Você está na página 1de 14

1. ASPECTOS JURÍDICO-AMBIENTAIS DO 9. COMPLEXIDADES JURÍDICAS RELATIVAS À 17.

IMPRESCINDIBILIDADE E AVANÇOS DA Os organizadores


DESCOMISSIONAMENTO DE SISTEMAS DE EXECUÇÃO DA LEI E AO USO DA FORÇA NO MAR: CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE
PRODUÇÃO MARÍTIMA DE PETRÓLEO EM UMA ANÁLISE DO CASO UCRÂNIA V. RÚSSIA NO O DIREITO DO MAR: NA SALVAGUARDA DO
ÁGUAS SOB JURISDIÇÃO NACIONAL TRIBUNAL INTERNACIONAL DE DIREITO DO MAR DIREITO FUNDAMENTAL AO MEIO AMBIENTE
Alessandra Deslandes Fogiato Henrique Jerônimo Bezerra Marcos LEONARDO DE CAMARGO SUBTIL
Eduardo Cavalcanti de Mello Filho ECOLOGICAMENTE EQUILIBRADO Doutor summa cum laude em Direito
2. A VISÃO JURÍDICA DOS JUÍZES BRASILEIROS Lucas Sarmento Pimenta
MEMBROS DA CORTE INTERNACIONAL DE 10. DIREITO DOS ANIMAIS E A PESCA Carmen Lucia Sarmento Pimenta Internacional pela Universidade Federal
JUSTIÇA SOBRE CASOS DE DIREITO DO MAR BALEEIRA NA ANTÁRTIDA: CONFLITOS DA do Rio Grande do Sul - UFRGS (2016).
JULGADOS NA CORTE MUNDIAL REPRESENTAÇÃO DA AUSTRÁLIA X JAPÃO 18. A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS
THIAGO CARVALHO BORGES Gianno Lopes Nepomuceno Doutorando em Direito Internacional na

Leonardo de Camargo Subtil


Alex Silva Oliveira MARINHOS VIVOS NO OCEANO AUSTRAL:
Doutor em Direito pela Faculdade de 3. ESPIONAGEM NO MAR TERRITORIAL: 11. PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE MARINHO INTERSECÇÕES ENTRE ATS E UNCLOS Universidade de Genebra (2015- ), com

Thiago Carvalho Borges


E O CÓDIGO POLAR: O USO E TRANSPORTE DO tese voltada à resolução de controvérsias

André de Paiva Toledo


Direito da Universidade Federal da COMPLEXIDADES E DIVERGÊNCIAS Luciano Vaz Ferreira
INTERPRETATIVAS HEAVY FUEL OIL (HFO) NO ÁRTICO Carla Froener Ferreira e Direito Internacional do Mar na Améri-
Bahia (2019). Mestre em Direito pela Alex Silva Oliveira Isabella Sousa de Araujo Mochel
ca Latina. Trabalhou como Pesquisador

