Você está na página 1de 3

Competência

Competência é o limite da jurisdição

Devido a extensão territorial brasileira instituiu-se a pluralidade de órgãos

jurisdicionais, aos quais é atribuído o exercício da jurisdição, com o fito de

melhor atender aos milhões de litigantes. Devido a esta pluralidade, mas

também em atenção à matéria contida nas lides, a CF, as leis processuais e de

organização judiciária criaram limitações ao exercício da jurisdição por seus

órgãos, de acordo com critérios pré-fixados, às quais dá-se o nome de

competência.

Art. 43. Determina-se a competência no momento do registro ou da distribuição da petição


inicial, sendo irrelevantes as modificações do estado de fato ou de direito ocorridas
posteriormente, salvo quando suprimirem órgão judiciário ou alterarem a competência absoluta.

A outra exceção é a alteração da competência absoluta, que pode"decorrer de fato ou direito


superveniente ao momento da propositura da demanda. O fato de ser excluído da lide corréu
que justificava a competência da Justiça Federal gera a remessa do processo para a Justiça
Estadual. Da mesma forma que uma mudança constitucional que aumente a competência da
Justiça Federal, e incida nos processos em tramite perante a Justiça Estadual, gera sua
remessa imediata àquela Justiça"Neves (2016, p. 62).

A competência é estabelecida em lei e determina os limites do poder de julgar. Em suma, é a


limitação do exercício da jurisdição atribuída a cada órgão ou grupo de órgãos jurisdicional.
Delimitação da justificação de cada órgão, definida por lei (art.42, NCPC). É a atribuição de um
determinado órgão do poder judiciário de resolver conflitos de interesses, aplicado a norma
geral e abstrata do caso concreto. Fixação de cada órgão nacional, ou seja, demarcação de
limites dos órgãos. Cabe a legislação de cada País estabelecer a extensão da jurisdição de
outro País, delimitando a competência interna e a externa.

Competência externa - internacional


Competência concorrente: Quando dois ou mais países são competentes
concorrentemente para processar ou julgar determinado fato.

Competência exclusiva: Apenas um País é competente para processar ou julgar


determinado fato excluindo-se os demais países.

Somente a justiça brasileira pode decidir quais sentenças estrangeiras que podem ou não
executadas no Brasil - homologação da sentença estrangeira - STJ. A justiça brasileira não vai
entrar no critério do justo ou injusto, apenas vai verificar se ocorreu a citação e se aquela
decisão não fere nenhuma garantia constitucional.
Competência interna
Distribuição de competência dentro do âmbito nacional, sendo dividido entre a matéria, valor da
causa, funcional e territorial.

Territorial: Divisão geografia estabelecida pela legislação (comarcas, foros regionais e foros
distritais).

Funcional: Função exercida pelo órgão dentro da estrutura do poder judiciário. (Constituição
estabelece a função do STJ e do STF).

Valor da causa: Expressão econômica do direito discutido em juízo.


Material: Natureza judiciária da lide - penal, trabalhista, etc.
Competência relativa e absoluta
Absoluta: É matéria de ordem pública, não há preclusão, não sendo passível de modificação,
encontram-se os critérios materiais e funcionais.

Relativa: Matéria de ordem privada há preclusão, juiz incidentemente incompetente passa a


ser competente, tem como pressuposto a pacificação da defesa. Tem critério territorial e
econômico.

Modificações de competência
Somente a competência relativa está sujeita a modificação, as causas são:

Prorrogação: não pode ser reconhecida de ofício pelo juiz, cumpri ao réu alegar a
prorrogação, se não se manifestar o juiz que era originalmente incompetente torna-se
plenamente competente.

Conexão: é o mercaríamos processual que permite a reunião de duas ou mais ações em


andamento, para que tenham um andamento em conjunto. O critério utilizado pelo legislador
para definição são os elementos as ações (partes, causa de pedir e pedido).

Continência: é compreende a relação de duas ou mais ações quando houver identidade de


partes e causas de pedir, sendo que o objeto de um é mais abrangente que a outra.

Derrogação: ocorre quando há foro de eleição. Quando por força de acordo de vontades em
que duas ou mais pessoas escolheram qual foro competente para processar e julgar as
demandas relativas ao contrato celebrado.

Conflito de competência
Pode ocorrer o conflito de competência em duas hipóteses:

Conflito Negativo de Competência: quando dois ou mais juízes se detém por


incompetentes para resolução de determinado conflito.

Conflito positivo de Competência: quando dois ou mais juízes se derem por competentes
para resolução de determinado conflito.

Referências:
GASPARETTI, Marco Vanin. In: ALVIM, Angélica Arruda. Comentários ao Código de Processo
Civil. São Paulo: Saraiva 2017, p. 106.

WAMBIER, Teresa Arruda Alvim et al. Breves Comentários ao novo Código de Processo Civil,
São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2015, p. 214.

CÂMARA, Alexandre Freitas. Lições de Direito Processual Civil. Vol.1. 25º edição. Rio de
Janeiro: Editora Atlas.
GONÇALVES, Marcus Vinicius. Novo Curso de Direito Processual Civil. Vol. 1. 11º edição. São
Paulo: Editora Saraiva.