Você está na página 1de 8

Geografia do Brasil

A Geografia do Brasil compreende aspectos como área, clima, hidrografia, relevo, vegetação, entre outros.
Localizado na América do Sul, sua extensão é de mais de 8,5 milhões de quilômetros quadrados de extensão
(8.515.759,090 km2) o que faz dele o quinto maior país do mundo.
Também é um dos países mais populosos. Apesar de ter 204.450.649 habitantes é qualificado como pouco
povoado pelo fato de que conta com 22,4 hab./km2.
O país está dividido em cinco regiões (Nordeste, Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul) e tem 26 estados e um
Distrito Federal.
Faz fronteira com Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Colômbia, Peru, Bolívia, Paraguai,
Argentina e Uruguai. Isso quer dizer que faz fronteira com quase todos os países desse subcontinente
americano, exceto com Chile e Equador.
O relevo brasileiro é formado principalmente por planaltos e depressões. O Brasil é banhado pelo oceano
Atlântico e possui as maiores bacias hidrográficas do mundo.

População Brasileira

Mapa de demografia brasileira


A expectativa de vida da população brasileira é de 73 anos.
São Paulo é o estado mais populoso do Brasil com 41,2 milhões de habitantes. Depois dele, Minas Gerais,
com 19,5 milhões de habitantes.
Esses dados mostram que a região brasileira com maior concentração populacional é o Sudeste.
Enquanto isso, o estado brasileiro que tem a população mais pequena é Roraima, com 451,2 mil habitantes.
Relevo Brasileiro
O relevo brasileiro é caraterizado por baixas e médias altitudes. As formas de relevo predominantes são
os planaltos e as depressões (formações de origem cristalina e sedimentar).
Ambos ocupam cerca de 95% do território, enquanto as planícies, de origem sedimentar, ocupam
aproximadamente 5%.
Assim, cerca de 60 % do território é formado por bacias sedimentares, enquanto cerca 40% por escudos
cristalinos.
História
Primeiramente, lembre-se que o relevo constitui as formas da superfície terrestre, formados pela
movimentação das placas tectônicas, vulcanismo. São estruturas decorrentes de fatores internos e externos à
crosta terrestre.
No começo da década de 90, o geógrafo e professor brasileiro Jurandyr Ross, propôs a mais nova
sistematização do relevo brasileiro.
Segundo ele, o país reúne 28 unidades de relevo, classificado de acordo com suas três formas
principais: planalto, planície e depressão.
Contudo, a primeira classificação do relevo brasileiro foi proposta pelo geógrafo brasileiro Aroldo Azevedo
(1910-1974), em 1949, baseada na altimetria do território. Era dividido em planícies e planaltos, formada
por 8 unidades de relevo.
Por conseguinte, no final dos anos 50, Aziz Nacib Ab'Saber (1924-2012) enfocou nos processos de erosão e
sedimentação que classificam as planícies e os planaltos do Brasil.
Classificação do Relevo
As três formas de relevo predominantes no Brasil são:
Planalto
Também chamados de platôs, os planaltos são terrenos elevados e planos marcados por altitude acima de
300 metros e que predominam o desgaste erosivo.
Quanto à isso, são classificados de acordo com formação geológica:
 Planalto Sedimentar (formados por rochas sedimentares)
 Planalto Cristalino (formados por rochas cristalinas)
 Planalto Basáltico (formados por rochas vulcânicas)
Planície
Terrenos planos com altitudes que não ultrapassam os 100 metros, nos quais predominam o processo de
acumulação de sedimentos. Assim, podem ser:
 Planície Costeira (constituídas pela ação do mar)
 Planície Fluvial (constituídas pela ação de um rio)
 Planície Lacustre (constituídas pela ação de um lago)
Depressões
Formadas pelo processo de erosão, as depressões são terrenos relativamente inclinados e possuem altitudes
abaixo das áreas ao seu redor (de 100 a 500 metros).
São classificadas em:
 Depressões Absolutas (localizadas abaixo do nível do mar)
 Depressões Relativas (encontradas acima do nível do mar)

Os planaltos, áreas elevadas e planas, ocupam a maior parte do nosso território, cerca de 5.000.00 km2. São
divididos em:
 Planalto das Guianas
 Planalto Brasileiro
 Planalto Central
 Planalto Meridional
 Planalto Nordestino
 Serras e Planaltos do Leste e do Sudeste,
 Planalto do Maranhão-Piauí
 Planalto Dissecado de Sudeste (Escudo Sul-Riograndense)
Junto com as depressões, áreas mais baixas, os planaltos ocupam cerca de 95% do território nacional. As
principais depressões do nosso país são Depressões Norte e Sul Amazônica.
As principais planícies do Brasil, que se caracterizam pela áreas planas quase sem variação de altitude são:
Planície Amazônica, Planície do Pantanal e Planície Litorânea.