Tiago V. Zanella
Universidade de Coimbra, Portugal Giulia Ferrigno Poli Ide Alves 19. O ESTATUTO JURÍDICO DA AUTORIDADE
12. UMA ABORDAGEM DE GEOCIÊNCIAS E DE
4. INDENIZAÇÃO PRÉ-FIXADA OU CLÁUSULA GEODIREITO DO MAR TERRITORIAL, RECURSOS INTERNACIONAL DOS FUNDOS MARINHOS do Tribunal Internacional de Direito do
(2004). Graduado em Direito pela Uni-
PENAL? UMA ANÁLISE DA CLÁUSULA DA NATURAIS DA ZONA ECONÔMICA EXCLUSIVA E (ISA) E A PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO COMUM Mar, Hamburgo, Alemanha (2015-2016),
versidade Católica do Salvador (2000).
DEMURRAGE, OU SOBRE ESTADIA, DE DA PLATAFORMA CONTINENTAL BRASILEIRA DA HUMANIDADE Nippon Fellowship Programme, voltado
Doutorando em Direito Internacional CONTAINERS NOS CONTRATOS DE TRANSPORTE Jorge Kleber Teixeira Silva Leonardo de Camargo Subtil
pela Universidade de São Paulo. Atual- DE MERCADORIAS, À LUZ DAS OBRIGAÇÕES NO Mario Henrique da Rocha
ao desenvolvimento de recursos técnicos
13. O PRINCÍPIO DA LIBERDADE DE [ORGS.] para a resolução de controvérsias em Di-
mente é professor da Faculdade Baiana DIREITO BRASILEIRO NAVEGAÇÃO EM ALTO-MAR À LUZDO CASO 20. O SISTEMA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
de Direito. Tem experiência na área de
Alexandre Costa da Fonseca
M/V NORSTAR reito do Mar, apontado pela Universidade
NO DIREITO DO MAR E A FRAGMENTAÇÃO DO
Direito, com ênfase em Direito Interna-
5. OBJETIVO DE DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL 14: PANORAMA GERAL DA
Júlia Machado Aguiar
Lucas Carlos Lima DIREITO INTERNACIONAL
Milena Barbosa de Melo
V. 3 de Genebra (UNIGE). Mestre em Direito
Público pela Universidade do Vale do Rio
cional Público, atuando principalmente PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA (2012-2018) 14. A CONCILIAÇÃO COMPULSÓRIA NA CONVENÇÃO
nos seguintes temas: relações entre o Ana Carolina Silva Nobre
Raissa Maria dos Santos dos Sinos (UNISINOS). Membro Funda-
DE MONTEGO BAY: UM ESTUDO COMPARADO ENTRE

DIREITO
DO MAR
Felipe Kern Moreira Silvia Cristina da Silva
direito internacional e o direito interno, O CASO TIMOR-LESTE VS. AUSTRÁLIA E O CASO JAN dor e Diretor do Instituto Brasileiro de
6. AS MEDIDAS PROVISÓRIAS PRESCRITAS MAYEN (NORUEGA VS. ISLÂNDIA) 21. A CONVENÇÃO DE BASILEIA E A INDÚSTRIA Direito do Mar (IBDMAR). Membro da
Nações Unidas e organismos internacio- POR ÓRGÃO INCOMPETENTE: UMA ANÁLISE DO Júlia Schütz Veiga OFFSHORE NO BRASIL
nais, direito do mar, constituição e trata- Sociedade Suíça de Direito Internacio-
CONTENCIOSO INTERNACIONAL Mariana Passos Beraldo
Nathália de Oliveira Souza
do. Presidente do Instituto Brasileiro de André de Paiva Toledo Manuela Bocayuva Carvalho nal (SSDI). Professor convidado na Escola
15. A OPERAÇÃO AQUARIUS: A INFLUÊNCIA DAS 22. IMPACTOS ECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA Superior da Magistratura Federal do Rio
Direito do Mar (2016-2018). 7. O CASO 26 DO TRIBUNAL INTERNACIONAL
DO DIREITO DO MAR COMPREENDIDO À LUZ POLÍTICAS MIGRATÓRIAS DA UNIÃO EUROPEIA EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS MINERAIS NA Grande do Sul (ESMAFE) e no LLM em Di-
DA HISTÓRIA DAS RELAÇÕES GEOPOLÍTICAS NA ROTA DO MEDITERRÂNEO CENTRAL ÁREA ALÉM DAS JURISDIÇÕES NACIONAIS
Júlia Schütz Veiga reito Ambiental da Universidade do Vale
ENTRE RÚSSIA E UCRÂNIA NA CRIMEIA Leonardo de Camargo Subtil
André de Paiva Toledo
Isabella Caminoto
Poliana Lovatto do Rio dos Sinos (UNISINOS).

DIREITO
Lillie Lima Vieira 16. RESTRIÇÕES AO DEVER DE CONSERVAR
TIAGO VINICIUS ZANELLA OS RECURSOS MARINHOS NO ALTO MAR EM 23. OS PRINCÍPIOS DA CONVENÇÃO DA
8. A INCONVENIÊNCIA DAS BANDEIRAS DE UNESCO SOBRE A PROTEÇÃO DOS BENS
Doutor em Ciências Jurídico-Interna- CONVENIÊNCIA: À LUZ DOS DIREITOS HUMANOS CASOS DE POLUIÇÃO SONORA CAUSADA POR
cionais e Europeias pela Faculdade de Carmen Lucia Sarmento Pimenta ATIVIDADES MILITARES BRASILEIRAS CULTURAIS SUBAQUÁTICOS
ANDRÉ DE PAIVA TOLEDO

