Você está na página 1de 4

Bioquímica

A Bioquímica é a parte da Biologia que se preocupa com os processos químicos que


ocorrem nos organismos vivos.
A Bioquímica é a parte da Biologia responsável pelo estudo das estruturas,
da organização e das transformações moleculares que ocorrem na célula.
Essas transformações configuram o que chamamos de metabolismo, que nada
mais é do que as reações extremamente coordenadas que são fundamentais
para garantir a sobrevivência, o crescimento e reprodução dos organismos
vivos.
O metabolismo geralmente é classificado em anabolismo ou catabolismo.
No primeiro caso, as reações químicas estão voltadas para a síntese de
estruturas moleculares complexas a partir de moléculas simples. Já no caso
do catabolismo, as moléculas complexas são degradadas em estruturas mais
simples. Vale frisar que os dois processos ocorrem em todas as células vivas.
→ Processos bioquímicos dos seres vivos
No nível bioquímico, apesar da grande diversidade de formas de vida, muitas
estruturas e processos são compartilhados por seres vivos bastante diferentes,
o que facilita o entendimento da vida como um todo. Todas as espécies, por
exemplo, são formadas por elementos básicos, como o carbono, hidrogênio,
oxigênio, nitrogênio, fósforo, enxofre e moléculas complexas, que realizam
processos químicos para que a energia necessária à sobrevivência seja
produzida.
De uma maneira geral, podemos afirmar que todos os organismos realizam
quatro processos bioquímicos básicos para que ocorra a manutenção da vida:

