Você está na página 1de 14

Disciplina: Organização e políticas de saúde

Aula 2: A evolução histórica do conceito de saúde e doença

Apresentação
Nesta aula, trataremos de dois temas de grande relação que são a saúde e qualidade de vida e debateremos sobre as
medidas padrões utilizadas pelo setor saúde.

Abordaremos os seguintes eventos relacionados:

I Conferência Internacional de Saúde realizada pela OMS em Alma-Ata, reforçando a proposta da atenção primária em
saúde;
A Carta de Ottawa (1986) que é o documento fundador do movimento atual da promoção da saúde;
A Declaração de Adelaide (1988) que trata sobre as Políticas Públicas Saudáveis;
A Declaração de Sundsval (1991) que trás o tema Criação de Ambientes Favoráveis à Saúde;
A Declaração de Jakarta (1997) que apresenta as definições de cinco prioridades para o campo da promoção da saúde
no século XXI;
A Declaração do México (2000) que discute a promoção da saúde em busca de maior equidade.

Por último serão abordados os determinantes sociais de saúde (DSS) que indicam que a situação de saúde de uma
população depende das condições de trabalho e vida dos indivíduos e/ou grupos e faremos um debate final sobre iniquidade
em saúde.

Objetivos
Reconhecer a relação entre saúde e qualidade de vida;
Definir promoção da saúde;
Perceber as contribuições das Conferências Internacionais de Cuidados Primários e de Promoção da Saúde para a
saúde da população;
Identificar os seis fatores que estão relacionados com os determinantes sociais de saúde;
Elaborar questionamentos sobre iniquidades em saúde.
Qualidade de vida
Qualidade de vida é um termo muito utilizado ultimamente e em alguns momentos não há consenso sobre sua
definição.

O conceito genérico de qualidade de vida reflete um interesse com a modificação e o

aprimoramento dos componentes da vida, ex.: ambiente físico, político, moral e social; a

condição geral de uma vida humana. (Fonte: DeCS – Descritores em Ciências da Saúde).

A partir deste conceito, vamos abordar algumas questões importantes sobre este tema e vale a pena lembrar que a
qualidade de vida tem algo de subjetivo, ou seja, significados diferentes de pessoa para pessoa.

E para você o que é qualidade de vida? O que é necessário?

 Qualidade de vida em família. (Fonte: Shutterstock)

A qualidade de vida está relacionada com a satisfação das necessidades mais elementares da vida do homem. Como
por exemplo: educação, saúde, alimentação e acesso a água potável.

 Acesso a água potável. (Fonte: Shutterstock)


Quando estamos discutindo um tema em que o consenso sobre sua definição ainda não
existe, precisamos estar sempre nos reposicionando e perguntando: A qualidade de vida

está a venda? Ela pode ser adquirida de um dia para o outro?

Depois de vários questionamentos, fica claro que em sentido amplo da expressão devemos compreender as suas
múltiplas dimensões, não basta apenas se deter em apenas um aspecto da vida de um indivíduo como, por
exemplo, a sua vida no trabalho.

Então, quais seriam as outras dimensões que merecem ser compreendidas?

Ter saúde é fundamental para melhorar a qualidade de vida de uma população. Por isso, ela é uma das dimensões
mais importantes da qualidade de vida.

Quando se discute a qualidade de vida relacionada com a saúde percebe-se que os procedimentos estão sempre
voltados para a mensuração, seja da capacidade funcional do indivíduo, do seu estado psicológico, da sua satisfação
e da forma como está organizado o apoio social.


Comentário

Para uma população que luta arduamente para sobreviver, que geralmente vive em busca de ter o que comer:

Quais são os componentes que não existem para este grupo populacional?
Quais as características essências que faltam para terem uma boa qualidade de vida?

Como descreve Minayo (2000) ao citar Auquiere et al. (1997) deve-se considerar três correntes que orientam a
construção dos instrumentos disponíveis atualmente:
1

Funcionalismo

Define um estado normal para certa idade e função social e seu desvio, ou morbidade, caracterizado por indicadores
individuais de capacidade de execução de atividades.

