Você está na página 1de 26

PÓS-GRADUAÇÃO “LATO SENSU”

PROJETO PEDAGÓGICO

Projetos de Sistemas de
Climatização

Eixo Tecnológico: Controle e Processos


Industriais
Modalidade: Presencial

São Paulo - 2017


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 2

SUMÁRIO
1. Nome do Curso e Área do Conhecimento .............. 3
2. Justificativa ............................................................... 3
3. Histórico ..................................................................... 5
4. Objetivos Educacionais ............................................ 8
4.1OBJETIVO GERAL ............................................................................................................................ 8
4.2OBJETIVOS ESPECÍFICOS ................................................................................................................... 8
5. Público Alvo .............................................................. 8
6. Coordenação do Programa ...................................... 9
7. Condições de Realização do Curso ........................ 9
8. Conteúdo Programático ........................................... 9
8.1GRADE CURRICULAR: ...................................................................................................................... 9
9. Ementas e Bibliografias ......................................... 10
10. Corpo Docente ........................................................ 21
11. Metodologia ............................................................. 21
12. Atividades Complementares .................................. 22
13. Infraestrutura Física ............................................... 22
14. Biblioteca ................................................................. 23
15. Critério de Seleção .................................................. 24
16. Sistema de Avaliação ............................................. 24
17. Trabalho de Conclusão .......................................... 25
18. Certificação.............................................................. 26

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 3

1 NOME DO CURSO E ÁREA DO CONHECIMENTO


Título: Projetos de Sistemas de Climatização. O curso de pós-graduação
lato sensu em Projetos de Sistemas de Climatização está inserido na área de
conhecimento tecnológico, controle e processos industriais, será oferecido na
modalidade presencial.

2 JUSTIFICATIVA

A importância do especialista em projetos de sistemas de climatização fica


evidente quando observamos as inúmeras transformações tecnológicas
ocorridas no setor. As empresas cada vez mais investem em projetos e
atividades em que suas ações melhoram a eficiência energética dos locais a fim
de adequar o setor a um patamar mais competitivo e de energia limpa. No setor
de equipamentos houve um grande avanço tecnológico aproveitando as
demandas de tecnologias ofertadas no mercado global como compressores com
mais potencial frigorífico e menor potência requerida, trocadores de calor com
menos perdas e de materiais de fácil transferência, válvulas com incrementos de
projetos capaz de provocar maior rendimento e menos perdas. Tudo isso
alinhado aos componentes e projetos eletroeletrônicos e de automação capaz
de garantir um aproveitamento melhor de todo o trabalho realizado pelos
componentes e oferecer menos percas de capacidade possível.
Os novos modelos de partidas do tipo variação de velocidade, variação de níveis
de fluxos de fluidos refrigerantes e de ar projetados para compressores, bombas,
ventiladores, atuadores e monitores de nível, pressão, temperatura, fluxo,
corrente elétrica, rotação entre outros estão presentes em todos os
equipamentos de climatização desde os de níveis residenciais como o ar
condicionado tipo Split, passando aos de níveis comerciais do tipo VRF, selfs
containers, sistemas de fancoletes até aplicações industriais de grande porte
como grandes centrais de ar condicionados. Da mesma forma foram lançados
vários tipos de fluidos refrigerantes como o R600a, o R 744 e novas aplicações
ao fluido R717 permitiu o desenvolvimento de produtos com altas taxas de
tecnologias embargadas.
Com a crescente demanda no setor de climatização, devido ao aumento de
temperatura do planeta do efeito do aumento do GWP (Global Warming
Potential), em que está previsto o aumento de até 1,5 °C na temperatura média
do planeta até 2025, os sistemas de climatização de ar passaram a ser itens
essenciais em empresas, prédios comerciais, escolas, etc. Na edição 01/2017,
da Revista do Frio & Ar Condicionado, o artigo de capa enfatiza que “o acordo
climático estimula melhores práticas e novos fluidos refrigerantes” mostrando as
medidas que estão sendo tomadas por diversos países para diminuir o aumento
da temperatura do planeta.
Através da portaria nº3.523 do ministério da saúde que dispõe de artigos que
regulamentam a qualidade do ar interno dos ambientes climatizados com taxas
de ar externo sendo tratados e incluídos aos ambientes internos e na resolução
RE/ANVISA nº 9, de 16 de janeiro de 2003 que estabelece critérios sobre a
qualidade do ar interior, bem como da lei nº 13.589, de 04 de janeiro de 2018
que dispõe sobre a manutenção de instalações e equipamentos de sistemas de

