Você está na página 1de 8

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

Poder Judiciário - Justiça do Trabalho

O documento a seguir foi juntado ao autos do processo de número 1002067-36.2017.5.02.0068


em 26/10/2017 17:25:03 e assinado por:
- PAULO MERHEJE TREVISAN

Consulte este documento em:


https://pje.trtsp.jus.br/primeirograu/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam
usando o código: 17102616521921200000086382973

17102616521921200000086382973
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE UMA DAS VARAS VARA DO
TRABALHO DE SÃO PAULO – TRT 2º REGIÃO

Processo n.
Consignação de Pagamento

TUF EXPRESS SERVIÇOS INTELIGENTES LTDA EPP, pessoa


jurídica de direito privado, devidamente inscrita no CNPJ sob o nº
13.392.275/0001-60, como sede a Rua Dom Joaquim de Melo, 109 – FUNDOS,
Parque da Mooca, São Paulo - SP, 03122-050, por seu bastante procurador
abaixo-assinado (procuração em anexo), endereço eletrônico
trevisan@trevisanadvogados.adv.br, vem, respeitosamente à presença de
Vossa Excelência, com fundamento nos artigos 319 e seguintes e 539 e
seguintes do Novo Código de Processo Civil, aplicável ao processo trabalhista
por força do artigo 769 da CLT, propor a presente

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO


de verbas rescisórias

em face dos seguintes herdeiros presuntivos do SR. CLAYTON DO


NASCIMENTO GOMES:

1.PAULO FELIX SILVA GOMES, portador da cédula de identidade nº


16951980-SP e inscrito no CPF/MF 06098102864, residente e domiciliado a rua
Gabioneta, nº 223, Jardim Alto da Boa Vista, Mauá/SP, CEP 09390-777, pai do
SR. CLAYTON DO NASCIMENTO GOMES (v. doc. 01);
2.ELISABETE VALDEVINO DO NASCIMENTO, cédula de identidade e CPF
desconhecidos, residente e domiciliado a rua Gabioneta, nº 223, Jardim Alto da
Boa Vista, Mauá/SP, CEP 09390-777 mãe do SR. CLAYTON DO NASCIMENTO
GOMES (v. doc. 01);

3.PATRÍCIA, nome completo, cédula de identidade e CPF desconhecidos,


residente e domiciliada na Rua Magda Cardoso, nº 126, Alto da Boa Vista,
Mauá/SP, CEP 09390-797, que se apresentou à Autora como sendo esposa do
do SR. CLAYTON DO NASCIMENTO GOMES (v. doc. 01);

, pelos motivos de fato e razões de direito abaixo articuladas:

I – DA COMPETÊNCIA TERRITORIAL

Inicialmente esclarece a Consignante que o ex-funcionário


Clayton do Nascimento Gomes foi contratado na comarca de São Paulo,
laborando na sede da empresa na Rua Dom Joaquim de Melo, 109 – FUNDOS,
Parque da Mooca, São Paulo - SP, 03122-050., motivo pelo qual o presente
juízo é competente para apreciar a presente demanda, conforme determina o
art. 651, da CLT:

“Art. 651-A competência das Varas do Trabalho é


determinada pela localidade onde o empregado, reclamante
ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que
tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro”.

Portanto, a presente comarca é competente para dirimir a


reclamatória trabalhista.

II - DA CONSIGNAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS:

2
O Sr. Clayton do Nascimento Gomes era empregado da
Consignante desde 01 de dezembro de 2014, na função de motofretista,
recebendo como último salário o valor de R$ 1.262,18 (hum mil e duzentos e
sessenta e dois e dezoito centavos). (v. doc. 02 e 03).

Aos dias 05 de setembro de 2017 o Sr. Clayton do


Nascimento Gomes veio a falecer, conforme comprova-se pela certidão de
óbito e boletim de ocorrência em anexo (doc. 01; 04 e 05), tendo o
encerramento do contrato de trabalho que possuía com a Consignante.