Teoria do bem-estar

Explora as reações subjetivas das experiências de vida, buscando a competência do indivíduo para minimizar
sofrimentos e aumentar a satisfação pessoal de seu entorno.

Teoria da utilidade

Tem base econômica, que pressupõe a escolha dos indivíduos ao compararem um determinado estado de saúde a
outro.

Ter qualidade de vida em saúde está centrado na ideia da capacidade de viver sem
doenças ou da superação dos estados e da condição de morbidade. Para isso é preciso

promover a saúde.

A promoção da saúde é descrita na Carta de Ottawa como o processo de capacitação da população para que esta
possa atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, devendo participar no controle deste processo.

Ao longo dos últimos anos várias conferências foram realizadas com o intuito de aprofundar os debates sobre esta
temática e buscar soluções.

Conheça o histórico das declarações em relação a Saúde.

1978

Declaração de Alma- Ata

1986

Declaração de Otawa

1988

Declaração de Adelaide

1991

Declaração de Sundsval

1997

Declaração de Jakarta

2000

Declaração do México
Declaração de Alma-Ata
A Conferência Internacional sobre Cuidados Primários aconteceu no final da década de 70 quando a OMS realiza I
Conferência Internacional de Saúde, em Alma-Ata que tem como meta "Saúde para todos no ano 2000", reforçando
a proposta da atenção primária em saúde.

A conferência enfatiza:

A saúde como um direito humano fundamental.

As desigualdades existentes no estado de saúde das populações devem ser alvo de preocupação comum entre todos
os países.
O desenvolvimento econômico e social deve ser baseado numa ordem econômica internacional, que a população
deve participar no planejamento e execução dos cuidados de saúde, não como uma exceção, mas como um direito e
dever.

A responsabilidade dos governos com a saúde da população através de adoção de medidas sanitárias e sociais.

Que os cuidados primários de saúde representam o primeiro nível de contato dos indivíduos, família e comunidade
com o Sistema Nacional de Saúde. Sendo estes essenciais e devendo ser colocados ao alcance de toda a população.


Atenção

A Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde – Declaração de Alma-Ata trouxe a discussão
da importância da ação internacional e nacional sobre a necessidade urgente para que os cuidados primários de
saúde sejam desenvolvidos e aplicados tanto nos países em desenvolvimento e o dos desenvolvidos.

Educação para a saúde

Pensar em uma educação dirigida para os problemas de saúde prevalentes e os métodos para sua prevenção e
controle.
Como exemplo:

Alimentação e nutrição adequada;


Abastecimento de água e saneamento básico apropriado;
Atenção materno-infantil;
Planejamento familiar;
Imunização;
Prevenção e controle de doenças endêmicas e outros.

 Alimentação saudável. (Fonte: Shutterstock)

 Atenção maternal. (Fonte: shutterstock)

 Prevenção de doenças. (Fonte: shutterstock)


O Brasil na atualidade se tem ofertado serviços de atenção primária a toda a população

brasileira?

Reflita sobre esta pergunta e discutiremos esta questão nas próximas aulas.

Carta de Otawa
O documento fundador do movimento atual da promoção da saúde é conhecido como Carta de Ottawa (1986). Este
termo está associado a um “conjunto de valores” e a um “conjunto de estratégias”:

• Ações do Estado (políticas públicas saudáveis);


• Ações da comunidade (reforço da ação comunitária);
• Ações dos indivíduos (desenvolvimento de habilidades pessoais);
Conjunto de estratégias
• Do sistema de saúde (reorientação do sistema de saúde);
• Parcerias intersetoriais (trabalhando com a ideia de “responsabilidade múltipla” – seja
pelos problemas, seja pelas soluções propostas para os mesmos).

• Paz;
• Habitação;
• Educação;
• Alimentação;
Conjunto de valores • Renda;
• Ecossistema estável;
• Recursos sustentáveis;
• Justiça social;
• Equidade.


Atenção

Como podemos alcançar a equidade em saúde no Brasil?