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 4

climatização de ambientes, percebe-se a importância de projetos de sistemas de


climatização bem elaborados visando a saúde e o bem-estar das pessoas.
Estas leis vêm sendo trabalhadas pela sociedade através da ABNT/CB-055 -
Comitê Brasileiro de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento
no âmbito de atuação para aperfeiçoar a normalização do setor de refrigeração,
ar condicionado, ventilação e aquecimento compreendendo refrigeração
comercial e industrial, ar condicionado comercial e industrial, ventilação
comercial e industrial e aquecimento convencional e solar, no que concerne à
terminologia, classificação; identificação; desempenho e ensaios de máquinas,
equipamentos e sistemas; projeto, execução e manutenção de sistemas;
conservação de alimentos perecíveis; conforto humano; qualidade do ar e
conservação de energia em ambiente comercial e industrial.
A ASHRAE Standard Fundamental 55-92 define o estado de conforto térmico
como a condição mental que expressa satisfação com relação ao ambiente
térmico. Isto deve ser resultado de uma combinação de temperatura e velocidade
do ar e também da umidade relativa. Para que se encontre uma forma de
determinar índices de conforto térmico, é necessário fazer uma análise do
ambiente, já a norma internacional ISO 7243/89, estabelece estimativa de
estresse por calor em trabalhadores, baseado no índice IBUTG (índice de bulbo
úmido e termômetro de globo), que analisa as condições do ambiente e responde
se ele é adequado ou não para ocupação humana. Portanto, verifica-se que há
diversos órgãos que estudam o organismo humano e os ambientes os quais ele
está exposto, logo, são capazes de responder o quanto o ser humano é capaz
de “render” no trabalho quando exposto a uma temperatura amena.
É fato que pessoas expostas a temperaturas elevadas durante determinado
período de tempo, passam a fazer parte de um ambiente insalubre e necessitam
de pausas constantes em suas atividades, como mostra a NR – 17. Dessa forma,
fica evidente que, para que as pessoas produzam mais e não necessitem de
pausas durante o expediente, as empresas devem realizar esforços investindo
em sistemas de ar condicionado central e novas tecnologias a fim de manter
seus colaboradores num patamar de eficiência máxima.
Além de fatores ligados à temperatura, há também um fator essencial em
ambientes com grande fluxo de pessoas: a filtragem. A poluição do ar e
aglomeração de pessoas, tem facilitado a transmissão de inúmeras doenças, tais
como, meningite, gripe, conjuntivite, etc. E outras doenças que são causadas
pelas bactérias que são espalhadas no ar por meio de pessoas ou organismos
infectados, como coqueluche, pneumonia, difteria, entre outras.
A crescente demanda por edifícios cada vez mais sustentáveis tem gerado
aumento na procura por melhores soluções de engenharia de climatização, que
devido à grande variedade de sistemas com altas tecnologias incorporadas aos
materiais, a própria automação aplicada e as metodologias de funcionamento
criam um vasto campo de atuação para novos projetos e soluções. Desta forma
ratifica-se que um bom projeto é a base para que o sistema de climatização
proporcione simultaneamente conforto térmico, eficiência energética e economia
com redução de custos, pois através deste é possível selecionar o equipamento
adequado para cada tipo de ambiente e assim promover as chamadas boas
práticas de instalação e manutenção que prevê a escolha de fluido refrigerante
com baixo impacto no meio ambiente, saúde e bem-estar, eficiência energética
e economia de custos desde o projeto até a manutenção.
Outro fator preponderante divulgado na revista HVAC-R é que com a avalanche
de produtos novos disponibilizados no setor para o desenvolvimento de projetos

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 5

e com a capacidade de inovação sendo aumentada por desafios impostos pela


economia se faz carente o mercado de profissional com competências
profissionais capazes de gerir soluções inovadores e eficientes capaz de
aumentar a competitividade e produção industrial no país.
Devido a todos esses fatores, fica claro a importância do profissional especialista
em projetos de sistemas de climatização.
Neste contexto se faz imprescindível a valorização da mão de obra especializada
no âmbito da realização de soluções para projetos novos e de aperfeiçoamento
para adequações, nas fabricações de equipamentos e componentes, nas
instalações de equipamentos, na manutenção dos sistemas e na supervisão de
todo o processo de climatização.
A partir desse cenário, verifica-se mais uma vez a importância da formação de
profissionais com a visão e as competências exigidas para o cumprimento de
acordos e legislação relativas à proteção ambiental e à qualidade de vida das
pessoas.
Vale salientar que a Escola SENAI Oscar Rodrigues Alves é considerada
referencia na área de refrigeração e climatização e já desenvolve em parceria
com a Faculdade de Tecnologia Roberto Simonsen os cursos de: pós-graduação
em Gestão de Energia e Eficiência Energética em Sistemas de Climatização,
pós-graduação em Gestão de Energia e Eficiência Energética em Sistemas de
Refrigeração, pós-graduação em Logística na Cadeia do Frio (em parceria com
a Escola SENAI Morvan Figueiredo. Também faz parte do projeto integrado do
SENAI-SP que oferta de cursos de pós-graduação em Eficiência Energética na
Industria e Eficiência Energética em Edificações.

3 HISTÓRICO
Desde 1942, o SENAI-SP oferece a formação profissional para a indústria. O
início de todo este processo foi nas instalações da Escola SENAI “Roberto
Simonsen”, vindo a se tornar uma das maiores referências em cursos
profissionais de diferentes segmentos de atuação. Em 2012, visando ampliar
esta formação profissional, é inaugurada a Faculdade de Tecnologia SENAI
“Roberto Simonsen”, oferecendo o Curso Superior de Tecnologia em
manutenção Industrial, reconhecido com nota máxima – 5,0 – pelo MEC em
2014.

Dando continuidade ao planejamento de desenvolvimento institucional da


Faculdade e visando oferecer continuidade de estudos e solidificação da oferta
do ensino superior, surge este curso de pós-graduação na Faculdade de
Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen”.

O profissional formado por este curso está qualificado a projetar, implementar,


manter e desenvolver projetos mecânicos industriais, administrando recursos
com eficácia e promovendo a inovação tecnológica, respeitando a legislação e
as normas específicas, de segurança, qualidade, saúde e meio ambiente.

Este profissional está habilitado a trabalhar nas áreas da indústria em geral,


desde pequenos processos fabris ou industriais até empresas de maior porte de
diversos ramos, pois, os processos e as máquinas industriais em geral
necessitam da implantação ou da manutenção de sistemas mecânicos, assim

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 6

como da interação de processos de manutenção à sua operação ou à melhoria


do desempenho dos processos industriais. Além disto, este profissional pode
trabalhar em laboratórios, pesquisas e desenvolvimento de projetos mecânicos
simples ou automatizados, assessoria e consultoria tecnológica, assim como em
comércio e serviços da área.

Em dezembro de 2014 formou-se a primeira turma do curso superior de


tecnologia em Manutenção Industrial. E daí por diante, tem transcorrido
regularmente a formação de mais turmas, enfatizando a necessidade de
aperfeiçoamento em nível de pós-graduação.

Mas a história da faculdade não para por aí, visando ampliar os cursos e atender
melhor as demandas do mercado, a faculdade, por meio da iniciativa da Escola
SENAI “Oscar Rodrigues Alves” referência em refrigeração e climatização,
propôs mais dois cursos de pós-graduação para atender essas áreas: gestão de
energia e eficiência energética em sistemas de refrigeração e gestão de energia
e eficiência energética em sistemas de refrigeração.

A Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves” também tem uma história, história essa
de muitos avanços e sucessos que marcou sua trajetória nas áreas de
refrigeração e climatização.

A Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves” iniciou suas atividades em 15 de abril


de 1948, em prédio próprio, com o nome de Escola SENAI do Ipiranga, sendo
inaugurada oficialmente, em 25 de maio de 1949, data do 1º aniversário da morte
do saudoso Dr. Roberto Simonsen, o idealizador do SENAI. Em 26 de setembro
de 1952 recebeu como patrono da escola o Dr. Oscar Rodrigues Alves
denominação que passou a ser dada a esta unidade como justa homenagem ao
eminente brasileiro e expoente da indústria e aquele que foi de 1942 a 1947, o
primeiro e ilustre Presidente do Conselho Regional do SENAI em São Paulo.

Ao longo do tempo, a escola trabalhou com ocupações de áreas diversificadas,


oferecendo cursos diversos na área de fabricação de fios têxteis, mecânica de
automóveis, manutenção de eletrodomésticos, mecânica geral, fundição e
soldagem. A área de fundição durou de 1957 até 1972.

No início da década de 70, a escola já oferecia treinamentos de refrigeração


residencial.

Desde o início dos anos de 1990 a escola passou a especializar-se na área de


Refrigeração e Ar Condicionado. Para tanto, a escola buscou a parceria com a
ABRAVA (Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e
Aquecimento), o SINDRATAR-SP (Sindicato da Indústria de Refrigeração,
Aquecimento e Tratamento de Ar no Estado de São Paulo), o IBF (Instituto
Brasileiro do Frio) e a ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e
Eletrônica).

Pretendia-se formar um profissional que dominasse as técnicas que envolviam


o projeto, a construção e a manutenção de máquinas e equipamentos industriais
de refrigeração e também capaz de prestar assessoria e consultoria às empresas
que carecessem deste tipo de mão-de-obra.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 7

Em 1991 foi autorizado o funcionamento do Curso de Qualificação Profissional


IV, habilitação profissional plena de Refrigeração e Ar Condicionado,
denominação que era equivalente ao curso técnico atual em refrigeração e
climatização, com duração de seis semestres letivos e carga horária total de
3.900 horas-aula, sendo 3.000 horas-aula de fase escolar e 900 horas de estágio
supervisionado.

Em 1993 começou a funcionar os Cursos de Qualificação Profissional III, com as


seguintes habilitações parciais de assistente técnico em: refrigeração e ar
condicionado residencial, refrigeração comercial, ar condicionado e ventilação,
refrigeração e ar condicionado automotivo terrestre e refrigeração industrial.

Em 1995 foi implantado o curso para Mecânica de Refrigeração e Ar


Condicionado – Refrigeração Doméstica na modalidade de educação à
distância.

Em 1999, o curso técnico passou a ser oferecido em quatro semestres letivos,


com carga horária total de 1.800 horas-aula, sendo 1.200 horas-aula de fase
escolar e 600 horas de estágio supervisionado, suprimindo-se a oferta das
qualificações profissionais.

A partir do ano de 2001, o curso Técnico em refrigeração e climatização foi


reformulado passando a oferecer carga horária total de 1.600 horas, sendo 1.200
horas de fase escolar e 400 horas de estágio supervisionado.
No ano de 2008, a escola lançou o curso de Condicionadores de Ar tipo Split na
modalidade de Educação a Distância.

Em janeiro de 2009 foi criado o Curso de Aprendizagem Industrial Mecânico de


refrigeração e climatização com 800 horas, um ano de duração, destinado
inicialmente a iniciação profissional do menor aprendiz ao mercado de trabalho.

No ano de 2012 houve a implantação do Curso Técnico por Competência em


consequência da reformulação realizada pelo Departamento Nacional.
Em janeiro de 2014 o Curso Técnico foi reestruturado e passou a ter carga
horária de 1500 horas baseado na metodologia por Competência.

O Curso de Aprendizagem de Mecânico em refrigeração e climatização em 2015


foi alterado o perfil de entrada que passou a ser requisito de acesso ter no
mínimo 18 anos e idade que permita o aluno concluir o curso antes de completar
24 anos.

No ano de 2016 houve a implantação do curso de pós-graduação em Gestão de


Energia e Eficiência Energética em Sistemas de Climatização com duração de
360 horas
No ano de 2017 houve a implantação do curso de Eficiência Energética na
Industria onde a Escola desenvolveu as disciplinas de Refrigeração e
Climatização em 30 horas e Bombeamento e Ventilação em 30 horas fração
responsável da Escola no projeto.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 8

No ano de 2018 a Escola implantou o curso de pós-graduação em Gestão de


Energia e Eficiência Energética em Sistemas de Refrigeração com duração de
360 horas.
Mesmo enfrentando as dificuldades pelas quais passam as indústrias de
praticamente todos os setores produtivos da economia no Brasil a Escola SENAI
Oscar Rodrigues Alves vêm evoluindo e buscando alternativas para oferecer
cursos que atendam às necessidades da indústria pois, os setores de
aquecimento, ventilação, ar condicionado e refrigeração (HVAC-R) vêm
apresentando crescimento contínuo seja no mercado interno, ou na participação
no comércio exterior.

Essa população é clientela potencial da Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves”


para o curso de pós-graduação em Projetos de Sistemas de Climatização.

Pois a escola atende, na grande maioria, as necessidades das empresas


prestadoras de serviços (micro e pequenas empresas), que buscam soluções no
campo tecnológico para projetos de instalação, manutenção, metodologias de
operação e controle de sistemas de refrigeração e climatização.

A abrangência desta unidade é estadual, porém, devido a sua especialização e


reconhecimento do setor, atende o Território Nacional e ainda outros países por
recomendação da Diretoria de Relações Externas - DRE e do Departamento
Nacional - DN quando surgem as demandas.

4 OBJETIVOS EDUCACIONAIS

4.1 OBJETIVO GERAL

O curso tem como objetivo geral formar especialistas com condições de atuar na
Gestão, elaboração e consultoria de projetos, e também atender a área
acadêmica, com visão atualizada dos métodos, processos e tecnologias
disponíveis no mercado voltados a melhor eficiência em projetos com foco nos
Sistemas de Climatização.