→ Síntese de biomoléculas, tais


como carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucleicos;
→ Transporte de substâncias por meio das membranas;
Os ácidos nucleicos e a síntese de proteínas
1. 1. OS ÁCIDOS NUCLEICOS E A SÍNTESE DE PROTEÍNAS : DNA E RNA
2. 2. DNA - Ácido Desoxirribonucleico PAPEL BIOLÓGICO : Transmitir a informação genética
de uma célula para a outra Síntese de RNA Os ácidos nucléicos são macro moléculas
formadas pela união de unidades menores chamadas NUCLEOTÍDEOS. Um
NUCLEOTÍDEOS é formado por:
3. 3. Modelo esquemático de uma molécula de DNA FOSFATO Pentose: desoxirribose
adenina guanina timina citosina
4. 4. A molécula de DNA  Ácido Desoxirribonucleico.  Molécula de fita dupla formando uma
dupla hélice  As fitas estão unidas pelas ligações de Hidrogênio  Cada filamento é
composto por vários nucleotídeos  As cadeias se ligam por meio das bases nitrogenadas
Watson e Crick, 1953
5. 5. A molécula de RNA - Ácido Ribonucleico  É uma longa fita de nucleotídeos ligadas entre
si;  Quase sempre é uma fita simples;  Responsável pela síntese de proteínas; 
Formado: Fosfato Pentose ribose adenina citosina guanina uracila
6. 6. DUPLICAÇÃO DO DNA (REPLICAÇÃO)  Ocorre em presença da enzima DNA
Polimerase  É do tipo semiconservativa, pois cada molécula nova apresenta uma das fitas
vinda da mãe e outra fita recém sintetizada.  A duplicação do DNA permite que as
informações hereditárias seja transmitida as células filhas.
7. 7. As fitas originais se separam Nucleotídeos LIVRES encaixam –se nas fitas
8. 8. Formam –se 2 moléculas de DNA idênticas Fita original (velha) Fita original (velha) Fita
NOVA
9. 9. As informações nas células DNA RNA PROTEÍNAS Gene: sequência linear nucleotídeos
TRANSCRIÇÃO NÚCLEO RNAm: sequência códons TRADUÇÃO CITOPLASMA Formação
da cadeia polipeptídica
10. 10. SÍNTESE DE RNA  A síntese do RNAm ocorre da seguinte forma:  Rompimento das
pontes de hidrogênio, separando os dois filamentos da molécula de DNA;  encaixe dos
nucleotídeos livres de RNA;  O encaixe dos nucleotídeos de uma determinada molécula de
RNA ocorre apenas sobre uma das fitas de DNA, chamada fita-molde.  formação da
molécula de RNA, que se destaca da fita-molde e migra para o citoplasma;  pareamento
das duas fitas de DNA que se haviam separado.
11. 11. RNA- POLIMERASE
12. 12. O Código Genético  A mensagem genética contida no DNA é formada por um alfabeto
de quatro letras que correspondem aos quatro nucleotídeos: A, T, C e G.  Com essas
quatros letras é preciso formar “palavras” que possuem o significado de “aminoácidos”. 
Cada proteína corresponde a uma “frase” formada pelas “palavras”, que são os
aminoácidos.  De que maneira apenas quatro letras do alfabeto do DNA poderiam ser
combinadas para corresponder a cada uma das vinte “palavras” representadas pelos vinte
aminoácidos diferentes que ocorrem nos seres vivos?  cada três letras (uma trinca de
bases) do DNA corresponderia uma “palavra”, isto é, um aminoácido. Nesse caso, haveria
64 combinações possíveis de três letras, o que seria mais do que suficiente para codificar os
vinte tipos diferentes de aminoácidos (matematicamente, utilizando o método das
combinações seriam, então, 4 letras combinadas 3 a 3, ou seja, 43 = 64 combinações
possíveis).
13. 13. As ¨palavras¨ do código  O código genético do DNA se expressa por trincas de bases,
que foram denominadas códons. Cada códon, formado por três letras, corresponde a um
certo aminoácido.  A correspondência entre o trio de bases do DNA, o trio de bases do
RNA e os aminoácidos por eles especificados constitui uma mensagem em código que
passou a ser conhecida como “código genético”.  Mas, surge um problema. Como são
vinte os diferentes aminoácidos, há mais códons do que tipos de aminoácidos! Deve-se
concluir, então, que há aminoácidos que são especificados por mais de um códon, o que foi
confirmado. A tabela ao lado, especifica os códons de RNAm que podem ser formados e os
correspondentes aminoácidos que especificam.
14. 14. Continuando...  Dizemos que o código genético é universal, pois em todos os
organismos da Terra atual ele funciona da mesma maneira, quer seja em bactérias, em uma
cenoura ou no homem.  O códon AUG, que codifica para o aminoácido metionina, também
significa início de leitura, ou seja, é um códon que indica aos ribossomos que é por esse trio
de bases que deve ser iniciada a leitura do RNAm.  Note que três códons não especificam
nenhum aminoácido. São os códons UAA, UAG e UGA, chamados de códons e parada
durante a “leitura” (ou stop códons) do RNA pelos ribossomos, na síntese proteica.  Diz-se
que o código genético é degenerado porque cada “palavra” (entenda-se aminoácido) pode
ser especificada por mais de uma trinca.
15. 15. O RNA é dividido em:  RNA mensageiro  RNA transportador  RNA ribossômico
16. 16. RNA mensageiro (RNAm)  Tem a mensagem, a orientação para a síntese de proteínas.
 Ele possui a seqüência que os aminoácidos devem ocupar na proteína.  Ele contém uma
seqüência de trincas correspondente a uma das fitas do DNA.
17. 17.  Cada trinca (três nucleotídeos) no RNAm é denominado códon e corresponde a um
aminoácido na proteína que irá se formar. 1 códon = 3 nucleotídeos no RNAm 7 códons é =
a quantos nucleotídeos ?
18. 18. RNA transportador (RNAt)  Transporta o aminoácido até o local da síntese proteica. 
