Você está na página 1de 9

Transmissões

Automáticas
A transmissão automática moderna é, de
longe, o componente mais complicado
mecânicos no automóvel de hoje. A
transmissão automática conter sistemas
mecânicos, sistemas hidráulicos, sistemas
elétricos e controles de computador, todos
trabalhando juntos em perfeita harmonia,
que vai praticamente despercebida até que haja um problema.

O que é uma transmissão?


A transmissão é um dispositivo que é conectado à parte traseira do motor e envia a força do motor às
rodas motrizes. Um motor de automóvel funciona no seu melhor em um certo RPM (Revoluções Por
Minuto) alcance e é o trabalho do transporte para se certificar de que o poder é entregue às rodas,
mantendo o motor dentro desse intervalo. Ele faz isso através de combinações diferentes artes. Na
primeira marcha, o motor gira muito mais rápido em relação às rodas motrizes, enquanto que em alta
velocidade o motor é vadia mesmo que o carro pode ir mais de 70 MPH. Além das várias marchas, a
transmissão também tem uma posição neutra que desliga o motor das rodas motrizes, e verso, que faz
com que as rodas girar no sentido oposto o que lhe permite fazer backup. Finalmente, há a posição de
Park. Nesta posição, um mecanismo de trava (não muito diferente de uma fechadura tranca em uma
porta) é inserido em um slot no eixo de saída para travar as rodas e mantê-los girar, impedindo o veículo
de rolamento.
Existem dois tipos básicos de transmissões automáticas, dependendo se o veículo é tração traseira ou
tração dianteira.
Em um carro de passeio de
roda traseiro, A transmissão é
geralmente montado na parte
de trás do motor e está
localizada na nuca, no centro
do assoalho ao lado do pedal
do acelerador posição. Um
eixo de acionamento liga a
parte traseira da transmissão
para a unidade final, que está
localizado no eixo traseiro e é
usado para enviar energia para
as rodas traseiras. Fluxo de
potência no sistema é simples
e direto que vai do motor,
através do conversor de torque, em seguida, através do eixo de transmissão e de unidade até ao final da
unidade onde ele é dividido e enviado para as duas rodas traseiras.
Em
uma roda de movimentação
do carro da frente, A
transmissão é geralmente
combinada com a transmissão
final para formar o que é
chamado de transaxle. O
motor de um carro com tração
dianteira é geralmente
montada de lado no carro com
o transaxle escondido debaixo
dela ao lado do motor de frente
para a traseira do carro. eixos
dianteiros estão ligados
diretamente ao transaxle e
fornecer energia para as rodas dianteiras. Neste exemplo, os fluxos de potência do motor, através do
conversor de torque para uma grande rede que envia o poder através de um giro de 180 graus para a
transmissão que está ao lado do motor. A partir daí, o poder é distribuído através da transmissão para a
unidade final em que é dividido e enviado para as duas rodas dianteiras através dos eixos da unidade.
Há uma série de outros acordos, incluindo os veículos de tração dianteira, onde o motor é montado de
frente para trás, em vez de para os lados e há outros sistemas que conduzem todas as quatro rodas, mas
os dois sistemas descritos aqui são de longe os mais populares. Um arranjo de unidade muito menos
popular traseiro tem a transmissão montado diretamente para o disco final na traseira e é conectada por
um eixo de acionamento para o conversor de torque, que ainda está montado no motor. Este sistema
encontra-se no novo Corvette e é usada para equilibrar o peso igualmente entre as rodas dianteiras e
traseiras para melhor desempenho e manuseio. Outro sistema de tracção traseira monta tudo, o motor,
transmissão e transmissão final na parte traseira. Este arranjo do motor traseiro é muito popular na
Porsche.
Componentes de transmissão
A transmissão automática moderna consiste de muitos componentes e sistemas que são
projetados para trabalhar juntos em uma sinfonia de tecnologia mecânica, hidráulica e
elétrica inteligente que tem evoluído ao longo dos anos em que muitos indivíduos
mecanicamente inclinado consideram ser uma forma de arte. Tentamos usar explicações
simples e genérica, sempre que possível para descrever esses sistemas, mas, devido à
complexidade de alguns desses componentes, você pode ter que usar alguma ginástica mental para
visualizar o seu funcionamento.
