Você está na página 1de 21

VANGUARDAS

EUROPEIAS

Prof. Ricardo LITERATURA – 3º ANO


PALAVRAS INICIAIS
 Vanguarda: do francês “avant-gard”,
significa “o que marcha para frente”.
 Os vanguardistas acreditavam perceber ou
compreender antes de todos aquilo mais
tarde que será senso comum.
 Vanguardas Europeias: movimentos
artísticos, do início do século XX, que
apresentavam o comum desejo de
renovação e de rompimento com as
estéticas artísticas tradicionais.
VANGUARDAS EUROPEIAS
Expressionismo

Cubismo As vanguardas
Futurismo vão dar origem

Dadaísmo à Arte Moderna.

Surrealismo
-ISMO: sufixo que significa “sistema político”,
“ideologia”, “religião”. Surgiu durante grandes crises
políticas da humanidade.
FUTURISMO (1909)
 Coragem, audácia, e revolta serão elementos essenciais
da nossa poesia.
 Até então, a literatura exaltou uma imobilidade pesarosa,
êxtase e sono. Nós pretendemos exaltar a ação agressiva,
[...] o salto mortal, o soco e tapa. [...]
 Nós glorificaremos a guerra — a única higiene militar,
patriotismo, o gesto destrutivo daqueles que trazem a
liberdade, ideias pelas quais vale a pena morrer [...].
 Nós destruiremos os museus, bibliotecas, academias de
todo tipo, lutaremos contra o moralismo, feminismo, toda
covardice oportunista ou utilitária.
 Não há beleza senão na luta. Nenhum trabalho sem
caráter agressivo pode ser uma obra-prima.
Manifesto Futurista. Paris, 1909. Filippo Tommasio Marinetti.
Poeta italiano criador do Futurismo.
FUTURISMO NO BRASIL –
grande influência nas
produções de artistas
ligados ao movimento
modernista, como Anita
Malfatti e Oswald de
Andrade.

Torso / Ritmo (1915-1916),


Anitta Malfatti
Ideais da literatura futurista
 Uso de onomatopeias;
 Poesias com uso de frases fragmentadas para
passar a ideia de velocidade;
 Emprego de verbos no infinitivo;
 Abolição de adjetivos, advérbios e da
pontuação;
 Utilização do verso livre;
 Tudo deve ser novo e rápido;
 Destruição do eu.
A DONA BRANCA CLARA

Tome-se duas dúzias de beijocas


Acrescente-se uma dose de manteiga do Desejo
Adicione-se três gramas de polvilho do Ciúme
Deite-se quatro colheres de açúcar da Melancolia
Coloque-se dois ovos
Agite-se com o braço da Fatalidade
E dê de duas horas em duas horas marcadas
No relógio de um ponteiro só!
CUBISMO (1908-1910)
 Pintor espanhol Pablo
Picasso;
 Opõem-se à objetividade
e à linearidade da arte.
Procuram decompor os
objetos de tal forma que
o espectador possa
remontá-los.
 Outra técnica
introduzida pelos
cubistas é a colagem.

A mulher chorando (1937), de Pablo Picasso


LA GUERNICA
 Na literatura, os artistas
cubistas não se
preocuparam com a
disposição gráfica do
poema;
 Apresentaram linguagem
humorada, caótica, sem
lógica, com palavras
soltas e dispostas de
forma aleatória;
 Os substantivos são
dispostos de forma
desorganizada; verbos,
adjetivos e a pontuação
são desprezados;
 Tempo presente.
EXPRESSIONISMO
• Edward Munch (Alemanha);
• Arte é expressão dos
sentimentos;
• O artista deforma a realidade;
• Arte se desvincula dos
conceitos de feio e belo e toma
um viés mais crítico (1ª Guerra
Mundial).
• LITERATURA – Linguagem
composta basicamente de
nomes (substantivos e
adjetivos);
• Despreocupação com a
organização do texto, rimas e
estrofes. O grito (1893), de Edward
Munch.
Campo de trigo com corvos (1890), de Vincent Van Gogh.
DADAÍSMO
• Zurique (Suíça, 1916)
• Tristan Tzara, Marcel
Duchamp e André Breton;
• Agressividade;
• Improvisação;
• Desordem;
• Rejeição a qualquer tipo
de racionalização;
• Livre associação de
palavras;
• Invenção de palavras com
base na exploração
apenas de sua sonoridade.
Marcel Duchamp. Coleção particular.
La Gioconda con bigotes Urinol de Porcelana, Marcel
(1919), Marcel Duchamp. Duchamp.
Die Schlacht (A batalha), de Ludwig
Kassak.

Berr... bum, bumbum, bum...


Ssi... Bum, papapa bum, bumm
Zazzau... Dum, bum, bumbumbum
Prä, prä, prä... Ra, hä-hä, aa...
Harol...
“RECEITA" PARA SE FAZER UM POEMA DADAÍSTA,
SEGUNDO TRISTAN TZARA.

1. Peque um jornal.
2. Peque a tesoura.
3. Escolha no jornal um artigo do tamanho que você
deseja dar a seu poema.
4. Recorte o artigo.
5. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que
formam esse artigo e meta-as num saco.
6. Agite suavemente.
7. Tire em seguida cada pedaço um após o outro.
8. Copie conscienciosamente na ordem em que elas são
tiradas do saco.
9. O poema se parecerá com você.
10. Ei-lo, um escrito infinitamente original e de uma
sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do
público.
SURREALISMO
 Combate à razão (irracionalidade);
 O artista põe na tela ou no texto seus desejos
mais profundos sem se importar com a
coerência, o significado, a adequação das
palavras.
 Desilusão causada pelas
atrocidades da 1ª Guerra Mundial;
 Ilogismo;
 Sonho;
 Loucura;
 Humor negro;
 Imagens surpreendentes.
Salvador Dalí
 DADAÍSMO NO BRASIL -
vários escritores foram
influenciados pelas ideias Pré-História
surrealistas, tais como Murilo Mendes
Mário de Andrade,
Mamãe vestida de rendas
Oswald de Andrade e
Murilo Mendes. Tocava piano no caos
Uma noite abriu as asas
 No poema ao lado de Cansada de tanto som,
Murilo Mendes, pode-se Equilibrou-se no azul,
perceber algumas De tonta não mais olhou
características do
Surrealismo, como o Para mim, para ninguém!
ilogismo, o absurdo, as Cai no álbum de retratos.
imagens surpreendentes.
Em síntese...
 Uso de onomatopeias;
 Poesias com uso de frases fragmentadas para passar a
ideia de velocidade;
 Utilização do verso livre;
 Não se preocuparam com a disposição gráfica do poema;
 Apresentaram linguagem humorada, caótica, sem lógica,
com palavras soltas e dispostas de forma aleatória;
 Os substantivos são dispostos de forma desorganizada;
verbos, adjetivos e a pontuação são ignorados;
 Despreocupação com a organização do texto;
 Livre associação de palavras;
 Críticas à 1ª Guerra Mundial e os seus efeitos.

Contribuições das Vanguardas Europeias para a Literatura