Você está na página 1de 42

Código no CER

Atk/CUFM

www.ramacharaca.com.br
ramacharaca@gmail.com

Estrada do Cafundá, 1157 – Sítio Nosso Recanto, Jacarepaguá, Tanque, Rio de Janeiro, RJ
CEP 22725-030 Telefax: (21) 2440-9755
W.W. ATKINSON
Código no CER
ATK/CUFM

COMO USAR
A FORÇA DA MENTE
PARA INFLUENCIAR
PESSOAS
Instruções, exercícios, orientações etc., que podem ser
compreendidos por qualquer pessoa de inteligência comum.

TÍTULO ORIGINAL: “PRACTICA MENTAL INFLUENCE AND MENTAL FASCINATION”


TRADUZIDO PARA O PORTUGUÊS POR: LUIZ FERNANDES

CÓPIA DA EDIÇÃO TECNOPRINT SA., 1989

2
ÍNDICE

Capítulo 01  A LEI DA VIBRAÇÃO ............................................................................................................................... 4


Capítulo 02  ONDAS DE PENSAMENTO...................................................................................................................... 7
Capítulo 03  INDUÇÃO MENTAL ............................................................................................................................... 10
Capítulo 04  CONCENTRAÇÃO MENTAL ................................................................................................................. 13
Capítulo 05  IMAGEM MENTAL ................................................................................................................................. 16
Capítulo 06  FASCINAÇÃO .......................................................................................................................................... 18
Capítulo 07  INFLUÊNCIA HIPNÓTICA ..................................................................................................................... 21
Capítulo 08  INFLUÊNCIA A DISTÂNCIA ................................................................................................................. 24
Capítulo 09  INFLUÊNCIA DE MASSA ...................................................................................................................... 27
Capítulo 10  A NECESSIDADE DO CONHECIMENTO ............................................................................................. 30
Capítulo 11  MAGIA NEGRA E MAGIA BRANCA .................................................................................................... 33
Capítulo 12  AUTOPROTEÇÃO ................................................................................................................................... 36

ILUSTRAÇÕES ............................................................................................................................................................... 39

PROJETO "SER" .............................................................................................................................................................. 43

ROTEIRO DE ANÁLISE DO LIVRO ............................................................................................................................. 43

SUGESTÃO DE ERRATA............................................................................................................................................... 44

Parte das publicações de Atkinson foi organizada numa série intitulada "O Livro dos
Poderes", composta de doze títulos que obedecem à seqüência apresentada abaixo. Sugerimos que
o livro “A Lei do Novo Pensamento” seja lido como introdução a essa série.
Conheça a obra completa do autor:
www.ramacharaca.com.br
ramacharaca@gmail.com

"O Poder Pessoal, Ou, Vosso Eu Superior"


"O Poder Criador, Ou, Vossas Forças Construtivas"
"O Poder Do Desejo, Ou, Vossas Forças Energizantes"
"O Poder Da Fé, Ou, Vossas Forças Inspiradoras"
"O Poder Da Vontade, Ou, Vossas Forças Dinâmicas"
"O Poder Do Subconsciente, Ou, Vossas Forças Secretas"
"O Poder Espiritual, Ou, A Fonte Infinita"
"O Poder Do Pensamento, Ou, Radiomentalismo"
"O Poder Da Percepção, Ou, A Arte Da Observação"
"O Poder Do Raciocínio, Ou, A Lógica Prática"
“O Poder Do Caráter, Ou, A Individualidade Positiva"
"O Poder Regenerador, Ou, Rejuvenescimento Vital"

2
Capítulo – I –
A LEI DA VIBRAÇÃO

01. Os estudantes de história encontram uma contínua torrente de referências à misteriosa


influência de uma mente humana sobre a de outras pessoas. Nos registros, tradições e lendas mais
antigas são encontradas referências à crença geral de que é possível um indivíduo exercer algum
poder misterioso, estranho, sobre as mentes de outras pessoas, influenciando-as para o bem ou para
o mal. E mais que isso, o estudante encontrará uma crença associada de que certos indivíduos são
possuídos de certo poder mental que submete até “coisas” e circunstâncias à sua força.
02. Nos primórdios obscuros da história do homem neste planeta esta crença existia, e perdura
até os nossos dias, apesar da ardorosa oposição da ciência material. Os anos não afetaram a crença,
e no fim do Século Vinte ela adquiriu força e vitalidade novas, pois seus adeptos enfrentaram
corajosamente os céticos pensadores materialistas, reivindicaram o nome de “Ciência” para esta
verdade e insistiram em que fosse retirada definitivamente da categoria de superstição, credulidade
e fantasia ignorante.
03. Se não fosse tão lamentável, seria divertido observar a posição da presunçosa, complacente,
convencida, escola de pensadores, que afastava como uma ilusão tola o que muitos dos mais sábios
homens de épocas passadas aceitaram e ensinaram como verdade. Os modernos “sabichões”
escarneceriam com desdém de fatos que notoriamente acontecem nas vidas diárias de milhares de
pessoas inteligentes, e os quais a experiência da humanidade tem demonstrado por muitos séculos,
em todas as terras e entre todas as raças.
04. Todo o problema está na presunção dogmática do ensinamento materialista de que o que é
conhecido como “mente” consiste apenas em alguma ação peculiar do cérebro material, sustentando
alguns escritores até que “o cérebro segrega pensamentos, como o fígado segrega bílis”. Eles se
recusam a ver que a operação da mente é uma manifestação de alguma forma suprema de energia
muito mais elevada que as formas de energia conhecidas, como eletricidade, magnetismo, luz, calor,
gravitação, atração molecular etc. Porque energia mental não é registrada em seus instrumentos
destinados a captar e registrar as vibrações dessas formas inferiores de energia, eles concluem que a
energia mental mais elevada não existe. Tendo formulado uma teoria que se ajustasse às suas
concepções materialistas, eles tentam ignorar todos os fatos não compatíveis com sua teoria. Se,
encontram um fato que não se adapte à sua restrita teoria, “tanto pior para o fato”, como disse um
escritor; e prontamente o ignoram ou contestam.
05. Na verdade, o pesquisador não precisa recorrer a explicações metafísicas para prestar
declarações sobre o fenômeno de Influência Mental. Os próprios fatos da ciência física, se
interpretados corretamente, darão a chave do mistério, e encaminharão os passos do investigador
honesto para o caminho onde ele possa encontrar a solução do desconcertante enigma. Embora
saibamos que a solução real se encontra no campo da metafísica, a ciência física irá corroborar os
fatos de sua ciência metafísica irmã, e em vez de contradizer esta fornecerá fatos análogos para
oferecer ao cientista base para uma teoria de fatos metafísicos.
06. O estudante verá imediatamente que no tocante à ciência metafísica, esta deve ser iniciada no
fenômeno da “Transmissão de Pensamento”. Nessa fase do tema pode ser encontrado um princípio
elementar em evidência em muitas outras formas de fenômeno no volume anterior desta série,
intitulado “Curso Prático de Telepatia, Transmissão do Pensamento e Leitura da Mente”, e assim
não precisamos repeti-lo. O fato principal é que Transmissão de Pensamento existe, e pode ser
esclarecida em base puramente científica, sem recorrer às verdades de pensamento metafísico.
Sabemos que isto é uma declaração de peso, mais sabemos também que pode ser demonstrada.
1
Consideremos essa fase do assunto.
07. Em primeiro lugar a ciência física ensina que sustentando todas as formas, graus e aparentes
diferenças em matérias e energia encontra-se uma manifestação de alguma energia elementar que se
manifesta no que é conhecido como “Vibrações”. Tudo no mundo material se acha em vibração,
sempre manifestando um alto grau de movimento. Sem vibração não existiria um universo
material. Desde os corpúsculos eletrônicos que a ciência ensina comporem o átomo, passando pelo
átomo e pela molécula, até onde as mais complexas formas de matéria são manifestadas, existe a
sempre presente Vibração. E através de todas as formas de energia, luz, calor, eletricidade,
magnetismo, e o resto, a Vibração está também sempre presente. Em verdade, a própria ciência
física ensina que não apenas é Vibração a força básica sustentando outras forças e as várias formas
de matéria, mas que aparentes diferenças entre as várias formas de matéria e várias formas de
energia, são causadas simples e unicamente pelos vários graus de Vibração manifestada.
08. Como a diferença entre o tom mais baixo que pode ser distinguido pelo ouvido humano, e a
nota mais alta que pode ser distinguida pelo mesmo órgão de sentido, é meramente uma diferença
do padrão de vibração – como é a diferença entre a frouxa luz vermelha em uma extremidade do
espectro, e a violeta na outra extremidade, com as cores interpostas conhecidas como índigo, azul,
verde, amarelo e laranja, com todas as combinações de matizes delas provenientes — como as
diferenças entre os mais elevados graus de frio conhecidos pela ciência, e os mais elevados graus de
calor que se pode imaginar — como essas diferenças devidas única e totalmente a vários padrões de
Vibração — assim é a diferença entre qualquer e todas as formas de matéria ou força simplesmente
uma questão de Vibração. Em resumo, todas as “Coisas” materiais e físicas são simplesmente
manifestações de diferentes padrões de Vibração, e apesar de suas aparentes diferenças são todas
apenas manifestações de alguma “energia infinita e eterna da qual procedem todas as coisas”,
resultando suas diferenças meramente do diferente grau de Vibração nelas manifestado. Lembre-se
que isto não é “vaga filosofia”, ou “leve metafísica”, ou “fantasias espiritualistas” (conforme
escritores materialistas), mas fatos alegados e admitidos pelos maiores cientistas físicos da época,
conforme comprovam livros de ilustrações e textos. (Figura 1 – arquivo anexo).
09. E mais, qualquer cientista físico dirá que a Ciência tem toda razão para acreditar que existem
grandes campos de energia e força, cujas Vibrações são por demais elevadas para serem registradas
mesmo pelos delicados instrumentos científicos, mas que, entretanto existem e manifestam efeitos.
Faz pouco tempo que a Ciência conseguiu captar os “Raios-X” e outras formas de alta
Radioatividade, e, no entanto esses raios e forças sempre existiram. E amanhã a Ciência
aperfeiçoará instrumentos capazes de registrar formas ainda mais elevadas de energia. E,
acidentalmente, algum cientista irá aperfeiçoar um instrumento para registrar as sutis vibrações de
pensamento, e talvez com o tempo alguém irá aperfeiçoar esse instrumento para que ele não apenas
registre tais vibrações e ondas de pensamento, mas também, como o toca-discos, possa reproduzir e
emitir vibrações similares para que outros possam sentir os pensamentos, justamente; como agora
ouvem os sons do toca-discos. Essa previsão não é mais maravilhosa que teria sido a previsão do
telefone, dos toca-discos, do telégrafo sem fio, e muitas outras descobertas e invenções de cem anos
atrás.
10. Já imaginou que existem cores que o olho não pode ver, mas que instrumentos delicados
registram claramente? Na verdade, os raios solares que queimam o rosto, e que são registrados pela
chapa fotográfica não são visíveis ao olho. O olho vê apenas os raios mais fracos, porém os mais
fortes somente são detectados por instrumentos adequados. O seu olho não consegue ver os Raios-
X atravessando a sala, mas a chapa o captará, e por meio de sua luz uma fotografia pode ser tirada.
5
1
Os raios luminosos visíveis ao olho são apenas os mais fracos, os mais fortes estão muito além do
registro pelo olho, e mesmo muito além do alcance dos mais delicados instrumentos existem raios e
ondas de luz de tão elevado padrão vibratório que desafiam seu poder de registrar.
11. Você sabia que existem sons não perceptíveis pelos ouvidos humanos que são captados e
ampliados pelo microfone? A imaginação científica sonha com instrumentos que irão captar o
canto dos insetos minúsculos e ampliá-los até poderem ser distinguidos. Existem ondas de
eletricidade que podem atravessar seu corpo, despercebidas por você, no entanto, suficientemente
poderosas para acionar maquinaria ou acender luzes elétricas.
12. O professor Elisha Gray, afamado cientista e catedrático, disse: “Existe muito terreno para
especulação no conceito da existência de ondas sonoras que nenhum ouvido humano pode ouvir, e
ondas coloridas de luz que nenhum olho pode ver. O espaço longo, escuro e silencioso espaço
entre 40.000 e 400.000.000.000.000 de vibrações por segundo, e a infinidade de alcance além de
700.000.000.000.000 de vibrações por segundo, onde a luz cessa no universo de movimento, torna
possível perder-se em especulação”.
13. O Professor Williams, conhecido escritor científico, disse: “Não existe graduação entre as
ondulações ou tremores mais rápidos que produzem nossas sensações de som, e a mais lenta dentre
elas que suscita nossas sensações de brando calor. Há um imenso vácuo entre elas, suficientemente
largo para incluir outro mundo de movimento, situado entre nosso mundo de som e nosso mundo de
calor e luz; e não existe uma boa razão para supor-se que a matéria seja capaz de tal atividade
intermediária, ou que tal atividade não possa suscitar sensações intermediárias, já que existem
órgãos para admitir seus movimentos.”
14. Pode-se ver que na teoria científica de Vibrações encontra-se boa razão para uma explicação
científica de tudo que é reivindicado pelos adeptos da verdade de Influência Mental, sem se afastar
do plano da ciência física, e sem invadir o plano da metafísica. E existem muitas outras provas da
mesma origem as quais poderemos abordar enquanto prosseguimos.
15. Só existe uma Verdade, que é manifestada em todos os planos — o Espiritual, o Mental e o
Físico — e suas manifestações concordam e coincidem. Assim, nenhum mentalista precisa temer o
teste de Ciência Física, pois cada plano confirmara os fatos e fenômenos dos que se acham abaixo
ou acima dele: os Três são apenas fases variadas de Um. Nesta pequena obra estaremos próximos
do plano de Ciência Física, porque assim poderemos tornar a matéria muito mais clara para muitos
que se tentássemos expressar o ensinamento em termos Metafísicos. Não existe contradição no
resultado. Cada partícula de Verdade deve encaixar-se em todas as outras partículas, pois são parte
do Todo.

