falamos, mas elabora diversas hipóteses, utilizando, simultaneamente, desenhos e outros sinais
gráficos – o professor(a) precisa pedir que ele diga o que escreveu, pois, a sua representação só
é entendida por ele mesmo.

O que fazer para que o estudante avance do nível pré-silábico para o nível silábico?

Trabalho de desenvolvimento da consciência fonológica, por exemplo: Explorar e manusear as


letras do alfabeto em diferentes materiais e contextos: crachás, rótulos, textos, bingos, etiquetagem,
legendas, jogos, colagens, recortes.

Analisar a quantidade, variedade, posição de letras, comparando, seriando classificando palavras


pela inicial, final e medial (meio da palavra), em contextos significativos, como os nomes próprios, por
exemplo.

CASO A ESCRITA ESTEJA DESSA FORMA OU SIMILAR:

IA ou RM (RIMA) – EIIA ou MNN (MENININHA) – Está mostrando uma escrita compatível com o nível
silábico. Neste nível, o estudante percebe os sons das sílabas como segmentos da palavra a ser
escrita, mas supõe que apenas uma letra pode representá-las graficamente, podendo ou não ter o
valor sonoro convencional.

O que fazer para que o estudante avance do nível silábico para o nível alfabético?

Atividades que reforcem a compreensão da relação grafema-fonema (letra-som) para que entenda a
constituição de sílaba como, por exemplo, alfabetos cantados, bingo de letras, de rótulos, atividades
com alfabeto vivo, atividades com fichários dos nomes dos alunos.

Continuar explorando todo alfabeto em jogos, cartões conflito, letras móveis, forcas, bingos,
preguicinhas, dominós, listas, ditados de letras, e outros.

Leituras de histórias e demais narrativas com posterior reconto oral e escrito.

Muitas atividades de escrita espontânea de palavras e não cópias.

CASO A ESCRITA ESTEJA DESSA FORMA OU SIMILAR:

CORSAU ou CRASAU (CORAÇÃO) BATATIA ou BTATIA (BATATINHA) - Está mostrando uma escrita
compatível com o nível alfabético. O estudante já começa a compreender o princípio alfabético,
percebendo unidades menores do que as sílabas, os fonemas, e gradualmente domina suas
correspondências com os grafemas (letras). Porém, ainda pode representar sílabas completas como
representações parciais da sílaba por uma só letra.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   19


O que fazer para que o estudante supere este nível?

Proporcionar intensa atividade com letras, sílabas, palavras e textos, explorando semelhanças/
diferenças nas sílabas iniciais, finais, mediais (meio da palavras), na composição de novas palavras.

Trabalhar com textos que se sabe de cor explorando a formação das sílabas, da ordem das palavras
nas frases, da organização da escrita, da estruturação do texto.

Produzir textos: coletivamente, em grupos, em dupla, sozinho, a partir de imagens, de leituras, de


situações, de questionamentos, de necessidades de informar, divulgar, pesquisar, discordar, concordar;
divertir, recontar, anunciar, convidar.

Montar e explorar bancos de palavras e construir coletivamente as regras ortográficas regulares; usar
jogos de raciocínio para fixação destas regras.

Referências:

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Tradução de Diana Myriam Lichtenstein
et al. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

Material de apoio:

Diagnóstico na alfabetização para conhecer a nova turma. Disponível em: <https://novaescola.org.br/


conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma>. Acesso em: 2 mai. 2018.

Para saber mais:

Construção da escrita: primeiros passos – parte 1 - https://www.youtube.com/


watch?v=NCo5ybibn5Q&t=228s

Construção da escrita: primeiros passos – parte 2 - https://www.youtube.com/watch?v=icFlW3OjesE

O que está escrito e o que se pode ler – parte 3 - https://www.youtube.com/watch?v=GdgctE4FtAM

O que está escrito e o que se pode ler – parte 4 - https://www.youtube.com/watch?v=Wk0tO951kX4

Professor(a), escreva em um cartaz, com letra de imprensa maiúscula ou caixa alta, a música Alfabeto
Cantado, de Zooimole, e cante com os estudantes. Sempre indicando onde estiver cantando para
permitir que eles acompanhem a leitura.

20  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


ALFABETO CANTADO (ZOOIMOLE)
A DE ABELHA,
B DE BOLA,
C DE CASA,
D DE DADO,
E DE ELEFANTE,
F DE FACA,
G DE GATO,
H DE HELICÓPTERO,
I DE ÍNDIO,
J DE JANELA,
K DE KIKO,
L DE LUA,
M DE MEIA,
N DE NAVIO,
O DE OLHO,
P DE PATO,
Q DE QUEIJO,
R DE RATO,
S DE SAPATO,
T DE TARTARUGA,
U DE UVA,
V DE VIOLÃO,
Y DE YOUTUBE,
X DE XÍCARA,
W DE WEB,
Z DE ZEBRA.
APRENDA O ALFABETO CANTADO: https://www.youtube.com/watch?v=gEaERQlOiAY

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   21


Professor(a), após cantarem a música ALFABETO CANTADO, leiam o texto fazendo o estudo das palavras
de que trata cada letra. Por exemplo: A de ABELHA. Contem nos dedos quantas vezes abriram a boca
para falar a palavra “abelha”. Qual é o som do início da palavra? Qual é o som do final da apalavra?
Qual é o som do meio da palavra? Falem outras palavras que iniciem e terminem com os mesmos sons
da palavra “abelha”. Faça essa atividade com todas as palavras da letra da música.