Hidrografia Brasileira
A Hidrografia do Brasil reúne um dos mais extensos e diversificados recursos hídricos do planeta. Possui
15% do total da água doce existente em todo o mundo.
Regiões Hidrográficas do Brasil
Cada rio ou curso d'água brasileiro possui características próprias e complexas que resultam da combinação
de vários aspectos geográficos da região onde estão localizados, entre eles, o clima, o relevo, a cobertura
vegetal, como também da ação do homem na natureza.
No Brasil as águas estão distribuídas em 12 regiões hidrográficas, onde foram agrupadas por bacias com rios
de grande vazão, e micro bacias do litoral brasileiro, formadas por rios com pequena extensão e vazão.
Região Hidrográfica Amazônica
A Região Hidrográfica Amazônica ou Bacia Amazônica é formada pelo rio Amazonas e seus afluentes.
Ocupa uma área 3.843.402 km², que corresponde a 44,63% do território nacional. Compreende os estados do
Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Pará e Mato Grosso.
O rio Amazonas é o maior rio do mundo em volume de água e o segundo em extensão. Entre seus afluentes
estão o Javari, Juruá, Jutaí, Purus, Madeira, Tapajós e Xingu, na sua margem direita; e os rios Iça, Japurá,
Negro, Trombetas e Jari, na sua margem esquerda.
Região Hidrográfica Tocantins Araguaia
A Região Hidrográfica Tocantins Araguaia ou Bacia Tocantis-Araguaia, se estende por uma área de 967.059
km² o que representa 11,36% do território nacional. Compreende os Estados de Goiás, Tocantins, Pará,
Maranhão, Mato Grosso e Distrito Federal.
Na Região Tocantins, com uma extensão de 2.600 km, o rio Araguaia abriga a maior ilha fluvial do mundo,
a Ilha do Bananal.
Os principais afluentes da Bacia Tocantins Araguaia são: Formoso, Garças, Bagagem, Tocantizinho, Paraná,
Manuel Alves Grande, Rio Sono e Santa Tereza.
Região Hidrográfica do Paraná
A Região Hidrográfica do Paraná ou Bacia do Paraná ocupa uma área de 879.860 km², o que corresponde a
10,33% do território nacional. Compreende os estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas
Gerais, Goiás, Santa Catarina e o Distrito Federal, área de maior desenvolvimento econômico do país.
O rio Paraná, com uma extensão de 2.750 km, até sua foz, nasce entre os estados de São Paulo, Minas
Gerais e Mato Grosso do Sul e corre na fronteira do Brasil e Paraguai, até o rio Iguaçu. Entre seus afluentes
estão o rio Grande, Iguaçu, Paranaíba, Paranapanema, Paraná e Tietê.
Região Hidrográfica do São Francisco
A Região Hidrográfica do São Francisco ou Bacia do Rio São Franciscoocupa uma área de 641.000 km², o
que corresponde a 7,52% do território nacional. Abrange os estados de Minas Gerais, Goiás, Bahia,
Pernambuco, Alagoas, Sergipe e também o Distrito Federal.
O rio São Francisco atravessa o Sertão nordestino, a região mais seca do Brasil. Suas águas são usadas para
abastecimento, lazer e irrigação. Tem mais de 2.000 km de trecho navegáveis.
Entre seus 158 afluentes 90 são perenes e 68 são temporários. Entre eles estão o rio Das Velhas, Abaeté,
Correntes, Jequitaí, Rio Verde Grande, Paracatu.
Região Hidrográfica do Paraguai
ARegião Hidrográfica do Paraguai ou Bacia do Paraguai ocupa uma área de 361,35 km². Ocupa os estados
de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
O rio Paraguai, nasce na Chapada dos Parecis, no estado do Mato Grosso. Ao longo do seu percurso em