Os principais elementos que compõem uma transmissão automática incluem:
• Conjuntos de engrenagens planetárias , que são os sistemas mecânicos que fornecem a
relação de marchas para a frente, assim como vários inversa.
• O Sistema Hidráulico que utiliza um fluido de transmissão especial enviado sob pressão por
uma bomba de óleo através doCorpo de válvula para controlar as embreagens e Bandas a
fim de controlar os conjuntos de engrenagens planetárias.
• Juntas e são usados para manter o petróleo, onde é suposto estar e impedir que ele escape
para fora.
• O conversor de torque que atua como uma embreagem para permitir que o veículo venha a
parar em marcha quando o motor ainda está funcionando.
• O governador eo modulador ou cabo do acelerador que monitoram a velocidade ea posição
do acelerador, a fim de determinar o momento de mudar.
• Nos veículos mais novos, os pontos de mudança são controlados por computador que dirige
solenóides elétricos para desvio do fluxo de petróleo para o componente apropriado no momento
certo.
Conjuntos de engrenagens planetárias
A transmissão automática contêm muitas marchas em várias
combinações. Em uma transmissão manual, artes deslizar
eixos como você se move a alavanca de mudança de uma
posição para outra, envolvendo várias artes dimensionados
para fornecer a relação de marcha correcto. Em uma
transmissão automática, porém, as marchas não são movidos
fisicamente e estão sempre envolvidos com as artes
mesmo. Isso é conseguido através da utilização de conjuntos
de engrenagens planetárias.
O conjunto de engrenagens planetárias básica consiste de uma
engrenagem solar, uma engrenagem de anel e duas ou mais
engrenagens planetárias, os demais em malha constante. As
engrenagens planeta estão conectados uns aos outros através
de um transportador comum que permite que as engrenagens
girem em eixos chamados de "asas", que estão ligados à
operadora.
Um exemplo de uma forma que este sistema pode ser utilizado
é através da ligação a engrenagem do anel ao eixo de entrada vindo do motor, ligar o portador do planeta
ao eixo de saída, e bloqueando a engrenagem solar de modo que não pode se mover. Neste cenário,
quando nos voltamos a engrenagem do anel, os planetas vão "caminhar" ao longo da engrenagem solar
(que é mantido estacionário) fazendo com que o portador do planeta para girar o eixo de saída na mesma
direção do eixo de entrada, mas em uma velocidade lenta causando redutor (semelhante a um carro em
primeira marcha).
Se destravar a engrenagem solar e bloquear qualquer dois elementos em conjunto, isso fará com que
todos os três elementos para transformar com a mesma velocidade de modo que o eixo de saída girará
na mesma taxa de velocidade como o eixo de entrada. Isto é como um carro que está em terceira marcha
ou alta. Outra forma que podemos usar um conjunto de engrenagens planetárias está bloqueando o
portador do planeta de se mover, em seguida, aplicar o poder para a engrenagem do anel que fará com
que a engrenagem solar girar na direção oposta
nos dando marcha.
A ilustração à direita mostra como o sistema
simples descrita acima ficaria em uma
transmissão. O eixo de entrada é conectado à
engrenagem de anel(azul), o eixo de saída está
ligado ao portador do planeta (Green), que
também está ligado a uma embreagem de disco
"Multi-pack". A engrenagem solar está ligado a
uma bateria (amarelo) que também está ligada à
outra metade do pacote de embreagem. Em
redor do exterior do tambor, é uma
banda (vermelho), que pode ser apertado em
volta do tambor, quando necessário para evitar
que o cilindro com a engrenagem solar anexado
de viragem.
O pacote de embreagem é utilizada, neste caso,
para bloquear o portador do planeta com a
engrenagem solar forçando tanto girar na mesma
velocidade.Se ambos os pack da embreagem e
da banda foram liberados, o sistema estaria em posição neutra. Virando o eixo de entrada seria
transformar o planeta engrenagens contra a engrenagem solar, mas uma vez que nada está segurando a
engrenagem solar, ela só vai girar livre e não têm efeito sobre o eixo de saída. Para colocar a unidade em
primeira marcha, a banda é aplicada para manter a engrenagem solar de se mover. Para passar da
primeira para a alta velocidade, a banda é libertado ea embreagem é aplicado fazendo com que o eixo de
saída para ligar na mesma velocidade do eixo de entrada.
