Você está na página 1de 16

ANALISTA DOS TRIBUNAIS

Luís Gustavo Bezerra de Menezes


Lei 8.112/90
Aula 1

ROTEIRO DE AULA

• 1- Introdução
➢ Administração pública:
o Adm. pública direta
▪ Órgãos que compõem a União, Estados, DF e Municípios
▪ Entidades políticas
▪ Detém competência legislativa

o Adm. pública indireta


▪ Entidades administrativas
▪ Não detém competência legislativa
▪ Formada por autarquias, sociedades de economia mista, empresas públicas e fundações
públicas

➢ Cargo público
o Cargo público vitalício
▪ Servidores detém a vitaliciedade
▪ Vitaliciedade – só perde o cargo a partir de sentença judicial transitada em julgado

o Cargo público efetivo


▪ Servidores detém estabilidade

1
www.g7juridico.com.br
▪ Estabilidade- após os requisitos do art. 41 da CF1, ganha-se estabilidade
▪ Necessita de concurso público (art. 37, II da CF)2

o Cargo público em comissão


▪ Art. 37, II da CF traz a exceção à regra do concurso público
▪ Livre nomeação e livre exoneração
▪ Não há estabilidade
▪ Relação precária
▪ Atenção para o fato do servidor público efetivo poder ser nomeado para cargo em
comissão, mas, lembre-se, não precisa de concurso para ocupar o cargo em comissão
(livre nomeação)

o Cargo público
▪ Art. 3º da Lei 8.112/90
“Art. 3º Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na
estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor.”

▪ Núcleo de direitos e deveres recebidos ao ingressar no serviço público

➢ Emprego público
o Ocupado por empregado público
o Regido pela CLT (não segue a Lei 8.112/90)
o Sociedades de economia mista e empresas públicas
o Deve fazer concurso público
o Empregado público não detém estabilidade
o Deve respeitar o processo administrativo para perda do cargo

1
Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em
virtude de concurso público. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
§ 1º O servidor público estável só perderá o cargo: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
I - em virtude de sentença judicial transitada em julgado; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
II - mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa; (Incluído pela Emenda Constitucional nº
19, de 1998)
III - mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada ampla
defesa. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
2
Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao
seguinte:
II - a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas
e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as
nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração;

2
www.g7juridico.com.br
➢ Servidor público
o Servidor é aquele que ocupa cargo público

➢ Função pública
o “Todo cargo tem uma função, mas nem toda função possui um cargo”

➢ Funcionário público
o Termo ultrapassado para o direito administrativo
o Foi substituída pela expressão agente público
o Mais utilizada pelo Código Penal

➢ Agente público
o Art. 2º da lei 8.429/92
“Art. 2º Para os efeitos desta Lei, servidor é a pessoa legalmente investida em cargo público.”

o Sujeito ativo do ato de improbidade


o Gênero que comporta diversas espécies
o Todo aquele que, ainda que sem remuneração e transitoriamente, ocupa cargo (servidor público),
emprego (empregado público), função (agentes honoríficos: mesário, jurado, dentre outros
exemplos) ou mandato (agente político: deputado, vereador, senador, dentre outros exemplos)
o Pode ser remunerado ou não
o Pode ter relação permanente ou transitória com a Administração

➢ Regime jurídico dos servidores é o conjunto de direitos e deveres do servidor público


➢ Existem o Regime Jurídico Estatutário (legal) e o Regime Jurídico Celetista (trabalhista)
o O regime celetista é fixado por um contrato de trabalho
▪ Está presente a característica da bilateralidade
▪ Típico do direito privado
▪ Por essa razão é aplicado à empresa pública e sociedade de economia mista, visto serem
pessoas jurídicas de direito privado

o O regime estatutário é aplicável ao servidor público


▪ Está presente a característica da unilateralidade, já que se trata de regime Legal
▪ Típico do direito público
▪ Aplicável à administração direta, autarquias e fundações públicas

3
www.g7juridico.com.br
➢ HISTÓRIA DA LEI 8.112/90
o CF, ART. 39 – ANTES DA EC 19/98
▪ “Art. 39 – A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, no âmbito
de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da
administração pública direta, das autarquias e fundações públicas. ”
▪ Veja que estava presente a exigência do estatuto para os servidores públicos (regime
jurídico único) – Lei 8.112/90 – estatuto do servidor público federal
▪ A lei 8.112/90 não tem aplicação nacional (não é aplicável aos Estados e Municípios)
▪ A EC 19/98 trouxe alterações a esse artigo da CF/88 A EC 19/98 tinha acabado com a exigência de
regime jurídico unificado. Tinha celetista junto
✓ CUIDADO!!!! com estatutário no mesmo órgão.