4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Atender as necessidades de especialização e de reciclagem de


profissionais de nível superior em gestão de projetos voltados a sistemas
de Climatização que atuam nas áreas de projeto, ensino e consultoria;
• Fornecer a demanda por mão-de-obra com alta qualificação profissional
exigida pela evolução tecnológica atual dos sistemas de Climatização;
• Capacitar profissionais a desenvolver projetos da área de Climatização
que tenham foco em eficiência energética, selecionando equipamentos,
acessórios e dimensionando a distribuição de ar de forma a contribuir para
a redução do consumo de energia elétrica;

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 9

• Otimizar métodos e processos de trabalho em sistemas de Climatização


promovendo o uso racional das diferentes formas de energia;
• Propor projetos que visam o aumento da eficiência térmica e energética;
• Identificar, selecionar e propor componentes, equipamentos, sistemas e
tecnologias mais eficientes e adequadas à necessidade do processo;
• Calcular o tempo de recuperação de capital pay-back time em um
investimento realizado;
• Definir a viabilidade técnica-financeira do projeto ou melhoria de um
sistema de Climatização;
• Propor soluções adequadas de automação de equipamentos, sistemas e
processos de Climatização com objetivo de melhorar a eficiência
energética;
• Adequar a gestão de energia em sistemas de Climatização.

5 PÚBLICO ALVO
O curso de pós-graduação lato sensu em Projetos de Sistemas de Climatização
é aberto a candidatos diplomados em cursos de graduação em tecnologia,
bacharel e engenharia, nas áreas de refrigeração, climatização, automação,
elétrica, eletrônica, mecânica, mecatrônica e áreas afins oriundos das empresas,
principalmente da prestação de serviços de engenharia, instalação e
manutenção de sistemas de refrigeração.

6 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA
A coordenação geral do programa está sob a coordenação técnica e pedagógica
do engenheiro Antônio Carlos Lemos Carvalho, Especialista em Gestão Escolar
com MBA na área de Engenharia. Possui experiência na área da educação
profissional, ensino superior e atua na Instituição desde 2002, em regime de
tempo integral.

Na Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves” referência nas áreas de Refrigeração


e Climatização onde será desenvolvido o curso, a coordenação específica do
programa ficará sob responsabilidade do Coordenador de Atividades Técnicas
Mauro Sérgio Juarez Cáceres, Engenheiro Eletricista – Mestre em Engenharia
Mecânica e Doutor em Engenharia Mecânica pela UNICAMP atua no SENAI
desde 1995 em regime de tempo integral.

7 CONDIÇÕES DE REALIZAÇÃO DO CURSO


O curso contém um conjunto de disciplinas que serão ofertadas em módulos de
30 horas. As disciplinas deste curso de Pós-Graduação “Lato Sensu” da
Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” serão ministradas em 2
dias da semana em período noturno de 2.ª a 6.ª feira das 19hs às 22hs ou aos
sábados das 10hs às 17hs.

A previsão de início da oferta do curso na Faculdade é em Julho/2018.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 10

O curso será realizado totalmente de forma presencial nas instalações da Escola


SENAI “Oscar Rodrigues Alves” na Rua Mil Oitocentos e Vinte e Dois, n.º 76,
Ipiranga – São Paulo – SP.
O conjunto de disciplinas / módulos totalizam 360 horas a serem desenvolvidas
em três semestres.

8 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

8.1 GRADE CURRICULAR:


CARGA
Semestre Disciplina / Módulo HORÁRIA
(HORAS)

1 – Gerenciamento de Projetos 30

2 – Fundamentos da Termodinâmica 30

3 – Processos Psicrométricos 30

4 – Cálculo de Carga Térmica Aplicado à Climatização 30

5 – Mecânica dos Fluidos 30

6 – Equipamentos e Acessórios para Sistemas de Ar


30
2º Condicionado

7 – Ventilação 30

8 – Metodologia Científica 30

9 – Distribuição de Ar 30

10 – Automação Aplicada a Sistemas de Climatização 30



11 – Ferramentas Gráficas para Projetos 30

12- Análise Energética em Projetos de Climatização 30

Total
360

9 EMENTAS E BIBLIOGRAFIAS

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 11

Módulo 1:
Carga horária: 30 horas
Gerenciamento de Projetos
Ementa:
1. Elaboração de introdução e objetivo do projeto;
2. Elaboração de cronograma para desenvolvimento e entrega do projeto;
3. Desenvolvimento do Projeto: layouts e desenhos das etapas do projeto, cálculos de cargas
térmicas, determinações de tubulações frigorificas e hidráulicas, seleção de equipamentos e
componentes mecânicos, elétricos e eletrônicos, dimensionamento de dutos;
4. Estudo de viabilidade:
4.1 Técnica do projeto;
4.2 Energética do projeto;
4.3 Do Payback da instalação;
5. Elaboração de documentação técnica do projeto: desenvolvimento do memorial descritivo que
contenha:
5.1 Introdução;
5.2 Objetivo: necessidade do cliente;
5.3 Normas utilizadas: técnicas, ambientais, de saúde e de segurança;
5.4 Bases de cálculos: memorial de cálculos;
5.5 Descrição do (s) sistema (s): tipo de sistema a ser instalado;
5.6 Especificação técnica dos equipamentos e componentes mecânicos, eletroeletrônicos e
eletromecânicos;
5.7 Especificação do sistema de distribuição do ar;
5.8 Especificações de serviços e montagens;
5.9 Layouts do projeto;
5.10 Testes operacionais da instalação;
5.11 Serviços excluídos do fornecimento;
5.12 Custos da execução de instalação: componentes mecânicos, eletroeletrônicos e
eletromecânicos, materiais de consumo, instrumentos, ferramentas, mão-de-obra, serviços
terceirizados, obras de infraestrutura, transporte de pessoas e materiais;
5.13 Viabilidade econômica;
5.14 Prazos de execução da instalação;
5.15 Plano de Manutenção;
5.16 Garantia do sistema.

6. Gestão de recursos:
6.1 Ferramentas de gestão: 5W2H, PDCA, PMBOK;
7. Custo do projeto.

Bibliografia Básica

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 12

ALDABÓ, Ricardo. Gerenciamento de projetos: procedimento básico e etapas essenciais.


São Paulo: Artliber, 2001.

Módulo 2:
Carga horária: 30 horas
Fundamentos da Termodinâmica
Ementa:
1. Fundamentos da Termodinâmica:
1.1 Substâncias puras;
1.2 Lei dos gases ideais;
1.3 Lei Zero da Termodinâmica;
1.4 Definição de calor, tipos de formas de propagação;
1.5 Primeira Lei da Termodinâmica (balanço de massa e energia);
1.6 Ciclo frigorífico e análise do diagrama de Mollier;
1.7 Características dos fluidos refrigerantes;
1.8 Análise de eficiência do fluido refrigerante;
2. Balanço de massa e energia em:
2.1 Sistemas de expansão direta;
2.2 Sistemas de expansão indireta;
3. Análise energética dos fluidos em sistemas de climatização.