Muitas combinações são
possíveis através de dois ou
mais conjuntos planetários
conectados de várias maneiras
para fornecer os diferentes
velocidades à frente e reverso
que são encontrados nas
modernas transmissões
automáticas.
Algumas das modalidades
artes inteligente encontrada
em quatro e, agora, cinco, seis
e até sete e oito velocidades
automáticas são complexos o
suficiente para fazer uma
tecnicamente astuto colocar a
cabeça da pessoa spin
tentando entender o fluxo de
energia através da
transmissão, que mudará a
partir de primeiro artes através
de top gear, quando o veículo
acelera de velocidade da
estrada. Nos veículos
modernos (meados dos anos 80 até o presente),
o computador do veículo monitora e controla
essas mudanças para que elas sejam quase
imperceptíveis.
Embreagem Packs
Um pacote de embreagem consiste em alternar
os discos que se encaixam dentro de um tambor
de fricção. Metade dos discos são de aço e têm
ranhuras que se encaixam em pomares no
interior do tambor. A outra metade tem um
material de fricção ligados à sua superfície e
splines têm na ponta que se encaixam dentro de
bosques na superfície externa do cubo adjacente. Há um pistão no interior do cilindro que é ativado por
pressão de óleo no momento oportuno para apertar o pacote de embreagem de forma que os dois
componentes ficam travados e volta como um.
One-Way Clutch
Uma embreagem unidirecional (também conhecido como uma embreagem "sprag") é um dispositivo que
permitirá que um componente, como engrenagem de anel para girar livremente em uma direção, mas não
no outro. Este efeito é como a de uma bicicleta, onde os pedais vai girar a roda quando a pedalar para a
frente, mas vai girar livre quando a pedalar para trás.
Um lugar onde uma embreagem de sentido único é usado é em primeira marcha quando o câmbio está
na posição de dirigir.Quando você começa a acelerar de um batente, a transmissão começa em primeira
marcha. Mas você já reparou o que acontece se você liberar o gás enquanto ela ainda está em primeira
marcha? O veículo continua a costa, como se estivesse em ponto morto.Agora, mudança para baixo em
vez de artes Drive. Quando você soltar o gás, neste caso, você vai sentir o motor de atrasá-lo apenas
como um carro padrão do deslocamento. A razão para isso é que na unidade, uma embreagem
unidirecional é usado enquanto na Baixa, um pacote de embreagem ou de uma faixa é usada.
Bandas
A banda é uma cinta de aço com material de atrito aderente à
superfície interna. Um fim da banda está ancorada contra a caixa de
transmissão, enquanto a outra extremidade é conectada a um
servo. No momento apropriado do óleo hidráulico é enviado para o
servo sob pressão para apertar a banda ao redor do tambor para
parar o tambor de giro.
Conversor de
torque
Em transmissões
automáticas, o
conversor de torque
toma o lugar da
embreagem encontrados em veículos deslocamento
padrão. Ele está lá para permitir que o motor continue
rodando quando o veículo se imobiliza. O princípio por trás
de um conversor de torque é como tomar um fã que é
plugado na parede e um sopro de ar em um outro fã, que
está desligado. Se você pegar a lâmina do ventilador
desligado, você será capaz de segurá-la de girar, mas logo
que você deixar ir, ele vai começar a acelerar até chegar
perto da velocidade do ventilador ligado. A diferença com um conversor de torque é que em vez de utilizar
ar, ele usa óleo ou fluido de transmissão, para ser mais preciso.
