Você está na página 1de 9

0

Lucrécio Longa Raul

Sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva

(Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos)

Universidade Licungo

Beira

2020
1

Lucrécio Longa Raul

Sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva

Trabalho de carácter avaliativo, pertencente a cadeira


de Direito Administrativo 1, Curso de Licenciatura em
Gestão de Recursos Humanos, 2o ano, regime laboral,
leccionado pelo docente: Santos Domingos Janota

Universidade Licungo

Beira

2020
2

Índice
CAPITULO I: INTRODUÇÃO.......................................................................................................3
1.1. Objectivos................................................................................................................................. 3
1.1.1. Geral:......................................................................................................................................3
1.1.2. Específicos:............................................................................................................................ 3
1.2. Metodologia.............................................................................................................................. 3
CAPÍTULO II: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA......................................................................... 4
2.1. Sistema Administrativo.............................................................................................................4
2.2. Sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva....................................4
2.3. As características iniciais do sistema administrativo Francês são as seguintes:.......................4
2.4. Traços essências do direito romano-germanico em geral......................................................... 6
CAPÍTULO III: CONCLUSÃO...................................................................................................... 7
3.1. BIBLIOGRAFIA...................................................................................................................... 8
3

CAPITULO I: INTRODUÇÃO
O presente trabalho é referente à cadeira de Direito Administrativo-I, que irei abordar
relativamente à Sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva, onde
direi à sua origem e mencionarei as características desse tipo de sistema de administração.

O trabalho está estruturado em três capítulos, onde no primeiro capítulo encontramos elementos
pré-textuais, o segundo capítulo encontramos à fundamentação teórica e por último que será o
terceiro capítulo retrata dos elementos pós-textuais.

1.1. Objectivos

1.1.1. Geral:
 Mostrar à coerência do sistema administrativo de tipo francês ou de administração
executiva.

1.1.2. Específicos:
 Origem do sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva;
 Suas características;
 Descrever as mesmas características.

1.2. Metodologia
Segundo MARKONI & LACATOS (2003:219) O método é o conjunto das actividades
sistemáticas e racionais que, com maior segurança e economia, permite alcançar o objectivo –
conhecimentos válidos e verdadeiros, traçando o caminho a ser seguido, detectando erros e
auxiliando as decisões do cientista. Por tanto, para realização do presente trabalho, os métodos
usados foram qualitativos e quantitativos e a técnica de pesquisa foi a pesquisa bibliográfica.
4

CAPÍTULO II: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1. Sistema Administrativo


É um modo jurídico típico de organização, funcionamento e controlo da Administração Pública.

2.2. Sistema administrativo de tipo francês ou de administração executiva


O sistema administrativo do tipo francês ou executiva, nasceu em França, vigora hoje em quase
todos os países continentais da Europa Ocidental e em muitos dos novos Estados que acederam à
independência no séc. XX depois de terem sido colónias desses países europeus.

Existe uma grande influência doutrinária em detrimento da influência jurisprudencial. Este


sistema apresenta um maior prestígio do poder executivo face ao poder judicial. O sistema
francês apresenta a particularidade da submissão da administração pública a um direito próprio
que regula a sua actividade e é inspirado na defesa dos direitos individuais. Este sistema terá
surgido pela existência de uma jurisdição especial que tinha competência para apreciar os litígios
que surgiam do exercício da função administrativa.

O direito administrativo francês é maioritariamente não legislativo sendo que devido ao grande
leque de lacunas legislativas o juiz tem de fazer direito, assim o Conselho de Estado tem uma
vasta contribuição para a elaboração de princípios informativos do direito administrativo.

2.3. As características iniciais do sistema administrativo Francês são as seguintes:


a) Separação de poderes
Com a Revolução Francesa foi proclamado expressamente, logo em 1789, o princípio da
separação dos poderes, com todos os seus corolários materiais e orgânicos. A
Administração ficou separada da Justiça;
b) Estado de Direito
Na sequência das ideias de Loke e de Montesquieu, não se estabeleceu apenas a
separação dos poderes mas enunciam-se solenemente os direitos subjectivos públicos
invocáveis pelo o indivíduo contra o Estado;
5