Peça aos estudantes que leiam o alfabeto.

Fonte: https://www.brinquedosdavila.com.br/loja-de-brinquedos-educativos/eva/eva-escolar/centopeia-de-eva-com-alfabeto/

Peça aos estudantes que completem os nomes com as sílabas que faltam:

___NE___ SA___PA___ NA___ ___

22  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


TAR___RU___ ___ CA___ MEI___

GA ___ LU ___ ___TO

ATIVIDADE DE CAÇA PALAVRAS

Professor(a), peça aos estudantes que realizem a atividade de caçar as palavras. A atividade poderá ser
feita individualmente ou em grupos.

TARTARUGA ELEFANTE HELICÓPTERO

SAPATO ABELHA XÍCARA

JANELA VIOLÃO QUEIJO

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   23


Q E A B E L H A N M P
T A R T A R U G A R A
S W Q R T Y P O P J K
A S A P A T O S D F G
F H H J K L Ç S D R E
E L E F A N T E A S D
V X C V B N M L Ç P T
B S D F V I O L Ã O P
N J A N E L A S D F G
M Q W E T R G B N H U
H E L I C O P T E R O
Q X Í C A R A U Y O E
W S D Q U E I J O D F

Professor(a), brinque com os estudantes de trocar as letras e formar novas palavras. Peça que observem
o que é igual e o que é diferente na escrita das palavras.

Após leiam as novas palavras contando nos dedos quantas vezes abriram a boca para falar cada uma
delas.

PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

Nessa atividade, professor(a), você estará trabalhando com os pares mínimos, que é um par
de palavras cuja diferença é um único fonema (letra inicial), mas que ao trocar essa letra, muda o
significado da palavra.

TROQUE O P DE PATO POR R: RATO


TROQUE O L DE LUA POR R:
TROQUE O B DE BOLA POR M:
TROQUE O F DE FACA POR V:
TROQUE O J DE JANELA POR C:
TROQUE O N DE NAVIO POR P:
TROQUE O F DE FOGO POR J:
TROQUE O D DE DEDO POR M:
TROQUE O B DE BONECA POR S:
TROQUE O G DE GOLA POR C:

24  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


1.5. QUINTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – IDENTIDADE

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professor(a), leia para a turma o poema de Pedro Bandeira. Mas antes, exercite a estratégia de leitura
antecipação de sentido, que é a habilidade de prever informações, com a finalidade de desenvolver a
compreensão leitora.

Apresente o título do poema para os estudantes: NOME DA GENTE.

Em seguida, pergunte: De acordo com o título, do que será que vai tratar este poema? (Esse questionamento
remete a estratégia de leitura antecipação de sentido.)

Deixe os estudantes apresentarem suas impressões a partir do título.

Na sequência, leia o poema em voz alta para toda a turma. Confira com os estudantes, se as antecipações
de sentidos feitas por eles, se confirmaram ou não.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   25


NOME DA GENTE (PEDRO BANDEIRA)
POR QUE É QUE EU ME CHAMO ISSO
E NÃO ME CHAMO AQUILO?
POR QUE É QUE O JACARÉ
NÃO SE CHAMA CROCODILO?

EU NÃO GOSTO
DO MEU NOME,
NÃO FUI EU
QUEM ESCOLHEU.
EU NÃO SEI
PORQUE SE METEM
COM UM NOME
QUE É SÓ MEU!

O NENÊ
QUE VAI NASCER
VAI CHAMAR
COMO O PADRINHO,
VAI CHAMAR
COMO O VOVÔ,
MAS NINGUÉM
VAI PERGUNTAR
O QUE PENSA
O COITADINHO.

FOI MEU PAI QUEM DECIDIU


QUE O MEU NOME FOSSE AQUELE.
ISSO SÓ SERIA JUSTO
SE EU ESCOLHESSE
O NOME DELE.
QUANDO EU TIVER UM FILHO,
NÃO VOU POR NOME NENHUM.
QUANDO ELE FOR BEM GRANDE,
ELE QUE PROCURE UM!

(Pedro Bandeira. Cavalgando o arco-íris. São Paulo, Moderna, 1984.)

Apresente o texto do poema escrito em um cartaz, em letra de imprensa maiúscula ou caixa alta, e leia
outra vez, agora com os estudantes. À medida que forem lendo, vá apontando as palavras.

A seguir, em uma roda de conversa, falem sobre o texto, a partir de questionamentos:

Você gosta do seu nome?

Caso você pudesse ter escolhido o seu nome, qual seria? Comente.

Você sabe quem escolheu o seu nome?

26  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Você sabe o significado do seu nome?

Deixe que os estudantes se expressem livremente por meio da fala. Assim, estarão desenvolvendo a
oralidade. Porém, realize as mediações pedagógicas que se fizerem necessárias nas falas deles. Mas
faça as mediações exercitando uma pedagogia sensível, respeitando e acolhendo o modo de falar de
cada um. À medida em que forem se desenvolvendo, vá lhes ensinando a adequar as suas falas aos
seus interlocutores.

PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

Esta atividade tem entre os seus objetivos, desenvolver a oralidade, para Bernard Schneuwly, compete
à escola ensinar os estudantes a utilizar a linguagem oral nas mais variadas situações de comunicação,
principalmente nas mais formais. Gêneros Orais e Escritos na Escola, Bernard Schneuwly, Joaquim
Dolz e outros. Ed. Mercado de Letras. Campinas, São Paulo, 2004.

