Você está na página 1de 98

O

Oclusão em
I
Implantodontia
Implantodontia

O
Oclusão em I
conceito

“Oclusão: é a relação dos dentes


maxilares e mandibulares quando

Implantodontia
Oclusão em I

em contato funcional durante a


atividade da mandíbula.”

Elio Mezzomo
O
Implantodontia

O
Oclusão em I
conceito

existe oclusão ideal?

Implantodontia
Oclusão em I
O
Implantodontia

O
Oclusão em I
Classificação de Angle

Implantodontia
Oclusão em I

muita atenção centrada


no primeiro molar.
O
Classificação de Angle
Classe I: padrão de normalidade.

- a cúspide mesiovestibular do primeiro molar


inferior oclui na área da ameia entre o segundo
pré e o primeiro molar superiores.

Classe I
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe I: padrão de normalidade.

- a cúspide mesiovestibular do primeiro molar


superior é alinhada sobre o sulco vestibular do
primeiro molar inferior.

Classe I
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe I: padrão de normalidade.

- cúspide mesiolingual do primeiro molar superior


é situada na área da fossa central do primeiro
molar inferior.

Classe I
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe II:

- cúspide mesiovestibular do primeiro molar


inferior oclui na área da fossa central do primeiro
molar superior.

Classe II
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe II:

- cúspide mesiovestibular do primeiro molar


inferior está alinhada com o sulco vestibular do
primeiro molar superior.

Classe II
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe II:

- cúspide distolingual do primeiro molar superior


oclui na área da fossa central do primeiro molar
inferior.

Classe II
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe III:

- cúspide distovestibular do primeiro molar inferior


está situada na ameia entre o segundo pré e o
primeiro molar superiores.

Classe III
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe III:

- cúspide mesiovestibular do primeiro molar superior


está situada sobre a ameia entre os primeiro e
segundo molares inferiores.

Classe III
O
Oclusão em I
Implantodontia
Classificação de Angle
Classe III:

- cuspide mesiolingual do primeiro molar superior


está situada na fossa mesial do segundo molar
inferior.

Classe III
O
Oclusão em I
Implantodontia
O
Oclusão em I
Implantodontia
Guia Anterior
Implantodontia
Oclusão em I
O
Guia Anterior

A finalidade dos elementos


anteriores na oclusão é
guiar a mandíbula através
dos vários movimentos
excursivos. E os contatos
destes, quando fornecem
guia para a mandíbula, são
chamados de guia anterior.

O
Oclusão em I
Implantodontia
Guia Anterior

sobreposição horizontal / overjet:


distância horizontal pela qual os
ântero-superiores sobrepõem os
ântero-inferiores.

sobreposição vertical / overbite:


distância vertical entre as bordas
incisais dos dentes anteriores
antagônicos.

O
Oclusão em I
Implantodontia
Guia Anterior

O
Oclusão em I
Implantodontia
Guia Anterior
guia anterior na classificação de Angle

a classe II de Angle se divide em 1 e 2.


O
Oclusão em I
Implantodontia
Guia Anterior
guia anterior na classificação de Angle

O
Oclusão em I
Implantodontia
Implantodontia

O
Oclusão em I
Guia Canina
e

Implantodontia
Oclusão em I

Função em Grupo
O
Guia Canina e Função em Grupo

Lado de Trabalho: é aquele para o qual a


mandíbula está se movimentando.

Lado de Balanceio: é o lado oposto àquele ao qual


a mandíbula se deslocou.

Guia Canina: os caninos promovem o contato no


lado de trabalho.

Função em Grupo: caninos, pré-molares, e cúspide


mésio vestibular do primeiro molar superior
promovem o contato no trabalho.
O
Oclusão em I
Implantodontia
O
Oclusão em I
Implantodontia
Dimensão Vertical (DV)
Implantodontia
Oclusão em I
O
DV

Quando uma pessoa se encontra ereta, em estado


de relaxamento, a mandíbula assume uma posição de
descanso postural.