direção ao sul, recebe vários afluentes, entre eles, o rio Cuiabá, Taquari, São Lourenço, Negro e Miranda.
O rio atravessa o Pantanal Mato-Grossense, considerado uma das maiores áreas úmidas contínuas do
planeta. O Pantanal funciona como um grande reservatório que retém a maior parte da água oriunda do
planalto e regula a vazão do rio Paraguai.
Região Hidrográfica do Uruguai
A Região Hidrográfica do Uruguai ou Bacia do Uruguai ocupa uma área de 174.612 km², o que corresponde
a 2,05% do território nacional. Marca a divisa dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e também
entre o Brasil e a Argentina. Seus principais afluentes são o rio Chapecó, Passo Fundo, Peixe e Várzea.
Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Ocidental
A Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Ocidental ou Bacia Hidrográfica Atlântico Nordeste
Ocidental ocupa uma área de 254.100 km², que corresponde a 2,98% do território nacional. Compreende o
Estado do Maranhão e uma pequena porção do Pará. Fazem parte da região os rios Gurupi, Turiaçu,
Pericumã, Mearim e Itapecuru.
Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental
A Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental ou Bacia Hidrográfica Atlântico Nordeste
Oriental ocupa uma área de 287.348 km², que corresponde a 3,37% do território nacional. Compreende os
Estados do Ceará, Rio Grande do Norte Paraíba, Pernambuco e Alagoas. A região apresenta baixa
disponibilidade de água principalmente no período de estiagem, são eles, o Capibaribe, Paraíba, Jaguaribe e
Acaraú.
Região Hidrográfica do Parnaíba
A Região Hidrográfica do Parnaíba ou Bacia do Parnaíba ocupa uma área de 344.112 km², que corresponde
a 4,04% do território nacional. Compreende os estados do Piauí, Maranhão e Ceará. A maioria de seus
afluentes são perenes e supridos por águas pluviais e subterrâneas.
Região Hidrográfica Atlântico Leste
A Região Hidrográfica do Atlântico Leste ou Bacia Hidrográfica do Atlântico Leste ocupa uma área de
374.677 km², que corresponde a 4,4% do território nacional. Compreende parte dos estados de Sergipe,
Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo. Entre os rios principais estão o Paraguaçu, São Mateus, Pardo,
Salinas, Contas, Jequitinhonha e Mucuri.
Região Hidrográfica Atlântico Sudeste
A Região Hidrográfica do Atlântico Sudeste ou Bacia Hidrográfica do Atlântico Sudeste ocupa uma área de
229.972 km², que corresponde a 2,7% do território nacional. Compreende os estados do Espírito Santo,
Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e o litoral do Paraná. Seus principais rios são o rio Parnaíba do Sul
e o rio Doce.
Região Hidrográfica Atlântico Sul
A Região Hidrográfica Atlântico Sul ou Bacia Hidrográfica Atlântico Sul ocupa uma área de 185.856km²,
que corresponde a 2,18% do território nacional. Tem início na divisa dos Estados de São Paulo e Paraná e se
estende até o Arroio Chuí no extremo sul do país. compreende os Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio
Grande do Sul. Na região predominam rios de pequeno porte que escoam diretamente para o mar. Com
exceção para os rios Itajaí e Capivari em Santa Catarina que apresentam maior volume de água. São
encontrados rios de grande porte como Taquari-Antas, Jacuí, Vacacaí e Camaquã.