As duas últimas questões podem se constituir em uma pesquisa para ser feita em casa, junto aos
responsáveis pelo estudante, e socializadas em sala de aula.

CURIOSIDADE
VOCÊ SABIA?

Que toda criança, tem direito, desde o seu nascimento, a um nome?

O nome da pessoa inclui prenome e sobrenome.


O prenome é o primeiro nome da pessoa natural.
O sobrenome é o nome de origem da pessoa natural, e o que representa a sua família.

VEJA O EXEMPLO DO NOME DO ESTUDANTE

ÍTALO FERNANDES VIEIRA.

ÍTALO – é o prenome, é o primeiro nome dele.

FERNANDES VIEIRA – é o seu sobrenome, representa o nome da família dele.

Professor(a), escreva no quadro o seu nome com prenome e sobrenome e leia para aos estudantes.

Em seguida, peça que cada estudante fale o seu nome com prenome e sobrenome.

Entregue tiras de cartolina para os estudantes e peça que escrevam os seus nomes com prenome e
sobrenome. Caso precisem, podem pesquisar no diário de classe ou em cópia da certidão de nascimento.
A seguir, peça que leiam para toda a turma.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   27


Além dos nomes, algumas pessoas também possuem apelidos. Você sabe o que é um apelido? Você tem
apelido? Qual é o seu apelido? Caso não tenha apelido, que outro nome você gostaria de ter?

VERBETE

Um apelido é um nome dado a uma pessoa, na maioria das vezes a partir de suas características.
Por exemplo, se a pessoa gosta muito de uma determinada comida, pode ter o apelido relacionado
a esse gosto.

Um apelido pode se depreciativo, nesse caso, a pessoa se sente humilhada e desprestigiada. Apelidos
que humilhem a pessoa, devem ser evitados.

Professor(a), leia o verbete para os estudantes e converse com eles sobre o assunto.

Professor(a), entregue uma tira de cartolina para cada estudante para que ele escreva o seu apelido ou
outro nome que gostaria de ter. Deixe que escrevam espontaneamente. Após faça a devida mediação,
por exemplo, comparando o tamanho dos nomes, letra inicial, letra final, palavras que começam ou
terminam com a mesma sílaba e outros.

Professor(a), com o apoio do mural da sala de aula dos nomes dos estudantes, peça que cada um deles
escreva a lista dos nomes dos colegas:

1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.
14.
15.
16.
17.
18.
19.
20.
21.
22.
23.
24.
25.

28  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Após faça a devida mediação, por exemplo, comparando o tamanho dos nomes, letra inicial, letra final,
palavras que começam ou terminam com a mesma sílaba.

Professor(a), escreva em uma cartolina as letras do alfabeto e proponha que os estudantes, em grupos,
pesquisem em jornais, revistas ou outros materiais, duas palavras que comecem com cada letras,
recortem e colem montando o cartaz.

Após a confecção do cartaz, realize a leitura das palavras com os estudantes, fazendo a devida mediação,
por exemplo: contem nos dedos quantas vezes abriram a boca para falar cada palavras, qual é a palavra
maior, quantas letras ela tem, entre outras.

Esse cartaz de “Alfabeto Recortado”, deve ficar exposto na sala de aula para servir de material de
apoio às aprendizagens dos estudantes.

Sugere-se incluir na rotina das aulas um momento para realizar a leitura das palavras com todos os
estudantes.

ALFABETO RECORTADO
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
N
M
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   29


1.6. SEXTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – CONVITE DE ANIVERSÁRIO – PARTE 1

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professor(a), escreva o convite de aniversário abaixo em uma cartolina, em letra de imprensa maiúscula
ou caixa alta, apresente-o e leia para os estudantes.

Após leia o convite com os estudantes, lembrando de ir apontando onde está lendo para que eles
possam acompanhar a leitura.

OLÁ, AMIGO(A)!
ESTOU TE ESPERANDO PARA COMEMORAR O MEU
ANIVERSÁRIO DE SEIS ANOS

DIA: 26 DE AGOSTO
HORÁRIO: 16 HORAS
LOCAL: MINHA CASA
MATEUS

30  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


DESENVOLVIMENTO DA ORALIDADE

Deixe que os estudantes se expressem livremente sobre a discussão proposta. Porém, sempre orientando
para que ouçam as falas dos colegas e sinalizem quando quiserem falar. Desse modo, o turno de fala
de cada um será garantido.

Professor(a), dialogue com os estudantes, a partir dos seguintes questionamentos:

Vocês já receberam um convite para participar de uma festa de aniversário?

De quem era o aniversário?

Quantos anos o aniversariante estava fazendo?

Professor(a), mostre o convite que você trouxe para a aula e pergunte:

De quem é o aniversário?

Quantos anos o aniversariante estará fazendo no dia da festa?

Qual é o dia da festa?

Onde será a festa?

O que você acha que pode acontecer se faltar no convite o dia e horário da festa? Escreva a resposta
aqui. Professor(a), aprecie a escrita dos estudantes e faça a devida mediação.

Agora, vamos juntos fazer um convite para a festa junina da nossa escola. Eu vou escrever aqui no
quadro.

Convite Festa Junina

Quais as informações que não podem faltar em um convite?

(o nome de quem está convidando, o nome do convidado, o motivo do convite, o dia da festa, o horário
e local da festa)

Quem nós vamos convidar para festa?

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   31


Qual vai ser o dia, hora e local da festa?

