Você está na página 1de 2

MANUAL PARA O PREENCHIMENTO DE DECLARAÇÃO DE ÓBITO

BASEADO NO PROJETO GARBAGE

Foi constatado, pelo Ministério da Saúde, que cerca de 30% das


declarações de óbito no país são preenchidas tendo como causa básica do
óbito diagnóstico considerados pouco úteis em saúde pública, ou seja,
diagnósticos considerados vagos ou mal definidos e que, desta forma, não
permitem identificar e planejar ações de Saúde Pública. Tais códigos são
denominados “Códigos Garbage” (numa clara alusão ao significado da palavra,
na língua inglesa).
Cerca de 70% das declarações de óbito preenchidas por nós
médicos do Pronto Socorro referem-se a pacientes provenientes das
enfermarias, os quais são levados ao PS após piora do estado geral pré-óbito,
ou mesmo quando da ocorrência de eventos súbitos (como as paradas
respiratória e/ou cárdio respiratória), pelo fato de, em determinados horários
(a saber noturnos e finais de semana), não haver nas enfermarias presença de
profissionais médicos para atender ou atestar tais óbitos.

Tentaremos aqui, de forma resumida, facilitar a ação dos médicos


para o preenchimento das Declarações de Óbito de forma a evitar a devolução
das mesmas pela Comissão de Óbito para recodificação.

Vamos nos ater somente ao campo 40 da DO, no qual deve ser


anotada a sequência de eventos que culminaram com o óbito:

ANOTE SOMENTE UM DIAGNÓSTICO POR LINHA Tempo aproximado


entre o início da CID
doença e a morte

a |__Causa terminal_______________________|___________|______
Devido ou como consequência de:

b |__Causa interveniente__________________|___________|______
Devido ou como consequência de:

c |__Causa interveniente__________________|___________|______
Devido ou como consequência de:

»» d |__Causa básica________________________|___________|______

|__Causas contribuintes (não fazem parte da _|___________|______

|__sequência das causas da parte I_________|___________|______

Conforme indicado acima, é no campo da causa básica indicado pela seta, onde
deverá ser evitado colocar as chamadas “Causas Garbage” (CG), para a melhora das informa-
ções de mortalidade.
É bom lembrar que, apesar de, no exemplo acima a causa básica encontrar-se
na linha “d”, muitas vezes, a sequência lógica dos eventos que levaram ao óbito contém
apenas dois ou três diagnósticos, podendo a causa básica “subir”, isto é, ser colocada na linha
“c” ou “b”.
Vejamos o exemplo a seguir:

ANOTE SOMENTE UM DIAGNÓSTICO POR LINHA Tempo aproximado


entre o início da CID
doença e a morte

a |__Choque Hipovolêmico_________________|___________|R57.1__
Devido ou como consequência de:

b |__Hemorragia Digestiva Alta_____________|___________|K92.2___


Devido ou como consequência de:

c |___Varizes Esofagianas Sangrantes________|___________|I85.0___


Devido ou como consequência de:

d |__Cirrose Hepática_____________________|___________|K74____

|__Causas contribuintes (não fazem parte da _|___________|______

|__sequência das causas da parte I_________|___________|______

A causa básica é a cirrose hepática e a sequência de eventos apresenta-se de


forma lógica que permite compreender como o paciente evoluiu para o óbito.

Em anexo forneceremos uma lista onde constam as Causas Garbage prioritárias,


que são as causas consideradas mais importantes a serem evitadas na DO como Causas
Básicas de óbito, devendo as mesmas ser substituidas por diagnósticos que permitam uma
melhor definição da real causa do óbito para melhora das estatísticas de saúde pública.

Um abraço!

Renata M. Alves

Você também pode gostar