Você está na página 1de 7

OFICINA TRIBUTÁRIA: ÉTICA E CIDADANIA

O que são?
TRIBUTOS
Qual a função:
FISCAL EXTRAFISCAL PARAFISCAL

Quais são os tipos:


IMPOSTOS: TAXAS: CONTRIBUIÇÕES: EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO

 II
 IE
 Iluminação  ESPECIAL:  SITUAÇÕES
 IR
FEDERAIS  IPI pública, INSS; EXCEPCIONAIS
PIS/PASEP;
 IOF  Pedágios CONFINS;  DE MELHORIA: INSTITUÍDAS
 ITR em rodovias CSLL; Quando o município
PELA UNIÃO:
CPMF; (administração) cobra
estatais, dos munícipes 1. Para atender às despesas
CIDE;
 recolhimen CONDECINE; residentes em um extraordinárias,
 ITCMD determinado local pelo
ESTADUAIS  ICMS
bto de lixo Sistema S” (SENAI, decorrentes de
asfalto de uma rua calamidade pública, de
urbano, SEBRAE, SESC,
 IPVA SEST, ETC);
 etc. guerra externa ou sua
Órgãos de iminência;
Fiscalização
Profissional (OAB,
2. No caso de investimento
 IPTU público de caráter
MUNICIPAIS CRC, CREA, CRECI,
 ITBI urgente e de relevente
CORE, CRQ, ETC.)
 ISS
interesse nacional.
TRIBUTOS (IMPOSTOS, CONTRIBUIÇÕES, TAXAS, CONTRIBUIÇÕES, EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO):
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tributo#Fun.C3.A7.C3.A3o_dos_tributos

O QUE ÉTRIBUTO ?
É toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito,
instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Tributo é a obrigação imposta as pessoas fisicas e pessoas
jurídicas de recolher valores ao Estado, ou entidades equivalentes (p.e. tribos e grupos revolucionários). É vulgarmente chamado por imposto,
embora tecnicamente este seja mera espécie dentre as modalidades de tributos.
Excluídos do conceito de tributo estão todas as obrigações que resultem de aplicação de pena ou sanção (p.e. multa de trânsito), os
tributos sempre são obrigações que resultam de um fato regular ocorrido. [1]
Os tributos podem ser pagos em dinheiro ou em trabalho, como na figura medieval da corvéia. Modernamente, nos sistemas tributários
capitalistas, somente o dinheiro é aceito como pagamento, subsistindo a corvéia em Estados tradicionais e pré-capitalistas.

QUAL A FUNÇÃO DOS TRIBUTOS?


No Brasil, os tributos podem ter função:
 FISCAL: Quando tem como objetivo a arrecadação de recursos financeiros para o Estado. Imposto de Renda, por exemplo;
 EXTRAFISCAL: Quando o objetivo é interferir no dominínio econômico, buscando regular determinados setores da economia. As
mudanças no IPI possuem essa função;
 PARAFISCAL: Quando ocorre a delegação, pela pessoa política (União, Estados-Membros, Distrito Federal e Municipios), mediante lei,
da capacidade tributária ativa à terceira pessoa (de direito público ou privado), de forma que esta arrecade o tributo, fiscalize sua
exigência e utilize-se dos recursos auferidos para a concecução de seus fins. Por exemplo, a contribuição anual paga pelos advogados à
OAB.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE TRIBUTOS?


 IMPOSTOS,
 TAXAS,
 CONTRIBUIÇÕES (de melhoria e Especiais),
 EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO, ETC.

BREVE DEFINIÇÃO DE ALGUNS TRIBUTOS NO BRASIL:


 IMPOSTOS
São tributos cuja obrigação tem por fato gerador uma situação independente de qualquer atividade estatal específica, relativa ao
contribuinte. Os impostos se caracterizam por serem de cobrança compulsória e por não darem um retorno ao contribuinte sobre o fato gerador.
Por exemplo, um imposto sobre posse de automóvel não necessariamente será revertido em melhorias das condições das vias urbanas ou
rodovias. Principais Tipos de Impostos:

FEDERAIS: No caso dos impostos federais, somente a União tem competência para instituí-los. Os principais são:
 II - Imposto sobre Importação
 IE - Imposto sobre Exportação
 IR – Imposto de Renda : tributo pago ao Estado a partir de um cálculo feito em cima das remunerações (salários, lucros, juros,
dividendos e aluguéis.) Há dois tipos de IR: o IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) e IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa
Jurídica).
 IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados: tributo pago a todo produto industrializado, mesmo que este esteja em fase
intermediária, parcial ou incompleta de industrialização. O IPI é regulamentado pelo Decreto 4.544 de 2002 (RIPI/2002). São imunes
ao IPI: I – os livros, jornais, periódicos e o papel destinado à sua impressão; II – os produtos industrializados destinados ao exterior;
III – o ouro, quando definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial; IV – a energia elétrica, derivados de petróleo,
combustíveis e minerais do País.
 IOF – Imposto sobre Operações Financeiras (Crédito, Câmbio, Seguro, ou relativas a Títulos e Valores Imobiliários): tributo pago
pelos envolvidos nas operações, com base de cálculo diferenciada para cada uma delas.
 ITR – Imposto sobre Territorial Rural: tributo pago por proprietário de terras fora do perímetro urbano. A base de cálculo é apenas
em cima da terra em si, sem levar em consideração beneficiamentos, tais como plantações.