Nesta situação a distância entre o nasium e o


gnatium determina a dimensão vertical de repouso
(DVR).

O
Oclusão em I
Implantodontia
DV
nasium
e
gnatium

Dimensão Vertical de Repouso:


DVR

EFL (3 mm)
espaço funcional livre

Dimensão Vertical de Oclusão:


DVO = DVR - EFL

O
Oclusão em I
Implantodontia
Implantodontia

O
Oclusão em I
Relação Cêntrica
X
Máxima

Implantodontia
Oclusão em I

Intercuspidação
Habitual
O
RC x MIH
Relação Cêntrica é a posição mandibular onde os
côndilos assumem a posição mais superior na
cavidade glenóide.

Máxima Intercuspidação Habitual é uma posição de


“acomodamento” mandibular onde ocorre o maior
número de contatos dentários.

RC MIH MIH
O
Oclusão em I
Implantodontia
O
Oclusão em I
Implantodontia
Plano Oclusal
Implantodontia
Oclusão em I
O
RC x MIH

Plano?

A maior parte dos movimentos mandibulares é


determinada pelas ATMs, as quais raramente
funcionam com movimentos simultâneos.
Assim sendo os planos oclusais são curvados
para permitir a uilização máxima dos contatos
dentários durante a função.

curva de Spee / curva de Wilson

O
Oclusão em I
Implantodontia
RC x MIH

curva de Wilson curva de Spee

O
Oclusão em I
Implantodontia
O
Oclusão em I
Implantodontia
Oclusão Ideal
Conceito de
Implantodontia
Oclusão em I
O
conceito de oclusão ideal

1. Transmissão da resultante de forças oclusais


para o longo eixo dos posteriores:

- manutenção da homeostasia das estruturas


periodontais/peri-implantares, mantendo-se a
relação entre dente/implante com o osso em
equilíbrio.

O
Oclusão em I
Implantodontia
conceito de oclusão ideal

2. Contatos posteriores bilaterais e simultâneos:

- na posição final do fechamento mandibular,


devem haver contatos simultâneos em todos os
elementos posteriores.

O
Oclusão em I
Implantodontia
conceito de oclusão ideal

3. Dimensão vertical de oclusão adequada:

- permite uma aparência estética satisfatória e,


principalmente, provê equilíbrio muscular durante
a mastigação, a deglutição e a fala.

O
Oclusão em I
Implantodontia
conceito de oclusão ideal

4. Guias laterais e anterior:

- durante as excursões mandibulares


os elementos posteriores não devem
participar da oclusão, função exercida
pelos anteriores.

O
Oclusão em I
Implantodontia
conceito de oclusão ideal

5. RC coincidente com MIH:

- conceito muito discutido na literatura nos


últimos trinta anos, porém essa condição se faz
necessária nos casos onde não existe estabilidade
ou referência oclusal.

O
Oclusão em I
Implantodontia
conceito de oclusão ideal

Conclui-se que um dos objetivos


mais importantes ao buscar uma
oclusão satisfatória é a oclusão
mutuamente protegida, ou seja,
o s elem ento s p o ste r io re s
protegem os anteriores de
qualquer contato na posição
estática da mandíbula e vice-
versa durante os movimentos
excursivos.

O
Oclusão em I
Implantodontia
Implantodontia

O
Oclusão em I
conceito

existe oclusão ideal?

Implantodontia
Oclusão em I
O
Implantodontia

O
Oclusão em I
conceito

“As condições clínicas de cada paciente


são individuais e portanto, mais
importante que estabelecer padrões

Implantodontia
rígidos de conduta coletiva, é perceber
Oclusão em I

o que cada indivíduo faz com sua


dentição e, através do discernimento
científico, diferenciar o que representa
saúde e o que representa doença”.

Elio Mezzomo
O
Implantodontia

O
Oclusão em I
Oclusão
Protetora do

Implantodontia
Oclusão em I

Implante
O
oclusão protetora do implante

“Após o sucesso da osseointegração, o estresse


mecânico além dos limites físicos do tecido duro tem
sido apontado como a causa principal da perda óssea
em curto e em longo prazo”.

