Você está na página 1de 3

INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ – IFCE

CAMPUS DE CANINDÉ
DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA
CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO DE
TURISMO

PROGRAMA DE UNIDADE DIDÁTICA (PUD)

DISCIPLINA: RECREAÇÃO E LAZER


Código: COEV. 153
Carga Horária: 40 HORAS
Número de Créditos: 02
Código pré-requisito: ---
Semestre: 4º SEMESTRE
Nível: ENSINO SUPERIOR
Professor responsável: THAIDYS DA CONCEIÇÃO LIMA DO MONTE

EMENTA

A divisão do tempo para a compreensão do lazer. Lazer – fundamentos e funções. Os


âmbitos da animação. Liderança. Animação – conceitos e teorias. Objeto de estudo da
Animação turística. Campo de atuação. Motivação. Lúdico. Personalidade. Relacionamento
Interpessoal Dinâmica de grupo. Criatividade. Perfil do animador turístico. Programa e
projeto de animação.

OBJETIVOS

-Compreender o lazer e a animação turística como um binômio motivador de


desenvolvimento da atividade turística;
- Construir uma visão abrangente dos âmbitos da animação no contexto social, cultural e
mercadológico;
- Entender a relação da atividade turística inserida no tempo de lazer, com vistas à
realização de práticas através do planejamento e de programas de animação turística.

PROGRAMA

UNIDADE I – A DIVISÃO DO TEMPO E O TEMPO DE LAZER


- A viagem através dos tempos
- A liberação do tempo
- Funções atividades e propriedades do lazer

UNIDADE II – ANIMAÇÃO E SEUS AMBITOS


- A animação como atividade social
- A animação é uma prática social deliberada e regrada
- As funções da animação

UNIDADE III – ANIMAÇÃO TURÍSTICA – CONCEITOS, OBJETIVOS, ATIVIDADES E


PROGRAMAS
- Liderança
INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ – IFCE
CAMPUS DE CANINDÉ
DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA
CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO DE
TURISMO

- Animação turística
- Objetivos da animação turística
- Características do animador
- O guia de turismo
- O papel do animador
- Dimensões, recursos e classificação da animação turística
- Programas de animação turística.

METODOLOGIA DE ENSINO

A disciplina será ministrada em aulas teóricas e/ou práticas, podendo-se utilizar, dentre
outras metodologias, trabalhos de equipes, exercícios programados, seminários, exposições
dialogadas e grupos de discussão, onde os conteúdos poderão ser ministrados de acordo as
especificidades do grupo de alunos e da disciplina. Visitas Técnicas e a utilização de
recursos audiovisuais.

AVALIAÇÃO
- Provas escritas;
- Trabalhos escritos;
- Trabalhos apresentados;
- Relatórios de viagem e Visitas Técnicas.

REFERÊNCIAS BÁSICAS

DUMAZEDIER, Joffre. Sociologia empírica do lazer. São Paulo: Editora Perspectiva, 1999.
__________________. Lazer e cultura popular. São Paulo: Editora Perspectiva, 2008
MARCELINO, Nelson Carvalho (Org.). Repertório de atividades de recreação e lazer:
para hotéis, acampamentos, prefeituras, clubes e outros. 3 ed. Campinas: Papirus, 2005
MIRANDA, Simão de. 101 atividades recreativas para grupos em viagens de turismo. 3
ed. Campinas, SP: Papirus, 2004.
__________________. Oficina de dinâmica de grupos para empresas escolas e grupos
comunitários. 9 ed. v.1. São Paulo: Papirus, 2001.
__________________. Oficina de dinâmica de grupos para empresas escolas e grupos
comunitários. 7 ed. São Paulo: Papirus, 2002.v.2.

REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES

CAMARGO, Luiz O. Lima. Que é lazer. 3 ed. São Paulo: Brasiliense, 1992.
HUGHES, Howard. Artes, entretenimento e turismo. São Paulo: ROCA, 2004.
KRIPPENDORF, Jost. Sociologia do turismo: para uma nova compreensão do lazer e das
viagens. 2 ed. São Paulo: Aleph, 2001.
MARCELINO, Nelson Carvalho. Lazer e Educação. 16 ed. Campinas (SP): Editora Papirus,
2010
OSTROWER, Fayga. Criatividade e processo de criação. 25 ed. Petrópolis (RJ): Vozes,
2010.
INSTITUTO FEDERAL DO CEARÁ – IFCE
CAMPUS DE CANINDÉ
DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA
CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO DE
TURISMO

Coordenador do Curso Setor Pedagógico


_______________________ ___________________________