Você está na página 1de 15

DESENVOLVIMENTO

Tem gente que acha que letra de música é uma coisa e poesia é outra
completamente diferente. Outros pensam o contrário. Uma pequena polêmica do mundo
da música.
Uma velha questão que, embora já ultrapassado para muitos, ainda costuma ser
feita com frequência para poetas e cancionistas é se existe diferença entre poesia e letra
de música. De tanto ouvi-la acabamos sempre pensando sobre ela. Se me perguntassem
eu diria que não existe nenhuma diferença essencial; letra de música é poesia e poesia é
letra de música. Rigorosamente, qualquer poema e mesmo qualquer texto em prosa pode
ser colocado numa melodia, tudo depende dos limites que se dá a essa melodia.
Mas se pensarmos dentro de critérios mais tradicionais, podemos pensar que
existe algum grau de diferença entre poesia e letra de música, não o bastante para
colocá-las em categorias separadas, mas apenas o suficiente para considerarmos que são
dois suportes diferentes para o mesmo tipo de material, cada um com suas
especificidades.
Assim como a visualidade permite no poema concreto diversas possibilidades que
só existem através dela, a música permite ao letrista diversas coisas que no papel não
caberiam, uma delas, por exemplo, são as repetições, o refrão, o estribilho, que numa
canção funcionam muito bem, mas num livro já é menos provável que tenham sentido.
Ela é autora de uma letra que conquistou de Gisele Bündchen a Luan Santana. Ela
é dona de uma voz doce e apaixonante. Ela é Ana Vilela, cantora e compositora de
“Trem Bala”. Depois de toda a repercussão do vídeo em que a top Gisele Bündchen
aparece tocando violão e cantando a música em um cenário paradisíaco, a artista que
criou uma canção tão verdadeira, como escreveu a modelo brasileira. “Eu tenho 18 anos
e sempre fui apaixonada pela música. Eu costumo dizer que nasci cantando. Enquanto
minhas amigas brincavam com bonecas, quando éramos criança, eu sempre estava com o
violão”, se apresentou.
Cerca de uma semana depois da postagem, a vida de Ana Vilela mudou e continua
mudando bastante. A cantora confessou que a repercussão nas redes sociais e na
imprensa a impressionou. “Depois do vídeo da Gisele, meus seguidores se multiplicaram
e as visualizações no meu canal do YouTube também aumentaram. Fora os jornalistas,
que passaram a me procurar ainda mais depois que minha música foi notícia em sites do
mundo todo”, contou Ana, que tem a preocupação deste sucesso não ser passageiro. “Eu
estou me cercando de profissionais competentes para conseguir aproveitar esse momento
para a minha carreira. Desde banda à assessoria, minha preocupação é ter os melhores
comigo para que não seja só uma visibilidade efêmera”, apontou.
Na canção, Ana Vilela resgata a essência básica da música. Acompanhada apenas
de seu violão, a cantora apresenta uma letra simples, verdadeira e unânime, que agrada e
causa identificação em todos que a escutam. “Eu escrevi essa música há uns quatro
meses, quando acabaram as Olimpíadas. A minha intenção era expor algumas questões
que estavam me incomodando naquele momento. Eu não tinha a intenção de divulgar e
nem imaginava esse sucesso todo. Era só uma expressão verdadeira e íntima minha”,
revelou Ana, que confessou não entender o fenômeno “Trem Bala”. “De verdade, eu não
sei explicar. Já me falaram que é por causa da letra da música. Se for por isso, eu
arriscaria dizer que é uma composição que engloba diferentes sentimentos. Não tem
restrição, pode ser para todos”, explicou. Ana Vilela nasceu no Paraná, na cidade de
Londrina, em 1998.

INTRODUÇÃO

Nesse trabalho eu falarei sobre Ana Vilela, qual a diferença entre música e poesia,
sua biografia, e a letra da música âmago uma das suas músicas mais famosas.
CONCLUSÃO FINAL

Nesse trabalho eu conheci um pouco mais sobre Ana Vilela, uma cantora meio
que famosa sua música âmago e a diferença entre poesia e música.
REFERENCIAS

https://m.letras.mus.br/ana-vilela/amago/
https://heloisatolipan.com.br/musica/conheca-ana-vilela-cantora-e-compositora-de-trem-
bala-musica-que-ja-foi-cantada-por-gisele-bundchen-e-luan-santana/
http://lounge.obviousmag.org/ocos_de_borboleta/2014/12/a-velha-questao-letra-de-
musica-e-poesia.html
RENASCER COLÉGIO E CURSO
PEDRO HENRIQUE ALMEIDA

BIOGRAFIA: ANA VILELA - ÂMAGO

Trabalho apresentado a Profª: Josilene da


disciplina de Língua Portuguesa da turma do
7º ano, turno matutino do Ensino
Fundamental II, como nota integrante da
média bimestral.

PARNAMIRIM
2019
RENASCER COLÉGIO E CURSO

JOÃO VÍTOR MARQUES TEIXEIRA


BIOGRAFIA DE ANA VILELA
PROMETE

Trabalho apresentado a Profª: Josilene


da disciplina de Língua Portuguesa da
turma do 7º ano, turno matutino do
Ensino Fundamental II, como nota
integrante da média bimestral.