✓ STF (ADIn 2135) – declarou inconstitucional (em sede liminar) a nova redação
Liminar com efeito ex nunc. Quem era celetista
dada ao art. 39, caput, da CF contiuou celetista, estatutário continuou estatutário.
✓ Portanto foi restabelecida a redação do art. 39 da CF/88
Voltou a ter RJU

➢ LEI 8.112/90 -CAMPO DE APLICAÇÃO –


o União (Federal) – PE/PL/PJ
o Adm. Direta, Autárquica e Fundacional
o Não é aplicável aos Estados e Municípios
o Não é aplicável à empresa pública e sociedade de economia mista (empregados públicos)

➢ Provimento e Vacância
o (art. 1º. ao 39)

➢ Direitos e Vantagens
o (art. 40 ao 115)

➢ Regime Disciplinar
o (art. 116 ao 142)

➢ Processo Administrativo Disciplinar


o (art. 143 ao 182)

• 2- Provimento
➢ FORMAS DE PROVIMENTO (art. 8º)
o PANR4
o Nomeação

4
www.g7juridico.com.br
o Promoção
o Readaptação
o Reversão
o Aproveitamento
Ascensão era a troca do cargo sem concurso (ex: de técnico para analista).
o Reintegração Transferência a pessoa trocava de cargo também. Saía de lugar pra outro e poderia ir
para cargo diverso que tivesse vago.
o Recondução
o A ascensão e a transferência estavam originalmente previstas como forma de provimento (bem
como de vacância), mas foram revogadas pela Lei no 9.527/97.
▪ Ferem a regra do concurso público, pois ocorria a troca de cargo sem concurso público

➢ CLASSIFICAÇÃO DAS FORMAS DE PROVIMENTO:


o Originário (inicial) (classificação do STF)
▪ Não há vínculo anterior entre servidor e administração
▪ ÚNICA forma de provimento originário é a Nomeação
▪ A nomeação é SEMPRE forma de provimento originário (ex. analista do tribunal é
aprovado e nomeado em concurso para auditor fiscal – a nomeação aqui, também, será
provimento originário)

o Derivado (classificação do STF)


▪ Quando já existe vínculo anterior entre administração e servidor
▪ Todas as outras formas que não a nomeação

o Classificação utilizada pelo prof. Celso Antônio Bandeira de Melo


▪ Divide o provimento derivado:
✓ Horizontal
❖ Pressupõe carreiras de mesmo nível
❖ É a readaptação

✓ Vertical
❖ Progresso na carreira
❖ Promoção

✓ Por reingresso
❖ Todas as outras formas

5
www.g7juridico.com.br
➢ NOMEAÇÃO
o É a única forma de provimento originário, de acordo com a classificação do STF.
o É ato unilateral da Administração Pública
▪ Se dá com a publicação no Diário Oficial

o Pode ocorrer nomeação para cargo efetivo ou para cargo em comissão


▪ A nomeação para cargo efetivo se dá através do concurso público
▪ O concurso público pode ser de provas ou de provas E títulos
▪ STF exige que haja proporcionalidade e razoabilidade quanto aos títulos
▪ Atribuições do cargo devem justificar a prova de título
▪ Prova de título deve ser apenas classificatória (não eliminatória)
▪ Prazo de validade do concurso de até 2 anos, prorrogável uma vez por igual período
▪ A prorrogação desse prazo é discricionária
▪ STF aponta que o exame psicotécnico deve ter previsão em lei; deve ser realizado com
critérios objetivos; deve existir a possibilidade de reexame (recurso administrativo) para
o candidato;
▪ STF entende que candidata gestante pode remarcar prova física (ainda que omisso o
edital)
▪ STF aduziu que o edital não pode discriminar o candidato por existência da tatuagem,
salvo se a tatuagem ferir valores mínimos constitucionais (dignidade; vida; entre outros
exemplos)

o Nomeação x Posse x Exercício


▪ Nomeação
✓ É publicada em diário oficial
✓ STF entende não ser razoável, após determinado período, apenas a publicação e
diário; a Administração deverá utilizar todos os meios possíveis para dar ciência
ao aprovado
✓ Unilateral
✓ Se for nomeado e não tomar posse: a nomeação (o ato de provimento) se torna
sem efeito
✓ Sem efeito é diferente de anulação; a anulação é decorrente de ato ilegal

