Você está na página 1de 11

Muitos já pensaram ou pensam em ser professor, mas esbarram na primeira e

mais importante pergunta: serei (ou seria) um bom professor? Antes de responder tão
facilmente, gostaria de lhe convidar a uma reflexão.

Analise dois dos melhores professores que você teve ao longo da sua vida, sendo
um sobre uma disciplina que você adorava e outro de uma disciplina que você não
gostava tanto assim. Quando conseguir lembrar/identificar esses professores, tente
encontrar respostas para o motivo pelo qual você os considera como melhores
professores. Conseguiu?

Existem qualidades que mesmo sem perceber nos fazem gostar mais de um
professor e consequentemente aprender melhor. Domínio do assunto, maneira como
explica, exemplos bem trabalhados, incentivo aos alunos, entre tantos outros não é
verdade?

Então lhe pergunto: você conhece alguém que já nasceu sabendo tudo isso?
Lógico que não, o que responde nossa pergunta: SIM, é possível ser um ótimo professor
mesmo sem nunca ter ensinado. É claro que cada um tem um tempo, alguns sentirão
mais facilidade, outros não. Mas todos podem aprender e se tornarem excelentes
professores, desde que bem preparados e guiados em seu processo de aprendizagem.

O que realmente deve ficar claro é que quando afirmo que qualquer um pode se
tornar um excelente professor, considero como impreterível, primordial, obrigatório, que o
mesmo domine ao extremo o conteúdo a que se propor ensinar. Ser professor é a arte de
ensinar corretamente ou de forma fácil para que quem ainda não sabe consiga aprender,
entretanto de nada adianta dominar todas as técnicas se não dominar o principal: o
conteúdo a ser ministrado. Nestes casos, não há milagre que dê jeito não é mesmo?

Sim, mas não radicalmente. Se você já é um bom professor, não terá tantas
dificuldades em migrar para o mundo EAD. Se ainda não é, poderá aprender tanto o
presencial quanto o online, que herda muita coisa do presencial naturalmente. A grande
diferença é que você sempre ensinará para “ninguém”. Como assim Adriano?

Quando estamos ministrando um treinamento presencial, temos inúmeras


vantagens, como interação em tempo real com os alunos e expressões faciais. Com o
passar dos anos, a experiência nos ensina a perceber quando não estamos sendo
entendidos pelos alunos, seja pela complexidade do assunto ou por nosso jeito não claro
de explicar.

Esse termômetro é fantástico, pois uma vez atento podemos mudar os exemplos
ou o rumo da aula completamente. Mas e online? Bem, online podemos ter uma ou um
milhão de pessoas, não importa. Será sempre uma lente de uma câmera na nossa frente.
Isso nos faz planejar as aulas em um nível de detalhes maior, uma vez que precisamos
garantir que os diversos níveis de conhecimento que possivelmente estarão assistindo,
aprendam.

É claro que em diversas situações haverá um pré-requisito, onde facilitará a


própria seleção de alunos, mas nem sempre será assim.
Com o tempo e também com o feedback dos alunos, a gente acaba se
acostumando e criando conteúdos (aulas) cada vez mais ricas.

Aqui preciso contar um pouco da minha história. Antes de entrar no mundo EAD
eu tinha um salário razoável. Ganhava cerca de R$ 2.750,00 bruto, o que dava uns R$
2.300 líquido. Para um solteiro nada mal. Quer dizer, nada mal até o dia em que você
decide comprar um carro e uma casa, ainda que o carro seja usado e a casa pequena.
Neste momento você percebe que não ganha muita coisa.

Primeiro pensamento? Ter dois empregos ou um emprego que pague melhor.


Seja qual for a escolha, adeus vida pessoal, esportes, tempo com os amigos, com a
família, etc.

Além disso, no mundo presencial existe algo que chamo de “loop do inferno”. Me
perdoe a expressão, mas foi assim que consegui resumir a vida de um professor
presencial, ou seja, minha vida durante longos 11 anos (tempo em que passei apenas no
presencial). Para que você entenda, veja como era minha vida dos 19 aos 22 anos.

Nesta época web design era minha paixão, mas não era professor de web design,
pois a vaga já estava ocupada na empresa em que trabalhava. Tornei-me então, por 3
anos seguidos, professor de manutenção de computadores. Trabalhava 9 horas por dia,
sendo 3 turmas (8 às 11, 14 às 17 e 19 às 22). As três turmas sempre começavam iguais.
E o loop do inferno começava junto com elas. O que eu ensinava pela manhã também
ensinava a tarde e também à noite. E assim o loop se repetia durante 30 dias, quando
novas turmas começavam e lá estava eu novamente.

Depois de um tempo tudo vira meio mecânico, além de perder o ânimo você entra
no automático. Até as brincadeiras e piadas em sala de aula são as mesmas, pode
imaginar?

Esse é o que eu chamo de loop do inferno, você não tem mais desafios,
simplesmente vira refém disso. Repete sempre os mesmos conteúdos, ganha a mesma
quantia, gasta com as obrigações de sempre, e volta para o início pra fazer tudo
novamente (loop).

Quando comecei a migrar para o mundo EAD enxerguei uma oportunidade


diferente e hoje com mais de 70 cursos criados, posso lhe contar algumas coisas que vão
lhe convencer, ou no mínimo lhe deixar tentado a experimentar o mundo EAD.

Primeiro: você simplesmente não precisará repetir conteúdo (Ufaaaaaa). Cada


novo curso é um novo projeto, ainda que seja uma atualização será algo novo. Aquele
marasmo de falar a mesma coisa sempre simplesmente não existe.