DO MAR
Lucas Sarmento Pimenta Larissa Maria Medeiros Coutinho Raíssa Luana Rocha Siqueira Paiva
Direito da Universidade de Lisboa (FDL);
Doutor em Direito pela Université Pan-
Mestre em Direito Internacional e Rela-
théon-Assas Paris II (Sorbonne). Mestre
ções Internacionais pela FDL; Advoga-

e perspectivas
tendências
reflexões,
e Bacharel em Direito pela Universidade
do; graduado em Direito pela Faculda-
Federal de Minas Gerais (UFMG). Profes-
de de Direito de Curitiba; graduado em
Relações Internacionais pelo UNICURI-
TIBA; professor de Direito Internacional
V. 3 reflexões, tendências
e perspectivas
sor do Programa de Pós-Graduação em
Direito da Escola Superior Dom Helder
Câmara. Coordenador do Grupo de Estu-
e Direito do Mar; Presidente do IBDmar;
dos em Direito Internacional Público (GE-
Pós doutorando na Escola de Guerra André de Paiva Toledo

[ORGS.]
DIP) e do Grupo de Estudos em Direito
Naval (EGN). Leonardo de Camargo Subtil
Thiago Carvalho Borges do Mar (GEDIMAR). Diretor do Instituto
Tiago V. Zanella Brasileiro de Direito do Mar (IBDMAR).
Membro Associado do Institut de Recher-
che en Droit International et Européen de
ISBN 978-65-5059-056-7 la Sorbonne (IREDIES). Membro da Soci-
été Française pour le Droit International
editora (SFDI). Advogado. Tabelião do 1º Ofício
de Notas de Campos Altos - MG.
DIREITO
DO MAR
V. 3 reflexões, tendências
e perspectivas
DIREITO
DO MAR
V. 3 reflexões, tendências
e perspectivas

André de Paiva Toledo


[ORGS.]

Leonardo de Camargo Subtil


Thiago Carvalho Borges
Tiago V. Zanella
Belo Horizonte São Paulo
Av. Brasil, 1843, Av. Paulista, 2444,
Savassi, Belo Horizonte, MG 8º andar, cj 82
Tel.: 31 3261 2801 Bela Vista – São Paulo, SP
CEP 30140-007 CEP 01310-933
W W W. E D I TO R A D P L A C I D O. C O M . B R

Copyright © 2019, D’Plácido Editora.


Copyright © 2019, Os Autores.

Todos os direitos reservados.


Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida, por quaisquer meios,
sem a autorização prévia do Grupo D’Plácido.

Editor Chefe Plácido Arraes

Editor Tales Leon de Marco

Produtora Editorial Bárbara Rodrigues

Capa, projeto gráfico Letícia Robini


(Imagem por John Cahil Rom, via Pexels)

Diagramação Enzo Zaquel Prates


Leda Érica Câmara
Nathalia Torres
Apoio:

Catalogação na Publicação (CIP)


Ficha catalográfica
Direito do mar: reflexões, tendências e perspectivas - volume 3. TOLEDO, Andre de Paiva;
SUBTIL, Leonardo de Camargo; BORGES, Thiago Carvalho; ZANELLA, Tiago V.. [Orgs.]
-- Belo Horizonte: Editora D’Plácido, 2019.
612 p.

ISBN: 978-65-5059-056-7

1. Direito. 2. Direito Internacional. I. Título.

CDD341.1CDU341
Sumário

Apresentação 9

1. Aspectos jurídico-ambientais do descomissionamento


de sistemas de produção marítima de petróleo em
águas sob jurisdição nacional 13
Alessandra Deslandes Fogiato

2. A visão jurídica dos juízes brasileiros membros da


Corte Internacional de Justiça sobre casos de direito
do mar julgados na Corte Mundial 25
Alex Silva Oliveira

3. Espionagem no mar territorial:


complexidades e divergências interpretativas 69
Alex Silva Oliveira
Giulia Ferrigno Poli Ide Alves

