Você está na página 1de 28

UVEÍTES

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – UBI – MEDICINA


DEFINIÇÃO: inflamação
ETIOLOGIA: infeciosa ou
(itis) da uvea (íris, corpo
não infeciosa.
ciliar, coróide)

UVEÍTE
Contudo, o termo é usado
para descrever formas de
inflamação intraocular,
envolvendo não apenas a
uvea, mas também a retina
(e vasos) e vítreo.
UVEÍTES

Embora a inflamação ocular possa ser um processo isolado que envolve


apenas o olho, também pode estar associado a uma patologia sistémica.

Uma história clínica cuidadosa e completa e a revisão por sistemas é um


primeiro passo essencial para o estudo da causa da doença inflamatória.
História clínica
Descrição Fatores associados sugerindo patologia
sistémica
Início/curso da doença Estado do sistema imunitário
agudo, recorrente, crónico Medicações sistémicas
Gravidade História de traumatismo ocular
grave, inactiva História de viagens
Distribuição da uveíte História social
unilateral ou bilateral, alternante, focal, Alimentação
multifocal, difusa Hábitos/condições de higiene
Género Contacto com animais
Idade Atividade sexual
Raça/Etnia Profissão
Uso de drogas
Contactos com pessoas com TB
Tosse, febre, suores noturnos, perda de apetite, perda de peso
inexplicável, fadiga
Cefaleias, parestesias, adenomegalias dolorosas

Alterações auditivas

Revisão por Alterações cutâneas recentes, perda de cabelo ou alterações capilares

sistemas Alterações gastrointestinais (diarreia, alteração dos hábitos intestinais)

Dores articulares, principalmente, rigidez matinal, dor lombar

Alterações urinárias

Trauma
CLASSIFICAÇÃO
Baseada em:
• anatomia
• curso clínico
• etiologia (infecciosa ou não infecciosa)
• histologia (granulomatosa ou não granulomatosa)
CLASSIFICAÇÃO
ANATÓMICA
• A uveíte anterior é a mais
comum, seguida pela posterior,
intermédia e panuveíte.
CLASSIFICAÇÃO ANATÓMICA
Tipo Localização primária da inflamação Inclui
Uveíte anterior Câmara anterior Irite
Iridociclite
Ciclite anterior
Queratouveíte
Uveíte intermédia Vítreo Pars planitis
Vitrite
Ciclite posterior
Uveíte posterior Retina e/ou coróide Coroidite focal, multifocal ou difusa
Coriorretinite
Retinite
Neurorretinite
Panuveíte Câmara anterior, vítreo, retina,
coróide
Standardization of Uveitis Nomenclature (SUN) Working Group
CLASSIFICAÇÃO CURSO CLÍNICO

Uveíte aguda Início súbito e duração limitada (<=3 meses)


Uveíte recorrente Episódios repetidos separados por períodos de
inatividade sem tratamento >= 3 meses
Uveíte crónica Uveíte persistente com recidiva em <3 meses após
descontinuar o tratamento
Standardization of Uveitis Nomenclature (SUN) Working Group
Após determinação da classificação anatómica da
uveíte, orienta-se o estudo laboratorial e exames
complementares de diagnóstico
(oftalmológicos/sistémicos), de forma a determinar a
etiologia da inflamação intraocular, que ajuda na
seleção terapêutica.
UVEÍTES
O estudo etiológico de uma uveíte pode requerer uma
colaboração multidisciplinar.
UVEÍTE ANTERIOR
UVEÍTE ANTERIOR

Sintomas
• "Olho vermelho"
• Dor ocular permanente
• Diminuição da acuidade visual
• Fotofobia, lacrimejo

! A iridociclite crónica em pacientes com artrite idiopática juvenil (AIJ) frequentemente não
está associada a nenhum sintoma.
Sinais - Uni ou bilateral

Hiperémia ciliar Precipitados queráticos (pequenos ou não-


granulomatosos; grandes ou granulomatosos) Irregularidade pupilar
(sinéquias posteriores)