▪ Posse
✓ Bilateral (assina-se o termo de posse)
✓ Prazo de 30 dias para tomar posse, improrrogáveis

6
www.g7juridico.com.br
✓ Posse é o marco da investidura
✓ Investidura é quando se torna servidor propriamente dito
✓ Se tomar posse e não entrar em exercício: será exonerado de ofício
✓ Exoneração é diferente de demissão; a demissão é punição
✓ Posse pressupõe: exame médico prévio; apresentar declaração de bens;
declaração de acúmulo de cargos;
✓ Posse pode ocorrer através de procuração ESPECÍFICA

▪ Exercício
✓ Efetivo desempenho das atribuições do cargo
✓ 15 dias para entrar em exercício, improrrogáveis
✓ Exercício é ato pessoal (não pode, por exemplo, por procuração)

o “Art. 5o. - São requisitos básicos para investidura em cargo público:


I - a nacionalidade brasileira; (CF, art 37, I)
Estrangeiros na forma da lei. A lei ainda não existe, mas existe a
II - o gozo dos direitos políticos; previsão constitucional.
III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;
IV - o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo;
V - a idade mínima de dezoito anos;
VI - aptidão física e mental.
§ 1o As atribuições do cargo podem justificar a exigência de outros requisitos estabelecidos em
lei.”
▪ Os requisitos são exemplificativos, podem existir outros através de lei
▪ Reserva Legal – o edital não pode!!!
▪ STF – “o edital não é instrumento idôneo para o estabelecimento de limite mínimo de
idade para a inscrição em concurso público; para que seja legítima tal exigência, é
imprescindível a previsão em lei.”
▪ STF – “a exigência de habilitação para o exercício do cargo objeto do certame dar-se-á no
ato da posse e não da inscrição do concurso.”
▪ STJ – “O diploma ou habilitação legal para o exercício do cargo deve ser exigida na posse
e não na inscrição para o concurso público.”
▪ São requisitos para a investidura, por essa razão devem ser preenchidos na posse

➢ PROMOÇÃO
o Forma de provimento derivado vertical;
o É o progresso do servidor dentro de sua carreira;

7
www.g7juridico.com.br
o Só ocorre nos cargos de carreira (que possuem plano de carreira);
o A promoção não interrompe o tempo de exercício, que é contado no novo posicionamento na
carreira a partir da data de publicação do ato que promover o servidor.
o Forma de provimento e de vacância

➢ READAPTAÇÃO
o Forma de provimento derivado horizontal;
o Ocorre quando o servidor, estável ou não, sofre uma limitação, física ou mental, na sua
capacidade de trabalho, mas que não ficou inválido permanentemente, pois nesse caso, deverá
ser aposentado por invalidez permanente
o Depende de inspeção médica prévia;
o Deverá ocorrer em cargo equivalente ao anteriormente ocupado;
o Na hipótese de não haver cargo vago compatível, o servidor exercerá suas funções como
excedente. fora do número de cargos.
o Forma de provimento e de vacância

“Art. 24. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades


compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em
inspeção médica.

§ 1o Se julgado incapaz para o serviço público, o readaptando será aposentado.