Professor(a), leiam juntos o convite que acabaram de elaborar.

Elabore com os estudantes uma lista de palavras de coisas relacionadas à Festa Junina. Leia com eles
as palavras e contem, nos dedos, quantas vezes abriram a boca para falar cada uma delas. Depois
forme as palavras unindo as sílabas.

JUNINA JU-NI-NA 3 JUNINA


CONVIDADO CON-VI-DA-DO
COMIDA CO-MI-DA
FESTA FES-TA
CANJICA CAN-JI-CA
COCADA CO-CA-DA
BANDEIRINHA BAN-DEI-RI-NHA
FOGUEIRA FO-GUEI-RA
BALÃO BA-LÃO
PAMONHA PA-MO-NHA
QUADRILHA QUA-DRI-LHA
MILHO MI-LHO
SANFONA SAN-FO-NA
CHAPÉU CHA-PÉU
JOGO JO-GO
FOGUETE FO-GUE-TE

BINGO DE PALAVRAS

Professor(a), entregue para os estudantes a metade de uma folha de papel e peça que dividam em 9
campos, como na sugestão de cartela, a seguir. Depois peça que escolham e copiem nove palavras
da atividade anterior. Essa será a sua cartela do bingo. Você, professor(a), vai apresentar as palavras
usando a preguicinha. Vá puxando lentamente a ficha com a palavra e fazendo as devidas relações
para desafiar os estudantes a pensarem e descobrirem a palavra. Essa atividade poderá ser feita com
os estudantes em duplas.

CARTELA DO BINGO DE PALAVRAS

CANJICA BANDEIRINHA CHAPÉU


FOGUEIRA QUADRILHA PAMINHA
JUNINA COCADA MILHO
(Sugestão de cartela do bingo de palavras)

32  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Professor(a), peça aos estudantes que escrevam uma frase sobre a sua comida favorita de festa junina.
Deixe que escrevam espontaneamente. Aprecie a escrita da frase com base no referencial teórico
proposto nas sequências didáticas.

1.7. SÉTIMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – CONVITE DE ANIVERSÁRIO – PARTE 2

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professor(a), inicie a aula apresentando mais um modelo de convite de aniversário para os estudantes.
Leve o convite impresso, leia com eles e completem as informações que faltam. Mostrando para eles a
importância de tais informações.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   33


Fonte: http://www.maecorujasa.com/2016/08/115-frases-convite-aniversario-infantil.html

A seguir, professor(a), proponha a seguinte atividade:


AGORA, É VEZ DE VOCÊS ESCREVEREM UM CONVITE!!!
Cada um de vocês vai receber um pedaço de cartolina para escrever um convite de aniversário. Lembrem-
se das informações que não podem faltar em um convite.

Deixe os estudantes escreverem e ilustrarem espontaneamente os convites. Após faça a apreciação da


atividade e as intervenções didáticas que se fizerem necessárias na escrita, de acordo com o referencial
teórico proposto nas sequências didáticas.

CONVITE DE ANIVERSÁRIO

Em uma roda de conversa, deixe que os estudantes apresentem os seus convites para a turma. Que
falem quem estão convidando, qual vai ser o dia, o horário, o local e o que mais vai ter na festa. Incentive-
os para que se expressem livremente.

Na sequência, monte um mural na sala de aula com os convites elaborados pelos estudantes.

Proponha aos estudantes que escrevam os nomes das comidas mais comuns nas festas de aniversário.
Professor(a), deixe os estudantes escreverem espontaneamente.

34  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Após faça a apreciação da atividade e as intervenções didáticas que se fizerem necessárias, na escrita.

______________ ______________ ________________

_______________ ________________ _________________

Professor(a), peça aos estudantes que completem as palavras com as letras T e V e escrevam os
nomes dos objetos. Peça que observem o que é igual e o que é diferente na escrita dos nomes desses
objetos.

___ELA ___ELA

Agora peçam que completem as palavras com as letras M e B e escrevam os nomes dos objetos.
Peça que observem o que é igual e o que é diferente na escrita dos nomes desses objetos.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   35


____ALA ____ALA

CAÇA PALAVRAS DE COMIDAS DE ANIVERSÁRIO

Peça aos estudantes que façam o caça palavras de comidas mais comuns em festas de aniversários.
Antes, porém, leia com eles todas as palavras, usando o recurso da preguicinha.

BRIGADEIRO BOLO PIRULITO


BALA JUJUBA SALGADINHO
REFRIGERANTE PIPOCA BEIJINHO

B R I G A D E I R O W Q
A W E R T Y U I O P U T
R B O L O C V B N M K H
A J U J U B A W S X C V
S D F G P I R U L I T O
P I P O C A H N M H J K
S D F G H J K L Ç P I Y
R E F R I G E R A N T E
O A E E A U I O P L A E
S A L G A D I N H O A E
B E I J I N H O Q R W C

36  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


1.8. OITAVA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 1

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Escutar, com atenção, falas de professores e colegas, formulando perguntas pertinentes ao tema
e solicitando esclarecimentos sempre que necessário.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professor(a), em uma roda de conversa com turma, proponha aos estudantes uma discussão sobre o uso
consciente da água, a partir dos seguintes questionamentos:

Vocês sabem qual é a importância da água para a vida do ser humano?

É possível viver sem água?

Já faltou água em suas casas?

Vocês sabiam que a água é um liquido precioso para todos os seres vivos?

