Você está na página 1de 19

 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

1 DADOS DO TANQUE

PRODUTO Óleo lubrificante


TEMPERATURA DE PROJETO 80°C
VOLUME 20.000 m
DIÂMETRO 50 m
CÓDIGO DO PROJETO  API RP 650
METODOLOGIA DE CÁLCULO Corpo de norma – método básico

2 PROJETO DO DIQUE DE CONTENÇÃO

2.1 FUNDAÇÃO

a) anel de concreto periférico em fundação direta, disposto 35 cm acima da


fundo da bacia de contenção e dimensões conforme a figura 1;

Figura 11 – Dimensional do anel de concreto.

1
 Fonte: API 650.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 1/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

b) base drenante em cascalho a base de pedra britada e areia, revestimento


de concreto simples, com dreno em tubo de pvc, dispostos conforme a
figura 2;

Figura 22 – Base drenante e revestimento.

Estas especificações foram considerando que o terreno é de qualidade


duvidosa.

2.2 ESPECIFICAÇÃO E DIMENSÕES DO DIQUE

MATERIAL Concreto
PERÍMETRO 2 x π x 25 = 157,07 m
VOLUME DA FUNDAÇÃO π x 25  x 0,35 = 687,22 m
2 3
VOLUME DO TANQUE* π x 25  x 1,15 = 2.356,19 m  
CAPACIDADE VOLUMÉTRICA TOTAL 23.043 m3 
LARGURA 124 m
COMPRIMENTO 124 m
ALTURA DO DIQUE 1,5 m

* = para o cálculo do volume, considerar altura até o limite de 1,5 da parede do


dique.

Esquema conforme croqui no APENDICE A.


2
 

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 2/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

3 PROJETO DO FUNDO

O fundo será fabricado com caimento de 1:120 do centro para a periferia.


Para fabricação do fundo do tanque serão utilizadas chapas de aço carbono
com as seguintes especificações:

ESPECIFICAÇÃO
MATERIAL  ASTM A-283 Gr C
TENSÃO DE ESCOAMENTO 380 Mpa
TENSÃO EM TESTE HIDROST TICO 154 Mpa
DIMENSÕES DA CHAPA 12.000 x 2.000 mm

3.1 CHAPAS ANULARES

Espessura com sobrecorrosão: 8 mm (5/16”) 

Cálculo da maior largura radial das chapas anulares:




 = 544 mm

t b: espessura da chapa anular em mm.


H : nível máximo do líquido em m.
G: densidade específica do fluído.

Devem possuir raio de curvatura de 25.000 mm sendo que a superfície


interna do costado deve ficar afastada radialmente 750 mm da próxima união
soldada das chapas anulares com as chapas do fundo, e um espaçamento de no
mínimo 50mm da superfície externa do costado.

Especificação do procedimento de soldagem: devem ser soldadas com arco


submerso (SAW), solda de topo com chanfro em V com cobre-junta, conforme croqui
abaixo:

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 3/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

Figura 3 – Soldagem das chapas anulares.

 As chapas anulares serão soldadas sob as chapas centrais por junta
sobreposta com transpasse de 60 mm, conforme croqui abaixo:

Figura 4 – Soldagem das chapas anulares com as centrais.

3.2 CHAPAS DO FUNDO

Espessura com sobrecorrosão: 8 mm (5/16”) 

O transpasse entre as chapas deve ser de 5 x e = 40 mm e unidas com solda


de filete.
 A disposição das chapas anulares e das chapas centrais encontram-se

conforme croqui no ANEXO 2.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 4/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

4 PROJETO DO COSTADO

O costado será fabricado em chapas de aço carbono com as seguintes


especificações:

ESPECIFICAÇÃO
MATERIAL  ASTM A-283 Gr C
TENSÃO DE ESCOAMENTO 380 Mpa
TENSÃO EM TESTE HIDROSTÁTICO 154 Mpa

DIMENSÕES DA CHAPA 12.000 x 2.000 mm


ESPESSURA DAS CHAPAS (Calculadas)
1º ANEL 15,5 mm
2º ANEL 12.25 mm
3º ANEL 9,0 mm
4º ANEL 8,0 mm
5º ANEL 8,0 mm

ESPESSURA DAS CHAPAS PESO DOS ANÉIS (kg)