§ 2o A readaptação será efetivada em cargo de atribuições afins, respeitada a habilitação exigida,


nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e, na hipótese de inexistência de cargo vago,
o servidor exercerá suas atribuições como excedente, até a ocorrência de vaga. (Redação dada
pela Lei nº 9.527, de 10.12.97)”

➢ REVERSÃO
o Forma de provimento derivado por reingresso;
o É o retorno à atividade do servidor aposentado
o Poderá ocorrer de ofício (art. 25, I) ou a pedido (art. 25, II)
▪ De ofício pressupõe a aposentadoria por invalidez
✓ Se apto a trabalhar, DEVE voltar a trabalhar (ato vinculado)
✓ Se não tiver vaga, volta como excedente; ou seja, volta havendo ou não cargo
vago
▪ Reversão a pedido

8
www.g7juridico.com.br
✓ Administração pode ou não atender
✓ O servidor deve ter se aposentado voluntariamente e nos últimos 5 anos
✓ DEVE existir cargo vago

A idade da aposentadoria compulsória aumentou para 75 anos (PEC da Bengala),


o Não pode ter 70 anos mas esse limite de reversão continua sendo de 70 anos.

A PEDIDO DE OFÍCIO
Depende da vontade do servidor; Independe da vontade do servidor;

Ato Discricionário Ato Vinculado;

Requisitos: art. 25, II Aposentadoria por invalidez

Aposentadoria Voluntária Haja ou não cargo vago (se não houver, retorna
como excedente)

Haja cargo vago


--------------------------------------

“Art. 25. Reversão é o retorno à atividade de servidor aposentado: (Redação dada pela Medida Provisória nº
2.225-45, de 4.9.2001)

I - por invalidez, quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria; ou (Incluído
pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

II - no interesse da administração, desde que: (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

a) tenha solicitado a reversão; (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

b) a aposentadoria tenha sido voluntária; (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

c) estável quando na atividade; (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

9
www.g7juridico.com.br
d) a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação; (Incluído pela Medida Provisória nº
2.225-45, de 4.9.2001)

e) haja cargo vago. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 1o A reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação. (Incluído pela Medida
Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 2o O tempo em que o servidor estiver em exercício será considerado para concessão da aposentadoria. (Incluído
pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 3o No caso do inciso I, encontrando-se provido o cargo, o servidor exercerá suas atribuições como excedente,
até a ocorrência de vaga. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 4o O servidor que retornar à atividade por interesse da administração perceberá, em substituição aos proventos
da aposentadoria, a remuneração do cargo que voltar a exercer, inclusive com as vantagens de natureza pessoal
que percebia anteriormente à aposentadoria. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 5o O servidor de que trata o inciso II somente terá os proventos calculados com base nas regras atuais se
permanecer pelo menos cinco anos no cargo. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 4.9.2001)

§ 6o O Poder Executivo regulamentará o disposto neste artigo. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de
4.9.2001)

Art. 27. Não poderá reverter o aposentado que já tiver completado 70 (setenta) anos de idade.”

➢ APROVEITAMENTO
o CF, art, 41, § 3º. – APROVEITAMENTO
“§ 3º Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor estável ficará em
disponibilidade, com remuneração proporcional ao tempo de serviço, até seu adequado
aproveitamento em outro cargo.”
o Forma de provimento derivado por reingresso;
o Retorno do servidor estável posto em disponibilidade;
o Disponibilidade – cargo extinto ou declarado desnecessário
o Servidor recebe remuneração proporcional ao tempo de serviço
o NÃO ESQUECER!!!!

10
www.g7juridico.com.br
▪ Tempo de Serviço – Disponibilidade
▪ Tempo de Contribuição – Aposentadoria

o Se não estável e o cargo for extinto, o servidor será exonerado

“Art. 30. O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento


obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado.

Art. 31. O órgão Central do Sistema de Pessoal Civil determinará o imediato aproveitamento de
servidor em disponibilidade em vaga que vier a ocorrer nos órgãos ou entidades da Administração
Pública Federal.

Parágrafo único. Na hipótese prevista no § 3o do art. 37, o servidor posto em disponibilidade


poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do Sistema de Pessoal Civil da
Administração Federal - SIPEC, até o seu adequado aproveitamento em outro órgão ou entidade.
(Parágrafo incluído pela Lei nº 9.527, de 10.12.97)

Art. 32. Será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade se o servidor não
entrar em exercício no prazo legal, salvo doença comprovada por junta médica oficial.”