Diminuição da
pressão intraocular
(ocasionalmente
elevação).
Células inflamatórias (tyndall), flare, fibrina, hipópion Pupila em miose
na câmara anterior
Causas
• Idiopática
• Espondiloartropatias seronegativas (HLA B27)
• Artrite idiopática juvenil (AIJ)
• Herpes
UVEÍTE ANTERIOR • Uveíte heterocrómica de Fuchs
• Doença Behçet
• Sarcoidose
• Sífilis
• Tuberculose
• Traumática
UVEÍTE INTERMÉDIA E
POSTERIOR
UVEÍTE INTERMÉDIA E POSTERIOR

Sintomas
• Diminuição da acuidade visual
• Miodesópsias, fotópsias
• Metamorfópsias
• Escotomas
Sinais - Uni ou bilateral
• Sem hiperémia ciliar
• Pupila regular

Lesões na coróide (coroidite) e retina (retinite)

Células no vítreo, véus vítreos, snowballs e


Vasculite retiniana Edema macular
snowbanks (vitrite)
Causas
• Pars planitis (idiopática) +++
• Sarcoidose
UVEÍTE • Doença inflamatória intestinal

INTERMÉDIA • Esclerose múltipla


• Doença de Lyme
• Linfoma intraocular
UVEÍTE POSTERIOR – causas
Coriorretinite com vitrite
Focal Toxoplasmose
Toxocaríase
Retinite CMV
Multifocal Sarcoidose
Tuberculose
Necrose retiniana aguda
Sífilis
Toxoplasmose
Candida, Aspergillus
Cisticercose
Oncocerciase
Linfoma intraocular
Retinocoroidopatia Birdshot
Difusa Síndrome Von-Koyanagi-Harada
Oftalmia simpática
Endoftalmite
Toxocaríase
UVEÍTE POSTERIOR – causas
Coriorretinite sem vitrite
Focal Neoplásica
Multifocal Histoplasmose
White dot syndromes
Coroidite serpiginosa
Difusa Oncocercíase

Vasculite
Doença Behçet
Lúpus eritematoso sistémico
Granulomatose de Wegener
Causas
• Sarcoidose
• Toxoplasmose
• Toxocariase
PANUVEÍTE • Endoftalmite
• Síndrome Von Koyanagi-Harada
• Oftalmia simpática
• Sífilis
• Cisticercose
Síndrome Von Koyanagi Harada - alterações
cutâneas (vitiligo e poliose)
Doença Behçet - hipópion na câmara anterior
Fármacos
• dirigidos ao agente causal

TRATAMENTO • dirigidos ao sistema imune


do hospedeiro
EQUIPA MULTIDISCIPLINAR
TRATAMENTO

Corticoesteróides
• Tópicos, sistémicos, injeções perioculares, dispositivos de libertação prolongada
intravítrea

Midriáticos/Cicloplégicos
Ciclopentolato, tropicamida, atropina, …
• Promover o conforto, aliviando o espasmo do músculo ciliar e do esfíncter pupilar
• Para romper as sinéquias posteriores recentemente formadas
• Para prevenir a formação de sinéquias posteriores
TRATAMENTO
Imunomodeladores/Imunossupressores
Antimetabolitos (Metotrexato, Micofenolato de mofetil, Azatioprina)
Inibidores de sinalização de células T (Ciclosporina, Tacrolimus)
Agentes Alquilantes (Ciclosfofamida)

Agentes biológicos
Infliximab, Adalimumab, Rituximab, Golimumab, Abatacept, Canakinumab, Gevokizumab,
Tocilizumab, Alemtuzumab…
TRATAMENTO
CASOS PARTICULARES:
• Antibióticos, antivíricos (ex. aciclovir, valaciclovir), …
• Antiglaucomatosos
• Cirurgia

TRATAMENTO DA DOENÇA SISTÉMICA SUBJACENTE


COMPLICAÇÕES
Baixa da acuidade visual por:
• queratopatia em banda
• sinéquias posteriores
• catarata
• hipotonia/glaucoma
• edema macular
• membrana epirretiniana
• descolamento de retina
• neovascularização coroideia

Você também pode gostar