6
2
Capítulo – II –
ONDAS DE PENSAMENTO

01. Em nosso último capítulo vimos que Vibração seria encontrada sustentando todas as
manifestações de energia, e todas as formas de matéria. Também citamos dois renomados cientistas
cujas palavras mostraram que existiam campos, de energia vibratória, não preenchidos por
quaisquer formas de energia, resultando em que visto não existirem vácuos nos processos da
natureza esses campos desconhecidos devem ser ocupados por certas formas de energia ainda não
conhecidas pela ciência física. Os ensinamentos dos ocultistas de todas as regiões e épocas, como
também os da moderna Ciência Mental, são no sentido de que a Mente, em suas manifestações de
pensamento no cérebro, gera uma forma de energia de Vibração intensamente elevada. Energia
essa que pode ser, e é projetada em ondas vibratórias do cérebro do pensador, e afeta os cérebros de
outras pessoas dentro de seu campo de influência.
02. Todos os estudantes de Influência Mental notaram a grande semelhança manifestada entre o
fenômeno de energia elétrica e magnética de um lado e o fenômeno de energia mental do outro.
Tão próxima é a analogia, que se pode tomar os fatos comprovados de ciência relativos a
fenômenos elétricos e magnéticos e proceder confiantemente com a certeza de encontrar uma
surpreendente correspondência no campo de fenômenos mentais. E o reconhecimento desse fato
está ajudando os trabalhadores no campo mental a agrupar os variados fenômenos que percebem, e
a realizar a teoria e prática de Influência Mental.
03. Em primeiro lugar, já é um fato bastante conhecido e aceito por pesquisadores que a criação
de pensamento e as manifestações de Estados Mentais ocasionam uma “combustão” de matéria
cerebral, e a conseqüente produção de uma forma de energia de alto poder vibratório. Os
fisiologistas reconhecem este fato e os livros de ensino fazem referência a isso. Experiências têm
mostrado que a temperatura do cérebro aumenta de acordo com a intensidade de Sentimento e
Pensamento, e que existe indubitavelmente uma produção de energia e um dispêndio de matéria
cerebral que contêm semelhança muito próxima com o processo de geração de energia elétrica.
Assim sendo, essa energia uma vez liberada deve ser emanada ou expedida do cérebro de maneira
similar à emanação de outras formas de energia, isto é, na forma de “ondas” de força vibratória.
Luz e calor viajam dessa maneira, o mesmo acontecendo com eletricidade e magnetismo, e ainda
com as forças da radioatividade. E os pesquisadores de Influência Mental demonstraram por suas
experiências que existem Ondas de Pensamento, Radiação de Pensamento, Indução1 de
Pensamento, e muitas outras fases de manifestações similares às exibidas por eletricidade e
magnetismo.
04. Flammarion, o conhecido e eminente cientista francês, declarou sobre o assunto:
“Resumimos nossas observações precedentes pela conclusão de que uma mente pode atuar à
distância sobre outra, sem o meio habitual de palavras, ou qualquer outro meio visível de
comunicação Parece-nos inteiramente insensato rejeitar esta conclusão se aceitarmos os fatos.
Esta conclusão será copiosamente demonstrada. Nada há de anticientífico, de romântico, em
admitir que uma idéia pode influenciar um cérebro à distância A ação de um ser humano sobre
outro, à distância, é um fato científico; é tão certo quanto a existência de Paris, de Napoleão, de
Oxigênio, ou de Sírios”. A mesma autoridade também diz: “Não pode existir dúvida de que nossa
força física cria um movimento no éter que se projeta como todos os movimentos do éter, e se torna
perceptível a cérebros em harmonia com o nosso. A transformação de uma ação psíquica num

1
Indução – ver 3 (2) nesse livro.
7
2
movimento etéreo, e o inverso, podem ser análogos ao que acontece num telefone, onde a chapa
receptiva, que é idêntica à chapa na outra extremidade, reconstitui o movimento sonoro
transmitido, não por meio de som, e sim de eletricidade. Mas são apenas comparações”:
05. Quando um Pensamento ou Sentimento é criado na mente ou no cérebro de uma pessoa, a
energia gerada se escoa do cérebro da pessoa na forma de ondas de energia mental, difundindo-se
da proximidade imediata do pensador para uma distância proporcional à força do pensamento ou
sentimento. Essas Ondas de Pensamento têm a propriedade de despertar vibrações similares nas
mentes de outras pessoas penetrando em seu campo de força, de acordo com a lei de Indução
Mental, a qual será explicada no próximo capítulo.
06. Ao prosseguirmos em nossas considerações sobre Influência Mental nos capítulos seguintes,
veremos as muitas e variadas formas de manifestação das Ondas de Pensamento. Por enquanto,
abordaremos o fenômeno de um modo geral.
07. As Ondas de Pensamento são manifestadas numa variedade de formas e fases. Algumas são
as ondas emanadas das mentes de todos os pensadores, inconscientemente e sem propósito,
geralmente sem muita força. Outras são emitidas com grande força, e caminham para longe,
manifestando um grau de influência proporcional à força com que são projetadas. Outras são
dirigidas propositadamente na direção de certos indivíduos ou locais, e caminham rapidamente
numa linha reta para o ponto ao qual foram dirigidas ou designadas. Outras são emitidas com
grande força e poder, mas em vez de serem dirigidas para qualquer pessoa ou local determinados,
são destinadas a girar em grandes redemoinhos de energia afetando a todos que possam estar
situados em seu campo de força.
08. Você logo compreenderá que existe grande diferença entre Ondas de Pensamento emitidas
inconscientemente e sem conhecimento das leis básicas de Influência Mental e aquelas projetadas
com pleno conhecimento das leis que governam o fenômeno, impelidas e dirigidas por uma
poderosa Vontade do emissor. A força é a mesma, mas os graus de seu poder e a medida de seu
efeito são determinados pelas condições de sua emissão.
09. A força vibratória dessas Ondas de Pensamento não cessa com a emissão da onda,
persistindo por longo tempo depois disso. Como o calor numa sala perdura por muito tempo depois
de extinto o fogo da lareira; como o perfume da flor existe numa sala por muito tempo depois de ser
a flor removida; como um raio de luz atravessa o espaço por milhões de milhas, e durante séculos
após a estrela ter sido destituída de existência; como qualquer e toda forma de energia vibratória
persiste em manifestação após o impulso inicial ter sido afastado, as vibrações do pensamento
também permanecem por longo tempo após o pensamento, depois que o cérebro que as emitiu
transformou-se em poeira.
10. Existem muitos locais atualmente contendo vibrações de pensamento de mentes afastadas do
corpo há muito tempo. Existem locais contendo fortes vibrações de tragédias há muito ocorridas
ali. Todos os lugares possuem atmosfera própria, resultante de vibrações de pensamento emitidas
pelas várias pessoas que ali habitaram ou estiveram. Toda cidade possui sua própria atmosfera
mental que produz efeito sobre pessoas que se mudam para lá. Algumas são fortes, algumas fracas,
outras progressivas, algumas morais, outras imorais, resultantes do caráter dos antigos
colonizadores e espíritos principais dos locais. As pessoas que se transferem para esses locais são
afetadas pela atmosfera, e ou se adaptam ao padrão geral ou, se forem suficientemente fortes,
ajudam a modificar o estilo mental do lugar. Às vezes uma mudança de condições traz uma vasta
afluência de novas pessoas para a cidade, e as ondas mentais dos recém-chegados tendem a
proporcionar unia alteração marcante à atmosfera mental local. Esses fatos foram notados por
8
2
muitas pessoas observadoras que talvez não estivessem familiarizadas com as leis e princípios que
sustentam o fenômeno.
11. Naturalmente muitos têm notado os diferentes climas de lojas, escritórios e outros
estabelecimentos. Alguns desses locais oferecem um ar de confiança e crédito; outros criam um
sentimento de suspeita e desconfiança, alguns dão impressão de gerência ativa e alerta, enquanto
outros dão impressão contrária. Alguma vez já parou para pensar que esses climas diferentes foram
causados pelas prevalecentes atitudes mentais dos encarregados dos locais? Os gerentes de
estabelecimentos comerciais emitem as próprias Ondas de pensamento, e seus funcionários,
naturalmente segundo o compasso para eles estabelecido, emitem vibrações similares, e dentro de
pouco tempo todo o local está vibrando em determinada escala. Quando ocorre uma alteração na
gerência logo uma modificação se manifesta.
12. Já notou a atmosfera mental das residências que visitou? Pode experimentar e reconhecer
todas as variadas notas da escala mental de seus ocupantes. Em alguns é manifestada Harmonia,
enquanto outros emitem Desarmonia assim que você chega. Alguns irradiam calor mental,
enquanto que outros parecem frios como gelo. Medite por um momento e rememore as várias
residências ou locais que visitou, e veja como as vibrações mentais dos ocupantes se manifestam a
um visitante.
13. Os pontos inferiores de nossas cidades, os antros de vícios e dissipação, vibram com o tipo de
pensamento e sentimento daqueles que os habitam. E o visitante influenciável é desse modo
tentado. E, da mesma forma, certos locais estão repletos de vibrações fortes e elevadas que tendem
a erguer e estimular aqueles que penetram em seu círculo de influência. Pensamento e Sentimento
são contagiosos, em razão da Lei de Vibração e Indução Mental. Quando esta lei é compreendida, o
indivíduo está capacitado a se proteger e se aperfeiçoar. Tal conhecimento traz Força.

______________________

9
3
Capítulo – III –
INDUÇÃO MENTAL

01. Como declaramos no capítulo anterior, o fenômeno de Influência Mental contém uma
surpreendente analogia ao de energia elétrica ou magnética. Não apenas acontece na fase de
movimento e transmissão da onda, como também na fase de indução, como veremos agora.
02. Em ciência física o termo Indução é usado para indicar aquela qualidade numa manifestação
de energia que tende a reproduzir num segundo objeto as vibrações produzidas no primeiro objeto,
sem contato direto entre os dois corpos. Um imã induzirá magnetismo em outro objeto afastado
dele no espaço. Um objeto eletrificado tenderá a produzir vibrações similares em outro objeto por
indução, através de grandes espaços. Ondas de calor afetarão outros objetos dessa maneira, como
no conhecido exemplo do copo ou vaso “cantando” em resposta à nota musical produzida à
distância. Na verdade, nós enxergamos e escutamos por processos similares a esses descritos.
03. E desse mesmo modo as Ondas de Pensamento transportam as vibrações da mente emitindo-
as a grandes distâncias, ou menores, tendendo a estabelecer vibrações similares nas mentes de
outras pessoas dentro do seu campo de força. Uma pessoa que sente forte grau de raiva emitirá
ondas desse grau de vibração mental, as quais, entrando em contato com os cérebros de outras
pessoas, tendem a estabelecer sentimento ou emoção semelhante, fazendo com que a pessoa “se
sinta contrariada” ou “irritada”, ou manifeste um similar estado mental de raiva. Sabemos como é
facilmente iniciada uma briga por uma pessoa enraivecida emitindo vibrações violentas. Basta
lembrar os exemplos de violência em tumultos para ver como o “contágio de ódio e raiva” se
propaga com facilidade entre pessoas que se permitem ser influenciadas. Isso acontece na apenas
com emoções e sentimentos desagradáveis, como também com os agradáveis. A influência de um
homem bom mentalmente forte estendendo-se aos que o cercam, influenciando-os para o bem.
(Figura 2 – arquivo anexo)
04. Oradores, atores, pregadores e professores emitem fortes correntes mentais que tendem a
produzir condições mentais por parte de seus ouvintes correspondentes ao sentimento sustentado
pela mente de quem fala. Quando você se lembrar de como um orador mexeu com seus
sentimentos, ou como um ator o fez chorar de piedade, estremecer de medo, ou rir de
contentamento, verá como atua a Indução Mental.
05. Mas isto não é verdadeiro somente quando estamos na presença da pessoa que está emitindo
as Ondas de Pensamento, somos influenciados por pessoas a longas distâncias de nós, em geral sem
seu conhecimento ou intenção embora algumas vezes (no caso de alguém que conheça o princípio)
com conhecimento e intenção totais.
06. O éter que ocupa o espaço carrega essas ondas de pensamento em todas as direções, e a
superfície da terra, principalmente nas porções mais densamente ocupadas, está repleto dessas
ondas. Essas ondas que carregam vibrações mentais, entrando em contato com as outras, tendem a
estabelecer combinações por um lado, e por outro a se neutralizarem. Quer dizer que, se dois
grupos de ondas de natureza similar se encontram, é provável haver uma combinação formada entre
elas como entre duas substâncias químicas que possuem afinidade entre si. Dessa maneira, as
“atmosferas mentais” de locais, cidades, casas etc., são formadas. Por outro lado, se duas correntes
de vibrações opostas entram em contato uma com a outra, será manifestado um conflito entre as
duas, no qual cada uma perderá poder proporcional à sua fraqueza, e o resultado será ou uma
neutralização de ambas ou uma combinação contendo vibrações de um grau comum. Por exemplo,
se duas correntes de energia mental se encontram, sendo uma, um pensamento de Amor e outra de