➢ REINTEGRAÇÃO
o CF, art, 41, § 2º. – REINTEGRAÇÃO
“§ 2º Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável, será ele reintegrado, e o
eventual ocupante da vaga, se estável, reconduzido ao cargo de origem, sem direito a
indenização, aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade com remuneração
proporcional ao tempo de serviço.”
o Forma de provimento derivado por reingresso;
o Retorno do servidor estável e que foi demitido injustamente;
o Segundo a CF, só poderá ocorrer via judicial, mas a Lei 8.112/90 também prevê o retorno pela via
administrativa. anulação do ato. autotutela
o O retorno do servidor não estável não é a reintegração; é viável, mas é outro instituto (inominado)
é o retorno do não estável

11
www.g7juridico.com.br
SE FOR ESTÁVEL SE NÃO FOR ESTÁVEL
Reconduzido ao cargo de origem, sem direito à Exonerado de Ofício (≠ Demitido)
indenização;

Posto em disponibilidade;
-------------------------

Aproveitado -------------------------

“Art. 28. A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou


no cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão
administrativa ou judicial, com ressarcimento de todas as vantagens.

§ 1o Na hipótese de o cargo ter sido extinto, o servidor ficará em disponibilidade, observado o


disposto nos arts. 30 e 31.

§ 2o Encontrando-se provido o cargo, o seu eventual ocupante será reconduzido ao cargo de


origem, sem direito à indenização ou aproveitado em outro cargo, ou, ainda, posto em
disponibilidade.”

➢ RECONDUÇÃO
o Forma de provimento derivado por reingresso
o É o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado, podendo decorrer de:
inabilitação em estágio probatório (relativo a outro cargo) ou da reintegração do anterior
ocupante, como visto anteriormente.
o ESTÁGIO PROBATÓRIO:
▪ Serve para avaliar a aptidão e a capacidade do servidor ao exercício do novo cargo;
▪ Sempre que o servidor trocar de cargo (concurso público), estará sujeito a novo estágio
probatório;
▪ Aspectos avaliados: assiduidade, disciplina, capacidade de iniciativa, produtividade e
é técnico Judiciário, passa pra responsabilidade (C AS PRO RES DIS)
delegado e não gostou. Pode
pedir para ser reconduzido ▪ Segundo a jurisprudência do STF é possível ao servidor estável aprovado para outro
para o cargo anterior de cargo, dentro do período de estágio probatório, optar pelo retorno ao cargo antigo, caso
técnico, desde que peça
dentro do período de estágio deseje (MS 24.543–3 DF, Ministro Carlos Velloso).
probatório do cargo de
delegado.

12
www.g7juridico.com.br
ou se for inabilitado no estágio ▪ Servidor inabilitado no estágio probatório será EXONERADO DE OFÍCIO (≠ DEMITIDO) –
probatório do cargo de delegado, processo administrativo prévio (não é PAD)
também é exonerado desse e
depois reconduzido ao cargo ▪ Servidor em estágio probatório pode exercer cargo em comissão/função de confiança
anterior de tecnico. ▪ Prazo do estágio probatório (jurisprudência e doutrina majoritária): 36 meses

“Art. 29. Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado e decorrerá de:

I - inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo;

II - reintegração do anterior ocupante.

Parágrafo único. Encontrando-se provido o cargo de origem, o servidor será aproveitado em outro,
observado o disposto no art. 30.”

• 3- FORMAS DE VACÂNCIA
➢ Art. 33. A vacância do cargo público decorrerá de:
I - exoneração;
II - demissão;
III - promoção; (vacância e provimento)
VI - readaptação; (vacância e provimento)
VII - aposentadoria;
VIII - posse em outro cargo inacumulável;
IX - falecimento.

➢ Quanto a posse em outro cargo inacumulável: pede-se a VACÂNCIA para tomar posse em cargo
inacumulável se pedir exoneração, não pode ser reconduzido porque rompeu o vínculo com a A.P.

