Você está na página 1de 3

SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

COMANDO GERAL

PORTARIA DO CMT G N° PMI-OOl/02/20

Estabelece orientações técnicas relacionadas à Pandemia do


Novo Coronavírus (COVID-19).

o Comandante-Geral da Polícia Militar, no uso de suas atribuições legais, com


fundamento no artigo 19, incisos I e IV, do Regulamento Geral da Polícia Militar (R-I-PM),
aprovado pelo Decreto n° 7.290, de 15 de dezembro de 1975, e considerando:
- a Lei federal n° 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que estabelece as medidas para
enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Novo
Coronavírus (COVID-19);
- o Decreto n° 64.862, de 13 de março de 2020, que dispõe sobre a adoção, no âmbito da
Administração Pública direta e indireta, de medidas temporárias e emergenciais de prevenção de
contágio pelo COVID-19, bem como sobre recomendações no setor privado estadual;
- o estado de calamidade no Estado de São Paulo, reconhecido por meio do Decreto n°
64.879, de 20 de março de 2020~
- a Portaria n° 356 - MS/GM, de 11 de março de 2020, que dispõe sobre a regulamentação
e operacionalização do disposto na Lei n° 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, prevendo a medida
de isolamento como fonna de evitar a propagação da infecção e transmissão local, a ser
detenninada por um prazo máximo de 14 (quatorze) dias, prorrogável por igual período; ~
- o artigo 33 da Lei n° 10.123, de 27 de maio de 1968 (Lei Orgânica da Polícia), que
dispõe sobre a aplicação aos policiais militares das disposições do Estatuto dos Funcionários
Públicos Civis do Estado naquilo que não contrariar a sua legislação específica;
- a Lei nO 10.261, de 28 de outubro de 1968, que dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários
Públicos Civis do Estado, e considera como de efetivo exercício, para todos os efeitos legais, nos
termos de seu artigo 78, inciso VIII, a concessão do licencian1ento compulsório previsto no
artigo 206, nos casos em que haja possibilidade de se atribuir, ao servidor, a condição de fonte de
infecção de doença transmissível;
- a necessidade de prevenir o contágio de policiais militares pelo COVID-19;
- a necessidade de oferecer o devido acompanhamento e tratamento nos casos de policiais
militares infectados ou suspeitos de estarem infectados;
- que a Polícia Militar deve garantir a manutenção da prestação do serviço de polícia
ostensiva e preservação da ordem pública diante dos novos desafios apresentados com a
ocorrência da Pandemia do COVID-19;
- a necessidade de divulgar orientações técnicas aos integrantes do Quadro de Oficiais de
Saúde da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), bem como aos Comandantes, Chefes
e Diretores das Organizações Policial-Militares (OPM);
- as definições estabelecidas pelos guidelines divulgados pelos órgãos de saúde
governamentais responsáveis pelo Plano de Contenção da infecção do COVID-19;
- as disposições das Instruções para os Afastamentos na Polícia Militar (I-36-PM), que
têm por finalidade estabelecer as normas gerais orientadoras da concessão dos afastamentos
regulamentares,
DETERMINA:

Artigo 1° - Ficam estabelecidas as seguintes diretrizes acerca dos afastamentos a serem


prescritos e concedidos diante da Pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19).

Artigo 2° - O Oficial Médico (UIS, Policlínicas e Centro Médico) deverá avaliar o


histórico de saúde, bem como o estado clínico de todo policial militar que comparecer à consulta,
espontanean1ente ou apresentado por seu Comandante imediato, adotando as seguintes
providências:
I - policiais militares assintomáticos que tiveram contato direto com pessoa
comprovadamente infectada pelo COVID-19: após a avaliação do estado clínico e do histórico
narrado pelo PM, poderá prescrever até 14 (quatorze) dias de licença compulsória, com regiSlr0J : ;
CID Z29.0; Cf
II - policiais militares sintomáticos: após a avaliação do estado clínico e do histórico
narrado pelo PM, poderá:
a) nos casos com sintomas leves, sem febre e dispneia, prescrever até 14 (quatorze) dias
de licença compulsória, com registro CID Z29.0;
b) apresentando sintomas de febre e dispneia, deverá ser encaminhado ao CMed ou a
hospital de referência da área para avaliação médica e investigação;
c) ao término da licença compulsória concedida, não havendo a cura, o policial militar
deverá ser novamente avaliado e, se for o caso, renovada a licença compulsória, registrando-se
pelo CID Z29.0.
III - nos casos dos incisos I e lI, após a avaliação, o Oficial Médico deverá emitir um dos
seguintes pareceres:
a) apto para o Serviço Policial Militar (SPM);
b) apto com restrições para o SPM;
c) convalescença médica de até 1O(dez) dias, se houver previsibilidade de cura e não se
tratar de caso suspeito de COVID-19;
d) concessão de licença compulsória, quando se tratar de caso suspeito de CO VID-19.
Artigo 3° - Os atestados n1édicos civis, da rede pública ou privada, poderão ser
encaminhados por meio eletrônico pelo policial militar interessado à UIS que estiver vinculado,
para análise do Oficial Médico e eventual ratificação e concessão de licença compulsória de até
14 (quatorze) dias, sendo desnecessário o comparecimento pessoal.
Artigo 4° Os pareceres emitidos por qualquer médico policial militar,
independentemente do CID, eximem o interessado de comparecer à JS-2 para ratificação do
Departamento de Perícias Médicas (DPM), pois o médico responsável por emitir o parecer terá
24 horas para enviar a relação de restrições e afastamentos à DPM no endereço eletrônico:
cmedjunta@polician1ilitar.sp.gov.br.
Artigo 5° - A licença compulsória de que trata esta Portaria será concedida em caráter
temporário e emergencial, para evitar a propagação do COVID-19 e sua transn1issão local,
prevenindo o contágio de policiais militares e oferecendo o devido acompanhamento e
tratamento dos infectados ou suspeitos de estarem infectados.
Parágrafo único - O período de afastamento classificado como licença compulsória será
considerado como de efetivo exercício, para todos os efeitos legais, nos termos do artigo 78
combinado com o artigo 206 e seguintes, tudo da Lei n° 10.261, de 28 de outubro de 1968,
atendendo o previsto na Lei n° 7.524, de 28 de outubro de 1991, combinado com a Lei
Con1plementar nO 1.226, de 19 de dezerrlbro de 2013, bem como no artigo 91, alínea "h", do
Decreto-lei nO 15.620, de 29 de janeiro de 1946, combinado com o Decreto nO 64.744, de 15 de
janeiro de 2020.
Artigo 6° - Reforce-se aos Cmt/Ch/Dir que para a concessão de afastamentos médicos
deve-se observar o disposto no artigo 22, caput, das 1-36-PM, em conjunto com o disposto no
artigo 5° desta Portaria.
Artigo 7° - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as
disposições contrárias, em especial o Ofício nO DS-166/22/20-CIRCULAR, de 13MAR20, e o
Ofício nO DS-182/22/20-CIRCULAR, d sem prejuízo da emissão de novas
orientações de ordem técnica ao efetivo p icial-militar.

F
Cel PM Comandante-Geral

"Nós, Policiais Militares, sob a proteção de Deus, estamos compromissados com a defesa da Vida, da Integridade Flsica e da Dignidade da Pessoa Humana. "