10
3
Ódio, sendo iguais se neutralizarão, sendo uma for mais forte que a outra persistirá, porém
destituída de grande parte de sua intensidade. Se não existisse esse efeito neutralizante, estaríamos
à mercê de correntes mentais errantes. A Natureza nos protege dessa forma, e também nos tornando
em grande parte imunes.
07. Entretanto somos afetados em grande parte por essas ondas, exceto se tivermos aprendido a
afastá-las por um conhecimento das leis e sua execução por meio de prática. Sabemos como
grandes ondas de sentimento se espalham por um país ou uma cidade, abalando seus habitantes.
Grandes ondas de entusiasmo político, ou espírito de guerra, ou preconceito a favor ou contra certas
pessoas, si abatem sobre localidades e fazem as pessoas agirem de maneira que posteriormente se
arrependem quando caem em si refletindo sobre seus atos. Elas são influenciadas por líderes
demagogos ou atraentes que desejam obter voto ou patrocínio, e são levadas a participar de
tumultos violentos ou atrocidades similares, capitulando a essas ondas de pensamento “contagioso”.
Por outro lado, sabemos como grandes ondas de sentimento religioso invadem uma comunidade por
ocasião de alguma comemoração fervorosa.
08. O efeito dessas Ondas de Pensamento, no tocante ao poder de indução, como é natural
depende muito materialmente da força do pensamento, ou sentimento manifestado na mente de
quem as emite. A maioria das pessoas imprime pouca força nas manifestações mentais, mas de vez
em quando se encontra um pensador cujas Ondas de Pensamento são praticamente “uma torrente de
vontade viva”, possuindo um efeito indutivo muito forte sobre as mentes de outras pessoas com as
quais as ondas entram em contato. Mas, do mesmo modo, acontece que grande número de pessoas
com os mesmos pensamentos produzirá grande volume de poder por meio de uma combinação de
suas correntes nas grandes torrentes de força mental.
09. Ainda existe outra característica do caso que não podemos descuidar: a Atração entre mentes,
pela qual uma pessoa atrai para si as Ondas de Pensamento de outras cujos pensamentos se acham
em concordância com os dela. O contrario é verdadeiro, pois existe uma repulsão entre as mentes
de pessoas e as Ondas de Pensamento de outras antagônicas a seus pensamentos. Podemos citar
expressões conhecidas para ilustrar essa verdade, como “Semelhante atrai Semelhante” e
“Pássaros da Mesma Plumagem Voam Juntos”. Está sempre em operação esta maravilhosa lei de
Atração e Repulsão de Energia Mental. Pessoas que permitem que seus pensamentos corram em
certas direções, e que os sentimentos sejam expressados de certas maneiras, atraem para si as Ondas
de Pensamento e influências mentais de outras encaixadas no mesmo princípio mental fundamental.
E do mesmo modo repelem as ondas e influências de natureza oposta. Este é um fato importante a
ser lembrado no dia-a-dia. O Bem atrai o Bem e repele o Mal. O Mal atrai o Mal e repele o Bem.
A Atitude Mental predominante serve para atrair influências similares e repelir as opostas. Portanto
observe cuidadosamente o caráter e a natureza de seus pensamentos cultive os desejáveis e reprima
os indesejáveis.
10. Algumas Ondas de Pensamento emitidas apenas com pouca intensidade caminham
lentamente e não prosseguem muito além do local de emanação, arrastando-se vagarosamente como
fumaça ou nevoeiro. Outros pensamentos carregados de maior intensidade de desejo ou vontade
são projetados vigorosamente como uma faísca elétrica e muitas vezes percorrem grandes
distâncias. A onda de pensamento fraca não permanece muito tempo, desfazendo-se ou sendo
neutralizada ou dissipada por forças mais poderosas. Mas os pensamentos fortes persistem por
longo tempo, retendo grande parte de sua vitalidade e energia.
11. Do mesmo modo, as Ondas de Pensamento de uma pessoa continuarão a vibrar em volta dela
aonde quer que vá, e as que entram em contato com ela serão afetadas pelo tipo e suas vibrações
11
3
dessa maneira. Algumas pessoas emitem vibrações melancólicas que você sente quando entra em
contato com elas. Outras irradiam boa disposição, coragem e felicidade, cujas condições
influenciam aqueles com quem entram em contato. Muitas pessoas manifestam essas qualidades de
maneira tão forte que se pode notar o efeito no momento em que tais pessoas entram numa sala.
Elas levam suas atmosferas consigo e as mesmas são induzidas nas mentes dos que as cercam.
12. Da mesma forma, algumas pessoas carregam consigo vibrações de Força de Vontade e
Domínio que atingem as mentes de outras, fazendo-as sentir o poder dessas pessoas, conquistando
sua força de vontade e modificando seus desejos. Outras manifestam um forte poder de fascinação
ou atração de maneira similar, que tende a atrair os outros para elas e para seus desejos e anseios.
Este princípio atua não apenas no plano de atmosferas mentais gerais, mas também no plano de
influência pessoal direta.
13. Todas as formas de Influência Mental operam no sistema de Indução Mental, conforme foi
descrito. O princípio é o mesmo em todos os casos, embora a forma de operação varie de acordo
com o aspecto particular do fenômeno manifestado. Lembre-se disso ao prosseguirmos, para
compreender muito melhor o assunto.

12
4
Capítulo – IV –
CONCENTRAÇÃO MENTAL

1. Os dois fatores principais na manifestação de Influência Mental, em todas as suas formas,


são: (1) Concentração e (2) Imaginação Mental. O primeiro desses fatores será considerado neste
capítulo e o segundo no capítulo seguinte.
2. “Concentração” é uma palavra derivada de duas palavras latinas, isto é, “con”, um prefixo
que significa “para”, e “centrum”, que significa “centro” ou “ponto central fixado”. As duas
palavras combinadas significam literalmente “trazer para um ponto comum, focalizar” etc. Assim,
a palavra “Concentração” significa literalmente “o ato ou estado de trazer para um ponto ou foco”.
3. Seguindo uma ilustração análoga de ciência física, vemos logo que as mais elevadas formas
de energia, força ou poder, são manifestados trazendo a força para um foco, centro, ou ponto
comum. Desse modo dirigem para esse ponto toda a energia empregada, ao invés de permitir que
ela se torne dissipada numa área maior. A eletricidade gerada por uma bateria de dínamo, quando
difundida numa superfície vasta manifesta apenas um pequeno grau do poder que pode ser obtido
compelindo-a a descarregar-se de um pequeno ponto de focagem. O mesmo acontece com relação
ao poder do vapor, que manifesta grande poder sendo forçado a descarregar-se por um pequeno
ponto ou abertura em vez de se espalhar pelo ar. A mesma lei aplica-se à pólvora que manifesta
força por seus gases compelidos a escapar através do pequeno cano de descarga invés de espalhar-se
em todas as direções, o que faria se estivesse desimpedida. Outro exemplo conhecido é o da lupa,
que trás os raios de sol para um ponto comum de focagem, intensificando amplamente o calor e a
luz em razão disso. (Figura 3 – arquivo anexo)
4. Os mestres místicos sempre infundiram em seus alunos a importância e necessidade de
adquirirem o poder de Concentração Mental, e todos os ocultistas treinados e desenvolvidos têm
praticado e perseverado nesse sentido, tendo alguns deles atingido influência mental e poderes
quase miraculosos. Todo fenômeno oculto é causado dessa maneira, e todo poder oculto depende
dela. Portanto, o estudante de Influência Mental deve dedicar muita reflexão, tempo e pratica a essa
importante parte da matéria.
5. É um fato conhecido de todos os estudantes de fenômenos mentais que muito poucas
pessoas possuem mais que um pequeno grau de concentração. Elas permitem que suas forças
mentais se espalhem e se dissipem em todas as direções, e obtêm reduzido ou nenhum resultado das
mesmas. A pessoa pode manifestar poder mental no mesmo grau de seu poder de concentração. O
poder de concentração mental da pessoa é em grande parte sua medida de grandeza.
6. Concentração Mental, na prática, consiste em focalizar a mente num determinado objeto,
fixando-o com firmeza e mantendo-o ali por certo tempo, sem permitir que a atenção seja desviada
do objeto. Consiste igualmente no poder correlativo de desligar a mente do objeto, deixando-a
descansar ou focalizando-a em outro objeto. Em outras palavras, ou dedica toda a atenção ou afasta
a atenção do determinado objeto.
7. Para o leitor que não teve qualquer experiência no sistema de Concentração Mental, pode
parecer tarefa muito fácil focalizar a mente num objeto, e mantê-la ali firme e fixamente. Contudo,
um pouco de prática mostrará a ele a dificuldade da tarefa. A mente é algo muito agitado, e sua
tendência é passar de uma coisa para outra, cansando-se de atenção constante, e buscando um novo
objeto no qual exercitar-se. Por outro lado, muitas pessoas deixam que suas mentes se concentrem
(involuntariamente) em qualquer coisa que lhes agrade e, esquecendo tudo o mais, se entregam ao
objeto que lhes atrai a atenção no momento, muitas vezes negligenciando deveres e interesses

13
4
importantes, e tornando-se sonhadoras em vez de pensadoras. Esta concentração involuntária deve
ser evitada, pois permite que a atenção escape ao controle da vontade. A Concentração Mental dos
ocultistas é algo muito diferente, ficando sob inteiro controle de sua vontade, sendo aplicada e
afastada quando se desejar.
8. O ocultista treinado se concentra num objeto com intensidade extraordinária, absorvendo-se
completamente nele e esquecendo tudo o mais no mundo. No entanto, completada a tarefa, ou
expirado o tempo determinado ele desliga sua mente do objeto e se mostra completamente
revigorado, estimulado e disposto para a matéria seguinte. Existe enorme diferença em ser
controlado por atenção involuntária, que é uma espécie de auto-hipnotismo, e o controle da atenção,
que é prova de domínio.
9. Um afamado psicólogo francês disse que o segredo da Concentração Mental está no controle
da Atenção. E o controle da Atenção está no exercício da Vontade.
10. “A autoridade está sujeita à autoridade superior do Ego. Eu a admito, ou impeço, como
quiser. Dirijo-a para vários pontos. Concentro-a em cada ponto até quando minha vontade puder
suportar o esforço”. Sully diz: A Atenção pode ser aproximadamente definida como a autodireção
da mente para qualquer objeto que se apresente no momento.”
11. Todas as autoridades do ocultismo iniciam ensinando aos alunos Atenção como o primeiro
passo para Concentração Mental. Mandam o aluno examinar algum objeto conhecido, atentando
para o maior número de detalhes que o mesmo contém. Depois de ouvir o relato do aluno, manda-o
repetir a tarefa até o aluno ter descoberto o maior número de detalhes possível. No dia seguinte
entrega-lhe outro objeto, e o processo é repetido. A princípio, são dados objetos simples, depois
outros mais complexos, até que por fim objetos de grande complexidade são facilmente dominados.
Dessa maneira, não apenas o poder de observação aguda é altamente desenvolvido, como também a
faculdade de Atenção torna-se tão fortalecida que o aluno é capaz de exercer a mais alta quantidade
de Concentração Mental quase sem consciência do esforço. Então essa pessoa se torna gigantesca
quanto à manifestação de Influência Mental, pois é capaz de manter sua mente dirigida para um
único ponto até ter focalizado e dirigido um possante grau de Influência Mental para o determina do
objeto.
12. Entre as praticas impostas aos alunos pelos mestres do ocultismo, podem ser citadas
Matemática, Desenho, Análise etc. Para começar, Matemática requer a maior atenção do estudante,
pois se não se concentrar em seus exemplos não poderá descobrir sua solução. De acordo com os
princípios da Natureza: “a prática leva à perfeição” e “o exercício desenvolve o poder”, a pratica da
mente no plano que requer atenção voluntária e concentração mental resultará, inevitavelmente, na
aquisição de controle e poder mentais que torna possível a mais forte manifestação de Influência
Mental.
13. A pessoa que usa Influência Mental deve certamente possuir o poder de focalizar a força
num ponto comum, a fim de manifestar a maior quantidade de poder e influência. E essa faculdade
de focalização resulta do treinamento da mente no sistema de Concentração. E Concentração
procede do domínio de Atenção Voluntária. Assim, seu primeiro passo para adquirir Influência
Mental deve ser cultivar Atenção Voluntária.
14. Poderíamos encher páginas e páginas com exercícios destinados a fortalecer sua faculdade
de Atenção Voluntária, mas não há necessidade. O melhor sistema é começar a procurar alguma
coisa na qual ira se concentrar, pois a própria busca desenvolverá a atenção. Apanhe algum objeto
para examiná-lo detalhadamente. Então concentre sua atenção nele até ter visto tudo o que há para
ver, depois apanhe outro objeto e faça o mesmo. Escolha uma página... esta página, se quiser, e
14
4
conte o número de palavras que ela contém. Então veja quantas palavras são necessárias para
preencher cada linha, em média; depois veja quantas letras há em cada palavra, em cada linha, na
página inteira. Depois leia a página e veja se existem erros ortográficos, letras imperfeitas etc. Em
resumo, familiarize-se com esta página, até saber tudo sobre ela. Depois escolha outra página, e
após examiná-la da mesma forma, compare as duas. E assim por diante. Naturalmente será uma
tarefa tediosa, a menos que você se interesse por ela. E o interesse pode ser suscitado lembrando-se
da razão do exercício.
15. Depois de praticar desse modo por pouco tempo cada dia, você começará a descobrir que
capaz de aplicar maior atenção aos objetos sobre os quais procura manifestar Influência Mental.
Está desenvolvendo Concentração, e esse é o grande segredo do uso de Influência Mental, explica
as diferenças em sua manifestação nas pessoas.

15
5
Capítulo – V –
IMAGEM MENTAL

1. Em nosso capítulo anterior chamamos sua atenção para o primeiro dos dois fatores
principais na manifestação de Influência Mental, isto é, Concentração Mental. No presente capítulo
abordaremos o segundo fator tendente a tomar possível a referida manifestação, isto é, a “Imagem
Mental”.
2. A “Imagem Mental”, no ocultismo, é a criação mental, na imaginação, de um “retrato” das
coisas, eventos ou condições que a pessoa deseja sejam manifestadas ou materializadas em efeito
real. Se refletir por um instante, verá que a menos que saiba “o quê” deseja, nada poderá fazer para
consegui-lo em qualquer plano de manifestação. E quanto mais claramente seus desejos são
percebidos na imaginação, mais clara é a tarefa de prosseguir na realização desse desejo. Uma
Imagem Mental fornece-lhe uma estrutura para nela atuar. E como o desenho do arquiteto, ou o
mapa do explorador. Pense nisso por alguns momentos até fixar firmemente a idéia na mente.
3. E a mesma regra é adotada no plano relativo às manifestações de Influência Mental.
4. Primeiramente, o ocultista forma, em sua imaginação, uma Imagem ou Retrato Mental das
condições que deseja produzir, e então, concentrando sua influência em torno dessa imagem,
consegue manifestar fortemente sua influência, em lugar de um modo casual como acontece com a
maioria das pessoas que não compreendem as leis e princípios que sustentam as manifestações das
forças da mente. A Imagem Mental dá forma e direções à força que está sendo concentrada sobre o
objeto ou tema desejado. Pode ser comparada à imagem do vidro da Lanterna Mágica, através do
qual passam os raios focalizados da lanterna, resultando em que uma imagem correspondente é
reproduzida sobre a tela ou cortina mais adiante. A analogia é bem acertada, se lembrarmos que as
mentes da maioria das pessoas são mais ou menos telas ou cortinas vazias que mostram as imagens
ali reproduzidas por influências, sugestões etc., externas, pois muito poucas pessoas percebem sua
individualidade, e são meramente reflexos dos pensamentos e idéias de outras pessoas. (Figura 4 –
arquivo anexo)
5. Uma eminente autoridade, Sir Francis Galton, que foi uma das mais destacadas autoridades
em psicologia de gerações anteriores, declarou sobre o assunto: “A livre ação de uma faculdade
altamente imaginativa é de muita importância em relação aos mais elevados processos de
pensamento generalizado. Uma imagem visual é a mais perfeita forma de representação mental,
qualquer que seja a forma, posição e relações de objetos. Os melhores operários são aqueles que
visualizam o todo do que se propõem a fazer antes de apanhar uma ferramenta. Estrategistas,
artistas em geral, físicos que realizam novas experiências, enfim todos os que não seguem uma
rotina, têm necessidade dela. Uma faculdade que é de importância em todas as ocupações técnicas
e artísticas, que da precisão às nossas percepções, e justiça às nossas generalizações, é prejudicada
por desuso negligente em vez de ser cultivada para assim trazer os melhores resultados. Acredito
que um estudo sério dessa faculdade, sem prejuízo para a prática de pensamento abstrato em sim
bolos é um dos muitos pontos importantes da ainda desinformada ciência de educação”.
6. E o que Galton disse do valor da utilização desta faculdade da mente nas questões do plano
material também é válido para as manifestações do plano mental. Você sabe que quanto mais clara
for a Imagem Mental de algo que deseja, sabe melhor o que deseja, e maiores possibilidades terá de
consegui-lo. Muitas pessoas passam a vida desejando ‘‘alguma coisa’’, mas sem saber “o quê”
desejam. Não é de admirar que não consigam realizar ou materializar os seus desejos. E o mesmo
acontece no plano da manifestação de Influência Mental. Se uma pessoa deseja materializar