Carl E. Misch

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

Carl E. Misch - Requisitos para OPI


- ausência de contatos prematuros;
- momento de contato oclusal;
- influência da área de contato (mesa oclusal);
- oclusão mutuamente protegida;
- angulação do implante;
- cantilever em psi;
- altura da coroa (proporção coroa-implante);
- contorno da coroa;
- componente e parafuso;
- materiais oclusais adequados.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

Carl E. Misch - Requisitos para OPI


- ausência de contatos prematuros;
- momento de contato oclusal;
- influência da área de contato (mesa oclusal);
- oclusão mutuamente protegida;
- angulação do implante;
- cantilever em psi;
- altura da coroa (proporção coroa-implante);
- contorno da coroa;
- componente e parafuso;
- materiais oclusais adequados.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

Os movimentos mandibulares de pacientes dentados


e pacientes reabilitados com implantes se mostraram
similares.

Gartner et al. JPD - 84:185-193 2000

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

Mobilidade:
Implante x Dente

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

A presença do ligamento periodontal reduz o


estresse transmitido ao osso, principalmente à
crista.

A interface osso-implante não é tão resiliente,


portanto as forças são transmitidas ao osso com
mais intensidade.

Um dente sob pequeno trauma oclusal aumenta


sua mobilidade. Com a remoção do problema o
dente volta a sua condição de saúde. Isso não
ocorre com implantes.
O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

Normalmente a largura do implante é menor em


relação ao dente substituído, o que aumenta o
estresse ósseo.

O desenho das raízes dentárias é biomecanicamente


otimizado para resistir às força laterais.
O módulo de elasticidade da raiz dentária é
próximo ao do osso.

O implante promove bem menos propriocepção.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

propriocepção - percepção de interferência oclusal


Jacobs and Steenberghe - 91 e 93

Dente - Dente: 20 μm
Dente - Implante: 48 μm
Imp - Imp: 64 μm
Dente - Over: 108 μm

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

momento de contato oclusal

movimento vertical
PPF pode?

depende:
osso, prótese
e antagônico.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

momento de contato oclusal

Dente:
Implante:
movimento
movimento
primário e
secundário
secundário

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

angulação do implante

O movimento dentário
apical é mínimo quando
comparado ao movimento
lateral.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

angulação do implante

O estresse é concentrado
principalmente na região de
crista, quando submetido à
forças perpendiculares.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

angulação do implante

Elevando-se a angulação do implante, aumenta-se o


estresse concentrado na crista óssea, componente
protético e parafuso.
O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

angulação de cúspide

A inclinação de cúspide pode modificar a


direção de força no corpo do implante durante
a mastigação e parafunção.
O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

cantilever em PSI

Visando reduzir a força


prejudicial em implantes
restaurados com psi em
cantilever, deve-se levar
em conta o antagônico,
deve-se evitar forças
late ra i s, e d i m i n u i r
gradualmente o contato
oclusal distalmente.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética:

- é a primeira escolha do paciente: porcelana e


resina.
- levar em consideração que algumas regiões da
boca não aparecem no sorriso nem na gargalhada.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- transmição de forças:

- A dureza do material escolhido está diretamente


relacionado com a absorção de impacto.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- transmição de forças:

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- eficiência mastigatória:

- Shultz AW - JPD 65:38-48, 1951 comparou


resina, ouro e porcelana.
resina 30% menos eficiente que porcelana ou metal.
nenhuma diferença entre ouro e porcelana.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- parafunção:

- se não controlado com placa miorelaxante ou


outro método, deve-se optar por materiais “macios”.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- desgaste:
- ocorre acentuadamente devido à parafunção.
- o acrílico desgasta de 7 a 30 vezes mais rápido
que metais, porcelana ou o esmalte.
- quanto mais áspera a porcelana, maior o desgaste.
- quando um dente sofre desgaste, este erupciona,
o implante não.
- metal contra qualquer outro material oclusal tem
o menor índice de desgaste.
O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
- transmição de forças;
- eficiência mastigatória;
- parafunção;
- desgaste;
- possibilidade de fratura.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- possibilidade de fratura:

- é a causa mais comum de repetição de trabalho


protético.
- porcelana contra porcelana tem alto índice de
fratura, principalmente em psi.
- a espessura mínima de porcelana é de 2 mm.
- na resina: maior volume, mais resistência.