Mapa de hidrografia do Brasil


Ao todo, o Brasil tem 12 regiões hidrográficas, dentre as quais a bacia amazônica, a maior de todas. São
elas:
 Região Hidrográfica Amazônica
 Região Hidrográfica Tocantins Araguaia
 Região Hidrográfica do Paraná
 Região Hidrográfica do São Francisco
 Região Hidrográfica do Paraguai
 Região Hidrográfica do Uruguai
 Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Ocidental
 Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental
 Região Hidrográfica do Parnaíba
 Região Hidrográfica Atlântico Leste
 Região Hidrográfica Atlântico Sudeste
 Região Hidrográfica Atlântico Sul
Clima Brasileiro
As regiões brasileiras apresentam 6 tipos de climas classificados com relação às "zonas térmicas" da Terra,
são eles:
 Equatorial
 Tropical
 Tropical Semiárido
 Tropical de Altitude
 Tropical Litorâneo
 Subtropical
A maior parte do território brasileiro encontra-se nas áreas de baixas latitudes, entre o Equador e o Trópico
de Capricórnio. Por essa razão, predominam os climas quentes e úmidos.
Com relação à umidade o clima apresenta algumas diferenças de uma área para outra, desde o superúmido -
quando a quantidade de chuva é superior a 2.500 milímetros anuais, até o semiárido - quando a quantidade
de chuva situa-se entre 300 e 600 milímetros anuais.
Tipos de Climas do Brasil

Mapa de Climas do Brasil


Clima Equatorial
O clima equatorial é encontrado em regiões localizadas nas proximidades da linha do Equador. Apresenta
temperaturas elevadas e grande quantidade de chuvas durante a maior parte do ano.
Portanto, o clima equatorial se apresenta quente e úmido (ver mapa). O clima equatorial predomina em toda
a Região Norte e em parte do Centro-Oeste.
A temperatura média anual é superior a 25°C, e a amplitude térmicaanual é pequena. O regime de chuvas
varia de acordo com a ação das massas de ar.
Clima Tropical
O clima tropical é encontrado na região central do Brasil, com maior predominância na região centro-oeste.
Esse clima apresenta duas estações bem definidas: inverno com temperaturas amenas e seco, e verão quente
e chuvoso.
As temperaturas médias anuais são superiores a 18°C. Quanto a umidade, na região central do país
predomina o clima semi-úmido (ver mapa).
Clima Tropical Semi-árido
O clima tropical semi-árido é típico das Região Nordeste do Brasil, compreende uma área com chuvas e
outra onde as chuvas são raras e ocorrem as temperaturas mais altas do país. Compreende a região do
Polígono das Secas.
Clima Tropical de Altitude
O clima tropical de altitude predomina nas áreas serranas da Região Sudeste. Por causa da altitude mais
elevada, apresentam as temperaturas mais baixas de todo o domínio tropical, com média inferior a 18°C.
Clima Tropical Litorâneo
O clima tropical litorâneo predomina em grande parte do litoral do país, se estende desde o Rio Grande do
Norte até o estado do Rio de Janeiro. Influenciado pela atuação da massa de ar Tropical Atlântica, o clima
nessa região é quente e chuvoso.
Clima Subtropical
O clima subtropical ocorre na região sul do país, abaixo do Trópico de Capricórnio, e daí seu nome
Subtropical. O clima subtropical apresenta duas estações do ano bem demarcadas: verão quente e inverno
rigoroso, quando podem ocorrer geadas ou neve.
As chuvas são bem distribuídas ao longo do ano, e as temperaturas médias anuais quase sempre ficam
abaixo de 18°C.
Entenda a Diferença entre Tempo e Clima.
Curiosidades
 Manaus, a capital do estado do Amazonas, apresenta clima equatorial. Chove quase todos os dias na
cidade, no final da tarde.
 A cidade de São Joaquim, em Santa Catarina, com clima subtropical, é o município mais frio do país,
com médias anuais de 13°C. No inverno ocorre temperatura de -9°C, com geada e precipitação de neve.
 Campos do Jordão é uma cidade do estado de São Paulo, situada na Serra da Mantiqueira, com
altitude de 1.7000 metros. Apesar de se localizar na zona tropical, tem médias térmicas anuais baixas,
inferiores às de áreas localizadas na mesma latitude.
 A cidade do Rio de Janeiro situa-se no litoral, portanto tem baixa altitude. Apesar de localizada em
latitudes semelhantes à de Campos do Jordão, apresenta média térmica bem superior à da cidade paulista. É
um exemplo de como a altitude influi na temperatura, ou nas médias térmicas.

