Você está na página 1de 3

DOSSIÊ DO PROFESSOR PALAVRAS 12

FICHA DE GRAMÁTICA

FICHA DE GRAMÁTICA 4

Uma pessoalíssima arte do conto


O conto vem de tempos imemoriais e, como toda a ficção, obedece a um simples caderno de
encargos: ser interessante – disse – o Henry James e, antes e depois dele, disseram-no ou
pensaram-no muitos outros. Desde Decameron até Hemingway e Carver, os formatos adotados pelo
5 congeminador de ficções curtas têm sido os mais variados. Todos válidos, nenhum se impondo
como o único aceitável. Maugham, grande contista inglês, não se importou nada, no século XX, de
seguir, quase à letra o guião de Maupassant, do século XIX. Saroyan, desbocado americano de
origem arménia, varia de formato como quem muda de camisa e cultiva, desde fábulas singelas ao
gosto da velha pátria, até conversas escabrosas e desarrumadas sobre coisas e em termos que
10 nada devem aos protocolos mais normais da narrativa.
Neste seu belo livro – Prantos, amores e outros desvarios –, Teolinda Gersão, que tem já, no seu
ativo, quatro livros de contos, dá-nos um exemplo pessoalíssimo da arte da short story: histórias,
quase sempre, de pequeníssima dimensão, estas, caracterizam-se, entre outras, por duas
15 vantagens: uma finíssima e maliciosa ironia e uma pessoalíssima liberdade de execução e de
formatos e protocolos, exibindo também uma enorme variedade de registos e de vozes narrativas.
Tudo alimentado por uma prodigiosa imaginação fabricadora.
Tirando a última história – “Alice in Thunderland”, extraordinária tour de force – todas as outras,
20
embora muito pessoalmente concebidas e executadas, correspondem perfeitamente ao acervo de
exigências proposto por Edgar Poe, para o que deve ser uma boa short story: ser uma ficção que dê
conta de um único incidente, material ou espiritual, que possa ser lida de uma assentada, que seja
original, que cintile, excite ou impressione e que deva ter uma unidade de efeito ou de impressão. A
todas estas exigências respondem, de modo exemplar, estes “prantos, amores e outros desvarios”
que, em boa hora, Teolinda Gersão resolveu servir-nos.

Eugénio Lisboa, Jornal de Letras, Artes e Ideias, 23 de novembro a 6 de dezembro de 2016, p. 13.

Gramática
1. As expressões sublinhadas “antes e depois dele, disseram-no ou pensaram-no muitos outros” (ll. 2-3) desempenham
na frase funções sintáticas, respetivamente, de
A. sujeito e complemento direto.
B. complemento direto e sujeito.
C. complemento direto e complemento indireto.
D. complemento indireto e complemento oblíquo.

2. Na frase “Desde Decameron até Hemingway e Carver, os formatos adotados pelo congeminador de ficções curtas têm
sido os mais variados” (ll. 3-4), o complexo verbal apresenta um valor aspetual
A. perfetivo.
B. imperfetivo.
C. genérico.
D. iterativo.

3. O vocábulo sublinhado na expressão “estas, caracterizam-se, entre outras” (l. 12) assegura a coesão
A. lexical.
B. gramatical interfrásica.
C. gramatical frásica.
D. gramatical referencial.

© Areal Editores 1
DOSSIÊ DO PROFESSOR PALAVRAS 12
FICHA DE GRAMÁTICA

4. A expressão “grande contista inglês” (l. 5) desempenha, na frase, função sintática de


A. sujeito.
B. modificador do nome apositivo.
C. complemento do nome.
D. modificador.

5. O segundo parágrafo do texto apresenta uma sequência textual


A. argumentativa.
B. dialogal.
C. descritiva.
D. narrativa.

6. Na expressão “dá-nos um exemplo pessoalíssimo da arte da short story” (l. 11), o pronome pessoal desempenha, na
frase, a função sintática de
A. sujeito.
B. complemento direto.
C. complemento indireto.
D. complemento oblíquo.

7. Os dois pontos, no último parágrafo,


A. anunciam uma enumeração.
B. introduzem uma explicação.
C. precedem uma citação.
D. antecedem discurso direto.

8. Classifica sintaticamente as expressões sublinhadas “O conto vem de tempos imemoriais e, como toda a ficção,
obedece a um simples caderno de encargos” (ll. 1-2).

9. Seleciona, no primeiro período do segundo parágrafo, um deítico temporal.

10. Indica a função sintática do pronome relativo na oração: “que dê conta de um único incidente” (l. 19).

© Areal Editores 2
DOSSIÊ DO PROFESSOR PALAVRAS 12
FICHA DE GRAMÁTICA

PROPOSTAS DE RESOLUÇÃO

FICHA DE GRAMÁTICA 4

Gramática
1. (B)
2. (D)
3. (D)
4. (B)
5. (A)
6. (C)
7. (B)
8. Complemento oblíquo e modificador do nome restritivo.
9. “já”.
10. Sujeito.

© Areal Editores 3