Segundo: o mesmo curso será vendido por meses ou anos. Tenho cursos
gravados há uns quatro anos e ainda ganho dinheiro com eles. Consegue imaginar isso?
Trabalhar uma única vez e ganhar por muito tempo?

Terceiro: o mesmo curso pode ser vendido em dezenas de sites, potencializando


ainda mais as vendas. Hoje ganho muito mais do que imaginava ganhar como professor.
Além disso, é super fácil fazer parcerias hoje em dia.

Quarto: não há limitações regionais. Vejo muitos professores que dominam


conteúdos onde a procura maior é em outros estados, isto definitivamente não é um
problema, uma vez que não existem barreiras. Tenho alunos hoje em mais de 20 estados
brasileiros e cerca de 15 países, mas continuo morando onde sempre morei e ainda
continuo achando isto incrível, mesmo já estando acostumado.

Então lhe pergunto: consegue entender por que vale a pena migrar para EAD?
Mas antes que você pense: vou procurar vaga em alguma escola EAD, ouça meu
conselho: NÃO FAÇA ISSO. É possível (e fácil pra falar a verdade) montar seu próprio
site e ganhar 10x mais sendo dono do seu próprio portal.
Bem, em algum momento uma notícia ruim precisaria aparecer não é verdade?
Infelizmente custa caro sim, eu mesmo precisei fazer um empréstimo e vender algumas
coisas pra conseguir comprar um headset de 35 reais =D. Rsrsrsrs, falando sério esse foi
o meu investimento inicial, incríveis 35 reais para comprar este headset aqui:

Este era o microfone que eu utilizava nas minhas gravações. Naturalmente eu já


tinha um computador, mas se você não o tem (o que é bem difícil hoje em dia) ainda sim
o investimento é bem pequeno.

Hoje tenho uma estrutura melhor, tenho um estúdio próprio, um iMac, duas
câmeras profissionais e quatro microfones profissionais, onde só um deles custou R$
3.000,00. Mas cresci aos poucos, não precisei fazer empréstimos, lotar meu cartão de
crédito ou me desfazer de nada, segui uma das minhas frases preferidas: lute com as
armas que você tem. E acredite, é possível começar com um headset de 35 reais.

Aos poucos e com o retorno merecido, você poderá investir em equipamentos


melhores, uma filmadora, um estúdio, uma edição mais profissional, mas tudo isso pode
ser aos poucos e já com os resultados dos primeiros passos.

Como hoje já estou mais experiente, usamos na empresa diversos processos de


gravação e vários softwares para edição. Usamos ao todo 4 softwares, uma apenas para
editar o áudio, outro para vinhetas, outro para filmagens e um para gerar arquivos
pequenos, afinal estamos falando do mundo web e vídeo pesado exige uma conexão
rápida.

Mas nem se preocupe com tantos softwares, você precisa apenas de um:
Camtasia Studio. Com ele você pode gravar o áudio e a tela do seu computador, editar e
exportar os vídeos, deixando-os prontos para serem publicados em um site/ambiente
EAD.

A minha dica para você que está começando é evitar muitas edições, pois toma
muito seu tempo e sei que você vai manter seu emprego até o projeto EAD dar certo. Eu
fiz isso, muitos fazem e muitos irão fazer. Tente planejar suas gravações para que já
fiquem perfeitas, onde seu trabalho será apenas o de exportar os vídeos e publicar no
site. Se ficar preso às edições, poderá demorar muito para lançar cursos e para ter
retorno, o que nem sempre é interessante.
Já foi, mas hoje é extremamente simples. Primeiro que há diversos serviços de
portal EAD gratuitos onde você cria uma conta e em segundos, repito, segundos já tem
um portal EAD profissional com todos os recursos mais avançados do mercado.

Segundo que aceitar pagamentos online é tão fácil quanto. Débito automático,
cartões de crédito e boleto, todos em um só pacote. Há diversos serviços, como
PagSeguro, PayPal, Moip, entre outros.

Eu diria que seu trabalho maior será mesmo o de divulgar e atrair clientes, o que
além de não ser tão fácil exige um trabalho constante. Porém o processo de vender,
construir um site não é coisa de outro mundo.
A conclusão é tão simples quanto óbvia: invista no mercado EAD e saia do loop
do inferno. Uma coisa é certa, poucas instituições possuem planos de carreira sérios, o
que certamente fará você continuar trabalhando por anos a fio com um ajuste salarial
aqui, outro ali. Não espere anos e anos para chegar à conclusão que deveria ter tentado
antes.

Ah Adriano, já existem muitos professores fazendo isso. Ora, que bom. Sinal que
funciona não é mesmo? O que posso lhe garantir é que não faltam alunos. Além disso,
poucos negócios possuem risco zero hoje no mercado atual, mas este é sem dúvida um
deles. Você não precisa largar seu emprego para começar um site de cursos na Internet,
você pode fazer isso agora e continuar com seu emprego.

Quando eu comecei a gravar cursos eu ainda era professor do SENAC durante 8


horas diárias. Fui gravando em casa aos poucos até publicar meu primeiro curso em um
portal já existente. Sequer me dei ao trabalho de criar meu próprio site, hoje tenho
empresa, parceiros, diversos professores, etc.

Desejo todo sucesso do mundo pra você, espero que este e-book tenha feito a
diferença e esclarecido os pontos que faltavam para você começar a mudar sua realidade
e entrar no mercado EAD.

Um grande abraço, Adriano Gianini.