No dia 12 de setembro de 2017 a Consignante foi contatada


pela Senhora Patrícia que se apresentou como esposa informando que vivia
em união estável com o de cujus e nesta condição pleiteou que a Consignante
lhe pagasse as verbas rescisórias e entregasse a guia de liberação do FGTS,
tendo deixado endereço para contato para entrega das guias assim que
prontas.
Aos dias 13 de setembro de 2017 a Consignante enviou um
telegrama a Sra. Patricia solicitando que lhe fosse apresentado a Certidão de
dependentes e herdeiros do de cujus para o pagamento regular das verbas
rescisórias a quem de direito (v. doc. 06), ocorre, que até a presente data a Sra.
Patricia não apresentou as informações solicitadas e não mais atendeu ao
telefonema da Consignante.

Ocorre que a Consignante tem o conhecimento de que o de


cujus tinha quatro filhos menores de genitoras diferentes, e que atual esposa
está à espera de um quinto filho do de cujus. (vide. Doc.04).

Assim, diante das informações da existência de outros


dependentes econômicos/herdeiros do de cujus e em vista da dificuldade que
vem tendo para obter os dados e informações necessárias para o correto e
regular pagamento das verbas rescisórias, vem, a Consignante propor a
3
presente AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO, nos termos da legislação vigente,
requerendo a consignação do Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho e
consignação do pagamento das verbas rescisórias do cujus, protestando desde
já pelo prazo de cinco dias para a juntada da guia e do comprovante de
depósito judicial.

A consignante também junta apólice de seguro de vida que a


Consignante fornecia ao de cujus para que seja fornecido e liberado para os
herdeiros/dependentes econômicos para levantar o que for de direito.

Em vista da prova de que o pagamento das rescisórias não


terem sido efetivadas até a presente data não decorreu de fato imputável a
Consignante requer desde já seja afastada aplicação da multa do §8º, do
Artigo 477 da CLT.
Por último, em vista da Consignante não ter conhecimento
de quem são os menores e os guardiões legais destes menores requer desde
já que os Consignados já qualificados na presente ação indiquem o regular
paradeiro dos menores e quem são os guardiões para que então sejam
regularmente incluídos na presente ação e com isto citados para responder e
receber sua cota parte.

III. DO VALOR DAS VERBAS RESCISÓRIAS

O de cujus prestou serviços como motofretista para a


Consignante pelo período de 01/12/2014 a 05/09/2017 recebendo como
último salário o valor de R$ 1.262,18 (um mil duzentos e sessenta e dois reais e
dezoito centavos) acrescidos do adicional de periculosidade de 30%, conforme
comprova-se pelo documento anexo.

Recebia além do salário o valor referente a reposição do


custo pelo uso da motocicleta no importe de R$ 586,84 (quinhentos e oitenta
e seis e oitenta e quatro centavos), valor este indenizatório, tudo conforme
regulado pela clausula 16 ª da CCT SINDIMOTO SEDERPS, em anexo.
4
Com o término do contrato de trabalho ocorrido aos dias
05/09/2017, pelo falecimento, faz jus ao recebimento do salário do mês de
agosto/2017, reposição do custo da motocicleta, cesta básica, pagamento das
seguintes verbas rescisórias, da seguinte forma e valores:

a) Salário mês de agosto acrescido do adicional de periculosidade de 30%


no valor total de R$$ 1.780,00/
b) saldo de salário de cinco dias no valor de R$ 210,36;
c) 8/12 de 13º salário proporcional no valor de R$ 841,45;
d) 12/12 de férias referente ao período aquisitivo de 2015/2016, acrescido
do terço constitucional no valor de R$ 1.935,34;
e) 07/12 de férias proporcionais acrescidas do terço constitucional no valor
de R$ 757,31;
f) Periculosidade sobre 13º salário no valor de R$ 252,43;
g) Periculosidade sobre as férias no valor de R$ 807,79;
h) Reposição do custo pelo uso da motocicleta, nos termos da clausula 16ª
da CCT SINDIMOTO/SEDERSP, no valor de R$ 586,84;
i) Cesta básica
j) Recebimento da entrega de apólice de seguro de vida/
k) Desconto do INSS no valor de R$ 109,64;
l) Levantamento do FGTS recolhido por toda a vigência do contrato de
trabalho, no valor de R$ 4.113,83 + 40% da multa do FGTS.