16
5
qualquer coisa pelo uso da influência, não é ela prejudicada por falta de uma Imagem Mental do que
deseja materializar? E não é bastante auxiliada pela criação de um “modelo” ou plano mental, na
forma de uma imagem mental, por meio da qual possa dirigir suas correntes mentais?
7. Os ocultistas que manifestam o mais elevado grau de Influência Mental adquirem pela
prática esta arte de criar Imagens Mentais daquilo que desejam materializar. Treinam sua
Imaginação nesse sentido até conseguirem criar os atos de Imagem Mental com firmeza na direção
da materialização da coisa. Eles vêem a coisa ou evento desejado como se “realmente existisse” em
suas mentes antes de tentarem concentrar suas Ondas de Pensamento na tarefa de consegui-lo.
Depois que o Retrato Mental é completado e surge em nítido esboço, eles focalizam sua força
mental através dele, como no caso da lanterna mágica já citada, e a imagem é reproduzida na tela de
mentalidade de outras pessoas.
8. A imaginação pode ser fortalecida de muitas maneiras, tendo como princípio constante e
persistente a prática. A prática de rememorar cenas anteriormente presenciadas e depois descrevê-
las para outras pessoas ou desenhar um esboço delas ajudará nessa questão. Descreva para outras
pessoas cenas que testemunhou: ocorrências, detalhes de aparências etc., etc., até poder reproduzir
mentalmente aspectos e aparências das coisas. Então poderá começar a traçar imagens mentais de
coisas desejadas como se elas estivessem sendo traçadas na tela de sua mente. Veja, mentalmente,
as coisas como se estivessem ocorrendo, crie um pequeno cinema só seu, em sua mente, e ali
encene os filmes que deseja presenciar na vida real. Quando tiver feito isso, conseguirá projetar
seus filmes mentais na tela de objetividade da vida real com muito mais efeito.
9. Quanto a este assunto, seria conveniente lembrar-se do exemplo da lanterna mágica, pois a
imagem fará com que focalize melhor a idéia em sua mente. Dando-lhe essa sugestão, estamos na
verdade dizendo-lhe para formar um retrato mental da lanterna mágica mental, usando a ilustração
dada; verá como é muito mais fácil para você pensar nela dessa maneira e o quanto é mais fácil
manifestá-la na prática.
10. Forme suas Imagens Mentais aos poucos, começando com os esboços gerais, depois
incluindo os detalhes. Inicie sempre tentando coisas fáceis e simples, passando depois às proezas
mais complexas e difíceis.
11. Agora, uma palavra de advertência nesse ponto. Não permita que sua imaginação “dispare
em você”, não se torne um sonhador de sonhos sem nada fazer. Deve dominar sua imaginação e
torná-la sua serva e não sua dona. Deve fazê-la obedecer em vez de comandar.
12. Verá nos capítulos seguintes a importante parte que a Imagem Mental exerce nas diferentes
partes da Influência Mental. Mesmo quando não nos referimos diretamente a ela pelo nome, verá
que a “idéia” a ser transmitida de uma mente para outra, o sentimento, desejo ou estado mental, a
ser transferido de uma mente para outras, depende muito materialmente da clareza e integridade da
Imagem Mental mantida na mente da pessoa que procura executar a persuasão, o “projetor” da
Imagem Mental de sua lanterna mágica mental, na tela das mentes de outras pessoas. Conserve esse
princípio na memória para poder vê-lo operar em suas diferentes formas.

17
6
Capítulo – VI –
FASCINAÇÃO

1. Neste e no próximo capítulo apresentaremos informações relativas ao efeito de


Influência Mental manifestada quando existe um contato pessoal usando o poder e a pessoa
sendo afetada. Então passaremos a uma consideração sobre o efeito produzido quando as
pessoas não se acham em contato direto entre si.
2. Existem duas formas gerais do uso direto de Influência Mental, as quais, embora um
pouco semelhantes uma à outra, podem ser separadas em duas classes. Chamaremos a
primeira de “Fascinação” e a segunda de “Hipnotismo”.
3. Por Fascinação queremos nos referir à manifestação de Influência Mental quando as
duas pessoas estão juntas, sem passes ou os usuais métodos hipnóticos. Por Hipnotismo nos
referimos às utilizações do poder, também quando as duas partes estão juntas, mas
acompanhadas de passes ou métodos hipnóticos.
4. Na Fascinação encontram-se as manifestações geralmente conhecidas como
“Magnetismo Pessoal”, “Atração” etc. É bem comumente empregada em graus variados por
várias pessoas, muitas vezes sem conhecimento consciente dos princípios empregados.
Muitas pessoas são possuídas do poder de Fascinação “naturalmente” e sem ter estudado ou
praticado seus princípios. Muitas outras, não possuindo originaria-mente o poder adquiriram
por estudo a capacidade de influenciar os outros dessa maneira. Deve ser dito que o poder
pode ser adquirido por estudo e prática, como qualquer outro poder mental e físico. Para
algumas pessoas é fácil, para outras, difícil, mas todas podem adquirir um grau bem elevado
do poder por estudo e prática inteligentes dos princípios básicos.
5. Fascinação é uma das mais antigas formas de manifestações de Influência Mental. Era
conhecida e empregada pelas mais primitivas raças humanas. E encontrada até entre os
animais inferiores que perseguem suas presas ou capturam suas companheiras para seu uso.
Um recente escritor sobre o assunto definiu a palavra, usada nesta relação, como: “Atuando
por algum charme poderoso, cativante, atraente e irresistível; atraindo, cativando
poderosamente, influenciando a imaginação, a razão ou a vontade do outro de maneira
incontrolável; encantando, cativando ou seduzindo, poderosamente ou irresistivelmente.”
6. Como dissemos há pouco, este poder pode ser observado até entre os animais
inferiores em alguns casos. Exemplos são citados por naturalistas, nos quais escorpiões
fascinaram outros insetos fazendo-os girar, girar, até que por fim o inseto lançava-se a
impressionante distância do escorpião, que então devorava sua presa. Aves de rapina
inquestionavelmente fascinam suas presas, e homens que tiveram contato com animais
ferozes, como leões, tigres etc., têm declarado que se sentiram de alguma forma, paralisados,
as pernas recusando-se a obedecerem à sua vontade, e parecendo que suas mentes se tornavam
entorpecidas e atordoadas. Quem já viu um rato na presença de um gato poderá confirmar o
efeito de algum poder exercido pelo último. Pássaros em presença de gatos e serpentes
também manifestam sintomas de uma vontade conquistada. E naturalistas citam muitos
exemplos do emprego dessa força por aves procurando cativar e atrair os companheiros no
início da estação.
7. Entre os homens tem sido notado que certos indivíduos possuem esse poder em grau
elevado, tendo alguns dos “grandes homens” dos tempos antigos e modernos sido tão
abastecidos com o poder que podiam orientar seus adeptos como se estes fossem autômatos.
Júlio César possuía esse poder desenvolvido a um grau elevado, e usou-o desde a juventude
até seus últimos dias. Era adorado quase como um deus por seus soldados, que
desempenhavam quase qualquer tarefa a uma ordem sua. Napoleão também possua essa
atração a um alto grau. Ela capacitou-o a controlar homens com os quais teve contato, e

18
6
submetê-los à sua vontade. Ele se elevou de um pobre estudante à dignidade e poder de
Imperador da França. Banido para Elba escapou, e desembarcando na França, sozinho e
desarmado, enfrentou as fileiras do exército francês destacadas para capturá-lo e compeliu os
soldados a depor as armas e apoiá-lo. Entrou em Paris à frente do grande exército que fora
enviado para capturá-lo. Isto não é uma lenda, e sim um real fato histórico. E nos nossos
tempos vemos como certos líderes enfrentam as pessoas, movendo-as como peões no tabuleiro
de xadrez da vida. (Figura 5 – arquivo anexo)
8. Todos os fenômenos mencionados são rotulados como Fascinação, e resultam da
emanação de fluxos de Ondas de Pensamento ativas da mente de uma pessoa, achando-se a
mesma fortemente concentrada e dirigida para aqueles que a pessoa deseja afetar. A pessoa
forma um forte pensamento em sua mente e o envia a outra pessoa carregado com a força de
uma vontade concentrada, de modo que a outra pessoa o sente com intensidade. A idéia
fundamental é a formação do pensamento e a transmissão à outra pessoa.
9. Por exemplo, se deseja que uma pessoa goste de você, deve formar na mente este
pensamento. “Essa pessoa gosta de mim”, fixando-o em sua mente como um fato. Então
projete para ela o pensamento concentrado: “Você gosta de mim, gosta muito de mim”, com
um ar de segurança e confiança, e a outra pessoa é compelida a sentir o efeito, a não ser que
tenha adquirido conhecimento do assunto e esteja usando autoproteção. O pensamento deve
ser transmitido com a força que geralmente acompanha uma declaração oral, porém você não
deve “falar” as palavras, devendo apenas dizê-las com força “em sua mente”.
10. Se desejar produzir um efeito ou impressão de força sobre outra pessoa, o mesmo
processo pode ser usado, modificando o pensamento e as vibrações para a idéia de que possui
uma Vontade mais forte que a outra pessoa e é capaz de sobrepujar sua Vontade, utilizando a
mensagem silenciosa de “Sou mais forte que você, minha vontade supera a sua” etc.
11. Alguns agentes e vendedores prósperos usam o seguinte método para conquistar seus
fregueses. Formam um pensamento de que a outra pessoa deseja muito suas mercadorias, e
então envia a Onda de Pensamento de que “Você deseja minhas mercadorias, você as quer
muitíssimo, deseja-as ardentemente” etc.
12. Outros agem da seguinte maneira quando querem que a outra pessoa satisfaça seus
desejos: “Vai fazer como eu digo, vai fazer como eu digo, irá submeter-se inteiramente a
mim” etc.
13. Verá prontamente pelos exemplos citados que todo o princípio empregado em todos os
casos consiste de:
1) O pensamento do que a pessoa deseja que a outra faça mantém-se firmemente na
mente.
2) A projeção desse pensamento na outra pessoa, silenciosamente, sem palavras
proferidas.
14. Devemos aqui todo o segredo de Fascinação condensado em curto espaço.
15. Compreenderá, naturalmente, que as palavras representam apenas meios de concentrar
e visualizar os pensamentos. Os animais meramente sentem desejos, mas são capazes de
fascinar pela força destes, embora não possam empregar palavras. E uma pessoa pode
fascinar outra sem conhecimento de seu idioma, a força real resultante da força do desejo atrás
das palavras. A formação do pensamento-desejo em palavras é apenas com o propósito de
concentrar e focalizar o pensamento, pois palavras são símbolos concentrados de idéias,
pensamentos e sentimentos.
16. O processo exato de “transmitir” a Onda de Pensamento a outra pessoa é difícil de ser
descrito. Você sabe como se sente quando diz algo muito forçado e enfático a outra pessoa.
Pode sentir a força das palavras sendo proferidas para a outra pessoa. Bem, cultive o mesmo
poder de transmitir as “palavras não proferidas” pela maneira descrita, e logo poderá notar o

19
6
efeito do pensamento na outra pessoa. Talvez ajude se imaginar que pode ver a força voando
de você para a outra pessoa. A imaginação usada apropriadamente auxilia muito nesses casos,
pois cria uma trilha mental que a força pode percorrer.
17. Não deve agir embaraçadamente ao remeter as Ondas de Pensamento, procure
conversar de maneira comum, e enviar suas Ondas de Pensamento enquanto a outra pessoa
está falando, ou durante alguma pausa na conversação. É sempre conveniente enviar uma
poderosa Onda de Pensamento antes do início da conversação, de preferência quando está se
aproximando da pessoa. Também é aconselhável terminar o encontro com um “arremesso de
despedida” de força considerável. Descobrirá que essas Ondas de Pensamento possuem forma
muito maior que palavras proferidas, e dessa maneira poderá enviar impressões que não
poderia emitir por palavras faladas, por razões óbvias.
18. Percebe agora como foi afetado por pessoas que exerceram influência sobre você em
sua vida passada? Agora que conhece o segredo estará em parte imune a futuras impressões
dos outros. E quando ler nosso último capítulo intitulado “Autoproteção” poderá envolver-se
numa armadura protetora que impedirá a penetração de Ondas de Pensamento, e que desviará
as setas lançadas em sua direção.