Bibliografia Básica

ÇENGEL, Yunus. Termodinâmica. Nova Iorque: MC Graw Hill, 2011.


ÇENGEL, Yunus; BOLES, Michael A. Termodinâmica. Porto Alegre: AMGH Editora, 2013.
Termodinâmica. Nova Iorque: MC Graw Hill, 2011.
PANESI, Ricardo. Termodinâmica para sistemas de refrigeração e ar condicionado. São
Paulo: Artliber Editora, 2015.
JANNA, William S. Projetos de sistemas fluidotérmicos. São Paulo: Cengage Learning, 2017.
GRANET, Irving. Termodinâmica e energia térmica. Rio de Janeiro: Prentice – Hael, 1995.
MORAN, Michael J. Introdução à engenharia de sistemas térmicos: termodinâmica,
mecânica de fluidos e transferência de calor. Rio de Janeiro: LTC, 2005.

Módulo 3:
Carga horária: 30 horas
Processos Psicrométricos

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 13

Ementa:
1. Condições do ar:
1.1 Ar atmosférico e ar seco;
1.2 Mistura de ar e vapor d’água;
1.3. Pressão atmosférica;
1.4 Umidade absoluta;
1.5 Umidade relativa;
1.6 Temperatura de bulbo úmido;
1.7 Temperatura de bulbo seco;
1.8 Temperatura do ponto de orvalho (dew point)
1.9 Volume específico;
1.10 Entalpia;
2. Carta Psicrométrica;
2.1 Fator de calor sensível (multiplicador);
3. Condições do ar para conforto térmico;
4. Processos psicrométricos:
4.1 Resfriamento e aquecimento simples;
4.2 Resfriamento e aquecimento com umidificação;
4.3 Resfriamento e aquecimento com desumidifcação;
5. Cálculo da vazão de ar para climatização;
6. Aplicação da psicrometria nos problemas de condensação de superfícies externas (TPO);
7. Umidade do ar:
7.1 Cálculo de absorção da umidade do ar de insuflamento;
7.2 Ambientes com umidade relativa do ar controlada;
8. Equipamentos de medição e análise das condições do ar;
9. Softwares de aplicação para processos psicrométricos;
10. Análise psicrométrica em equipamentos de climatização;
11. Normalização: ABNT NBR 16.401, ABNT NBR ISO 14.644

Bibliografia Básica

CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.


ÇENGEL, Yunus. Termodinâmica. Nova Iorque: MC Graw Hill, 2011.

Módulo 4:
Cálculo de Carga Térmica Aplicado à Carga horária: 30 horas
Climatização

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 14

Ementa:
1. Conforto térmico;
1.1 Análise das variáveis de conforto térmico;
2. Dados para projetos (coleta de dados);
3. Cálculo dos calores gerados no ambiente interno:
3.1 Calor devido à ocupação (pessoas, sensível e latente);
3.2 Calor devido à equipamentos elétricos (sensível e latente);
3.3 Calor devido à iluminação;
4. Cálculo dos calores gerados por fontes externas:
4.1 Cálculo do coeficiente global de transmissão de calor;
4.2 Calor por transmissão;
4.3 Calor por insolação (superfícies transparentes, opacas, piso e teto);
5. Cálculo das vazões de ar:
5.1 Insuflação;
5.2 Renovação;
5.3 Retorno;
6. Calor devido à renovação de ar (sensível e latente);
7. Determinação das condições do ar insuflado:
7.1 Carta psicrométrica;
7.2 Temperatura da mistura;
7.3 Entalpia da mistura;
8. Cálculo da capacidade de equipamentos do sistema:
8.1 Com expansão direta;
8.2 Com expansão indireta;
9. Normalização: NBR 16.401 e ASHRAE 55

Bibliografia Básica

ASHRAE HANDBOOK. HVAC Applications. Atlanta, 2015.


ASHRAE. Heating, ventilating and air conditioning applications. Atlanta, 1995; 1999; 2003;
2007; 2011; 2015.
CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

Módulo 5:
Carga horária: 30 horas
Mecânica de Fluidos
Ementa:
1. Dimensionamento de tubulações hidráulicas:
1.1 Componentes da instalação hidráulica (hidrônica / condensação);

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 15

1.2 Regimes de escoamento;


1.3 Velocidades recomendadas em tubulações;
1.4 Comprimentos equivalentes;
1.5 Fator de fricção;
1.6 Cálculo de perda de carga;
1.7. Curva característica da instalação;
2. Dimensionamento de tubulações frigoríficas:
2.1 Dimensionamento para tubulação frigorífica para sistemas VRF via software / catálogos;
2.2 Dimensionamento de isolamento térmico para tubulações frigoríficas;
3. Bombas:
3.1 Classificação / tipos;
3.2 Construção e princípios de funcionamento;
3.3 Cavitação e NPSH;
3.4 Selecionamento de bomba hidráulica.
3.5 Análise energética em bombas;

Bibliografia Básica

ÇENGEL, Yunus; BOLES, Michael A. Termodinâmica. Porto Alegre: AMGH Editora, 2013.
Termodinâmica. Nova Iorque: MC Graw Hill, 2011.
BISTAFA, Sylvio R. Mecânica dos fluidos: Noções e aplicações. São Paulo: Blucher, 2015.
STREETER, Victor L.; WYLIE, E. Benjamin. Mecânica dos fluidos. São Paulo: Makron books,
1982.
MORAN, Michael J. Introdução à engenharia de sistemas térmicos: termodinâmica,
mecânica de fluidos e transferência de calor. Rio de Janeiro: LTC, 2005.

