Você está na página 1de 3

Curso de Odontologia

Aluno: Breno Luis Santos da Silva


Matricula: 0563256
Caso Clínico I – Primeiro caso para compor a Atividade Parcial
Disciplina: Clinica Integrada de Adulto II
Professores: Marina Rosa, Celso Onety e Juliana Sá

CASO CLÍNICO I

Paciente MRV, 34 anos, hipertensa, procurou a clínica de urgência do curso de


Odontologia queixando-se de dor durante a ingestão de alimentos doces e
bebidas geladas, a cerca de 13 dias, nas coroas de todos os dentes
anteriores, em sua região vestibular. Durante a anamnese,a paciente informou
que faz uso de Lozartana, 1 comprimido ao dia pela manhã, relatando ingerir
refrigerante diet 3 a 4 vezes ao dia em média, além de alto consumo de sucos
de melancia e laranja. Ao exame clínico encontramos a seguinte condição
bucal: Presença de 70% de placa bacteriana (IP) e 25% dos sítios com
sangramento a sondagem (ISS); presença de bolsa periodontal entre 5 a 6 mm
na região de molares e pré-molares superiores; Cárie profunda nos dentes 37,
44 e 45; Fratura classe IV no dente 12; Presença de fratura sub gengival no
dente 25 com invasão do espaço biológico; Raiz residual dos dentes 17 e 27.
Após testes clínicos de sensibilidade, constatou-se teste de vitalidade positivo
no 37 e negativo no 46. Ao exame radiográfico observou-se imagem
radiolúcida sugestiva de lesão periapical difusa neste último elemento dentário.
Com base no quadro acima, elabore um plano de tratamento seguindo modelo
prévio encaminhado pela disciplina, desde sua fase inicial até a fase
manutenção.
RESOLUÇÃO:

Fase 1 - Tratamento de Urgência:


Remoção da Placa Bacteriana – Profilaxia prévia;
Dente 12 - Fratura Classe IV: Restauração permanente com resina composta;
Dente anteriores superiores e inferiores: Aplicação tópica de flúor (ATF) por 01
minuto.
Orientação de Higiene bucal e Controle da dieta:
A importância do controle do paciente com relação à sua dieta e aos seus
hábitos de escovação é fundamental. A orientação é diminuir a quantidade de
açúcar diário ingerido, prevenindo a cárie e sua recidiva, bem como a
quantidade de líquidos ácidos, que removem a “smear-layer” gerando
sensibilidade e erosão. Optar por escovas de cerdas macias e escovação
suave.

Fase 2: Preparo de Boca – Adequação de meio bucal:

Tratamento periodontal:
Pré-molares e Molares superiores; raspagem e alisamento supragengival e
raspagem subgengival;
Terapêutica medicamentosa:
Bochechos com Clorexidina a 0,12% - 10ml por 01 minuto, 2x ao dia
após( manhã e noite) após a higiene oral (escovação + fio dental) por 15 dias.
OBSERVAÇÃO: Não enxaguar a cavidade bucal e ingerir alimentos e líquidos
por 30 minutos.

Tratamento Endodôntico:
Dente 46 - Periodontite Apical Crônica,: Penetração desinfetante + MIC
hipoclorito + restauração temporária.

Exodontia:
Dentes 17 e 27 Raízes residuais:
Anestesia: Lidocaína 2% com epinefrina 1:100.000, não ultrapassando o limite
máximo de 2 tubetes anestésicos.
Terapêutica medicamentosa: Pode-se realizar técnicas não farmacológicas
de controle do medo e ansiedade e evitar medicamentos contendo ácido
acetilsalicílico e anti-inflamatórios não esteroides (AINEs);
Analgésicos: Dipirona sódica 500mg de 4 em 4 h por 24h, ou, Paracetamol
750mg de 6 em 6 horas durante 24 horas em caso de dor.

Tratamento Restaurador:
Dentes 37,44 e 45, escariação, cap. Pulpar indireto com hidróxido P.A e pasta
pasta, e restauração temporária.

Tratamento Restaurador:
Dente 25 –aumento de coroa clínica para restabelecimento do espaço biológico
e restauração provisória transcirúrgica.
Fase 3: REABILITAÇÃO
Dentes 37, 44, 45 e 46: Restauração permanente com Resina composta ou
Amalgama.
Dente 25: Prótese fixa - núcleo metálico fundido + coroa metalocerâmica.
Dentes 17, 27: Implante Dentário.

Fase 4: Manutenção:
Reavaliar o paciente periodicamente, para verificar se houve paralisação da
atividade cariogênica, controle do biofilme e sucesso da terapia pulpar,
reaplicação de medidas preventivas, reavaliação dos procedimentos
reabilitadores etc. sua fase inicial até a fase manutenção.

Você também pode gostar