Um conversor de torque é um dispositivo em forma de anel grande (10 "a 15" de diâmetro) que é montado
entre o motor ea transmissão. Ele consiste de três elementos internos que trabalham juntos para
transmitir energia para a transmissão. Os três elementos do conversor de torque
são a bomba, o Turbina, eo estator. A bomba é montado diretamente na carcaça do
conversor que por sua vez é parafusada diretamente ao virabrequim do motor e
gira a velocidade do motor. A turbina é dentro da caixa e está ligado diretamente ao
eixo de entrada da
transmissão fornecendo
energia para movimentar o
veículo. O estator é
montado uma embreagem
unidirecional de modo que
possa girar livremente em uma direção, mas não
no outro. Cada um dos três elementos que têm
barbatanas montados nelas precisamente a
direcionar o fluxo de petróleo através do
conversor
Com o motor em funcionamento, o fluido de
transmissão é puxado para dentro da seção de
bombeamento e é empurrada para fora pela força
centrífuga até atingir o ponto de turbina, que
começa a se transformar. O líquido continua em
um movimento circular de volta para o centro da
turbina onde entra o estator. Se a turbina está
movendo-se consideravelmente mais lenta do
que a bomba, o fluido vai fazer contato com a
parte frontal das nadadeiras estator que
empurram o estator na embreagem unidirecional e evitar que ele gire. Com o estator interrompido, o fluido
é dirigido pelas aletas do estator para re-introduzir a bomba a uma "ajuda" ângulo proporcionando um
aumento de torque. Como a velocidade da turbina alcança com a bomba, o líquido começa a bater as
lâminas do estator do lado de volta fazendo com que o estator girar na mesma direção da bomba e
turbina. À medida que a velocidade aumenta, os três elementos começam a girar em aproximadamente a
mesma velocidade.
Desde os anos 80, a fim de melhorar a economia de combustível, conversores de torque foram equipados
com uma embreagem de travamento (não mostrado) que bloqueia a turbina à bomba como a velocidade
do veículo atinge cerca de 45-50 MPH. Este bloqueio é controlado pelo computador e, geralmente, não se
dedicará a menos que a transmissão está em 3 º ou 4 ª velocidade.
Sistema Hidráulico
O sistema hidráulico é um complexo labirinto de
passagens e tubos de fluido de transmissão que
envia sob pressão para todas as partes da
transmissão e conversor de torque. O diagrama à
esquerda é simples a partir de uma de 3
velocidades automática dos anos 60. Os sistemas
mais recentes são muito mais complexos e são
combinados com informatizados componentes
elétricos. Envio fluido serve a vários propósitos,
incluindo: controle de deslocamento, lubrificação
geral e refrigeração de transmissão.Ao contrário
do motor, que usa principalmente óleo de
lubrificação, todos os aspectos das funções de
uma transmissão estão a cargo de um
fornecimento constante de líquido sob
pressão. Isso não é ao contrário do sistema
circulatório humano (o fluido é mesmo o
vermelho), onde até alguns minutos de
funcionamento quando houver falta de pressão
pode ser prejudicial ou mesmo fatal para a vida
da transmissão. A fim de manter a transmissão
em temperatura normal de funcionamento, uma
parte do líquido é enviado através de um dos dois
tubos de aço a uma câmara especial que está
submersa no anticongelante no radiador. Fluido
que passa esta câmara é resfriado e depois
voltou para a transmissão através do tubo de aço
de outros. Uma transmissão típico tem uma média de dez quarts de fluido entre a transmissão, conversor
de torque, e cooler tanque.Na verdade, a maioria dos componentes de uma transmissão estão
constantemente submersas no líquido, incluindo os pacotes de embreagem e bandas. As superfícies de
fricção sobre estas peças são projetadas para funcionar adequadamente apenas quando eles estão
submersos em óleo.
Bomba de óleo
A bomba de óleo da transmissão (não deve ser confundido com o elemento da bomba dentro do
conversor de torque) é responsável pela produção de toda a pressão do óleo que é exigido na
transmissão. A bomba de óleo é montado na frente da caixa de transmissão e está diretamente ligado a
uma flange na carcaça do conversor de torque. Visto que o conversor de torque é diretamente ligado ao
virabrequim do motor, a bomba irá produzir pressão sempre que o motor está funcionando, enquanto há
uma quantidade suficiente de fluido de transmissão disponíveis. O óleo entra na bomba através de um
filtro que está
localizado na parte
inferior do cárter de
óleo de transmissão
e viaja até um tubo
de coleta diretamente
para a bomba de
óleo. O óleo é então
enviado, sob pressão
para o regulador de
pressão, o corpo de
válvula eo resto dos
componentes,
conforme necessário.