Módulo 6:
Equipamentos e Acessórios para Sistemas de Carga horária: 30 horas
Ar Condicionado
Ementa:
1. Equipamentos condicionadores de ar para ar condicionado central aplicados a sistemas de
médio e grande porte:
1.1 Unidades compactas: self contained (condensação à ar e à água);
1.2 Roof tops;
1.3 Fan coil e fancoletes;
1.4 Chillers;
1.5 Torre de resfriamento;
2. Unidades individuais com condensador remoto externo e evaporador interno;
3. Sistemas VRV / VRF;

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 16

4. Sistemas com tecnologia inverter;


5. Sistemas hidráulicos:
5.1 Sistemas de hidráulico de arrefecimento (condensação)
5.2 Sistema de expansão indireta de água gelada;
6. Trocadores de calor:
6.1 Tubo – tubo;
6.2 Casco – tubo;
6.3 Placas;
7. Equipamentos de resfriamento evaporativo;
8. Equipamentos para renovação / exaustão de ar:
8.1 Equipamentos para renovação de ar com recuperação de energia;
8.2 Exaustores;
8.3 Caixas de ventilação para renovação de ar;
9. Selecionamento de equipamentos e acessórios de climatização.

Bibliografia Básica

ASHRAE HANDBOOK. HVAC Systems and Equipment. Atlanta, 2012.


ABNT. NBR 16.401. Instalações de ar condicionado: sistemas centrais e unitários. Rio de
Janeiro, 2008.
CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.
MILLER, Rex; MILLER, Mark R. Ar condicionado e refrigeração. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

Módulo 7:
Carga horária: 30 horas
Ventilação
Ementa:
1. Fundamentos da ventilação:
1.1 Classificação dos sistemas de ventilação;
1.2 Ventilação natural;
1.3 Ventilação mecânica;
1.4 Exaustão mecânica;
2. Ventiladores e exaustores:
2.1 Leis dos ventiladores;
2.2 Tipos de ventiladores / exaustores (construção e funcionamento);
2.3 Curvas características e seleção;
3. Ventilação geral diluidora (VGD):
3.1 VGD para redução de calor sensível;
3.2 VGD para controle de contaminantes;
4. Ventilação local exaustora (VLE);

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 17

4.1 VLE para controle de contaminantes;


4.2 Captores / coletores;
4.3 Lavadores de gases;
5. Sistemas de filtragem:
5.1 Classificação;
5.2 Tipos de filtros (detalhes construtivos);
5.3 Aplicações;
5.4 Curvas de perda de carga;
6. Selecionamento de equipamentos
7. Normalização para sistemas de ventilação – ABNT NBR 16401

Bibliografia Básica

COSTA, Ennio Cruz da. Ventilação. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2005.
ASHRAE HANDBOOK. Fundamentals. Atlanta, 1993; 1997; 2001; 2005; 2009; 2013.
LINDL, Bruno. Innovative fan technology: creating air flows, quietly, efficiently and
sustaninably. Germany: Verlag / ebm-papst. 2014.
WALLIS, Allan R. Axial flow fans and ducts. Florida: KPC, 1993.
ABNT. NBR 16.401. Instalações de ar condicionado: sistemas centrais e unitários. Rio de
Janeiro, 2008.
CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

Módulo 8:
Carga horária: 30 horas
Metodologia Científica
Ementa:
1. Fundamentos científicos
2. Método científico e aplicação
3. Normas de redação de texto científico
4. Análise de textos de trabalhos acadêmicos e artigos científicos
5. Tema e delimitação do problema
6. Levantamento de bibliografia
7. Normas gerais para elaboração de referências
8. Projeto de pesquisa

Bibliografia Básica

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 18

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. ed. rev. e ampl. São
Paulo: Cortez, 2002.
FLICK, Uwe. Introdução a metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre:
Penso, 2012.
MASCARENHAS, Sidnei A. Metodologia cientifica. São Paulo: Pearson Brasil, 2012

Módulo 9:
Carga horária: 30 horas
Distribuição de Ar
Ementa:
1. Conceito de distribuição de ar nos ambientes;
2. Dados para projetos:
2.1 Velocidades recomendadas;
2.2 Níveis de ruídos permissíveis;
2.3 Perdas de carga recomendadas;
2.4 Altura do duto e dos difusores no ambiente;
3. Insuflamento de ar:
3.1 Tipos de difusores de ar;
3.2 Distribuição dos difusores de ar no ambiente;
3.3 Seleção de difusores através de catálogos de fabricante;
4. Tipos de dutos de ar:
4.1 Chapa;
4.2 Flexível;
4.3 Placas MPU;
4.4 Girovais;
5. Bitolas recomendadas para chapas galvanizadas;
6. Desenvolvimento de planilhas para dimensionamento de duto;
7. Dimensionamento de dutos de:
7.1 Insuflamento;
7.2 Retorno;
7.3 Renovação;
8. Isolamento de dutos;
9. Tipos de grelhas:
9.1 Para retorno;
9.2 Para tomada de ar externo;
10. Seleção de grelhas de retorno e renovação;

Bibliografia Básica

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 19

COSTA, Ennio Cruz da. Ventilação. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2005.
ASHRAE HVAC. Room air distribution. Atlanta, 2007; 2011; 2015.
WALLIS, Allan R. Axial flow fans and ducts. Florida: KPC, 1993.
ALEXANDRE, Celso Simões. Distribuição de ar. São Paulo: Nova Técnica, 2006.
ABNT. NBR 16.401. Instalações de ar condicionado: sistemas centrais e unitários. Rio de
Janeiro, 2008.
CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.
OLIVEIRA, Rodrigo Monteiro de. Dimensionamento de dutos RVAC: comparação entre
métodos. Curitiba: Appris Editora, 2016.
SMACNA. HVAC systems duct design. Chantilly: Smacna, 1990.

Módulo 10:
Automação Aplicada a Sistemas de Carga horária: 30 horas
Climatização
Ementa:
1. Controladores lógico programáveis (CLP);
2. Sistemas supervisórios;
3. Programação;
4. Sistemas VAV;
5. Sistemas VRF;
6. Sistemas CAG - Central de Água Gelada – Chiller;
7. Componentes aplicados para automação de:
7.1 Sistemas de climatização;
7.2 Hidrônicos;
7.3 Distribuição de ar;
8. Controles;
9. Sensores/detectores eletrônicos: Temperatura, umidade e CO2.