ESTADUAIS: Os impostos Estaduais são de competência dos Estados e do Distrito Federal. Os principais são:
 ITCMD - Imposto de Transmissão "causa mortis" e Doação, de qualquer bens ou direitos.
 ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços: tributo pago por qualquer pessoa, física ou jurídica, que realize
operações com intuito comercial e prestação de serviços. Casos que o ICMS não é cobrado:
I – operações com livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão;
II – operações e prestações que destinem ao exterior mercadorias, inclusive produtos primários e produtos industrializados semi-
elaborados, ou serviços;
III – operações interestaduais relativas a energia elétrica e petróleo, inclusive lubrificantes e combustíveis líquidos e gasosos dele
derivados, quando destinados à industrialização ou à comercialização;
IV – operações com ouro, quando definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial;
V – operações relativas a mercadorias que tenham sido ou que se destinem a ser utilizadas na prestação, pelo próprio autor da
saída, de serviço de qualquer natureza definido em lei complementar como sujeito ao imposto sobre serviços, de competência dos
Municípios, ressalvadas as hipóteses previstas na mesma lei complementar;
VI – operações de qualquer natureza de que decorra a transferência de propriedade de estabelecimento industrial, comercial ou de
outra espécie;
VII – operações decorrentes de alienação fiduciária em garantia, inclusive a operação efetuada pelo credor em decorrência do
inadimplemento do devedor;
VIII – operações de arrendamento mercantil, não compreendida a venda do bem arrendado ao arrendatário;
IX – operações de qualquer natureza de que decorra a transferência de bens móveis salvados de sinistro para companhias
seguradoras. Equipara-se às operações de que trata o item II a saída de mercadoria realizada com o fim específico de exportação
para o exterior, destinada a: a) empresa comercial exportadora, inclusive tradings ou outro estabelecimento da mesma empresa; b)
armazém alfandegado ou entreposto aduaneiro.
 IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores : tributo pago anualmente pelos proprietários de automotores terrestres
(automóveis, motocicletas). O imposto varia de acordo com o Estado, o modelo do automotor, estado de conservação e
quilometragem e sua base de cálculo é em cima do valor de mercado.

MUNICIPAIS Os principais impostos municipais são:


 IPTU – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana: tributo pago anualmente por pessoas física ou jurídicas,
proprietários de imóveis em áreas urbanas. O cálculo do tributo é baseado no valor de mercado dos imóveis, por meio de critérios
estabelecidos em lei municipal e da aplicação de alíquotas diferenciadas.
 ITBI – Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens e Imóveis: sua hipótese de incidência, ou fato gerador in abstrato, é,
genericamente, a transmissão, por ato oneroso, de bens imóveis, excluindo-se a sucessão (causa mortis). Tem a legislação própria de
cada município. O ITBI não incide sobre a transmissão dos bens ou direitos: I – quando efetuada para sua incorporação ao patrimônio
de pessoa jurídica em pagamento de capital nela subscrito; II – quando decorrente da incorporação ou da fusão de uma pessoa jurídica
por outra ou com outra.
 ISS – Impostos sobre Serviços: tributo pago sobre a mão-de-obra utilizada para a execução dos serviços. Considera-se que mão-de-
obra é tudo que sobrar após o desconto dos valores referentes as notas fiscais de compra de materiais. A base de cálculo varia
conforme o município.
Existe uma distinção entre impostos indiretos e impostos diretos. Estes são pagos diretamente pelo contribuinte (o Imposto de Renda,
por exemplo), enquanto aqueles têm o valor embutido no preço da transação. Um exemplo é o ICMS. Impostos indiretos também não têm
qualquer variação na renda do contribuinte.

 TAXAS
As taxas são tributos incidentes sobre um fato gerador e que são aplicados em contrapartida a esse fato gerador, ou seja, a taxa é a
contrapartida que o contribuinte paga em razão de um serviço público que lhe é prestado ou posto à sua disposição. Além da contrapartida de um
serviço público prestado ou posto à disposição, as taxas também estão relacionadas ao poder de polícia da administração, englobando
fiscalizações e licenciamentos em geral.
Uma taxa só pode ser instituída por uma entidade tributante da mesma competência. Por exemplo: taxas de luz pública só podem ser
cobradas pelos municípios. Não necessariamente o pagante da taxa vai usar o serviço, apenas terá o serviço à disposição.

 CONTRIBUIÇÕES DE MELHORIA
As contribuições de melhoria são tributos que têm como fato gerador o benefício decorrente das obras públicas. Cobradas somente na
região beneficiada pela obra. Não necessariamente essas contribuições refletem em "melhoria", uma vez que algumas obras públicas em
determinadas regiões tendem a desvalorizar os imóveis locais. O fundamental para o fato gerador é o benefício decorrente da obra pública.
Assim, a contribuição de melhoria é instituída para custear obras públicas das quais decorram em valorização de bens imóveis e tem
como limite total da cobrança o custo da obra e limite individual, a valorização acrescida a cada imóvel.

 CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS
Também chamadas de contribuições sociais ou parafiscais, estão previstas nos artigos 149 e 149-A da Constituição Federal, sendo
tributos cuja característica principal é a finalidade para a qual é destinada sua arrecadação. Podem ser: sociais, de intervenção no domínio
econômico, de interesse de categorias econômicas ou profissionais e para custeio do serviço de iluminação pública (COSIP).
As contribuições especiais possuem finalidade e destino certo, definidos na lei que institui cada contribuição.
 EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO
Segundo o art. 148 da Constituição Federal, a União poderá instituir, mediante lei complementar, empréstimos compulsórios:
para atender às despesas extraordinárias, decorrentes de calamidade pública, de guerra externa ou sua iminência;
no caso de investimento público de caráter urgente e de relevante interesse nacional.

Interesses relacionados