Você está na página 1de 9

CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DO PIAUÍ - CEUPI

GRUPO EDUCACIONAL CEUMA


BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL

APLICAÇÃO DA TÉCNICA LINHA DE BALANÇO (LDB) EM


OBRAS DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA

Ana Maria de Souza Alves1


Thyago Camelo Pereira da Silva 2

Resumo: Visando o aumento do lucro do empreendimento, nos últimos anos as empresas do


ramo da construção civil têm cada vez mais investido em processos de gerenciamento de
obras. O planejamento é um mecanismo imprescindível para alcançar esse objetivo. A partir
dele é possível fazer o controle do orçamento da obra, compras, gestão de pessoas, duração
das atividades, etc. A Construção Civil é bem diversificada no que tange à natureza dos
serviços executados na obra, bem como as técnicas de planejamento para o acompanhamento
dos mesmos. As obras de natureza repetitiva vêm ganhando destaque, que pode ser verificado
quando olhamos para obras verticais, redes de abastecimento, estradas, linhas de transmissão
de energia, entre outras. Este trabalho tem como objetivo aplicar a Técnica Linha de Balanço
(LDB) em obras de linhas de transmissão de energia, já que é apropriada para
acompanhamento de obras com essa característica.

Palavras-chave: Planejamento. Linha de Balanço. LDB. Linhas de Transmissão.

Abstract: Aiming to increase the profit of the enterprise, in the last years the companies of
the branch of the civil construction have more and more invested in processes of management
of works. Planning is an indispensable mechanism to achieve this goal. From there it is
possible to control the budget of the work, purchases, people management, duration of
activities, etc. Civil Construction is well diversified with regard to the nature of the services
performed in the work, as well as the planning techniques to follow them. The works of
repetitive nature are gaining prominence, which can be verified when we look at vertical
works, supply networks, roads, power transmission lines, among others. This work aims to
apply the Line of Balance (LOB) in works of power transmission lines, since it is appropriate
to follow works with this characteristic.

Keywords: Planning. Line of Balance. LOB. Transmission Lines.

1. INTRODUÇÃO
Durante os últimos anos, o ramo da construção vem sofrendo alterações consideráveis.
Atualmente, as empresas perceberam que investir em processos de gestão e controle é
inevitável, visto que esses aumentam em um empreendimento os indicadores de prazo, custo,
lucro, retorno sobre o investimento e o fluxo de caixa. Estudos realizados no Brasil e no
exterior vieram para comprovar que as deficiências do planejamento e controle estão entre as
principais causas da baixa produtividade, das elevadas perdas e baixa qualidade dos produtos
(MATTOS, 2010).
Nascendo de um resultado que se almeja alcançar, o planejamento existe para que a
partir desse resultado sejam identificadas as etapas necessárias, levantados os objetivos, no
sentido de reunir informações para que os imprevistos sejam evitados e os riscos eliminados.
Com isso, a confiabilidade dos resultados esperados aumenta, como também diminui as
incertezas e a versatilidade do processo de construção, levando ao cumprimento dos prazos
pré-estabelecidos e dos custos previstos no final do projeto (FERREIRA, 2011).
Um dos propósitos do planejamento de obras, é reduzir a quantidade de recursos
necessários, a fim de minorar os custos de produção, sem diminuir é claro a qualidade dos
serviços (MAZIERO, 1990).
Alguns empreendimentos na Construção Civil, tem a natureza repetitiva quando levado
em consideração os serviços executados na obra. Visando padronizar os processos, a indústria
da construção, nos últimos anos, tem impulsionado o desenvolvimento de técnicas e
estratégias de planejamento para esses tipos de obras (MENDES JR., 1999). Um conceito que
se aplica a estes empreendimentos é o conceito da técnica de linha de balanço (LDB) (LUTZ,
1990). A LDB é uma técnica apropriada para o planejamento e controle de obras com
atividades repetitivas.
Após conversas com profissionais da área e a busca por publicações foi observado que
essa técnica é difundida em obras de casa populares do Programa Minha Casa Minha Vida e
de prédios verticais. Com o crescimento das concessões de Linhas de Transmissão de energia
pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a inexistência de trabalhos publicados
voltados para esse contexto, este trabalho tem como objetivo apresentar ao meio acadêmico e
profissional a aplicação da técnica da LDB à uma obra de Linha de Transmissão de Energia.
Quanto à organização, o presente trabalho está estruturado da seguinte forma: na seção
2 é apresentado o Referencial Teórico, na seção 3 a Metodologia, na seção 4 os Resultados e
Discussões e, por fim a seção traz a Conclusão.