(Comercial)
1º ANEL 16 mm (24m x 13) + (2,15m ) x 125,6 kg = 39.457,24 kg
2º ANEL 12,5 mm (24m x 13) + (2,15m ) x 98,13 kg = 30.827,53 kg
3º ANEL 9,50 mm (24m2 x 13) + (2,15m 2) x 74,58 kg = 23.429,07 kg
4º ANEL 8,0 mm (24m2 x 13) + (2,15m 2) x 82,80 kg = 26.011,62 kg
5º ANEL 8,0 mm (24m2 x 13) + (2,15m 2) x 82,80 kg = 26.011,62 kg

Peso total do costado: 145.737,08 ≈ 146 t.  

Perímetro do costado: 157.079 mm  – 157,07 m.


Quantidade de chapas utilizadas para fechar cada anel:
- 13 chapas completas de 12.000 mm de comprimento
- 1 chapa de 1079 mm de comprimento.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 5/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

Para a solda entre o 1º anel do costado e a chapa anular, fazer solda de rodo
com filete com chanfro em K, com fusão e penetração completa, conforme figura 5:

Figura 5 – Soldagem do 1º anel com a chapa anular.

Mapeamento da distribuição das chapas e das soldas conforme croqui do


 APÊNDICE B.

4.1 ACESSÓRIOS DO COSTADO

- Bocais  para: movimentação do produto, sistema de drenagem, de


aquecimento, de combate a incêndio e limpeza com vapor.
- Porta de limpeza  do tipo “flush type”, com altura de 900mm, com chapa de
reforço e turco.
- Escada helicoidal  de acesso com corrimão e terminando em uma
plataforma sobre o costado. A plataforma deve ser suportada por chapas de
extensão do costado e se projetar por cima do teto.
- Indicadores de nível
- Misturadores
- Anéis de contraventamento
- Aterramento elétrico

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 6/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

5 PROJETO DO TETO

Tipo do teto: Fixo cônico suportado.

ESPECIFICAÇÃO DAS CHAPAS


MATERIAL  ASTM A-283 Gr C
TENSÃO DE ESCOAMENTO 380 Mpa
TENSÃO EM TESTE HIDROSTÁTICO 154 Mpa
DIMENSÕES DA CHAPA 12.000 x 2.000 mm
PERFIS DA ESTRUTURA DE SUSTENTAÇÃO (Tipo H) TRANSVERSAIS
MATERIAL  ASTM A-36
ESPESSURA NOMINAL 4,3 mm
COMPRIMENTO POR PEÇA / QNT 8,33 m / 96 PERFIS TRANSVERSAIS
COMPRIMENTO TOTAL 799,68 m
PERFIS DA ESTRUTURA DE SUSTENTAÇÃO (Tipo H) RADIAIS
MATERIAL  ASTM A-36
ESPESSURA NOMINAL 4,3 mm
- 8 PERFIS DE 13,35 m
COMPRIMENTO POR PEÇA / QNT
- 8 PERFIS DE 7,10 m
COMPRIMENTO TOTAL 163,6 m

TUBOS DE SUSTENTAÇÃO
MATERIAL  ASTM A-53 Gr A
- CENTRAL – 14,16 m
COMPRIMENTO - 8 DE 12,56 m
- 8 DE 11,06 m

 A disposição dos perfis esta conforme o croqui no APENDICE c.


Declividade do teto: 1:6, conforme figura 6.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 7/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

10

.
Figura 6 – Declividade do teto e disposição das chapas.

a) Especificação das Soldas:  junta sobreposta simples, apenas na parte


superior, com cordão de solda contínuo e dimensão de 4,75mm. Soldagem com
 Arco submerso (SAW).
 A sobreposição das chapas do teto deve ser realizada no sentido de facilitar a
drenagem das águas pluviais e com um transpasse de 5 vezes 4,75mm. Na
sobreposição de 3 chapas deve ser feito o arredondamento do canto da chapa
superior.
 A sequência de soldagem utilizada deve minimizar as deformações
decorrentes da contração de soldagem.

b) Suportes do teto: Utilizar coluna de sustentação tipo perfil


Para melhor distribuir a carga do teto sobre o fundo, cada perna de
sustentação deve apoiar-se sobre uma chapa de reforço de, no mínimo, 6,3 mm de
espessura, soldada ao fundo do tanque em toda sua volta.

c) Acessórios do Teto:
- Boca de visita
- Válvula de pressão e vácuo

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 8/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

11

6 INSPEÇÕES E TESTES

6.1 ENSAIOS REALIZADOS NAS ETAPAS DE CONSTRUÇÃO

6.1.1 Ensaio Visual

Todas as partes soldadas do costado devem ser inspecionadas por Ensaio


Visual analisando aspectos de mordedura, reforço, desalinhamento, limpeza da raiz
e limpeza entre passes. Deve-se seguir as exigências da API 650, conforme item

8.5.