É preciso pensar que a promoção da saúde vai além dos cuidados de saúde. Ela deve ser uma das prioridades
dos governantes.

A saúde deve ser vista como um recurso para a vida, e não como objetivo de viver.

O que você entende por saúde como um recurso para a vida?

O que é necessário para se ter saúde?

Os 5 campos de ação da Carta de Ottawa


Os 5 campos de ação da Carta de Ottawa são:

Políticas públicas saudáveis


Inclui legislação, medidas fiscais, taxações e mudanças em saúde, distribuição mais equitativa da renda e
políticas sociais.

Ambientes favoráveis à saúde

Proteção do meio ambiente e a conservação dos recursos naturais, acompanhamento do impacto do meio
ambiente sobre a saúde. Conquista de ambientes que favoreçam a saúde: trabalho, lazer, lar, escola, cidade.

Reforço da ação comunitária

Serão efetivas se for garantida a participação popular na direção dos assuntos da saúde, acesso à informação e
aprendizagem nesta área. Empowerment comunitário é a aquisição de poder técnico e consciência política para
atuar em prol de sua saúde.

Desenvolvimento de habilidades e atitudes pessoais

Divulgação de informações sobre a educação para a saúde, devendo ocorrer em todos os setores da vida do
indivíduo, no lar, escola, trabalho e em qualquer espaço coletivo.

Reorientação dos serviços de saúde

Visão abrangente e intersetorial, ao recomendar a abertura de canais entre o setor saúde e os setores sociais,
políticos, econômicos e ambientais. Mudanças também devem ocorrer na formação dos profissionais de saúde.

Declaração de Adelaide
A Declaração de Adelaide (1988) trata sobre as Políticas Públicas Saudáveis e identificou quatro áreas prioritárias:

Apoio à saúde da mulher.


Alimentação e nutrição.

Tabaco e álcool.

Criação de ambientes favoráveis.

Recomenda avaliar o impacto das políticas públicas sobre a saúde e o sistema de saúde, inclusive com o
desenvolvimento de sistemas de informação adequados e acessíveis.

A saúde é um sólido investimento social. Atualmente, no Brasil, várias medidas estão sendo adotadas para a
mudança de comportamento social em relação ao consumo do tabaco e do álcool.

Reflita: “As iniquidades no campo da saúde têm raízes nas desigualdades existentes na
sociedade”.

Declaração de Sundsval
A Declaração de Sundsval (1991) traz o tema Criação de Ambientes Favoráveis à Saúde e tem o enfoque na
interdependência entre saúde e ambiente, em todos os seus aspectos.

O ambiente não está restrito apenas à dimensão física, mas também às dimensões: social, econômica, política e
cultural. Refere-se a todos os espaços: moradia, local de trabalho, espaços de lazer. Discute também quais as
oportunidades para ter maior poder de decisão e as estruturas que irão determinar o acesso aos recursos para viver.

Ambientes e saúde são interdependentes e inseparáveis. Um ambiente favorável é de suprema importância para a
saúde.

Foram ressaltados quatro aspectos para um ambiente favorável e promotor de saúde:

A dimensão social: Inclui a maneira pela quais normas, costumes e processos sociais afetam a saúde.

A dimensão política: Requer dos governos a garantia da participação democrática nos processos de decisão e a
descentralização dos recursos e das responsabilidades; compromisso com os direitos humanos com a paz e a
relocação de recursos oriundos da corrida armamentista (destaque na conferência).

A dimensão econômica: Requer o repara escalonamento dos recursos alcançar saúde para todos e o
desenvolvimento sustentável, o que inclui a transferência de tecnologia segura e adequada.

A necessidade de reconhecer: Utilizar a capacidade e o conhecimento das mulheres em todos os setores,


inclusive os político e econômico.

Princípios básicos pra saúde de todos


Aponta o compromisso com a superação da pobreza, o desenvolvimento sustentável, o
pagamento do débito humano e ambiental acumulado pelos países em desenvolvimento,
Equidade
prestação de contas (accountability) das políticas, gerenciamento público dos recursos
naturais.