Bibliografia Básica

FRANCHI, Claiton Moro. Automação. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2005.
FRANCHI, Claiton Moro; CAMARGO, Valter Luís Arlindo de. Controladores lógico
programáveis: sistemas discretos. São Paulo: Érica. 2011.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 20

Módulo 11:
Carga horária: 30 horas
Ferramentas Gráficas para Projetos
Ementa:
1. Representação gráfica de:
1.1 Componentes para sistemas de climatização;
1.2 Planta arquitetônica;
1.3 Fluxogramas de sistemas mecânicos de climatização;
1.4 Fluxogramas de sistemas elétricos e de automação para sistemas de climatização;
1.5 Saídas de ar;
2. Dutos:
2.1 Representação unifilar;
2.2 Representação bifilar;
3 Representação de cortes:
3.1 Equipamentos;
3.2 Ambientes;
3.3 Dutos;
4 Utilização de softwares para desenvolvimento de plantas, fluxogramas e dutos:

Bibliografia Básica

CREDER, Hélio. Instalações de Ar Condicionado. Rio de Janeiro: LTC, 2004.


LIMA, Claudia Campos. Revit Architecture 2012: conceitos e aplicações. São Paulo: Érica,
2012.
LIMA, Claudia Campos. Auto Cad 2012: estudo dirigido. São Paulo: Érica, 2012.
ALMEIDA, Paulo Samuel de. Auto Cad: projetos em 2D e 3D. São Paulo: Editora SENAI, 2016.
FIALHO, Arivelto B. Solid Works. São Paulo: Érica, 2011.

Módulo 12:
Análise Energética para Sistemas de Carga horária: 30 horas
Climatização
Ementa:
1. Análise de eficiência de componentes:
1.1 Válvula de expansão;
1.2 Compressores;
1.3 Trocadores de calor;
2. Análise de equipamentos para tratamento do ar externo:
2.1 Recuperador de energia (DOAS);
3. Comparativo entre sistemas:
3.1 Recuperador de energia x ventilação / exaustão simples;
3.2 Sistema inverter x sistema convencional;

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 21

3.3 Sistema VRF x central de água gelada (CAG);


3.4 Sistema VRF x ar condicionado central;
3.5 Ar condicionado central x CAG;
4. Estudo de níveis de ocupação:
4.1 Estudo dos locais onde são necessários sistemas de ar individual;
4.2 Estudo de locais onde são necessários sistemas de ar central;
5. Conforto térmico x consumo de energia:
5.1 Estudo de consumo energético do equipamento levando em consideração a temperatura
de insuflamento;
6. PMOC para sistemas de climatização.

Bibliografia Básica

ABNT. NBR 13.971. Sistemas de refrigeração, condicionadores de ar, ventilação e


aquecimento: manutenção programada. Rio de Janeiro, 2014.
JOSHI, Yogendra; KUMAR, Pramod. Energy Efficient Thermal Management of data centers.
Atlanta: Springer, 2012.
BARROS, Benjamim Ferreira de; BORELLI, Reinaldo; GEDRA, Ricardo Luis. Eficiência
energética: técnicas de aproveitamento, gestão de recursos e fundamentos. São Paulo:
Érica, 2015.
KANOGLU, Mehmet; ÇENGEL, Yunus A.; DINÇER, Ibrahim. Efficiency evaluation of energy
systems. Nova Iorque: Springer, 2012.

10 CORPO DOCENTE
O corpo docente envolvido no curso é composto por mais de 50% de professores
formados em programas de Strictu Senso. Atualmente estão definidos os
seguintes professores abaixo para atuar no programa:

1. Flavio Gomes de Macedo


Instrutor de Formação Profissional III - Especialista

2. Fabio Correa da Silva Franco


Instrutor de Formação Profissional III – Especialista

3. Jefferson Lourenço
Instrutor de Formação Profissional III – Especialista

4. Beethoven Navaz Romo


Professor de Educação Profissional e Tecnológica – Mestre e Doutorando

5. Paulo Sérgio Germano Carvalho


Professor de Educação Profissional e Tecnológica – Doutor

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 22

6. Maria de Andrade dos Santos


Professora de Curso Técnico – Mestre

11 METODOLOGIA
A carga horária de 360 horas presenciais está distribuída entre aulas teóricas e
atividades práticas de laboratórios e de oficinas, utilizando para tanto a estrutura
física das instalações da Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves”, assim como
visitas técnicas a conceituadas empresas da área.
Serão 12 módulos de 30 horas de duração oferecidas em três semestres,
fazendo um total de um ano e meio.
A prática da interdisciplinaridade no curso é fundamental na área de climatização
para comprovar a teoria na prática.
A escola possui um bom parque de máquinas em que o aluno pode aprender os
conceitos na prática, porém as visitas às empresas consolidam e solidificam o
aprendizado do aluno, fechando um ciclo teoria, prática e aplicação real em
campo. Faz parte da grade de atividades do curso a visitação à FEBRAVA –
Feira internacional de Refrigeração, Ar condicionado, Ventilação, Aquecimento
e Tratamento do ar. Como a feira ocorre a cada dois anos, também faz parte das
atividades do aluno no curso a participação na semana tecnológica que ocorre
na Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves”.
O aluno deverá desenvolver ao longo do curso, e ao final, entregar um projeto
prático envolvendo os conteúdos aprendidos no curso de forma a aplicá-los em
um projeto de implantação ou melhoria na área de climatização.

12 ATIVIDADES COMPLEMENTARES
As atividades complementares ocorrem vinculadas a eventos relacionados à
área da mecânica e controle, tais como a FEBRAVA. São promovidas também
palestras de empresas atuantes na área durante a Semana Tecnológica da
Refrigeração e Climatização promovida pela Escola SENAI “Oscar Rodrigues
Alves”.