4. Indenização pré-fixada ou cláusula penal?


umas análise da cláusula da Demurrage, ou
sobre estadia, de containers nos contratos
de transporte de mercadorias, à luz das
obrigações no direito brasileiro 97
Alexandre Costa da Fonseca
5. Objetivo de desenvolvimento sustentável 14:
panorama geral da participação
brasileira (2012-2018) 123
Ana Carolina Silva Nobre
Felipe Kern Moreira

6. As medidas provisórias prescritas por


órgão incompetente: uma análise do
contencioso internacional 163
André de Paiva Toledo

7. O caso 26 do Tribunal Internacional do Direito do


mar compreendido à luz da história das relações
geopolíticas entre Rússia e Ucrânia na Crimeia 193
André de Paiva Toledo
Lillie Lima Vieira

8. A inconveniência das bandeiras de conveniência:


à luz dos direitos humanos 217
Carmen Lucia Sarmento Pimenta
Lucas Sarmento Pimenta

9. Complexidades jurídicas relativas à execução


da lei e ao uso da força no mar: uma análise
do caso Ucrânia v. Rússia no Tribunal Internacional
de Direito do mar 237
Henrique Jerônimo Bezerra Marcos
Eduardo Cavalcanti de Mello Filho

10. Direito dos animais e a pesca baleeira na Antártida:


conflitos da representação da Austrália x Japão 263
Gianno Lopes Nepomuceno

11. Proteção ao meio ambiente marinho e


o código polar: o uso e transporte do
heavy fuel oil (hfo) no ártico 285
Isabella Sousa de Araujo Mochel
12. Uma abordagem de geociências e de geodireito do
mar territorial, recursos naturais da zona econômica
exclusiva e da plataforma continental brasileira 323
Jorge Kleber Teixeira Silva

13. O princípio da liberdade de navegação


em alto-mar à luz do caso M/V Norstar 341
Júlia Machado Aguiar
Lucas Carlos Lima

14. A conciliação compulsória na convenção de


Montego Bay: um estudo comparado entre
o caso Timor-Leste vs. Austrália e o caso
Jan Mayen (Noruega vs. Islândia) 357
Júlia Schütz Veiga
Mariana Passos Beraldo
Manuela Bocayuva Carvalho

15. A Operação Aquarius: a influência das políticas


migratórias da União Europeia na rota do
mediterrâneo central 399
Júlia Schütz Veiga
Isabella Caminoto

16. Restrições ao dever de conservar os recursos


marinhos no alto mar em casos de poluição sonora
causada por atividades militares brasileiras 431
Larissa Maria Medeiros Coutinho

17. Imprescindibilidade e avanços da Convenção


das Nações Unidas sobre o direito do mar: na
salvaguarda do direito fundamental ao meio
ambiente ecologicamente equilibrado 455
Lucas Sarmento Pimenta
Carmen Lucia Sarmento Pimenta
18. A conservação dos recursos marinhos vivos no
oceano austral: intersecções entre ATS e UNCLOS 475
Luciano Vaz Ferreira
Carla Froener Ferreira

19. O Estatuto Jurídico da Autoridade Internacional


dos Fundos Marinhos (ISA) e a proteção do
patrimônio comum da humanidade  495
Leonardo de Camargo Subtil
Mario Henrique da Rocha

20. O sistema de resolução de conflitos no direito


do mar e a fragmentação do direito internacional 517
Milena Barbosa de Melo
Raissa Maria dos Santos
Silvia Cristina da Silva

21. A convenção de Basileia e a indústria


Offshore no Brasil 551
Nathália de Oliveira Souza

22. Impactos econômicos e ambientais da exploração


dos recursos minerais na área além
das jurisdições nacionais 567
Leonardo de Camargo Subtil
Poliana Lovatto