6.1.2 Ensaio Radiográfico

O Ensaio de Radiografia deve ser executado somente em juntas soldadas de


topo, sendo necessária a constatação de cumprimento da exigência de fusão e
penetração completa nessas juntas. Portanto, é requerida a Radiografia nas soldas
de topo dodocostado,
conexões tipo semsoldas de topo
ressalto. das chapas
A inspeção anulares,
radiográfica nãoe éem soldas denas
necessária topo das
soldas
do teto, do fundo, do teto com o costado e do fundo com o costado.
Quanto ao número e localização dos pontos de inspeção, deve-se seguir as
exigências da API 650, conforme item 8.1, onde especifica radiografias de:
a) Juntas verticais do costado:
- Chapas com espessuras menores que 10mm : deve ser tirada
Radiografia nos primeiros 3m de junta vertical soldada, de mesmo tipo
e espessura, executada por cada soldador. Após isso, deve-se realizar
Radiografia a cada 30m de junta vertical soldada, de mesmo tipo e
espessura, independente do número de soldadores em serviço. É
necessário inspecionar no mínimo 25% das interseções com as juntas
horizontais. A inspeção no primeiro anel atenderá as exigências
referentes a espessuras acima de 25mm;

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 9/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

12

Figura 7  - Pontos de Radiografia para Juntas Verticais Soldadas em Chapas de até 10mm de
Espessura.

- Chapas com espessuras maiores que 10mm e menores ou iguais a 25mm:


além dos requisitos citados anteriormente, deve-se radiografar todas as
interseções com juntas horizontais de chapas nesta faixa de espessura. A
inspeção no primeiro anel atenderá as exigências referentes a espessuras
acima de 25mm;

Figura 8  - Pontos de Radiografia para Juntas Verticais Soldadas em Chapas com Espessura
Menores que 10mm e Maiores ou Iguais a 25mm

- Chapas com espessuras maiores que 25mm: todas as juntas verticais


soldadas devem ser totalmente radiografadas e também todas as
interseções com juntas horizontais de chapas com mesma faixa de
espessura;

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 10/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

13

Figura 9  - Pontos de Radiografia para Juntas Verticais Soldadas em Chapas Acima de 25mm de
Espessura

Segue notas de orientação das figuras mostradas anteriormente.

Figura 10 - Notas de Orientação dos Pontos de Radiografias

b) Juntas horizontais do costado:

- Deve ser tipo


mesmo tirada Radiografiaexecutada
e espessura, nos primeiros
por 3m
cadadesoldador.
junta horizontal soldada,
Após isso, de
deve-se
realizar Radiografia a cada 60m de junta vertical soldada, de mesmo tipo e
espessura, independente do número de soldadores em serviço;
c) Cada Radiografia deve mostrar nitidamente um comprimento mínimo de
150mm de cordão de solda. O filme deverá estar centrado na solda e possuir
largura suficiente para colocação adequada das marcas de identificação e
dos penetrômetros;

d) A respeito das juntas de topo e radiais, das chapas anulares do fundo, estas
devem apresentar penetração total e fusão completa. Portanto:

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 11/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

14

- Deve ser radiografado o mínimo de 10% de juntas duplamente soldadas;


- Em juntas soldadas com o auxílio de cobre-juntas, deve ser radiografado o
mínimo de 50% das juntas soldadas;
- O comprimento mínimo da radiografia deve ser de 150mm;
e) Para chapas de reforço, tipo Insert Plate, radiografar totalmente a solda de
topo com o costado.

