Você está na página 1de 4

Orientações sobre a preparação das papinhas

 Primeiro lave bem as mãos e os alimentos. Deixe os alimentos em água com


hipoclorito de sódio (água sanitária) por 15 minutos e depois esfregue os
alimentos sob água corrente, podendo ser utilizada uma escova própria;

 Use água filtrada no preparo;

 Dê preferência a alimentos frescos;

 A consistência para introduzir a papinha deve ser pastosa;

 As carnes devem ser frescas e com pouca gordura, pode iniciar com o caldo da
carne, depois introduzir a carne liquidificada e depois pedaços bem pequenos;

 Ofereça os alimentos separados para que o bebê sinta a variedade dos sabores;

 Os alimentos são separados em 3 grupos: energéticos (como tubérculos e


arroz), reguladores (verduras e legumes) e protéicos (carnes, ovos e
leguminosas, como o feijão). O ideal é montar a papinha com 1 alimentos de
cada um dos 3 grupos;

 A comida deve ser servida morna, testando a temperatura no dorso da mão.


Cuidado ao esquentar no microondas, pois pode ter partes mais quentes e
outras mais frias;

 Tudo o que entrar em contato com a saliva do bebê e sobrar não pode ser
guardado;

 A papinha salgada é mais difícil para ser aceita, portanto insista e não troque
pela papinha doce. Também é importante não dar logo em seguida da papinha
salgada uma doce, para não incentivar o bebê a só se sentir satisfeito depois da
ingestão de doce;

 Não use açúcar, o açúcar das frutas já é o suficiente;


 Coloque os temperos de maneira moderada e o uso do sal não deve ser usado
na primeira fase e na segunda fase deve ser usado pouco;

 Preste atenção em possíveis alergias alimentares, dê poucos alimentos novos a


cada dia;

 Distanciar as mamadas das refeições;

 Caso houver sobras da preparação, geralmente na geladeira dura de 1 a 2 dias


e no congelador (coloque uma etiqueta com o dia da preparação) dura até 1
mês;

 Disponha de potinhos adequados para o congelamento, como os de plástico


livres de bisfenol, inox, vidro ou silicone.

Idade Quantidade por dia Quantidade por dia


6 meses 1 papinha salgada 1 papinha doce
7 meses 2 papinhas salgadas 1 papinha doce
8 meses Passar lentamente para a alimentação da família
12 meses Comida da família

O que é introdução alimentar?

A introdução alimentar é o processo pelo qual o bebê passa a se alimentar de


alimentos variados e não somente do leite materno. A alimentação complementar
deve ocorrer somente a partir do quarto mês em alguns casos, mas é indicada após o
sexto mês de vida do bebê e seu início não deve interromper o aleitamento materno,
que é indicado que permaneça até os dois anos de idade. É um momento muito
importante para a criança e para a família e deve ocorrer de forma tranquila.
Quando iniciar a alimentação complementar?

A introdução alimentar deve começar, preferencialmente, a partir do sexto mês de


vida do bebê mantendo-se o aleitamento materno. O ideal é iniciar oferecendo uma
fruta amassada no lanche da manhã e nenhum tipo de fruta é contraindicado, o mais
importante é variar para que a criança tenha contato com diversos sabores.

Após algumas semanas de início da fruta, deve-se incluir uma segunda fruta no
intervalo das mamadas, à tarde. Após esse período, além de frutas, deve–se
acrescentar à rotina de alimentação da criança uma papa “salgada” em uma das
refeições principais (almoço ou jantar). Somente a partir do sétimo mês é indicado
acrescentar uma segunda papa salgada ao longo do dia.

Bebê: quais são os alimentos permitidos?

Não há qualquer problema em oferecer alimentos diferentes na mesma refeição,


desde que contenham pelo menos um ingrediente de cada grupo abaixo e que a
quantidade esteja de acordo com o perfil de cada criança:

Cereais e tubérculos: arroz, batata, mandioca, batata-doce, inhame, cará,


mandioquinha

Leguminosas: feijão, lentilha, soja, ervilha, grão-de-bico

Proteínas animais: carne bovina, suína, aves. Peixe e ovos são indicados apenas após
um ano de vida ou conforme recomendação do pediatra ou nutricionista.

Vegetais: verduras e legumes variados.

Apesar de ser comumente chamada de papa salgada, a refeição principal do bebê não
deve levar sal ou qualquer outro tempero industrializado, como caldos e tabletes.
Recomenda-se nesses casos o uso de temperos naturais, como ervas e especiarias,
sempre com moderação para que os alimentos não fiquem muito condimentados, já
que dessa forma o bebê poderá desenvolver seu paladar e com o tempo identificar
suas preferências alimentares.
É fundamental que durante a introdução alimentar os pais estejam cientes de que a
criança pode não aceitar os alimentos ao primeiro contato. Por esse motivo qualquer
tipo de alimento recusado deve voltar a ser oferecido outras vezes e em novas formas
de preparação, assim é possível descobrir se o bebê realmente não gosta daquele
alimento. Vale ressaltar que tudo é muito novo para a criança e que seu paladar ainda
está em fase de desenvolvimento.

Por volta de nove meses idade o bebê pode começar a se alimentar com a mesma
refeição da família. É indicado começar com porções pequenas e ir aumentando o
volume conforme a aceitação. Nessa fase é fundamental que as refeições continuem
balanceadas a fim de garantir a oferta de nutrientes ideal para a criança e colaborar
para que seus hábitos alimentares continuem saudáveis.

Dicas para introdução alimentar:

Se possível, prefira alimentos orgânicos, que são cultivados sem o uso de agrotóxicos e
fertilizantes. Caso não seja possível oferecer alimentação orgânica, prefira frutas e verduras de
época.

Sempre ofereça alimentos frescos e naturais, evite papinhas ou outros produtos


industrializados.

Ofereça os alimentos separados para que o bebê possa identificar os diversos sabores.

Não bata as papinhas no liquidificador ou mixer. Elas devem ser amassadas com um garfo até
que se obtenha a consistência desejada.

Não ofereça guloseimas, como doces, sucos artificiais e refrigerantes para as crianças.

Ao iniciar a introdução alimentar, aumente a oferta de água para o bebê.