As moléculas de RNAt apresentam, em uma determinada região, uma trinca de
nucleotídeos que se destaca, denominada anticódon.
19. 19. É através do anticódon que o RNAt reconhece o local do RNAm onde deve ser colocado
o aminoácido por ele transportado. Cada RNAt carrega um aminoácido específico, de
acordo com o anticódon que possui. Sítio de ligação ao aminoácido C G C códon
20. 20. RNA ribossômico (RNAr)  São componentes dos ribossomos, organela onde ocorre a
síntese proteica.  Os ribossomos são formados por RNAr e proteínas. Ribossomo + RNA
Proteína
21. 21. Síntese de Proteína: A Tradução  A relação entre a sequência de bases no DNA e a
sequência correspondente de aminoácidos, na proteína, é chamada de código genético.  O
código genético encontra-se na forma de códons.  Durante a síntese de proteínas, os
ribossomos deslocam-se ao longo do RNAm, possibilitando um pareamento entre esse e os
RNAts que carregam os diferentes aminoácidos que irão compor as proteínas  A tradução
é um processo no qual haverá a leitura da mensagem contida na molécula de RNAm pelos
ribossomos, decodificando a linguagem de ácido nucleico para a linguagem de proteína. 
Cada RNAt em solução liga-se a um determinado aminoácido, formando-se uma molécula
chamada aminoacil- RNAt, que conterá, na extremidade correspondente ao anticódon, um
trio de códon do RNAm.  Para entendermos bem este processo, vamos admitir que ocorra
a síntese de um peptídeo contendo apenas sete aminoácidos, o que se dará a partir da
leitura de um RNAm contendo sete códons (21 bases hidrogenadas). A leitura (tradução)
será efetuada por um ribossomo que se deslocará ao longo do RNAm.
22. 22. Esquematicamente na síntese proteica teríamos:  Um RNAm, processado no núcleo,
contendo sete códons (21 bases hidrogenadas) se dirige ao citoplasma.  No citoplasma,
um ribossomo se liga ao RNAm na extremidade correspondente ao início da leitura. Dois
RNAt, carregando os seus respectivos aminoácidos (metionina e alanina), prendem-se ao
ribossomo. Cada RNAt liga-se ao seu trio de bases (anticódon) ao trio de bases
correspondentes ao códon do RNAm. Uma ligação peptídica une a metionina à alanina.  O
ribossomo se desloca ao longo do RNAm. O RNAt que carregava a metionina se desliga do
ribossomo. O quarto RNAt, transportando o aminoácido leucina, une o seu anticódon ao
códon correspondente do RNAm. Uma ligação peptídica é feita entre a leucina e a alanina. 
O ribossomo novamente se desloca. O RNAt que carregava a alanina se desliga do
ribossomo. O quarto RNAt, transportando o aminoácido ácido glutâmico encaixa-se no
ribossomo. Ocorre a união do anticódon desse RNAt com o códon correspondente do
RNAm. Uma ligação peptídica une o ácido glutâmico à leucina.  nitrogenadas) conduziu a
síntese de um peptídeo formado por sete aminoácidos.
23. 23.  Novo deslocamento do ribossomo. O quinto RNAt, carregando a aminoácido glicina,
se encaixa no ribossomo. Ocorre a ligação peptídica da glicina com o ácido glutâmico. 
Continua o deslocamento do ribossomo ao longo do RNAm. O sexto RNAt, carregando o
aminoácido serina, se encaixa no ribossomo. Uma ligação peptídica une a serina à glicina. 
Fim do deslocamento do ribossomo. O último transportador , carregando o aminoácido
triptofano, encaixa-se no ribossomo. Ocorre a ligação peptídica do triptofano com a serina.
O RNAt que carrega o triptofano se separa do ribossomo. O mesmo ocorre com o
transportador que portava a serina.  O peptídeo contendo sete aminoácidos fica livre no
citoplasma. Claro que outro ribossomo pode se ligar ao RNAm, reiniciando o processo de
tradução, que resultará em um novo peptídio. Perceba, assim, que o RNAm contendo sete
códons (21 bases nitrogenadas) conduziu a síntese de um peptídeo formado por sete
aminoácidos.
24. 24. Transcrição: Exemplo RNA polimerase 5’ 3’ A C G T A T G C A T A T 3’ 3’ 5’ 5’ Molécula
de RNA nascente
25. 25. Tradução: Ribossomo Cys Met Ala Proteína 5’ 3’ A U G G C A U G C G A C G A A U U
C G G A C A C A U A Molécula de mRNA Asp Glu Phe His Direção do avanço do ribossomo
tRNA codon Gly
26. 42. Mutação Gênica Todos os dias as suas células produzem proteínas que contêm
aminoácidos em uma certa sequência. Imagine, por exemplo, que em um certo dia uma
célula da epiderme de sua pele produza uma proteína diferente. Suponha também que essa
proteína seja uma enzima que atue em uma reação química que leva a produção de um
pigmento amarelo em vez do pigmento normalmente encontrado na pele, a melanina. Essa
célula se multiplica e de repente aparece uma mancha amarelada em sua pele.
Provavelmente essa proteína poderá ter sofrido uma alteração em sua sequência de
aminoácidos, tendo havido a substituição de um aminoácido por outro, o que acarretou uma
mudança em seu mecanismo de atuação e, como consequência levou à produção de um
pigmento de cor diferente. Agora, como a sequência de aminoácidos em uma proteína é
determinada pela ação de um certo gene que conduz à síntese do pigmento.
27. 43. Essa alteração na sequência de bases na molécula de DNA constituinte do gene é que
se chama de mutação gênica. O albinismo é causada por uma mutação na enzima
tirozinase que transforma o aminoácido tirozina em pigmento da pele, a melanina. Esta
doença ocorre em animais e nas plantas e é hereditária.
28. 44. Resumo: Funcionamento dos ácidos nucleicos

Você também pode gostar