2. REFERENCIAL TEÓRICO
2.1. Contexto histórico
A técnica da Linha de Balanço (LDB) ou do inglês Line of Balance (LOB) foi
elaborada pela Goodyear Tire & Rubber Company, em 1941 nos EUA. Nos anos 1950 ela foi
aplicada com êxito para o planejamento e controle de produção da Marinha Americana
(MATTOS, 2010).
Com o término da segunda Guerra Mundial, havia, principalmente na Europa, a
necessidade de agilizar a construção de moradias nas cidades devastadas pela guerra. Então,
com o objetivo de planejar a construção de conjuntos habitacionais, a técnica da linha de
balanço foi adequada para a indústria da construção civil (PRADO, 2002).
Nas décadas de 1970 e 1980 o método da Linha de Balanço chegou ao Brasil para
auxiliar no planejamento de conjuntos habitacionais populares. Hoje em dia sua utilização é
pequena, devido essa técnica não ter sido muito difundida. A ausência do pleno conhecimento
dessa técnica e de softwares levou à essa não difusão. No Brasil, a técnica é executada através
de planilhas eletrônicas no Excel (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014).

2.2. O Planejamento na Construção Civil


Na construção o planejamento é um recurso fundamental para a gestão e execução dos
projetos. Os processos de construção, definição dos serviços, estimativas das durações e
escolha dos recursos necessários e a identificação das relações da sequência de execução dos
serviços, são algumas das atividades que abrangem toda a construção de uma obra e que são
abordadas no planejamento (FERREIRA, 2011).
De acordo com Goldman (2004) o planejamento hoje se constitui em um dos
principais fatores para o sucesso de qualquer empreendimento.

2.3. A Técnica da Linha de Balanço (LDB)


Algumas técnicas e ferramentas auxiliam o engenheiro a obter êxito na execução do
planejamento. A escolha da técnica adequada varia de acordo com a cultura empresarial e a
particularidade da obra (GOMES, 2010). Entre essas técnicas se destacam os diagramas de
barras (gráfico de GANT), as técnicas de rede (PERT/CPM) e a linha de balanço (LDB)
(MENDES JR., 1999).
Para obras em geral as técnicas mais utilizadas são o gráfico de GANT e a rede
PERT/CPM (MAZIERO, 1990). Quando se analisa obras repetitivas, ou seja, obras em que as
atividades se repetem inúmeras vezes quando se leva em consideração uma unidade de
repetição, faz-se necessário o uso da técnica da LDB (FERREIRA, 2011). Construção de
estradas, conjuntos habitacionais, edifícios altos, redes de média tensão, linhas de
transmissão, redes de água e esgoto e túneis são exemplos de obras de caráter repetitivo e de
construção linear (SILVA, 2015).
A técnica do PERT/CPM, já obteve bastante sucesso no planejamento e controle de
projetos, mas para projetos de natureza repetitiva não são adequadas, pois as atividades
repetitivas em ciclos na maioria das vezes têm diferentes produtividades. A LDB, conhecida
também por diagrama espaço-tempo, é uma técnica de planejamento desenvolvida para esse
tipo de obra. Por haver ciclos de produção, os serviços repetitivos podem ser representados
por uma reta traçada em um gráfico tempo-progresso. A inclinação da reta define a
produtividade (Figura 1), quanto mais íngreme a reta maior a produtividade (MATTOS,
2010).

Figura 1 - Ritmo de produção. Fonte: MENDES JR., 1999, p. 34.

