Você está na página 1de 7

ÁREA DE CONHECIMENTO

( X ) Português Instrumental
( ) Matemática Geral
( ) Estatística
( ) Física Geral
( ) Biologia Geral
( ) Química Geral.

CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO

Propomos um projeto de Monitoria Digital em Língua Portuguesa Instrumental


visando aprimorar as competência leitora e escritora dos discentes de quaisquer cursos que
sintam a necessidade do desenvolvimento nesse quesito para seu acompanhamento de seu
curso de origem e para sua prática social em geral

INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA

Segundo o Programa de Desenvolvimento Institucional/PDI da Universidade Federal do


Tocantins é imprescindível articular a relação entre teoria e prática, sobretudo no tocante aos cursos
de Licenciatura, os quais tem como lócus as unidades escolares para a realização do estágio curricular
obrigatório. Neste momento de suspensão do calendário acadêmico em que tanto os licenciandos
estão distantes da possibilidade de atuação no ambiente escolar e os acadêmicos de outros cursos
estão afastados das produções acadêmicas, pretendemos inserir os alunos mestres, aqui
preferencialmente dos cursos de Língua Portuguesa, o quanto antes no contexto da prática docente,
antecipando e indo além do estágio obrigatório das licenciaturas. O ser e fazer docente já se tornam
questões vivenciadas, ainda que, neste momento, no contexto digital, algo que há de tornar-se
corriqueiro na vida dos docentes nas próximas décadas. Isso não quer dizer o fim da docência
presencial, mas possibilidades de extensão de sala de aula para além dos rígidos e-mails. É nesse
âmbito que atuará também o projeto em questão auxiliando a desenvolver as capacidades leitora,
escritora e de análise linguística e interpretativa dos acadêmicos da UFT.
Utilizaremos informações e experiências inter e transdisciplinares, bem como enfoque na
interpretação e produção dos gêneros discursivos e nos recursos tecnológicos, cada vez meios de
empoderamento e produção de saberes. Espera-se também o desenvolvimento de ações que
expandam nossos olhares em termos de ensino, pesquisa e extensão, ampliando e dinamizando a
compreensão sobre o trabalho na educação básica numa perspectiva que inclua todos os sujeitos que
fazem parte da nossa sociedade, sobretudo no nosso Estado, conforme previsto no projeto
institucional.
A UFT tem como meta ser reconhecida nacionalmente até 2022, pela excelência no ensino,
pesquisa e extensão prevendo a promoção dos seguintes valores:
 Respeito à vida e à diversidade;
 Transparência
 Comprometimento com a qualidade
 Criatividade e inovação
 Responsabilidade social
 Equidade
Diante desses valores, articularemos via trabalho com linguagens diversas, e em conjunto com todos
os envolvidos, ações que os priorizem e os tornem elementos que contribuam para a formação de
seres humanos mais sensíveis, críticos e agentes de transformação através de sua relação com a
Língua Portuguesa como instrumento.

OBJETIVO GERAL

 Atuar no fortalecimento da formação instrumental em Língua Portuguesa dos


graduandos na universidade proporcionando maior domínio da leitura, escrita e análise
linguística de diversos gêneros discursivos;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Articular teorias da área de linguagens com a prática pedagógica no sentido de
fortalecer a formação inicial docente de Língua Portuguesa;
 Permitir que os monitores atuem como agentes de multiletramentos (ROJO, 2012;
COPE; KALANTZIS, 2012) com a comunidade acadêmica, atuando, tanto na
multiplicidade cultural promovendo discussão reflexiva a partir das posições étnico-
culturais e socioeconômicas dos destes, quanto na multimodalidade textual cada vez
mais desenvolvida com as tecnologias digitais, desenvolvendo, desse modo, as suas
competências e habilidades discursivas, como também no que se refere a tornarem-se
professores-educadores.
 Estimular a produção de gêneros discursivos diversos pelos acadêmicos da UFT a
partir de sequências didáticas (DOLZ; SCHENWLY, NOVERRAZ, 2004) realizadas
a partir de encontros semanais.
 Promover experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes inovadoras e
interdisciplinares articulando o letramento crítico em Língua Portuguesa, caso
possível, com as áreas de origem dos acadêmicos atendidos pelos monitores outros
cursos da UFT.
 Desenvolver habilidades de letramento digital dos monitores e dos acadêmicos, como
também as competências de leitura e escrita dos gêneros discursivos da esfera digital;
 Propiciar aos acadêmicos dos diversos cursos a leitura e a escrita de gêneros
discursivos de circulação social, desenvolvendo suas competências, bem como
articulando o processo de ensino-aprendizagem com a realidade sociocultural na
universidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 Estratégias de reconhecimento de diversos gêneros discursivos;


 Estratégias de leitura e análise linguística dos gêneros trabalhados (um a cada duas
semanas);
 Estratégias de produção textual dos diversos gêneros com escrita, análise e reescrita;
METODOLOGIA DE ENSINO