Corpo da Válvula
O corpo da válvula é
o centro de controle
da transmissão
automática. Ele
contém um labirinto de canais e passagens que o fluido hidráulico direto para as válvulas numerosos que,
em seguida, ativar o pacote de embreagem adequado ou servo banda suave transição para a velocidade
adequada para cada situação de condução. Cada uma das válvulas de muitos no corpo de válvula tem
uma finalidade específica e é nomeado para essa função. Por exemplo, a válvula de mudança 2-3 ativa a
engrenagem segunda-terceira se preparam mudança ou a mudança de calendário da válvula 02/03 que
determina quando um downshift deve ocorrer.
A válvula mais importante e aquele que você tem controle direto sobre o manual da válvula. A válvula
manual está diretamente ligado à mudança de velocidades e punho cobre e descobre várias passagens
dependendo da posição da alavanca de mudança é colocado dentro Quando você coloca a alavanca de
mudanças na unidade, por exemplo, a válvula manual orienta fluido para o pacote de embreagem ( s) que
ativa a 1 ª marcha.também configura para monitorar a velocidade do veículo e posição do acelerador para
que ele possa determinar o tempo ideal ea força para a 1 - dois turnos. Em transmissões controladas por
computador, você também terá solenóides elétricos que são montados no corpo da válvula para dirigir
fluido para os pacotes de embreagem ou faixas adequadas sob o controle do computador para controlar
mais precisamente os pontos de mudança.
Computadores Controles
O computador usa os sensores do
motor e transmissão para detectar
coisas como posição do acelerador,
velocidade do veículo, velocidade do
motor, carga do motor, posição do
pedal de freio, etc, para controle de
pontos de mudança exata e também
como mole ou firme a mudança
deveria ser. Uma vez que o
computador recebe essa informação,
ele envia sinais para um pacote de
solenóide dentro da transmissão. O
pacote contém várias bobinas de
solenóide controlada eletricamente
que redirecionar o fluido para o pacote
apropriado ou servo de embreagem
para controlar a
mudança. transmissões
computadorizada mesmo aprender o
seu estilo de condução e de se
adaptar constantemente a ele para
que cada turno é cronometrada
precisamente quando você precisar dele.
Por causa de controles de computador, modelos esportivos estão saindo com a capacidade de assumir o
controle manual da transmissão, como se fosse uma alavanca, permitindo ao condutor seleccionar as
marchas manualmente. Isso é feito em alguns carros, passando a alavanca de mudança através de um
portão especial, em seguida, tocando em um sentido ou no outro, para cima ou para baixo-shift-shift na
vontade. Os monitores desta actividade para se certificar de que o condutor não seleciona uma
engrenagem que poderia sobre a velocidade do motor e danificá-lo.
Outra vantagem para os "inteligentes" as transmissões é que eles têm um modo de auto diagnóstico, que
pode detectar um problema logo no início e avisá-lo com uma luz indicadora no painel. Um técnico pode,
em seguida, conecte o equipamento de ensaio e recuperar uma lista de códigos de problema que vai
ajudar a apontar onde está o problema.
Governador, o modulador de vácuo, cabo do acelerador
Estes três componentes são importantes para as transmissões não informatizado. Eles fornecem os
insumos que contam a transmissão quando a mudança. O governador está conectado ao eixo de saída e
regula a pressão hidráulica com base na velocidade do veículo. Ele faz isso usando força centrífuga para
girar um par de pesos articulada contra o pull-back molas. Como os pesos puxar ainda mais contra as
molas, mais pressão do óleo é permitida após o governador para agir sobre as válvulas de mudança que
estão no corpo de válvula que, em seguida, o sinal de mudanças apropriadas.
Naturalmente, a velocidade do veículo não é a única coisa que controla quando uma transmissão deve
mudar, a carga que o motor está sob também é importante. Quanto mais carga que você colocar no
motor, mais a transmissão irá realizar uma marcha antes de passar para a próxima.
Existem dois tipos de dispositivos que servem para monitorar a carga do motor: o cabo do acelerador e
do modulador de vácuo. A transmissão irá utilizar um ou outro, mas geralmente não esses dois
dispositivos. Cada um trabalha de uma maneira diferente para monitorar a carga do motor.
O cabo do acelerador simplesmente monitora a posição do pedal do acelerador através de um cabo que
vai do pedal do acelerador para a válvula de aceleração no corpo da válvula.