A Linha de Balanço é baseada em conceitos de que a produção máxima é encontrada


quando é determinado um fluxo ininterrupto de trabalho entre as equipes. Essa continuidade
das atividades em todas as unidades de repetição traz benefícios como a melhoria da
produtividade das equipes, melhor fluxo das equipes de trabalho, facilidade na gestão das
equipes e uma maior facilidade na programação dos suprimentos que se encontram em falta
(FERREIRA, 2011).
Uma de suas grandes vantagens é a sua facilidade de manuseio principalmente no
canteiro de obras, além de ser uma ferramenta extremamente gráfica capaz de fornecer
informações claras e objetivas de simples compreensão. A figura 2 mostra que através da
LDB é possível saber qual atividade está sendo executada e onde ela está sendo desenvolvida
em determinado dia (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014)
Figura 2 - Informações do Diagrama da Linha de Balanço. Fonte: MENDES JR., 1999, p. 37.

2.4. Linhas de Transmissão de Energia


A energia gerada nas usinas sejam elas térmicas, eólicas, hidráulicas, solares, etc., são
transportadas até os centros urbanos. Desse modo há a necessidade da construção de redes de
energia elétrica, caso contrário não haveria como a energia gerada chegar ao seu destino final.
Essas redes conectam as usinas geradoras às subestações de distribuições. As linhas de
transmissão têm como constituição básica os cabos condutores metálicos suspensos em torres
por meio de isoladores. (PORTAL ABRADEE, 2018).

2.5. Desenvolvimento de uma LDB


Para o desenvolvimento de uma Linha de Balanço as etapas, apresentadas a seguir,
devem ser analisadas criteriosamente.

2.5.1. Unidade de Repetição


Quando o uso da técnica da Linha de Balanço se faz presente, a definição da unidade
básica de repetição é de extrema importância, pois essa unidade será o conjunto de tarefas que
serão repetidos durante o projeto (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014)
Segundo Maziero (1990) a escolha da unidade básica é ponto fundamental na
determinação do número de unidades a serem repetidas e influenciará na duração de uma
unidade, sendo assim são decisivas no ritmo de trabalho. Levando em consideração conjuntos
habitacionais populares essa unidade pode ser por “casa”, em edifícios pode ser por
“pavimento” e no caso de linhas de transmissão pode ser por “trecho ou KM”.

2.5.2. Atividades a serem executadas


A identificação das atividades que estarão presentes na unidade básica requer bastante
atenção, pois, se algum serviço não for contemplado comprometerá o cronograma (MATTOS,
2010). Em linhas de transmissão pode-se considerar como atividades envolvidas em uma
unidade básica a locação da faixa de servidão, supressão vegetal, locação dos postes,
fundação, montagem e lançamentos de cabos.

2.5.3. Rede lógica de execução


Após a determinação das atividades de uma unidade básica, devem ser analisadas as
relações de interdependências, bem como a sequência lógica construtiva, com o objetivo de
criar uma rede de atividades que satisfaça as necessidades lógicas do projeto, determinadas
pelas atividades predecessoras e sucessoras (MAZIERO, 1990). No quadro 1 têm-se um
exemplo de uma rede lógica voltada para uma linha de transmissão.

Quadro 1 - Rede Lógica de atividades. Fonte: Própria,2018.

2.5.4. Equipe e tempo


Para a determinação da equipe e das durações para a execução de cada atividade é
necessário que seja feito o levantamento do quantitativo e das composições de preço unitário
(CPU) de cada serviço (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014).
Dessa forma se o quantitativo do serviço de escavação mecanizada é de 88,00 m³ e
pela CPU o índice da retroescavadeira para executar 1,00 m³ do serviço é de 0,0556 h/m³,
têm-se que a quantidade necessária de horas/equipamento é de 88 m³ x 0,0556 h/m³ = 4,89h.
Com as quantidades de horas/equipamento para a execução das atividades definidas é
possível determinar o tamanho da equipe a partir de uma duração estipulada ou de um tempo
necessário a partir de uma equipe já pré-definida (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014).

2.5.5. Elaboração da LDB


Tendo as durações de cada atividade já definidas, e suas respectivas equipes, calcula-
se as datas de início e término, vinculando os serviços pela base ou pelo topo, de acordo com
o ritmo de atividades consecutivas, para então, a partir dessas datas, traçar as linhas de
balanço (MAGALHÃES; SOUZA; VOLTA, 2014).