23. Os princípios da convenção da UNESCO sobre


a proteção dos bens culturais subaquáticos 589
Raíssa Luana Rocha Siqueira Paiva

Autores 611
A p re s e n t a ç ã o

Finalizado o primeiro triênio de existência do Instituto Brasileiro de


Direito do Mar (IBDMAR ou Instituto), realizou-se, em 2019, eleição
para a nova diretoria executiva, exercendo o mandato até 2022.Têm di-
reito a voto todos os associados do IBDMAR quites com suas obrigações
estatutárias e comprovarem vínculo com o Instituto de, no mínimo, um
ano. No último pleito, houve o registro de uma única chapa, que foi
eleita em 14 de junho de 2019. Na presidência, Tiago Zanella sucede a
Thiago Borges, que passa a atuar como Tesoureiro do IBDMAR. Tam-
bém compõem a diretoria executiva para o próximo triênio Leonardo
Subtil (Vice-Presidente) e Carina Oliveira (Secretária Executiva). Como
Conselheiros Fiscais, foram eleitos André de Paiva Toledo, Felipe Kern,
Luciano Vaz e Fabiana Ventura. Por fim, Luciana Fernandes Coelho é a
nova Diretora de Relações Institucionais.
Uma vez empossada a nova diretoria executiva, deu-se continuidade
ao trabalho feito anteriormente, cuja finalidade é fomentar os estudos
individuais e coletivos de todos os pesquisadores do Direito do Mar no
Brasil por meio da organização de programas institucionais, eventos e
obras específicas.
Nesse contexto, expandiu-se o Programa de Estágio Voluntário do
Instituto. Por meio de processos seletivos regidos por edital, foram se-
lecionados 23 estudantes de graduação dos cursos de Direito, Relações
Internacionais e áreas afins ao Direito do Mar, matriculados em insti-
tuição de ensino superior brasileira, cujo vínculo com o Instituto vai até
31 de dezembro de 2020. Os Estagiários têm a função de colaborar na
manutenção e atualização do site oficial do Instituto (www.ibdmar.org),
devendo produzir notícias sobre fatos relevantes ao Direito do Mar para
serem publicadas no site.

9
Com o intuito de manter e atualizar o site oficial do IBDMAR,
foram selecionados dez mestres e doutores em Direito, Relações In-
ternacionais e áreas afins ao Direito do Mar para serem Colunistas do
IBDMAR, que devem produzir artigos de opinião sobre tema do Direito
do Mar para serem publicados no site.
Após realizar seu Congresso anual em Salvador (2017) e Rio de
Janeiro (2018), o IBDMAR decidiu organizar a terceira edição do evento
em Belo Horizonte, reforçando a importância do Direito do Mar na vida
das pessoas vivendo longe do litoral. Fora o fato de ser o Brasil um Estado
costeiro, cujos espaços marítimos nacionais possuem uma significativa
área – sendo tratados como a Amazônia Azul –, o que faz ser de interesse
de todo o país a discussão de tópicos jurídicos marinhos, as populações do
interior são diretamente concernidas pelos desdobramentos da navegação
comercial, defesa nacional, proteção do meio ambiente e aproveitamento
dos recursos naturais.
Em Belo Horizonte, o III Congresso do IBDMAR é sediado na
Dom Helder Escola de Direito, instituição de ensino superior jesuítica,
fundada na prática ético-social de valorização da dignidade humana por
meio de defesa dos direitos fundamentais e do fortalecimento das insti-
tuições democráticas, em consonância com a trajetória de Dom Helder
Câmara, patrono dos direitos humanos no Brasil.
Para a palestra de abertura do III Congresso do IBDMAR, em 28 de
novembro, vem ao Brasil o juiz paraguaio do Tribunal Internacional do
Direito do Mar (TIDM), Óscar Cabello Sarubbi. Membro do Tribunal
desde 1o de outubro de 2017, exercendo um mandato de nove anos, o
juiz Sarubbi aborda, no Congresso, os desafios jurídicos contemporâneos
dos Estados sem litoral. Reforçando a importância do Direito do Mar
para a vida das pessoas que vivem longe do litoral, o Instituto considera
fundamental pôr em pauta o tema dos Estados sem litoral, como é o caso
do Paraguai, país de nacionalidade do juiz Sarubbi.
O III Congresso do IBDMAR é a oportunidade para o lançamento
de sua parceria com o Instituto Sociocultural Brasil-China (IBRACHI-
NA), instituto sediado em São Paulo e dedicado a promover a integração
entre as culturas e os povos do Brasil, China e países lusófonos. Em vista do
protagonismo da China em múltiplos aspectos das relações internacionais
marinhas, o IBDMAR considera estratégica o vínculo estabelecido este
ano com o IBRACHINA.
Da mesma forma, no Congresso de 2019 do Instituto, reforçam-se
os laços da parceria do IBDMAR com a Editora D’Plácido, que tem se