Respeito às peculiaridades dos povos indígenas (contribuição que eles podem dar na
Respeito a diversidade questão ambiental, pela singularidade espiritual e cultural que mantêm com o ambiente
físico).

Declaração de Jakarta
A declaração de Jakarta (1997) enfatiza o surgimento de novos determinantes da saúde, dando destaque à
integração da economia global, mercados financeiros, assim como a continuação da degradação ambiental, apesar
de todos os alertas internacionais.

Definido 5 prioridades para o campo da promoção da saúde:


1

Promover a responsabilidade social.

Aumentar investimentos no desenvolvimento da saúde.

Consolidar e expandir parcerias para a saúde entre os diferentes setores em todos os níveis do governo e da
sociedade.

Aumentar a capacidade da comunidade e fortalecer os indivíduos.

Assegurar infra-estrutura para a promoção da saúde.

A capacitação da comunidade é um dos elementos fundamentais para a promoção da saúde.

Pense em dois exemplos sobre como você tem percebido a atuação da comunidade com relação às questões que
envolvem o setor saúde e anote.

Declaração do México
Declaração do México (2000) que discute a promoção da saúde em busca de maior equidade. As principais ações
estão voltadas para:

✓ Colocar a promoção da saúde como prioridade fundamental das políticas e programas locais, regionais,
nacionais e internacionais;
✓ Assumir um papel de liderança para assegurar a participação ativa de todos os setores e da sociedade civil;
✓ Apoiar a preparação de planos de ação nacionais para promoção da saúde;
✓ Estabelecer ou fortalecer redes nacionais e internacionais que promovam a saúde;
✓ Defender a ideia de que os órgãos da ONU sejam responsáveis pelo impacto em termos de saúde da sua
agenda de desenvolvimento.

Determinantes sociais de saúde (DSS)


Indicam que a situação de saúde de uma população depende das condições de trabalho e vida dos indivíduos e/ou
grupos. Veja na figura abaixo quais são os determinantes sociais de saúde.
 Determinantes(Fonte:
sociais: modelo de Dahlgren e Whitehead (1991).
http://www.scielo.br
<http://www.scielo.br/pdf/physis/v17n1/v17n1a06.pdf> . Acesso
em: 13 abr. 2018.)

Iniquidades em saúde

As iniquidades em saúde são as desigualdades que além de sistemáticas e relevantes são também evitáveis,
injustas e desnecessárias, segundo a definição de Margareth Whitehead.

Como exemplos, podemos citar: a alta mortalidade infantil; analfabetismo.

 Criança pobre. (Fonte: Shutterstock)


Leitura

Leia Iniquidades em saúde no Brasil, nossa mais grave doença: comentários sobre o documento de referência e
os trabalhos da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde.

Referências

Paulo M. Buss

Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde. Presidência, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro,
Brasil. buss@fiocruz.br <mailto:buss@fiocruz.br>
Alberto Pellegrini Filho Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio
Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil http://www.scielo.br/scielo.php?
script=sci_arttext&pid=S0102-311X2006000900033 <http://www.scielo.br/scielo.php?
script=sci_arttext&pid=S0102-311X2006000900033>

Próximos Passos

A Revolta das Vacinas;


A era do saneamento e a origem das políticas nacionais de saúde pública;
Era pré-Vargas (CAP);
Governo Vargas (IAP, a Formação do Ministério da Saúde);
Governo Militar (INPS, INAMPS, CONASP);

Explore mais

Saúde, sociedade e qualidade de vida <http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?


sid=8&infoid=34> – PAULO M. BUSS (professor e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública - Ensp/Fiocruz)

Promoção da saúde e determinantes sociais <https://www.ecodebate.com.br/2010/02/12/o-conceito-de-


promocao-da-saude-e-os-determinantes-sociais-artigo-de-paulo-m-buss/> – Paulo M. Buss

Promoção à saúde: trajetória histórica de suas concepções <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-


07072006000200021&script=sci_arttext> - Ivonete T.S. Buss Heidmann (Rev. Texto & Contexto Enfermagem -
vol.15 no.2 Florianópolis apr./june 2006).