Mapa dos climas no Brasil


Na maior parte do país o clima é quente, o que decorre da sua localização, entre a Linha do Equador e o
Trópico de Capricórnio.
Apesar disso existem 6 principais tipos de climas no Brasil: Equatorial, Tropical, Tropical Semiárido,
Tropical de Altitude, Tropical Litorâneo e Subtropical.
Vegetação Brasileira
A vegetação do Brasil compreende as várias manifestações de formações vegetais existentes no país e que
surgem conforme o tipo de clima e de relevo.
Divididos entre grupos florestal e campestre, os tipos de vegetação florestal ocupam cerca de 60% do
território brasileiro, enquanto a área restante é campestre.
O grupo florestal é constituído por mata atlântica, mata das araucárias, mata dos cocais, amazônia e mangue.
Enquanto isso, o grupo campestre é constituído por cerrado, caatinga, pampa e pantanal.
Pampa
Encontrada no sul do país, esse tipo de vegetação é constituída principalmente por arbustos, árvores
pequenas, gramíneas e plantas rasteiras.
Essa vegetação surge no Brasil, exclusivamente no Rio Grande do Sul, em virtude do clima subtropical.
Cerrado
Predomina na região central do Brasil e apresenta um aspecto seco, tal como o das savanas encontradas
principalmente na África.
O tipo de vegetação presente na área de cerrado é caracterizado pelo clima tropical sazonal, em que o
inverno é seco e chove no verão.
No cerrado, encontra-se arbustos, árvores retorcidas e gramíneas.
Amazônia
A Amazônia abrange toda a região Norte, além de partes dos estados do Mato Grosso e do Maranhão e
alguns países que fazem fronteira com o Brasil.
Lá o clima é equatorial, quente e úmido.
Há nela uma grande variedade de espécies vegetais, dentre as quais citamos: castanheiro, cipó, guaraná,
jatobá, palmeira, seringueira e vitória-régia.
A floresta amazônica é a vegetação brasileira mais atingida pelo desmatamento.
Mata dos Cocais
A Mata dos Cocais localiza-se entre os estados do Maranhão, Piauí e Tocantins.
Surge em climas equatorial úmido e equatorial semiárido. É lá que surgem os babaçus, árvore típica desse
local, e outras árvores de grande porte, tais como açaí, buriti e carnaúba.
Mata das Araucárias
Localizada no sul do Brasil e em partes do estado de São Paulo, o clima da Mata das Araucárias é
subtropical.
Nela surgem várias espécies vegetais, com predominância o pinheiro-do-paraná, árvore alta que mede mais
de 30 metros. Daí resulta a formação de uma floresta bastante densa.
Mangue
A vegetação do mangue é constituída por vegetais halófilos, os quais compreendem arbustos e plantas que
apresentam tronco fino e raízes aéreas.
Trata-se de um tipo de vegetação litorânea, que surge em regiões alagadiças, e onde o clima é tropical e
subtropical.
Caatinga
A caatinga ocupa o sertão nordestino, onde o clima é semiárido e chove pouco. Em decorrência disso, nela
surgem as plantas que se mantém com pouca água, as quais são chamadas de xerófilas, que tem como
exemplo os cactos.
Também surgem plantas como o facheiro e o mandacaru, mas no favorecimento de umidade, podem crescer
na caatinga árvores como aroeira, baraúna e juazeiro.
Pantanal
A área do Pantanal compreende parte dos estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, chegando ao
Paraguai.
É nas áreas alagadas que surgem as gramíneas, enquanto os arbustos e palmeiras crescem nas áreas onde o
alagamento acontece de forma ocasional.
Há espécies da floresta tropical, por sua vez, que crescem nas áreas onde não há alagamentos.
Mata Atlântica
Localizada principalmente na costa do Brasil, o clima da mata Atlântica é tropical quente e úmido. É esse
clima e as chuvas que propiciam a sua grande biodiversidade, a maior do mundo considerando cada hectare.
As espécies incluem cedro, imbaúba, ipê, jambo, palmiteiro, pau-brasil e peroba. Nela ainda é possível
encontrar vegetação nativa em 8% da sua área.

Mapa de biomas do Brasil


No nosso país localiza-se a maior floresta tropical do Mundo. Parte da Floresta Amazônica, o “Pulmão do
Mundo”, também encontra-se em outros 8 países da América do Sul.
A vegetação brasileira é constituída principalmente por:
 Caatinga
 Cerrado
 Mangue
 Pampa
 Pantanal
 Mata Atlântica
 Mata das Araucárias
 Mata dos Cocais
 Amazônia