Você está na página 1de 3

Brincando e aprendendo

Aprender brincando é sempre melhor, porque assim o que se estuda torna se significativo para a
criança.

O Ditado Estourado é uma maneira diferente de se trabalhar o tradicional ditado; um criativo e


estimulante jeito de atingir os objetivos dessa estratégia: reforçar aquilo que já foi ensinado ou
um diagnóstico para descobrir o que os pequenos sabem, através da brincadeira!

Essa atividade pode ajudar no desenvolvimento e estimular várias habilidades como a


concentração, escrita e leitura de palavras e números, cálculo e agilidade mental, verificar o
vocabulário e ortografia tanto em português como em outras línguas e ainda pode servir de
ferramenta para a construção de textos.

O importante é que ele  seja relacionado a algum tema que esteja sendo estudado pela criança. 😉

Como brincar de Ditado Estourado

Há várias maneiras de organizar essa atividade. Para conseguir desvendar esse desafio, é
necessário que seja o balão estourado e é aí que começa a diversão!

O Ditado Estourado pode ser organizado de várias maneiras: chamando uma criança por vez, em
duplas ou até em pequenos grupos que serão desafiados a ler/resolver desafios ou perguntas que
estarão dentro do balão.

 Uma criança estoura um balão, lê e/ou dita a letra/sílaba/palavra/conteúdo estudado para as


outras
 Uma criança estoura um balão, e desafia um colega para ler o que tem no papel
 Ao estourar o balão, a criança precisa soletrar as letrinhas dos nomes dos amigos

Há uma infinidade de alternativas para fazer essa atividade. Para treinar tabuada, por exemplo,
podemos colocar uma conta ali e elas dão a resposta… ou o contrário.

Solte sua criatividade e boa diversão e aprendizagem!


O que colocar nos balões

As possibilidades são infinitas para fazer o Ditado Estourado. Pode ser usado para
trabalhar conteúdos escolares e até como dinâmicas de integração. Veja algumas sugestões:

 Letras, sílaba, palavra ou frase, tanto em português, como em inglês, espanhol… (leitura e
escrita)
 Letras do alfabeto ou palavra que inicie com determinada letra (reconhecimento de letras)
 Perguntas e respostas de um texto trabalhado (fixação de conteúdos fundamentais)
 Formas geométricas coloridas para dizer sua cor forma em português, inglês… (leitura e
escrita matemática)
 Palavra para formar uma frase, tanto em português, como em inglês, espanhol… (produção
de texto)
 Fatos da tabuada: dar a conta 6×7 por exemplo para responder ao estourar (Matemática)
 Contas de adição, subtração, multiplicação e divisão para responder ao estourar (cálculo
mental)
 Cartões com cores, animais… (leitura e escrita)
 Trabalho com grupos de palavras: nomes de brinquedos, de animais ou outros
(classificação)
 Palavras que rimam com as que estão no balão (produção de texto poético)
 Classificar palavras: nomes próprios ou comum, substantivo, adjetivo… (gramática)
 Uso da acentuação em palavras ou pontuação em frases (gramática)
 Palavras relacionadas à ortografia com NH ou LH, SS, RR, M/N… (ortografia)
 Passagens de um texto bíblico (fixação de conteúdos)

Quem pode brincar

O Ditado Estourado não tem uma idade específica para ser usado, porém, algumas crianças ou até
adultos tem receio de estourar balões.

Nesse caso é recomendado que se explique como vai acontecer a atividade e se verificar se tem
alguém que não goste do barulho ou de estourar balões. Isso pode acontecer e geralmente quando
se entende a brincadeira acabam perdendo o medo e brincando junto. O sucesso da atividade
depende de como a organizamos!

Avaliando a atividade

Avaliar essa atividade é uma maneira de detectar as facilidades e as dificuldades de aprendizagem


da criança.

É interessante que após o Ditado Estourado, as crianças façam a reescrita das palavras, frases ou
cálculos que tiveram dificuldades. Para isso, podemos usar a correção coletiva ou escrever na
folha da própria criança para ela observar e reescrever a palavra ou frase da forma convencional. É
importante que ela tenha o modelo correto, estando presente no momento da correção.

A proposta foi elaborar uma lista de palavras a partir da observação de uma imagem, trabalhando
a letra inicial, final, quantidade de letras, sílabas e a consciência fonológica a partir da
lista. Depois de fazerem a observação da imagem e nomearem as figuras que estavam vendo, cada
criança escolhia um balão da sua cor preferida, estourava e pegava sua palavrinha, tentando
reconhecer a palavra a partir da letra, sílaba e fonema inicial.
Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

 Identificar e nomear as partes do corpo humano;


 Trabalhar o tema por meio de música, dança e expressão corporal;
 Desenvolver a linguagem oral e escrita;
 Formular hipóteses sobre o tema da aula;
 Desenvolver a leitura e a escrita por meio de atividades sobre o corpo humano;
 Desenvolver habilidades relativas à fala por meio de interação e de sua participação nas diversas
atividades propostas;
 Desenvolver atitudes de interação, colaboração e troca de experiências em grupo.

Duraçã o das atividades


Aproximadamente 240 minutos – 4 atividades de 60 minutos cada uma.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Para que esta aula seja realizada é necessário que já tenham sido trabalhadas com o aluno,
atividades que envolvam o diálogo e a troca de ideias e que ele seja capaz de expor oralmente o
que pensa. Além disso, é preciso que o aluno tenha habilidades de leitura e de escrita e
conhecimento básico das partes do corpo.

Estratégias e recursos da aula

INFORMAÇÕES AO PROFESSOR

As primeiras manifestações de escrita de uma criança quase sempre estão ligadas à escrita de seu
próprio nome. As crianças que se encontram em fase de alfabetização aprendem muitas coisas a
partir do trabalho com seus nomes e dos nomes dos colegas de turma. Esses tipos de atividades
geralmente promovem a socialização das crianças e são bem interessantes para os professores,
pois oportunizam detectar o conhecimento prévio de seus alunos. A partir da escrita dos nomes
dos colegas, o aluno pode demonstrar suas hipóteses de escrita e com isso o professor tem acesso a
um importante instrumento de avaliação diagnóstica. Com base na escrita de seu nome a criança
pensa na escrita de outras palavras. Na fase inicial da alfabetização (fase pré-silábica) é comum as
crianças usarem apenas as letras do seu nome para escrever outras palavras. Essa aula é destinada
para crianças maiores que não se encontram mais nessa fase de iniciação da escrita, mas carrega
consigo essa experiência.