Você está na página 1de 3

FILOSOFIA 85

John Locke Jeremy Bentham John Stuart Mill

Wikipédia. Domínio Público Wikipédia. Domínio Público Wikipédia. Domínio Público

Erica Frau/Canva
• Segundo os utilitaristas, para que as ações servem?
• O que é felicidade para Stuart Mill?
• Qual é a concepção de indivíduo que pode ser identificada, a partir das considerações de
John Locke?
• O utilitarismo, pensado no século XIX, ainda é válido nos dias atuais? Explique.
• O networking pode ser considerado uma forma de utilitarismo? Justifique a sua resposta,
utilizando como referência um dos filósofos pesquisados.

A partir das aulas e das leituras realizadas,


elabore um episódio autobiográfico basea-
do em fatos reais ou ficcional, em que even-
tos relacionados ao utilitarismo são narra-
dos. Neste episódio autobiográfico, você
deve indicar um personagem (aluno, profes-
sor, vizinho, tia, entre outros) que seja capaz
de “encarnar” uma tese utilitarista (Benthan
ou Stuart Mill).
Geralt /Pixabay
86 CADERNO DO ALUNO

TEMA: TORNAR-SE INDIVÍDUO – PAUL RICOEUR E


MICHEL FOUCAULT

Ninocare/Pixabay

Para ampliar o entendimento acerca da teoria do indivíduo, é importante reconhecer que


cada indivíduo é único, uma vez que apresenta singularidades e particularidades incomunicáveis
e intransferíveis. Entretanto, nos entendemos únicos na medida em que nos relacionamos e in-
teragimos socialmente. Neste sentido, percebemos a nossa unidade na diversidade. É nas rela-
ções sociais que nos identificamos ou nos distanciamos de pessoas e comportamentos e nos
apropriamos de saberes e conhecimentos produzidos historicamente pela humanidade, de for-
ma única. Ou seja, o desenvolvimento da subjetividade ocorre pelo intercâmbio contínuo entre
o eu e os outros. A partir deste entendimento, podemos considerar que a nossa singularidade
decorre também da história, das condições sociais e materiais de cada um e a forma como nos
relacionamos com a natureza e com outros. A forma como percebemos e representamos a rea-
lidade e damos sentidos a ela, manifesta a nossa singularidade.
Erica Frau/Canva
FILOSOFIA 87

A partir do resultado da pesquisa sobre o significado de subjetividade, responda às se-


guintes questões:
• Quais elementos da minha singularidade trazem marcas da experiência histórica e co-
letiva da qual eu participo?
• Considerando a força das influências externas no meu desenvolvimento, ainda assim,
sou capaz de discordar e fazer as minhas escolhas, mesmo que estas não sejam aquelas
preferidas pela minha família e meus amigos?

Pesquise sobre os filósofos abaixo:

Erica Frau/Canva Erica Frau/Canva

Em uma folha à parte responda:


• O que é hermenêutica e genealogia no contexto filosófico?
• Quais são os principais temas abordados por Paul Ricoeur e Michel Foucault em suas
reflexões? Cite dois exemplos de obras que abordam os temas indicados.
Erica Frau/Canva

Para responder a esta indagação é possível trazer uma série de considerações e hipóteses
sobre este processo. É importante perceber que se pode dizer e descrever o mesmo ponto de
vista de formas diferentes, ou mesmo ter diferentes opiniões sobre o mesmo fato, porque nos
individualizamos. Contudo, sempre há exposição do que pensamos e sentimos por meio da lin-
guagem. É ela que nos une e ao mesmo tempo, nos singulariza, ou seja, exibimos a nossa singu-
laridade por meio da linguagem. Segundo Paul Ricoeur, a linguagem é fundamental para a ex-
pressão da nossa individualidade. Uma vez que é pela linguagem que dizemos sobre o mundo,