O modulador de vácuo monitores vácuo do motor através de uma mangueira de vácuo de borracha, que é
ligado ao motor. vácuo do motor reage com muita precisão a carga do motor com alto vácuo produzido
quando o motor está sob carga leve e diminuir até zero vácuo quando o motor está sob uma carga
pesada. O modulador é ligado ao exterior da caixa de transmissão e tem um eixo que passa pelo caso e
atribui a válvula do acelerador no corpo da válvula. Quando um motor está sob uma carga leve ou
nenhuma carga, actos de alto vácuo do modulador que move a válvula do acelerador em uma direção
para permitir a transmissão ao turno da manhã e macio. À medida que aumenta a carga do motor, o
vácuo é diminuta, que move a válvula na direção oposta causando a transmissão de mudar mais tarde e
com mais firmeza.
Juntas e
A transmissão automática tem muitos selos e gaxetas para controlar o fluxo de fluido hidráulico e para
mantê-lo de escape para fora. Existem dois principais selos externos: a vedação dianteiro e traseiro do
selo. O selo selos frente ao ponto onde o conversor de torque montado para o caso de transmissão. Este
selo permite que o líquido mover-se livremente a partir do conversor para a transmissão, mas mantém o
líquido escorra. A vedação traseira mantém o vazamento de fluido após o eixo de saída.
Um selo é geralmente feito de borracha (semelhante à borracha em uma lâmina de limpador de pára-
brisa) e é usada para manter o óleo vaze passado uma parte móvel, como um eixo de giro. Em alguns
casos, a borracha é assistida por uma mola que prende a borracha em contato próximo com o eixo de
giro.
Uma vedação é uma espécie de selo usado para selar duas partes fixas que são mantidas juntas. Alguns
materiais de vedação comuns são: metal, papel, cortiça, borracha, silicone e macio.
Além dos selos principal, há também uma série de outras vedações e gaxetas que variam de transmissão
para a transmissão.Um exemplo comum é a borracha O-ring que veda o eixo da alavanca de controle de
deslocamento. Este é o eixo que move quando você manipula o câmbio de engrenagens. Outro exemplo
que é comum à maioria das transmissões é a junta do cárter. Na verdade, os selos são necessários em
qualquer lugar que um dispositivo precisa passar pelo processo de transmissão com cada um sendo uma
fonte potencial de vazamentos.
Spotting problemas antes que eles pioram
• Ver se há vazamentos ou manchas sob o carro
Se houver um vazamento de óleo persistente vermelho que você tem certeza que está vindo do
seu carro, você deve ter o seu cheque loja para ver se ele está vindo de sua transmissão ou,
possivelmente, a partir do seu sistema de direção hidráulica (maioria dos sistemas de direção
hidráulica também usam fluido de transmissão e vazamentos podem aparecer no terreno em
cerca de as mesmas áreas que vazamentos de transmissão.) Se tudo que você vê é algumas
gotas no chão, você pode ser capaz de adiar os reparos, desde que você verifique o nível do
fluido muitas vezes (mas verifique com seu técnico para ter certeza.) Se a transmissão níveis de
fluido descer abaixo dos níveis mínimos de transmissão danos graves podem ocorrer (o mesmo
conselho vale para vazamentos de direção hidráulica também.)
• Verifique líquido de cor e odor
A maioria dos fabricantes exigem que você verifique os níveis de fluido da transmissão quando o
veículo está em execução e em terreno plano. Puxe a vareta de transmissão para fora e verificar
o líquido de cor e odor. Envio fluido é um óleo vermelho transparente parecida com xarope de
cereja. Se o líquido estiver turvo ou barrento, ou tem um odor queimado, você deve ter verificado
pelo seu técnico, que provavelmente irá aconselhá-lo a ter um dreno de transmissão e de
recarga ou transmissão tune-up. Consulte a seção Manutenção abaixo para mais detalhes sobre
este serviço.
• ser sensível aos novos ruídos, vibrações e mudança de comportamento
Uma transmissão moderna deve mudar de forma suave e silenciosamente sob aceleração da
luz. aceleração mais pesados devem produzir mudanças mais firme em altas velocidades. Se os
pontos de mudança são irregulares ou você ouvir ruídos ao deslocar, você deveria ter verificado
para fora imediatamente. Lamentar-se os ruídos provenientes do assoalho também são motivo
de preocupação. Se diagnosticada no início, muitos problemas podem ser resolvidos sem
revisões transmissão onerosa.Mesmo se você sentir que não podem pagar as reparações neste
momento, você deve pelo menos fazer o controle. O técnico pode ser capaz de lhe dar algumas
dicas sobre o que fazer e não fazer para prolongar a vida a transmissão até que você pode
pagar o conserto.