c) Centralização
Com a Revolução Francesa, uma nova classe social e uma nova elite chega ao poder;
d) Sujeição da Administração aos Tribunais Administrativos
Surgiu assim uma interpretação peculiar do princípio dos poderes, completamente
diferente da que prevalecia em Inglaterra, se o poder executivo não podia imiscuir-se nos
assuntos da competência dos Tribunais, o poder judicial também não poderia interferir no
funcionamento da Administração Pública;
e) Subordinação da Administração ao Direito Administrativo
A força, a eficácia, a capacidade de intervenção da Administração Pública que se
pretendia obter, fazendo desta uma espécie de exército civil com espírito de disciplina
militar, levou o “conseil d’ État” a considerar, ao longo do séc. XIX, que os órgãos e
agentes administrativos não estão na mesma posição que os particulares, exercem funções
de interesse público e utilidade geral, e devem por isso dispor quer de poderes de
autoridade, que lhes permitam impor as suas decisões aos particulares, quer de privilégios
ou imunidades pessoais, que os coloquem ao abrigo de perseguições ou más vontades dos
interesses feridos;
f) Privilégio da Execução Prévia
O Direito Administrativo confere, pois, à Administração Pública um conjunto de poderes
“exorbitantes” sobre os cidadãos, por comparação com os poderes “normais”
reconhecidos pelo Direito Civil aos particulares nas suas relações entre si. De entre esses
poderes “exorbitantes”, sem dúvida que o mais importante é, no sistema Francês, o
“privilégio de execução prévia”, que permite à Administração executar as suas decisões
por autoridade própria;
g) Garantias jurídicas dos administrados

Também o sistema administrativo Francês, por assentar num Estado de Direito, oferece aos
particulares um conjunto de garantias jurídicas contra os abusos e ilegalidades da Administração
Pública. Mas essas garantias são efectivadas através dos Tribunais Comuns.

Essas características originárias do sistema administrativo de tipo francês – também chamado


sistema de administração executiva – dada a autonomia aí reconhecida ao poder executivo
relativamente aos tribunais.
6

O sistema administrativo do tipo francês ou executivo tem como base o direito romano-
germânico. Neste sistema não é dada relevância ao costume, a lei é a fonte principal.

2.4. Traços essências do direito romano-germanico em geral


 tescassa relevância do costume;
 Sujeição a reformas globais impostas pelo legislador em dados momentos;
 Papel primordial da lei como fonte de direito;
 Distinção básica entre o direito publico e o direito privado;
 Função de importância muito variável dos tribunais na aplicação do direito legislado;
 Maior influência da doutrina jurídica do que da jurisprudência.
 Mis prestigio do poder executivo do que do poder judicial.

O sistema administrativo francês é centralizado, há um controlo jurisdicional que é feito pelos


tribunais administrativos, existe pois uma dualidade de jurisdições. O direito que regula a
administração é o direito administrativo, ou seja, o direito público. Quanto à execução das
decisões administrativas o sistema de administração executiva atribuí autoridade própria a essas
decisões e dispensa intervenção prévia de qualquer tribunal. Face às garantias jurídicas dos
administrados só é permitido, aos tribunais administrativos a anulação das decisões ilegais das
autoridades ou até que as condenem ao pagamento de indemnizações e assim a administração
fica indemnizações e assim a administração fica independente do poder judicial.
7

CAPÍTULO III: CONCLUSÃO


Após a elaboração do trabalho concluí que sistema administrativo de tipo francês ou de
administração executiva, reconhecida ao poder executivo relativamente aos tribunais. Das
características que estão acima todas são relevantes no que concerne ao direito administrativo.

Em suma, o sistema administrativo do tipo francês ou executivo se distingue um dos outros


devido á convergência das suas características. O sistema administrativo francês tem como fonte
o direito legislado
8

3.1. BIBLIOGRAFIA
AMARAL, Diogo Freitas, Manual de Direito administrativo – volume II, 2ª reimpressão,
Almedina, 2003

LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 2.ed.São Paulo: Atlas, 1991;

PIETRO, Mª Sylvia Zanella, Direito Administrativo. 18ª Edição, Jurídico Atlas S.A, São Paulo,
2005;

SILVA, VascoPereira, Em busca do acto administrativo perdido, Almedina, 1ª edição, 2016.

SOUSA, António Francisco, Direito Administrativo, Prefácio, 2009, Lisboa.

Você também pode gostar