10
destacado, há anos, como a principal editora brasileira de obras referentes
ao Direito do Mar. Além do lançamento deste 3o volume do livro Direito
do Mar: reflexões, tendências e perspectivas, o III Congresso abriga a divulga-
ção da edição de outros livros sobre o tema, publicados pela D’Plácido.
Em 2019, o IBDMAR inovou ao organizar, pela primeira vez,
sua simulação de julgamento do TIDM. Trata-se de uma competição,
realizada exclusivamente em inglês, em que estudantes da graduação e
pós-graduação, divididos em equipes, fazem a defesa de Estados partes
de uma hipotética controvérsia, a ser resolvida pelo TIDM.
Na primeira edição de ITLOS Moot Court Competition, equipes da
Dom Helder Escola de Direito, Escola de Guerra Naval, Pontifícia Univer-
sidade Católica do Rio de Janeiro e Universidade Federal da Bahia, deba-
tem o caso hipotético envolvendo a República de Disali contra o Reino
da Brismânia. Para tanto, são redigidos memorial e contramemorial, assim
como são feitas sustentações orais em audiências. Estas acontecem, em 26
e 27 de novembro, na Dom Helder Escola de Direito, em Belo Horizonte.
Apesar dos enormes desafios e das constantes dificuldades, o IBD-
MAR chega ao fim de mais um ano convicto de ter cumprido a contento
sua finalidade. Ao agradecer a todas as pessoas mencionadas acima, envol-
vidas diretamente com suas atividades, deve-se fazer também menção às
centenas de pessoas que, à distância, acompanham o trabalho do Instituto.
É para essas pessoas que o IBDMAR existe.
Este documento foi redigido em três vias, em Belo Horizonte, Caxias
do Sul, Salvador, em 05 de outubro de 2019.

André de Paiva Toledo


Leonardo de Camargo Subtil
Thiago Carvalho Borges
Tiago Vinicius Zanella

11
1. ASPECTOS JURÍDICO-AMBIENTAIS DO 9. COMPLEXIDADES JURÍDICAS RELATIVAS À 17. IMPRESCINDIBILIDADE E AVANÇOS DA Os organizadores
DESCOMISSIONAMENTO DE SISTEMAS DE EXECUÇÃO DA LEI E AO USO DA FORÇA NO MAR: CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE
PRODUÇÃO MARÍTIMA DE PETRÓLEO EM UMA ANÁLISE DO CASO UCRÂNIA V. RÚSSIA NO O DIREITO DO MAR: NA SALVAGUARDA DO
ÁGUAS SOB JURISDIÇÃO NACIONAL TRIBUNAL INTERNACIONAL DE DIREITO DO MAR DIREITO FUNDAMENTAL AO MEIO AMBIENTE
Alessandra Deslandes Fogiato Henrique Jerônimo Bezerra Marcos LEONARDO DE CAMARGO SUBTIL
Eduardo Cavalcanti de Mello Filho ECOLOGICAMENTE EQUILIBRADO Doutor summa cum laude em Direito
2. A VISÃO JURÍDICA DOS JUÍZES BRASILEIROS Lucas Sarmento Pimenta
MEMBROS DA CORTE INTERNACIONAL DE 10. DIREITO DOS ANIMAIS E A PESCA Carmen Lucia Sarmento Pimenta Internacional pela Universidade Federal
JUSTIÇA SOBRE CASOS DE DIREITO DO MAR BALEEIRA NA ANTÁRTIDA: CONFLITOS DA do Rio Grande do Sul - UFRGS (2016).
JULGADOS NA CORTE MUNDIAL REPRESENTAÇÃO DA AUSTRÁLIA X JAPÃO 18. A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS
THIAGO CARVALHO BORGES Gianno Lopes Nepomuceno Doutorando em Direito Internacional na