Manutenção
Envio fluido deve ser trocado periodicamente. O manual do proprietário deve dar-lhe os intervalos
recomendados que podem ser em qualquer lugar de 15 mil milhas para 100 mil milhas. A maioria dos
especialistas recomendam mudar a transmissão do fluido e filtro a cada 25.000 milhas.
transmissões Poucos bujões de drenagem para drenar o líquido de idade. A fim de obter o líquido, o
técnico remove o cárter de transmissão. Este é completamente um trabalho complicado e geralmente não
é recomendado para o casual faça-você-mesmo. Mesmo se a transmissão tem um bujão de drenagem, a
única maneira de mudar também o filtro da transmissão é a remoção do tabuleiro. Quando a panela é
baixo, o técnico pode verificar se há lascas de metal e outros detritos, que são indicadores de problemas
de transmissão iminente.
Na maioria dos casos durante estes serviços de transmissão, apenas cerca de metade do petróleo é
capaz de ser removido da unidade. Isso ocorre porque a maior parte do óleo é o conversor de torque e
linhas de cooler e não pode ser drenado sem grandes desmontagem. Os intervalos de troca de fluidos
são baseados no fato de que alguns fluido velho permanece no sistema.
Quando a transmissão é atendido, certifique-se que o fluido correto é usado para voltar a enchê-lo. Cada
fabricante de transmissão tem sua própria recomendação para o bom fluido de usar e os componentes
internos são projetados para que a fórmula específica. GM usa geralmente Dexron, Fords antes de 1983
o uso do tipo F, enquanto modelos posteriores usar Mercon. produtos Late modelo Chrysler uso ATF +3
+4 (Não é correto o uso do líquido para transmissões Chrysler é o motivo mais comum para os seus
problemas de transmissão.) Toyota vezes usa o tipo T, que só está disponível através Toyota e Lexus
departamentos Parts. A Honda também especificações a sua própria fórmula que está disponível a partir
de Honda ou departamentos peças de Acura. A transmissão não irá funcionar corretamente ou pode até
escorregar ou tremer com o fluido incorreta, por isso certifique-se que você verifique. O manual do
proprietário irá dizer-lhe que o líquido é necessária.Naturalmente, manual do proprietário tentará
convencê-lo a usar somente fluido de marca do fabricante, mas que também irá fornecer-lhe as
especificações para o óleo. Se o produto de reposição em sua embalagem indica que atendem ou
excedem as especificações para um determinado tipo de fluido de transmissão, geralmente é ok para
usar esse produto.

Envio reparos.
• Ajustes e Reparos Car-Em
Há vários problemas que podem ser resolvidos com um ajuste (Um simples ajuste é aquele que
pode ser feito sem retirar a transmissão do veículo.) Ou de pequena reparação.

Se um modelo atrasado de transmissão (transmissões, controlado por computador começou a se


tornar popular no início dos anos 90) não está mudando de forma adequada, muitas vezes é o
resultado de um computador que envia sinais incorretos devido a um sensor defeituoso, ou a
transmissão não está reagindo ao computador comando por causa de uma má conexão ou
pacote solenóide defeituoso. Estes problemas podem ser corrigidos enquanto a transmissão é
no carro, por muito menos dinheiro, em seguida, uma revisão completa.

Se a transmissão não controlados pelo computador está mudando muito cedo ou muito tarde,
pode exigir um ajustamento do cabo do acelerador. Como os cabos do acelerador raramente
saem do ajuste por conta própria ou devido ao desgaste, esses mal-adaptações são geralmente
devido a trabalhos de reparação ou outros danos causados por um acidente. Se o veículo tiver
um modulador de vácuo em vez de um cabo do acelerador, há um ajuste que pode ser feito
usando um parafuso de ajuste em alguns modelos modulador. Em veículos com moduladores,
no entanto, é muito importante que não há fugas de vácuo eo motor está funcionando no pico
eficiência. vácuo do motor é muito sensível à forma como o motor está funcionando. De fato,
muitos técnicos utilizam um medidor de vácuo para diagnosticar problemas de desempenho e
estado-da-tune. Muitos dos problemas que parecem ser problemas de transmissão desaparecem
após um reparo performance tune-up ou relacionados com o motor foi concluída.