Toda a ação desenvolvida pelos monitores do curso de Letras será pautada no tripé
ação-reflexão-ação (FREIRE, 1987; SCHON, 2013) buscando transformar a docência em
práxis educativa, a qual consiste em intervir e modificar a realidade, além de contribuir para
o perfil de formação inicial de um docente reflexivo motivador da autonomia de seus
estudantes.
O projeto atuará como centro de articulação de competências previstas na BNCC par
a a prática dos licenciandos ao promover estudos das diferentes formas linguísticas, bem
como suas relações com aspectos culturais, históricos e sociais, dialogando com o ensino e
a sociedade nas novas mídias digitais. Realizará também o desenvolvimento, testagem,
execução e avaliação de estratégias didático-pedagógicas voltadas ao estudo e produção de
diferentes gêneros discursivos, incluindo o uso de tecnologias educacionais na leitura e
produção textual em meios digitais.
Partimos da perspectiva de Bakhtin (2010) que considera os gêneros do discurso
como tipos relativamente estáveis de enunciados, compostos por conteúdo
temático, estilo verbal e construção composicional. Isso significa que não há modelo fixo
de texto de estrutura predeterminada, mas que os gêneros discursivos se transformam
constantemente para atender às necessidades nas situações comunicativas. Partindo desses
conceitos, os professores de línguas devem trabalhar com os mais variados gêneros
discursivos em sala de aula para que seus alunos conheçam diversos desses gêneros,
suas condições de produção e seus suportes de circulação na sociedade.
Sendo assim, a formação docente, no decorrer deste projeto se dá no sentido de
promover as competências em Língua Portuguesa em um exercício de parceria de
aprendizagem colaborativa, mediante o desenvolvimento de atividades interdisciplinares
que destaquem a diversidade sociocultural e linguística tratando os diversos gêneros textuais
como local de negociação de sentidos. Desse modo, visamos fortalecer a prática docente
efetiva, relacionando a ação com a teoria (linguística, literária e pedagógica) como base.
As atividades previstas com os acadêmicos são intervenções em aprendizagens
sistemáticas com reuniões e estudos online, preparação de atividades em sequências
didáticas e trabalho com os acadêmicos em sistema colaborativo em que um dará suporte
ao outro a fim de desenvolver diversas competências de leitura e escrita formal e de mundo.
Todas as atividades serão conduzidas com o devido acompanhamento de orientação da
professora coordenadora ancorando os aportes teóricos da BNCC, o PPC do curso de Letras
– Língua Portuguesa/CPN e o plano de desenvolvimento institucional da universidade

RECURSOS DIDÁTICOS

Lançaremos mão de vários aportes tecnológicos a fim de familiarizar os acadêmicos


com ambientes digitais em uso acadêmico, bem como com a leitura e escrita digital, online
ou offline, ou ainda em aplicativos como editores de texto, leitores e editores de pdf,
produção de slides e planilhas etc.
Serão organizadas reuniões semanais via Hangouts Meet no Google Suite da UFT
com os monitores a fim de realizarmos discussão de leituras, como também aprendizagem
da organização de atividades com os acadêmicos. Utilizaremos para comunicação rápida o
aplicativo Whatsapp ou Messenger. Montaremos uma turma na plataforma gratuita Edmodo
(edmodo.com), na qual incluiremos material em pastas, faremos postagens (texto, vídeos,
imagens etc.) enquetes, aplicaremos vários tipos de atividades e realizaremos comentários.
Serão divididos dois grupos dentro da turma: dois grupos: um com coordenadora e monitores
e outro também com os acadêmicos atendidos.
Todo o material a ser utilizado para o trabalho com monitores e acadêmicos seja
disponibilizado online na Plataforma Edmodo e, ocasionalmente através do email
institucional e/ou via aplicativo mensageiro (Whatsapp ou Messenger). Todo o
treinamento para utilização dos recursos será disponibilizado através de tutoriais em vídeo
e/ou fotos.

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES

Os discentes serão acompanhados em encontros pedagógicos semanais via Hangouts


Meet com a coordenadora, a fim de realizarmos estudos teóricos, avaliarmos,
colaborativamente as aprendizagens obtidas, o replanejamento e o delineamento das ações
previstas.
Discentes realizarão relatório teórico-prático mensalmente de leituras e atividades,
como também postagens no Edmodo. A coordenadora avaliará o planejamento das SDs e de
cada módulo antes de sua execução.

CRONOGRAMA

Data
ETAPA (duas atividades discentes ATIVIDADES*
semanais. Datas a estabelecer)
Ambientação no uso dos recursos
tecnológicos e pedagógicos:
1. Formação da Equipe e Organização da sala no Edmodo,
08/06/2020
Planejamento divisão de atribuições, leituras e
da elaboração de sequência
didática
Desenvolvimento de Atividades
2. Planejamento das ações a
15, 22, 29 de junho/2020 Formativas e Didático-
serem desenvolvidas com os
06, 13, 20 e 27 de julho/2020 Pedagógicas e reflexão do
monitores
andamento.
3. Atendimento aos
acadêmicos inscritos via 10, 17, 24 junho/2020 Desenvolvimento de Atividades
plataforma Edmodo e/ou 01, 08, 15, 22 e 29/ julho/2020 pedagógicas com os acadêmicos
Hangouts Meet/Whatsapp
4. Acompanhamento do
Projeto. Reflexão sobre Avaliação coletiva sobre o
29/06 e 27/07
atividades e elaboração de andamento das ações do projeto
novas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC/SEF, 2018.
Disponível em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.p
df. (em PDF) Disponível para navegação em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/ Acesso em 12/02/2020.

DOLZ, J.; SCHENEUWLY, B.; NOVERRAZ, M. Sequências didáticas para o oral e a


escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e
colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras. p. 95-
128. 2004

ROJO, R. H. R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagem na


escola. In: ROJO, R. H. R.; MOURA, E. (Org.). Multiletramentos na escola. São Paulo:
Parábola Editorial, 2012b.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. Tradução de Paulo Bezerra. São


Paulo: Martins Fontes, 2010.

COPE, B. KALANTZIS, M. Literacies. New York: Cambridge, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JAPIASSU, H. O sonho transdisciplinar e as razões da filosofia. Rio de janeiro:


Imago, 2006.

MORIN, E. Introdução ao Pensamento Complexo. Porto Alegre: Sulina, 2015

SCHON, D. A. The reflective practioner: how professionals think in action. England: Ashgate,
2013.

Você também pode gostar