Vocês sabiam que a água é um recurso limitado, ou seja, pode acabar, por isso é preciso usá-la de modo
consciente para que não falte?

Deixe que os estudantes se expressem livremente. Oriente para que fale um por vez e sinalizem quando
quiserem falar. Garanta a participação de todos eles.

Na sequência, conte a história: O camelo, o burro e a água, de autoria de Sergio Merli, publicado pela
editora Melhoramentos. Esta obra é parte do acervo do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE).

Mostre a capa do livro para os estudantes e peça que descrevam o que estão vendo. Olhando para a
capa do livro é possível dizer sobre do que história vai tratar?

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   37


PARA AMPLIAR OS CONHECIMENTOS:

O camelo, o burro e a água, de autoria de Sergio Merli, é uma fábula sem texto que tem como questão
central o uso consciente de água. Na história, o Camelo e o Burro moram próximos e passam um dia
sem o abastecimento de água. Como será que cada um deles vai comporta-se diante dessa situação?

A história está disponível em duas versões nos endereços:

https://pt.slideshare.net/AnaSilva81/o-camelo-o-burro-e-a-gua

https://www.youtube.com/watch?v=V5xst1TINYU

A seguir, analise com os estudantes os comportamentos do Camelo e do Burro em relação ao uso da


água e quais as consequências dos comportamentos de cada um deles:

Como age o Camelo quando vai escovar os dentes? E o Burro? E vocês?

Como o Camelo faz para regar as suas plantas? E o Burro? Qual das duas atitudes vocês consideram ser
a melhor em relação ao consumo consciente de água?

Vocês sabem o que é consumo consciente?

Professor(a), deixe que os estudantes se expressem livremente sobre a discussão proposta. Porém,
sempre orientando para que ouçam as falas dos colegas e sinalizem quando quiserem falar. Desse
modo, o turno de fala de cada um será garantido.

A seguir, leia e explique para as estudantes o verbete que trata sobre consumo consciente.

VERBETE

Consumo consciente é uma contribuição que cada pessoa pode dar por meio de seus atos de consumo
para garantir a vida e o bem-estar de todas as pessoas no planeta. É um estilo de vida ou conjunto
de boas práticas que levam ao consumo apenas daquilo que está dentro das necessidades, evitando,
assim, o desperdício.

Fonte: https://www.parmais.com.br/blog/o-que-e-consumo-consciente/ (com adaptações)

38  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Pergunte-lhes se acreditam que praticam o consumo consciente no seu dia a dia.

Observem a torneira do Camelo quando ele vai lavar as mãos. E observem a do Burro. E vocês, como
fazem, quando vão lavar as mãos?

Na hora do banho, como age o Camelo? E o burro? Observem a caixa d’agua da casa de cada um deles
e vejam como está sendo o consumo.

E, vocês, como fazem quando vão tomar banho? Os seus hábitos de consumo de água estão mais
parecidos com o do Camelo ou o do Burro?

Professor(a), agora os estudantes já sabem o que é o consumo consciente em relação ao uso da água.
Pergunte-lhes se acham que praticam essa forma de consumo ou estão mais para o desperdício?

Na sequência, peça que escrevam cinco atitudes de consumo consciente sobre o uso da água que
praticam no seu dia a dia. Deixe que eles escrevam espontaneamente. Após faça a apreciação das
escritas e a devida mediação pedagógica.

CONSUMO CONSCIENTE SOBRE O USO DA ÁGUA


1.
2.
3.
4.
5.

Professor(a), escreva as palavras CONSUMO e DESPERDÍCIO no quadro e leia com os estudantes.


Contem nos dedos quantas vezes abriram a boca para falar cada uma das palavras. Qual das duas
palavras é a maior? Quantas letras ela tem? Quantas sílabas ela tem? Separa as sílabas de cada uma
delas com os estudantes:

CON-SU-MO  3 SÍLABAS
DES-PER-DÍ-CI-O  5 SÍLABAS
Juntamente com os estudantes, professor(a), leiam a lista de palavras que começam com a sílaba inicial
de CONSUMO e DESPERDÍCIO. Contem nos dedos quantas sílabas tem cada uma delas. Peça que
escrevam essas palavras em seus cadernos e que circulem as sílabas iniciais.

CONSUMO (CON) DESPERDÍCIO (DES)


CONTA DESCOBERTO
CONDE DESCOLADO
CONDENADO DESCONTO
CONGELADO DESCUIDADO
CONTO DESPEDIDO

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   39


Professor(a), com base na imagem, peça aos estudantes que descrevam a conduta do Camelo e do
Burro em relação ao consumo de água. Deixe que os estudantes escrevam espontaneamente. Após faça
a apreciação das escritas e a devida mediação pedagógica.

https://pt.slideshare.net/stellasorg/o-camelo-o-burro-e-a-gua-merli

DESCREVA A CONDUTA DO CAMELO E O DO BURRO EM RELAÇÃO AO CONSUMO CONSCIENTE DE


ÁGUA.

40  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Professor(a), faça a atividade do DITADO ESTOURADO, com os esutantes.

Essa atividade consiste em escrever no quadro algumas palavras sobre o tema em estudo e lê-las
com os estudantes. Após escrevê-las em tirinhas de papel e colocá-las dentro de balões. Propõe-se
que os estudantes andem pela sala em duplas jogando os balões para cima. À medida que o balão
da dupla estourar, os estudantes pegam a palavra, leem e sentam-se em seus lugares. Segue assim,
até que todos tenham os seus balões estourados. Depois, cada dupla, uma por vez, lê a sua palavra
para toda a turma. Após a dupla dita a palavra e todos os estudantes deverão escrevê-la.