20
7
Capítulo – VII –
INFLUÊNCIA HIPNÓTICA

1. Como mencionamos na lição anterior, existe uma semelhança geral entre a


manifestação de Influência Mental, conhecida como “Fascinação”, e a conhecida como
Influência Hipnótica. Na manifestação conhecida como Fascinação, a influência é exercida de
mente para mente sem um meio físico ou canal além do éter. Em Influência Hipnótica, ao
contrário, a influência é intensificada por meio de passes, afagos ou influência visual.
2. Em Influência Hipnótica a mente da pessoa afetada, a quem chamaremos de
“médium”, é tornada passiva por um fluxo de energia mental calculada para torná-la mais ou
menos entorpecida ou sonolenta, portanto, menos capacitada a estabelecer poderes de
resistência às Ondas de Pensamento da pessoa que está usando a influência. Mas o poder
empregado é o mesmo em todos os casos, seja quando estão sob a classificação de Fascinação
ou de Influência Hipnótica. Na verdade, as duas classes de manifestação se misturam, e é
difícil traçar-se uma linha divisória em alguns casos.
3. Influência Hipnótica é uma forma que foi denominada anteriormente Mesmerismo,
cujo nome foi dado em homenagem a seu descobridor, Frederick Anton Mesmer, que praticou
essa forma de Influência Mental durante a última metade do Século Dezoito. Na verdade,
porém, a força e sua utilização já eram conhecidas séculos antes da época de Mesmer, tendo
sido apenas redescobertas. Mesmer ensinou que o poder era baseado na presença de um
estranho fluido universal que penetrava em tudo, e que produzia um efeito especial nos nervos
e cérebros das pessoas. Ele e seus seguidores acreditavam que era necessário colocar os
médiuns em sono profundo antes de poderem ser influenciados. Mas ambas as idéias deram
lugar às novas teorias sobre o tema agora sustentadas por pesquisadores e estudiosos do
assunto. (Figura 6 – arquivo anexo)
4. Sabe-se agora que o “fluido magnético” em que Mesmer e seus seguidores acreditavam
nada mais é que as correntes de Ondas de Pensamento emanadas do executante. Sabe-se
também que os nervos dos braços e dedos proporcionam um elevado condutor sensitivo às
correntes mentais que possam ser impelidas por eles até a mente do médium, ou aos seus
nervos e músculos. Este fato é explicado pelo conhecido fato científico de que o material que
compõe os nervos é quase idêntico ao do cérebro, podendo o sistema nervoso ser considerado
uma continuação do próprio cérebro. Agora se sabe também que o olho possui uma
propriedade peculiar de transmitir as correntes mentais ao longo dos raios de luz que nele
penetram e dali para os olhos da outra pessoa. O fato explica o fenômeno de influência
hipnótica, como é agora conhecido pela ciência. A questão de “Sugestão” tem também uma
relação com o assunto, como veremos agora.
5. Executantes modernos não produzem a condição de “sono profundo”, exceto nos casos
em que se deseja produzir alguma forma de fenômeno psíquico além da questão de Influência
Mental, quer dizer, nos quais estão apenas produzindo a profunda condição hipnótica para
levar o médium a condição psíquica na qual o fenômeno possa ser manifestado ou exibido.
Não entraremos nesta fase do assunto neste livro, pois ela se afasta do tema imediato. O
moderno pesquisador hipnótico apenas provoca um estado passivo na mente, nervos ou
músculos do médium suficiente para reduzir os poderes de resistência, e então dá suas ordens
de “sugestões verbais” acompanhadas de uma projeção de suas Ondas de Pensamento na
mente do médium.
6. Para ilustrar o assunto, apresentaremos algumas experiências que poderão facilmente
ser executadas por qualquer pessoa que manifeste o poder de concentração e projeção mental.
Existe, naturalmente, uma grande diferença nos graus de impressionabilidade de diferentes
pessoas a influência hipnótica, quer dizer, diferença de graus de resistência. Algumas pessoas

21
7
oporão forte resistência, enquanto que outras estabelecerão uma resistência muito fraca, a qual
é facilmente afastada pela vontade do executante. Nas experiências seguintes, o melhor será
começar convocando alguma pessoa adequada, que não oponha resistência, dispondo-se a
tornar-se passiva. Queremos dizer: uma pessoa amiga e interessada nas experiências.
7. Inicie com a pessoa de pé à sua frente. Então faça passes largos diante do rosto do
médium, depois ao longo dos braços. Segure-lhe as mãos por algum tempo, fitando-a
diretamente nos olhos. Faça todos os passes de cima para baixo. Evite frivolidades ou
risadas, mantendo seriedade de expressão e disposição de espírito.
8. De pé diante do médium, diga-lhe para afastar sua atenção das pernas e permanecer
perfeitamente passivo e relaxado. Então, olhando-o diretamente nos olhos, diga-lhe: “Agora,
vou puxar você em minha direção com meu poder mental... irá sentir-se vindo em minha
direção... não resista, deixe-se vir em minha direção... eu o seguro, não tenha medo... venha..,
venha..., venha.., agora está vindo para cá, vindo.., para cá... está vindo, muito bem” etc. Verá
que ele começará a mover-se em sua direção e um momento depois cairá em seus braços.
Desnecessário dizer que você deve concentrar em sua mente a firme idéia de que ele cairá para
frente, empregando para isso sua vontade com firmeza. Ajudará se mantiver suas mãos a cada
lado da cabeça, mas apenas à frente dele, sem tocá-lo, e então afastar as mãos em sua própria
direção, ao mesmo tempo dizendo: “Venha, venha, está vindo” etc. Esta experiência pode ser
invertida, ficando atrás do médium e atraindo-o para trás. Sustente-o nos braços quando ele
cair, para evitar que despenque no chão.
9. Da mesma forma poderá juntar-lhe as mãos, dizendo que uno conseguirá separá-las.
Ou pode fazê-lo começar a revolver as mãos, e depois ordenar-lhe que não pare de revirá-las.
Ou poderá fazer com que ele o siga numa volta pela sala, acompanhando seu dedo que está
apontado para o nariz dele. Ou poderá fazê-lo ter uma sensação de calor ou dor tocando-lhe a
cabeça com seu dedo e dizendo-lhe que este está quente. Todas as conhecidas experiências
simples podem ser executadas dessa maneira com êxito por grande porcentagem de pessoas,
seguindo estas instruções gerais. Não daremos detalhes das experiências mais elevadas de
Hipnotismo, pois isso representa um assunto especial. Demos estas experiências apenas com
o propósito de mostrar que o fenômeno de Influência Hipnótica não requer qualquer teoria de
“fluido magnético”, e é todo explicável pela hipótese de Influência Mental por meio de Ondas
de Pensamento e Indução Mental.
10. Nestas experiências, não deixe de livrar-se posteriormente da influência, fazendo
passes ascendentes e desejando que a influência termine. Lembre-se disso.
11. Em suas experiências, se quiser realizá-las, logo descobrirá o poder de seus olhos sobre
as outras pessoas. Quase poderá sentir a força passando do seu olhar para o da outra pessoa.
O mesmo acontece no caso dos passes e batidas de mãos. Sentirá as ondas vibratórias fluindo
de suas mãos para o sistema nervoso dela. É surpreendente o poder que é provocado numa
pessoa após realizar algumas experiências deste sistema.
12. E agora uma palavra de advertência. Cuidado com as pessoas que estão sempre
colocando as mãos em você, dando-lhe pequenas batidas, ou desejando segurar suas mãos por
longo tempo. Muitas pessoas fazem isso por hábito, e inocentemente, mas outras o fazem com
a intenção de produzir uma leve forma de influência hipnótica sobre você. Se encontrar uma
dessas pessoas, e achar que está tentando qualquer coisa desse tipo, pode neutralizar sua
influência enviando-lhe uma forte corrente mental (conforme declarado em nosso último
capítulo), transmitindo-lhe o pensamento: “Você não pode me afetar... sou forte demais para
você... Não pode fazer truques comigo”. É conveniente praticar essa força de oposição
quando está apertando a mão de uma pessoa “magnética” que parece afetar os outros. Você
logo poderá distinguir essas pessoas por certa força que as envolve e uma expressão peculiar
nos olhos delas. Não tenha medo de olhá-las nos olhos, ao mesmo tempo usando sua vontade

22
7
protetora sobre elas.
13. Aconselhe as mocinhas a não permitirem muita liberdade com as mãos aos jovens que
as acariciam, sendo conveniente uma palavra de advertência aos rapazes de sua família.
Existem muitos casos de atração sexual que levam a resultados deploráveis, conseqüentes do
uso consciente ou inconsciente dessa simples forma de Influência Hipnótica. O perigo está
em que torna uma pessoa passiva às influências de outra, e mais prontamente é levada à
tentação e a ceder aos desejos ou vontade da outra pessoa. Ouso desse poder para propósitos
imorais é um crime e traz, para quem o usa, resultados lastimáveis, como todos os ocultistas
sabem e ensinam. Todos devem aprender a resistir a tais influências quando exercidas sobre
eles. A pessoa prevenida terá cautela.

23
8
Capítulo – VIII –
INFLUÊNCIA A DISTÂNCIA

1. Nos dois capítulos anteriores tratamos da manifestação da Influência mental achando-se o


projetor da força em contato ou presença de pessoas ou pessoas às quais pretendia influenciar.
Neste capítulo e no seguinte, passaremos à consideração da manifestação de influência quando as
pessoas afetadas se acham distantes das pessoas que usa a influência.
2. O público em geral está de certo modo familiarizado com o fenômeno do hipnotismo e em
grau menor com o fenômeno de Fascinação em suas formas mais comuns de Magnetismo Pessoal
etc. Mas com relação ao uso da influência à distância, as pessoas são mais ou menos céticas devido
á falta de conhecimento do assunto. Ainda assim, diariamente são trazidos à mente do público
novos fatos e exemplos de tal influência e o ensinamento de vários cultos sobre o tema está
despertando um novo interesse no assunto, e um desejo de aprender alguma coisa com relação às
leis e princípios que sustentam o mesmo.
3. Por estranho que pareça à primeira vista, os princípios básicos de Influência Mental à
distância são exatamente os mesmos que aqueles sustentados pelo uso da influência quando as
pessoas estão na presença uma da outra. Uma pequena reflexão mostrará a verdade disso. No caso
da influência presente as correntes mentais fluem através de um espaço interposto entre as duas
mentes, existe um espaço fora das duas mentes a ser transposto pelas correntes. E um momento de
reflexão mostrará que a diferença entre influência presente e influência à distância é meramente
uma questão de medida, uma questão de um pouco mais ou menos espaço a ser transposto pelas
correntes. Percebe isso claramente?
4. Assim sendo, ocorre que os métodos usados devem ser idênticos. Naturalmente, no caso de
influência pessoal os efeitos adicionais da voz, estilo, de métodos sugestivos, do olhar etc., estão
presentes, o que facilita o resultado, e faz a condição de “conformidade” ser mais facilmente
estabelecida. Mas, com esta exceção, os métodos são idênticos, e mesmo as vantagens oriundas das
exceções mencionadas podem ser duplicadas por prática e desenvolvimento no caso de influência
distante.
5. Existe grande número de métodos apresentados pelas autoridades nessa matéria de
influência à distância, porém são todos baseados nos mesmos princípios citados nos capítulos
anteriores deste livro, isto é, Vibrações, Ondas de Pensamento, Indução Mental, Concentração e
Imagem Mental; nestas palavras você tem a chave para deslindar o assunto, o resto é só questão de
prática, desenvolvimento e variações.
6. Um dos mais elementares, porém mais efetivos métodos conhecidos pelos ocultistas é o de
criar uma Imagem Mental da pessoa “tratada” (esse é o termo comum usado pelos escritores
modernos sobre o assunto) no sentido de imaginá-la sentada numa cadeira à frente da pessoa que a
trata à distância. O tratador começa a dar comandos verbais a ambos, e ao mesmo tempo dirige
Ondas de Pensamento para a pessoa imaginária sentada à sua frente. Este processo estabelece uma
condição psíquica entre o tratador e a pessoa real, embora esta se encontre a milhas de distância.
Este era o método dos antigos mágicos e realizadores de milagres, e tem sido o favorito das pessoas
que praticam essas experiências, ou desejam influenciar mentalmente outras pessoas à distância.
7. Uma variação do que foi dito aqui, muito comum nos tempos antigos, era moldar uma figura
em barro ou cera, chamando-a pelo nome da pessoa tratada, identificando-a na mente e na
imaginação com a outra pessoa. Uma variação também é observada nos casos em que uma
fotografia, ou mecha de cabelos, peça de vestuário etc., é usada dessa maneira como elo de ligação
psíquica entre as duas pessoas. Os praticantes de Magia Negra, bruxaria e outras abomináveis

24
8
perversões de Influência Mental pareciam preferir esses métodos, embora, ao contrário, eles sejam
usados atualmente com os melhores resultados por muitos proporcionando tratamentos benéficos a
pacientes, amigos e outros que se acham ausentes e cujo bem-estar é desejado. O único efeito que a
Imagem Mental da pessoa, do retrato etc., tem é o fato de que por esses meios um elo de ligação
psíquica é estabelecido, através do qual as Ondas de Pensamento são emitidas mais prontamente.
(Figura 7 – arquivo anexo).
8. Nas formas de tratamento descritas o tratador trata a Imagem Mental, retrato etc.,
exatamente como o faria se a pessoa estivesse presente. Ele esquece que a pessoa pode se achar a
milhas de distância, e concentra sua influência na imagem, retrato etc., porque estes são realmente o
ponto de partida da corrente psíquica que leva diretamente à pessoa. O tratador envia suas Ondas
de Pensamento ao objeto e em alguns casos fala (mentalmente) com a pessoa por meio do médium
mencionado. Ele pode dar ordens, argumentações, repreensões, persuasões etc., como se a pessoa
estivesse presente. Em resumo, age como se a pessoa estivesse sentada diante dele, receptiva à sua
influência.
9. Outra maneira, empregada por alguns, é começar a lançar Ondas de Pensamento para a outra
pessoa, formando na imaginação um “fio psíquico” que se estende gradualmente, composto de
vibrações de pensamento. Aqueles que praticam este sistema declaram que quando o fio psíquico é
projetado à distância suficiente (ele caminha com incrível velocidade) e entra em contato com a
mente da outra pessoa, o tratador sente imediatamente que o contato foi estabelecido, por um leve
“choque” semelhante ao de uma fraca corrente elétrica. Então o tratador passa a transmitir suas
correntes mentais pelo fio psíquico do mesmo modo como se a pessoa estivesse presente, conforme
descrito sob o título de “Fascinação” num capitulo anterior. Na verdade, tal tratamento, e os outros
mencionados neste capítulo, são praticamente “Fascinação a longa distância”.
10. Outra forma de tratamento distante consiste em formar o “tubo astral.” O tubo astral é
estabelecido de maneira similar à do “fio psíquico”, e projetado para a pessoa que se deseja
influenciar. É formado na imaginação como um “círculo de redemoinho”, semelhante ao anel de
fumaça expelido pelo fumante de charuto, só que maior, ou melhor, como o circulo de fumaça
lançado pela chaminé de uma locomotiva. Este “círculo de redemoinho” é visto na imaginação,
pelo emprego da vontade, estendendo-se até formar um tubo que rapidamente se estira e caminha
em direção à pessoa tratada, de maneira idêntica à do fio psíquico. Este tubo é conhecido pelos
ocultistas como o “tubo astral” e é empregado em várias formas de fenômenos ocultos e psíquicos,
como clarividência e outras formas de “Psicomancia”. Aqueles que seguem este método de
influência distante relatam que reconhecem a integralização do tubo por uma sensação de
interrupção e um sentimento de conformidade entre eles e a outra pessoa. Em alguns casos
declaram que podem “ver” vagamente a figura de outra pessoa em miniatura na outra extremidade
do tubo, porém isso é indubitavelmente devido à posse de poderes “psicomânticos”, repentinamente
despertados. Uma vez estabelecido o tubo, o tratamento é procedido como se estivessem na
presença da pessoa tratada. Em muitos aspectos o “fio psíquico” e o “tubo astral” possuem métodos
similares, e uma declaração concernente a um geralmente é válida para o outro.
11. Existem dois outros métodos frequentemente aplicados em influência à distância, que
passaremos a descrever resumidamente.
12. O primeiro desses dois métodos consiste em sentar ou ficar de pé num local tranqüilo no
qual possa se concentrar e dirigir suas Ondas de Pensamento para outra pessoa, formando na
imaginação um retrato mental da força voando de você para a outra pessoa, como faíscas elétricas,
ou um leve fluido. O ocultista avançado consegue encontrar paz no meio de barulho Este retrato
tende a dar uma força concentradora às correntes, que as tornam possantes, e as envia diretamente
25
8
ao ponto desejado.
13. O segundo desses dois métodos é o usado pelos mais avançados ocultistas que ultrapassaram
os métodos que acabamos de descrever. Essas pessoas ficam em pé ou se sentam tranquilamente e
concentram suas mentes até atingirem o estado de Calma Mental conhecido por muitos como “o
Silêncio”. Então criam uma forte imagem mental da pessoa tratada, cercada pelas condições que
desejam serem criadas, ou fazendo as coisas que desejam serem feitas. Esta é uma das mais
elevadas formas de Influência Mental e introduz uma fase mais alta de influência que a do plano
mental geralmente conhecido. Um retrato de uma pessoa mantida na mente dessa maneira, a pessoa
sendo vista sadia, feliz e bem-sucedida, tende a materializar as mesmas condições na pessoa na vida
real. Contudo, esta forma de tratamento só é conseguida por aqueles de grande concentração, e que
dominaram a ação de Imagem Mental, possuindo Força de Vontade Criativa em grau relevante.
14. Entretanto, algum grau de sucesso pode ser conseguido por quase todo estudante que pratica
por este sistema.
15. Antes de praticar qualquer destas experiências, leia o que declaramos no capitulo sobre
“Magia Negra e Magia Branca”, e abstenha-se de empregar o poder com propósitos maléficos, pois
o destino do Mago Negro é muito triste.