13 INFRAESTRUTURA FÍSICA
Para a implementação do curso, serão utilizados os seguintes ambientes
pedagógicos da nossa Escola, abaixo relacionados:

Módulo / Disciplina Ambiente que poderá ser utilizado

1 – Gerenciamento de Projetos Sala de Aula 27 – Biblioteca

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 23

Sala de Aula 27 – Laboratório de


2 – Fundamentos da Termodinâmica
Termodinâmica Aplicada - Biblioteca

Sala de Aula 27 - Laboratório de


3 – Processos Psicrométricos
Termodinâmica Aplicada – Biblioteca

4 – Cálculo de Carga Térmica Aplicado à


Sala de aula 27 – Biblioteca
Climatização

Sala de Aula 27 – Laboratório de


5 – Mecânica dos Fluidos
Termodinâmica Aplicada - Biblioteca

6 – Equipamentos e Acessórios para Sala de Aula 27 – Oficina de Climatização -


Sistemas de Ar Condicionado Biblioteca

Sala de Aula 27 – Oficina de Climatização –


7 – Ventilação Laboratório de Termodinâmica Aplicada -
Biblioteca

8 – Metodologia Científica Sala de Aula 27 – Biblioteca

Sala de Aula 27 – Laboratório de Informática


9 – Distribuição de Ar
32 ou 33B – Auditório – Biblioteca

10 – Automação Aplicada a Sistemas de Sala de Aula 04 - Laboratório de


Climatização Automação Aplicada – Biblioteca

11 – Ferramentas Gráficas para Projetos Laboratório de Informática 32 - Biblioteca

12- Análise Energética em Projetos de Sala de aula 27 – Laboratório de Informática


Climatização 32 ou 33B - Biblioteca

14 BIBLIOTECA
A Biblioteca da Escola SENAI “Oscar Rodrigues Alves” está instalada em uma
área climatizada de 100 m². Está apta a oferecer amplo material de apoio à
pesquisa, necessários a boa formação acadêmica.

Atualmente a biblioteca dispõe:

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 24

7 mesas e 24 cadeiras para estudo em grupo;


1 mesa com divisória para 4 lugares de estudo individual;
5 computadores para elaboração de trabalho e pesquisas;
5 computadores com acesso à internet de alta velocidade;
4 lugares na sala de multimídia.

O acervo é composto por 2748 mil volumes abrangendo as áreas de tecnologia


mecânica com ênfase em refrigeração, Refrigeração, ventilação, aquecimento,
termodinâmica, energia, meio ambiente, eletroeletrônica, e demais áreas do
conhecimento.

O acervo é de livre acesso e os empréstimos são realizados de acordo com o


regulamento da Biblioteca.

Quadro Geral do Acervo:

Livros: 2210 volumes


CD-ROM: 223
DVD:300
Periódicos :15 assinaturas correntes

O horário de funcionamento da biblioteca é de 2ª feira das 13h às 19h e das 20h


às 22h, 3ª a 6ª feiras das 9h30 às 19h e das 20h às 22h aos sábados das 9h30
às 16h.

15 CRITÉRIO DE SELEÇÃO
Os laboratórios comportam um total de dezoito alunos por turma. Considerando
este parâmetro, o processo seletivo ocorrerá especificamente ou de forma
combinada por meio dos seguintes instrumentos, tomando por base a
quantidade de candidatos por vaga:

I – Avaliação do atendimento aos pré-requisitos exigidos;


II – Análise de currículo;
III – Entrevista.

O número máximo de alunos na turma é de 40 alunos.

16 SISTEMA DE AVALIAÇÃO
A avaliação do desempenho do aluno no curso é realizada segundo as diretrizes
educacionais do SENAI, por meio de avaliações escritas, análise de situação
problema, apresentação oral e/ou escrita de projetos.
As diretrizes metodológicas e a forma de avaliação são definidas pelo docente e
apresentadas aos alunos no início de cada módulo, bem como explicitados os

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 25

critérios de avaliação. Vale ressaltar que o processo de avaliação tem como


principal função a verificação do alcance do perfil do profissional.

Ao final de cada módulo aplica-se um questionário investigativo da qualidade dos


principais fatores intervenientes na qualidade do curso (docente, infraestrutura,
atendimento administrativo) de forma que se possa retroalimentar o sistema para
a melhoria contínua dos programas de formação.

São considerados aprovados no módulo os alunos que tiverem obtido


aproveitamento correspondente a 60% (sessenta por cento) na escala de 0 a
100 de notas e, pelo menos, 75% (setenta e cinco por cento) de frequência em
cada Disciplina/Módulo desenvolvido.

Os eventuais pedidos de Aproveitamento de Estudos e suas implicações


financeiras serão analisadas por comissões competentes nomeadas pela
direção da unidade escolar.

17 TRABALHO DE CONCLUSÃO
O trabalho de conclusão de curso (TCC) poderá ser efetivado por meio de duas
opções:

• Projeto executivo de sistemas para climatização, com plano de


implantação composto por documentação técnica, ações de curto, médio
e longo prazo, investimentos e tempo de amortização em relação ao
projeto.
• Artigo Técnico Científico baseado nas áreas tecnológicas de estudo da
Pós Graduação, dentro da formatação acadêmica estabelecida pela
Escola, com uma contribuição técnico-científica comprovada pela
relevância da proposta e pela desejável submissão em revistas e/ou
periódicos reconhecidos na área de pesquisa.

Os critérios de avaliação do TCC serão determinados pelo instrumento de


avaliação da banca examinadora composta pelo Professor Orientador e mais
dois colaboradores que atuam na Pós Graduação (Docentes ou
Coordenadores), em conformidade com a opção de confecção do TCC: Projeto
Executivo ou Artigo. A avaliação obedecerá numa escala de 0 a 100 sendo que
a aprovação ocorrerá com uma nota mínima de 70.

Na opção por artigo, caso o aluno tenha seu artigo publicado em revista indexada
da área, a avaliação terá os seguintes acréscimos conforme a classificação da
revista na Qualis CAPES:

• Qualis - A1: acréscimo de 15 pontos na nota da banca;


• Qualis - A2: acréscimo de 10 pontos na nota da banca;
• Qualis - B1: acréscimo de 5 pontos na nota da banca.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0


Faculdade de Tecnologia SENAI “Roberto Simonsen” 26

O aluno terá o prazo máximo de 6 (seis) meses após a conclusão dos módulos
do curso para entrega do seu TCC, tendo assim direito ao certificado de
conclusão caso seja aprovado pela banca.

18 CERTIFICAÇÃO
Os certificados de conclusão de cursos serão expedidos conforme dispõe o Art.
7º, da Resolução CNE/CES 1/2007. Diário Oficial da União, Brasília, 8 de junho
de 2007 do Ministério da Educação ou à legislação atual vigente.

Projeto Pedagógico – Gestão de Projetos Aplicada à Climatização -V5.0