Leonardo de Camargo Subtil


Alex Silva Oliveira MARINHOS VIVOS NO OCEANO AUSTRAL:
Doutor em Direito pela Faculdade de 3. ESPIONAGEM NO MAR TERRITORIAL: 11. PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE MARINHO INTERSECÇÕES ENTRE ATS E UNCLOS Universidade de Genebra (2015- ), com

Thiago Carvalho Borges


E O CÓDIGO POLAR: O USO E TRANSPORTE DO tese voltada à resolução de controvérsias

André de Paiva Toledo


Direito da Universidade Federal da COMPLEXIDADES E DIVERGÊNCIAS Luciano Vaz Ferreira
INTERPRETATIVAS HEAVY FUEL OIL (HFO) NO ÁRTICO Carla Froener Ferreira e Direito Internacional do Mar na Améri-
Bahia (2019). Mestre em Direito pela Alex Silva Oliveira Isabella Sousa de Araujo Mochel
ca Latina. Trabalhou como Pesquisador

Tiago V. Zanella
Universidade de Coimbra, Portugal Giulia Ferrigno Poli Ide Alves 19. O ESTATUTO JURÍDICO DA AUTORIDADE
12. UMA ABORDAGEM DE GEOCIÊNCIAS E DE
4. INDENIZAÇÃO PRÉ-FIXADA OU CLÁUSULA GEODIREITO DO MAR TERRITORIAL, RECURSOS INTERNACIONAL DOS FUNDOS MARINHOS do Tribunal Internacional de Direito do
(2004). Graduado em Direito pela Uni-
PENAL? UMA ANÁLISE DA CLÁUSULA DA NATURAIS DA ZONA ECONÔMICA EXCLUSIVA E (ISA) E A PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO COMUM Mar, Hamburgo, Alemanha (2015-2016),
versidade Católica do Salvador (2000).
DEMURRAGE, OU SOBRE ESTADIA, DE DA PLATAFORMA CONTINENTAL BRASILEIRA DA HUMANIDADE Nippon Fellowship Programme, voltado
Doutorando em Direito Internacional CONTAINERS NOS CONTRATOS DE TRANSPORTE Jorge Kleber Teixeira Silva Leonardo de Camargo Subtil
pela Universidade de São Paulo. Atual- DE MERCADORIAS, À LUZ DAS OBRIGAÇÕES NO Mario Henrique da Rocha
ao desenvolvimento de recursos técnicos
13. O PRINCÍPIO DA LIBERDADE DE [ORGS.] para a resolução de controvérsias em Di-
mente é professor da Faculdade Baiana DIREITO BRASILEIRO NAVEGAÇÃO EM ALTO-MAR À LUZDO CASO 20. O SISTEMA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
de Direito. Tem experiência na área de
Alexandre Costa da Fonseca
M/V NORSTAR reito do Mar, apontado pela Universidade
NO DIREITO DO MAR E A FRAGMENTAÇÃO DO
Direito, com ênfase em Direito Interna-
5. OBJETIVO DE DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL 14: PANORAMA GERAL DA
Júlia Machado Aguiar
Lucas Carlos Lima DIREITO INTERNACIONAL
Milena Barbosa de Melo
V. 3 de Genebra (UNIGE). Mestre em Direito
Público pela Universidade do Vale do Rio
cional Público, atuando principalmente PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA (2012-2018) 14. A CONCILIAÇÃO COMPULSÓRIA NA CONVENÇÃO
nos seguintes temas: relações entre o Ana Carolina Silva Nobre
Raissa Maria dos Santos dos Sinos (UNISINOS). Membro Funda-
DE MONTEGO BAY: UM ESTUDO COMPARADO ENTRE