6.1.3 Inspeção por Líquido Penetrante

Este ensaio deverá ser realizado e examinado conforme a Código ASME


Seção V, artigo 6, segundo indicação da própria API 650, item 8.4 e conforme
 Apêndice S da API 650. As soldas e seus componentes deverão ser inspecionados
antes do teste hidrostático. Deve-se inspecionar por este método todas as soldas de
acessórios no costado cuja espessura é maior que 19mm, todas as soldas de
conexões do costado que não são completamente radiografadas.

6.1.4 Teste Hidrostático

Conforme a norma API 650, item 7.3.6 e Apêndice S (Aços Inoxidáveis),


recomenda-se que no teste hidrostático seja utilizada água potável e tratada
(contendo máximo de 0,2 ppm de cloro livre e máximo de 50 ppm de cloreto), esta
deverá estar isenta de sulfeto de hidrogênio, com pH na faixa de 6 a 8,3, deverá ser
considerada questões como temperatura da água no teste para se evitar fratura
frágil, quantidade de sólidos em suspensão, corrosão, descarte, lavagem e resíduos
deixados após esvaziamento do tanque. O teste não deverá exceder 21 dias. Após
finalização do teste, o tanque deverá ser drenado, não sendo permitida secagem
com ar quente.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 12/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

15

6.2 CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO DE DESCONTINUIDADES

6.2.1 Ensaio Visual

Conforme API 650, item 8.5, a solda deverá rejeitada/aceita conforme


relacio- São inaceitáveis trincas, falta de fusão no cordão ou qualquer arco
adjacente à junta soldada;
- Frequência de porosidade na solda não excedendo 1 poro a cada 100mm,
sendo que este poro não deverá exceder 2.5mm de diâmetro;

- O reforço das soldas em todas as juntas de topo em cada lado da chapa não
deverá exceder as espessuras conforme Figura 5. O reforço só precisará ser
removido caso exceda a espessura máxima aceitável ou caso necessário
para o exame radiográfico.

Figura 11 - Critério de aceitação para limite de solda de topo no reforços de solda.

6.2.2 Ensaio Radiográfico

Os critérios de aceitação são baseados no código ASME VIII , divisão 1,


parágrafo UW-51 (b), sendo estes:
a) Inaceitáveis
- Indicação de trincas, falta de fusão e penetração incompleta;
- Grupo de indicações alinhadas e indicações arredondadas grandes;
b) Relevantes
- Indicações arredondadas pequenas e espaçadas com mais de 1 in;

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 13/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

16

- Indicações arredondadas pequenas alinhadas;


- Grupo de indicações arredondadas pequenas alinhadas;

- Indicação de grupo de porosidade menor que 1 in

6.2.3 Inspeção por Líquido Penetrante

Os critérios de aceitação são baseados conforme código ASME VIII, divisão 1,


 Apêndice 8.

6.3 ACESSÓRIOS E DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA

6.3.1 Acessórios do fundo

No fundo do tanque deverá ser construído um dispositivo de drenagem


conforme Tabelas 5-16a e 5-16b e Figura 5-21 da norma API 650, conforme
observado a seguir:

Figura 12 - Instrução de Construção de Sistema de Drenagem do Fundo do Tanque Conforme API
650.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 14/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

17

Figura 13 – Instrução de Dimensionamento de Sistema de Drenagem do Fundo do Tanque Conforme


 API 650

Figura 14 - Continuação de Instrução de Dimensionamento de Sistema de Drenagem do Fundo do


Tanque Conforme API 650

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 15/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

18

REFERÊNCIAS

 AMERICAN PETROLEUM
Washington: API INSTITUTE.
publishing services, 2010.API 650: welded tanks oil storage .
438 p.

PETROBRÁS. N-270: projeto de tanque atmosférico. rev. C. [S.l.: s.n.], 2003.

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 16/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

20

 APÊNDICE A – Croqui do dique de contenção


 ,
 5 
 m
 
124 m

37 m
 0 
 ,
 3 
 5 
 m
 

37 m 124 m 1 
 ,1 
50 m  5 
 m
 

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 17/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

21

 APÊNDICE B – Croqui do dique de contenção

1,079 m

12 m 2m

5,5 m

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 18/19


 

5/19/2018 Dime nsiona me nto de ta nque - slide pdf.c om

22

APÊNDICE C – SUSTENTAÇÃO DO TETO

http://slide pdf.c om/re a de r/full/dime nsiona me nto-de -ta nque 19/19