Você está na página 1de 5

Experimento 7

Projeto Transformador

Mateus Pedro Letícia Bahia Diego Corrêa Vanessa Salmoria Sara G. R. Domingues
DEE DEE DEE DEE DEE
UDESC UDESC UDESC UDESC UDESC
Joinville, Brasil Joinville, Brasil Joinville, Brasil Joinville, Brasil Joinville, Brasil

a) Foi medido um valor de a = 3,02cm, o valor padrão que atende as especificações para esse caso é
a = 3,20 cm.
.

b) Com as especificações do transformador, é possível calcular os demais parâmetros.

Sendo a = 3,2cm a largura de uma das ramificações do transformador, b = 7,1 cm a profundidade do


núcleo e a massa do núcleo de ferro M = 3,207kg.

A seção da janela ¿), seção geométrica e a seção magnética ¿) são dadas por:

sg
( s j) = 0,75·a 2 = 7,68cm 2 ¿) = = 20,65cm 2 s g = a· b = 22,72cm 2
1,1

A potência máxima do transformador é dada multiplicando o peso por um fator de 46,5 W /kg:

s2=46,5∗3,207=149,125 W

A corrente no secundário e primário é dado por:

s2 149,125 1,1 s2 ( 149,125 )∗1,1


I 2= = = 2,711 A e I 1= = = 1,491 A
V2 55 V1 110
I I
Usando uma densidade de corrente de J c =6 A/mm 2 temos: Sc =
Jc
e d fio =
J√
I 1 2,711 2,711
S1 c =
Jc
=
6
=0,451 mm2 d fio=
6 √=0,672 mm

I 2 1,491 2,711
S2 c =
Jc
=
6
=0,248 mm 2 d fio=
6 √ =0,498 mm

Os fios disponíveis para a construção do transformador são AWG 20 e 25 então os fios adotados
são:

S1 c =0,518 m m2 d fio =0,812 mm


S2 c =0,162 m m2 d fio =0,455 mm

Para o cálculo do número de espiras no primário temos:

V1 220
N 220 = = =400
4,44 · f· Bm · S m 4,44 · 60· 1 ·20,65 ×10−4

V1 110
N 110 = = =200
4,44 · f· Bm · Sm 4,44 ·60 · 1· 19,31× 10−4

Para o secundário temos:

V2 220
N 220 = = =400
4,44 · f· Bm · S m 4,44 · 60· 1 ·20,65 ×10−4

V1 110
N 110 = = =200
4,44 · f· Bm · Sm 4,44 ·60 · 1· 20,65 ×10−4

V1 55
N 55= = =100
4,44 · f·B m · S m 4,44 · 60 ·1 ·20,65 × 10−4

N
c) A possibilidade do o projeto ser realizado é calculada pela equação Scu =∑ N n S cn , onde n equivale
n
ao rolamento, para o transformador:

Scu =N 1 · S1 c + N 2 · S 2 c =400 · 0,518 ×10−6 + 400 ·0,162 ×10−6=2,72 c m2


Se a divisão da seção de janela pela seção do cobre ( Scu ) for maior do que 3 o projeto tem validade e
pode ser realizado na prática.
S j 7,68
= =2,82
S cu 2,72
Scu
d) Calculando a massa do transformador usando equação M fe = p × b e m cu = ·8,9 :
100
M fe = 432,128 · 7,1 = 3,068kg
Supondo que o comprimento médio de uma espira de cobre em torno do carretel seja 25,46cm.

e) Sendo a Resistencia do fio de cobre dado por e a resistência do fio de alumínio dado por

, para se ter o mesmo nível de potência e rendimento, , mantendo constante,

, recalculando as seções transversais,

Escolhendo as bitolas tabeladas mais próximas as calculadas,

Para verificar se o projeto é factível, usa-se o mesmo método utilizado na questão c).

Como a razão da seção de janela pela seção de alumínio deu menor do que 3, o projeto desse
transformador não pode ser realizado, uma vez que haverá uma maior seção de alumínio do que a
seção de janela do núcleo, fazendo com que não caiba todo o cabeamento necessário para as
especificações desse transformador.
Tabela 1. Valores medidos no ensaio de curto circuito e circuito aberto medidos no lado de alta tensão.
Ensaio de circuito aberto Ensaio de curto-circuito

110 0,32 10 110 1,51 20

Utilizando os valores obtidos no ensaio de circuito aberto, é possível determinar a impedância do


núcleo do transformador:

Utilizando os valores obtidos no ensaio de curto circuito, é possível obter a impedância das bobinas:
Dividindo e por dois, obtêm-se os valores:

Então o circuito equivalente do circuito é:

Figura 1. Impedâncias refletidas no lado de alta tensão.

f) As perdas ativa e reativa do transformador podem ser calculadas considerando uma carga nominal
(144,6W) com fator de potencia unitário conectado no circuito secundário do transformador, por
meio de:

A potência aparente suprida ao transformador é a soma de todas as potências envolvidas no


processo:

O fato de potencia é dado pelo cosseno do ângulo presente na potência aparente.

O rendimento é a relação da potencia de entrada com a potência de saída.

g)

Carga
2R+R//R 12 10,22 105 180 0,52 105 18,2
3R 12 9,97 100 191 0,52 330 13,2
5R 12 9,97 180 195 0,52 150 11,4
h) Não foi possível obter os
valores do laço de histerese para comparar com o laço de histerese presente em experimentos
anteriores. Esse laço de histerese presente na Figura 2. ainda está em estado bruto, apenas
apresentando tensões, uma delas representando uma corrente, o processo a ser tomado seria substituir
nas equações a seguir o valor de tensão do canal 1 e canal 2 para que sejam obtidos H e B para fazer o
laço de histerese.
Figura 2. Laço de histerese

i) Potência: 144,6 W
Tensão Primária / número de espiras: 110/220
Tensão Secundária / número de espiras: 24/12/0/-12/-24
Frequência nominal: 60 Hz
Perdas em vazio (perdas no ferro) em 60Hz: 10 W
Perdas totais em 60Hz: 30
W
Parâmetros: ; ;;
Comprimento médio magnético: 20,8 cm
Peso de cobre:
Peso de aço:
Custo:

Você também pode gostar