DIREITO
DO MAR
Felipe Kern Moreira Silvia Cristina da Silva
direito internacional e o direito interno, O CASO TIMOR-LESTE VS. AUSTRÁLIA E O CASO JAN dor e Diretor do Instituto Brasileiro de
6. AS MEDIDAS PROVISÓRIAS PRESCRITAS MAYEN (NORUEGA VS. ISLÂNDIA) 21. A CONVENÇÃO DE BASILEIA E A INDÚSTRIA Direito do Mar (IBDMAR). Membro da
Nações Unidas e organismos internacio- POR ÓRGÃO INCOMPETENTE: UMA ANÁLISE DO Júlia Schütz Veiga OFFSHORE NO BRASIL
nais, direito do mar, constituição e trata- Sociedade Suíça de Direito Internacio-
CONTENCIOSO INTERNACIONAL Mariana Passos Beraldo
Nathália de Oliveira Souza
do. Presidente do Instituto Brasileiro de André de Paiva Toledo Manuela Bocayuva Carvalho nal (SSDI). Professor convidado na Escola
15. A OPERAÇÃO AQUARIUS: A INFLUÊNCIA DAS 22. IMPACTOS ECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA Superior da Magistratura Federal do Rio
Direito do Mar (2016-2018). 7. O CASO 26 DO TRIBUNAL INTERNACIONAL
DO DIREITO DO MAR COMPREENDIDO À LUZ POLÍTICAS MIGRATÓRIAS DA UNIÃO EUROPEIA EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS MINERAIS NA Grande do Sul (ESMAFE) e no LLM em Di-
DA HISTÓRIA DAS RELAÇÕES GEOPOLÍTICAS NA ROTA DO MEDITERRÂNEO CENTRAL ÁREA ALÉM DAS JURISDIÇÕES NACIONAIS
Júlia Schütz Veiga reito Ambiental da Universidade do Vale
ENTRE RÚSSIA E UCRÂNIA NA CRIMEIA Leonardo de Camargo Subtil
André de Paiva Toledo
Isabella Caminoto
Poliana Lovatto do Rio dos Sinos (UNISINOS).

DIREITO
Lillie Lima Vieira 16. RESTRIÇÕES AO DEVER DE CONSERVAR
TIAGO VINICIUS ZANELLA OS RECURSOS MARINHOS NO ALTO MAR EM 23. OS PRINCÍPIOS DA CONVENÇÃO DA
8. A INCONVENIÊNCIA DAS BANDEIRAS DE UNESCO SOBRE A PROTEÇÃO DOS BENS
Doutor em Ciências Jurídico-Interna- CONVENIÊNCIA: À LUZ DOS DIREITOS HUMANOS CASOS DE POLUIÇÃO SONORA CAUSADA POR
cionais e Europeias pela Faculdade de Carmen Lucia Sarmento Pimenta ATIVIDADES MILITARES BRASILEIRAS CULTURAIS SUBAQUÁTICOS
ANDRÉ DE PAIVA TOLEDO

DO MAR
Lucas Sarmento Pimenta Larissa Maria Medeiros Coutinho Raíssa Luana Rocha Siqueira Paiva
Direito da Universidade de Lisboa (FDL);
Doutor em Direito pela Université Pan-
Mestre em Direito Internacional e Rela-
théon-Assas Paris II (Sorbonne). Mestre
ções Internacionais pela FDL; Advoga-

e perspectivas
tendências
reflexões,
e Bacharel em Direito pela Universidade
do; graduado em Direito pela Faculda-
Federal de Minas Gerais (UFMG). Profes-
de de Direito de Curitiba; graduado em
Relações Internacionais pelo UNICURI-
TIBA; professor de Direito Internacional
V. 3 reflexões, tendências
e perspectivas
sor do Programa de Pós-Graduação em
Direito da Escola Superior Dom Helder
Câmara. Coordenador do Grupo de Estu-
e Direito do Mar; Presidente do IBDmar;
dos em Direito Internacional Público (GE-
Pós doutorando na Escola de Guerra André de Paiva Toledo

[ORGS.]
DIP) e do Grupo de Estudos em Direito
Naval (EGN). Leonardo de Camargo Subtil
Thiago Carvalho Borges do Mar (GEDIMAR). Diretor do Instituto
Tiago V. Zanella Brasileiro de Direito do Mar (IBDMAR).
Membro Associado do Institut de Recher-
che en Droit International et Européen de
ISBN 978-65-5059-056-7 la Sorbonne (IREDIES). Membro da Soci-
été Française pour le Droit International
editora (SFDI). Advogado. Tabelião do 1º Ofício
de Notas de Campos Altos - MG.