26
9
Capítulo – IX –
INFLUÊNCIA DE “MASSA”

1. Em nosso último capítulo consideramos as manifestações de Influência Mental à


distância no tocante à influência sobre uma ou mais pessoas por outra. Existe outra fase do
tema que não deve ser omitida, que é a influência sobre grande número de pessoas por algum
ativo e forte projetor de Influência Mental. Esta forma de manifestação do poder é conhecida
como “Influência Mental de Massa”, que significa o uso da influência no plano de exercer
forte poder de atração ou direção sobre a mente da “multidão”, ou melhor, do “público”, ou
grande número de pessoas.
2. Esta forma do uso do poder é aquela exercida consciente ou inconscientemente pelos
grandes líderes nos campos de vida estadista, política, trabalhista, financeira ou militar.
Lembramos imediatamente de inúmeros “grandes homens” da história antiga até os nossos
dias que pareciam exercer um efeito extraordinário, quase miraculoso, sobre a mente do povo,
fazendo-o ver as coisas através dos olhos de homens fortes, e utilizando todos os meios para
realizar os ideais, vontades ou desejos desses grandes mestres de Influência Mental. E em
escala menor está a maioria de pessoas de sucesso que dependem do apoio do público. Em
verdade, essa influência é usada em certo grau por quase todos que obtiveram êxito em
qualquer tipo de negócio ou profissão, onde o sucesso requer a atração de outras pessoas para
o cargo da pessoa em questão. Isto pode constituir uma idéia estranha para muitos, mas é
reconhecido pelos ocultistas como uma verdade. (Figura 8 – arquivo anexo)
3. A forma mais comum de Influência de Massa é a manifestada em grau inferior, no
plano inconsciente, pela maioria das pessoas, em virtude de seu desejo pelo sucesso de certas
coisas. Por desejo não queremos dizer o mero estado mental de “querer” ou “desejar”, e sim
aquele estado mental ansioso, almejante, almejante, ardente que evidencia um ávido esforço
para conseguir a coisa desejada. Você notará que os homens e mulheres que “conseguem
coisas” geralmente são aqueles que possuem um forte e ardente desejo pelas coisas em
questão, o qual os instiga a serem mais ou menos agressivos na busca do desejo de que são
possuídos. Essas pessoas estão constantemente emitindo ondas de vibrações de pensamento,
as quais contêm uma influência de atração sobre todos com quem entram em contato, e
tendem a impelir tais pessoas para o centro de atração, que é, naturalmente, a mente da pessoa
que emite tais pensamentos. E da mesma forma uma pessoa possuída de forte Medo por
alguma coisa emitirá ondas de atração semelhantes, as quais têm uma tendência a atrair para
ela as pessoas que acredita realizarem a materialização da coisa temida. Isto pode parecer
paradoxal, mas o segredo esta no fato de que nos casos de Desejo e Medo a mente forma a
Imagem Mental, que tende a tornar-se materializada. Medo, afinal, é uma forma de
“expectativa”, que frequentemente tende a se materializar. “A coisa que temia, assaltou-me”,
diz Jó, e nessas palavras declarou a experiência da raça. A maneira de combater as coisas que
você possa temer é criar um ardente desejo pela coisa oposta.
4. Outras pessoas que têm estudado os princípios de Influência Mental, ou têm tropeçado
em certos fatos concernentes à mesma, progridem com esta forma elementar de Influência de
Massa que acabamos de mencionar. Elas emitem as Ondas de Pensamento consciente e
deliberadamente, formando a imagem mental e agarrando-se fortemente a ela, de modo que
com o tempo seus fluxos de correntes mentais se afastam para grandes distâncias e trazem um
número maior de pessoas sob a influência para o campo de atração. Elas “tratam” o público

27
9
“de massa” mantendo o forte retrato mental daquilo que desejam, e então emitem fortes
correntes mentais de desejo em todas as direções, desejando que aquelas atingidas por seu raio
sejam atraídas para a pessoa e idéia expressadas na Imagem Mental projetada em todas as
direções.
5. A constante insistência sobre algum objeto ou tema especial por pessoas que
desenvolveram concentração, fortes vontades e fixação de propósito, tem o efeito de emitir da
mente dessa pessoa grandes círculos de Ondas de Pensamento, alargando-se constantemente,
se estendendo como ondas num lago em que se deixa cair uma pedra. Essas ondas atingem e
afetam um grande número de pessoas e as tomam interessadas no tema em que a pessoa está
pensando. Isto, mantido dia após dia com a força inerente de unia mente fortemente
centralizada, irá com o tempo afetar grande número de pessoas, e as tornará pelo menos
“interessadas” no objeto ou tema mentalizado e a indiferença foi superada. Outros apelos às
mentes dessas pessoas as atingirão com maiores probabilidades, pois “interesses” é o primeiro
passo em direção à atenção, e atenção é mais um passo na direção da ação.
6. Como é natural, existem muitas pessoas emitindo círculos de Ondas de Pensamento, e
essas correntes entram em contato entre si e tendem a se neutralizar. Mas de vez em quando
uma pessoa especialmente forte emitirá ondas que irão persistir mesmo depois de encontrarem
outras correntes, e atingirão as mentes do público a despeito da oposição. Essas correntes de
pensamento possuem a personalidade de quem as emite, e refletem o caráter de sua vontade,
seja a ela forte ou fraca. A Influência Mental emitida por um forte comerciante numa cidade
logo se fará sentir de maneira sutil, e a loja se torna um centro de influência atrativa, embora o
público não compreenda a razão. Do mesmo modo alguns advogados caem no agrado do
público, embora não possuindo maior habilitação que seus colegas. Pregadores populares
exercem sua influência numa comunidade de maneiras similares, embora muitas vezes não
sejam conscientes da força que estão usando, sabendo apenas que possuem um sentimento de
força interior, influência cativante sobre as pessoas, desejo ardente de atrair as pessoas à sua
maneira, e uma forte vontade de auxiliá-las. Essas são as qualidades mentais que criam e
manifestam o mais forte tipo de Influência Mental. E, além disso, essas pessoas quase
invariavelmente “sabem o que querem” — não existe um vago “desejo” de sua parte —,
fazem um nítido retrato mental das coisas que querem realizar, e então aplicam todo o esforço
no sentido de materializar o retrato. Tudo o que fazem para efetuar seus objetivos imprime
um ímpeto adicional ao seu círculo de poder e influência, constantemente expandindo-se e
fortalecendo-se.
7. Alguns mestres dessa arte de influenciar o público criam um retrato mental deles
próprios emitindo grandes volumes de Ondas de Pensamento por certo tempo, e depois
imprimindo mentalmente um movimento rotativo às ondas, até que por fim formam um
redemoinho mental girando, girando, e sempre puxando para o centro. Um esforço dessa
natureza atua no plano mental como um redemoinho físico atua no plano físico, isto é, atrai
para seu poder tudo o que entra em contato com sua força. Esta é uma das mais poderosas
formas de Influência de Massa, e é atualizada por muitos dos “homens fortes” desta época que
se familiarizaram com os segredos dos antigos ocultistas. O Ocultismo Antigo e as Finanças
Modernas parecem bastante distanciadas um do outro, mas na verdade trabalham juntos para
favorecer os interesses de algumas dessas poderosas mentes da atualidade e o público está
pagando por isso.
8. Pelo que foi dito, logo verá que um indivíduo que tenha cultivado a faculdade de

28
9
concentração, adquirido a arte de criar imagens mentais nítidas, claras e fortes, e quando
empenhado numa vontade de empreendimento modifica sua mente com a idéia de êxito, estará
destinado a tomar-se um centro de atração. E se tal indivíduo conservar seu retrato mental na
mente, ainda que no fundo desta, quando está cuidando dos detalhes e planejamento de seus
negócios; se ele der ao seu retrato mental um lugar proeminente em sua galeria mental,
lançando freqüentemente um olhar para ela e usando sua vontade para criar novas cenas de
real sucesso, criará para si um centro de pensamento radiante que seguramente será sentido
por aqueles que penetram em seu campo de influência.
9. Tal homem freqüentemente “vê” pessoas procurando-o e às suas empresas, e
concordando com seus planos. Ele “vê” mentalmente dinheiro jorrando para suas mãos e
todos os seus planos se realizando favoravelmente. Resumindo, ele imagina mentalmente
cada passo de seus planos um pouco adiante do tempo de sua execução, tendo-se concentrado
sinceramente neles. É surpreendente testemunhar como eventos, pessoas, circunstâncias e
coisas parecem ajustar-se na vida real como que impelidos por algum poder vigoroso para
materializar as condições assim imaginadas na mente do homem. Mas terá de haver esforço
mental ativo atrás da imaginação. Sonhadores não materializam pensamento, apenas
despendem energia. O homem que converte pensamento em atividade e vida material lança
energia na tarefa, e emite sua força de vontade através do retrato. Com os raios da vontade
não haverá retrato projetado, por mais belo que a imaginação o tenha formado. Pensamentos
retratados em imagens mentais e então vitalizados pela força do desejo e da vontade tendem a
objetivar-se em vida material. Laconicamente é o resumo de tudo.

29
10
Capítulo – X –
A NECESSIDADE DO CONHECIMENTO

1. Embora os verdadeiros princípios científicos que sustentam o tema de Influência Mental só


tenham sido reconhecidos recentemente e ensinados ao público em geral, o conhecimento dos
mesmos está longe de ser algo de novo. Os ocultistas da civilização antiga sem dúvida
compreenderam os princípios básicos e os usaram na prática, adquirindo dessa forma uma
ascendência sobre as massas. E mais que isso, as próprias massas possuíam certo conhecimento
compreensivo dos princípios funcionais do tema, pois encontramos entre todos os povos, em todas
as épocas, registros do uso desse poder. Sob uma denominação ou outra, sob uma forma ou outra,
Influência Mental foi operada e usada desde os tempos mais antigos. E atualmente até nos mais
remotos pontos do globo, e entre as raças mais selvagens e bárbaras, encontramos exemplos do
emprego dessa força.
2. As formas de manifestação de Influência Mental são muitas e variadas. Em alguns casos
manifesta-se sob a forma de um poder fascinante, atraente, exercido por algumas pessoas, fazendo
com que as mesmas atraiam outras pessoas para elas. Pessoas são fascinadas ou atraídas por outras
que possuem esse poder, e suas afeições tornam-se cativas por essa força misteriosa. Dizemos que
algumas pessoas são “fascinantes”, “que possuem poderes de atração”, “forte magnetismo” etc.
Outras exercem outra forma do poder para compelir e executar seu comando, e são tidas como
possuindo “uma vontade que compele” que é capaz de “forçar sua vontade” sobre os que as cercam,
possuindo “poderes dominadores” etc. Então presenciamos os variados fenômenos de Hipnotismo,
Mesmerismo, Psicologismo etc. Também nos encontramos face a face com os maravilhosos efeitos
da “Ciência Mental” sob uma forma ou outra, com esta ou aquela denominação, com as muitas
formas de “tratamentos” seguidos pelas diferentes escolas e cultos. Então lemos nas páginas da
história sobre os poderes misteriosos registrados sob o nome de Bruxaria, Hexismo1, Voodooísmo2,
Magia Negra, incluindo o trabalho “Kahuna”3. E virando as páginas da história para Roma, Grécia,
Pérsia e Egito antigos, sem falar na Índia, antiga e moderna, encontramos inúmeros exemplos do
emprego e conhecimento de Influência Mental em algumas de suas formas.
3. Embora muitos procurem negar o fato, pesquisadores e estudantes científicos compreendem
que existe somente um princípio fundamental real por trás de todas as várias formas de
manifestação. Os bons resultados e os maléficos são conseqüências da mesma força, por estranho
que pareça. O segredo está no fato de que esta Influência Mental é uma grande força natural, como
a eletricidade ou qualquer outra força ou energia naturais. E, como estas outras forças naturais,
pode ser, e é, usada tanto para o bem quanto para o mal. A eletricidade que faz funcionar nossas
máquinas, ilumina nossas casas e realiza outras incontáveis tarefas benéficas, é usada para
eletrocutar criminosos, e o infeliz que toca uma corrente elétrica poderá ter morte instantânea. O
sol que aquece nossa terra e torna a existência possível, também mata inumeráveis pessoas expostas
aos seus raios no deserto, e até nas grandes cidades. O fogo, grande amigo do homem, que tem sido
um dos mais potentes fatores na evolução da raça desde o barbarismo até a civilização, também é
um poderoso inimigo, destruindo propriedades e vidas. A água, elemento altamente necessário, que