Para saber mais sobre Ditado Estourado: http://www.papodaprofessoradenise.com.br/aprenda-


brincando-com-o-ditado-estourado/

Sugestão de palavras para o ditado estourado no estudo de consumo consciente da água. Professor(a),
fique à vontade para eleger outras palavras, de acordo com o desenvolvimento de aula.

ÁGUA TORNEIRA PIA

CHUVA CANO BANHO

CONSUMO DESPERDÍCIO LIMPEZA

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO 41


1.9. NONA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 2

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Escutar, com atenção, falas de professores e colegas, formulando perguntas pertinentes ao tema
e solicitando esclarecimentos sempre que necessário.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professor(a), em uma roda de conversa com a turma, continue o estudo sobre o uso consciente da água.

Convide os estudantes para darem uma volta pela escola observando se tem alguma torneira que não
esteja bem fechada, se tem algum cano com vazamento ou outro problema.

Professor(a), após retornarem para a sala de aula, faça um debate com a turma sobre o que viram
em relação ao uso da água. Diga para os estudantes que a partir de agora todos deverão assumir a
responsabilidade de tornarem-se guardiões da água na escola, em suas casas e outros lugares por onde
forem.

Peça que eles escrevam na parte de baixo de seus crachás a expressão “GUARDIÃO DA ÁGUA”.

ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE TEXTO COLETIVO

Em seguida, professor(a), assuma a posição de escriba e produza com os estudantes, um pequeno texto
coletivo sobre o que observaram no passeio. Após leia o texto com eles. Depois destaque as palavras
novas que apareceram no texto e faça o seu estudo, por exemplo, contando nos dedos quantas vezes
abriram a boca para falar cada uma delas, o seu som inicial, medial e final.

Peça aos estudantes que escrevam tais palavras com o uso do alfabeto móvel.

42  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Essa atividade poderá ser individual ou em grupo.

TEXTO COLETIVO SOBRE A SITUAÇÃO DO USO DA ÁGUA NA ESCOLA

Para seguir o estudo sobre o uso consciente da água, leve a letra da música Quando eu era um peixinho,
do grupo Palavra Cantada, em um cartaz. Leia para os estudantes, após leia com eles e, depois, cantem
a música juntos várias vezes. Deixe os estudantes curtirem a música.

QUANDO EU ERA UM PEIXINHO – PALAVRA CANTADA, está disponível em: https://www.youtube.


com/watch?v=RpMrpRPZ0Zs

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   43


QUANDO EU ERA UM PEIXINHO EU ERA COMO UM PEIXINHO NA NO CRAVO (TEM ÁGUA)
BARRIGA DA MAMÃE
(PALAVRA CANTADA) NA ROSA (TEM ÁGUA)
E NO FEIJÃO (TEM ÁGUA)
E NO PÃO (TEM ÁGUA, TEM ÁGUA)
ÁGUA TÁ DENTRO DO COCO, LÁ NO E NO ARROZ (TEM ÁGUA)
ALTO DO COQUEIRO
ÁGUA TÁ NO TANQUE D'ÁGUA, LÁ DO ALEEEH EH EH EH EH AI
CARRO DO BOMBEIRO A SUJEIRA
AH AH-AH, AH AH-AH
ÁGUA TÁ EM TODO LUGAR ÁGUA LAVA

E TAMBÉM VOA PELO AR A POEIRA


QUANDO EU ERA PEQUENINHO, BEM
ÁGUA NASCE NA NASCENTE MENOR QUE UM BEBÊ ÁGUA LAVA

ÁGUA TÁ DENTRO DA GENTE EU ERA COMO UM PEIXINHO NA TÁ COM SEDE?


BARRIGA DA MAMÃE TOMA ÁGUA
QUANDO EU ERA PEQUENINHO, BEM TÁ NA CHUVA?
ESSA DANADA, TÁ QUE TÁ! MENOR QUE UM BEBÊ
AONDE MAIS QUE ELA ESTÁ? MOLHA ÁGUA
EU ERA COMO UM PEIXINHO NA
BARRIGA DA MAMÃE TEMPESTADE

NA COBRA D'ÁGUA TROVA D'ÁGUA

COPO D'ÁGUA ÁGUA TÁ DENTRO DO COCO, LÁ NO LUA CHEIA


ALTO DO COQUEIRO
QUEDA D'ÁGUA SOBE A ÁGUA
ÁGUA TÁ NO TANQUE D'ÁGUA, LÁ DO
PERA D'ÁGUA LUA NOVA
CARRO DO BOMBEIRO
ESCONDE A ÁGUA
ÁGUA TÁ EM TODO LUGAR
CHOVE, CHUVA TA NO ALTO
E TAMBÉM VOA PELO AR
ÁGUA FURA QUEDA D'ÁGUA
ÁGUA NASCE NA NASCENTE
LAVA A MATA TA NO FUNDO?
ÁGUA TÁ DENTRO DA GENTE
LAVA A RUA OLHO D'ÁGUA

TÁ NUM PINGO D'ÁGUA LÁ NO FRIO


ESSA DANADA, TÁ QUE TÁ!
E TAMBÉM NA POÇA NEVE É ÁGUA
AONDE MAIS QUE ELA ESTÁ?
D'AGUÁ NO SAARA?
NÃO TEM ÁGUA
NO OLHO D'ÁGUA
NO BARRO (TEM ÁGUA) AMAZONAS?
COPO D'ÁGUA
NO LAGO (TEM ÁGUA) MUITA ÁGUA
QUEDA D'ÁGUA
NO CRAVO (TEM ÁGUA) NO TIETÊ?
PERA D'ÁGUA
NA ROSA (TEM ÁGUA) SUJARAM A ÁGUA

E NO FEIJÃO (TEM ÁGUA) NO XINGU?