3. METODOLOGIA
A pesquisa pode ser qualificada de acordo com os procedimentos utilizados para a
coleta de informações.
De acordo com Yin (2001) o estudo de caso é definido pelo estudo aprofundado e
exaustivo dos fatos objetos de investigação, permitindo um amplo e detalhado conhecimento
da realidade e dos fenômenos pesquisados.
Neste trabalho, a pesquisa se dará por meio da análise de uma obra de linha de
transmissão. A mesma está localizada entre as cidades XX e XX. Será feita a análise do
projeto, serão identificadas as atividades que serão executadas e dessas atividades serão
analisadas as mais relevantes para o andamento da pesquisa.
A metodologia a ser desenvolvida nesse trabalho será a elaboração de uma Linha de
Balanço para uma obra de Linha de Transmissão. Para que se chegue à essa elaboração,
algumas atividades precisam ser desenvolvidas, são elas: a definição da unidade básica de
repetição, identificação das atividades a serem executadas nessa unidade básica, construção da
rede lógica de execução, determinação das equipes e do tempo necessário para a execução das
atividades, e por fim a elaboração da LDB.

3.1 DEFINIÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE REPETIÇÃO

3.2 IDENTIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS

3.3 CONSTRUÇÃO DA REDE LÓGICA DE EXECUÇÃO

3.4 DETERMINAÇÃO DA EQUIPE E DO TEMPO NECESSÁRIO PARA A


EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES

3.5 ELABORAÇÃO DA LINHA DE BALANÇO (LDB)


4. RESULTADOS E DISCUSSÕES

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERREIRA, Ricardo Costa. Comparação aplicada entre as Técnicas de Planejamento


CPM e LOB (Line of Balance). 2011. 87f. Dissertação (Mestrado em Engenharia em
Engenharia Civil) – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Portugal, 2011.

GOLDMAN, Pedrinho. Introdução ao Planejamento e Controle de Custos na Construção


Civil Brasileira. São Paulo: Pini, 2004.

GOMES, Douglas L. Planejamento de obras utilizando a técnica da linha de balanço: um


estudo de caso. 2010. 57f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Civil) -
Universidade Federal do Paraná, Belém, 2010.

LUTZ, James David. Planning linear construction projects using simulation and line of
Balance. 1990. 270f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) - Purdue University, West
Lafayette, 1990.

MAGALHÃES, Leonardo V. F.; SOUZA, Leonardo V. F.; VOLTA, Cláudia B. Aplicação do


método da Linha de Balanço no planejamento e controle de obras com atividades repetitivas.
In: SEMINÁRIO ESTUDANTIL DE PRODUÇÃO ACADÊMICA, Salvador. Anais... 2014,
pg. 199-218.

MATTOS, Aldo Dórea. Planejamento e controle de obras. São Paulo: Pini, 2010.

MAZIERO, Lucia Teresinha Peixe. Aplicação do conceito do método da linha de balanço


no planejamento de obras repetitivas. Um levantamento das decisões fundamentais para
sua aplicação. 1990. 160 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) -
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1990.

MENDES JR., Ricardo. Programação da produção na construção de edifícios de


múltiplos pavimentos. 1999. 235 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) -
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

PORTAL ABRADEE. Redes de Energia Elétrica. Disponível em:


<http://www.abradee.com.br/setor-eletrico/redes-de-energia-eletrica>. Acesso em: 09 de
setembro de 2018.

PRADO, Renato Lucio. Aplicação e acompanhamento da programação de obras em


edifícios de múltiplos pavimentos utilizando a técnica da linha de balanço. 2002. 122 f.
Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Catarina,
Florianópolis, 2002.
SILVA, Rodolfo Martins Moura. Proposta de programação de edificação residencial de
múltiplos pavimentos utilizando Técnica de Linha de Balanço (LDB). 2015. 93f. Trabalho
de Conclusão de Curso (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Catarina,
Florianópolis, 2015.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ANEXO