1
Hexismo – palavra não encontrada. Tem relação com o número 6 e as possibilidades de analisar as coisas a partir de 6
ângulos distintos.
2
Voodooismo, Vuduísmo ou Vudus (Voodoos) – Um sistema de feitiçaria africana; uma seita de magos negros, à qual
são muito afeitos os negros de Nova Orleans. Floresce igualmente em Cuba e na América do Sul.
3
Kahunas – Entre os nativos do Havaí há certos homens conhecidos como Kahunas que oram pelo bem ou pelo mal das
pessoas, conforme o desejo de quem lhes paga.
30
10
torna a vida possível, e que é imprescindível às plantações, prestando outros inúmeros bons serviços
a nós, também atua às vezes como inimiga, afogando pessoas e inundando suas residências. A
gravitação, que mantém todas as coisas em seus lugares, desde planetas e estrelas até o mínimo
átomo da matéria, também faz as pessoas tombarem mortas de locais elevados, ou derruba sobre
suas cabeças objetos situados acima delas. Em resumo, toda força ou poder naturais são capazes de
causar efeitos benéficos ou maléficos ao homem, conforme as circunstâncias do caso.
Reconhecemos essas coisas e as aceitamos como urna lei da natureza. Contudo, alguns negam a
identidade do poder da Influência Mental manifestada em seus usos bom e mau. (Figura 9 – arquivo
anexo).
4. Há pessoas que atribuem a Deus todas as boas qualidades de Influência Mental, atribuindo
ao Diabo todos os seus usos maléficos. Essas pessoas possuem mentes primitivas. Atribuem a
Deus a chuva ou o sol, benéficos, e ao Diabo as mesmas coisas quando ocorre enchente ou seca.
Esse raciocínio reflete a mente selvagem. São forças naturais e atuam segundo suas próprias leis
pendentes de suas qualidades e natureza constituintes, e estão nesse sentido “acima do bem e do
mal”. Quando atuam no interesse e conforto do homem, este as chama de “boas”, quando
provocam dano e desconforto são chamadas de “más”, porém a força permanece inalterável, não
sendo boa nem má. E o mesmo acontece com a Influência Mental, que está acima do “bem” e do
“mal”, sendo uma grande força natural, capaz de ser usada tanto para o bem-estar quanto para o
infortúnio da humanidade. Mas, lembre-se, existe esta diferença.
5. Enquanto a força em si não é boa nem má, o indivíduo que a emprega pode ser, e é: “bom”
ou “mau”, de acordo com seu uso. Do mesmo modo que um homem comete uma boa ou má ação
quando usa sua arma para matar uma fera selvagem que está atacando outro homem, ou a aponta
para seu irmão ou vizinho, conforme o caso, assim um homem é bom ou mau segundo a utilização
que faz da Influência Mental. O mérito ou demérito se acha na intenção e no propósito de quem a
usa, não na força ou poder que ele emprega. Essa é a diferença.
6. Por todos os lados podemos ver a manifestação de posse da Influência Mental. Vemos
homens capazes de influenciar os que os cercam de maneira misteriosa e surpreendente, ou por seus
poderes de persuasão ou por sua dominadora força de vontade. Alguns atingem proeminência e
poder repentinamente, de forma inexplicável para aqueles que ignoram o segredo de Influência
Mental. Como dissemos num capítulo anterior, certas pessoas parecem possuir “alguma coisa
nelas” que as torna atraentes ou vencedoras em suas relações com outras pessoas. O “magnetismo
pessoal” de líderes manifesta-se de maneira forte, alguns possuindo este poder a tal ponto que as
massas os seguem como um bando de cordeiros.
7. Todos nós já tivemos contato com o “agente” ou vendedor que conseguiu de algum modo
vender-nos coisas que não queríamos e eram inúteis para nós, e depois nos pusemos a imaginar
como tudo aconteceu. Se compreendesse mos as leis da Influência Mental isso não teria ocorrido.
Em alguma época de nossa vida, todos nós estivemos na presença de indivíduos duos que quase nos
compeliram a fazer o que sabíamos no íntimo que não deveríamos fazer, o conhecimento das leis de
Influência Mental teria nos tornado capacitados a vencer a tentação.
8. E não apenas no caso de encontros pessoais temos sido afetados. Existe um uso do poder
muito mais sutil e perigoso, isto é, na forma de “influência distante”’ ou “tratamento ausente”,
como tem sido chamado. E o aumento no interesse e conhecimentos de matérias Ocultistas durante
os últimos vinte anos resultou na ampla difusão do conhecimento dessa grande força, e seu
conseqüente emprego, válido ou não, por muitas pessoas que com isso conseguiram obter influência
sobre seus vizinhos e companheiros, que não estão familiarizados com as leis da força. Muita gente
31
10
se surpreenderia se soubesse que alguns dos multimilionários do país, e alguns dos grandes políticos
e líderes, foram estudantes secretos de Ocultismo, e estiveram usando suas forças sobre as massas.
9. Também existem Escolas de Ocultismo que ensinam aos alunos teoria, prática e arte de
Influência Mental, sob uma denominação ou outra, sob este ou aquele disfarce, resultando em que
existe um número maior de pessoas ensinadas para o uso dessa força e instruídas em sua prática do
que se imagina. Existem Escolas para Vendedores fornecendo instrução disfarçada sobre a arte de
Influência Mental. Quase todas as empresas comerciais importantes que empregam vendedores
dispõem de instrutores particulares para seus funcionários, os quais lhes ensinam os princípios de
Influência Mental disfarçada sob a denominação “Psicologia de Negócios”, ou algo semelhante.
10. Além desses, há grande número de pessoas que estudaram com base em alguns dos grandes
cultos metafísicos, semi-religiosos, da atualidade; receberam instrução em Influência Mental
disfarçada sob o nome de alguns ensinamentos ou crenças religiosas; partiram dos princípios morais
inculcados por seus mestres; e estão usando seu conhecimento na forma de “tratamentos” ou outras
pessoas com o propósito de influenciá-los a aceder aos seus desejos ou a atuar trazendo lucro
financeiro para a pessoa que dá o tratamento. O ar está cheio desta Magia Negra hoje em dia, e já é
tempo de serem as massas em geral instruídas sobre o assunto. E é esse o propósito deste livro,
editado e vendido a preço popular a fim de estar ao alcance das posses das pessoas mais humildes,
que vêm sendo exploradas e influenciadas por aqueles que adquiriram conhecimento dos princípios
de Influência Mental e que a estão usando impropriamente em seus semelhantes.
11. Existe autoproteção para todos, e este livro se propõe a ensinar como utilizá-la.

32
11
Capítulo – XI –
MAGIA NEGRA E MAGIA BRANCA

1. O uso da palavra “Magia” com relação à Influência Mental é bastante antigo. Os Ocultistas
fazem uma clara distinção entre a utilização de Influência Mental contribuinte para o bem-estar dos
outros e seu uso de maneira egoísta, desprezível, calculada para causar dano aos outros. Ambas as
formas são comuns e frequentemente mencionadas em todos os relatos ocultistas.
2. Magia Branca possui muitas formas, tanto em suas manifestações antigas como nestes
últimos dias e revivido conhecimento ocultista. O uso de Influência Mental desta maneira
geralmente toma a forma de bondosos “tratamentos” de pessoas por outras que visam o seu bem-
estar. Nesta classe particular estão os diversos tratamentos dos vários cultos e escolas do que é
conhecido como Ciência Mental, ou denominações similares. Essas pessoas costumam dar
tratamentos, “presentes” e “ausentes”, com o prop6sito de curar enfermidades físicas e obter uma
condição física normal de saúde e força. Tratamentos similares são dados por alguns no sentido de
conseguir uma condição de Sucesso para outros, transmitindo às mentes dessas pessoas as vibrações
de coragem, confiança, energia etc., que sem dúvida levam ao sucesso no plano de ocupação
material etc.
3. Da mesma forma a pessoa pode “tratar” condições adversas que envolvem outras, fazendo a
força da mente suportar essas condições com a idéia de modificar as vibrações predominantes e
transformando desarmonia em harmonia, e fracasso em sucesso.
4. A maioria das pessoas, desinformada sobre o assunto, é cercada por uma atmosfera mental
provocada pelos prevalecentes estados mentais, pensamentos, sentimentos etc., e também
provocada pelas correntes de pensamento que atraíram para elas pela Lei de Atração Mental. Essas
Atmosferas Mentais quando estão envolvendo firmemente uma pessoa tornam mais difícil para ela
“livrar-se” de suas vibrações. Ela batalha e luta, mas as vibrações prevalecentes se abatem sobre ela
o tempo todo e devem produzir um possante efeito mesmo sobre pessoas de vontade forte, a menos
que estas tenham se familiarizado bastante com as leis de Influência Mental e adquirido o poder de
Concentração. Talvez o hábito de uma vida inteira tenha de ser superado, e, além disso, as
constantes vibrações sugestivas da atmosfera mental estão sempre produzindo uma pressão sobre a
pessoa, tomando-lhe difícil a tarefa de se livrar das condições antigas, sozinha e sem ajuda. Assim,
embora o esforço individual seja preferível, chega uma hora na vida de muitas pessoas em que uma
“mão auxiliadora”, ou melhor, uma “mente auxiliadora” presta grande serviço e assistência.
5. A pessoa que acorre em ajuda de outra que necessita de seus serviços está realizando um ato
meritório e oportuno. Ouvimos falar muito em “interferência nas mentes de outras pessoas” em tais
“tratamentos” bondosos e meritórios, mas em muitos casos é feita apenas pequena interferência. O
trabalho do ajudante está realmente na questão de neutralizar e dissipar a Influência Mental
desfavorável que envolve a outra pessoa, proporcionando-lhe a oportunidade de conseguir sua
própria salvação mental. É verdade que todos devem fazer seu próprio trabalho, porém ajuda do
tipo indicado aqui é sem dúvida valiosa e apropriada.
6. Nesses tratamentos de Magia Branca a pessoa que dá o tratamento forma o Retrato Mental
da condição desejada em sua mente, e depois envia suas correntes de pensamento para a outra
pessoa procurando reproduzir o Retrato Mental na mente ou atmosfera mental da outra pessoa. A
melhor maneira de fazer isso, naturalmente, é asseverar mentalmente que a condição desejada existe
de fato. Uma pessoa pode ser de grande ajuda a outras desse modo, e não existe uma boa razão para
que não seja feito.

33
11
7. E agora o lado inverso da questão. Desejávamos que fosse possível evitar até uma menção
desta detestável forma e manifestação de Influência Mental. Mas julgamos que ignorância não é
proteção, e é inútil e tolo seguir o método do avestruz que introduz a cabeça na areia quando
perseguido, julgando que não vendo o caçador este possa deixar de vê-lo. Achamos que é melhor
enfrentarmos os fatos. (Figura 10 – arquivo anexo)
8. É sabido por todos os estudantes de ocultismo que Magia Negra tem sido freqüentemente
empregada em todas as épocas para favorecer os desígnios egoístas de certas pessoas. Também é
um fato conhecido dos avançados pensadores da atualidade que até nesta época esclarecida existem
muitas pessoas que não têm escrúpulos em usar essa prática detestável no sentido de servir aos seus
próprios fins, apesar da punição que os ocultistas sabem aguardar tais pessoas.
9. Os anais da história estão repletos de registros de várias formas de bruxaria, conjuração e
formas similares de Magia Negra. Todas as faladas maneiras de “enfeitiçar” pessoas são realmente
sistemas de Magia Negra, intensificados por temor e superstição dos que são afetados.
10. Basta ler a história da bruxaria para verificar que existia sem dúvida alguma força atuante
atrás de toda superstição e ignorância mostradas pelo povo daqueles tempos. O que atribuíam à
influência de pessoas “em aliança com o diabo” resulta em verdade do uso de Magia Negra, ou um
uso desonroso de Influência Mental, o que significa o mesmo. Um exame dos métodos empregados
por esses “bruxos”, de acordo com suas confissões, nos dá a chave do mistério. Esses “bruxos”
fixavam suas mentes sobre outras pessoas, ou seus animais, e mantendo ali um retrato mental
concentrado emitiam Ondas de Pensamento afetando o bem-estar das pessoas sendo “tratadas
adversamente”, que as influenciavam e perturbavam, muitas vezes provocando enfermidades.
Naturalmente, o efeito desses “tratamentos” era grandemente aumentado pelo extremo temor
ignorante e pela superstição de que eram possuídas as massas de povo na época. O Medo é sempre
um fator enfraquecedor em Influência Mental, e as superstições e credulidade das pessoas faziam
suas mentes vibrarem de maneira a tomá-las extremamente passivas às influências adversas sendo
dirigidas contra elas.
11. É sabido que os vodus da África, e cultos similares entre outras raças selvagens, praticam
Magia Negra entre seu povo com grande efeito. Entre os nativos do Havaí há certos homens
conhecidos como “Kahunas”, que oram pelo bem ou pelo mal das pessoas, conforme o desejo de
quem lhes paga. Estes exemplos poderiam ser multiplicados se dispuséssemos de espaço e
inclinação para prosseguir na matéria.
12. E em nossas terras civilizadas existem pessoas que aprenderam os princípios de Influência
Mental, e que estão usando os mesmos com propósitos ignóbeis, procurando prejudicar os outros e
frustrar seus empreendimentos ou tentando fazê-los atuar de acordo com seu ponto de vista e suas
inclinações (do “tratador”). O moderno reflorescimento do conhecimento ocultista tem operado em
duas bases. Por um lado, vemos e ouvimos falar no possante poder para boa Influência Mental que
está sendo exercido entre as pessoas atualmente, curando os doentes, fortificando os fracos,
imprimindo coragem aos desanimados e transformando fracassos em êxitos. Mas por outro lado o
egoísmo e a ganância desprezíveis de pessoas sem princípios estão se prevalecendo dessa poderosa
força da natureza e degradando-a para seus próprios fins detestáveis, sem atender a preceitos de
consciência ou ensino de religião e moralidade. Essas pessoas estão semeando um vendaval
maligno que resultará na colheita de um temível redemoinho no plano mental. Estão causando a si
mesmas futuros danos e desgraças.
13. Desejamos fazer uma séria advertência àqueles que foram ou estão tentados a empregar esta
força poderosa com finalidades torpes. As leis do plano mental indicam que “quem semeia colhe”.
34
11
A possante Lei de Atração atua com a precisão de uma máquina, e aqueles que procuram envolver
os outros numa rede de Influência Mental mais cedo ou mais tarde são apanhados em sua própria
armadilha. O autor de Magia Negra envolve-se num redemoinho que mais cedo ou mais tarde o
desfaz em pedaços. Ele é tragado pelo redemoinho que formou e puxado para as maiores
profundezas. Não são simples observações, e sim uma declaração de certas leis da natureza
operando no plano mental, que todos devemos conhecer e estar atentos a elas.
14. E para aqueles que possam se assustar com a menção da existência e possibilidades de
Magia Negra, diríamos que há uma coisa de que devem se lembrar; o Bem sempre supera o Mal no
plano mental. Um Bom pensamento sempre possui o poder de neutralizar o Mau, e uma pessoa cuja
mente esteja cheia de Amor e Fé pode combater uma multidão cujas mentes estejam cheias de Ódio
e Maldade. A tendência de toda a natureza está voltada para o Bem. E aquele que a faz retroceder
para o Mal se coloca contra a Evolução Espiritual, e mais cedo ou mais tarde é vítima de sua
insensatez.
15. Lembre-se disto: Ondas de Pensamento somente penetram nas mentes que estão habituadas
a ter pensamentos similares. Aquele que pensa em Ódio pode ser afetado por pensamentos de Ódio,
enquanto aquele cuja mente é cheia de Fé e Amor está cercado por uma armadura resistente que
repele as ondas invasoras e faz com que elas retornem a quem as envia. Maus pensamentos, como
galinhas, voltam para casa a fim de dormir. Pensamentos são como bumerangues, em sua tendência
a retomar a quem os arremessa. Para o veneno da Magia Negra a Natureza apresenta o antídoto do
Pensamento Correto.