Em algumas transmissões mais velhos, as faixas podem ser ajustados para resolver
"escorregando" condições. Escorregando é quando um motor de corridas, brevemente, quando
os deslocamentos de transmissão de uma engrenagem para a próxima. Não há ajustes para
pacotes de embreagem no entanto.
• Emprego Reseal
A transmissão é selada, a fim de reparar vazamentos de fluido da transmissão externa. Se você
ver manchas de óleo vermelho no chão debaixo do carro, sua transmissão pode ser um
candidato a um emprego feche. A fim de verificar a transmissão de vazamentos, o técnico vai
colocar o carro em um elevador e examinar o aparelho para detectar sinais de vazamentos de
óleo. Se um vazamento for localizado em qualquer um dos selos ou vedações externas e para a
transmissão de outra forma funciona bem, o técnico provavelmente irá recomendar que a
transmissão de ser selada.
A maioria dos selos externo pode ser substituído, enquanto a transmissão ainda no carro, mas,
se o selo da frente deve ser substituído, a transmissão deve primeiro ser retirado do veículo a fim
de ganhar acesso a ela, tornando-se um trabalho muito mais caro.
• Substitua as peças acessíveis
Há uma série de peças que são acessíveis sem a necessidade de remoção da transmissão
completa. muitas das peças de controle, incluindo a maioria das peças elétricas são reparadas,
simplesmente removendo o cárter. As peças que estão acessíveis, porém, variam de
transmissão para transmissão e instalações de reparação mais transmissão hesitaria em
fornecer as garantias significativas em reparos externos, pela simples razão de que não pode ver
se existem outros problemas internos nos componentes que só são acessíveis por transmissão
de remoção.
• Revisão Completa
Em uma revisão completa (também conhecido como reconstrução de uma transmissão), a
transmissão é retirado do veículo e completamente desmontado com as peças dispostas em
uma bancada. Cada peça é inspecionada para o desgaste e danos e em seguida, limpas em
uma solução de limpeza especial ou substituída por outra parte dependendo de sua condição. As
peças que têm superfícies de atrito, como bandas e embreagens passam a ter como são todas
as vedações e gaxetas. O conversor de torque também é substituído, geralmente com um
recondicionado. Boletins de Serviço Técnico são verificados para ver se a montadora recomenda
qualquer alteração para corrigir defeitos de design que foram descobertos após a transmissão foi
construída. Os fabricantes de automóveis muitas vezes fazem kits de atualização disponíveis
para lojas de transmissão para resolver esses defeitos de projeto.
• Substituição da unidade contra reforma da unidade existente
Quando uma transmissão exige uma revisão geral, geralmente há duas opções que você pode
ter. O primeiro é para remover a sua transmissão existentes e revisão que, em seguida, colocar
a mesma unidade, recentemente reconstruído, volta em seu carro.A segunda opção é substituir
a unidade existente com uma outra unidade que já foi reconstruída ou remanufaturados.
A segunda opção vai te tirar da loja e no seu modo muito mais rápido, mas pode causar
problemas no caminho. A razão para isto é que, em alguns, mas nem todos os casos, um
modelo de transmissão particular pode ter dezenas de variações, dependendo de qual modelo
de carro, que motor, cuja relação de eixo, mesmo que o tamanho do pneu. Os problemas que
você pode experiência poderia ser tão simples quanto um velocímetro que lê muito alta ou muito
baixa (o velocímetro geralmente é conectado por um cabo a uma engrenagem no eixo de saída
da transmissão.) Você também pode ter pontos de mudança errada ou até mesmo falha de
transmissão completa, pois o motor pode ser mais poderosa do que a unidade de substituição foi
originalmente projetado.Este não é o caso com todos os modelos de transmissão para ouvir as
suas preocupações com o seu técnico. A maioria das lojas vai reconstruir a sua unidade já
existente, se você solicitar, desde que eles podem dar ao luxo de ter um elevador amarrado com
seu carro quando a transmissão está sendo reconstruída. Claro que isto só é importante se você
tem certeza que a transmissão que você tem é o original e nunca antes foi substituída.