Assim, vem, a Consignante requer o pagamento em


consignação do salário de agosto/2017, do valor de reposição do custo da
motocicleta, cesta básica e das referidas verbas rescisórias no valor líquido
total de R$ 7.189,79 (sete mil, cento e oitenta e nove reais e setenta e nove
centavos), protestando desde já pelo prazo de cinco dias para a juntada da
guia e do comprovante de depósito judicial.

Em vista da prova de que o pagamento das rescisórias não


terem sido efetivadas até a presente data não decorreu de fato imputável a
Consignante requer desde já seja afastada aplicação da multa do §8º, do
Artigo 477 da CLT.
5
IV. DOS PEDIDOS

Por todo o exposto, vem, a Consignante propor a presente


AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO DE VERBAS RESCISÓRIAS, nos termos da legislação
vigente, requerendo a consignação do Termo de Rescisão do Contrato de
Trabalho e consignação do pagamento do salário de agosto/2017, reposição
do custo da motocicleta, cesta básica e das referidas verbas rescisórias do
cujus, no valor total de R$ 7.189,79 (sete mil, cento e oitenta e nove reais e
setenta e nove centavos), protestando desde já pelo prazo de cinco dias para a
juntada da guia e do comprovante de depósito judicial.

Requer também a consignação da apólice de seguro de vida


que a Consignante fornecia ao de cujus para que seja fornecido e liberado para
os herdeiros/dependentes econômicos para levantar o que for de direito.

Em vista da prova de que o pagamento das rescisórias não


terem sido efetivadas até a presente data não decorreu de fato imputável a
Consignante requer desde já seja afastada aplicação da multa do §8º, do
Artigo 477 da CLT.

Requer a citação das pessoas indicadas na parte contrária da


presente ação realizem o levantamento dos valores consignados na forma e
proporção a ser determinada por este D. Juízo e/ou apresente resposta à
presente, nos termos do artigo 542, II, do NCPC;

Em vista da Consignante não ter conhecimento de quem são


os menores e os guardiões legais destes menores requer desde já que os
Consignados já qualificados na presente ação indiquem o regular paradeiro
dos menores e quem são os guardiões para que então sejam regularmente
incluídos na presente ação e com isto citados para responder a presente ação
ou/e receber sua cota parte, ou, que determine a expedição de oficio ao INSS -
6
Instituto Nacional do Seguro Social, para fins de informar se há dependentes
vinculados ao empregado falecido (CLAYTON DO NASCIMENTO GOMES),
para vir a compor a presente ação.

Ao final, julgado procedente o pedido consignatório requer


seja declarada extinta a obrigação advinda do término da relação empregatícia
havida entre as partes, com a entrega das guias para saque do FGTS e os
documentos para recebimento do seguro acidente, requerendo desde já sejam
os integrantes do polo passivo desta demanda condenados as custas
processuais e honorários advocatícios que possa vir advir desta demanda, uma
vez que foram os causadores da apresentação da presente medida processual.

Protesta provar o alegado por todos os meios de prova


admitidos em direito e cabíveis à espécie, em especial pelos documentos
juntados.

Por fim, requer que todas as intimações e publicações dos


atos processuais sejam encaminhadas para Dr. Paulo Merheje Trevisan, inscrito
na OAB/SP sob n. º 170.382, com escritório nesta Capital na Praça Doutor João
Mendes, nº 52, 3º andar, conjunto 302 – Centro – CEP 01.501-000, e endereço
eletrônico trevisan@trevisanadvogados.adv.br.

Dá-se o valor à causa de R$ 11.302,62 (onze mil, trezentos e


dois reais e sessenta e dois centavos).

Termos em que,
Pede deferimento.

São Paulo, 13 de outubro de 2017.

PAULO MERHEJE TREVISAN


OAB| SP 170.382

Você também pode gostar