35
12
Capítulo – XII –
AUTOPROTEÇÃO

1. O leitor dos capítulos anteriores verá o poder de Influência Mental em suas varias fases de
manifestação, e reconhecerá a possibilidade da força usada para influenciar a si próprio. A pergunta
que naturalmente surgirá na mente de todo estudante e pesquisador desta importante matéria, e que
ocorre certa vez a todos, é: “Como poderei me proteger do uso deste poder contra mim mesmo,
como poderei me tornar imune a essas influências que podem ser dirigidas contra mim?”
2. É verdade que nós, e outros escritores sobre o assunto, temos mostrado que a pessoa está
muito menos sujeita a influências se mantiver uma atmosfera mental de alta vibração.
Conservando-se cercada por uma atmosfera mental cheia de vibrações, do mais elevado tipo de
pensamentos e livre de pensamentos e desejos de caráter abjeto e egoísta, que tende a atrair
pensamentos similares. Desse modo, a pessoa cria um estado de asseio higiênico mental que a toma
imune a “pensamentos contagiosos do plano egoísta de desejo” etc. Isto deve ser lembrado e
aproveitado por todos, pois como asseio físico não dá alojamento adequado a germes de
enfermidade, da mesma forma asseio mental se recusa a admitir micróbios mentais.
3. Mas existe um método muito mais eficaz que o plano aqui mencionado. Este método é o
empregado pelos adeptos do Ocultismo; esse método e sua prática esclareceram as fraternidades do
mundo inteiro. Passamos a considerá-lo. (Figura 11 – arquivo anexo)
4. Em primeiro lugar, sem entrarmos numa declaração dos detalhes dos elevados ensinamentos
do ocultismo, desejamos informar que o Princípio Básico de todos esses ensinamentos e instrução é
o fato de que no interior de cada um de nós, no centro do ser de cada indivíduo, no fundo do
coração do Ego Imortal, está o que os ocultistas denominam Chama do Espírito. Isso é o que você
conhece como a consciência do “EU SOU”, a consciência de Ser, que está acima da consciência de
Personalidade, ou dos atributos da personalidade. É essa consciência que informa a cada indivíduo,
inquestionavelmente, que ele É um Ser Individual. Esta consciência ocorre ao indivíduo em razão
de seu contato com a grande Vida Uma do Universo, é o ponto de contato entre a PARTE e o
TODO.
5. E nessa parte da consciência do homem, unida ao sentido de SER um “EU”, reside uma
centelha da Divina Chama de Vida e Poder, que é o que tem sido chamado de VONTADE do
homem. Não confunda isto com a chamada Vontade de personalidade, que é apenas um desejo, ou
certa firmeza, que geralmente é pouco mais que Obstinação. A Vontade interior é Poder Real, e
uma vez reconhecida pode ser atraída como uma fonte de Força interminável e infalível. Os
adeptos do ocultismo desenvolveram a consciência desse Poder Interior, e o usam livremente. É o
resultado de anos de prática, de vida e pensamentos corretos. Todas as pessoas podem atrair essa
fonte de força para seu interior a fim de ajudá-las na vida e para repelir as vibrações mentais do
plano interior.
6. Essa consciência pode ser desenvolvida pela percepção de sua existência, e pelo sistema de
trazer a idéia na consciência diária, por pensamento, meditação e prática. O próprio fato de termos
chamado a atenção para sua existência despertou na mente de Você que está lendo estas linhas uma
nova força e sensação de poder. Pense por um momento e veja se não teve um início de Força em
seu interior que não havia percebido tão completamente até agora! Um contínuo reconhecimento de
sua consciência diária deste Algo Interior irá desenvolver sua capacidade de manifestá-la.
Particularmente numa hora de necessidade ela surgirá em seu auxílio, dando-lhe a sensação de que
uma parte de você lhe dirige palavras de encorajamento: “Eu Estou Aqui! Não Tenha Medo!”

36
12
7. É muito difícil apresentar-lhe este método por palavras escritas ou impressas, mas se obtiver
um total reconhecimento deste Poder Interior estará desenvolvendo um novo poder de resistir a
influências externas que irá surpreendê-lo.
8. Quando entrar em contato com pessoas que estão procurando influenciá-lo de qualquer das
maneiras mencionadas nos capítulos anteriores deste livro, ou de outras formas, irá estar capacitado
a desafiar seus ataques mentais, apenas lembrando-se da força iminente no seu “Eu”, auxiliada pela
declaração (feita em silêncio para si mesmo): “Eu sou um Espírito Imortal, usando a Vontade no
interior de meu Ego”. Com esta Atitude Mental pode fazer o mais leve esforço mental no sentido
de afastar de sua mente vibrações que irão espalhar as influências adversas em todas as direções, e
as quais, se persistirem, irão tornar a outra pessoa confusa e ansiosa por abandoná-lo.
9. Com esta consciência em mente, seu comando mental para outra pessoa, “Deixe-me, rejeito
sua influência pelo poder de meu Espírito” irá atuar tão fortemente que você poderá constatar o
efeito imediatamente. Se a outra pessoa for obstinada e estiver determinada a influenciar você com
palavras de sugestão, lisonja, ameaça, ou métodos similares, olhe-a fixamente nos olhos, dizendo
mentalmente: “Eu desafio você, meu poder interior rejeita sua influência”. Tente isto na próxima
vez que alguém tentar influenciá-lo verbalmente ou por Ondas de Pensamento, e veja como se
sentirá forte e positivo, como os esforços da outra pessoa falharão. Isto parece simples, mas o
pequeno segredo vale milhares de dólares para todo indivíduo que o puser em prática.
10. Acima de tudo, afaste de sua mente todo o Medo de outras pessoas. O sentimento de medo
impede que manifeste o poder no seu interior em toda sua extensão.
11. Não apenas o caso de influência pessoal na presença da outra pessoa pode ser vencido desta
maneira, mas o mesmo método obterá resultados igualmente satisfatórios na questão de repelir a
influência mental dos outros, dirigida conta você na forma de “tratamentos ausentes” – etc. Quando
se sentir inclinado a fazer alguma coisa que no íntimo sente que não favorece seus interesses, pode
estar certo de que consciente ou inconscientemente alguém está procurando influenciá-lo nesse
aspecto. Então sorria intimamente e faça as declarações aqui mencionadas, ou alguma semelhante,
e mantendo firmemente na mente o poder de seu Espírito no íntimo do seu “Eu”, envie um comando
mental como o faria no caso de estar a pessoa presente. Pode também rejeitar o poder da influência
declarando mentalmente “REJEITO seu poder de me influenciar, você não tem tal poder sobre
mim...; confio em meu conhecimento de Espírito e Vontade em meu interior...; rejeito seu poder
como inexistente”. Esta forma de rejeição pode ser usada tanto no caso de influência ausente como
no de influência pessoal. A regra é a mesma em todos os casos.
12. Ao repelir essas influências ausentes irá experimentar imediatamente uma sensação de alívio
e força, e poderá sorrir ante os esforços malogrados da outra pessoa. Se você se sentir
suficientemente liberal e cheio de amor pela humanidade, poderá então “tratar” a outra pessoa por
seu erro, enviando-lhe pensamentos de Amor e Conhecimentos com a idéia de dissipar seu egoísmo
e sua ignorância, e fazendo-a ter consciência das mais elevadas verdades da vida.
13. Sem dúvida irá ter muitas experiências interessantes resultantes do fato de repelir esses
ataques. Em alguns casos descobrirá que na próxima vez que encontrar a pessoa em questão ela
surgirá confusa e constrangida. Em outros casos a pessoa começará a manifestar respeito e
consideração por você, com disposição a auxiliá-lo em vez de tentar influenciá-lo à sua maneira.
Em outros casos a pessoa ainda procurará “convencê-lo” a realizar aquilo que tentou influenciá-lo a
fazer por Influência Mental, mas seus esforços “cairão por terra” e não terão efeito, principalmente
se você lhe der “outra dose” da afirmação do Poder do Espírito em seu interior.
14. Da mesma forma deverá recorrer ao seu Eu Superior para obter ajuda e força quando sentir
37
12
que está sendo afetado por quaisquer Ondas Mentais de sentimento ou emoção fluindo sobre a
mente do público, que possuem uma tendência a forçar as pessoas a adotarem certas idéias, ou a
seguirem certos líderes. Nesse caso, a afirmação do seu “Eu” interior dissipará a influência à sua
volta, e você se sentirá num cento de Paz cercado por todos os lados pelo oceano de tumulto e
agitação mentais que está circulando no local. Do mesmo modo poderá neutralizar as desagradáveis
atmosferas mentais de locais, localidades, casas etc., e tornar-se imune a elas. Em resumo, foi por
nós apresentada aqui uma receita que pode ser usada em todo e qualquer exemplo do emprego de
Influência Mental. Pode parecer-lhe simples, mas um pouco de uso da mesma fará com que você a
considere a mais importante partícula de conhecimento prático que possa possuir.

38
Figuras
Essas figuras foram inseridas por deliberação da Ediouro. As mais óbvias foram suprimidas para
viabilizar o envio do arquivo por e-mail. Se houver interesse por parte do estudante, poderemos
enviá-las em arquivos separados, em anexo ao livro.

Figura 1 - O átomo, as moléculas e toda a matéria do Universo nada mais são que vibrações.

Figura 2 – (foto de uma torre com antenas) O fenômeno de influência mental contém uma
surpreendente analogia ao de energia elétrica.

Figura 3 – Nossa mente pode agir como uma lupa, que tem a capacidade de centrar os raios de
sol num ponto comum, intensificando, assim, o calor e a luz.

Figura 4 – (Desenho de um croqui de arquitetura) Assim como o desenho do arquiteto, a imagem


mental fornece-lhe uma estrutura, para nela atuar.

Figura 5 – (Foto de Napoleão) Napoleão foi um dos muitos grandes homens da história que usou
o poder da fascinação em proveito próprio.

Figura 6 – A influência mental é tão antiga quanto o homem na face da Terra. Frederick Anton
Mesmer, apenas redescobrindo seu poder, usou-a bastante.

Figura 7 – Um método muito usado de influência á distância consiste na


confecção de um boneco de cera, como o usado nos cultos Vodu.
39
Figuras

Figura 8 – (Desenho do rosto de Jesus) Inúmeros grandes homens da História, incluindo Jesus
Cristo, pareciam exercer um efeito extraordinário, quase miraculoso sobre as mentes do povo.

Figura 9 – (Desenho de um carro pegando fogo) O poder mental é como o fogo, que pode ser
amigo ou inimigo, dependendo das circunstâncias.

Figura 10 – (Foto de um avestruz) Quando estamos sendo vítimas de uma forte influência
mental, é inútil agir como o avestruz, que introduz a cabeça na areia quando em perigo.

Figura 11 – (Foto de um bebê em incubadora). Assim como o asseio físico não dá lugar a germes
de enfermidades, o asseio mental também na dá chances a micróbios mentais.

40
ROTEIRO PARA ANÁLISE DO LIVRO

Os estudantes do CER devem utilizar o roteiro que se segue para melhor


aproveitamento dos livros em seus estudos. A cada livro estudado deve ter uma
síntese em que destaque os aspectos de maior relevância para o entendimento do livro
e o aproveitamento dos ensinamentos em seu projeto de autodesenvolvimento:
Projeto “SER5” (Saber, Evolução, Realização).

I - Relacione informações de interesse sobre o livro.

II - Faça uma síntese do assunto estudado em cada capítulo.

III - Destaque os aspectos que mais lhe chamaram a atenção em cada capítulo.

IV - Imagine que você está elaborando um projeto pessoal de evolução consciente e


autodeterminada e precisa escolher os pontos que poderiam aprimorar sua “forma de
ser”. Selecione “chaves” ou “dicas” que poderiam lhe ajudar no seu propósito de
crescimento através da consciência.

5
CER – O PROJETO “SER” é uma proposta pessoal de crescimento interno onde cada estudante identifica, seleciona
alternativas e revê procedimentos para impulsionar o autodesenvolvimento. Registra os aspectos que lhe parecem mais
relevantes, decorrentes de seus estudos e experiências pessoais para aplicá-los conscientemente no sentido de seu
crescimento interno. É a Vontade capacitada pelo Conhecimento e dirigida pela Intenção do desenvolvimento mental e
espiritual. O PROJETO “SER” é o principal objetivo do trabalho do Círculo de Estudos Ramacháraca. Uma aplicação
prática do aprendizado adquirido. Sua primeira fase é a do registro das pérolas do aprendizado. As etapas posteriores
obedecem a um roteiro especial aplicado pelos estudantes em etapas mais adiantadas dos programas do CER..
41
SUGESTÃO DE ERRATA

Este formulário adotado pelo CER permite que os estudantes colaborem com o aperfeiçoamento do
trabalho, detectando possíveis erros ortográficos, de digitação ou gramaticais. Sua colaboração é
indispensável!

TITULO DO LIVRO:
PROPOSTO POR:
DATA:

Capítulo Parágrafo Linha Trecho com erro Correção Proposta Observação

42

Você também pode gostar