➢ REMOÇÃO
o “Art. 36. Remoção é o deslocamento do servidor, a pedido ou de ofício, no âmbito do mesmo
quadro, com ou sem mudança de sede.”
o ≠ Transferência;
▪ Na transferência ocorre a troca de cargo
▪ A remoção é no âmbito do mesmo quadro

o Não é forma de provimento e nem de vacância;


o É o deslocamento do servidor (diferente da redistribuição que é o deslocamento dos cargos)

13
www.g7juridico.com.br
o No âmbito do mesmo quadro de pessoal;
o Com ou sem mudança de sede;
o A pedido ou de ofício (a redistribuição é apenas de ofício)
o Período de trânsito – Prazo – mínimo de 10 e máximo de 30 dias; período para se apresentar no
novo local. conta como tempo de
o Formas: serviço.
▪ 1)De ofício (ajuda de custo / não pode ser utilizada como punição)
▪ 2) A pedido, a critério da Administração (discricionário)
▪ 3) A pedido, independentemente de interesse da Administração (vinculado)sem ajuda de
custo
✓ para acompanhar cônjuge ou companheiro, também servidor público civil ou
militar, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios, que foi deslocado no interesse da Administração; (a pedido não!)
(removido de ofício)
✓ por motivo de saúde do servidor, cônjuge, companheiro ou dependente que viva
às suas expensas e conste do seu assentamento funcional, condicionada à
comprovação por junta médica oficial;
✓ em virtude de processo seletivo promovido, na hipótese em que o número de
concurso de interessados for superior ao número de vagas, de acordo com normas
remoção
preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados.
o O STF diz que a expressão servidor público, utilizada acima, é no sentido amplo (abrange também
os empregados públicos)

• 4- Direitos e vantagens (art.40 ao 115)


➢ PERDA DO VENCIMENTO:
o “Art. 44 – O servidor perderá:”
o a remuneração dos dias em que faltar ao serviço, sem justo motivo;
o a parcela de remuneração diária, proporcional aos atrasos, ausências justificadas, ressalvadas as
concessões de que trata o art. 97, e saídas antecipadas, salvo na hipótese de compensação de
horário, até o mês subseqüente ao da ocorrência, a ser estabelecida pela chefia imediata
o quando houver conveniência para o serviço, a penalidade de suspensão poderá ser convertida
em multa, na base de 50% (cinqüenta por cento) por dia de vencimento ou remuneração, ficando
o servidor obrigado a permanecer em serviço.
o Obs: As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou força maior poderão ser compensadas
a critério da chefia imediata, sendo assim consideradas como efetivo exercício (art. 44, parágrafo
único)

14
www.g7juridico.com.br
➢ REPOSIÇÕES E INDENIZAÇÕES:
o Salvo por imposição legal, ou mandado judicial, nenhum desconto incidirá sobre a remuneração
ou provento. (art. 45)
o Mediante autorização do servidor, poderá haver consignação em folha de pagamento em favor
de terceiros, a critério da administração e com reposição de custos, na forma definida em
regulamento.
limite consignável:
o O total de consignações facultativas de que trata o § 1º não excederá trinta e cinco por cento da
35%, sendo 30% pra
geral e 5% pra cartão remuneração mensal, sendo cinco por cento reservados exclusivamente para a amortização de
de crédito.
despesas contraídas por meio de cartão de crédito
o As reposições e indenizações ao erário serão descontadas em parcelas mensais. O valor de cada
parcela não poderá ser inferior ao correspondente a dez por cento da remuneração, provento
ou pensão.
o O servidor em débito com o erário, que for demitido, exonerado, ou que tiver a sua
aposentadoria ou disponibilidade cassada, terá o prazo de 60 (sessenta) dias para quitar o débito.
A não quitação do débito no prazo previsto implicará sua inscrição em dívida ativa.
o O vencimento, a remuneração e o provento não serão objeto de arresto, seqüestro ou penhora,
exceto nos casos de prestação de alimentos resultante de decisão judicial.

➢ Vencimento
▪ Valor básico paga pelo exercício do cargo
▪ Valor fixado em lei

➢ Remuneração
▪ Vencimento básico + vantagens permanentes
▪ Não pode ser inferior ao mínimo

➢ Provento
▪ “Remuneração” do aposentado

➢ Subsídio
▪ Forma peculiar de remuneração para determinadas carreiras
▪ Previsto na CF/88, art. 39, §§4º e 8º
▪ Pago em parcela única

15
www.g7juridico.com.br
“§ 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários
Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única,
vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou
outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI. (Incluído
pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)”

“§ 8º A remuneração dos servidores públicos organizados em carreira poderá ser fixada nos termos
do § 4º. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)”

16
www.g7juridico.com.br

Você também pode gostar