O
Oclusão em I
Implantodontia
oclusão protetora do implante

materiais oclusais

Critérios para seleção do material oclusal:

- estética;
-Otransmição
metal na de face
forças;oclusal é o material
-mais seguro
eficiência em regiões não elásticas
mastigatória;
- parafunção;
ou na
- desgaste; presença de parafunção.
- possibilidade de fratura.
Carl E. Misch

O
Oclusão em I
Implantodontia
Orall-rio
implantes-orais

Programação Científica
Cirurgia Virtual: Realidade Clínica? Lúcio Macedo de Menezes
Viabilizando Reabilitações Complexas Miguel Carvalho/Miguel Neto
All on Four: Aspectos Cirúrgico - Protéticos David Harari
Planejamento Reverso em Implantodontia Luiz Dantas
Reabilitações Complexas em Maxila Atrófica Frederico Marinho

8:30 - 17:00

inscrições: Nobel Biocare - 0800 16 99 97


Sra. Marieta

10 de novembro de 2007
M
Montagem em
AArticulador
introdução

é um instrumento que permite a reprodução dos movimentos


bordejantes da mandíbula em laboratório.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

não ajustável

única posição
reproduzível com
precisão é uma
específica posição de
contato oclusal.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

não ajustável
Vantagens: custo e tempo
de montagem.

Desvantagens: restaurações
deficientes (em movimentos
excêntricos), o que aumenta
tempo clínico e diminui
qualidade do trabalho.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

semi ajustável
permite uma maior
disponibilidade de
movimentos na
reprodução dos
movimentos
mandibulares, de
acordo com 3 ajustes.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

semi ajustável Vantagens: restaurações


melhor adaptadas às condições
oclusais, menor tempo clínico e
melhor qualidade do trabalho
final.

Desvantagens: tempo de
montagem e custo.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

totalmente ajustável
reproduz todos os movimentos mandibulares
com precisão.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

totalmente ajustável
reproduz todos os movimentos mandibulares
com precisão.

M ontagem em A
Articulador
introdução
tipos de articulador

totalmente ajustável

Vantagens: restaurações com o mínimo de


ajuste.

Desvantagens: custo e grande tempo gasto


para transferência de dados do paciente para
articulador.

M ontagem em A
Articulador
Semi Ajustável - ASA

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Ramo Superior:
distância inter-condilar;
ângulo de Bennet;
ângulo de eminência.

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Ramo Inferior:
distância inter-condilar;
mesa incisal.

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Nasal

Arco Facial Garfo


M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Pino
Incisal
M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

permite uma maior


disponibilidade de
movimentos na
reprodução dos
movimentos
mandibulares, de
acordo com 3 ajustes.

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável
Distância Inter-Condilar

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável
Distância Inter-Condilar

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável
Inclinação da Guia Condilar

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Ângulo de Bennet

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

Ângulo de Bennet

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável
Padronização

ângulo de Bennet = 15˚

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável
Padronização

ângulo da eminência = 30˚

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

montagem - dentado

Montagem do Modelo Inferior:

RC ou MIH?

manipulação bi manual de Dawson


tiras de Long
jig de Lucia

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

montagem - dentado
manipulação bi manual de Dawson

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

montagem - dentado
tiras de Long

M ontagem em A
Articulador
semi ajustável

montagem - dentado
jig de Lúcia

M ontagem em A
Articulador
“Um articulador semi-ajustável nas mãos de
um clínico capacitado, pode ser de maior
valor do que um totalmente ajustável nas
mãos de um profissional inexperiente.”

Okeson, 1992

M ontagem em A
Articulador
Muito Obrigado!

Você também pode gostar