PARNAMIRIM
AGOSTO/2019
DESENVOLVIMENTO

Ana Vilela é paranaense, a cantora já tem contato com a música desde seus doze
anos de idade, onde já tocava violão e cantava. Além do violão, Ana também domina
percussão, onde ela era professora para crianças em um projeto social na cidade de
Londrina. Antes do sucesso Trem Bala ganhar o Brasil a fora, Ana Vilela prestou vestibular
para cursar Letras, e disse em entrevista que desistiu da segunda fase para se apresentar
em um de seus primeiros shows da carreira. A cantora não esperava que a canção de sua
autoria fosse ter uma repercussão tão grande, postada em seu canal oficial do YouTube
em outubro de 2016, a canção veio a se tornar hit cibernético no mês seguinte, em
novembro, por conta da tragédia ocorrida com o time da Chapecoense, no Voo LaMia
2933.
Em 2017, Ana viu sua vida mudar completamente por conta do sucesso de sua
canção que teve covers de personalidades como Padre Fábio de Melo, Gisele Bündchen,
além das outras 11 versões da canção produzidas internet a fora com remixes, e além do
dueto com o seu ídolo e influenciador, Luan Santana. No mesmo ano, Ana assinou
contrato com o selo SLAP (Som Livre Apresenta), da gravadora Som Livre, que relançou
o hit 'Trem Bala' com videoclipe oficial.
A música e a poesia estão interligadas. Em primeiro lugar é preciso que
estabeleçamos um conceito de música para definirmos melhor afinal o que é música. Ao
falar de poesia como arte de compor versos, podemos supor que qualquer sequência
ritmada e, especialmente rimada, seja poesia. É muito claro que letra de música é uma
modalidade de poesia, é poesia cantada. É poesia porque é palavra em forma poética e
se dá num espaço de melodia, assim como a poesia literária se dá num espaço em
branco da página. A grande “mágica” que faz uma letra ser considerada poesia na
verdade não depende só de seus versos, mas da combinação de letra e música. Quando
palavras e sons se juntam, algo mais incide sob a música, fazendo com que ela ganhe
uma força poética maior e mais intensa que o mesmo verso ou a mesma frases melódicas
separadas. A música é em rimas.

REFERENCIAS
https://www.digestivocultural.com/blog/post.asp?
codigo=1592&titulo=Letra_de_musica_e_poesia?
http://lounge.obviousmag.org/ocos_de_borboleta/2014/12/a-velha-questao-letra-de-
musica-e-poesia.html
https://monografias.brasilescola.uol.com.br/educacao/musica-poesia-melancolia-
viniciana.htm
RENASCER COLÉGIO E CURSO

LUIZ HENRIQUE MARQUES TEIXEIRA


BIOGRAFIA DE ANA VILELA
“QUE SORTE A NOSSA”

Trabalho apresentado a Profª: Josilene


da disciplina de Língua Portuguesa da
turma do 7º ano, turno matutino do
Ensino Fundamental II, como nota
integrante da média bimestral.

PARNAMIRIM
AGOSTO/2019
INTRODUÇÃO

Ana Carolina Vilela da Costa (Londrina, 6 de fevereiro de 1998) é uma cantora e


compositora brasileira. Ficou nacionalmente conhecida após sua canção "Trem Bala" se
tornar um fenômeno viral na internet, e de sua primeira perfomance em rede nacional
durante o programa Caldeirão do Huck, onde Ana fez parceria com Luan Santana.
A música é formada por três elementos: melodia, ritmo e harmonia. A melodia é a
organização de uma seqüência dos sons, ou seja, é a forma com que os sons são
emitidos. Cada música possui uma melodia diferente.

Ritmo nada mais é que a duração de um som. Harmonia é o agrupamento


agradável dos sons, é a forma ideal de combinação de todos os elementos da música.
Quando falamos que uma canção é harmônica, queremos dizer que todos seus
elementos estão corretos, ou seja, ela está sendo cantada ou tocada de uma forma
agradável aos nossos ouvidos.

Os sons que são usados na música se chamam notas musicais. Ao total, existem 7
notas: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si. As notas musicais variam conforme sua altura,
podendo ser mais graves (freqüência menor, voz grossa) ou mais agudas (freqüência
maior, voz fina). As notas podem ser colocadas em várias escalas, portanto nem sempre
um Dó é a nota mais grave, uma vez que podem existir várias outras escalas antes dele
com notas bem mais graves.
Num ritmo lento e cadenciado, a letra fala sobre duas pessoas que estão dando
sinais que querem uma a outra, tantos sorrisos e olhares existem por aí, mas ainda bem
que elas se interessaram uma pelo da outra.
As rimas da música são: meu-seu, possui dois refrões, O refrão se caracteriza
como um verso ou agrupamento de versos que se repete ao final de cada estrofe.
Denominado também de estribilho, ele se encontra presente nas canções e nas criações
literárias, como, por exemplo, os poemas.

REFERENCIAS
https://www.letrasdemusicas.com.br/ana-vilela/biografia/
https://alunosonline.uol.com.br/educacao-artistica/musica.html
https://www.letras.mus.br/ana-vilela/que-sorte-a-nossa/
INTRODUÇÃO

Ana Vilela chegou com a voz doce, uma letra simples sobre a vida e conquistou os
brasileiros com Trem bala. Em outra canção que tem a mesma simplicidade para falar de
um amor puro e fraternal. Dedicada ao primo da cantora, Promete, A música foi inspirada
no pequeno Pedro, que é primo da artista.
CONCLUSÃO FINAL

O trabalho foi importante para conhecer mais sobre a artista Ana Vilela, sobre a
música de sua autoria “Promete” e como a música e poema caminham juntos.
INTRODUÇÃO

Esse trabalho aborda música, poema, e a leitura da música “Que sorte a nossa” na
voz de Ana Vilela.
CONCLUSÃO FINAL

O trabalho foi importante para conhecer mais sobre a artista Ana Vilela, e a música
“Que sorte a nossa”, pois só conhecia na voz de outros artistas, Matheus e Kauan e na de
Paula Mattos. Além de estudar a estrutura da música e poema.

Você também pode gostar