CHOVE, CHUVA
E NO ARROZ (TEM ÁGUA) É PURA A ÁGUA
ÁGUA FURA
E NO PÃO (TEM ÁGUA) NO SERTÃO?
LAVA A MATA
POÇO É ÁGUA
LAVA A RUA
ALEEEH EH EH EH EH AI NA CIDADE?
TÁ NUM PINGO D'ÁGUA
AH AH-AH, AH AH-AH CAIXA D'ÁGUA
E TAMBÉM NA POÇA D'AGUÁ
ÁGUA FRIA?

QUANDO EU ERA PEQUENINHO, BEM ARREPIA


NO BARRO (TEM ÁGUA)
MENOR QUE UM BEBÊ ÁGUA QUENTE?
NO LAGO (TEM ÁGUA)
EU ERA COMO UM PEIXINHO NA QUEIMA A GENTE
BARRIGA DA MAMÃE
ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA, TANTO
QUANDO EU ERA PEQUENINHO, BEM BATE ATÉ QUE FURA
MENOR QUE UM BEBÊ

44  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


Destaque as palavras abaixo e faça o estudo com os estudantes, contando as sílabas (quantas vezes
abriram a boca para falar cada palavras), som do início, do meio e do final de cada palavra. Destaque as
sílabas que desejar estudar de modo mais enfático com a turma.

ÁGUA LAVA MATA LAGO


PEIXINHO COCO NASCENTE COQUEIRO
BEBÊ CAIXA MOLE CIDADE

Após cantarem várias vezes a música, entregue para cada estudante uma cópia da sua letra e peça que
pintem as palavras estudadas, por exemplo: pintem de azul todas as vezes que aparecerem a palavra
água, de amarelo todas as vezes que aparecerem a palavra peixinho. Elejam outras cores para as outras
palavras.

Professor(a), divida a turma em grupo de quatro estudantes e entregue para cada grupo uma cartolina,
lápis de cor, revista, cola e o que mais tiver para que produzam um cartaz sobre o uso consciente da
água. O título deve ficar por conta da criatividade de cada grupo.

Os estudantes deverão escrever frases curtas sobre o uso consciente da água e depois ilustrá-las. Deixe
os estudantes escreverem espontaneamente. Depois faça a apreciação das suas escritas e a devida
mediação pedagógica.

CARTAZ COM AS FRASES E ILUSTRAÇÕES DOS ESTUDANTES

USO CONSCIENTE DA ÁGUA

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   45


1.10. DÉCIMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA – ÁGUA: FONTE DE VIDA – PARTE 3

HABILIDADES RELACIONADAS À BNCC

Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.

Nomear as letras do alfabeto e recitá-las na ordem das letras.

Segmentar oralmente palavras em sílabas.

Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais
e finais.

Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades, jogos de palavras, palavras, expressões,


comparações, relacionando-as com sensações e associações.

Segmentar palavra em sílabas e remover ou substituir sílabas iniciais, mediais ou finais para criar
novas palavras.

Escutar, com atenção, falas de professores e colegas, formulando perguntas pertinentes ao tema
e solicitando esclarecimentos sempre que necessário.

Reconhecer características da conversação espontânea presencial, respeitando os turnos de fala,


selecionando e utilizando, durante a conversação, formas de tratamento adequadas, de acordo
com a situação e a posição do interlocutor.

Professo(a), continuando o estudo sobre o uso consciente da água, inicie a aula em uma roda de
conversa com os estudantes para que cada grupo mostre o seu cartaz, lendo as frases e apresentando
as ilustrações. Conversem sobre a mensagem de cada frase.

Em seguida, colem os cartazes nos murais dos corredores das salas de aula para que todos os estudantes
da escola possam lê-los e aprender sobre o consumo consciente da água também.

Professor(a), no retorno à sala de aula, converse com os estudantes sobre HIGIENE PESSOAL. Falem da
importância da água para a saúde. Pergunte para eles se sabem o que é HIGIENE PESSOAL?

Deixe os estudantes apresentarem as suas impressões sobre o significado da expressão higiene pessoal.
À medida que forem falando escreva-as, de modo resumido, com letra de imprensa maiúscula ou caixa
alta, no quadro. Depois leia o que foi escrito para os estudantes, destacando as palavras que considerar
relevante para o estudo no momento.

Leias as palavras destacadas com os estudantes contanto nos dedos a número de sílabas. Som inicial e
final das sílabas. Destaque algum aspecto no interior das palavras e outros que julgar pertinente.

Na sequência, leia e explique o texto do verbete sobre higiene pessoal para os estudantes.

46  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


VERBETE

Higiene pessoal é o conjunto de cuidados que todos devem ter com o corpo diariamente. Hábitos
simples como tomar banho, lavar as mãos antes de comer, quando chegar da rua e quando usar o
vaso sanitário, escovar os dentes, andar calçado, usar roupas limpas, lavar o rosto ao acordar, cortar
e manter as unhas limpas, pentear os cabelos, estão entre as principais atitudes preventivas para o
bem-estar e manutenção da saúde. A água é fundamental para a realização da higiene pessoal.

Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/dino/ter-uma-higiene-pessoal-correta-faz-diferenca-na-saude-
e-qualidade-de-vida,6cf624499681276cb5ce953755866807gnw1hgaq.html (com adaptações)

Converse com os estudantes sobre os seus hábitos de higiene pessoal. Se tomam banho diariamente,
quantas vezes escovam os dentes por dia, se lavam as mãos ao chegarem em casa, antes das refeições
e após usarem o vaso sanitário, se lavam o rosto ao acordarem, se cortam e mantem as unhas limpas e
outros hábitos. Destaque com eles a importância de manter esses hábitos para terem uma boa saúde.

Em seguida, apresente um cartaz com a letra da música Lavar a mãos, de Arnaldo Antunes. Primeiro
leia o texto para eles, depois leia com eles. Finalmente cante com eles a música. Cantem mais uma vez
marcando o ritmo da música com palmas. Brinquem com a música.

LAVAR AS MÃOS – ARNALDO ANTUNES – CASTELO RÁ-TIM-BUM está disponível em: https://www.
youtube.com/watch?v=LwhW7Uw7Fp8

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   47


LAVAR AS MÃOS
(ARNALDO ANTUNES)

UMA
LAVA OUTRA, LAVA UMA
LAVA OUTRA, LAVA UMA MÃO
LAVA OUTRA MÃO, LAVA UMA MÃO
LAVA OUTRA MÃO
LAVA UMA
DEPOIS DE BRINCAR NO CHÃO DE AREIA A TARDE INTEIRA
ANTES DE COMER, BEBER, LAMBER, PEGAR NA MAMADEIRA
LAVA UMA (MÃO), LAVA OUTRA (MÃO)
LAVA UMA, LAVA OUTRA (MÃO)
LAVA UMA
A DOENÇA VAI EMBORA JUNTO COM A SUJEIRA
VERME, BACTÉRIA, MANDO EMBORA EMBAIXO DA TORNEIRA
ÁGUA UMA, ÁGUA OUTRA
ÁGUA UMA (MÃO), ÁGUA OUTRA
ÁGUA UMA
NA SEGUNDA, TERÇA, QUARTA, QUINTA E SEXTA-FEIRA
NA BEIRA DA PIA, TANQUE, BICA, BACIA, BANHEIRA
LAVA UMA MÃO, MÃO, MÃO, MÃO
ÁGUA UMA MÃO, LAVA OUTRA MÃO
LAVA UMA MÃO
LAVA OUTRA, LAVA UMA

Dê para os estudantes pedaços de cartolina equivalentes a meia folha de papel e peça que escrevam
e ilustrem um pequeno texto sobre hábitos de higiene pessoal. Deixe que escrevam espontaneamente.
Aprecie os textos e faça a devida mediação pedagógica. Esses textos deverão ser expostos no mural
da sala de aula.

TEXTO SOBRE HÁBITOS DE HIGIENE PESSOAL

Na sequência, destaque as palavras e faça o estudo com os estudantes. Contem nos dedos quantas
vezes abriram a boca para falar cada palavra, som do início e do final. Relação desses sons com outras
palavras.

48  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO


LAVA MÃO CHÃO
AREIA TARDE BRINCAR
COMER BEBER LAMBER
PEGAR MAMADEIRA BACTÉRIA
DOENÇA SUJEIRA VERME
TORNEIRA BANHEIRA BICA

A seguir, faça o ditado às avessas. Apresente as seguintes imagens para os estudantes e peça que
escrevam os seus nomes. É importante que deixe os estudantes escreverem espontaneamente. Depois
faça a apreciação das suas escritas e a devida mediação pedagógica.

DITADO ÀS AVESSAS

____________________ _____________________

_____________________ ________________________

A seguir, peça aos estudantes que escrevam frases com as palavras do ditado às avessas. Deixe que
escrevam espontaneamente. Faça a apreciação e as devidas mediações pedagógicas.

1.
2.
3.
4.

PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO   49


REFERÊNCIAS

BANDEIRA, Pedro. Cavalgando o arco-íris. São Paulo, Moderna, 1984.

Brasil. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Ministério da Educação. Disponível em http://
basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 18 jun. 2018.

BELINKY, Tatiana. Diversidade. São Paulo, Quinteto Editorial,1999.

COSTA, Madu. Meninas Negras. Ilustração: FILHO, Rubem. Mazza Edições, Belo Horizonte, 2010.

Diagnóstico na alfabetização para conhecer a nova turma. Disponível em: <https://novaescola.org.br/


conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma>. Acesso em: 2 mai. 2018.

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros Orais e Escritos na Escola. Ed. Mercado de Letras.
Campinas, São Paulo, 2004.

FERNANDES-SOUSA. Maria Alice. Da fala à escrita: os saberes da oralidade e o início de produção da


escrita escolar. Revista Eletrônica Letra Magna. http://www.letramagna.com/falaescrita.pdf

FERREIRO, E.; TEBEROSK. A psicogênese da língua escrita. Tradução de Diana Myriam Lichtenstein et al.
Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

MERLI, Sérgio. O camelo, o burro e a água: uma fábula visual sobre o consumo consciente da água. São
Paulo, Melhoramentos, 2013.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2001.

50  PROGRAMA MAIS ALFABETIZAÇÃO